Vous êtes sur la page 1sur 30

"A coisa mais indispensável a um homem é reconhecer o uso que

deve fazer do seu próprio conhecimento".


Platão

A
o longo de nossa breve trajetória maçônica, temos acadêmicos maçons dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo
visto muitos Irmãos adentrarem a nossa Ordem. e de Minas Gerais. Tudo isso, muito antes de sua realização,
Desses, alguns saem desapontados, pois deu-nos, a tranquilidade para afirmar, sem medo de errar,
esperavam encontrar uma instituição composta por que seria, como pôde ser confirmado, mais um enorme
pessoas perfeitas, ricas em virtudes, esbanjando sucesso.
qualidades, e, em verdade, não é esse, nem nunca foi ou
A Revista Arte Real comprometida em tratar a cultura
será, o retrato mais fiel da Maçonaria ou de qualquer outra
maçônica com a seriedade que merece, não poderia, jamais,
instituição, por envolver pessoas.
deixar de se unir a esse belo trabalho, dando-lhe prestimoso
Somos uma Escola de Aperfeiçoamento e não de apoio. Para tanto, comprometemo-nos em criar esta edição
aperfeiçoados. Estamos, a cada dia, buscando aparar especial bilíngue (português/inglês), a fim de difundir a todos
nossas arestas, afinal, pedras são buriladas através do os nossos 15.000 leitores do Brasil e do exterior, não apenas, o
atrito, sendo a tolerância o ingrediente fundamental resumo das doze palestras proferidas, mas também, o belo
para que esse processo tenha êxito. A falta dela faz com exemplo de comprometimento desses valorosos Irmãos do Sul
que muitos entrem para a Maçonaria, mas não permite de Minas Gerais na busca da excelência, nos mais diversos
que a Maçonaria entre dentro aspectos, como: a cultura, a
deles, e logo, saem porta afora. integração da Família Maçônica, o
respeito e a atenção merecidos para
Optamos por iniciar esse
com as Ordens Para-Maçônicas,
Editorial nos utilizando desse
DeMolay e Filhas de Jó, além de
enunciado, a fim de tentar
especial atenção para as nossas
exprimir de forma cristalina, o
Cunhadas, que puderam contar com
valor de alguns Irmãos que,
uma programação exclusiva.
comprometidos em encontrar
soluções, dedicam-se a Percebemos uma grande
desenvolver ações que elevem tendência no crescimento da
nossa Ordem a excelência de realização desses Encontros
suas atividades, ao invés de Culturais por todo o Brasil. Isso é
lamentar situações ou de criticar muito positivo e engrandecedor
os que vêm tentando fazer algo para nossa Ordem. Todos crescem e
de útil, ou até, mesmo, de saírem ampliam, em muito, suas
da Maçonaria, antes que Ela consciências com esse intercâmbio.
tenha tido a oportunidade de
Em nossa Vereda Iniciática,
entrar dentro deles.
pudemos assimilar que o
Chamo atenção para aprendizado, em si, somente é
aqueles que se dedicam, em especial, a cultura maçônica. assimilado de forma completa após se cumprir três fases
Não, apenas, em adquiri-la, mas, também, em criar distintas: a primeira, quando o adquirimos através do estudo
oportunidades para que todos possam saciar a sede do e da pesquisa; a segunda, quando o colocamos em prática,
saber. Um bom exemplo disso poderemos encontrar no no teatro de nossas vidas; a terceira, quando,
Sul do estado de Minas Gerais (Brasil), onde abnegados altruisticamente, repassamos ao próximo.
Irmãos, convictos da nobreza desse altruístico trabalho,
Queridos leitores, ao longo desta edição, brindamos-
organizam, anualmente, os Encontros Maçônicos Sul-
lhes com a terceira fase do aprendizado, na certeza de
Mineiro.
estimulá-los a participarem, ou quiçá, de se unirem e
Neste ano foi realizado sua segunda edição, organizarem em suas regiões, Encontros Maçônicos, a
mantendo o alto nível e consequente sucesso do ano exemplo dos valorosos Irmãos Sul-Mineiros, que ao
anterior. Acrescenta-se, ainda, a grande estrutura defrontarem com um “limão” enxergaram uma boa
organizacional montada para esse ano, além de criteriosa oportunidade de fazerem uma deliciosa limonada!
escolha do local e dos palestrantes convidados,
Façamos, sempre, melhor Maçonaria! ?
envolvendo renomados pesquisadores, escritores e

a b
Comissão Organizadora da Augusta e Respeitável Loja Simbólica
Fraternidade Cleuton Cândido Landre nº 298 – Oriente de Alfenas-MG - GLMMG

“Eu não vivo do passado, é o passado que vive em mim”


Autor desconhecido

D
everia ser bastante tranquilo fazer a apresentação de um tão bom que ficou difícil não ter um Segundo Encontro Maçônico.
Encontro Maçônico. Afinal, estamos entre Irmãos, em Agora, com a experiência do primeiro, e não mais do
família, debatendo temas que ao final nos tornarão mais único Encontro Maçônico, aumentaram as responsabilidades. E
polidos, melhores homens e pais de família. Ou seja, nos Deus, o Supremo Arquiteto do Universo, nos presenteou com o
confraternizando, conversando, e nos transformando de apoio da UNIFENAS (nossos sinceros agradecimentos a toda a
homens livres e de bons costumes em homens melhores, ainda. Instituição na pessoa de sua Reitora Profª Drª Maria do Rosário
Mas tem um porém, e, sempre, tem um porém. Como Velano) e de diversos Irmãos. Assim, coube a “Cleuton” ser,
sermos fiéis a debatedores de tão alto nível? Conseguiremos, apenas, a catalisadora de tão poderosas energias, para que
aqui, em tão pouco espaço sermos justos com o trabalho que nascesse este 2º Encontro Maçônico do Sul de Minas. O que vocês
esses Irmãos desenvolvem há tantos anos, e que, agora nos vêm, viverão durante este 2º Encontro não é o resultado do trabalho de
graciosamente, ofertar? Seremos justos ao apresentarmos a uns poucos Irmãos, mas de toda a Família Maçônica. E, citando
delicadeza e a força que se apresenta no alvorecer da juventude Neruda: “Eu tenho tantos Irmãos, que não os posso contar”...
das Filhas de Jó? Seremos justos com a alegria e firmeza Neste 2º Encontro o tema será “Influências na
apresentada nos trabalhos dos DeMolay? E seremos justos ao Maçonaria”. Afinal, como diz o Poeta Paulinho da Viola, na
falarmos do apoio e dedicação apresentado pelas Cunhadas no música “Dança da Solidão”: “quando penso no futuro, não esqueço
dia-a-dia? meu passado”. E, assim, poderemos passear pelas filosofias da
A ARLS Fraternidade Cleuton Cândido Landre é uma Pérsia, Egito, Grécia, até os dias atuais. O Objetivo continua a ser o
jovem, ainda. Completará 5 anos, em breve. E todos estão mesmo encontrado sobre o pórtico do antigo Templo dedicado a
convidados para retornar a Alfenas para essa comemoração, Apolo, em Delfos: “Conheça-te, a ti mesmo!” Como? Com estudo e a
que, como a própria Loja, será modesta e carinhosa. E, sendo colaboração desses sábios Irmãos, continuadores das tradições
jovem, tem o vigor e impetuosidade típicos dos jovens. Durante desses tempos imemoriáveis.
suas reuniões, e nas reuniões após as reuniões, surgiu a ideia de Os textos que encontrarão nesta revista são o resultado
um ciclo de palestras, que pudesse melhorar um pouco o de um esforço hercúleo de síntese feito por esses Irmãos. É
conhecimento sobre a Ordem Maçônica, e, portanto, sobre nós necessário que se gravem as ideias! Mas é impossível que se
mesmos. E veio a proposta de convidarmos palestrantes de fora, concentre em tão pouco espaço tanta energia. E, assim, o que
e, junto, fazer-se uma confraternização: um Encontro Maçônico. vocês veem aqui é mais um chamado, um estímulo a que
Assim, ano passado foi realizado um Encontro continuem essa agradável e árdua tarefa de estudos, e não o
Maçônico. Não o primeiro, apenas, um Encontro. Mas a resultado final, pronto e acabado. Aproveitem a chance.
receptividade foi muito boa e descobrimos que as ansiedades Divirtam-se com o aprendizado.
encontradas no seio da “Cleuton” eram as mesmas de outras Sejam bem-vindos!
Lojas. O resultado da brincadeira daquela “jovem” de 5 anos, foi Comissão organizadora. ?
a b

Capa – 2º Encontro Maçônico Sul-Mineiro....................Capa A Influência Templária...............................................................15


Templária...............................................................15
Editorial.....................................................................................2
Editorial.....................................................................................2 A Influência Judaica....................................................................18
Comissão Organizadora – Apresentação.............................3 A Influência Religiosa......................................….......................21
A Influência Francesa.............................................................................4
Francesa.............................................................................4 A Influência Americana..............................................................24
A Influência Inglesa....................................................................5
Inglesa....................................................................5 Influência Persa e Egípcia...........................................................................27
A Influência Greco-Romana.......................................................8
Greco-Romana.......................................................8 O REEA no Brasil.........................................................................................30
Brasil.........................................................................................30
A Influência Rosa-Cruz................................................................
Rosa-Cruz................................................................11 11 Ficha Técnica................................................................................30
Benedito José Canturelli – 33º – MI da ARLS União e Liberdade nº 2.453 - GOB-SP
Oriente de Ribeirão Preto-SP - Membro da Assembleia Federal Legislativa do GOB

A
Maçonaria em sua simbologia e liturgia princípios, apregoa a evolução através do aprimoramento
absorveu elementos de diversas culturas, que são espiritual e cultural, lutando contra as paixões, sendo que
aplicados na formação de seus membros, através de alguns ritos, absorveu em suas diversas correntes,
adotando, principalmente, os de cunho religioso, sendo elementos ocultistas, esotéricos e simbólicos de culturas
essa “religiosidade” adotada antes de sua organização milenares. Mas o Rito Moderno, com sua origem em 1761,
corporativa, a partir de 1.717, com a Grande Loja Unida de foi criado com o mesmo intuito da Maçonaria Francesa de se
Londres, pois os chamados Pedreiros Livres prestavam libertar do domínio da Maçonaria Inglesa, o que permite
serviços a organizações religiosas, que os obrigavam a afirmar que o Rito Moderno é o que mais segue a
seguir seus preceitos, frequentando seus cultos, e Constituição de Anderson, original de 1.723, e o único a
professando sua fé, sob pena de heresia, tornando adotá-la. O artigo primeiro, referente a Deus e à Religião, foi
obrigatória a crença em uma entidade suprema. modificado em 1.738, sendo restabelecido e reformado várias
Devido a essa particularidade, a vertente teísta, vezes pela Grande Loja da Inglaterra, originalmente, deista,
maior grupo da Maçonaria com os ritos: Rito Escocês o qual dizia:
Antigo e Aceito, Rito Adonhiramita, Rito de York “Um maçom é obrigado pela sua dependência à Ordem, a
(Emulation Rite), dá o cunho de "crentes" a seus adeptos, obedecer a Lei Moral: e se bem entende a Arte, nunca será um Ateu
pois por força da Constituição estúpido, nem um irreligioso
de Anderson, modificada em libertino. Porém embora nos tempos
1851, os Maçons são antigos os maçons fossem obrigados,
obrigados a aceitar como em todos países, a seguir a religião
divindade o Grande Arquiteto daquele país ou daquela nação,
Do Universo, que é Deus. qualquer que ela fosse,
Já na vertente deísta, presentemente se julgou mais
de origem francesa e conveniente não obrigá-lo, sendo
representada pelo Rito para com a religião na qual todos os
Moderno, a entidade suprema homens estão de acordo, deixando a
não é declarada. Essa vertente cada um as suas opiniões pessoais.
pode ser denominada Essa religião consiste em serem
agnóstica, pois prega a Homens bons e sinceros, homens
existência de uma ordem de honrados e probos, quaisquer que
realidade incognoscível, possam ser as denominações ou
desconsidera a Metafísica, e tem a posição metodológica crenças que possam distingui-los: motivo pelo qual a Maçonaria há
de aceitar como verdadeiras, apenas, as proposições de tornar-se o Centro de União e o meio de conciliar, por uma
comprovadas ou de evidência lógica satisfatória. Portanto, amizade sincera, pessoas que estariam perpetuamente separadas”.
refuta a Gnose, a qual apresenta-se como conhecimento Em 1.815, depois do Tratado de União entre os
esotérico e perfeito da divindade, de forma que, pelo maçons antigos e os modernos, a Grande Loja Unida da
agnóstico, não pode ser aceita por, obviamente, não ser Inglaterra alterou este artigo , com a seguinte redação teísta:
conhecida nem comprovada. “Um maçom é obrigado pela sua dependência, a obedecer a
O biólogo Thomas Henry Huxley, em 1876, Lei Moral; e, se bem entende a Arte, nunca será um Ateu estúpido,
definiu o agnóstico como alguém que nega tanto o ateísmo nem um irreligioso libertino. De todos os homens, deve ele
quanto o teísmo e acredita que a questão da existência de compreender melhor que Deus vê de maneira diferente do homem:
uma força superior não foi e nunca poderá ser resolvida. A pois o homem vê a aparência exterior, enquanto Deus vê
vertente francesa usa quase toda simbologia maçônica dos coração.....Qualquer que seja a religião de um homem ou sua
ritos teístas, mas sua interpretação é baseada nos próprios maneira de adorar, não será excluído da Ordem, contanto que creia
conceitos deístas e racionais. no glorioso arquiteto do céu e da terra, e que pratique os deveres
Embora dita evolutiva, a Maçonaria, em seus sagrados da moral”.
Portanto, a diferença entre a Constituição de 1.723 Stuart, não existindo nenhum documento que comprove que
e a de 1.815, é o teísmo introduzido no artigo primeiro Stuart ou alguém de sua família tenha estado por lá.
referente a Deus e à Religião. O novo texto é, - Alec Mellor afirma que Carlos Eduardo nunca foi
frontalmente, contrário à livre determinação, sendo Maçom, mas inimigo ferrenho da mesma, suspeitando que
contrário ao que a Maçonaria apregoa. tenha sido um dos fomentadores da Encíclica IN EMINENTI,
A história da Maçonaria está relacionada, contra a Maçonaria.
diretamente, com potências ocidentais dominantes na - Em 1761, o Rito Moderno foi criado com intuito dos
época da criação da Maçonaria Especulativa, deixando de franceses se libertarem do domínio da Maçonaria Inglesa.
lado a Operativa, cujo foco formativo, sempre, foi a - Em 1781 foi criado o Rito Adonhiramita.
religiosidade. Conclusão:
A Inglaterra e a França foram palco, em épocas Deista? Teista? Agnóstica?
diferentes, de revoluções que mudaram a cultura vigente: Discussão irrelevante, pois a Maçonaria se intitula,
a Inglaterra, em 1660, a França, em 1780, momentos em pela força constitucional de seus princípios, como uma
que personagens maçônicos tiveram grande participação, Instituição Filosófica, Progressista e Evolucionista, que luta
mas devemos levar em consideração que, o mundo contra a ignorância, fanatismo, superstições, adotando a
mudou em função dos pensadores e não dos maçons. tolerância como bandeira, primando pela Liberdade (isso
Quando nos referimos aos ritos, a influência da significa dizer que o homem é livre em pensar) e Igualdade
França foi marcante e profícua, sendo que dos seis ritos (independente de sua opção religiosa) as quais determinam a
praticados hoje no Brasil, três possuem origem francesa Fraternidade.
(Perfeição/REAA, Moderno ). Assim, devemos considerar o fato de todos serem
Algumas informações complementares: iguais, independentemente de suas posturas religiosas,
- Rito de Perfeição, criado em 1743, e em 1801 podendo realizar e participar do tão apregoado exemplo
transformado no Rito Escocês. maçônico.
- Em 1747 foi criado o Rito do Capítulo Primórdio Destarte, podemos dizer que essa é a herança
dos Rosa-Cruz, Jacobita de Arras. Alguns autores atribuem francesa - liberté, égalité, fraternité, ponto principal de apoio
este rito ao pretendente do trono Inglês, Carlos Eduardo da Maçonaria moderna. ?
a b

Denizart Silveira de Oliveira Filho – MI – 33º – ARLS Igualdade nº 93 – GLMERJ


Oriente do Rio de Janeiro – Escritor e Acadêmico

E
inegável a influência inglesa na Maçonaria sistema “Grandes Lojas”, para o resto da Europa e do
Universal, não só a Simbólica, como também, a mundo, deu-se logo em seguida e muito rapidamente; 2º) No
dos Altos Graus dos Corpos Filosóficos, conjunto dos Princípios Fundamentais e Doutrinários da
principalmente do Rito de York, mas também, do Rito Ordem, hoje presentes na Maçonaria de todas as Potências e
Escocês Antigo e Aceito, embora de forma indireta. Ritos, em todo o mundo; 3º) Nos Sistemas filosóficos Teísta e
Essa influência inglesa encontra-se: 1º) na própria Deísta de alguns Ritos. No Rito de York, praticado em
Origem, Institucionalização e Expansão da Maçonaria que, muitos países.
segundo a Escola do Pensamento Maçônico, chamada Na Origem, Institucionalização e Expansão da
“Autêntica”, se deu na Inglaterra em duas fases: Maçonaria
primeiramente na forma Operativa, formada pelas Charles Webster Leadbeater, em seu livro “Pequena
corporações, ou Guildas, de profissionais da arte de História da Maçonaria”, nos informa que “existem quatro
construção, depois, transformando-se na Maçonaria principais escolas ou tendências do pensamento maçônico”: A
Especulativa, formada por Maçons Aceitos: filósofos, Escola Autêntica, pela qual a Maçonaria teve origem nas
artistas, cientistas, livres-pensadores. Sua guildas operativas inglesas de construtores da Idade
Institucionalização ocorreu, quando da formação da Média, sendo que os elementos especulativos foram
primeira Potência Maçônica do Mundo, a Grande Loja da enxertados no tronco operativo; A Escola Antropológica, pela
Inglaterra, e dotada das Constituições de James Anderson qual a Maçonaria teve origem nos Antigos Mistérios
e Jean Théophile Désaguliers. Sua expansão bem como do Iniciáticos de muitos povos e nações primitivas do mundo;
A Escola Mística, pela qual a Maçonaria, também, tem obreiros europeus adquiriram dos obreiros nômades do Oriente,
parentesco com os mistérios iniciáticos, menores e conhecimentos de arquitetura que ignoravam, aperfeiçoando,
maiores, das antigas religiões e Escolas pré-cristãs, dos assim, a arte de construir. Além disso, também, receberam
egípcios, persas, gregos, judeus, romanos, celtas instruções a respeito de novas formas de associações. Se
eescandinavos; A Escola Oculta (ou Sacramental), pela qual a remontarmos a época de Tiro, poderemos sentir que a
Maçonaria deriva dos antigos Mistérios egípcios. Nela se organização que Hiram Abif imprimiu aos trabalhos da
incluem a antiga Escola de Pitágoras, a Filosofia Secreta de construção do Templo de Salomão, há de ter permanecido no
Henrique Cornélio Agrippa, a Filosofia de Paracelso, a Oriente, conservada, ciosamente, de pai para filho. De volta à
Ordem Rosa-Cruz de Christian Rosenkreutz e a Europa, ao final do século XI e começo do século XII, aqueles
Maçonaria Egípcia de Cagliostro. artífices trouxeram do Oriente novos métodos de construção,
Entretanto, sem a pretensão de discordar do agrupando-se em associações, como garantia de preservar,
emérito Irmão Leadbeater, ousamos acrescentar três exclusivamente, para si, os novos segredos.
outras Escolas do Pensamento Maçônico, quanto às Na Inglaterra, as associações profissionais de
origens da Maçonaria, ainda que, em sua fase operativa: construtores, surgiram no século III. Carausius, depois de se
Escola ou Maçonaria Operativa Pompílica, apoderar da Grã-Bretanha, no ano 290,
pela qual Numa Pompilio, segundo rei fundou, em Verulam, hoje, Hertfordhire,
de Roma, a teria fundado em 714 a.C., uma importante sociedade de
através de seus Colégios, chamados construtores romanos, baseada nos
“Collegias fabrorum”, corporações “Collegias Fabrorum” (Colégios de
operárias de ferreiros, carpinteiros, Construtores Romanos). A existência na
fabricantes de armas, pedreiros, Inglaterra dessa corporação romana, não
flautistas e arquitetos; Escola ou deve causar espanto. Cada uma das
Maçonaria Templária, pela qual a Ordem, Legiões Romanas trazia um “Colégio” ou
teria sido criada pelos remanescentes “Corporação” de artífices, com a finalidade
dos Templários ou Cavaleiros da Ordem de implantar na terra conquistada o
do Templo, na Abadia de Mont-Serrat, germe da civilização romana. Morto
em Barcelona, Espanha, em 1514, certos Carausius, em 293, seu sucessor
200 anos após a morte de seu último Constance Chloro estabeleceu uma
Grão-Mestre oficial, Jaques De Moley, residência em Eboracum, hoje York, onde
assassinado pelo rei de França, Filipe, o atraiu as mais importantes sociedades
Belo, em conluio com o Papa Clemente V; Escola ou maçônicas de construtores. Na época, os Maçons operativos,
Maçonaria Bíblica, pela qual, segundo alguns, a Maçonaria à exemplo dos artífices dos “Collegias Fabrorum”, celebravam
teria sido fundada por Hiram Abif, arquiteto do Templo as festas pagãs dos Solstícios: a “Janua Inferni” e a “Janua
de Salomão (Maçonaria Adoniramita), e segundo outros, Coeli”. No século VI, os monges Beneditinos converteram os
pelo próprio Rei Salomão, durante a construção do anglo-saxões ao cristianismo; os maçons, também,
Grande Templo de Jerusalém (Maçonaria Salomônica). abandonaram o paganismo. Até hoje, o ingresso na
Considerando a milenar origem da Maçonaria, Maçonaria Inglesa é privilégio cristão. As assembleias
deixaremos de lado, as sociedades secretas e místicas da maçônicas passaram a ser presididas por abades, que
antiguidade e nos fixaremos, somente, nos aspectos que recebiam, por respeito, o título de “Veneráveis Mestres”, título
podem ser, facilmente, comprovados, através dos mais conservado até nossos dias nas Lojas Maçônicas.
antigos documentos, hoje, preservados. A corporação tomou o título de Confraternidade de
A Maçonaria Simbólica com seus Graus de São João; suas assembleias, receberam o nome de Lojas de
Aprendiz e Companheiro, tem origem certa na Europa, São João”; festejavam os Solstícios pelo São João de Verão e
nas antigas corporações de pedreiros, por ocasião do São João de Inverno. Em 926, o Príncipe Edwin, irmão do Rei
movimento das Cruzadas. No ano de 1095, 600.000 de Inglaterra e Grão-Mestre da Corporação, convocou todas
homens formaram as Cruzadas para a libertação do as Lojas para uma “Assembleia Geral”, na cidade de York e
Túmulo de Jesus, em Jerusalém. Entre esses 600.000 as submeteu a aprovação de uma Constituição; a “Carta de
homens havia milhares de artífices. York”, base posterior a todas as “Associações Maçônicas”. No
O século XI, na Europa, foi marcado pelas século VIII, pelo ano de 700, a Confraternidade passou à
construções, em estilo gótico, de grande número de Escócia, através de Maçons de York, que para lá se
Igrejas, Catedrais e Palácios, custeadas pelos Templários transportaram, com o intuito de estudar os modelos
das Cruzadas, inspirados na religião. Em Jerusalém, os de arquitetura Escocesa, então, muito florescente.
Eles se localizaram em dois castelos, onde os Quem dirige a Grande Loja de fato é o “Pró Grão Mestre”. O
Mestres passaram a realizar as suas assembleias, sendo sistema de admissão de novos membros é feito da seguinte
denominados de Mestres do Vale ou Mestres Escoceses. No forma: o apoiador apresenta a intenção de convidar um
ano de 1140 construíram a abadia de Kilwinning. Em 1150, determinado amigo em reunião administrativa, sendo a
construíram na abadia a Loja-mãe de Kilwinning, ainda, em proposição aprovada ele em seguida faz o convite, caso
atividade até hoje. Porém, nos séculos XVI e XVII, essa contrário o candidato não saberá jamais.
Maçonaria incipiente da Europa, constituída das O Fundo de Beneficência (Karitas) da Grande Loja
Corporações Profissionais, perdeu força porque o estilo Unida da Inglaterra (GLUI) é muito forte, com atuação
gótico foi substituído pelo estilo Renascentista, além do marcante, tanto no mundo profano quanto para os Maçons.
que passou a sofrer duras perseguições políticas e Princípios Fundamentais e Doutrinários da
religiosas por parte da Igreja Romana. Maçonaria Universal
Na Inglaterra, a Maçonaria Operativa, prevendo Percebe-se, facilmente, a influência, agora da
sucumbir-se pelos mesmos motivos, passou a admitir em Maçonaria Inglesa, na Maçonaria Universal, nos Princípios
seu seio homens proeminentes, filósofos, livres Fundamentais e Doutrinários da Ordem, uma vez que estes
pensadores, cientistas, misantropos, intelectuais, que estão, diretamente, baseados nas Constituições dos pastores
transformaram a Corporação em um todo simbólico, ou James Anderson e Désaguliers. São eles:
seja, a Maçonaria Operativa transformou-se em Maçonaria (1) A Maçonaria proclama, como sempre proclamou desde
Simbólica, adaptando seus a sua origem, a existência de um
métodos de trabalho e as suas Princípio Criador, sob a denominação
Constituições. Daquela data em de G∴A∴D∴U∴.
diante, a Maçonaria Simbólica (2) A Maçonaria não impõe
ligou-se a interesses políticos, nenhum limite à livre investigação da
criou o Terceiro Grau (o de Verdade e é para garantir a todos essa
Mestre-Maçom) e prosperou, liberdade que exige, de todos, a maior
espalhando-se por toda a Europa. tolerância.
Foi em Londres, em 24 de (3) A Maçonaria é acessível
junho de 1717 que se formou a aos homens de todas as classes sociais
primeira Grande Loja Maçônica e de todas as crenças religiosas e
do mundo. E data de 1813 a preferências políticas, exceção àqueles
criação da Grande Loja Unida da que privem o homem da liberdade de
Inglaterra (GLUI). Exatamente, na consciência, restrinjam os direitos e a
Inglaterra, berço do dignidade da pessoa humana.
Protestantismo, onde o rei (4) A Maçonaria tem por fim
Henrique VIII erguera-se contra o combater a ignorância; é uma escola
Vaticano, fundando a Igreja que impõe: obedecer às leis do país,
Anglicana. Por esse motivo, amar o próximo, trabalhar pela
grande parte dos Maçons Aceitos felicidade do gênero humano.
era protestante, e, no ano de 1723, (5) Reconhece a prevalência
quando é promulgada a 1a do Espírito sobre a Matéria, e afirma
Constituição Maçônica (elaborada o princípio cardeal da tolerância
pelo reverendo anglicano James Anderson, juntamente, mútua, para que sejam respeitadas as convicções, a dignidade e a
com o Físico e, também, pastor Jean Théophile autonomia do indivíduo como personalidade humana.
Désaguliers), a Maçonaria concede a seus integrantes (6) Aceita a existência da Alma, e, subsidiariamente a esta
liberdade de culto, exigindo, apenas, a crença em um Deus crença, a da vida futura.
Único: “O Grande Arquiteto do Universo”. (7) A Bíblia, denominada Livro da Lei ou Livro Sagrado,
Eis a origem da Maçonaria Simbólica, que tomou deve estar, obrigatoriamente, presente na Loja, sobre o Altar,
os ritos misteriosos das lendas da época da construção do durante os trabalhos, posto ser a principal peça litúrgica da Loja
Grande Templo de Jerusalém, espiritualizando-se. Maçônica.
Na Maçonaria Inglesa não há eleição em Loja. A par destes Princípios Normativos, ou Declaração de
Existe a carreira e o Grão-Mestre é cargo vitalício, sempre, Princípios, a Maçonaria proclama, também, as seguintes
ocupado por um nobre, sendo o atual o Duque de Kent. doutrinas, sobre as quais se apoia:
“Para elevar o homem aos próprios olhos e torná-lo digno vida de acordo com sua crença religiosa, que deve ser monoteísta,
de sua missão sobre a Terra a Maçonaria erige em dogma destacando-se o caráter transcendental da Divindade.
que o G∴A∴D∴U∴ deu ao mesmo, como o mais Deísmo é a crença em Deus e na Religião Natural,
precioso dos bens, a liberdade, patrimônio da por exigência da razão, mas com rejeição de toda a ideia de
Humanidade inteira, cintilação celeste que nenhum poder revelação Divina através da história. No Teísmo: (1) Deus é o
tem direito de obscurecer ou de apagar, pois é a fonte de princípio criador ou causa primária do mundo, identificado
todos os sentimentos de honra e de dignidade”. com a natureza; (2) o G∴A∴D∴U∴ é destituído de
“Desde o primeiro grau até a obtenção do mais elevado atributos morais e intelectuais, aspectos essencialmente
grau da Maçonaria, a condição primordial, sem a qual nada se humanos. O Teísta: aceita os dogmas da religião natural,
concede ao aspirante, é a reputação de honra ilibada e de porém, revelados pela razão, como uma lei, e não pela
probidade inconteste”. história religiosa; não aceita a doutrina cristã da igreja; não
“Aquele para quem a religião é o supremo consolo, a aceita as figuras do pecado, do mal, da redenção, por se
Maçonaria diz: cultiva sem cessar, tua religião, segue as tratarem de aspectos fora da razão.
aspirações de tua consciência; a Maçonaria não é uma religião, Considerando-se os diversos aspectos filosóficos do
não tem um culto, quer a instrução leiga; sua doutrina Teísmo e do Deísmo, os Ritos mais praticados no mundo,
condensa-se toda nesta máxima: Ama Teu Próximo”. foram classificados, inicialmente, como: Deístas:
O Teísmo e o Deísmo nos Ritos Maçônicos Adoniramita (criado pelo Barão de Tschoudy, na França),
Teísmo é a crença absoluta na existência de um Escocês Antigo e Aceito (de origem inglesa e francesa);
Deus infinitamente perfeito, bom e misericordioso, que Teístas: York (criado na Escócia e desenvolvido na
nos oferece muito mais que a nossa simples existência Inglaterra), Schröeder (Criado na Alemanha), Brasileiro;
temporal. No Teísmo: (1) Deus transcende ao universo, Racional (ou Agnóstico) Moderno ou Francês.
pois teria sido seu criador, o autor do mundo; (2) o No REAA, entretanto, com o correr do tempo, o
G∴A∴D∴U∴ é uma “pessoa” que governa o mundo e caráter deísta misturou-se ao teísmo, sendo que este acabou
uma entidade revelada aos homens na história. O Teísta: por ser dominante, dando ao mesmo, nos dias de hoje, o
não aceita o testemunho da razão lógica de Deus, mas mesmo forte caráter teísta do rito de York.
uma revelação dogmática e única, ou seja, um Deus vivo, O Rito de York
semelhante à própria imagem do homem, opondo-se, ao Este Rito possui três nomes: York, Real Arco e Inglês.
Ateísmo e ao Deísmo; é, essencialmente, espiritualista, na É de origem escocesa, surgido em 1717, e foram os jesuítas
medida em que ajusta o Criador à criatura, de maneira que o introduziram em Londres, denominando-o “Rito dos
absoluta e irracional, pois a verdade não pode ser racional. Antigos Maçons”. Na Inglaterra, o Rito desenvolveu-se. O
Na Maçonaria, o Teísmo é tão antigo que já está Rito compõe-se de quatro graus: Past Máster, Mark Máster,
completamente arraigado à instituição. Super Excellent Mason e Santo do Real Arco. Nos EUA foi
Os Ritos Teístas consideram a maçonaria um culto, ampliado para nove graus. É muito disseminado, a partir da
destinado a preservar e a propagar a crença na existência de Inglaterra, tendo absorvido os três graus simbólicos. É o Rito
Deus e, também, a auxiliar o Maçom a ordenar e pautar sua mais praticado nos países de língua inglesa. ?
a b

Derly Halfeld Alves – MI – 33º – ARLS Fraternidade “Brazileira” de Estudos e Pesquisas – GOB - MG
Oriente de Juiz de Fora – MG - Mestre Real da Marca - Escritor e Acadêmico

“Não sabes qual de teu próximo influi mais em ti, mas, seguramente, não é aquele que tens mais perto,
vês e ouves amiúde”. (Unamuno-Ensaios: “Solidão”).

Q
ue nossas primeiras palavras sejam para Fomos “escalados voluntariamente” para
cumprimentar a equipe organizadora deste Encontro conversarmos, nesta oportunidade, sobre o tema “A
Maçônico, principalmente, no que se refere aos temas influência greco-romana na Maçonaria”, ou seja, o que pertence
escolhidos, a considerar que o Simbolismo Maçônico, na sua aos gregos pelo espírito e aos romanos pela data, ou,
totalidade, derivam das mais variadas origens e procedências, simultaneamente, à Grécia e a Roma, ou, ainda, comum aos
resultando a Ordem Maçônica Ecumênica. gregos e aos romanos.
Não vamos comentar aqui a história-fábula do famoso Maçônica, ou seja, o Venerável, como Mestre da Loja, o
“calcanhar de Aquiles”, a guerra do Peloponeso, ou sobre Primeiro e o Segundo Vigilantes, respectivamente, os
a origem dos deuses, e sim, sobre a cultura grega, sua imediatos substitutos do primeiro mandatário.
filosofia e, principalmente, sobre suas artes. Sobre o Altar do Venerável Mestre loca-se, em
Este simplório trabalho que irei apresentar, nessa miniatura, a coluneta Jônica representando Minerva ou
oportunidade, afasta-se, totalmente, da história Pallas, filha de Júpiter, deusa da Sabedoria e das artes, e que
propriamente dita, tanto da Grécia como, nesse caso, da presidia a todos os trabalhos de costura e bordados. Arachne
Itália, mais particularmente de Roma. Apenas, justificar o ousou desafiá-la na sua arte e a deusa irritada a
termo “greco-romano”, a considerar que, no século II a.C., metamorfaseou em aranha, nos conta a lenda.
a Grécia tornou-se um território do Império Romano, e, a Sobre o altar do 1º Vigilante a coluneta Dórica,
partir daí, foi incorporada a outros tantos Impérios, só representando Hércules, tido como o mais célebre dos heróis
conseguindo sua independência a partir de 1821. da mitologia grega, também, filho de Júpiter. Juno, a deusa
A história, assim afirma o historiador, refere-se a do casamento, que, também, era esposa de Júpiter, irritada
toda produção humana, por isso ela começa com o contra o menino, mandou duas serpentes para o devorarem
aparecimento do homem sobre a terra. Tal concepção tem no berço; a criança que já era robusta, esmagou-as em seus
um sentido amplo, dividindo em duas grandes épocas – a braços. Quando crescido, Hércules ficou conhecido pela sua
Pré-história e História. extraordinária Força.
A primeira, corresponde ao período que só pode Finalmente, sobre o Altar do 2º Vigilante a coluneta
ser reconstruído através de documentos não-escritos, por Coríntia, representada por Vênus, a deusa da formosura, da
exemplo: instrumentos, graça e da beleza, nascida
armas, desenhos, da espuma do mar.
pinturas, fósseis, etc.; a Em Maçonaria
História é reconstituída a podemos, ainda, conceituar
partir de documentos as três colunas como
escritos, que começam a Sapientia, Salus, Stabilitas,
aparecer por volta do ano isto é, Sabedoria atribuída
4000 a.C., e, também, a ao Mestre da Loja, a Saúde
partir de documentos (Força), ao 1º Vigilante,
não-escritos (cf.História responsável que é pelo
Antiga e Medieval). bom andamento dos
A história e a arte trabalhos em Loja, e
grega, propriamente Estabilidade moral, a
ditas, só tiveram início no firmeza de caráter, que se
fim do século VIII a. C., pois, até então, predominava na transforma em alegria e vitória, atribuída ao 2º Vigilante,
Grécia a arte micênica - oriental em grande parte - e, foi responsável que é pela satisfação alegre dos irmãos
nessa época que se constituíram as três ordens presentes.
arquitetônicas: Jônica, Dórica e Coríntia, que se aplicaram, Esses são os pilares ou colunas alegóricas, de origem
principalmente, na construção de famosos templos, grega, entretanto, podemos, ainda, descrever sobre as
túmulos, teatros, ginásios, pórticos monumentais , etc. Colunas pertencentes à Ordem de Arquitetura Romana, que
Nossa análise se voltará com relação aos símbolos modifica um pouco as ordens gregas, utilizando as colunas
e alegorias tradicionais que foram herdados da cultura e Toscana e a Compósita, mais carregadas e menos elegantes.
das artes da raça helênica, época em que a arquitetura Julgamos que, parte da influência greco-romana na
triunfava na beleza apurada, onde surgem o “Parthenon” ordem maçônica foram as três colunas Dórica, Jônica e
e o “Templo de Olympia” com a elegância das suas Coríntia, entretanto, as colunas romanas, Toscana e
estatuárias, a grandeza do “Santuário de Apolo”, Compósita têm valor inestimável na composição simbólica
culminando com o mais belo monumento construído do Templo Maçônico, por se tratar, segundo nossa
pelos gregos, a “Acrópole de Atenas”. interpretação, das Colunas "B∴" e "J∴".
Assim, herdou a Maçonaria, por influência, mais Essas seriam as Colunas referidas nas Sagradas
grega do que romana, os denominados Pilares Alegóricos, Escrituras, mais precisamente em 1 Reis 7.15 (As colunas de
ou Colunas Alegóricas: Jônica, Dórica e Coríntia, bronze), erguidas diante do pórtico do santuário, colunas
pertencentes às Ordens de Arquitetura Grega. que, na maioria dos templos maçônicos, são colocadas
Representam as três grandes luzes de uma Loja internamente, interpretadas, por vezes, erroneamente,
como sendo colunas do norte e do sul, quando na mostrar que as artes têm, entre si, relações estreitas.
realidade, no meu entendimento, deveriam ser fixadas no Clio – musa da história - era a inspiração do ouvido,
pórtico, ou seja, na entrada do templo. representada sentada ou em pé, com um rolo de papel na
Partindo das ideias desenvolvidas por Sócrates, mão; Calíope – musa da epopéia - era a inspiração da voz
Platão e Aristóteles, os quais sistematizaram os princípios excelente. Musa da poesia heróica e da eloqüência. É
da Lógica, da Retórica e de outras ciências especiais, a representada tendo nas mãos uma tabuinha e estilo (punção
ordem maçônica adotou dentro das suas filosofias, as sete de metal, com que os antigos escreviam em tabuinhas
ciências que formavam a sabedoria dos antigos, a que, enceradas); Érato – musa da poesia ligeira - era a inspiração
também, denominamos de Sete Artes Liberais ou Sete do amor representada com uma lira em uma das mãos;
Ciências, cujas representações indicam a imagem da Euterpe – musa da música - era a inspiração da arte
ordem do saber no limiar da época moderna e são ricas de encantadora. É representada com uma flauta na mão;
simbolismos, assim distribuídas: a gramática, a retórica, a Melpômene – musa da tragédia - era a inspiração trágica;
lógica (dialética) formam o, assim chamado, trivium tendo em uma das mãos uma cabeça decepada; Polémnia –
(tríplice divisão do currículo inferior dos estudos da Idade musa da eloqüência e da poesia lírica - era a inspiração
Média); a aritmética, a geometria, a música e a astronomia, religiosa. Aparece em atitude de meditação; Tália – musa da
o, assim chamado, comédia - era a inspiração
quatrivium, os quatro jovial. Representada por
últimos caminhos do uma máscara e uma
estudo que, juntamente grinalda de hera;
com o trívio, constituíam Terpsicore – musa da
as sete ciências já dança - era a inspiração
mencionadas, ciências animadora. Também,
que podemos considerá- representada com uma lira
las grandiosas para toda na mão; Urânia – musa da
a sociedade. Permitam os astronomia - era a
irmãos descrevê-las, inspiração celeste e divina.
ainda que É representada com um
sinteticamente: compasso e um globo na
Gramática: arte que nos mão.
ensina a escrever e a falar É interessante,
corretamente; Retórica: arte do bem falar, de expor e ainda, citar a jóia dos ex-Veneráveis ou Past-Master:
discorrer sobre quaisquer objetos; Lógica: ciência das leis, esquadro normal, no qual é pendurado, entre os dois braços,
do raciocínio, segundo a qual investigamos com justeza e a demonstração do Teorema de Pitágoras, o matemático e
descobrimos a verdade; Aritmética: ciência dos números, filósofo grego, simbolizando, nitidamente, a ciência
a arte de calcular e efetuar as operações e as propriedades maçônica que aquele que a usa deve possuir, porque o papel
dos números; Geometria: ciência que tem por objetivo a do Venerável é criar Maçons perfeitos , razão pela qual ela
medida das linhas, das superfícies e dos volumes; usa o Esquadro, sinal de retidão e instrumento indispensável
Astronomia: ciência que trata dos astros; que ensina a para transformar a Pedra bruta em hexaedro perfeito (Pedra
determinar a posição relativa dos astros, a sua configuração cúbica).
e a verificar as leis dos seus movimentos; Música: Aprendemos nos bancos escolares que o Teorema de
propositalmente, deixamos como a sétima arte a ser Pitágoras consiste em demonstrar que o quadrado da
definida. A arte de combinar os sons de maneira agradável hipotenusa de um triângulo retângulo é igual à soma dos
ao ouvido. Segundo a mitologia grega “Amphion, poeta e quadrados dos catetos.
músico que edificou os muros de Thebas, ao som Até então, na exposição feita, podemos conceituar a
harmonioso da sua Lyra, as pedras, impressionadas por parte alegórica e simbólica dos três primeiros graus,
essa harmonia, acorriam e, por si próprias, ajustavam-se vejamos: nos graus tidos como superiores ou altos graus, o
umas em cima das outras. Os animais ferozes corriam para que encontramos para cumprimento do título a que nos
ouvir os sons da lira do divino Orpheu; as árvores propusemos? São passagens ou símbolos, originários da
baloiçava, cadenciosamente, a sua ramaria”. cultura greco-romana que observamos nos rituais, a partir do
Essas Sete Ciências ou Artes Liberais, na mitologia quarto, até o trigésimo terceiro, como diria o saudoso irmão
grega, eram presididas pelas Nove Irmãs–Musas, cujo Tabajara, “en passant”, considerando que, a sua grande
objetivo era “fazer cessar a angústia e esquecer o mal e maioria de Rituais estão voltados para a vertente hebraica:
Grau A – seu colar ou fita tem na frente, bordados a ouro, Sócrates. Ensinei aos homens a se conhecerem a si próprios.
as letras gregas ALFA e ÔMEGA, fazendo alusão ao Desvendei-lhes o mundo das ideias puras e das realidades
Apocalipse: “Eu sou o Alpha e Ômega, o princípio e o fim, eternas. Nossos sentidos, somente, percebem as sombras da
o primeiro e o derradeiro”; Grau B – Na formação do realidade, isso é, dos fenômenos e das leis; estas, porém, nos
Conselho, esse se denomina Areópago, antigo tribunal revelam, tanto no domínio do físico como no do espírito,
ateniense. Encontramos, também, a denominação de tendência, sempre, crescente para o Verdadeiro, para o Belo,
Senado, nome dado a diversas assembleias, que formavam para o Bem, tríplice realização do Divino. No extremo dos
importantes órgãos de governo em Esparta, em Atenas, limites do inteligível, está a ideia do Bem. Não se deve dizer
como, também, em Roma; Grau C – Na decoração do que a Justiça consiste em fazer o bem a seu amigos e o mal a
templo é colocada uma coluneta branca sustentando o seus inimigos. O justo é aquele que vive em perfeita
Tetraedro (Tetraklys de Pitágoras), com dez estrelas harmonia consigo mesmo, com os seus semelhantes e com a
distribuídas de baixo para cima; Grau D - Tal qual acima, ordem do Universo”.
consta, também, na decoração o mesmo Tetraedro de Esperamos, prezados irmãos presentes nesse
Pitágoras, dessa vez, com trinta e seis estrelas, com o magnânimo Encontro da Cultura Maçônica, haver, na sua
vértice para baixo. Ainda, nesse mesmo grau, há uma totalidade, ou, pelo menos em parte cumprido com o que me
decoração, denominada Cripta dos Grandes Filósofos ou foi solicitado: falar sobre a Influência Greco-Romana da
das Grandes Luzes, entre os quais, consta a foto de Platão, Ordem Maçônica.
com a seguinte descrição: “Eu sou Platão, discípulo de Sou muito Grato. ?
a b

Francisco Feitosa da Fonseca – MI – 33º – ARLS Rui Barbosa nº 46 – GLMMG – Oriente de São Lourenço-MG
Grande Inspetor Litúrgico da 14ª MG – Escritor e Acadêmico - Editor da Revista Arte Real

R
osa-Cruz é como se denomina a sociedade ou aplicada ao topo de uma cruz em tau, ou letra “T”. Dessa
fraternidade filosófico-religiosa secreta que, forma, o Lírio Antigo, símbolo do poder terrestre, foi
segundo a Tradição, foi fundada por um Ser que substituído pela Rosa Mística de cinco pétalas, símbolo da
adotou um nome místico – pois que seu verdadeiro Nome pureza e humanização do espírito. A cruz e a rosa expressam
era bem outro – qual usavam os instrutores medievais, o equilíbrio perfeito, a ação do divino na superfície da Terra.
Christian Rosenkreutz, embora que outros significados Após a morte de Akhenaton, a Ordem foi tolerada,
mais secretos estejam ocultos por baixo do mesmo Nome, mas, gradativamente, manifestou-se um sentimento contra o
a começar pelo de “uma seu “poder secreto”, de
fé cristã” ou do Christus modo que se tornou
Universal, o Cristo necessário reduzir, cada
transcendente dos vez mais, a extensão de sua
gnósticos, ou mesmo o 7º atividade. Apesar disso, os
Princípio das Escolas ensinamentos da Ordem
mais elevadas ou da sã foram se expandindo por
Teosofia. várias regiões. Nessa fase
A bem dizer, ele de expansão da era Cristã,
foi, apenas, um os ideais rosacruzes,
renovador, pois a também, se expandiram,
sociedade remonta ao antigo Egito, quando Amenophis IV rapidamente, por toda Europa.
(Akhenaton) teria fundado a Ordem Secreta Rosa Cruz Os Rosacruzes da Alemanha medieval formavam um
dos Andróginos (1374 a.C.). Akhenaton não só construiu grupo de filósofos místicos, que, secretamente, se reuniam,
seu Templo em forma de cruz, mas introduziu a cruz e a estudavam e ensinavam doutrinas esotéricas sobre religião,
rosa como símbolos e, além disso, a Cruz Ansata, uma das filosofia e ciência oculta, que seu “fundador”, Christian
formas primitivas da cruz, que consiste de uma curva oval Rosenkreutz, havia aprendido dos sábios árabes,
herdeiros, por sua vez, da cultura de Alexandria.
Tornaram-se mais conhecidos no século XVII, inicialmente ambas as Ordens. Por
na Alemanha, com o teólogo Johannes Valentin Andreae, exemplo: o poema “A
que nascera em Wüttenberg, na Alemanha, em 1586. De Trinódia das Musas”,
berço protestante, através de seu pai, tomou conhecimento do poeta escocês e
do simbolismo alquímico, matéria de enorme interesse historiador William
para o meio erudito da época. Henry Adamson, da
Nessa época, transição do século XVI para o XVII, cidade de Perth,
na Europa, agitada pelas consequências das reformas publicado em
luteranas, surgiram vários grupos independentes, que Edimburgo, em 1638,
acalentavam sonhos reformistas, à procura da sociedade contém a passagem
ideal. Andreae participou de um desses grupos, conhecido “For we are the
como Círculo de Tübigen, tendo grande importância em brethren of the Roise Cross. We have the mason word and
sua formação. Foi creditado a esse movimento o alicerce second sight”, ou seja, para que os irmãos da Rosa-Cruz
dos ideais apresentados nos três manifestos publicados pudessem possuir a “Palavra Maçônica” seria necessário
nos anos de 1614, 1615 e 1616. que, já naquela época, houvesse um intercâmbio entre as
Esses três manifestos, publicados anonimamente, duas correntes de pensamento. Talvez, por isso, a
desencadearam o Movimento Rosacruciano. São eles: fraternidade Rosa-Cruz foi confundida muitas vezes com a
Fama Fraternitatis (Ecos da Fraternidade ou Confraria); Maçonaria e, de certo modo, a Maçonaria Moderna assimilou
Confessio Fraternitatis (Confissão da Fraternidade; Die muitos princípios esotéricos do grande Movimento,
Chysmische Hochzeit Rosenkreutz (Núpcias Químicas de conforme atesta Rizzardo da Camino, autor de “O Príncipe
Christian Rosenkreutz no ano de 1459). Propunham a Rosa-Cruz e Seus Mistérios”.
renovação da Igreja, do estado e da sociedade, e um Em Orthodoxie Maçonique, o escritor maçom francês
convite para que as pessoas iluminadas entrassem para a José Maria Ragon alega que Elias Ashmole e os demais
Fraternidade com o ideal de salvar a Europa do atraso em Irmãos da Rosa-Cruz se reuniram em 1646, na sala de
que estava mergulhada, desde a Idade Média. Eles sessões dos Franco-Maçons, em Londres, onde, livremente,
tiveram um sucesso considerável, deram origem a “decidiram substituir as tradições orais adotadas nas
inúmeras controvérsias e inspiraram, também, muitas recepções de adeptos nas Lojas por um processo escrito de
obras rosacrucianas. Iniciação”. Após a aprovação do grau de Aprendiz pelos
O “Fama Fraternitates”, editado em 1614, foi a membros da Loja, o Grau de Companheiro foi redigido, em
primeira menção histórica da Sociedade Rosa-Cruz. Narra 1648, e o de Mestre, pouco tempo depois, embora, devemos
as viagens do cavaleiro alemão Christian Rosenkreutz, ressaltar que, o escritor e historiador maçônico José
através da Arábia (Damasco e Damcar), do Egito e de Castellani afirma que o Grau de Mestre Maçom, foi criado
Marrocos (Fez), nas quais adquiriu sua sabedoria secreta, pela primeira Grande Loja inglesa, em 1723, e sua
revelada, apenas, aos iniciados na Sociedade. Logo depois implantação só se deu em 1738.
de fundada na Alemanha, os primeiros membros da Existe uma tradição muito sólida que diz que, foi por
Ordem concordaram em manter uma postura de absoluto intermédio de Elias Ashmole, que a corrente rosacruciana se
segredo durante os cem primeiros anos de sua existência. introduziu na Maçonaria, o que justificaria a transmissão
A sociedade rosacruciana é uma síntese do regular e, por isso mesmo, o valor iniciático do 18º Grau da
ocultismo vigente na Franco-Maçonaria atual.
Idade Média: Outro elemento que constitui uma relação de
hermetismo egípcio, intimidade entre as duas correntes deu-se no decorrer do
gnosticismo cristão, século XVIII. Sabe-se que os “Símbolos Secretos dos Rosa-
cabalismo judaico, Cruzes dos séculos XVI e XVII” são oriundos de uma
alquimia medieval. coletânea de pranchas emitidas do círculo maçônico Gold-
A antiguidade und Rosenkreuzer (Rosa+Cruz de Ouro), em duas partes. A
histórica da afinidade primeira, em 1785, e a segunda, em 1788. As origens da Rosa-
entre a Rosa-Cruz e a Cruz de Ouro maçônica são obscuras, mas um dos nomes
Maçonaria inglesa, é tal, ligados à sua formação é o de Hermann Fictuld. Fictuld fala
que ultrapassa a de uma “Sociedade de Rosa-Cruzes de Ouro”, herdeiros do
existência Tosão de Ouro. Ele operou significativas reformas na Gold-
institucionalizada de und Rosenkreuzer, em 1777.
Essa Ordem Maçom Aceito, de John Boswell, Lorde de Aushunleck, na
desenvolveu-se dentro Loja “Saint-Mary’s Chapell”, de Edimburgo, processo que
das regras da veio a se acentuar durante todo o século XVII, na Escócia.
Maçonaria. A vertente O aumento do interesse pelos estudos teóricos,
russa da Rosa-Cruz de fortemente, influenciado pela “recepção” dos Maçons
Ouro, instalada em Aceitos, em detrimento das práticas da construção, levou ao
Moscou, teve dois nascimento da Maçonaria Moderna, em 1717, quando quatro
principais vultos: Lojas londrinas se reuniram para a formação da Grande Loja
Nicolas Novikov de Londres. É sobre esta que recai a crítica do Daily Journal,
(Maçom, membro da em 5 de setembro de 1730: “tem-se de reconhecer que há
Rosa-Cruz de Ouro e uma associação estrangeira, da qual os maçons ingleses,
Martinista) e o conde I. envergonhados de sua verdadeira origem, copiaram certas
V. Lopokhin. Segundo cerimônias, tendo bastante dificuldade de persuadir a todos
Robert Ambelain, Novikov foi um dos introdutores da que deles são descendentes, embora só tenham uns poucos
Franco-Maçonaria na Rússia e um dos principais sinais de iniciação. Os membros dessa sociedade levavam o
divulgadores do Martinismo e das doutrinas do Rito nome de Rosa-Cruzes e seus dirigentes chamados de
“Filósofo Desconhecido”, na Rússia. Grandes Mestres, Vigilantes, etc., seguravam, durante suas
Apontamos como um momento preponderante na cerimônias, uma cruz vermelha como sinal de
alteração estrutural da Maçonaria, a decadência das reconhecimento”.
Corporações de Ofício, no século XVI, quando essas É interessante citar que, o primeiro Templo maçônico
sofreram perseguições acirradas do clero, motivando o rei – “Freemason’s Hall” - foi construído na Inglaterra, em 30 de
da França, Francisco I, a revogar os privilégios maio de 1776. Até então, as reuniões eram
dos Franco-Maçons, e, com isso, abolindo-se as realizadas nas tavernas, cervejarias e estalagens.
Guildas, Cantarias e demais fraternidades. Em Sua arquitetura foi baseada no parlamento
1558, na Inglaterra, a rainha Isabel, ao assumir inglês, portanto, sem nenhum culto religioso ou
o trono, renovava uma ordenação de 1425, que lugar sagrado, no sentido místico ou espiritual.
proibia qualquer assembleia ilegal, sob pena Era, apenas, uma casa especial, onde se reúnem,
de ser considerada uma rebelião. Os Franco- até hoje, os Maçons.
Maçons vinham perdendo seu objetivo inicial e A partir de 1783, começa a crescer,
transformando-se em associação de auxílio acentuadamente, o misticismo na Maçonaria
mútuo, resolveram, então, permitir a entrada com a participação das correntes místicas que
de homens não ligados à arte da construção, pululavam a Europa. Sem sombra de dúvidas,
que ficaram conhecidos por “Maçons Aceitos”. foi a partir do século XVIII que se observou uma
O Grande Incêndio em Londres, forte presença do rosacrucionismo no seio da
ocorrido em 02 de setembro de 1666, que destruiu cerca de Maçonaria, sendo responsável pelas alterações introduzidas
quarenta mil casas e oitenta e seis igrejas, mudaria, um no ritual, e que, aos poucos, transformaram o processo de
pouco, esse quadro. Diante do cenário catastrófico, não admissão à Ordem, da simples “recepção” para a Cerimônia
houve alternativa ao rei, a não ser se render aos construtores Ritualística de “Iniciação”. Todavia, ao mesmo tempo em
Franco-Maçons, que, sob a direção do arquiteto Cristopher que organizavam a Iniciação simbólica, envolvendo-a em um
Wren, reconstruiu a cidade, sendo sua obra principal a Igreja sistema de moralidade, inicialmente, baseado no simbolismo
de São Paulo, em cujo adro se desenvolveria e se das ferramentas dos
estabeleceria, em 1691, uma Loja de fundamental talhadores de pedra, figuras
importância para história da Maçonaria moderna, a Loja de geométricas e arquitetônicas,
São Paulo (em alusão à igreja), ou a Loja da Taberna “O ampliavam o alcance com
Ganso e a Grelha”. elementos religiosos tirados da
Tal Loja foi formada pelos Maçons de Ofício, que Bíblia e, posteriormente, da
participaram da reconstrução de Londres, mas com a Cabala, da Alquimia, do
admissão, cada vez maior, de homens de todas as classes, Hermetismo, etc., com os
nas demais Lojas londrinas, resolveram, em 1703, permitir quais já estavam
à “recepção” de “Maçons Aceitos”. Na verdade, o início familiarizados. Esses novos
da transformação da Maçonaria de Ofício para elementos a enriqueceu e a
Especulativa se deu em 1600, com a recepção, como espiritualizou.
A propósito, nessa época, no seio da Maçonaria Quatros Elementos, os Três Princípios, procedem do
"dos Antigos", tida como mais esotérica, em relação à Hermetismo. A Numerologia Pitagórica forneceu o
Maçonaria “dos Modernos”, com raízes no hermetismo e esoterismo dos números; da Cabala temos o Delta Sagrado, o
no rasacrucionismo, observamos o aparecimento dos Ritos Tetragramaton, o Selo de Salomão, além de todas as
e Rituais herméticos e alquímicos, considerados, por PP∴SS∴, PP∴ de P∴ e outras. A Astrologia está presente na
alguns autores, como para-maçônicos: Ritual do Barão de Abóboda Celeste, nas Doze Colunas Zodiacais, etc. Os Sinais
Tschoudy (1724-1769); o ritual da Maçonaria Egípcia; o de O∴, e as posturas em Loja, podemos encontrar
Rito da Estrela Flamejante (1766); a Ordem dos Arquitetos significativa semelhança, em seus propósitos, nas Asanas e
Africanos (1767); a Ordem dos Filósofos Desconhecidos; Mudras praticadas nas Danças Sagradas hindu. O acrônimo
Os Iluminados de Avignon; a Ordem do Crata Repoa. V∴I∴T∴R∴I∴O∴L∴ - VISITA INTERIORA TERRAE
Foram responsáveis, em boa parte, pela influência de RACTIFICANDO INVENIES OMNIA LAPIDEM – servia
ensinamentos provenientes de correntes esotéricas como a como uma senha, adotada pelos antigos Rosa-Cruzes.
Cabala, a Teurgia, a Alquimia, hermetismo, magia, etc. Como podemos ver, a Maçonaria é baseada em um
A Bíblia e a Cabala forneceram os mais poderosos conjunto de ciências que lhe emprestam um aspecto singular
contingentes para o enriquecimento do Simbolismo e único, sendo notória a influência Rosa-Cruz. O processo
Maçônico, e o Ocultismo, abrangendo o conjunto de alquímico, que outrora servia para a transmutação dos
sistema filosófico e das artes misteriosas, derivadas dos metais, hoje, maçonicamente, é utilizado, pelos verdadeiros
conhecimentos antigos, também, Iniciados, que se pese, uma minoria,
contribuiu abundantemente. lamentavelmente, para a “Transmutação
As Ciências Ocultas fizeram dos Mentais”, onde o verdadeiro trabalho
furor durante todo o século XVIII, e os é o despertar do Mental Abstrato, da
maçons, delas, se mostraram Quinta Essência, hoje, tão mal-
apaixonados apreciadores. Assim, a compreendida pela maioria de seus
magia, a alquimia, a astrologia, o membros, embora, de enorme
magnetismo animal e outros, que se importância, por ser o principal objetivo
tinham expandido durante a Idade das verdadeiras Escolas de Iniciação da
Média, em que pese às perseguições atualidade.
que lhes moveram a Igreja, foram Na Loja dos “Antigos”, ou seja, na
objetos dos mais acurados estudos por Grande Loja fundada por irlandeses, em
parte dos maçons, e deixaram traços 1725, em oposição a primeira Grande Loja,
muito profundos no simbolismo e no criada em Londres, em 1717,
esoterismo maçônicos, que os pejorativamente, chamada “dos
impregnaram totalmente. Modernos”, o Grau Rosa-Cruz (Rosy
Escritores e ritualistas foram Crucian), também, conhecido como “Ne
buscar na antiguidade práticas e Plus Ultra”, significando “não há nenhum
doutrinas iniciáticas já utilizadas no Egito, na Grécia, na mais alto”, era o Grau 28º. Com o tempo, esse lema perdeu a
Índia e em outras nações ou associações. A iniciação razão de ser com a criação de Graus acima deste, além do
maçônica, em muitos pontos, resultou do sincretismo dos descaso das autoridades maçônicas com os Graus Superiores
vários mistérios e da “recepção” dos operativos, tendo ter permitido que fosse gerada uma mistura enorme dos
sido objeto das mais diversas interpretações. Graus do Rito de York, o que veio, mais tarde, a suprimir o
Muitos a examinaram à luz das ciências ocultas, Grau Rosa-Cruz.
outros, mais tarde, a analisaram por meio das doutrinas O Grau 12º do Rito Adonhiramita foi chamado de
da teosofia hinduísta, até da yoga, etc. E, paradoxalmente, Rosa Cruz, e, até certa época, era, também, seu Grau
escritores racionalistas tentaram interpretá-la através de máximo. Posteriormente foi criado o 13º Grau, o Noaquita ou
suas concepções filosóficas. Por essas razões, não é de se Cavaleiro Prussiano. Desde 1973, o Rito passou a ter 33
estranhar que os símbolos encontrados dentro de um Graus.
Templo Maçônico sejam oriundos das mais diversas No Rito Escocês Antigo e Aceito, surgido na França,
procedências. em 1754, oriundo do Rito de Perfeição, que a partir de 1751
Assim, as colunas arquitetônicas, as figuras começou a sofrer uma grande reestruturação, passando de 14
geométricas, as ferramentas profissionais, etc., revelam para 25 Graus, surgindo, então, o Grau 18º, que recebeu o
sua origem operativa ou profissional. O Pavimento título de Soberano Príncipe da Rosa-Cruz de Heredom, ou,
Mosaico, as Velas, o Incenso, as Espadas e outros simplesmente, Cavalheiro Rosa-Cruz.
elementos, são de origem mágica; a Câm∴ das RRef∴, os
Segundo Leadbeater, nesse Grau revelam-se rosacruzes antecedem, em muito, sua própria história.
profundos mistérios, sendo um deles, o nome do Afinal, os excelsos ensinamentos da Tradição Oculta, da
G∴A∴D∴U∴, com relação ao acrônimo I∴N∴R∴I∴. Sabedoria Iniciática das Idades, chegam ao mundo através
Sobre isso, o autor maçom informa que, em Sua das verdadeiras Ordens de Iniciação, não pertencendo a
encarnação, como Christian Rosenkreutz, Este nenhuma delas, pois que são, apenas, sustentáculos
traduzira a “Palavra” para o latim, conservando, físicos da Grande Fraternidade Branca.
muitíssimo engenhosamente, seu notável A Ordem Rosa-Cruz tendo como
caráter mnemônico, todas as suas fundador e mentor Espiritual o enigmático
complicadas acepções e, ainda, uma íntima Christian Rosenkreutz e a Maçonaria, como um
aproximação com seu som original. A de seus mentores espirituais, o Conde de Saint
Palavra Perdida hebraica I∴H∴V∴H∴ Germain, já, por si só, têm motivos de sobra para
dando lugar a Palavra Reencontrada latina tamanha interseção, pois ambos, Mestres de
I∴N∴R∴I∴. Sabedoria, manifestaram-se na face da Terra, utilizando-
Portanto, como se pode notar, a influência do se da mesma Essência Espiritual.
rosacrucionismo na Arte Real é uma realidade Citaremos outro excelso ser não menos
inconteste, assim como todo progresso cultural e enigmático, criador do Rito Egípcio, que, inspirado pelo
evolucional. Graças à Ordem Rosa-Cruz deu-se início rigor da Lei divina, teve a árdua e oculta Missão de
ao processo de Iniciação maçônico que conhecemos hoje, promover a derrocada do poder feudal, através da Queda da
e, com ele o despertar e a expansão do estado de Bastilha. Mas essa é outra longa e profunda história!
consciência de seus membros. Vale ressaltar que, Fiquemos por aqui! ?
diversos ensinamentos e símbolos utilizados pelos
a b

João Geraldo de Freitas Camanho – MI – 33º – ARLS Rui Barbosa nº 46 – GLMMG


Oriente de São Lourenço-MG – Palestrante e Acadêmico

“A Sabedoria Iniciática das Idades (Doutrina esotérica) precisa, em momentos de grandes


transformações cósmicas e sociais, ocultar-se para não morrer. Graças a essa providência,
tal Ciência Oculta pode ser transmitida aos homens à medida que se façam dignos.”
Professor Henrique José de Souza

F
undada em 1119 por Hugues de Payns na Terra dos Templários, de 1119 a 1128,
Santa, com o nome de Pobres Cavaleiros de Cristo. nove anos, portanto, os mais
Em companhia do fundador estavam oito avançados espiritualmente
cavaleiros franceses, entre eles, Godofredo Bouillon e formaram, no seio da Ordem, um
Godofredo de Saint-Omer. Colégio de homens puros e
O Rei Balduíno II de Jerusalém instalou-os num precederam a sérias pesquisas e
velho palácio junto às ruínas do Templo de Salomão. Daí, escavações nos subterrâneos do
a designação de Ordem dos Cavaleiros Templários ou, Templo, encontrando
simplesmente, Ordem do Templo. conhecimentos científicos em
Em 1128, Hugues de Payns, seu primeiro Grão- grandiosa biblioteca e profundos
Mestre, viu confirmada, oficialmente, a Ordem no mistérios de milênios,
Concílio de Troyes. Nascia A Nova Ordem, ao mesmo adormecidos na mudez estática daqueles símbolos,
tempo religiosa e militar, à qual é concedido o uso do reminiscências arquetípicas da Doutrina Oculta da Lemúria
manto branco (sinal da pureza), com a cruz vermelha e da Atlântida, fonte comum de todas as Ordens Iniciáticas
sobre ele (testemunho do martírio). da Índia, do Egito, da China, da Pérsia, do Oriente-Médio
Sob a orientação de Bernard de Clairvaux, homem (árabes e hebreus), da Mesopotâmia (assírios e babilônios),
santo e erudito, fundador da Ordem de Cister e patrono da Grécia e de Roma.
Detentora de tesouros científicos e espirituais, visaram, sempre, a manipulação das massas profanas e a
como ficou delineado acima, a Ordem impulsionou as obtenção do poder temporal.
Guildas Medievais (futura Corporação Maçônica Compreende-se, então, o ocultamento nas referidas
Operativa), que já tinham tomado formas regulares Ordens e nas Guildas Medievais, para escapar da
durante os reinados de Alfredo, o Grande, de Eduardo, o perseguição da Igreja e dar continuidade a transmissão da
Antigo, e de Athelstan, de 800 até 900, na Inglaterra. Em Sabedoria Esotérica milenar para a Europa e, posteriormente,
925, o Príncipe Edwin, filho de Eduardo, foi eleito Grão- para o Novo Mundo, mormente, para o Brasil, lutando
Mestre de uma dessas Corporações; é, presumivelmente, heroicamente para fundação de Portugal e ajudando a criar a
do século XII, o mais antigo documento da história Escola de Sagres (verdadeiramente, a Ordem de Sagres, cujo
primitiva da Maçonaria inglesa: o Manuscrito de Grão-Mestre era D. Henrique, o Navegador, filho do rei D.
Halliwell, base das Leis Maçônicas e história primitiva da João I, o Mestre da Ordem de Avis), para realização das
Maçonaria na Inglaterra, encontrado em 1839. Grandes Navegações Lusitanas.
Com a transferência a tais Corporações da Precursores da Maçonaria
tecnologia de ponta e do simbolismo, o que ultrapassou os Embora certos autores afirmem que a Maçonaria se
conhecimentos do homem medieval, floresceu a originou nos construtores do Templo de Salomão ou nas
Arquitetura Gótica, cujo apogeu aconteceu nos séculos XII guildas medievais de pedreiros na Grã-Bretanha, junto a
e XIII, legando à posteridade a outras afirmações muito mais
suntuosidade das Catedrais. fantasiosas, nenhum início, além dos
No século XIV, após sérias Cavaleiros do Templo, permite
maquinações de Filipe, o Belo, rei da explicações tão pertinentes no tocante
França, e Clemente V, o Papa, a a transformação das corporações de
Ordem do Templo foi suprimida, os construtores na Maçonaria Operativa,
Cavaleiros presos e Jacques de que, por sua vez, passou a
Molay, o Grão-Mestre, com mais 36 Especulativa. Aliás, o historiador Paul
Templários, sofreu o martírio da Naudon dizia de forma clara: “A
fogueira inquisitorial, sob a alegação Franco-Maçonaria apresenta-se como a
de heresia. continuação e a transformação da
Missão Oculta dos Templários organização dos ofícios da Idade
Os fugitivos de Paris e de Média e do Renascimento, na qual o
outras regiões da França elemento Especulativo tomou o lugar
encontraram abrigo entre seus pares, do Operativo”. Tal declaração reforça a
espalhados pelos vários reinos ideia de que, no passado, pode ser
europeus, onde se ocultaram. A detectada uma ligação entre a
Inglaterra e, especialmente, a Escócia Maçonaria e os Templários.
se tornaram porto seguros para tais Reforçando mais as evidências,
foragidos. apontamos a descoberta dos significados perdidos em
Os Templários passaram as Ordens de Maris, de francês medieval, dando apoio fundamental à hipótese da
Avis, de Cristo e de Sagres (em Portugal), à Ordem da nascimento da Maçonaria nos Templários francófonos e
Estrita Observância (na Alemanha), à Ordem da Estrela indicando um contexto temporal adequado. Parece-nos que
Flamejante (na Boêmia) e à Ordem de Calatrava (na tal descoberta suprime qualquer dúvida de que a Maçonaria
Espanha). Na verdade, ajudaram a fundá-las, tronando-se se originara na má situação e na fuga dos Cavaleiros do
os mesmos disfarces da antiga Ordem dos Templários, Templo, uma organização equipada de forma única, para
para iludir a Igreja e a diplomacia européia. constituir uma Sociedade Secreta de proteção mútua,
Todas essas Ordens Iniciáticas mencionadas foram lutando pela preservação da vida de cada irmão,
orientadas pela Ordem de Melk-Tsedek, o Rei do Mundo, obviamente, funcionando por meio de códigos, palavras de
conhecida no Ocidente como a Grande Fraternidade passe, símbolos e seu próprio sistema de espionagem.
Branca, braços do GOM (Governo Oculto do Mundo). Por Essa rica tradição de operações secretas dos
isso mesmo, enfatizaram, acima de todos os credos, o Templários, absorvida pela Maçonaria em seus primórdios (a
contato direto com a Centelha Divina no interior do maioria mantida nos dias de hoje), permite-nos uma
homem, através da Iniciação, o que, evidentemente, conclusão: as antigas guildas, certamente, não precisariam
tornou supérfluos os sacerdotes e todo o aparato de suas desse aparato de proteção, já que eram militantemente
igrejas, cujos ensinamentos dogmáticos e exotéricos religiosas e ligadas à Igreja Católica Romana estabelecida.
Quanto aos termos maçônicos em francês coletivo “juwes” (sem dúvida, começou como “jubes”,
medieval, sabe-se que, em 1362, as cortes inglesas, sem equivalente em inglês, designando os nomes dos que
oficialmente, mudaram a linguagem usada em seus foram punidos, aponta diretamente para Ordem
procedimentos (jurídicos, principalmente) do francês para Templária francófona e para um contexto medieval.
o inglês, de forma que as raízes francesas de todos os Poderíamos citar outras origens dessas palavras
misteriosos termos da Maçonaria confirmam a presença e francesas perdidas da Maçonaria. Contudo, vamos ater-
a contribuição dos Cavaleiros do Templo francófonos (fato nos a certos símbolos da Maçonaria secreta antiga, cujas
apontado anteriormente) no século XIV, época da conexões templárias se tornam, ainda, mas evidentes; O
supressão da Ordem. Vamos citar, segundo o livro CÍRCULO E A PERAMBULAÇÃO: as cerimônias de
“Nascidos do Sangue – Os segredos Perdidos da iniciação dos Templários ocorriam em suas próprias
Maçonaria”, algumas palavras e termos maçônicos, cujos igrejas, que eram circulares, principalmente, as da Grã-
significados foram perdidos ao longo dos séculos: TYLER Bretanha (quando os Cavaleiros percorriam essas igrejas
(Guarda do Templo): uma aproximação fonética, uma vez circulares, apenas, um modo de fazê-lo: em círculos –
que o som [ty] em francês se escreve tai, remete-nos à representação do universo sem limites); O PAVIMENTO
palavra francesa “tailleur” (aquele MOSAICO: a base templária para
que corta); a raiz da palavra é esse simbolismo é simples e direta,
encontrada na palavra inglesa contida na Bandeira de batalha da
medieval “taille” (corte); de “tailleur Ordem, com um desenho vertical,
de vetement” (aquele que corta a consistindo de um bloco preto em
roupa), veio a palavra inglesa cima e um bloco branco abaixo (o
“tailor” (alfaiate); diante dessas preto significava o mundo negro do
variações, podemos aceitar que pecado, deixado para trás pelo
“tailleur” se poderia ter Templário: o branco, a vida pura,
desenvolvido em “Tyler” (cortador), adotado pelo soldado de Cristo); tal
designação aceitável para alguém Bandeira, repetida muitas vezes,
que ficava do lado de fora da porta forma um mosaico preto e branco,
da Templo com uma espada afiada na verdade, a eterna manifestação da
na mão; HIRAM ABIFF: a palavra polaridade; O AVENTAL: podemos
Abiff, supostamente o sobrenome ver uma ligação muito direta com os
do Mestre assassinado, não vem do Templários, se nos lembramos de
hebreu, do inglês ou do francês; que sua Ordem proibia qualquer
documentos maçônicos usam as decoração pessoal, exceto a pelo de
iniciais HA (Hiram Abiff), mas cordeiro, exigindo que os Cavaleiros
escritos maçônicos mais antigos se usassem, em torno da cintura, o
referiam a Ele como HAB (poderia isso significar que, em tempo todo, um cordão de pele de cordeiro, como
algum ponto, seu nome fora Hiram A. Biff?); novamente, lembrete de seu voto de castidade (alguns escritores
ns dicionários franceses, encontra-se a resposta no verbo maçônicos, teimosamente, declararam que essa pele de
“biffer” (derrubar, eliminar); o termo maçônico não era o cordeiro é um emblema da inocência e da pureza,
nome, mas uma designação: “Hiram à Biffe” (Hiram, que derivada dos aventais de trabalho, usados pelos
foi eliminado); JUWES: a busca em francês antigo membros de associações de pedreiros da Idade Média;
aponta a palavra “jubé” [jubê] (em ordens religiosas, além do fato de que é difícil ver pureza e inocência como
como as dos Templários, eram no “Jubé” que se qualificações vitais para um pedreiro medieval, não parece
efetuavam as punições ou penitências físicas dos haver nenhum indício de que esses artesões tenham, em
pecadores); tal significado permanece hoje na algum momento, vestido aventais de pele de cordeiro,
expressão “venir à jubé” (vir ao local da punição); a atestam-no desenhos e pinturas da época, retratando esses
palavra “jubé” vive no ritual maçônico com esse homens em atividade na construção de castelos e catedrais).
sentido de punição; para lembrar os destinos dos três Os que estudam a história maçônica sabem que
assassinos de Hiram Abiff, que foram punidos por houve frequentes alegações, depois que a Maçonaria veio a
Salomão, os originadores da alegoria podiam tê-los público, em 1717, dessa conexão templária com a mesma,
chamados Jube Um, Dois e Três, mas resolveram que – insistimos – para sobreviver naquele contexto
diferenciá-los, usando os sufixos (masculino, feminino medieval de intolerância e perseguição da Igreja, tronou-se
e neutro do latim): Jubelo, Jubela e Jubejum; o termo uma Ordem secreta.
Uma dessas alegações, um indício inquestionável, Iniciática das Idades, introduzida pelos Templários, entrou
afirma que, no diário do Barão Von Hund, fundador da em tal decadência, que o moralista, Irmão Willliam Hogarth,
Ordem da Estrita Observância, na Alemanha, consta uma em sua pintura intitulada “A Noite”, retratou um Mestre
reunião em Paris, em 1743, em uma Ordem Maçônica Maçom embriagado sendo levado pelo Guarda da Loja,
Templária, onde nobres presentes (Lordes Kilmarnock e ambas com as insígnias maçônicas.
Clifford, Maçons Templários), entre outros contaram-lhe Fosse com vistas a perpetuar os Mistérios Maçônicos
que, na época da supressão dos Tem´plários, um grupo de na ocasião próxima de se perderem, ou, talvez, por
Cavaleiros fugira para Escócia e, ao unir-se a uma guilda inspiração da LEI, a Loja da Cervejaria do Ganso e da
de pedreiros, transformando-a na Loja Maçônica Grelha, mais tarde, chamada Loja da antiguidade, tomou, em
Heredom, de Kilwinning, 1703, por seu Venerável Mestre, o
mantiveram viva a Ordem do Irmão Preston, a sábia decisão de
Templo. aceitar homens de todas as
Tal fato demonstra que, profissões e credos e renunciar a
antes de 1717, a Ordem Maçônica objetivo material da antiga
era uma verdadeira sociedade Confraria: a Construção.
secreta com muitas Lojas, como as Esse passo gigantesco deu
chamavam, por toda a Inglaterra, uma nova tônica à Maçonaria
Irlanda, Gália e Escócia. Por isso britânica e, mais tarde, tirou-a das
mesmo, a onda de pretextos tavernas e a colocou em Templos,
contra a formação da Grande Loja dando-lhe uma postura formal:
de Londres, que, além de violar os assim, o jantar, o vinho e o fumo
segredos da Ordem, assumiu uma foram substituídos por hinos,
postura de importância e incenso, música clássica, palestras e
antiguidade, quando, na verdade, concentração no Ritual.
tal prerrogativa deveria ser Tal direcionamento, em boa
atribuída à Escócia, o que ficou hora, recolocou a Maçonaria nos
demonstrado acima. trilhos do Simbolismo, do qual não poderia abrir mão,
Mais de seiscentos anos se passaram desde a transformando-a em Especulativa. Sentindo, então, que o
supressão dos Cavaleiros do Templo, mas sua herança mais importante não era a construção de monumentos de
vive na maior organização fraternal que já se conheceu. pedra, a Maçonaria Especulativa vem empenhando-se na
Momentos houve em que nossa Ordem fraquejou. reconstrução do homem, dando-lhe as ferramentas
No início do Século XVIII, afastando-se da Sabedoria simbólicas para sua edificação moral e espiritual. ?
a b

José Aírton de Carvalho – MI – 33º – ARLS Inconfidência nº 47 – GLMMG


Oriente de Belo Horizonte-MG – Acadêmico e Editorialista do Jornal Maçônico Fiat Lux

O
objetivo deste trabalho é despertar O Povo Judeu - A história judaica,
nos Irmãos o interesse pelo estudo, segundo alguns estudiosos, tem trazido alguns
particularmente, ao que se relaciona conflitos quanto à questão de determinar,
à nossa Excelsa Ordem. Para tanto, viajamos precisamente, quando se inicia a história do
nas páginas de algumas obras de renomados povo judeu: se como grupo étnico, religioso ou
autores, buscando as evidências da influência cultural, e, ainda, as fontes que determinam
judaica na história da Maçonaria. essa história. Geralmente, os documentos extra-
Na verdade, trata-se de uma sinopse, bíblicos relacionados ao período mais antigo da
pois, seria impossível em tão curto espaço, história judaica são escassos e objeto de
tratar, com profundidade, de um assunto tão discussão. A Bíblia é a referência da história
vasto, objeto de uma monografia. desse povo.
De acordo com as Escrituras Sagradas, “por volta foi seu filho Salomão, que construiu palácios, fortificações e
de 1800 a.C., Abraão recebe um sinal de Deus para abandonar o o Templo de Jerusalém.
politeísmo e para viver em Canaã (atual Palestina). Isaac, filho Após a morte de Salomão, as Doze Tribos de Israel
de Abraão, tem um filho chamado Jacó. Este luta, num certo dia, dividiram-se em dois reinos: o Reino de Israel, ao Norte, com
com um anjo de Deus e tem seu nome mudado para Israel. Os capital em Samaria, formado por dez tribos sob a égide de
doze filhos de Jacó dão origem às doze tribos que formavam o Jeroboão; o Reino de Judá, ao Sul, com capital em Jerusalém,
povo judeu. Por volta de 1700 a.C., o povo judeu migra para o formado pelas outras duas tribos, aos cuidados de Roboão,
Egito, porém são escravizados pelos faraós por aproximadamente filho de Salomão. O Reino de Israel foi conquistado por
400 anos. A libertação do povo judeu ocorre por volta de 1300 Sargão II, do Império Assírio, em 722 a.C.. As tribos israelitas
a.C.. A fuga do Egito foi comandada por Moisés, que recebe as desapareceram e seus integrantes foram mortos ou
Tábuas dos Dez Mandamentos no Monte Sinai. Durante 40 deportados pelos invasores e espalhada pelo Império Assírio
anos ficam peregrinando pelo deserto, até receber um sinal de Na Judéia, em um tempo de dominação síria, no
Deus para voltarem para a Terra Prometida, Canaã”. período helenístico, um rebelde toma a liderança nas
Governados por patriarcas, os hebreus viveram na revoltas e vence seguidas batalhas pela libertação da Judéia.
Palestina durante três séculos. Os principais patriarcas Filho mais velho do sacerdote Matatias, Judas, o Macabeu,
hebreus foram Abraão (o primeiro), Isaac, Jacó (também, deu início a dinastia Hasmoneana. Dinastia que reinou sobre
chamado de Israel, daí o a Judéia por mais de um
nome israelita), Moisés e século. E em 39 a.C., o
Josué. Senado Romano nomeou
A princípio, os Herodes para ser rei da
hebreus eram pastores Judéia, acabando com o
nômades (não tinham domínio macabeu.
habitação fixa), que se No ano 70 de nossa
dedicavam à criação de era, o Imperador romano
ovelhas e cabras. Os bens Tito, sufocou uma rebelião
pertenciam a todos do hebraica e destruiu o
clã. A Palestina era uma segundo Templo de
pequena faixa de terra, Jerusalém. Os hebreus,
que se estendia pelo vale então, dispersaram-se por
do rio Jordão. Os doze várias regiões do mundo.
filhos de Jacó originaram Esse episódio ficou
as Doze Tribos de Israel, conhecido como Diáspora
constituindo assim, o (Dispersão). No ano de 136,
povo hebreu. Os hebreus eram um povo de origem semita sofreram a Segunda Diáspora, no reinado de Adriano
(os semitas compreendem dois importantes povos: os (Imperador romano), os judeus foram, definitivamente,
hebreus e os árabes), que se distinguiram de outros povos expulsos da Palestina.
da antigüidade por sua crença religiosa. A história do Povo Judeu é marcada por perseguições
Os hebreus eram inicialmente, um pequeno grupo desde a sua formação, passando pela Idade Média e pelo
de pastores nômades, organizados em clãs ou tribos, holocausto da 2ª Grande Guerra Mundial, imposto pelo nazismo.
chefiadas por um patriarca. Liderados então, pelo Somente em 1948, os judeus puderam se reunir em
patriarca Moisés, os hebreus abandonaram o Egito em um Estado independente, com a determinação da ONU
1250 a.C., retornando à Palestina. (Organização das Nações Unidas), que criou o Estado de
No período de lutas pela conquista da Palestina, Israel.
que durou quase dois séculos, os hebreus foram Nesta síntese, sobre o Povo Judeu, ressaltamos que a
governados pelos Juízes, que eram chefes políticos, religião é uma das principais bases da cultura hebraica e
militares e religiosos. Embora comandassem os hebreus de representa a mais notável contribuição cultural dos hebreus
forma enérgica, não tinham uma estrutura administrativa ao mundo ocidental; que a palavra "judeu", originalmente,
permanente. A sequência de lutas e problemas sociais era usada para designar aos filhos de Judá, filho de Jacó,
criou a necessidade de um comando militar único. Os posteriormente, foi designado aos nascidos na Judéia; a
hebreus adotaram então, a monarquia. tradição judaica defende que a origem deles dá-se com a
O primeiro rei dos hebreus foi Saul (1010 a.C.). libertação dos filhos de Israel da terra do Egito pelas mãos de
Depois, veio o rei Davi (1006-966 a.C.). O sucessor de Davi Moisés.
Maçonaria - Muito se questiona, discute e escreve retilíneo onde o homem sábio e virtuoso encontrará na paz e
a respeito do início da Maçonaria. A Maçonaria notabiliza- no equilíbrio interior o sentido e a verdade que procura. A
se por ser a fiel guardiã das tradições das culturas, verdade que procuramos não é aquela imposta e absoluta,
filosofias, sociedades e correntes de pensamento, mas aquela construída na prática da solidariedade, no
compiladas de várias civilizações. É definida como uma respeito aos princípios que, favorecendo a transformação,
Instituição iniciática, simbólica e filosófica que, através elevem o espírito promovendo a paz interior e o equilíbrio
dos símbolos da construção, transmite aos seus adeptos emocional.
uma filosofia progressista, cujo escopo é a construção de Através da linguagem simbólica reúne, reconhece e
um Templo perfeito (o Templo Interior), e para tanto, se faz reconhecida, transmitindo em um processo contínuo e
recorre às ferramentas dos pedreiros, para o desbaste das permanente, princípios, sentimentos e calor fraternal,
asperezas da Pedra Bruta, que deve ser utilizada na gratificando seus Obreiros, aproximando-os, fortalecendo-os,
edificação desse Templo. promovendo pela harmonia o equilíbrio interior, fazendo-os
Nos Estatutos e Regulamentos Gerais do Grande sentir as luzes da chama divina.
Oriente da França, publicado em 1839, encontramos uma “Só a perfeita compreensão destas verdades favorecerá um
das melhores definições sobre Maçonaria: “A Ordem caminhar unidirecional de nossas Lojas conduzindo seus Obreiros
Maçônica tem por objeto o exercício da solidariedade, o estudo aos verdadeiros objetivos da Sublime Ordem: o Homem”
da moral universal, das ciências, das artes, e a prática de todas Influência Judaica na Maçonaria - Há certa
as virtudes”. dificuldade, quando
A Maçonaria tentamos tratar da
ensina ao homem a ser influência da tradição
livre, de bons costumes, judaica na Maçonaria. As
leal, praticante da informações são escassas e
verdade e da justiça, o assunto não é tratado
desprezando os com conhecimento e
preconceitos, profundidade, por parte
trabalhando o seu de alguns escritores
próprio Ser no combate maçônicos, levando-nos,
aos vícios morais, para por vezes, à erronia. Ao
que se torne uma mencionar a influência
referência, por seus judaica na Maçonaria
exemplos, àqueles com devemos nos deter a
quem convive. alguns traços da cultura
Na sua judaica.
ritualística, a Os Templos
Maçonaria exalta a Maçônicos têm a sua
grandiosidade da origem no Tabernáculo
Natureza e seus elementos, fazendo com que o Obreiro se hebreu; os ritos praticados em Loja, as palavras dos diversos
torne consciente desses princípios, a fim de trabalhar em graus, as lendas e nomes têm uma estreita ligação com a
harmonia com a Natureza Universal e alcançar com tradição divulgada na Bíblia Sagrada, especificamente, nas
Sabedoria, Força e Beleza, a sua natureza interior. Dessa tradições e práticas dos judeus do Velho Testamento.
forma, a Maçonaria associa-se à tradição da Sagrada Arte A Maçonaria fundamentou sua doutrina, através da
da Construção, e a tradição hebraica aliada à Lenda do alegoria da construção do Templo de Jerusalém, idealizado
construtor, na figura de Hiram Abiff. por David e executado por seu filho Salomão, com a
O Maçom especulativo, iluminado pelas leis cooperação dos fenícios, Hiram, Rei de Tiro, e do arquiteto
judaicas expressas no Livro da Lei, deve, sob o modelo da Hiram Abiff. Todos esses elementos vieram a ser agrupados
alegoria do Construtor Sagrado e auxiliado pelos na Maçonaria Especulativa, para simbolizar o trabalho que o
conhecimentos da Antiguidade, erguer o Templo Interno Maçom deve realizar como construtor de si mesmo.
de sua personalidade, a fim de abrigar a Individualidade As Colunas do Templo de Jerusalém estão em nossos
Superior para a Glória do Grande Arquiteto do Universo. Templos, nas colunas “J”, “B” e representam os pontos
A Maçonaria, ao contrário do que se pensa, solsticiais. “Por entre elas passam todos aqueles que, ansiosos pela
estando sempre à frente de nosso tempo, oferece respostas Luz ou conhecimento solar, procuram, identificar-se com os mais
que bem interpretadas mostram-nos um direcionamento altos princípios do Universo”.
A Escada de Jacob, que a Maçonaria adotou como uma emanação divina, tendo grande importância a
ligação do plano material com o plano superior, também, interpretação e deciframento dos textos bíblicos do Antigo
está ligada às tradições judaico-cristãs. Os ritos e símbolos Testamento.
maçônicos nos recordam, constantemente, a Cabala e o A chave de seu ocultismo repousa como a do
Judaísmo. Na construção do Templo de Talmude, sobre o valor dos números, a
Jerusalém, na Estrela de David, no Selo de combinação das 22 letras do alfabeto
Salomão, nos nomes dos diferentes Graus, hebraico e a força oculta do Tetragrama
nas Palavras usuais, na Numerologia e a (IHVH), que se encontra no centro do
própria da Cabala, testemunham a triângulo flamejante da Maçonaria.
influência cabalística na Maçonaria. “Apesar de tudo, de toda influência
A Cabala é a tradição esotérica e hebraica, é bom que fique bem claro que a
o conjunto das doutrinas secretas do Maçonaria não é judaica”.
judaísmo. É um sistema filosófico- “A glória do mundo é transitória, e não
religioso judaico de origem medieval é ela que nos dá a dimensão de nossa vida - mas
(século XII-XIII), mas que integra a escolha que fazemos, de seguir nossa lenda
elementos que remontam ao início da era Cristã. pessoal, acreditar em nossas utopias, e lutar por nossos sonhos.
Compreende preceitos práticos, especulações de natureza Somos todos protagonistas de nossas vidas, e, muitas vezes, são os
mística, esotérica e taumatúrgica; afirma que o universo é heróis anônimos que deixam as marcas mais duradouras”. ?
a b

Vagner Roberto Alves de Souza – MI – ARLSGB Carlos Gomes nº 1598- GOB-SP


Oriente de São Paulo-SP – Teólogo – Mestre em Filosofia

M
eus nobres Irmãos a Maçonaria é uma Ordem propósito da Maçonaria, suas leis, história e filosofia têm
Universal formada de homens de todas as sido divulgados em livros, que estão à venda em qualquer
raças, credos e nacionalidades, acolhidos por livraria e na internet. Os únicos segredos que a Maçonaria
suas qualidades morais e intelectuais, e reunidos com a conserva são as cerimônias empregadas na admissão de seus
finalidade de construírem membros, os meios usados
uma sociedade humana, pelos Maçons para se
fundada com bases no reconhecerem ou em nossas
Amor Fraternal; na sessões, que julgo ser o mais
Esperança, com amor a precioso e lindo, que
Deus, à Pátria, à Família e nenhum autor, até hoje,
ao Próximo; na Tolerância, conseguiu descrever.
Virtude e Sabedoria; na A Maçonaria não é
constante investigação da contra qualquer religião, ao
Verdade e sob a tríade contrário, ela recebeu muitas
Liberdade, Igualdade e influências delas, em
Fraternidade, dentro dos destaque, da Igreja
princípios da Ordem, da Protestante e Católica
Razão e da Justiça. Romana. Ela ensina e pratica
Diferente do que a tolerância, defendendo o
muitos Irmãos pensam, a direito do homem praticar a
Maçonaria não é uma religião de seu agrado e
sociedade secreta, no sentido como tal termo é, conforme a sua opção. A Maçonaria não dogmatiza as
geralmente, empregado. Uma sociedade secreta é aquela particularidades do credo e da religião de nenhum de seus
que tem objetivos secretos, e oculta sua existência, assim membros. Ela reconhece os benefícios e a bondade de todas
como, as datas e locais de suas sessões. O objetivo e o as religiões.
Nossa Ordem não é ateísta nem agnóstica. O ateu podemos ficar com o Reverendo Anderson.
é aquele que diz não acreditar em Deus, enquanto o No Brasil, a estrutura maçônica ficou bem definida
agnóstico é aquele que não pode afirmar, com a fundação do Grande Oriente do Brasil, em 1822, sendo
conscientemente, se Deus existe ou não. Para ser aceito e o Imperador Dom Pedro I o Grão-Mestre da Maçonaria
ingressar na Maçonaria, o candidato deve afirmar a crença Brasileira.
em Deus e não nos importa se O chama de Javé, Aláh, A Influência Protestante na Maçonaria - É inegável
Adonai, etc. que a Maçonaria Moderna foi organizada sob a influência
A Ordem conta com cerca de seis milhões de protestante. Os redatores do primeiro Estatuto (Anderson e
membros, atualmente, e tem uma longa história Desaguliers), por suas crenças, não poderiam deixar de
entrelaçada com o protestantismo, especialmente na Grã- introduzir princípios evangélicos na nova organização,
Bretanha, na Europa, nos Estados Unidos (com cerca de 4 principalmente, devido ao fim a que ela se destinava.
milhões de membros) e no Brasil. Ao mesmo tempo, a Provavelmente, devido a tais princípios, a Maçonaria se
fraternidade orgulha-se de contar com membros das elites desenvolveu muito nos países onde predominava a
do mundo, seja no passado ou no presente: Voltaire, influência protestante (Inglaterra, Alemanha e Estados
Mozart, Garibaldi e Goethe, até vários nobres da Europa, Unidos), propagando-se, depois, para o resto do mundo.
incluindo o rei da Suécia e a Rainha Elizabete II A Maçonaria e os Batistas no Mundo e no Brasil - A
(Grande Patronesa da Loja Britânica), além de maior igreja evangélica dos Estados Unidos da América, a
catorze presidentes dos Estados Unidos (Johnson, Convenção Batista do Sul, responsável, através da Junta
Ford, Reagan, etc.). George Washington, o de Richimond, pela implantação do trabalho batista no
primeiro presidente dos Estados Unidos, foi Brasil, possui um grande número de membros
Grão-Mestre, sendo considerado um dos maçons.
adeptos mais fiéis de todas as treze colônias Os emigrados dos EUA que se
de sua época. Não é por acaso que a cédula estabeleceram em Santa Bárbara, em São Paulo,
do dólar americano, que tem o retrato de fundaram, em 10 de setembro de 1871, a Igreja
Washington, traz a pirâmide, o esquadro, Batista, em Santa Bárbara, a primeira Igreja
a águia e outros Batista estabelecida em solo
símbolos maçônicos. brasileiro (Pr. Richard
Portanto, Ratcliff). Fundaram,
podemos definir também, em 1874, a Loja
claramente que a Maçônica "George
Maçonaria como sendo uma Washington", onde se
organização mundial de encontravam cerca de oito
homens livres e de bons batistas, sendo que, pelo
costumes, que, utilizando-se de formas menos, cinco deles foram, também,
simbólicas dos antigos construtores de fundadores da Primeira Igreja, entre eles estava
templos, voluntariamente, uniram-se para o o Pr. Robert Porter Thomas .
propósito comum de se aperfeiçoarem na sociedade. O Pr. Thomas foi interino por diversas
Admitindo em seu seio, homens de caráter, oportunidades, tanto na Primeira Igreja quanto na
independente de sua raça, cor ou credo, a Maçonaria se Igreja da Estação (segunda), fundada em 02 de novembro
esforça para constituir uma liga internacional de homens de 1879 (Pr. Elias Hoton Quillin). O pastorado interino
dedicados a viverem em paz, harmonia e afeição fraternal. do Pr. Thomas nas duas Igrejas somou cerca de 25 anos
Primeiro Estatuto da Organização que indica a de profícuo trabalho, sendo ele o que mais tempo
influência Protestante - Em 1723 foi publicado o primeiro pastoreou tais Igrejas. Em 12 de julho de 1880, a pedido
estatuto da novel organização, A Grande Loja de Londres, da Igreja da Estação, foi formado um Concílio reunindo
conhecido, mundialmente, como "Constituições de as duas Igrejas, para Recepção e Consagração ao
Anderson", por ter sido compilada e redigida pelo Ministério do Irmão Antônio Teixeira de Albuquerque,
Reverendo Presbiteriano James Anderson (1630-1739). tendo sido batizado pelo Pr. Thomas. Foi moderador do
Outros dizem ser as "Constituições" obra de seu Concílio que se realizou no salão da Loja Maçônica, o Pr.
prefaceador, o Reverendo Anglicano João Teófilo Quillin, conforme se descreve na carta subscrita pelo
Desaguliers (1683-1744), de família francesa, que emigrou moderador e pelo secretário do Concílio ao Foreign
para a Inglaterra após a revogação do Edito de Nantes, Mission Board of fhe Soufhern Baptist Convention
mas conforme nossa corrente dominante aqui no Brasil, (Richmond, VA., U. S.A. ).
Interessante observarmos que o primeiro Pastor se dissesse: 'Estamos perdidos!'
batista brasileiro, além de ter sido batizado por um Pastor, Como um raio de luz, veio-me o
que era Maçom, foi, ainda, consagrado ao Ministério da pensamento de fazer o sinal de
Palavra no salão de uma Loja Maçônica. É importante perigo da Maçonaria. Seria
recordar que a Igreja em Santa Bárbara era uma igreja possível que naquele lugar houvesse
missionária. Foi ela que insistiu e conseguiu, que a "Junta um irmão maçom? Tentei o sinal, e
de Richmond" nomeasse missionários para o Brasil, pareceu-me como se alguém estivesse
estabelecendo-se, então, em Sta. Bárbara a "Missão Batista esperando por isso, pois, em menos
no Brasil". O primeiro missionário foi o Pr. Quillin (1878), de cinco minutos, cerca de meia
com sustento próprio. Seguiram-se, sustentados pela dúzia de homens se aproximou de
"Junta": Bagby (1880), Taylor; (1882), Soper; (1885), mim e me rodeou e me disse que me
Putheff; (1885) e outros, sendo que Bagby, Soper e Putheff veio buscar para a sua casa. Logo, fiquei livre e, seguramente,
foram pastores da Igreja em Sta. Bárbara, que tinha, entre instalado em uma das melhores residências da cidade, protegido por
seus membros, um expressivo grupo de maçons. soldados, com suas carabinas de prontidão. Agradeci ao meu Pai
Missionário Salomão Ginsburg - Em 1921, Celeste pelo livramento que me deu, tão maravilhosamente,
Salomão Luiz Ginsburg, Missionário da Junta de Missões daquela multidão enfurecida."
Estrangeiras de Richmond, publicou o livro "Um Judeu Foi Ginsburg o editor do Cantor Cristão, hinário das
Errante no Brasil", sua autobiografia. Encontra-se em Igrejas Batistas do Brasil, inicialmente, com 16 hinos, em
algumas partes de seu relato a descrição de sua condição 1891, e na edição atual do referido Cantor ele aparece como
de Maçom. Nas páginas de número 81 a 83, o missionário autor ou tradutor de 102 hinos. O Pr. Ebenezer Soares
Salomão Ginsburg narra um contratempo que passou na Ferreira (veja O Jornal Batista nº 30 de 24/07/94), destaca que
cidade de Queimadas, interior da Bahia, e diz ele: "... Ginsburg foi o fundador, na cidade de São Fidélis, no Estado
Coloquei o meu harmônio no lugar mais central da feira e do Rio de Janeiro, da Loja Maçônica Auxílio à Virtude
comecei a tocar alguns hinos... Pondo-me de pé sobre um (02/07/1894) e da "Egreja De Christo, chamada Batista"
tamborete comecei a explicar-lhes a minha missão e objetivo, (...) (27/07/1894), que foi a primeira Igreja Batista em São Fidélis.
anunciar-lhes o grande dom de Deus: um Salvador, cujas Segundo o mesmo autor (9, pg. 64), o primeiro
dádivas eram de graça e cujas bênçãos concedidas a quem lhas Templo batista construído no Brasil, foi o da Primeira Igreja
pedisse... o colportor chamou-me a atenção para um Batista de Campos, edificado sob o pastorado de Salomão
movimento... parentes do padre do lugar estavam concitando os Ginsburg e com a colaboração financeira dos Maçons.
fanáticos contra mim, dizendo-lhes que eu era o anticristo, há Ginsburg fundou, em 1902, o Seminário Teológico Batista do
muito esperado... Diversas pessoas tiraram os seus punhais e os Norte do Brasil, e foi um porta-voz da necessidade dos
afiavam nas palmas das mãos, e os apontavam para mim, como batistas brasileiros organizarem-se em uma Convenção
se disessem: 'isto fará ao senhor muito bem!' Oh! como orei, Nacional, o que aconteceu em 1907 com a criação da
pedindo ao centenária Convenção Batista Brasileira.
Senhor que me O Missionário Salomão Luiz Ginsburg foi membro
mostrasse a de diversas Lojas maçônicas as quais destacamos: "Duke de
escapatória, não Clarence Lodge", na cidade de Salvador, BA; Restauração
tanto por minha Pernambucana, em Recife, PE; Progresso, em Campos, RJ;
causa, mas por Auxilio à Virtude, em São Fidélis, RJ ; na jurisdição da
causa do homem Grande Loja Maçônica do Estado do Espírito Santo é o
que, tão patrono da Loja "Salomão Ginsburg n° 3".
bondosamente, José de Souza Marques - O Pastor José de Souza
deixara sua Marques, que foi Presidente da Convenção Batista Carioca e
esposa e filhos e da Convenção Batista Brasileira, tendo em 1940, na
viera comigo Convenção da Bahia, organizado a Aliança dos Pastores
ajudar-me no Batistas Brasileiros, que mais tarde tomou o nome de Ordem
trabalho... Ele dos Ministros Batistas do Brasil, permanecendo em sua
me olhou várias presidência até 1962, cujo fruto todos conhecem, exerceu
vezes com os cargos importantes na administração maçônica, tendo sido,
olhos rasos de inclusive, presidente, por muito tempo, do Supremo
lágrimas, como Tribunal de Justiça Maçônica. Ainda hoje, a única foto
existente no Salão do Conselho do Palácio Maçônico do causa do juramento. Diziam-se preocupadas pela salvação
Lavradio, no RJ, é a do Pr. Souza Marques. No mesmo da alma do jurador no caso dele perjurar-se. Na realidade,
Palácio, a sala de Tribunal de Justiça tem o nome de José tentavam com semelhantes pretextos especiosos, impedir o
de Souza Marques. Foi, também, Membro Efetivo do funcionamento das Gui1das temidas politicamente (8, pg.
Supremo Conselho do Brasil para o Rito Escocês Antigo e 46).
Aceito, encontrando-se em sua sede, em exposição, um Análise do resultado da influência Católica na
retrato pintado a óleo do Pastor Souza Marques. Inúmeros Maçonaria - A perseguição dos Papas da Igreja Romana
outros homens de fé, verdadeiros contra a Maçonaria começou pela edição
cristãos, inclusive batistas de da Bula "II Eminenti" (6, pg. 379), em 28
relevância na denominação, têm sido de abril de 1738, por Clemente XII e, até
maçons sem encontrar 1907, seguiram-se mais 25 documentos
incompatibilidades entre a Fé Cristã e entre "Bulas", "Encíclicas" e outros, de
a prática maçônica. ataque à Maçonaria. Em 18 de maio de
Os adversários da Maçonaria - 1751, o papa Bento XIV publicou a Bula
Existem pessoas que têm razões para "Providas" (6, pg. 381), onde, referindo-se
se oporem à Maçonaria. Todos os que à "II Eminenti", declarou: "Finalmente,
defendem princípios contrários aos entre as causas mais graves das supraditas
princípios maçônicos são adversários proibições e ordenações enunciadas na
da Maçonaria. Entre tais, destacamos: constituição acima inserida a primeira é:
os Papas da Igreja Romana; os sectários que nas sociedades e assembleias secretas,
contrários ao livre arbítrio; os estão filiados, indistintamente, homens de
totalitários (nazistas, comunistas, todos os credos; daí, ser evidente a
membros da TFP e outros); os fanáticos resultante de um grande perigo para a
e muitos outros. A perseguição aos pureza da religião Católica." Seguem-se
Maçons, devido aos princípios que mais cinco causas, proclamando-se
defendem, é antiga. contra a obrigação do segredo, a forma
O primeiro documento encontrado combatendo a de compromisso, a liberdade de reunião e outras.
Maçonaria é uma Capitular de Carlos Magno do ano de Conclama os Bispos, Superiores, Prelados e Ordinários, a
779, proibindo a reunião das Guildas. As autoridades não deixarem de solicitar o poder secular, para a
laicas alegavam que os associados se reuniam em execução das referidas regras. Foi assim decretada a
banquetes periódicos, a fim de se entregarem ao vício da "Inquisição" contra os Maçons, pela oposição papal à
embriaguez, e as autoridades eclesiásticas afirmavam que Instituição, com as consequências que a história,
a perseguição, que moviam contra as Guildas, era por amplamente, registra. ?
a b

Renato Gabriel – MI – 33º – MRM - ARLSGB Fidelidade Mineira – GOB – MG Oriente de Juiz de Fora – MG
Presidente AMLetras de Juiz de Fora–MG – Presidente (p/ MG) da AM Internacional de Letras

A
Maçonaria Norte Americana é a maior do simbólicos, em termos de Maçonaria mundial ou brasileira,
mundo, já tendo, num passado recente, cerca de sendo que eles influenciaram, apenas, os seus próprios
4,1 milhões de maçons (1960), e, hoje, tem cerca rituais. Cerca de 51 Grandes Lojas Americanas
de 1,5 milhões de maçons (2007), correspondendo, (praticamente, uma por estado) praticam, basicamente, o
aproximadamente, a 60% da Maçonaria mundial. Apenas mesmo ritual simbólico, porém, com trabalhos levemente
para comparação, temos, hoje, no Brasil cerca de 120 mil diferentes de uma para outra Grande Loja, sendo que existe
maçons, correspondendo, aproximadamente, a 2,5% da duas correntes equilibradas, em números, de Grandes Lojas:
Maçonaria mundial e somos a terceira do mundo. uma corrente recebido em seu início a influência da “Grande
Ritualisticamente falando, praticamente, não Loja da Inglaterra (modernos)” e outra da chamada “Grande
houve influência americana nos rituais dos graus Loja dos Antigos”.
A influência aconteceu, de fato, por sua pujança Provincial de São João" e, imediatamente, foi criada uma
econômica e influência política na história do próprio Loja, que recebeu o nº 126, nos registros da Grande Loja da
Estados Unidos, tendo tido, também, influência política Inglaterra e que, ainda, está em pleno funcionamento. No
nos movimentos libertários das Américas. Influenciou, ano seguinte a mesma Grande Loja fundou uma Loja em
também, os Altos Graus do R∴E∴A∴A∴ e o Rito de Filadélfia, tendo sido o seu primeiro Venerável Mestre
York. Benjamim FrankIin. No ano de 1752, ingressou na
Breve história da Maçonaria Americana - Maçonaria, na Loja Frederiesbourg, na Virgínia, o grande
Chegada à América com os primeiros colonizadores, Maçom George Washington.
acredita-se que o primeiro Maçom a pisar em solo Em Boston, no ano de 1752, alguns Maçons passaram
americano tenha sido John Skene, membro da Loja a reunir-se, intitulando-se de "Antigos Maçons", da mesma
Aberdeen, da Escócia. Skene foi residir em Burlington, maneira que outros faziam na Inglaterra, transpondo, assim,
New Jersey, no ano de 1682. para a América as divisões lá existentes. Esses Irmãos, ainda,
Indiscutivelmente, o avanço que seguiu a naquele ano criaram a "Loja de Santo André no 82".
Maçonaria nos Estados Unidos, não somente no número Os "Antigos Maçons", de Boston, com autorização da
de Oficinas e de seus Obreiros, mas, e principalmente, Grande Loja da Escócia, através de seu Grão-Mestre, Conde
pela atmosfera de paz e de ordem reinantes entre os Dalhousie, no dia de São João Evangelista, do ano de 1769,
diferentes corpos - quer reuniram-se em Assembleia e
simbólicos, quer filosóficos - criaram a Grande Loja de
fazem aquela Fraternidade Massachusetts, que veio a ter os
digna dos maiores elogios de seus poderes renovados em
todo o mundo maçônico. 1773, estendendo o seu poder
Os documentos para toda a América. Seu
maçônicos mais antigos do primeiro Grão-Mestre foi Pierre
período colonial são os Warren, que veio a falecer na
registros da Loja que se reunia batalha de Bunkershill.
na “Tun Tavern”, na Filadélfia. Não somente devido a
Os primeiros registros dessa morte de Warren, mas,
Loja estão datados de 24 de principalmente, pelos efeitos da
junho de 1738. Ela foi Guerra de Secessão, a Maçonaria
chamada de "Loja Direitos sofreu uma dispersão, o que lhe
Imemoriais (Immemorial causou bastante prejuízos.
Rights), o que significa não A luta armada foi penosa
estar jurisdicionada a qualquer para a Instituição, pois havia
Grande Loja. Maçons nos dois lados em
Entretanto, a primeira combate. No decorrer da
autorização oficial para que campanha formaram-se Lojas
fosse implantada a Maçonaria Militares, para acompanharem
na América foi expedida, em as tropas em seus
1730, pelo Grão-Mestre inglês deslocamentos, tendo, dentre
Thomas Howard, VIII Duque elas, se celebrizado a "American
de Norfolk, ao Maçom Daniel Union Lodge".
Cox, na qualidade de Grão-Mestre Provincial de New Em 8 de março de 1777, os "Antigos" reuniram-se em
Jersey. Não consta que ele tenha fundado qualquer Assembleia e elegeram, em substituição ao falecido Warren,
Oficina. para Grão-Mestre Johan Webb que, ao assumir o posto e com
Em 30 de abril de 1733, o Visconde Montague, aprovação dos presentes, declarou a sua Grande Loja
Grão-Mestre da Grande Loja da Inglaterra, nomeou Henry autônoma e independente da Escócia.
Price, membro da Loja no 75, de Londres, como Grão- A "Grande Loja de São João", em Boston, reativou os
Mestre Provincial da Nova Inglaterra e lhe outorgou a seus trabalhos após o término da guerra e, em 1783, também,
faculdade de poder nomear os outros oficiais necessários à declarou-se autônoma e independente da Grande Loja da
formação de uma Grande Loja. Inglaterra. Desde antes da guerra, a Maçonaria havia
No dia 30 de julho de 1733, na Taverna dos Cachos estabelecido uma sólida estabilidade na América e
de Uva, em Boston, Price fundou a "Grande Loja espalhara-se pelas 13 colônias.
À medida em que o tempo transcorria, foi-se tornando Paul Revere, John Marshall, Joseph Warren e John Paul Jones
evidente, para os Irmãos das duas Grandes Lojas e outros.
existentes em Boston, os inconvenientes da coexistência de Em 18 setembro de 1793, o Irmão George
duas Potências, vizinhas e com igual jurisdição. Washington, George Washington, em uma cerimônia
Resolveram, então, fundirem-se, num belo exemplo para a maçônica, assentou a pedra fundamental do Capitólio.
humanidade, restabelecendo a harmonia, a confiança e a Depois que tomou posse George Washington prestou
fraternidade entre os Maçons. Assim, a partir de 1794, juramento sobre a bíblia que pertencia à “John's Lodge No.
passaram a se organizar Grandes Lojas em cada uma das 1” de Nova York, dizendo ao final , proferiu as seguintes
treze colônias e mais tarde em cada Estado americano. palavras: "que assim Deus me ajude", e beijou a Bíblia. Com
A primeira Grande Loja Americana, fundada nos isso, foi criado uma tradição que se repete a cada posse de
Estados Unidos, foi a Grande Loja da Virginia, AF. & AM. presidente, sendo que, essa Bíblia se encontra na Grande
(Ancient Free & Accepted Masons - Maçons Antigos Loja de Nova York e é, exclusivamente, emprestada para
Livres e Aceitos), organizada em 13 de outubro de 1775. essas ocasiões.
Existem, hoje, nos Estados Unidos, cinquenta e uma Influência Americana na Maçonaria Mundial -
Grandes Lojas, sendo que a metade delas se denominam Conforme já dissemos, tal influência aconteceu, de fato, por
AF. & AM. (Ancient Free & Accepted MasonsMaçons sua pujança econômica e influência política na história do
Antigos Livres e Aceitos) e as demais F. & AM. (Free & próprio EUA, que acabou influenciando todo o mundo e
Accepted Masons - Maçons Livres e Aceitos). A diferença contribuindo, em muito, para a fama de “poder” da
existente entre as duas classificações originou-se do fato Maçonaria. A Maçonaria americana teve, também, influência
de haverem, as Grandes Lojas, política nos movimentos
quando de sua criação, libertários das Américas e nos
recebido suas Cartas Altos Graus.
Constitutivas da Grande Loja Influência Americana no
da Inglaterra (dos Modernos) R∴E∴A∴A∴ - A maioria dos
ou da Grande Loja dos autores considera que o
Antigos, inicialmente, filiada à R∴E∴A∴A∴ foi criado em 1758,
Grande Loja da Escócia. por Pirlet, em Paris, com a
Parece um paradoxo, fundação do Conselho dos
mas todos os problemas Imperadores do Oriente e do
enfrentados pela Ordem nos Ocidente, pois, nesse Conselho,
Estados Unidos fizeram dela a no mesmo ano, foi criado um
mais tranquila Fraternidade do sistema de 25 Graus, que só foi
mundo, estendendo-se por inscrito, oficialmente, no
todas as cidades e vilas do Conselho, em 1762, e era chamado
país. E mais, cada Grande Loja mantém fraternal de “Rito de Perfeição ou de Heredom”
correspondência com todas as outras. Para a solução de Em 1761, Etienne Morin (que alguns afirmam se
problemas que, porventura, venham ocorrer, foi criado um chamar Stephen e não Etienne) recebeu a Carta-Patente do
"System of Commettee", que abrange os Altos Corpos dos Conselho, que o autorizava a fundar Lojas dos Altos Graus
quatro Ritos (Real Arco, o Conselho Cripto, a Cavalaria no novo mundo. Chegando, Morin, em São Domingos,
Templária e o Rito Escocês). Foram maçons os seguintes iniciou a disseminação do rito e nomeou muitos Inspetores,
presidentes americanos: George Washington, James tanto para as Índias Ocidentais como para os Estados
Monroe, Andrew Jackson, James K. Polk, James Buchanan, Unidos.
Andrew Johnson, James A. Garfield, William McKinley, Assim, foi na América do Norte que se operou a
Theodore Roosevelt, William Howard Taft, Warren G. transformação do Rito de Perfeição com 25º Graus para o
Harding, Franklin D. Roosevelt, Harry S. Truman, Gerald Rito Escocês Antigo e Aceito composto de 33º, em 1783, por
Ford R.. Algumas autoridades, também, incluem Thomas Isaac da Costa. Deve ser observado que, para dar maior
Jefferson e James Madison, mas não existem evidências credibilidade ao rito, foi nesse período inventada a “Lenda
documentais. Lyndon B. Johnson recebeu o Grau de de Frederico II, na criação do Rito Escocês de 33º”, hoje,
Aprendiz, mas não avançou para outros graus (16 em 44 totalmente, esclarecida e desmistificada. Em Charleston, foi
presidentes). criado, em 1801, o primeiro Supremo Conselho do Grau 33º,
Outros famosos americanos, durante a Revolução, conhecido como Supremo Conselho "Mãe" do mundo
foram maçons, como Benjamin Franklin, John Hancock, (Mother Supreme Council), com jurisdição sobre todos os
Estados a Oeste do Mississipi e ao Sul do Ohio, conhecido – 1ª Entidade (Grandes Lojas); Supremo Grande Capítulo do
como jurisdição meridional, com sede hoje em Real Arco – 2ª Entidade (4 Graus); Supremo Grande
Washington, sendo que, para os Estados a Leste do Conselho da Maçonaria Cripta - 3ª Entidade (3 Graus);
Mississipi e ao Norte de Ohio, com sede em Boston, Ordens de Cavalaria: Ordem da Cruz Vermelha - 4ª Entidade
conhecido como jurisdição setentrional, foi organizado, Ordem de Malta - 5ª Entidade Ordem dos Cavaleiros
em 1813, outro Supremo Conselho. Templários - 6ª Entidade.
É preciso destacar que, ambos não se arrogam o Em Minas Gerais, Brasil, temos 2 Capítulos do Real
direito de intromissão nos assuntos das Lojas do Arco, sendo que, o primeiro, é o Capítulo Fraternidade nº 17,
Simbolismo, que são organizações, absolutamente, de Juiz de Fora, e o segundo, o Capítulo Belo Horizonte nº
separadas e independentes. 34, fundado em 13 de dezembro
Em 1802, foi de 2009, pelo Capítulo de Juiz de
outorgada uma patente a De Fora, com o apoio do “Supremo
Grasse-Tilly pelo novo Grande Capítulo de Maçons do
Supremo Conselho 33º, de Real Arco do Brasil”.
Charleston. Certifica essa Maçonaria Americana
patente que ele foi aprovado Contemporânea - A Maçonaria
em todos os Graus do Rito e o Americana está constituída pelas
autoriza a erguer Lojas, 51 Grandes Lojas estaduais, de
Capítulos, Conselhos e origem Inglesas ou Escocesas
Consistórios em ambos os (Grande Loja dos Antigos –
hemisférios, nomeando-o inglesa), um certo número de
Soberano Grande Comendador perpétuo de um Supremo Grandes Lojas hispânicas, que não consegui quantificar,
Conselho para as Antilhas. O Conde De Grasse-Tilly formadas, principalmente, por descendentes de origem
introduziu o rito na França, em 1804. Dali passou para a hispânica, e um certo número de Grandes Lojas da chamada
Itália, em 1805, na Espanha, em 1811 e, na Bélgica, em “Prince Hall Freemasonry”, que, também, não consegui
1817. Em 1824, criou-se o Supremo Conselho para a quantificar, formadas, exclusivamente, por negros.
Irlanda. O Supremo Conselho da Inglaterra e Gales foi Atualmente, apenas, em alguns estados existe um
criado em 1845, e o da Escócia, um ano mais tarde. relacionamento de reconhecimento entre elas, apesar de todos
O Rito de York Americano - O Rito de York apelos pelos “Direitos Humanos” e a igualdade entre todos
Americano tem a seguinte estrutura: Maçonaria Simbólica seres humanos. ?
a b

Sérgio Quirino Guimarães – MI – 33º – Venerável Mestre da ARLS Presidente Roosevelt – GLMMG
Oriente de Belo Horizonte-MG – MMM – Editor do PROMAÇOM - Acadêmico

T
enho o imenso prazer em abrir o Segundo Davi que derrotou
Encontro Maçônico Sul-Mineiro: “Influências na o gigante
Maçonaria”, porém gostaria, antes, de trazer aos guerreiro Golias
Irmãos o fruto de minha pesquisa sobre a Influência Persa com, apenas, uma
e Egípcia na Maçonaria, gerar inquietudes sobre a funda e pedras?
possibilidade de todos e tudo que compõem a criação do Mas como
Grande Arquiteto do Universo de se transformarem e passar essa
promoverem transformações. mensagem ao
A vida é a grande ligação entre o Ser e o ambiente, povo Inuit
o Ser influencia o ambiente, assim como, o ambiente (Esquimós), se eles
influencia o Ser. Ao usar a palavra ambiente, quero desconhecem a guerra, todos são de baixa estatura e pedra
expressar não só a estrutura material que cerca o só de gelo? Se me permitem uma comparação, eu diria que
indivíduo, como, também, suas relações pessoais para nossa Sublime Ordem é um “Ser Vivo” e, como tal, é regido
com a sociedade que está inserido. por Leis Universais e uma delas é a Evolução. Peço aos
Da transformação da Pedra Bruta para a Pedra Irmãos que compreendam que me guiarei por uma linha de
Cúbica os instrumentos usados poderão, até, serem os raciocínio bem ilustrativa, que poderá não ser operacional
mesmos, em diferentes latitudes e longitudes, porém a (Operativa), mas, com certeza, será quimérica (Especulativa).
técnica do lavrar está, diretamente, relacionada com a Em 1809, o naturalista francês Jean-Baptiste Lamarck
dinâmica histórica sociocultural da “Pedra”. Nós, publicou o livro Filosofia Zoológica (Teoria de Lamarck),
ocidentais, estamos baseados nos valores judaico-cristãos segundo o mesmo, o princípio evolutivo estaria baseado
e por que não acreditar no simbolismo do pequeno pastor em, apenas, duas Leis: 1ª ) Lei do Uso ou Desuso
(O uso de determinadas partes do corpo do organismo faz com Feito este longo “intróito biológico” esboçarei uma
que estas se desenvolvam, e o desuso faz com que se atrofiem); aula de Geografia. Antes mesmo de saber quais são as
2ª) Lei da Transmissão dos Caracteres Adquiridos Influências Persa na Maçonaria, precisamos localizar onde
(Alterações provocadas em determinadas características do fica a Pérsia, ou melhor, onde ficava o Império Persa. Seu
organismo, pelo uso e desuso, são transmitidas aos território inicial ocupava as terras entre o Mar Cáspio e o
descendentes.). Deixando a Biologia de lado, em Maçonaria, que, hoje, chamamos de Golfo Pérsico; é um grande planalto
podemos dizer que a Teoria de Lamarck é a justificativa de chamado de Planalto Iraniano, onde morava um povo forte e
várias atividades em Lojas, devido aos famosos “Usos e dividido em duas grandes tribos (Medos e Persas).
Costumes” locais. Os Medos tinham como líder o Rei Ciaxares e que
Os cientistas atuais rejeitam a Teoria de Lamarck durante anos subjulgou os Persas. Após a morte desse
por causa de um simples detalhe: “Características mandatário, os Persas tendo à frente Ciro tomaram o poder, em
adquiridas não são hereditárias” e o mesmo acontece em 559 a.C., e assim, propriamente dito, começou o Império Persa.
nosso labor. Algumas Lojas fazem belíssimas aberturas O então, Rei Ciro armou-se de um poderoso exército e
dos trabalhos, com acendimento das velas, leitura de conquistou muitos territórios, chegando a Babilônia, em 539
“Minutos de Sabedoria”, até “Amém” já ouvi, mas nada a.C., onde os judeus eram escravos e no ano seguinte,
disso faz parte do DNA da Maçonaria, são características historicamente, comprovado Ciro libertou os judeus do
da Loja ou de uma Potência, quando muito de um Rito. cativeiro babilônico, permitindo que eles voltassem a Jerusalém,
Insisto: são características e não fundamentos. inclusive, ajudando-os na reconstrução do Templo de Salomão.
Voltando às especulações baseadas nas Ciências Após a morte de Ciro, seu filho Cambises continuou a
Biológicas, em 1859, Charles Darwin (naturalista britânico) expansão territorial, mas quem, realmente, soube organizar o
lançou a Teoria da Evolução das Espécies e é a que Império foi Dario, que substitui Cambises. Dario dividiu o
podemos comparar com a Realidade da Evolução da Império em territórios chamados de Satrapias. Em 490 a.C.,
Maçonaria. O Primeiro Postulado de Darwin dizia “que o Dario tentou invadir a Grécia, mas foi derrotado. Quando
mundo não é estático, mas Dario morreu e o poder
evolui. As espécies estão passou às mãos de seu filho
mudando continuamente, Xerxes, ele continuou a luta
algumas se originando e contra a Grécia, mas,
outras se extinguindo”. Os também, foi derrotado e, a
Irmãos concordam que a cada nova derrota, perdia
Maçonaria não é estática, territórios. Um dos últimos
mas evolui? Os Obreiros reis persa foi Dario III, que
e Ritos estão mudando foi assassinado, e Alexandre
continuamente, alguns se Magno ,por fim, dominou
originando e outros se toda a Pérsia, que foi
extinguindo! O Segundo incorporada ao Império
Postulado diz que o Grego-Macedônico.
processo de evolução é Quem teve a
gradual e contínuo. oportunidade de fazer os
Assim, também, cresce a Graus Superiores deve ter
Sublime Ordem. compreendido o porquê
O Terceiro dessa minha narrativa
Postulado ensina que uma comunidade descende de histórico-geográfica, por motivos óbvios não poderei me
organismos semelhantes e que, ao final, teríamos, sempre, aprofundar, mas esclareço a todos que esses personagens são
um ancestral comum. Será que eu poderia dizer que essa protagonistas das instruções de vários Graus Posteriores aos
relação com um ancestral comum, é para os Maçons Simbólicos e não só no Rito Escocês Antigo e Aceito, que fique
Atuais a Lenda dos Três Graus? O Quarto Postulado é bem claro: o que estudamos não é uma lenda é uma realidade
conhecido como Seleção Natural - “O ambiente viabiliza a histórica.
manutenção ou supressão das espécies, conservando, Aos Irmãos que trabalham, somente, nas Lojas
maximizando ou minimizando a frequência de um gene, a ponto Simbólicas, eu gostaria de apresentar um personagem
de suprimi-la.” Reflitam bem quanto à Seleção Natural da persa: o Grande Zaratustra, mais conhecido por nós como
Maçonaria, quantas décadas se passaram, quantos fatos Zoroastro. Nos primórdios os persas adoravam o Sol, a
históricos ocorreram, quantas mudanças políticas, quantas Lua e a Terra, e, em seus Templos, essas figuras eram
pressões religiosas, mas, principalmente, quanto o homem constantes e a religião era politeísta, muito simples e
amadureceu e expandiu sua sensibilidade e intelecto? superficial.
Os símbolos serão sempre os mesmos, o que Zoroastro a reformulou dando uma complexidade mais
mudará constantemente é a interpretação humana deles. profunda, mística e voltada para o enlevo espiritual, moral e
Tenham certeza que as palestras que se seguirão irão ético da população, um dos ensinamentos desse profeta diz: “A
mostrar essa realidade e a nós, Livres Pensadores, cabe sociedade é para ser organizada nos princípios da livre escolha, da boa
seguir os passos de nossos antecessores: captar as boas mente e da busca do bem de todos os seres. Os líderes têm que ser
influências da Sociedade e influenciá-la com nossos valores. escolhidos por serem justos e equilibrados.”
A doutrina Zaratustriana é baseada na dualidade Com o Trono vago, Seth intitulou-se o novo Soberano
do Bem-Mal, o espírito do Bem é Ormuz, personificação do povo e com seu gênio maligno governou, então, guerras,
de todas as virtudes e o espírito do Mal é Arimã, que fome e a injustiça reinavam sobre todo o Egito. Ísis
influencia para a prática todos os vícios. Conta a tradição inconsolada procurou pelo corpo de seu amado, vindo a
oral que ele reunia seus discípulos em um horário muito encontrá-lo longe do Egito. Resgatou o corpo e o trouxe de
interessante: do meio dia a meia noite! volta. Temendo a ira de Seth, ela escondeu o corpo no
Da Pérsia do Século VI a.C. recuaremos ao Antigo campo, porém durante uma caçada Seth encontrou o cadáver
Egito, aproximadamente, 2.500 a.C., durante a V Dinastia de seu irmão e irado esquartejou o mesmo em 14 pedaços e
Egípcia. O legado místico lendário do Egito chegou ao mandou que seus lacaios espalhassem as partes por toda a
ocidente através de traduções possíveis, afinal, para os terra.
ocidentais antigos, os hieróglifos tinham mais um sentido Ao saber dessa desgraça, Ísis não desanimou, e com a
intuitivo do que, propriamente, explícito, ou seja, os ajuda de sua irmã, Néftis, procurou e resgatou 13 partes; a
ícones contavam histórias, mas que necessitavam de uma parte não encontrada fora jogada no Nilo e devorada por
interpretação contextual. peixes (segundo a lenda a parte que faltou foi justamente o
Na transcrição das lendas para as línguas atuais pênis). Ísis pediu a Anúbis que reconstruísse o corpo de
houve algumas Osíris e, assim, tivemos a
adaptações para facilitar primeira múmia da
o entendimento da história. O pênis foi
população local, por substituído por uma falo
exemplo: no Egito havia de ouro e, nesta condição,
os chacais, que não Ísis que era viúva, copulou
existiam nos países com Osíris e dessa relação
europeus, sendo assim, nasceu Hórus.
alguns autores Osíris desceu para
transcreviam os chacais Duat e tornou-se o Senhor
como “cachorros dos mortos, julgando suas
bravos”. Estou almas; Ísis ficou na Terra e,
explicando isso porque escondido, criou Hórus,
quero contar a Lenda de que quando adulto
Osíris e de Ísis e, com desafiou o tio Seth para
certeza, os que a uma luta pelo Trono.
conhecem, poderão Durante dias eles lutaram
encontrar alguma e em determinado
nuance diferente. As principais influências egípcias na momento, Seth arrancou o olho esquerdo de Hórus, mesmo
Maçonaria estão nessa lenda, portanto, com um pouco de assim Hórus venceu a luta e foi conduzido ao Trono da Luz e
atenção, os Irmãos irão compreender que já vivenciaram Seth enviado para as trevas.
essa influência positiva. Quando juntos, Ísis e Osíris outorgaram à
Vamos, então, a um pouco de história: há muitos e humanidade as artes. Ísis é considerada a Deusa da beleza,
muitos anos, Deuses e humanos conviviam na Terra; não da beleza física, mas dos aspectos belos da vida: música,
Osíris ocupava o Trono dos Deuses e reinava sobre o dança e pintura. Por sua vez, Osíris é considerado o Deus da
mundo, e sua Rainha e Irmã era Ísis, a justiça e a paz Arquitetura Monumental, da Escrita, da Astronomia e da
reinava entre os cidadãos. Mas como a Terra não é o Ritualística.
paraíso, havia também a inveja, o orgulho e a cobiça, Há um estudo muito interessante sobre os “Olhos de
personificados no Deus Seth, que era irmão de Osíris, Hórus”: o olho direito representa a informação concreta e real.
deseja ocupar o Trono e tornar Ísis sua mulher. Para Ele lida com as palavras e os números, aborda o universo de
conseguir seu intento Seth fabricou uma caixa com as um modo masculino. Já o olho esquerdo representa a
dimensões exatas do seu irmão. Era de uma madeira informação estética abstrata, lida com pensamentos e
escura, de fibras que não desprendem do cerne e de difícil sentimentos e é responsável pela intuição. Segundo uma
putrefação. lenda, o olho esquerdo de Hórus simbolizava o Céu e o direito
Durante um banquete Seth apresentou a caixa, o Inferno. Estudemos mais o simbolismo das lendas
finamente, trabalhada aos convidados, dizendo que quem universais e devemos cultuar o sincero sentimento que sobre
coubesse perfeitamente dentro dela a receberia de nós haverá sempre um “Olho que tudo vê!”
presente. Entre os convidados havia 72 comparsas de Seth, Que a cada passo em direção ao horizonte, seja um
que tentaram em vão ganhar a caixa, Osíris não passo de conhecimento e que possamos compartilhar com os
desconfiando de nada resolveu experimentar se suas Irmãos toda nossa vivência. Ficarei muito satisfeito quando o
medidas dariam dentro da caixa, e, ao deitar, os inimigos a Irmão ao ler o artigo acima, me enviar sua visão do tema,
fecharam, rapidamente, e com encantos mágicos Osíris afinal estou em constante aprendizado e disponibilizo meu
ficou preso e morreu. Esse primeiro ataúde da história do endereço eletrônico (quirino@roosevelt.org.br) para esse
homem foi jogado nas águas do Nilo. intercâmbio. ?
a b
Fuad Haddad – MI – 33º – ARLS Alfenas Livre nº 798 – GOB-MG - Oriente de Alfenas-MG
Deputado Estadual da AEL-GOB – Ex-Grande Secretário de Ritualística Adjunto do GOB

Evolução Histórica – Cronologia

- 1796 - Fundação do “Areópago de Itambé” – PE; - 1830 - Fundação do Grande Oriente Nacional Brasileiro
- 1797 - Fundação da Loja “Cavaleiros da Luz” – BA; (instalado em 1831) -
- 1801 - Fundação da Loja "Reunião" – RJ - (documental); GO da Rua Stº Antônio e GO da Rua do Passeio;
- 1815 - Fundação da Loja "Comércio e Artes" – RJ; - 1830 - O Irmão João Paulo dos Santos Barreto funda a Loja
- 1817 - Revolução Pernambucana - (1818, 30 Março - Reunião Brasileira, REAA, filiada ao GO Nacional Brasileiro,
Expedição do Alvará); única Obediência, na época existente no Brasil em atividade;
- 1821 - Reinstalação da Loja "Comércio e Artes na Idade - 1831- Reinstalação do Grande Oriente Brasil – GOB (23/11);
d'Ouro" ( 24/06 )- RJ (GO de Portugal ); - 1832- O Irmão Santos Barreto funda um Capítulo Rosa-
- 1822 - Fundação das Lojas: "União e Tranquilidade" e Cruz e um Conselho de Cavaleiros Kadosch, que ficaram sob
"Esperança de Nictheroy"; a direção do Irmão Gonçalves Ledo, Venerável Mestre da
- 1822- Fundação do GO Brasílico ou Brasiliano (17/06) / Loja Educação e Moral;
Encerra as Atividades (25/10); - 1832 - Fundação do Supremo Conselho do REAA (12/11)
- 1822- O Supremo Conselho da França autoriza, através pelo Irmão Francisco Gê de Acayaba de Montezuma,
da Carta-Patente (29/08) O Irmão João Paulo dos Santos Visconde de Jequitinhonha, utilizando a Carta-Patente
Barreto instalar, provisoriamente, Lojas, Capítulos, expedida pelo Supremo Conselho da Bélgica;
Areópagos e Consistórios no Brasil, sob a jurisdição GO - 1833 - Reinstalação da Loja "Comércio e Artes" (07/04), que
da França; volta a funcionar regularmente, trabalhando no REAA,
- 1829 - Instalação da Loja "Educação e Moral” (30/03)- RJ tendo como Venerável Mestre o Irmão Januário da Cunha
pelo Irmão João Paulo dos Santos Barreto; Barbosa;
- 1829 - Introdução do REAA no Brasil -1ª Loja a adotar, - 1833- Editado o Livro "Instruções Maçônicas” (Catecismo e
oficialmente - Bol. GOB nº 3/52 - p.216 – 1927; Regulamento Geral);
– 1829 - Francisco Gê de Acayaba de Montezuma (12/03) - 1834- Impresso (não oficial) o primeiro ritual do REAA -
recebe, em Bruxelas, a Carta- Patente do Supremo Guia dos Maçons Escossezes ou Regulador dos Três Graus
Conselho da Bélgica para instalar o Supremo Conselho do Symbólicos do Rito Antigo e Aceyto, na Tipografia Seignot-
REAA, no Brasil; Plancher & Cia – Rua do Ouvidor, 95 – RJ. ?
a b
N
ós da Revista Arte Real sentimo-nos muitíssimo honrados em poder participar, como órgão de divulgação, do 2º Encontro Maçônico Sul-
Mineiro, realizado nos dia 29 e 30 de maio de 2010, no Oriente de Alfenas, MG. Esse evento, embora, ainda, em sua segunda edição, já
nasceu grandioso em vários aspectos. Não bastasse seu altruístico objetivo de reunir a Família Maçônica, com especial atenção para as
Ordens DeMolay, Filhas de Jó, além de programação específica para as nossas Cunhadas, nessa edição, premiou a todos com a sábia escolha do
tema: Influências na Maçonaria, painéis defendidos por renomados Irmãos escritores, palestrantes, acadêmicos e autoridades maçônicas dos
estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, ícones da cultura maçônica.
Parabéns aos abnegados Irmãos organizadores e a todos que puderam participar desse magnífico evento. Aos nossos 15.097 leitores de
todo Brasil e exterior, recebam, carinhosamente, essa Edição Especial com o breve resumo das palestras proferidas. Boa leitura. Temos um 3º
Encontro marcado, em 2011, no Sul de Minas!
Agradecimento especial a UNIFENAS (Alfenas-MG) por, generosamente, ceder suas instalações e toda infra-estrutura para realização desse evento!
Editor Responsável, Diagramação, Editoração Gráfica e Distribuição: Francisco Feitosa da Fonseca.
Autores das palestras publicadas:
Benedito Canturelli – Denizart Silveira – Derly Halfeld – Francisco Feitosa – Fuad Haddad – João Camanho – José Airton – Renato
Gabriel – Sérgio Quirino – Vagner de Souza.
Empresas dos Irmãos Patrocinadores:
10ª Inspetoria Litúrgica – São pulo Supermercados – autoescola Silvana – Adega de Minas – Café Brasil – Clínica Neuro-Psiquiátrica de
Alfenas – Construcar – Ekicar Som & Acessórios – Lagos Embalagens Doces e Festas – Flor da Primavera Floricultura – Gráfica Solução –
JS Palace Hotel – Laboratório Alfenas – Lander Equipamentos – Localiza Aluguel de Carros – Madeireira Modelo – Produtos Majestic –
Moto Pista Silvana – Comercial Stussi Müller – Paiol Buteco – HidroPoços – Sul Minas Pneus – Unifenas – Clínica de Vacinas – Vetmaxi –
Viça Café – Clube de Vôo Livre – Zildus Mclaska - Adalberto Domingues Advocacia - Arte Real Software – Bisotto Imóveis - CFC
Objetiva Auto Escola – CONCIV – Corrêa de Souza Advocacia - Decisão Gestão Empresarial - Gerson Muneron Advocacia - Gráfica
Everesty – Honorato (livro) - López y López Advogados – Olheiros.com – Perícias & Avaliações - Pousada Mantega -
Qualizan – Reinaldo Carbonieri Eventos – Reinaldo Pinto (livro) - Saneartec - Santana Pneus – Studio Allegro.
Contatos: MSN - entre-irmaos@hotmail.com E-mail – revistaartereal@entreirmaos.net
Skype – francisco.feitosa.da.fonseca ( (35) 3331-1288 / 8806-7175
a b