Vous êtes sur la page 1sur 2

UNICAMP

MU219-Pedagogia e Didática Musical II


Profa. Dra. Adriana N. A. Mendes
Avaliação n.º 1- agosto de 2017

Nome: Fábio Eduardo Matias de Siqueira


R.A.: 167071

1 – Quais são as características comuns dos métodos de musicalização conhecidos como sendo de
“educação ativa”? Como eles se diferem dos ditos “métodos tradicionais” que têm sido utilizados de modo
generalizado no Brasil em conservatórios e escolas de música? (0,2)

Jacques-Dalcroze através de seu estudo, pesquisa e ensino de educação musical estabelece a educação ativa
no começo do século XX, método de educação musical onde o aluno participa do processo de aprendizagem
de forma ativa através da instrumentalização do seu corpo que absorve a experiência musical com objetivo
de internalizar os processos musicais e seu aprendizado ser de fato efetivo. Na contra mão dessa educação
ativa existiam e ainda existem os métodos tradicionais de educação musical oriundos da Europa que visam
que o aluno absorva o conhecimento lhes dado sem muita interação e relação corporal e sem um contato
mais profundo com a música visando o preciosismo e o virtuosismo musical como feito em muitos
conservatórios, escolas de músicas, faculdades, academias e etc...

2 – Os veículos de comunicação de massa influenciam a maneira como as pessoas dançam e se expressam


corporalmente. Desta forma reduzem-se as possibilidades para que os indivíduos se expressem
corporalmente de maneira autêntica, sendo induzidos a mover-se de forma estereotipada. As ideias e
descobertas do compositor e pedagogo musical suíço Émile Jaques-Dalcroze, expostas no livro “Pedagogias
em Educação Musical”, oferecem um caminho para ampliar as possibilidades de expressão corporal dos
indivíduos. Com base na proposta desse autor, defina uma faixa etária e proponha uma atividade educativa
que incentive a expressão corporal individual. Inclua a descrição da infraestrutura necessária para
desenvolver a atividade proposta por você. (0,4)

Faixa Etária: de 6-10 anos.

Infraestrutura: Sala de aula com espaço para que as crianças caminhem, corram livremente sem obstrução
com um instrumento de percussão e ou objetos que produzam sons.

Proposta de Atividade: Desenvolver nos alunos a percepção rítmica através do corpo.

O educador deverá tocar um instrumento percussivo, no caso, se não tiver um instrumento, pode improvisar
qualquer objeto que consigo produzir som para ser o instrumento guia dos alunos. O educador pede para os
alunos andarem livremente pela sala apenas ouvindo inicialmente. Depois disso o educador pede que os
alunos andem marcando o tempo com seus passos e cantando as frases rítmicas que ele executar no seu
instrumento. Por último o educador deve pedir aos alunos que repitam as frases rítmicas com seus corpos,
podendo, bater os pés, palmas, usar outros membros para produzir sons. O educador pode utilizar ritmos em
compasso simples e composto, mas todos de fácil execução pensando na progressão auditiva baseada no
senso rítmico dos alunos. Para encerrar a atividade o educador pede que os alunos criem uma improvisação
com os ritmos aprendidos na atividade.

3 – Edgar Willems acreditava que a experiência musical era uma experiência global e que incluía os aspectos
fisiológico, afetivo e mental do indivíduo, enfatizando que a música, mais que qualquer outra, é uma “arte de
expressão emotiva”. Com base na proposta desse autor, defina uma faixa etária e proponha uma atividade
educativa que incentive a vivência desses aspectos. Inclua a descrição da infraestrutura necessária para
desenvolver a atividade proposta por você. (0,4)
Faixa Etária: de 8-10 anos.

Infraestrutura: Sala de aula com espaço para que as crianças caminhem, corram livremente sem obstrução e
com um piano.

Proposta de Atividade: Desenvolver nos alunos a percepção melódica através do movimento corporal.

O educador deverá tocar no piano notas na região grave e pedir para os alunos criarem movimentos para esse
som grave. Assim que os alunos criarem esses movimentos o educador muda o registro das notas tocadas
agora para a região aguda e pede novamente para os alunos criarem novos movimentos para esse som agudo.
Assim que os alunos criarem esses movimentos o educador deve tocar esses sons de forma alternada e pedir
para os alunos mostrarem seus movimentos. No final o educador pode pedir para os alunos improvisarem
esses movimentos e copiarem movimentos dos outros alunos.