Vous êtes sur la page 1sur 4

EXERCÍCIOS

Preocupados com o mal desempenho 10. ( ) Nasce, então, novos atores sociais e
recente das exportações do Brasil para os políticos, que não só lutam por políticas públicas
Estados Unidos, exportadores e que os atendam, mas, principalmente, pelo
especialistas em comércio exterior preveem reconhecimento como sujeitos legítimos na
5 um período de maiores dificuldades para os construção e efetivação de direitos e de uma
próximos meses. O desaquecimento da cultura política de respeito às liberdades, à
economia americana é a causa mais óbvia igualdade social, à justiça econômica e à
que apontam de um menor crescimento das transparência das ações do poder público.
compras no Brasil. O favoritismo do Partido (Itens adaptados de Carlos Eugênio Friedrich Barreto-
10 Democrata também é citado por alguns http://www2.uerj.br/~labore/cquestoesc/sociedade_2-
main.html)
exportadores como um fator que pode
dificultar as exportações brasileiras, pois os As pessoas sempre pensam em si
democratas são considerados mais mesmas antes de levar em conta o bem-
conservadores do que seus rivais estar geral. Não adianta querer mudar
15 republicanos em matéria de comércio isso. A espécie humana é essencialmente
exterior – o que, ressalve-se, nem sempre 5 egoísta e precisa frequentemente receber
foi comprovado na prática. Qualquer que estímulos individuais para agir em prol de
seja o efeito prático desses fatores sobre as uma causa que transcenda o próprio raio
exportações brasileiras para o mercado de interesses. A princípio todo mundo
20 americano, o governo brasileiro pouco ou trabalha impulsionado por objetivos
nada poderá fazer para contê-los. 10 próprios, entre eles o processo na carreira
(O Estado de S. Paulo, 13/01/2008, Editorial) e o salário no fim do mês. A única maneira
de fazer um funcionário voltar-se também
1. Acerca das ideias e das estruturas para os interesses da empresa é motivá-lo
linguísticas do texto acima, julgue os por meio de um conjunto concreto de
seguintes itens: 15 benefícios extras. Não é por acaso que as
companhias que implantaram políticas de
1. ( ) A forma verbal “preveem” (l.4) está no reparte de lucros ou de premiação em
plural para concordar com “exportadores e dinheiro aos funcionários mais talentosos
especialistas”. e esforçados tendem a superar as demais
2. ( ) A forma verbal “apontam” (l.8) está no 20 em produtividade e lucro. Em um mundo
plural para concordar com “próximos meses”. tão complexo, economistas, empresários e
3. ( ) O termo “pois” (l.12) pode, sem prejuízo governantes precisam saber mais sobre
para a correção gramatical, ser substituído por psicologia.
porque, porquanto ou conquanto. (Entrevistas de Maskin a Veja, 26 de março de 2008)
4. ( ) Em “do que seus rivais” (l.14) a
eliminação de “do” prejudica a correção 3. Assinale a opção em que os três termos
gramatical do período. remetem, por coesão textual, ao mesmo
5. ( ) Em “contê-los” (l.21), “-los” retoma o referente.
antecedente “fatores”.
(A) “As pessoas” (l.1) – “que” (l.7) –
2. Quanto à organização sintática, julgue os “próprio” (l.7)
itens seguintes: (B) “bem-estar geral” (l.2-3) – “isso” (l.4) –
“raio de interesses” (l.7-8)
6. ( ) O estado, em dificuldades, já não (C) “estímulos individuais” (l.6) – “objetivos
consegue atender às demandas da sociedade, próprios” (l.9-10) – “eles” (l.10)
notadamente aquelas dos segmentos mais (D) “funcionário” (l.12) – “-se” (l.12) – “-lo”
carentes. (l.13)
7. ( ) Esses, proporcionalmente, concentram (E) “empresa” (l.13) – “companhias” (l.16) –
seus maiores contingentes nos países mais “demais” (l.19)
pobres, reduzindo-lhes crescentemente a
possibilidade de superar a discriminação de toda O objetivo da Embratur é atrair mais
ordem e o resgate de seus direitos econômicos, turistas estrangeiros. Em média, segundo
sociais, políticos e até de sobrevivência. a empresa, eles permaneceram no Brasil
8. ( ) Movidas pelas necessidades 18 dias em cada viagem, em 2007, dois
decorrentes da carência, a sociedade procura 5 dias mais do que em 2006.
construir sua autonomia e sua identidade fora da A média geral de gastos diários, por
tutela do Estado. turista, foi de US$ 91,74, mas os europeus
9. ( ) Num processo de reivindicação e gastaram bem mais que isso. Segundo a
expressão de luta, ela busca uma nova maneira presidente da Embratur, aumentou em
de encarar o Estado e de agir coletivamente, 10 22% o número de viagens dos turistas
manifestando suas aspirações e necessidades.
Gelcimar Santos
espanhóis ao País. 6. “Depois que um jovem o agrediu
Para atrair mais turistas, é preciso verbalmente, desistiu de reclamar”; a frase
oferecer não apenas mais voos e mais em que a nova forma de reescrever-se essa
hotéis, o que já vem ocorrendo, mas mesma frase altera o sentido original é:
15 também serviços de qualidade,
funcionários bilíngues, segurança (A) Depois que, verbalmente, um jovem o
reforçada nas proximidades de hotéis, agrediu de reclamar;
aeroportos e infraestrutura. O empenho (B) Desistiu de reclamar depois que um
justifica-se pelo aumento do emprego jovem o agrediu verbalmente;
20 propiciado pelo turismo e da renda gerada (C) Depois que desistiu de reclamar, um
para os mais diversos segmentos – jovem o agrediu verbalmente;
shopping centers, restaurantes, cinemas, (D) Depois que foi agredido verbalmente por
taxis, transporte especializado, farmácias. um jovem, desistiu de reclamar;
(O Estado de S. Paulo, 6/02/2008) (E) Desistiu de reclamar, depois de ter sido
agredido verbalmente por um jovem.
4. Com relação às idéias e estrutura
linguísticas do texto acima, julgue os itens 7. “A corrupção dos políticos o aumento de
a seguir: impostos”; no primeiro caso, o termo
sublinhado representa um agente,
11. ( ) A palavra “empresa” (l.3) é termo de enquanto o segundo termo sublinhado
coesão por referência que retoma o antecedente representa um paciente. A frase em que o
“Embratur” (l.1). termo sublinhado também é um paciente é:
12. ( ) Em “justifica-se” (l.19), o “-se” indica
sujeito indeterminado. (A) Metrô de Brasília;
13. ( ) O termo “isso” (l.8) constitui elemento (B) Operadora de caixa;
coesivo, pois retoma o antecedente “US$ 91,74”. (C) Passageiros do metrô;
14. ( ) O emprego de vírgulas após “qualidade” (D) Periferia da capital;
(l.15) e “bilíngues” (l.16) isola elementos de (E) Pesquisador da Universidade.
mesma função gramatical componentes de uma
enumeração. OS TUMULTOS DA PAZ
15. ( ) O pronome “eles” (l.3) constitui uma Helio Pellegrino
catáfora, pois se refere ao antecedente “turistas
estrangeiros” (l.2) Costuma-se confundir paz com
imobilismo quietista ou, o que é pior:
Só mais tarde alcancei compreender costuma-se desfigurá-la a ponto de
que a inteligência pode trabalhar até ao enxergar nela um sinônimo de conformismo
fim inteiramente alheia aos graves 5 submisso, onde a ausência de conflito é
problemas religiosos que confundem o valorizada como virtude, e a tibieza
5 pensador que os quer resolver segundo a celebrada como valor. Na realidade, paz
razão, se nenhum choque exterior veio nunca é pasmaceira. Nem turbulência
perturbar para ela solução recebida na coagulada pela força do arbítrio. Nem muito
infância. A dúvida não é sinal de que o 10 menos silêncio das tumbas. Ao contrário,
espírito adquiriu maior perspicuidade, é às paz é tensão criadora, e implica agonia
10 vezes um simples mal-estar da vida. ativa e apaixonada vigília. Não há paz sem
(Joaquim Nabuco, Minha formação) contradição e contradição dialéticas. Paz é,
portanto, possibilidade de comunicação
5. A respeito de aspectos linguísticos do 15 autêntica, de diálogo, de palavra plena.
trecho a seguir, julgue os itens: Nada em si mesmo é completo, acima e
além de contingência, do movimento, da
16. ( ) Os dois primeiros quês do texto, em transformação. Todas as coisas –
“que a inteligência” (l.2) e em “que confundem” mergulhadas no rio heraclítico – trazem em
(1.2) são ambos pronomes relativos. 20 si os seus contrários e, nesta medida,
17. ( ) Em “que confundem” (l.4), o pronome nascem, vivem e morrem, para dar lugar a
que é o sujeito gramatical de confundem. Tendo novos nascimentos, novas vidas, novas
por sujeito um pronome, deve o verbo mortes. É do embate de opostos que surge
permanecer na forma neutra, ou seja, o singular. o desvendamento da verdade, através do
18. ( ) Compreende-se a sequência “que os 25 ballet célebre: tese, antítese, síntese.
quer resolver” (l.6) como: que quer resolver os Para que se possa chegar à síntese
problemas religiosos. – ponto de partida das novas contradições,
19. ( ) A preposição de, que antecede a que irão dividi-la – é preciso que a tese e a
conjunção que (l.8), é exigência do verbo antítese tenham garantido o seu direito à
transitivo indireto da oração iniciada por essa 30 palavra, ao debate sem medo e sem
conjunção. coação. Não há paz sem liberdade. Não há
progresso sem liberdade. Não há nada de

Gelcimar Santos
verdadeiramente humano, sem liberdade. (linhas 36-38), o conectivo grifado e o
Para que exista paz, é necessário que haja emprego do verbo no modo indicativo
35 humildade, transparência, paciente busca produzem, no contexto, uma relação de:
da justiça. Se quero construir a paz com os
outros seres humanos, tenho que saber (A) Finalidade.
que não sou nem onipotente, nem perfeito. (B) Causalidade.
Paz é virtude, política, edificada com os (C) Conseqüência.
40 outros. Ela implica, portanto, e de maneira (D) Concessão.
radical, respeito ao Próximo, escuta atenta, (E) Tempo.
modéstia.
Ao postular a necessidade do amor 9. Assinale o fragmento em que a locução
ao Próximo, nem por isto me exponho ao verbal grifada exprime uma possibilidade a
45 mundo de artérias abertas, nem abro mão ser concretizada:
do investimento narcísico fundamental que
constitui a base de minha coesão psíquica. (A) Amar ao próximo como a si mesmo é, por
O amor ao Próximo está longe de excelência, a regra de ouro, cânon
representar um devaneio beato e piedoso, fundador da única prática pela qual
50 conto da carochinha para embair crianças, poderemos chegar a um pleno amor por
desavisados e inquilinos da sacristia. nós próprios. (linhas 55-56)
Amar ao Próximo como a si mesmo (B) Costuma-se confundir paz com
é, por excelência, a regra de ouro, cânon imobilismo quietista ou, o que é pior
fundador da única prática pela qual (linhas 1-2)
55 poderemos chegar a um pleno amor por (C) Se quero construir a paz com outros
nós próprios. Sou o primeiro e mais íntimo seres humanos, tenho que saber que não
Próximo de mim, e esta relação de mim sou nem onipotente, nem perfeito. (linhas
para comigo passa, inevitavelmente, pela 36-38)
existência do Outro. Este é o termo (D) O ódio me destrói sempre na medida em
60 terceiro, a referência transcendente por que visa destruir meu irmão, meu vizinho,
cuja mediação passo a construir a minha meu contendor – meu inimigo. (linhas 71-
auto-estima. 74)
Eis aí o modelo da paz. Minha (E) Ela exige, portanto, aceitação e
abertura ao Outro constitui – sem nenhum reverência – do que é novo e
65 pieguimos! – um ato de gratidão por ele dessemelhante, pela consciência que
existir, dando-me a possibilidade de minha devemos ter de que jamais possuiremos,
própria existência. Ao defender o direito a respeito de coisa alguma, a última
que tem o Outro de ser, afirmo – e confirmo palavra. (linhas 80-85)
– o meu direito de existir. O contrário da
70 paz é o ódio ao Próximo ou a si mesmo, 10. No fragmento “Para que exista paz, é
seja em nome do que for. O ódio me necessário que haja humildade,
destrói sempre, na medida em que visa a transparência, paciente busca da justiça”
destruir meu irmão, meu vizinho, meu (linhas 34-36), a expressão grifada
contendor – meu inimigo. estabelece uma relação de:
75 Paz, finalmente, é a assunção – mais
do que dolorosa, porque crucificadora – de (A) Proporcionalidade
que nós, os humanos, somos carcaças (B) Causalidade
feitas de tempo, marcados pela finitude, (C) Tempo
que constitui nossa dimensão mais (D) Concessão
80 necessariamente ultrapassáveis. Ela, (E) Finalidade
exige, portanto, aceitação – e reverência –
do que é novo e dessemelhante, pela 11. Assinale a opção em que a palavra grifada
consciência que devemos ter de que jamais estabelece a coesão textual, retomando
possuiremos, a respeito de coisa alguma, a uma idéia expressa em parágrafo anterior;
85 última palavra. Paz é coragem de pôr-se de
acordo com a verdade, a justiça, a (A) Eis aí o modelo de paz. Minha abertura
liberdade. E como a verdade, a justiça e a ao Outro constitui – sem nenhum
liberdade implicam a existência dos outros, pieguismo! – um ato de gratidão por ele
paz é coragem de com-sentir na existência existir, dando-me a possibilidade de
90 deles, inferno muitas vezes, escândalo minha própria existência. (linhas 63-67)
quase sempre, mas porto e destino de tudo (B) Ao postular a necessidade do amor ao
o que é humano. Próximo, nem por isto me exponho ao
mundo de artérias abertas, nem abro mão
8. Em “Se quero construir a paz com os do investimento narcísico fundamental
outros seres humanos, tenho que saber que constitui a base de minha coesão
que não sou nem onipotente, nem perfeito” psíquica. (linhas 43-47)

Gelcimar Santos
(C) Este é o termo terceiro, a referência
transcendente por cuja mediação passo a
construir a minha auto-estima. (linhas 59-
62)
(D) É do embate de opostos que surge o
desvendamento da verdade, através do
ballet célebre: tese, antítese, síntese.
(linhas 23-25)
(E) Todas as coisas – mergulhadas no rio
heraclítico – trazem em si os seus
contrários e, nesta medida, nascem,
vivem e morrem, para dar lugar a novos
nascimentos, novas vidas, novas mortes.
(linhas 18-23)

12. O ódio me destrói sempre, na medida em


que visa destruir meu irmão, meu vizinho,
meu contendor – meu inimigo. (linhas 71-
74)
A expressão grifada pode ser substituída,
sem alteração significativa do sentido de
proporção por:

(A) desde que


(B) quando
(C) se bem que
(D) enquanto
(E) caso

13. Ao defender o direito que tem o Outro de


ser, afirmo – e confirmo – o meu direito de
existir. (linhas 67-69)
A expressão grifada estabelece uma
relação de:

(A) conseqüência
(B) condição
(C) finalidade
(D) tempo
(E) concessão

Gelcimar Santos