Vous êtes sur la page 1sur 66

WWW.APOSTILADOS.

NET

ÍNDICE GERAL

Folhas

ÍNDICE GERAL 01 a 02

OBJETIVO 03

PROGRAMA 03

BIBLIOGRAFIA 04

UNIDADE I - MERCADO FINANCEIRO

1 - Conceito 05
2 - Princípios de Negociação Financeira 05
3 - Fatores de Motivação para Investidores 06
4 - Elementos de Composição de uma Taxa Financeira 06

UNIDADE II - SISTEMA FINANCEIRO BRASILEIRO - S. F. B.

1 - Estrutura Organizacional do S. F. B. 07
2 - Mercado de Crédito 08
3 - Mercado de Capitais 09
4 - Mercado Segurador 10
5 - Sistema Financeiro da Habitação 11 a 12
6 - Avaliação Crítica do S. F. B. 13 a 14

UNIDADE III - ORÇAMENTO FINANCEIRO ( CASH-FLOW)

1 - Conceito 15
2 - Distinções de Conceitos 15
3 - Disponibilidades 15
4 - Movimentação Financeira 15
5 - Orçamento de Recebimentos ( Entradas) 16
6 - Orçamento de Pagamentos ( Saídas) 17
7 - Encaixe Mínimo 18
8 - Cronograma de Disponibilidades 18
9 - Cash-Flow 19

AVALIAÇÃO INTERMEDIÁRIA 20 a 21
GABARITO AVALIAÇÃO INTERMEDIÁRIA 22 a 34
1
Administração Financeira -2003
Prof. José da Rocha Pereira
ÍNDICE GERAL
(continuação)
Folhas
UNIDADE IV - CAPTAÇÃO DE RECURSOS
1 - Conceito 35

2 - Fontes de Recursos 35

3 - Recursos Provenientes do Mercado Financeiro


3.1 - Curto Prazo 36
3.2 - Longo Prazo 37

UNIDADE V - APLICAÇÃO DE RECURSOS


1 - Conceito 38

2 - Aplicações em Bens e Direitos


Conceito, Exemplos e Cuidados Especiais 38

3 - Títulos e Valores Mobiliários


Conceito 39
3.1 - Títulos da Dívida Pública 40
Distinções Orçamento Público x Orçamento Privado 41
3.2 - Letras Hipotecárias 42
3.3 - Notas Promissórias (Comercial Papers) 42
3.4 - Cadernetas de Poupança 42
3.5 - Depósito a Prazo Fixo 43
3.6 - Fundos de Renda Fixa 43
3.7 - Warrant 44
3.8 - Letras de Câmbio
3.8.1 - Conceituação 45
3.8.2 - Fluxo de Funcionamento 45
3.8.3 - Descrição Detalhada 46
3.8.4 - Exemplo Prático 47
3.8.5 - Exercícios 48
3.8.5.1 - Financiamento Videocassete 48
3.8.5.2 - Financiamento Microcomputador 49
3.9 - Ações 50
3.10 - Fundos de Ações 51
3.11 - Debêntures 51
3.12 - Fundo de Commoditties 51

AVALIAÇÃO FINAL 52 a 53
GABARITO AVALIAÇÃO FINAL 54 a 66

2
Ementa
Estudo dos efeitos causados ao Mercado Financeiro, pelas constantes mudanças nas
Conjunturas Econômico-Financeiras Nacional e Internacional, e da criação de novos
mecanismos operacionais, que possibilitem, em qualquer circunstância, potencializar
ganhos e neutralizar perdas financeiras.

Programa

Unidades Conteúdo Programático

Unidade I - Mercado Financeiro Conceito; Princípios Gerais de uma Negociação


Financeira, Fatores de Motivação para Investidores;
Elementos de composição de uma Taxa Financeira;

Unidade II - Sistema Financeiro Conceito; Estrutura Organizacional do Sistema


Brasileiro Financeiro Brasileiro; Mercado de Crédito; Mercado
de Capitais; Mercado Segurador; Sistema
Financeiro de Habitação; Avaliação Crítica da
Situação Atual;

Unidade III - Orçamento Financeiro Conceito; Disponibilidade Financeira; Encaixe


(Cash-Flow) Mínimo; Orçamento de Recebimentos; Orçamento
de Pagamentos; Modelo Padrão de Fluxo Financeiro
(Cash-Flow);

Unidade IV - Captação de Recursos Conceito; Fontes de Captação com Recursos


Próprios; Recursos de Terceiros; Notas
Promissórias; Títulos Descontados; Linhas
Específicas de Crédito de Curto Prazo;
Financiamento de Longo Prazo com Hipotecas e
Penhores; Leasing;

Unidade V - Aplicação de Recursos Conceito; Aplicações em Bens Físicos; Títulos e


Valores Mobiliários: Títulos Públicos, Letras
Imobiliárias, Cédulas Hipotecárias, Caderneta de
Poupança, Depósitos a Prazo Fixo: CDB e RDB,
Fundos de Renda Fixa, Warrant, Letras de Câmbio,
Ações, Fundo de Ações e Debêntures.

3
Bibliografia recomendada:

Básica:

1- ROSS, WESTERFIELD e JAFFE - Administração Financeira - Corporate Finance -


S.Paulo - Atlas

2- SANVINCENTE , Antônio Zoratto - Administração Financeira - São Paulo - Atlas.

3- LEITE, Hélio de Paula - Introdução à Administração Financeira - São Paulo - Atlas.

Complementar:

4- VALTER, Milton Augusto e Hugo Rocha Braga - Demonstrações Financeiras: um


enfoque gerencial - Vol. 1 e 2 - São Paulo - Saraiva.

5- VALTER, Milton Augusto - Introdução à análise de Balanço: de acordo com a nova Lei
das Sociedades Anônimas, Lei nº 6404. - São Paulo - Saraiva.

6- CARVALHO, Fernando Mauro - Análise e Administração Financeira - Rio de Janeiro -


IBMEC.

4
Unidade I - Mercado Financeiro
1. Conceito :

É o conjunto de normas legais e procedimentos que proporcionam e facilitam a


transferência de recursos monetários entre agentes econômicos.

regulamenta ....... ESTADO ......... fiscaliza

INVESTIDOR ....................... OPERAM ................. TOMADOR

:
:
INTERMEDIÁRIO
FINANCEIRO

2. Princípios de Negociação Financeira:

São os aspectos relevantes que deverão ser observados para efetivação de qualquer tipo
de negociação financeira:

2.1 - Definição dos integrantes do negócio:

Partes, intermediários e níveis de decisão;

2.2 - Avaliação da oportunidade:

Análise da conjuntura econômico-financeira no ambiente da negociação, seus


aspectos políticos, sociais, éticos, legais e de incidência tributária.

2.3 - Definição do montante a ser negociado.

2.4 - Definição do prazo de contratação.

2.5 - Definição dos custos da operação:

Em função dos riscos potenciais, das garantias oferecidas, das taxas praticadas pelo
Mercado à época, e das complexidades da operação.

2.6 - Formalização expressa em algum tipo de contrato, judicialmente válido.

5
3. Fatores de Motivação para Investidores

3.1 - Liquidez - Capacidade de conversibilidade dos investimentos em


disponíveis imediatos;

3.2 - Rentabilidade - Capacidade de retorno do valor do capital aplicado.

3.3 - Segurança - É o grau de garantia apresentada pelo investimento,


demonstrando a preservação e o aumento dos recursos
aplicados, diante dos riscos de perdas possíveis no período da
aplicação.

3.4 - Satisfação Pessoal - É o fator subjetivo que faz com que o investidor aplique seus
recursos em determinados tipos de investimentos,
independentemente do seu grau de risco, capacidade de
liquidez ou taxa de rentabilidade.

4. Elementos de Composição de uma Taxa Financeira

É a forma com que se estrutura uma taxa financeira, servindo de diretriz para a fixação
de percentuais variáveis para cada tipo de operação, considerando-se as mudanças
conjunturais, o perfil dos interessados e os objetivos a serem alcançados:

4.1 - Percentual da inflação projetada no período de aplicação (para taxas pré-fixadas),


suficiente para proteger o capital, da perda do poder aquisitivo da moeda, no prazo
da transação.

4.2 - Percentual para ressarcimento dos custos com captação de recursos;

4.3 - Percentual correspondente a cobertura das despesas com a realização da operação:


tarifas de serviços, impostos incidentes, legalizações contratuais, materiais
empregados e demais gastos administrativos;

4.4 - Percentual referente ao grau de riscos potenciais que possam ser assumidos e
considerando-se a hipótese de eventuais inadimplências.

4.5 - Percentual referente ao montante de lucro líquido que se deseja obter para
remuneração real sobre o montante empregado.

4.6 - Percentual relacionado à pressão circunstancial da demanda por dinheiro, como


fator de seletividade, desestimulando aqueles que representam um grau maior de
incerteza e estimulando aqueles que apresentam maiores garantias, de forma a dar
critérios mais objetivos na decisão gerencial.
6
Unidade II - Sistema Financeiro Brasileiro
1. Estrutura Organizacional do S. F. B.

POLÍTICAS E DIRETRIZES POLÍTICAS E DIRETRIZES

CONGRESSO NACIONAL CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL

REGULAMENTAÇÃO E FISCALIZAÇÃO REGULAMENTAÇÃO E FISCALIZAÇÃO

MERCADO DE MERCADO DE MERCADO S. F. H.


CRÉDITO CAPITAIS SEGURADOR

BCO. CENTRAL BRASIL COMISSÃO DE VALORES SUPERINTENDÊNCIA CAIXA ECONÔMICA


BACEN MOBILIÁRIOS - CVM SEGUROS PRIVADOS FEDERAL - CEF

OPERAÇÃO OPERAÇÃO OPERAÇÃO

INSTITUIÇÕES BOLSAS DE VALORES INSTITUTOS DE AGENTES


FINANCEIRAS RESSEGUROS DO FINANCEIROS
BRASIL I.R.B.

BCOS. COMERCIAIS SOC. CORRETORAS CIAS. SEGURADORAS INCORPORADORES


Bcos. INVESTIMENTOS SOC. DISTRIBUIDORAS PREVIDÊNCIA PRIVADA CONSTRUTORAS
FINANCEIRAS AGENTES AUTÔNOMOS PLANOS DE SAÚDE MUTUÁRIOS
Cias. LEASING
CARTÕES DE CRÉDITO
CONSÓRCIO SOCIEDADES POR
Cias. CAPITALIZAÇÃO AÇÕES
Bcos.DESENVOLVIMENTO CAPITAL ABERTO

7
2. Mercado de Crédito:

Mercado de empréstimos, no qual o Investidor não está comprometido diretamente com o


desempenho do Tomador, sendo remunerado por juros e com garantias por operação,
mediante prazo determinados.

POLÍTICAS E DIRETRIZES

CONGRESSO NACIONAL CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL

REGULAMENTAÇÃO E FISCALIZAÇÃO

MERCADO DE
CRÉDITO

BCO. CENTRAL BRASIL


BACEN

OPERAÇÃO

INSTITUIÇÕES
FINANCEIRAS

Bcos. COMERCIAIS
Bcos. INVESTIMENTOS
FINANCEIRAS
Cias. LEASING
CARTÕES DE CRÉDITO
CONSÓRCIOS
Cias. CAPITALIZAÇÃO
Bcos. DESENVOLVIMENTO
BNDES
BASA
BNB
CAIXAS ECONÔMICAS

8
3. Mercado de Capitais:

Mercado de risco compartilhados pelo Investidor e pelo Tomador, já que a remuneração


sobre o investimento dependerá do resultado que venha a ser obtido na aplicação. É
remunerado por Dividendos e Bonificações, conforme o lucro apurado à época da
levantamento das Demonstrações Financeiras, conforme os Estatutos Sociais do Tomador,
que apresenta seu Patrimônio como garantia.

POLÍTICAS E DIRETRIZES

CONGRESSO NACIONAL CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL

REGULAMENTAÇÃO E FISCALIZAÇÃO

MERCADO DE
CAPITAIS

COMISSÃO DE VALORES
MOBILIÁRIOS - CVM

OPERAÇÃO

BOLSAS DE VALORES

SOC. CORRETORAS
SOC. DISTRIBUIDORAS
AGENTES AUTÔNOMOS

SOCIEDADES POR
AÇÕES
CAPITAL ABERTO

9
4. Mercado Segurador

Mercado de riscos em função da ocorrência de sinistros. O lucro do segurador será o


produto do confronto das receitas auferidas na arrecadação de prêmios, somados com os
rendimentos obtidos na aplicação dos recursos captados, e deduzindo-se os gastos com
ressarcimento de indenizações de segurados sinistrados.

POLÍTICAS E DIRETRIZES

CONGRESSO NACIONAL CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL

REGULAMENTAÇÃO E FISCALIZAÇÃO

MERCADO
SEGURADOR

SUPERINTENDÊNCIA
SEGUROS PRIVADOS

OPERAÇÃO

INSTITUTOS DE
RESSEGUROS DO
BRASIL I.R.B.

CIAS. SEGURADORAS
PREVIDÊNCIA PRIVADA
PLANOS DE SAÚDE

10
5. Sistema Financeiro de Habitação

Mercado de empréstimos que tinha com objetivo inicial proporcionar meios financeiros
para a aquisição de moradia própria, condigna à população de baixa renda.

POLÍTICAS E DIRETRIZES

CONGRESSO NACIONAL CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL

REGULAMENTAÇÃO E FISCALIZAÇÃO

S. F. H.

CAIXA ECONÔMICA
FEDERAL - CEF

OPERAÇÃO

AGENTES
FINANCEIROS

INCORPORADORES
CONSTRUTORAS
MUTUÁRIOS

11
SISTEMA FINANCEIRO DA HABITAÇÃO

S. F. H.

APLICAÇÕES FONTES
Juros e CM do FGTS Fundo de Garantia de Tempo de Serviços
Juros e CM de Cadernetas Cadernetas de Poupança
Juros e CM de Letras Imobiliárias Emissão de Letras Imobiliárias
Juros e CM de Cédulas Hipotecárias Emissão de Cédulas Hipotecárias
Saques do FGTS Recebimento de Amortizações de Mutuários
Retiradas da Poupança Subsídios Governamentais
Resgate de Letras Imobiliárias e Cédulas Hipotecárias
Empréstimos a Mutuários
Saneamento Básico
Urbanização
Administração do Sistema

Objetivo Inicial : - Proporcionar meios financeiros para a aquisição de moradia


própria , condigna, à população de baixa renda.

Desvios : - Especulação imobiliária dos terrenos.


- Inflação de demanda dos materiais de construção.
- Construções verticalizadas.
- Financiamento de casas de veraneio/imóveis de luxo.
- Desvio de recursos para cobrir déficit público.
- Ausência de fiscalização.
- Baixa qualidade das construções.
- Estouro financeiro de grandes Sociedades Financeiras.
- Falta de Planejamento Urbano e Saneamento Básico.
- Demagogia. Empreguismo. Corrupção.
- Atraso Tecnológico dos Sistemas Construtivos.
- Extinção do BNH/Absorção pela C. E. F.

12
AVALIAÇÃO CRÍTICA DA SITUAÇÃO DO SISTEMA FINANCEIRO BRASILEIRO
DIAGNÓSTICO CAUSAS ALTERNATIVAS (Algumas p/
Reflexão)

13
AVALIAÇÃO CRÍTICA DA SITUAÇÃO DO SISTEMA FINANCEIRO BRASILEIRO
DIAGNÓSTICO CAUSAS ALTERNATIVAS (Algumas p/ Reflexão)
- ESTADO sem projeto político definido, - Razões históricas. Culturais. Falta de - Surgimento de lideranças positivas que
sem projeto econômico de médio e longo participação política do cidadão. Visão conduzam para conscientização política
prazo, gerando incertezas e inércia de imediatista. coletiva. Educação, Cultura e Esporte.
negócios. Definição de Projeto Político.

- Participação preponderante do ESTADO - Falta de projeto político. Ideologia híbrida.- Fixação de política de atuação do ESTADO
em todos os segmentos: maior investidor, como regulador e fiscalizador. Privatização
maior tomador e maior intermediário das atividades industriais e comerciais de
financeiro, ao mesmo tempo que se auto- livre comércio. Estatização de serviços
regula e auto-fiscaliza. básicos essenciais de Saúde, Educação,
Saneamento, Segurança, Previdência e
Assistência Social.
- Mercado altamente elitista, concentrado em - Falta de projeto político. Oligopólios - Abertura de Mercado. Leis rigorosas que
poucos e grandes Grupos Econômicos. organizados e sociedade desorganizada. inibam formação de monopólios e
oligopólios e que incentivem pequenos e
médios empresários.

- Desorganização do ESTADO. - Déficit público crônico. Oligopólios. - Corte funcionalismo ocioso. Dignificação
Empreguismo. Demagogia. Falta de hábito da profissão de servidor público.
de poupar/investir. Desperdício. Alienação. Obrigatoriedade do Curso de Administrador
Incompetência administrativa. Corrupção. Público. Agilização do Poder Judiciário.
Dívida Externa. Excesso de Impostos. Reforma Tributária. Abertura Tecnológica.
Sonegação. Analfabetismo. Falta de Alfabetização em massa. Racionalização da
Planejamento familiar. Agricultura. Planejamento Familiar.
- Corrupção generalizada. - Perda de valores éticos, morais e - Direito coletivo passar a prevalecer sobre o
financeiros. Impunidade. direito individual. Consciência de ser
cidadão. Crença no futuro. Reversão de
expectativas.
14
Unidade III - Orçamento Financeiro ( Cash-Flow )

1. Conceito :

É o planejamento das operações da Entidade que determinarão as disponibilidades de


recursos financeiros em cada período projetado.

2. Distinções de conceitos :

Previsão - É a antevisão dos fatos futuros de acordo com as tendências


observadas, com o conhecimento de fatos já predeterminados e
com premissas cientificas ou intuitivas ( feeling ) confiáveis.

Planejamento - É a definição dos objetivos a serem alcançados, e das políticas


e diretrizes a serem adotadas para atingi-los, tudo de acordo
com as previsões existentes.

Orçamento - É a valorização do planejamento, adotando-se a unidade


monetária como linguagem para expressar a composição
quantitativa e qualitativa dos objetivos a alcançar.

3. Disponibilidades :

É o conjunto de recursos financeiros que a Entidade pode dispor imediatamente e


garantir liquidez instantânea para pagar as obrigações assumidas perante seus credores.

4. Movimentação Financeira :
Em cada período o saldo de disponibilidades variará em função da movimentação
financeira da Entidade ou seja, em decorrência do volume de entradas de recursos
monetários - RECEBIMENTOS e do volume de saídas de recursos monetários -
PAGAMENTOS.

15
5. Orçamento de Recebimentos ( Entradas ) :

É a valorização do planejamento das operações que proporcionarão entrada de recursos monetários para a Entidade, como por exemplo:

ROCHA PEREIRA ORÇAMENTO DE RECEBIMENTOS Data:


Consultoria e Serviços N-1
Executado
ITENS Previsto Executado Diferença N N+1 N+2 N+N
R$ %
A) Vendas à Vista

B) Recebimentos de Vendas à Prazo

C) Subscrição de Capital de Proprietários

D) Subscrição de Capital de Debenturistas

E) Líquidos de Empréstimos

F) Receitas de Aplicações no Mercado

G) Donativos / subsídios / outras

H) Entradas Período Anterior

I) Entradas Extra-Operacionais

TOTAL DE RECEBIMENTOS

16
6. Orçamento de Pagamentos ( saídas ) :

É a valorização do planejamento das operações que gerarão saídas de recursos monetários da Entidade, como por exemplo :

ROCHA PEREIRA ORÇAMENTO DE PAGAMENTOS Data:


Consultoria e Serviços Executado N - 1
ITENS Previsto Executado Diferença N N+1 N+2 N+N
R$ %
A) Salários e Ordenados
B) Compras à Vista
C) Compras à Prazo ( Fornecedores )
D) Aluguéis
E) Encargos Sociais
F) Impostos
G) Financiamentos ( Empréstimos )
H) Serviços ( Autônomos, luz, gás )
I) Encargos Trabalhistas
J) Gastos Eventuais ou Pronto Pgto.
L) Outras contas à Pagar
M) Saídas Período Anterior
N) Saídas Extra-Operacionais
TOTAL DE PAGAMENTOS

17
7. Encaixe Mínimo :

É a definição do montante que a Entidade precisa manter disponível para atender


eventuais piques de pagamentos em determinados períodos com entradas insuficientes
( detectados em cronogramas de disponibilidades de períodos mais reduzidos ), somado
ao valor necessário para manter saldo médio nos bancos comerciais onde opera.

8. Cronograma de Disponibilidades :

É o detalhamento do orçamento financeiro em períodos mais curtos : diário, semanal ou


quinzenal, de acordo com as necessidades de cada tipo de Entidade, tendo como
finalidade detectar, previamente, eventuais piques ( déficit ou superávit ) de
disponibilidades, não observados no período maior do Cash-Flow. Serve também para
planejamento antecipado do valor de aplicações a serem efetuadas ( sobras ) ou o líquido
de empréstimos a serem tomados ( faltas ).

18
9. Cash-Flow :
É o demonstrativo sintético da movimentação financeira em cada período, compreendendo as transações operacionais, extra-operacionais
e as transferências de/para períodos anteriores/posteriores.
ROCHA PEREIRA CASH - FLOW Data:
Consultoria e Serviços Executado N - 1
ITENS Previsto Executado Diferença N N+1 N+2 N+N
R$ %
1) Operações do Mês
A - Entradas
B - Saídas
C - Saldo mês ( A - B )
2) Transferência Período Anterior
D - Entradas
E - Saídas
F - Saldo Transferência ( D - E )
3) Movimento Extra-Operacional
G - Entradas
H - Saídas
I - Saldo Extra-Operacionais ( G - H )
4) Consolidado do Mês
J - Entradas
L - Saídas
M - Saldo Consolidado ( J - L )
5) Saldo Mês Anterior
6) Saldo Preliminar Atual ( = 4 + 5 )
7) Encaixe Mínimo
8) Aplicações ( Se 6 > 7 )
9) Líquido Empréstimos ( Se 6 < 7 )
10) Saldo Final Disponibilidade ( =7 )

19
AVALIAÇÃO INTERMEDIÁRIA

01- Conceitue Mercado Financeiro, enumerando seus agentes e descrevendo suas respectivas
funções. ( 2 pontos )

02 - Enumere e explique os 6 princípios de uma negociação financeira. ( 2 pontos )

03 - Enumere e explique os 4 fatores de motivação para Investidores. ( 2 pontos )

04 - Explique como a Satisfação Pessoal, pode ser o mais importante fator de motivação para
determinados tipos de investidores. ( 2 pontos )

05 - Enumere e explique os 6 elementos de composição de uma taxa financeira. ( 2 pontos )

06 - Demonstre graficamente através de um organograma, a estrutura completa do Sistema


Financeiro Brasileiro. ( 3 pontos )

07 - Demonstre graficamente através de um organograma, a estrutura completa do Mercado de


Crédito. ( 2 pontos )

08 - Demonstre graficamente através de um organograma, a estrutura completa do Mercado de


Capitais. ( 2 pontos )

09 - Demonstre graficamente através de um organograma, a estrutura completa do Mercado


Segurador . ( 2 pontos )

10 - Demonstre graficamente através de um organograma, a estrutura completa do Sistema


Financeiro da Habitação. ( 2 pontos )

11 - Conceitue Mercado de Crédito. ( 2 pontos )

12 - Conceitue Mercado de Capitais. ( 2 pontos )

13 - Quais as principais distinções entre Mercado de Crédito e Mercado de Capitais.


( 2 pontos )

14 - Conceitue Mercado Segurador. ( 2 pontos )

15 - Enumere pelo menos 05 formas de aplicações e 05 formas de fontes de recursos para


o Sistema Financeiro da Habitação - SFH. ( 2 pontos )

16 - Descreva o objetivo inicial e enumere pelo menos 10 tipos de desvios desse objetivo,
que causaram o desequilíbrio do SFH. ( 2 pontos )

20
AVALIAÇÃO INTERMEDIÁRIA
(Continuação)

17 - Descreva pelo menos 03 diagnósticos, com respectivas causas e alternativas, referentes à


Avaliação crítica do Sistema Financeiro Brasileiro, transcrita na Apostila. ( 3 pontos )

18 - Descreva as distinções entre Planejamento, Previsão e Orçamento.( 2 pontos )

19 - Conceitue Disponibilidades. ( 1 ponto )

20 - Conceitue Movimentação Financeira. ( 1 ponto )

21 - Enumere os 9 principais itens que compõem o Orçamento de Recebimentos. ( 3 pontos )

22 - Enumere os 13 principais itens que compõem o Orçamento de Pagamentos. ( 3 pontos )

23 - Conceitue Encaixe Mínimo. ( 1 ponto )

24 - Conceitue Cronograma de Disponibilidades. ( 1 ponto )

25 - Enumere todos os itens que compõem o Cash-Flow. ( 3 pontos )

21
GABARITO AVALIAÇÃO INTERMEDIÁRIA

01- Conceitue Mercado Financeiro, enumerando seus agentes e descrevendo suas respectivas
funções. ( 2 pontos )
R. É o conjunto de normas legais e procedimentos que proporcionam e facilitam a
transferência de recursos monetários entre agentes econômicos.

regulamenta ...... ESTADO ........ fiscaliza

INVESTIDOR ..................... OPERAM .................... TOMADOR

:
:
INTERMEDIÁRIO
FINANCEIRO

02 - Enumere e explique os 6 princípios de uma negociação financeira. ( 2 pontos )


R.1.Definição dos integrantes do negócio: Partes, intermediários e níveis de decisão;
2.Avaliação da oportunidade: Análise da conjuntura econômico-financeira no
ambiente da negociação, seus aspectos políticos, sociais, éticos, legais e de
incidência tributária;
3.Definição do montante a ser negociado;
4.Definição do prazo de contratação;
5.Definição dos custos da operação: Em função dos riscos potenciais, das garantias
oferecidas, das taxas praticadas pelo Mercado à época, e das complexidades da
operação;
6.Formalização expressa em algum tipo de contrato, judicialmente válido.

03 - Enumere e explique os 4 fatores de motivação para Investidores. ( 2 pontos )


R. Liquidez - Capacidade de conversibilidade dos investimentos em disponíveis
imediatos;
Rentabilidade - Capacidade de retorno do valor do capital aplicado.
Segurança - É o grau de garantia apresentada pelo investimento, demonstrando
a preservação e o aumento dos recursos aplicados, diante dos
riscos de perdas possíveis no período da aplicação.
Satisfação Pessoal - É o fator subjetivo que faz com que o investidor aplique seus
recursos em determinados tipos de investimentos,
independentemente do seu grau de risco, capacidade de liquidez
ou taxa de rentabilidade.

22
GABARITO AVALIAÇÃO INTERMEDIÁRIA
( continuação gabarito )

04 - Explique como a Satisfação Pessoal, pode ser o mais importante fator de motivação para
determinados tipos de investidores. ( 2 pontos )

R. Satisfação Pessoal - É o fator subjetivo que faz com que o investidor aplique seus
recursos em determinados tipos de investimentos, independentemente do seu grau de
risco, capacidade de liquidez ou taxa de rentabilidade.

05 - Enumere e explique os 6 elementos de composição de uma taxa financeira. ( 2 pontos )

R. 1. Percentual da inflação projetada no período de aplicação (para taxas pré-fixadas),


suficiente para proteger o capital, da perda do poder aquisitivo da moeda, no prazo
da transação.

2. Percentual para ressarcimento dos custos com captação de recursos;

3. Percentual correspondente a cobertura das despesas com a realização da operação:


tarifas de serviços, impostos incidentes, legalizações contratuais, materiais
empregados e demais gastos administrativos;

4. Percentual referente ao grau de riscos potenciais que possam ser assumidos e


considerando-se a hipótese de eventuais inadimplências.

5. Percentual referente ao montante de lucro líquido que se deseja obter para


remuneração real sobre o montante empregado.

6. Percentual relacionado à pressão circunstancial da demanda por dinheiro, como


fator de seletividade, desestimulando aqueles que representam um grau maior de
incerteza e estimulando aqueles que apresentam maiores garantias, de forma a dar
critérios mais objetivos na decisão gerencial.

23
06 - Demonstre graficamente através de um organograma, a estrutura completa do Sistema Financeiro Brasileiro. ( 3 pontos )
R. Estrutura Organizacional do S. F. B.

POLÍTICAS E DIRETRIZES POLÍTICAS E DIRETRIZES

CONGRESSO NACIONAL CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL

REGULAMENTAÇÃO E FISCALIZAÇÃO REGULAMENTAÇÃO E FISCALIZAÇÃO

MERCADO DE MERCADO DE MERCADO S. F. H.


CRÉDITO CAPITAIS SEGURADOR

BCO. CENTRAL BRASIL COMISSÃO DE VALORES SUPERINTENDÊNCIA CAIXA ECONÔMICA


BACEN MOBILIÁRIOS - CVM SEGUROS PRIVADOS FEDERAL - CEF

OPERAÇÃO OPERAÇÃO OPERAÇÃO

INSTITUIÇÕES BOLSAS DE VALORES INSTITUTOS DE AGENTES


FINANCEIRAS RESSEGUROS DO FINANCEIROS
BRASIL I.R.B.

BCOS. COMERCIAIS SOC. CORRETORAS CIAS. SEGURADORAS INCORPORADORES


Bcos. INVESTIMENTOS SOC. DISTRIBUIDORAS PREVIDÊNCIA PRIVADA CONSTRUTORAS
FINANCEIRAS AGENTES AUTÔNOMOS PLANOS DE SAÚDE MUTUÁRIOS
Cias. LEASING
CARTÕES DE CRÉDITO
CONSÓRCIO SOCIEDADES POR
Cias. CAPITALIZAÇÃO AÇÕES
Bcos.DESENVOLVIMENTO CAPITAL ABERTO

24
GABARITO AVALIAÇÃO INTERMEDIÁRIA
( continuação gabarito )

07 - Demonstre graficamente através de um organograma, a estrutura completa do Mercado de


Crédito. ( 2 pontos )
R.
POLÍTICAS E DIRETRIZES

CONGRESSO NACIONAL CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL

REGULAMENTAÇÃO E FISCALIZAÇÃO

MERCADO DE
CRÉDITO

BCO. CENTRAL BRASIL


BACEN

OPERAÇÃO

INSTITUIÇÕES
FINANCEIRAS

Bcos. COMERCIAIS
Bcos. INVESTIMENTOS
FINANCEIRAS
Cias. LEASING
CARTÕES DE CRÉDITO
CONSÓRCIOS
Cias. CAPITALIZAÇÃO
Bcos. DESENVOLVIMENTO
BNDES
BASA
BNB
CAIXAS ECONÔMICAS

25
GABARITO AVALIAÇÃO INTERMEDIÁRIA
( continuação gabarito )

08 - Demonstre graficamente através de um organograma, a estrutura completa do Mercado de


Capitais. ( 2 pontos )
R.

POLÍTICAS E DIRETRIZES

CONGRESSO NACIONAL CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL

REGULAMENTAÇÃO E FISCALIZAÇÃO

MERCADO DE
CAPITAIS

COMISSÃO DE VALORES
MOBILIÁRIOS - CVM

OPERAÇÃO

BOLSAS DE VALORES

SOC. CORRETORAS
SOC. DISTRIBUIDORAS
AGENTES AUTÔNOMOS

SOCIEDADES POR
AÇÕES
CAPITAL ABERTO

26
GABARITO AVALIAÇÃO INTERMEDIÁRIA
( continuação gabarito )

09 - Demonstre graficamente através de um organograma, a estrutura completa do Mercado


Segurador . ( 2 pontos )
R.
POLÍTICAS E DIRETRIZES

CONGRESSO NACIONAL CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL

REGULAMENTAÇÃO E FISCALIZAÇÃO

MERCADO
SEGURADOR

SUPERINTENDÊNCIA
SEGUROS PRIVADOS

OPERAÇÃO

INSTITUTOS DE
RESSEGUROS DO
BRASIL I.R.B.

CIAS. SEGURADORAS
PREVIDÊNCIA PRIVADA
PLANOS DE SAÚDE

27
GABARITO AVALIAÇÃO INTERMEDIÁRIA
( continuação gabarito )

10 - Demonstre graficamente através de um organograma, a estrutura completa do Sistema


Financeiro da Habitação. ( 2 pontos )
R.

POLÍTICAS E DIRETRIZES

CONGRESSO NACIONAL CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL

REGULAMENTAÇÃO E FISCALIZAÇÃO

S. F. H.

CAIXA ECONÔMICA
FEDERAL - CEF

OPERAÇÃO

AGENTES
FINANCEIROS

INCORPORADORES
CONSTRUTORAS
MUTUÁRIOS

28
GABARITO AVALIAÇÃO INTERMEDIÁRIA
( continuação gabarito )

11 - Conceitue Mercado de Crédito. ( 2 pontos )

R. Mercado de empréstimos, no qual o Investidor não está comprometido diretamente


com o desempenho do Tomador, sendo remunerado por juros e com garantias por
operação, mediante prazo determinados.

12 - Conceitue Mercado de Capitais. ( 2 pontos )

R. Mercado de risco compartilhados pelo Investidor e pelo Tomador, já que a


remuneração sobre o investimento dependerá do resultado que venha a ser obtido na
aplicação. É remunerado por Dividendos e Bonificações, conforme o lucro apurado
à época da levantamento das Demonstrações Financeiras, conforme os Estatutos
Sociais do Tomador, que apresenta seu Patrimônio como garantia.

13 - Quais as principais distinções entre Mercado de Crédito e Mercado de Capitais.


( 2 pontos )

R. Mercado de Crédito - Mercado de empréstimos, no qual o Investidor não está


comprometido diretamente com o desempenho do Tomador,
sendo remunerado por juros e com garantias por operação,
mediante prazo determinados.
Mercado de Capitais - Mercado de risco compartilhados pelo Investidor e pelo
Tomador, já que a remuneração sobre o investimento
dependerá do resultado que venha a ser obtido na aplicação.
É remunerado por Dividendos e Bonificações, conforme o
lucro apurado à época da levantamento das Demonstrações
Financeiras, conforme os Estatutos Sociais do Tomador, que
apresenta seu Patrimônio como garantia.

14 - Conceitue Mercado Segurador. ( 2 pontos )

R. Mercado de riscos em função da ocorrência de sinistros. O lucro do segurador será o


produto do confronto das receitas auferidas na arrecadação de prêmios, somados com
os rendimentos obtidos na aplicação dos recursos captados, e deduzindo-se os gastos
com ressarcimento de indenizações de segurados sinistrados.

29
GABARITO AVALIAÇÃO INTERMEDIÁRIA
( continuação gabarito )

15 - Enumere pelo menos 05 formas de aplicações e 05 formas de fontes de recursos para


o Sistema Financeiro da Habitação - SFH. ( 2 pontos )

R.

APLICAÇÕES FONTES
Juros e CM do FGTS Fundo de Garantia de Tempo de Serviços
Juros e CM de Cadernetas Cadernetas de Poupança
Juros e CM de Letras Imobiliárias Emissão de Letras Imobiliárias
Juros e CM de Cédulas Hipotecárias Emissão de Cédulas Hipotecárias
Saques do FGTS Recebimento de Amortizações de Mutuários
Retiradas da Poupança Subsídios Governamentais
Resgate de Letras Imobiliárias e Cédulas Hipotecárias
Empréstimos a Mutuários
Saneamento Básico
Urbanização
Administração do Sistema

16 - Descreva o objetivo inicial e enumere pelo menos 10 tipos de desvios desse objetivo,
que causaram o desequilíbrio do SFH. ( 2 pontos )

R. Objetivo Inicial : - Proporcionar meios financeiros para a aquisição de moradia


própria , condigna, à população de baixa renda.

Desvios : - Especulação imobiliária dos terrenos.


- Inflação de demanda dos materiais de construção.
- Construções verticalizadas.
- Financiamento de casas de veraneio/imóveis de luxo.
- Desvio de recursos para cobrir déficit público.
- Ausência de fiscalização.
- Baixa qualidade das construções.
- Estouro financeiro de grandes Sociedades Financeiras.
- Falta de Planejamento Urbano e Saneamento Básico.
- Demagogia. Empreguismo. Corrupção.
- Atraso Tecnológico dos Sistemas Construtivos.
- Extinção do BNH/Absorção pela C. E. F.

30
17 - Descreva pelo menos 03 diagnósticos, com respectivas causas e alternativas, referentes à Avaliação crítica do Sistema
Financeiro Brasileiro, transcrita na Apostila. ( 3 pontos )
R. AVALIAÇÃO CRÍTICA DA SITUAÇÃO DO SISTEMA FINANCEIRO BRASILEIRO
DIAGNÓSTICO CAUSAS ALTERNATIVAS (Algumas p/ Reflexão)
- ESTADO sem projeto político definido, - Razões históricas. Culturais. Falta de - Surgimento de lideranças positivas que
sem projeto econômico de médio e longo participação política do cidadão. Visão conduzam para conscientização política
prazo, gerando incertezas e inércia de imediatista. coletiva. Educação, Cultura e Esporte.
negócios. Definição de Projeto Político.
- Participação preponderante do ESTADO - Falta de projeto político. Ideologia híbrida. - Fixação de política de atuação do ESTADO
em todos os segmentos: maior investidor, como regulador e fiscalizador. Privatização
maior tomador e maior intermediário das atividades industriais e comerciais de
financeiro, ao mesmo tempo que se auto- livre comércio. Estatização de serviços
regula e auto-fiscaliza. básicos essenciais de Saúde, Educação,
Saneamento, Segurança, Previdência e
Assistência Social.
- Mercado altamente elitista, concentrado em - Falta de projeto político. Oligopólios - Abertura de Mercado. Leis rigorosas que
poucos e grandes Grupos Econômicos. organizados e sociedade desorganizada. inibam formação de monopólios e
oligopólios e que incentivem pequenos e
médios empresários.
- Desorganização do ESTADO. - Déficit público crônico. Oligopólios. - Corte funcionalismo ocioso. Dignificação
Empreguismo. Demagogia. Falta de hábito da profissão de servidor público.
de poupar/investir. Desperdício. Alienação. Obrigatoriedade do Curso de Administrador
Incompetência administrativa. Corrupção. Público. Agilização do Poder Judiciário.
Dívida Externa. Excesso de Impostos. Reforma Tributária. Abertura Tecnológica.
Sonegação. Analfabetismo. Falta de Alfabetização em massa. Racionalização da
Planejamento familiar. Agricultura. Planejamento Familiar.
- Corrupção generalizada. - Perda de valores éticos, morais e - Direito coletivo passar a prevalecer sobre o
financeiros. Impunidade. direito individual. Consciência de ser
cidadão. Crença no futuro. Reversão de
expectativas.
31
GABARITO AVALIAÇÃO INTERMEDIÁRIA
( continuação gabarito )

18 - Descreva as distinções entre Planejamento, Previsão e Orçamento.( 2 pontos )

R. Previsão - É a antevisão dos fatos futuros de acordo com as tendências


observadas, com o conhecimento de fatos já predeterminados e
com premissas cientificas ou intuitivas ( feeling ) confiáveis.

Planejamento - É a definição dos objetivos a serem alcançados, e das políticas e


diretrizes a serem adotadas para atingi-los, tudo de acordo com as
previsões existentes.

Orçamento - É a valorização do planejamento, adotando-se a unidade monetária


como linguagem para expressar a composição quantitativa e
qualitativa dos objetivos a alcançar.

19 - Conceitue Disponibilidades. ( 1 ponto )

R. É o conjunto de recursos financeiros que a Entidade pode dispor imediatamente e


garantir liquidez instantânea para pagar as obrigações assumidas perante seus
credores.

20 - Conceitue Movimentação Financeira. ( 1 ponto )

R. Em cada período o saldo de disponibilidades variará em função da movimentação


financeira da Entidade ou seja, em decorrência do volume de entradas de recursos
monetários - RECEBIMENTOS e do volume de saídas de recursos monetários -
PAGAMENTOS.

21 - Enumere os 9 principais itens que compõem o Orçamento de Recebimentos. ( 3 pontos )

R. 1. Vendas à Vista
2. Recebimentos de Vendas à Prazo
3. Subscrição de Capital de Proprietários
4. Subscrição de Capital de Debenturistas
5. Líquidos de Empréstimos
6. Receitas de Aplicações no Mercado
7. Donativos / subsídios / outras
8. Entradas Período Anterior
9. Entradas Extra-Operacionais

32
GABARITO AVALIAÇÃO INTERMEDIÁRIA
( continuação gabarito )

22 - Enumere os 13 principais itens que compõem o Orçamento de Pagamentos. ( 3 pontos )

R. 1. Salários e Ordenados
2. Compras à Vista
3. Compras à Prazo
4. Aluguéis
5. Encargos Sociais
6. Impostos
7. Financiamento ( Empréstimos )
8. Serviços ( Autônomos, luz, gás )
9. Encargos Trabalhistas
10. Gastos Eventuais ou Pronto Pagamento
11. Outras contas à Pagar
12. Saídas Período Anterior
13. Saídas Extra-Operacionais

23 - Conceitue Encaixe Mínimo. ( 1 ponto )

R. É a definição do montante que a Entidade precisa manter disponível para atender


eventuais piques de pagamentos em determinados períodos com entradas
insuficientes ( detectados em cronogramas de disponibilidades de períodos
mais reduzidos ), somado ao valor necessário para manter saldo médio nos bancos
comerciais onde opera.

24 - Conceitue Cronograma de Disponibilidades. ( 1 ponto )

R. É o detalhamento do orçamento financeiro em períodos mais curtos : diário, semanal


ou quinzenal, de acordo com as necessidades de cada tipo de Entidade, tendo como
finalidade detectar, previamente, eventuais piques ( déficit ou superávit ) de
disponibilidades, não observados no período maior do Cash-Flow. Serve também
para planejamento antecipado do valor de aplicações a serem efetuadas ( sobras ) ou
o líquido de empréstimos a serem tomados ( faltas ).

33
GABARITO AVALIAÇÃO INTERMEDIÁRIA
( continuação gabarito )

25 - Enumere todos os itens que compõem o Cash-Flow. ( 3 pontos )

R. 1. Operação do Mês
A - Entradas
B - Saídas
C - Saldo do Mês ( A - B )

2. Transferência Período Anterior


D - Entradas
E - Saídas
F - Saldo Transferência ( D - E )

3. Movimento Extra-Operacional
G - Entradas
H - Saídas
I - Saldo Extra-Operacional

4. Consolidado do Mês
J - Entradas
L - Saídas
M - Saldo Consolidado

5. Saldo Mês Anterior

6. Saldo Preliminar Atual ( = 4+5 )

7. Encaixe Mínimo

8. Aplicações ( Se 6 >7 )

9. Líquido Empréstimos ( Se 6< 7 )

10. Saldo Final Disponibilidade ( =7 )

34
UNIDADE IV - Captação de Recursos

1. Conceito :

É a função do Administrador Financeiro de obter recursos monetários, que permitam a


Entidade garantir liquidez permanente para as obrigações assumidas com credores, com o
mínimo de custo possível.

2. Fontes de Recursos :

A obtenção de recursos pode ser feita nas seguinte formas :

a) Mediante subscrição de capital pelos proprietários;

b) Mediante compras no maior prazo possível, sem alterar o preço final;

c) Mediante adiantamento de clientes;

d) Promovendo vendas à vista sem conceder descontos que alterem,


substantivamente, o preço de mercado;

e) Alienando bens estocados com baixa rotatividade ou ociosos, através


campanhas compatíveis com resultado financeiro esperado;

f) Alienando bens permanentes obsoletos, fora de uso ou com gastos de


manutenção superiores á renda proporcionada;

g) Concedendo descontos financeiros para resgate de créditos a vencer de


clientes;

h) Mediante empréstimos obtidos junto a acionistas, diretores ou outros


interessados, que tenham vantagens em postergar a exigibilidade do crédito;

i) Mediante lançamento público ou particular de debêntures;

j) Recorrendo ao Mercado Financeiro, através de financiamentos de curto e longo


prazo, de acordo com a natureza das aplicações desses recursos;

35
3. - Recursos Provenientes do Mercado Financeiro

Através dos agentes do Mercado Financeiro pode-se obter recursos, nas seguintes
modalidades de empréstimos e financiamentos:

3.1 - Curto Prazo:

Operações com vencimento em até 365 dias:

3.1.1 - Notas promissórias

Empréstimo geralmente de um único pagamento, com prazo mínimo de 30


dias e no máximo de 180 dias, feito por Banco Comercial, com taxas de
mercado sob a garantia de avalista.

3.1.2 - Desconto de Títulos

É o empréstimo feito por Bancos Comerciais que por determinada taxa de


desconto, antecipam valores da Entidade, a qual mediante endosso, transfere
seus direitos ao agente financiador, ficando no entanto, estabelecido que se o
devedor do título não honrar o compromisso, a Entidade devolverá ao agente
creditício o valor bruto antecipado.

3.1.3 - Linhas Específicas de Crédito

São linhas de crédito oferecidas pelas Entidades de Crédito para aplicações


específicas para cada tipo de atividade econômica.

Ex.: Linha de Crédito Rural


Linha de Crédito à Exportação
Linha de Crédito para Pequena e Média Empresa
Linha de Crédito Externo
Cheques Especiais
Cartões de Crédito

36
3.2 - Longo Prazo

Operações com vencimentos superiores a 365 dias:

3.2.1 - Empréstimos vinculados com garantias reais = hipotecas, penhores,


warrants.

Agentes:

BNDES, BASA, BNB, Caixas Econômicas, Bancos de Desenvolvimento,


Bancos de Investimentos, Sociedades de Crédito Imobiliário e Associações
de Poupança e Empréstimo.

3.2.2 - Empréstimos vinculados à cobrança de título para reforço do capital de giro


e garantia de avalistas.

Agentes:

Bancos de Investimentos e Bancos de Desenvolvimento.

3.2.3 - Operações de “Leasing”

Realizadas por Sociedades de Arrendamento Mercantil que adquirem


bens permanentes, necessárias às operações da FINANCIADA, alugando-os
por taxas e períodos determinados.
Nessas operações embora a posse dos bens fique com a FINANCIADA, a
propriedade é sempre da Cia. de Leasing, como garantia de operação.
A posse do bem fica com o financiado, enquanto pagar em dia as prestações
ou quando exercer a opção de compra, ocasião em que se tornará o
proprietário.
Caso não pague as prestações ou não adquira o bem o financiado terá que
devolvê-lo a Cia. de Leasing.

37
Unidade V - Aplicação de Recursos

1 - Conceito:

É o conjunto de formas de destinação de recursos, utilizadas por Investidores para a


preservação e incremento de suas riquezas.

2 - Aplicações em Bens e Direitos:

São aplicações que representam a transformação de reservas de recursos monetários dos


investidores em títulos de propriedades de bens físicos e/ou direitos de uso, que apresentam
capacidade de serem remunerados em Mercado próprio, onde possam ter liquidez,
conforme a natureza de cada bem/direito, rentabilidade variável dependendo da eficiência
de movimentos especulativos, e tenham garantias que assegurem a manutenção e o
acréscimo monetário do investimento.

EXEMPLOS:

Obras de arte, Imóveis, Animais de raça, Veículos, Máquinas e Equipamentos,


Mercadorias, Metais e Pedras Preciosas, Marcas e Patentes, Direito de Uso de Linhas
Telefônicas, Direitos de Prospecção e Extração de Minerais, etc.

CUIDADOS ESPECIAIS:

- Avaliar o perfil ético-social e econômico-financeiro dos participantes do


Mercado em que se quer participar;

- Avaliar a dimensão do Mercado: quanto maior, mais possibilidades de


liquidez, quanto menor, pior;

- Avaliar a sazonalidade da oferta e da procura;

- Avaliar a oportunidade de quando entrar e sair, em função do


ambiente político, da conjuntura e examinando o histórico das
cotações anteriores;

- Avaliar a procedência e a validade da documentação de propriedade


(legitimidade e legalidade);

- Comparar com outros tipos de investimentos;

- Diversificar.

38
3. - Títulos e Valores Mobiliários:

É o conjunto de "papéis" que possibilitam a materialização das transações financeiras


entre investidores e tomadores, através de intermediários financeiros.

Há uma enorme multiplicidade de alternativas, oferecidas pelo Mercado Financeiro,


dentre as quais, estudaremos a seguir, as seguintes opções mais procuradas pelos
Investidores de forma geral:

3.1 - Títulos da Divida Pública

3.2 - Letras Hipotecárias

3.3 - Notas Promissórias (Comercial Papers)

3.4 - Caderneta de Poupança

3.5 - Depósito a Prazo Fixo

3.6 - Fundos de Renda Fixa

3.7 - Warrant

3.8 - Letras de Câmbio

3.9 - Ações

3.10 - Fundos de Ações

3.11 - Debêntures

3.12 - Fundo de Commoditties

39
3.1 - Títulos da Dívida Pública

São emitidos pelo Tesouro Nacional, Banco Central, Governos Estaduais e Prefeituras

Municipais para oferta a investidores em geral, destinando-se:

a) Assegurar ou restringir liquidez do sistema financeiro brasileiro, servindo como

instrumento de política monetária do Governo.

b) Proporcionar meios de transformar disponíveis ociosos das Entidades em reservas

monetárias rentáveis;

c) A cobertura de déficit orçamentário público;

40
Distinções Orçamento Público x Orçamento Privado

Orçamento Público: - A finalidade é o equilíbrio entre Despesas e Receitas.


- Opera em regime de caixa.
- Fixa, primeiro, as Despesas (Gastos Públicos).
- Depois, estima as Receitas.

DESPESAS RECEITAS
DESPESAS PESSOAL IMPOSTOS E RECEITAS
CORRENTES MATERIAL CONTRIBUIÇÕES CORRENTES
SERVIÇOS DE MELHORIA
OBRAS BONIFICAÇÕES
AÇÕES DIVIDENDOS
JUROS E JUROS E
DESPESAS AMORTIZAÇÕES C. MONETÁRIA RECEITAS
DE CAPITAL MÓVEIS AMORTIZAÇÕES DE CAPITAL
INSTALAÇÕES
MÁQUINAS DOAÇÕES
EQUIPAMENTOS

Orçamento Privado: -A finalidade é obtenção de Lucro ( Receitas > Custos/Despesas).


-Opera em regime de competência ( Orçamento Econômico ) e no
regime de caixa (Cash-Flow).
-Fixa, primeiro, as Receitas ( conforme as Vendas, que podem ser
absorvidas pelo Mercado e conforme a Capacidade de Produção ).
-Depois, estima os Custos e Despesas, que deverão ser mantidas
em nível compatível com o Lucro, necessário ao retorno dos
Investimentos.

CUSTOS
OPERACIONAIS
RECEITAS
OPERACIONAIS

DESPESAS E

GERAIS NÃO
OPERACIONAIS

LUCRO

41
3.2 - Letras Hipotecárias:

São títulos emitidos por instituições que atuam na concessão de financiamentos com
recursos do SFH, com rendimentos de juros e correção monetária oficial, com garantia
da caução de créditos hipotecários da primeira hipoteca do imóvel, à instituição
emissora da LH.

3.3 - Notas Promissórias - (Comercial Papers):

São títulos emitidos por sociedade por ações, para oferta pública, que conferirão direitos
de créditos a seus titulares contra a emitente. Poderão ser endossáveis, com prazo
mínimo de vencimento de 30 dias e no máximo 180 dias, contados da data de emissão.
Sua emissão deverá ser previamente autorizada pela CVM (Comissão de Valores
Mobiliários), que fiscalizará o cumprimento das obrigações pela entidade emissora.

3.4 - Caderneta de Poupança:

São depósitos efetuados em Sociedades de Crédito Imobiliário, Associações de


Poupança e Empréstimo, Bancos Múltiplos e nas Caixas Econômicas, a serem
remunerados com juros e correção monetária oficial, garantidos pelo Governo Federal e
que gozam de benefícios fiscais.

São de três tipos:

a) LIVRE - que pode ser movimentada a qualquer tempo, por prazo


indeterminado.

b) BLOQUEADA - aberta para menores e bloqueada até a maioridade, salvo decisão


judicial ou aberta para o caso de indisponibilidade de numerário,
com movimentação bloqueada até a suspensão da medida pelo
Poder Público.

c) GARANTIA - para o contrato de locação, no valor máximo de 3 vezes o valor


locativo, pelo prazo de vigência do contrato e só podendo ser
movimentada:
- em conjunto (locatário e locador);
- apenas pelo locatário quando houver a anuência do locador;
- apenas pelo locador quando houver anuência do locatário;
- se for apresentada quitação pelo locador no contrato de locação;
- por sentença judicial.

42
3.5 - Depósito a Prazo Fixo:
São depósitos em Bancos Comerciais, Bancos de Investimento, e Bancos Múltiplos, por
prazo determinado, rendendo a seus aplicadores, juros conforme as oscilações de
Mercado, podendo ter correção pré ou pós fixada conforme índices oficiais.

Rendem em geral, bem acima como taxa nominal, geralmente são mais tributados e por
isso recomenda-se verificar sempre a taxa líquida, livre de impostos, para melhor
avaliação de sua real rentabilidade em comparação com os demais tipos de
investimentos existentes no mercado.

É resgatável somente na data do vencimento, seus prazos variam conforme a política


monetária vigente.

Tem formas de apresentação muito diversificada na rede bancária, como Certificados de


Depósitos Bancário (CDB`S) e/ou Recibos de Depósito Bancário (RDB`S). Os CDB`S
tem como principal característica serem endossáveis, enquanto os RDB`S são
intransferíveis.

3.6 - Fundos de Renda Fixa:


São aquisições de quotas de Fundos administrados por Agentes Financeiros, que
aplicam os recursos confiados pelos participantes em carteira formada por títulos da
Dívida Pública, debêntures, letras hipotecárias, letras de câmbio, depósitos a prazo fixo,
commoditties e ações nas proporções em que o Administrador considerar adequadas à
maior SEGURANÇA, RENTABILIDADE E LIQUIDEZ, e de acordo com as normas
estabelecidas pelo Banco Central.

A remuneração do quotista (investidor) é a diferença entre o custo médio dos valores


das quotas nos dias de suas aplicações e o valor da quota no dia do resgate.

A valorização da carteira do Fundo será apurada mediante apropriação das RECEITAS


obtidas pela remuneração dos títulos aplicados, deduzindo-se como DESPESAS, a taxa
de administração cobrada pelo Agente Financeiro e considerando-se ainda, a incidência
de tributos sobre os rendimentos auferidos.

Recomenda-se cuidados especiais para os prazos de carência para obtenção de


rendimentos, já que embora resgatáveis a qualquer momento, somente proporcionam
remuneração após o prazo de carência.

Apresentam vantagens de obtenção de maiores taxas, em função dos volumes de


recursos movimentados, além da facilidade de controle pelo quotista, que deverá ter
rigoroso cuidado na escolha do Fundo de Renda Fixa, em função da eficiência, tradição
e solidez patrimonial do Agente financeiro que o administra.

43
3.7 - Warrant:

São ordens que expressam depósito de Mercadoria em armazéns gerais, especialmente


autorizados a emitir esse tipo de título.
Inicialmente a mercadoria é transferida do proprietário para o armazém geral, o qual
recebe, confere a mercadoria e emite o WARRANT, que dá conhecimento a praça em
geral, garantindo que ali se encontram mercadorias, de que tipo, valor e seu estado de
conservação.
O proprietário das mercadorias paga ao Armazém Geral, aluguel pelo espaço ocupado,
seguro da mercadoria e transporte de carga e descarga.
De posse do Warrant, o proprietário pode negociá-lo no Mercado Financeiro, dando-o
como garantia, mediante endosso ao emprestador. Assim ele recebe o dinheiro do
empréstimo e passa a tomador de recursos. O Warrant fica, então, com o intermediário
financeiro que emprestou os recursos.
Na época do vencimento o tomador paga a dívida e recebe de volta o Warrant dado como
garantia. Apresenta o Warrant ao Armazém Geral e retira a mercadoria, encerrando-se a
operação.
Caso o tomador não pague a dívida, o intermediário financeiro poderá após o vencimento,
apresentar o Warrant ao Armazém Geral, desde que devidamente endossado, retirar a
mercadoria, vendê-la para quitar a dívida, cobrando a eventual diferença se for
insuficiente ou devolvendo ao tomador caso haja sobra.
É um tipo de operação complexa, por isso mais cara, e geralmente, só é feita por
grandes Empresas.

Fluxo de Funcionamento do Warrant

B A

Instituição Armazém
Financeira TOMADOR Geral

C D

Fase A - Transferência de mercadoria/emissão de Warrant.


Fase B - Empréstimo/endosso garantia Warrant.
Fase C - Quitação dívida/devolução Warrant.
Fase D - Retirada de mercadoria/cancelamento do Warrant.

44
3.8 - Letras de Câmbio
3.8.1 - CONCEITUAÇÃO

São títulos de crédito que expressam ordem de pagamento ao seu proprietário,


geralmente emitidas por Bancos de Investimentos, Financeiras e Bancos Múltiplos
com a finalidade de captar recursos para financiamento de bens de consumo
durável, através do Sistema de Crédito Direto ao Consumidor - CDC.
Esses bens financiados ficam alienados fiduciáriamente, penhorados à Instituições
Financeiras emprestadoras, até a data de liquidação do financiamento.
Observação: Se o sacador/comprador não pagar, a financeira terá que honrar o
compromisso com o investidor, podendo então executar o sacador, tomando-lhe o
bem financiado, vendendo-o, e com o dinheiro, ou devolver a diferença, ou
continuar cobrando o eventual débito remanescente.

Note bem: Letra de Câmbio “fria”, é aquela que não está lastreada por operação de
venda de bem de consumo durável, com valor de mercado compatível com o
montante do financiamento.

3.8.2 - Fluxo de Funcionamento de uma Operação Financeira com


Letra de Câmbio
D-Resgate LC D-Pagamento Empréstimo A-Sinal/CC

A-Crédito/emissão LC

Instituição Comprador/
Investidor Financeira Sacador/ Vendedor
Tomador/

C - Venda LC B - Líquido empréstimo, carta crédito e entrega de mercadoria

Fase A - Sacador/Tomador compra a mercadoria à prazo, paga sinal em dinheiro, pede


financiamento à Instituição Financeira, recebe carta de crédito e dá uma LC em
garantia.
Fase B - Vendedor depois de ter recebido o sinal e a carta de crédito, entrega a mercadoria
ao Sacador/Comprador. Exibe a Nota Fiscal da mercadoria entregue e apresenta
a Carta de Crédito à Financeira para receber dela o dinheiro restante.
Fase C - Financeira vende a LC a investidores com deságio para receber o dinheiro de
imediato.
Fase D - Sacador/Comprador na época do vencimento paga o empréstimo à Financeira, a
qual paga ao Investidor, que devolve a LC à Financeira para que esta a devolva
quitada ao Sacador/Comprador (Tomador).

45
3.8.3 - Descrição detalhada de uma Operação Financeira com Letra de Câmbio

Um comprador que não pode ou não quer comprar um bem de consumo durável, à
vista, procura o vendedor, negocia um sinal e obtém um financiamento do saldo
junto a uma Financeira. Para isso assina Letras de Câmbio correspondente às
parcelas futuras, para que receba uma Carta de Crédito que apresenta ao vendedor,
o qual entrega ao Comprador a mercadoria e exige a Nota Fiscal com recibo da
entrega, para que anexando-a a Carta de Crédito possa receber o saldo da
Financeira.

A mercadoria fica de posse do Comprador, mas este é apenas o fiel depositário dela,
já que está alienada fiduciariamente, uma vez que a propriedade é da Financeira, até
a quitação da última Letra de Câmbio.

A Financeira vende então as Letras de Câmbio a Investidores interessados,


mediante taxa de deságio em função de cada vencimento. Assim a Financeira fica
com o líquido da venda das LC’s no ato, e o Investidor receberá o valor bruto das
LC’s em cada vencimento, mediante o pagamento pelo tomador.

OBS: Se o sacador/comprador não pagar, a financeira terá que honrar os


compromissos com o investidor, podendo então executar o sacador, tomando-lhe o
bem financiado, vendendo-o, e com o dinheiro, ou devolver a diferença, ou
continuar cobrando o eventual débito remanescente.

46
3.8.4 - EXEMPLO PRÁTICO
Compra Financiada de 01 Videocassete, com preço à vista - R$ 439,00, mediante
sinal , mais 03 parcelas iguais, mensais e consecutivas de R$ 122,87 cada uma.
A Financeira vende as 03 Letras de Câmbio, no Mercado, a Investidores em geral,
com deságio de 2,5 % a.m.
Pede-se calcular:
a) Total recebido pelo Vendedor.
b) Total pago pelo Comprador.
c) Total Custo Financeiro do Comprador.
d) Total Lucro obtido pela Instituição Financeira.
e) Total Lucro obtido pelo Investidor.
Respostas :
DEMONSTRATIVO DE CÁLCULOS

Parcela Venc. Vlr. Compra Vlr. Vlr. Compra Vlr. Bruto Vlr. Líquido Lucro
à Vista Financiado à Prazo L.C”s. L.C”s Bruto
Investidor
Preço À Vista 439,00 439,00 - - - -
Sinal À Vista - 122,87 122,87 - - -
1a. 30 dias - - 122,87 122,87 119,80 3,07
2a. 60 dias - - 122,87 122,87 116,73 6,14
3a. 90 dias - - 122,87 122,87 113,65 9,22
Totais 439,00 316,13 491,48 368,61 350,18 18,43

a) Total recebido pelo Vendedor.


Recebeu do Comprador o Sinal no valor de ......................... R$122,87
Recebeu da Financeira o valor da carta de crédito................. R$316,13
Total recebido pelo Vendedor .............................................. R$439,00
b) Total pago pelo Comprador.
Paga o sinal diretamente ao Vendedor .................................. R$122,87
Paga 03 parcelas mensais,iguais,consecutivas de R$ 122,87.. R$368,61
Total pago pelo Comprador ..................................................R$491,48
c) Total Custo Financeiro do Comprador.
Total pago pelo comprador,parceladamente ......................... R$491,48
Total Preço inicial, se à vista................................................. R$439,00
Total Custo Financeiro pela compra à prazo ......................... R$ 52,48
d) Total Lucro obtido pela Instituição Financeira.
Total obtido na venda de 03 Letras de Câmbio...................... R$350,18
Total emprestado ao Comprador........................................... R$316,13
Lucro Bruto da Instituição Financeira................................... R$ 34,05
e) Total Lucro obtido pelo Investidor em Letra de Câmbio.
Total recebido resgate das Letras de Câmbio ...................... R$368,61
Total pago a Financeira pela compra das Letras de Câmbio. R$350,18
47
Lucro Bruto obtido pelo Investidor ................................... R$ 18,43

3.8.5 - EXERCÍCIOS
3.8.5.1 - Financiamento Videocassete
Compra Financiada de 01 Videocassete, com preço à vista - R$ 439,00,
mediante sinal, mais 06 parcelas iguais, mensais e consecutivas de R$
79,12 cada uma.
A Financeira vende as 06 Letras de Câmbio, no Mercado, a Investidores
em geral, com deságio de 2,5 % a.m.
Pede-se calcular:
a) Total recebido pelo Vendedor.
b) Total pago pelo Comprador.
c) Total Custo Financeiro do Comprador.
d) Total Lucro obtido pela Instituição Financeira.
e) Total Lucro obtido pelo Investidor.

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULOS
Parcela Venc. Vlr.Compra Vlr. Vlr.Compra Vlr.Bruto Vlr.Líquido Lucro
à Vista Financiado à Prazo L.C”s. L.C”s Bruto
Investidor
preço
sinal
1a.
2a.
3a.
4a.
5.a
6.a
Totais

48
3.8.5.2 - Financiamento Microcomputador
Compra Financiada de 01 Microcomputador DX4-66, com preço à vista -
R$ 2.900,00, mediante sinal, mais 12 parcelas iguais, mensais e
consecutivas de R$ 298,00 cada uma.
A Financeira vende as 12 Letras de Câmbio, no Mercado, a Investidores
em geral, com deságio de 2,5 % a.m.
Pede-se calcular:
a) Total recebido pelo Vendedor.
b) Total pago pelo Comprador.
c) Total Custo Financeiro do Comprador.
d) Total Lucro obtido pela Instituição Financeira.
e) Total Lucro obtido pelo Investidor.

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULOS
Parcela Venc. Vlr.Compra Vlr. Vlr.Compra Vlr.Bruto Vlr.Líquido Lucro
à Vista Financiado à Prazo L.C”s. L.C”s Bruto
Investidor
preço
sinal
1a.
2a.
3a.
4a.
5.a
6.a
7a.
8a.
9a.
10a.
11a.
12a.
Totais

49
3.9 - Ações:

São títulos que representam uma unidade individual do Capital de uma Sociedade por
Ações, seja aberta ou fechada. Classificam-se quanto à sua natureza de direitos e
vantagens conferidas aos seus títulos em:

a) Ações Ordinárias - São aquelas que conferem a seu titular, direito a voto em
Assembléia Geral. Obrigatoriamente terão que compor o
mínimo de 1/3 (um terço) do capital social.
b) Ações Preferenciais - São aquelas que conferem ao seu titular, o direito de
prioridade na distribuição de dividendos, e em caso de
dissolução da sociedade, a prioridade no reembolso da
quota parte no capital. Normalmente, não dão direito a
voto e não podem ultrapassar a 2/3 (dois terços) do capital
social.

Observação: Um acionista detentor de 50%, mais uma, do total de


ações ordinárias (33% do capital total), ou seja, com cerca
de apenas 17% do capital total, pode ser considerado
majoritário CONTROLADOR, pela qualidade de ações
que possuir do capital social, embora seja minoritário na
quantidade de ações que dispõe.
Tendo a maioria de ações ordinárias, poderá nomear
diretores e comandar os destinos da sociedade.
Aos 83% restantes, considerados neste caso, minoritários,
fica no entanto, resguardado o direito de retirada previsto
na Lei, nos casos de discordância justa.

Quanto a forma as ações se dividem em:


a) Ações Nominativas - São aquelas que identificam nominalmente seu
proprietário e que estejam devidamente registradas no
livro da companhia, denominado Registro de Ações
Nominativas.
b) Ações Endossáveis - São aquelas cuja propriedade é presumida pela posse do
título, com base em uma série regular de endosso. Seus
direitos, porém, só poderão ser exercidos, após a
averbação do nome do acionista, no Registro de Ações
Endossáveis da Companhia.
Observação: Ações ao portador são aquelas , cuja propriedade , pertence ao
detentor de sua posse e que não conferem direito a voto, em
Assembléia Geral, enquanto não identificado seu possuidor. A
partir de março de 1992, por força de Lei, essas ações deverão ser

50
obrigatoriamente convertidas em ações nominativas, sob pena de
perderem sua validade.

3.10 - Fundos de Ações:

São aquisições de quotas de Fundos, geridos por Agentes Financeiros, que aplicam os
recursos confiados pelos Participantes, em Ações, Debêntures conversíveis em Ações
e Títulos da Dívida Pública.
A rentabilidade do Fundo é constituída pelas Receitas, auferidas no recebimento de
dividendos e bonificações das ações, juros e correção monetária das debêntures,
juros e correção monetária dos títulos da dívida pública, mais a valorização positiva
havida nas cotações em Bolsas e deduzindo-se a taxa de administração cobrada pelo
Agente Financeiro administrador do Fundo, e ainda, os tributos incidentes e a
valorização negativa havida nas cotações de Bolsa para os títulos que compõem a
carteira.
Os quotistas recebem a remuneração na proporção de suas aquisições de quotas,
tendo como rentabilidade líquida, a diferença entre o valor da quota do dia do
resgate e o custo médio das aplicações efetuadas.
É tipicamente uma aplicação de médio e longo prazo, recomendáveis a investidores
não profissionais, que não tenham de acompanhar oscilações dos papéis, tal como
especuladores, e que não tenham necessidades imediatas de liquidez, podendo
maturar por prazo mais dilatado seus investimentos.
Recomenda-se criteriosa escolha do Agente Financeiro Administrador do Fundo,
verificando sua capacidade em Mercado Financeiro e sua solidez patrimonial.

3.11 - Debêntures:

São títulos que expressam empréstimo, contraído por sociedade por ações, através de
lançamento público ou particular junto a investidores interessados, mediante juros
e correção monetária.
Podem ser conversíveis ou não, em Ações, de acordo com os requisitos em sua
emissão. Podem ser nominativas e endossáveis. Necessitam de registro junto à
Comissão de Valores Mobiliários - CVM para sua integral legalidade e
legitimidade.

3.12 - Fundo de Commoditties:

Emissão de quotas de Condomínio Aberto, de recursos destinados à aplicação em


carteira de ativos vinculados a produtos agrícolas, pecuários e agro-industriais,
mediante contratos negociados em Mercado organizado, de liquidação futura,
“a termo”, “futuro” ou “opções”, regularmente efetuado em Bolsa de Mercadorias e
de Futuros, devidamente operado pelo Banco Central e CVM.
A rentabilidade do Fundo é constituída pelas Receitas auferidas pelas diversas
aplicações, deduzindo-se as despesas para gestão e os tributos incidentes.
51
AVALIAÇÃO FINAL

01- Conceitue Captação de Recursos. ( 1 ponto )

02 -Enumere 5 formas de captação de recursos, sem recorrer a empréstimos de qualquer


tipo. ( 2 pontos )

03 -Enumere e explique 3 formas de empréstimos de curto prazo. ( 2 pontos )

04 -Enumere e explique 3 formas de empréstimos de longo prazo. ( 2 pontos )

05 -Explique como funciona uma operação de “Leasing”. ( 2 pontos )

06 -Conceitue Aplicações em Bens e Direitos e enumere 05 exemplos. ( 2 pontos )

07 -Enumere e explique 5 cuidados especiais, que deverão ser tomados pelo investidores em
bens e direitos físicos. ( 2 pontos )

08 -Conceitue Títulos e Valores Mobiliários e enumere pelo menos 5 desses tipos de


aplicações. ( 2 pontos )

09 -Conceitue Títulos da Dívida Pública, enumerando suas 3 principais finalidades.


( 2 pontos )

10 -Descreva as distinções básicas entre Orçamento Público e Orçamento Privado.


( 2 pontos )

11 -Demonstre graficamente o histograma de composição do Orçamento Público.


( 1 ponto )

12 -Demonstre graficamente o histograma de composição do Orçamento Privado.


( 1 ponto )

13 -Conceitue Letras Hipotecárias. ( 1 ponto )

14 -Conceitue Notas Promissórias ( Comercial Papers ). ( 1 ponto )

15 -Conceitue Caderneta de Poupança, explicando seus 3 tipos. ( 2 pontos )

52
AVALIAÇÃO FINAL
( continuação)

16 - Conceitue Depósito a Prazo Fixo. ( 2 pontos )

17 - Conceitue Fundos de Renda Fixa. ( 2 pontos )

18 - Descreva de forma detalhada, o funcionamento de operação financeira , na qual se


utiliza o Warrant como garantia da operação. ( 3 pontos )

19 - Demonstre graficamente o fluxo de funcionamento do Warrant. ( 3 pontos )

20 - Descreva de forma detalhada, uma operação financeira de financiamento de bem


durável, mediante garantia de Letra de Câmbio, do momento da compra até o seu
resgate final.( 3 pontos )

21 - Demonstre graficamente uma operação financeira com Letra de Câmbio, nas suas 4
fases. ( 3 pontos )

22 - Problema aritmético de Letra de Câmbio, conforme folha 46, com outros valores e
condições. ( 3 pontos )

23 - Explique Letra de Câmbio - “fria”. ( 1 ponto )

24 - Conceitue Ações Ordinárias, Preferenciais , Nominativas e Endossáveis. ( 2 pontos )

25 - Explique como um acionista minoritário na quantidade de ações, pode exercer o


controle sobre uma Companhia. ( 2 pontos )

26 - Conceitue Fundo de Ações. ( 2 pontos )

27 - Conceitue Debêntures . ( 1 ponto )

28 - Conceitue Fundo de Commoditties. ( 1 ponto )

29 - Conceitue Ações Ordinárias e Preferenciais. ( 1 ponto )

30 - Conceitue Ações Nominativas e Endossáveis. ( 1 ponto )

53
GABARITO AVALIAÇÃO FINAL

1. Conceitue Captação de Recursos. ( 1 ponto )


R. É a função do Administrador Financeiro de obter recursos monetários que permitam a
Entidade garantir liquidez permanente para as obrigações assumidas com credores, com
o mínimo de custo possível.
2- Enumere 5 formas de captação de recursos, sem recorrer a empréstimos de qualquer tipo.(2
pontos).
R. a) Mediante subscrição de capital pelos proprietários;
b) Mediante compras no maior prazo possível, sem alterar o perco final.
c) Mediante adiantamento de clientes.
d) Concedendo descontos financeiros para resgate de créditos a vencer de clientes.
e) Promovendo vendas à vista sem conceder descontos que alterem, substantivamente,
o preço de mercado.
3- Enumere e explique 3 formas de empréstimo de curto prazo (2 pontos).
R. Notas Promissórias - Empréstimos geralmente de um único pagamento, com prazo
mínimo de 30 dias e no máximo de 180 dias, feito por Bco. Comercial, com taxas de
mercados sob a garantia de avalista.
Descontos de Títulos - É o empréstimo feito por Bancos Comerciais que por
determinada taxa de desconto, antecipam valores da Entidade, a qual mediante
endosso, transfere seus direitos ao agente financiador, ficando no entanto, estabelecido
que se o devedor do título não honrar o compromisso, a Entidade devolverá ao agente
creditício o valor bruto antecipado.
Linhas Específicas de Crédito - São linhas de crédito oferecidas pelas Entidades de
Crédito para aplicações específicas para cada tipo de atividade econômica.
4- Enumere e explique 3 formas de empréstimo de Longo Prazo.(2 pontos).
R. Empréstimos vinculados com garantias reais = hipotecas, penhores, warrants.
Agentes: BNDES, BASA, BNB, Caixas Econômicas, Bancos de Desenvolvimento,
Bancos de Investimentos, Sociedade Crédito Imobiliário e Associação de Poupança e
Empréstimo.
Empréstimos vinculados à cobrança de título para reforço do capital de giro e garantia
de avalistas.
Agentes: Bancos de Investimentos e Bancos de Desenvolvimento.
Operações de “Leasing” realizadas por sociedades de Arrendamento Mercantil que
adquirem bens permanentes necessários às operações da FINANCIADA, alugando-os
por taxas e períodos determinados. Nessas operações embora a posse dos bens fique

54
com a FINANCIADA, a propriedade é sempre da Cia. de Leasing, como garantia de
operação.

5- Explique como funciona uma operação de “Leasing”.(2 pontos).


R. É um tipo de financiamento de Longo Prazo, sob forma de aluguel de bens. Quando o
tomador/locatário não quer ou não pode adquirir o bem, a Cia. de Leasing compra e o
aluga, com ou sem opção de venda ao financiado. A propriedade é da Cia. de Leasing
até o momento de sua venda se para o financiado ou para qualquer outra pessoa. A posse
do bem fica com o financiado, enquanto pagar em dia as prestações ou quando exercer a
opção de compra, ocasião em que se tornará o proprietário. Caso não pague as
prestações ou não adquira o bem o financiado terá que devolvê-lo a Cia. de Leasing.
6- Conceitue Aplicações em Bens e Direitos e enumere 05 exemplos.(2 pontos).
R. São aplicações que representam a transformação de reservas de recursos monetários dos
investidores em títulos de propriedades de bens físicos e/ou direitos de uso, que
apresentam capacidade de serem remunerados em Mercados próprios, onde possam ter
liquidez, conforme a natureza de cada bem/direito, rentabilidade variável dependendo
da eficiência de movimentos especulativos, e tenham garantias que assegurem a
manutenção e o acréscimo monetário do investimento.
Exemplos: 1)Obras de Artes; 2)Imóveis; 3)Animais de Raça; 4)Veículos; 5)Marcas e
Patentes.
7- Enumere e explique 5 cuidados especiais, que deverão ser tomadas pelos investidores em
bens e direitos físicos.(2 pontos).
R. Avaliar o perfil ético-social e econômico-financeiro dos participantes do Mercado em
que se quer participar.
Avaliar a dimensão do Mercado: quanto maior, mais possibilidade de liquidez, quanto
menor, pior.
Avaliar a sazonalidade da oferta e da procura;
Avaliar a procedência e a validade da documentação de propriedade (legitimidade e
legalidade).
Avaliar a oportunidade de quanto entrar e sair, em função do ambiente político, da
conjuntura e examinando o histórico das cotações anteriores.
8- Conceitue Títulos de Valores Mobiliários e enumere pelo menos 5 desses tipos de
aplicações. ( pontos).
R.É o conjunto de “papéis” que possibilitam a materialização das transações financeiras
entre investidores e tomadores, através de intermediários financeiros.
Tipos: 1) Títulos da Dívida Pública; 2) Letras Hipotecárias; 3) Cadernetas de Poupança;
4) Ações; 5) Debêntures.

55
9- Conceitue Títulos da Dívida Pública, enumerando suas 3 principais finalidades. (2 pontos).

R. São títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, Banco Central, Governos Estaduais e
Prefeituras Municipais para oferta a investidores em geral destinando-se:

a) Assegurar ou restringir liquidez do sistema financeiro brasileiro, servindo como


instrumento de política monetária do Governo.
b) Proporcionar meios de transformar disponíveis ociosos das Entidades em reservas
monetárias rentáveis.
c) A cobertura de déficit orçamentário público.

10- Descreva as distinções básicas entre Orçamento Público e Orçamento Privado.(2 pontos).

R. Orçamento Público - A finalidade é o equilíbrio entre Despesas e Receitas; Opera em


regime de caixa; Fixa, primeiro, as Despesas (Gastos
Públicos); Depois, estima as receitas.

Orçamento Privado - A finalidade é obtenção de Lucro (Receitas > Custos /


Despesas); Opera em regime de competência (Orçamento
Econômico) e no regime de caixa (Cash - Flow); Fixa,
primeiro, as Receitas(conforme as Vendas, que podem ser
absorvidas pelo mercado e conforme a Capacidade de
Produção); Depois, estima os Custos e Despesas, que deverão
ser mantidas em nível compatível com o lucro, necessário ao
retorno dos Investimentos.

11- Demonstre graficamente o histograma de composição do Orçamento Público.(1 ponto).


R.

DESPESAS RECEITAS
DESPESAS PESSOAS IMPOSTOS E RECEITAS
CORRENTES MATERIAL CONTRIBUIÇÕES CORRENTES
SERVIÇOS DE MELHORIA
OBRAS BONIFICAÇÕES
AÇÕES DIVIDENDOS
DESPESAS JUROS E JUROS E RECEITAS
DE CAPITAL AMORTIZAÇÃO COR. MONETÁRIA DE CAPITAL
MÓVEIS AMORTIZAÇÕES
INSTALAÇÕES
56
MÁQUINAS DOAÇÕES
EQUIPAMENTOS

12- Demonstre graficamente o histograma de composição do Orçamento Privado. (1 ponto).

R.

CUSTOS
OPERACIONAIS
RECEITAS
OPERACIONAIS

DESPESAS
E
GERAIS
NÃO
OPERACIONAIS

LUCRO

13- Conceitue Letras Hipotecárias.(1 ponto).

R. São títulos emitidos por instituições que atuam na concessão de financiamentos com
recursos do SFH, com rendimentos de juros e correção monetária oficial, com garantia
da caução de créditos hipotecários da primeira hipoteca do imóvel, à instituição
emissora da L.H.

57
14- Conceitue Notas Promissórias(Comercial Papers).(1 ponto).

R. São títulos emitidos por sociedade por ações, para oferta pública, que conferirão
direitos de créditos a seus títulos contra a emitente. Poderão ser endossáveis, com
prazo mínimo de vencimento de 30 dias e no máximo 180 dias, contados da data de
emissão. Sua emissão deverá ser previamente autorizada pela CVM (Comissão de
Valores Mobiliários), que fiscalizará o cumprimento das obrigações pela entidade
emissora.

15- Conceitue Caderneta de Poupança, explicando seus 3 tipos.(2 pontos).

R.São depósitos efetuados em Sociedades de Crédito Imobiliário, Associação de


Poupança e Empréstimo, Bancos Múltiplos e nas Caixas Econômicas, a serem
remuneradas com juros e correção monetária oficial, garantidos pelo Governo Federal
e que gozam de benefícios fiscais.

a) LIVRE - que pode ser movimentada a qualquer tempo, por prazo indeterminado.

b) BLOQUEADA - aberta para menores e bloqueada até maioridade, salvo decisão


judicial ou aberta para o caso de indisponibilidade de numerário, com
movimentação bloqueada até a suspensão da medida pelo Poder Público.

c) GARANTIA - para o contrato de locação, no valor máximo de 3 vezes o valor


locativo, pelo prazo de vigência do contrato e só podendo ser movimentada:
- em conjunto (locatário e locador);
- apenas pelo locatário quando houver a anuência do locador;
- apenas pelo locador quando houver anuência do locatário;
- se for apresentada quitação pelo locador no contrato de locação;
- por sentença judicial.

58
16- Conceitue Depósito a Prazo Fixo.(2 pontos)

R.São depósitos em Bancos Comerciais, Bancos de Investimento e Banc. Múltiplos, por


prazo determinado, rendendo a seus aplicadores, juros conforme as oscilações de
Mercado, podendo ter correção pré ou pós fixada conforme índices oficiais. Rendem
em geral, bem acima como taxa nominal, geralmente são mais tributados, por isso é
recomendável verificar sempre a taxa líquida, livre de impostos para melhorar
avaliação de sua real rentabilidade, comparando-se com os demais investimentos
existentes no Mercado. É resgatável somente na data de vencimento, seus prazos
variam de acordo com a política monetária vigente. Apresenta-se como Certificado de
Depósitos Bancários ( CDB’S ) e/ou Recibos de Depósitos Bancários ( RDB’S). Os
(CDB’S) são endossáveis e os (RDB’S) intransferíveis.

17- Conceitue Fundos de Renda Fixa.(2 pontos).

R.São aquisições de quotas de Fundos administrados por Agentes Financeiros, que


aplicam os recursos confiados pelos participantes em carteira formada por títulos da
Dívida Pública, debêntures, letras hipotecárias, letras de câmbio, depósitos a prazo
fixo, commoditties e ações nas proporções em que o Administrador considerar
adequadas à maior Segurança, Rentabilidade e Liquidez, e de acordo com as normas
estabelecidas pelo Banco Central. A remuneração do investidor é a diferença entre o
custo médio dos valores das quotas nos dias de suas aplicações e o valor da quota no
dia do resgate.

A valorização da carteira do Fundo será apurada mediante a apropriação das Receitas


obtidas pela remuneração dos títulos aplicados, deduzindo-se como Despesas, as taxa
de administração cobrado pelos Agentes Financeiros. Recomenda-se cuidados
especiais para os prazos de carência para obtenção de rendimentos, já que embora
resgatáveis a qualquer momento, somente proporcionam remuneração após o prazo de
carência.

Apresentam vantagens de obtenção de maiores taxas, em função dos volumes de


recursos movimentados, além da facilidade de controle pelo quotista, que deverá ter
rigoroso cuidado na escolha do Fundo de Renda Fixa, em função da eficiência,
tradição e solidez patrimonial do Agente financeiro que o administra.

59
18- Descreva de forma detalhada, o funcionamento de operação financeira, na qual se utiliza o
Warrant como garantia de operação.( 3 pontos).

R. Inicialmente a mercadoria é transferida do proprietário para o armazém geral, o qual


recebe, confere a mercadoria e emite o Warrant, que dá conhecimento a praça em
geral, garantido que ali se encontram mercadorias, de que tipo, valor e seu estado de
conservação. O proprietário das mercadorias paga ao Armazém Geral, aluguel pelo
espaço ocupado, seguro da mercadoria e transporte de carga e descarga. De posse do
Warrant, o proprietário pode negociá-lo no Mercado Financeiro, dando-o como
garantia, mediante endosso ao emprestador. Assim ele recebe o dinheiro do
empréstimo e passa a tomador de recursos. O Warrant fica então com o intermediário
financeiro que emprestou os recursos. No vencimento o tomador paga a dívida e
recebe o Warrant dado como garantia. Apresenta-o ao Armazém Geral e retira a
mercadoria, encerrando-se a operação. Se tomador não pagar a dívida, o intermediário
financeiro poderá após o vencimento apresentar o Warrant ao Armazém Geral, desde
que devidamente endossado, retirar a mercadoria, vendê-la para quitar a dívida,
cobrando a eventual diferença se for insuficiente ou devolver ao tomador caso haja
sobra.

19. Demonstre graficamente o fluxo de funcionamento do Warrant. ( 3 pontos)

R.
B A

Instituição Armazém
Financeira TOMADOR Geral

C D

Fase A - Transferência de mercadoria/emissão de Warrant.


Fase B - Empréstimo/endosso garantia Warrant.

60
Fase C - Quitação dívida/devolução Warrant.
Fase D - Retirada de mercadoria/cancelamento do Warrant.

20. Descreva de forma detalhada, uma operação financeira de financiamento de bem durável,
mediante garantia de Câmbio, no momento da compra até o seu resgate final. (3 pontos).

R. Um comprador que não pode ou não quer comprar um bem de consumo durável, à
vista, procura o vendedor, negocia um sinal e obtém um financiamento do saldo junto a
uma Financeira. Para isso assina Letras de Câmbio correspondente às parcelas futuras,
para que receba uma Carta de Crédito que apresenta ao vendedor, o qual entrega ao
Comprador a mercadoria e exige a Nota Fiscal com recibo da entrega, para que
anexando-a a Carta de Crédito possa receber o saldo da Financeira.

A mercadoria fica de posse do Comprador, mas este é apenas o fiel depositário dela, já
que está alienada fiduciariamente, uma vez que a propriedade é da Financeira, até a
quitação da última Letra de Câmbio.

A Financeira vende então as Letras de Câmbio a Investidores interessados, mediante taxa


de deságio em função de cada vencimento. Assim a Financeira fica com o líquido da
venda das LC’s no ato, e o Investidor receberá o valor bruto das LC’s em cada
vencimento, mediante o pagamento pelo tomador.

OBS: Se o sacador/comprador não pagar, a financeira terá que honrar os compromissos


com o investidor, podendo então executar o sacador, tomando-lhe o bem financiado,
vendendo-o, e com o dinheiro, ou devolver a diferença, ou continuar cobrando o eventual
débito remanescente.

61
21. Demonstre graficamente uma Operação com Letra de Câmbio, nas suas 4 fases.( 3 pts ).

R.

D-Resgate LC D-Pagamento Empréstimo A-Sinal/CC

A-Crédito/emissão LC

Instituição Comprador/
Investidor Financeira Sacador/ Vendedor
Tomador/

C - Venda LC B - Líquido empréstimo, carta crédito e entrega de mercadoria

Fase A - Sacador/Tomador compra a mercadoria à prazo, paga sinal em dinheiro, pede


financiamento à Instituição Financeira, recebe carta de crédito e dá uma LC em
garantia.

Fase B - Vendedor depois de ter recebido o sinal e a carta de crédito, entrega a mercadoria
ao Sacador/Comprador. Exibe a Nota Fiscal da mercadoria entregue e apresenta
a Carta de Crédito à Financeira para receber dela o dinheiro restante.

Fase C - Financeira vende a LC a investidores com deságio para receber o dinheiro de


imediato.

Fase D - Sacador/Comprador na época do vencimento paga o empréstimo à Financeira, a


qual paga ao Investidor, que devolve a LC à Financeira para que esta a devolva
quitada ao Sacador/Comprador (Tomador).

62
22- Problema aritmético de Letra de Câmbio. ( 3 pts ).
Ex. Financiamento Videocassete
Compra Financiada de 01 Videocassete, com preço à vista - R$ 439,00, mediante
sinal, mais 06 parcelas iguais, mensais e consecutivas de R$ 79.12 cada uma.
A Financeira vende as 06 Letras de Câmbio, no Mercado, a Investidores em geral,
com deságio de 2,5%a.m. - Calcular:
a)Total recebido pelo Vendedor. b)Total pago pelo Comprador. c)Total Custo
Financeiro do Comprador.
d)Total Lucro obtido pela Instituição Financeira. e)Total Lucro obtido pelo Investidor
DEMONSTRATIVO DE CÁLCULOS
Parcela Venc. Vlr. Vlr. Vlr. Compra Vlr. Vlr.Líquid Lucro
Compra Financiado à Prazo Bruto o Bruto
à Vista C.C. L.C’’S L.C’’S Investidor
preço à vista 439,00 439,00 - - - -
sinal à vista - 79,12 79,12 - - -
1a. 30 - - 79,12 79,12 77,14 1,98
2a. 60 - - 79,12 79,12 75,16 3,96
3a. 90 - - 79,12 79,12 73,19 5,93
4a. 120 - - 79,12 79,12 71,21 7,91
5a. 150 - - 79,12 79,12 69,23 9,89
6a. 180 - - 79,12 79,12 67,25 11,87
Totais 439,00 359,88 553,84 474,72 433,18 41,54

a) Total recebido pelo Vendedor


Recebeu do Comprador o Sinal no valor de.......................................... R$ 79,12
Recebeu da Financeira o valor da carta de crédito................................. R$ 359,88
Total recebido pelo vendedor..................................... ......................... R$ 439,00
b) Total pago pelo Comprador
Paga o sinal diretamente ao vendedor................................................... R$ 79,12
Paga 06 parcelas mensais, iguais e consecutivas.................................... R$ 474,72
Total pago pelo Comprador.................................................................. R$ 553,84
c) Total custo Financeiro do Comprador
Total pago pelo comprador, parceladamente........................................ R$ 553,84
Total Preço Inicial, se à vista........................................... .................... R$ 439,00
Total Custo Financeiro pela compra à prazo......................................... R$ 114,00
d) Total Lucro obtido pela Instituição Financeira
Total obtido na venda de 06 letras de Câmbio...................................... R$ 433,18
Total emprestado ao comprador.......................................................... R$ 359,88
Lucro Bruto da Instituição Financeira.................................................. R$ 73,30
63
e) Total Lucro obtido pelo investidor em Letra de Câmbio
Total recebido resgate das Letras de Câmbio....................................... R$ 474,72
Total pago a Financeira pela compra das Letras de Câmbio................. R$ 433,18
Lucro Bruto obtido pelo Investidor.................................................... R$ 41,54

23- Explique Letra de Câmbio - “fria” .(1 ponto).

R.É aquela que não está lastreada por operação de venda de bem de consumo durável,
com o valor compatível com o financiamento (Notas Fiscais fictícias).

24- Conceitue Ações Ordinárias, Preferenciais, Nominativas e Endossáveis. (2 pontos).

R. Ações Ordinárias: São aquelas que conferem a seu titular, direito a voto em
Assembléia Geral. Obrigatoriamente terão que compor o mínimo de 1/3 (um terço)
do capital social.
Ações Preferenciais: São aquelas que conferem ao seu titular, o direito de
prioridade na distribuição de dividendos e em caso de dissolução da sociedade, a
prioridade no reembolso da quota parte no capital. Normalmente não dão direito a
voto e não podem ultrapassar a 2/3 (dois terços) do capital social.
Observação: Um acionista detentor de 50%, mais uma, do total das ações
ordinárias (33% do capital total), ou seja, com cerca apenas de 17% do capital total,
pode ser considerado majoritário Controlador, pela qualidade de ações que possuir
do capital social, embora seja minoritário na quantidade de ações que dispõe. Tendo
a maioria de ações ordinárias, poderá nomear diretores e comandar os destinos da
sociedade. Aos 83% restantes, considerados neste caso, minoritários, fica no
entanto, resguardado o direito de retirada previsto na Lei, nos casos de discordância
justa.
Ações Nominativas: São aquelas que identificam seu proprietário e que estejam
devidamente registradas no livro da Cia. Denominado Registro de Ações
Nominativas.
Ações Endossáveis: São aquelas cuja propriedade é presumida pela posse do título,
com base em uma série regular de endosso. Seus direitos, porém, só poderão ser
exercidos, após a averbação do nome do acionista, no Registro de Ações
Endossáveis da Companhia.
Observação: Ações ao portador são aquelas, cuja propriedade, pertence ao detentor
de sua posse e que não conferem direito a voto em Assembléia Geral, enquanto não
identificado seu possuidor. A partir de marco de 1992, por forca da lei, essas ações
deverão ser obrigatoriamente convertidas em ações nominativas, sob pena de
perderem sua validade.

64
25- Explique como um acionista minoritário na qualidade de ações, pode exercer o controle
sobre uma Companhia.(2 pontos).
R. Um acionista detentor de 50%, mais uma, do total de ações ordinárias (33% do
capital total), ou seja, com cerca de apenas 17%do capital total, pode ser
considerado majoritário Controlador, pela quantidade de ações do capital social,
embora minoritário na quantidade de ações que dispõe. Tendo a maioria de ações
ordinárias, poderá nomear diretores e comandar os destinos da sociedade. Ao 83%
restantes, considerados neste caso, minoritários, fica no entanto, resguardado o
direito de retirada previsto na Lei, nos casos de discordância justa.
26- Conceitue Fundo de Ações.(2 pontos).
R. São aquisições de quotas de Fundos , geridos por Agentes Financeiros, que aplicam
os recursos confiados pelos Participantes, em Ações, Debêntures conversíveis em
Ações e Títulos da Dívida Pública.
A Rentabilidade do Fundo é constituída pelas Receitas, auferidas no recebimento de
dividendos e bonificações das ações, juros e correção monetária da debêntures juros
e Correção Monetária dos títulos da dívida pública , mais a valorização havia nas
cotações em Bolsas e deduzindo-se a taxa de administração cobrada pelo Agente
Financeiro Administrador do Fundo, e ainda, os tributos incidentes e a valorização
negativa havida nas cotações da Bolsa para os títulos que compõem a carteira.
Os quotistas recebem a remuneração na proporção de suas aquisições de quotas,
tendo como rentabilidade líquida, a diferença entre o valor da quota do dia do
resgate e o custo médio das aplicações efetuadas.
É uma aplicação de médio e longo prazo, recomendáveis a investidores não
profissionais, que não tenham que acompanhar oscilações dos papéis, tal como
especuladores, e a que não tenham necessidades imediatas de liquidez, podendo
maturar por prazo mais dilatado seus investimentos.
Recomenda-se criteriosa escolha do Agente Financeiro Administrador do Fundo,
verificando sua capacidade em Mercado Financeiro e sua solidez patrimonial.
27- Conceitue Debêntures.(1 ponto).
R.São títulos que expressam empréstimos, contraído por sociedade por ações, através
de lançamento do público ou particular junto a investidores, interessados, mediante
juros e correção monetária. Podem ser conversíveis ou não, em Ações , de acordo
com os requisitos em sua emissão. Podem ser nominativas e endossáveis.
Necessitam de registro junto à Comissão de Valores Mobiliários - CVM para sua
legalidade e legitimidade.
65
28. Conceitue Fundo de Commoditties.(1 ponto).

R. Emissão de quotas de Condomínio Aberto, de recursos destinados à aplicação em


carteira de ativos vinculados a produtos agrícolas, pecuários e agro-industriais,
mediante contratos negociados em Mercado organizado, de liquidação futura, a
termo “ futuro” ou “opções”, regularmente efetuado em Bolsa de Mercadorias e
de Futuros, devidamente operado pelo Banco Central e CVM. Sua rentabilidade é
constituída pelas Receitas auferidas pelas diversas aplicações, deduzindo-se as
despesas para gestão e os tributos incidentes.

29- Conceitue Ações Ordinárias e Preferencias.(1 ponto)

R. Ações Ordinárias: São aquelas que conferem a titular, direito de voto em


Assembléia Geral. Obrigatoriamente terão que compor o mínimo de 1/3(um terço)
do capital social.
Ações Preferenciais: São aquelas que conferem ao seu titular, o direito de
prioridade na distribuição de dividendos e em caso de dissolução da sociedade, a
prioridade no reembolso da quota parte no capital. Normalmente não dão direito a
voto e não podem ultrapassar a 2/3 (dois terços) do capital social.

30- Conceitue Ações Nominativas e Endossáveis.(1 ponto).

R. Ações Nominativas: São aquelas que identificam seu proprietário e que estejam
devidamente registradas no livro da Cia. Denominado Registro de Ações
Nominativas.
Ações Endossáveis: São aquelas cuja propriedade é presumida pela posse do título,
com base em uma série regular de endosso. Seus direitos, porém, só poderão ser
exercidos, após a averbação do nome do acionista, no Registro de Ações
Endossáveis da Companhia.

66