Vous êtes sur la page 1sur 2

26/02/2018

DIREITO CIVIL – OBRIGAÇÕES

IMPORTÂNCIA DO DIREITO DAS OBRIGAÇÕES


Savatier: ” O Direito das obrigações é o responsável pelo suporte jurídico ao desenvolvimento econômico e
social da sociedade”
As normas e princípios do e Direito Obrigacional deve ser interpretado à luz dos princípios constitucionais
que regulam a Ordem Econômica e Social (Art. 170, CF). Não se pode interpretar e aplicar regras e princípios
de Direito das Obrigações de modo dissociado da Ética, da Política e da Economia.

CONCEITO
i. Conjunto de regras e princípios jurídicos que regulam as relações pessoais que se estabelecem entre
o sujeito ativo (credor) e o sujeito passivo (devedor) e que tem por objeto uma prestação de dar,
fazer, ou não fazer alguma coisa economicamente apreciável ou ao menos correspondente a um
interesse digno de proteção jurídica.

Abrange:

a) Produção, distribuição e circulação de bens e riquezas;


b) Organização e funcionamento das empresas;

Existem as obrigações Contratuais e Extracontratuais.

a) Responsabilidade Civil por danos patrimoniais e extrapatrimoniais (ou morais)


b) Prevenção de riscos (responsabilidade civil preventiva)
c) Obrigações de restituição por enriquecimento sem causa. Art. 884, CC.

CARACTERÍSTICAS DA RELAÇÃO JURÍDICA OBRIGACIONAL

i. PESSOALIDADE: Vincula os sujeitos de direito. Polo ativo – Polo passivo. Credor (ACCIPENS) –
Devedor (SOLVENS). Considera-se o devedor da coisa, e não do preço. Ex; Devedor quem vende e
devedor quem compra, entendendo a obrigação de dar

ii. TRANSITORIEDADE: Efêmero, nascimento da obrigação. Nasce e já caminha para sua extinção, sem
caráter duradouro.
iii. TRASMISSIBILIDADE: Transferência dos direitos obrigacionais entre os sujeitos ou à terceiros. Os
direitos obrigacionais podem ser transferidos de uma pessoa à outra pessoa.

a) ATO INTER VIVOS:

A. Cessão de créditos: a transferência de crédito entre pessoas, crédito é considerado


bem móvel, logo pode ser transferido, assim mudando a relação obrigacional, de
devedor.
B. Assunção de dívidas: muda o devedor. Transmissão da dívida com a concordância
do credor.
C. Pagamento com sub-rogação: Fiador, quando o devedor falta com suas obrigações,
e o fiador se sub-roga com os direitos do credor. Contrato de fiança é obrigação
acessória mediante a qual o fiador se compromete a pagar a dívida do devedor. Se o
fiador entra na relação, este após pagar a dívida do devedor, substitui o credor nos
direitos de crédito. (Art. 346, III, CC)

b) SUCESSÃO HEREDITÁRIA:

A. As obrigações se transmitem com a morte, ou utilizando o espólio para pagar a


herança, ou recebendo os créditos. Sempre no limite da herança, se não for suficiente,
paciência.
A garantia do CREDOR repousa no patrimônio do DEVEDOR.