Vous êtes sur la page 1sur 2

BR DISTRIBUIDORA 2010

53
A Geração Distribuída (GD) é hoje uma realidade no Bra-
sil, impulsionada pela nova regulamentação do mercado REFAP 2007
de energia bem como pelos programas governamentais, 31
como o PROINFA. A GD caracteriza-se pela inserção de
A distribuição urbana elétrica em baixa tensão em cidades de
unidades geradoras de menor capacidade, conectadas di-
grande porte é realizada de dois modos, conforme a zona
retamente na rede de distribuição, localizando-se, portan-
atendida. O primeiro sistema é o aéreo, com todos os
to, junto aos centros consumidores. Podem ser considera-
dos benefícios trazidos pela GD ao sistema elétrico a(o) componentes sustentados por postes em todo o trajeto.
(A) simplificação da coordenação dos dispositivos de pro- O segundo é o reticulado (malha), com seus componentes
teção. em câmaras e eletrodutos subterrâneos. Com relação aos
(B) redução de harmônicos injetados na rede. sistemas descritos, é correto afirmar que:
(C) redução da potência de curto-circuito. (A) no aéreo, os secundários de dois transformadores
(D) possibilidade, em função da tecnologia empregada, do vizinhos operam permanentemente interligados.
controle de tensão por meio da injeção de reativos. (B) no aéreo, em um poste, é obrigatório o uso de um único
(E) incremento da margem de estabilidade. transformador trifásico de capacidade dependente da
demanda local.
64 (C) no aéreo, o resfriamento dos transformadores é feito por
O controle de tensão em sistemas de distribuição de ener- ventilação forçada, com uso de ventiladores.
gia é de grande importância, tendo em vista a crescente (D) no reticulado, os circuitos secundários de todos os
demanda por energia elétrica, associada ao aumento da transformadores operam permanentemente interligados.
exigência por padrões mínimos de qualidade. É conside- (E) o reticulado é utilizado em zonas de baixa densidade de
rada uma medida corretiva para adequação dos níveis de carga elétrica residencial e/ou comercial.
tensão na rede primária a
(A) transferência de carga entre alimentadores.
(B) construção de novos alimentadores.
(C) mudança de tensão primária de alimentação.
(D) construção de nova subestação.
(E) remoção de reguladores de tensão instalados na rede.

DECEA 2009
34
Em uma fábrica existe uma rede elétrica de distribuição
aérea composta por três fases e um neutro, alimentando
uma carga trifásica desequilibrada. Um galho de árvore,
que está próximo a esta rede de distribuição, movimenta-
do por uma ventania, rompe o cabo do neutro. Após o
rompimento do neutro, é possível que algumas das cargas
monofásicas sejam submetidas a um(a)
(A) curto-circuito.
(B) pulso de tensão.
(C) pulso de corrente.
(D) sobretensão.
(E) variação acentuada na frequência.
GOV TO 2004
42
Em uma fábrica existe uma rede de distribuição aérea com-
posta pelas três fases e pelo neutro, que fornece energia a um
determinado setor da mesma. Um galho de árvore, próxima a
esta rede de distribuição, rompe o cabo do neutro. Se, após o
rompimento do neutro, as cargas ligadas a esta rede estive-
rem distribuídas de forma desequilibrada nas fases, é possí-
vel que algumas cargas sejam submetidas a um(a):
(A) pulso de tensão.
(B) pulso de corrente.
(C) curto-circuito.
(D) variação acentuada na freqüência.
(E) sobretensão.

45
Um engenheiro dispõe dos níveis de baixa e de média ten-
são para atendimento de energia elétrica de determinado
consumidor. Optou pela média tensão, por se tratar de con-
sumidor que solicitava uma grande potência e por estar lo-
calizado a grande distância das redes de baixa e média
tensões disponíveis. Esta opção foi correta? Por quê?
(A) Sim. Para potências maiores não é possível utilizar bai-
xa tensão.
(B) Sim. Em baixa tensão a instalação possui grandes per-
das.
(C) Sim. Em média tensão a instalação fica mais otimizada.
(D) Não. Em média tensão a instalação possui grandes per-
das.
(E) Não. Em baixa tensão a instalação fica mais otimizada.