Vous êtes sur la page 1sur 2

1 Introdução

A partir do momento que houve a necessidade do homem construir abrigos e moradias, a


madeira serviu como material para realização dos mesmos, por possuir facilidade em ser moldada
com ferramentas simples, e conforme a evolução da sociedade, as tecnologias na aplicação da
madeira foram se desenvolvendo, a fim de garantir versatilidade e eficiência, impostas pelas
dificuldades da época.
Atualmente, a madeira é muito utilizada na construção civil, desde estruturas provisórias
como fôrmas ou escoras, e até pisos, coberturas e elementos estruturais. Com a demanda por
segurança, conforto e estabilidade, novas técnicas construtivas foram adaptadas gradualmente. A
finalidade destes métodos é introduzir no mercado algo resistente e prático (ALMEIDA;
SCALIANTE; MACEDO, 2015).
A madeira engloba estes aspectos, podendo ter um bom custo benefício. Para Granato
(2011), as vantagens da madeira em relação a diversos materiais consistem na facilidade de
montagem e rapidez, devido ao peso próprio de cada peça, baixo custo, componentes
industrializados, pouca agressividade ao meio ambiente, além da sustentabilidade.
Com o avanço de pesquisas para o emprego da madeira, foi desenvolvido a madeira
laminada colada (MLC), muito utilizada em países de clima temperado. A MLC é um produto de
madeira projetado, sendo um conjunto de lâminas de madeira individuais coladas. Esta técnica
possibilita a fabricação de peças de grandes dimensões e podem ser produzidas de plantios de
florestas comerciais, com melhor aproveitamento, diminuindo a quantidade de defeitos. Várias
espécies são empregadas em sua produção, onde demonstra a diminuição do comércio das
madeiras nativas e o seu uso racional (FRANÇA, 2012).
Sua aplicação possui certo proveito nas construções, porém se criou receio em relação ao
emprego da madeira no Brasil, principalmente a MLC, comparado ao alto custo de produção das
madeiras serradas tropicais e de reflorestamento. Dogmas foram criados à sua aplicação
relacionando características de pouca resistência, incêndios, vida útil, quanto a execução da mão
de obra ou responsável técnico. Fatores que, segundo Pedreschi (2004), tem afastado o consumo
e a produção.
No entanto, Gonçalves (2012) destaca que ao ser utilizado com tecnologia e tratamento
químico adequado, a MLC pode ser protegida contra ataques de insetos e deterioração por um
período de 50 anos ou mais, como é o caso do Pinus. Superando, inclusive, demais materiais,
como concreto e aço em determinadas situações.
Quanto à sua resistência, Gonçalves e Peixoto (2011) defendem que a MLC possui bons
aspectos mecânicos, devido a comportamentos satisfatórios na flexão e compressão,
possibilitando a realização de grandes vãos em estruturas, o que acarreta em menores sobrecargas
e economia nas fundações.
A aplicação da madeira laminada colada pode ser viável para estruturas devido a vários
fatores, conforme mencionados. Comparada a outros materiais empregados na construção civil
como o concreto e o aço, a madeira tem suas vantagens, porém no Brasil não tem muitos estudos
ou normas técnicas voltadas à sua área, a fim de promover a MLC para o desenvolvimento
tecnológico.

Centres d'intérêt liés