Vous êtes sur la page 1sur 17

Questões dos TC’s- 2ºano

1- (CESCEM) A Semana de Arte Moderna representou, no panorama cultural da época:


a) a ruptura total com o passado arti ́stico mais recente, no qual nada permitia prevê-la; dai ́ a comoçao ̃ que causou.
̃ ̃
b) o resultado da condensaçao de aspiraçoes vagas, ainda informes até então, mas percepti ́veis nas preferências do
público em geral.
c) a congregação de tendências que, sob formas várias e nas várias artes, se vinham delineando desde a década
anterior.
d) a reação aos ataques que os últimos parnasia- nos dirigiam contra a obra incipiente dos pri- meiros modernistas.
e) a decorrência de reelaboração de recursos esti- li ́sticos presentes tanto na poesia parnasiana quanto na
simbolista.
RESPOSTA: A

2-(UFRGS-RS) "O sapo-tanoeiro, Parnasiano aguado, Diz: -'Meu cancioneiro É bem martelado..."'
O poema, “Os sapos", de Manuel Bandeira, per- tence ao primeiro momento do Modernismo bra- sileiro, em que
ocorreu uma tomada de posição contra:
a) a expressão de sentimentos, o culto de temas clássicos, a atitude impessoal e erudita do poe- ta.
b) a interferência emocional do poeta, a lingua- gem classicizante, as rimas ricas.
c) o culto de rimas ricas, o metro perfeito, a ex- pressaõ classicizante.
d) a ênfase oratória, as atitudes sentimentais, a poesia pessoal.

̃ pessoal, a linguagem menos rigorosa, a ausência de rimas.


e) a poesia de expressao
RESPOSTA: C

3. (UC-MG) Graciliano Ramos é autor que, no Modernismo, faz parte da:

a. fase destruidora, que procura romper com o passado.

b. segunda fase, em que se destaca a ficção regionalista.

c. fase irreverente, que busca motivos no primitivismo.

d. geração de 45, que procura estabelecer uma ordem no caos anterior.

e. década de 60, que transcendentaliza o regionalismo.

Resolução: Analisando as características que nortearam a segunda fase do Modernismo brasileiro,


sobretudo demarcada pela geração de 1930, atestamos que não só Graciliano Ramos, mas também os
demais artistas que compuseram esse período, estiveram voltados para uma análise mais acurada do
meio social. Dessa forma, o Nordeste, cenário que serviu de pano de fundo para a maioria das
criações, denunciava os traços de uma região em decomposição, digamos assim, uma região levada ao
descaso dos políticos, uma região totalmente acometida pela miséria, pela seca, pelo abandono dos
que lá viviam, visto ser as condições insuficientes para se viver, o que fez com que os retirantes se
deslocassem para o eixo Sul-Sudeste.

Nesse sentido, todos os posicionamentos ideológicos estiveram voltados para uma espécie de
denúncia, levando em conta a situação vigente da época em questão. Dessa forma, aproveitando
desse “aparato”, o trabalho envolvendo o psicológico dos personagens se fez uma constante em todas
as obras desse nobre escritor, Graciliano Ramos.

4) (PUC-PR) Graciliano Ramos, cujos livros chegaram à publicação a partir de 1933, distingue-se no
quadro amplo da literatura que a partir do Modernismo foi produzida. É marca de sua modernidade,
que se constitui de maneira peculiar e distinta:
a) a elevação da caatinga a espaço mítico de transcendência e superação do real.

b) a exaltação da cultura popular baiana.

c) a procura rousseauniana do ideal na simplicidade campestre, na vida rústica, mas gratificante do


sertanejo.

d) a reconstituição saudosista do passado, sufocados o espírito crítico e o impulso para a reavaliação.

e) a via do despojamento, que o faz recusar o pitoresco, isentando-o de fraquezas populistas.

Resolução: Na alternativa demarcada pela letra “A”, atestamos a presença da palavra


transcendência, logo verificamos que ela, sem nenhuma dúvida, adéqua-se ao que é proposto no
enunciado, visto que o artista realmente transcende ao escrever uma obra, no caso, quase todas
pertencentes ao escritor em questão carregam consigo essa característica. Acerca da questão voltada
para a caatinga, sabemos que o Nordeste foi alvo de todo esse desencadear de habilidades artísticas,
demarcado, por sua vez, pelos problemas sociais, acima de tudo, tais como a seca, a miséria, o êxodo,
entre outros

5)Assinale a alternativa em que se encontram preocupações estéticas da Primeira Geração


Modernista:
a) Principal corrente de vanguarda da Literatura Brasileira, rompeu com a estrutura
discursiva do verso tradicional, valendo-se de materiais gráficos e visuais que
transformaram a estrutura do poema.
b) Busca pelo sentido da existência humana, confronto entre o homem e a realidade,
reflexão filosófico-existencialista, espiritualismo, preocupação social e política,
metalinguagem e sensualismo.
c) Os escritores de maior destaque da primeira fase do Modernismo defendiam a
reconstrução da cultura brasileira sobre bases nacionais, revisão crítica de nosso passado
histórico e de nossas tradições culturais, eliminação do complexo de colonizados e uso de
uma linguagem própria da cultura brasileira.
d) Amadurecimento da prosa, sobretudo do romance, enfoque mais direto dos fatos,
influência da estética Realista-Naturalista do século XIX e caráter documental, como no
livro Vidas secas, de Graciliano Ramos.

Resposta: Alternativa C. A primeira fase modernista surgiu do anseio de escritores como


Mário de Andrade e Manuel Bandeira por mudanças na Literatura Brasileira. Para a criação
de uma Literatura genuinamente nacional, pregavam a ruptura com os padrões clássicos
impostos pela cultura europeia. Na linguagem, defendiam uma língua sem arcaísmos, livre
de erudição.

6) Sobre as vanguardas europeias, é correto afirmar, exceto:


a) Entre suas principais manifestações estão o Cubismo, o Futurismo, o Expressionismo, o
Dadaísmo e o Surrealismo, todos surgidos na Europa no início do século XX.
b) As tendências literárias que compuseram as vanguardas europeias estavam unidas por
um único projetor artístico, cuja proposta era a de retomar os ideais clássicos nas artes e na
literatura.
c) As vanguardas europeias influenciaram as artes no mundo ocidental de maneira
contundente. No Brasil, as inovações nas artes e na literatura ficaram conhecidas como
Modernismo.
d) A palavra “vanguarda” tem origem no francês avant-garde, que significa “o que marcha
na frente”, ou seja, as correntes de vanguarda antecipavam o futuro com suas práticas
artísticas inovadoras e nada convencionais.
e) Não havia um projeto artístico em comum que agregasse os artistas de vanguarda em
torno de uma única proposta, contudo, estavam unidos por uma mesma causa: a de inovar
as artes e romper com os padrões clássicos vigentes.
Resposta:
Alternativa “b”. As correntes de vanguarda, embora apresentassem propostas específicas,
pregavam um mesmo ideal: era preciso derrubar a tradição por meio de práticas
inovadoras, capazes de subverter o senso comum e captar as tendências do futuro. Essas
propostas, incompreendidas à época em virtude principalmente do contexto conservador
no qual estavam inseridas, adquiriram importância histórica e influenciaram o trabalho de
vários artistas no mundo.

7) Movimento literário brasileiro que recebeu influências de vanguardas europeias, tais


como o Futurismo e o Surrealismo:

a) Modernismo

b) Parnasianismo

c) Romantismo

d) Realismo

e) Simbolismo

Resposta:

Alternativa “a”. O Modernismo brasileiro foi extremamente influenciado pelas vanguardas


europeias que eclodiram na Europa, no início do século XX. No Brasil, todas as
manifestações artísticas inovadoras foram classificadas como modernistas e, assim como
aconteceu na Europa, aqui também não havia um projeto artístico bem definido, mas sim o
desejo comum, tal qual o desejo dos artistas europeus, de renovar as artes em geral.

8) A respeito de Fernando Pessoa, é incorreto afirmar que:


a) não só assimilou o passado lírico de seu povo, como refletiu em si as grandes
inquietações humanas do começo do século.
b) os heterônimos são meios de conhecer a complexidade cósmica impossível para uma só
pessoa.
c) Ricardo Reis simboliza uma forma humanística de ver o mundo do espírito da
Antiguidade Clássica.
d) junto com Mário de Sá-Carneiro, dirige a publicação do segundo número de Orpheu, em
1926.
e) a Tabacaria, de Alberto Caeiro, mostra seu desejo de deixar o grande centro em busca da
simplicidade do campo.

Resposta:
Alternativa e. O poema Tabacaria, de Álvaro de Campos, mostra o sentimento de revolta e
inconformismo do eu lírico. É predominantemente niilista, uma das fases poéticas pelas
quais o heterônimo passou.

9. Autopsicográfica

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.
E os que leem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.
E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

Fernando Pessoa

A palavra título indica que:

a) o texto apresentará a visão do eu lírico sobre os outros com quem convive.


b) o poema tecerá considerações sobre a subjetividade do próprio eu lírico.

c) o texto discutirá a formação do leitor.

d) o poema dialogará com os leitores em potencial.

e) o poema tecerá considerações sobre o amor.

Resposta: Alternativa “b. Exprime a noção de próprio, de si próprio, por si próprio.


Podemos dizer que autopsicográfica diz respeito a uma pessoa, no caso, o poeta Fernando
Pessoa, que faz a descrição da sua própria alma, do fazer literário do poeta.

10) Enem – 2012 (Questão 108)

O trovador
Sentimentos em mim do asperamente
dos homens das primeiras eras...
As primaveras do sarcasmo
intermitentemente no meu coração arlequinal...
Intermitentemente...
Outras vezes é um doente, um frio
na minha alma doente como um longo som redondo...
Cantabona! Cantabona!
Dlorom...
Sou um tupi tangendo um alaúde!
ANDRADE, M. In: MANFIO, D. Z. (Org.) Poesias completas de Mário de Andrade.
Belo Horizonte: Itatiaia, 2005.
Cara ao Modernismo, a questão da identidade nacional é recorrente na prosa e na poesia de Mário de Andrade.
Em O trovador, esse aspecto é
a) abordado subliminarmente, por meio de expressões como “coração arlequinal” que, evocando o carnaval,
remete à brasilidade.
b) verificado já no título, que remete aos repentistas nordestinos, estudados por Mário de Andrade em suas
viagens e pesquisas folclóricas.
c) lamentado pelo eu lírico, tanto no uso de expressões como “Sentimentos em mim do asperamente” (v. 1),
“frio” (v. 6), “alma doente” (v. 7), como pelo som triste do alaúde “Dlorom” (v. 9).
d) problematizado na oposição tupi (selvagem) x alaúde (civilizado), apontando a síntese nacional que seria
proposta no Manifesto Antropófago, de Oswald de Andrade.
e) exaltado pelo eu lírico, que evoca os “sentimentos dos homens das primeiras eras” para mostrar o orgulho
brasileiro por suas raízes indígenas.

Resposta: D

Em O Trovador, a problemática em relação à questão da identidade nacional é pela fusão e oposição (símbolo
do primitivo -selvagem) e alaúde (símbolo do civilizado), temática recomendada no ManifestoAntropófago, de
Oswald de Andrade.

11) Enem – 2013 (Questão 129)


MUSEU DA LÍNGUA PORTUGUESA. Oswald de Andrade: o culpado de tudo.
27 set. 2011 a 29 jan. 2012. São Paulo: Prol Gráfica, 2012.

O poema de Oswald de Andrade remonta à ideia de que a brasilidade está relacionada ao futebol. Quanto à
questão da identidade nacional, as anotações em torno dos versos constituem
a) direcionamentos possíveis para uma leitura crítica de dados histórico-culturais.
b) forma clássica da construção poética brasileira.
c) rejeição à ideia do Brasil como o país do futebol.
d) intervenções de um leitor estrangeiro no exercício de leitura poética.
e) lembretes de palavras tipicamente brasileiras substitutivas das originais.
Resposta: A
A instalação “Brasilidade em construção” explora elementos socioculturais defendidos pelos primeiros
modernistas, fazendo referência ao futebol como instrumento de supremacia sobre os portugueses, nossos
colonizadores. As anotações feitas em torno dos versos denunciam possíveis direcionamentos para uma leitura
crítica de dados histórico-culturais. Conhecer algumas das características da 1ª fase do Modernismo é
fundamental para a resolução da questão.

12) (PUC-Campinas) Assinale a alternativa em que se encontram preocupações estéticas da Primeira


Geração Modernista:

a) “Não entrem no verso culto o calão e solecismo, a sintaxe truncada, o metro cambaio, a indigência das
imagens e do vocabulário do pensar e do dizer.”

b) “Vestir a Ideia de uma forma sensível que, entretanto, não terá seu fim em si mesma, mas que, servindo
para exprimir a Ideia, dela se tornaria submissa.”

c) “Minhas reivindicações? Liberdade. Uso dela; não abuso.” “E não quero discípulos. Em arte: escola =
imbecilidade de muitos para vaidade dum só.”

d) “Na exaustão causada pelo sentimentalismo, a alma ainda tremula e ressoante da febre do sangue, a alma
que ama e canta porque sua vida é amor e canto, o que pode senão fazer o poema dos amores da vida real?”
e) “O poeta deve ter duas qualidades: engenho e juízo; aquele, subordinado à imaginação, este, seu guia,
muito mais importante, decorrente da reflexão. Daí não haver beleza sem obediência à razão, que aponta o
objetivo da arte: a verdade.”

Resposta: C. (A primeira fase do Modernismo baseou-se em uma concepção inteiramente libertária da


criação artística, contextualização e inclusão do cotidiano, linguagem coloquial e novas técnicas de escrita.)

14) - (ENEM) “Poética”, de Manuel Bandeira, é quase um manifesto do movimento modernista brasileiro de 1922.
No poema, o autor elabora críticas e propostas que representam o pensamento estético predominante na época.

Poética

Estou farto do lirismo comedido


Do lirismo bem comportado
Do lirismo funcionário público com livro de ponto expediente
protocolo e manifestações de apreço ao Sr. diretor.
Estou farto do lirismo que pára e vai averiguar no dicionário
o cunho vernáculo de um vocábulo.
Abaixo os puristas
[...]

Quero antes o lirismo dos loucos


O lirismo dos bêbedos
O lirismo difícil e pungente dos bêbedos
O lirismo dos clowns de Shakespeare

- Não quero mais saber do lirismo que não é libertação.

(BANDEIRA, Manuel. Poesia completa e prosa. Rio de janeiro: José Aguilar, 1974)

Com base na leitura do poema, podemos afirmar corretamente que o poeta:

A)Critica o lirismo louco do movimento modernista.

B)Critica todo e qualquer lirismo na literatura.

C)Propõe o retorno ao lirismo do movimento clássico.

D)Propõe o retorno do movimento romântico.

E)Propõe a criação de um novo lirismo.

Resolução: Ao nos atermos aos pressupostos ideológicos que demarcaram a estética modernista, todas as
proposições, exceto a letra “é”,consideram-se como incoerentes, uma vez que um dos posicionamentos de Manuel
Bandeira era de extrair poesia das coisas mais banais da realidade, renegando assim o sentimentalismo exacerbado
dos românticos (por isso, ele não retoma ao movimento), bem como repudiando quaisquer traços formais em
termos de estética, razão pela qual se pautava, sobretudo, pelo uso do verso livre (por isso, não retomou ao
movimento clássico).

Alternativa correta letra ‘’E’’

15.(FIUbe-MG) O Modernismo brasileiro preocupava-se em criar uma arte essencialmente brasileira.


Entretanto, alguns dos primeiros escritores desse movimento estético, no Brasil, sofreram influências:

a. do futurismo
b. do Concretismo

c. do Hiper-realismo

d. da arte popular

e. da arte cinética.

16.(FMU-SP) O tema da pátria distante foi retomado por muitos poetas. Um deles, Oswald de
Andrade, do Modernismo.

São características do Modernismo:

a. linguagem coloquial; valorização do nacional; tom irônico; liberação absoluta da forma.

b. nacionalismo; tom irônico; linguagem retórica; liberdade de composição.

c. saudosismo; crítica social; verde-amarelismo; regras rígidas de composição.

d. linguagem retórica; saudosismo; nacionalismo; regras rígidas de composição.

e. linguagem retórica; liberdade de composição; cientificismo; tom irônico.

17
(Ene
m-
2004)
A
tirinh
a de
Hagar
estab
elece
um
intere
ssant
e contraponto com o poema Eu sou do tamanho do que vejo, de Alberto Caeiro:

Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo...

Por isso minha aldeia é grande como outra qualquer

Porque sou do tamanho do que vejo

E não do tamanho da minha altura...

(Alberto Caeiro)
A tira Hagar e o poema de Alberto Caeiro (um dos heterônimos de Fernando Pessoa) expressam, com
linguagens diferentes, uma mesma ideia: a de que a compreensão que temos do mundo é condicionada,
essencialmente,

a) pelo alcance de cada cultura.


b) pela capacidade visual do observador.
c) pelo senso de humor de cada um.
d) pela idade do observador.
e) pela altura do ponto de observação.
f. RESPOSTA: A
Modernismo:
18. (UCP-PR) A poesia modernista revela:

a. ritmo psicológico.

b. cotidianismo.

c. sintaxe e pontuação revolucionárias.

d. Estão corretas as afirmações a e c.

e. Estão corretas as afirmações a, b e c.

R: e

19 (UC-MG) Graciliano Ramos é autor que, no Modernismo, faz parte da:

a. fase destruidora, que procura romper com o passado.

b. segunda fase, em que se destaca a ficção regionalista.

c. fase irreverente, que busca motivos no primitivismo.

d. geração de 45, que procura estabelecer uma ordem no caos anterior.

e. década de 60, que transcendentaliza o regionalismo.

R: b

20) Sobre as vanguardas europeias, é correto afirmar, exceto:

a) Entre suas principais manifestações estão o Cubismo, o Futurismo, o Expressionismo, o Dadaísmo e


o Surrealismo, todos surgidos na Europa no início do século XX.

b) As tendências literárias que compuseram as vanguardas europeias estavam unidas por


um único projetor artístico, cuja proposta era a de retomar os ideais clássicos nas artes e na
literatura.

c) As vanguardas europeias influenciaram as artes no mundo ocidental de maneira contundente. No


Brasil, as inovações nas artes e na literatura ficaram conhecidas como Modernismo.

d) A palavra “vanguarda” tem origem no francês avant-garde, que significa “o que marcha na frente”,
ou seja, as correntes de vanguarda antecipavam o futuro com suas práticas artísticas inovadoras e
nada convencionais.

e) Não havia um projeto artístico em comum que agregasse os artistas de vanguarda em torno de uma
única proposta, contudo, estavam unidos por uma mesma causa: a de inovar as artes e romper com os
padrões clássicos vigentes.

R:b

21)(Enem 2010)
AMARAL, Tarsila do. O mamoeiro. 1925, óleo sobre tela, 65x70, IEB//USP

O modernismo brasileiro teve forte influência das vanguardas europeias. A partir da Semana de Arte
Moderna, esses conceitos passaram a fazer parte da arte brasileira definitivamente. Tomando como
referência o quadro O mamoeiro, identifica-se que, nas artes plásticas, a

a) imagem passa a valer mais que as formas vanguardistas.

b) forma estética ganha linhas retas e valoriza o cotidiano.

c) natureza passa a ser admirada como um espaço utópico.

d) imagem privilegia uma ação moderna e industrializada.

e) forma apresenta contornos e detalhes humanos.

R:b

22) Uma linha de coerência se esboça através dos zigue-zagues de sua vida. Ora espiritualista, ora
marxista, criando um dia o Pau-Brasil, e logo buscando universalizá-lo em antropofagia, primitivo e
civilizado a um tempo, como observou Manuel Bandeira, solapando o edifício burguês sem renunciar à
habitação em seus andares mais altos, Oswald manteve sempre intata sua personalidade, de sorte a
provocar, ainda em seus últimos dias, a irritação ou a mágoa que inspirava quando fauve modernista
de 1922. (Carlos Drummond de Andrade, Poesia e prosa.)

Carlos Drummond de Andrade identifica, no texto transcrito, uma linha de coerência na vida de
Oswald de Andrade. Esta coerência se verifica, segundo o texto,

a) nos aspectos ideológicos e político.

b) na criação poética.

c) na obra de ficção narrativa.

d) na defesa dos valores burgueses.

e) na personalidade forte e agressiva.

Modernismo:
23-(ENEM) “Poética”, de Manuel Bandeira, é quase um manifesto do movimento modernista
brasileiro de 1922. No poema, o autor elabora críticas e propostas que representam o pensamento
estético predominante na época.

Poética

Estou farto do lirismo comedido


Do lirismo bem comportado
Do lirismo funcionário público com livro de ponto expediente
protocolo e manifestações de apreço ao Sr. diretor.
Estou farto do lirismo que pára e vai averiguar no dicionário
o cunho vernáculo de um vocábulo.
Abaixo os puristas
[...]

Quero antes o lirismo dos loucos


O lirismo dos bêbedos
O lirismo difícil e pungente dos bêbedos
O lirismo dos clowns de Shakespeare

- Não quero mais saber do lirismo que não é libertação.

(BANDEIRA, Manuel. Poesia completa e prosa. Rio de janeiro: José Aguilar, 1974)

Com base na leitura do poema, podemos afirmar corretamente que o poeta:

Critica o lirismo louco do movimento modernista.


b) Critica todo e qualquer lirismo na literatura.
c) Propõe o retorno ao lirismo do movimento clássico.
d) Propõe o retorno do movimento romântico.
e) Propõe a criação de um novo lirismo.

24- Os principais nomes da primeira fase do Modernismo na Literatura foram:


a) Lima Barreto, Augusto dos Anjos e Oswald de Andrade.
b) Mário de Andrade, Manuel Bandeira e Oswald de Andrade.
c) Mário Quintana, Mário de Andrade e Patrícia Galvão.
d) Manuel Bandeira, Tarsila do Amaral e Lima Barreto.

25- Sobre as vanguardas europeias, é correto afirmar, exceto:

a) Entre suas principais manifestações estão o Cubismo, o Futurismo, o Expressionismo, o Dadaísmo e o


Surrealismo, todos surgidos na Europa no início do século XX.

b) As tendências literárias que compuseram as vanguardas europeias estavam unidas por um único projetor
artístico, cuja proposta era a de retomar os ideais clássicos nas artes e na literatura.

c) As vanguardas europeias influenciaram as artes no mundo ocidental de maneira contundente. No Brasil,


as inovações nas artes e na literatura ficaram conhecidas como Modernismo.

d) A palavra “vanguarda” tem origem no francês avant-garde, que significa “o que marcha na frente”, ou
seja, as correntes de vanguarda antecipavam o futuro com suas práticas artísticas inovadoras e nada
convencionais.
e) Não havia um projeto artístico em comum que agregasse os artistas de vanguarda em torno de uma única
proposta, contudo, estavam unidos por uma mesma causa: a de inovar as artes e romper com os padrões
clássicos vigentes.

26- Movimento literário brasileiro que recebeu influências de vanguardas europeias, tais como o
Futurismo e o Surrealismo:

a) Modernismo

b) Parnasianismo

c) Romantismo

d) Realismo

e) Simbolismo

27- A respeito de Fernando Pessoa, é incorreto afirmar que:


a) não só assimilou o passado lírico de seu povo, como refletiu em si as grandes inquietações humanas do
começo do século.
b) os heterônimos são meios de conhecer a complexidade cósmica impossível para uma só pessoa.
c) Ricardo Reis simboliza uma forma humanística de ver o mundo do espírito da Antiguidade Clássica.
d) junto com Mário de Sá-Carneiro, dirige a publicação do segundo número de Orpheu, em 1926.
e) a Tabacaria, de Alberto Caeiro, mostra seu desejo de deixar o grande centro em busca da simplicidade do
campo.

28- Sobre Fernando Pessoa e seus heterônimos, é incorreto afirmar:


a) Foi um dos principais representantes do modernismo português, ao lado de nomes como Mário de Sá-
Carneiro, Luiz de Montalvor e Ronald de Carvalho.
b) Cada um dos heterônimos criados por Fernando Pessoa apresenta estilos e biografias distintos, compondo
um interessante processo de fragmentação psicológica sem igual na história da literatura.
c) Fernando Pessoa escreveu grande parte de sua obra em língua portuguesa, embora tenha sido alfabetizado
na língua inglesa enquanto viveu em Durban, na África do Sul.
d) O fenômeno da heteronímia é a principal característica da obra de Fernando Pessoa. As principais
personalidades literárias criadas pelo poeta foram Alberto Caeiro, Álvaro de Campos, Ricardo Reis e
Bernardo Soares.
GABARITO:
Alternativa “c”. Em vida, Fernando Pessoa publicou apenas um livro em língua portuguesa, Mensagem, obra
que narra o glorioso passado de Portugal.

29)Assinale a alternativa que menciona somente movimentos artísticos das Vanguardas Europeias
A)Barroco, Rococó e Art-nouveau.
b)Expressionismo, Cubismo e Surrealismo.
c)Neoclassicismo, Impressionismo e Romantismo.
d)Pop-art, Dadaísmo e Futurismo.
e)Construtivismo, Concretismo e Naturalismo.
RESPOSTA : LETRA B
30)

Vício na fala
Para dizerem milho dizem mio
Para melhor dizem mió
Para pior pió
Para telha dizem teia
Para telhado dizem teiado
E vão fazendo telhados.
(Oswald de Andrade)
Sobre o poema de Oswald de Andrade, julgue as seguintes proposições:
I. O poema de Oswald de Andrade volta-se contra o preconceito linguístico e nos chama a atenção para a
necessidade de uma espécie de ética linguística pautada na diferença entre as línguas, nesse caso em uma
única língua.
II. O poema critica a maneira de falar do povo brasileiro, sobretudo das classes incultas que desconhecem o
nível formal da língua.
III. Para ele, os falantes que dizem “mio”, “mió”, “pió”, “teia”, “teiado”, de certa forma, constroem um “telhado”,
ou seja, criam novas formas de pronúncia que se sobressaem, em muitos casos, à norma culta.
IV. A palavra “vício”, encontrada no título do poema, denota certo preconceito linguístico do autor, que julga a
norma culta superior ao coloquialismo presente na fala das pessoas menos esclarecidas.
a) Todas estão corretas.
b) I e III estão corretas.
c) I, III e IV estão corretas.
d) II e III estão corretas.

GABARITO:
Alternativa “b”. Em razão do projeto político do autor e da escola literária à qual Oswald de Andrade pertencia,
podemos afirmar que o “vício” é, na verdade, uma virtude, uma marca de regionalismo importante para a
construção da identidade nacional, bandeira defendida pelos primeiros modernistas. Através da linguagem,
Oswald conseguiu contrastar as diferenças entre a classe culta e a classe operária, essa última responsável por
usar variantes e regionalismos. Contudo, não há intenção preconceituosa no posicionamento de Oswald, que
sempre buscou a valorização do Brasil real presente na linguagem empregada pelo povo.

33) Considere as seguintes afirmações:


I. Em sua poesia, Mário de Andrade foi capaz de extrair lirismo de situações aparentemente banais, sendo essa
uma de suas principais características.
II. Conciliava a crítica social e a reflexão filosófica acerca da condição humana, fazendo uso de oposições
formais e da coloquialidade linguística.
III. Sua obra poética apresenta duas vertentes: a poesia intimista e introspectiva e a poesia política, de combate
às injustiças sociais, fazendo uso de uma linguagem agressiva e explosiva.
IV. Destaca-se, em quase todas as suas obras, a preocupação com a descoberta e a exploração de novas
técnicas narrativas.
V. Mário abdicou dos ideais modernistas durante a última fase de sua produção literária, retornando a uma
poesia de forma convencional ao escrever versos de medida clássica.
Estão corretas:
a) Todas estão corretas.
b) Apenas II e III estão corretas.
c) Apenas III e IV estão corretas.
d) I e V estão corretas.
e) II, III e IV estão corretas.
Resposta:
Alternativa “c”.

34)Relacione os fragmentos a seguir de acordo com as características dos heterônimos de


Fernando Pessoa:
I.
“(...) Mas serenamente
Imita o Olimpo
No teu coração.
Os deuses são deuses
Porque não se pensam.”
II.
“(...) Começo a conhecer-me. Não existo.
Sou o intervalo entre o que desejo ser e os outros me fizeram,
ou metade desse intervalo, porque também há vida ...
Sou isso, enfim (...)”.
III.
“(...) Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
mas porque a amo, e amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama, nem o que é amar ...
Amar é a eterna inocência,
E a única inocência não pensar...”.
IV.
“(...) Será que em seu movimento
A brisa lembre a partida,
Ou que a largueza do vento
Lembre o ar livre da ida?
Não sei, mas subitamente
Sinto a tristeza de estar
O sonho triste que há rente
Entre sonhar e sonhar.”
( ) Bernardo Soares.
( ) Álvaro de Campos.
( ) Alberto Caeiro.
( ) Ricardo Reis.
a) IV, II, III e I.
b) I, II, IV e III.
c) III, I, IV e II.
d) II, IV, I e III.
GABARITO: Alternativa “a”. Bernardo Soares é uma espécie de alter ego do poeta. É dele uma das
mais importantes obras de Fernando Pessoa, Livro do desassossego. A principal característica de
Alberto Caeiro é a forte ligação com a natureza e a negação de qualquer tipo de pensamento
filosófico. Entre todos os heterônimos, Álvaro de Campos foi o único a apresentar fases poéticas
diferentes: foi decadentista, futurista e niilista. Concebida no estilo Neoclássico, a poesia de Ricardo
Reis caracteriza-se pelo emprego de uma linguagem culta e precisa, distante de espontaneidade.

35) Indique a alternativa que preenche corretamente as afirmações abaixo.


Ao se destacar como um poeta múltiplo, Fernando Pessoa apresenta ____ com diferentes____ entre os
quais Ricardo Reis e Álvaro de Campos, com obras de tendência, respectivamente, ____ e ____.

a) pseudônimos – imagens – clássica – simbolista

b) heterônimos – linguagens – neoclássica – modernista

c) pseudônimos – estilos – simbolista – modernista

d) heterônimos – temáticas – romântica – futurista

e) heterônimos – visões de mundo – surrealista – vanguardista

1. Gabarito:b) heterônimos – linguagens – neoclássica – modernista

- QUESTÕES MOVIMENTOS DE VAN GUARDA

36) (Ufam) Leia o texto abaixo, referente a uma “receita” para se fazer um poema:

“Pegue um jornal. Pegue a tesoura. Escolha no jornal um artigo do tamanho que você deseja dar
a seu poema. Recorte o artigo. Recorte em seguida com atenção algumas palavras que formam
esse artigo e metas num saco. Agite suavemente. Tire em seguida cada pedaço um após o outro.
Copie conscienciosamente na ordem em que elas são tiradas do saco. O poema se parecerá com
você. E ei-lo um escritor infinitamente original e de uma sensibilidade graciosa, ainda que
incompreendido do público.”

TZARA, Tristan. In: TELES, Gilberto Mendonça. Vanguarda europeia e modernismo brasileiro.
9. ed. Petrópolis: Vozes, 1986. p.132.

Essa “teoria poética”, que tende para o mais completo anarquismo, é uma plataforma do:

a) Futurismo

b) Expressionismo

c) Dadaísmo

d) Surrealismo

e) Cubismo

Resposta- C

37) (UPE) Enfim, um indivíduo de idéias abertas

“A coceira no ouvido atormentava. Pegou o molho de chaves, enfiou a mais fininha na cavidade.
Coçou de leve o pavilhão, depois afundou no orifício encerado. E rodou, virou a pontinha da
chave em beatitude, à procura daquele ponto exato em que cessaria a coceira. Até que, traque,
ouviu o leve estalo e a chave enfim no seu encaixe percebeu que a cabeça lentamente se abria.”
Marina Colasanti. Contos de Amor Rasgado. Rio de Janeiro: Rocco, 1986. p. 11.

Mobilizando as concepções de gênero literário, de estilos estéticos e de efeitos de sentido na


produção literária, analise os comentários seguintes referentes ao texto.

I. O texto é narrativo, apresentando uma sequência de eventos, uma personagem e um narrador


na terceira pessoa do discurso.

II. II. Como indica o título da obra em que o texto está inserido, trata-se de um conto, gênero
literário que exige um núcleo narrativo complexo e plural.

III. III. O texto revela fortes tendências do Surrealismo, movimento de vanguarda do século XX,
que tem por característica, entre outras, aproximar a linguagem da estrutura do sonho.

IV. IV. O texto explora a polissemia contida nos vocábulos ‘abertas' e ‘abria'. O final do texto,
no entanto, sugere uma interpretação predominantemente literal e, assim, consegue o efeito de
estranhamento.

V. V. Pela sua curta dimensão e pelo teor dos fatos narrados, o texto faz parte da antologia da
primeira fase do Modernismo brasileiro, quando predominaram os poemas-piada. A afirmativa é
verdadeira nos itens

a) I, IV e V, apenas.

b) II e IV, apenas.

c) I, II e III, apenas.

d) II, III e V, apenas

e) I, III e IV, apenas.

38) Nos versos acima podemos concluir que o poeta refere-se:

" Multiplique-me, para me sentir, Para senti-me, precisei sentir tudo, Transbordei-me, não fiz
senão extravasar-me"

a) aos seus heterônimos

b) aos seus poemas

c) aos seus livros

d) aos seus sentimentos

39) Uma das principais características de Alberto Caeiro: ele "pensa" com os sentidos. Todos os
seus versos a seguir revelam essa característica, exceto:

a) "Pensar uma flor é vê-la e cheirá-la"


b) "Sei a verdade e sou feliz"

c) "E os meus pensamentos são todos sensações"

d) "Penso com os olhos e com os ouvidos"

40) Sobre as vanguardas europeias, é correto afirmar, exceto:


a) Entre suas principais manifestações estão o Cubismo, o Futurismo, o Expressionismo, o Dadaísmo e o
Surrealismo, todos surgidos na Europa no início do século XX.
b) As tendências literárias que compuseram as vanguardas europeias estavam unidas por um único projetor
artístico, cuja proposta era a de retomar os ideais clássicos nas artes e na literatura.
c) As vanguardas europeias influenciaram as artes no mundo ocidental de maneira contundente. No Brasil,
as inovações nas artes e na literatura ficaram conhecidas como Modernismo.
d) A palavra “vanguarda” tem origem no francês avant-garde, que significa “o que marcha na frente”, ou
seja, as correntes de vanguarda antecipavam o futuro com suas práticas artísticas inovadoras e nada
convencionais.
e) Não havia um projeto artístico em comum que agregasse os artistas de vanguarda em torno de uma única
proposta, contudo, estavam unidos por uma mesma causa: a de inovar as artes e romper com os padrões
clássicos vigentes.
Alternativa “b”. As correntes de vanguarda, embora apresentassem propostas específicas, pregavam um
mesmo ideal: era preciso derrubar a tradição por meio de práticas inovadoras, capazes de subverter o senso
comum e captar as tendências do futuro. Essas propostas, incompreendidas à época em virtude
principalmente do contexto conservador no qual estavam inseridas, adquiriram importância histórica e
influenciaram o trabalho de vários artistas no mundo.
41 Assinale a alternativa em que se encontram preocupações estéticas da Primeira Geração Modernista:

a) Principal corrente de vanguarda da Literatura Brasileira, rompeu com a estrutura discursiva do verso tradicional,
valendo-se de materiais gráficos e visuais que transformaram a estrutura do poema.

b) Busca pelo sentido da existência humana, confronto entre o homem e a realidade, reflexão filosófico-
existencialista, espiritualismo, preocupação social e política, metalinguagem e sensualismo.

c) Os escritores de maior destaque da primeira fase do Modernismo defendiam a reconstrução da cultura brasileira
sobre bases nacionais, revisão crítica de nosso passado histórico e de nossas tradições culturais, eliminação do
complexo de colonizados e uso de uma linguagem própria da cultura brasileira.

d) Amadurecimento da prosa, sobretudo do romance, enfoque mais direto dos fatos, influência da estética Realista-
Naturalista do século XIX e caráter documental, como no livro Vidas secas, de Graciliano Ramos.