Vous êtes sur la page 1sur 8

ATENÇÃO TRABALHADORES:

Saiba como evitar o acidente com Material Biológico,


Caso aconteça saiba o que fazer
INTRODUÇÃO:
Esta cartilha visa orientar os profissionais que estão expostos aos acidentes por
material biológico com risco de soroconversão (HIV, HBVe HCV), estabelecendo
conduta de atendimento inicial, orientação e seguimento dos trabalhadores
acidentados, uso de quimioprofilaxia (medicação preventiva) e notificação de casos.

OBJETIVOS:
Prevenir acidentes com risco biológico;
Informar os profissionais quanto ao fluxo a seguir após um acidente;
Sensibilizar os profissionais para que façam o acompanhamento por no
mínimo seis meses;
Estimular a notificação no SINAN para obtenção de dados para
direcionamento das ações de vigilância.

PUBLICO ALVO:
Todos os profissionais e trabalhadores que atuam, direta ou indiretamente, em
atividades onde há risco de exposição ao sangue e a outros materiais biológicos,
incluindo aqueles profissionais que prestam assistência domiciliar e atendimento
pré-hospitalar (ex. bombeiros, socorristas,entre outros)

EPIDEMIOLOGIA:
O risco ocupacional após exposições a materiais biológicos é variável e depende do
tipo de acidente e de outros fatores, como gravidade, tamanho da lesão, presença e
volume de sangue envolvido, além das condições clínicas do paciente-fonte e uso
correto da profilaxia pós- exposição.
No caso de exposição ocupacional ao vírus da hepatite B (HBV), o risco de infecção
varia de 6 a 30%, podendo chegar até a 60%, dependendo do estado do paciente-
fonte e entre outros fatores. O risco de transmissão ocupacional ao vírus da hepatite
C (HCV), após um acidente percutâneo (através da pele) com paciente-fonte HCV
positivo é baixo, de aproximadamente 1,8% (variando de 0 a 7%). O risco de
infecção por HIV pós-exposição ocupacional percutânea com sangue contaminado
é de aproximadamente 0,3% e, após exposição de mucosa (membrana que reveste
certas cavidades do corpo humano e segrega muco) de aproximadamente 0,09%.

1
E O QUE É UM ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO NO TRABALHO?
O Acidente com Material Biológico é aquele que ocorre com objeto pérfurocortante
propriamente dito (agulhas contaminadas, lâminas de bisturis, pedaços de vidros
contaminados, etc.) ou contato de mucosa, pele não íntegra com sangue, tecido ou
fluido corpóreo potencialmente infectante.

EVITE O ACIDENTE
A medida principal e mais eficaz para evitar a transmissão do vírus da AIDS, da
hepatite B e C é a prevenção da exposição ao sangue ou a outros materiais bio-
lógicos. Portanto, medidas de proteção individual (luvas, óculos de proteção, botas)
e coletiva (caixa de descarte adequado, treinamentos) são fundamentais e devem
ser seguidas na rotina de trabalho.

EM CASO DE ACIDENTE, O QUE FAZER?


Em Betim, a assistência especializada é disponibilizada para toda pessoa que se
acidentar com material biológico, seja em serviço publico ou privado ou a
comunidade em geral.

Os acidentes com sangue e fluidos potencialmente contaminados devem ser


tratados como casos de emergência médica, uma vez que as intervenções
(medicamentos) para a prevenção da infecção pelo HIV e hepatite B necessitam ser
iniciadas logo após a ocorrência do acidente, para a sua maior eficácia.

As ações para Atendimento às Vítimas de Acidente com Material Biológico


devem ser de conhecimento de todos os trabalhadores expostos ao risco e deverão
ser seguidas em caso de acidentes, conforme fluxo de atendimento abaixo:

2
PASSO A PASSO APÓS O ACIDENTE PARA TODOS OS TRABALHADORES:

Local de trabalho:
1. Lavar o local com água e sabão e usar álcool 70 %. Se for mucosa, lavar com
água ou soro fisiológico conforme o local atingido;
2. Procurar o enfermeiro ou um responsável para investigar situação vacinal e
sorológica do paciente fonte e do acidentado;
3. Preencher a CAT (o campo reservado para informações sobre o atendimento
deverá ser preenchido pelo medico que prestar o atendimento) e a ficha de
investigação de Acidentes de Trabalho com Exposição à Material Biológico
(solicitar almoxarifado);
4. Encaminhar o acidentado para a UAI de referencia (Quadro 1). Providenciar
transporte e acompanhante para dar apoio ao acidentado.
5. Fazer uma guia de referência e contrareferência.

UAI de referência
1. Atendimento de urgência;
2. Realização de exame do paciente fonte (teste rápido para HIV) e
encaminhamento dos exames do paciente acidentado;
3. Dispensação de medicação antirretroviral, quando indicada, até a consulta com
o infectologista;
4. Procurar assistente social da UAI para marcar consulta no SEPADI/Divino
Braga onde o acidentado fará acompanhamento;
5. Preencher a ficha de investigação de Acidentes de Trabalho com Exposição à
Material Biológico (solicitar almoxarifado) caso não tenha sido preenchida pelo
local de trabalho;

SEPADI
1. Atendimento, acompanhamento, alta e encerramento do caso;
2. Preencher a ficha de investigação de Acidentes de Trabalho com Exposição à
Material Biológico (solicitar almoxarifado) caso não tenha sido preenchida pelo
local de trabalho e pela UAI de referência;

OBS: ATENÇÃO AO PREENCHIMENTO DOS DADOS DO LOCAL DE TRABALHO


E LOCAL DO ACIDENTE.

 O trabalhador que se acidentar deverá comunicar o fato ao seu Gerente ou ao


responsável pelo setor ou Unidade no momento do acidente, para que o fluxo
de atendimento possa ser seguido;
 A Comunicação de Acidente de Trabalho - CAT – para o servidor público
deverá ser emitida pela unidade de lotação do acidentado. O traballhador
acidentado deverá levar a CAT para o medico que o atenderá no Serviço de
urgência para preencher o campo médico. A CAT de funcionários estatutários
do SUS deverá ser emitida em 4 vias: SESMT, trabalhador, unidade de
saúde, sindicato da categoria. Os demais trabalhadores em 6 vias: INSS,
empresa, trabalhador, unidade de saúde, Gerência Regional do Trabalho e
sindicato da categoria

3
Fluxo de atendimento para a pessoa acidentada no SUS Betim

Acidente com Material


Biológico

Se trabalhador
formal: emitir a
CAT
Unidade onde ocorreu o acidente: no 1º atendimento
Para todos os
verificar a situação vacinal para hepatite B e difteria e
tétano(dT) do acidentado e do paciente-fonte. acidentes: preencher
a ficha de
notificação/
investigação do
SINAN

Acidente com paciente Acidente com paciente


conhecido desconhecido

Colher amostra de sangue


do paciente-fonte mediante
autorização (modelo em
anexo)

Encaminhar o acidentado para as UAI´s Teresópolis ou


Sete de Setembro (de acordo com área de adscrição)

UAI´S Teresópolis e Sete de Laboratório das Uai´s


Setembro: realizar o 1º Teresópolis e Sete de
atendimento médico do Setembro: coletar exames do
acidentado para avaliar as acidentado e fonte. Realizar teste
características do acidente. rápido para HIV da fonte.
Indicar a medicação profilática, se Encaminhar demais exames para
necessário. o Laboratório Central do HPRB.

Serviço Social das UAI´s


Teresópolis e Sete de Setembro:
agendar a consulta com
infectologista do SEPADI.

SEPADI: acompanhar o
acidentado e encaminhar para
Certificar Notificação no SINAN:
SESMT ou CEREST. UNIDADE SENTINELA
4
RISCOS BIOLÓGICOS NO AMBIENTE DE TRABALHO

VOCÊ CONHECE TODOS OS RISCOS A QUE ESTÁ EXPOSTO NO SEU AMBIENTE DE TRABALHO?
NEM TODOS OS RISCOS PODEM SER CHEIRADOS, TOCADOS OU VISTOS PRINCIPALMENTE OS
BIOLÓGICOS.

Conheça as Medidas de proteção que devem ser utilizadas para evitar


acidentes nos estabelecimentos de saúde:

1- Não retirar, dobrar ou reencapar agulha já utilizada em procedimentos.


2- Tomar o máximo de cuidado e atenção com material perfurocortante como
lâminas, vidros, agulhas, entre outros, descartando em recipiente adequado.
3- Nunca fixar material pérfurocortante em suporte de soro ou colchões.
4- Separar materiais pérfurocortantes dos campos e roupas utilizadas e
procedimentos invasivos e jamais colocar os mesmos no lixo comum.
5- Lavar as mãos após a realização de procedimentos que envolvem presença de
sangue, fluídos corpóreos, secreções e itens contaminados por estes, ou após a
retirada das luvas; antes e após contato com cada paciente.
6- Utilizar luvas protetoras descartáveis quando o procedimento ou situação
envolver a possibilidade de contato com material biológico potencialmente
infectante ( por exemplo: sangue, liquor, sêmen, secreção vaginal, membranas
mucosas, pele não íntegra e qualquer objeto que possa ser contaminado) as
luvas devem ser trocadas entre um paciente e outro, e após a lavagem das
mãos. Objetos de uso comum como maçanetas, telefones, etc. Não devem ser
tocados com mãos vestindo luvas já utilizadas.
7- Utilizar máscaras, óculos protetor e protetor de face nas situações em que possa
ocorrer contato através de respingos ou esguicho de sangue e secreções.
8- Utilizar avental indicado para cada situação, para proteger vestimentas e
superfícies corporais, sempre que houver possibilidade de ocorrer contaminação
por material biológico potencialmente infectante. O tecido do material deve se
adequar à atividade que será exercida.
9- Os equipamentos de cuidados ao paciente devem ser manuseados com
proteção, sempre que tiverem sido usados. Assegurar-se de que os itens de uso
único sejam descartados em local adequado.
10- Seguir adequadamente e garantir que todos sigam as rotinas de limpeza e
desinfecção de superfícies, equipamentos, instrumentos e outros.

5
11- Cuidado ao manusear, transportar e processar roupas de cama, toalhas,
compressas e campos, etc., usados conforme rotina que garanta a proteção da
pele e mucosas de quem execute essas atividades, independente de haver ou
não material biológico visível nas peças.
12- Cuidados pessoais como: alimentar-se em local adequado, separado do
ambiente de trabalho, evitar uso de acessórios como braceletes, anéis, brincos
de pingente, as unhas devem ser mantidas curtas e limpas. Cabelos compridos
devem ser mantidos presos durante o contato com pacientes ou manuseio de
material potencialmente contaminado. A utilização de aventais protetores deve
restringir-se aos ambientes em que são necessários.

6
INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

Unidades de Atendimento Médico: responsáveis pelo atendimento médico, so-


licitação de exames e prescrição de quimioprofilaxia, quando necessário:

Quadro 1. Unidades de abrangência das UAI´s para atendimento médico


Unidades de abrangência da UAI Sete Unidades de abrangência da UAI
de Setembro Teresópolis
(Tel:3531-3930/ 3511-8538) (Tel:3597-8274/ 3591-3885)
CERESP Betim CERSAM PTB
CEREST CERSAM Teresópolis
CERSAM Betim Central UAI Guanabara
CERSAM Citrolândia UBS Alvorada / Novo Amazonas
CERSAMI UBS Campos Elíseos / Cruzeiro
Divino Braga UBS Capelinha / CAIC
Hospital Orestes Diniz UBS Guanabara / Kennedy
UAI Alterosas UBS Imbiruçu
UBS Alcides Brás UBS Laranjeiras
UBS Angola UBS Nova Baden
UBS Antonio José Salomão UBS Novo Amazonas / Boa Esperança
UBS Bandeirinhas UBS Paulo Camilo
UBS Bueno Franco UBS Petrovale
UBS Cachoeira UBS PTB
UBS Cidade Verde UBS Teresópolis
UBS Citrolândia UBS Universal / Granja Verde
UBS Colônia Santa Isabel UBS Vila Cristina
UBS Cruzeiro do Sul / Itacolomy
UBS Dom Bosco OBS.: As Unidades de Saúde da Rede
UBS Homero Gil Privada devem encaminhar para a UAI
UBS Icaivera mais próxima:
UBS Jd. Alterosas 1. Sete de Setembro:
UBS Jd. Petrópolis Av. Bandeirantes, 97 – Chácara,
UBS Marimba ou;
UBS Nossa Senhora de Fátima 2. UAI Teresópolis:
UBS Parque do Cedro Av. Belo Horizonte, 154 - Jardim
UBS Trincheira Teresópolis
UBS Vianópolis

As instituições:

 Hospital Público Regional de Betim:


São responsáveis pelo primeiro
Av. Edméia Matos Lazzarotti, 3.800, atendimento dos funcionários
Ingá. Tels: Diretoria Geral: 3539-8100 e acidentados dentro destas
instituições, independente do
Laboratório Central: 3539-8197
vínculo empregatício.

 Maternidade Pública de Betim:


R. Gaturama, 180, Jardim Teresópolis
Tel: 3591-3411

7
Saiba mais sobre algumas instituições:

Serviço de Prevenção e Assistência O SEPADI é a Unidade de Referência


de Doenças Infecciosas – SEPADI para o acompanhamento multidisciplinar
Av. Marco Túlio Isaac, 1500 – Chácara de qualquer trabalhador/usuário
Tel: 3594.5572 acidentado com material biológico
localizado no Centro de Referência de
Especialidades Divino Ferreira Braga.
Serviço de Engenharia Segurança e Responsável pela orientação, informação
Medicina do Trabalho – SESMT e acompanhamento dos procedimentos
Av. Governador Valadares 755 – Centro legais referentes ao acidente de trabalho
sofrido pelo servidor estatutário, função
Tel: 3594-2072 pública, Transbetim, Funarbe e Apromiv.

Centro de Referência Regional em Responsável pela orientação, informação


e acompanhamento dos procedimentos
Saúde do Trabalhador – CEREST.
legais referentes ao acidente de trabalho
Av. Solimões, 444 – Brasiléia sofridos por todos os demais
trabalhadores.
Tel: 3531.3799

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Brasil. Recomendações para atendimento e acompanha-


mento de exposição ocupacional com material biológico: HIV e Hepatites B e C.
Brasília: PNC-DST/AIDS,1999c.

SECRETARIA DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Atendimento ao acidentado com


material biológico. Belo Horizonte, 2004.

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE BELO HORIZONTE. Orientação para


acidente de trabalho com exposição a material biológico de risco, na rede municipal
de saúde de Belo Horizonte. Belo Horizonte, 2005.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de


Ações Programáticas Estratégicas. Exposição a materiais biológicos / Ministério da
Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas
Estratégicas. – Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2006. 76 p.:il. – (Série A.
Normas e Manuais Técnicos) (Saúde do Trabalhador; 3. Protocolos de
Complexidade Diferenciada)