Vous êtes sur la page 1sur 1

Baião Corrigido

O nome dessa peça surgiu de uma brincadeira entre os colegas de


turma. Após uma revisão que tinha feito, salvei o material como Baião Corrigido
somente para ter a referência quando o professor fosse revisar novamente, e
como se tratava de um exercício, os colegas acharam que esse era o nome
que eu havia escolhido para a música, e nós sempre brincávamos dizendo
“esse baião é literalmente corrigido”

A minha ideia inicial era fazer um maracatu, por esse motivo o


acompanhamento na parti (A) e baseado na clave do maracatu nação. Minha
motivação para a mudança de estilo veio após ouvir a composição Toccata , do
violonista Sergio Assad. Fiquei tão encantado com a beleza do contorno
melódico e criatividade harmônica ,( que diga-se de passagem e uma marca
registrada na obra desse compositor) , que resolvi “brincar” um pouco com a
intenção melódica de Sergio, mais sem chegar a plagiar o mestre. Essa
“brincadeira” consistiu em usar inicialmente um padrão motívico similar ao da
Toccata com a ideia inicial do maracatu e na parte B esse motivo é
desenvolvido em ritmo de baião.

Por se tratar de uma atividade avaliativa foram seguidos


procedimentos bastante formais com relação à estrutura e harmonia. Na parte
(A) utilizamos padrões cadências bastante elementares resumindo-se em um
momento suspensivo e outro conclusivo. Já na parte (B) nos foi permitido à
utilização de todos os recursos possíveis em harmonia tonal exceto modulação.

Então no (B) você poderá encontrar tétrades em terceira inversão,


dominantes e sensíveis secundárias, acordes de sexta napolitana e francesa,
acordes de empréstimo modal, além de uma tonicalização.

Aqui não detalharemos de forma minuciosa onde se encontram


esses recursos intencionalmente, para que você possa analisar e descobrir
onde eles se encontram. A versão analisada se encontra no final do livro e
deve ser usada apenas para correção. Bons estudos!