Vous êtes sur la page 1sur 5

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA – DAELE

CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO

JONATHAS SILVA

STEFANY YUMIE KAWASHIMA

PRÁTICA 3: PONTE DE WHEATSTONE

ET33Q – CIRCUITOS ELÉTRICOS I

TURMA A42

CORNÉLIO PROCÓPIO

2016
JONATHAS SILVA

STEFANY YUMIE KAWASHIMA

PRÁTICA 3: PONTE DE WHEATSTONE

Trabalho apresentado à disciplina de


Circuitos Elétricos I do Curso Superior de
Engenharia de Controle e Automação do
Departamento Acadêmico de Elétrica –
DAELE – da Universidade Tecnológica
Federal do Paraná – UTFPR, para
obtenção de nota parcial.

Professor Orientadora: Carolina Ribeiro


Rodrigues

CORNÉLIO PROCÓPIO

2016
1.0. RESULTADOS OBTIDOS E DISCUSSÃO
1.1. Ponte de Wheatstone

Os dados obtidos e respectivos erros estão dispostos na Tabela 1.1 a


seguir:

Tabela 1.1 - Tabela com dados simulados e medidos do circuito

Resistência Rx Resistência Rx
VAB [mV] VAB [mV]
[KΩ] [KΩ] Erro Erro
[%] [%]
(simulado) (medido) (simulado)
(medido)
1 0,987 1,3 0,721 0,736 1,5
2,2 2,142 5,8 0,0044 0,0026 0,18
4,7 4,618 8,2 0,901 0,883 1,8

Analisando as resistências reais, apenas o resistor de 1KΩ respeita a faixa


de tolerância de ± 5% (4ª faixa dourada) estipulada pelo fabricante. O segundo
objeto de análise é a tensão medida no circuito. Comparativamente o resistor de
2K2 Ω é o resistor que equilibra a Ponte de Wheatstone já que V 1=V2. Logo não
há fluxo de corrente no medidor. Para que tal relação seja respeitada e aplicando
o princípio dos divisores de tensão:

Então quando V1=V2:

(1)

Para o circuito estudado, utilizando a relação encontrada (1):

𝑅2 𝑅3 4700.4700
𝑅𝑥 = → 𝑅𝑥 = = 2209Ω 𝑜𝑢 2,21𝐾Ω
𝑅1 10000

Ou seja, em valores nominais a resistência que respeita o equilíbrio da


Ponte de Wheatstone é o resistor de 2k2Ω.
1.2. Circuito Delta

Os dados obtidos e respectivos erros estão dispostos nas Tabelas


a seguir:

Tabela 1.2 - Tabela com dados simulados e medidos do circuito Δ e Y

Resistência Resistência Resistência Resistência


[KΩ] [KΩ] Erro [KΩ] [KΩ] Erro
[%] [%]
(simulado) (medido) (simulado) (medido)
R1 3 2,95 5 RA 1 0,987 1,3
R2 3 2,947 5,3 RB 1 0,987 1,3
R3 3 2,948 5,2 RC 1 0,985 1,5

Tabela 1.3 - Tabela com dados simulados e medidos do circuito Δ

Dados Dados Dados Dados


Erro Erro
[%] [%]
(simulados) (simulados)
(medidos) (medidos)
I1 VABΔ
5 5,12 12 5 5,025 2,5
[mA] [V]
I2 VBCΔ
0 0 0 5 5,139 13,9
[mA] [V]
I3 VCAΔ
-5 -5,13 13 10 10,15 15
[mA] [V]
IAB VABY
1,67 5,11 34,4 5 5,057 5,7
[mA] [V]
IBC VBCY
1,67 5,12 34,5 5 5,105 10,5
[mA] [V]
ICA VCAY
-3,33 -5,19 18,6 10 1,034 3,4
[mA] [V]

Analisando os dados obtidos na tabela 1.2, apenas quatro dos seis


resistores utilizados no experimento respeitam a faixa de tolerância ± 5% (4ª
faixa dourada). Já na tabela 1.3 os erros apresentados foram maiores. O erro
máximo obtido foi de 34,5% para a corrente IAB do circuito original Delta.
1.3. Circuito Y

Os dados obtidos e respectivos erros estão dispostos nas Tabelas a


seguir:

Tabela 1.4 - Tabela com dados simulados e medidos dos circuitos Y e Δ

Resistência Resistência Resistência Resistência


[KΩ] [KΩ] Erro [KΩ] [KΩ] Erro
[%] [%]
(simulado) (medido) (simulado) (medido)
RA 10 9,84 16 R1 12,5 12,48 2

RB 5 5,028 2,8 R2 25 24,96 4


RC 5 5,064 6,4 R3 25 24,73 27

Tabela 1.5 - Tabela com dados simulados e medidos do circuito Y

Dados Dados Erro Dados Dados Erro


(simulados) (medidos) [%] (simulados) (medidos) [%]
I1 VABY
600 608,8 0,88 5 5,064 6,4
[µA] [V]
I2 VBCY
200 194,3 0,57 5 5,093 9,3
[µA] [V]
I3 VCAY
-800 -798 0,2 10 10,13 13
[µA] [V]
VRA 1 VABΔ
6,06 6,07 5 5,6 60
[V] [V]
VRB 6,4 VBCΔ
1,06 0,996 5 3,72 128
[V] [V]
VRC 2 VCAΔ
4,1 4,12 10 10,04 4
[V] [V]

Observando a tabela 1.4 apenas três dos seis resistores respeitaram a


faixa de tolerância estipulada pelo fabricante ± 5% (4ª faixa dourada). Já na
tabela 1.5 parte dos erros foram relativamente pequenos para as correntes I 1, I2
e I3 e para as tensões VRA, VRC e VCAΔ. O erro máximo obtido nesse circuito foi
de 128%, ou seja, superior ao dobro do valor simulado.