Vous êtes sur la page 1sur 33

1

Dicionário Gaúcho
A.gar.ra.dei.ra sf. 1. Saliência que se faz na planta do casco do cavalo,
com uma legra ou uma faca, a fim de que o animal tenha maior firmeza
em terrenos úmidos ou escorregadios.
A.gar.rar vtd. 1. Tomar (um caminho, uma direção).
A.gua.da sf. 1. Lugar onde vão beber os animais; bebedouro.
A.gua.xa.do sf. 1. Saturado de água. [aplica-se ao cavalo que em razão de
2
muito tempo de descanso, fica tão gordo que não pode fazer marcha
longa sem transpirar excessivamente, formando-se uma espuma branca,

A ber.ta sm 1. Clareira.
Abi.chor.na.do adj. 1. Desanimado. 2. Vexado, envergonhado. 3.
Acovardado, aniquilado.
A.bo.che loc.adv. 1. Em grande quantidade; muito.
A.bom.ba.do adj. 1. Impossibilitado de continuar viagem por cansaço
sobretudo na tábua do pescoço e no lombo.]. Fig. Diz-se do indivíduo
destreinado para certos esforços.
A.guen.te sm. 1. Resistência física.
A la cri.a loc. Adv. 1. Usada com o verbo ir (ou vir): ir-se embora; ir ao
deus-dará; cair no mundo.
devido ao calor (diz-se do cavalo). 2. Esfalfado; exausto; arquejante A la fresca ! (a la fres.ca) loc. Interj. Designa espanto, surpresa,
(animal, ou por extensão, pessoa). descrença.
A.brir os pa.nos loc. V. 1. Ir-se embora; fugir; abrir-se. A.la.ri.fa.ço adj. Superlativo de alarife.
A.cha.dio adj. 1. Achadiço. A.la.ri.fe adj. 1. Vivo, esperto; velhaco, trapaceiro. 2. Desordeiro, venta-
Aci.men.ta.do adj. 1. Transformado em cimento. furada. [superlativo de alarifaço].
A.co.lhe.rar vtd. 1. Atrelar ou ajoujar (animais) por meio de colhera. T. D. Al.bar.dão sm 1. Faixa de terra que se ergue entre lagunas, banhados ou
E p. Unir, juntar. charcos.
A.co.qui.nhar vtd. 1. Inquietar. 2. Amedrontar. 3. Importunar. al.ça.do adj. 1. Diz-se do gado que se tornou bravio por haver fugido para
A.çou.ta - ca.va.lo (s) sm 1. Árvore da família das tiliáceas (luhea o mato ou por ter sido deixado ao abandono.
divaricata, mart.). Al.ce sm. 1. Trégua; folga; descanso. 2. Ato de alçar ou levantar o cavalo
A.fer.ven.tar vtd 1. Apressar por meio das rédeas.
A.fi.cio.na.do sm 1. Amador de uma arte, jogo, esporte, etc. Al.dra.gan.te adj. E sm. 1. Tratante, vagabundo.
A.frou.xar vtd. 1. Deixar escapar; revelar (segredo). Ale.gre.te sm. 1. Município em cuja região central se acha situada a
A.ga.cha.da sf. 1. Investida, arremetida; interpelação inopinada. 2. Alusão cidade de igual nome, à margem do rio ibirapuitã.
agressiva dirigida a alguém para provocar assunto que lhe é desagradável. Ale.via.na.do adj. 1. Tornado mais leve, mais leviano.
3. Piada; remoque; saída. 4. Disparate. a.lon.gar vt. 1. Afastar-se, alongar-se.
A.ga.char (-se) vp. 1. Dispor-se; principiar, começar (a fazer uma coisa). A.ma.gar vt. 1. Levar (o corpo) para a frente, quando a cavalo, a fim de
dar impulso ao animal.
A.ma.nu.se.ar vtd. 1. Amanonsiar. A.po.trar-se vp 1. Ficar (o animal) bravio como o potro. 2. Fig.
A.ma.non.siar vt. 1. Amansar (um animal) sem montá-lo; tirar-lhe as Embravecer, zangar-se.
manhas. A.pron.ta.men.to sm. 1. Aparelhamento, enfeite.
A.mar.go sm. 1. Mate sem açúcar; chimarrão. A.pu.ra.do adj. 1. Apressado; impaciente.
A.mar.ti.lhar vtd. 1. Engatilhar, martilhar, emartilhar. A.pu.rar vtd. E p. 1. Apressar.
Am.bi.cio.nei.ro adj. 1. Ambicioso. A.que.ren.cia.do adj. 1. Diz-se do animal acostumado a um lugar certo, ou
3
A me.ia es.pal.da loc.adv. 1. Aplica-se a um modo de laçar que consiste a andar junto com outros animais. 2. Aplica-se, figuradamente, às
em prender o animal pela cernelha, pelo peito e por um dos membros pessoas.
dianteiros. A.ris.car(-se) vp. 1. Tornar-se arisco, esquivo; espantar-se.
A.mi.lha.do adj. 1. Diz-se do animal alimentado com milho. Ar.ma.da sf. 1. Roda que se faz com o laço quando se pretende atirá-lo
An.dan.te sm. 1. Viajante; transeunte. para prender a rês.
An.gu sm. 1. Confusão, barulho, arranca-rabo. Ar.pis.ta adj. 1. Desconfiado; prevenido; assustadiço; arisco. [também se
A.ni.ma.la.da sf. 1. Grande número de animais cavalares. usa alpista.]
A.nu sm. 1. Nome de uma dança (ver fandango). Ar.pis.tar(-se) vp. 1. Mostrar-se arpista; assustar-se. [o mesmo que
A.par.te sm. 1. Ato de apartar ou separar o gado, para a venda ou outro alpistar-se.]
fim. 2. Ato ou efeito de apartar, separar, pôr de parte. Ar.ran.ca-ra.bo sm. 1. Discussão, bate-boca. 2. Barulho, briga, conflito.
A.pe.ra.do adj. 1. Encilhado com esmero; ajaezado (cavalo). Fig. Bem Ar.ran.cha.men.to sm. 1. Casa de moradia no campo, com seus acessórios
vestido. – currais, galpões, etc. — ou sem eles.
A.pe.ros sm. Pl. 1. Os preparos necessários para encilhar um cavalo; Ar.rea.dor sm. 1. Relho comprido com que o campeiro toca os animais.
arreios. Ar.re.ga.nha.do adj. 1. Aplica-se ao cavalo que, em tempo de calor
A.per.ta.do sm. 1. Passagem apertada entre dois precipícios. 2. intenso, depois de marcha imoderada, havendo bebido pouco, é
Desfiladeiro. 3. Lugar estreito de rio ou caminho. acometido de uma espécie de espasmo que se caracteriza pela contração
A.pi.nha.do sm. 1. Porção de coisas apinhadas; aglomeração, aglomerado. dos maxilares e das narinas e o faz perder muito em resistência.
A.pi.nhos.car(-se) vp. 1. Juntar-se, agrupar-se, apinhar-se. Ar.re.glar vtd. E p. 1. Combinar, concertar; arranjar; pôr (as coisas) em
A.plas.ta.do adj. 1. Cansado por efeito de certo esforço; abatido. ordem. Td. E i. 1. Ajustar alguma coisa com alguém.
A.plas.tar vtd. 1. Tornar aplastado; tirar as forças a. P. Tornar-se Ar.re.glo sm. 1. Ato de arreglar. Combinação, ajuste, arranjo.
aplastado; perder as forças. Ar.re.ma.ta.do adj. 1. Cansado, enfadado; exausto.
A.por.rea.do adj. 1. Aplica-se ao cavalo que o domador não conseguiu Ar.rin.co.nar vtd. E p. 1. Arrinconar, acantoar.
amansar. Ar.ris.ca.da sf. 1. Aventura muito perigosa.
A.por.rear vtd.e p. 1. Tornar aporreado. Ar.ro.di.lhar(-se) vp. 1. Ajoelhar-se.
A.po.tra.do adj. 1. Que tem manhas de potro. 2. Fig. Irascível; grosseiro.
Ar.ro.lhar(-se) vp. 1. Fugir derrotado, intimidado, amedrontado. 2.
Reunir-se, juntar-se em grupo (animais que vão em marcha ou se acham
espalhados). 3. Reunir-se (pessoas).
Ar.rou.ca.do adj. 1. Enrouquecido.
Ar.ru.ir vtd. 1. Destruir, desmoronar.
A.ru.á sm. 1. Indivíduo brigão; valentão.
4
Às can.sa.das loc. Adv. 1. Depois de muita demora; com muito esforço.
As.pas sf. Pl. 1. Chifres, guampas (quando ainda estão no animal).
As.pa-tor.ta sm. 1. Indivíduo turbulento, desordeiro; ventana.
As.so.lea.do adj. E sm. 1. Diz-se do, ou o animal que, por haver andado
muito ao sol quente, fica doente do aparelho respiratório, tornando-se

B
facilmente cansável.
A.tar vtd. 1. Ajustar, contratar (carreira). a.gual sm. E adj. 1. Potro recém-domado. 2. Cavalo novo e
A.ti.lhar vtd. 1. Prender com atilho. arisco. Adj 1. Arisco; espantadiço. 2. Grosseiro, rústico. 3. Muito
A.to.rar vtd. 1. Cortar, torar. grande.
A.tos.si.car vtd. 1. Instigar para o mal; dar mau conselho a. Ba.gua.la.da sf. 1. Manada de baguais. 2. Os baguais em geral.
A.vi:os sm. Pl. 1. O conjunto de objetos necessários para determinados Ba.io sm. 1. Cigarro feito de fumo crioulo e palha de milho.
fins: avios de fogo — o isqueiro, a pederneira, etc.; avios de mate — a Ba.lan.çan.te adj. 1. Que balança.
cuia, a bomba e a erva; avios de pescaria — o anzol, as iscas, etc.; avios de Ba.lan.drau sm. 1. Nome dado ao poncho de pala, ou pala simplesmente,
caça, avios de carpinteiro... o qual tem no meio, como a opa, uma abertura por onde é enfiado no
A.zon.za.do adj. E sm. 1. Meio zonzo, meio tonto. pescoço.
A.zu.le.go adj. E sm. 1. Diz-se de, ou cavalar ou muar cujo pêlo é de um Ba.las.tra.ca sf. 1. Patacão argentino ou uruguaio.
azul quase preto, entremeado de pintas brancas, produzindo um reflexo Bam.bur.ral sm. 1. Vegetação arbustiva que viceja nos lugares úmidos e
azulado. nas roças ou cercados abandonados.
Ban.car(-se) vp. 1. Montar; sentar-se.
Ban.de.ar vtd. 1. Atravessar; traspassar. P. Passar-se para o outro lado.
Ba.nha.do sm. 1. Terreno alagadiço; pântano, brejo.
Ba.nhei.ro sm. 1. Lugar — arroio, açude — onde se toma banho.
Bar.ba.ri.da.de interj. 1. Exprime espanto, admiração.
Bar.bi.ca.cho sm. 1. Cordão ou couro entrançado que, tendo as Bo.la.ço sm. 1. Golpe dado com as bolas. 2. Tiro de bolas.
extremidades presas ao chapéu, passa por baixo do queixo, segurando Bo.lan.di.na sf. 1. Agitação, atrapalhação; azáfama. 2. Trapalhada;
aquele à cabeça. trampolinada.
Bar.ro.so adj. 1. Diz-se do boi de cor branca amarelada. Há diversa Bo.las sf. Pl. 1. Ver boleadeiras.
tonalidades; barroso claro, barroso amarelo, barroso vermelho, barroso Bo.le.a.dei.ras sf. Pl. 1. Aparelho que serve para prender o animal em
fumaça. campo aberto. É formado por três de pedra ou de ferro envolvidas num
5
Ba.ru.lhar vtd. 1. Fazer barulho ou bulha com. couro espesso — retorvo — ou, como envoltório, tornam uma forma
Bas.tei.ra sf. 1. Ferida produzida no lombo do animal por defeito ou mau arredondada. Essas esferas ligam-se entre si por meio de cordas de couro,
estado do lombilho. denominadas soga das boleadeiras. Duas das bolas são de igual tamanho
Ba.ta.ta sf. 1. Divisa, galão. e a terceira, menor, chamada manicla ou manica, é a que empunha para
Ba.te-bar.bas sm. 1. Discussão acalorada; bate-boca, bate-chão. manejar o conjunto. [o mesmo que bolas, pedras e três-marias].
Ba.ter a al.ca.tra na ter.ra in.gra.ta loc. V. 1. Cair no chão. Bo.lea.do sm. 1. Superfície boleada, torneada, arredondada.
Ba.ter ore.lha(s) loc. V. 1. Ser igual a outro, da mesma força. 2. Ter Bo.lea.dor sm. 1. Aquele que atira as bolas ou boleadeiras.
destino igual ao de outro. Bo.le.ar vt. 1. Atirar as bolas ou boleadeiras a (o animal), para apanhá-lo.
Ber.za.bum sm. 1. Tumulto, balbúrdia, briga, bafafá. Bolear a perna loc.v. 1. Apear-se do cavalo.
Bi.bi sf. 1. Erva da família das Iridáceas (Cypella plúmbea) Cuja raiz é Bo.li.che sm. 1. Pequena casa de negócio; bodega, taberninha.
comestível. Bo.li.chei.ro sm. 1. Proprietário de boliche.
Bi.cha.rá sm. 1. Poncho feito de tecido grosseiro de lã. Bo.li.vi.a.no sm. 1. Moeda boliviana de prata, que tinha curso no rio
Bi.chare.do sm. 1. Bicharada, bicharia. grande do sul e valia, aproximadamente 800 réis.
Bi.co.ta sf. 1. Beijoca; beijo; boquinha. Bom.ba.cha sf. 1. Calças muito largas, apertadas acima dos tornozelos por
Bi.guá sm. 1. Ave aquática de cor preta, da família dos carbonídeos (carbo meio de botões; muito usadas pelos campeiros.
vigua, vieill.). Bom.be.ar vtd. Int. 1. Espionar; espreitar, observar, vigiar.
Bo.chin.cha.da sf. 1. Ato de promover bochinche ou conflito. 2. Bom.bei.ro sm. 1. Espião ou observador do campo inimigo; esculca.
Pagodeira, pândega. Bo.qui.nha sf. 1. Beijo, bicota.
Bo.chin.che sm. 1. Boliche, bodega. [acepção usual: baile reles; Bo.tei.ro sm. 1. Aquele que governa um bote.
desordem, briga.] Bra.ça.da sf. 1. Movimento ou gesto do braço.
Bo.có¹ adj. 1. Tolo, pateta, acriançado. Bra.ga.do adj. E sm. 1. Diz-se de, ou animal vacum ou cavalar que tem
Bo.có ² sm. 1. Alforje ou bolsa de couro não curtido, ainda com o pêlo do grandes manchas brancas pela barriga.
animal. Bra.si.no adj. 1. Diz-se do animal bovino ou do cão cujo pêlo é vermelho
Boi.ci.nin.ga sf. 1. Nome tupi da cobra cascavel (crotalus terrificus, l.). com listras pretas ou quase pretas.
Boi.gua.çu sf. 1. Cobra grande.
Bru.a.ca sf. 1. Maleta de couro para transporte de objetos sobre animais.
Fig. Mulher ordinária, sem pudor; rameira.
Bu.çal sm. 1. Peça do arreio, muito complexa, feita de couro e que se põe
na cabeça e pescoço do cavalo. Compõe-se de cabeçada, focinheira,
fiador e cedeira. Passar o buçal em. Loc. V. 1. Enganar, lograr.
Bu.ca.le.te sm. 1. Peça do arreio, semelhante ao bucal, porém menor do

C
6
que este, e menos grosseira.
Bue.na.ço adj. 1. Muito bom ou bondoso; excelente; generoso; afável.
[também se diz buenacho. Superl. De bueno]. a.be.la.ma sf. 1. O conjunto dos cabelos ou pelos de um
Bue.no adj. 1. Bom, bondoso. Adv. Está bem; muito bem; perfeitamente. palmal, pelame.
Bu.ra.ca.ma sf. 1. Porção de buracos (nas estradas). 2. Série de buracos. Ca.bor.tei.ro adj. 1. Diz-se do cavalo manhoso, infiel, arisco, velhaco. 2.
Bu.tiá sm. 1. Fruto do butiazeiro. 2. Butiazeiro. Fig. Aplica-se à pessoa velhaca, tratante, que não merece confiança
Bu.tia.zei.ro sm. 1. Espécie de palmeira (cocos capitata, mart.), de cujo Ca.bos-ne.gros adj. 1. Aplica-se ao cavalo baio ou gateado que tem os
fruto, comestível, se faz licor. quatro pés, a crina e a cauda pretos.
Bu.zi.na adj. 1. Raivoso, colérico. Ca.bres.te.ar v. Int. 1. Andar conduzido pelo cabresto. 2. Obedecer
facilmente à tração do laço.
Ca.bres.ti.lhos sm. 1. Correias estreitas de couro, ou correntes de metal
que prendem a espora ao pé. [também se usa no singular].
Ca.chim.bo sm. 1. Cálice.
Ca.fi.fe sm. 1. Pequeno cofre, ou bandeja, em que se recolhe o barato nos
jogos de cartas ou de víspora. 2. O barato.
Ca.iam.bo.la sm. 1. Escravo que andava fugido, e que muitas vezes se
açoitava em quilombos. [o mesmo que canhembora, canhambora,
calhambora, quilombola].
Ca.je.ti.lha sm. 1. Sujeito presumido; janota, almofadinha. [nome dado
pela gente do campo aos rapazes da cidade.]
Ca.la.ve.ra (ê) sm. 1. Indivíduo velhaco, caloteiro, caborteiro.
Ca.li.fór.nia sf. 1. Corrida de cavalos, em que tomam parte mais de dois,
muito usada outrora no rio grande. Califórnia de Chico Pedro, sf. 1. Nome
por que é conhecida a luta que, de fins de 1849 a 1850, travou o coronel
Francisco Pedro de Abreu (mais tarde general e barão do Jacuí) contra as
forças da república oriental (Uruguai), pelo fato de haver o governo desse Cam.pei.ra.ço sm. 1. Campeiro muito experimentado, profundo
país confiscado, em onerado com pesadíssimos impostos, as propriedades conhecedor dos segredos de seu oficio.
dos brasileiros ali residentes. Estes aproveitam a ocasião para lá os seus Cam.pei.ra.da sm. 1. Porção de campeiros. 2. Os campeiros.
gados ao rio grande do sul, onde ficavam garantidos. Muitas extorsões e Cam.pei.re.ar v. Int. 1. Trabalhar com o gado.
abusos se praticaram durante essa peleja, na qual foi derrotado de Chico Cam.pei.ro sm. 1. Aquele que trabalha no campo com o gado. 2. Aquele
Pedro. [“este vocábulo” – escreve romangueira correia – “tira sua origem, que sabe trabalhar no campo.
7
sem duvida, do fato de, em outros tempos, dirigir-se muita gente à Cam.pes.tre sm. 1. Campo no meio da mata. 2. Clareira gramada.
califórnia em busca de ouro que naquele estado abundava”; e, como Ca.na de ré.dea sf. 1. Uma das correias com que fazem as rédeas.
nessas corridas (califórnia), são muitos os competidores e todos – com a Ca.na.ri.nho sm. 1. Espécie de canário.
sede de ganhar, talvez daí, analogamente, tenha-se-lhes dado aquela Can.cha sm. 1. Pista para carreira de cavalos. 2. Lugar onde se realizam
denominação; assim também se explica o emprego dessa palavra para jogos. 3. Paradeiro habitual; lugar predileto. 4. Espaço; lugar.
indicar essa luta acima referida, em que também predominava, além de Can.che.ar vtd. 1. Bater as folhas de (a erva mate), depois de seca,
outros sentimentos, a cobiça de lucros.”] reduzindo-a a pedacinhos. 2. Moer, triturar (a erva mate).
Ca.lom.bo sm. 1. Espécie de uma raça bovina outrora abundante no Rio Can.chei.ro adj. e sm. 1. Diz-se de, ou cavalo, habituado a correr na
Grande do Sul e hoje desaparecida, na qual os touros apresentavam cancha. Sm. 1. Empregado que cuida das canchas.
pescoço muito curto, com uma saliência volumosa (calombo) na parte Can.don.guei.ro adj. 1. Aplica-se ao animal manhoso, que foge com a
anterior. [Simões Lopes emprega a palavra em sentido figurado, cabeça quando se lhe quer pôr o freio ou o bucal. 2. Fig. Diz-se de pessoa
facilmente compreensível pelo conjunto.]. manhosa, arteira, esquiva.
Cam.ba.rá sm. 1. Nome comum a várias plantas, pertencentes às famílias Can.gu.çu sm. 1. Município em cuja região central, entre as nascentes dos
das compostas, das verbenácias e outras, e de que há muitas variedades. arroios poronduba, amêndoa, pantatoso e moinho , fica a cidade do
São tidas como de valor medicinal. mesmo nome.
Cam.bu.im sm. 1. Árvore da família das mirtáceas (Myrcia sphaerocarpa, Ca.nha sf. 1. Aguardente de cana; cana, cachaça.
d.c.). Var. De Cambuí. Ca.nha.da sf. 1. Vale profundo; grande depressão; baixada.
Ca.me.la.da sf. 1. Grupo de camelos. (pl. Os camelos.). Ca.nho.na.ço sm. 1. Tiro de canhão. 2. Fig. Fato ou notícia que provoca
Ca.me.lo sm. 1. Ver caramuru. extraordinário abalo.
Ca.mor.ra sf. 1. Provocação, desafio; indireta. Comprar a camorra loc. V. Can.ji.ca sf. 1. Espécie de sopa de milho quebrado ou pilado, ao qual se
1. Reagir a uma provocação; picar-se. adiciona açúcar, leite e, ás vezes, canela; mungunzá. (pl os dentes).
Ca.mo.te sm. 1. Namoro. 2. O namorado. Ca.pão sm. 1. Indivíduo fraco, pusilânime, vil.
Cam.pe.ar vtd. E int. 1. Procurar gado pelos campos. 2. Procurar, Ca.pim-li.mão sm. 1. Erva da família das gramináceas (elionurus candidus,
esquadrinhar. hack.)
Ca.pin.cho sm. 1. O macho da capivara. 2. Filhote de capivara.
Ca.po.ro.ro.ca sf. 1. Designação omatópica de uma ave da família dos Car.re.tão sm. 1. Carreta pequena, usada para serviços leves, nas
Anatídeos (Coscoroba coscoroba), a qual no Brasil habita apenas o Rio estâncias, e puxada por uma só junta de bois.
Grande do Sul. É um tipo de cisne, de corpo inteiramente branco. Car.re.tei.ro sm. 1. Condutor de carreta.
Ca.ra.ca sf. 1. Rugas que surgem na base dos chifres dos vacuns, quando Car.ri.nho sm. 1. Os maxilares. [mais usado no plural.].
vão envelhecendo. [diz-se também craca.]. Ca.rum.bé sf. 1. Jabuti macho, em pleno desenvolvimento.
Ca.ra.min.guás sm. 1. Arreios velhos e quase sem préstimo. 2. Objetos de Ca.so sm. 1. História, conto, narração. Pro caso, loc. Adv. 1. Aliás, diga-se
8
pouco valor; cacarecos, badulaques. 3. Dinheiro miúdo, pouco. de passagem; por sinal.
Ca.ra.mu.ru sm. 1. Denominação que os republicanos de 1835 (revolução Cas.te.lha.na.da sf. 1. Grupo de castelhanos(filhos do uruguai ou da
farroupilha) davam aos legalistas. [o mesmo que camelo e galego.]. argentina.).
Ca.ra-vol.ta sf. 1. Meia-volta; volta instantânea para trás. Ca.ti.vo adj. 1. Cativante, sedutor.
Car.che.ar v. Int. e td. 1. Apoderar-se indevidamente de animais e coisas, Ca.tur.ri.tar v. Int. 1. Falar muito; paldrar, lagartear.
por ocasião das revoluções sob falso pretexto de necessidades militares. Ca.ú.na sf. 1. Erva-caúna.
2. Fig. Roubar, furtar. Ca.va.lhei.ra.da sf. 1. Ação irregular; proeza, cavalaria.
Car.che.io sm. 1. Ato de carchear. 2. Fig. Roubo; modo sumário como o Ca.ve.rá sm. 1. Serra à margem esquerda do arroio do mesmo nome, ao
roubo (o jogo, por exemplo) de apossar-se dos bens alheios. sul do município de rosário.
Car.go.se.ar vtd. 1. Importunar, perseguir; fazer corte insistente a. Cer.de.ar vtd. E int. 1. Cortar as cerdas do animal; tosquiar.
Car.go.so adj. 1. Importuno, impertinente; remitente. Cer.no.so adj. 1. Que tem cerne espesso.
Car.guei.re.ar v. Int. 1. Trabalhar com animais cargueiros. Vtd. 1. Chá-de-cas.ca-de-va.ca sm. 1. Surra de relho.
Transportar em animais cargueiros. Chai.rar v. Int. e td. 1. Afiar a faca num afiador de aço denominado
Car.ne.ar v.irreg. Vtd. 1. Esfolar a rês. 2. Esfolar. chaira.
Ca.ro.na sf. 1. Peça do arreamento: manta de couro, que se põe por baixo Chan.guei.ro sm. 1. Parelheiro, ou cavalo de cancha, para pequenas
do lombilho. Ir ou Es.tar pe.las ca.ro.nas loc. V. 1. Estar em situação corridas; parelheiro medíocre. [diminutivo: changueirito.].
difícil, penosa. Cha.pe-cha.pe sm. 1. Chão-duro; terreno seco e áspero.
Car.pe.ta (ê) sf. 1. Pano que cobre a mesa do jogo. Cha.pu.lhar v. Int. 1. Chapinhar.
Car.quin.cho adj. 1. Seco; enrugado, encarquilhado. Char.que.a.dor sm. 1. Proprietário de charqueada.
Car.rei.ra sf. 1. Disputa entre animais de corrida em campo raso. [o Char.rua adj. E sm. 1. Diz-se de, ou individuo dos charruas, tribo de índios
mesmo que carreiramento.] Atar carreira loc. V. 1. Contratá-la, ajustá-la. que outrora habitava o rio grande, dominando o extremo sul do estado.
Carreira grande sf. 1. A carreira principal, numa reunião para carreiras. Chas.que sm. 1. Mensageiro, estafeta, próprio.
Car.rei.ro sm. 1. Fileira, fila, carreira. Chê! (tchê) interj. 1. Indica espanto, ou zombaria, e serve também para
Carreta sf. 1. Carro de bois. chamar a atenção da ´pessoa a quem se fala.
Car.re.ta.me sm. 1. Grande número de carretas; carretama. Chi.co adj. 1. Pequeno.
Chil.ca sf. 1. Arbusto daninho, da família das compostas (europatorium Cli.nu.do adj. e sm. 1. Diz-se de ou animal de crinas grandes. 2. Fig.
virgatum, d.c.). [também se diz chirca] Aplica-se ao indivíduo cabeludo.
Chi.le.nas sf. Pl. 1. Grandes esporas, de rosetas muito grandes. Co.go.ti.lho sm. 1. Tosadura que se faz nas crinas do cavalo
Chi.mar.rão adj. E sm. 1. Diz-se de, ou mate sem açúcar, que se toma em acompanhando a volta do pescoço. Meio cogotilho, loc. E sm. O que vai só
cuia; mate amargo. Diz-se de ou animal doméstico que se tornou até a metade do pescoço.
selvagem, bravo; alçado. Co.go.tu.do adj. 1. Que tem o cogote ou cangote proeminente
9
Chi.na sf. 1. Descendente ou mulher de índio; cabocla. 2. Mulher morena pescoçudo.
de aspecto semelhante aos das chinas. 3. Mulher de vida fácil. Coi.mei.ro sm. 1. O depositário da coima, isto é, da parada, no jogo no
Chi.na.re.do sm. 1. Grande número de chinas; as chinas [o mesmo que osso.
chinanerio]. Co.la sf. 1. Cauda de animal.
Chi.ne.rio sm. 1. Chinaredo. Co.le.ta.ri.a sf. 1. Coletoria.
Chi.no.ca sm. 1. Diminutivo de china, caboclinha. [o mesmo que Co.lhe.ra sf. 1. Peça de couro ou de metal come que se prende um animal
pinguancha. Também se usa chininha, chinoquinha]. a outro, pelo pescoço. 2. O conjunto de dois animais presos pela colhera.
Chi.no.cão sm. 1. Chinoca bonita, fornida, vistosa. 3. Fig. Aplica-se a duas pessoas muito ligadas, que andam sempre juntas.
Chi.ri.pá sm. 1. Vestimenta sem costura, usada outrora pelos homens do Co.lhu.do adj e sm. 1. Qualitativo do, ou o cavalo não castrado.
campo: constava de um metro de fazenda, que, passando por entre as Col.mi.lhu.do adj. E sm. 1. Diz-se de, ou cavalo de grandes comilhos e,
pernas, era presa à cintura, nas extremidades, por cinta de couro ou pelo portanto, velho, imprestável. 2. Fig. Aplica-se também às pessoas de
tirador. idade avançada.
Chi.ru sm. 1. Índio, caboclo. Co.lo.ra.do adj. 1. Vermelho.
Chur.ras.co sm. 1. Carne sangrenta assada no espeto sobre as brasas ou Sm.1. Animal cavalar ou muar de cor vermelha.
labaredas. Co.lo.rea.do sm. 1. Cor vermelha.
Chur.ras.que.ar v. Int. 1. Comer churrasco. 2. Tomar refeição ligeira. 3. Co.lo.re.ar v. Int. 1. Mostrar-se, aparecer, em sua cor vermelha.
Comer. Co.mo que.ra (é) loc. Conj. 1. Como quer que seja, seja como for; de
Chus.pa sf. 1. Bolsinha feita com a pele do papo do avestruz, ou de outro qualquer modo; apesar disso; ainda assim.
couro, ou de pano, para guardar dinheiro, fumo, papel de cigarro, ou Com.pa.dra.da sf. 1. Bazófia, gabolice, fanfarronada, gauchada.
outras coisas. Com.pa.nha sf. 1. Companhia.
Chuvisqueiro sm. 1. Chuva miúda; chuvisco. Con.cha.var vtd. 1. Contratar os serviços de; entrar para o serviço de uma
Cin.cha sf. 1. Uma das peças do arreamento: a que aperta o lombilho. estância ou de uma casa qualquer; alugar-se.
Cin.co man.da.men.tos loc. Sm. E pl. 1. Dos cinco dedos da mão. 2. Fig. A Con.fi.an.ça sm. 1. Empregado (ou animal) de confiança, com que se pode
mão. contar em qualquer situação.
Con.for.me adv. 1. Logo que.
Con.ti.nen.te sm. 1. Nome dado ao rio grande do sul desde os tempos Cou.re.ar v. Int. E t.d. 1. Tirar o couro de animal que morreu no campo, de
coloniais até à revolução de 1835 peste, magreza ou desastre.
Con.ti.nen.tis.ta sm. 1. Antiga designação dos habitantes do Rio Grande Co.va-de-tou.ro sf. 1. Escavação que faz o touro com os chifres e as patas
do Sul e especialmente dos farroupilhas. quando se prepara para a luta.
Con.tra.pon.te.ar(-se) v. 1. Alterar; ter desinteligência. Co.xi:lha sf. 1. Campina com pequenas e grandes elevações, espécie de
Con.tra.tar vtd. 1. Fazer contrato ou pacto com. colina geralmente coberta de pastagem, e onde se desenvolve a indústria
10
Con.tra.vol.ta sf. 1. Volta, volteio, giro em sentido contrário ao do pastoril.
anterior. Co.xi.lhão sm. 1. Coxilha muito extensa.
Con.vi.dan.te adj. 1. Que convida; convidativo. Cha.crá sm. 1. Onomatopeia designativa da voz da coruja.
Com.vi.dar(-se) v. 1. Combinar (os corredores entre si) o começo da Cri.ou.lo sm. 1. Originário do país, da região, do lugar onde vive.
corrida, a largada. Cru.za sf. 1. Produto de cruzamento (de raças).
Co.ra.ço.na.da sf. 1. Aquilo que o coração diz; pressentimento, palpite. Cru.za.da sf. 1. Encruzilhada, encruzada. 2. Ato de cruzar; cruzamento.
Cor.deo.na sf. 1. Gaita de seis foles; sanfona, arcodeon. Cru.zei.ra sf. 1. Variedade de cobra jararaca, muito venenosa.
Co.rin.cho sm. 1. Arrogância; proa; topete; fanfarronada. Quebrar o Cué – pu.cha! Interj. 1. Exprime admiração, espanto. [o mesmo que cuê
corincho loc. V. Acabar com a bazófia, com a arrogância (de alguém). puna! E cuna!]
Co.ro.ni.lha sf. 1. Lugarejo entre dois afluentes do rio Ibiruitã-chico, no Cue.ra sf. 1. Cicatrizes ou chagas no lombo do animal, provocadas pelo
município de Rosário. 2. Árvore da família das ramnáceas, também contato com os arreios.
conhecida por espinho de touro (Scutia buxifolia, reiss); sua madeira, de Cue.ru.do adj. 1. Que tem cuera ou cueras.
grande densidade e extraordinária resistência, é empregada em mourões. Cu.la.tra sf. 1. A retaguarda de um rebanho.
Sm. e adj. 1. Fig. Indivíduo forte, resistente, valente, disposto. Cu.la.tre.ar vtd. 1. Seguir na culatra de (o gado), tangendo-a. 2. Fig. Ir no
Cor.ru.ra sf. 1. Pássaro da família dos trogloditídeos (Troglodytes encalço de; perseguir.
musculus), também chamado, em partes do Brasil, cambaxirra, carriça, Cu.na! Interj. 1. Ver cué-pucha![forma reduzida de Ai-cuna!]
garriça, garriço, garrincha, etc. Cu.pi.nu.do adj. E sm. 1. Qualitativo de, ou touro que tem grande cupim
Cor.ta.do sm. 1. Lavor que se faz, cortando; recorte. ou giba.
Cor.tar-se v. 1. Separar-se, afastar-se. Cus.ca.da sf. 1. Porção de cuscos; os cuscos. 2. Fig. Gente ordinária, fraca,
Cor.qui.lho.so adj. 1. Muito sensível às cócegas; coceguento. 2. Fig. Que imprestável.
se melindra facilmente; suscetível. Cus.co sm. 1. Cão pequeno, de raça ordinária [também se chama
Cos.ti.lhar sm. 1. A região das costelas do vacum. 2. A carne que se tira guaipeva ou guaipé.].
dessa região, juntamente com as costelas, para fazer assado. 3. O assado Cu.tu.ba adj. E sm. 1. Diz-se de, ou individuo forte, valente, disposto
feito dessa carne. destemido. [O mesmo que taura, torena ou turuna.].
De mãos aber.tas loc. Adj. 1. Liberal, generoso, não apegado ao dinheiro.
De mi flor adj. 1. O melhor possível; excelente.
Den.te-se.co adj.e sm. 1. Destemido, valente, audacioso.
De ré.dea no chão loc. Adv. E adj. 1. Inteiramente manso, fiel (cavalo). 2.
Fig. Submisso a outrem; vencido; apaixonado.
De.sa.bo.ti.na.do adj. 1. Estouvado, estourado; valentão, quebra.
11
De.sa.pre.si.lhar vtd. 1. Desprender (o que estava apresilhado).
Des.cas.car vtd. 1. Ver pelar.
Des.go.ver.no sm. 1. Falta de governo, de orientação; desorientação,
desnorteamento.
Des.gua.ri.tar-se vp. 1. Desgarrar-se do rebanho ou do bando; extraviar-
se, perder-se.
Des.lom.brar-se vp. 1. Extenuar-se, exaurindo-se.

D
Des.ma.ne.ar vtd. 1. Tirar a maneia de (animal).
an.ça.ro.la sf. 1. Bailariço, dança. Des.mu.nhe.car vtd. 1. Cortar a munheca a; decepar ou quebra a mão de.
De aga.lhas loc. Adj. 1. Forte; vistoso; admirável. De.so.var vtd. 1. Revelar, desembuchar.
De atra.ves.sa.do loc. Adv. 1. De través, de esguelha, de lado. Des.pa.ci.to adv. 1. Devagar, pouco a pouco, de espacito.
De.bo.chei.ra sf. 1. Grande troça ou deboche; zombaria, deboche. Des.par.ra.mar-se vp. 1. Esparramar-se.
De bo.la.pé loc. Adv. 1. Ora nadando, ora nadando, (por estar cheio o rio, Des.pil.cha.do adj. E sm. 1. Diz-se de, ou aquele a quem despojaram das
não permitindo que se tome pé durante toda a travessia.). [o mesmo que pilchas – isto é, do dinheiro ou jóias, arreios, etc. – ou que delas se desfez.
a bolapé.]. 2. Que, ou aquele a que não tem pilchas; pobre.
De ca.ra.ca.rá loc. Adv. 1. De pouco ou nenhum valor; de cacará. Des.pon.tar vtd. 1. Atravessar (um curso de água) pelas nascentes ou
De cha.ro.la loc. Adv. 1. No andor. Fig. Carregado com adoração. pontas, onde, sendo mesmo menor o volume do líquido, mais fácil é a
De com.pa.nhei.ros loc. Adv. 1. Em companhia; juntos. passagem.
De cor.po qua.dra.do loc. Adv. 1. Ver quadrar. Des.tor.ci.do adj. 1. Ágil, destro, desembaraçado, decidido.
De es.co.tei.ro loc. Adv. 1. A cavalo, sem impedimento, sem embaraço, De um tu.do loc. prepos. 1. Tudo o que é necessário, ou que se pode
isto é, sem conduzir animais ou sem ser acompanhado de viaturas: viajar imaginar; de tudo.
de escoteiro. Do.bla sf. 1. Dobra, antiga moeda portuguesa cujo valor e cunho variaram
De.fun.te.ar vtd. 1. Matar. nos diversos reinados.
De já ho.je loc. Adj. 1. Há pouco, ainda há pouco. Do.blão sm. 1. Dobrão, antiga moeda de ouro.
De jei.to loc. Adj. 1. Oportuno, propício. Do.ble e luz loc. S. 1. Ver luz.
Dor.me-dor.me sm. 1. Ave de bela plumagem, da família dos ardeídeos pegado. 2. Metido em lugar apertado, de onde dificilmente poderá sair. 3.
(Nycticorax nycticorax hoactil). [Também se chama dorminhoco.]. Emaranhado.
Dor.mi.lão adj. e sm. 1. Dorminhoco. [fem.: dorminola]. Em.bru.lhão adj. 1. Embrulhado, complicado, confuso, atrapalhado. [fem.:
embrulhona].
Em.bu.ça.lar vtd. 1. Enganar; lograr; iludir com boas maneiras.
Em.pa.cho.la.do adj. 1. Metido a pachola; trajado como um pachola.
12
Em.pan.di.lhar(-se) vp. 1. Reunir-se em pandilha.
Em.pan.tu.far(-se) vp. 1. Encher-se, enfunar-se.
Em.pas.ta.lha.do adj. 1. Empastado.
Em.pe.çar vtd., int., e td. E ind. 1. Começar.

E
Emu.li.tar(-se) vp. 1. Desaparecer, ocultar, encantar-se (como a mulita ao
ch.ar cuen.tas de gran de ca.pi.tán entrar na toca).
loc. V. 1. Indica a exorbitância das Enan.car(-se) vp. 1. Montar nas ancas. (de animal).
parcelas de uma conta feita En.con.tros sm. E pl. 1. Parte do peito do animal entre as espáduas. 2. O
arbitrariamente e sem a devida justificação, peito do animal.
em alusão às que Gonzálo Fernández de En.cor.doa.do adj. 1. Enfileirado. “a serrania encordoada”, isto é, cujo os
Córdoba, alcunhado “El gran capitán”, montes se acham enfileirados, seguidos, sem solução de continuidade.
apresentou, depois de haver conquistado o Sm. O conjunto de coisas encordoadas.
Reino de Nápoles, ao Rei Fernando, O católico, a pedido deste. En.cor.do.a.men.to sm. 1. O conjunto das cordas; as cordas.
Egua.da sf. 1. Manada de éguas. Em.cor.do.ar v. Int. E p. 1. Seguir um atrás de outro, na marcha, formando
Egua.ri.ço adj. E sm. 1. Diz-se de, ou cavalo que só acompanha éguas, na filas (animais e, figuradamente, pessoas). [o mesmo que encordoar
manada; garanhão, pastor. marcha].
Eh pu.cha! Interj. 1. Chê – pucha! Cuna! [também se diz la pucha]. Em.cor.ren.ta.do sm. 1. Indivíduo acorrentado, encadeado.
Elas por elas loc. Adv. 1. Uma coisa pela outra. En.fes.ta.do adj. 1. Dobrado, reforçado, de compleição robusta.
Em.ba.lan.te adj. 1. Embalador. En.for.qui.lha.do part. Pass. 1. Preso na forquilha. 2. Fig. Montado mal a
Em.be.le.co sm. 1. Coisa que embeleça, isto é, que cativa, que atrai. cavalo, com deselegância.
Em.bra.be.cer v.int. 1. Embravecer, enfurecer-se. En.fre.nar vtd. 1. Pôr o freio em (animal); enfrear.
Em.bre.ta.da sf. 1. Situação difícil; apuros; enrascada. En.gam.be.la.do adj. 1. Enganado capciosamente; engabelado.
Em.bre.ta.do v. Part. 1. Encerrado no brete, corredor que fica junto ao En.ga.ta.nha.do adj. 1. Em forma de gadanho; agadanhado.
curral, ou ao banheiro carrapaticida, e pelo qual o gado passa, para ser En.gró.lio sm. 1. Embrulho, embrulhada, trapaça.
En.quar.ta.do adj. 1. Que tem os quartos fortes e cheios (animal ou, por Es.pi.ni.lho sm. 1. Árvore da família das leguminosas- mimosáceas (Acacia
extensão, pessoa). cavenia). 2. Árvore da família das Rutáceas (Xantoxylon precox).
En.re.da.da sf. 1. Trama, enrediça. [Produzem uma flor amarela].
En.re.dar-se nas quar.tas loc. V. 1. Atrapalhar-se; perturbar-se; enredar- Es.pu.men.to adj. 1. Espumoso.
se. Es.se sm. 1. Parte do facão entre o cabo e a lâmina, com a forma de um s.
En.re.di.ça sf. 1. Trama, enrediça. Es.ta.fa.réu sm. 1. Grande tumulto; caso sério; um deus-nos-acuda.
13
En.te.ca.do adj. 1. Trama; rede; entrançado; emaranhamento. Es.tân.cia sf. 1. Estabelecimento rural, de criação de gado; fazenda de
En.te.car v. Int. 1. Enfermar, enfezar-se. criação; fazenda.
En.to.na.do adj. 1. Que tem entono; soberbo, arrogante. Es.tan.ci.ei.ro sm. 1. Proprietário de estância; fazendeiro.
En.tre.ve.rar(-se) vp. 1. Misturar-se, confundir-se. Es.ta.que.a.do adj. 1. Esfaldado, estrompado, abombado, rebentado.
En.tre.ve.ro sm. 1. Mistura, confusão de pessoas, animais ou coisas. [nos Es.ta.que.ar vtd. 1. Estirar (o couro), prendendo-o ao chão por meio de
combates, diz-se que há entrevero quando os diversos beligerantes, no estacas, para que seque. 2. Atar (alguém), pelos quatro membros, a
ardor da luta, se confundem, se misturam, sem obedecer ao comando, estacas, ficando a vítima suspensa do chão e com o rosto voltado para
num verdadeiro corpo-a-corpo]. cima (uso antigo). 3. Estacar; parar de repente; ficar móvel; confuso.
En.tro.pi.gai.ta.do adj. 1. Perturbado, confuso; tonto; embriagado; Es.ti.can.te adj. 1. Que pode se esticar; que estica.
entupigaitado. Es.ti.car o mo.lam.bo loc. V. 1. Morrer; esticar a canela; esticar.
En.tro.pi.lhar vtd. 1. Reunir (cavalos de mesmo pêlo) para viverem Es.ti.va sf. 1. Grande quantidade, espalhada; grande quantidade.
sempre juntos. 2. Reunir; reunir a si. 3. Reunir-se, juntar-se. Es.ti.va.do adj. 1. Cheio, repleto.
En.vi.dar vtd. 1. Apostar, jogar, arriscar ao jogo. Es.tram.bó.li.co adj. 1. Forma popular de estrambólico, bastante usada.
En.xu.gar vtd. 1. Matar, assassinar. Es.tran.si.lha.do (z) adj. 1. Estafado, esfalpado, extenuado (cavalo e,
Er.va-ca.ú.na sf. 1. Variedade de mate de qualidade inferior, e amargo figuradamente, pessoa).
(Ilex amara.). [Também se diz simplesmente caúna]. Es.trom.bar vtd. 1. Romper; rasgar; arrombar.
Es.ca.ra.mu.çar v. Int. 1. Fazer escaramuças, isto é, movimentos seguidos
e repentinos de rédeas, que dão lugar a que o cavalo mude
continuamente de direção, ora avançando, ora recuando, ora volvendo-se
para direita ou para esquerda. 2. Fazer (o cavalo) esses movimentos para
a frente e para a trás, à direita e à esquerda. 3. Fazer (o cão) movimentos
análogos, geralmente como demonstração de prazer.
Es.car.ce.ar v. Int. 1. Baixar e levantar a cabeça, briosamente. (o cavalo)
Es.mo.lei.ro adj. 1. Que dá esmolas; caritativo, esmoler.
Fa.zer(-se) de San.cho ren.go loc. V. 1. Fazer-se de tolo, de desentendido.
Fa.zer um fa.cha.dão loc. V.1. Fazer ótima figura, pela boa aparência, pela
beleza ou elegância.
Fer.vi.do sm. 1. Cozido (nome de um prato). [também se diz puchero].
Fes.to sm. 1. Festa, festejo, baile.
Fia.dor sm. 1. Parte do bucal que, passando pela região jugular do cavalo,

F
14
lhe cinge o pescoço. Ganhar de fiador: ganhar na carreira (o cavalo) só
a.cha.dão sm. 1. Ver fazer um pela distância que vai da cabeça até a garganta.
fachadão. Fi.el sm. 1. Alça de couro no cabo do rebente ou do relho, na qual se
Fa.chu.do adj. 1. Garboso; introduz a mão para empunhá-los.
elegante, distinto. Fi.la tes.ta loc. S. 1. Fila da testa, isto é, da frente, da vanguarda.
Fa.la.baz sm. 1. Fandango. Fla.co adj. E sm. 1. Fraco.
Fa.la-ver.da.de sm. 1. Arma de uso pessoal – facão, faca de ponta, Fle.cho.so adj. 1. Semelhante a uma seta ou flecha.
pistola, etc. Fle.te sm. 1. Cavalo bom, árdego, de bela aparência.
Fan.dan.go sm. 1. Designação genérica de antigas danças sapateadas (o Fo.ga.char v. Int. 1. Despedir fogachos; deitar fogo.
anu, o balaio, o cará, o cerra-baile, a chimarrita, o feliz- amor, a galinha Fo.gue.ar vtd. 1. Irradiar, despedir, lançar de si.
morta, o pega-fogo, a quero-mana, a recortada, a retorcida, a serrana, a Fo.lhei.ro adj. 1. De boa aparência; bem disposto. 2.desembaraçado;
tirana, o tatu, etc.), com duas músicas, tocadas na viola: uma para se desempenado. 3. Garrido. 3. Alegre.
bailar e outra para se cantar, nos pequenos intervalos de dança. Até 1840 For.çu.do adj. 1. Que tem muita força; robusto; vigoroso.
eram divertimento da alta classe – os antigos estancieiros – descendo Fren.te.ar vtd. E i. 1. Defrontar-se, deparar.
depois “até as senzalas dos peães”. Fu.ei.rar vtd. 1. Alancear; furar, espetar.
Fa.re.jar ca.tin.ga agou.ren.ta no ar loc. V. 1. Pressente incidente Fu.ma.ce.ar v. Int. 1. Mostrar-se em bando numeroso e mais ou menos
desagradável. compacto.
Far.ra.po sm. e adj. 1. Ver farroupilha. Fun.gu sm. 1. Feitiço, bruxaria.
Far.rou.pi.lha sm. E adj. 1. Apelido deprimente (depois tornou-se Fus.co-fus.co sm. 1. Lusco-fusco.
honroso) que os legalistas (caramurus) davam aos insurretos da revolução
rio-grandense de 1835. [mesmo que farrapo]
Fa.ze.dor adj. 1 que faz o bem; benfazejo.
Fa.zer bo.ca loc. V. 1. Comer alguma coisa para que o vinho caiba melhor.
2. Fig. Fazer alguma coisa como ponto de partida para uma ação mais
importante.
Gar.ras sf. e pl. 1. Arreios velhos e grosseiros. 2. Arreios.

G
Ga.tea.da sf. 1. Onça (moeda de ouro).
a.da.ri.a sf. 1. Grande quantidade de Ga.te.ar v. Int. 1. Andar de rastros, cautelosamente, para aproximar-se da
gado. 2. As reses de uma estância. caça. Td. Caçar, apanhar, usando esse ardil.
Ga.gi.no sm. 1. Galo cuja plumagem Gau.cha.da sf. 1. Grande número de gaúchos ou guascas, isto é, homens
se assemelha à da galinha. do campo. 2. Os gaúchos[o mesmo que gauchagem].
15
Ga.lão-lar.go sm. 1. Militar de alta graduação. Gau.cha.gem sf. 1. Grande porção de gaúchos ou guascas; gauchada.
Ga.loa.do adj. 1. Agaloado. Gau.chão adj. 1. Rústico, inculto.
Ga.lo.pe.a.do sm. 1. Semelhante ao galope; que pela velocidade se Ga.ú.cho sm. 1. Designação do habitante do campo do Rio Grande do Sul,
aproxima do galope. oriundo, na maior parte dos casos, de portugueses, espanhóis ou
Ga.lo.pe.ar v. Int. 1. Galopar. Vtd. 1. Treinar (o cavalo) para carreira. 2. indígenas, dado geralmente à vida pastoril e notável.
Amansar (o potro). Gau.dé.rio adj. 1. Diz-se do cão sem dono, que anda errante. Adj. e sm. 1.
Gal.pão sm. 1. Construção destinada ao abrigo de homens e animais e à Diz-se de, ou pessoa sem abrigo, sem pouso certo, como cão gaudério.
guarda de material, etc. [ nele em geral se reúnem para as refeições de Gen.ta.ma sf. 1. Grande quantidade de gente; multidão.
dormem os peões das estâncias, e agrupados em torno do fogão mateiam Gi.ne.ta.ço sf. 1. Aumentativo de ginete.
e contam “causos”]. Gi.ne.te sm. 1. Bom cavaleiro; o que monta a cavalo com elegância e
Gam.be.lo sm. 1. Coisa boa, gostosa, agradável, deliciosa. firmeza.
Gam.be.ta sf. 1. Movimento desordenado que faz um animal com o Gi.ne.te.ar v. Int. 1. Cavalgar bem. 2. Andar em cavalo arisco ou xucro. 3.
corpo, para escapar de seu perseguidor. Aguentar corcovos.
Gam.be.te.ar v. Int. 1. Fazer gambetas. Go.la-de-cou.ro sm. 1. Soldado, milico.
Gan.do.la sf. 1. Peça que substitui o capote, usada por militares. Gol.pe.a.do adj. 1. Que toma resoluções de golpe, irrefletidamente;
Gan.go.li.na sf. 1. Rixa, conflito, briga. leviano, impulsivo, tonto.
Ga.ni.çar v.int. 1. Ganir. Gol.pe.ar v. Int. 1. Latejar.
Gan.jen.to adj. 1. Vaidoso, presumido, enganjento. Gra.xa.im sm. 1. Ver guaraxaim.
Gar.ga.le.ja.do adj. 1. Cujo ruído lembra o do gargarejo ou gargalejo. Gua.bi.ju sm. 1. Fruta silvestre, comestível, semelhante à jabuticaba,
Gar.gan.te.ar vtd. 1. Fazer sair o conteúdo de (uma bolsa, um saco, etc.), porém menor.
virando-os. Gua.bi.ro.ba sf. 1. Nome comum à varias plantas da família das mirtáceas,
Gar.rão sm. 1. Jarrete do animal (e, por extensão, das pessoas.). Aflouxar de fruto comestível.
ou afrouxar o garrão loc.v. Dobrar as pernas, perdendo a força, ao subir Gua.ia.ca sf. 1. Cinto largo de couro – ordinariamente com bordados e às
uma lomba. 2. Fig. Acovardar-se ante o adversário; perder o ânimo; vezes enfeitado de moedas de prata e ouro – e com bolsos para guardar
amendrontar-se, afrouxar. dinheiro e pequenos objetos, e uma parte em que se carregam armas.
Guai.pe.va sm. 1. Cusco. [ formas paralelas: guaipeca, guaipé].
Gua.ju.vi.ra sm. 1. Árvore da família das borragináceas (patagonuta
americana, l.), que dá excelente madeira de construção.
Guam.pa sf. 1. Chifre, aspa. 2. Chifre preparado para servir de copo ao
viajante, ou vasilha para guardar líquidos.
H ae.do sm. 1. Coxilha situada
na parte sul do município de
livramento.
Ha.ra.ga.ne.ar v. Int. 1. Andar solto
Guam.pa.da sf. 1. Golpe dado pelo animal com as guampas, guampaço, (o animal), durante muito tempo,
16
chifrada. sem prestar serviço, tornando-se
Guam.pu.do adj. 1. Que tem grandes chifres. 2. Diz-se do marido de arisco, fugitivo. 2. Fig. Andar sem
adultera, chifrudo. ocupação; vadiar.
Gua.pe.ar v. Int. 1. Resistir a ação do tempo. 2. Resistir, durar. Ha.ra.ga.no adj. 1. Aplica-se ao cavalo que, por viver muito tempo solto,
Gua.ra.xa.im sm. 1. Mamífero da família dos canídeos (Canis brasiliensis): sem prestar serviços, que se torna arisco, espantadiço. 2. Esperto;
é variedade de raposa, que da cabo não só de aves domésticas, matreiro; vivaracho.
cordeirinhos, etc., como de objetos feitos de couro cru. [o mesmo que Hom! Interj. 1. Hum!
guaxaim, sorro e zorro].
Guas.ca sf. 1. Tira de couro cru, que tem muitas serventias nos misteres
no campo. Sm. Homem do campo ou do interior; gaúcho. 2. Rio-
grandense do sul; gaúcho.
Guas.ca.ço sm. 1. Golpe de guasca. Correada.
I bi.cu.í sm. 1. Rio que nasce nas imediações de Val-da-serra, no
município de Santa Maria, e banha, além deste, os de São Gabriel,
Rosário, Alegrete e Uruguaiana, à esquerda, e São Pedro, São
Vicente, São Francisco de Assis e Itaqui, à direita, antes de desembocar no
Guas.que.ar vtd. E i 1. Açoitar com uma guasca. 2. Açoitar, fustigar. Uruguai.
Guas.queio sm. 1. Ato de guasquear. Ibi.ro.ca.í sm. 1. Arroio, tributário da margem esquerda do ibicuí; fica no
Guas.quei.ro sm. 1. Aquele que trabalha com guascas. município de alegrete, na divisa com o de uruguaiana.
Guin.cha sf. 1. Égua, poldra. 2. Fig. Mulher despudorada. Ilha.pa sf. 1. Parte mais grossa do laço, cuja extremidade é presa à argola.
Gur.nir vtd. 1. Suportar, aguentar, curtir. Im.pe.ra.do.ri.ce sf. 1. Condição ou posição de imperador.
Imun.dí.cie sf. 1. Grande quantidade, abundância. “era imundície”: existia
em abundância.
In.chu.me sm. 1. Inchação, tumor.
In.dia.da sf. 1. Grande quantidade de gaúchos ou guascas (homens do
campo). 2. Grande porção de pessoas; grupo.
Inha.tu.im sm. 1. Arroio formado do rio cacequi; fica no município de são
gabriel.
Inhé sm. 1. Onomatopeia designativa da voz do sapo e de outros anuros.
L
In.vi.te sm. 1. Convite para jogar; convite. 2. Oferecimento de uma coisa.
Ixe! Interj. 1. Indica ironia ou desdém.
a.ça.ço sm. 1. Golpe dado com
um açoite qualquer (laço,

J a.cu.ba sf. 1. Bebida-pirão que se prepara com água, cachaça ou


leite, farinha de mandioca e açúcar ou mel.
Já.gua.né adj. E sm. 1. Diz-se de, ou animal vacum que tem o fio
do lombo e o ventre, brancos, e os lados de cor preta ou vermelha.
Já.gua.ti.ri.ca sf. 1. Carnívoro da família dos felídeos (Felis pardalis
corda, relho, vara, etc.).
Laço sm. 1. Corda feita de tiras de
couro cru, bastante comprida,
chegando a ter quinze bragas; é de
grande utilidade nos misteres do
campo, e compreende quatro partes distintas: a argola, a ilhapa, o corpo
17

chibigonazon). [é também chamado maracajá e gato-do-mato-grande]. do laço e a presilha. 2. Ponto terminal da cancha de corrida.
Jan.ta.ro.la sf. 1. Jantarrão; banquete. La.dea.do adj. 1. Prendido para um lado; inclinado.
Je.ri.vá sm. 1. Planta da família das palmáceas (Cocos romanzoffiana) que La.do de la.çar sm. 1. O lado direito do animal cavalar ou vacum, por onde
dá um coquinho amarelo e doce. [o mesmo que jerivazeiro, jeribá e eles são laçados. [o lado esquerdo é o lado de montar]. Pelo lado de
jeribazeiro]. laçar, loc. Adv. Abruptamente; rudemente; sem rodeios.
Joa.ni.nha sf. 1. Designação comum dos coleópteros da família dos La.go.ão sm. 1. Lagoa grande e funda, que se forma no curso dos arroios e
Cocinelídeos. sangas.
João-barreiro. Sm. Ave da família dos Dendrocolaptideos (Funarius rufus) La.goa ver.me.lha sf. 1. Município em cuja região central, entre as
também chamada joão- de- barro, forneiro, pedreiro, maria- de- barro e nascentes do rio passinho e do arroio quebra-dente, fica a cidade do
amassa-barro. mesmo nome.
Jo.ão-gran.de sm. 1. Ave da família dos ardeídeos(ardea sacoi). [também La.go.ões sm. E pl. 1. Nome de um arroio, tributário da margem esquerdo
conhecida por socó e cegonha]. do rio jaguarão, no município.
Jo.go do os.so sm. 1. Está definido pelo próprio autor. La.mão sm. 1. Forma popular de alemão. [também se diz alamão].
La.men.to adj. 1. Lamacento.
Lan.ça.ço sm. 1. Lançada; golpe de lança.
Lan.çan.te sm. 1. Terreno em declive; vertente, pendente.
La.vo.rar v. Int. 1. Lavrar, alastrar-se, desenvolver-se.
Le pron. Pess. 1. Lhe.
Le.chi.gua.na sf. 1. Vespa social (Nectarina lecheguana) , muito bravia, e
que produz saboroso mel.
Le.va.do da cas.quei.ra loc. Adj. 1. Traquinas, levado da breca.
Li.ga sf. 1. Felicidade, sorte (no jogo, em amores ou em outra coisa). espaço livre entre os dois. Luz e doble: dar luz e doble, quer dizer que o
Li.gar sm. 1. Couro cru de boi usado para proteger cargas transportadas cavalo em que se joga deverá ganhar de luz e que, perdida a aposta, se
por animais. pagará dobro da quantia apostada pelo adversário. [o mesmo que doble e
Lin.da.ço adj. 1. Superlativo de lindo. luz].

M
Lis.tar vtd. 1. Riscar, listrar.
Li.vre.te sf. 1. Caderno ou livro pequeno para anotações ou contas. a.ca.nu.do adj. 1. Bom, superior, excelente.
18
Lo.bu.no adj. 1. Qualitativo de animal cavalar ou vacum que tem o pelo Ma.ce.ga sf. 1. Arbusto rasteiro que geralmente cobre os
escuro, tirante a cinzento. campos de qualidade inferior.
Lom.ba.da sf. 1. Pequena elevação de terra; lomba. Ma.ce.gal sm. 1. Terreno coberto de muita macega.
Lom.be.ar(-se) vp. 1. Torcer o corpo, torcer-se (de dor ou por efeito de Ma.ce.ta adj. 1. Designativo do cavalar ou muar que tem nos membros
cócegas). locomotores protuberâncias ou inchações que lhe dificultam a marcha.
Lom.bi.lho sm. 1. A peça principal dos arreios, muito parecida com o Ma.chi.nhos sm. E pl. 1. Parte delgada da pata do cavalo, que fica abaixo
serigote, porém mais rija; substitui o selim e a sela. da junta da quartela. [também usado no singular].
Lom.bo-su.jo sm. 1. Apelido que se tem dado a civis que tomaram parte Ma.co.ta adj. 1. Grande; poderoso; superior em qualquer sentido;
em diversas revoluções, no rio grande do sul, ao lado do governo ou macanudo. 2. Sm. Individuo poderoso, influente.
contra ele. [no levante de 1893 os governistas ou republicanos assim Ma.du.rá.zio adj. 1. Bastante maduro ou idoso.
chamavam aos rebeldes, e estes àqueles]. Ma.le.va adj. 1. Mau, malfazejo, desalmado. 2. Diz-se do cavalo infiel, que
Lon.ca sf. 1. Nome dado a partes do couro do cavalar ou muar, da região pelo menor motivo corcoveia. [super.: malevaço].
do flanco, desde a base do pescoço até as nádegas. Ma.le.va.ço adj. 1. Superlativo de maleva.
Lon.que.ar vtd. 1. Tirar, raspando com a faca, os pêlos de (o couro). 2. Ma.lo.ca sf. 1. Bando de malfeitores, de gente de má vida.
Courear. 3. Fig. Ganhar todo o dinheiro a (alguém), no jogo. 4. Espancar; Ma.nan.ti.al sm. 1. Pântano, tremedal.
ferir. 5. Matar. Ma.na.pan.ça sf. 1. Espécie de beijo espesso de farinha de mandioca,
Lu.nan.co adj. 1. Diz-se do animal e, figuradamente, da pessoa que tem temperado com açúcar e erva-doce.
depressão de uma das ancas, resultante da desarticulação do osso do Man.ca.da sf. 1. O mesmo que polca mancada: antiga polca que se
quadril. dançava nos bailes do campo e era geralmente acompanhada de uma
Lu.nar sf. 1. Lança cuja extremidade tem a forma de meia-lua. canção popular.
Luz sf. 1. Espaço entre a cauda do cavalo que vai adiante, na corrida, e a Man.car.rão adj. E sm. 1. Diz-se de, ou cavalo velho, sem valor,
cabeça do que vai atrás. Dar luz loc. V. Estabelecer, como vantagem, que imprestável ou quase imprestável; matungo.
um dos cavalos saia na frente do outro ou que na chegada, haja entre os Man.da-tu.do sm. 1. Pessoa de grande influência; manda-chuva.
dois uma distancia facilmente apreciável. Ganhar de luz aberta: chegar Ma.nea.dor sm. 1. Tira de couro cru, sovado que o campeiro conduz
ao fim da corrida (o cavalo vencedor) à frente do outro, havendo bastante sobre o lombilho,embaixo dos pelegos, junto à cabeça do cavalo, para
deixá-lo preso quando o põe a pastar durante a noite ou nas paradas em Ma.tun.go adj. E sm. 1. Qualitativo de, ou cavalo velho, muito manso ou
viagem. Passar os maneadores em (em alguém) loc. V. 1. Prender; quase imprestável; mancarrão. 2. Diz-se de, ou cavalo manso em geral.
segurar para que não fuja. Ma.tur.ran.go adj. 1. Diz-se daquele que monta mal a cavalo, que é mau
Ma.near vtd. 1. Prender com a maneia. 2. Prender com o laço ou qualquer cavaleiro. [var.: maturrengo].
corda. Mau.la adj. E sm. 1. Covarde, medroso, pusilânime.
Ma.ne.ia sf. 1. Peça formada por dois pedaços de couro ligados por uma Me.chi.fla.rias sf. E pl. 1. Bugigangas; coisas sem valor.
19
argola, e com o qual se prendem as patas do cavalo. 2. Ato de manear. Me.ia-do.bla sf. 1. Moeda cujo valor é de metade da dobla ou dobra.
Man.gan.gá sm. 1. Designação de grandes abelhas sociais do gênero Me.lar v. Int. 1. Ir ao mato à procura de mel de abelha. 2. Apanhar o mel
bombus, de corpo grosso e peludo, que produzem pouco mel e de má da abelha sivestre.
qualidade; sua picada é venenosa e provoca uma dor violenta, embora Me.mó.ria sf. 1. Anel.
instantânea. [também se diz mamangaba, mangangava]. Me.ne.ar vtd. 1. Dar (golpe) com a mão; executar com as mãos; manejar.
Man.gue.ar v. Int. 1. Ir ao encontro de uma ponta de gado e conduzi-la Mer.mar vtd. E inf. 1. Diminuir de peso, valor, quantidade, velocidade,
em determinada direção do rodeio ou do grosso da tropa, na direção de etc., minguar.
uma parte do campo onde existe aguada, etc. Mian.go sm. 1. Pequena porção; pedacinho.
Man.guei.ra sf. 1. Curral de pau-a-pique, de tábua ou de pedra, etc., no Mi.les sm. Pl. 1. Milhas.
qual se metem os animais para marcá-los, curá-los das bicheiras, e para Mi.li.ca.da sf. 1. Porção de milicos; os milicos.
outros fins. Mi.li.co sm. 1. Miliciano, soldado, de qualquer classe ou posto.
Ma.no.ta.ço sm. 1. Pancada que o cavalo ou o muar dá com um ou dois Mi.lon.ga.gem sf. 1. Dengue; requebro; pieguice.
membros anteriores, quando tolhido ou perserguido. 2. Fig. Pancada com Mi.lon.guei.ro adj. E sm. 1. Que, ou aquele que canta milongas. 2.
a mão; bofetada. Dengoso piegas.
Ma.no.te.ar vtd. E i. 1. Pegar, segurar, agarrar. Mi.ni.gân.cias sf. E pl. 1. Miudezas, quinquilharias.
Mar.ca sf. 1. Instrumento de ferro ou de bronze para marcar ou ferrar Mi.nis.tra.da sf. 1. Grupo de ministérios; os ministros.
animais. 2. O sinal impresso no animal com a marca. Bater com a marca Mi.nua.no sm. 1. Vento muito frio e seco, que sopra do sudoeste em
loc. V. Chicotear o cavalo, para fazê-lo apressar o passo; fazer o cavalo meses de inverno e, eventualmente, no fim do outono e começo da
andar a toda velocidade. Estar de marca quente loc. V. Estar ressabiado; primavera, e é quase sempre, indício de bom tempo, pois costuma vir
irritado, exasperado. depois de muitas chuvas.
Mar.ca.ção sf. 1. Ação de marcar ou ferrar os animais. Mi.rim sf. 1. Lagoa entre os municípios de santa vitória do palmar e rio
Mar.re.qui.nha sf. 1. Flor de corticeira. grande, a leste, e arroio grande, jaguarão e fronteira uruguaia, a oeste. 2.
Ma.te amar.go sm. 1. Mate chimarrão; amargo. Abelha que produz delicioso mel. 3. O mel por ela fabricado.
Ma.te.ar v. Inf. 1. Tomar o mate. Mis.sio.nei.ro adj. E sm. 1. Diz-se de, ou aquele que realiza missões, que
Ma.trei.ra.ço adj. 1. Superlativo de matreiro. missiona; missionário.
Mis.tu.ra.da sf. 1. Moça mestiça – morena, cabocla ou mulata. Mu.qui.ra.na sf. 1. Piolho de
Mi.tra.do adj. 1. Esperto, finório. roupa. [Pediculus
Miu.ça.lha sf. 1. Criançada, miudagem. vestimenti].
Miu.da.gem sf. 1. Porção de miúdos, de meninos. Mus.si.tar v. Int. 1.
Mi.ú.do sm. 1. Menino, criança. 2. Animal pequeno, miúdo. Murmurar, cochichar,
Mi.xe adj. 1. Pouco desenvolvido. 2. Insignificante; sem valor. 3. Ruim. segredar.
20
Mo.ça.da sf. 1. Grupo de moços ou moças; os moços, as moças.
Mo.gan.go sm. 1. Fruto do mogangueiro, muito saboroso, e que se come,
depois de cozido na água ou no forno, com leite, carne, etc.
Mon.don.go sm. 1. Ver mondongo meio duro de pelar.
Mo.ne.ar v. Int. 1. Fazer momices, trejeitos.

N
Mor.da.ça sf. 1. Aparelho para mover ou amaciar tiras de couro. É um
pedaço de madeira, de forma cilíndrica, com uns 50 centímetros de a es.ti.ca loc. Adv. 1. Vestido com elegância; bem vestido.
comprimento e uns 10 centímetros de diâmetro, e fendido Nam.bi adj. 1. Aplica-se ao cavalo que tem uma ou as duas
longitudinalmente até cerca de dois terços de sua extensão. Pela fenda se orelhas caídas, atrofiadas ou murchas.
passa o couro para sová-lo. [também se chama sovador]. Não ser tri.go lim.po loc. V. 1. Não ser boa pessoa. 2. Não ser
Mor.ma.ço sm. 1. Calor, quentura. de brincadeira, ser valente.
Mo.ro.cha sf. 1. Moça morena; morena. Não va.ler um sa.bu.go loc. V. 1. Não ter nenhum valor.
Mor.ru.do adj. 1. Grande; avultado; volumoso. Ne.gar o es.tri.bo loc. V. 1. Negar-se o cavalo a ser montado, afastando-se
Mos.que.ar v. Int. 1. Mover-se (a cauda de um animal) como para no momento em que o cavalo ergue o pé para alcançar o estribo. 2. Fig.
afugentar moscas. Mostrar-se esquivo, desdenhoso.
Mo.ta sf. 1. Aquilo que o vendedor dá de presente ao freguês. Ne.gó.cio sm. 1. Casa de negócio.
Mu.cha.cho sm. 1. Pedaço de pau em que descansa o cabeçalho de Nhan.du sm. 1. Ema ou avestruz dos campos.
carreta, quando parada. Nhan.du-ta.tá sm. 1. Etimologicamente; avestruz de fogo.
Mu.çum sm. 1. Enguia do Brasil (Symbranchus marmoratus). 2. Fig. Nhan.du.vai sm. 1. Árvore da família das leguminosas (Prosopis), cuja
Indivíduo de cor preta; negro. madeira, de grande resistência ao tempo, serve para esteios, dormentes,
Mu.lhe.ren.go adj. 1. Próprio de mulher; mulheril. etc. [o mesmo que inhanduvá e nhanduvá].
Mu.li.ta sf. 1. Variedade de tatu muito pequeno, também chamado Nha.nhã sf. 1. Tratamento que os escravos davam às senhoras. [o mesmo
tatuíra. [Muletia hibridum]. que iaiá].
Mu.nha.ta sf. 1. Nome dado à batata doce na região fronteiriça do Rio Ni.nhar v. Int. 1. Andar em busca de ninhos para lhes tirar os ovos.
Grande do Sul e em alguns municípios centrais.
No mais loc. Adv. 1. Não mais; simplesmente, unicamente, tão somente. Ore.ar v. Int. 1. Enxugar, secar, sob ação do
[precedido de aí, ali, o no mais adquire sentido temporal, equivalendo a sol ou do vento.
“imediatamente”, sem mais demora]. Ore.lha.no adj. 1. Diz-se do animal que
Nom.bra.da sf. 1. Heroísmo; rasgo. ainda não foi assinalado nem marcado.
No ora-ve.ja loc. Adv. 1. Sem alcançar aquilo que esperava, ou que tinha Ova.do adj. 1. Qualificativo do cavalo que
direito; decepcionado, desiludido, logrado. tem ovas, isto é, tumores moles,
21
Nó-re.pu.bli.ca.no sm. 1. Espécie de nó com que os revolucionários rio- provenientes da dilatação de certas
grandenses de 1835 atavam o lenço ao pescoço, e que servia de membranas entre a pele e os ossos ou cartilagens.
distintivo.
Num de-re.pen.te loc. Adv. 1. Ver num repente.

P
Num pen.sa.men.to loc. Adv. 1. Muito rapidamente, num instante, num
abrir e fechar de olhos. a.gos sm. E. Pl. 1. Lugar onde nasce; o rincão, a querência, o
Num re.pen.te loc. Adv. 1. De repente; repentinamente. [o mesmo que povoado, município onde se é natural e se reside.
num de repente e num repedente] Pa.jo.nal sm. 1. Terreno coberto de palha brava, santa-fé e
Num vá loc. Adv. 1. Num instante, num pensamento, num vu. outras gramíneas. 2. Restolhada, restolhal.
Num vu loc. Adv. 1. Num vá. Pa.la sm. 1. Poncho leve, de brim, merino, lã até de seda de feitio
quadrilátero e com as extremidades franjadas.
Pa.lan.que sm. 1. Esteio grosso e rijo que se finca no chão e ao qual se ata
o cavalo à soga, ou a qual se prende o mesmo animal pelo cabresto ou
pelas rédeas, para domá-lo, para curá-lo de bicheira, etc.
Pa.le.ta sf. ou pa.le.tas sf. e pl. 1. Omoplata ou espátula do animal e, por

O
extensão, das pessoas.[ver ter marca de paleta, mas não ser tambeiro].
fi.cia.li.za.da sf. 1. Conjunto de oficiais; os oficiais. Pa.le.ta.da sf. 1. Choque com a pá ou paleta dos animais. 2. Fig. Investida,
Oi.ga.lê! Interj. 1. Exprime admiração, alegria, espanto. arremetida.
[também se diz oigaté!]. Pa.le.te.ar vtd. E int. 1. Cravar as esporas no animal.
Om.bru.do adj. E sm. 1. Que tem ombros largos; espadaúdo. Pa.lhe.tar vtd. E i. 1. Salpicar, mosquear, entremear.
On.de can.ta o ga.lo loc. Adv. 1. Muito em cima, bem no alto. [diz-se do Pal.me.ar vtd. 1. Bater com a palma da mão em.
costume de atar a cauda do cavalo de montaria muito no alto, com um nó Pam.pa sm. E f. 1. Nome dado, no Rio Grande do Sul e nas Repúblicas do
generoso deixando pendente uma ponta de cada lado]. Prata, a planícies cobertas de vegetação rasteira. [Simões Lopes Neto usa
Ooche!(ô) interj. 1. Forma alterada da interjeição ochê, usada para a palavra no feminino. De ordinário, porém ela é empregada – sobretudo
acalmar o boi que se deseja pegar. modernamente, ao que parece – no masculino.].
Pam.pia.no adj. 1. Pertence ou relativo ao pampa. Pas.so sm. 1. Lugar por onde habitualmente se passa – a pé, a cavalo ou
Pan.di.lha sf. 1. Grupo de animais, ou pessoas e, particularmente, de embarcado – nos rios ou nos arroios.
malfeitores. Pas.so Fun.do sm. 1. Município em cuja parte central, à margem
Pa.ne.la sf. 1. Toca, loca, buraco, cova. esquerda do Rio Passo, fica a cidade do mesmo nome.
Pan.ga.ré adj. 1. Aplica-se ao cadáver ou muar cujo pêlo é de um tom Pas.ti.çal sm. 1. Lugar em que há muito pasto; pastagem abundante.
vermelho escuro ou mais ou menos amarelado, mostrando-se como que Pas.tor sm. 1. Reprodutor equino; garanhão, rufião.
22
desbotado o focinho, no baixo-ventre e em algumas outras regiões. Pas.to.re.io sm. 1. Lugar onde se pastoreia ou pastoreja o gado. 2. O gado
Pa.ra.da sf. 1. Quantia pela qual se contrata uma carreira; valor da aposta. que se pastoreia.
De parada morta, loc. Adj. Aplica-se à carreira em que se estabelece a Pas.to.re.jar vtd. 1. Guardar, vigiar (o gado) no pasto. 2. Fig. Cortejar,
cláusula de ficar obrigado ao pagamento da importância apostada, como requestar, arrastar a asa a. [o mesmo que pastorar e pastorear].
se perdesse a carreira, o apostante que por qualquer razão, mesmo Pa.ta.cão sm. 1. Antiga moeda de prata, do valor de 2$000. Por deus e
doença, não fizer correr seu cavalo. um patacão! Loc. Interj. Forma de juramento e a loc. Por deus!
Pa.ra.dei.ro sm. 1. Paradouro, parador. Pitorescamente refoçada.
Pa.ra.dor adj. 1. Diz-se do cavalo que, quando o cavalo roda, isto é, Pa.ta.le.ar v. Int. 1. Agitar muito as patas ou os pés; espernear.
quando cai para a frente, consegue cair para frente, consegue cair de pé, Pau fin.ca.do sm. 1. Povoado a sudeste do município de são vicente, na
em vez de cair com ele. nascente do arroio pau fincado e na fronteira do município de santa
Pa.ra.dou.ro sm. 1. Lugar onde o gado manso costuma passar a noite maria.
[ordinariamente fica próximo da casa ou das mangueiras da estância. Pau.te.ar v. Int. 1. Entreter-se conversando, conversar.
Ver.: parador]. Pa.vão sm. 1. Arroio tributário da margem esquerda do Rio dos índios,
Pa.rar pa.tru.lha loc. V. 1. Responder a uma agressão, a uma ofensa; município de Getúlio Vargas.
resistir. 2. Zangar-se; aborrecer-se. Pea.lo sm. 1. Ato de pelear, isto é, de laçar o animal quando este se acha
Par.ce.ri.a sf. 1. Grupo de parceiros de jogo. em movimento. 2. O laço.
Pa.re.lhei.ro sm. 1. Cavalo de corrida. Pe.ão sm. 1. Nome dado aos empregados de classe inferior das estâncias
Pa.re.lho adj. 1. Liso, plano. ou de estabelecimentos congêneres – o tropeiro o que se dedica aos
Pa.ren.ta.lha sf. 1. Os parentes; parentela. trabalhos da roça, com vencimentos diários ou mensais, o que
Par.ran.da sf. 1. Associação de velhacos, para burlar os incaustos; acompanha viajantes, etc. [fem.: peona ou peoa. Pl.: peões ou peães].
ladroeira. Pe.cha.da sf. 1. Choque, encontrão. Às pechadas, loc. adv. Aos
Par.ti.da sf. 1. Nome dado a breves corridas que se realizavam, como encontrões. De pechada feita, loc. Adv. Pronto para dar um encontrão.
ensaio, imediatamente antes da largada dos parelheiros. Pe.char(-se) v. p. 1. Dar pechada; chocar-se, abaltroar-se; encontrar-se.
Pas.sar lín.gua loc. V. 1. Transmitir a outrem um segredo; dar com a Pê.co.ra sf. 1. Moça namorada.
língua nos dentes.
Pe.çue.los sm. E pl. 1. Espécie de alforje, repartido ao meio, em que o Per.di.da.ço adj. 1. Superlativo de perdido.
viajante conduz roupas e outras coisas. Per.ne.te.ar v. Int. 1. Pernear, espernear, patalear.
Pé-de-ami.go sm. 1. Sistema de peia ao cavalar ou muar: passa-lhe pelo Pe.sa.do adj. E sm. 1. Diz-se de, ou indivíduo de peso, importante,
grosso do pescoço, junto as cruzes, um laço, maneador ou outra corda poderoso.
qualquer, em que se dá um nó, pelo qual corre uma laçada que vai ter a Pe.ti.ço adj. E sm. 1. Diz-se de, ou cavalo ou muar pequeno, de bons
uma das patas traseiras do animal; movimentando-se este introduz a pata músculos, bem proporcionado.
23
no laço, que é então puxado e preso ao pescoço, ficando imóvel e Piá sm. 1. Menino descendente de índio, que nas estâncias presta
impossibilitado de escoitear. pequenos serviços, como dar recados, auxiliar a ordenha das vacas e a
Pe.dras sf. E pl. 1. Ver boleadeiras. ceva do mate, etc. 2. Menino, guri.
Pe.gar o co.me.ço loc. V. 1. Começar, ter começo. Pi.ca.ço adj. E sm. 1. Qualificativo de, ou animal cavalar preto com a cara,
Pei.xe-dou.ra.do sm. 1. Dourado (peixe). ou a cara e os pés, de cor branca. [também se diz pigarço].
Pe.lar vtd. 1. Desembainhar (faca, facão, espada). [o mesmo que Pi.ca.da sf. 1. Caminho, em geral, estreito que se abre no mato, e por
descascar]. onde podem transitar cavaleiros e algumas viaturas rústicas.
Pe.lea.dor adj. e sm. 1. Diz-se de ou aquele que é dado a brigas ou Pi.ca.na sf. 1. Agulhada.
peleias; pelejador. Pi.ca.nha sf. 1. Anca do animal vacum ou cavalar.
Pe.le.ar v. Int. 1. Brigar, lutar, combater, pelejar. Pi.cu.mã sm. 1. Fuligem; teias de aranha enegrecidas pela fuligem. [var.
Pe.le.char v. Int. 1. Mudar o pêlo (o animal). Pucumã].
Pe.le.go sm. 1. Parte de lanígero que se costuma pôr sobre os arreios para Pin.guan.cha sf. 1. Chinoca.
tornar macio o assento do cavaleiro. Dar o pelego ou jogar o pelego, loc. Pi.lho.te sm. 1. Pequena pilha.
V. Expor-se a um perigo arriscar a pele, a vida. Pi.lo.to¹ sm. 1. Agrimensor. [Esta função era geralmente desempenhada
Pe.le.ia sm. 1. Briga, luta, peleja. por pilotos de embarcações].
Pe.lo-a-pê.lo sm. 1. Lidar contínuo e duro; trato ininterrupto e rude. Pi.lo.to adj. E sm. 1. Diz-se de, ou uma variedade de pano, espécie de
Pe.na.ro.so adj. 1. Que causa pena, pesar; pesaroso. 2. Tomado de pena, briche.
de pesar; pesaroso. Pin.ga.ço sm. 1. Superlativo de pingo.
Pen.ca sf. 1. Porção, grande quantidade. Pin.go sm. 1. Cheio de pintas, mosqueado.
Pen.den.te sf. 1. Vertente, declive, caída. Pio.la sf. 1. Cordão, barbante. 2. Barbante.
Pen.te-fi.no sm. 1. Indivíduo espertalhão, pouco escrupuloso, que de tudo Pi.po.que.ar v. Int. e sm. 1. Estalar, crepitar, pipocar.
tira proveito. Pi.que.te sm. 1. Pequeno potreiro, onde se recolhem os animais para os
Peo.na sf. 1. Feminino de peão. (também se diz peoa). trabalhos diários. 2. Animal que é mantido preso, pronto para ser
Peo.na.da sf. 1. Uma porção de peões; os peões. encilhado a qualquer momento e utilizado nas tarefas da estância. 3.
Pe.que.ni.ta.te adj. 1. Muito pequenino. Tarefa de todos os dias; trabalho habitual.
Pi.ra.ti.nim sm. 1. Município cuja sede, a cidade de igual nome, e fica na e por elas se beber o mate, etc. 3. Nome dado também a essas cuias. 4.
região central, à margem direita da sanga da lavagem. [o nome oficial é Cavalar porongudo.
Piratini]. Po.ron.gu.do adj. 1. Designativo do cavalar que tem nos membros uma
Pi.so.te.ar vtd. 1. Calçar com os pés; espezinhar. grande, a qual dá a impressão de um porongo.
Pi.tar v. Int. 1. Fumar. Por.que.ria sf. 1. Coisa nojenta, desprezível; porcaria.
Plan.char(-se) vp. 1. Escorregar com os quatro pés, caindo de lado (o Pos.tei.ro sm. 1. Empregado de uma estância, que, morando geralmente
24
cavalo). nos limites ou divisas da mesma, ajuda nos rodeios e cuida do gado e das
Plas.ta.da sf. 1. Porção de qualquer coisa de consistência branda, cercas.
espalhada, como que achatada, no chão, na parede, na roupa, etc; posta: Pos.to sm. 1. Local da estância – dotado de casas de moradia, mangueira,
plastada de barro, de catarro, de sangue, etc. etc., - onde mora o posteiro.
Pla.ta sf. 1. Dinheiro, prata. Po.tra.da sf. 1. Uma porção de potros; os potros.
Po.bre.rio sm. 1. Porção de pobres; os pobres, a pobreza. Po.tran.co sm. 1. Ver potrilho.
Pol.va.dei.ra sf. 1. Poeira, pó. Levantar polvadeira, loc. v. e Fig. Causar Po.trei.ro sm. 1. Campo cercado, onde se mantêm animais destinados aos
agitação, intranquilidade. serviços cotidianos da estância.
Pol.va.rim sm. 1. Polvorinho, polvarinho. Po.tri.lho sm. 1. Animal cavalar de poucos dias de idade, ou durante todo
Pon.cha.da sf. 1. Grande quantidade (de dinheiro ou de objetos). o período de amamentação – desde que nasce até dois anos. [sinônimo
Pon.che ver.de sm. 1. Arroio, afluente da margem esquerda do Rio Santa de potranco, no segundo caso. Potrilho só se usa no masculino].
Maria; fica no município de Dom Pedrito. Pre.ga.ço sm. 1. Ferimento com instrumento perfurante; pregada.
Pon.cho sm. 1. Espécie de capa grossa – geralmente de pano azul e Pren.da sf. 1. Jóia.
forrada de baeta vermelha – cortada de modo arredondado e com Pren.dis.ta sm. 1. Fabricante de prendas ou jóias.
pequena abertura no centro, pela qual se enfia o pescoço. Pre.pa.ro sm. 1. Nome dado a cada uma das peças que constituem os
Pon.ta sf. 1. Pequena porção ou grupo de animais e, por extensão, de arreios ou aperos. Pl. O conjunto dessas peças; os aperos.
pessoas. Pri.mei.ra sf. 1. Jogo de cartas, cujos pontos maiores são o flux,
Pon.ta.ço sm. 1. Golpe que se dá com a ponta de uma arma ou cinquenta-e-cinco e a primeira.
instrumento. Pris.car v. Int. 1. Dar saltos súbitos para não ser pegado. Fugir, disparar.
Pon.te.ar v. Int. e td. 1. Ir à frente, tomar a frente ou ponta, na marcha de Pro via de loc. Prep. 1. Por causa de.
gado ou, por extensão, de pessoas. Pua.va adj. 1. Bravio, indócil, arisco (cavalo).
Pon.tei.ro adj. 1. Aplica-se ao animal que vai à frente da tropa. Pul.pei.ro sm. 1. Dono de pulperia, isto é, de taberna ou pequena casa de
Po.ron.go sm. 1. Planta da família das Cururbitáceas (Lagenária vulgaris). negócio no campo; taberneiro.
2. O fruto dessa planta, do qual, depois de vazios das sementes, e secos,
se fazem cuias, que servem para depósito de água, para nelas se preparar
Que.ro-que.ro sm. 1. Ave da família dos Caradriídeos (Belonopterus
cayennensis), também conhecida por teu-téu, tetéu, tero-tero, teréu-
teréu, terém-terém, etc .
Quin.cha sf. 1. Cobertura de casa ou de carreta, feita de santa- fé ou de

Q
qualquer outro capim seco.
Quin.char vtd. e int. 1. Cobrir com quinchas.
25
ua.dra sf. 1. Medida linear equivalente a 132
centímetros.
Qua.drar vtd. 1. Perfilar (o corpo). 2. Perfilar-se; ficar em
posição de sentido.
Qua.dri.lha sf. 1. Pequeno lote de cavalos de pêlos diversos, que
acompanham a égua-marinha.
Qua.ra.í ou qua.ra.ím sm. 1. Município cuja sede é a própria cidade de
igual nome, a qual está situada à margem do rio assim também chamado,
em frente à cidade uruguaia de Artigas.
Que.bra-lar.ga.do adj. e sm. 1. Diz-se de, ou cavalo que além de quebra,
isto é, de velhaco bravio vive a solta, o que o torna mais insubmisso. 2.
R a.bi.ca.no adj. 1. Aplica-se ao cavalo que tem na cauda fios de
cabelos brancos.
Ra.bios.cas sf. E pl. 1. Letras mal feitas; garatujas, rabiscos.
Ra.bo-de-ta.tu sm. 1. Relho grosseiro, de couro trançado, com
argola de mental na extremidade, pela qual se segura.
Ra.ma.da sf. 1. Espécie de carramanchão coberto de ramos verdes ou de
Fig. Desordeiro, turbulento, quebralhão. capim, à frente dos ranchos, dos galpões, dos boliches, para resguardo de
Que.bra.lhão adj. e sm. 1. Diz-se de, ou cavalo muito quebra, isto é, muito pessoas e animais contra os raios de sol.
velhaco, muito arisco e traiçoeiro. 2. Fig. Desordeiro, valentão. Ran.che.ria sf. 1. Porção de ranchos; rancharia.
Que.brar a bo.ca loc. V. 1. Dar tirões, puxando fortemente pelas rédeas, Ran.cho.te sm. 1. Diminutivo de rancho.
nos queixos do potro que está sendo domado para que fique doce de Ras.ga.do sm. 1. Toque de viola em que se arrastam as unhas pelas cordas
boca, isto é, obedeça facilmente às rédeas. [o mesmo que quebrar o do instrumento, sem o pontear.
queixo]. Rea.tar vtd. 1. Atar com muitas voltas; atar bem; arreatar.
Quei.mar cam.po loc. V. 1. Mentir. Re.ben.ta.ço sm. 1. Pancada com rebenque; rebencada. Rebencaço de
Que.rên.cia sf. 1. Lugar onde um animal nasceu e se criou, ou onde se língua, loc. Sm. 1. Descompostura, xingação.
acostumou a viver, e ao qual procura sempre voltar, quando afastado. 2. Re.ben.quea.dor sm. 1. Aquele que rebenqueia, que fustiga com o
Lugar onde nasceu, se criou ou mora alguém; os pagos. rebenque. 2. Aquilo que rebenqueia, isto é, que maltrata, que faz sofrer,
Que.ren.dão adj. e sm. 1. Amoroso; namorado, apaixonado. Fem. que pelo seu grande encanto acende vira paixão.
Querendona.
Re.bo.le.ar vtd. 1. Fazer que um objeto que se tem à mão descreva Re.pon.tar vtd. e int. 1. Procurar as éguas, para cobrí-las; rufiar. 2. Fig.
círculos no ar. Rebolear o laço, loc. verb. Fazer movimento circular com a Procurar insistentemente uma mulher, requestá-la, com intenção de a
armada do laço para atirá-lo. possuir.
Re.bo.lei.ra sf. 1. Touceira de arbustos ou de ervas. Re.pon.te sm. 1. Ato de repontar, de manter o gado no pastoreio sob
Re.cau sm. 1. Arreio de montaria. vigilância, a fim de que não desgarre.
Re.co.lhi.da sf. 1. Ato de recolher o gado, isto é, de arrebanhá-lo, de Res.so.la.na sf. 1. Soalheira forte, soalheira.
26
trazê-lo para o curral ou a mangueira. Res.so.lha.dor adj. 1. Que costuma ressolhar.
Re.de.pen.te sm. 1. Repente, relance, ímpeto. Num redepente, loc. adv. Res.so.lhar v. Int. 1. Resfolegar ruidosamente (o cavalo).
Ver num repente. Res.tin.ga sf. 1. Mata de pequenas árvores ou de arbustos, à margem de
Re.do.mão adj. E sm. 1. Diz-se de, ou cavalo recém-domado, que ainda uma sanga ou de qualquer outro curso de água de pouca importância,
não está bem manso. [fem.: redomona]. permanente ou não. 2. Sanga ou qualquer outro pequeno curso de água
Re.fi.lão sm. 1. Lance difícil; apertura; agitação. De refilão, loc. Adv. De margeado por mata daquele tipo.
raspão de través. Res.va.lo.na adj. 1. Resvaladiça.
Re.fo.lhe.ar v. Int. 1. Bater repetidamente com os pés no chão. Re.ta.co adj. 1. Diz-se de homem ou animal de pequena estatura, mas
Re.ga.lar vtd. e i. 1. Dar de presente, oferecer. entroncado e forte; atarracado.
Re.gei.ra sf. 1. Corda – geralmente de couro torcido – que, presa à cabeça Re.ta.lha.do adj. e sm. 1. Diz-se de, ou cavalo inteiro que, em
dos bois, com uma volta passada pela orelha , do lado externo, serve para consequência de uma operação, fica impossibilitado de fecundar as
o lavrador dirigi-los quando presos ao arado ou à carreta de uma só junta éguas, servindo apenas para trazê-las e reunido e despertar-lhes o cio, o
de bois. que facilita o trabalho do reprodutor.
Re.iu.na.da sf. 1. Uma porção de cavalos reiúnos. Re.to.var vtd. 1. Cobrir com o retovo.
Re.iu.nar vtd. 1. Tornar reiúno (o cavalo), dando-lhe um corte numa das Re.to.vo sm. 1. Couro com que se revestem as bolas ou boleadeiras, o
orelhas. 2. Fig. Golpear, furar (alguém). cabo dos rebenques, etc. [como o retovo de bola tem as extremidades
Re.iu.no adj. E sm. 1. Diz-se de ou animal sem dono, ou cujo dono é franzidas, comparam-se com ele os olhos que têm rugas aos cantos].
desconhecido, e que aparece nas estâncias. Adj. Ruim; ordinário; de má Re.tro.vir v. Int. e t.i. 1. Recuar, voltar.
qualidade. Re.vi.ra sm. 1. Tumulto, agitação, barrafunda, barulho.
Re.lan.ci.na sf. 1. Rapidez, velocidade. De relancina, loc. adv. 1. De Rin.cão sm. 1. Trecho de campo onde há arroio, capões ou qualquer
relance; ligeiramente, passageiramente. mancha de mato; recanto formado por acidente natural. [o mesmo que
Ren.go adj. 1. Diz-se do animal, ou da pessoa, que manqueja de uma rinconada].
perna. [ver fazer-se de sancho rengo]. Rin.co.na.da sf. 1. Rincão.
Ren.gue.ar v. Int. 1. Claudicar, coxear. Rio Gran.de loc. e sf. 1. Cidade, sede do município de igual nome, na parte
sul da Lagoa dos Patos.
Rio par.do loc. e sm. 1. Município cuja sede, a cidade do mesmo nome,
fica no pontal formado pelo rio pardo ao desembocar no Jacuí.

S
Ris.ca.da sf. 1. Ato de riscar, de fazer movimento rápido, ágil, como os de
navalhista antes de dar o golpe, ou o do cavalo ao ser sofreado ai.cã sm. 1. Arroio, afluente da
repentinamente quando vai a galope. margem esquerda do rio Santa
Ris.car v. Int. 1. Correr a galope, disparar. Maria (município de Rosário).
27
Ro.da.da sf. 1. Queda para a frente que o cavalo dá quando a trote ou a Sa.la.man.ca sf. 1. Está definido pelo autor.
galope, montado ou não. Sa.la.man.quei.ro sm. 1. Prestidigitador.
Ro.da.do sm. 1. Queijo circular, em forma de roda. Sa.li.no adj. 1. Diz-se do boi ou do cavalo cujo pêlo é salpicado de
Ro.de.io sm. 1. Ajuntamento de gado em campo aberto para apertar, pequeninas manchas brancas, vermelhas ou pretas.
contar, examinar e curar as reses porventura atacadas de peste ou de Sal.sei.ro sm. 1. Barulho, briga, conflito, rolo.
bicheira, etc. 2. O conjunto de gado de um rodeio. Sam.par vtd., ti. e td e i. 1. Atirar, arremessar.
Ro.dei.to sm. 1. Diminutivo de rodeio. San.cho ren.go sm. 1. Ver fazer-se de Sancho rengo.
Ro.de.la sf. 1. Mentira, patranha. San.ga sf. 1. Pequeno arroio, que seca facilmente.
Ro.di.lha sf. 1. Nome dado a pequena voltas que se fazem junto à armada San.gão sm. 1. Aumentativo de sanga.
do laço, quando este é manejado. San.ta-fé sm. 1. Planta da família das gramíneas (Panicum rivulare), muito
Ro.sá.rio sm. 1. Nome de uma sanga que é afluente da margem esquerda empregada em quinchas ou cobertura de ranchos.
do arroio Caraí passo; fica no município de São Francisco de Assis. San.ta.fe.zal sm. 1. Terreno onde cresce em abundância a gramínea
Rou.ba.da sf. 1. Ato de roubar; roubo. chamada santa-fé.
Rua.no adj. e sm. 1. Diz-se de, ou cavalo que, sendo geralmente mais San.ta-lu.zi.a sf. 1. Palmatória. [a palmatória tinha, comumente, na sua
claro do que o alazão, tem cauda, crinas, orelhas e focinho de uma parte circular, cinco orifícios dispostos em cruz. São os “olhos da Santa-
amarelo esbranquiçado. Luzia”, a que se refere Simões Lopes Neto].
Ru.far v. Int. 1. Fazer tropel. San.ta Ma.ri.a loc. e sf. 1. Cidade na região central do município do
Ru.fi.ão sm. e adj. 1. Cavalo destinado à reprodução; garanhão, pastor. 2. mesmo nome, entre cabeceiras do arroio cadena.
Fig. Indivíduo dado a namoros, femeeiro. San.ta.na sf. 1. Coxilha que atravessa de sudoeste a sudeste o município
Ru.fi.ar v. Int. 1. Procurar éguas para a cobertura (o reprodutor cavalar). de Uruguaiana.
Rum.be.ar vti. 1. Rumar, rumear. San.ta Te.cla loc. E sf. 1. Povoado à margem direita do arroio moinho no
Ru.me.ar vti. 1. Rumar. município de Novo Hamburgo.
Rus.gar v.int. e ti. 1. Fazer rugas; brigar. San.to-an.to.ni.nho-on.de-te-po.rei sm. 1. Pessoa que é muito querida,
Rus.si.lho.nas adj. E sf. e pl. 1. Diz-se de, ou botas de cano alto, feitas de muito animada. [o mesmo que santantoninho].
couro amarelo.
São Ga.bri.el sm. 1. Cidade na região central do município do mesmo So.bran.te adj. 1. Que sobra, que sobeja.
nome, à margem esquerda do rio Vacaraí. So.brea.no sm. 1. Idade de uma rês, de pouco mais de um ano até dois
Sa.pe.ca sf. 1. Sova, surra, sumanta. exclusive; a rês está de soberano.
Sa.ran.di sm. 1. Arbusto muito comum no Rio Grande do Sul, e que há So.bre.chin.cha sf. 1. Peça dos arreios que serve para apertar os pelegos,
diversas variedades: o sarandi propriamente dito (Pyllantus sellovianus) e feita de uma tira de couro com uma fivela.
o sarandi-de-espinho ou sarandi-de-gargarejo (Sebastiana hippofaifolia), So.ca.vão sm. 1. Grande socava; lapa, grupa, esconderijo.
28
pertencentes à família das Euforbiáceas: o sarandi-amarelo (Terminália So.fla.gran.te sm. 1. Momento, ocasião; flagrante. No soflagrante, loc.
australis), da família das Carbretáceas; e o sarandi-mole (Cephalantus Adv. No mesmo instante.
sarandy) da familia das Rubiáceas. So.fre.na.ço sm. 1. Ato de sofrenar o cavalo; sofreada.
Sa.ran.di.zal sm. 1. Extensão de terreno coberta de sarandis. So.fre.nar vtd. 1. Puxar as rédeas de (o cavalo), para fazê-lo parar ou
Sar.na.gem sf. 1. Sarna, ronha cavalar. recuar; sofrear.
Se.gun.do sm. 1. Aquele que é auxiliar ou companheiro de confiança de So.ga sf. 1. Corda de couro ou de fibra vegetal, com que se prendem os
alguém, a sua segunda pessoa. animais à estaca, quando são postos a pastar. 2. Corda de couro torcido,
Sei.ú.da adj. f. 1. Diz-se da mulher que tem seios grandes. que liga entre si as bolas das boleadeiras.
Sen.tar v. Int. 1. Parar de súbito; estacar (o cavalo que vai a galope). So.le.da.de sf. 1. Município em cujo centro, entre cabeceiras do arroio
Se.re.na.da sf. 1. Chuva úmida e rápida. 2. Sereno, relento. pontão, se acha a cidade de igual nome.
Ser mon.don.go me.io du.ro de pe.lar loc. V. 1. Ser turbulento, muito Sol.fe.rim adj. 1. De cor escarlate, ou entre escarlate e roxo.
dado a brigas. So.li.tá.ria sf. 1. Célula de penitenciária, onde se isola o sentenciado
Ses.ma.ri.a de cam.po loc. e sf. 1. Medida correspondente a uma légua de turbulento ou perigoso. Célula de qualquer prisão, onde o detento fica
frente a três de fundo, ou 13.068 hectares. isolado.
Ses.tea.da sf. 1. Ato de sestear. So.li.to adj. 1. Sozinho, sem companhia.
Se.te-em-por.ta sm. 1. Jogo de cartas, variantes do monte. Joga-se com So.nar v. Int. 1. Soar; ressoar.
vinte um ou mais baralhos, em uma caixa da qual o banqueiro tira duas So.que.te sm. 1. Cozido acompanhado de pirão. 2. Cozido.
cartas, fazendo-se nestas as apostas. Não ficando reservada ao banheiro Sor.ro sm. 1. Zorro (ver guaraxaim). 2. Adj. e sm. Fig. Manhoso,
nenhuma carta, a vantagem dele consiste em pagar apenas 50% das dissimulado, astuto, matreiro.
apostas quando a carta sai em porta, quer dizer, quando é a primeira a ser So.tre.ta sm. 1. Cavalo mau, arisco, matreiro. 2. Fig. Indivíduo ruim,
tirada, e além disso, em ganhar, em tal caso, o total apostado na outra desprezível.
carta. So.véu sm. 1. Laço muito forte, feito com tiras de couro torcidas.
Sil.bi.do sm. 1. Silvo, sibilo. Suer.te sf. 1. Espanholismo, definido pelo próprio autor. (pg 95).
Si.nue.lo sm. 1. Animal manso que serve de guia a outros, xucros, e, Su.man.ta sf. 1. Surra, sova, sapeca.
acalmando-os, os faz seguir para onde se deseja. Su.mi.dou.ro sm. 1. Atoleiro profundo. Var.: sumidor.
Sus.pen.der vti. 1. Roubar, furtar. 2. Raptar. Tea.ti.no adj. 1. Diz-se de cavalo, boi, cão – e, por extensão, de coisas –
sem dono, que não se sabe a quem pertencem. 2. Fig. Aplica-se a pessoas
que andam fora de sua terra, de sua querência, como o animal sem dono.

T
3. Forasteiros.
a.ba sf. 1. Jogo do osso. 2. Osso com que se faz esse jogo. Te.nên.cia sf. 1. Cuidado, cautela, precaução. Prudência, tino.
[também se diz tava]. Ten.to sm. 1. Tira estreita de couro, que serve para costurar ou para atar
29
Ta.cu.ru sm. 1. Montículo de terra fofa, feito pelas térmites de alguma coisa. Pl. Duas tiras pequenas de lonca, com que se amarra o
preferência em lugares úmidos ou alagadiços; atinge por vezes mais de poncho ao lombilho ou se prende o laço na parte inferior deste.
um metro de altura e tem forma cônica. Ter.ce.bo.la sf. 1. Arma de fogo usada pela cavalaria, e que é um terço
Ta.cu.ru.zal sm. 1. Extensão coberta de tacurus. menor do que a carabina.
Ta.fo.na sf. 1. Atafona. Ter mar.ca na pa.le.ta, mas não ser tam.bei.ro loc. V. 1. Ser manso na
Ta.fu.lo.na adj. e sf. 1. Diz-se de, ou moça taful, garrida. [também se usa, aparência, porém decidido nas ocasiões necessárias.
no mesmo sentido, tafuleira]. Ter.nei.ro sm. 1. Bezerro, novilho. Adj. Doce, manso.
Tam.bei.ro sm. 1. Boi ou touro filho da vaca da qual se tirava leite, e que, Ter.nei.ro.te sm. 1. Terneiro muito novo; bezerrinho.
tendo-se habituado ao contato com as pessoas, se tornou manso. [ver ter Ter.no sm. 1. Grupo de três peões que, nos rodeios, faz o serviço de
marca na paleta, mas ser tambeiro]. marcação do gado.
Tan.te.ar vtd. 1. Tatear, tentear. [var. de tentear]. Ter o es.tô.ma.go frio loc. V. 1. Ser indiscreto, ser bucho-furado ou
Ta.pe.ar vtd. 1. Guiar (o cavalo), quando sem freio, por meio de tapas, bucho-de-piaba.
dadas ora de um lado, ora de outro. Te.sou.ra sf. 1. Pássaro da família dos Tiranídeos (Mucivora tyrannus),
Ta.pe.ja.ra sm. 1. Vaqueano. também chamado tesoureiro; é de cor cinzenta nas costas e branca na
Ta.pe.ra sf. 1. Casa ou estabelecimento rural abandonado. região ventral, e tem a cabeça preta, com mancha amarela.
Ta.pu.io sm. 1. Qualquer mestiço trigueiro e de cabelos lisos e pretos. Tes.ta.vi.lhar v. Int. 1. Tropeçar.
Tar.ca sf. 1. Pedaço de tábua ou de couro onde se assinala, com pequenos Teu-téu sm. 1. Ver quero-quero.
cortes, o número de reses marcadas durante o dia, ou de qualquer Ti.mão sm. 1. Casaco grosseiro, curto, outrora usado pelos escravos e
animais ou objetos que estão sendo contados. crianças para se resguardarem do frio.
Ta.ru.mã sm. 1. Árvore do campo (Vitex montevidensis), a qual, embora Ti.ra.dor sm. 1. Espécie de avental de sola macia, ou de couro cru, que o
não se desenvolva muito, apresenta uma bela copa e tem o cerne muito laçador usa a fim de proteger as calças ou as bombachas dos danos que
rijo. poderia ocasionar o atrito do laço, no momento de prender com este o
Ta.tá sm . (inf.) 1. Papá, papai. animal.
Tau.ra adj. E sm. 1. Ver cutuba. Ti.ra.na sf. 1. Antiga dança acompanhada de canto, da qual havia muitas
variedades: a tirana grande, diversas tiranas de dois, a tirana de ombro e
a tirana tremida ou tirana dos farrapos. [ver fandango]. 2. Tran.car vtd. 1. Contratar, ajustar, atar.
Descompostura, xingamento. Tran.co sm. 1. Andadura natural, não apressada, do cavalo; trote.
Ti.rão sm. 1. Puxão, repelão, safanão, arranco. Tirão seco, loc. e sm. 1. [formam-se com este substantivo as locuções ao tranco, a tranco e no
Golpe inesperado que leva o animal quando laçado ou pelo cabresto. 2. tranco].
Fig. Golpe repentino; choque, grande abalo moral. De tirão seco, loc. adv. Tran.qui.to sm. 1. Trote curto; torte, tranco. 2. Marcha ou andamento
De golpe; de um ímpeto. comum, normal como o do tranco. [formam-se com esse substantivo as
30
Ti.rar uma to.ra loc. V. 1. Brigar, travar luta. locuções adverbiais ao tranquito, a tranquito e no tranquito].
Ti.ro sm. 1. Distância que o parelheiro corre na cancha. Tra.qui.tan.da sf. 1. Porção de coisas misturadas, em desordem.
Ti.ro.nea.do adj. 1. Particípio de tironear. 2. Abalado. Tra.tis.ta sm. 1. Aquele que realiza ou trata negócios; contratante.
Ti.ro.ne.ar vtd. E int. 1. Dar tirões ou puxões ao laço quando a rês nele Ter.pa.da sf. 1. Elevação de terreno; subida; lugar íngreme e alto.
está presa. 2. Puxar pela rédea o cavalo, para que obedeça; sofrenar. 3. Três-ma.ri.as sf. e pl. 1. Ver boleadeiras.
Dar tirão; puxar com violência. Tre.val sm. 1. Terreno coberto de trevo.
To.bia.no adj. E sm. 1. Diz-se de, ou cavalo cujo pêlo – preto, vermelho, Tri.go lim.po loc. S. 1. Ver não ter trigo limpo.
baio, gateado, rosilho, etc. – tem grandes manchas. Tro.car(a) ore.lha loc. V. 1. Mover o cavalo as orelhas ora para diante ora
To.ca.da sf. 1. Ação de tocar, de tanger (o gado). para trás, por susto ou em razão de qualquer coisa estranha.
To.par vtd. 1. Aceitar (proposta, convite). Trom.pa.ço sm. 1. Encontrão, esbarro, pechada, choque. 2. Fig. Choque
To.pe sf. 1. Espécie, laia. (no sentido moral); grande abalo.
To.pe.tu.do adj. 1. Qualificativo do cavalo de grande topete, isto é, que Trom.pe.ta sm. 1. Indivíduo ruim, ordinário, sem-vergonha.
tem muito longas as crinas que lhe prendem sobre a testa. Adj. e sm. Fig. Tro.nar v. Int. 1. Troar, atroar, retumbar.
Diz-se de, ou indivíduo rústico, grosseiro; valente, destemido; poderoso. Tron.quei.ra sf. 1. Cada um dos esteios da porteira, em cujos buracos se
Tor.ci.cão sm. 1. Ato ou efeito de torcer; torção, torcedura. introduzem as extremidades das varas com que ela se fecha.
To.re.na adj. e sm. 1. Ver cutuba. Tro.pei.ro sm. 1. Aquele que conduz tropa, isto é, rebanho de animal
To.re.na.da sf. 1. Grupo de indivíduos torenas. 2. Os torenas. vacum ou cavalar.
To.so sm. 1. Tosadura do cavalo, a qual se faz de varios modos, donde Tro.pi.lha sf. 1. Certo número de cavalos de pêlo igual, que geralmente
toso a cangotilho ou cogotilho – que abrange uns dois terços do pescoço; acompanham uma égua-madrinha.
toso a meio cogotilho – que é, aproximadamente, a metade daquele; o Tro.tea.da sf. 1. Ato de trotear. 2. Viagem mais ou menos longa, a trote.
toso baixo, o toso de cola e crina, etc. Tru.co sm. 1. Jogo de cartas entre dois ou quatro parceiros, cada uma dos
Tou.re.ar vtd. 1. Provocar; afrontar; desconsiderar. quais recebe três cartas; truque. [quando só entre duas pessoas, diz-se
Tra.bu.za.na sm. 1. Indivíduo destemido, valente, brigão; torena, taura. truco de mano].
Tra.gue.ar v. Int. 1. Ingerir bebidas alcoólicas, beber. Tu.co-tu.co sm. 1. Nome de um pequeno mamífero da ordem dos
Traí.ra sf. 1. Faca, facão. roedores (Ctenomys torquatus). [a denominação lhe vem do ruído que
produz quando está escavacando ou roendo, na toca. Faz grandes túneis Va.qui.lho.na sf. 1. Vaca nova, que ainda
horizontais, a pouca profundidade, acompanhando as raízes dos vegetais, não pariu; novilha.
que o alimentam. Verificam acidentes, por vezes, quando o cavalo pisa Va.re.io sm. 1. Ato de varejar, de
sobre a camada de terra que cobre esses túneis, abatendo-a]. rebuscar, de dar uma batida. 2. Sova,
Tu.pa.ce.re.tã sm. 1. Município em cuja parte oriental, entre os arroios surra.
Caixa-d’agua e Caneleira, fica a cidade do mesmo nome. [Tupaceretã é a Va.re.jar vtd. E td. E i. 1. Atirar,
31
forma tradicional, oficialmente substituída por Tupaciretã]. arremessar, jogar fora.
Tu.pi.do adj. 1. Grosso, grosseiro, compacto, cerrado. Sm. Espessura. Va.si.lha sf. 1. Indivíduo ruim, ordinário,
Tu.ru.na adj. e sm. 1. Ver cutuba. imprestável, desprezível.
Vas.quei.ro adj. 1. Raro; escasso: difícil de obter.
Vea.do-vi.rá sm. 1. Nome de um veado (Mazama simplicicornia) de cor

U
pardo-escura, que vive no campo ou nas caatingas, evitando sempre a
ai sm. 1. Onomatopeia da voz do graxaim. mata. De extraordinária agilidade, retrocede subitamente pelo mesmo
Um.bu sm. 1. Árvore da família das fitolacáceas (pirennia caminho que seguia, a fim de lograr o cão, na caça. [também se chama
dioica) [cresce rapidamente, atingindo enormes dimensões. De virá, veado-catingueiro ou catingueiro].
folhagem espessa, que o sol quase não atravessa, serve de excelente Ve.ló.rio sm. 1. Ato de velar com outros com defunto, isto é, de passar a
abrigo contra ele. Não se deve confundir com o umbu ou imbu do norte]. noite em claro na sala em que ele está exposto.
Uru.gua.ia.na sf. 1. Cidade na fronteira ocidental do município do mesmo Ven.ta.na adj. 1. Diz-se de, ou indivíduo mau, turbulento, brigão.
nome, à margem esquerda do rio Uruguai. Ver.de.ar vtd. 1. Dar a (cavalo) ração de capim verde. Int. Pastar o capim
Uru.pu.ca sf. 1. Armadilha para apanhar passarinhos. verde. 2. Fig. Tomar chimarrão.
Ver.de.io sm. 1. Ato de vedear. 2. Ração de forragem verde que se dá ao
cavalo.
Ve.re.da sf. 1. Ocasião; vez. 2. Marcha; rumo. De vereda loc. Adv.

V
Imediatamente, de repente.
a.ca.ria sf. 1. Município cuja sede, a cidade do mesmo nome, Via.ja.da sf. 1. Viagem; caminhada; jornada.
lhe está situada na região central, entre o rio carazinho e seu Vi.ra.do adj. 1. Turbulento, endiabrado, levado da breca.
afluente uruguai. Vis.ca.cha sm. 1. Roedor semelhante à lebre, do mesmo tamanho e pêlo
Va.que.na.gem sf. 1. Ato de vaqueanar, isto é, de proceder como que ela, e de cauda tão comprida com a do gato; vive no peru, na Bolívia,
vaqueano. no Chile, na Argentina, no Uruguai e no Rio Grande do Sul.
Va.quea.no sm. 1. Aquele que, conhecendo bem os caminhos e atalhos Vis.par vtd. 1. Lobrigar, avistar, enxergar, bispar.
de um lugar ou região, serve de guia a quem precisa percorrê-los.
Vi.va.ra.cho adj. e sm. 1. Que, ou aquele que é muito vivo, esperto,
astuto.
Vi.zin.dá.rio sm. 1. Conjunto dos que habitam as vizinhanças ou arredores
de um lugar; a vizinhança. 2. Os lugares circunvizinhos; as cercanias, os
arredores.
Vol.tea.da sf. 1. Ato de apanhar de surpresa o gado matreiro ou alçado.
32
Voltear vtd. 1. Derribar, atirar ao chão.
Vo.zei.ro sm. 1. Vozearia, vozeria.

X e.re.ta sm. e sf. 1. Bisbilhoteiro, leva e traz.


Xe.re.tar vt. 1. Contar, intrigando, como um xereta.
Xô-mi.co! Interj. 1. Exprime desprezo.
Xu.cro adj. 1. Diz-se de animal não domado, bravio, esquivo. 2. Fig. Rude;
grosseiro; esquivo.
33

Centres d'intérêt liés