Vous êtes sur la page 1sur 45

MATEMÁTICA I

Exercı́cios

Curso de Marketing

2011/2012

MICV

1
Conteúdo

I Funções de uma Variável 5

I.1 Cálculo Diferencial . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5

I.1.1 Definição de função e gráficos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5

I.1.2 A função exponencial e a função logarı́tmica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7

I.1.3 Derivadas e aplicações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11

I.1.4 Derivadas sucessivas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 16

I.1.5 Fórmula de Taylor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 16

I.1.6 Aplicação da Fórmula de Taylor ao estudo do comportamento da função em


pontos crı́ticos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18

Soluções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20

I.2 Cálculo Integral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28

I.2.1 Noções de primitiva e de integral indefinido . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28

I.2.2 Integrais imediatos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28

I.2.3 Integração de funções racionais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28

I.2.4 Integração por partes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29

I.2.5 Integração por substituição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 30

I.2.6 Noção de integral definido . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31

I.2.7 Cálculo de áreas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31

I.2.8 Aplicações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33

I.2.9 Integrais impróprios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34


ISCAP Matemática I

Soluções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35

I.3 Cálculo Diferencial . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41

I.3.1 Definição e domı́nio de uma função . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41

I.3.2 Derivadas parciais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41

Soluções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43

I.4 Cálculo Integral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44

I.4.1 Integrais duplos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44

Soluções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44

MICV 3
ISCAP Matemática I

NOTA PRÉVIA

A ideia de apresentar estes exercı́cios surgiu da necessidade de disponibilizar aos alunos exemplos
de exercı́cios para que possam praticar os conceitos que vão sendo leccionados.

Não se pretende que os alunos restrinjam o estudo a estes exercı́cios, que deverão servir apenas
de guião para que os alunos procurem ir mais além nas matérias abordadas. Desta forma, torna-se
importante que os alunos recorram quer à bibliografia aconselhada no programa, quer a outras fontes
de informação.

Na elaboração destes exercı́cios, houve o cuidado de os ordenar de acordo com o programa.

Gostaria de agradecer a colaboração de todos aqueles que têm ajudado a construir este material,
em particular à colega Ana Maria Moreira Rodrigues com quem os partilhei desde o ano entre 1998/99
e 2007/08.

ISCAP, Setembro de 2007

MICV

MICV 4
Capı́tulo I

Funções de uma Variável

I.1 Cálculo Diferencial

I.1.1 Definição de função e gráficos

1. Qual ou quais dos seguintes gráficos não representa uma função?

y
2

0 x
-4 -3 -2 -1 0 1 2

(a) (b)

y
2

-4 -2 x
0
-5 0 5
-2
-2

-4

(c) (d)
ISCAP Matemática I

y
y 4
2

0 x
-2 -1 0 1 2 0 x
-4 -2 0 2 4

-2
-2

-4

(e) (f)

2. Considere as seguintes representações gráficas de funções definidas nos respectivos domı́nios. Para
cada caso, indique os intervalos em que a função é crescente e decrescente, o domı́nio, o con-
tradomı́nio e os máximos e mı́nimos relativos.

y
4

0 x
-4 -2 0 2 4

-2

-4

(a) (b)

6 y

0 x
-5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5

-1

-2

(c) (d)

3. Indique o domı́nio das seguintes funções:

(a) f (x) = x2 + 2x + 3;
x+1
(b) g(x) = 2 ;
x
(c) h(x) = x+1 ;
x+2
(d) i(x) = x2 +2x+1 ;

(e) m(x) = x + 1;

(f) n(x) = x2 + 1.

4. Considere a função real de variável real definida por: f (x) = x2 + 2x − 3.

MICV 6
ISCAP Matemática I

(a) A que é igual f (1)? E f (−1)?


(b) Em que pontos é que o gráfico da função intersecta o eixo das abcissas e o das ordenadas?
(c) Faça o esboço do gráfico da função.

5. Faça o esboço do gráfico de cada uma das funções reais de variável real cujas expressões são
apresentadas a seguir:

(a) h(x) = x;
(b) n(x) = 2x + 1;
(c) f (x) = x2 + 2x + 1;
(d) g(x) = x2 + 2x − 3;
(e) m(x) = −x2 − 2x;
(f) k(x) = x2 + 5x + 6;
(g) z(x) = −x − 1;
(h) w(x) = 2;
(i) t(x) = 4x;
(j) p(x) = 0;
(
2 se x≤2
(k) b(x) = ;
x se x>2
(
5x se x≤0
(l) c(x) = ;
2x + 1 se x>0
(
x2 se x≤0
(m) y(x) = 2
;
−x se x>0


 2 se x < −1

(n) o(x) = x+1 se −1 ≤ x < 1 .


 5 se x≥1

I.1.2 A função exponencial e a função logarı́tmica

6. Determine o domı́nio e o contradomı́nio das funções definidas, em R, por:

(a) f (x) = 3 − 5x;


(b) p(x) = 2e2x − 2;
(c) r(x) = e−x ;
(d) s(x) = 3 − e4x .

7. Escreva uma expressão simplificada de:

(a) eln(2) ;
(b) ln(e3 ).

MICV 7
ISCAP Matemática I

8. Considerando as representações gráficas que a seguir se apresentam como sendo funções definidas
nos respectivos domı́nios, indique os resultados para:

(a) f (x) = x3

i. lim f (x);
x→−∞
ii. lim f (x);
x→+∞
iii. lim f (x).
x→−1

(b) g(x) = e−x

i. lim g(x);
x→+∞
ii. lim g(x);
x→−∞
iii. lim g(x).
x→0

MICV 8
ISCAP Matemática I

(c) h(x) = ln(x + 3)

0 x
-5 0 5 10

-5

-10

i. lim h(x);
x→−2
ii. lim h(x);
x→−3+
iii. lim h(x).
x→+∞
3x−1
(d) t(x) = 2x+1

0 x
-8 -6 -4 -2 0 2 4 6 8

-2

-4

i. lim t(x);
x→0
ii. lim t(x);
x→−∞
iii. lim t(x).
x→+∞

MICV 9
ISCAP Matemática I

x2 +x+1
(e) s(x) = x−1

y
15

10

0 x
-20 -10 0 10 20

-5

-10

i. lim+ s(x);
x→1
ii. lim− s(x);
x→1
iii. lim s(x);
x→+∞
iv. lim s(x).
x→2
x−1
(f) u(x) = x2 +x+1

4
y

0 x
-4 -2 0 2 4

-2

-4

-6

i. lim u(x);
x→1
ii. lim u(x);
x→2
iii. lim u(x).
x→+∞

MICV 10
ISCAP Matemática I

I.1.3 Derivadas e aplicações

9. Considere a função polinomial definida por f (x) = x2 .


df
(a) Encontre dx , aplicando a definição.
(b) Calcule f 0 (3).
dy
10. Considere, no domı́nio R\{0}, a função real, y = x1 . Calcule dx , aplicando a definição.

11. Suponha f (x) = k, uma função polinomial constante. Mostre que f 0 (x) = 0, para todo o x real.
(A derivada de uma constante é zero.)

12. Seja f (x) = x, x ∈ R. Prove que f 0 (x) = 1, para todo o x.

13. Utilize a definição para calcular as derivadas das seguintes funções, de domı́nio D, nos pontos
indicados. Em cada alı́nea indique o domı́nio respectivo.

1
(a) f (x) = x2 +1 , x0 = 3;
x−1
(b) g(x) = x+1 , x0 = 0;
2x−1
(c) h(x) = x+3 , x0 = 2;

(d) j(x) = x + 1, x0 = 3.

14. Calcule a derivada de cada uma das seguintes funções:

(a) y = x9 , x ∈ R;
(b) y = 3x2 + 2x + 1, x ∈ R;
(c) y = (2x − 3)(x − 2)(x + 3), x ∈ R;
(d) y = (3 − x3 )(2 − 13 x), x ∈ R;
(e) y = (2x2 − 3)2 , x ∈ R;
(f) y = (x2 + 3)5 , x ∈ R;
1
(g) y = x+3 , x ∈ R\{−3};
2
3x +4
(h) y = x2 +9 , x ∈ R;
2x−5
(i) y = 3x+1 , x ∈ R\{− 13 };
(j) y = ( 2x−3 3
x2 −4 ) , x ∈ R\{−2, 2};
2
(k) y = ( x 2x
−1 3
) , x ∈ R\{0};

(l) y = x2 + 1, x ∈ R;
q
(m) y = 3−x x−1 , x ∈]1, 3];
p
(n) y = 5 (x2 + 3)3 , x ∈ R;

(o) y = 3 2x2 + 3, x ∈ R;
2 1
(p) y = (1 + x 3 ) 2 , x ∈ R;
(q) y = e3x , x ∈ R;

MICV 11
ISCAP Matemática I

3
(r) y = ex , x ∈ R;
1
(s) y = e− x , x ∈ R\{0};
2
(t) y = 2x , x ∈ R;
2
(u) y = 5x +3x
, x ∈ R;
2
(v) y = 2e−x + 3x , x ∈ R;
2
(w) y = (2 − x)x , x ∈ R;
(x) y = ln(4x3 ), x ∈]0, +∞[;
(y) y = 2ln(5x + 1), x ∈] − 15 , +∞[;

(a1) y = xln(x), x > 0;


x
(b1) y = ln(x) , x > 0;
(c1) y = (5x)ln(x) , x > 0;
(x+1)3
(d1) y = , x ∈ R+ ;
3
x2

(e1) y = (a + x) a − x, a ∈ R, x ≤ a;
q
1+x
(f 1) y = 1−x , x ∈ [−1, 1[;
x
e
(g1) y = ln( 1+e x ), x ∈ R;

e2x
(h1) y = x2 +1 , x ∈ R;
(i1) y = ex ln(x2 ), x ∈ R\{0};
x
(j1) y = ex , x ∈ R;
x
(k1) y = x , x ∈ R;
(l1) y = ( nx )nx , n ∈ R\{0}, x ∈ R.

15. Determine equações da tangente e da normal aos gráficos de cada uma das funções reais de variável
real dadas, nos pontos indicados:
2
(a) y = e1−x nos pontos de intersecção com a recta y = 1;

(b) y = 3 x − 1 no ponto (1, 0);
(c) y = (x − 1)x+1 no ponto de abcissa 2;
(d) y = x2 no ponto (2, 4).

16. Escreva uma equação da recta tangente ao gráfico da função de domı́nio R+
0 dada por y = x,
que seja paralela à recta 8x − 4y + 1 = 0.

17. A recta y = 2xln(2)+1 é tangente ao gráfico da função real de variável real definida por t(x) = 22x .
Quais são as coordenadas do ponto de tangência?

18. A recta de equação y = 12x − 15 é tangente ao gráfico da função polinomial definida por t(x) =
(2x − 1)2 . Quais são as coordenadas do ponto de tangência?

19. Sendo C o gráfico da função polinomial definida por y = x2 − 5x + 6, determine o ponto de C no


qual a tangente é paralela à bissectriz dos quadrantes ı́mpares.

MICV 12
ISCAP Matemática I

20. Seja a função polinomial f (x) = x2 . Determine a equação de uma recta tangente ao gráfico de f
no ponto:

(a) (1, f (1));


(b) (−1, f (−1)).

21. Determine uma equação da recta tangente ao gráfico da função de domı́nio R, dada por f (x) = 3
x,
no ponto de abcissa 8.

22. Considere a função polinomial f (x) = x3 + 3x + 1.

(a) Prove que existe um só ponto P da curva em que o declive da recta tangente nesse ponto é
3.
(b) Determine uma equação da recta tangente nesse ponto.
(c) Averigúe se existe algum ponto da curva que admita como tangente uma recta horizontal.

23. A procura de cafés, numa determinada pastelaria, depende do preço de cada café, p (em cêntimos)
e pode ser representada pela função procura: P C(p) = 1000 − (p − 30)2 . Calcule:

(a) a taxa de variação média da procura de cafés TVMPC resultante da subida de preço de
p = 40 para p = 50 cêntimos;
(b) a taxa de variação média da procura TVMPC, dada uma pequena alteração no preço (δp) a
partir de p = 40 cêntimos;
(c) a taxa de variação instantânea da procura de cafés TVIPC em p = 40 cêntimos.

24. Considere a função oferta S(p) = 100p2 + 10, calcule:

(a) a taxa de variação média da oferta TVMS, quando o preço aumenta de p = 5 euros para
p = 6 euros;
(b) a taxa de variação média da oferta TVMS, perante a uma pequena alteração no preço a
partir de p = 5 euros;
(c) a taxa de variação instantânea da oferta TVIS, em p = 5 euros.

25. A função custo total das vendas (em euros), representando o custo incorrido na produção artesanal
de m metros de linho vendidos, é dada por CT (m) = 0, 2m2 + 5m + 10. Calcule:

(a) a taxa de variação média entre m = 4 e m = 6 metros do bem produzidas e vendidas;


(b) a taxa de variação média, proveniente de um pequeno aumento da produção e vendas a partir
de m = 4;
(c) o custo marginal (CM g) em m = 4.

26. A função real de variável não negativa, RT (l) = 20l − l2 , representa a receita total, em euros, que
resulta da venda de l litros de um determinado bem. Calcule:

(a) a receita média das vendas (RM e) entre l = 5 e l = 10 litros do bem;

MICV 13
ISCAP Matemática I

(b) a receita média das vendas (RM e) decorrente de uma pequena variação da quantidade
vendida a partir de l = 5 litros do bem;
(c) a receita marginal das vendas (RM g) em l = 5 litros do bem.

27. A função custo total, em euros, das vendas de um determinado bem, x, é dada por: CT (x) =
0, 5x3 + 3x + 1000. Calcule:

(a) a função custo marginal das vendas CM g(x);


(b) o custo marginal das vendas se x = 4 unidades.

200y
28. A receita total das vendas, em euros, é dada pela função RT (y) = y+1 .

(a) Calcule RM g(y) (ou seja, receita marginal das vendas);


(b) qual a receita marginal das vendas em y = 1?

29. Para cada uma das funções Receita Total das Vendas (RT ), Custo Total das Vendas (CT ) e Lucro
(Π) que a seguir se apresentam, calcule a respectiva função marginal.

(a) RT = x − 4x2 ;
(b) CT = 4x2 + 3x + 90;
(c) Π = 3x2 − 14x + 1234;
(d) CT = x3 − 2x2 + 3x + 456;
100x
(e) RT = 2x+13 ;

(f) Π = x2 − x + 1.

30. Determine as funções custo marginal das vendas (CT 0 ) correspondentes às funções custo médio
das vendas (CM e) que a seguir se apresentam:

141
(a) CM e = q + 12 + q ;
300
(b) CM e = 10q 2 + 15q + q .

dC
31. Sabe-se que a Propensão Marginal a Consumir (P M gC) é obtida através da derivada dRD em
que C = Consumo e RD = Rendimento Disponı́vel. Para as funções consumo [C = f (RD)] que
se seguem, calcule, em cada caso, P M gC.

(a) C(RD) = 12RD + 1427;


(b) C(RD) = 2RD + 10000.

32. Estime a elasticidade pontual da procura (²), em cada uma das funções procura, para um valor
de preço p conhecido:

(a) q = 1000 − 2p − p2 (dado p = 10);


(b) q = 1500 − p − 2p2 (dado p = 20).

MICV 14
ISCAP Matemática I


33. Dadas as funções custo total, CT = 2q − 2 3 q + 2 (q ≥ 0) e produção total (expressa em termos
do factor tempo) q = 2t + 10, calcule a taxa de variação instantânea do custo total em relação a
t, dCT /dt, no ponto de abcissa t = 4 horas.
1
34. Considerando a função custo total CT = q + q 2 + 10 e a função de produção total expressa em
termos do factor tempo q = 15t + 27, calcule a taxa de variação instantânea do custo total em
relação à variável tempo, dCT /dt, no ponto de abcissa t = 3.

35. Se o preço P depender do nı́vel de produção Q e Q do nı́vel de trabalho L e a receita total


RT = P Q, calcule o rendimento marginal do trabalho, isto é, a taxa de variação instantânea da
dRT
receita total em relação ao factor trabalho L, dL .

36. Considere y = f (x), x ∈ R, a função dada implicitamente pela equação y 3 + y = x. Suponha que
f é derivável.

1
(a) Mostre que f 0 (x) = 3[f (x)]2 +1 .

(b) Determine uma equação de uma recta tangente ao gráfico de f no ponto (10,2).

37. A função y = f (x), y > 0, é dada implicitamente pela equação x2 + y 2 = 4.

(a) Determine f (x).


(b) Mostre que x + yy 0 = 0, para todo o x no domı́nio de f .
(c) Calcule y 0 .

38. Calcule as derivadas das funções implı́citas y(x) definidas por:

(a) x + ln( x+y


2 ) = 0;

(b) y 2 = 4px, p ∈ R;
(c) x2 + y 2 = a2 , a ∈ R;
(d) a2 y 2 + b2 x2 = a2 b2 , a, b ∈ R;
(e) y 2 − 2xy + b2 = 0, b ∈ R;
(f) x3 + y 3 − 3axy = 0, a ∈ R;
x−y
(g) y 3 = x+y , x 6= −y;
(h) xy 3 = x − y − y 4 .

39. Determine equações da tangente e da normal ao gráfico da função 2y = 1 + xy 3 , no ponto (1, 1).

40. Sendo f uma função duas vezes derivável em R e designando por g : R −→ R a aplicação definida
por g(x) = f (ex ), mostre que g 00 (0) − g 0 (0) = f 00 (1).

41. Determine a primeira derivada de a2 y 2 = b2 x2 − 2y, a, b ∈ R.

42. Escreva uma equação da recta tangente ao gráfico da função y = f (x) definida pela equação
y 2 = x + ln( xy ), no ponto (1, 1).

MICV 15
ISCAP Matemática I

43. (Exame de 15/6/00 ) Admita que y = f (x) é uma função derivável e definida implicitamente pela
equação: xy 2 + y + x = 1.
−1−[f (x)]2
(a) Mostre que f 0 (x) = 2xf (x)+1 para todo x ∈ Df e 2xf (x) + 1 6= 0.
(b) Escreva uma equação da recta tangente e uma equação da recta normal à função no ponto
(0, f (0)).

44. (Exame de 19/9/00 ) Admita que y = f (x) é uma função derivável e definida implicitamente pela
equação: y 2 + x2 − 1 = 0. Escreva uma equação da recta tangente e da recta normal à função no
ponto (0, 1).

I.1.4 Derivadas sucessivas

45. y = x3 , calcule y 00 .

46. Considere y = x3 , calcule y 000 .
5

47. Calcule a derivada de ordem n de y = ekx (k é uma constante real).

48. Calcule a derivada de ordem n de y = ln(x), x > 0.

49. Sabendo que y = ax , a ∈ N, calcule y (n) .

50. Considere a função definida por f (x) = (x − 1)ex , x ∈ R. Prove que, para todo o x ∈ R e todo o
n ∈ N, se verifica a relação: f (n) (x) = f (x + n)e−n .

I.1.5 Fórmula de Taylor

51. Calcule o polinómio de Taylor, de ordem 1 da função dada, em torno de a dado:



(a) f (x) = x, a = 1, x > 0;
1
(b) f (x) = 1+x , a = 0, x ∈ R\{−1}.

52. Determine o polinómio de Taylor, de ordem 2, de f em torno de a dado:

(a) f (x) = ln(1 + x), a = 1, x > −1;


(b) f (x) = ex , a = 0;

(c) f (x) = 3 x, a = 1.

53. Mostre que para todo o x em [0, 1],

|ex − (1 + x + 12 x2 + 1 3
3! x + ... + 1 n
n! x )| ≤ 3
(n+1)! x
n+1
.

1
54. Seja f (x) = 1+x2 , x ∈ R. Mostre que P (x) = 1 − x2 + x4 − x6 + x8 − x10 é o polinómio de Taylor,
de ordem 10, de f em torno de a = 0.

55. (Exame de 16/6/03 ) Usando a Fórmula de MacLaurin, mostre que e2 > 5.

MICV 16
ISCAP Matemática I

56. Seja t a função definida em R por t(x) = ln(2x + 3), para x ∈] − 32 , +∞[.

(−1)n−1 (n−1)!2n
(a) Prove que t(n) (x) = (2x+3)n , ∀n ∈ N, ∀x ∈] − 32 , +∞[.
(b) Efectue o desenvolvimento, usando a Fórmula de Taylor da função t de a = b.

57. Efectue, se possı́vel, o desenvolvimento pela Fórmula de Taylor, das funções indicadas, em torno
de a dado e para x ∈ Df

(a) f (x) = xln( x1 ), a = 1, n = 4;


(b) f (x) = x2 ln(x2 ), a = 1;
(c) f (x) = ln(3 − x), a = 1;
1
(d) f (x) = x2 , a = 1;
(e) f (x) = (x − 1)ex , a = 1;
2
(f) f (x) = e−x , a 6= 0, n = 3;
(g) f (x) = x2 − x + 1, a = 1;
(h) f (x) = x1 , a = 1;
(i) f (x) = xln(x), a = 1;
x
(j) f (x) = (x+1)2 , a = 1;
(k) f (x) = x2 (x − 1)−2 , a = 0;
(l) f (x) = e2x , a = 0, n = 4.

1
58. (Exame de 15/6/00 ) Encontre a Fórmula de Taylor da função: f (x) = 2ln( x−3 ), para a = 4 e
x > 3.

59. Desenvolva, se possı́vel, usando a Fórmula de MacLaurin, as funções:

(a) f (x) = x3 + 1, x ∈ R;
(b) f (x) = ln(x), x > 0;
1
(c) f (x) = (1−x)3 , x ∈ R\{1};

(d) f (x) = x + 1, x > −1;
(e) f (x) = √1 , x > 0.
x

60. Considere a função, de domı́nio R+ , definida por f (x) = ln(x).

(a) Calcule a derivada de ordem n da função f .


(b) Efectue o desenvolvimento da função da usando o Polinómio de Taylor e o Resto de Lagrange,
em a = 2.
2
61. Escreva os cinco primeiros termos do desenvolvimento segundo MacLaurin de f (x) = ex , x ∈ R.

MICV 17
ISCAP Matemática I

I.1.6 Aplicação da Fórmula de Taylor ao estudo do comportamento da


função em pontos crı́ticos

62. Efectue o desenvolvimento de MacLaurin da seguinte função:


q
1
(a) f (x) = 4x+1 , para n = 3, x > − 14 .
(b) Indique o sentido da concavidade do gráfico da função anterior no ponto de abcissa x = 0.

63. (a) Sendo y = f (x) definida por y 3 + x3 + 3xy + 3 = 0, estude o comportamento da função no
ponto (1, −1).
(b) Escreva uma equação da normal ao gráfico da função no ponto (1, −1).

64. (Exame de 17/7/00 ) Considere y = f (x) uma função quadrática cujo gráfico passa pela origem
do referencial. Seja y − 2 = − 13 (x − 1) a equação de uma recta normal ao gráfico da função f no
ponto (1, 2).

(a) Qual a expressão da função f ?


(b) Classifique, caso existam, por aplicação da Fórmula de Taylor, os extremos da função f .
(Caso não tenha resolvido a alı́nea anterior considere f (x) = 21 ln(x2 )).

65. Encontre os extremos relativos da função f (x) = x3 (x − 1)2 , por aplicação da Fórmula de Taylor.

66. Aplicando a Fórmula de Taylor, estude o comportamento da função nos seus pontos crı́ticos:

(a) f (x) = x3 − 12x2 + 45x + 30, x ∈ Df ;


(b) f (x) = (x − 1)4 − 1, x ∈ Df ;
(c) f (x) = x2 (x − 5)3 , x ∈ Df ;
x
(d) f (x) = ln(x) , x ∈ Df ;
(e) f (x) = (2 − x)5 + 3, x ∈ Df ;
(f) f (x) = x3 (x − 1)2 , x ∈ Df ;
(g) f (x) = (x − 2)3 (x − 3)2 , x ∈ Df ;
(h) f (x) = x2 − 2x + 3, x ∈ Df ;
x3
(i) f (x) = 3 − 2x2 + 3x + 1, x ∈ Df ;
(j) f (x) = x3 − 9x2 + 15x + 3, x ∈ Df ;
(k) f (x) = −x4 + 2x2 , x ∈ Df ;
(l) f (x) = x4 − 8x2 + 2, x ∈ Df ;
x2 −3x+2
(m) f (x) = x2 +3x+2 , x ∈ Df ;
(n) f (x) = 2ex + e−x , x ∈ Df ;

(o) f (x) = x 1 − x, x ∈ Df .

67. Considere a função polinomial f (x) = x4 − x3 − 3x2 + 5x − 2.

MICV 18
ISCAP Matemática I

(a) Prove que f 0 (x) = (x − 1)2 (4x + 5).


(b) Determine e caracterize os extremos relativos de f .

68. Prove que:

(a) x3 − y 3 − 3x2 y − 32 x2 + 1 = 0, admite um extremo em (0, 1).


(b) x3 + y 3 + 3xy + 3 = 0, admite um extremo em (1, −1).

Indique a natureza desses extremos.

69. (Exame de 15/6/00 ) Classifique, por aplicação da Fórmula de Taylor, o extremo da função

ln|2x − 2y| − 2ex = −2,

no ponto de abcissa nula.

70. Dadas as funções receita total (RT ) e custo total (CT ) calcule, em cada um dos casos a seguir
indicados, o nı́vel de produção Q(Q > 0) para o qual o lucro da empresa é máximo.

(a) RT = 60Q − 5Q2 , CT = 10 + 2Q;


(b) RT = 10Q − Q2 , CT = 10 + Q;
(c) RT = 25Q − Q2 , CT = Q3 − Q2 + 20Q + 5;
(d) RT = 2Q − 12 Q2 , CT = 13 Q3 − 12 Q2 + Q + 10000;
(e) RT = 22Q − 2Q2 , CT = Q3 − 2Q2 + 20Q + 10.

MICV 19
ISCAP Matemática I

Soluções dos Exercı́cios de Cálculo Diferencial

1. (a) e (e)

2. (a) Cresc. nos intervalos: [−2, −1], [0, 1] e [2, +∞[; decresc. nos intervalos ] − ∞, −2], [−1, 0] e
[1, 2]; D = R; D0 = [−1, +∞[; máx.: 1 e mı́n.:-1;
(b) Cresc. em todo o domı́nio; D = D0 = R; não tem máx. nem mı́n.;
(c) Cresc. no intervalo: [0, +∞[; decresc. no intervalo ] − ∞, 0]; D = R; D0 = R+
0 ; mı́n.:0;

(d) Decresc. em todo o domı́nio; D = R \ {0}; D0 = R \ {0}; não tem máx. nem mı́n. relativos.

3. (a) Df = R;
(b) Dg = R;
(c) Dh = R \ {−1};
(d) Di = R \ {−1};
(e) Dm = [−1, +∞[;
(f) Dn = R.

4. (a) f (1) = 0 e f (−1) = −4;


(b) (1, 0); (−3, 0) e (0, −3);
(c)

5.

6. (a) Df = R; Df0 = R;
(b) Dp = R; Dp0 =] − 2, +∞[;
(c) Dr = R; Dr0 =]0, +∞[;
(d) Ds = R; Ds0 =] − ∞, 3[.

7. (a) 2;
(b) 3.

8. (a) i. −∞;
ii. +∞;
iii. −1.
(b) i. 0;
ii. +∞;
iii. 1.
(c) i. 0;
ii. −∞;
iii. +∞.
(d) i. −1;

MICV 20
ISCAP Matemática I

3
ii. 2;
3
iii. 2.

(e) i. +∞;
ii. −∞;
iii. +∞;
iv. 7.
(f) i. 0;
1
ii. 7;

iii. 0.
df
9. (a) dx = 2x;
(b) f 0 (3) = 6.

10. y 0 = − x12 .

11.

12.
3
13. (a) f 0 (3) = − 50 , D = R;
(b) g 0 (0) = 2, D = R\{−1};
7
(c) h0 (2) = 25 , D = R\{−3};
(d) j 0 (3) = 14 , D = [−1, +∞[.

14. (a) y 0 = 19 ;
(b) y 0 = 6x + 2;
(c) y 0 = 6x2 − 2x − 15;
(d) y 0 = 43 x3 − 6x2 − 1;
(e) y 0 = 8x(2x2 − 3);
(f) y 0 = 10x(x2 + 3)4 ;
1
(g) y 0 = − (x+3) 2;

46x
(h) y 0 = (x2 +9)2 ;
17
(i) y 0 = (3x+1)2 ;
2
(j) y 0 = 3( 2x−3
x2 −4 )
2 −2x +6x−8
(x2 −4)2 ;
2 2
(k) y 0 = 3( x 2x
−1 2 x +1
) ( 2x2 );
(l) y 0 = √ x ;
x2 +1
q
x−1 1
(m) y 0 = − 3−x (x−1)2 ;
−2
6x
(n) y 0 = 5 (x
2
+ 3) 5 ;
−2
4x
(o) y 0 = 3 (2x
2
+ 3) 3 ;

MICV 21
ISCAP Matemática I

−1 2 −1
(p) y 0 = 13 x 3 (1 + x 3 ) 2 ;
(q) y 0 = 3e3x ;
3
(r) y 0 = 3x2 ex ;
1 −1
(s) y 0 = x2 e
x ;

2
(t) y 0 = 2x2x ln(2);
2
(u) y 0 = (2x + 3)5x +3x
ln(5);
2
(v) y 0 = −4xe−x + 3x ln(3);
2 2
(w) y 0 = −x2 (2 − x)x −1
+ 2x(2 − x)x ln(2 − x);
(x) y 0 = x3 ;
10
(y) y 0 = 5x+1 ;

a1. y 0 = ln(x) + 1;
ln(x)−1
b1. y 0 = (ln(x))2 ;

c1. y 0 = 5ln(x)(5x)ln(x)−1 + x1 (5x)ln(x) ln(5x);


3(x+1)2 x3/2 −(3/2)(x+1)3 x1/2
d1. y 0 = x3 ;

e1. y 0 = a − x − 12 (a + x)(a − x)−1/2 ;
q
f1. y 0 = 1−x 1
1+x (1−x)2 ;
1
g1 y 0 = 1+ex ;
2e2x (x2 +1)−2xe2x
h1 y 0 = (x2 +1)2 ;
i1 y 0 = ex [ln(x2 ) + x2 ];
1−x
j1 y 0 = ex ;

k1 y 0 = xx (1 + ln(x));
l1 y 0 = nx( nx )nx−1 n1 + n( nx )nx ln( nx ).
x 1
15. (a) Em (1, 1) Eq. Tg.: y = −2x + 3; Eq. N.: y = 2 + 2
Em (−1, 1) Eq. Tg.: y = 2x + 3; Eq. N.: y = − x2 + 12 ;
(b) Eq. Tg.: x = 1 Eq. N.: y = 0;
(c) Eq. Tg.: y = 3x − 5 Eq. N.: y = − x3 + 53 ;
(d) Eq. Tg.: y = 4x − 4 Eq. N.: y = − x4 + 92 .

16. y = 2x + 18 .

17. (0, 1).

18. (2, 9).

19. (3, 0).

20. (a) y = 2x − 1;
(b) y = −2x − 1.

MICV 22
ISCAP Matemática I

x
21. y = 12 + 34 .

22. (a) (0, 1);


(b) y = 3x + 1;
(c) Não existe.

23. (a) −30;


(b) −20 − ∆p;
(c) −20.

24. (a) 1100;


(b) 1000 + 100∆p;
(c) 1000.

25. (a) 7;
(b) 6, 6 + 0, 2∆m;
(c) 6, 6.

26. (a) 5;
(b) 10 − ∆l;
(c) 10.

27. (a) CM g(x) = 1, 5x2 + 3;


(b) CM g(4) = 27.
200
28. (a) RM g(y) = (y+1)2 ;

(b) RM g(1) = 50.

29. (a) 1 − 8x;


(b) 8x + 3;
(c) 6x − 14;
(d) 3x2 − 4x + 3;
1300
(e) (2x+13)2 ;

(f) 2x − 1.
141
30. (a) 1 − q2 ;
300
(b) 20q + 15 − q2 .

31. (a) 12;


(b) 2.
1
32. (a) 4;
81
(b) 34 .

MICV 23
ISCAP Matemática I

4
33. 4 − 3

3
400
.
15
34. 15 + √
2 72
.
dP
35. [ dQ Q + P ] dQ
dL .

36. (a)
1 16
(b) y = 13 x + 13 .

37. (a) f (x) = 4 − x2 ;
(b)
(c) y 0 = − xy .

38. (a) y 0 = −x − y − 1;
2p
(b) y 0 = y ∧ y 6= 0;
(c) y 0 = − xy ∧ y 6= 0;
2
(d) y 0 = − ab 2xy ∧ a 6= 0 ∧ b 6= 0;
y
(e) y 0 = y−x ∧ y 6= x;
ay−x2
(f) y 0 = y 2 −ax ∧ y 2 6= ax;
2y
(g) y 0 = 3y 2 (x+y)2 +2x ∧ 3y 2 (x + y)2 + 2x 6= 0;
1−y 3
(h) y 0 = 3xy 2 +1+4y 3 ∧ 3xy 2 + 1 + 4y 3 6= 0.

39. Eq. Tg.: y = −x + 2; Eq. N.: y = x.

40.
dy b2 x
41. dx = a2 y+1 ∧ a2 y + 1 6= 0.

42. Eq. Tg.: y = 1; Eq. N.: x = 1.

43. (a)
x
(b) Eq. Tg.: y = −2x + 1; Eq. N.: y = 2 + 1.

44. Eq. Tg.: y = 1 Eq. N.: x = 0.

45. y 00 = 6x.
42 −12/5
46. y 000 = 125 x .

47. y (n) = k n ekx .


(−1)n+1 (n−1)!
48. y (n) = xn .

49. y (n) = ax lnn a.

50.
x
51. (a) P1 (x) = 2 + 21 ;

MICV 24
ISCAP Matemática I

(b) P1 (x) = 1 − x.
x2
52. (a) P2 (x) = ln(2) − 8 + 34 x − 58 ;
x2
(b) P2 (x) = 1 + x + 2 ;
2 x (x−1)2
(c) P2 (x) = 3 + 3 − 9 .

53.

54.

55.

56. (a) ;
n−1 n
(x−b)n (−1)n 2n+1
2
(b) t(x) = ln(2b+3)+ 2b+3 (x−b)+...+ (−1) 2
(2b+3)n n + (2c+3)n+1 (n+1) (x−b)
n+1
; c = b+θ(x−b);
0 < θ < 1.
2 3 4 5
57. (a) xln( x1 ) = −(x−1) − (x−1)
2! + (x−1)
3! − 2(x−1)
4! +R4 (x); R4 (x) = 6 (x−1)
c4 5! ; c = 1+ θ(x−1);
0 < θ < 1;
(−1)n 22 (x−1)n (−1)n+1 22 (x−1)n+1
(b) x2 ln(x2 ) = 2(x − 1) + 3(x − 1)2 + 23 (x − 1)3 + ... + n(n−1)(n−2) + cn+3 (n+1)n(n−1) ;
c = 1 + θ(x − 1); 0 < θ < 1;
x−1 (x−1)2 (x−1)3 (x−1)n (x−1)n+1
(c) ln(3 − x) = ln(2) − 2 − 8 − 24 − ... − 2n n − (3−c)n+1 (n+1) ; c = 1 + θ(x − 1);
0 < θ < 1;
1 (−1)n+1 (n+2)(x−1)n+1
(d) x2 = 1 − 2(x − 1) + 3(x − 1)2 − 4(x − 1)3 + ... + (−1)n (n + 1)(x − 1)n + cn+3 ;
c = 1 + θ(x − 1); 0 < θ < 1;
3 n n+1
(e) (x − 1)ex = e(x − 1) + e(x − 1)2 + e (x−1)
2! + ... + e (x−1)
(n−1)! + e
1+θ(x−1)
[n + 1 + θ(x − 1)] (x−1)
(n+1)! ;
0 < θ < 1;
2 2 2 2 2 3
(f) e−x = e−x0 − 2x0 e−x0 (x − x0 ) + (2x20 − 1)e−x0 (x − x0 )2 + (4x0 + 8x20 − 8x30 )e−x0 (x−x
3!
0)
+
2 (x−x0 )4
(4c4 − 4c3 − 8c2 + 4c + 1)e−c 3! ; c = x0 + θ(x − x0 ); θ ∈]0, 1[;
(g) x2 − x + 1 = x2 − x + 1;
n+1
(x−1)n+1
(h) 1
x = 1 − (x − 1) + (x − 1)2 − (x − 1)3 + ... + (−1)n (x − 1)n + (−1) cn+1 ; c = 1 + θ(x − 1);
θ ∈]0, 1[;
(x−1)2 (x−1)3 (x−1) n
(−1)n+1 (x−1)n+1
(i) xln(x) = (x − 1) + 2! − 3! + ... + (−1)n n(n−1) + cn n(n+1) ; c = 1 + θ(x − 1);
0 < θ < 1;
x 1 1 2 1 3 (−1)n n!+(−1)n+1 nn! (x−1)n
(j) (x+1)2 = 4 − 16 (x − 1) + 24 (x − 1) + ... + 2n+2 n! + Rn (x);
(−1)n+1 (n+1)!c+(−1)n+2 (n+1)(n+1)! (x−1)n+1
Rn (x) = (c+1)n+3 (n+1)! ; c = 1 + θ(x − 1); 0 < θ < 1;
(−1)n+1 (2c+n)
(k) x2 (x − 1)−2 = Rn (x) = (c−1)n+3 (x − 1)n+1 ;
(l) e2x = 1 + 2x + 2x2 + 43 x3 + 23 x4 + 4 2θx 5
15 e x ; θ ∈]0, 1[.
n n+1
1
58. 2ln( x−3 ) = 2(x − 4) − (x − 4)2 + ... + (−1)n−1 2 (x−4)
n
2
+ (−1)n (c−3)n+1
(x−4)
n+1 ; c = 4 + θ(x − 4)
e θ ∈]0, 1[.

59. (a) f (x) = 1 + x3 ;

MICV 25
ISCAP Matemática I

(b) não é possı́vel;


(n+1)(n+2) n (n+2)(n+3) n+1
(c) f (x) = 1 + 3x + 6x2 + ... + 2 x + 2(1−θx)n+4 x ;
2 3 n
(d) f (x) = 1 + 12 x − 14 x2 + 38 x3! + ... + (−1)n+1 21n × 3 × 5 × 7 × ... × (−2n + 3) xn! + (−1)n+2 2n+1
1
×
n+1
3 × 5 × 7 × ... × [−2(n + 1) + 3] × (−2n + 3)(θx + 1) −2(n+1)+1
2
x
(n+1)! , 0 < θ < 1.

60. (a) f (n) (x) = (−1)n+1 (n−1)!


xn ;
2 n n+1
(b) f (x) = ln(2)+ 12 (x−2)− 14 (x−2)
2! +...+(−1)n+1 21n (x−2)
n +(−1)n c1n (x−2)
n+1 ; c = 2+θ(x−2);
θ ∈]0, 1[.
2 2 4
61. f (x) = ex = 1 + x2 + e(θx) [4(θx)4 + 12(θx)3 + 3] x6 ; θ ∈]0, 1[.

62. (a) f (x) = 1 − 2x + 6x2 − 20x3 + 70(4θx + 1)−9/2 ; θ ∈]0, 1[;


(b) concavidade voltada para cima.

63. (a) (1, −1) máximo relativo;


(b) x = 1.

64. (a) f (x) = x2 + x;


(b) a função tem um mı́nimo relativo no ponto de abcissa x = − 12 .

65. A função tem um mı́nimo relativo no ponto de abcissa x = 1; tem um máximo relativo no ponto
3
de abcissa x = 5 e é crescente numa vizinhança do ponto de abcissa x = 0.

66. (a) A função tem um máximo relativo no ponto de abcissa x = 3 e um mı́nimo relativo no ponto
de abcissa x = 5;
(b) a função tem um mı́nimo relativo no ponto de abcissa x = 1;
(c) a função tem um máximo relativo no ponto de abcissa x = 0; um mı́nimo relativo no ponto
de abcissa x = 2 e é crescente numa vizinhança do ponto de abcissa x = 5;
(d) a função tem um mı́nimo relativo no ponto de abcissa x = e;
(e) a função é decrescente numa vizinhança do ponto de abcissa x = 2;
(f) a função tem um máximo relativo no ponto de abcissa x = 3/5; um mı́nimo relativo no
ponto de abcissa x = 1 e é crescente numa vizinhança do ponto de abcissa x = 0;
(g) a função é crescente numa vizinhança dos pontos de abcissa x = 2 e x = 3;
(h) a função tem um mı́nimo relativo no ponto de abcissa x = 1;
(i) a função tem um máximo relativo no ponto de abcissa x = 1 e um mı́nimo relativo no ponto
de abcissa x = 3;
(j) a função tem um máximo relativo no ponto de abcissa x = 1 e um mı́nimo relativo no ponto
de abcissa x = 5;
(k) a função tem um máximo relativo nos pontos de abcissa x = ±1 e um mı́nimo relativo no
ponto de abcissa x = 0;
(l) a função tem um máximo relativo no ponto de abcissa x = 0 e mı́nimos relativos no pontos
de abcissa x = ±2;

MICV 26
ISCAP Matemática I


(m) a função tem um mı́nimo relativo no ponto de abcissa x = 2 e um máximo relativo no

ponto de abcissa x = − 2;
(n) a função tem um mı́nimo relativo no ponto de abcissa x = − ln(2)
2 ;

(o) a função tem um máximo relativo no ponto de abcissa x = 23 .

67. (a)
(b) A função tem um mı́nimo relativo no ponto de abcissa x = − 54 e é crescente numa vizinhança
do ponto de abcissa x = 1.

68. (a) A função tem um máximo relativo no ponto de abcissa x = −3;


(b) a função tem um máximo relativo no ponto de abcissa x = −1.

69. A função f atinge um máximo relativo no ponto (0, − 12 ).

70. (a) Q = 5, 8;
(b) Q = 92 ;
q
(c) Q = 53 ;
(d) Q = 1;
q
(e) Q = 23 .

MICV 27
ISCAP Matemática I

I.2 Cálculo Integral

I.2.1 Noções de primitiva e de integral indefinido

I.2.2 Integrais imediatos

1. Calcule os integrais imediatos de cada das seguintes funções:

(a) f (x) = 5x2 + 4x + 2, x ∈ R;


(b) f (x) = 4ax3 + 4bx2 + 4c, a, b, c, x ∈ R;
2 2
(c) f (x) = (a 3 − x 3 )3 , a, x ∈ R;
√ √
(d) f (x) = ( x + 1)(x − x + 1), x ≥ 0;
(x2 +1)(x2 −2)
(e) f (x) = 2 , x 6= 0;
x3
(f) f (x) = 3x ex , x ∈ R;
(g) f (x) = e2x , x ∈ R;
2x+3
(h) f (x) = 2x+1 , x 6= − 12 (Sugestão: 2x + 3 = (2x + 1) + 2);
1
(i) f (x) = x
, x > 0;
1 √
(j) f (x) = x
+ x, x > 0;

(k) f (x) = (a + bx2 )2 , a, b, x ∈ R;


ex +e−x
(l) f (x) = 2
, x ∈ R;

(m) f (x) = 1, x ∈ R;

(n) f (x) = x5 + 1
x3
+ 4, x 6= 0;

(o) f (x) = 2x , x ∈ R;
2
(p) f (x) = 53x +2
x, x ∈ R;
3
x
(q) f (x) = x4 +1
, x ∈ R;
1
(r) f (x) = 3x−5
, x 6= 53 .

2. Determine a única função y = y(x), definida em R, tal que, y 0 = x2 e y(0) = 2.


R 1
3. (Exame de 19/7/99 ) Calcule x−2 e− x dx.

I.2.3 Integração de funções racionais

4. Calcule os integrais de cada uma das seguintes funções racionais, definidas nos respectivos domı́nios:
x5 −3x3 +3x2 −4x+6
(a) f (x) = x3 −3x+2 ;
x3 −2x2 −x+3
(b) f (x) = x2 −3x+2 ;
x−1
(c) f (x) = (x−2)2 ;
1
(d) f (t) = t2 −2t+1 ;
1
(e) f (x) = x2 −6x+5 ;

MICV 28
ISCAP Matemática I

x4
(f) f (x) = (x2 −1)(x+2) ;
1
(g) f (x) = (x−1)2 (x−2) ;
x−8
(h) f (x) = x3 −4x2 +4x ;
1
(i) f (x) = x(x2 +1) ;
x4 +2x+1
(j) f (x) = x3 −x2 −2x .
R 3x+5
5. (Exame de 19/7/99 ) Calcule (x−1)(x2 −1) dx.

4
6. É dada a função de domı́nio R\{−3, 1}, definida por g(x) = (x+1)2 −4

4 4 1 1
(a) Verifique que (x+1)2 −4 = (x+3)(x−1) = x−1 − x+3 .

(b) Aproveite a decomposição anterior para calcular o integral de g(x).

I.2.4 Integração por partes

7. Calcule, usando integração por partes, os integrais de cada uma das seguintes funções, definidas
nos respectivos domı́nios:

(a) f (x) = x2−x ;


(b) f (x) = (x2 − 2x + 5)e−x ;
(c) f (x) = x2 ex ;
(d) f (x) = 4xln(x + 3), x > −3;
(e) f (x) = xln(x), x > 0;
(f) f (x) = xex ;
(g) f (x) = ln(x), x > 0;
(h) f (x) = (ln(x))2 , x > 0;
2
(i) f (x) = x3 ex ;
(j) f (x) = x2 ln(x), x > 0;
(k) f (x) = x(ln(x))2 , x > 0;
(l) f (x) = xe2x .

8. Verifique que, para todo o número natural n ≥ 1 e todo o real s > 0:

R R
tn e−st dt = − 1s tn e−st + n
s tn−1 e−st dt.

9. (Exame de 17/7/00 ) Determine a função f : R\{0} −→ R, que verifica as condições: f 0 (x) =


1 2
2 ln(x ), f (1) = 0.

MICV 29
ISCAP Matemática I

I.2.5 Integração por substituição

10. Calcule os seguintes integrais, efectuando as substituições indicadas, considerando as funções


integrandas definidas nos respectivos domı́nios:
R x2
1
(a) 3 dx, x = t4 ;
x4+1
R √
x+ √2x+1
(b) 1+2 2x+1
dx, t2 = 2x + 1;
R x
e −1
(c) t = ex ;
ex +1 dx,
R √
(d) s3 1 + s2 ds, u = 1 + s2 ;
R 1
(e) (1+ex )2 dx, u = 1 + ex ;
R√
(f) 1 + ex dx, u2 = 1 + ex .

11. Calcule os integrais das funções que se seguem, efectuando a mudança de variável adequada:

2x
(a) f (x) = 1+x2 , x ∈ R;
1
(b) f (x) = (3x−5)8 , x ∈ R\{ 53 };

(c) f (x) = x 1 − 2x2 , x ∈ [− √12 , √12 ];
3
(d) f (x) = √x , x ∈] − 1, 1[.
1−x2

12. (Exame de 17/7/00 ) Calcule os seguintes integrais:


R 1
(a) x3 +x2 dx.
R 1
(b) ex +e2x dx, efectuando a substituição t = ex .

MISCELÂNEA DE INTEGRAIS

13. Calcule os seguintes integrais:


R 1
(a) 2x+3 dx;
R
(b) x2 ex dx;
R x2 +x+1
(c) x2 −x dx;
R x2 +3
(d) x2 −9 dx;
R√
(e) 1 + ex dx, substituição 1 + ex = u2 ;
R 3
(f) (x + x−2 )dx;
R 2x+3
(g) x+1 dx;
R 2
(h) xe−x dx;
R 1
(i) x2 −x−2 dx;
R 2x−3
(j) (x−1)3 dx;
R
(k) x(ln(x))2 dx;
R x2
(l) x+1 dx;

MICV 30
ISCAP Matemática I

R
(m) xdx;
R 2
(n) (x+2)(x−1)2 dx;
R x4 +x+1
(o) x3 −x dx;
R √
(p) x2 x − 1dx, substituição u = x − 1;
R 2
(q) x3 ex dx;
R x+3
(r) x3 −2x2 −x+2 dx;
R 1√
(s) 1+ x
dx, substituição u2 = x;
R x5 +3
(t) x3 −4x dx;
R 1
(u) x(ln(x))2 dx;
R x+2
(v) (x+1)5 dx, substituição t = x + 1.

14. Encontre uma equação da curva y = f (x), sabendo que o declive da recta tangente ao gráfico da
função, em qualquer dos seus pontos é igual a e2x e que passa pelo ponto (0, 1).

15. Determine f (x), com x > 0, tal que f 0 (x) = x + √1 e f (1) = 0.


x

I.2.6 Noção de integral definido

16. Calcule os seguintes integrais definidos:


R2
(a) −1
x2 dx;
R 1
(b) 0
3
e3x dx;
R2
(c) 1
xdx;
R1 3
(d) 0
(x − 4x2 + 1)dx;
R 2 −x2 +1
(e) 1
xe dx;
R1 x
(f) 0 x2 +1
dx;
R1
(g) √ dy ;
0 3y+1
R0 2
(h) −3
(x − 4x + 7)dx;
R2
(i) 1
xln(x)dx;
R9 √
(j) 4
2t tdt.

I.2.7 Cálculo de áreas

17. Calcule a área limitada por y = x2 e y = x.

18. Calcule a área limitada pelo eixo dos xx e pela curva

(a) y = 4 − x2 ;
(b) y = x2 − 4.

MICV 31
ISCAP Matemática I

19. Calcule a área limitada por:

(a) y = x2 e y = x + 2;
(b) y = x2 − 1 e y = x + 1.

20. Calcule cada uma das seguintes áreas a sombreado:

(a) (b)

(c) (d) (e)

y
y

y=x2

y=x y=x(x-2)2

y= x

O x O x
(f) (g)

MICV 32
ISCAP Matemática I

21. (Exame de 15/6/00 ) Qual o valor da área do domı́nio plano definido por: x = 0, x = 1, y = 2 e
y = x2 ?

22. (Exame de 19/9/00 ) Sabendo que a área assinalada na figura dada, entre a recta horizontal e a
parábola, é igual a 1u.a., encontre o valor de w ∈ R.

I.2.8 Aplicações

23. (Exame de 12/7/04 ) Mostre que o excedente do produtor é metade do excedente do consumidor,
sabendo que a função da oferta é o(x) = x2 e a função da procura é p(x) = (x − 8)2 , para x < 8.

24. (Exame de 20/6/05 ) Qual o excedente do consumidor, no ponto (10, 4), se a curva da procura é
p(x) = 404 − 4x2 ?

25. (Exame de 6/9/05 ) Descubra o excedente do produtor, sabendo que o ponto de equilı́brio (2, 10),
se a curva da oferta é o(x) = x2 + 2x + 6.
Rk
26. (Exame de 19/9/00 ) Encontre o valor do número real k de tal forma que 0
(x − 1)dx = − 12 .

27. O depósito de combustı́vel de um automóvel, após um acidente, apresentou uma perfuração que
o fez derramar combustı́vel a uma taxa de 0, 2t + 0, 1 litros por hora.

(a) Quantos litros de combustı́vel foram derramados nas primeiras três horas após o acidente?
(b) Supondo que, quando se deu o acidente o automóvel tinha no depósito 25 litros de com-
bustı́vel, ao fim de quanto tempo é que o depósito estava completamente vazio?

28. A expressão CT (u), representa a função custo total semanal de uma determinada empresa decor-
rente da produção de u unidades. Conhecendo a função custo marginal dessa mesma empresa
que é dada por CM g(u) = 2u2 − 3u + 2500 e os custos fixos (CF = 1000 euros), indique a função
custo total.

MICV 33
ISCAP Matemática I

29. O custo marginal de um dado produto é fornecido pela expressão CM g(x) = 1, 5x2 + 3. Sabendo
que, actualmente, estão a ser produzidas duas unidades desse produto, qual será o custo total da
produção de mais 3 unidades?
dRT
30. RT 0 (x) = dx = 4 − x + 3x2 , representa a receita marginal na venda de determinado bem, x.
Calcule a receita total (RT ) proveniente do aumento da vendas de quatro para cinco unidades.

31. O gerente de uma confeitaria prevê que a confecção de um novo tipo de bolo de aniversário trará
um custo de CT (x) = 2x + 15. Calcule o custo médio, CM e, proveniente da confecção das
primeiras 10 unidades.

32. Sabendo que o stock de um determinado tipo de electrodoméstico no armazém dum hipermercado,
após s meses, é dado por T (s) = 14 + 20s − s2 , onde 1 ≤ s ≤ 12. Calcule o stock médio, T M e,
durante o primeiro mês.

33. (Exame de 28/6/04 ) Determine o volume, V , do sólido de revolução gerado pela rotação em torno

do eixo OX da região da curva f (x) = 4 − x2 , para a = −2 e b = 2.

34. (Exame de 12/7/04 ) Qual o volume, V , do sólido de revolução gerado pela rotação em torno do
eixo OX da região da curva f (x) = x + 2, para a = −2 e b = 2.

I.2.9 Integrais impróprios

35. Classifique cada um dos seguintes integrais impróprios:


R0
(a) −∞
e2x dx;
R +∞ 50
(b) 1 x(x+1) dx;
R +∞ 1
(c) 1 4x2 dx;
R +∞ 1
(d) 1 xp dx;
R +∞ 1
(e) 3 x2 −1 dx.

36. (Exame de 19/9/00 ) Calcule os seguintes integrais, sendo x 6= 0:


R 1
(a) x3 +x dx.
R +∞
(b) 1
( x1 − x
x2 +1 )dx.

MICV 34
ISCAP Matemática I

Soluções dos Exercı́cios de Cálculo Integral


5 3
1. (a) 3x + 2x2 + 2x + C, C ∈ R

(b) ax4 + 43 bx3 + 4cx + K, K ∈ R

4 5 2 7 x3
(c) a2 x − 95 a 3 x 3 + 97 a 3 x 3 − 3 + C, C ∈ R

2 52
(d) 5x + x + C, C ∈ R

3 13 7 1
(e) 13 x
3 − 37 x 3 − 6x 3 + C, C ∈ R

(3e)x
(f) 1+ln(3) + C, C ∈ R

1 2x
(g) 2e + C, C ∈ R

(h) x + ln|2x + 1| + C, C ∈ R

(i) ln(x) + C, C ∈ R

3
(j) ln(x) + 23 x 2 + C, C ∈ R

2abx3 b2 x5
(k) a2 x + 3 + 5 + C, C ∈ R

1 x
(l) 2e − 12 e−x + C, C ∈ R

(m) x + C, C ∈ R

1 6 1
(n) 6x − 2x2 + 4x + C, C ∈ R

2x
(o) ln(2) + C, C ∈ R

2
1 53x +2
(p) 6 ln5 + C, C ∈ R

1 4
(q) 4 ln(x + 1) + C, C ∈ R

1
(r) 3 ln|3x − 5| + C, C ∈ R
x3
2. y(x) = 3 +2

MICV 35
ISCAP Matemática I

1
3. e− x + C, C ∈ R
2
x3
4. (a) 3 − 1
x−1 + ln( (x+2)
|x−1| ) + C, C ∈ R

x2
(b) 2 + x + ln |x−2|
|x−1| + C, C ∈ R

1
(c) ln|x − 2| − x−2 + C, C ∈ R

1
(d) 1−t + C, C ∈ R

1
(e) 4 ln|x − 5| − 14 ln|x − 1| + C, C ∈ R

x2
(f) 2 − 2x + 16 ln|x − 1| − 12 ln|x + 1| + 16
3 ln|x + 2| + C, C ∈ R

1
(g) −ln|x − 1| + x−1 + ln|x − 2| + C, C ∈ R

3
(h) x−2 + 2ln|x − 2| − 2ln|x| + C, C ∈ R

(i) ln|x| − 12 ln(x2 + 1) + C, C ∈ R

2
(j) x2 + x − 12 ln|x| + 21
6 ln|x − 2| + C, C ∈ R
q
x+1 4
5. ln | x−1 | − x−1 + C, C ∈ R

6. (b) ln |x−1|
|x+3| + C, C ∈ R
−x
2 1
7. (a) − ln(2) (x + ln(2) ) + C, C ∈ R

(b) −(x2 + 5)e−x + C, C ∈ R

(c) (x2 − 2x + 2)ex + C, C ∈ R

(d) 2(x2 − 9)ln|x + 3| − x(x − 6) + C, C ∈ R

x2
(e) 2 lnx − 41 x2 + C, C ∈ R

(f) ex (x − 1) + C, C ∈ R

(g) x(lnx − 1) + C, C ∈ R

MICV 36
ISCAP Matemática I

(h) xln2 x − 2xln(x) + 2x + C, C ∈ R

x2 x2 2
(i) 2 e − 12 ex + C, C ∈ R

x3
(j) 3 lnx − 91 x3 + C, C ∈ R

x2 2 x2
(k) 2 (ln x − lnx) + 4 + C, C ∈ R

x 2x
(l) 2e − 14 e2x + C, C ∈ R

8.

9. f (x) = x2 ln(x2 ) − x + 1
4 3/4
10. (a) 3 (x − ln|x3/4 + 1|) + C, C ∈ R

(2x+1)3/2 3(2x+1) 7 7
(b) 12 + 16 − 16 (2x + 1)1/2 + 32 ln|4(2x + 1)1/2 + 2| + C, C ∈ R

x
+1)2
(c) ln (e ex + C, C ∈ R

1
(d) 5 (1 + s2 )5/2 − 13 (1 + s2 )3/2 + C, C ∈ R

x
1 e
(e) 1+ex + ln| 1+ex | + C, C ∈ R

√ √
(f) 2(1 + ex )1/2 + ln| 1 + ex − 1| − ln| 1 + ex + 1| + C, C ∈ R

11. (a) ln(1 + x2 ) + C, C ∈ R

1
(b) − 21(3x−5)7 + C, C ∈ R

(c) − 16 (1 − 2x2 )3/2 + C, C ∈ R

(1−x2 )3/2
(d) −(1 − x2 )1/2 + 3 + C, C ∈ R (Substituição: t2 = 1 − x2 )

12. (a) ln| x+1


x |−
1
x + C, C ∈ R

x
(b) ln( e e+1
x ) − e
−x
+ C, C ∈ R
1
13. (a) 2 ln|2x + 3| + C, C ∈ R

(b) ex (x2 − 2x + 2) + C, C ∈ R

MICV 37
ISCAP Matemática I

(c) x − ln|x| + 3ln|x − 1| + C, C ∈ R

(d) x + 2ln|x − 3| − 2ln|x + 3| + C, C ∈ R

√ √
(e) 2(1 + ex )1/2 + ln| 1 + ex − 1| − ln| 1 + ex + 1| + C, C ∈ R

x2
(f) 2 + 3ln|x − 2| + C, C ∈ R
(g) 2x + ln|x + 1| + C, C ∈ R

2
−e−x
(h) 2 + C, C ∈ R

1
(i) 3 ln|x − 2| − 13 ln|x + 1| + C, C ∈ R

2 1
(j) − x−1 + 2(x−1)2 + C, C ∈ R

x2
(k) 2 [(ln(x))
2
− ln(x) + 21 ] + C, C ∈ R

x2
(l) 2 − x + ln|x + 1| + C, C ∈ R

x2
(m) 2 + C, C ∈ R

2
(n) 9 ln|x + 2| − 29 ln|x − 1| − 2
3(x−1) + C, C ∈ R

x2
(o) 2 − ln|x| + 21 ln|x + 1| + 32 ln|x − 1| + C, C ∈ R

2
(p) 7 (x − 1)7/2 + 45 (x − 1)5/2 + 23 (x − 1)3/2 + C, C ∈ R

1 x2 2
(q) 2 e (x − 1) + C, C ∈ R

(r) −2ln|x − 1| + 13 ln|x + 1| + 53 ln|x − 2| + C, C ∈ R

√ √
(s) 2[ x − ln( x + 1)] + C, C ∈ R

x3
(t) 3 + 4x − 34 ln|x| + 35
8 ln|x − 2| − 29
8 ln|x + 2| + C, C ∈ R

1
(u) − ln(x) + C, C ∈ R

1 1
(v) − 3(x+1)3 − 4(x+1)4 + C, C ∈ R

MICV 38
ISCAP Matemática I

e2x 1
14. y = f (x) = 2 + 2

x2 √ 5
15. f (x) = 2 +2 x− 2

16. (a) 3

1
(b) 3 (e − 1)

3
(c) 2
1
(d) − 12

(e) − 12 e−3 + 1
2

1
(f) 2 ln(2)

2
(g) 3

(h) 48

3
(i) 2ln(2) − 4

844
(j) 5

1
17. 6 u.a.

32
18. (a) 3 u.a.

32
(b) 3 u.a.

9
19. (a) 2 u.a.

19
(b) 3 u.a.

9
20. (a) 2 u.a.

11
(b) 2 u.a.

(c) 12u.a.

16
(d) 3 u.a.

MICV 39
ISCAP Matemática I

32
(e) 3 u.a.

37
(f) 12 u.a.

1
(g) 3 u.a.

5
21. 3 u.a.
q
3
22. w = 3
2

27 26
23. E.P. = 3 u.m.; E.C. = 3 u.m.
8000
24. E.C. = 3 u.m.
44
25. E.P. = 3 u.m.

26. k = 1

27. (a) 1, 2 litros

(b) 15, 3 horas (aprox.)

28. CT (u) = 23 u3 − 32 u2 + 2500u + 1000

29. 67, 5 u.m.

30. 60, 5 u.m.

31. 25 u.m.
125
32. 3 unidades
32
33. 3 π u.v.
43
34. 3 π u.v.
1
35. (a) Convergente 2

(b) Convergente 50ln(2)

1
(c) Convergente 4

1
(d) Convergente p−1 , se p > 1 e Divergente se p ≤ 1

(e) Convergente 12 ln(2)

36. (a) ln|x| − 12 ln(x2 + 1) + C, C ∈ R



(b) ln 2.

MICV 40
ISCAP Matemática I

II. Funções de Várias Variáveis

I.3 Cálculo Diferencial

I.3.1 Definição e domı́nio de uma função


1. Defina o domı́nio da cada uma das funções dadas e encontre o valor da função nos pontos indicados.

(a) z = f (x, y) = x − 3x2 y + 4xy 2 − 10y em f (1, −1); f (−2, 1); f (0, 4) e f (−3, 0);
(b) z = f (x1 , x2 ) = −3x1 ex1 +x2 em f (1, −1); f (−1, 1) e f (0, 0);
(c) z = f (w, t) = ln(3w − 2t) em f (0, − 12 ); f (1, 1) e f ( 13 , 0);
3xy
(d) z = f (x, y) = x−y em f (2, 1); f (0, −1) e f (−1, 1);

(e) z = f (y, w) = y − w em f (0, 0); f (5, 1) e f (2, 1).

I.3.2 Derivadas parciais


2. Calcule as derivadas parciais de cada uma das funções dadas em ordem a cada uma das variáveis
independentes:

(a) z = f (x, y) = 3x4 y 7 ;


(b) z = f (x, y) = 5x6 + 7x2 y 3 − 3xy 2 + 9y 5 ;
(c) z = f (x, y, t) = 4x3 y 5 t7 ;
(d) z = f (x, y, w) = 3x4 − 3x2 y + 2xy 3 − 4x3 w + 3yw3 ;
(e) z = f (x, y) = 3x2 y(4x3 − 7y);
(f) z = f (w, t) = −3wt(w2 − t4 );
x−y 2 2
(g) z = f (x, y) = x2 +y 2 , x + y 6= 0;
xy
(h) z = f (x, y) = x+y , x + y 6= 0;

3
(i) z = f (x, w) = x2 − w3 ;
(j) z = f (y, t) = 3e−ty ;
(k) z = f (w, t) = 2wew−t ;
(l) z = f (x, y) = ln(xy), xy > 0;
(m) z = f (y, t) = ln(3y − 2t), 3y − 2t > 0.

3. Indique, em cada uma das situações que se seguem, as derivadas parciais indicadas:

(a) z = x3 + x2 y 2 − y 3
∂2z ∂2z ∂2z ∂2z
∂x2 ; ∂x∂y ; ∂y∂x ; ∂y 2 .
(b) z = (x + y)e−x
∂2z ∂2z ∂2z
∂x2 ; ∂x∂y ; ∂y 2 .
(c) z = ln|3x − 2y|
∂2z ∂3z ∂3z
∂x2 ; ∂x3 ; ∂x2 ∂y .
y
(d) z = 2x−y
2
∂ z ∂2z
∂x2 ; ∂x∂y .

MICV 41
ISCAP Matemática I

4. Mostre que:
y
(a) se z = e x , então xzx = −yzy ;
∂z ∂z
(b) se z = x2 + y 2 , então x ∂x + y ∂y = 2z;
∂2z ∂2z
(c) se z = ekx+wt , então ∂t2 − ∂x2 = 0 desde que k = ±w.
Aplicações
5. Uma empresa fabrica dois produtos: X e Y. Os custos unitários de material e mão-de-obra são 3
euros para o produto X e 10 euros para o produto Y. A empresa tem custos fixos mensais de 2000
euros. Defina o custo mensal (em euros) como função das unidades fabricadas dos dois produtos,
X e Y. Qual seria o custo total mensal de fabricar 150 unidades de cada um dos produtos?
6. A empresa de cassetes de vı́deo ”VK”produz cassetes de 90 de 240 minutos. O custo unitário de
uma cassete de 90 minutos (incluindo material e mão-de-obra) é de 20 cêntimos enquanto que o
de uma cassete de 240 minutos é de 30 cêntimos. A empresa ”VK”tem custos fixos semanais de
1000 euros.

(a) Escreva a função custo semanal C (em euros) como uma função dos dois tipos de cassetes
produzidas.
(b) Determine o custo total de produzir 1000 cassetes vı́deo de 90 minutos e 2000 de 240 minutos.
(c) A empresa ”VK”vende as cassetes de 90 minutos a 50 cêntimos e as de 240 minutos a
75 cêntimos cada. Encontre o lucro semanal como uma função do número de unidades
produzidas e vendidas semanalmente.

MICV 42
ISCAP Matemática I

Soluções
1. (a) Df = R2 ; f (1, −1) = 18; f (−2, 1) = −32; f (0, 4) = −40 e f (−3, 0) = −3;
(b) Df = R2 ; f (1, −1) = −3; f (−1, 1) = 3 e f (0, 0) = 0;
(c) Df = {(w, t) : 3w − 2t > 0}; f (0, − 12 ) = 0; f (1, 1) = 0 e f ( 13 , 0) = 0;
(d) Df = {(x, y) : x − y 6= 0}; f (2, 1) = 6; f (0, −1) = 0 e f (−1, 1) = 32 ;
(e) Df = {(y, w) : y − w ≥ 0}; f (0, 0) = 0; f (5, 1) = 2 e f (2, 1) = 1.
∂z ∂z
2. (a) ∂x = 12x3 y 7 ; ∂y = 21x4 y 6 ;
∂z ∂z
(b) ∂x = 30x5 + 14xy 3 − 3y 2 ; ∂y = 21x2 y 2 − 6xy + 45y 4 ;
∂z ∂z ∂z
(c) ∂x = 12x2 y 5 t7 ; ∂y = 20x3 y 4 t7 ; ∂t = 28x3 y 5 t6 ;
∂z ∂z ∂z
(d) ∂x = 12x3 − 6xy + 2y 3 − 12x2 w; ∂y = −3x2 + 6xy 2 + 3w3 ; ∂w = −4x3 + 9yw2 ;
∂z ∂z
(e) ∂x = 60x4 y − 42xy 2 ; ∂y = −42x2 y + 12x5 ;
∂z ∂z
(f) ∂w = −9w2 t + 3t5 ; ∂t = −3w3 + 15wt4 ;
∂z −x2 +y 2 +2xy ∂z −x2 +y 2 −2xy
(g) ∂x = (x2 +y 2 )2 ; ∂y = (x2 +y 2 )2 ;
∂z y2 ∂z x2
(h) ∂x = (x+y)2 ; ∂y = (x+y)2 ;
∂z 2x −w2
(i) ∂x = √ ; ∂z = √ ;
3
3 (x2 −w3 )2 ∂w 3
(x2 −w3 )2
∂z ∂z
(j) ∂y = −3te−ty ; ∂t = −3ye−ty ;
∂z ∂z
(k) ∂w = (2 + 2w)ew−t ; ∂t = −2wew−t ;
∂z
(l) ∂x = x1 ; ∂z
∂y = y1 ;
∂z 3 ∂z −2
(m) ∂y = 3y−2t ; ∂t = 3y−2t .

3. (a) 6x + 2y 2 ; 4xy; 4xy e 2x2 − 6y;


(b) (x + y − 2)e−x ; −e−x e 0;
9 54 36
(c) − (3x−2y)2; (3x−2y)3 e − (3x−2y)3;

8y −4x−2y
(d) (2x−y)3 e (2x−y)3 .

4.
5. C(x, y) = 3x + 10y + 2000; 3950 euros.
6. (a) C(x1 , x2 ) = 0, 2x1 + 0, 3x2 + 1000;
(b) 1800 euros;
(c) Π(x1 , x2 ) = 0, 3x1 + 0, 45x2 − 1000.

MICV 43
ISCAP Matemática I

I.4 Cálculo Integral

I.4.1 Integrais duplos


1. Mostre que:
R2R1
(a) 0 0 (x2 + 2y)dxdy = 14 3 ;
R 4 R 2 dy
(b) 3 1 (x+y)2 dx = ln( 25
24 );
R3 R5
(c) −3 y2 −4 (x + 2y)dxdy = 2525 ;
R 2 R x x2
(d) 1 1 y2 dydx = 49 .
x

2. Calcule o valor representado pelos seguintes integrais:


R1R1
(a) 0 0 (x2 + y 2 )dxdy;
R1Ry 2
(b) 0 0 e−y dxdy;
R1Rx
(c) 0 −x xy 2 dydx;
R1 Ry
(d) −1 y 3x2 ydxdy;
2
R 1 R x2
(e) −1 x (3x − 4y)dydx;
R1R3
(f) 0 y y(−4ex−3y )dxdy.
RR
3. Calcule R
(x + y)dxdy, onde R é a região de integração definida por: 1 ≤ x ≤ 2, 0 ≤ y ≤ 1.
4. Seja
R R A a região de integração dada por 1 ≤ x ≤ 2, 0 ≤ y ≤ 1. Indique o valor representado por
A
f (x, y)dxdy, sendo f (x, y), definida por:

(a) x + y;
(b) 1;
(c) yexy ;
(d) x − y;
1
(e) x+y ;
1
(f) (x+y)2 .

5. Calcule:
R1 R2
(a) −1 0 xy 2 dxdy;
R2R1
(b) 0 −1 xy 2 dydx.

6. Sejam f (x) e g(x) funções contı́nuas, definidas, respectivamente, nos intervalos [a, b] e [c, d]. Prove
que:
RR Rb Rd
B
f (x)g(y)dxdy = a
f (x)dx c
g(y)dy

onde B é a região de integração definida por: a ≤ x ≤ b e c ≤ y ≤ d.

MICV 44
ISCAP Matemática I

Soluções

1.
2
2. (a) 3;
1 −1
(b) 2 (1 − e );
2
(c) 15 ;
7
(d) 20 ;
(e) − 22
15 ;
1 4 3 −2
(f) 9 − 9 e − 3e .
3. 2.
4
√ √
4. (a) 15 (9 3 − 8 2 + 1);
(b) 1;
1 2
(c) 2e − e + 12 ;
(d) 1;
(e) ln( 27
16 );
(f) ln( 43 ).
4
5. (a) 3;
4
(b) 3.

MICV 45