Vous êtes sur la page 1sur 2

Uso do Hífen – GRAMÁTICA

Produção: Equipe Pedagógica Gran Cursos Online

USO DO HÍFEN

A regra do hífen é marcada por algumas exceções. Porém, atente-se às


regras gerais, pois são estas que caem definitivamente nas provas de concurso.
As regras do hífen aqui apresentadas estão pautadas conforme o Novo
Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.
Quando se estuda uso do hífen, bem como a ortografia da Língua Portu-
guesa, é importante ter à mão dois instrumentos fundamentais: o dicionário e
Vocabulário Oficial da Língua Portuguesa (VOLP), e este pode ser acessado no
próprio site da Academia Brasileira de Letras (http://www.academia.org.br).

EMPREGO DO HÍFEN

Função do hífen

• Marcar a união de vocábulos (palavras compostas ou palavras formadas


por prefixo + radical);
• Marcar a ênclise e a mesóclise (colocações pronominais);
• Marcar a separação de sílabas.

Quando usar o hífen:

1. Palavras compostas em que os integrantes da composição possuam:


a) Sílaba tônica própria;
b) Unidade de significado (duas palavras juntas que possuem um significado); e
c) Ausência de conectivo (preposição).

Ex.: sexta-feira, mesa-redonda, criado-mudo, beija-flor, casca-grossa,


ferro-velho

 Obs.: os vocábulos marcados pelo hífen têm um força bastante grande em rela-
ção à conotação (sentido figurado/matafórico). O sentido denotativo é o
sentido real, literal.

Se eu falo ferro velho, seria o sentido denotativo, real e literal (um pedaço de
ferro velho). Agora, se eu falo ferro-velho, estou me referindo ao sentido cono-
tativo (local onde há peças velhas de carro).
ANOTAÇÕES

1
www.grancursosonline.com.br
GRAMÁTICA – Uso do Hífen
Produção: Equipe Pedagógica Gran Cursos Online

De acordo com o Novo Acordo Ortográfico:

• Não se usa mais o hífen em certas palavras que perderam a noção de


composição: girassol, mandachuva, pontapé, paraquedas.
• Não se usa hífen em palavras dotadas de elemento de ligação (preposi-
ção): azeite de dendê, água de coco, dia a dia, calcanhar de Aquiles, pão
de ló, fim de semana, corpo a corpo.

Exceção: água-de-colônia, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia,


gota-d’água, além de nomes de espécies botânicas (nomes de plantas) ou zoo-
lógicas (nomes de animais): gato-do-mato, andorinha-de-rabo-branco, cravo-da-
-índia, dente-de-leão.

2. Com os advérbios MAL e BEM:


• Mal: empregar o hífen APENAS quando a palavra seguinte for iniciada
por H ou vogal.
Ex.: mal-estar; mal-humorado; malcriado; malcheiro.
• Bem: empregar o hífen SEMPRE*.
Ex.: bem-vindo, bem-aventurado, bem-humorado, bem-estar.

Exceção: benfeito, benquerença.

IMPORTANTE!
Ao resolver exercícios sobre este tema, lembre-se de selecionar questões a
partir de 2009. Ao resolver questões muito antigas, que são pautadas com as
antigas regras do hífen, as respostas corretas podem não ser as mesmas.

Obs.: Este material foi elaborado pela equipe pedagógica do Gran Cursos
Online, de acordo com a aula preparada e ministrada pelo professor
Elias Santana.
ANOTAÇÕES

2
www.grancursosonline.com.br