Vous êtes sur la page 1sur 17

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA – MG

ENGENHARIA QUÍMICA
DISCIPLINA: ANÁLISE E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS QUÍMICOS I

INTRODUÇÃO GERAL
ENGENHARIA DE PROCESSOS

Professor: Me. Antônio Santos

2018/1
1
Introdução
A Engenharia de Processos é a área da Engenharia Química que
surgiu da necessidade de sistematizar o projeto de processos.

INTERDEPENDÊNCIA DOS EQUIPAMENTOS


SELEÇÃO DE EQUIPAMENTOS ALTERNATIVOS PARA
UMA MESMA OPERAÇÃO
SELEÇÃO DE FLUXOGRAMAS DENTRE OS INÚMEROS ARRANJOS
POSSÍVEIS DE EQUIPAMENTOS PARA UM MESMO PROCESSO

 Antes: os processos eram abordados de forma descritiva, intuitiva,


separadamente;

 Atualmente: Processos são tratados de forma sistemática.


2
Introdução
A Engenharia de Processos revolucionou a prática do projeto,
tornando possível aprimorar os processos a partir da sua própria concepção
estrutural e não mais apenas pelo aprimoramento dos equipamentos.

Classificação dos conhecimentos inerentes à Engenharia


Química.

Projetos são hoje executados com maior rapidez, maior segurança e


menor custo, resultando processos mais econômicos, seguros e
ambientalmente integrados.
3
Sistemas
Sistema é a denominação genérica de organismos, dispositivos ou
instalações que apresentam as seguintes características:

 São conjuntos de elementos interdependentes;

 Cada elemento é capaz de executar uma ação específica;

 Têm como finalidade a execução de uma ação complexa, que só pode ser
executada mediante a conjugação dos seus elementos.

Matéria-prima Produto

4
Sistemas - Estrutura
A estrutura de um sistema é definida pela forma como os seus
elementos são interligados. É representada pelo fluxograma do processo.

Os sistemas podem exibir estruturas das mais simples às mais


complexas.

Estrutura acíclica: cada elemento influencia apenas os seus


subsequentes  mais simples;

Estrutura cíclica: todos os elementos são influenciados uns pelos


outros, direta ou indiretamente  mais complexas.

5
Sistemas - Estrutura

Exemplos de estruturas de sistemas.


a) mais simples, acíclica;
b) com pontos de bifurcação;
c) com pontos de convergência;
d) mais complexa, cíclica (todos os elementos são influenciados uns pelos outros
diretamente);
e) mais complexa, cíclica (todos os elementos são influenciados uns pelos outros
indiretamente);
f) estrutura complexa formada por uma combinação de estruturas elementares. 6
Sistemas - Projeto
Projeto: conjunto de operações presentes na criação de um sistema.

A sistematização do projeto começa com o seu equacionamento sob a


forma de um problema, que consiste em determinar a melhor estrutura para
um sistema destinado a cumprir a finalidade desejada.

Gerar o conjunto das Prever e avaliar o


estruturas viáveis para o desempenho de cada
sistema. estrutura gerada.

SÍNTESE ANÁLISE
7
Sistemas - Síntese
A Síntese é a etapa criativa do projeto. Ela consiste na seleção dos
equipamentos e na definição do fluxograma.

Trata-se de um problema essencialmente combinatório, caracterizado


pela multiplicidade de soluções.

Exemplo: Processo para produção de C, constituído das subtarefas


de reação e de separação.

Um processo simples: reação e separação. 8


Sistemas - Síntese
PROCESSO

Reação Separação
M D
Reator de mistura Destilação
T A
Reator tubular Absorção

1 2 3 4
M D T D M A T A

5 6 7 8
M D T D M A T A

8 fluxogramas diferentes! 9
Sistemas - Análise
Cada um dos fluxogramas alternativos gerados na etapa de Síntese
tem que ser submetido a uma Análise para se identificar aquele que exibe o
melhor desempenho.

Esta etapa compreende a identificação dos elementos do sistema e da


forma como os mesmos interagem, e prossegue com a previsão e a avaliação
do seu desempenho.

Projeto de processos

Subproblema Subproblema Subproblema


tecnológico estrutural paramétrico
Rotas Síntese Análise
10
Sistematização do Projeto de Processos
Finalidade do
processo

NÍVEL
TECNOLÓGICO:
Rotas químicas

NÍVEL
ESTRUTURAL:
Síntese

NÍVEL
PARAMÉTRICO:
Análise

A solução tecnológica ótima é a rota de D + E, a solução estrutural ótima é


o fluxograma 4 e a solução paramétrica ótima é o valor 5 da variável x. 11
Sistematização do Projeto de Processos

O procedimento simples realizado anteriormente esbarra na questão


da explosão combinatória inerente a problemas altamente complexos com
milhares de soluções plausíveis. Nesses casos:

 Torna-se impossível representar o problema graficamente, embora seja


possível uma representação simbólica semelhante em computador;

 O problema pode exibir um número razoável de soluções “indistintamente


boas”, tornando irrelevante a determinação da solução matemática ótima;

 Outros procedimentos mais sofisticados devem ser empregados na busca


de uma das soluções do conjunto das “indistintamente boas”.

12
Sistemas - Otimização
Todo problema que admite mais de uma solução viável dispara a
busca da melhor das soluções: a solução ótima.

O desempenho ótimo é caracterizado pelos valores das variáveis


correspondentes ao lucro máximo ou ao custo mínimo daquela estrutura.

Otimização de um sistema em nível paramétrico. 13


Inteligência Artificial
É o campo da Ciência da Computação em que se estuda a forma pela
qual o homem utiliza intuitivamente a inteligência e o raciocínio na resolução
de problemas complexos, bem como as formas de implementar essas duas
faculdades humanas em máquinas.

14
Fluxograma da execução da busca em árvore do problema de projeto.

15
(ENADE 2008) Uma empresa dispõe de uma solução aquosa, quente, de NaOH,
oriunda de uma determinada etapa do processo, que tem uma baixa concentração em
soluto. A empresa deseja obter cristais do soluto e, paralelamente, está preocupada em
não haver desperdício de energia. São conhecidas as propriedades físico-químicas,
bem como suas vazões mássicas, temperaturas, solubilidades e composições.

a) Proponha um fluxograma para o processo, identificando as correntes e suas


propriedades pertinentes.

b) Apresente os balanços de massa envolvidos nos processos.

16
A grande contribuição da Engenharia de Processos veio a ser a
sistematização do projeto. Hoje, o projeto é reconhecido como uma
combinação de duas atividades complementares e distintas: Síntese e
Análise.

Por um lado, nada se decide sem a Síntese, porque sem fluxogramas


gerados não há o que analisar. Por outro lado, nada se decide sem a Análise,
responsável pela avaliação de cada fluxograma gerado na Síntese.

17