Vous êtes sur la page 1sur 26

Tratamento de

Á
Água e Efluentes
f
Líquidos

Madalena Alves
REACTORES DE BIODISCOS
TAEL
Biodiscos

2 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL
Biodiscos

z Os biodiscos consistem numa série de discos


regularmente dispostos no mesmo veio rotativo
rotativo.
z Os primeiros foram instalados na Alemanha Ocidental
em 1960 e posteriormente foram introduzidos nos EUA.
Nos anos setenta construíram-se centenas de
unidades.
z Têm menos problemas operatórios que os tanques
percoladores, mas são mais caros. Em geral os discos
são feitos de p
plástico p
para serem mais leves.
z Normalmente os módulos dos discos são fornecidos em
dimensões standard: normalmente 3.5 m diâmetro e 7.5
m comprimento
comprimento.
z Rodam a uma velocidade de 1-2 rpm e estão
mergulhados entre 40 e 60% no efluente a tratar.

3 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL

4 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL
Biodiscos

z O biofilme forma-se na superfície dos discos e o


movimento
i t de
d rotação
t ã d dos didiscos ffaz com que
a biomassa contacte alternadamente com a
matéria
té i orgânica
â i d do efluente
fl t e com o oxigénio
i é i
do ar. Devido às forças de corte, o movimento
d rotação
de t ã ttambém
bé permite it a remoção ã ddo
excesso de sólidos aderidos aos discos. Estes
d
devem ser posteriormente
t i t eliminados
li i d d do
efluente final num clarificador.

5 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL Variaveis que afectam o funcionamento dos
RBC

z Velocidade de rotação
ç dos discos
z Tempo de retenção hidráulico
z Segmentação (nº de estágios)
z Temperatura
z Submersão dos discos
z Área dos discos

6 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL
Biodiscos

Se forem bem dimensionados, os RBC devem


ser mais
i eficientes
fi i t de d que os outros
t
processos de leito fixo. Os parâmetros a ter
em conta
t no projectos
j t dosd RBC são: ã

z Segmentação da unidades
z Carga orgânica e hidráulica
z Características de efluente
z N
Necessidade
id d ded clarificador
l ifi d

7 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL
Segmentação em RBC’s

z A compartimentalização dos RBC é conseguida pelo


uso de anteparos num único tanque
tanque, ou pelo uso de
tanques separados. A segmentação promove diferentes
condições operatórias que induzem o desenvolvimento
de diferentes organismos em cada andar. No caso de
efluentes complexos este aspecto pode ser
especialmente importante. A cinética do processo
também é favorecida pelo caracter pistão.

z A carga orgânica aplicada em cada andar é


decrescente Em aplicações no tratamento secundário
decrescente.
utilizam-se geralmente três a quatro andares, podendo
adicionar-se
adicionar se mais andares se se pretende nitrificação.

8 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL
Segmentação em RBC’s
z A carga orgânica aplicada em cada andar é
decrescente. Em aplicações
p ç no tratamento secundário
utilizam-se geralmente três a quatro andares, podendo
adicionar-se mais andares se se pretende nitrificação.

z Em instalações pequenas o veio de rotação é montado


paralelamente à direcção do fluxo, sendo os vários
conjuntos
j t de d di
discos separados
d por anteparos.
t

z Em instalações em maior escala


escala, os veios de rotação
são montados perpendicularmente ao fluxo, havendo
várias unidades em série. A alimentação pode ser
repartida ou escalonada.
escalonada

z Geralmente o material de construção


ç é de aço
ç ou
betão, sendo o aço preferível para pequenas unidades.
9 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003
TAEL
Possíveis configurações do processo

•Pequena
escala

•Escala
maior
i

10 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


Várias configurações de reactores de
TAEL
biodiscos

11 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL
Critérios de dimensionamento

z Inicialmente o projecto destes sistemas era baseado na


carga hidráulica (gal/ft2.d),
d) mas actualmente utiliza-se
utiliza se
um critério de carga orgânica, baseada na CBO solúvel
(lb CBO/103 ft2).

z Quando há sobrecargas orgânicas o Oxigénio


dissolvido diminui
diminui, a eficiência do 1º andar e do sistema
diminuem e geram-se maus odores devido à formação
de H2S. Desenvolve-se um organismo
g filamentoso
sulfato-redutor - Beggiatoa.

z Podem remover-se os anteparos entre os dois primeiros


andares para diminuir a carga superficial aplicada no
primeiro andar, fornecer ar ao sistema e reciclar o
efluente.
12 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003
TAEL
Critérios de dimensionamento

z Em muitos casos os fabricantes definem a carga de


CBO solúvel que pode ser aplicada no primeiro andar:
entre 12 e 20 g CBOsolúvel/m2.d (2.5 a 4.1 lb CBO
solúvel/103ft2.d). Normalmente pode considerar que a
CBO total é dupla da CBO solúvel.

z Para ocorrer nitrificação a CBO solúvel deve baixar a


valores da ordem dos 15 mg CBOsolúvel/L. Nos
andares posteriores desenvolve-se então uma
população nitrificante.

z A carga superficial de azoto que tipicamente é removida


num RBC situa-se
it em cerca de
d 15 gN/mN/ 2.d.
d
13 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003
TAEL
Critérios de dimensionamento

14 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL
Veio de rotação
z O veio de rotação tem dimensões variáveis entre 5 e 27 ft (1.52 e 8.2
metros). A forma e os detalhes de projecto variam segundo o fabricante.

z Os meios de enchimento, compostos por discos paralelos, podem ser


classificados de acordo com a densidade de área que apresentam
apresentam.

z densidade padrão- área de 100 000 ft2/27ft (9300 m2/8.23 m)de veio 1ºs
andares ((> espessura
p de biofilme))

z densidade média - área de 120 000 ft2/27ft de veio andares do meio

z densidade elevada - área de 180 000 ft2/27ft de veio últimos andares (<
espessura de biofilme).

z A rotação do veio pode ser mecânica ou accionada pelo ar ar. Neste caso
existem uns recipientes na periferia dos discos e um compressor que força
a entrada de ar nesses recipientes, induzindo a flutuação e provocando a
rotação do veio. A velocidade de rotação pode ser regulada.

15 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL
Sistema de captura de ar

16 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL
Volume do RBC

z O volume é normalmente 0.0049 m3/m2 (0,12


l/ft2) de
gal/ft d áárea d
dos di
discos. P
Para um sistema
i t
com 9300 m2 requer-se um volume de 45 m3.
C
Com b
base neste
t valor,
l é necessário
á i um ttempo
de retenção de 1.44 horas para aplicar uma
carga hidráulica
hid á li dde 0 08 m3/m
0.08 / 2.d.
d
z A profudidade de líquido típica é de 1.5 m para
40% de submersão dos discos.

17 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL
Problemas operatórios

z Falha do veio de rotação - projecto


d
desajustado,
j t d fadiga
f di dod metal,
t l acumulação
l ã
de excesso de biomassa nos discos.
z Quebra dos discos - exposição a calor,
solventes orgânicos ou radiação ultravioleta
z Odores - Sobrecarga no primeiro andar

z Devem proteger-se os discos de PVC da


acção dos raios ultravioleta,
ultravioleta das baixas
temperaturas, de danos físicos e controlar o
crescimento de algas no processo
processo.
18 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003
TAEL
Projecto de RBC

•Modelo
ode o desenvolvido
dese o do po por Opat
Opatken
e (US
(USEPA,, 1985)
985) foi
o
convertido para unidades S.I. por Grady e Lim (1999)

⎛ AS ⎞
−1 + 1 + 4 × 0.00974 × ⎜ ⎟ S n −1
⎝Q ⎠
Sn =
⎛ AS ⎞
2 × 0.00974 × ⎜ ⎟
⎝Q⎠
•Em que
•Sn – concentração de CBO solúvel à saída do andar n
n, mg/L
•As – área dos discos no andar n, m2
•Q – caudal,, m3/d

19 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL
Projecto de RBC

•A equaçãoa
anterior
te o apaplica-se
ca se ape
apenas
as à fracção
acção so
solúvel
ú e
da CBO. Pode considerar-se que CBOs=50% CBOtotal

•1 – determinar
d t i a CBO
CBOsolúvel
lú l à entrada
t d e à saída
íd
•2
– determinar a área dos discos para o 1º andar, baseada na carga
máxima de 12 a 20 g CBOsolúvel/m2.dia
•3– determinar o número de veios necessários, utilizando sistemas de
densidade padrão (9300 m2/veio
•4– seleccionar o número de séries de andares para o projecto, o caudal
por série, o número de andares e a área/veio em cada andar (para os
andares menos carregados em carga orgânica podem usar-se maiores
d
densidades
id d d de di
discos
•Calculara CBO solúvel em cada andar e verificar se se obtém a
ç p
concentração pretendida. Se não,, alterar o número de andares ou o número
de veios por andar ou a densidade dos discos.

20 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL
Projecto de RBC - exemplo

z Dadas as seguintes condições, desenhar um


sistema
i t de
d RBC para efectuar
f t o ttratamento
t t
z Caudal: 4000 m3/dia
z CBO total entrada: 140 mg/L
z CBO total saída: 20 mg/L
z CBO solúvel entrada: 90 mg/L
z CBO solúvel
lú l saída:
íd 10 mg/L /L
z Sólidos suspensos totais à entrada: 70 mg/L
z Sólidos suspensos totais à saída: 20 mg/L

21 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL
Projecto de RBC - exemplo

z Para determinar o número de séries, começam por


determinar se o número de veios para o 1º andar
determinar-se andar.
Assumindo uma carga de 15 g CBOs/m2.dia:

⎛ gCBOs ⎞ m3
⎜ 90 ⎟ × 4000
Área requerida= ⎝
m3 ⎠ dia
= 24000m 2
gCBOs
15 2
m .dia

•Considerando 9300 m2/veio, serão necessários

24000m 2
= 2.6
2 6 •veios
9300

22 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL
Projecto de RBC - exemplo

z Usar 3 veios com 3 andares cada. O caudal por veio


será :
m3
4000
dia m3
= = 1333.3
3 di
dia

•Para
sedimentador
secundário

23 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL
Projecto de RBC - exemplo

z Calcular a concentração de CBO solúvel em cada


andar
⎛A ⎞
−1 + 1 + 4 × 0.00974 × ⎜ S ⎟ S0
⎝Q ⎠
S1 =
⎛A ⎞
2 × 0.00974 × ⎜ S ⎟
⎝Q⎠

•S0=90 mg/L
⎛ AS ⎞ 9300m 2
⎜ ⎟ = 3
= 6.97d / m
⎝Q ⎠ 1333.3 m
dia

−1 + 1 + 4 × 0.00974 × 6.97 × 90
S1 = = 29.8mg / L
2 × 0.00974 × 6.97

•Repetindoo cálculo para os andares 2 e 3 obtém-se


S2=14.8
=14 8 mg/L e S3=9.1
=9 1 mg/L
mg/L.

24 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL
Projecto de RBC - exemplo

z Como o objectivo era obter 10 mg/L o resultado é


adequado

z Pode recalcular
recalcular-se
se a carga no 1º andar
andar, carga
orgânica global e carga hidráulica

m3 g
4000 × 90 3
Lorg = dia m = 12.9 gCBOS
3 × 9300 m 2 m 2 .dia

m3 g
4000 ×140 3
dia m = 6.7 gCBOS
g
Lorg l b l=
global 6 7
3 × 3 × 9300 m 2 m 2 .dia

m3
4000
dia m3
C
Carga hid á li =
hidráulica = 0.05
0 05 2
3 × 3 × 9300 m 2 m .dia

25 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003


TAEL
Projecto de RBC - exemplo

z Como o objectivo era obter 10 mg/L o resultado é


adequado

z Pode recalcular
recalcular-se
se a carga no 1º andar
andar, carga
orgânica global e carga hidráulica

m3 g
4000 × 90 3
Lorg = dia m = 12.9 gCBOS
3 × 9300 m 2 m 2 .dia

m3 g
4000 ×140 3
dia m = 6.7 gCBOS
g
Lorg l b l=
global 6 7
3 × 3 × 9300 m 2 m 2 .dia

m3
4000
dia m3
C
Carga hid á li =
hidráulica = 0.05
0 05 2
3 × 3 × 9300 m 2 m .dia

26 Licenciatura em Engenharia Biológica Madalena Alves 2003