Vous êtes sur la page 1sur 15

INTRODUÇÃO.

Esta matéria, MANUAL BÁSICO DO PREGADOR CRISTÃO (HOMILÉTICA)


visa, com seu conteúdo sucinto, dar oportunidade a todos os interessados na
pregação da PALAVRA DE DEUS, a melhor se prepararem, para que suas
pregações se façam dentro de um estilo mais equilibrado e estético.
É bem verdade que, só o conhecedor da homilética sabe quando um sermão
está, ou não, bem preparado, porém, o estudo sobre a pregação é necessário,
pois um sermão bem pregado é aprovado, tanto pelo desconhecedor, quanto pelo
conhecedor da homilética, que esteja presente ou escute uma pregação.
Entretanto, é bom que o pregador tenha em sua mente o que declaramos a
seguir:
A homilética, ainda que seja muito importante para a preparação e entrega
da mensagem de DEUS, não faz, nem produz, por si só, o sermão.
A homilética, apenas, ajuda o pregador a preparar e entregar o sermão, de
acordo com um conjunto de regras.
Desta forma, estudar homilética sem ter base doutrinária, ou conhecimento
da BÍBLIA SAGRADA será, até, prejudicial pois, uma pessoa nestas condições
poderá pensar que está preparada para pregar, porém, visto que lhe falta o
essencial, terá, até, mais dificuldade de entregar uma mensagem BÍBLICA do que
um filho de DEUS que esteja alicerçado na BÍBLIA SAGRADA e, doutrinariamente,
bem preparado, embora não tenha nenhum conhecimento de homilética.
Assim sendo, o pregador CRISTÃO, há de aliar a técnica ao conhecimento
BÍBLICO e DOUTRINÁRIO, a fim de ser abençoado por DEUS, bem como, ser
uma bênção em SUAS GLORIOSAS MÃOS, quando da pregação da sua SANTA
PALAVRA.
Por isto, o pregador da PALAVRA DE DEUS deve estudar homilética com
muita oração, atenção e dedicação, a fim de melhorar sua performance como
orador sacro.
Se a opção para o estudo da homilética é este manual básico, as lições que
se seguem, com certeza, o ajudarão a melhorar a eficiência, ao pregar sobre os
grandes ensinamentos de DEUS aos homens em geral, quer sejam ou não
SALVOS POR JESUS CRISTO.

O QUE É HOMILÉTICA?
O conciso dicionário de Teologia Cristã, define HOMILÉTICA, como:
01. O que diz respeito à pregação ou ao estudo da pregação.
02. A ciência e arte da preparação e entrega do sermão.
Desta forma, a HOMILÉTICA, abrange todas as atividades e passos,
concernentes ao sermão, desde a preparação, até sua entrega aos ouvintes.
Conforme a segunda definição, a HOMILÉTICA é, ao mesmo tempo, uma
ciência e uma arte.
Como ciência, a HOMILÉTICA tem as suas regras definidas, as quais, podem
e devem ser seguidas por todos os pregadores que desejam entregar mensagens
bem equilibradas.
Como arte, o pregador está livre para embelezar o sermão da melhor forma
possível e de acordo com seu conhecimento e sua capacidade.
O pregador da PALAVRA DE DEUS há de seguir o conselho que Paulo deu a
Timóteo, o qual, está registrado em IITim 2:15(Procura apresentar-te a Deus
aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a
palavra da verdade.).
Além desta passagem BÍBLICA, temos na mesma carta, em IITim 3:16(Toda a Escritura é
divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para
corrigir, para instruir em justiça;)-4:5(Mas tu, sê sóbrio em tudo, sofre as
aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério.),
como que uma incitação à pregação.
Vimos nestas duas passagens BÍBLICAS, Paulo incentivando Timóteo a
manejar bem a PALAVRA DE DEUS, bem como, incentivando-o à pregação da
mesma.
Todos os crentes em JESUS CRISTO (mas principalmente os pregadores da
PALAVRA DE DEUS), desde os mais humildes até aos maios afamados, não
podem deixar de atentar para estas passagens BÍBLICAS, como se Paulo lhes
estivesse escrevendo diretamente.

O SERMÃO, O QUE É?
Segundo o minidicionário Aurélio, para o nosso caso, sermão significa:
01. Discurso religioso.
Desta forma, o nosso sermão, ou seja, o sermão EVANGÉLICO OU
CRISTÃO, é um discurso acerca da BÍBLIA SAGRADA, ou sobre a totalidade da
FÉ CRISTÃ.
Naturalmente cada sermão abrange, apenas um, ou alguns aspectos da
BÍBLIA SAGRADA e pode versar sobre ensinamentos práticos para a vida
particular, bem como, como sobre a fé CRISTÃ.

REQUISITOS NECESSÁRIOS AO PREGADOR DA PALAVRA DE DEUS


Todo o crente em JESUS CRISTO que deseja ser pregador da PALAVRA DE
DEUS há de atender a alguns requisitos, os quais, são extremamente importantes
e necessários para o pregador da BÍBLIA SAGRADA, principalmente, sobre as
ESCRITURAS do NOVO TESTAMENTO.

Vejamos alguns:
01. SER CRENTE EM JESUS CRISTO, OU SEJA, CRER EM JESUS CRISTO
COMO ÚNICO E SUFICIENTE SALVADOR E QUE, POR ISSO MESMO, TENHA
A CERTEZA ABSOLUTA DA SUA SALVAÇÃO ETERNA.(Se você deseja
ministrar a palavra e não crer nela isso se torna uma barreira para
que a mensagem possa ter um efeito real na vida daqueles que estão
recebendo. Porque se você não crê você provavelmente não buscou
para que aquela mensagem pudesse ser direcionada por deus. É como
falar de amor e não amar.)

02. TER UMA VIDA DE MUITA ORAÇÃO.( oração é uma forma de dialogo com
deus, e não há pregação da palavra de deus se você não conversa com
aquele que gera a palavra. O Maximo que pode haver é um entendimento
totalmente humano sobre as escrituras e que não terá proveito algum
sem uso da fé)

03. TER UM GRANDE CONTATO COM A BÍBLIA SAGRADA, EM TRÊS


ASPECTOS, QUAIS SEJAM;

03.1. MUITA LEITURA.(é de grande importância que o pregador tenha um


amplo conhecimento sobre a base de sua ministração)
TER UM PROGRAMA CONSTANTE DE LEITURA DA BÍBLIA SAGRADA,
INTEIRA, NO MENOR ESPAÇO DE TEMPO POSSÍVEL.

03.2. MUITO ESTUDO.(nos dias de hoje nós possuímos uma variedade


enorme de material para auxiliar o nosso estudo sobre a plavra, então
é sempre importante ter em casa esse tipo de material que traz um
aumento superior)

03.3. MUITA MEDITAÇÃO.

04. CONHECER AO MÁXIMO, O IDIOMA NO QUAL A MENSAGEM BÍBLICA


SERÁ PREGADA.

05. PREOCUPAR-SE EM ESTUDAR SOBRE CONHECIMENTOS GERAIS.

06. PROCURAR ESTAR EM DIA COM OS ASSUNTOS COTIDIANOS.

SUBSÍDIOS PARA A PREPARAÇÃO E ENTREGA DO SERMÃO.


Além dos requisitos mencionados no capítulo anterior, o pregador, pode e
deve lançar mão de alguns subsídios muito importantes, para o preparo e entrega
de seus sermões, tais como.
01, Colecionar, dentro do possível, ilustrações, as quais, quando bem usadas
são muito úteis. Há ouvintes que esquecem a mensagem pregada, porém,
na maioria das vezes, a ilustração fica gravada em seu coração.

02. Colecionar recortes de jornais e ou revistas. Se necessário, possível e de


acordo com a mensagem, apresentá-los, quando da pregação, como provas de
declarações feitas durante a mesma.
03. Recursos audiovisuais, tais como, slides, filmes, flanelógrafo, cartazes, etc.,
poderão ajudar, e muito, o pegador na transmissão da mensagem de DEUS,
desde que o material usado esteja de acordo com a mensagem pregada.

V. AS PARTES DO SERMÃO E SUA PREPARAÇÃO.


Todo o sermão é composto de várias partes indispensáveis para ser um todo
harmonioso.

Vejamos a seguir quais as partes de um sermão:


1. CABEÇALHO DO SERMÃO.
2. INTRODUÇÃO DO SERMÃO.
3. CORPO DO SERMÃO.
4. CONCLUSÃO DO SERMÃO.
(Ao estudarmos as partes do sermão há um exemplo de sermão já
preparado,
porém, veremos ao longo deste estudo, que estas partes não são
preparadas na ordem em que são apresentados ao público.
Vejamos cada parte em particular, bem como, sua preparação.)

1. O CABEÇALHO DO SERMÃO.
O cabeçalho do sermão, encabeça o sermão, ou seja, é a parte inicial do
sermão.
O cabeçalho do sermão, contém:
A. A PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO.
B. O TEMA DO SERMÃO.
C. O TÍTULO DO SERMÃO

1.1. A PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO.


Todo o sermão EVANGÉLICO há de ser preparado e pregado tendo como
base uma passagem BÍBLICA, para dar-lhe autenticidade e autoridade.
A PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO pode ser adotada após
DEUS dar ao pregador uma idéia, um tema ou ter mostrado algum fato, que o
pregador aceite como oportuno para transmiti-lo numa mensagem EVANGÉLICA.
Neste caso, o pregador há de procurar na BÍBLIA SAGRADA um texto que se
enquadre no tema mostrado por antecipação.
Exemplos:
TEMA: DOENÇA.
TEXTO BÍBLICO POSSÍVEL: II Reis 13:14.

TEMA: AMOR.
TEXTO BÍBLICO POSSÍVEL: João 3:16.
Exercícios:
1) Encontrar e anotar um texto BÍBLICO que tenha algo a ver com o tema AMIZADE.

2) Encontrar e anotar um texto BÍBLICO que tenha algo a ver com o tema GUERRA.

3) Encontrar e anotar um texto BÍBLICO que tenha algo a ver com o tema VIAGEM.

O texto BÍBLICO, também pode ser adotado, quando, ao ler uma passagem
da BÍBLIA, a atenção do pregador seja tocada para pregar sobre a mesma.
A passagem BÍBLICA, jamais deve ser usada como pretexto, para o pregador
desabafar sobre a IGREJA o que não tenha coragem de falar abertamente à
mesma.
Visto que o texto BÍBLICO é a base indispensável para o sermão, este, há de
ser o primeiro item do sermão a ser separado e adotado para jamais ser
abandonado ao longo do preparo e da pregação.
O texto BÍBLICO base para a mensagem não pode ser lembrado e
lido, apenas, no início da pregação, para depois ser abandonado, como algo
imprestável que é jogado na lata do lixo.

1.2. O TEMA DO SERMÃO.


O tema do sermão é o assunto geral e abrangente, sobre o qual o pregador
se propõe desenvolver, preparar e pregar ao público.
O tema do sermão deve ser o mais resumido possível.
Na maioria das vezes uma só palavra basta, para declarar o tema a ser
pregado.

Vejamos alguns exemplos de temas livres:


01. AMOR. - 02. DOENÇA. - 03. PECADO. - 04. FAMÍLIA. - 05. HISTÓRIA. -
06. IGREJA. - 07. MILAGRES. - 08. TRABALHO. - 09. ORAÇÃO. - 10. PAZ.
11. GUERRA. - 12. ETC.

O tema do sermão (se não a palavra ou palavras, pelo menos, a idéia) há de


estar, obrigatoriamente, contido na passagem BÍBLICA base para a mensagem a
ser preparada e entregue ao público, a fim de dar-lhe, a necessária, autoridade.
O pregador jamais deve escolher e anunciar um tema que não esteja contido
na passagem BÍBLICA base para a mensagem.
Há uma imensa quantidade de versículos na BÍBLIA SAGRADA, nos quais,
estão contidos e podem ser encontrados vários temas, os quais, por isso mesmo,
podem e devem ser usados para preparar e pregar inúmeros sermões.

Exercício:
Leia Joãoּ 3:16 e faça uma lista dos temas que encontrar.
01. João 3:16 – TEMA: DEUS.
02. João 3:16 – TEMA: O AMOR.
03. João 3:16 – TEMA: O MUNDO.
04. João 3:16 – TEMA: OFERTA.
05. João 3:16 – TEMA: O UNIGÊNITO DE DEUS.
06. João 3:16 – TEMA: A FÉ.
07. João 3:16 – TEMA: A MORTE.
08. João 3:16 – TEMA: A VIDA.

1.3. O TÍTULO DO SERMÃO.


Um tema de sermão pode ser analisado e pregado a partir de vários pontos
de vista.
Já que cada ponto de vista é diferente dos demais, cada qual, deve ter um
título, também diferente, para diferenciá-lo de todos os outros.
O título do sermão é o aspecto específico do tema, sobre o qual o pregador
se propõe pregar, por isso, o título do sermão há de brotar naturalmente do tema.
O título do sermão, tem a missão de preparar, claramente, o auditório, para o
que irá escutar.
O título do sermão deve ser mais elaborado do que o tema, por isso, em
geral usa várias palavras.

Vejamos alguns exemplos de títulos de sermões, baseados em um tema livre


do item anterior:
01. TEMA: AMOR.
TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR DE DEUS PELO HOMEM.

02. TEMA: AMOR.


TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR IDEAL DE UM HOMEM POR UMA MULHER.

03. TEMA: AMOR.


TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR DE MÃE.

04. TEMA: AMOR.


TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR FRATERNAL.

05. TEMA: AMOR.


TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR CONJUGAL.

06. TEMA:AMOR.
TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR DE DEUS PELA HUMANIDADE.
Veremos agora, alguns exemplos de títulos de sermões, levando em consideração
a passagem BÍBLICA de Joãoּ 3:16.

01. TEMA: O AMOR.


TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR DE DEUS PELO MUNDO.

02. TEMA: O AMOR.


TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR DE DEUS, DEMONSTRADO EM JESUS
CRISTO.

03. TEMA: O AMOR.


TÍTULO DO SERMÃO: A DEMONSTRAÇÃO DO AMOR DE DEUS.

04. TEMA: O AMOR.


TÍTULO DO SERMÃO: O ALCANCE DO AMOR DE DEUS.

05. TEMA: O MUNDO.


TÍTULO DO SERMÃO: O MUNDO E SUA RELAÇÃO COM DEUS.

06. TEMA: OFERTA.


TÍTULO DO SERMÃO: O MELHOR PRESENTE DE DEUS.

07. TEMA: A FÉ.


TÍTULO DO SERMÃO: A FÉ EM JESUS CRISTO E SUAS CONSEQÜÊNCIAS.

08. TEMA: A MORTE.


TÍTULO DO SERMÃO: A MORTE ETERNA, PROVOCADA PELA FALTA DE FÉ
EM JESUS CRISTO.

09. TEMA: A VIDA ETERNA.


TÍTULO DO SERMÃO: A VIDA ETERNA, FRUTO DA FÉ EM JESUS CRISTO.

Ao estudarmos sobre o tema, dissemos que há versículos, que podem ser


usados, como base para inúmeros sermões, isto é possível porque, num só
versículo, podem ser encontrados vários temas, os quais, por sua vez, podem ser
usados, para vários títulos de sermões, como é o caso de Joãoּ 3:16.
Como vimos, nos quatro primeiros exemplos o tema escolhido é o mesmo,
porém, para o mesmo tema foram dados quatro títulos, os quais podem ser
usados para quatro sermões diferentes.
Usamos neste exemplo, apenas o tema “AMOR”, mas, o mesmo pode
acontecer em relação aos demais temas.
Isto é possível porque o tema, como já frisamos, é global, porém o título do
sermão é específico.
Exercícios:
01. Separar dez passagens BÍBLICAS, as quais poderão servir de base, para dez
sermões. Para facilitar, é bom que cada texto tenha apenas um versículo.

02. Alistar os temas encontrados em cada uma destas passagens BÍBLICAS.

03. Alistar os possíveis títulos para mensagens, extraídos destas passagens


BÍBLICAS e que estejam de acordo com os temas.

2. A INTRODUÇÃO DO SERMÃO.
A introdução do sermão prepara o auditório sobre o que será pregado, com
mais detalhes que os dados pelo título.
A introdução, também deve ser breve, porém, de forma mais elaborada do
que o tema e o título, devendo, por isso, anunciar algo sobre o conteúdo do corpo
do sermão.
Uma boa introdução causa, no público expectativa e desejo de saber o que
vai ser pregado.
Uma boa introdução (a exemplo do título do sermão) só ficará concorde com
o teor do sermão, se for elaborada depois de preparado todo o sermão (pelo
menos, após o preparo do corpo), visto que, se a mesma for preparada no início,
geralmente, haverá necessidade de retoques, e, às vezes, até, de uma mudança
radical.
Se a introdução, for preparada no início, sem que haja uma revisão posterior,
a mesma indicará que a pregação irá numa direção, porém, a pregação poderá
tomar um rumo bem diferente do que foi anunciado.
Por isto, orientamos o pregador a preparar a introdução do sermão, somente,
após a preparação de todo o sermão, para evitar o trabalho desnecessário, da
retificação posterior.
Portanto, repetimos, ainda que a introdução esteja colocada e seja
apresentada, ao público, no início da pregação, a introdução, a exemplo do título,
deve ser elaborada após terminado o preparo do sermão.

3. O CORPO DO SERMÃO.
O corpo do sermão é a parte na qual o pregador desenvolve e explana o que
está proposto a pregar.
Já que o sermão, propriamente dito, está no corpo do sermão, é necessário
que o mesmo seja bem preparado para que o pregador declare, claramente, ao
público o que se propôs pregar.
Para facilitar a entrega do sermão, o corpo do sermão deve ser dividido em
partes (tantas, quantas forem necessárias) a fim de que a pregação adquira um
tom harmônico e envolvente. Estas partes são como que capítulos que, conforme
o caso, podem e devem ser subdivididos.
O corpo do sermão deve ser elaborado de forma crescente, indo das partes
menos importantes, para as mais importantes; das mais baixas, para as mais
altas; das conhecidas, para as desconhecidas. As partes do corpo do sermão,
devem estar intimamente ligadas ao tema do sermão.
Para facilitar a explanação do corpo do sermão é importante que cada
divisão seja considerada como um capítulo e cada subdivisão, uma
divisão do capítulo. Por isso, é importante que cada divisão e suas
conseqüentes subdivisões tenham, cada uma, o seu título. Agindo assim,
o auditório, apreciará, entenderá e sairá edificado, pela eficiência da
mensagem.

CORPO DO SERMÃO.
I - DEUS AMA O MUNDO, PORQUE, DEUS É AMOR.
II - DEUS AMA O MUNDO, SEM QUALQUER BARREIRA.
1. SEM BARREIRAS RACIAIS.
2. SEM BARREIRAS CULTURAIS.
3. SEM BARREIRAS ECONÔMICAS.
III - DEUS AMA O MUNDO, PORQUE DESEJA DAR.
1. DEUS DESEJA DAR VIDA EM ABUNDÂNCIA.
2. DEUS DESEJA DAR VIDA ETERNA.
O bom pregador jamais antecipa para o auditório quantas partes tem o sermão,
visto que, tal anúncio, desestimula a expectativa do auditório, fazendo com que,
pelo menos os ouvintes mais experientes, tenham uma clara percepção de
quando o sermão está prestes a terminar

4. A CONCLUSÃO DO SERMÃO.
Como o próprio nome indica, o sermão, propriamente dito, termina com a
conclusão, a qual, para estar completa, deve conter três partes.
01. RECAPITULAÇÃO DO SERMÃO.
02. APLICAÇÃO DO SERMÃO.
03. APELO AOS OUVINTES.

4.1. A RECAPITULAÇÃO DO SERMÃO.


A recapitulação do sermão, deve ser feita de forma resumida lembrando, no
mínimo, as partes do corpo do sermão, ou uma síntese do mesmo e no máximo,
lembrar o tema, o título e as divisões do corpo do sermão, ou sua síntese.
A recapitulação visa fixar a mensagem na mente dos ouvintes, porém, não há
necessidade de recapitular tim tim por tim tim. Conforme o caso, basta relembrar
as idéias.
A recapitulação deve ser curta, para não dar a impressão de que está havendo
uma nova pregação.

4.2. A APLICAÇÃO DO SERMÃO.


A aplicação do sermão, tem a finalidade de mostrar aos ouvintes a importância de
agir segundo o que foi pregado.
A apresentação da aplicação do sermão, também deve ser curta, visando não
cansar o auditório.

4.3. O APELO AO PÚBLICO.


O apelo, é uma chamada à consciência do auditório, para que haja uma decisão
positiva e pessoal, em favor da obediência aos ensinamentos que foram
transmitidos durante o sermão.
Assim sendo, o apelo aos ouvintes deve ser feito, apenas e tão somente, baseado
no sermão que foi pregado.
O apelo aos ouvintes, é feito de forma geral, entretanto, normalmente, nem todos
os que estão no auditório, estão no foco do apelo, ou estão em condições normais
de atendê-lo, devido às variadas particularidades de cada um.
Por exemplo, após um sermão EVANGELÍSTICO, o apelo é feito ao auditório,
porém é feito especificamente aos incrédulos, pois, só estes podem atender a um
apelo de conversão a JESUS CRISTO.

O ESBOÇO DO SERMÃO.
O esboço do sermão é uma ótima ferramenta a serviço do pregador, tanto para o
preparo, quanto para a entrega da mensagem de DEUS ao público.
Na preparação do sermão, o esboço serve para o pregador esboçar suas idéias,
para depois aprimorá-las, completá-las, suprimir ou aumentar divisões, conforme
achar mais conveniente.
Desta forma, o esboço final do sermão contém todas as partes do sermão, com
todas as suas divisões e subdivisões.
Vejamos o próximo esboço, para nos firmarmos bem quanto ao mesmo.
01. CABEÇALHO DO SERMÃO.
01.1. PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO.
01.2. TEMA DO SERMÃO.
01.3. TÍTULO DO SERMÃO.
02. INTRODUÇÃO DO SERMÃO.
03. CORPO DO SERMÃO.
03.1. O CORPO DO SERMÃO DIVIDE-SE EM TANTAS PARTES (CAPÍTULOS),
QUANTAS SE FIZEREM NECESSÁRIAS.
03.1. DA MESMA FORMA, AS PARTES DO CORPO DO SERMÃO
(CAPÍTULOS), TAMBÉM SE DIVIDEM EM QUANTAS PARTES SE FIZEREM
NECESSÁRIAS.
04. CONCLUSÃO DO SERMÃO.
04.1. RECAPITULAÇÃO.
04.2. APLICAÇÃO.
04.3. APELO AO PÚBLICO.

O esboço do sermão é útil pelo menos em duas oportunidades, quais sejam:


1. NA PREPARAÇÃO DO SERMÃO.
Na preparação do sermão o esboço é como que o esqueleto de um prédio em
construção, o qual, é o suporte para todos os demais componentes do prédio, tais
como, paredes, portas, janelas, terraços, iluminação, elevador, escadas, divisões
internas, etc., acréscimos estes, que servem para o bom funcionamento do prédio,
como um todo, porém, dependendo do arquiteto e dos recursos do proprietário,
também contribuem para o seu embelezamento.
Da mesma forma, o esboço do sermão deve ser usado, para nele serem
colocados todos os ingredientes necessários à sua montagem, e conforme os
recursos usados pelo pregador, o mesmo será, mais ou menos, embelezado para
a sua entrega ao público.

2. NA ENTREGA DO SERMÃO.
Na entrega do sermão o esboço serve para que o pregador não saia fora do
caminho traçado, quando do preparo da mensagem a ser transmitida.
Por isso, o esboço há de conter todo o sermão do modo mais resumido possível,
de tal forma que o pregador tenha à sua frente a trajetória a ser seguida durante a
pregação.
Vejamos o exemplo do esboço de um sermão, baseado em João 14:6.
01. CABEÇALHO DO SERMÃO.
01.1. PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO: João 14:6.
01.2. TEMA DO SERMÃO: FUNDAMENTOS.
01.3. TÍTULO DO SERMÃO: ALGUNS FUNDAMENTOS DE JESUS CRISTO.
02. INTRODUÇÃO DO SERMÃO: MEDITAREMOS HOJE, SOBRE ALGUNS
FUNDAMENTOS DE JESUS CRISTO, BASEADOS NA PASSAGEM BÍBLICA
LIDA.
03. CORPO DO SERMÃO.
I – 1º FUNDAMENTO: JESUS CRISTO É O CAMINHO.
1. JESUS CRISTO É O CAMINHO A SEGUIR NESTE MUNDO.
2. JESUS CRISTO É O CAMINHO QUE CONDUZ À VIDA ETERNA.
II – 2º FUNDAMENTO, JESUS CRISTO É A VERDADE.
1. JESUS CRISTO É A VERDADE A SER APRENDIDA.
2. JESUS CRISTO É A VERDADE A SER SEGUIDA.
III – 3º FUNDAMENTO, JESUS CRISTO É A VIDA.
1. POR SER VIDA, JESUS CRISTO DÁ VIDA ABUNDANTE.
2. POR SER VIDA, JESUS CRISTO DÁ VIDA ETERNA.
04. CONCLUSÃO DO SERMÃO.
04.1. RECAPITULAÇÃO DO SERMÃO: JESUS CRISTO É TOTALMENTE
CONFIÁVEL, POIS NELE SUBSISTEM TRÊS FUNDAMENTOS IMBATÍVEIS; O
CAMINHO VERDADEIRO, A VERDADE VERDADEIRA E A VIDA VERDADEIRA.
04.2. APLICAÇÃO DO SERMÃO: POR TUDO ISTO, ALÉM DE SER
TOTALMENTE BENÉFICO, É NOSSO DEVER CONFIAR PLENAMENTE EM
JESUS CRISTO, POIS TAIS FUNDAMENTOS, COM CERTEZA, TÊM O PODER
DE NOS MANTER JUNTO DE DEUS.
04, C, APELO AO PÚBLICO, SE HÁ ALGUÉM, AQUI, NESTA NOITE, QUE APÓS
TOMAR CONHECIMENTO DO QUE JESUS CRISTO É, O ACEITE COMO
ÚNICO E SUFICIENTE SALVADOR, POR FAVOR, LEVANTE UMA DE SUAS
MÃOS..
É bom saber que, tanto neste esboço, quanto no exemplo de sermão
usado neste estudo, temos apenas o esboço, por isso, é necessário que,a
este, seja adicionado o conteúdo, senão, um sermão no qual se fale
apenas o que está escrito nestes esboços levaria quando muito,
somente, dois ou três minutos

Um sermão deve ser preparado, levando-se em consideração o roteiro


apresentado quando do estudo do preparo das etapas do sermão. Por isso, o
roteiro para o preparo deste sermão, ou de qualquer outro, deve ter a seguinte
ordem:
1º PASSO: PASSAGEM BÍBLICA, BASE PARA A MENSAGEM.
2º PASSO: TEMA DO SERMÃO.
3º PASSO: CORPO DO SERMÃO.
4º PASSO: RECAPITULAÇÃO DO SERMÃO.
5º PASSO: APLICAÇÃO DO SERMÃO.
6º PASSO: APELO AO PÚBLICO.
7º PASSO: INTRODUÇÃO DO SERMÃO.
8º PASSO: TÍTULO DO SERMÃO.

AS ILUSTRAÇÕES.
As ilustrações são, como que, parábolas ou seja, narrativas de fatos, quer sejam
reais ou fictícios, inseridas nas mensagens de DEUS, a fim de realçar a verdade,
ou o ensino principal, que o pregador, deseja passar aos ouvintes.
Não há uma determinação, quanto à quantidade de ilustrações a serem usadas
num sermão. Porém, ainda que as ilustrações sejam muito valorosas, quando bem
usadas e aplicadas durante a explanação de um sermão, o pregador deve ser
comedido, por isso não deve usá-las em demasia numa só pregação.
É bom que o pregador assimile bem o conselho dado, visto que a
ilustração há de ser, apenas, um meio para embelezar a pregação e
facilitar o entendimento dos ouvintes.
Jamais a ilustração poderá ou deverá ser considerada e tida como um fim em si
mesma. Também, é bom saber que o uso de ilustrações não é obrigatório, quando
da transmissão da PALAVRA DE DEUS, através da pregação.
Desta forma, se, para uma mensagem que o pregador pretende pregar, não
houver ilustração adequada é, extremamente, preferível não usar nenhuma
ilustração, a usar ilustração que esteja fora do contexto do sermão.
Se uma ilustração for colocada numa mensagem de DEUS, porém, fora de
contexto, pelo menos, parte do auditório com seu senso crítico, poderá
criar reservas acerca do pegador que age dessa forma, pois, nota e
conclui que o mesmo tem dificuldade de raciocínio.
Não há um local determinado na pregação no qual a ilustração deva ser colocada,
por isso, a localização da ilustração dentro do sermão fica a critério do pregador,
este é que decide o local onde a mesma melhor se encaixe e sirva aos seus
propósitos.
Desta forma, a ilustração pode ser colocada antes, durante, depois do cabeçalho,
na introdução, no corpo da mensagem ou na conclusão, naturalmente, dentro do
critério adotado pelo pregador, qual seja o de fortalecer e embelezar a mensagem
a ser pregada.
Damos a seguir, um exemplo de ilustração.

O HOMEM E A GALINHA.
A galinha anda só olhando para a terra procurando o que lhe serve para o corpo.
A galinha só olha para cima na hora em que bebe água.
Quantos homens também só olham para as coisas da Terra?
Muitos não olham para DEUS porque, infelizmente, nem acreditam na sua
existência.
Muitos acreditam na existência de DEUS mas agem como se DEUS não existisse.
1º Porque nunca escutaram acerca do SEU amor e ou da SUA obra em nosso
favor.
2º Porque, apesar de já terem escutado acerca do SEU amor e obra por nós, não
lhe dão crédito.
Entretanto, apesar de não reconhecerem a sua existência, ou de não lhe darem
importância, ainda que, creiam que ele existe, na hora de um aperto muito grande
buscam-no através dos seus filhos, quer seja, espontânea ou indutivamente.
Por outro lado, crentes, esquecem:
1º DA IGREJA.
2º DOS CULTOS.
3º DA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL.
4º DA EVANGELIZAÇÃO.
5º DE ORAR.
6º DE LER, ESTUDAR E MEDITAR SOBRE A BÍBLIA SAGRADA.
7º DO AMOR FRATERNAL.
8º ETC., ETC., ETC.
Mas na hora do aperto olham para cima achando que DEUS tem o dever de
satisfazer-lhes os desejos momentâneos.
São como a galinha, que só olha para cima quando tem necessidade de beber.

Cada ilustração pode, muito bem, ser aplicada em mais de um tema, por isso, esta
ilustração pode ser usada:
01. Numa mensagem sobre egoísmo.
02. Numa mensagem sobre vida devocional.
03. Numa mensagem sobre vida CRISTÃ.
04. etc.

Como já dissemos, uma ilustração pode ser real, mas também pode ser
fictícia, o importante é a lição que a mesma dá, bem como, a aplicação
que o pregador faz da mesma, durante a pregação.

PREGAR, MAS, SOBRE O QUÊ?


Já aprendemos a preparar o sermão e quais os tipos de sermão que podem ser
preparados e pregados, agora chegou o momento de pregar, mas, pregar sobre o
quê?
A primeira fonte de temas a serem pregados é a BÍBLIA SAGRADA, a qual é
imprescindível para dar autoridade ao sermão, porém, o pregador deve atentar
aos detalhes da sua IGREJA para, no momento certo, pregar sobre um assunto
que interesse à mesma.
Por exemplo, a IGREJA, ou congregação, está com dificuldades de
relacionamento pessoal, é uma ótima oportunidade para pregar sobre amor
fraternal, arrependimento, perdão, compreensão ou temas correlatos, usando,
naturalmente, o título correto, para que através da pregação, a IGREJA, a
congregação ou, pelo menos, as partes envolvidas, sejam tocadas pelo ESPÍRITO
SANTO, e possam resolver o problema, que com toda a certeza, traz prejuízos
espirituais, quer sejam, pessoais ou eclesiásticos.
Por fim, não havendo nenhum indício aparente, não há o que temer, já que, com
toda a certeza DEUS iluminará o pregador, sobre o que pregar.
Portanto, nada de pânico, a tranqüilidade juntamente com a confiança em DEUS,
com toda a certeza contribuirão para o bom desempenho do irmão, tanto para a
descoberta do que pregar, quanto para o preparo e entrega do sermão.

CUIDADOS IMPORTANTES, QUE O PREGADOR DEVE TER ANTES DE


CHEGAR AO PÚLPITO.
O pregador deve ter alguns cuidados, na sua vida de pregador, vejamos alguns:
01. Dentro do possível, preparar sua mensagem com antecedência.
02. Manter um arquivo de sermões prontos, tanto os já pregados, como os que
ainda não o foram.
03. Manter, também, um arquivo de sermões em preparo.
04. Anotar em cada esboço de cada sermão pregado ou numa relação separada,
a localidade, a IGREJA e a data em que o sermão foi pregado, evitando, dessa
forma a repetição precipitada, desnecessária e prejudicial do mesmo sermão, na
mesma IGREJA, em datas muito próximas.
05. Igualmente, marcar em cada ilustração ou numa relação em separado, a data,
a localidade e a IGREJA na qual a mesma foi usada, para que não haja repetição
da mesma ilustração, em data, muito próxima. Este cuidado é muito importante,
visto que, como já vimos, a mesma ilustração, pode ser usada em vários sermões.
06. O mesmo cuidado deve ser observado em relação aos recortes de jornais e ou
revistas.
07. Às vezes devido à inexperiência do pregador, à importância da mensagem, ou
ao local onde o sermão será pregado, pode acontecer do pregador ficar tenso,
ansioso ou nervoso, antes de iniciar o sermão. Neste caso, para amenizar tais
problemas, é de muita eficácia, o pregador fazer alguns exercícios de relaxamento
para aliviar a tensão, a ansiedade ou o nervoso que o possa dominar em tais
ocasiões.

CONCLUSÃO.
Nosso desejo é que os irmãos que estudaram este manual, tenham recebido
subsídios suficientes, hajam crescido e o apliquem, tanto para o preparo, quanto
para entrega da mensagem de DEUS quando, para isto, forem solicitados.
Que DEUS abençoe todos os mensageiros da sua SANTA PALAVRA, a qual, tem
contribuído e com certeza continuará contribuindo, para o crescimento espiritual
dos filhos de DEUS, bem como para que muitos não salvos descubram a forma de
alcançarem a MARAVILHOSA SALVAÇÃO ETERNA.

Centres d'intérêt liés