Vous êtes sur la page 1sur 36

Obrigado...

A minha querida esposa Cleuzanir, uma companheira inseparável, e aos meus maravilhosos
filhos Maila e Abner.

A todos quantos que me dão suporte em suas orações...

2
Índice:

1. O Casamento Segundo o Propósito de Deus


2. Antigos Dilemas de Uma Juventude Moderna
3. Mantendo Uma Conduta Pura – Três Conselhos Pastorais
4. O Preparo do Professor
5. O Obreiro Segundo Uma Perspectiva Bíblica
6. Buscando a Maturidade Cristã
7. Santos e Abençoados
8. Abraão Um Homem Notável
9. Chamados Para Uma Maratona Espiritual
10. Novas Estátuas de Ouro Erguidas no Coração
11. Apesar do Pecado Deus Nunca Deixou de Amar o Homem
12. Quando Nossos Sonhos São Projetos de Deus
13. Um Presente Bom e Perfeito

3
O CASAMENTO SEGUNDO O PROPÓSITO DE DEUS
Por: Pr José Fernandes Silva
Acreúna – Goiás 01/06/2007

O CASAMENTO.

1. CONCEITO.
É a união civil, reconhecida e abençoada por Deus de um homem e uma mulher, devidamente
desimpedidos, e a separação de uma célula familiar oriunda de uma outra, onde através da união carnal
procederão a novas famílias.

2. PRINCIPAIS FUNÇÕES.

I - Relacionamento Sexual.
Uma das funções mais importantes do casamento é sem dúvida o relacionamento sexual. Deus criou o
homem e a mulher com a possibilidade de proporcionar prazer sexual um ao outro. Algumas áreas do corpo
possuem terminações nervosas que sob carícias, os levam a um estado de excitação. Essas áreas
erógenas foram criadas por Deus, exatamente para proporcionar ao homem prazer sexual. “Conheceu
Adão a Eva, sua mulher...”. (Gênesis 4: 1 b)

II - Reprodução.
Deus criou macho e fêmea e os tornou fecundos, com a responsabilidade de perpetuar a sua espécie.
“Conheceu Adão a Eva, sua mulher; ela concebeu...”. (Gênesis 4: 1)

III - Provisão.
Quando Paulo fez a analogia do amor do marido à mulher como ao próprio corpo, ele diz que ninguém
aborrece ou odeia a si próprio, antes alimenta, o que ele está se referindo é a responsabilidade
indispensável ao homem de ser o provedor de sua família. “Assim devem os maridos amar a suas próprias
mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo. Pois nunca ninguém
aborreceu a sua própria carne, antes a nutre e preza como também Cristo à igreja”. (Efésios 5: 28-29)

IV - Proteção.
Paulo ainda também faz a analogia do amor do marido para com a esposa, comparando o cuidado de Cristo
com a igreja, como ele mesmo se entregou por ela, santificando e purificando-a para apresentá-la a si
mesmo. Este exemplo de ser seguido não somente para com a esposa, mas também para com toda a
família. “Vós, maridos, amai a vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se
entregou por ela, a fim de a santificar, tendo-a purificado com a lavagem da água, pela palavra, para
apresentá-la a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem qualquer coisa semelhante, mas santa
e irrepreensível”. (Efésios 5: 25-27)

V - Afeto.
Continuando a falar do mesmo capítulo de Efésios, agora Paulo exorta a respeito da necessidade de haver
amor por parte do marido para com sua esposa. Esse amor não é um amor frágil e débil, mas sim, um amor
sacrificial (ágape), comparado ao amor de Jesus para com sua igreja.

3. ALGUNS FATORES RESPONSÁVEIS PELO INSUCESSO DO CASAMENTO.

I - Na Área Espiritual.

1) Distúrbios psicológicos. Distúrbios adquiridos muitas vezes na infância, como por exemplo, violência
física, psicológica e sexual.

2) - Fanatismo. O fanatismo leva a pessoa a um padrão de santidade inconsistente e a uma distorção dos
valores morais e espirituais.

3) conceito equivocado de que um é o complemento do outro. Deus ao instituir o matrimônio não uniu
duas metades para formar um ser perfeito ou completo, na realidade o propósito principal foi o de formar
uma nova relação, íntima, pessoal, diferente da relação que o homem tem com os seus pais, parentes e
amigos. “Portanto, deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão uma só
carne”. (Gênesis 2.24)

4
4) casamento forjado por pretensas profecias. Este é outro conceito errado que se baseia no fato de que
para cada homem Deus fez uma mulher ou vice-versa, e que Ele vai mostrar de maneira sobrenatural esse
escolhido(a). O dom profético tem outra função conforme se observa em 1ª Coríntios 14.3, nunca foi e
nunca será uma ferramenta para se buscar um pretendente para um casamento, ao contrário, a Bíblia
apenas exorta que "Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a
justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?" (2ª Coríntios 6.14). A escolha e a
responsabilidade desta recaem sobre cada indivíduo. “Isto é o que o SENHOR mandou acerca das filhas de
Zelofeade, dizendo: Sejam por mulheres a quem bem parecer aos seus olhos, contanto que se casem na
família da tribo de seu pai.” (Números 36.6). “A mulher casada está ligada pela lei todo o tempo que o seu
marido vive; mas, se falecer o seu marido fica livre para casar com quem quiser, contanto que seja no
Senhor.” (1ª Coríntios 7.39)

5) Jugo desigual. Jugo no sentido etimológico da palavra quer dizer um tronco que prende, uma junta de
bois, canga. O jugo servia basicamente para dividir a carga de igual modo para os animais que a
transportava. No casamento prender-se a um jugo desigual fala das diferenças que poderão acarretar sérios
prejuízos para o casal e a família recém constituída. Tipos diferentes de jugo desigual:
a) Espiritual;
b) Sócio-econômico;
c) Etária;
d) Racial;
e) Físico;
f) Cultural.

6) Casamento onde o homem não exerce o seu papel de liderança. A liderança do homem na família é
baseada no compromisso assumido de zelar pelas responsabilidades inerentes à instituição, sempre
focadas pelo prisma do amor. O líder é sabedor que se observados estes requisitos sua liderança será
eficaz e haverá retorno satisfatório dos outros membros da sua família. Líder inseguro, imaturo e indeciso
gera conflitos e tensões no lar.

II – Na Área Social-Afetiva.

1) Casamento com esperança equivocada. O casamento não deve ser encarado como meio de se buscar
o afeto familiar que uma pessoa nunca teve, ou mesmo da continuidade do afeto dantes recebido. Existe a
necessidade premente de que o casamento seja uma nova união, um novo relacionamento onde as
experiências passadas servirão como referência para o que deve ser feito e também para o que deve ser
evitado.

2) Casamento sob influência. O casamento nunca deverá ser constituído se as pessoas envolvidas no
processo de escolha não for o próprio casal. Os pais devem estar atentos quanto a esta escolha,
oferecendo aos filhos suporte emocional e espiritual, para que eles possuam maturidade suficiente para
escolherem aqueles com quem viverão para o resto de suas vidas. Este suporte, porém, não implica
necessariamente que os pais poderão usar de influência para casarem seus filhos com as pessoas que eles
mesmos escolheram. (1ª Coríntios 7.39).

3) Despreparo para a maternidade. Ser uma boa esposa ou um bom marido não significa
necessariamente dizer que esta pessoa será uma boa mãe ou um bom pai, ou mesmo que eles estejam
prontos para criar filhos. Um planejamento familiar sério e cauteloso em relação à hora e o momento para a
chegada dos filhos, é sumamente importante para que o nascimento de um filho não desestabilize a família
e apareçam conflitos entre o casal. Abordaremos mais adiante o assunto sobre planejamento familiar.

4) Decepção no casamento. Isto ocorre quando o homem descobre que sua esposa não é a cozinheira,
nem a dona de casa, nem muito menos a costureira que sua mãe foi. Também é nesta hora que a esposa
descobre que no marido não condensa as mesmas características que fizeram de seu pai um excelente
chefe de família.

5) Possessão ou ingerência dos pais. Esta questão é muito séria, pois, acontece dos cônjuges se
separarem dos pais para se unirem em matrimônio, o que não acontece, muitas vezes, são os pais se
separarem dos filhos na ocasião do casamento. É um procedimento incorreto que na maioria das vezes
redunda no esfriamento da relação e termina com o fim do casamento.
a) Não more com seus pais ou com os sogros.
b) Aprenda a lidar com as diferenças sem fuxicos.

5
c) A despensa dos pais não é seu supermercado.
d) Meu pai/sogro é meu pastor, nada me faltará.

6) Má administração das finanças. A família precisa tomar cuidado como administrar sua renda, pois,
grande parte dos conflitos familiares tem origem no dinheiro, ou na falta deste. Sugerimos o seguinte:
a) 10% - Dízimo;
b) 10% - Economias;
c) 30% - Despesas com moradia (Aluguel, água, luz, etc...);
d) 30% - Alimentação;
e) 10% - Lazer;
f) 10% - Investimentos (Reforma, aquisição de bens, etc...).

III – Na Área Sexual.

1) Comparações. Qualquer pessoa que antes de se casar passou por experiências ou relacionamentos
amorosos, que por qualquer motivo foram frustrados, precisa se libertar das lembranças do passado.
A relação de um casal fica estremecida quando um dos cônjuges não vê no atual parceiro o mesmo
desempenho que alcançava em suas experiências anteriores. Comparações a respeito da beleza física,
inteligência e outros atrativos corroboram para o desajustamento sexual e familiar.

2) Ignorância. Falta de maturidade espiritual e de conhecimento da Palavra de Deus. “Jesus, porém,


respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus.” (Mateus 22.29).
Indisposição em conhecer as verdades inerentes ao casamento e suas particularidades.

3) Sensualidade sem amor. Casamento decorrente de paixões fulminantes e passageiras, e é geralmente


provocada por alguns fatores:
a) Falta de comprometimento com os ensinamentos bíblicos; “E conhecereis a verdade, e a
verdade vos libertará.” (João 8.32).
b) Namoro desregrado. “Estas se prostituíram no Egito; prostituíram-se na sua mocidade; ali foram
apertados os seus seios, e ali foram apalpados os seios da sua virgindade.” (Ezequiel 23.3).
c) Atenção demasiada ao físico em detrimento do caráter ou personalidade. “Porém o SENHOR
disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura,
porque o tenho rejeitado; porque o SENHOR não vê como vê o homem, pois o homem vê o que
está diante dos olhos, porém o SENHOR olha para o coração.” (1° Samuel 16.7).

4) Feridas. Feridas produzidas por infidelidade conjugal e a dificuldade de se perdoar o agressor. Para esta
situação é recomendável muito diálogo e disposição para o entendimento. “Porque serei misericordioso
para com suas iniqüidades, E de seus pecados e de suas prevaricações não me lembrarei mais.” (Hebreus
8.12).

5) Casamento reparador. O casamento não deve ser levado a efeito com pretensões de se reparar
pecados cometidos. A falta de vigilância e o excesso de liberdade no período do namoro, não podem ser
reparados simplesmente com um casamento.
Os famosos ‘casamentos de delegacia’, colaboram em muito, para que as estatísticas do divórcio se elevem
a cada dia que passa. Uma criança gerada fora do ambiente do casamento acarretará, principalmente para
mãe, que na maioria das vezes, é a pessoa quem a cria, em dificuldades inúmeras, mas, um filho criado
num ambiente desajustado, por causa de um casamento ‘arranjado’, onde o principal ingrediente do
casamento não existe, que é o amor, será pior ainda.

6) Distúrbios nas funções sexuais básicas. Quando um dos cônjuges é portador de algum tipo de
distúrbio no campo sexual, que poderiam ser identificados e resolvidos antes do casamento através do
exame pré-nupcial, distúrbios estes que podem ser originários de:
a) Doenças sexualmente transmissíveis (DST);
b) Problemas congênitos (desde o nascimento). O exame pré-nupcial resolveria este problema.
c) Fatores psicológicos:
a. Abuso sexual na infância;
b. Estupro;
c. Trauma de relacionamentos anteriores;
d. Trauma provocado pela primeira relação sexual.

6
O RELACIONAMENTO SEXUAL.

1. O DESEJO SEXUAL.

I - Como podemos entender o Desejo Sexual?


O Desejo Sexual é um fenômeno subjetivo e comportamental extremamente complexo. Contribuem para o
desejo sexual as fantasias sexuais, os sonhos sexuais, o início do comportamento sexual, a receptividade
do companheiro (a), as sensações genitais, as respostas aos sinais eróticos no meio ambiente, entre muitos
outros fatores.
O desejo sexual é o que dispõe a pessoa à atividade sexual e se compõe de três atitudes; a motivação
sexual ou aspiração sexual, estímulo sexual e o impulso sexual. Do desempenho sexual participam a
excitação sexual e o orgasmo.
Grosso modo poderíamos baseados na estatística, nos hábitos culturais de nosso sistema e na Palavra de
Deus, imaginar um conjunto de critérios sugestivos de motivação sexual normal, como abaixo.

II - A Aspiração Sexual envolve a seguinte ordem decrescente:


a) Indivíduos Humanos (contrário ao bestialismo, ou atividade sexual com um animal);
b) Indivíduos vivos (contrário à necrofilia, ou impulso e atração sexual por cadáveres);
c) Pessoas livremente concordantes (contrário ao assédio);
d) Pessoas livremente receptivas (contrário à violentação);
e) Pessoas de faixa etária relativamente compatível (contrário à pedofilia);
f) Parentes de grau próximo e de primeiro grau (contrário ao incesto);
g) Locais adequados e em circunstâncias propícias (contrário ao exibicionismo);
h) Pessoas disponíveis civilmente (contrário ao adultério);
i) Outra pessoa (contrário à auto-satisfação);
j) Pessoas do sexo oposto (contrário ao homossexualismo).

III - O desejo sexual abordado pela mídia.


A mídia, principalmente a televisão, revistas de moda ou de comportamento social banalizam o
comportamento sexual, sugerem uma certa obrigatoriedade de liberdade sexual, como se, para participar da
conjuntura a pessoa fosse obrigada a um tipo de comportamento eminentemente facultativo, rotulam
pejorativamente aqueles que não compartilham da libertinagem.

2. A EXCITAÇÃO SEXUAL.
A fase de excitação sexual é, basicamente, o preparo do organismo para o ato sexual. Tanto o corpo da
mulher quanto do homem passa por modificações fisiológicas durante a excitação sexual.

I - A excitação feminina.
Na mulher a vagina se expande, relaxando-se para permitir a penetração, fica molhada para facilitar os
movimentos sexuais, o clitóris intumesce (incha, avoluma-se), tornando-se mais sensível ao contato físico,
os grandes lábios costumam se retrair e os pequenos lábios aumentam de tamanhos.
A diminuição ou falta desses fatores fisiológicos pode significar alguma dificuldade para a sexualidade. A
disfunção sexual que ocorre na fase da excitação pode ser seguida de dor à relação, chamado de
dispareunia.

II - A excitação masculina.
No homem a excitação proporciona a ereção do pênis, comumente seguido de secreção uretral viscosa e
aceleração dos batimentos cardíacos e respiratórios.

3. O ORGASMO.

I - Prazer sexual feminino.


Segundo algumas pesquisas brasileiras, 40 a 60% das mulheres pesquisadas refere dificuldades ou
incapacidades em obter orgasmos nas relações sexuais. Por aqui se vê que, a considerar apenas o critério
estatístico para avaliar a normalidade, quase podemos dizer que, estatisticamente, não será anormal a
mulher não sentir orgasmo.
a) Em grande número de casos a mulher consegue ter orgasmos com a masturbação, mas não os
consegue com a penetração sexual.
b) Muitas também só conseguem o orgasmo ao se manipularem enquanto são penetradas.
c) Outro tanto de mulheres, apesar de não sentirem o orgasmo, mesmo assim sentem muito
prazer durante o ato sexual.

7
II - Prazer sexual masculino.
Nos homens, desde que não haja problemas no desejo sexual e nem na ereção, a falta de orgasmo
normalmente se deve ao uso de medicamentos que aumentam muito o tempo de latência (tempo
necessário para atingir o orgasmo), ao alcoolismo, ao tabagismo e diabetes.

III - Prazer sexual mútuo.


Concorre para isso uma série de fatores circunstanciais, desde a estabilidade econômica e profissional, a
melhoria da satisfação no relacionamento com o parceiro, o bem estar emocional, até o encaminhamento
adequado dos filhos, etc.
A sexualidade é sadia? Sadio é a sexualidade satisfatória, é o sexo que atende aspirações de quem dele
participa.

IV - A Quantidade de Sexo Normal - Escape Sexual Total (EST).


As pesquisas científicas sobre sexualidade costumam referir-se à quantidade de atividade sexual com o
termo Escape Sexual. Este é um conceito para referir a iniciativa e efetivação de uma atividade sexual com
orgasmo. O número do Escape Sexual Total (EST) é a quantidade de orgasmos atingidos durante algum
tempo estabelecido, como por exemplo, Escape Sexual Total semanal, mensal, anual, etc. Dessa forma o
EST semanal deverá refletir a prevalência de Comportamento Sexual Compulsivo entre homens.
Kinsey (Wyatt, 1988), que desenvolveu o conceito de EST, relatou que o EST semanal mediano foi de 2,14
para homens entre a adolescência e a idade de 30 anos, e de 1,99 para todos os homens em geral. No
Brasil essa média é de 3, segundo pesquisa da Pfiser.

4. CAUSAS DA PERDA DO DESEJO SEXUAL.

I - Estresse.
O estresse pode ter sua fonte em preocupações rotineiras, como a pressão sofrida no trabalho, contas para
pagar no começo do mês, problemas com o comportamento dos filhos, correria da vida moderna, etc.
Outros fatores como a perda de uma pessoa querida, mudança de casa ou de emprego também contribuem
para que o desejo fique adormecido. É realmente difícil se desligar completamente de tudo à sua volta, e às
vezes fatores externos chegam invadindo e destroem o clima de intimidade, quando você deve se sentir
relaxada e segura. A maioria das pessoas consegue superar esta fase naturalmente, uma vez os problemas
foram ultrapassados.

II - Tensão pré-menstrual.
Tensão pré-menstrual (TPM) é um ou mais sintomas que normalmente ocorrem durante uma ou duas
semanas antes da menstruação. O começo do sangramento normalmente causa um alívio dessa tensão.
Com a chegada da menopausa, a TPM acaba. De 50 a 70% das mulheres tem TPM, sendo que 10%
apresentam efeitos mais sérios, tendo que faltar a aula ou o trabalho.
A causa da TPM não é conhecida, mas alguns especialistas acreditam que se deve ao baixo nível do
hormônio progesterona. Outras teorias acreditam haver uma ligação entre deficiências nutricionais e
químicas. Recentes estudos sugerem que uma tensão forte é associada ao baixo nível de uma substância
do cérebro chamada serotonina.
Aproximadamente 150 sintomas foram associados à TPM. Os mais comuns são: dor de cabeça,
transpiração, inchaço dos seios, cansaço, depressão, acne, irritabilidade, ansiedade e raiva.

Algumas dicas para aliviar esses sintomas:


a) Pratique exercícios aeróbicos regularmente
b) Mede sua dieta. Por exemplo, reduzir a quantidade de sódio e aumentar a quantidade de
potássio e cálcio na alimentação pode reduzir a retenção de fluído. Alimentação com bastante
fibra reduz a prisão de ventre associada à TPM.
c) Remédio de erva de camomila ajuda a aliviar a tensão.

III - Menopausa.
A perda do desejo sexual é um problema comum a mulheres de idade mais avançada, devido às mudanças
hormonais causadas pela menopausa. Estima-se que a falta de desejo sexual afeta 72% das mulheres que
passaram por esse período.

IV - Perda da libido (desejo sexual).


Quando o homem ou a mulher perde o desejo sexual não significa necessariamente que esteja ocorrendo
um relacionamento extraconjugal, perfeitamente pode ser que exista algum tipo de problema físico ou

8
psicológico. Vejamos alguns problemas e também o que pode ser feito para resolver o problema da perda
do desejo sexual

1) Essa noite não meu amor, eu sinto dor de cabeça. Quem nunca ouviu esta frase? Dor de cabeça é
desculpa mais antiga que se conhece para evitar o sexo, mas mesmo assim, ela pode ser uma verdadeira
razão para não se querer fazer uma frenética atividade física.
As dores de cabeça são sintomas comuns de stress, assim como, ansiedade, irritabilidade e tensão
muscular, que são responsáveis pela perda do desejo. Reduzir os efeitos do stress, relaxando a cabeça e o
corpo antes de ir para a cama, pode fazer muito para melhorar a sua libido.
Pratique exercícios regularmente, pois atividades físicas ajudam a eliminar tensões físicas e emocionais,
além de aumentar o nível de hormônios como as endorfinas, que nos fazem sentir melhor.

2) Hoje não, estou muito cansada. Essa desculpa pode estar relacionada ao stress, regime ou excesso de
exercício, por isso as sugestões dadas anteriormente podem ser muito úteis. Antes de ir para a cama, tome
uma xícara de chá de hortelã-pimenta. Os homens árabes tomam esse chá para aumentar a virilidade.

3) São meus hormônios. Nossos hormônios podem acabar com nossa vida amorosa, o stress, uma dieta
pobre e a falta de exercício físico podem causar desbalanceamento hormonal, mas os hormônios femininos
também são afetados pela menopausa, parto, cirurgia, anticoncepcional e tratamento de reposição
hormonal. Existem no mercado muitos produtos à base de ervas que ajudam a balancear os hormônios.
No caso do homem, o desejo sexual é afetado pelo declínio do hormônio testosterona, que acontece
naturalmente com a idade. Para diminuir esse efeito, tome diariamente 15 mg de suplemento de zinco. Esse
mineral ajuda o corpo a produzir e metabolizar testosterona.

4) A gente não se entende mais. Coloque o fogo de volta à sua relação seguindo as dicas a seguir:
a) Faça você mesmo um jantar para sua esposa;
b) Convide sua esposa para um passeio, só os dois;
c) Seja gentil, aprenda o segredo das palavras, por favor, com licença e obrigado;
d) Ao invés de pedir que ela te faça, faça você por ela.

5. OS PROPÓSITOS DIVINOS PARA O SEXO.

I - Prazer sexual.
Existem muitos estudiosos que tentam forçar a narrativa bíblica sobre a queda do homem no Jardim Éden,
relacionando a prática sexual entre Adão e Eva com a sua queda. Porém é temerária tal afirmação, pois, ao
criar o homem, Deus o fez completo física e emocionalmente, absolutamente igual a um homem moderno
qualquer. Portanto, plenamente capaz de gozar de todas as suas faculdades e aptidões, inclusive a
prerrogativa do sexo, sendo isto perfeitamente legal e santo. “Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à
imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. Então Deus os abençoou e lhes disse: Frutificai e
multiplicai-vos; enchei a terra e sujeitai-a” (Gênesis 1.27-28).

II - Procriação.
Este assunto é de uma seriedade e uma relevância tão grande, que o matrimônio é a única instituição
legítima para perpetuação da espécie humana. O Supremo Criador dotou o homem de uma capacidade
extraordinária de fertilidade, utilizando o relacionamento sexual para proliferação de sua espécie. “Então
Deus os abençoou e lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos” (Gênesis 1.28).
O avanço do conhecimento científico e o crescimento tecnológico proporcionaram algumas possibilidades
de geração antinatural de filhos. Muitos casais com problemas de fertilidade estão lançando mão desta
possibilidade para conceberem seus filhos, porém, algumas pessoas estão fazendo surgir novos modelos
de família, como por exemplo a tão propalada ‘produção independente’. Casais homossexuais têm alugado
mulheres para receberem um óvulo fecundado em laboratório, para depois criarem as crianças nascidas
como sendo filhos legítimos. O uso dessas benesses modernas não substitui a família como célula mãe da
sociedade e da igreja.

6. PODE O SEXO SER SANTO?


Originalmente assim o criou Deus. A expressão bíblica: “E viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito
bom” (Gênesis 1.31), logo após a criação do homem e da mulher, não deixa sombra de dúvida quanto ao
assunto. Acontece que o pecado tornou o sexo sujo e nojento, bem distante do planejamento Divino para
tal.
O escritor aos Hebreus, divinamente inspirado deixou a seguinte sentença: “Honrado seja entre todos o
matrimônio e o leito sem mácula” (Hebreus 13.4). Nos manuscritos originais o termo leito é traduzido por

9
coito, aplicando a idéia de que ao relacionamento íntimo entre o casal, deva haver a observância do temor a
Deus e o respeito ao corpo de cada um. A sugestão moderna e mundana de que entre quatro paredes vale
tudo, não condiz com as verdades bíblicas sobre o assunto. O Sexo pode ser perfeitamente prazeroso sem
ser necessariamente licencioso ou desregrado. “O marido pague à mulher o que lhe é devido, e do mesmo
modo a mulher ao marido. A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido; e
também da mesma sorte o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher. Não
vos negueis um ao outro, senão de comum acordo por algum tempo, a fim de vos aplicardes à oração e
depois vos ajuntardes outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência”. (1° Coríntios
7.3-5).

7. AS CONSEQÜÊNCIAS DO SEXO NÃO SANTIFICADO.

I - O Adultério.
Relacionamento sexual entre casado e solteiro, ou de casados com outros cônjuges. “... pois aos devassos
e adúlteros, Deus os julgará” (Heb. 13:4 b). Ato abominável e reprovável por Deus e um sério agravo ao
matrimônio. Ao adultério ativo, aquele praticado entre duas pessoas, Jesus insere nesta categoria o
adultério praticado na dimensão dos pensamentos.

II - A Fornicação.
Coito ilegítimo. Atos imorais praticados entre pessoas solteiras com finalidade do prazer sexual. Paulo
adverte aos jovens que não conseguindo manter a pureza cristã o melhor seria, então, casar-se.

III - A Prostituição.
Sexualidade pervertida e depravada, também chamada na Bíblia de lascívia, tão comumente observada na
comunidade dos cristãos atuais. Manifesta-se através do uso indiscriminado de roupas que acentuam e
modelam as curvas do corpo, incitando ou despertando o desejo do sexo oposto. “Mas a prostituição, e toda
sorte de impureza ou cobiça, nem sequer se nomeie entre vós, como convém a santos” (Efésios 5.3).

IV - A Homossexualidade Masculina e Feminina.


Prática de atos sexuais entre indivíduos do mesmo sexo; inversão sexual. “Pelo que Deus os entregou a
paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural no que é contrário à natureza;
semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua
sensualidade uns para como os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a
devida recompensa do seu erro. E assim como eles rejeitaram o conhecimento de Deus, Deus, por sua vez,
os entregou a um sentimento depravado, para fazerem coisas que não convêm” (Romanos 1.26-28).

10
ANTIGOS DILEMAS DE UMA JUVENTUDE MODERNA

1. VENCENDO AS LUTAS NAS MENTES.


Romanos 12: 2 – “E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do
vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus”.
2ª Coríntios 10: 5 – “Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de
Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo”.
Efésios 4: 18 – “Entenebrecidos no entendimento, separados da vida de Deus pela ignorância que há
neles, pela dureza do seu coração”.

1.1 O estilo gentio/velho homem de vida:


Estilo é um modelo, um padrão. Fala-se muito sobre estilo nos dias de hoje com relação à moda e aos
costumes. Na verdade, o estilo é determinado pela maneira de pensar – a forma como as pessoas vêem a
vida e como valorizam as coisas. Observe no texto de Efésios 4: 17-24 as características predominantes do
nosso antigo estilo de vida:

1) Inutilidade dos pensamentos (v. 17): isto se deve aos valores invertidos – coisas totalmente inúteis
são supervalorizadas. Quando se valoriza coisas tidas por Deus como “inúteis”, a vida se torna fútil,
desperdiçada. Por exemplo, a supervalorização da aparência física. No jornal que li hoje há uma
matéria sobre jovens que continuam ingerindo anabolizantes veterinários, chegando até a óbito.

2) Obscurecidos no entendimento (v. 18): o que o apóstolo quer dizer com isto? Que o entendimento
destes está escuro para as verdades de Deus. Que coisa triste saber que há muitas pessoas
totalmente ignorantes para as verdades de Deus, mas sábios para o mal – astutos na malícia –
sabem fazer o mal com “excelência infernal” (leia Jr 4:22). No capítulo 3 de I Coríntios, Paulo
explica que o gentio, ali chamado de homem natural, não consegue discernir as coisas de Deus,
para as quais precisamos ter uma mente renovada.

3) Separados da vida de Deus (v. 18): A vida de Deus é a vida em Deus. Jesus disse: Eu Sou a Vida
(Jo 14:6) e Eu dou a Vida e Vida em abundância (Jo 10:10). Um gentio não vê graça na vida de
Deus vivida por um cristão autêntico. Resistir ao pecado, manter-se fiel, buscar santidade, adorar,
servir, perdoar, abençoar, ofertar... verbos tão normais na vida em Deus são inconjugáveis para
quem está preso ainda ao estilo gentio de vida.

4) Depravação e Impureza (v. 19): Por favor, leia detidamente novamente o verso 19 com sua célula.
Estas duas palavras têm a ver com sexualidade pecaminosa – pornografia, prostituição e adultério.
Pedofilia e prostituição infantil são exemplos de como a sociedade que ignora a vida em Deus
caminha pelas vias da depravação. A indústria da prostituição e da pornografia movimenta bilhões
de dólares. Qualquer locadora de vídeos ou banca de jornais vende estas coisas a preços
acessíveis à maioria das pessoas. Como pode uma sociedade conviver com coisas tão degradantes
e abomináveis aos olhos do Criador? Este texto nos ajuda a entender. Vale lembrar que Deus não
aceita adeptos deste tipo de abominação no meio do Seu povo: vide Ef 5:5, Ap 21:8. Há um texto
tremendo que você pode mencionar aos seus discípulos sobre a questão da imoralidade sexual
relacionada à mente obscurecida, Rm 1:28-32.

5) Enganados pelos desejos (v. 22): Os desejos são por vezes chamados na Bíblia de paixões da
carne. Alguém que se deixa conduzir pelos desejos é carnal e inconseqüente. Você sabe o que
acontece com a criança cujos pais atendem todos os seus desejos. A própria Psicanálise explica
que os desejos não podem ser desenfreados – precisam ser censurados, contidos. O apóstolo
Paulo observa que tais pessoas se corrompem, ou seja, “se consomem, se acabam...” na satisfação
destes desejos desenfreados. Um exemplo disto, os vícios.

2. NAMORO CRISTÃO. NAMORO ESCONDIDO. NAMORO ENTRE CRIANÇAS.


Eclesiastes 12: 14 – “Porque Deus há de trazer a juízo toda a obra, e até tudo o que está encoberto, quer
seja bom, quer seja mau”.
Mateus 10: 26-B - “... porque nada há encoberto que não haja de revelar-se, nem oculto que não haja de
saber-se”.
1ª Coríntios 7: 9 – “Mas, se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se”.
1ª Tessalonicenses 5: 23 - “E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e
alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR Jesus
Cristo”.

11
1ª Pedro 1: 15 - “Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa
maneira de viver”.
Cantares 2: 7 – “Conjuro-vos, ó filhas de Jerusalém, pelas gazelas e cervas do campo, que não acordeis
nem desperteis o meu amor, até que queira”.

Jaime Kemp, um respeitado psicólogo e conselheiro de casais, em uma de suas pesquisas concluiu que
75% dos problemas que atingem o casamento originaram-se no período do namoro. Apesar da palavra
namoro não existir na bíblia, essa fase pela qual passamos antes de um casamento é decisiva para a
formação, para a base espiritual dos futuros cônjuges.

2.1 Como Começar um Namoro Cristão?


Alguns aspectos são importantes para um começo no namoro cristão. Vejamos alguns requisitos
importantes para se começar um namoro:

1) Salvação. Ambos os jovens ou adultos devem ser verdadeiramente salvos, ou seja, ambos já
devem ter aceitado a Jesus Cristo como seu único Senhor e Salvador pessoal (João 3.16; Lucas
19.10; Romanos 10.9-10).

2) Maturidade física e Espiritual. Não devem ser crianças, pois maturidade é importante e essencial no
relacionamento entre duas pessoas (Efésios 4.13; 1Coríntios 14.20).

3) Comunhão com Deus. Primeiramente Deus deve estar sendo uma fonte de luz em sua vida, uma
fonte de vigor espiritual. Se não tiver comunhão com Deus, nunca será abençoado em qualquer tipo
de relacionamento (1João 1.6-7).

4) O rapaz inicia. Em nosso tempo moderno é "comum" uma moça querer iniciar um namoro. Mas isso
fere o princípio bíblico. Mesmo num namoro, o rapaz é o líder, é ele quem deve iniciar, é ele quem
deve pedir à moça para namorar.

5) Permissão dos pais. Ambos os pais dos pretendentes devem estar de acordo com o namoro. Isso
demonstra confiança e honra dos filhos para com seus pais. Um namoro onde os pais não apóiam,
geralmente resulta em muitas dificuldades. Isso não significa que os pais são a autoridade final no
namoro, significa que estão querendo a bênção paterna para o relacionamento.

6) Apoio do seu pastor. Isso é importante e muitas vezes negligenciado pelos cristãos. O pastor de
ambos deve apoiar e dar sua bênção. Pode ser que pastor veja coisas que eles não estão vendo e
por isso é importante receber o apoio, o conselho deste servo de Deus.

7) Comunicação e visitas. Deve-se procurar estabelecer um determinado ritmo nas visitas por parte do
rapaz à casa da moça. É claro que não todos os dias. Estabelecer uma boa comunicação entre
ambos.

8) Confiança dos pais. No decorrer do namoro, deve procurar ganhar e manter a confiança dos pais.
Verificar como é a relação entre a pessoa e seus pais. Procurar ser sensível para qualquer
mudança.

2.2 Posso ser fiel a Deus mesmo namorando?


Alguns conselhos práticos para os jovens que namoram e querem manter sua comunhão com Deus:

1) O interesse deve estar voltado para a personalidade da pessoa, a parte imaterial. É importante que
isso esteja bem claro na mente dos namorados.

2) O interesse deve ser estabelecido na parte espiritual da pessoa, não em seu corpo físico, não no
dinheiro que o outro tem, não no carro, na casa, na popularidade, na beleza, etc. A parte espiritual é
a mais importante sobre todas. Mais uma vez: quanto mais próximos estiverem de Deus, mais
próximos estarão um do outro. O contrário também é verdadeiro: quanto mais longe estiverem de
Deus, mais longe ficarão um do outro.

3) Reconheça que cada cristão é chamado de propriedade particular, pessoal, peculiar de Deus
(1Pedro 2.9). O namorado que não respeita tal fato está desrespeito os princípios de Deus e
desrespeitando o próprio Deus, bem como a pessoa, a família dela, a Palavra de Deus e o futuro
casamento.

12
4) Evitar contato físico exagerado. Todo namorado gosta de receber um carinho, beijos e abraços.
Porém, deve-se parar por aqui. Procure a todo custo evitar continuar os avanços físicos, como tocar
em outras partes do corpo da moça, por exemplo. Isso pode provocar desejos sexuais que não
pode ser satisfeito devidamente antes do casamento (1Tessalonicenses 4.3-8; 1Coríntios 7).

5) Existem condições onde a freqüência de visitas deve ser limitada. Isso exige paciência por parte de
ambos. Algumas vezes a saúde, doença, serviço militar, estudos, trabalhos, deveres pessoais
impedem que estejam juntos. Sejam pacientes nessas horas.

6) Cautela com o modo de vestir, cautela em sua conversa, cautela em seu comportamento e mesmo
nos gestos. Lembre-se de semear um ambiente agradável em que vale a pena estarem juntos.

7) Evitar ficar sozinhos em ambientes fechados e por muito tempo. Procure estar em atividades com
outros jovens, ou seja, procure envolver seus amigos em suas atividades.

2.3 O que é jugo desigual?


2ª Coríntios 6: 14. ”Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a
justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?”.

Quando Abraão encarregou seu servo Eliezer de buscar uma noiva para seu filho Isaque, ele ordenou que
este não lhe trouxesse moça de Canaã, mas da casa de seu pai, em Harã (Gn 24.3). As nações de Canaã
estavam condenadas por causa de sua cultura pagã imoral e pervertida. A futura esposa de Isaque deveria
conhecer e amar o Deus verdadeiro e santo, o Deus de Abraão. E Eliezer ora, pedindo a ajuda e direção
para tão importante tarefa (Gn 24.12-14).
Sabemos que o jugo desigual é um sério problema no casamento. Muitas lágrimas são derramadas por
conflitos provocados pela falta de entendimento espiritual. Siga a instrução bíblica, querido irmão, não entre
em jugo desigual com os incrédulos. Isto é válido para o casamento e sociedades. Muitos problemas e
sofrimentos serão evitados na escolha orientada por Deus. Rompa, enquanto é tempo, com laços de jugo
desigual que poderão prendê-lo.

1.1 Tipos diferentes de jugo desigual:


a. Social.
b. Racial.
c. Etário.
d. Cultural.

3. O TABU CRISTÃO DO HOMOSSEXUALISMO.


Romanos 1: 24-28 - “Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à
imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e
honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém. Por isso Deus os
abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à
natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em
sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si
mesmos a recompensa que convinha ao seu erro. E, como eles não se importaram de ter conhecimento de
Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm”.
Judas 7 – “Assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregue à
fornicação como aqueles, e ido após outra carne, foram postas por exemplo, sofrendo a pena do fogo
eterno”.

Abaixo estão cinco razões pelas quais o relato da criação é decisivo para qualquer discussão bíblica sobre a
homossexualidade.

1) A aceitação da homossexualidade viola a ordem e a essência da própria criação humana.


Deus declarou que não era bom que o homem estivesse só. Para remediar essa situação, Ele criou
a mulher como complemento divino e contrapartida da masculinidade. A comunhão sexual íntima foi
pretendida somente para o homem com a mulher. Isso quer dizer que a homossexualidade distorce
e desordena as intenções de Deus na criação e que a prática da homossexualidade contradiz o
padrão da heterossexualidade em seu nível mais básico. O estilo de vida homossexual nega e
desafia as polaridades do sexo de tal maneira que nem mesmo comportamentos heterossexuais,
tais como fornicação e adultério, o conseguem.

13
2) Os homossexuais não podem obedecer ao mandamento de Deus quanto à procriação. Em
Gênesis 1.28, Deus ordenou a Adão, Eva e seus descendentes: "sede fecundos, multiplicai-vos e
enchei a terra". Se Adão tivesse decidido ser homossexual, ninguém jamais teria nascido.

3) A homossexualidade constitui uma rebelião consciente contra a ordem divinamente criada.


De acordo com Romanos 1.32 e outras passagens bíblicas, os homossexuais sabem que seu
comportamento é pecaminoso. A escolha contínua da prática de tal atividade é, portanto, uma
rebelião intencional contra Deus e a ordem da criação.

4) A Bíblia está repleta de premissas do relato da criação. Se a homossexualidade fosse de


alguma maneira legítima, as Escrituras não assumiriam uma inclinação heterossexual, mas
incluiriam a opção homossexual. Se Deus tivesse a intenção de que o homem fosse bissexual, ou
homossexual, ou se Ele tivesse criado o homem andrógino, o fato de criá-lo dessa maneira seria
evidente em outros relatos das Escrituras relacionados à natureza do homem. Mas, o único padrão
mantido e defendido é o heterossexual. "Do primeiro capítulo de Gênesis até o livro de Apocalipse,
o significado duplo de expressão sexual-genital – a saber, procriação e união – é claramente
manifesto... Javé é descrito como o noivo fiel, e Israel, como a noiva fiel, indicando que o amor
heterossexual pode ser a base para se expressar o mistério de Deus em amar a raça humana...
Além disso, o autor de Efésios reitera a mesma verdade revelada sobre a sexualidade humana, no
contexto da sublime comparação em que o marido é comparado a Cristo e a mulher à Igreja.
Quando o autor deseja descrever o amor que Cristo tem pela Sua Igreja, ele se volta para o amor
heterossexual do marido e da mulher. [Efésios 5.25,28]." Em outras palavras, as Escrituras estão
impregnadas com premissas concernentes à adequação da heterossexualidade; por comparação, a
homossexualidade está conspicuamente ausente exceto quando se trata de condenação.

5) A homossexualidade distorce a imagem de Deus. Gênesis 1.27 ensina claramente que a


imagem de Deus compreende tanto macho e fêmea – uma complementaridade que é eterna e
existirá para sempre. Afirmar que a homossexualidade é bíblica e normal é distorcer a imagem de
Deus e, conseqüentemente, insultar a natureza e o próprio Ser de Deus. Ao entendermos o
propósito divino da criação e o fato de que a criação reflete o próprio Ser de Deus, podemos
entender mais claramente as razões para as condenações bíblicas da homossexualidade moderna
e porque elas são tão rígidas.

4. INDIFERENTISMO. QUANDO UMA PESSOA NÃO SE INTERESSA COM NADA NA IGREJA.


Atos 20: 7-9 - “E no primeiro dia da semana, ajuntando-se os discípulos para partir o pão, Paulo, que havia
de partir no dia seguinte, falava com eles; e prolongou a prática até à meia-noite. E havia muitas luzes no
cenáculo onde estavam juntos. E, estando um certo jovem, por nome Êutico, assentado numa janela, caiu
do terceiro andar, tomado de um sono profundo que lhe sobreveio durante o extenso discurso de Paulo; e
foi levantado morto”.
Romanos 13: 11 – “E isto digo, conhecendo o tempo, que já é hora de despertarmos do sono; porque a
nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé. A noite é passada, e o dia é
chegado. Rejeitemos, pois, as obras das trevas, e vistamo-nos das armas da luz. Andemos honestamente,
como de dia; não em glutonarias, nem em bebedeiras, nem em desonestidades, nem em dissoluções, nem
em contendas e inveja. Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e não tenhais cuidado da carne em suas
concupiscências”.

5. O JOVEM E AS BALADAS.
1ª João 1: 6-7 – “Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não
praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros,
e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado”.
1ª João 2: 14-17 - “Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já
vencestes o maligno. Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do
Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos
e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele
que faz a vontade de Deus permanece para sempre”.

6. SENDO CRENTE POSSO TOMAR UMAS CERVEJINHAS?


Provérbios 23: 20-21 - “Não estejas entre os beberrões de vinho, nem entre os comilões de carne. Porque
o beberrão e o comilão acabarão na pobreza; e a sonolência os faz vestir-se de trapos”.
Efésios 5: 18 – “E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito”.

14
1ª Coríntios 5: 11 – “Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for
devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais”.
Salmo 42: 7 – “Um abismo chama outro abismo, ao ruído das tuas catadupas; todas as tuas ondas e as
tuas vagas têm passado sobre mim”.

6.1 Personagens bíblicos e seus problemas com o alcoolismo:

1) Noé. “E bebeu do vinho, e embebedou-se; e descobriu-se no meio de sua tenda. E viu Cão, o pai
de Canaã, a nudez do seu pai, e fê-lo saber a ambos seus irmãos no lado de fora. Então tomaram
Sem e Jafé uma capa, e puseram-na sobre ambos os seus ombros, e indo virados para trás,
cobriram a nudez do seu pai, e os seus rostos estavam virados, de maneira que não viram a nudez
do seu pai”. Gênesis 9: 21-23.

2) Ló. “E subiu Ló de Zoar, e habitou no monte, e as suas duas filhas com ele; porque temia habitar
em Zoar; e habitou numa caverna, ele e as suas duas filhas. Então a primogênita disse à menor:
Nosso pai já é velho, e não há homem na terra que entre a nós, segundo o costume de toda a terra;
Vem, demos de beber vinho a nosso pai, e deitemo-nos com ele, para que em vida conservemos a
descendência de nosso pai. E deram de beber vinho a seu pai naquela noite; e veio a primogênita e
deitou-se com seu pai, e não sentiu ele quando ela se deitou, nem quando se levantou. E sucedeu,
no outro dia, que a primogênita disse à menor: Vês aqui, eu já ontem à noite me deitei com meu
pai; demos-lhe de beber vinho também esta noite, e então entra tu, deita-te com ele, para que em
vida conservemos a descendência de nosso pai. E deram de beber vinho a seu pai também
naquela noite; e levantou-se a menor, e deitou-se com ele; e não sentiu ele quando ela se deitou,
nem quando se levantou. E conceberam as duas filhas de Ló de seu pai”. Gênesis 19: 30-36.

3) Assuero. “E dava-se de beber em copos de ouro, e os copos eram diferentes uns dos outros; e
havia muito vinho real, segundo a generosidade do rei. E o beber era por lei, sem constrangimento;
porque assim tinha ordenado o rei expressamente a todos os oficiais da sua casa, que fizessem
conforme a vontade de cada um. Também a rainha Vasti deu um banquete às mulheres, na casa
real, do rei Assuero. E ao sétimo dia, estando já o coração do rei alegre do vinho, mandou a
Meumã, Bizta, Harbona, Bigtá, Abagta, Zetar e Carcas, os sete camareiros que serviam na
presença do rei Assuero, Que introduzissem na presença do rei a rainha Vasti, com a coroa real,
para mostrar aos povos e aos príncipes a sua beleza, porque era formosa à vista”. Ester 1: 7-11.

Pr José Fernandes Silva – 07/04/2007


Conselheiro da UMADA (UNIÃO DAS MOCIDADES DAS ASSEMBLÉIAS DE DEUS DE ACREÚNA –
GOIÁS).

15
MANTENDO UMA CONDUTA PURA - TRÊS CONSELHOS PASTORAIS.
“Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra.” (Salmo 119: 1).
“Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno.” (1ª
João 2: 14-B).

1. LEMBA-TE DO TEU CRIADOR.


“Lembra-te também do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem
os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento;” (Eclesiastes 12: 1).
Pensamento: A capacidade e o privilégio que o jovem tem de aplicar um espaço maior de seu tempo para
conhecer e fazer a vontade de Deus.

2. LANÇA O TEU PÃO SOBRE AS ÁGUAS.


“Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás.” (Eclesiastes 11: 1).
Pensamento: Lançando as bases de uma construção chamada ‘vida’.

I – O jovem precisa estar atento quanto à necessidade de preparar-se para o mercado de trabalho, e o
estudo é uma importante ferramenta para seu futuro.

II – A maturidade é um edifício que está alicerçado em bases sólidas edificadas desde a mais tenra idade. A
lei da semeadura. “porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.” (Gálatas 6: 7).
a) Honrar os pais. "Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa;"
(Efésios 6: 2).
b) Honrar a liderança da igreja. “Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de
Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver.” (Hebreus 13:7). "Os
presbíteros que governam bem sejam estimados por dignos de duplicada honra, principalmente
os que trabalham na palavra e na doutrina;" (I Timóteo 5: 17).
c) Obedecer às leis que regem nosso país. “Toda a alma esteja sujeita às potestades superiores;
porque não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ordenadas por
Deus. Por isso quem resiste à potestade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão
sobre si mesmos a condenação.” (Romanos 13: 1-2).

III – Um bom casamento passa por um bom noivado, mas começa mesmo com um bom namoro. "Isto é o
que o SENHOR mandou acerca das filhas de Zelofeade, dizendo: Sejam por mulheres a quem bem parecer
aos seus olhos, contanto que se casem na família da tribo de seu pai." (Números 36: 6).

3. FUJA DOS DESEJOS MALIGNOS DA JUVENTUDE.


“Fuja dos desejos malignos da juventude e siga a justiça, a fé, o amor e a paz, com aqueles que, de
coração puro, invocam o Senhor.” (2ª Timóteo 2: 22).

I - Tendência da natureza pecaminosa em ação na vida do jovem, provocando o despertamento precoce e


equivocado dos desejos naturais da carne. Alguns exemplos:

a) Masturbação. Provocar com a mão ou com objetos adequados o gozo venéreo em si


mesmo ou em outra pessoa. (Dicionário Michaelis).
"Fugi da IMPUREZA. Qualquer outro pecado que uma pessoa cometer é fora do corpo; mas aquele que
pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo. Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do
Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque
fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo.” (1ª Coríntios 6: 18-20).
“Amados, exorto-vos, como peregrinos e forasteiros que sois, a vos absterdes das PAIXÕES CARNAIS,
que fazem guerra contra a alma.” (1ª Pedro 2: 11).
“Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da PROSTITUIÇÃO; que cada
um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, não com o desejo de lascívia, como os
gentios que não conhecem a Deus; e que, nesta matéria, ninguém ofenda nem defraude a seu irmão;
porque o Senhor, contra todas estas coisas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o
vingador, porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação.” (1ª
Tessalonicenses 4.3-7).

b) Fornicação. Origem: Fornicar vem de fornicis, ou fornix = abóbada, ou arco. Fornice


era o arco da porta sob a qual as prostitutas romanas exibiam a si mesmas. As
meretrizes ficavam por lá porque além de ligar o lugar ao sexo, a mulher romana devia,

16
a não ser que não tivesse nem pai, nem marido, nem filho(s) do sexo masculino,
sempre(podiam também ser escravas) obediência a um homem. As mulheres deveriam
ficar sempre dentro dos limites da casa/prédio de seu dono ou protetor - por isso, não
podiam passar do arco(fornice).
O verbo: Fornicar tornou-se sinônimo de coito(relação sexual) no século 3º D.C.. Designa a prática de
relações sexuais fora do casamento ou entre pessoas que não são casadas, independente da sua
orientação sexual. Alguns léxicos (dicionário de línguas antigas) consideram que fornicação inclui o sexo
oral e o sexo anal. (Wikipédia).
“Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição (relação sexual ilícita), IMPUREZA (no sentido
moral: impureza proveniente de desejos sexuais, luxúria, vida devassa), lascívia (luxúria desenfreada,
excesso, licenciosidade, libertinagem, caráter ultrajante impudência)...” (Gálatas 5: 19).

c) Pornografia. Caráter obsceno de uma publicação. (Dicionário Michaelis)


“Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está
nele; porque tudo que há no mundo, a concupiscência (desejo, anelo, anseio, desejo pelo que é proibido,
luxúria) da carne, a concupiscência (desejo, anelo, anseio, desejo pelo que é proibido, luxúria) dos olhos e a
soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo.” (1ª João 2: 15,16).
“Por isso, cingindo o vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que vos está sendo
trazida na revelação de Jesus Cristo. Como filhos da obediência, não vos amoldeis às PAIXÕES (desejo,
anelo, anseio, desejo pelo que é proibido, luxúria) que tínheis anteriormente na vossa ignorância; pelo
contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o
vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo.” (1ª Pedro 1: 13-16).

d) Lascívia (Sensualidade). Corrupção de costumes, lascívia, sensualidade. (Dicionário


Michaelis).
• Namoros Extremados. "Mas, se não podem conter-se, casem-se. Porque é
melhor casar do que abrasar-se." (1ª Coríntios 7: 9)
• Descompostura nos trajes. “Portanto, usem o seu corpo para a glória dEle.” (1ª
Coríntios 6: 20)
• Palavreado chulo. "Porque Quem quer amar a vida, E ver os dias bons, Refreie
a sua língua do mal, E os seus lábios não falem engano." (1° Pedro 3: 10)

II – A falta de vigilância e autocontrole nesta área, inevitavelmente provocará severos danos na vida
espiritual da pessoa.

a) Esfriamento espiritual. Este é o primeiro sintoma que se observa numa pessoa que vive
desregradamente. Perde-se o desejo e o propósito da oração, da leitura bíblica diária, do estudo
criterioso e sistemático da palavra de Deus, e em conseqüência disto há um desestímulo a prática da
santificação, o que leva a uma aproximação perigosa com práticas normais para o padrão do mundo,
mas inaceitáveis para um servo cristão, como por exemplo, as músicas pagãs com seus ritmos
sensuais e depravados com letras que incentivam o sexo livre, casual e descompromissado, o uso
indiscriminado de drogas, a dissolução dos valores da família, etc.
“E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará.” (Mateus 24: 12).

b) Perca da comunhão com Deus. O fato de uma pessoa participar de um determinado grupo
cristão/evangélico, necessariamente não faz dela uma pessoa cristã, que comunga com Cristo a sua
obra e que tenha comunhão íntima e sincera com Ele. A perca da comunhão com Deus resulta em um
distanciamento de sua vontade, uma demonstração clara e visível de irreverência. Geralmente se
observa que uma pessoa que perdeu sua comunhão com Deus, tende a fazer com que outras pessoas
se aliem a ele na sua maneira de pensar e de viver, iniciando um processo de irradiação maligna do
pecado na comunidade local, ao que Paulo recomendou: "E não comuniqueis com as obras infrutuosas
das trevas, mas antes condenai-as." (Efésios 5: 11).
"Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o
seu rosto de vós, para que não vos ouça." (Isaías 59: 2).

c) Morte Espiritual. Segundo a BJ (Bíblia de Jerusalém) a morte espiritual é causada pela prática
insistente, voluntária e consciente do pecado contra o projeto de Deus para a salvação do homem, fora
deste plano não há outro meio dele ser salvo. Alguns sintomas da morte espiritual:
• Quem está morto não vê as maravilhas de Deus. "Muitas são, SENHOR meu Deus, as
maravilhas que tens operado para conosco, e os teus pensamentos não se podem contar diante
de ti; se eu os quisera anunciar, e deles falar, são mais do que se podem contar." (Salmos 40:
5).

17
• Quem está morto não pode sentir alegria espiritual. "Far-me-ás ver a vereda da vida; na tua
presença há fartura de alegrias; à tua mão direita há delícias perpetuamente." (Salmos 16: 11).
• Deus tem o poder para ressuscitar mortos. "E, tendo dito isto, clamou com grande voz: Lázaro,
sai para fora." (João 11: 43)
“Se alguém vir pecar seu irmão, pecado que não é para morte, orará, e Deus dará a vida àqueles que não
pecarem para morte. Há pecado para morte, e por esse não digo que ore. Toda a iniqüidade é pecado, e há
pecado que não é para morte”. (1ª João 5: 16-17).
“Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a
morte.” (Tiago 1: 15).
“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso
Senhor.” (Romanos 6: 23).

III – Fugindo dos desejos malignos da mocidade segundo Paulo. “ROGO-VOS, pois, irmãos, pela
compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é
o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação
do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus”
(Romanos 12: 1-2).

a) Apresenteis os vossos corpos. Paulo faz um apelo apaixonado para o bom senso censo cristão a
respeito de sua responsabilidade pessoal no que diz respeito à sua vida devocional diária, apontando as
maneiras como se deve apresentar um sacrifício diante de Deus:
• Vivo. Que custe alguma coisa do ofertante. Deus não aceita sobras nem tampouco sacrifício
doente. "O cego, ou quebrado, ou aleijado, o verrugoso, ou sarnoso, ou cheio de impigens,
estes não oferecereis ao SENHOR, e deles não poreis oferta queimada ao SENHOR sobre o
altar." (Levítico 22: 22).
• Santo. Cuidado com fogo estranho. “E para fazer diferença entre o santo e o profano e entre o
imundo e o limpo,” (Levítico 10: 10). Busque a santificação “Segui a paz com todos, e a
santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hebreus 12: 14).
• Agradável. Oferta agradável ao Senhor é aquela que é oferecida quando existe uma disposição
do homem em conhecer a Deus. Servi-lo por Ele ser simplesmente Deus, e não somente por
aquilo que Ele pode retribuir. É apresentar uma oferta voluntária sem esperar compensações.
“E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o
SENHOR para Abel e para a sua oferta. Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-
se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante.” (Gênesis 4: 4-5).

b) Não sede conformados com este mundo. O conselho apresentado por Paulo é traduzido da seguinte
forma: “Não se amoldem ao modelo do mundo”. Aos crentes coríntios Paulo diz que nossas armas não
podem ser comparadas as armas utilizadas pelo mundo (2ª Coríntios 10: 4). Qualquer idéia, disposição
ou comportamento que torne o cristão assemelhado ao padrão do mundo, seu sistema de costume e
governo, é algo que entristece ao Espírito Santo, fere o plano redentor através de Cristo e envergonha a
igreja do Senhor.

c) Transformados pela renovação do vosso entendimento. Sabemos que pecamos através da ação, de
palavras e por pensamentos. Paulo aconselha que o cristão traga preso bem próximo de si mesmo, ou
sob controle, todo pensamento a obediência de Cristo (2ª Coríntios 10: 5). O ato da vigilância não é
somente um dever espiritual do crente, como também uma ferramenta poderosa para que ele tenha e
mantenha em ordem seu mundo espiritual interior (1ª Pedro 5: 8). O entendimento renovado é o ato da
misericórdia de Deus proporcionando ao crente uma renovação espiritual que preencha todos os níveis
de sua existência, naquilo que Pedro aborda com propriedade quando diz: "Mas, como é santo aquele
que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver;" (I Pedro 1: 15).

• "E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e
alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de
nosso SENHOR Jesus Cristo." (I Tessalonicenses 5: 23).

Pr José Fernandes Silva – Acreúna-GO, 13/01/07


Conselheiro da UMADA (UNIÃO DAS MOCIDADES DAS ASSEMBLÉIAS DE DEUS DE ACREÚNA –
GOIÁS).

BIBLIOGRAFIA
NVI – Nova Versão Internacional
ARC – Almeida Revista e Corrigida

18
BEP – Bíblia de Estudo Pentecostal
R. de Oliveira. Elias – Estudo Bíblico – Lascívia
Apolinário da Silva. Abner – Estudo Bíblico – O Que é Fornicação?
Dicionário Michaelis
Wikipédia – Enciclopédia Livre

19
O PREPARO DO PROFESSOR

1. O PROFESSOR CONSCIENTE DE SUA MISSÃO:

1.1. Como Despenseiro dos Mistérios de Deus.


"Que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus. Além
disso, requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel." (1ª Coríntios 4 : 1-2).
Segundo John Stott, o despenseiro era o empregado de confiança da casa, responsável pela correta
utilização dos bens de outra pessoa, além de ser o encarregado pela alimentação de todas as pessoas da
casa. A responsabilidade do despenseiro com a família em relação ao pai se distingue no fato deste
empregar o dever, enquanto que o pai a sua relação com a família está baseada no amor.

1.2. Como Pai.


“Porque ainda que tivésseis dez mil aios em Cristo, não teríeis, contudo, muitos pais; porque eu pelo
evangelho vos gerei em Jesus Cristo.” (1ª Coríntios 4 : 15).
A palavra ‘aio’ mencionada no verso diz respeito ao escravo (paidagôgos) responsável por supervisionar o
tutelado em seu comportamento, modo de vestir, de comer, de falar e boas maneiras, empregando a
disciplina punitiva (chicote) se isto fosse necessário.
A relação entre pais e filhos que Paulo nos mostra nesta passagem é de duradoura e perfeita intimidade,
afeição e amor. Sentimentos perfeitamente compreensíveis ao ambiente familiar, entretanto,
frequentemente o pai precisa fazer o papel do ‘aio’, porém, o que os diferencia é que ele:
“corrige a quem ama. E açoito a todo filho a quem recebe” (Hebreus 12 : 6).

1.2.1. As características de um pai na visão de um professor:


I - Ensina com compreensão.
II - Ensinador gentil.
III - Ensina com simplicidade.
IV - Ensina com interesse.
V - Ensina com amor.

2. O PREPARO DO PROFESSOR EM TRÊS ÁREAS:

2.1. Na Área Física. Cuidado com a Saúde.


"Amado, desejo que te vá bem em todas as coisas, e que tenhas saúde, assim como bem vai a tua alma."
(3ª João 1 : 2)

I - Alimentação adequada.
A alimentação inadequada é um dos maiores vilões da qualidade de vida, pois além de estar associado a
doenças orgânicas tradicionais (como o infarto, por exemplo), é responsável por males como o estresse.
“Alimentação inadequada pode gerar estresse por vários motivos. Um deles é que ao comer de modo
inadequado, podem faltar nutrientes essenciais. Só para dar um exemplo, o aminoácido L Triptofano que
ingerimos na comida entra na formação da serotonina (que é um mediador químico cerebral muito
importante nas emoções) e da melatonina (que age de modo muito importante no sono reparador). Estudos
já demonstraram que uma dieta pobre no L Triptofano pode desencadear depressão e outros transtornos
emocionais em pessoas predispostas”, explica Cyro Masci. Fique atento! Se você se cansa facilmente, está
sempre de mau humor e irrita-se por pouco, pode ser falta de vitaminas.
E atenção, quando falamos em alimentação inadequada, também estamos falando de excesso. Há um
estudo europeu que mostra que o excesso de alimentação (que causa a obesidade) está matando mais do
que a falta de alimentação (desnutrição). “A obesidade já está matando 20 vezes mais do que a Aids”,
completa Cyro. O excesso de peso está associado a muitas doenças coronárias e, em muitos países, como
os EUA, a obesidade virou inimigo público número um dos governos, devido aos altos custos com a saúde
pública.

II - Exercícios físicos regulares. Diga não para o sedentarismo.


“Cuide do seu corpo, é o local onde você vive”. Se está afirmação nunca fez sentido para você, experimente
fazer seis meses de atividade física e em seguida pare. Você só entende a diferença que ela faz quando
experimenta. Além dos benefícios como queima de gordura, melhoria no tônus da pele (mantém a
vitalidade), na capacidade respiratória, há um conjunto decisivo: o exercício melhora a circulação. Isto quer
dizer que melhora todo o funcionamento do organismo. No item doenças, o sedentarismo é um dos
principais fatores de causas de diversas doenças, especialmente as relacionadas ao coração.

20
Você tem mais interesse no agora? Muito bem. Vamos aos benefícios emocionais da atividade física. Quem
pratica atividade física é mais disposto, tem mais energia e o bom humor está sempre nas alturas. Além do
seu efeito relaxante. Isto é, a atividade física acaba sendo um antídoto contra o cansaço e o estresse.

III - Descanso merecido e suficiente. Férias ajudam a manter corpo e mente saudáveis.
Se até Deus descansou no sétimo dia, após passar seis construindo o mundo, por que nós, pobres mortais,
não deveríamos fazê-lo? Tirar 30 dias de férias a cada 12 meses é um direito garantido por lei a todos os
trabalhadores com carteira assinada. E, segundo o clínico-geral Gleidson Cuence, especialista em Medicina
do Trabalho pela Santa Casa de São Paulo, faz muito bem à saúde e pode evitar problemas lá na frente.
O especialista recomenda férias principalmente para aqueles que têm funções altamente estressantes,
como as da área de telemarketing. “Quem trabalha em telemarketing tem um desgaste mental muito grande
por lidar com o público. Além disso, nem sempre quem trabalha com atendimento é muito feliz com o que
faz”, diz.
Para a turma dos desgostosos, Cuence recomenda “desligamento total” nas férias. “As pessoas que gostam
do trabalho têm menos necessidade de férias, pois têm prazer naquilo que fazem”, ressalta. Mas isso não
significa que não precisem de descanso, pelo contrário. O corpo, segundo o médico, precisa dar uma
pausa, e total. “Não adianta nada tirar férias e ficar em casa pensando nos problemas, nas dívidas para
pagar. O ideal é viajar, buscar um lugar diferente”, frisa.

2.2. Na Área Psicológica. Cuidado com o Intelecto.


"E vós também, pondo nisto mesmo toda a diligência, acrescentai à vossa fé a virtude, e à virtude a ciência"
(2ª Pedro 1 : 5)

I - Cultive a mente.
Foi cientificamente comprovado. O cérebro de uma pessoa que pensa, lê e estuda com freqüência é
consideravelmente maior em volume e peso do que em pessoas que não têm o hábito de leitura ou de
estudo.

II - Forme uma biblioteca.


Gastos com livros e publicações de ensino, não são despesas no sentido simples da palavra, mas um alto
investimento que vale para toda a vida. O maior patrimônio que uma pessoa pode deixar para sua
posteridade é o conhecimento. As nações que mais se destacam no mundo atual, o são por causa do poder
de conhecimento que elas desenvolveram.

III - Crie o hábito de fazer anotações:


a) Idéias.
b) Conceitos.
c) Experiência.

2.3. Na Área Espiritual. O Cuidado com a Alma.


"Irmãos, se algum homem chegar a ser surpreendido nalguma ofensa, VÓS, QUE SOIS ESPIRITUAIS,
encaminhai o tal com espírito de mansidão; olhando por ti mesmo, para que não sejas também tentado."
(Gálatas 6 : 1).

I - Piedade.
"Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a
mansidão." (I Timóteo 6 : 11)
A nossa palavra "piedade" vem do Latim, e tem dois sentidos:
a) Amor e respeito às coisas religiosas; religiosidade; devoção.
b) Pena dos males alheios; compaixão, dó, comiseração (Novo Dicionário Aurélio, 2ª ed.).

II - Oração.
"ORAI sem cessar." (I Tessalonicenses 5 : 17).
A palavra de Deus nos mostra, em diferentes passagens, o poder da oração. Além da sua importância como
instrumento de contato entre nós e Deus, a oração é também uma arma do cristão na guerra espiritual. Em
II Crônicas vemos um exemplo de resposta de oração. Salomão havia, no capítulo 6, pedido ao Senhor que
viesse ao templo que ele construíra, trazendo sua glória.
A resposta a essa oração está no capítulo 7. O verso um diz: "Tendo Salomão acabado de orar... a glória do
Senhor encheu a casa". O resultado disso foi que todos adoraram a Deus, como vemos no verso três. A
manifestação da glória de Deus gera adoração e louvor. Salomão sabia que não havia espaço físico que
pudesse conter a glória de Deus. Hoje essa glória se manifesta em nossas vidas, devemos gerar adoração
e louvor.

21
III - Equilíbrio.
"Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de MODERAÇÃO." (II
Timóteo 1 : 7).

IV - Humildade.
"Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por HUMILDADE; cada um considere os outros superiores
a si mesmo." (Filipenses 2 : 3).

V - Otimismo.
"Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não DESANIMADOS." (II Coríntios 4 :
8).

Pr José Fernandes Silva - 22/03/07


Prodessor de EBD – Classe dos Jovens ‘Estrela da Manhã’
Palestrante do 1° CAPEDI em Acreúna-GO

BIBLIOGRAFIA
NVI - Nova Versão Internacional
ARC - Almeida Revista e Corrigida
BEP - Bíblia de Estudo Pentecostal
Stott, JOHN - O perfil do Pregador - Editora Sepal - 5ª Edição - 2002
Cabral, ELIENAI - O pregador Eficaz - CPAD - 1ª Edição – 1981
Catherine, CLÁUDIA – Qualidade de Vida.

22
O OBREIRO SEGUNDO UMA PERSPECTIVA BÍBLICA

Texto: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que
maneja bem a palavra da verdade”. (2 Tm 2.15)

CONSELHOS PASTORAIS

1. TEM CUIDADO DE TI MESMO.


"Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a
ti mesmo como aos que te ouvem." (1 Tm 4.16)

I – A Saúde. “Não continue a beber somente água; tome também um pouco de vinho, por causa do seu
estômago e das suas freqüentes enfermidades” (1 Tm 5.23).
a) Durma o suficiente. "Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores,
pois assim dá ele aos seus amados o sono." (Sl 127.2)
b) Coma o necessário. "Andemos honestamente, como de dia; não em glutonarias, nem em
bebedeiras, nem em desonestidades, nem em dissoluções, nem em contendas e inveja."
(Romanos 13.13)
c) Descanse. Você não é uma máquina. Reserve algum momento para o lazer de sua família.

II – A Popularidade.
a) Nada somos - tudo é pela graça de Deus. “Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça
para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça
de Deus, que está comigo.” (1 Co 15.10).
b) Um ministério sem Jesus está fadado ao fracasso. “Eu sou a videira, vós as varas; quem está em
mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” (Jo 15.5).
c) N’Ele todas as coisas são possíveis. “Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.” (Fl 4.13).
d) A humildade é um predicado essencial para a vida de um obreiro. “Porque pela graça que me é
dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense
com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um.” (Rm 12.3)

III – O Sexo Oposto. “[Trate] as moças como a irmãs, com toda a pureza” (1 Tm 5.2). “Conserve-te puro” (1
Tm 5.22).
a) Demonstrações excessivas de afeto podem ser mal-compreendidas.
b) Cuidado com uso demasiado de liberdade.
c) A melhor companheira para as visitações é a esposa.
d) Gabinete pastoral – Perigo constante!
e) Secretárias particulares. Seu ministério em cheque!

2. EXERCITE-TE NA PIEDADE.
“Exercite-te na piedade. O exercício físico é de pouco proveito; a piedade, porém, para tudo é proveitosa
porque tem promessa da vida presente e da vida futura” (1 Tm 4.7,8).

I – A Responsabilidade do Obreiro com a Bíblia.


a) Creia na inspiração da bíblia. “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar,
para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça” (2 Tm 3.16).
b) Leia a bíblia diariamente. "Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite,
para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás
prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido." (Josué 1. 8).
c) Procure compreendê-la. Além da leitura sistemática da Bíblia, o obreiro também precisa ter em
mãos boas obras de referência para auxiliá-lo na melhor compreensão do texto sagrado. É
aconselhável que o obreiro adquira um bom dicionário bíblico e da língua portuguesa, comentários
bíblicos de boa procedência, etc. Lembrando que nenhum livro, por melhor que seja seu conteúdo,
jamais, absolutamente, pode substituir a Palavra de Deus (Salmo 119.115).
d) Prega a Palavra. A Bíblia é a base da vida espiritual de todo obreiro e também de seu ministério
cristão. Por mais experiente e gabaritado que este obreiro possa ser a Bíblia ainda continuará
sendo seu instrumento de trabalho diário, jamais podendo ser substituída por outro artifício. Deus é
absolutamente comprometido com a sua palavra, portanto, não se responsabiliza com a exposição
de nossas próprias idéias e suposições.

23
II – O Obreiro e a Oração.
a) Orar Confiantemente. "E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa,
segundo a sua vontade, ele nos ouve." (1 Jo 5.14)
b) Orar Incessantemente. "Orai sem cessar." (1 Ts 5.17)
c) Orar Humildemente. “E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar
em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos
digo que já receberam o seu galardão.” (Mt 6.5)

3. ZELO MINISTERIAL.
"Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como
uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo." (2 Co 11.2).

I – A Complicada Tarefa de Ser Exemplo.


a) Obreiro pode ser jovem, mas nunca menino. “Ninguém o despreze pelo fato de você ser jovem,
mas SEJA UM EXEMPLO para os fiéis na palavra, no procedimento, no amor, na fé e na pureza” (1
Tm 4.12).
b) Sorria! Você está sendo filmado! “Em tudo SEJA VOCÊ MESMO UM EXEMPLO para eles, fazendo
boas obras. Em seu ensino, mostre integridade e seriedade” (Tt 2.7).

II - Cuidado Com as Atitudes.


a) Lidando com pessoas de diferentes personalidades. “Não repreenda asperamente o homem idoso,
mas exorte-o como se ele fosse seu pai; trate os jovens como a irmãos; as mulheres idosas, como
a mães” (1 Tm 5.1,2).
b) A relação com os companheiros de ministério. “Evite as controvérsias tolas e inúteis, pois você
sabe que acabam em brigas. Ao servo do Senhor não convém brigar mas, sim, ser amável para
com todos” (2 Tm 2.23,24).
c) A moderação. “Seja moderado em tudo, suporte os sofrimentos, faça a obra de um evangelista,
cumpra plenamente o seu ministério” (2 Tm 4.5).

III – Cuidado Com a Sã Doutrina.


a) Livres da tentação dos modismos. “Rejeite [...] as fábulas profanas e tolas” (1 Tm 4.7).
b) Retransmissor da verdade e do legado ministerial. “Retenha, com fé e amor em Cristo Jesus, o
modelo da sã doutrina que você ouviu de mim” (2 Tm 1.13).
c) Fidelidade à ortodoxia doutrinária. “Permaneça nas coisas que aprendeu e das quais tem
convicção, pois você sabe de quem o aprendeu” (2 Tm 3.14). “Fale o que está de acordo com a sã
doutrina” (Tt 2.1).

4. O OBREIRO E A FAMÍLIA. UM BOM OBREIRO COMEÇA NO LAR.

I – Características das Esposas Sem Nome e Sem Honra no Lar e na Igreja.


a) Mãe dedicada de filhos apesar da ausência do obreiro.

b) O estresse provocado pelo excesso de afazeres:


i. Cozinheira.
ii. Lavadeira.
iii. Passadeira.
iv. Zeladora.
v. Dirigente de círculo de oração.
vi. Acompanhante nas visitações pastorais.
vii. Conselheira.
viii. Amante.

c) Exemplo de vida cristã.


i. Zelosa.
ii. Decente.
iii. Modesta.
iv. Sábia.
v. Prudente.

II – As Características Que Fazem do Obreiro Um Bom Esposo.

24
a) Afetuoso.
i. Compreensão.
ii. Carinho.
iii. Cuidado.
iv. Amor.

b) Fiel.
i. No olhar.
ii. No pensar.
iii. No agir.

c) Companheiro.
i. Nas tarefas domésticas.
ii. Nas peculiaridades femininas.
iii. Nos momentos de dificuldades.
iv. Incentivador e motivador do ministério feminino.

d) Amante.
i. Conhecedor das necessidades sexuais da esposa.

III - As Características Que Fazem do Obreiro Um Bom Pai.


a) Bom ouvinte.
i. Ouve sem criticar.
ii. Somente faz juízo depois de uma boa conversa.
iii. É interessado.

b) Amigo sincero.
i. Conselheiro.
ii. Confidente.
iii. Incentivador e motivador.

c) Amoroso.
i. Dedicado.
ii. Preocupado.
iii. Mantenedor.

Pr José Fernandes Silva – 10/04/2007


Pastor Dirigente da Congregação do Setor Ana Carla
Palestrante da Escola Bíblica de Obreiros do Campo de Acreúna-GO

25
BUSCANDO A MATURIDADE CRISTÃ
“Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” (Ef 4.15)

INTRODUÇÃO: Desde o instante que uma pessoa aceita a Jesus como salvador de sua vida, torna-se
necessário o amadurecimento espiritual deste indivíduo. Algumas atitudes serão importantes para que este
processo seja efetivamente estabelecido. Abordaremos abaixo algumas dessas atitudes.

1. TENHA FOME E SEDE DA PALAVRA DE DEUS.

I - O esquecimento de Israel quanto a Palavra de Deus e a sua conseqüência.


“O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também
eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e, visto que te esqueceste da lei do teu Deus,
também eu me esquecerei de teus filhos.” (Oséias 4:6)

II - A assimilação e a aprendizagem estão ligadas a:


a) De 10% a 15% No ouvir
b) De 15% a 25% No ler
c) De 50% a 60% No estudar
d) De 60% a 80% No estudar e meditar
e) De 80% a 100% No estudar, meditar e memorizar.

2. DESENVOLVA UMA VIDA CONSISTENTE DE ORAÇÃO.

I - Os elementos da oração eficaz:


a) Adoração.
“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade;
porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem
em espírito e em verdade.” (Jo 4.23-24).
b) Gratidão.
“E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede
agradecidos.” (Cl 3.16).
c) Confissão.
“Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que é mal à tua vista, para que sejas justificado quando falares,
e puro quando julgares.” (Salmo 51:4)
d) Intercessão.
“Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças,
por todos os homens.” (1 Tm 2.1).
e) Petição.
“Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque, aquele que pede, recebe; e, o
que busca, encontra; e, ao que bate abrir-se-lhe-á.” (Mt 7.7).
“Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos
será feito.” (Jo 15.7).

II - Os impedimentos à oração eficaz:

a) Incredulidade.
“Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que
ele existe, e que é galardoador dos que o buscam”. (Hb 11.6)
b) Motivação errada. Deus não responde oração de ‘feiticeiros’
c) Desobediência.
“O que desvia os seus ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração será abominável.” (Pv 28.9)
d) Desajustamento conjugal.
"Igualmente vós, maridos, coabitai com elas com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais
fraco; como sendo vós os seus co-herdeiros da graça da vida; para que não sejam impedidas as vossas
orações." (1 Pe 3.7).
e) Estar fora da vontade de Deus.
"Então consultou Saul a Deus, dizendo: Descerei atrás dos filisteus? Entregá-los-ás na mão de Israel?
Porém aquele dia não lhe respondeu." (I Sm 14. 37).

26
3. ESTABELEÇA UM MOMENTO DEVOCIONAL DIÁRIO.

I - Um momento pessoal, particular. Mínimo de 15 minutos pela manhã, tarde ou à noite.


a) O exemplo devocional de Isaque.
“Isaque saíra a orar no campo, à tarde” (Gn. 24: 63-A)
b) A instrução dada a Timóteo.
“Medita estas coisas; ocupa-te nelas, para que o teu aproveitamento seja manifesto a todos.” (1ª Tm 4: 15)

II - Culto doméstico. Reunião devocional familiar diária, onde se prioriza a leitura, oração e a meditação da
palavra de Deus. Restaure o altar da adoração no seu lar. Leve a presença de Deus para o seio da família.
"Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao SENHOR, escolhei hoje a quem sirvais; se aos
deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra
habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR." (Js 24.15)

4. INTEGRE-SE EM SUA IGREJA.

I – Conheça a estrutura organizacional de sua igreja. É sabedor que uma igreja possui vários níveis de
organização, desde ministérios, departamentos, etc.

II – Procure estabelecer um bom relacionamento com os líderes dos ministérios e dos departamentos de
sua igreja.
"Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens." (Rm 12.18).

III – Participe de maneira voluntária dos diferentes trabalhos de sua igreja.


"Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor,
sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor." (1 Co 15.58).

IV – Identifique-se com a igreja local onde você congrega e coopera na obra do Senhor.
"Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e
tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia." (Hb 10.25).

5. VIVA SOB O SENHORIO DE CRISTO.

I - O senhorio de Cristo se estabelece na vida do cristão através de uma plena e absoluta submissão e
obediência à sua vontade.

II – Tenha um mente renovada.


"E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso
entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus." (Rm 12.2).

III – Seja cheio do Espírito Santo.


"E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito" (Ef 5.18).

IV – Experimente um avivamento contínuo que permita uma mudança de vida.


"Porque em Cristo Jesus nem a circuncisão, nem a incircuncisão tem virtude alguma, mas sim o ser uma
nova criatura." (Gl 6.15).

Pr José Fernandes Silva – 17/04/2007.

27
SANTOS E ABENÇOADOS.
“Ó coríntios, a nossa boca está aberta para vós, o nosso coração está dilatado! Não estais estreitados em
nós; mas estais estreitados nos vossos próprios afetos. Ora, em recompensa disto (falo como a filhos),
dilatai-vos também vós. Não vos prendais a um jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade tem a
justiça com a injustiça? ou que comunhão tem a luz com as trevas? Que harmonia há entre Cristo e Belial?
ou que parte tem o crente com o incrédulo? E que consenso tem o santuário de Deus com ídolos? Pois nós
somos santuário de Deus vivo, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu
Deus e eles serão o meu povo. Pelo que, saí vós do meio deles e separai-vos, diz o Senhor; e não toqueis
coisa imunda, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor
Todo-Poderoso. Ora, amados, visto que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a imundícia da
carne e do espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus.” (1 Coríntios 6: 11-18; 7:1)

1. UMA EXORTAÇÃO DE PAI.


Paulo apela aos cristãos de coríntios como quem fala a filhos. Na sua exortação cobra deles o mesmo
tratamento de sinceridade e amor que ele empregou aquela comunidade religiosa.
Após chamá-los a atenção para o exercício do amor fraternal (11-13), o apóstolo passa a condenar a
comunhão que eles estavam gozando com os incrédulos (14). O emprego da palavra ‘jugo desigual’ não se
aplica exclusivamente ao casamento entre cristãos e incrédulos, mas demonstra toda disposição anti-bíblica
dos coríntios em continuar se associando com indivíduos ímpios e contrários a verdade divina.

2. A IMORALIDADE DA CIDADE DE CORINTO.


Sabe-se pela história, que a cidade de Corinto era um próspero centro cultural e comercial, por onde os
mercadores passavam com suas mercadorias e despeja sobre a cidade grande quantidade de riqueza,
portanto, para os padrões da época, pode ser comparada a uma metrópole. Porém, o Rev Kleber N.
Queiroz, pastor da 1ª Igreja Presbiteriana Independente de Natal-RN, diz que o aspecto mais marcante da
cidade era sua imoralidade, fruto de mistura de pessoas de várias raças e credos religiosos. Ele conta que
numa colina chamada Acrópoles, existia um templo dedicado a Afrodite, que na cultura grega representa a
deusa do amor. Neste templo ministrava cerca de 1.000 sacerdotisas que toda a tarde desciam para
prostituir-se em Corinto.

3. ABANDONAR AS ANTIGAS PRÁTICAS – O NOVO NASCIMENTO.


Por mais de uma vez Paulo exorta os cristãos a abandonarem as práticas do passado vivendo em novidade
de vida, “Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se
fez novo.” (2 Coríntios 5:17) e a associação com os que praticam atos imorais, “Já por carta vos escrevi
que não vos comunicásseis com os que se prostituem; com isso não me referia à comunicação em geral
com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque
então vos seria necessário sair do mundo. Mas agora vos escrevo que não vos comuniqueis com aquele
que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com
esse tal nem sequer comais.” (1 Coríntios 5: 9-11). O padrão de vida do mundo, e sua forma degradada de
governo não se coadunam com a verdade conhecida na Palavra de Deus, e que deve ser o padrão buscado
por todos os salvos para moldarem sua conduta diante de Deus e dos homens. “Não ameis o mundo, nem o
que há no mundo. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo,
a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não vem do Pai, mas sim do
mundo. Ora, o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus, permanece
para sempre.” (1 João 1: 15-17).

4. A SANTIFICAÇÃO PESSOAL.
O escritor aos Hebreus taxou a santificação como algo impreterível no quesito da salvação eterna do
homem. “Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hebreus 12:14). O
processo da salvação começa com o arrependimento dos pecados praticados e a sua imediata justificação,
onde o homem sentenciado por causa dos delitos praticados é tornado inocente (sem culpa). Após ser
justificado o homem passa pelo processo mencionado no tópico anterior, a regeneração, ou novo
nascimento. É nesta fase que o pecador justificado torna-se filho de Deus e passa a ter direito a herança
como filho por adoção, conforme o que Paulo falou aos Romanos 11: 17, 24. Daí em diante o homem limpo
de toda mácula do pecado está pronto para entrar no processo da santificação, aonde continuamente vai
conhecendo a Deus e se tornando com ele parecido até chegar a estatura de varão perfeito, como diz em
Efésios 4:13.
A santificação nada mais é do que uma consagração de vida ao Senhor, onde o homem se compromete a
dedicar-Lhe o que antes era dedicado à carne e ao Diabo. “e que, quando for outra vez, o meu Deus me

28
humilhe perante vós, e chore eu sobre muitos daqueles que dantes pecaram, e ainda não se arrependeram
da impureza, prostituição e lascívia que cometeram.” (2 Coríntios 12:21).
Como sendo um processo, conclui-se que ora pode ser progressiva em direção Deus, ora regressiva em
direção ao velho homem com suas antigas práticas. A admoestação de Paulo então, visa absolutamente
que este velho homem interior, mortificado pela palavra em ação direta do Espírito Santo, seja plenamente
controlado. “... para que, segundo as riquezas da sua glória, vos conceda que sejais robustecidos com
poder pelo seu Espírito no homem interior” (Efésios 3:16).

5. A PROMESSA DE BÊNÇÃOS AOS SANTOS.


O resultado prático de uma vida totalmente dedicada a Deus e a sua Palavra é a concretização da
promessa de que:
- Ele é Deus e habitará e andará no meio do seu povo. Deus não compartilhará com o pecado e o diabo
de nenhuma habitação. A moradia (homem) se dará a conhecer pelo seu morador. “Ora, havendo o espírito
imundo saído do homem, anda por lugares áridos, buscando repouso, e não o encontra. Então diz: Voltarei
para minha casa, donde saí. E, chegando, acha-a desocupada, varrida e adornada. Então vai e leva
consigo outros sete espíritos piores do que ele e, entretanto, habitam ali; e o último estado desse homem
vem a ser pior do que o primeiro. Assim há de acontecer também a esta geração perversa.” (Mateus 12: 43-
45).
- Ele é Pai e nos reconhecerá com filhos e filhas. Somente com a aceitação a sua Palavra que esta
promessa será real na vida do homem. A dependência do homem a Deus, o temor e a fé são fatores
determinantes para a comunhão estável e profícua com o Pai Celestial!

CONCLUSÃO
Não é pouco ser chamado por Deus de filho, e nem tampouco tê-lo morando e caminhando entre nós. Em
um plano físico e material esta promessa poderá não ser compreendida, e nem muito menos valorizada.
Mas o cristão fiel e obediente a Deus saberá calcular o prejuízo que tem o homem de entregar-se a
devassidão e aos costumes do mundo e não se entregar sem reservas ao Criador Supremo! O Céu aguarda
como promessa eterna aos santos!

Pr José Fernandes Silva – 27/05/2006

29
ABRAÃO – UM HOMEM NOTÁVEL.
Texto: “Ora, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a
terra que eu te mostrarei.” (Gênesis 12:1)

INTRODUÇÃO: Se Deus fosse determinar algum tipo de benção ou confirmar sua promessa para a vida do
velho patriarca, baseando-se nos primeiros atos deste após sua decisão de obedecer a voz do Senhor em
sair do meio da sua parentela, certamente que a história teria de ser reescrita. A seqüência de erros que se
observa é tão gritante que se não vigiarmos poderemos ser tentados a perguntar: O que Deus viu em
Abraão?

OS ERROS DE ABRAÃO RELATADOS APENAS NO CAPÍTULO 12 DE GÊNESIS.

I – Levou consigo seu sobrinho Ló. “Assim partiu Abrão como o SENHOR lhe tinha dito, e foi Ló com ele”
(Gênesis 12: 4).

Tanto a determinação para sair do meio de parentela, quanto à promessa da benção de Deus a Abrão, dizia
respeito somente a sua pessoa. O ato de levar seu sobrinho resultaria mais tarde, em sérios transtornos ao
patriarca.
a) A contenda entre os dois grupos de pastores. “E houve contenda entre os pastores do
gado de Abrão e os pastores do gado de Ló; e os cananeus e os perizeus habitavam então
na terra. E disse Abrão a Ló: Ora, não haja contenda entre mim e ti, e entre os meus
pastores e os teus pastores, porque somos irmãos. Não está toda a terra diante de ti? Eia,
pois, aparta-te de mim; e se escolheres a esquerda, irei para a direita; e se a direita
escolheres, eu irei para a esquerda.” (Gênesis 13: 7-9).
b) Levado cativo pelo exército dos reis aliados. “Também tomaram a Ló, que habitava em
Sodoma, filho do irmão de Abrão, e os seus bens, e foram-se. Então veio um, que
escapara, e o contou a Abrão, o hebreu; ele habitava junto dos carvalhais de Manre, o
amorreu, irmão de Escol, e irmão de Aner; eles eram confederados de Abrão. Ouvindo,
pois, Abrão que o seu irmão estava preso, armou os seus criados, nascidos em sua casa,
trezentos e dezoito, e os perseguiu até Dã.” (Gênesis 14: 12-14)
c) A destruição de Sodoma. “Disse mais o SENHOR: Porquanto o clamor de Sodoma e
Gomorra se tem multiplicado, e porquanto o seu pecado se tem agravado muito, Descerei
agora, e verei se com efeito têm praticado segundo o seu clamor, que é vindo até mim; e se
não, sabê-lo-ei. Então viraram aqueles homens os rostos dali, e foram-se para Sodoma;
mas Abraão ficou ainda em pé diante da face do SENHOR.” (Gênesis 18: 20-22)

II – Em momento de fome na terra, desceu para morar no Egito. “E havia fome naquela terra; e desceu
Abrão ao Egito, para peregrinar ali, porquanto a fome era grande na terra.” (Gênesis 12: 10).

Geralmente é em momentos de crise que o caráter das pessoas se revela. Imediatamente após Deus haver
lhe revelado a terra que por promessa daria a seus filhos (12: 7), Abrão é surpreendido por uma fome
terrível naquela região. Humanamente falando, não viu outra opção senão refugiar-se em terras egípcias.
Esta decisão implicaria, novamente, em aborrecimentos e decepções tanto para si como também para sua
família.
a) O Egito representa o mundo. “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém
ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a
concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do
Pai, mas do mundo.” (2ª João 2: 15-16).
b) Voltar ao Egito representa a utilização dos antigos hábitos. “E não sede conformados
com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento,
para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.”
(Romanos 12: 2).

III – O egoísmo revelado pela mentira a respeito de sua própria esposa. “E aconteceu que, chegando
ele para entrar no Egito, disse a Sarai, sua mulher: Ora, bem sei que és mulher formosa à vista; E será que,
quando os egípcios te virem, dirão: Esta é sua mulher. E matar-me-ão a mim, e a ti te guardarão em vida.
Dize, peço-te, que és minha irmã, para que me vá bem por tua causa, e que viva a minha alma por amor de
ti.” (Gênesis 12: 13).

30
a) O Diabo é o pai da mentira. “Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de
vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há
verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai
da mentira.” (João 12: 44).
b) Não dê a outros a sua fonte de águas. “Bebe água da tua fonte, e das correntes do teu poço.
Derramar-se-iam as tuas fontes por fora, e pelas ruas os ribeiros de águas? Sejam para ti só, e
não para os estranhos contigo. Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua
mocidade.” (Provérbios 5: 15-18).

IV – Aceitou os presentes de Faraó. “E fez bem a Abrão por amor dela; e ele teve ovelhas, vacas,
jumentos, servos e servas, jumentas e camelos.” (Gênesis 12: 16)

De todos os presentes oferecidos por Faraó, havia um que mascarado, mais tarde se revelaria um potencial
perigo para o patriarca e sua descendência, Agar a escrava egípcia estava entre os escravos que Abraão
levou do Egito. “ORA Sarai, mulher de Abrão, não lhe dava filhos, e ele tinha uma serva egípcia, cujo nome
era Agar. E disse Sarai a Abrão: Eis que o SENHOR me tem impedido de dar à luz; toma, pois, a minha
serva; porventura terei filhos dela. E ouviu Abrão a voz de Sarai.” (Gênesis 16: 1-2).

Pr José Fernandes Silva– 22/01/2007

31
CHAMADOS PARA UMA MARATONA ESPIRITUAL
“Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos
todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos
está proposta.” (Hb. 12: 1).

1. ESTAMOS RODEADOS POR UMA TÃO GRANDE NUVEM DE TESTEMUNHAS. (12: 1 A)


I – São os homens e mulheres arrolados na galeria dos heróis da fé. (Hb. 11).
II – Eles morreram sem alcançar o cumprimento da promessa. (11: 13).
III – Buscavam uma pátria melhor. (11: 14-16).
IV – O prazer de Deus de ser chamado de ‘Deus deles’. (11:16).

2. LIVREMOS DE TUDO QUE NOS ATRAPALHA. (12: 1 B)


I – Paulo falou sobre soldados desembaraçados. (2ª Tm. 2: 4)
II – Observadores de regras. (2ª Tm 2:5)
III – Não tendo o mundo como paradigma. (Rm. 12: 2)

3. CORRENDO COM PERSEVERANÇA. (12: 1 C)


I – Fomos desafiados para uma missão. (Mc. 16: 15)
II – Devemos buscar preparo espiritual para resistirmos as dificuldades da corrida. (1ª Tm. 6: 11-12)
III – Correndo com determinação.

4. OLHANDO FIRMEMENTE PARA JESUS. (12: 2 A)


I – Desatando as amarras do passado. (Fl. 3: 13)
II – Jesus é o nosso prêmio de vitória. (Fl. 3: 14)
III – Correndo com propósito. (Ec. 11: 4)

5. JESUS NOSSA INSPIRAÇÃO, SUPORTOU A CRUZ DESPREZANDO A VERGONHA. (12: 2-3)


I – Jesus não fez caso, ou não deu tanta importância para a vergonha da cruz.
II – A obra de Deus, muitas vezes, resulta em dissabores para quem a pratica. (Lc. 21: 12; Jo. 16: 33)
III – O gozo de suportar as aflições na obra de Deus, é ver as almas abençoadas.

6. NÃO SE CANSAR E NEM DESANIMAR. (12: 3)


I – O combate é justo. (2ª Tm 4: 7)
II – O prêmio é oferecido aos vencedores. (2ª Tm 4: 8)
III – Todos aqueles que completam a jornada também são coroados. ((2ª Tm 4: 8 B)

Pr José Fernandes Silva – 17/12/2006

32
NOVAS ESTÁTUAS DE OURO ERGUIDAS NO CORAÇÃO
“O rei Nabucodonosor fez uma estátua de ouro, a altura da qual era de sessenta côvados, e a sua largura
de seis côvados; levantou-a no campo de Dura, na província de Babilônia.” (Dn 3.1).

1. VENERAÇÃO IDOLÁTRICA.

a) Idolatria a Outras Pessoas.


“... e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível...” (Rm 1.23
a)
a. Homens Cultos.
b. Pessoas Belas.
c. Homens Famosos.

b) Idolatria a Bens Materiais.


“Não ajunteis para vós tesouros na terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões
minam e roubam; mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e
onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu
coração.” (Mt 6.19-21).
a. Apego ao Dinheiro.
"Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a
um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom." (Lc 16.13).
b. Utilização dos Bens Materiais Para Fins Profanos.

c) Auto-Idolatria.
“Sabe, porém, isto, que nos últimos dias sobrevirão tempos penosos; pois os homens serão amantes de si
mesmos, gananciosos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a seus pais, ingratos, ímpios,
sem afeição natural, implacáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos,
orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando-
lhe o poder. Afasta-te também desses.” (2ª Tm 3.1-5).
a. Atrativos Físicos.
b. Riqueza.
c. Glória ou Fama.

2. ADORANDO A DEUS SOMENTE.


“Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que há
em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás diante delas,
nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos
até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam e uso de misericórdia com milhares dos que me
amam e guardam os meus mandamentos.” (Ex 20.3-6).

a) Enfrentando Fornalhas.
“Quando passares pelas águas, eu serei contigo; quando pelos rios, eles não te submergirão; quando
passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti.” (Is 43.2).

b) Experimentando Milagres.
“Pois que tanto me amou, eu o livrarei; pô-lo-ei num alto retiro, porque ele conhece o meu nome. Quando
ele me invocar, eu lhe responderei; estarei com ele na angústia, livrá-lo-ei, e o honrarei. Com longura de
dias fartá-lo-ei, e lhe mostrarei a minha salvação.” (Sl 91.14-16)

c) Exaltados por Deus.


“Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desesperados; perseguidos, mas
não desamparados; abatidos, mas não destruídos” (2ª Co 4.8-9).

Pr José Fernandes Silva – 26/06/2006

33
APESAR DO PECADO, DEUS NUNCA DEIXOU DE AMAR O HOMEM.
“Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes
de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos,
profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os
bons, Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, Tendo
aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.” (2ª Timóteo 3: 1-5).

AS CARACTERÍSTICAS DOS HOMENS QUANDO NÃO CONTROLADOS PELO ESPÍRITO SANTO:

1. Amantes de si mesmos. (egoístas).

2. Avarentos. (Apego demasiado e sórdido ao dinheiro. Mesquinhez, sovinice).

3. Presunçosos. (Pretensiosos, vaidosos).

4. Soberbos. (Arrogante – NVI, orgulho excessivo; altivez, arrogância).

5. Blasfemos. (Palavra ofensiva à divindade ou à religião. Ultraje dirigido contra pessoa ou coisa
respeitável).

6. Desobedientes aos pais. (Efésios 6:2)

7. Ingratos. (Que não mostra reconhecimento).

8. Profanos. (Que não é sagrado ou devotado a fins sagrados. Não consagrado. Contrário ao respeito
devido à religião).

9. Sem afeto natural. (Sem amor pela família – NVI).

10. Irreconciliáveis. (Que não pode ser restabelecido de relações, entre duas ou mais pessoas que
andavam desavindas).

11. Caluniadores. (Imputação falsa a alguém de um fato definido como crime. Mentira, falsidade, invenção).

12. Incontinentes. (Sem domínio próprio – NVI. Pessoa imoderada nos apetites sexuais).

13. Cruéis. (1. Que se compraz ou não hesita em fazer sofrer. 2. Doloroso. 3. Sanguinolento. 4. Duro,
insensível.)

14. Sem amor para com os bons. (Inimigos do bem – NVI).

15. Traidores. (Quebra de fidelidade).

16. Obstinados. (Teimoso. Inflexível).

17. Orgulhosos. (Conceito muito elevado que alguém faz de si mesmo).

18. Mais amigos dos deleites do que amigos de Deus. (1. Grande prazer dos sentidos. 2. Grande prazer,
em geral. 3. Grande prazer sexual). Hedonismo.

19. Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. (1. Amor e respeito às coisas religiosas;
devoção, religiosidade. 2. Compaixão pelos sofrimentos alheios; pena, dó).

Pr José Fernandes Silva – 10/01/2007.

34
QUANDO NOSSOS SONHOS SÃO PROJETOS DE DEUS
“Pois ele lhes disse: Ouvi, peço-vos, este sonho que tive: Estávamos nós atando molhos no campo, e eis
que o meu molho, levantando-se, ficou em pé; e os vossos molhos o rodeavam, e se inclinavam ao meu
molho.” (Gênesis 37: 6-7)

1. A PRUDÊNCIA NECESSÁRIA PARA OS QUE SONHAM.


a) Os amados de Deus são vestidos de uma roupagem diferente. “Israel amava mais a José do
que a todos os seus filhos, porque era filho da sua velhice; e fez-lhe uma túnica de várias
cores.” (Gênesis 37:3)
b) Sonhos não podem ser instrumentos de provocações. “Pois ele lhes disse: Ouvi, peço-vos, este
sonho que tive:” (Gênesis 37:6)

2. AS DIFICULDADES DAS ETAPAS DA PREPARAÇÃO:


a) A solidão na cisterna velha. “e tomando-o, lançaram-no na cova; mas a cova estava vazia, não
havia água nela.” (Gênesis 37:24)
b) A humilhação de ser vendido a mercadores. “Ao passarem os negociantes midianitas, tiraram
José, alçando-o da cova, e venderam-no por vinte siclos de prata aos ismaelitas, os quais o
levaram para o Egito.” (Gênesis 37:28)
c) Próspero escravo na casa de Potifar. “José foi levado ao Egito; e Potifar, oficial de Faraó,
capitão da guarda, egípcio, comprou-o da mão dos ismaelitas que o haviam levado para lá.”
(Gênesis 39:1)
d) Encarcerado na prisão dos presos do rei. “Então o senhor de José o tomou, e o lançou no
cárcere, no lugar em que os presos do rei estavam encarcerados; e ele ficou ali no cárcere.”
(Gênesis 39:20)

3. OS PROPÓSITOS DA HUMILHAÇÃO.
a) Faz-nos conhecer nossas próprias limitações.
b) Tornar-nos dependentes de Deus. “E cingi-vos todos de humildade uns para com os outros,
porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.” (1° Pedro 5:5)
c) Faz-nos participante da benção de Deus. “Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus,
para que a seu tempo vos exalte” (1° Pedro 5:6)

4. OS PROPÓSITOS DA EXALTAÇÃO DO CRENTE.


a) Serve para a glorificação de Deus.
b) Serve de bênçãos para outras pessoas.

Pr José Fernandes Silva – 14/06/2006

35
UM PRESENTE BOM E PERFEITO
Texto: “Não vos enganeis, meus amados irmãos. Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto,
descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.” (Tiago 1: 16-17)

OS PRESENTES DE DEUS, OFERECIDOS GRATUITAMENTE AO HOMEM.

1. Seu Próprio Filho.


“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele
crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3: 16)

2. O Espírito Santo.
“E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Ajudador, para que fique convosco para sempre.” (João 14: 16)

3. A Palavra.
“Pois, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, porque me é imposta essa obrigação; e ai de
mim, se não anunciar o evangelho! Se, pois, o faço de vontade própria, tenho recompensa; mas, se não é
de vontade própria, estou apenas incumbido de uma mordomia. Logo, qual é a minha recompensa? É que,
pregando o evangelho, eu o faça gratuitamente, para não usar em absoluto do meu direito no evangelho.”
(1° Coríntios 9: 16-18)

4. A Salvação.
“Mas Deus, sendo rico em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, estando nós ainda mortos
em nossos delitos, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), e nos ressuscitou
juntamente com ele, e com ele nos fez sentar nas regiões celestes em Cristo Jesus, para mostrar nos
séculos vindouros a suprema riqueza da sua graça, pela sua bondade para conosco em Cristo Jesus.
Porque pela graça sois salvos, por meio da fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus; não vem das obras,
para que ninguém se glorie.” (Efésios 2: 4-9)

5. A Vida Eterna.
“Mas agora, libertos do pecado, e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a
vida eterna. Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo
Jesus nosso Senhor.” (Romanos 6: 22-23)

Pr José Fernandes Silva – 19/07/2006

36