Vous êtes sur la page 1sur 5

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS


CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS (Licenciatura)
PLANO DE ENSINO

DISCIPLINA: SOCIOLOGIA DO SOM E DA MÚSICA


Carga Horária: 60 horas
Primeiro Semestre de 2018
Horário: 5ª feira: 18h50- 22h10
Docente responsável: Luciana F. M. Mendonça
E-mail: sociologias.lfmm@gmail.com
Grupo no Facebook: https://www.facebook.com/groups/468765373296319/

Ementa: A música e as sonoridades como objeto da sociologia e de outras disciplinas.


Principais perspectivas e tendências teóricas. Música e sociologia do gosto. Contextos
sociais de produção, circulação, consumo e fruição da música. Paisagens sonoras,
sonoridades, identidades e estilos de vida.

Objetivos: Fornecer uma base introdutória no campo da sociologia da música,


discutindo seus principais temas e conceitos, por meio de uma abordagem teórica e
histórica, mas, ao mesmo tempo, comtemplando estudos empíricos. Fornecer subsídios
para pensar sociologicamente a música, trabalhando com os pressupostos teóricos, tanto
na especificidade da linguagem musical, quanto na inserção da reflexão na sociologia da
arte e na teoria sociológica em geral.

Avaliação: Presença e participação, verificadas também por meio de reflexão sobre os


temas das aulas. Realização de 1 seminário sobre um dos textos de pesquisa
contemporânea. Trabalho escrito (ensaio reflexivo) sobre um tema relacionado a
sonoridades contemporâneas, contemplando, no mínimo, duas referências teóricas
trabalhadas na disciplina.
Observação: não será aceita a cópia (plágio) de qualquer fonte, implicando em anulação
total da avaliação (atribuição de nota zero).

Conteúdo programático:
I. A especificidade da música e das sonoridades como objeto sociológico
II. Sociologia da música. Especificidade e relação com outras disciplinas
(etnomusicologia, antropologia da música, musicologia, história, etc.)
III. Música, indústria cultural e economia simbólica
IV. Sociologia do gosto e recepção
V. Paisagens sonoras, estilos de vida e identidades
VI. Sonoridades e conhecimento da vida social

Cronograma1
Aula Data Conteúdo
1ª 01/03 Apresentação da Disciplina
2ª 08/03 Música e sociología - Aproximações
Textos:

1
Feriados:
29/03 – Páscoa
31/05 – Corpus Christi

1
Becker, Howard (2013), “Uma carreira como sociólogo da música”, Contemporânea,
v.1, n.3, pp. 131-141.
La Barre, Jorge de (2012), “Sociologia e etnomusicologia: o diálogo”, Antropolítica,
n. 32, pp. 115-128.
3ª 15/03 O texto inaugural da sociologia da música
Texto:
Waizbort, Leopoldo (1995). “Introdução” In: Weber, Max, Os Fundamentos
racionais e sociológicos da música. São Paulo: Edusp, pp. 23-52.
4ª 22/03 Música, indivíduo e sociedade
Texto: Elias, Norbert (1994), Mozart. Sociologia de um gênio. Rio de Janeiro:
Zahar, pp. 9-66.
5ª 05/04 A sociologia da música no cruzamento entre a estrutura social e a estética – T.
W. Adorno
Textos:
Adorno, Theodor W. (1983), “Idéias para a sociologia da música” in: W. Benjamin,
M. Horkheimer, T.W. Adorno e J .Habermas, Textos escolhidos. 2a. ed., São Paulo,
Abril, Col. “Os pensadores”, pp. 259-268.
Adorno, T. W. (1994), “Sobre a música popular” in: Cohn, Gabriel (org.) Theodore
W. Adorno, São Paulo, Ática, Col. “Grandes Cientistas Socias”, pp. 115-146.
6ª 12/04 A sociologia da música no cruzamento entre a estrutura social e a estética – W.
Benjamin
Textos:
Benjamin, Walter (1994). “A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica” in:
Walter Benjamin. Obras Escolhidas, vol. I (Magia e Técnica, Arte e Política). São
Paulo, Brasiliense, pp. 165-196.
7ª 19/04 A arte como ação coletiva
Textos:
Becker, Howard (1977a) “Arte como ação coletiva” in: Uma teoria da ação coletiva.
Rio de Janeiro, Zahar, pp. 205-222.
Becker, Howard (1977b) “Mundos artísticos e tipos sociais” in: Gilberto Velho
(org.). Arte e sociedade. Rio de Janeiro, Zahar, pp. 9-26.
8ª 26/04 O indivíduo, as estruturas sociais e os campos artísticos: práticas e gostos –
Pierre Bourdieu (1)
Textos:
Bourdieu, Pierre (2003a), “Algumas propriedades dos campos”, in: Questões de
sociologia. Lisboa, Fim de Século, 119-126.
Bourdieu, Pierre (2003b), “A origem e a evolução das espécies de melómanos”, in:
Questões de sociologia, Lisboa, Fim de Século, 163-168.
Bourdieu, Pierre (2003c), “A metamorfose dos gostos”, in: Questões de sociologia,
Lisboa, Fim de Século, 169-180.
9ª 03/05 O indivíduo, as estruturas sociais e os campos artísticos: práticas e gostos –
Pierre Bourdieu (2)
Texto:
Bourdieu, Pierre (2003d) “Gostos de classe e estilos de vida” in: Renato Ortiz (org.),
A sociologia de Pierre Bourdieu. São Paulo, Olho D’Água, pp. 73-111.
10ª 10/05 Classes sociais, consumo e práticas musicais – Bourdieu tinha razão?
Textos:
Featherstone, Mike (1995), “Estilo de vida e cultura de consumo” in: Cultura de
consumo e pós-modernismo. São Paulo, Studio Nobel, pp. 119-133. (Seminário 1)
Hennion, Antoine (2011), “Pragmática do gosto”, Desigualdade e Diversidade, n. 8,
pp. 253-277. (Seminário 2)
Monteiro, Tiago (2008), “Quanto vale o fado? Capital cultural, distinção social,
legitimação simbólica: Proposta teórico-metodológica para a análise do consumo de
música portuguesa no Brasil”. Contemporânea, vol. 6, n. 2. (Seminário 3)

2
11ª 17/05 Audição como forma de conhecimento social (1)
Textos:
Hikiji, Rose (2005), “Possibilidades de uma audição da vida social”, in: Martins et al.
(orgs.), O imaginário e o poético nas ciências sociais. Bauru: EDUSC, 271-294.
Mendonça, Luciana F. M. (2009), “Sonoridades e cidades” in: Carlos Fortuna e
Rogério P. Leite (org.), Plural de cidades: novos léxicos urbanos. Coimbra,
CES/Almedina, pp. 139-150.
 Entrega de proposta para o trabalho final
12ª 24/05 O ócio e o negócio
Textos:
Abreu, Paula (2009), “A indústria fonográfica e o mercado da música gravada.
Histórias de um longo desentendimento”, Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 85,
pp. 105-129. (Seminário 4)
Hershmman, Micael (2013), “Carência de dados e desafios metodológicos para o
desenvolvimento dos estudos da indústria da música”, Famecos, v. 20, n. 1, pp. 131-
146.
De Marchi, Leonardo (2008), “Inovação e institucionalização na indústria
fonográfica brasileira: Um estudo de caso das estratégias de negócio de músicos
autônomos no entorno digital”. Revista Eptic, 14 (2), pp. 1-22. (Seminário 5)
13ª 07/06 Gêneros musicais e gosto musical – a música que os loucos ouvem?
Textos:
Carvalho, José Jorge de (1999). “Transformações da sensibilidade musical
contemporânea”. Horizontes Antropológicos, n. 11, p. 53-91.
Lahire, B. (2007). “Indivíduo e Mistura de Gêneros: Dissonâncias Culturais e
Distinção de Si”. Dados - Revista de Ciências Sociais, 50 (4), 795-825.
Sandroni, Carlos (2004). “Adeus à MPB”. In: B. Cavalcanti; H. Starling; J.
Eisenberg. (Org.). Decantando a República: inventário histórico e político da
canção popular moderna brasileira. v. 1 Outras conversas sobre os jeitos da canção.
Rio de Janeiro: Nova Fronteira; São Paulo: Fundação Perseu Abramo, p. 23-35.
14ª 14/06 Música e identidades juvenis
Textos:
Arroio, Margarete (2013). “Jovens e música como tema investigativo” in: Jovens e
músicas: um guia bibliográfico. São Paulo: Editora Unesp. Disponível em
http://repositorio.unesp.br/handle/11449/113711 (Seminário 6)
Contador, António C. (2004), “Escravos, canibais, blacks e DJs: sonoridades e
identidades juvenis negras no Brasil” in: José Machado Pais Leila Blass (coords.).
Tribos urbanas: produção artística e identidades. São Paulo, Anablume, pp. 161-184.
(Seminário 7)
Freire Filho, João (2005), “Das subculturas às pós-subculturas juvenis: música, estilo
e ativismo político”. Contemporânea, vol. 3, n. 1, pp. 138-166. (Seminário 8)
15ª Cenas musicais 1
21/06 Textos:
Herschmann, Micael (2013). “Cenas, circuitos e territorialidades sônico-musicais” in:
J. Janotti Jr. (org.). Cenas musicais. Guararema: Anadarco, pp. 41-56.
Straw, Will (2013). “Cenas culturais e as consequências imprevistas das políticas
públicas” in: J. Janotti Jr. (org.). Cenas musicais. Guararema: Anadarco, pp. 13-23.
Trotta, Felipe (2013). “Cenas musicais e anglofonia: sobre os limites da noção de
cena no contexto brasileiro” in: J. Janotti Jr. (org.). Cenas musicais. Guararema:
Anadarco, pp. 63-70. (Seminário 9 – Straw e Trotta)
16ª 28/06 Cenas musicais 2
Textos:
La Barre, Jorge de (2010), “Música, cidade, etnicidade: explorando cenas musicais
em Lisboa”. Revista Migrações, n.7, pp. 147-166. Disponível em
http://lemetro.ifcs.ufrj.br/jorge_de_la_barre_musica_cidade_etnicidade.pdf

3
(Seminário 10)
Prysthon, Angela (2008). “Um conto de três cidades: música e sensibilidades
culturais urbanas”. E-Compós, 11 (1), pp. .Disponível em
http://www.compos.org.br/seer/index.php/e-compos/article/viewFile/273/254
(Seminário 11)
17ª 05/07 Entrega do Trabalho Final (por e-mail)

Bibliografia Básica:
ABREU, Paula (2009), “A indústria fonográfica e o mercado da música gravada – histórias de
um longo desentendimento”, Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 85, pp. 105-129.
ADORNO, Theodor W. (1983a), “O fetichismo na música e a regressão da audição” in
W. Benjamin, M. Horkheimer, T.W. Adorno e J .Habermas, Textos escolhidos. 2a. ed.,
São Paulo, Abril, Col. "Os pensadores", pp. 165-191.
ADORNO, Theodor W. (1983b), “Idéias para a sociologia da música” in W. Benjamin,
M. Horkheimer, T.W. Adorno e J .Habermas, Textos escolhidos. 2a. ed., São Paulo,
Abril, Col. "Os pensadores", pp.259-268.
ADORNO, Theodor W. (1994), “Sobre a música popular” in Cohn, Gabriel (org.)
Theodore W. Adorno, São Paulo, Ática, Col. “Grandes Cientistas Socias”, pp. 115-146.
ADORNO, T. W. e HORKHEIMER, M. (1985), “A indústria cultural: o esclarecimento
como mistificação das massas” in: A dialética do esclarecimento: fragmentos
filosóficos. Rio de Janeiro, Zahar, pp. 113-156.
BECKER, Howard (1977a) “Arte como ação coletiva” in: Uma teoria da ação coletiva.
Rio de Janeiro, Zahar, pp. 205-222.
BECKER, Howard (1977b) “Mundos artísticos e tipos sociais” in: Gilberto Velho
(org.). Arte e sociedade. Rio de Janeiro, Zahar, pp. 9-26.
BENJAMIN, Walter (1994). “A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica” in:
Walter Benjamin. Obras Escolhidas, vol. I (Magia e Técnica, Arte e Política). São
Paulo, Brasiliense, pp. 165-196.
BOURDIEU, Pierre (2003a), “Algumas propriedades dos campos”, in Questões de
sociologia. Lisboa, Fim de Século, 119-126.
BOURDIEU, Pierre (2003b), “A origem e a evolução das espéciaes de melómanos”, in
Questões de sociologia, Lisboa, Fim de Século, 163-168.
BOURDIEU, Pierre (2003c), “A metamorfose dos gostos”, in Questões de sociologia,
Lisboa, Fim de Século, 169-180.
CARVALHO, José Jorge de (1999). “Transformações da sensibilidade musical contemporânea”.
Horizontes Antropológicos, n. 11, p. 53-91.
ELIAS, Norbert (1994), Mozart. Sociologia de um gênio. Rio de Janeiro: Zahar.
FREIRE FILHO, João (2005), “Das subculturas às pós-subculturas juvenis: música,
estilo e ativismo político”. Contemporânea, vol. 3, n. 1, pp. 138-166.
HENNION, Antoine (2011), “Pragmática do gosto”, Desigualdade e Diversidade, n. 8,
pp. 253-277.
HIKIJI, Rose S. D. (2005), “Possibilidades de uma audição da vida social”, in José de
Souza Martins et al. (orgs.), O imaginário e o poético nas ciências sociais. Bauru:
EDUSC, 271-294.
MENDONÇA, Luciana F. M. (2009), “Sonoridades e cidades” in: Carlos Fortuna e
Rogério Proença Leite (org.), Plural de cidades: novos léxicos urbanos. Coimbra,
CES/Almedina, pp. 139-150.
Monteiro, Tiago (2008), “Quanto vale o fado? Capital cultural, distinção social,
legitimação simbólica: Proposta teórico-metodológica para a análise do consumo de
música portuguesa no Brasil”. Contemporânea, vol. 6, n. 2. Disponível em

4
https://www.portalseer.ufba.br/index.php/contemporaneaposcom/article/view/3534
WEBER, Max (1985). Os Fundamentos Racionais e Sociológicos da Música. São
Paulo: Edusp.

Bibliografia Complementar:
(Outros títulos serão indicados ao longo das aulas de acordo com os temas trabalhados e
interesse d@s alun@s)
ADORNO, Theodor (2008). Introdução a Sociologia da Música. São Paulo: Editora
UNESP, 2008.
ATTALI, Jacques (1985), Noise. The political economy of music. Minneapolis:
University of Minnesota Press.
BECKER, Howard (1982). Art worlds. Berkley, University of California Press.
BECKER, Howard e FAULKNER, Robert (2009), “Do you know...?”. The jazz
repertoire in action. Chicago, University of Chicago Press.
CLAYTON, M. et al. (eds.). The cultural study of music. A critical introduction. New
York: Routledge, 2003.
DE NORA, Tia. Music in everyday life. Cambridge: Cambridge University Press, 2000.
FRITH, Simon (1996), “Music and identity” in: Stuart Hall and Paul du Gay (ed.).
Questions of cultural identity. Londres, Sage, pp. 108-127.
HESMONDHALGH, David (2008), “Towards a critical understanding of music
emotion and self-identity”. Consumption, markets and culture, vol. 11, n. 4, pp. 329-
343.
HENNION, Antoine (2010). “Reflexiviades. A atividade do amador”, Estudos de
Sociologia, v. 16, n. 1, pp. 33-58.
NUNES, Jordão H. (2012) “Músicos de jazz em atividade: interação, performance e
construção do repertório”, Contemporânea, v.2, n.1, pp. 257-263.SCHAFER, R. Murray
(2001), A afinação do mundo. São Paulo: Editora da Unesp.