Vous êtes sur la page 1sur 7

Disciplina: Carreiras, Liderança e trabalho em equipe.

Aula 02

Carreira,Carreira, LiderançaLiderança ee TrabalhoTrabalho emem EquipeEquipe Professor: Ciomara Matos Msc. Engenharia
Carreira,Carreira, LiderançaLiderança ee
TrabalhoTrabalho emem EquipeEquipe
Professor: Ciomara Matos
Msc. Engenharia de Produção
ConteúdoConteúdo Unidade 2 - Tipos psicológicos e diversidade de personalidades dos liderados
ConteúdoConteúdo
Unidade 2 - Tipos psicológicos e diversidade de
personalidades dos liderados
http://www.scribd.com/doc/68830236/psicologia-nas-
organizacoes
TiposTipos PsicológicosPsicológicos ee DiversidadeDiversidade dede PersonalidadesPersonalidades dosdos
TiposTipos PsicológicosPsicológicos ee
DiversidadeDiversidade dede PersonalidadesPersonalidades
dosdos LideradosLiderados
AULA 02

Disciplina: Carreiras, Liderança e trabalho em equipe.

Aula 02

LiderançaLiderança == ConfiançaConfiança A confiança interpessoal é um assunto em voga nas pesquisas de
LiderançaLiderança == ConfiançaConfiança
A confiança interpessoal é um assunto
em voga nas pesquisas de cientistas
sociais e políticos, psicólogos,
administradores.
Ela tem sido vista como alicerce dos
regimes democráticos e, em adição,
crescido em importância no meio
organizacional, com as recentes
pesquisas relacionando o nível de
confiança com o nível de
produtividade.
DisseDisse HobbesHobbes queque oo “homem“homem éé oo lobolobo dodo homem”homem” Se é o homem o
DisseDisse HobbesHobbes queque oo “homem“homem éé
oo lobolobo dodo homem”homem”
Se é o homem o lobo; ele é aquele que fere,
que mata, que acossa.
O Homem é o carrasco e é seu próprio
reflexo no espelho. É o outro; e é si mesmo.
O estado natural é o estado de guerra, em
que a desconfiança impera e as relações são
tomadas pelo medo e pelo abandono do ser
em si mesmo.
A moralidade inexiste e os julgamentos e
ações são amorais, por princípio.
O Tipo Psicológico do líder possui alguma contribuição na formação e manutenção da confiança de
O Tipo Psicológico do líder
possui alguma contribuição
na formação e manutenção
da confiança de seu
liderado?

Disciplina: Carreiras, Liderança e trabalho em equipe.

Aula 02

LíderLíder xx LideradoLiderado Em geral, a relação entre o líder e o liderado é regida
LíderLíder xx LideradoLiderado
Em geral, a relação entre o líder e o
liderado é regida pelo contrato formal
e pela hierarquia.
A
existência
de
um
contrato
psicológico entre os indivíduos é
condição essencial e alicerce do
sucesso da parceria e cooperação.
Confiança,Confiança, desconfiança,desconfiança, nãonão-- confiançaconfiança ouou
Confiança,Confiança, desconfiança,desconfiança, nãonão--
confiançaconfiança ouou nãonão--desconfiança?desconfiança?
Confiança, desconfiança, não-confiança
ou não-desconfiança no líder são, então,
projetadas para a empresa como um todo,
regrando o sentimento do confiar – ou de
suas negações – nessa instituição.
A partir daí criam-se sentimentos,
emoções, valores, atitudes ou
julgamentos relacionados a tudo o que
tange a empresa, as relações dentro dela e o
trabalho em si – a produtividade.
Assim, é fundamental à empresa que o líder
seja confiável, – ou, pelo menos, não-
desconfiável – aos olhos de seu liderado.
PerguntaPergunta--se:se: O que representa o líder para o liderado? Quais os aspectos e características individuais
PerguntaPergunta--se:se:
O que representa o líder para o
liderado?
Quais os aspectos e características
individuais que o líder e o liderado
carregam, que interferem no
estabelecimento deste contrato e na
confiança de um no outro?
Até que ponto as características
individuais do líder interferem no
nível de confiança do liderado nele?

Disciplina: Carreiras, Liderança e trabalho em equipe.

Aula 02

CONFIANÇA???CONFIANÇA??? Expectativa positiva de que a outra pessoa não irá reagir de maneira oportunista –
CONFIANÇA???CONFIANÇA???
Expectativa positiva de que a outra
pessoa não irá reagir de maneira
oportunista – seja por palavras, ações,
comportamentos ou decisões.
A confiança interpessoal pode ser vista
como o credo individual na sinceridade,
benevolência e fidedignidade do outro.
Decorrente disso, temos que os dois
elementos mais importantes implícitos
da
confiança
são os
sentimentos de
familiaridade e risco.
CONFIANÇA???CONFIANÇA??? É o fundamento dos relacionamentos entre as partes na organização e vital à excelência
CONFIANÇA???CONFIANÇA???
É o fundamento dos
relacionamentos entre as partes
na organização e vital à
excelência da liderança e à
eficiente consecução dos
objetivos, expectativas e metas
organizacionais.
DimensõesDimensões BásicasBásicas queque fundamentamfundamentam aa CONFIANÇACONFIANÇA Integridade (baseia-se na
DimensõesDimensões BásicasBásicas queque
fundamentamfundamentam aa CONFIANÇACONFIANÇA
Integridade (baseia-se na honestidade e na
confiabilidade);
Competência (engloba as habilidades e
conhecimentos técnicos e interpessoais do
indivíduo);
Consciência (está relacionada à segurança,
à previsibilidade e à capacidade de
julgamento que uma pessoa demonstra nas
situações);
Lealdade (disposição de proteger e defender
uma outra pessoa);
Abertura
(acreditar
que
a
outra
pessoa
possui total confiança em você).

Disciplina: Carreiras, Liderança e trabalho em equipe.

Aula 02

OsOs lídereslíderes -- EXEMPLOSEXEMPLOS Os líderes devem agir primeiro, mostrando-se como exemplo para seus
OsOs lídereslíderes -- EXEMPLOSEXEMPLOS
Os líderes devem agir primeiro,
mostrando-se como exemplo para seus
liderados e construindo compromisso
com o trabalho à medida que as
atividades do dia-a-dia são concluídas.
Assim, quando os líderes conseguem
criar confiança nos outros, seus
liderados se sentem mais confortáveis e
confiantes a correr riscos, agindo acima
das expectativas.
(Lewis, 2004)
OsOs lídereslíderes -- EXEMPLOSEXEMPLOS Os liderados confiam que seus direitos e interesses não serão prejudicados
OsOs lídereslíderes -- EXEMPLOSEXEMPLOS
Os liderados confiam que
seus direitos e interesses
não serão prejudicados se
seguirem as ações do
Líder.
Histórico:Histórico:TiposTipos PsicológicosPsicológicos dede JungJung Katharine Briggs iniciou, no princípio do
Histórico:Histórico:TiposTipos
PsicológicosPsicológicos dede JungJung
Katharine Briggs iniciou, no princípio do século
XX, a classificar as pessoas de acordo com seus
estilos de vida.
Briggs, ao entrar em contato com os trabalhos e
estudos preliminares de Carl Jung acerca da
Teoria dos Tipos Psicológicos, empenhou-se
no apoio ao estudo de Jung e, juntamente à sua
filha, Isabel Briggs Myers, dedicou mais de 30
anos na pesquisa por instrumentos capazes de
mensurar as diferenças interpessoais.

Disciplina: Carreiras, Liderança e trabalho em equipe.

Aula 02

Histórico:Histórico:TiposTipos PsicológicosPsicológicos dede JungJung Motivadas pelo desencadeamento da Segunda
Histórico:Histórico:TiposTipos
PsicológicosPsicológicos dede JungJung
Motivadas pelo desencadeamento da Segunda
Guerra Mundial e pela observação de que
muitas pessoas, em estado de guerra,
realizavam tarefas não apropriadas para suas
habilidades individuais, puseram-se a desenhar
um instrumento psicológico que pudesse
explicar as diferenças, de acordo com a Teoria
dos Tipos Psicológicos de Jung, em termos
cientificamente rigorosos e confiáveis.
Assim, desenvolveram o Myers-Briggs “Type
Indicator” (MBTI).
Histórico:Histórico:TiposTipos PsicológicosPsicológicos dede JungJung Com suas observações, Briggs percebeu que
Histórico:Histórico:TiposTipos
PsicológicosPsicológicos dede JungJung
Com
suas observações, Briggs
percebeu que diferentes tipos de
pessoas encaram a vida de
maneiras distintas, caracterizando,
dessa forma, a visão do mundo
exterior como subjetiva e
dependente dos componentes
únicos de cada indivíduo.
TeoriaTeoria dosdos TiposTipos PsicológicosPsicológicos dede JungJung Myers-Briggs “Type Indicator” (MBTI). Foi
TeoriaTeoria dosdos TiposTipos PsicológicosPsicológicos dede
JungJung
Myers-Briggs “Type Indicator” (MBTI).
Foi criado com o intuito de estabelecer
as preferências individuais das
pessoas e, dessa forma, promover um
uso mais construtivo das diferenças
individuais.
Atualmente,
o
MBTI
é
um
dos
instrumentos
psicométricos
mais
utilizados.

Disciplina: Carreiras, Liderança e trabalho em equipe.

Aula 02

PosturaPostura dodo IndividuoIndividuo ee oo ObjetoObjeto Ou seja, a relação travada entre o subjetivo –
PosturaPostura dodo IndividuoIndividuo ee oo ObjetoObjeto
Ou seja, a relação travada entre o subjetivo –
mundo interno – e o objetivo – mundo externo.
◦ Extrovertidos possuem gosto pela variedade e
ação, sendo impacientes quando da realização
de trabalhos demorados e longos. Ademais,
interessam-se na forma como o outro realiza seu
trabalho e suas atividades, preferindo ambientes
em que a interação com outros indivíduos exista
e seja facilitada.
◦ Introvertidos, em oposição, satisfazem-se com
o trabalho solitário e individual, necessitando de
calma e concentração para produção.
Interessam-lhes os alicerces das atividades e
ações, possuindo bloqueios na relação com o
outro, podendo, inclusive, ter dificuldades em
recordar de nomes e fisionomias. É, assim, um
individualista nato.
PosturaPostura dodo IndividuoIndividuo ee oo MundoMundo Julgamento (J) : tendem a trabalhar melhor se seguirem
PosturaPostura dodo IndividuoIndividuo ee oo MundoMundo
Julgamento (J) : tendem a trabalhar melhor
se seguirem um plano estruturado
previamente, orientando-se por prazos e
cronogramas, possuindo grande capacidade
de tomar rápidas decisões.
Percepção (P) : faz do sujeito facilmente
adaptável às situações de mudança, sendo
bastante flexíveis, em conseqüência. Esses
tendem a tomar decisões apenas depois de
colherem informações suficientes da
questão, ponderando as alternativas de ação
existentes, utilizando a percepção e sendo
marcadamente avessos ao risco e às
incertezas.
Tabela 1 – Questionário de Confiança Organizacional Subescala Nº itens Conceito Avaliação da competência do
Tabela 1 – Questionário de Confiança Organizacional
Subescala
Nº itens
Conceito
Avaliação da competência do referente na
Competência
6
realização das suas tarefas específicas.
Avaliação das intenções do referente em
Benevolência
5
relação ao sujeito focal.
Avaliação do grau
em
que o
comportamento do referente é orientado
Integridade
6
por princípios e valores compreensíveis e
partilhados.
Propensão que o indivíduo focal tem para
Propensão para
confiar nas outras pessoas, num sentido
8
Confiar
geral, não restrito à organização em que
está.
Disponibilidade para se colocar numa
situação de vulnerabilidade face ao
Confiança
10
referente, sem ter grande controle da
situação.
Fonte: http://www.actassnip2010.com/conteudos/actas/PsiTrab_10.pdf