Vous êtes sur la page 1sur 5

Locais para explorar - parte 1

LISBOA – Com disposição, em dois dias é possível conhecer o básico da cidade. Comece pela Praça do
Comércio, à beira do rio Tejo. Dê as costas para o rio e verá o arco da rua Augusta, o início de um calçadão
cheio de lojas, cafés, bancos, casas de câmbio e floriculturas ao ar livre. No fim desta ruazona para pedestres está
a Praça do Rossio com uma estátua do nosso Dom Pedro I, véio de guerra. Ao lado tem a Praça da Figueira,
uma espécie de boca maldita portuguesa e daqui de baixo é possível ver as muralhas do Castelo São Jorge lááá em
cima. Até agora, aproveite, tudo grátis! Afunde-se na história lisboeta. Entrada a € 5. Do lado oposto à Praça da
Figueira está a Praça dos Restauradores com um enorme obelisco erguido após a libertação de Portugal do
domínio espanhol em 1640. O Chiado, vizinho à Baixa, está cheio de lojas chiques, o bairro também é sede da
ancestral Livraria Bertrand, aberta desde 1732. Visita grátis. A galeria Armazéns do Chiado tem três andares de
lojas óbvias, mas a visita vale a pena porque é uma construção histórica totalmente recuperada. Alfama é o ponto
alto – em todos os sentidos – de uma visita a Lisboa. Subindo ladeira em direção ao Castelo de São Jorge a
primeira parada é a Catedral da Sé, construída sobre uma antiga mesquita. Numa das capelas está a pia onde
Santo Antônio foi batizado. Santo Antônio de Pádua, o casamenteiro, era português! Entrada grátis. € 2,50 para
visitar os claustros. Caminhado um pouco mais a gente dá de cara com o Miradouro de Santa Luzia, que
promove uma daquelas vistas exuberantes da capital portuguesa. Por aqui, às terças e aos sábados acontece a
Feira da Ladra, estilo mercado das pulgas. Vendem de lâmpada queimada a artesanato regional, passando por
xícaras de porcelana do século 16 a reproduções do Galinho de Barcelos. Faça o trajeto com o Eléctrico 28, um
clássico na cidade. Por € 1,40 você sobe as ladeiras montado em um bonde com conservados bancos de madeiras.
Belém é um bairro da capital portuguesa. Aqui, visite a Torre de Belém ( € 3 e grátis aos domingos) e o Mosteiro
dos Jerônimos (gratuito aos domingos e € 4,50 para conhecer os claustros) que fica em frente. Termine sua visita –
ou comece – no outro lado da cidade: no Parque das Nações, a Lisboa moderna, progressista e atual. Entrada
grátis. Algumas das atrações são pagas como o Oceanário – o maior aquário da Europa. Entrada a € 11. Site da
cidade: www.visitlisboa.com

COMO CHEGAR A BELÉM


Eléctrico (bonde): 15E. Autocarro (ônibus): 727, 728, 729. Comboio (trem): Estação Belém. (Para
chegar aos principais atrativos pegue o bondinho na Praça da Figueira ou no Terreiro do Paço. )

Leia mais: http://www.matraqueando.com.br/lisboa-bairro-a-bairro-belem#ixzz3pzDbG4cd


Portugal. O carro é o meio de transporte ideal para esquadrinhar Portugal. O trem é ótimo para
viajar entre Lisboa, Coimbra e o Porto, mas é superado pelo ônibus para lugares como Fátima,
Óbidos e Évora. As ligações ferroviárias com a Espanha são deficientes. De Lisboa a Madri só há
um horário de trem -- e noturno. Para a Andaluzia, apenas ônibus (compre na Alsa). Ferrovias
portuguesas: cp.pt.
… mais em conta o preço dos ônibus. Em Lisboa, a rodoviária de Sete Rios fica anexa à estação de
metrô de mesmo nome. Tem várias saídas para Fátima direto e algumas como baldeação a caminho
do Porto.
Já para Sintra e Cascais tem - no mesmo complexo de Sete Rios - uma estação com trens
praticamente de hora/hora, e preços acessíveis. Para Fátima. Vá de ônibus. Lá em Lisboa tem um
terminal chamado Sete Rios, fica perto do zoológico. O ônibus sai por 10 euros, + ou - uma hora de
viagem, vc desce pertinho de Fátima... bem pertinho mesmo.

CASCAIS – A partir de Belém siga para Cascais. Bem ao lado da estação de Cascais tem um posto de
informações turísticas que dá mapinha, indica as atrações do dia e oferece até cafezinho. A praia? Está logo ali.
Não é a melhor do mundo para quem está acostumado com praias… brasileiras. Mas vale um fim de tarde por
aqui. Pegue o trem na estação Cais do Sodré – o trajeto de 40 minutos percorre um lindo trecho do lendário Rio
Tejo – e por menos de € 2 (valor da passagem) passe o dia nessa antiga vila de pescadores. A melhor e mais bonita
praia da região é a do Guincho. A prefeitura oferece – de graça – bicicleta para circular pela região.
SINTRA E ÓBIDOS – São cidades Patrimônios da Humanidade, tudo pertinho de Lisboa. Dá para ir e voltar
no mesmo dia. A passagem de trem da capital para Sintra, por exemplo, custa módicos € 1,70. A viagem dura 45
minutos.
PORTO – A segunda maior cidade de Portugal está situada no alto de uma colina, cortada pelo Rio Douro. A
base da economia local é o tradicionalíssimo vinho do… Porto. O cartão-postal do Porto é a Ribeira, declarada
Patrimônio Mundial pela UNESCO. É um conjunto de casas antigas e coloridas, arcadas, becos, fachadas de
azulejos e ruas de pedra. Além de todo esse charme e originalidade é uma das cidades mais baratas do país. Site
da cidade: www.portoturismo.pt
COIMBRA – Já foi capital do país e hoje abriga a universidade mais antiga do mundo, criada em 1290.
Justamente por ser o ícone da cidade, a Universidade de Coimbra – que guarda a Biblioteca Joanina, com mais de
200 mil livros – torna-se passeio compulsório. São € 9 o tour completo. Não é barato, mas vale à pena. Se não
quiser colocar a mão no bolso contente-se com a Sé Velha, uma das mais antigas catedrais do país. Aqui, admire –
sem pressa – o claustro gótico, o mais antigo de Portugal. Entrada grátis. (€ 1,50 para visitar os claustros). Site da
cidade: www.turismodecoimbra.pt
FÁTIMA – by bus - É passeio para uma tarde. Fátima está a 147 quilômetros de Lisboa e é um dos maiores
centros de peregrinação católica do mundo. Recebe em torno de 4 milhões de fiéis todos os anos. (O Brasil –
inteiro – recebe um pouco mais do que isso por ano). Mesmo se você não for católico, mas aprecia gigantes
santuários, vai gostar. É uma visita muito agradável. (Menos em maio, quando a cidade lota. Foi nesse mês, em
1917, que a Virgem teria aparecido aos três pastorinhos.) Além da sublime Basílica, há uma delicada capela
construída no local das aparições. Grátis.
ALGARVE – Meu sonho de consumo. No Algarve o sol brilha mais de 200 dias por ano. É a região que mais
recebe irradiação solar em toda a Europa. Portanto, o litoral é invadido por hordas de portugueses e europeus a
cada fim de semana ou feriado. De Lisboa são 40 minutos de vôo ou três horas e meia de ônibus. O bilhete
rodoviário custa em torno de € 20. Como as praias estão espalhadas, o ideal seria alugar um carro para zanzar
entre elas. Mas com orçamento apertado, prefira o trem e arme a barraca em Faro (a capital do Algarve) ou
Albufeira (mais cosmopolita).

PARA FUGIR DO ÓBVIO


Se você não se animar muito com Fátima, corra para Tomar, a 20 quilômetros dali. Tomar é a capital dos
Templários, famosa ordem religiosa dos tempos das Cruzadas. Por aqui, visite o Convento de Cristo, monumento
Patrimônio Histórico da Humanidade. Foi fundado em 1162 pelo Grão-Mestre dos Templários, Dom Gualdim
Pais. Mescla arquiteturas gótica, românica, barroca e manuelina. Bilhete individual a € 6. Entrada gratuita aos
domingos e feriados até às 14h.

SEM MARCAR TOUCA


Existem casas da fados maravilhosas – e caras para o padrão do turista mão-de-vaca-muquirana. Para não perder a
oportunidade de escutar o ritmo-marca-registrada de Portugal sem ter que passar o dia segunite à base de pão e
água vá a Tasca do Chico. É uma espécie de karaokê, versão Ídolos-fase-final – ou seja, qualquer um pode ir lá e
dar seu show. Mas ao contrário dos nossos karaokês tupiniquins, os “cantores” de lá são realmente bons. Eles
chamam de Fado Vadio. O restaurante é super pequeno, chegue cedo se não quiser ficar em pé. Não é obrigado a
consumir para assistir ao espetáculo. O Tasca do Chico fica na Rua do Diário de Notícias, 39. Tel.: 21 343 1040.

+ 15 dicas de Portugal
1. Antes de botar o pé pra fora do avião saiba que autocarro é ônibus, comboio é trem, eléctrico é
bonde e telemóvel é celular. E quando você fizer uma ligação telefônica na terrinha não se assuste.
Em vez de dizer um simples alô, eles se saem com essa: tô sim! ou está lá? Não me pergunte o
porquê.
2. O aeroporto de Lisboa não está interligado à rede de metrô da cidade. Mas é super fácil – e
barato – chegar ao centro. Se for de ônibus, há várias linhas conectando o terminal de desembarque
com diversos bairros da capital. A passagem custa € 1,40. O Parque das Nações, por exemplo, está a
cinco minutos do aeroporto. Você também pode optar pelo Aerobus ou Aeroshuttle (ticket a € 3,50
cada – válido por 24h também no transporte público, menos metrô). Tanto o Aerobus (cada 20
minutos) quanto o Aeroshuttle (cada 30 minutos) passam por diversos hotéis, mas seguem por rotas
diferentes. Consulte aqui.
Os eléctricos de Lisboa proporcionam passeios bacanas e baratos.
3. Como as distâncias em Portugal são pequenas compensa muito fazer os trajetos entre as
principais cidades de trem (Alfa Pendular ou Intercidades). São viagens rápidas e econômicas.
Lisboa-Porto a partir de € 20. Lisboa-Coimbra a partir de € 16,50. Lisboa-Faro a partir de € 16. Veja
preços e horários no site do Comboios de Portugal. Se você for de carro de Lisboa para o Porto, por
exemplo, só de pedágio são quase € 20.
4. Para conhecer mais do encontro entre a cultura portuguesa e asiática, visite o novo Museu do
Oriente, em Lisboa. Inaugurado há dois anos, está numa construção da década de 30 chamada…
Pedro Álvares Cabral. Entrada € 4. Às sexta-feiras, das 18h às 22h, a visita é grátis. A Fundação
Calouste Gulbenkian também não pode ficar de fora. É um dos centros culturais mais importantes
de Portugal. O museu reúne relíquias da arte egípcia, grega e clássica. Entrada € 4. Já a Coleção
Berardo é outro novíssimo museu focado na arte contemporânea. E melhor, com entrada gratuita.
5. O centro de informações turísticas do Porto oferece – de graça – mapas e o Guia Turístico com
diversas informações práticas, o Guia de Museus e a Agenda do Porto, com dicas culturais. Fica
na rua Clube dos Fenianos, 25. Fone 223.393.472.
6. Na Biblioteca Municipal do Porto, em frente à Praça dos Poveiros, há internet grátis. Funciona
de segunda a sexta, das 9h às 17h e aos sábados até 12h. Limite de uso: 30 minutos. Em Lisboa, o
Pavilhão do Conhecimento, no Parque das Nações também oferece uma penca de computadores
com acesso grátis para o visitante. Fecha às segundas-feiras.
7. A Fundação de Serralves é um daqueles pontos de visitação no Porto que – se não são
obrigatórios – deveriam ser nosso dever de casa. Com projeto do badaladíssimo arquiteto português
Álvaro Siza Vieira (o mesmo que fez a Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre) abriga o
Museu de Arte Contemporânea – com o maior acervo do país. Metrô: Casa da Música. Museus e
jardins: € 5.
8. Se você dedicar mais do que dois dias ao Porto, aproveite para fazer um bate-e-volta a
Guimarães (53 km), Braga (55 km) ou Barcelos (64 km). Guimarães é o berço de Portugal, Braga
tem a catedral mais antiga e em Barcelos você poderá garimpar no Centro de Artesanato, alguma
espécime do Galinho de Barcelos, o representante típico do país. Para conhecer a lenda do galinho
colorido, clique aqui.
9. A Igreja de São Francisco, em Évora (Patrimônio Histórico da UNESCO, a 133 km de Lisboa)
reserva uma curiosidade, um tanto mórbida, é verdade. Além da bela arquitetura gótico-manuelina,
ao lado da igreja está a Capela dos Ossos, com paredes e altar erguidos com ossos – restos mortais
– de cinco mil monges. Entrada para a capelinha a € 2.
Praia em Cascais, a 40 minutos de Lisboa.
10. Ainda na cidade mais romana de Portugal (Évora) visite o Templo de Diana – ou Templo
Romano. É uma construção do século 1 (um!). O local – com ruínas de colunas – rendem um
agradável passeio. Grátis.
11. Se você pretende passar no mínimo uma semana nas grandes cidades ou uma bela temporada
sabática em Portugal (presente!) alugue um apartamento. Além de ficar mais barato, você terá sua
casa para voltar no fim do dia. Tente os sites Traveling To Lisbon ou Rent 4 Days.
12. Momento Romeu e Julieta: visite o Mosteiro de Santa Maria, em Alcobaça (134 km de
Lisboa) – o maior do país, com teto em abóbadas, liiiindo – onde estão os túmulos dos amantes
Pedro e Inês. Para quem não sabe foi uma história de amor trágica, que terminou com a morte de
Inês, assassinada a mando do pai de Pedro, o então rei de Portugal. Entrada a € 5.
13. Se você estiver em duas ou mais pessoas, não precisa ter medo de andar de táxi em Lisboa. É a
única capital da Europa ocidental onde você não vai romper nosso contrato de viagem por fazer um
trajeto de poucos quilômetros. A bandeirada começa em € 2 (6h às 21h) ou € 2,50 (21h às 6h).
Desde que você não queira atravessar a cidade, mas optar por corridas centrais (onde está a maioria
dos atrativos turísticos) não deve pagar muito mais do que € 10.
14. Em Albufeira, no Algarve, percorra o centro histórico sem pressa. Daqui vá até o alto do
penhasco da Praia dos Pescadores. Vista linda!
15. Tá, essa é para matar a pau. Mas se você sair do nosso modelo 5.0 de viagem econômica, a
culpa é sua, assuma! Nos arredores de Lisboa está o Freeport, o maior outlet da Europa, com quase
150 lojas das maiores marcas mundiais. Abre de domingo a quinta, das 10h às 22h e sexta, sábado e
véspera de feriados das 10h às 23h. Em Lisboa pegue na Gare do Oriente os ônibus (ops,
autocarros) nº 431, 432 ou 437.

ONDE FICAR EM PORTUGAL


Tarefa fácil. Portugal tem alguns dos melhores albergues do mundo, eleitos por sites
especializados como o Hostelword.com. Caso queira fazer um up grade em hospedagem, o país é
uma das melhores opção do seu roteiro. Aqui você encontra bons hotéis de 3 ou 4 estrelas pela
metade do que você pagaria numa hospedagem similar, em Londres, por exemplo. Consulte o
Hoteis.com e o Booking.com .

HOSPEDAGEM ECONÔMICA EM PORTUGAL


Na capital, o Lisbon Dreams Guest House tem quartos – single, duplo ou triplo – ótimos e
charmosos. Fica no centro histórico, num casarão amarelo-ouro de esquina. Diárias em
acomodação dupla saem a partir de € 45 com internet wi-fi grátis incluída. Detalhe: não há banheiro
privativo. Já a Pensão Globo é um clássico na cidade para quem tem um escorpião no bolso.
Quartos bem simples com detalhes coloridos. Fica no Bairro Alto, próxima à praça Luís de
Camões. Diárias a partir de € 50. Mas na baixíssima temporada podem ficar entre € 25/30. O
Travellers House já ficou em primeiro lugar na lista dos melhores hostels do mundo. Tem cozinha
equipada para o hóspede e wi-fi grátis. Os quartos com banheiros – somente três privativos – ficam
num apartamento ao lado. Está na Baixa, um bairro central e descolado. Diárias nos quartos
coletivos a partir de € 18 e no quarto duplo, a partir de € 60. (O site é bonito, mas pouco funcional:
não traz tarifas nem dicas de como chegar.) A Rede Íbis também tem hotéis bacanas na cidade. Os
mais bem localizados são o Íbis Lisboa Liberdade e o Íbis Lisboa Saldanha. Diárias para casal a
partir de € 55. Café da manhã à parte: € 6 por pessoa.
Já o Porto tem recorde de hostels excelentes e baratíssimos. O Spot Hostel tem a incrível marca de
94% de aprovação no Hostelword. Está a dois minutos a pé da estação de Metrô da Trindade, linha
que serve o aeroporto e a dois passos da Torre dos Clérigos e da Ribeira. Café da manhã, wi-fi nos
quartos e lençóis incluídos. Diárias nos dormitórios a partir de € 16. O quarto triplo sai a partir de €
18. Não tem quarto duplo, mas se a ideia é privacidade, pelo custo-benefício, compensa pegar um
triplo e, ainda assim, sai em conta! Não há banheiro privativo. No Wine Hostel (o site está em
construção) – que fica perto do centenário Café Piolho e da Torre dos Clérigos – oferece café da
manhã, lençóis e wi-fi grátis nos quartos. Toalhas podem ser alugadas. Está num casarão histórico
reformado. Diárias nos dormitórios a partir de € 17. Quarto duplo a partir de € 40. Todos os quartos
têm banheiro privativo.
Em Coimbra, o Grande Hostel pode ser uma opção bacana. Está a cinco minutos da Praça da
República. Quartos coletivos a partir de € 18 e de casal a partir de € 40. Café da manhã e internet
wi-fi incluídos.
Um achado em Albufeira, no Algarve: os apartamentos Soldorio ficam a 150 metros da praia. São
aparts tipo estúdio com cozinha, TV e telefone. Tem piscina e sauna. Apartamento para duas
pessoas com a incrível tarifa de € 36 – o apê, não por pessoa. Em alguns períodos do ano, há
descontos especiais, como “fique sete dias e pague cinco!”. Consulte as promoções aqui.
ONDE COMER BEM E BARATO EM PORTUGAL
Eu não diria, assim, para você entrar em qualquer tasca, uma espécie de taverna-restaurantinho-
botequim português, que apareça na sua frente. Mas posso afirmar que a maioria não vai fazer feio!
Se você estiver caminhando, em qualquer cidade do país, e encontrar uma portinha simpática cheia
de gente – principalmente se a multidão for de nativos – pode entrar. Provavelmente você vai comer
muito bem pagando muito pouco. Coisa de € 4 ou 5 euros por prato bem servido.
Quando você for aproveite para provar também o Pastel de Chaves, uma espécie de folhado com
carne. Derrete na boca!
A Padaria Portuguesa é uma cadeia com unidades em diversos pontos da cidade. Algumas
próximas aos pontos turísticos: Rua Áurea, 175 (também conhecida como Rua do Ouro) – Metrô
Baixa-Chiado; Praça Luís de Camões, 44 – Bairro Alto; Rua Belém, 46 – Belém (a meia quadra da
Fábrica de Pastéis de Belém). Veja todos os endereços aqui. Abre todos os dias das 7h30 às 20h.
No restaurante Ceia Minhota, em Lisboa, você poderá provar pratos típicos gastando em torno de €
9. O tradicional Cozido à Portuguesa é servido às quartas-feiras. Aaaah, o Pastel de Belém – o
doce emblemático do país – feito com recheio de ovos e massa folhada. Coma onde é melhor: na
fábrica dos pastéis de Belém. Custa € 0.90 cada. E, em qualquer oportunidade não deixe de provar
uma tosta-quente, o misto-quente deles! Prove a do café A Brasileira, bat-point do tudo vale à
pena… Fernando Pessoa!
Em Sintra, nos arredores da capital, conheça o pequenino Tasca Mourisca. São menos de 10
mesas, onde você poderá provar um maravilhoso Bacalhau à Brás por € 8. Fica na Calçada de São
Pedro, nº 28. Atende das 12 às 15h e das 19h às 23h.
No Porto comida boa e barata é no Café dos Lóios. O “Prego no Prato” – o PF deles – não sai por
mais de € 5. Fica no Largo dos Lóios, 21 – próximo à Praça da Liberdade. No tradicional Mercado
do Bolhão você mergulha na alma portuguesa. Compre um punhado de azeitonas para saborear
com vinhos da região ou coma nos ótimos e baratos restaurantes no segundo andar.
Em Coimbra, se você for estudante com carteirinha, aproveite as cantinas – espécie de refeitórios
da Universidade de Coimbra. O Prato Social custa € 3,30 (com sopa de entrada, o prato do dia,
sobremesa e uma garrafa de água mineral.). Querendo pagar um pouco mais, experimente o
bacalhau com natas por € 4,50. Para encontrar a cantina mais próxima entre em contato com a
Universidade de Coimbra. Há diversos endereços na cidade.

SESSÃO MÃO-DE-VACA-MUQUIRANA
Conheça algumas vinícolas na região do Porto. Na cave Ramos Pinto, fundada em 1880, no
município Vila Nova de Gaia (a 11 km do Porto), a visita custa € 5 e inclui degustação. Rá!

Ó QUE CURIOSO
Bicha é fila, cueca é calcinha, rapariga é apenas uma mocinha de família, porreiro é gente bacana e
rabo pode ser bumbum ou final da fila. E para chamar o garçom – conhecido como empregado de
mesa –experimente o sefazfavoire… o “por favor” deles. Pois, pois,ó pá!

Centres d'intérêt liés