Vous êtes sur la page 1sur 10

DRENAGEM TORÁCICA

CUIDADOS E INTERVENÇÕES
DE ENFERMAGEM
1 Professor Msc. Alex Galvão
DRENAGEM TORÁCICA
 Tem como objetivo a manutenção ou
restabelecimento da pressão negativa do espaço
pleural;
 O procedimento drenagem de tórax também é
conhecido como Drenagem em selo d’ água ou
Drenagem com sistema fechado;
 É responsável pela remoção de ar,
líquidos e sólidos (fibrina) do
espaço pleural ou mediastino, que
podem ser resultantes de
processos infecciosos, trauma ou
ainda procedimentos.
2 Professor Msc. Alex Galvão
INDICAÇÕES DA DRENAGEM TORÁCICA (DT)
 Pneumotórax - (hipertensivo ou não) que é o acúmulo de ar
na cavidade torácica;
 Hemotórax - que é o acúmulo de sangue no espaço pleural;
 Derrame pleural - que é o acúmulo de líquido no
espaço pleural;
 Quilotórax - que consiste em uma coleção de líquido
linfático no espaço pleural;
 Empiema - que surge quando há uma infecção e
consequente acúmulo de pus no espaço pleural;
 Hidrotórax - que é o acúmulo de líquido seroso no
espaço pleural;
 Pós-operatórios - de cirurgias torácicas ou cardíacas.
3 Professor Msc. Alex Galvão
CUIDADOS DE ENFERMAGEM COM A (DT)
Lavar as mãos, secar e aplicar álcool gel 70%
sempre que for manipular o dreno, bem como
clampear o dreno, para que não haja entrada de
ar, e lembrar de soltar o clamp ao término da
manipulação;
Posicioná-lo no piso, com
suporte próprio, ou sustentado
em local adequado. Nuca elevá-lo
acima do tórax sem que esteja
clampeado (fechado);
4 Professor Msc. Alex Galvão
CUIDADOS DE ENFERMAGEM COM A (DT)

Orientar o paciente a tossir, isso


facilita a saída de conteúdos da
caixa torácica para o DT;
Fazer inspeção e troca diária do
curativo ou (SN);
Verificar a oscilação na coluna
líquida: deve subir na inspiração,
e descer na expiração;

5 Professor Msc. Alex Galvão


CUIDADOS DE ENFERMAGEM COM A (DT)

 Manter a cabeceira do leito na


posição de fowler, para
facilitar a drenagem;
 Cuidado na passagem entre
macas, pois o dreno pode ficar
preso e/ou ser arrancado;
 Evitar inclinar o fraco coletor
para que a extremidade do
sistema de drenagem não
fique fora d’água;
6 Professor Msc. Alex Galvão
CUIDADOS DE ENFERMAGEM COM A (DT)
Mensurar o débito do dreno a cada
6 horas, ou menos, caso haja
drenagem superior a 100 mL/hora;
Sempre registrar o aspecto do
líquido (Ex: seroso, sero-
sanguinolento, hemático,
purulento);
Atentar para a presença de
vazamentos e/ou risco de
desconexão;
7 Professor Msc. Alex Galvão
CUIDADOS DE ENFERMAGEM COM A (DT)

Não clampear ou ocluir o dreno


durante os transportes;
Mantê-lo sempre abaixo da linha
de inserção torácica;
Ordenhar ou massagear a
tubulação, na direção de saída
(frasco coletor), sempre que
necessário ou conforme protocolo
da instituição;

8 Professor Msc. Alex Galvão


CUIDADOS DE ENFERMAGEM COM A (DT)

Caso haja indicação


pode-se colocar o
sistema de DT em
aspiração, isso facilita a
drenagem dos
conteúdos para o
coletor com selo d´água.

9 Professor Msc. Alex Galvão


CUIDADOS DE ENFERMAGEM COM A (DT)

Manter o selo d’água


com o DT de 2 a 5cm
imerso em S.F. 0,9%
ou água destilada, e
trocá-lo a cada 12-24
horas ou ainda se
necessário (SN);

10 Professor Msc. Alex Galvão