Vous êtes sur la page 1sur 75

Cristalografia

Rocha - Mineral
Lupa ou microscópio
Para obter mais informações sobre minerais e cristais precisa
as vezes escalas microscópicas ou sub-microscópicas.
Observação de uma rocha
com microscópio

Quartzo

Plagioclásio

K-feldspato

Biotita
Observação de uma rocha com
microscópio

Quartzo

Plagioclásio

K-feldspato

Biotita
Cristal
FeS2 – pirita
Na forma de
cubos com
estrias
angulares nas
faces
Trata-se de um
agregado de
muitos cristais
bem
cristalizadas.
As estrias são
um resultado da
estrutura
química.
Estrutura Atômica
Elétrons – carga negativa
Nos orbitais

Nêutrons – sem carga

Prótons - positivo
Existem interligações entre os
diferentes tipos de ligação
Iônica

forças fracas,
Metálica van der Waals
em redes
moléculares

Covalente

Aumento da condutibilidade
Teorema de Elder
e: cantos

E+f=k+2 f: superfícies
k: arestas
Formação de poliedros

Cada cátion é envolvido em um poliedro de anions


e vice versa.
O número dos contra-íons em volta de um íon é
dado pela relação dos raios dos íons. Existe um
número máximo de coordenação.
Minerais com coordenação alta são mais densas,
minerais com coordenação baixa menos. Assim
tem uma preferência para regiões com pressão
mais alta ou mais baixa.
Número de coordenação
Quociente Poliedro de
dos raios coordenação

Cubo-octaedro

Hexaedro

Octaedro

Tetraedro

Triangulo
Número de coordenação real
Rede de um
Cristal
O exemplo aqui
é o sal – halita
NaCl

Aqui pode-se observar a estrutura de


coordenação e o número de coordenação
Regra da Interligação
-Regras de Pauling
São cinco regras

A estabilidade de poliedros de coordenação diminui com o tipo de


interligação:
Cantos - arestas – planos. A redução é causada pela aversão entre
cátions.
Por causa desta aversão dos Si4+, SiO4- somente interligam pelos
cantos.
Nos compostos SiS2 é possível uma interligação entre arestas (a
distancia entre os cátions é maior).
Ligação pelos cantos
Regra da minimização
O número de ligações diferentes na estrutura de um cristal deve ser o
menor que possível.
ou:
O ambiente estrutural de um íon dentro da estrutura de um cristal deve
ser mais homogêneo que possível.

Ex.: Os cátions em espinélios ou ocupam somente posições IV


ou VI dependendo do tamanho.
Em Mica (moscovita) o Al++ pode ocupar duas posições.

Espinélio: AIV B2VI O4 A= = Mg2+; Fe2+; Zn2+;


B = Al3+; Fe3+; Cr3+;
Mica: KXII Al2VI [AlIV Si3IV O10| (OH)2]
Ligações entre átomos em
estruturas

Sanduíche

Mg2+, OH-, O- íons no SiO2


Tetraedros no octaedro
Mobilidade de íons e formação de
cadeias
Lei de STENO
Os ângulos entre superfícies equivalente de um cristal sob
temperatura e pressão igual são sempre iguais.

Goniômetro
Colimado

Cristal

Marca

Observador
Aparelhos para medidas
Mais aparelhos
Operações de simetria
a. Centro de simetria
b. Eixos de rotação
c. Planos de simetria
d. Eixos de rotação com inversão (Gyróidos)
a

a b c d
Operações de simetria

Aqui mostram-se exemplos


para o conjunto das
operações simétricas
(simples) existentes.
São centros, eixos, planos e
eixos de inversão em
conjuntos.
Rotações dos eixos
O diagrama mostra os quatro eixos rotacionais existentes
para a descrição da simetria dos cristais

A2 A3 A4 A6
Sistema de eixos para a descrição
dos cristais
Sistemas Cristalinas

cúbico Hexagonal/trigonal tetragonal

ortorrômbico monoclínico triclínico


Tabela esquemática das sete
sistemas e das suas propriedades
Sistema
Eixos Ângulos entre os eixos
de cristalização
Cúbico (=isométrico) a1 = a2 = a3 α = β = γ = 90º

Tetragonal a=b≠c α = β = γ = 90º

Ortorrômbico a≠b≠c≠a α = β = γ = 90º

Hexagonal a1 = a2 = a3 ≠ c α = β = 90º; γ 1, 2, 3, 4, 5, 6 = 60º

Trigonal a1 = a2 = a3 ≠ c α = β = 90º; γ 1, 2, 3 = 120º

Monoclínico a≠b≠c≠a α = γ = 90º; β ≠ 90º

Triclínico a≠b≠c≠a α ≠ β ≠ γ (todos ≠ 90º)


Sistemas
e classes

Existem SETE
sistemas
de cristais
e TRINTE E DOIS
classes.
Cúbico, ou isométrico
Este sistema fornece quatro eixos ternários de rotação, o que
permite um grande número de grupos espaciais (36).
Produz estruturas simples e lineares e é aquele em que, para
além de
todos os cristais possuirem quatro eixos ternários de simetria.
Os eixos cristalográficos têm comprimentos iguais e são
perpendiculares entre si.
Isometric Crystal Forms

Name N Name N

(1) Cube 9)Tristetrahedron


6 12

(2) Octahedron (10) Hextetrahedron


8 24
(11) Deltoid
(3) Dodecahedron
12 dodecahedron 24
(4)
(12) Gyroid
Tetrahexahedron 24 24

(5) Trapezohedron (13) Pyritohedron


24 12

(6) Trisoctahedron (14) Diploid


24 24

(7) Hexoctahedron (15) Tetartoid


48 12

(8) Tetrahedron
4
Non-Isometric Crystal Forms
Name Number
of Faces Name Number
of Faces

(16) Pedion* 1 (32) Dihexagonal pyramid 12


(17) Pinacoid** 2 (33) Rhombic dipyramid 8
(18) Dome or Sphenoid 2 (34) Trigonal dipyramid 6
(19) Rhombic prism 4 (35) Ditrigonal dipyramid 12
(20) Trigonal prism 3 (36) Tetragonal dipyramid 8
(21) Ditrigonal prism 6 (37) Ditetragonal dipyramid 16
(22) Tetragonal prism 4 (38) Hexagonal dipyramid 12
(23) Ditetragonal prism 8 (39) Dihexagonal dipyramid 24
(24) Hexagonal prism 6 (40) Trigonal trapezohedron 6
(25) Dihexagonal prism 12 (41) Tetragonal trapezohedron 8
(26) Rhombic pyramid 4 (42) Hexagonal trapezohedron 12
(27) Trigonal pyramid 3 (43)Tetragonal scalenohedron 8
(28)Ditrigonal pyramid 6 (44) Hexagonal scalenohedron 12
(29) Tetragonal pyramid 4 (45) Rhombohedron 6
(30) Ditetragonal pyramid 8 (46) Rhombic disphenoid 4
(31) Hexagonal pyramid 6 (47) Tetragonal disphenoid 4
*Pedion may appear in several crystal systems
**Pinacoid drawing displays 3 pairs of pinacoid faces from the Orthorhombic
system.
Pinacoids appear in several crystal systems.
Tetragonal
Esta classe permite um eixo quaternário de rotação e assim
forma 68 grupos espaciais (o maior número possível em
qualquer sistema).
Todos os cristais deste sistema têm a característica de
possuírem, para além de um eixo quaternário de simetria, três
eixos cristalográficos perpendiculares entre si, sendo os dois
horizontais de igual comprimento e o vertical de comprimento
diferente.
Ortorrômbico
Este requer três eixos binários de rotação ou um eixo de rotação
binário e dois planos de imagem reflexa. Permite 59 grupos
espaciais.
Produz estruturas de grande complexidade tendo como
característica comum (todos os cristais deste sistema o
apresentem), ao menos, um eixo binário de simetria.
Possuem três eixos cristalográficos perpendiculares entre si,
todos com comprimentos diferentes.
Prism {110} and Prism {101} and Rhombic prism {011}
pinacoid {001} pinacoid {010} and pinacoid {100}

Macro- Brachy- and Prism and Basal


Basal Pinacoids Pinacoid

Rhombic dipyramid Sulfur crystal

Rhombic pyramid Hemimorphite Struvite


Hexagonal
O sistema permite um eixo de rotação de contagem seis e 27
grupos espaciais, mas é considerado por vezes como mera
variante do sistema trigonal (por duplicação).
Neste sistema todos os cristais possuem ou um eixo ternário de
simetria, ou um eixo hexagonal
(eixo de ordem seis) de
simetria.
Possuem quatro eixos
cristalográficos, dos quais três
são horizontais, com
comprimentos iguais e
cruzando-se em ângulos de
120°, e o quarto é o vertical,
com comprimento diferente dos
demais.
Form Number of Faces Miller Indices Form Expression
1. Base or basal
2 (0001) open
pinacoid
2. First order
6 (10-10) open
prism
3. Second order
6 (11-20) open
prism
4. Dihexagonal (hk-i0) example:
12 open
prism (21-30)
5. First order (h0-hl) example:
12 closed
pyramid (10-11), (20-21)
6. Second order (hh2hl) example:
12 closed
pyramid (11-22)
7. Dihexagonal (hk-il) example:
24 closed
dipyramid (21-31)
First order hexagonal Second order hexagonal Dihexagonal prism and c
prism and c pinacoid prism and c pinacoid pinacoid

First order hexagonal Second order hexagonal Dihexagonal dipyramid


dipyramid dipyramid
Romboédrico, ou trigonal
Este tipo requer um eixo ternário de rotação, permitindo 25
grupos espaciais.
Monoclínico
Ele requer um eixo de rotação binário e um plano reflexo.
Permite 13 grupos espaciais.
Os cristais deste sistema em geral apresentam apenas um eixo
de simetria binário, ou um único plano de simetria, ou a

combinação de ambos.
Possuem três eixos
cristalográficos, todos
com comprimentos
diferentes. Dois eixos
formam um ângulo
oblíquo entre si, sendo o
terceiro perpendicular ao
plano formado pelos
outros dois.
There are only 3 symmetry classes In the 2/m symmetry class, however,
to consider in the monoclinic there are 2 types of forms, pinacoids
system: 2/m, m, and 2. and prisms. Remember that a pinacoid
form consists of 2 parallel faces (open
form).
Triclínico
Agrupa todos os casos que não podem ser acomodados em
qualquer dos restantes sistemas, exibindo apenas simetria
translacional ou inversão. Permite apenas 2 grupos espaciais.
Os cristais com este sistema caracterizam-se pela ausência de
eixos ou planos de simetria, apresentando três eixos
cristalográficos com comprimentos desiguais e oblíquos entre si.
Triclinic pinacoids, or parallelohedrons
Apresentação de cristais
Cada plano, cada aresta e cada canto tem uma posição defina
dentro dos sistemas de eixos utilizados para orientar cristais.
Normalmente são três eixos, mas para os sistemas hexa- e
trigonal são quatro eixos.

Os seções nos eixos são descritos: a, b, c ou a1,a2,a3,c

Índices de Weiss Ex.: 1a:3/2b:3c


Índices de Miller Ex.: 3:2:1

Para descrever todos os planos do mesmo grupo usa-se os


índices de Miller assim: (a, b, c) ou {a, b, c}.
Lei das racionalidades
Índices são números racionais e raramente ultrapassam 20.
Zonas a: (110)
n: (211
Zonas são um conjunto de
planos que tem contatos s: (321)
paralelos (tautozonal). A
direção em conjunto
chama-se Eixo Zonal.

A adição de dois índices


resulta no índice do
plano entre os dois.
Ex.: 101 + 110 = 211

Índices para os eixos


zonais Zonas são:
[100], [010], [001]
Equação para as zonas
h, k, l: índices dos planos
h*u + k*v + l*w = 0
u, v, w: índices dos eixos zonais

Exemplo:
Pergunta: O plano 121 faz parte da zona [123] ?
1*1 + 2*-2+1*3 = 1 –4 + 3 = 0

Pode ser resolvido também por matrizes:


Exemplo: 001 e 010: 0 01 00 1
0 10 01 0
u = 0*0 – 1*1 = -1 v=1*0-0*0 = 0 w=0*1 – 0*0 = 0

A zona a é: [100]
Projeções de cristais
Projeção estereográfico

Projeção gnomônica
Rede de Wulf
A rede de Wulf
é uma projeção
do globo para
um plano
alocado no
corte com o
equador e o
centro.
Nesta projeção
podem ser
colocados todos
as projeções
das partes de
um cristal e as
operações
simétricas.
Construção da rede
Projeção de
um cristal
Aplicação
Avaliação de
ângulos
Simetria
-
Crescimento
Simetria dos cristais
Existem os seguintes formas de
simetria nos cristais:

Holoédria

Hemiédria

Tetardoétria
Formas positivas e negativas

Os cristais tetraédricos se formam devido a crescimento de


planos diferentes do octaedro por variação de condições físico-
químicos.
Hemimorfia
Enántiomorfia
Enántiomorfia é a ocorrência de cristais com formas esquerdas e
direitas.
Um exemplo típico é o quartzo com quartzo esquerda e direita.

x
Cristais simples e combinados
Alguns planos simples produzirão formas abertas o que não pode
existir. Assim é necessário de combinar vários destes formas
simples para cristais combinados.
Simetria geométrica – cristalográfica

Chumbo Pb Pirita FeS2


Habito – “Tracht”
Tracht é a totalidade de todas as formas de um cristal.

Habitus é a aparência de um cristal. Pode ser prismático,


colunar, agulhoso, placa etc.

Estes dois propriedades de um cristal dependem de condições


físico-químicas como temperatura, pressão, fluxo, concentrações
das soluções etc.

Ex.: Sal (NaCl) normalmente cristaliza como cubo. Quando a


solução tem NH2-NH2 ele cristaliza como octaedro.
Comportamento das faces
Muitas vezes faces de um cristal mostram irregularidades como:
Listras
Planos vicinais
Figuras de ataque químico
Crescimento de cristais
Um cristal é um corpo na-isótropo. Ele cresce nas direções com
comportamento diferente.
Colocação de material em cristais
existentes
Crescimento em espiral
Deslocamento de blocos
Dependência das condições

Aumento da Temperatura
A estrutura real dos cristais
Na realidade a estrutura/composição dos cristais não é ideal. Eles
não seguem totalmente da rede cristalina teórica do mineral.
Existem “erros de construção”
a. Macroscópico
Fraturas, buracos, inclusões sólidas e fluidas
b. Microscópico
Fraturas, buracos, inclusões sólidas e fluidas
c. Sub-microscópico
Mudanças pequenas de ângulos do ideal causadas por
substituições

Estes erros influenciam alguns propriedades dos cristais


extremamente, outros quase não.
Substituição simples

A+
por
B+
Substituição acoplada

2A+
por
B++
+
C--

Transferência de íons com carga diferentes


Substituição de subtração

Dois íons são substituído por um íon com a mesma carga,


deixando um buraco.
2A+ por B++ resta um “buraco – gap”
Incorporação de material

Colocação de átomos ou compostos em lugares entre a malha


regular.
Formas de crescimento dos cristais
A forma do crescimento dos cristais depende de muitos fatores
naturais.
Eles podem crescer dentro de um espaço limitado, espaço livre,
em superfícies e junto com outros compostos.
Geodo
Drusa
Cristais esqueletais
Cristais curvas
Agregados
Cristais com heterogeneidades
Cristais geminadas
Epitaxia
Pseudomorfas