Vous êtes sur la page 1sur 42

Nidai-Sama

APRESENTAÇÃO

Este ano em que comemoramos o centenário do nascimento de


Nidai Sama, é com imensa alegria que publicamos este volume dos
ensinamentos de nossa Segunda Líder Espiritual com o objetivo de deixar
registrados sua dedicação e empenho incansável à Obra Divina.
Meishu Sama, fundador, e considerado Mestre e Messias da
nossa Igreja, disse que a religião para ter utilidade deve ser pragmática.
Nidai Sama determinou o caminho e a ordem da Verdade por Ele
revelada e, colocando-a em prática mostrou-nos como devemos professar
a fé.t
Expressas numa linguagem simples, porém firme, as palavras de
Nidai Sama são fontes de eterna inspiração para transformarmos nosso
cotidiano em constantes bênçãos divinas.
Esperamos que a leitura desta obra seja proveitosa e se reverta
em força motriz para a participação do prezado leitor na construção de
um mundo melhor.
O SER HUMANO É UM ENTE ESPIRITUAL

A alma do ser humano é uma partícula da grande alma do


Universo, e o seu corpo físico é uma parte do corpo de Deus, que é,
propriamente este vasto Universo. Portanto, o ser humano que foi criado
por Deus é a Sua miniatura. Tudo que o ser humano pensa faz e cria,
está inseparavelmente ligado a Deus. É assim que as pessoas vivem.
Deus concede ao homem tudo que ele necessita e o homem recebe
essas dádivas, se essa ação fosse unilateral o ato de dar e receber não
aconteceria. Assim sendo, quando a pessoa distancia o pensamento da
sua origem, que é Deus, mesmo que aparente estar vivendo bem, tanto
material quanto socialmente, ao observarmos pelo aspecto espiritual, ela
não estará ligada a vida eterna. Por ter o elo rompido e não estar
enraizado no Mundo Espiritual seu espírito acaba tornando-se infantil e
debilitado, e só podemos dizer que se trata de uma pessoa que inspira
compaixão, pois vive apenas material e egoisticamente. O ser humano,
nessa situação pode ser comparado a uma árvore que tem suas raízes
cortadas e que por um período, apesar de mostrar seu florescimento
acaba secando, de acordo com o seu próprio destino. A raiz do homem é
Deus, é lógico que se a origem secar, sua extremidade também não
poderá continuar viva.
12 de outubro de 1957

O HOMEM É O ELEMENTO PRINCIPAL


DA OBRA DIVINA NA TERRA

Com o desejo de conceder alegria eterna a humanidade, Deus


planejou estabelecer o Paraíso na Terra, reflexo da glória dos Céus e
criou o homem como Seu representante e elemento principal da Obra
Divina na Terra. O homem recebeu, então, o espírito que tem a forma e a
mesma essência de Deus e também lhe foi concedida a liberdade.
Assim como não existe nenhuma diferença substancial entre a
água do oceano e água do recipiente obtido desse mesmo oceano, a
essência de Deus e a do homem são iguais. Porém, é mais do que
natural que surja uma diferença como a que existe entre o Céu e a Terra,
entre a natureza e a atividade do homem que mantém ou não a harmonia
com Deus. Se estiver em harmonia com Deus, o amor do homem se
elevará e se estenderá a humanidade, passando a praticar o Bem e o
amor altruísta. Entretanto, as pessoas que se isolam de Deus e ficam
limitadas ao seu pequeno ego, terão um amor cada vez mais egoísta e
passarão a agir sem pensar no próximo.
Dessa forma, mesmo sendo semelhante a Deus na sua essência,
o homem terá resultados completamente diferentes caso se harmonize ou
não com Deus. Ligar-se a Deus não seria, portanto, o maior dever do
homem? Dizem que as pragas atacam mais as frutas saborosas, no
homem , que foi criado como instrumento de Deus, ocorre a tentação dos
demônios que aguardam as brechas que porventura possam se formar
em seu espírito. Portanto, o homem deve ser conscientizar que foi criado
para se entregar firmemente a Deus absoluto e se harmonizar com Ele.
11 de novembro de 1959

ESFORÇAR-SE CONSCIENTIZANDO-SE
QUE O MUNDO MATERIAL É O LOCAL DE ELEVAÇÃO

O ser humano como representante de Deus, tem a missão de


estabelecer o Paraíso na Terra, construindo um mundo de Verdade, Bem
e Belo. E, para formar uma sociedade plena de amor e de Bem, que
realmente esteja de acordo com a vontade de Deus é preciso antes de
tudo conhecer a existência do Mundo Espiritual.
O verdadeiro corpo do homem é o seu próprio espírito que possui
uma vida ilimitada, sendo que o corpo físico não passa de um recipiente
para ele. Se não nos conscientizarmos de que é pela ordem de Deus que
vamos e retornamos dos Mundos Espiritual e Material e nos
desenvolvemos no ciclo de criação e formação dentro da Obra Divina,
não poderemos dizer que nos consagramos ao verdadeiro significado da
vida.
Podemos dizer que a postura correta do homem é conhecer a
Verdade da unidade espírito e matéria e transcendendo a vida e a morte
dar importância ao Mundo Material como palco significativo de sua
existência e se empenhar na construção do Paraíso e na eliminação dos
três males, a doença, a pobreza e o conflito.
Falando claramente, tudo se resume no desejo de elevação e
todas as coisas continuam progredindo infinitamente da imperfeição para
a perfeição.
23 de março de 1958
DEVEMOS TER RESPEITO PELA VIDA,
CONHECENDO A DIGNIDADE DO HOMEM

Todos os homens são filhos e partículas de Deus, por isso, sua


essência é pura. Por conseguinte, devemos basicamente respeitar e amar
todas as pessoas. Amar o próximo significa respeitar a vida alheia. Desse
modo, ferir alguém, qualquer que seja o motivo é um ato imperdoável.
Deve ser abolido até mesmo o pensamento de que um pouco de
violência é necessário para se criar um mundo melhor. Não há alternativa
a não ser construir um mundo em harmonia como muita paciência.
Devemos convencer as pessoas a não utilizar qualquer tipo de violência;
esta é uma regra que deve ser cumprida pelo homem que é filho de Deus.
23 de julho de 1960

O QUE VEM A SER A MISSÃO DE


CONSTRUÇÃO DO PARAÍSO TERRESTRE?

Deus nos ensinou que depois d’Ele, o homem é Sua melhor


criação. Realmente, é uma verdade. Em relação à Terra, criada por Deus
com tanto esmero, tivemos Sua permissão de viver o dia-a-dia com
segurança de construir nossas casas, recebendo, além do sol e da lua, os
alimentos, as vestimentas e ainda, a profissão.
Ultimamente, tudo se tornou farto e os meios de transportes já
chegaram a todas as partes do mundo. Se desejarmos, poderemos viajar
por céu ou por mar e chegar ao nosso destino enquanto dormimos. Tudo
é cômodo e esplêndido, pois podemos obter alimentos e produtos de
qualquer parte do mundo.
A expectativa de vida do homem, que era de torno de 50 anos,
chegou hoje a 70 anos. Por conseguinte, como ele tem seus herdeiros e
os negócios da família estão estabilizados, não existe qualquer
preocupação com futuro. E ainda, se tiver uma sorte maior, conseguirá
ingressar no caminho correto da fé, o que fará com que além de
experimentar uma vida feliz neste mundo, quando passar para o mundo
espiritual gozará plenamente das virtudes acumuladas no seu dia-a-dia.
Não há para o homem, paz e segurança maiores que estas.
As pessoas que não têm fé poderão pensar que alcançar tudo isso
é fruto tão somente do próprio esforço, mas, pelo contrário na verdade o
homem não consegue viver um dia sequer com suas próprias forças.
Graças à benevolência do Pai do Céu, da nação, dos nossos pais
e da sociedade, e aos favores das outras pessoas, é que pudemos ser
criados e nos desenvolver até o presente momento. Logicamente,
criatividade e esforço próprio contam, mas mesmo assim, o homem está
usufruindo daquilo que foi criado por Deus.
Consequentemente, graças a existência dos outros é que
existimos. Os homens têm o dever e a responsabilidade de se ajudar uns
aos outros e de formar um mundo agradável de viver. A isso,
denominamos de paraíso terrestre.
23 de julho de 1960

PECADO É NÃO MANIFESTAR SUA PRÓPRIA CARACTERÍSTICA

Acredito que pecado é esconder. Embora o homem tenha o dever


de explorar corretamente a natureza de manifestar inteiramente a sua
característica e se empenhar em prol da paz da humanidade, se ocultar
sua característica devido a sua pequena ganância, estará pecando. Por
isso, o homem deve manifestar amplamente sua característica e,
colocando ordem em tudo, alcançar a paz e a segurança. Mas, se houver
conflito neste mundo, isso será impossível. Por isso, antes de tudo, foi-lhe
confiado a grande missão de construir o paraíso isento de doença,
pobreza e conflito. Essa é a missão concedida pelos céus ao homem pela
vontade de Deus. Enquanto não se conscientizar dessa missão, o homem
não poderá viver de forma verdadeira.
10 de agosto de 1960

A MISSÃO DO HOMEM É A CONSTRUÇÃO


DO PARAÍSO TERRESTRE

Tudo foi criado por Deus com alguma finalidade e dentre todos os
seres, o homem recebeu de Deus uma importante missão.
Então, qual é essa missão do homem? É reinar sobre todas as
coisas existentes entre o céu e a terra e construir o Paraíso de Verdade,
Bem e Belo que prospere eternamente na Terra. Para tanto, o homem foi
criado a imagem e semelhança de Deus e, além disso, foram-lhe
concedidos um espírito digno, puro e belo, e uma alma cristalina.
Portanto, o homem com o uso correto dos quatro espíritos a coragem, a
inteligência, o amor e a amizade, tem a permissão de atuar livremente,
separando o Bem e o Mal, o certo e o errado das coisas.
O corpo físico do homem pertence ao Mundo Material e o espírito
ao Mundo Espiritual. Esses dois elementos são unos e coesos e mantém
o equilíbrio através da identidade espírito matéria. A Lei do Espírito
precede a matéria é um princípio infalível. Portanto, quando o homem
possui sentimento positivo de acordo com a Lei da Concordância, ele
estará possibilitando de praticar o Bem sob a proteção do Deus e do
Mundo Divino do Bem. Por outro lado, quando ele cria um sentimento
negativo, passa a ter proteção imediata das forças do mal e pratica ações
malignas.
Por isso, o importante para o homem é a forma como mantém o
seu sentimento e acredito que não é exagero dizer que este é um mundo
que depende do nosso sentimento. Podemos mesmo dizer que a causa
do surgimento das calamidades dos fenômenos naturais e dos
sofrimentos como a fome, doença e a guerra, origina-se no sentimento do
homem.
Deve haver algum motivo muito grande para o não
estabelecimento do paraíso, não obstante o progresso atual da ciência e
a variedade de produtos modernos da civilização. Isso se deve ao fato da
humanidade voltar-se unicamente ao conhecimento e se distanciar
completamente do grande amor de Deus, de profunda benevolência.
A maioria das pessoas da atualidade está equivocada pensando
que tendo conhecimento e bens materiais poderão colocar o mundo a
mercê da sua vontade. Mas, infelizmente, existem muitas pessoas que
não acreditam na existência do espírito e de Deus e tratam com
desrespeito o misericordioso e amoroso Deus pai, Criador do Céu e da
Terra. Ignoram que seu corpo e espírito são concedidos por Ele e que as
bênçãos diárias como a vestimenta, o alimento, a moradia e o trabalho
são frutos da graça de Deus.
Em hipótese alguma estamos negando a ciência, acreditamos que
somente quando unirmos ciência e Deus será concretizado o paraíso na
terra. Estamos orando a Deus para que a humanidade desperte para o
grande amor a fim de que este mundo, união do espírito com a matéria,
seja uma coisa só. E, ainda que muito pouco, estamos servindo a Deus,
almejando que todas as pessoas retornem sua espiritualidade ao estado
original. A segurança e a paz, incluindo-se a paz mundial, constituem a
verdadeira felicidade do homem.
Deus protegerá o homem e lhe concederá alegria e felicidade se
ele usar de acordo com suas possibilidades, a capacidade recebida do
Alto em prol do próximo e do mundo. A recompensa que essa postura
traz é muito maior do que aquela originada do empenho que visa a sua
prosperidade e a de sua própria família. Agradecendo profunda e
calorosamente a Deus as graças recebidas, o homem terá uma vida de
alegrias que perdurarão até após a sua morte. É um estado de imenso
prazer que só as pessoas que professam a fé poderão sentir e,
certamente, as que não a professam, nem poderão imaginá-lo.
11 de outubro de 1956
A FUNÇÃO DO HOMEM É MANIFESTAR
SUAS CARACTERÍSTICAS INATAS
Certamente, exuberância das montanhas, dos rios, das plantas e a
própria natureza não seriam as mesmas sem a atuação do homem.
Realmente, a natureza existe em função do homem e vice-versa.
Creio que devemos nos conscientizar que essa reciprocidade é a
manifestação da Vontade de Deus, Criado do Universo.
O homem, senhor de todas as coisas, deve aumentar sua força e
manifestar a capacidade e a peculiaridade que todas as coisas do Céu e
da Terra possuem, fazendo da Vontade de Deus a sua própria vontade. E
procurar manter a paz e a harmonia é a função que se espera do ser
humano. Esta é a razão por que Deus criou o homem como Seu
representante e o posicionou em vários lugares da Terra, a fim de
construir o Paraíso Terrestre, de paz e alegria divinais. Por conseguinte,
podemos afirmar que se o homem agir de acordo com a Vontade Divina,
o mundo se tornará paradisíaco.
23 de agosto de 1958

QUE CADA MEMBRO DA IGREJA SEJA


O PORTADOR DA LUZ DE DEUS
O caminho para o ingresso na fé e o histórico dos senhores são
realmente diversos. Todavia, no tocante ao cumprimento do servir em
união com Meishu Sama, podemos dizer que estamos numa relação de
integrantes de uma família. Por conseguinte, entrar em conflito e criticar
as pessoas da própria família da qual fazemos parte é um absurdo. Por
esse motivo, não há outra forma senão unirmos as nossas forças e
cumprimos a missão concedida por Deus, além deste, não existe outro
trabalho que nos dê maior prazer na vida.
Então, que é esse trabalho que dá tanto prazer à vida?
Obviamente, é a construção do paraíso terrestre em que cada um dos
membros da igreja vive como portador da Luz de Deus. É igualmente a
construção e a multiplicação ilimitada de lares onde Deus esteja presente.
Portanto, se a nossa fé se limitar a buscar somente a nossa própria
felicidade e a de nossos familiares, será realmente lamentável.
O ingresso na fé é sinal de compromisso: “de agora em diante
desejo trabalhar como discípulo de Deus”. Por isso, a pessoa será
avaliada como verdadeiro membro da igreja ou não, de acordo com a sua
situação.
4 de fevereiro de 1961
CADA MEMBRO DA IGREJA É UM AIMPORTANTE COLUNA SANTA

Atualmente, nem um milésimo das pessoas tem participado do


servir a Deus, a grande maioria é egoísta e vive centralizada em si
mesma. Em meio a isso, os membros da nossa igreja são conduzidos
pela corda estendida por Deus e, sob Sua permissão, realizam um
trabalho realmente significativo: construir o paraíso na Terra. E não
conseguiremos isso se continuarmos agindo como os outros agem. Creio
que não daremos conta do trabalho se não estivermos dispostos a polir a
alma e a receber a Luz, tornando-nos verdadeiras colunas santas.
23 de julho de 1961

A MISSÃO DO MEMBRO É SERVIR NA SALVAÇÃO DO MUNDO

Deus está desenvolvendo de um lugar oculto o Seu Plano de


reformar o mundo e o sentimento das pessoas, utilizando as que já estão
determinadas a atuar no servir. Porém, infelizmente são realmente muito
poucas aquelas que sabem da Sua existência, talvez nem chega a uma
pessoa entre mil. Realmente, o mundo acabou transformando-se num
mundo sem Deus.
No entanto, se cada uma dessas pessoas entre mil, com o
sentimento sincero, passar a trabalhar pela reforma do mundo, poderá
salvá-lo através da força ilimitada concedida por Deus.
Nos, membros fomos laçados pela corda de Deus e estamos
sendo puxados, imperceptivelmente para perto d”Ele, porque já tínhamos
a afinidade de trabalhar como Seus servos. E, por sermos membros da
igreja, temos a responsabilidade de concretizar um mundo de paz,
desejando a felicidade não somente das novecentos e noventa e nove
pessoas, mas de toda a humanidade.
Infalivelmente, Deus concede tanto as pessoas que possuem
força, quanto as que não a possuem, a virtude Divina material e imaterial,
e auxilia na concretização dos veementes desejos de Meishu Sama, uma
vez que essas pessoas são filhos de Deus e se esforçam ao máximo,
recebendo sua missão de acordo com o nível espiritual.
01 de setembro de 1961
OS MEMBROS DA IGREJA SÃO ATORES
DO TEATRO DIVINO DA REFORMA DO MUNDO

Meishu Sama instituiu a nossa igreja para realizar a reforma deste


mundo. Para isso, Ele está reunindo todas as pessoas que tendo
afinidade com Ele, estão incumbidas da missão de Servir a Deus.
Acredito que o motivo do ingresso na fé de cada um dos senhores
foi de modo geral para curar doença ou para receber graças. Todavia, por
trás de tudo, havia uma razão mais forte.
Doravante, a Luz de Deus aumentará a cada dia e todas as coisas
planejadas por Ele, sejam elas ações do bem ou do mal, se manifestarão
no mundo. Para isso, torna-se necessário reunir as pessoas que possuem
sentimentos divinos. Por esse motivo, estão sendo chamadas as pessoas
que são úteis a Deus.
Portanto, desde que ingressamos na fé, não podemos continuar
mantendo, o mesmo sentimento e procedimento das pessoas da
sociedade. Estamos construindo o protótipo de um novo mundo. Em
outras palavras, estamos atuando como atores do teatro da reforma do
mundo. Por isso, haja o que houver, não devemos perder a calma e ter a
convicção de que tudo é Plano de Deus. Se estivermos ligados a Deus
não há nada com que nos preocuparmos, basta que nos emprenhemos o
máximo possível na salvação do mundo, isto é, na prática do Johrei, na
soma de virtudes e na elevação espiritual das pessoas.
10 de julho de 1960

OS MEMBROS DA IGREJA FORAM REUNIDOS


PARA SERVIREM A DEUS

O fato dos senhores terem sido encaminhados a nossa igreja e se


tornado membros, deve-se a profunda afinidade com Meishu Sama. Os
senhores podem estar pensando que ingressaram por sua livre escolha,
mas não foi bem assim, os senhores receberam de Deus a missão de
ministrar Johrei e de construir o Paraíso Terrestre.
Algumas pessoas talvez afirmem: “não devia ter ingressado nesta
fé uma vez que fui incumbido de uma tarefa tão pesada”, mas não há
coisa melhor que receber tarefas de Deus.
Todas as pessoas possuem máculas espirituais que
imperceptivelmente, têm sido acumuladas há longo tempo, por isso, as
coisas não ocorrem como desejamos. Através da participação no Servir a
Deus, as máculas serão eliminadas. Deus aguarda ansiosamente para
nos conceder grandes méritos divinos. Por conseguinte, recusar esse
Servir significa muita falta de ambição.
23 de março de 1958

AO INGRESSARMOS NA FÉ DEVEMOS-NOS
INTEGRAR A VONTADE DIVINA O QUANTO ANTES

O fato de realizarmos a cura de doenças visando o ingresso das


pessoas na igreja, na realidade, é um meio para reforma do espírito delas
e não um objetivo.
A alegria pela cura de uma doença incurável é que a cura da
doença do espírito, chamada falta de fé. Quando uma pessoa obtém a
cura mesmo que não acredite no Johrei é um meio especial usado por
Deus para despertar os incrédulos. Por isso, creio que seria por demais
irreverente se pensarmos que curas assim sejam algo natural.
Quando compreendermos nem que seja uma milésima parte da
grandiosa. Vontade Divina de piedade e compaixão poderemos entender
do fundo do coração, como o poder Divino, denominado Johrei é a nossa
“corda de salvação” e como ele se liga a grandiosa obra de salvação de
salvação do mundo. Assim, como se fosse pela primeira vez, poderemos
nos conscientizar da importância da nossa missão.
Exceto os membros que ingressaram na fé muito recentemente,
creio que não há ninguém praticando a fé “shojo” ou a fé egoísta. Mas, se
algum membro ainda pensa e vê dessa forma a nossa igreja, jamais
entenderá plenamente a igreja messiânica. As pessoas que não
conseguem liberta-se do nível de fé infantil, digo que existem muitas
religiões “shojo” e que, portanto, seria melhor que ingressassem nelas.
Doravante, a carga (servir) que vai ser entregue por Deus, será
maior e mais pesada, por isso, é importante que deixem sua alma bem
polida e elevem a fé. Para isso, é fundamental que se esqueçam de si e
doando-se integralmente a Vontade de Deus, estabeleçam, o quanto
antes uma postura de enfrentar com determinação o Servir.
4 de fevereiro de 1961

A MISSÃO DOS MEMBROS DA IGREJA É O SERVIR


Uma vez que a pessoa se tornou membro da igreja,
gradativamente seu espírito vai sendo polido, purificado e a ela será
confiada por Deus à salvação do mundo. É importante ter consciência
disso o quanto antes, tendo o servir como missão. Sendo esta cumprida a
própria pessoa terá uma vida melhor.
Se os senhores atuarem com tal resolução pessoas virtuosas não
deixarão de ser felizes uma vez que a virtude Divina é absoluta e
ilimitada. O fundamento da nossa igreja está no ensinamento “Fazendo o
próximo feliz, nos tornaremos felizes”.
Desejo que nos tornemos a base da eterna paz, entregando tudo
nas mãos de Deus e realizando práticas que não envergonhem a
denominação que damos a nossa igreja de religião ativa.
4 de fevereiro de 1961

O DEVER DOS MEMBROS É SALVAR AS PESSOAS, UMA A UMA

Os homens são filhos de Deus e, independente de terem fé ou


não. Ele deseja salvar a todos. Portanto, todos acabarão sendo salvos.
Todavia, as pessoas que conseguiram compreender esse desejo Divino
devem arrepender-se o quanto antes e ajudar as que não o entendem,
conduzindo-as pelas mãos. É dever dos membros fazer com que todos,
um a um, ouçam a voz de Deus e compreendam a Sua vontade, sem
abandonar as pessoas que não a compreendem.
Atualmente, não há necessidade de ficar escolhendo as pessoas.
Baseados no grande desejo de Deus de salvar a todos, precisamos nos
manter sempre atentos. Portanto, o paraíso deve ser construído não
somente com reunião de pessoas puras, mas podemos dizer que Deus
deseja salvar mais ainda as pessoas com maior quantidade de máculas.
A religião Shinshu ensina que: “As pessoas benévolas serão
salvas, mais ainda as más”. Creio que devemos trabalhar colocando a
vontade Divina no fundo dos nossos corações. É bom que comecem a
salvação pela parte mais fácil, mas, quanto mais difícil for, mais a pessoa
se esforça. Assim sendo, a força necessária para vencer a dificuldade é
enviada por Deus.
Em cada situação, Deus concede infalivelmente aos membros da
nossa igreja uma força de 1% a mais em relação ao seu oponente, por
isso, jamais perderão. Como, por trás de nós, existe um Deus de poder
tão absoluto, creio que poderemos trabalhar tranquilamente.
E, se um dia, tivermos de admitir que não foi possível encaminhar
as pessoas porque trabalhamos negligentemente, a dignidade da nossa
igreja cairá por terra. Se isto acontecer, não terá sentido termos tido a
permissão de ingressar mais cedo na igreja e praticado o Johrei. A época
de formalidades e de treinamento já terminou. Daqui para frente,
devemos nos devotar a salvação do próximo, esquecendo-nos até de nós
mesmos. Não temos mais desculpas. No mundo religioso, atitudes como
“Já trabalhei muito, vou folgar um pouco, passando a dedicação para
outras pessoas, não são permitidas. Mesmo que crianças e adultos se
empenhem ao Servir a vida inteira, não será suficiente.
23 de mio de 1961

“CADA UM SOMAR MAIS UM” É UMA DEDICAÇÃO


FUNDAMENTAL DA OBRA DIVINA

Precisamos refletir bem sobre o fato de termos recebido de


Meishu Sama o tesouro denominado Johrei. Atualmente o caminho
fundamental para melhorar o mundo é salvar as pessoas sofredoras
através do Johrei, que liga com facilidade os ateus a Deus, é levar ao seu
conhecimento a benevolência e o objetivo de Deus.
O fato de termos experimentado o amor de Deus compreendendo
Seu objetivo de nos ter inflamado de ânimo e recebido o Johrei deve-se a
importante missão recebida de Deus.
Portanto, a nossa prioridade deve ser o encaminhamento de
indivíduo do portão de Deus e depois fazer com que ele passe a atuar na
reforma de sentimento das demais pessoas. Estas duas dedicações são
fundamentais na Obra Divina.
23 de janeiro de 1958

A IMPORTÂNCIA DE CADA UM SOMAR MAIS UM

O fato de uma pessoa ingressar na fé através do recebimento do


Johrei ou da leitura dos Ensinamentos é um acontecimento extraordinário,
pois, sem se limitar aquela pessoa, seu ingresso beneficia seus inúmeros
antepassados e descendentes, e significa a felicidade deles. Por isso, é
incalculável quão grande influências exercemos só pelo fato de cada um
somar mais um.
01 de setembro de 1957

OS JOVENS DEVEM SER REVOLUCIONÁRIOS QUE


VISAM A FORMAÇÃO DO PARAÍSO

Uma nova era é sempre iniciada pelos jovens. A grande obra de


instauração da era Meiji, que edificou um novo Japão, despertando-o de
um período tranquilo de trezentos anos de dinastia Tokugawa foi
conseguida pela força jovem. Os jovens são as figuras principais de cada
época e para a Igreja Messiânica um dos tesouros. Gostaria que
utilizassem plenamente na igreja a capacidade ilimitada que os senhores
possuem.
Certa vez, Meishu Sama disse que a nossa igreja uma entidade
revolucionária. Gostaria que os senhores também se tornassem
revolucionários. Ele não se referia a qualquer revolucionário, mas sim, a
revolucionários que procedem sempre por meios pacíficos, assumindo o
papel de precursores da construção do mundo de paz.
Uma vez que os senhores receberam uma missão dentro da igreja
messiânica é evidente que como jovens da nossa igreja devem
empenhar-se como membros dela no encaminhamento das pessoas e no
servir. Poderão se defrontar com situações difíceis, no entanto, quanto
mais difíceis elas forem maior força e luz receberão de Deus. Portanto,
creio que não há necessidade nenhuma de se preocupar. Vencendo suas
próprias dificuldades, os jovens devem manifestar as pessoas a sua volta
a magnificência de uma juventude que professa a fé.
Dentre vocês, alguns se tornarão políticos, outros seguirão o
caminho da Arte, da Educação ou do empresariado. Estarei orando
incessantemente para que cada um de vocês, na sua posição, estenda
infalivelmente a Luz de Deus ao mundo e para que todos se tronem
elementos úteis na construção do Paraíso Terrestre.
23 de setembro de 1960

FAZER VIBRAR O SANGUE JOVEM


APRENDENDO COM MEISHU SAMA

Com certeza, a paixão pela construção do Paraíso Terrestre é


maior nos jovens. Porém, essa paixão não pode ser como fogo de palha.
Gostaria que esse ardor fosse profundo, enraizado na fé. Desejo que
sejam possuidores de uma vontade firme que perpetue a aspiração inicial
e que mesmo enfrentando situações difíceis, jamais venham a sentir
medo ou a sucumbir. Acredito que o vigor físico dos jovens há de tornar
isso possível. A excelência do jovem está na sua pureza e na presteza
das ações. Será o fim de tudo se ele tornar-se passivo e pouco
empreendedor. O importante é seguir avante, com coragem e calma sem
se importar com pequenas falhas e erros.
Durante sua juventude, Meishu Sama se destacava de outras
pessoas por possuir forte espírito de independência e apesar do seu
físico fraco e doentio superava esse problema, baseando ampliar seus
conhecimentos sobre o mundo. Sempre que dispunha de tempo
procurava ouvir palestras, ler e escrever, a fim de descobrir o segredo do
sucesso. E, como podemos ver nos ensinamentos, não apreciava o mal
social era algo incomum, pois chegou até a pensar que para reformar a
sociedade precisava criar uma empresa jornalística. Meishu Sama fazia
vibrar seu sangue jovem até esse ponto, para melhorar e tornar mais bela
a sociedade. Ao refletir sobre tudo isso, sinto que era devido ao Seu
destino de mais tarde tornar-se o fundador da Igreja Messiânica. (Sekai
Meshya Kyo);
Porém, creio que não devemos considerar o sentimento de Meishu
Sama como uma exceção. Desejo intensamente que os senhores,
seguindo Seu exemplo, cultivem o espírito de luta pelo bem e se
emprenhem o máximo que puderem na purificação da sociedade e na
reforma do ser humano.
23 de setembro de 1959

AO ENCAMINHAR PESSOAS À IGREJA MANIFESTEM A


CRIATIVIDADE INERENTE A MULHER

A igreja é uma grande família e o país é uma família ainda maior.


O mundo é o lar da humanidade. Por isso, quando todas as pessoas
estiverem em igualdade de condições de unir seus sentimentos a Deus, o
Mundo de Miroku estará estabelecido. Para que isso aconteça logo é
necessária nossa participação.
Creio que em cada lar, a maior responsabilidade da dona de casa
é o seu empenho na harmonia do sentimento de familiares. Nesse ponto
é grande a expectativa em relação à força da mulher. Por sua natureza, a
mulher recebeu de Deus o dom da criatividade para manter os costumes
e a paz. Se a mulher tiver uma fé realmente sólida, além de amor e
paciência ela se tornará tão forte que encaminhar à família a fé, por
exemplo, não será nada difícil. Portanto, peço-lhes que conduzam pelos
familiares a uma fé solida.
23 de agosto de 1959
CASAR-SE COM ALGUÉM QUE NÃO SEJA MEMBRO DA IGREJA
PARA ENCAMINHÁ-LO A NOSSA FÉ

É muito bom que uma jovem tenha nascido numa família que
esteja ligado a nossa igreja e tenha a permissão de servir. Mas, quando
pretender se casar não há necessidade que ela se case com um membro
da igreja. Será bom que se casasse com um rapaz não membro com o
objetivo de levar a Luz e de salvar aquela família.
Se a jovem tiver essa intenção, ao encontrar uma pessoa com
qual combine, creio que poderá se unir sem nenhum receio.
16 de agosto de 1960
O ENCAMINHAMENTO A FÉ EM FAMÍLIA

Por natureza o óleo e o vinagre são difíceis de misturar, porém,


quando os colocamos no vidro e os agitamos, podemos obter um molho
delicioso para salada. Dessa forma, a pessoa não deve ficar pensando
em insistir que a sua verdadeira natureza é aquela que aparentemente
possui. Cada um tem seus talentos e personalidade que são distintos.
Gostaria, portanto, que compreendessem que quando oferecemos o que
possuímos em benefício do mundo, surgirá algo diferente e com novo
sabor, em outras palavras, surgirá o mundo do Belo. Fazer surgir o
mundo do Belo significa estabelecer o paraíso terrestre.
O mesmo acontece com fé no lar. Somente quanto ela se
harmoniza é que manifestará uma força intensa. Devemos nos esforçar
para alcançarmos esse estágio e fazer com que outras famílias o
consigam. Por isso, gostaria que se empenhassem nesse sentido,
principalmente os integrantes cujas famílias ainda não conseguiram
atingir esse ponto.
10 de março de 1961

A FELICIDADE MÁXIMA ESTÁ EM VIVERMOS A VIDA,


AJUDANDO-NOS MUTUAMENTE

São dignas de pena as pessoas que vangloriam com o


pensamento de que como são auto-suficientes, não precisam do auxílio
de ninguém, assim, não ajudam e nem aceitam a ajuda dos outros. Essas
pessoas quando morrem ficam isoladas como se fossem uma
continuação daquele pensamento. No mundo em que vivemos quando
alguém se sente só, basta pagar para se divertir num local cheio de
pessoas. Todavia, no mundo espiritual, isso não é possível. A pessoa
passa a viver realmente solitária. Podemos dizer que isso seja uma
espécie de castigo. A felicidade máxima para o homem é viver uma vida
alegre, através da ajuda das outras pessoas.
Se os membros de uma família seguem religiões diferentes
mesmo que Deus queira manifestar uma imensa força não consegue,
pois, ela acaba ficando reduzida. Portanto, a melhor forma de professar a
fé é a família seguir a mesma crença, pois assim, Deus concederá toda
força necessária.
Quando se reúne um grande número de pessoas durante a oração
o poder desta aumenta e chega a Deus. Agindo de modo semelhante, é
possível impedir que o mundo siga em direção ao mal. Se acreditamos eu
isso é correto, devemos multiplicar esse raciocínio e tornar a igreja maior.
Deus ficará feliz com isso. Assim, recebendo Sua força devemos alcançar
logo o estágio que nos permita construir o paraíso terrestre.
É por esse motivo que estou solicitando aos membros a
colaboração no encaminhamento de pessoas a fé. Assim, enquanto a
pessoa realiza o trabalho de Deus, sem perceber, acumulará virtudes e
não só ela própria, mas as gerações futuras serão felizes. Essa é a
origem da prosperidade da família.
11 de março de 1961

O QUE SIGNIFICA ENCAMINHAR


VERDADEIRAMENTE UMA PESSOA
As pessoas que não possuem fé pendem sempre para um só lado
e são dignas de pena. Nós que tivemos a permissão de professar a fé
devemos aproximar do caminho de Deus o maior número dessas
pessoas. Basta aproximá-las, pois, posteriormente Deus fará com que
elas de elevem gradativamente. Por isso, o essencial é uni-las a Deus.
Porém, não há necessidade de sair à procura de pessoas que possuam
afinidade conosco. Através da ministração do Johrei, podemos fazer com
que as pessoas de vizinhança que estão passando por dificuldades e
sofrendo, compreendam o Poder e a Luz de Deus. E não há coisa mais
fácil que isso. Assim sendo, até mesmo uma criança se tiver essa
intenção conseguirá realizar perfeitamente o encaminhamento.
A distribuição do Jornal Eiko (N.T. jornal editado na época pela
igreja) é um grande servir, pois através dele um grande número de
pessoas foi salvo.
Encaminhar verdadeiramente uma pessoa significa transformar o
mundo do mal em mundo do bem, por isso, a virtude que se acumula com
essa transformação é surpreendente. Portanto, acho que não devem
deixar o assunto encerrar dizendo: “a doença foi curada. Que bom, não
é? Então até logo”. É importante formar pessoas que realmente
compreendam o caminho e reconstruindo suas vidas passem a se
emprenhar em prol do próximo.
Além do mais, todos nós somos agraciados por Deus com a força
que pode ser utilizada por qualquer pessoa. Por isso, desde que
ingressarem na nossa igreja gostaria que adquirissem tal sentimento o
quanto antes e que encaminhassem as pessoas.
19 de abril de 1961

ENCAMINHAR E EDUCAR PARA NÃO QUEBRAR O BROTO DA FÉ


Geralmente quando as pessoas ingressam na fé, tudo passa
correr melhor. Todavia, há casos em que assim que elas se tornam
membros, começam a surgir problemas um atrás do outro, o que não
acontecia antes. Desconheço o motivo disso mais profundamente, mas
creio que isso acontece ou por uma provação de Deus ou pela
necessidade de eliminar rapidamente a carga pesada que vinham
carregando no corpo e no espírito. Tudo isso significa remover e lavar as
impurezas que estavam sedimentadas, e os diversos sofrimentos são
decorrentes dessa ação purificadora.
Conseguindo suportar essa limpeza, a pessoa será purificada e
Deus preencherá com virtude Divina, o recipiente que fora
admiravelmente reconstituído. Se a pessoa não tiver essa informação, irá
se queixar que após ter ingressado na igreja piorou e acabará fugindo,
soltando a corda de salvação que Deus lhe estendeu. Para que isso não
aconteça, é importante nos tornarmos bons companheiros, apoiando,
incentivando, educando essa pessoa evitando que o broto de sua fé se
quebre.
Deixar que as pessoas que receberam a corda da salvação, não
alcancem a graça Divina é falta de “makoto” e é um procedimento que
exige pedido de perdão a Deus.
Quando o membro de uma família tenta ingressar numa fé correta,
muitas vezes, familiares ou parentes utilizados por espíritos negativos se
opõem espiritualmente e interferem. Por isso, é bom precaver-se nesse
sentido.
23 de abril de 1950

EMPENHAR-SE DE CORPO E ALMA PARA ENCAMINHAR UMA


PESSOA PARA SE TORNAR COM MEMBRO EXEMPLAR

Não devem deixar a fé dos membros a quem dão assistência


estacionar. É importante fazer com que membros progridam e se elevem
por mínimo que seja. Se, por ventura, surgir dentre os membros
encaminhados, alguém que supere os senhores, devem sentir-se
orgulhosos.
De qualquer forma, para encaminhar as pessoas, é preciso antes
de tudo, que os senhores se esforcem para obter a sua própria elevação,
senão não serão capazes de encaminhá-las. Fazer com que só as
pessoas trabalhem não é correto, os senhores também precisam atuar. O
eixo do carro parece à primeira vista estar parado, mas se observamos
com atenção notamos que ele está girando com velocidade maior. De
maneira semelhante às pessoas que ocupam posição superior devem
emprenhar-se de corpo e alma para serem atenciosas e prestativas.
Enquanto estiver vivo, o homem tem uma missão. Podemos saber se a
pessoa possui “makoto”, ou não de acordo com o seu Servir.
Por exemplo, no caso da construção de uma casa se nos
ativermos apenas a sua aparência e pularmos certas etapas na
construção, essa casa terá boa aparência, mas como o tempo pela ação
da chuva e do vento, começará a ruir. Sobretudo no que se refere a vida
religiosa, não podemos fazer isso. Gostaria que encaminhassem as
pessoas com todo “makoto” empenhando-se ao máximo.
24 de outubro de 1959

ACOMPANHAR O MEMBRO ATÉ O ESTÁGIO


EM QUE ELE CONSIGA SERVIR

Na fase inicial da fé, Deus trata o membro como um recém-


nascido e atendendo todos os pedidos concede-lhe graças. Porém, assim
como o homem não permanece bebê para sempre o membro também
deve procurar elevar-se.
Saindo do estágio inicial da fé que visa apenas obter graças, o
membro depois de sentir quão gratificantes são as bênçãos de Deus
passará a compreender a vontade de Deus. E, ao conscientizar-se sobre
o motivo porque o homem veio a este mundo, esse membro atingirá o
estado de compreensão que o leva a sentir a necessidade de ajudar a
Deus. Elevando-se cada vez mais, a tristeza de Deus passará a ser a sua
própria tristeza e Sua alegria, a própria alegria. Assim, a fé realmente se
aperfeiçoará e alcançará esse nível. Obviamente, ela se desenvolve,
passo a passo através de experiências e jamais atinge esse estado de
uma só vez. O membro não deve permanecer pedindo e implorando a
Deus, pois isso significa puramente receber graças sem o mínimo
sentimento de retribuição a Deus.
O dever de quem assiste os membros é ensinar esses aspectos e
objetivar a elevação da fé. Se não fizer isso, quando o membro passar
por uma nova purificação não estará em condições de receber a graça.
Para que isso não aconteça é necessário dar assistência adequada até
que ele consiga estabelecer uma verdadeira fé. Devemos, portanto,
acompanhar as pessoas que receberam graças através do Johrei até o
ponto em que elas possam de alguma forma ajudar na construção do
paraíso terrestre.
22 de março d e1958
CONDUZIR AS PESSOAS QUE PRATICAM A FÉ QUE VISA GRAÇAS
PARA A FÉ QUE PRATICA O SERVIR

Há um ensinamento de Sakyamuni sobre uma criança que estava


numa casa em chamas. Ela estava brincando e custava a sair. As
pessoas a chamavam, gritando o que era perigoso, mas ela permanecia
calma e nem ligava. Então, mostraram-lhe seu brinquedo preferido. Ela se
levantou e atraída pelo brinquedo foi conduzida a um local seguro.
Essa é uma história ilustrativa, mas os membros da fase inicial da
fé são iguais a uma criança pequena. Mesmo apresentando-lhes uma
grande verdade, não há razão para que eles a compreendam. Somente
quando acontece uma graça mais simples é que conseguem passar pelo
portão da fé.
Gravando na mente que os milagres do Johrei são aceitos como
grandiosa conta da salvação, os senhores devem fazer com que um
número maior de pessoas agarre essa corda e passe pelo portão da fé e,
aguardando sua gradativa elevação devem fazer com que elas acumulem
virtudes e tornem-se verdadeiramente felizes. Se os senhores
conseguirem dar assistência a uma pessoa dessa forma podemos dizer
que ela amadureceu como membro da igreja.
21 de agosto de 1958

EMPENHAR-SE AO MÁXIMO NO SERVIR QUE LHE FOI PERMITIDO

Apesar dos senhores terem ministrado Johrei e transmitido os


Ensinamentos corretamente e se empenhado o máximo, às vezes, a
pessoa acaba se afastando da Igreja. Neste caso, a falha jamais é do
intermediador. Desde que este assumiu a atitude sincera de elevar a
pessoa que lhe foi permitido assistir, seja qual for o resultado, ficará
registrado no livro de Deus como uma nobre ação. Portanto, não há nada
que se lamentar.
Em todo caso, empenhar-se ao máximo no trabalho que lhe foi
confiado, significa estar de acordo com a Vontade Divina e é o que dará à
pessoa o prazer de viver. Assim, queixar-se é uma falta de respeito.
10 de julho de 1958
DEVEM PROSSEGJIR, ACREDITANDO INTEGRALMENTE EM DEUS

Se a pessoa que os senhores encaminharam, transferir-se para


outra Igreja por algum motivo, o mérito do encaminhamento dessa pessoa
já está registrado por Deus e jamais era apagado. A lacuna formada será
suprida posteriormente. Portanto, se esforçarem sem negligenciar o
trabalho, sem alterar o sentimento por causa de uma transferência
momentânea, acreditando na mediação de absoluta imparcialidade de
Deus, este jamais os deixará em apuros.
Às vezes, nos deparamos com fatos que parecem injustos e
maléficos, mas se conseguirmos suportá-los, considerando-os uma
provação, infalivelmente, mais tarde, progrediremos. De qualquer modo,
uma vez que acreditamos em Deus, a nossa fé não deve ser abalar com
pequenas coisas.
23 de julho de 1957

ENCAMINHAR COM “MAKOTO” NAS PALAVRAS,


NO PENSAMENTO E NAS AÇÕES

Meishu Sama foi sempre muito rigoroso com os familiares e os


servidores que trabalhavam com Ele. Em nada, permitia parcialidade ou
ambigüidade. Por isso, quando alguém falhava, repreendia com
severidade a ponto de deixar as pessoas ao redor deveras apreensivas.
Às vezes, até achávamos que não havia necessidade de repreender
tanto. Porém, por outro lado, Meishu Sama possuía no seu coração um
sentimento realmente afetuoso e um grande amor, desejando tornar as
pessoas adultas na fé o quanto antes. Esse sentimento se transmitia e
tocava o coração das pessoas. Por isso, mesmo sendo repreendida e
ficando momentaneamente triste, a pessoa logo retomava o ânimo e dizia
até com alegria que havia sido repreendida por Meishu Sama. E, dessa
maneira ela passava a se compenetrar ainda mais no Servir.
Para compreender claramente que para mover as pessoas
daquela forma, seria necessário realmente ter no coração um “makoto”
pleno de palavra, pensamento e ação. O que move as pessoas não é a
técnica, mas sim o “makoto”. É muito difícil chegar a esse ponto, mas não
é impossível. Portanto, devem se conscientizar e se esforçar nesse
sentido.
4 de fevereiro de 1960
EM SE TRATANDO DE SERVIR DEVEM IR A QUALQUER LUGAR

Nós, que recebemos a missão de purificar as pessoas, às vezes,


mesmo contra a vontade temos que ir a lugares sujos e contatar com
pessoas pouco asseadas. Pode ocorrer, então, a preocupação de
recebermos influências negativas, mas, em absoluto, isso acontecerá. O
sentimento sincero que faz pensar que devemos colocar em todas nossas
ações Deus e o Servir em primeiro lugar, é belo e jamais se maculará.
A força do Johrei purifica todas as coisas e não há nada que a
macule. Portanto, desde que atuemos recebendo essa força, estaremos
seguros em qualquer lugar. O ser humano foi criado por Deus de tal
forma que quanto mais ele trabalhar em prol do próximo mais aumentará
a Luz da sua alma.
23 de julho de 1959

OBJETIVANDO O BEM FUNDAMENTAL

Ao vir a este mundo, o ser humano trouxe consigo uma partícula


Divina que devemos respeitar como parte do espírito de Deus e,
fundamentalmente, tratá-lo com benevolência. O segredo número um do
estabelecimento do paraíso terrestre está na prática do Bem.
A princípio todos devem agir com benevolência, mas a prática
desta deve ser diferenciada, dependendo de cada caso. Em outras
palavras, de acordo com a intensidade do bem ou do mal da pessoa e
como o seu “jishoi” (tempo, lugar e posição), o tratamento deve variar. Às
vezes, temos que repreender aquele que agiu com maldade e por causa
dessa advertência podemos ser alvo de ódio. Porém, creio que não há
problema nisso. Se a nossa ação foi motivada pela boa intenção,
posteriormente, a pessoa compreenderá o nosso sentimento sincero e se
mostrará agradecida.
Gostaria que compreendessem que não há outra forma senão a
prática do bem;
23 de julho de 1959

SER UM MEMBRO BENQUISTO POR TODOS

Mesmo que uma pessoa seja má, originariamente, ela não o é,


sua natureza Divina está encoberta pelas máculas e por isso, está
praticando o mal. Se eliminarmos essas máculas a pessoa mostrará que
é uma pessoa boa, pois, originariamente, ela tem sua partícula Divina.
Consequentemente, por mais maligna que seja a pessoa, não devemos
odiá-la do fundo do coração. Os seres humanos precisam ter por base o
amor.
Quando compreenderemos que as coisas desfavoráveis ou os
nossos opositores estão próximos de nós pela Vontade Divina,
conseguimos agradecer a Deus com o pensamento: “Essa pessoa está
aqui agora para polir e elevar-me, servindo como uma pedra de amolar”,
e passaremos a sentir gratidão por todas as pessoas com quem
estivermos. Se tivermos esse desejo, algum dia, esse sentimento atingirá,
infalivelmente, o nosso próximo. Naturalmente, mesmo que isso não
ocorra de imediato, posteriormente, a pessoa compreenderá e dirá
“aquela pessoa era calorosa”.
Dessa forma, se nós não nos tornarmos pessoas benquistas por
todos, não poderemos nos considerar membros da Igreja. Quem pensa:
“aquela pessoa é má, por isso, vou odiá-la”, significa que não é
absolutamente discípulo de Deus. Manter a verdadeira benevolência no
coração é atribuição dos homens como filhos de Deus.
17 de maio de 1960

ENCAMINHAR SEM POUPAR ESFORÇOS E COM AMOR

Se a pessoa tiver vida longa e, durante esse período, for somando


constantemente boas ações, poderá alcançar, gradativamente, o estado
de felicidade. Porém, esse bem não poderá ser considerado verdadeiro
se ela o pratica apenas visando atingir esse estado. O verdadeiro bem é
aquele praticado sem esperar qualquer retribuição. Praticar a Verdade em
prol do Belo é o mundo da Verdade, do Bem e do Belo.
Caso alguém nos maltrate por termos sido bondosos, devemos
pensar que isso aconteceu pela Vontade de Deus. Não odiar a quem nos
maltratou é uma prática de Bem maior. Evidentemente é impossível
conseguir isso de uma só vez. A sequência natural por que todos passam
é começar pelo Bem de “shojo”, como por exemplo: “vou ingressar na
igreja porque quero ficar rico, porque a igreja me proporciona tais e tais
benefícios ou porque quero que os meus negócios prosperem” depois,
subindo alguns degraus, chega-se ao nível em que se passa a
compreender a Vontade Divina, a sentir gratidão pelas bênçãos e a
considerar os trabalhos de Deus como seu próprio trabalho e a sentir a
alegria de Deus como sua alegria. Assim, a fé torna-se adulta pela união
de Deus.
Por isso, tal como diz o ditado: “Devemos pregar de acordo com a
pessoa que nos ouve”, precisamos penar na atual situação da pessoa e
tornando-a cada vez mais feliz, devemos trazê-la gradativamente mais
próxima de nós. Não devemos nos omitir dessa consideração e desse
esforço. Realmente, a medida que nos empenharmos, nascerá um amor
mais profundo. Não adianta somente almejar a parte positiva, omitindo
esforços. Por isso, devemos ter sempre como lema ser gentis e
atenciosos.
17 de maio de 1960

OS MAL-ENTENDIDOS DEVEM SER DESFEITOS


DE FORMA POSITIVA.

Nem imaginamos o quanto os mal-entendidos têm sido a causa de


infelicidade no mundo. Enquanto não os desfizermos, corremos o risco de
prorrogar inutilmente o sofrimento de ambas as partes. Por isso, é
importante antes de tudo, desfazê-los para que possamos nos sentir bem.
No entanto, há quem pense: “uma vez que eu estou certo é Deus é
Onisciente, logo a pessoa compreenderá”. Isso é a pior coisa.
Conversando, descobre-se que na maioria das vezes, o mal-entendido
surgiu por motivos insignificantes. Por isso, acima de tudo, o importante é
conversar.
23 de janeiro de 1957

COMEPREENDER BEM OS MEMBROS IMATUROS


E ENCAMINHÁ-LOS COM CARINHO

Na fase inicial da fé a pessoa só pensa em sua felicidade e deseja


que seu sofrimento seja eliminado. À medida que ela se eleva e passa a
compreender a Deus, começa a ter o desejo de ser útil ao próximo e ao
mundo. Portanto, aquele que ri dizendo que a fé dos outros é inferior não
está se lembrando de que antes ele já esteve nas mesmas condições.
Desejo que tenhamos sempre um sentimento amplo e compreendendo
bem os imaturos, os encaminhássemos com amor e carinho.
21 de setembro de 1656

CONSIDERAÇÕES PARA COM OS DESCRENTES

Meishu Sama dizia sempre: “Fé é confiança” e “Não há patrimônio


que supere a confiança”. Assim a pessoa que se empenha em oferecer
seu “makoto” a Deus, recebe a Sua confiança.
Quando Deus, observando a prática da pessoa, passa a confiar
nela, achando-a dotada de “makoto” posteriormente poderá atender
algum pedido difícil e conceder graças antecipadas. Por exemplo, ao caso
do Johrei, sempre dizemos que mesmo que não acredite, a pessoa se
cura da doença. Esta afirmação, contudo, não está correta. Por confiar no
“makoto” do ministrante é que Deus concede a graça antecipada ao
descrente. Podemos dizer que isso é uma prova de que os senhores,
baseados na fé, estão se empenhando realmente com todo “makoto”.
O mesmo ocorre quando conseguimos realizar grandes negócios
com base na confiança, até mesmo se não temos dinheiro. Através da
nossa prática do dia-a-dia. Deus acredita que jamais iremos decepcioná-
Lo. Não se pode confiar em alguém que de acordo com a situação acaba
passando da posição de aliado para inimigo.
Não se pode depositar confiança em quem não tenha um
sentimento firme e imutável de ser útil ao próximo. Principalmente, porque
de ver todos os homens como filhos de Deus, e conseguem confiar
mesmo em quem às contrariam. Além disso, seu sentimento de desejar a
felicidade do próximo é permanente.
A princípio as pessoas que possuem fé, não consideram as outras
inimigas e sua fé se transforma em confiança à medida que deseja a
felicidade do próximo.
Desde a época de Meishu Sama, nossa igreja vem objetivando a
salvação do mundo, tratando com especial atenção as pessoas que não
possuem fé. Podemos ficar tranqüilos no que se refere às pessoas que
ingressaram para a fé, pois Deus irá encaminhá-las e salvá-las. Por isso,
nós devemos pensar sempre nas pessoas descrentes e nos
empenharmos exclusivamente, dia e noite, em fazer com que elas
passem a compreender a Deus.
10 de março d e1961

O LEMA É SER SEMPRE GENTIL COM TODOS

Quando viajo procuro tratar as pessoas com cortesia sejam elas


quem for. Procedo assim, pensando no futuro, isto é, essas pessoas
ainda não são membros, mas, um dia ingressarão no caminho de Deus,
portanto, é como se fossem futuros membros. Por isso, longe de fazer
qualquer distinção, procuro conversar e tratá-las com cortesia,
principalmente as que não professam a fé. Quando prestam favores
procuro retribuir em termos materiais, dentro das minhas possibilidades.
Os senhores também viajam por várias regiões não é verdade?
Nessas ocasiões levam “fachada” da nossa igreja. Por isso, mesmo
chegando a locais totalmente desconhecidos, gostaria que as pessoas
comentassem que os fiéis da Igreja Messiânica são diferentes. Sinto que
isso será uma propaganda positiva da nossa igreja. Por isso, quando
viajarem, gostaria que não relaxassem o espírito achando tratar-se de
uma mera viagem. Seria importante que mantivessem a civilidade e
deixassem para o fato que posteriormente na ocasião em que os
ministros se dirigirem a esses locais, eles poderão desenvolver seu
trabalho com facilidade, recebendo luz.
Creio que os senhores já estejam procedendo dessa maneira, mas
peço-lhes o favor de tratarem especialmente as pessoas de fora com toda
cortesia.
17 de maio de 1960

MINISTRAR JOHREI COLOCANDO-SE


NA POSIÇÃO DE QUEM O RECEBE

A doença surge onde há pecados e máculas independentemente


da pessoa ter consciência disso ou não. Em outras palavras, podemos
afirmar que através do sofrimento pela doença, o pecado é eliminado.
Desejando ensinar isso, Meishu Sama disse que a doença é motivo de
gratidão.
Como já e do conhecimento dos senhores se a pessoa tiver fé,
através da proteção de Deus, o período de eliminação das máculas será
reduzido e os grandes problemas serão amenizados acentuadamente.
Porém, nessas ocasiões é importante ministrar Johrei pedindo perdão a
Deus junto com a pessoa enferma. Quando a oração e o Johrei se tornam
unos, o efeito deste é ainda maior.
01 de outubro de 1957

SEJA MAIS AMPLO DOS TRANSMISSORES

O ministrante de Johrei é apenas utilizado por Deus, ou seja, ele


se torna Seu transmissor. De acordo com a prática do “makoto” sua
capacidade de transmitir a Luz Divina pode se tornar maior. Quando se
pratica o Bem ao próximo, a Vontade de Deus se manifesta de maneira
mais ampla. Devemos, pois, antes de tudo, nos esforçarmos para
tornarmos transmissores da Luz cada vez mais amplos.
04 de fevereiro de 1960

NÃO NOS ESQUEÇAMOS DE QUE SOMOS INTRUMENTOS DE DEUS

Para Deus, o mérito não fica limitado a uma pessoa. Tudo que
beneficia a todos é motivo de alegria de cada um. A alegria deve ser
compartilhada. Enquanto a pessoa encontra-se no estágio: “Este mérito
me pertence ou este serviço foi feito por mim”, significa que ainda precisa
se aperfeiçoar. Deus utiliza as pessoas como Seu instrumento de acordo
com a circunstância. Por isso, o verdadeiro religioso é aquele que pensa
que todas as pessoas estão sendo utilizadas por Deus como Seu
instrumento. Assim sendo, não existe o mérito individual. Devemos isto
sim, atribuir todos os méritos a Deus. O instrumento deve trabalhar o
máximo como tal, pois assim estará cumprindo sua missão como homem.
Procedendo dessa maneira, Deus nos concederá o presente que
merecemos. E, por fim, seremos felizes.
O importante é o sentimento de que tudo provém de Deus. Quem
trabalha com esse espírito consegue ter uma comunicação direta com
Ele, passa a receber Sua Luz incessantemente e torna-se capaz de
realizar qualquer coisa. Uma vez que ingressaram na fé, peço-lhes,
encarecidamente que cheguem a esse estágio o quanto antes.
4 de setembro de 1961

NÃO SE ESQUEÇAM DO TREINO DA HUMILDADE

Existe uma ordem a ser seguida pelos ministrantes do Johrei para


o desenvolvimento da Obra Divina. Entretanto, não podemos afirmar que
essa ordem vá se refletir no mundo espiritual imediatamente.
Ouvi dizer que certo membro foi mal interpretado por ter dito que
ele deveria se sentar na parte mais nobre do aposento para ministrar
Johrei, uma vez que ele era mais elevado espiritualmente que o
recebedor, que não era membro da Igreja. Em tais casos, devemos ser
flexíveis e agir de acordo com a circunstância, sem ficarmos presos à lei
da ordem.
Se seguirmos a ordem à risca muitas vezes podemos incorrer na
insensatez. Ás vezes, o ministrante precisará até mesmo arrumar os
calçados (*). Portanto, gostaria que praticassem amplamente o treino de
humildade.
29 de junho de 1961

PROCURAR A VONTADE DIVINA PARA EVITAR EQUÍVOCOS

Para explicar o que é Deus, os teólogos explanam realmente


muito bem e de forma detalhada, utilizando-se das mais diversas palavras
e expressões, baseados apenas em conceitos teóricos. Porém, parece

____________
(*) é costume dos japoneses tirar o calçado à entrada da casa
que eles próprios não acreditam em Deus cientificamente. No entanto, a
maioria das pessoas consegue ter contato real com Deus e viver na Sua
companhia. Creio que isso ocorre porque sua obediência e simplicidade
se comunicam com Deus.
As pessoas de antigamente diziam: “quem mais fala sobre Deus
menos O conhece” e “quem mais conhece a Deus menos fala sobre Ele”.
A expressão “tokanakuteshisu” é formada por certa disposição das
sílabas em japonês e alguém disse que um dos seus significados pode
ser “morrer sem ter pecado”. O verbo “pregar” também é formado por
algumas dessas sílabas e poderemos afirmar que o pregador que não
está apto a pregar, caso se mantenha calado, não terá cometido pecado.
Todavia, aquele pregador que embora não esteja capacitado, o fizer, terá
pecado. Acredito, pois que “morrer sem ter pecado” tem essa moral. É
uma expressão dolorosamente irônica.
É por isso que assim como há no ditado: ”se não houver erros na
pregação, não haverá erros na interpretação do ouvinte”, quando o
pregador errar, poderá causar transtorno a muitas pessoas. Por isso,
devemos procurar sempre a Vontade Divina, orar para que sejamos
poupados de incorrer no erro. Servir a Deus corrigindo os nossos
pensamentos a tomar cuidado com as nossas práticas.
1 de abril de 1957

FAZER PRIMEIRAMENTE COM QUE OS OUTROS


CONSIGAM OBTER OS MÉRITOS

Se as pessoas que servem a obra divina forem atraídas por bens


materiais ou benefícios próprios, sem que haja um motivo muito especial,
ainda estarão muito distantes do estado Ideal. Gostaria que se tornassem
pessoas que pensam em primeiro lugar em se tornar úteis da Deus. Se
fizerem esforço nesse sentido, Deus nos concederá bens materiais de
acordo com o nosso mérito. Portanto, não há nenhuma necessidade de
nos preocuparmos. Se acumularmos virtudes cedo ou tarde, mais juros
serão acrescidos e seremos merecedores de um mérito ainda maior. Por
isso, gostaria que os senhores se esforçassem o máximo possível em
depositar nas mãos de Deus os assuntos pessoais e fazer primeiro com
que os outros acumulem méritos.
O fato de sermos escolhidos entre milhares de pessoas e termos a
permissão de nos integrar a obra divina deve-se a afinidade de nossas
vidas passadas. Existe a explicação de que nosso espírito estava
purificado e, por isso, fomos chamados por Deus para Serví-Lo. Mas, é
errado generalizar esse pensamento. Muito pelo contrário é que temos
muitas máculas que fomos chamados por Deus antes dos outros, para
que, através do sofrimento, possamos resgatá-los. Em compensação se
conseguirmos cumprir nossa tarefa, será um mérito incalculável para
nossa família e alegria para nossos antepassados.
29 de junho de 1961

EVITE GASTOS SUPÉRFLUOS E CONTROLE A GANÂNCIA

Tudo é concedido por Deus, que nos confia sua guarda. Por isso,
devemos evitar perdas materiais desnecessárias e procurarmos
desperdiçar o mínimo possível. É igualmente importante ter a consciência
de oferecer o máximo para ser utilizado por Deus. Com a continuidade
dessa prática pelo menos as coisas de que precisamos, aparecem
misteriosamente na devida proporção. Por outro lado, quando compramos
algo desnecessário para satisfazermos nosso luxo, passamos por apertos
financeiros e nada aparece. Quanto a isso não há erro, pois eu mesma já
tive essa experiência.
O homem é um ser que se situa entre Deus e o animal, por isso,
ele possui a natureza Divina e a natureza animal. Em termos religiosos
denominamos essa natureza animal de espírito secundário e o tratamos
como divindade. Ele possui vários desejos, como comer, beber e vestir-
se. Mas, se nos dedicarmos excessivamente a essa parte, acabarão
surgindo problemas no corpo físico e coisas desagradáveis. O espírito
secundário nos acompanha porque temos necessidade dele e, portanto
não devemos ficar sempre evitando a sua manifestação. Se procurarmos
proceder dessa forma, será inevitável a sua reação, portanto, devemos
utilizá-lo habilidosamente. Assim, uma vez ou outra, podemos “soltar suas
asas”, desde que seja dentro dos limites permitidos por Deus.
Mesmo vivendo dentro do âmbito da fé, somos seres de carne e
osso e, por isso, somos animados e descontraídos. Porém, é importante
evitar a todo custo ações que maculam o nome de Deus ou que vão
contra os Ensinamentos. Gostaria que agissem com essa firme decisão.
10 de maio de 1960

NÃO TEMER AS FALHAS E NÃO REPETIR O ERRO

É natural o homem cometer erros e é através deles que ele


consegue elevar-se. Por isso, errar uma ou duas vezes, não quer dizer
nada, pois Deus reconsidera esses erros. Entretanto, cometer os mesmos
erros indefinidamente, não agrada a Deus. É possível que a pessoa até
seja banida caso não haja mais condições de regeneração. Por isso, não
podemos ficar despreocupados. Os maus hábitos que possuímos desde
que nascemos são difíceis de serem corrigidos. Todavia, gostaria que os
senhores evoluíssem até chegarem ao nível de dizer: “uma vez que
prometi a Deus, jamais incidirei no mesmo erro”.
17 de maio de 1960

OBEDIÊNCIA ABSOLUTA A DEUS E EMPENHO


EM TODAS AS COISAS

Meishu Sama nos ensinou que quando uma pessoa alcança o


ápice da fé, ao ser ordenada para virar-se para a direita ou para a
esquerda, ela obedece fielmente. Isso significa que devemos absoluta
obediência a Deus. Mas, se interpretarmos esse fato de forma errada
poderemos nos tornar pessoas de caráter fraco. Portanto, obedecer
cegamente a Deus é diferente do fato de que devemos nos emprenhar
em todas as coisas, tomando a iniciativa. Devemos prestar obediência
absoluta a Deus, mas, como seres humanos devemos procurar nosso
próprio trabalho e começar a atuar antes que Deus nos ordene. O mundo
melhorará rapidamente se a cauda chegar a fazer a cabeça de
movimentar. Quero dizer que não é suficiente deixar tudo a mercê de
Deus e receber passivamente aquilo que nos é concedido.
4 de fevereiro de 1961

QUANDO AS COISAS NÃO CORREM BEM É PORQUE O


PENSAMENTO EGOÍSTA ESTÁ SE MANIFESTANDO

Os membros fervorosos devem ter o pensamento de que


realizarão qualquer Servir em prol de Deus, mesmo que tenham que
passar por sacrifícios. Chegará o dia em que serão recompensados e
nessa ocasião poderão descansar. Gostaria que presentemente, ainda
mantivessem o pensamento de que devemos nos empenhar cada vez
mais.
Se cometemos erros no passado, não devemos nos preocupar
com isso, pois, se a partir de hoje, passarmos a praticar o Bem na mesma
proporção, poderemos modificar tudo. Por isso, sem nos preocuparmos
com o que já passou, devemos apenas semear o Bem. No entanto, há
momentos em que mesmo agindo corretamente algumas sementes
demoram mais para germinar. Contudo, não há necessidade de nos
tornamos pessimistas quando isso ocorre. A semeadura feita com bom
pensamento, infalivelmente um dia, dará bons frutos. Se for semeada
com oração sincera, nenhuma semente deixará de germinar. Se não
germinou é porque ainda existem no nosso interior os pensamentos
malignos e egoístas, e precisamos nos submeter a uma reflexão.
Também não devemos ficar demasiadamente presos aos resultados.
Deus é quem nos concede os frutos naturalmente. Por isso, devemos
manter-nos despreocupados, calmos e empenhando-nos apenas na
semeadura.
23 de setembro de 1960

DECTETAR AS CAUSAS E PLANEJAR O PROGRESSO


E A ELEVAÇÃO ESPIRITUAL
Para progredir e elevar-se é preciso refletir sempre, analisando o
trabalho realizado, questionando se não houve omissão, se as devidas
providências foram tomadas, se o serviço foi bem realizado, etc. essas
reflexões é que possibilitarão o progresso e a elevação espiritual.
O homem tem o dever de fazer progredir e elevar o mundo e a si
próprio bem como desenvolver-se material e espiritualmente, formar sua
personalidade e retornar novamente a terra natal dos espíritos. A respeito
disso, no Ensinamento “Sejam homens do presente”, há um trecho que
tomando como exemplo a Natureza, Meishu Sama nos ensina: -
Observemos a natureza. Ela procura renovar-se e progredir
constantemente, sem um mínimo de interrupção. O número de seres
humanos aumenta de ano para ano. As terras vão sendo exploradas
todos os anos. Vemos maiores e melhores vias de transportes – obras
cuja construção demonstra crescente arrojo arquitetônico e maquinarias
cada vez mais perfeitas. As ervas e as árvores crescem em direção ao
Céu. Tudo isso mostra que nada regride. Ora, se tudo continua evoluindo
é natural o exemplo da Natureza. Nesse sentido, eu mesmo faço esforço
para elevar-me e progredir cada vez mais, este mês, mais do que no mês
anterior; este ano mais do no ano passado.
Como um bom exemplo disso, Meishu Sama solicitava que fossem
feitos relatórios das atividades diárias da Igreja. Às vezes, quando recebia
um relatório e notava redação ou estagnação em termos numéricos em
relação ao mês anterior, mandava chamar imediatamente o encarregado
e dizia. “isso não é possível”. É muito estranho. Deve haver uma razão
para isso. E se empenhava o máximo para detectar sua causa.
Realmente, existia um motivo e assim, orientava o encarregado para
proceder desta ou daquela forma. Assim, detectando a causa corrigindo
de acordo, Meishu Sama conduzia o desenvolvimento da Igreja. Sinto que
manter um registro de dados após a realização dos trabalhos é uma
maneira ideal para detectar as causas do retrocesso e da estagnação.
10 de março de 1960
AS PROVAÇÕES ELEVAM NOSSA FÉ

Se por um lado possui infinita benevolência, por outro, há ocasiões


em que Ele nos pega de surpresa, submetendo-nos um rigoroso
treinamento. Lembro-me que meses antes de me tornar Kyosho, fui
submetida principalmente ao polimento da alma. Através disso, Deus
concedeu-me uma grande força e firmeza de espírito que não me deixam
abalar com qualquer coisa e consigo permanecer no estado de entregar
tudo nas mãos de Deus. Hoje, ao compreender que foi realmente uma
benevolência de Deus do Grande Amor e Piedade e de Meishu Sama, as
lágrimas rolam de tanta gratidão e emoção.
Se continuasse sendo mimada até hoje, com certeza, não poderia
estar fazendo esta reflexão e tão pouco obter a elevação que consegui.
Gravei profundamente no meu coração que não há nada tão gratificante
quanto à provação.
A verdadeira bênção Divina se oculta por detrás daquilo que a
primeira vista não parece sê-lo. Pude perceber que é justamente nessas
ocasiões que podemos cultivar uma fé mais forte.
Quem quer que seja fica contente e maravilhado quando lhe
ocorrem fatos alegres, sentindo-se, assim grato e comovido. Mas, são
raras às vezes em que o nosso espírito se aprimora e eleva através
desses fatos. Além do mais, quando tudo vai bem, existe o perigo de
haver falhas no sentimento. Nas ocasiões em que fracassamos, aflora-
nos o sentimento de cautela e acabamos por semear o Bem. Em
contrapartida, nos momentos de sucesso é mais fácil incorrer em erro. Há
um provérbio que diz: “A interferência do mal é maior nas coisas
agradáveis”. Podemos dizer que quando as coisas estão correndo bem é
que devemos tomar maior cuidado. Quanto mais mudanças ocorrerem
em nossas vidas, maior será a nossa alegria. Por isso, é melhor que o
conteúdo dessas mudanças seja o mais variado possível.
Se tivermos uma fé sólida, tanto a alegria quanto a tristeza serão
úteis a lapidação da nossa personalidade. Mesmo as espadas, exceto as
de má qualidade foram mergulhadas uma infinidade de vezes no fogo e
na água e após sofrerem marteladas e mais marteladas, tornaram-se de
boa qualidade. Se o ser humano deseja obter uma excelente
personalidade é preciso que ele passe proporcionalmente por dificuldades
e sofrimentos, pois caso contrário, não fluirá a verdadeira Luz. Para ter a
permissão de se tornar o marco do Caminho da Fé é preciso estar pronto
para suportar as rigorosas provações para poder percorrer os caminhos
de alegria. Quem almeja a ocorrência de fatos convenientes apenas para
si, não poderá confirmar no Servir por muito tempo. Meishu Sama nos
ensinou: “As pessoas que realizam trabalhos incomuns ou as que
receberam de Deus missão maior que as outras devem pensar que Ele
lhes concedeu treinamentos semelhantes ao processo de criação de
espadas de qualidade”.
Justamente por vivermos num mundo em que existem o Bem e o
Mal, devemos nos conscientizar de que estamos sempre entre espadas.
Sem nos descuidar tornemos cada vez mais prestativos e atenciosos,
objetivando a construção do Paraíso Terrestre e empenhando-nos na
dedicação do Johrei.
10 de novembro de 1958

ALMEJAR MUITO E PRATICAR MUITO

Meishu Sama nos ensinou que na difusão da fé, devemos pensar


em primeiro lugar em ”Ter um forte pensamento de crescer a todo custo”.
É realmente uma verdade. Quando surgir a vontade de querer fazer esse
desejo comunica-se a Deus e passamos a receber Suas bênçãos. Ele
nos concederá força em tudo que praticarmos sem restrições.
Além disso, quanto mais almejarmos e praticarmos a fé, maior
força Ele nos concederá. Por isso, o importante é o pensamento inicial.
01 de abril de 1961

JUSTAMENTE COM A REFLEXÃO DEVEMOS TER CORAGEM

Se ficarmos retraídos, nada conseguiremos fazer. Por isso, se não


tivermos a coragem unida à reflexão, não poderemos progredir. Os altos
e baixos são inerentes a vida e assemelham-se aos dias de sol e aos dias
nublados. O sol e a lua estão permanentemente no céu, por isso, não há
a mínima necessidade de ficarmos inseguros. Na ocasião em que o a
sorte estiver se afastando se tivermos a coragem de permanecer
tranquilos, infalivelmente ela voltará.
Deus testa as pessoas de forma realmente habilidosa. Faz as
pessoas decair a fim de verificar o grau de sua fé. Se, nessas ocasiões
elas não se abalarem, Ele as considera elementos úteis e concede-lhes
novas missões.
A coragem é necessária para todas as realizações.
10 de setembro de 1957
SUPORTAR O QUE DEVE SER SUPORTADO
E DIZER O QUE DEVE SER DITO

A pessoa que possui fé verdadeira mesmo que seja injustamente


perseguida, jamais deve tomar uma atitude descabida de prejudicar o seu
opositor. Ao contrário, deve suportar e perdoar com o pensamento de que
seu perseguidor é ainda imaturo, sobretudo se ele souber o motivo da
perseguição. Se desconhecer a causa, deve pensar que houve alguma
coisa em vidas passadas e suportando a situação deixar tudo nas mãos
de Deus e permanecer tranquila; ficar desesperada e abandonar tudo são
procedimentos de uma pessoa fraca que não consegue conter seus
impulsos. A covardia e a paciência em termos conteúdo possuem uma
diferença tão grande quando o dia e a noite.
Recebendo de Deus a inteligência da percepção verdadeira (Tie
Shokaku), conseguiremos ter um discernimento correto. Portanto, se
acharmos que devemos suportar calados será melhor proceder assim,
por outro lado, se sentirmos que tal coisa deve ser dita, devemos abrir
nosso coração e expor nossa opinião. Se ficarmos calados, sem dizermos
o que deve ser dito, acabaremos não esclarecendo as pessoas.
Aqueles que seguem o Caminho devem ter, não apenas boa
vontade, mas também Inteligência Superior. Caso contrário, não podemos
afirmar que estejam praticando o máximo. Quando o ministrante possui
atitudes corretas, com a dosagem certa de amor e de inteligência,
podemos considerá-lo adulto. Ações de caráter Izunomê significam isso.
Se seguirmos em frente, visando sempre agir de modo Izunomê, com
certeza, um dia atingiremos essa meta.
10 de março de 1958

DEIXAR O ESPÍRITO DE DEPENDÊNCIA E FAZER O MÁXIMO

Meishu Sama nos concedeu os Ensinamentos: “Não menospreze


os cálculos” e “Cálculos e eficiência”, alertando-nos sobre os pontos que
os religiosos tendem a negligenciar. Esses Ensinamentos não falam
apenas sobre o aspecto monetário, mas são em suma uma advertência
aos religiosos para que atuem de forma realista e racional.
Frequentemente os religiosos não aprendem claramente os fatos e
encerram o assunto com reflexões vagas, achando que Deus cuidará de
tudo da melhor forma. Acredito que quando isso se torna um hábito acaba
gerando um sentimento de dependência.
Os religiosos muitas vezes criam o mau hábito de empurrar tudo
para Deus sem antes de empenharem o máximo e dizem: “Vamos viver
de acordo com a Vontade Divina” ou “Vamos entregar nas mãos de
Deus”. Porém quando procedemos dessa forma, Deus nos vira as costas.
Justamente essas pessoas quando se vêem diante de um beco sem
saída, não refletem sobre a falta do seu próprio esforço e se forem
membros da Igreja, atribuem a culpa ao responsável da Casa de Difusão.
Este, por sua vez, culpa os membros ou o responsável da Igreja. Este diz
que culpado é o responsável da Difusão. Assim, temos uma forte
tendência ao incorrer no erro de fugir da responsabilidade. Meishu Sama
nos ensinou que quem sai ganhando nessas ocasiões é aquele que
assume o papel desagradável. Isso significa ganhar perdendo, ou seja,
agir de acordo com os cálculos de Deus.
10 de março de 1960

MANTER UM EFICIENTE SISTEMA DE COLABORAÇÃO

Os membros não devem esquecer-se do sentimento de gratidão.


E aqueles que receberam permissão de se tornarem ministros, mesmo
que possuam capacidade maior que as outras pessoas, devem ter
humildade, utilizando a capacidade que o destaca, no desenvolvimento
do seu trabalho. Se esses membros não tiverem “makoto” nesse nível,
não se pode dizer que sejam fiéis a Deus. As pessoas que ocupam
posição superior devem manifestar suas virtudes de líderes, e as que
estão na posição de subordinação devem cuidar corretamente de sua
própria posição e oferecer seus préstimos. Assim procedendo, todos
viverão verdadeiramente e com prosperidade.
O superior que tiver entre seus subordinados pessoas que o
sobrepujam deverá emprenhar-se em fazer crescer essa força ao
máximo, procurando condições e tarefas adequadas para essas pessoas
poderem atuar.
É importante que os que estão no Caminho – na posição de
ensinar e liderar – tenham sempre o desejo de melhorar cada vez mais na
Casa de Difusão ou sua Igreja, dando vida às qualidades recebidas de
Deus.
14 de outubro de 1959

AQUIRIR UMA CULTURA AMPLA

Ao missionário é necessário um aprimoramento interior ao mesmo


tempo em que se consagra ao Servir. A salvação ou não das pessoas
dependerá do conteúdo daquilo que ele transmite. Aquele que se coloca
na posição de orientador precisa ter em mente que exerce uma grande
influência sobre as pessoas. Portanto, deve examinar constantemente o
seu próprio pensamento e atitudes para não incorrer em erro e para
receber corretamente a Luz, deve aperfeiçoar na personalidade e adquirir
uma ampla cultura.
Adquirir cultura não significa apenas obter conhecimento
acadêmico. É muito importante aproveitar as horas livres para ler um bom
livro, praticar a cerimônia do chá, estudar caligrafia a pincel, a fim de
forjar sua qualidade de missionário.
Meishu Sama conseguia arrumar tempo para fazer arranjos florais
e participar também de cerimônias do chá. Os arranjos florais eram feitos
no seu próprio estilo. Na época em que morava no bairro de Kyobashi,
em Tóquio, um professor de um determinado estilo vinha algumas vezes
ao mês à nossa casa e fazia arranjos florais para o nosso tokonoma.
Meishu Sama olhava-as com atenção e tecia comentários. Ele não
aprendeu ikebana pegando as flores com suas próprias mãos, através da
observação havia assimilando as noções básicas.
No que se referia as Belas Artes, bastava ter m tempo livre. Ele ia
aos museus e ao setor de arte da loja de departamentos Mitsukoshi para
apreciar os objetos de arte. Meishu Sama estudava dessa maneira. Creio
que essas são formas de obter cultura.
7 de junho de 1961

ESTUDAR O MÁXIMO POSSÍVEL PARA SUA FORMAÇÃO

Independentemente de ir ou não a escola, o estudo é importante


para os religiosos. Tudo serve de estudo: assistir a palestras, ouvir rádio e
música, ler jornais, revistas e livros, ver televisão e ir ao cinema. Através
desses meios de comunicação, Meishu Sama sempre adquiriu
conhecimentos novos. Por isso, mesmo estando praticamente sempre em
casa, de forma alguma Ele parecia uma pessoa retrógrada.
Não temos necessidade de estudar assuntos específicos se não
somos profissionais. Porém, devemos conhecer os conceitos básicos e a
partir daí, com base na Inteligência da percepção verdadeira, distinguir o
certo e o errado, o verdadeiro e o falso, a fim de cultivar o senso crítico e
evitar aceitar, indistintamente qualquer tipo de opinião. Fomos agraciados
com ensinamentos sobre a Ordem e as Leis que estão de acordo com a
Vontade Divina, sobre a criação do Universo e vários outros. Portanto, se
raciocinarmos baseados neles, de certa forma, poderemos descobrir onde
estão as falhas da ideologia contemporânea.
Todavia, as pessoas que não possuem a inteligência da
Percepção verdadeira adquirida através da prática da fé, têm a facilidade
de ficar presas às coisas que estudaram e pendem ora para um lado, ora
para o outro. Há, ainda, aquelas que apesar de terem um conhecimento
geral, não possuem opinião própria. Seria realmente monótono ao
homem se lhe faltassem iniciativa e criatividade. A grandiosidade do ser
humano está na sua natureza criativa. Por isso, gostaria que os senhores
se empenhassem o máximo possível nos estudos e na sua própria
formação para desenvolverem novos campos da fé.
23 de julho de 1957

A DIFUSÃO TAMBÉM DEVE SER UMA AÇÃO IZUNOMÊ


O fato que relato a seguir aconteceu em uma de nossas igrejas.
Uma senhora membro fervorosa cujo marido não tinha compreensão da
Fé Messiânica, participava dos Cultos Mensais e havia entronizado em
sua casa a imagem da Luz Divina. Nada de extraordinário havia
acontecido até aquele dia quando ela apareceu na igreja com o rosto
completamente pálido. O ministro perguntou-lhe o motivo e ela respondeu
que havia acontecido algo extremamente grave. Ela disse que ao chegar
em casa o marido encontrava-se sentado nomeio da sala com um olhar
irado. Ele havia rasgado o “kakemono” (N.T: quadro de ornamentação
típico japonês). Do “tokonoma” e revirado tudo que havia por perto. Além
disso, ameaçava a esposa, dizendo: - “Se você deixar essa religião a
partir de hoje, está tudo bem. Caso contrário, vamos nos separar. Agora
vá a igreja e pela orientação ao ministro de sua confiança. Dependendo
da resposta vou até lá e arrumarei confusão”.
Então o responsável da igreja rezou pedindo perdão a Deus e
pensou: “não posso ficar zangado, pois o marido dessa senhora não
possui fé. É bom que ela seja fervorosa na fé, mas sinto que devido a isso
descuidou da atenção para com o marido que com o acúmulo de
insatisfações acabou agindo dessa maneira. Assim, houve negligência
por parte da esposa. Se disser a ela para se separar com certeza, o
marido voltará sua hostilidade contra nossa igreja pelo resto da vida e não
será salvo”. Assim, o ministro percebeu que aquela senhora deveria pedir
perdão a Deus pela sua falta de disse-lhe: “acho que a senhora está
falhando em alguns pontos, portanto, precisa pedir perdão ao seu marido
e obedecer-lhe. Até que ele lhe perdoe, deixe guardados com cuidado
numa caixa, tanto a imagem da Luz Divina quanto o Ohikari e dedique-se
ao seu marido, pois, com certeza, Deus fará com que tudo corra bem”.
Quando a senhora retornou a casa, o marido ainda permanecia
com a fisionomia severa e perguntou-lhe o que o ministro havia dito. Ao
ouvir o relato da esposa, o marido surpreendentemente, mudou sua
expressão, dizendo apenas? “Ah, é...” permaneceu por um instante com
os braços cruzados, e depois murmurou: “é estranho, então, quer dizer
que os ensinamentos da igreja Messiânica são muito diferentes do que eu
imaginava. Tinha plena certeza que o ministro iria dizer para você se
separar de um marido como eu, mas, muito pelo contrário, cada vez mais
ouço coisas maravilhosas”. Assim, verificou-se a sua visível
transformação. A esposa decidiu cumprir a risca a orientação recebida do
ministro e para sua surpresa, alguns dias após, o marido lhe disse que
podia usar o Ohikari. Ela ficou deveras feliz e procurou dedicar-se ainda
mais docilmente a ele. Desta vez, o marido permitiu que ela fosse ao culto
mensal da igreja. Atualmente, esse marido é uma pessoa que tem uma
completa compreensão da nossa fé.
Ao ouvir esse relatório, senti que os membros devem realmente
proceder dessa maneira. Não creio que todos tenham esse mesmo
sucesso, mas posso dizer que no caso dessa senhora foi bom ter
acontecido assim. Devido a sua fé fervorosa, deus concedeu inteligência
ao ministro para a solução do problema. Sinto que ela foi realmente
encaminhada e protegida por Deus.
Isso está de acordo com a prática Izunomê segundo a qual, para
se obter a permissão de salvar o próximo, devemos até mesmo nos
responsabilizar pelo pecado de faltar com respeito a Deus. Para salvar
uma pessoa que caiu na lama, às vezes, precisamos entrar na própria
lama que empurrá-la pra fora. Haverá casos em que estendendo a mão
da margem podemos salvá-la. Mesmo em que se tratando de salvação
creio que existem várias formas de acordo com o caso. Para tanto,
devemos usar a inteligência superior e esta vem de Deus.
23 de março de 1959

O BELO TAMBÉM É UM MEIO DE DIFUSÃO


Certa vez, li um relato de um alto dirigente de uma entidade
religiosa que ia frequentemente a Tóquio. Contudo, como a distância era
muito grande, durante a viagem, ele procurava conversar sobre assuntos
religiosos e sobre sua própria fé. Na hora de se despedir, entregava ao
companheiro de viagem seu cartão de visita, dizendo que o procurasse
posteriormente. Segundo ele, várias pessoas o visitavam a pretexto de
estarem aproveitando a oportunidade e o tempo. Ao ler esse artigo, fiquei
deveras surpresa ao constatar que embora fosse um alto dirigentes, ele
se empenhava a ponto de aproveitar o tempo e fazer propaganda dentro
do trem.
Obviamente, os senhores devem estar procedendo de forma
semelhante. Se analisarem atentamente, poderão notar que perdem
muitas oportunidades, sobretudo se levarmos com consideração que
nossa igreja tem um maravilhoso Museu de Arte. Portanto, mesmo não se
referindo aos ensinamentos poderão entregar o cartão e dizer as pessoas
que venham nos visitar, pois temos um magnífico Museu de Belas Artes.
E, ainda, se comunicarem a Sede Geral, poderemos mostrar também os
jardins sagrados.
Se abrirmos nosso sentimento as pessoas, creio que muitas delas
virão nos visitar e ao fazê-lo não poderão deixar de sentir a grandiosidade
de Meishu Sama. É, caso surjam outros assuntos podemos considerar
que o Belo é muito eficaz ao encaminhamento das pessoas que
posteriormente se ligarão aos Ensinamentos e ao Johrei.
Por isso, não devemos mais ficar presos as formas tradicionais e
usando a cabeça devemos descobrir e utilizar outros meios de conduzir o
maior número de pessoas para junto de Deus. E vamos nos emprenhar
para ligar essas pessoas a nossa fé.
15 de junho de 1959

ATIVIDADES ORGANIZADAS DE DIFUSÃO


Na nossa igreja, conseguimos aprofundar a fé unicamente com os
ensinamentos de Meishu Sama e isso não apresenta nenhuma
inconveniência. Porém, no que se refere às atividades direcionadas como
a duplicação do número de membros, até hoje, viemos nos baseando em
idéias individuais. No entanto, esta é a época em que a organização
prevalece e, e por isso, mesmo em termos de ampliação da linha de
difusão e da duplicação do número de membros se não houver, por parte
da Sede Geral da Igreja, uma orientação mais sistematizada não
poderemos desenvolver um trabalho unificado.
Existem pontos em que de certa forma, ficamos acomodados,
baseando-nos no ensinamento de Meishu Sama que diz as pessoas nos
são conduzidas mesmo que não façamos propaganda. Naquela ocasião,
bastava proceder de acordo com os ensinamentos. Mas, uma vez que
atualmente iniciativas mais agressivas, como pregações em grande
escala estão obtendo sucesso e o mundo está sofrendo transformações
encontramo-nos numa fase em que devemos realizar a todo custo, a
campanha de duplicação do número de membros de forma atuante e
sistematizada.
Quanto mais considerarmos os ensinamentos da nossa igreja
como sendo os melhores e os tivermos como o meio de salvação da
atualidade é imperdoável que não aumentemos a todo custo, o número
de fiéis.
10 de julho de 1959

CONCRETIZAÇÃO DA FÉ É DIFUSÃO SEM PALAVRAS


Outro dia, em uma de nossas igrejas um membro conseguiu fazer
ingressar uma pessoa a nossa fé em apenas quinze minutos. Ao
perguntar-lhe como conseguiu encaminhá-la tão rapidamente, ele disse
que não foi pela força das palavras, mas sim, pela confiança que aquela
pessoa depositava nele. O membro era uma dona de casa que tinha
muito bom conceito na vizinhança pela sua conduta diária e como
integrante da sociedade. Foi por esse motivo que aquela pessoa
ingressar na fé.
Na verdade, todos os membros deveriam ser assim é claro que é
necessário divulgar os ensinamentos por um lado, por mais que pessoa
explique habilmente se ela não tiver em si algo que emocione as pessoas,
estas não a seguirão. Esse patrimônio imaterial que é a confiança é algo
que se consegue pela “prática em palavras”.
Soube que aquela senhora se levanta cedo e varre não somente
em frente de sua casa, mas também a calçada dos vizinhos e em tudo
procede dessa maneira. Em suma, ela desenvolve suas atividades
fundamentadas no espírito altruísta ensinado por Deus, que não se limita
ao bem próprio, mas também ao bem do próximo. Acho que é isso que
mexe com a emoção das pessoas.
13 de setembro de 1961

DEVEMOS ATÉ TOMAR A DIANTEIRA DOS OUTROS PARA


CONDUZIRMOS AS PESSOAS A FÉ
Daqui para frente não devemos dizer que basta converter as
pessoas que Deus traz até nós por conta da afinidade que elas têm
conosco. Estamos na era da velocidade e, portanto devemos sempre
tomar a dianteira e realizar todas as coisas de forma mais atuante. Dessa
maneira, os métodos também deverão mudar de acordo com a época,
senão ficaremos para trás.
O que quero dizer é que devemos cumprir o Servir que nos for
atribuído, mas devemos até mesmo tomar a dianteira e fazer os trabalhos
que ainda não nos pediram para fazer. Quem tem tempo e capacidade,
ao invés de ficar falando que este ou aquele é trabalho dos outros, deve
chegar ao ponto de tomar dos outros a iniciativa de conduzir as pessoas a
Fé, manifestando seu forte espírito de dedicação.
4 de fevereiro de 1961

Centres d'intérêt liés