Vous êtes sur la page 1sur 11

Descrição do Ambiente de Marketing

Macro ambiente: Fatores político-legais e Fatores econômicos

Econômico

Neste item é para vocês explicarem como a Economia interfere no mercado de sua
empresa...

* Política monetária

A Política Monetária representa a atuação das autoridades monetárias, por meio de


instrumentos de efeito direto ou induzido, com o propósito de se controlar a liquidez
global do sistema econômico. Qual é a política monetária atual? É favorável ou
desfavorável para a empresa que vocês escolheram fazer o plano de marketing?

* Taxa de desemprego
A taxa de desemprego é uma porcentagem da População Economicamente Ativa que
pode ser calculada com base em diferentes metodologias. No Brasil, além do IBGE, a
Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) e o Departamento Intersindical
de Estatística e Estudo Sócio-Econômicos (Dieese) medem a taxa de desemprego. O
IBGE utiliza o critério de desemprego aberto, no qual somente as pessoas que no
período de referência estavam disponíveis para trabalhar e realmente procuraram
trabalho são consideradas desempregadas. O cálculo é feito com base em dados de seis
regiões metropolitanas: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre,
Salvador e Recife. O Seade e o Dieese - que realizam a pesquisa no Distrito Federal e
nas regiões metropolitanas de São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador e
Recife - adotam o critério de desemprego total, que engloba também o desemprego
oculto. Nessa categoria estão aqueles que não procuraram emprego por desalento ou
porque estavam exercendo um trabalho precário. Esses cálculos levam a resultados
muito diferentes. Na região metropolitana de São Paulo, por exemplo, enquanto o IBGE
aponta em agosto de 2000 uma taxa de desemprego aberto de 7,55%, a Fundação Seade
e o Dieese chegam a uma taxa de desemprego total de 17,7%.

Qual é a taxa de desemprego atual? Nos últimos anos, o desemprego tem aumentado?
Diminuído? É favorável ou desfavorável para a empresa que vocês escolheram fazer o
plano de marketing?

* Custos com energia


Os custos com eletricidade podem ser reduzidos em até dez vezes a partir de 2030 caso
aconteça à transição da atual matriz energética global para fontes renováveis amparadas
por medidas de eficiência energética, conclui o novo estudo do Greenpeace e do
Conselho Europeu de Energia Renovável (EREC). O relatório "Investimentos Futuros -
plano sustentável no setor elétrico para salvar o clima" mostra como reduzir pela metade
as emissões de CO2 e ainda economizar cerca de US$ 180 bilhões por ano.

Como anda o fornecimento de energia atualmente? Temos alguma crise em vista? Isso é
favorável ou desfavorável para seu produto?

* Estágio do ciclo econômico


O ciclo econômico é o tempo em que a mercadoria permanece em estoque. Vai desde a
aquisição dos produtos até o ato da venda, não levando em consideração o recebimento
das mesmas correspondem a oscilações do produto, do rendimento e do
emprego, cuja duração corresponde geralmente a um período de 2 a
10 anos e são caracterizados pela expansão ou pela contracção
generalizada na maioria dos sectores econômicos.

Como está o estágio do ciclo econômico atual? É favorável ou desfavorável para a


empresa que vocês escolheram fazer o plano de marketing?
* Projeção do Produto Interno Bruto.
O desempenho da economia brasileira em 2009, que registrou queda de 0,2% do PIB,
deve ser o sexto melhor entre os países do G20, grupo que reúne as maiores economias
desenvolvidas e emergentes do mundo.

E em 2010? É positivo? Negativo? Como isso influencia seu produto?

* Custo do dinheiro

Dólar comercial (em R$) 1,75701,75900,4% Dólar turismo (em


R$)1,69001,83004,52%

Dólar paralelo (em R$)1,75001,85005,41% Euro (em


R$)2,23492,23610,12%

Libra (em R$)2,73412,73570,23% Pesos arg. (em R$)0,


44560,44640,4%
Como anda a (dês)valorização da moeda brasileira? A alta ou a queda do dólar
influencia seu produto? De que maneira?

Essas perguntas que fiz até aqui devem ser aplicadas a todos os itens.

Vocês levantaram importantes informações sobre o que deve ser analisado de cada
fator do macroambiente, agora é preciso analisar. Uma leitura de algum jornal diário irá
ajudá-los em muito a fazer essa análise. Experimentem!

* Acesso ao crédito
Boa parte do sucesso vivido atualmente pela economia brasileira se deve ao crescimento
do acesso ao crédito, principalmente por camadas da sociedade que antes não tinham
poder de compra.

* Políticas Públicas de distribuição de renda

O tema da gestão social das políticas públicas no Brasil passou a ter


mais relevância a partir da promulgação da Constituição de 1988, que
legalmente promoveu um rompimento com a centralização das
decisões e dos recursos no nível federal, à medida que conferiu maior
autonomia a cada um dos entes constitutivos da Federação (União,
Estados, Distrito Federal e Municípios) e, ao mesmo tempo, definiu
formas de atuação articulada entre estes. Desse modo, o setor
público foi totalmente redefinido, transferindo novas funções para as
instâncias municipais e estaduais. A nova Constituição também
garantiu uma maior participação popular, uma vez que, além de
alguns instrumentos de democracia semidireta, como o plebiscito,
também foram asseguradas outras possibilidades de participação da
população nas decisões de governo, em algumas áreas de políticas
sociais, sobretudo saúde, educação e assistência social.

Político e legal
neste item é para explicar como o comércio eletrônico é regulamentado, discorram
Tb sobre a lei de proteção ao consumidor, sobre as obrigações q um comércio
eletrônico deve ter com segurança de informações, precisão de informações,
cumprimento de prazo de entrega etc.

* Leis tributárias e previdenciárias

Tributo Federal - Imposto de Renda incidente sobre o lucro auferido (IRPF)


Imposto de Renda da Pessoa Física: é recomendável que a revendedora escriture o livro
caixa, para que se possa apurar a efetiva lucratividade, nos termos do Regulamento do
Imposto de Renda.

Tributo Estadual – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e serviços de Transporte


Interestadual e Intermunicipal e de Comunicações (ICMS)

ICMS - Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre


Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicações.

Como a própria denominação indica, este imposto incide sobre as operações relativas à
circulação de mercadorias e sobre a prestação de algumas espécies de serviços
(telecomunicações e energia elétrica).

O fato gerador do ICMS ocorre, basicamente, na saída das mercadorias do


estabelecimento do remetente, e o imposto é calculado sobre o valor das mercadorias
remetidas.

Segundo o Artigo 155 da Constituição Federal Brasileira, compete aos Estados e ao


Distrito Federal instituir o ICMS e legislar sobre as formalidades necessárias ao
controle da arrecadação e administração desse imposto.

A fim de facilitar esse controle, os contribuintes devem ser inscritos na Secretaria da


Fazenda de seu respectivo Estado, emitir notas fiscais, onde é lançado o ICMS,
escriturar livros fiscais e no final de cada período, geralmente em bases mensais,
recolher o imposto apurado, aos cofres do Estado.

Para as empresas não há dificuldades para o cumprimento dessas formalidades,


entretanto, Para os revendedores há muita dificuldade para o cumprimento das
formalidades, em virtude de seu pouco conhecimento das leis tributárias e do custo
financeiro que teriam que suportar.

Por esse fato, existe no Brasil um instituto tributário chamado de "substituição


tributária", através da qual o industrial ou comerciante atacadista fica obrigado a
recolher o ICMS devido nas operações subsequentes, em relação às mercadorias
revendidas pelos revendedores.

A substituição tributária na venda direta encontra-se atualmente regulamentada pelo


Convênio ICMS n º 45, de 23.07.1999, do CONFAZ – Conselho Fazendário (órgão
firmado pelo Ministro da Fazenda e os Secretários da Fazenda dos Estados e do Distrito
Federal). O Convênio ICMS 75/94 foi revogado pelo Convênio ICMS 45/99.

Em razão de tal regulamentação, as empresas celebram com as Secretarias da Fazenda


dos Estados um Termo de Acordo ou Regimes Especiais (uma espécie de contrato),
onde são estabelecidas as formalidades a serem cumpridas pelas partes para o cálculo e
recolhimento do ICMS devido pelas revendedoras domiciliares.

As empresas se obrigam a escriturar os livros fiscais relativos às operações das


revendedoras domiciliares, recolherem o imposto devido e cumprir outras formalidades
em nome das revendedoras domiciliares.

Estas, por sua vez, recebem um número de inscrição coletivo, que abrange a todas,
ficando desobrigadas, pessoalmente, do cumprimento de qualquer formalidade,
inclusive emissão de notas fiscais.

Desta forma, assumimos a total responsabilidade pelo recolhimento do ICMS devido


pela atividade comercial das revendedoras domiciliares, podendo, inclusive, sermos
processadas administrativa e judicialmente, caso não cumpramos as obrigações
assumidas.

* Regulamentações de comércio internacional


O crescimento e a complexidade do Comércio Internacional geraram uma demanda de
profissionais com profundos conhecimentos em negócios internacionais, que vão além
da administração local dos fluxos de exportação e importação.

* Regulamentação de empréstimos a consumidores


O Empréstimo ao Consumidor se processa na forma de financiamento em geral a
transação é feita entre um Banco ou Financeira
e um consumidor de produtos ou serviços comerciais. As ofertas de crédito são
oferecidas na maioria dos casos por instituições financeiras financiando produtos e bens
de consumo. O apoio financeiro através do empréstimo ao consumo pode ser solicitado
por quase todo tipo de pessoa na obtenção de produtos que desejam comprar e financiar
utilizando as modalidades de empréstimo ao consumidor.

* Leis de proteção ambiental o que a Americanas faz para preservar a natureza


não é MACROAMBIENTE, é microambiente, pois ela tem controle sobre o que
faz.

Para a Americanas, a qualidade vai além dos produtos e serviços que oferece.Ela atinge
também todas as partes envolvidas, agregando valor aos clientes, valorizando os
colaboradores, fortalecendo as parcerias com os fornecedores e atuando de forma
responsável junto à sociedade, tendo como visão estratégica o desenvolvimento
sustentável.

Acreditando na compatibilidade entre o progresso Comercial e a preservação ambiental,


a Americanas se preocupa com os possíveis impactos ambientais de seus processos,
produtos e serviços, desde a pesquisa e desenvolvimento até o descarte, abrangendo
todos os seus respectivos ciclos de vida. Desta forma, investe fortemente na gestão
ambiental em todas as suas áreas de atuação em âmbito mundial.

As diretrizes estabelecidas na política ambiental mostram o comprometimento


estratégico da empresa com melhoria contínua, preservação do meio ambiente,
minimização de impactos ambientais e desperdícios, uso racional da energia, geração de
menor quantidade de resíduos, bem como a adequada destinação final destes.

O comprometimento da empresa com a proteção ambiental baseia-se na consciência de


sua responsabilidade social e da missão de contribuir para o desenvolvimento
sustentável do país.

Esses assuntos aí abaixo não interessam para nosso estudo.

* Leis de contratação, demissão, promoção e pagamento

Conforme o disposto no art. 442 da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, contrato
individual de trabalho é o acordo, tácito ou expresso, correspondente à relação de emprego,
em que as partes, empregado e empregador, estabelecerão critérios, nos moldes da legislação
trabalhista vigente, tais como a função, a duração da jornada de trabalho, os dias da semana
em que o emprego prestará serviços, o valor da remuneração bem como sua forma de
pagamento.

Sempre que uma pessoa física prestar serviços não eventuais a outrem, pessoa física ou
jurídica, estando a esta subordinada hierarquicamente e mediante o pagamento de uma
contraprestação, salário, temos a existência de um contrato de trabalho.

O elemento principal a ser observado na caracterização da relação de emprego é a


subordinação, que se substancia no direito que tem o empregador de comandar, dar ordens,
dirigir, fiscalizar os serviços ou atividade do empregado. Desse direito decorre a obrigação do
empregado de submeter-se àquele comando.

São requisitos necessários na formação de um contrato de trabalho:


a) capacidade dos contratantes: empregado e empregador devem ter capacidade para
contratar, isto é, não ser declarados, por lei, como incapazes.

- maior de 18 anos, pode contratar, independentemente de autorização;

- menores entre 16 e 18 anos, dependem da autorização do representante legal;

- menor de 16 anos e maior de 14 anos, não podem contratar, ainda que haja autorização legal,
salvo se prestarem serviços na condição de aprendiz;

b) manifestação da vontade: os contratantes devem manifestar livremente sua vontade, isto é,


ela deve estar livre de qualquer vício que a possa influenciar, como, por exemplo, o erro, a má-
fé, a coação, a simulação ou a fraude;

Nota: Tais vícios podem anular o contrato de trabalho, salvo aqueles que, praticados sem dolo
(má-fé), não prejudicam ninguém nem fraudam a lei;

c) objeto lícito: a prestação de serviço deve ter por fim a realização de um objetivo legal,
permitido em Direito. A atividade a ser desenvolvida deve ser lícita, autorizada por lei;

d) forma prescrita em lei: os contratos de trabalho, para serem válidos, independem da forma
pela qual foram elaborados. Podem ser acordados verbalmente ou por escrito e, ainda,
expressa ou tacitamente (art. 443 da CLT).

O contrato de trabalho pode ser firmado por prazo determinado ou indeterminado, como sugere
art. 443 da CLT.

Considera-se de prazo determinado o contrato de trabalho cuja vigência dependa de termo


prefixado ou da execução de serviços especificados ou, ainda da realização de certo
acontecimento suscetível de previsão aproximada (Lei nº 9.601/98).

Nota: A Lei nº 9.601/98 dispõe sobre o contrato de trabalho por prazo determinado com
redução de encargos.

No contrato de prazo determinado, as partes combinam antecipadamente a duração do


contrato enquanto no contrato de prazo indeterminado inexiste prazo para o término do pacto
laboral. Na prática predomina o ajuste por prazo indeterminado. Inexistindo previsão no
contrato de trabalho quanto ao prazo, presume-se que vigora por prazo indeterminado.

O contrato por prazo determinado só será válido em se tratando:

a) de serviço cuja natureza ou transitoriedade justifique a predeterminação do prazo;

b) de atividades empresariais de caráter transitório;

c) de contrato de experiência.

Dentre os contratos a prazo, destacamos o contrato de experiência.

2. Contrato de Experiência

2.1 Finalidade

O contrato de experiência tem por objetivo dar condições de mútuo conhecimento. Neste
período o empregador vai testar se o empregado pode exercer a atividade que lhe é confiada,
bem como o empregado vai verificar sua adaptação ao ambiente de trabalho, à função e se
desenvolve bom relacionamento com superiores hierárquicos, colegas de trabalho etc.

3. Anotação na CTPS - Exigência

Realizado o contrato de experiência, além do registro em livros, fichas ou sistema eletrônico, o


empregador efetuará anotações normais na Carteira de Trabalho e Previdência Social - CTPS,
na parte do "Contrato de Trabalho", anotando nas folhas de "Anotações Gerais" o seguinte
termo:

"Conforme documento em poder da empresa, o portador assinou contrato experimental de ((...)


) dias, com vigência no período de .../.../... à .../.../...".

4. Duração do Contrato de Experiência


O contrato de experiência, modalidade de contrato por prazo determinado, não poderá exceder
o limite de 90 dias, já incluída neste uma eventual prorrogação (art. 445, parágrafo único, da
CLT).

4.1 Prorrogações do Contrato

Conforme preceitua o Enunciado do TST nº 188, celebrado o contrato de experiência por


menos 90 de dias, admite-se uma única prorrogação até o limite máximo (90 dias), sob pena de
vigorar sem determinação de prazo (art. 451 da CLT),

Entretanto, é possível que o empregador admita o empregado inicialmente por 30 dias


prorrogando o contrato por mais 60 dias, ou que o contrato seja celebrado por 45 dias e
prorrogue, posteriormente, por mais 45 dias, contanto que a soma dos períodos não ultrapasse
aos 90 dias.

A CLT não determina que a prorrogação contrato de experiência tenha de ser feita no mesmo
prazo da contratação, ou seja, contratação de 45 dias, prorrogação de mais 45 dias. Observa-
se, contudo, que não seja excedido o prazo de 90 dias.

4.2 Rescisões antecipada

4.2.1 Aviso Prévio o Indenização

Nos termos do art. 480, caput, da CLT, celebrado contrato a termo, o empregado não poderá
rescindi- Io, sob pena de ser obrigado a indenizar o empregado dos prejuízos que desse fato
lhe resultarem, salvo se houver dispensa por justa causa.

Nos contratos de experiência não é devido aviso prévio, por tratar-se de direito específico à
rescisão de contrato por prazo indeterminado.

Entretanto, firmado contrato com cláusula assecuratória do direito recíproco de rescisão


antecipada conforme o art. 481 da CLT é devido o aviso prévio de no mínimo 30 dias pela parte
que exercer este direito (CF, art. 7a, XXI, e Enunciado TST nº 163). Nessa hipótese, aplicam-
se os princípios que regem a rescisão dos contratos por prazo indeterminado.

4.2.2 Rescisão antecipada motivada pelo empregador

Inexistindo a referida cláusula assecuratória, o empregador, ao despedir o empregado sem


justa causa, obriga-se ao pagamento de indenização correspondente à metade da
remuneração a que o empregado teria direito até o término do contrato (art. 479, caput, da
CLT).

O contrato firmado nos termos do art. 479 da CLT recebe sempre tratamento de contrato a
termo, salvo se exceder o prazo estabelecido e/ou legal.

4.2.3 Rescisão antecipada motivada pelo empregado

A rescisão antecipada motivada pelo empregado, sem justa causa, obriga-o a efetuar o
pagamento da indenização prevista no art. 480 da CLT. Entretanto, a indenização não poderá
exceder aquela a que o empregado teria direito em idênticas condições (art. 480 da CLT).

Nessa hipótese, recomenda-se ao empregador ter meios que comprovem efetivamente os


prejuízos causados pelo empregado, uma vez que a Justiça do Trabalho tem exigido tal
comprovação por meio de documentos, não bastando a simples alegação do empregador de
que a rescisão antecipada resultou em prejuízo para a empresa.

5. Sucessão de Contratos

Segundo o art. 452 da CLT, considera-se prazo indeterminado todo contrato que suceder,
dentro de 6 (seis) meses, a outro contrato por prazo determinado.

Assim, o empregado admitido com contrato de experiência só poderá celebrar outro contrato a
prazo determinado com o mesmo empregador após 6 meses do término do primeiro, sob pena
de vigência automática do segundo sem determinação de prazo.
6. Rescisão Antecipada - Indenização do Art. 479 da CLT - Não-integração
na Remuneração de Férias e 13º Salário

O período indenizado nos termos do subitem 4.2.2, de acordo com o art. 479 da CLT, não será
computado para fins de pagamento de férias e 13º salário proporcionais. Para esse efeito,
considera-se somente tempo de efetiva vigência do contrato de experiência.

7. Contrato de Experiência e o Auxílio-doença

Durante o prazo de auxílio-doença previdenciário, o empregado é considerado em licença não


remunerada, permanecendo suspenso o contrato de trabalho enquanto durar o benefício.

A suspensão do contrato se efetiva somente partir do 16a dia de afastamento, quando o


empregado passa a receber o benefício da Previdência Social.

Os primeiros 15 dias de afastamento são remunerados integralmente pelo empregador, prazo


em que o contrato vigora plenamente, considerando-se o período como de interrupção do
contrato de trabalho.

Dessa forma, se o empregado, durante o curso do contrato de experiência, se afastar por


motivo de doença, os primeiros 15 dias de afastamento serão contados normalmente como se
o empregado tivesse trabalhado. A contagem será suspensa somente a partir do 16o dia,
quando o empregado receber o auxílio-doença.

8.Contrato de Experiência e o Acidente do Trabalho

No afastamento por acidente do trabalho, ocorre a interrupção do contrato de trabalho, ou seja,


o período de afastamento em gozo de benefício é considerado como de efetivo trabalho. O
contrato não sofre paralisação (suspensão), vigorando plenamente em relação ao tempo de
serviço.

Assim, se a soma dos dias trabalhados e os dia de afastamento, inclusive após os 15 primeiros
dia, resultar em prazo inferior ao do contrato de experiência o empregado retorna ao trabalho
para completar o prazo de experiência. Contudo, se esta soma resultar em prazo igual ou
superior ao do contrato de experiência este é considerado como cumprido, dando a baixa na
CTPS, se for o caso, no último dia da experiência, conforme previsto no contrato.

9. Estabilidade Provisória

Segundo a jurisprudência trabalhista, o contrato de experiência é incompatível com qualquer


forma de estabilidade, inclusive a estabilidade provisória, tendo em vista a predeterminação do
prazo desde a sua celebração.

Assim, não será garantida estabilidade à empregada gestante, ao empregado acidentado nos
termos da legislação previdenciária, ao dirigente sindical e ao membro da CIPA.

10. Dano Causado pelo Empregado

O art. 462, caput, da CLT proíbe o empregado de efetuar qualquer desconto nos salários do
empregado, salvo quando resultar de adiantamentos, de dispositivos de lei ou de contrato
coletivo.
Todavia, quando ocorrer dolo do empregado, pode-se efetuar o referido desconto a título de
indenização desde que essa possibilidade tenha sido acordada.

Se o dano causado pelo empregado resultar prática de ato doloso, ou seja, ato praticado com
intuito deliberado de prejudicar o empregador, é lícito o desconto, independentemente de
previsão contratual.

Tratando-se de dano causado por simples culpa, ou seja, dano decorrente de imperícia ou
negligencia do empregado, não se aplica tal procedimento visto que o desconto só poderá ser
efetuado mediante previsão contratual.

11. Penalidades

A infração às proibições constantes do Título da CLT (Do Acordo Individual do Trabalho - Arts.
442 a 508) acarreta multa de valor igual a 378, 2847 UFIRs dobrado na reincidência, conforme
dispõe o art. 510 da CLT.

13. Prazo para Pagamento das Verbas Rescisórias

Nos termos do art. 477, § 6º, da CLT, o pagamento das parcelas constantes do instrumento de
rescisão ou recibo de quitação deverá ser efetuado nos seguintes prazos:

a) até o primeiro dia útil imediato ao término do contrato; ou

b) até o décimo dia, contado da data da notificação da demissão, na ausência do aviso prévio,
na sua indenização ou dispensa de seu cumprimento.

Assim, nos casos de extinção automática do contrato de experiência, aplica-se o disposto na


letra "a".

Tratando-se, entretanto, de rescisão antecipada, com ou sem cláusula assecuratória de direito


recíproco de rescisão antecipada (subitem 4.2.2), o prazo é o previsto na letra "b".

14. Jurisprudências

"Contrato de experiência. O contrato de experiência é modalidade de contrato por prazo


determinado que não exige requisitos especiais para sua adoção possuindo por escopo
precípuo a avaliação de qualidades pessoais e profissionais do empregado e para que este
aprove ou não as condições de trabalho oferecidas pelo empregador." (Acórdão unânime da 3a
Turma TRT da 4a Região - RO 96.036874-4 - Rel. Juiz Mário Chaves - DJ RS de 19.10.98,
pág. 48).

"Contrato de experiência. O fato do contrato experiência ser firmado por 30 dias e prorrogado
por mais 60 dias, não descaracteriza tal tipo de contratação eis que inexiste preceito legal
determinando que a prorrogação seja feita por igual período. O que importa é a ocorrência de
no máximo uma prorrogação, bem como que seja respeitado o limite máximo de 90 dias."
(Acórdão unânime da 1a Turma do TRT da 2a Região -RO 02980440323 - Rel. Juiz Plínio
Bolívar de Almeida - DO SP de 10.08.99, pág. 56).

"Contrato de experiência. Prorrogação automática. Admissibilidade - Nenhuma disposição legal


veda a estipulação de cláusula prevendo prorrogação automática de contrato de experiência,
decorrido o prazo inicialmente pactuado, desde que observado o limite máximo de duração
dessa espécie de contrato a termo. Aliás, sequer é exigível a expressa pactuação da
prorrogação eis que, no art. 451, tratando embora de hipótese diversa, a CLT admite seja
concretizada de forma tácita". (Acórdão unânime da 6a turma do TRT da 2a Região - RO
02940409794 - Rel Juiz Luiz Carlos Gomes Godoi - DJ SP II de 07.08.96, pág. 45)

"Contrato de experiência - Prorrogação não anotada em CTPS - Validade - A prorrogação


prevista no contrato de experiência ajustado por escrito e anotado em CTPS, e convencionada
expressamente, também por escrito, tem validade, ainda que não registrada na Carteira de
Trabalho, por ser um dos elementos do contrato de experiência. A exigência de registro da
prorrogação configura formalismo excessivo, pois a condição especial (a estipulação do prazo
de experiência) foi registrado observado o disposto no art. 29 da CLT." (Acórdão unânime da
2a Turma do TRT da 15a Região - RO 013258/1998-0 - Rel. Juíza Mariane Khayat - DJ SP II
de 18.10.99, pág. 152).

"Contrato de Experiência - CTPS - anotação -obrigatoriedade - artigo 29 da CLT. A falta de


anotação, na Carteira de Trabalho, do período laborado a título de experiência não invalida o
contrato, acarretando sanção de natureza meramente administrativa na forma do art. 29,
parágrafo 3º, da CLT." (Acórdão unânime da 4a Turma do TRT da 3a Região - RO 9.058/99 -
Rel. Juiz Fernando Procópio de Lima Netto - DJ MG de 27.11.99, pág. 20)

"Gestante - estabilidade provisória - contrato de experiência - O contrato de experiência,


modalidade de contrato por prazo determinado (CLT, art. 443, § 2º, letra c), tem como
característica o ser celebrado sob condição resolutiva, dependente de avaliação a que tem
direito o empregador. Esse direito de avaliação assegura ao empregador, como não poderia
deixar de ser, o direito de optar pela não manutenção do vínculo após o término do prazo da
experiência. Em assim sendo, não se coaduna, o contrato de experiência, com o direito da
empregada gestante à garantia do emprego. Embargos providos." (Acórdão unânime da SBDI-
1 do TST- ERR 96712/937 -Rel. Min. Manoel Mendes de Freitas - DJU-1 de 08.11.96, pág.
43.428) "Gestante. Contrato de experiência. Estabilidade provisória não- reconhecida.
Tratando-se o contrato de experiência de contrato por prazo determinado, em que as partes
conhecem antecipadamente o seu prazo final, torna-se ele incompatível com o instituto da
estabilidade provisória da gestante de que se trata o inciso XVIII do artigo 7o da Constituição
Federal." (Acórdão, por maioria de votos, da 3a Turma do TRT da 12a Região - RO 3.502/95 -
Rel. Juíza Lília Leonor Abreu - DJ SC de 09.01.97, pág. 41)

* Controle de preços e salários

A controle de preço são uma lei que regule o preço de um bom, o serviço, o salário, o
aluguel, a taxa de interesse, ou qualquer outro tipo do preço.

* Regulamentação de mercados

A regulamentação dos mercados trouxe importantes contribuições no aprofundamento


do conhecimento do mercado de trabalho brasileiro e no diagnóstico dos seus
respectivos problemas e, por conseguinte, trouxe importantes subsídios para o
aperfeiçoamento das políticas públicas de trabalho e renda no Brasil.

Uma área em que essas contribuições foram particularmente relevantes consiste nos
estudos sobre a desigualdade, com foco no papel do mercado de trabalho na geração ou
na transformação das desigualdades. Em primeiro lugar, várias pesquisas realizadas
mostraram que o Brasil não apenas é um dos países mais desiguais do mundo, como
também a desigualdade cresceu de forma significativa nas décadas de 1960 e 1980,
mantendo-se estável no período mais recente. Os trabalhos revelaram que o mercado de
trabalho brasileiro é muito mais um transformador de desigualdades que um gerador de
desigualdades por meio da segmentação e da discriminação.

* Alteração na composição política das forças de poder

A força é algo mais imediato que o poder. O poder em seus estágios mais profundos
ocorre antes da força. O poder é mais universal e mais amplo.
As características da força e poder pode ser notado de uma forma bem simples: no
relacionamento gato e rato.

Os animais são símbolos de poder. Representando ora os deuses, ora os ancestrais que
possuem o poder.

O medo supersticioso do raio, do qual o homem não tem como se proteger é algo
bastante difundido.

O poder do soberano assemelha-se ao raio. É espantosa a freqüência que os poderosos


são atingidos por raios. Imitado pelos homens, o raio foi transformado em uma espécie
de arma de fogo.

Desde sempre, a velocidade física acaba sendo uma característica do poder.


Desnecessário abordar os efeitos com o auxílio da tecnologia.

A esfera da captura pertence também a uma outra espécie bastante diferente da


velocidade – o desmascaramento.

Aquele que possui o poder, consciente de suas próprias dissimulações (mentiras) só


pode esperar do outro o mesmo comportamento. Pouco o comoverá apanhar por
equívoco um inocente: na complexidade das máscaras o engano é possível.

* Fatores políticos e legais do mundo


Os limiares de pobrezas usadas pela União Européia baseiam-se na
distância econômica relativamente a uma determinada percentagem
do nível mediano de consumo. A linha de pobreza nos EUA é mais
arbitrária. Foi criada em 1963-64 e corresponde a um "plano
econômico de alimentação" (nível mínimo recomendável de despesas
com alimentação). ALÉM da corrupção e inexistência ou mau
funcionamento de um sistema democrático, fraca igualdade de
oportunidades.

NOME
RGM

Clóvis Ladislau 04933

Joelson Adonias 00000


Luiz Gustavo Gioso 05029

Nilson Freitas 04565

Tally Ismara 04593