Vous êtes sur la page 1sur 30

Instrução da Loja Quetzalcoatl

2
Historicamente, a origem da Cabalá funde-se com as então estes conhecimentos já eram antigos pois já
origens da etnia semita, tendo sempre norteado a nesta época é documentada como uma escola
visão e o modo de ser deste povo do deserto. Mas o filosófica plenamente desenvolvida. Já foi sugerido
que viria a ser esta “Cabalá”? Vista por uns como uma que este conhecimento é advindo do cativeiro dos
religião (muitas vezes confundida com o judaísmo), judeus na Babilônia, onde o conhecimento místico
por outros como um sistema mágico e por outros caldeu foi por eles absorvido e transmutado.
ainda como uma filosofia, esta tradição é tão simples
De uma forma ou de outra, não há dúvidas de que o
que está embutida não apenas dentro de cada um de
conhecimento antes do Segundo Templo era
nós como dentro de cada átomo do Universo e
completamente oral; e, como toda tradição oral, foi
simultaneamente tão complexa que muitas vidas após
sendo filtrado, modificado e desenvolvido ao passar
vidas são dedicadas ao seu estudo. Pois para começar
de boca para ouvido. Apenas bem mais tarde as
a compreender a Cabalá devemos atentar, antes de
primeiras manifestações esc ritas deste conhecimento
mais, nada a seu nome: QBL (ou QBLH), palavra
deram-se, com o Pentateuco de Mosheh (Moisés), o
hebraica derivada de Iecabel, que significa
Sepher Yetzirah, atribuído ao patriarca Abraham
“recebimento”. Pois, acima de tudo, a Cabalá é a arte
(Abraão) e com a Torah (composta pelo Mishna e pela
de se rec eber algo; a arte de se receber o
Gemara). Mas, de uma forma ou de outra, quando a
conhecimento do Todo que é o Universo e do Todo
Cabalá delineou-se como este sistema filosófico e
que somos nós. O cabalista dedica sua vida ao estudo
credo, isto deu-se junto ao início do culto a Jeovah.
pois sabe que seu conhecimento é o maior bem que
Nesta época, entretanto, a Cabalá não existia como
dispõe.
corpo de conhecimento distinto ou m esmo com esta
Desde o século XIX o estudo da Cabalá dividiu-se em nomenclatura, sendo apenas um conjunto de
duas vertentes, a Cabalá Hebraica e a Europeia. narrativas tradicionais (Merkavoth, plural de
Enquanto a tradição hebraica segue ainda uma versão Merkavah).
mais pura do conhecimento original, a europeia
Neste momento muitos estudiosos levantam a
acresc entou novos estudos e realizou algumas
questão da autenticidade da História das Doze Tribos
alterações. A Ordo Templi O rientis segue a linhagem
da Cabalá Europeia mas o estudo da Cabalá Hebraica de Judá ou mesmo da real existência de Mosheh ou do
Rei Salomão. Entretanto, fato ou mito, isto não
é fortemente recomendado para que se tenha o
adquire relevância neste estudo pois é indubitável que
conhecimento da base original desta filosofia.
Seguindo o ponto de vista thelêmico, dogmas devem na época do Segundo Templo o povo judeu já possuía
este sistema religioso/filosófico completo e coerente,
ser evitados; portanto cabe ao estudante usar o seu
dotado de uma casta sacerdotal. Interessante é, ainda,
discernimento para escolher o caminho que seguirá.
Um outro estudo recomendável é o da Bíblia Cristã, constatar que o Rei Ciro, em 536 A.C. enviou vários
judeus cativos de volta a Jerusalém para que o culto
cujo Velho Testamento é uma fonte de referências à
judaico, interrompido por Nebuchadnezzar em 587
Torah.
A.C., pudesse ser restaurado. Isto comprova a força
espiritual desta religião, capaz de maravilhar mesmo
um homem como Ciro. A importância deste fato para
Não se pode afirmar quando surgiu a Cabalá, ou quem
o judaísmo é tremenda pois foi graças a este retorno
foram seus autores ou seus primeiros mestres. Seu
do culto judaico que Ezra e Nehemiah, em cerca de
surgimento está perdido no longínquo passado da
450 A.C., puderam compilar o Velho Testamento dos
história humana. As primeiras evidências de sua
Hebreus, ou, de acordo com aqueles que atribuem a
existência, contudo, são da época do Segundo Templo
Mosheh e Salomão, foi quanto o Pentateuco foi
(circa 515 A.C.). Antes disto, nenhuma prova foi
escrito.
encontrada. Entretanto pode-se imaginar que mesmo
3
O culto renascido manteve-se até 320 A.C., quando O Zohar, ou “Sohar” (soletrado “ZHR” ou “ZUHR” em
Jerusalém caiu sob o jugo de Ptolomeu Soter que hebraico), cuja nome significa “O Livro do Esplendor”
destruiu as bases da religião judaica. Apesar disto seu ou “O Livro de Luz” é uma coletânea de vários tratados
sucessor, Ptolomeu Philadelphus, fez com que este individuais sobre Deus, anjos, almas e cosmogonia.
conhecimento fosse resgatado, através da revisão e Seu autor foi o rav 1 Shimon ben Jochai, que viveu em
tradução para o Grego, por setenta e dois estudiosos cerca de 160 D.C. Este rabino foi perseguido e
em cerca de 277 A.C. Esta versão ficou conhecida obrigado a morar em uma caverna por Lucius Aurelius
como a Septuagésima versão do Velho Testamento. Verus, corregente do Imperador romano Marcus
Entretanto o povo judeu ainda seria alvo de muitos Aurelius Antoninus. Uma considerável parte do
ordálios. Em 170 A.C. Jerusalém foi tomada e pilhada trabalho parec e ser uma compilação organizada por
por Antiochus. Logo depois vieram as Guerras ele das tradições orais de seu tempo mas outras partes
Macabéias e em seguida o domínio por Roma. Apesar aparentam ser acréscimos posteriores incorporados
de todas estas e outras provas a religião judaica foi ao trabalho por outros autores. Em 1290 foi feita a
preservada e, com ela, o conhecimento cabalístico. primeira publicação desta obra pelo rabino Mosheh
Leon, de Guadalajara, Espanha. Desde então é possível
A primeira aparição do famoso tratado escrito pelos
traçar um histórico mais preciso da obra, h aja vista
rabinos judaicos, chamado Mishna – a base do
que três publicações distintas compõem o códice da
Talmude, a grande compilação da doutrina judaica –
obra: as edições de Mantua (1558), Cremona (1560) e
foi em cerca de 141 D.C. Há duas versões deste
Lublin (1623). A primeira tradução para fora do
tratado; a mais notável é a babilônica e a outra é
hebraico foi uma parcial para o latim feita pelo Barão
originária de Jerusalém. Posteriormente outra grande
Knorr von Rosenroth, em 1684, sob o título “Kabbalah
obra uniu-se à Mishna: a Gemara, tratando de
Denudata”. Os componentes desta obra são: Sepher
comentários e adesões à sua obra predecessora.
Dtzenooutha (Livro do Mistério Oculto), Ha Idra Rabba
Apenas a partir deste momento que a Cabalá é
(A Grande Assembleia), Ha Idra Suta (A Pequena
considerada como formada enquanto doutrina
Assembléia), Hikaloth (Os Palácios), Sithre Torah (Os
filosófica e prática individual.
Mistérios da Lei), Midrash ha Neelam (O Comentário
Secreto), Raja Mehemna (O Pastor Fiel), Saba
Demishpatim (O Discurso do Velho – O Profeta Elias) e
É importante ter-se um conhecimento dos principais
Januka (O Homem Jovem), com notas chamadas
livros que englobam a sabedoria cabalística. Tosephta e Mathanithan.

O mais antigo de todos estes tratados é o Sepher Outros tratados cabalísticos dignos de nota são: “O
Yetzirah, que explica um interessante sistema
Comentário das Dez Sephi roth” (rav Azariel ben
filosófico da Criação, traçando um paralelo entre a
Menachen, 1200 D.C.), “O Alfabeto” (rav Akiba), “O
origem do Universo e as vinte duas letras do alfabeto Portão do Céu”, “O Livro de Enoch”, “Pardes
hebraico. Por este livro, as letras (e, portanto, o
Rimmonin ou O Jardim das Romãs”, “Um Tratado das
processo de criação) são divididos em uma tríade, uma Emanações”, “Otz ha Chim ou A Otz Chain (Chajim
héptade e uma dodécade: as três Letras Mães Vital), “Rashith ha Galgulim ou A Revolução das Almas”
referem-se aos elementos Ar, Água e Fogo; as sete
(Itzhak de Luria) e, especialmente, as esc ritas do
Letras Duplas, aos planetas e à divisão do Tempo; e as famoso judeu hispânico, Ibn Gebirol (morto em 1070),
doze Letras Simples referem-se aos signos do Zodíaco, também chamado Avicebron, “A Fonte de Vida” e “A
aos meses e aos órgãos humanos. Este livro é
Coroa do Reino”.
mencionado tanto no Talmude de Jerusalém quando
no babilônico.

1
“ Mestre” em Hebraico.
4
A base da filosofia cabalística está montada da Cabalá esta estruturação da mente divina (e
basicamente em cima de dois conceitos: a OTz ChYYM também da mente do Homem, o centro da Criação), é
(Otz Chain 2 ) e o Alfabeto Hebraico. A Otz Chain é a representada pela Otz Chain. Esta estrutura foi,
estrutura básica de tudo no Universo, Mac rocosmo ou segundo a tradição, ensinada aos primeiros Homens
Microcosmo. As letras são as formas representativas por um querubim (ou um caribou na antiga
das energias primordiais que fluem por esta estrutura. terminologia) chamado Haziel, o mesmo que salvou
Itzhak e que impediu Abraham de sacrificar seu filho.
Dentro da filosofia cabalística o criador é também a
Esta Árvore é composta de dez Sephiroth 3 e mais uma
criatura. Deus cria mas também foi criado. O moto
que nem sempre é representada (Daath), sendo que
primo de todo o sistema é a Torah. Deve-se entender
cada uma destas esferas é um fruto desta árvore. Na
aqui que quando um cabalista refere-se à Torah ele,
alegoria do “Pecado Original” esta é a “árvore
na verdade, pode estar falando de duas coisas
proibida”. Toda esta fábula refere-se ao fato de que
diferentes. Pois Torah em Hebraico significa “Lei”.
quanto o ser humano “come” destes frutos ele
Assim o sendo pode-se estar falando do códice que adquire o conhecimento da estruturação lógica e
contém a compilação dos dogmas judaicos ou uma
racional da realidade, diferenciando-se dos outros
coisa muito maior que isto. Esta “coisa”, muito antes
seres da Criação, adquirindo o discernimento bipolar
de denominar um livro já era encarada como uma (bem/mal, macho/fêmea, passivo/ativo, etc.).
energia primordial, alimentadora de todo o Universo,
fonte da verdadeira Vida. Esta energia, de Basicamente todo o estudo da Cabalá é o estudo da
características divinas, é imensurável e Otz Chain4 , através do qual o cabalista procura
incompreensível, antec edendo a própria criação de alcançar um entendimento da estrutura de tudo o que
Deus. A Torah começa com a frase “bereshit barah o cerca e de si próprio. Esta estrutura começa em seu
Elohim et...”, cuja tradução é “no princípio c riou pináculo, em Kether (a Coroa), fonte da emanação de
Deus...”. Note-se que isto possui um significado bem todas as coisas. Juntamente com Chokhmah e Binah
diverso do tradicional “no princípio Deus criou...”. No formam o Mundo da Emanação. Isto porque tudo o
caso, este princípio criador é a Torah. Um dos que apresenta-se no plano físico é necessário que seja
princípios fundamentais da Cabalá, decorrente e primeiro idealizado e emanado (tal como na filosofia
causador, da importância das letras e, por platônica do Mundo das Ideias). Entretanto, para que
conseguinte, dos nomes é que para que algu ma coisa um fato realize-se na esfera mais inferior, chamada
exista em realidade é necessário que possua um Malkhut (o Reino) tal deve passar por todas as esferas
nome, uma designação. Algo que não pode ser da Árvore, através do caminho denominado “Espada
nomeado (i.e. receber uma identidade através de uma Flamejante”. Esta emanação é o “pensamento de
sequência de letras, ou seja, de energias) não pode Deus” e cabe ao Homem mudar, quando necessário,
existir. A Torah existe, ela possui um nome. Porém este pensamento; ou seja, alterar estas emanações.
este nome não é uma representação plena de sua
Descendo a Otz Chain pelo caminho da Espada
essência; e desta forma a Torah não pode ser criada.
Flamejante temos Chesed, Geburah e Tiphareth. Estas
Não obstante, Deus existe e possui não apenas um
Sephiroth formam o Mundo da Criação, onde as ideias
nome mas vários, que definem cada uma de suas
começam a concretizar-se. Mesmo aqui o ser humano
facetas. Assim Deus não apenas existe como foi criado.
ainda tem o poder de mudar as coisas posto que
A função de Deus na Criação é a de uma mente lógica. apenas ao chegar em Malkhut as ideias tomam sua
Lógica implica em organização, estruturação. Dentro forma final e “imutável”. Este processo, dentro do

2 4
Árvore da Vida Árvore da Vida
3
“ Esferas” em Hebraico. O singular é Sephira
5
sistema cabalístico é feito quando Deus pronuncia o volta a este estado de plenitude espiritual mas, desta
nome das coisas. Em seguida temos Netzach, Hod e vez, com a maturidade n ecessária que nos permitirá
Yesod, o chamado Mundo da Formação. Aqui as coisas gozar de nosso estado de iguais a Deus.
nomeadas adquirem sua forma. Enfim, em Malkhut é
feita a Manifestação final da ideia emanada. Esta é a
sequência lógica da criação cabalística: emanação,
criação, formação e manifestação. Sendo o Homem a
Como todo caminho espiritual, a Cabalá visa a
imagem de Deus (não a figura, a aparência, mas a evolução do Ser Humano. Neste sistema isto é dito
ideia), é dado a ele a mesma capacidade de criação, como sendo a elevação pelas Dez Dimensões da
através da mesma sequência de passos. A partir deste
Cabalá. É neste momento que deixa-se a compreensão
conceito o cabalista orienta sua vida objetivando à puramente intelectual dos estudos e passa-se à
construção de seu Reino, assim como Deus construiu vivência dos preceitos; ou seja, à aplicação dos
o Universo.
conhecimentos obtidos nos estudos teóricos não
apenas em nas atividades ditas “mágicas” ou
O cabalista procura ver o que há por detrás destes
“espirituais” e sim no dia-a-dia. É através da vivência
fragmentos da realidade, buscando não a casca
destes prec eitos que o cabalista evolui através das Dez
externa que está condenada mas o conteúdo imortal
Dimensões.
e rico. Estes recursos adquiridos na forma de
conhecimento possuem um objetivo para o seguidor
da Cabalá: a alimentação das Sephiroth, que são, em Primeira Dimensão – Gueinon
si, números. Com isto entra em questão outro ponto Também chamado de “inferno”, é um estado onde o
fundamental da Cabalá: os números. No alfabeto espírito encontra-se em escuridão, escravo da contra
hebraico as letras possuem associações numéricas e, inteligência chamada Shaitan. Aqui são constantes a
por correspondência, as palavras também as angústia e o medo, sem perspectivas de melhora.
possuem. A Cabalá trabalha isto de duas formas
diferentes: a Gematria e a Temurah, os quais serão Segunda Dimensão – Fome
estudados a posteriori. Nesta dimensão a pessoa é ainda presa a Shaitan e
vive em um estado de eterna insatisfação, desejando
Outro conceito fundamental na filosofia cabalística é o
sempre e jamais dando-se por satisfeita, em um
da evolução. Este é um direito e um dever que cabe ao
grande ciclo de egoísmo.
ser humano. Pois a Cabalá prega que apenas um ser
racional pode evoluir por ser a evolução um conceito
racional e não físico. O ser irracional não evolui por já Terceira Dimensão – Reatividade
quedar-se em um estado pleno: ele já está realizando Chega-se a este estágio evolutivo quando decide-se
seu máximo potencial. Mas sendo a evolução racional mudar a situação em que se vive. Esta mudança,
e um privilégio dos seres dotados de Livre Arbítrio ela porém, dá-se a princípio pela simples reatividade
é, acima de tudo, uma questão de escolha própria. E o instintiva aos acontecimentos e corre-se o risco de ver
fito desta escolha é alcançar o Paraíso, o Éden, que esta reatividade como a solução a todos os problemas.
não relaciona-se a um local físico para o cabalista e sim
a um estado de espírito experimentado pelos seres Quarta Dimensão – Ira
que alcançaram seu máximo potencial. O ser humano,
Nesta dimensão ocorre a identificação do Ser Humano
ao “provar da árvore do Bem e do Mal” – ou seja, ao
com a Divindade e passa-se a ter a ilusão da
tomar o conhecimento da estrutura da Otz Chain
onipotência e da onisciência. A reatividade torna-se
antes de estar espiritualmente maduro para tanto,
tão grande que endurec e o coração e as atitudes
perdeu a inocência espiritual que ainda está presente
começam a ser de extrema insensibilidade e
nos animais e nos vegetais (que jamais saíram do
arrogância. Porém a força adquirida também já é
Éden). A busca pelo Paraíso na visão da Cabalá é,
considerável, o que praticamente elimina a
portanto, uma busca pela evolução que nos levará de
humildade. Dá-se uma evolução espiritual e uma
6
prosperidade mas ainda se está preso à contra gesto, pensamento, palavra passa a afetar o Todo.
inteligência de Shaitan. Está-se fundido ao Eterno.

Quinta Dimensão – Tranquilidade


É aqui que se encontra o verdadeiro estado de
equilíbrio, com a mente e o espírito já acalmados e a
ansiedade acalmada. Com este equilíbrio pode-se ter
noção de sua missão de vida, sua Verdadeira Vontade.
O risco aqui é o da ilusão de já se ter completado o
caminho e de não haver mais necessidade de
evolução. É o primeiro estado de iluminação.

Sexta Dimensão – Alegria


Aqui manifesta-se a Shekinah 5 . A alegria opõe-se à
seriedade que pesa e petrifica a vida. Contudo é muito
fácil confundir a alegria com a euforia, estado
passageiro que vicia e trava o caminho.

Sétima Dimensão – Erudição


Nesta dimensão ocorre uma conciliação entre a
sabedoria e o entendimento sem que haja perda da
tranquilidade ou da alegria. Não se pode, entretanto,
fechar-se, como fazem tantos eruditos, em seu
próprio mundo pois a evolução dentro da Cabalá não
se faz apartado da vida.

Oitava Dimensão – Absorção


Ao se atingir este estágio evolutivo são abandonados
tanto a mente quanto o coração. Atinge-se uma
condição de plena receptividade em relação aos
planos mais sutis e a evolução para o estágio seguinte
é quase inevitável.

Nona Dimensão – Tzadik


Nesta dimensão tem-se a compreensão da Justiça6 do
Universo, que passa a ser facilmente compreendido
em sua estrutura e seus fluxos. A lógica dos
acontecimentos é tornada clara.

Décima Dimensão – Mashiach


Nesta última e mais alta dimensão a pessoa torna-se
una com o Universo e adquire-se uma consciência de
ser também um dos sustentáculos do mesmo. Cada

5
Presença divina, de características femininas. 6
No sentido de “equilíbrio”, como no Atu “O Ajustamento”.
7
da letra (sem alterar o espaçamento das letras ou das
linhas). Os textos que recebem estas marcações são
chamados de “pontuados”.
Surgido por volta do ano 1.000 a.C., o Hebraico
Primitivo foi a escrita original do Velho Testamento O processo de escrita das palavras em Hebraico para
bíblico, tendo sido utilizado pelos antigos hebreus, na o alfabeto Latino e vice-versa é chamada de
Palestina. Após o ano 500 a.C. foi sendo gradualmente “transliteração”, sendo esta mais uma arte do que
substituído pelo Aramaico, terminando por uma ciência. Ocorre que a mesma palavra em
desaparec er. Muitos poucos registros restaram deste Hebraico pode ter mais de uma transliteração para os
alfabeto de 22 consoantes, esc rito da direita para a caracteres Latinos bem como a transliteração para as
esquerda. Por volta do século II a.C. o Hebraico letras Hebraicas pode também apresentar variações.
Clássico surgiu como uma escrita distinta do Hebraico Por exemplo a Festas das Luzes judaica pode ser
Primitivo. Em trezentos anos tornou-se a forma de transliterada para Chanukah, Chanukkah ou Hanuka.
escrita padrão dos Hebreus. Também com 22 Uma alternativa a isto é a utilização de uma tabela-
consoantes e escrito da direita para a esquerda, tinha padrão de conversão que não atua por transliteração
sua principal utilização nos textos formais, dos quais mas apenas com a substituição das letras Hebraicas
temos como exemplos os livros sagrados da Cabalá e por letras ou grupos de letras do alfabeto latino.
os Pergaminhos do Mar Morto. Como o passar dos Utilizando-se ainda o mesmo exemplo teríamos
anos e a dispersão do povo Judeu pela Europa o “ChNkH”.
Hebraico foi sendo substituído por uma nova língua,
variante dos idiomas germânicos, chamada Iídiche, a
qual utiliza os caracteres latinos. Entretanto, com a Em termos cabalísticos, o alfabeto Hebraico funciona
descoberta em 1947 dos Pergaminhos de Qumram, como uma espécie de “DNA espiritual do Universo”. O
surgiu o Hebraico Moderno como idioma oficial do Patriarca mítico Abraham identificou estas 22 letras
estado de Israel. Mais rec entemente, ainda, surgiu como 22 diferentes formas de vibração, sendo assim
uma versão cursiva do alfabeto Hebraico. não apenas uma forma de escrita p de notas musicais
produz os acordes. E, da mesma forma que um acorde
Deve-se observar que, tal como no Grego, por
pode ser harmônico ou dissonante, o cuidado ou a
exemplo, algumas letras possuem duas versões, uma
falta do mesmo com a combinação das letras
para quando estão no meio da palavra e outra para
Hebraicas poderá produzir padrões energéticos
quando encontram-se em seu fim. Estas letras são
harmoniosos ou dissonantes. Eis um dos porquês da
Kaph, Mem, Nun, Pe e Tzaddi. Caso estejam no fim da
necessidade de se estudar este alfabeto ao lidar com
palavra estas letras são chamadas de Letra Final (por
a Cabalá.
exemplo: Mem Final). Em geral a Letra Final apresenta
uma haste mais longa que a normal. Cada letra ou “acorde de letras” irá conectar-se a uma
força específica. Ler, verbalizar, meditar o mero passar
Como na maioria dos alfabetos mezo orientais, o
de olhos por sobre as letras estará gerando esta
Hebraico não possui vogais. Para facilitar a indicação
conexão em nossos espíritos7 , trazendo para dentro
da pronúncia das palavras foi desenvolvido, então, um
de nós estas forças espirituais. De certa forma,
sistema de pontos e traços chamado n’kudot
podemos considerar que haja uma ressonância
(“pontos”), os quais são colocados ao redor ou dentro

7
É importante ressaltar aqui que, dentro da filosofia thelêmica,
isto só ocorre quando em conformidade com a vontade do
estudante.
8
energética – ou como se diria hoje em dia, uma
convergência simbólica – entre as várias letras e os
aspectos espirituais a ela conectadas. Isto se dá por # Letra Som
serem as letras Hebraicas e nossas almas, na filosofia 1 Aleph A
cabalística, serem constituídas do mesmo material 2 Beth B ou V
básico, a Luz da Criação emanada de Kether. Quando 3 Gimel G ou Gh
se mantém uma proximidade entre as letras e nossos 4 Daleth D ou Dh
espíritos, através da meditação sobre as letras (seja 5 He H
por visualização ou pronúncia) é ativada esta 6 Vau V, U ou O
ressonância e as energias da Tríade Superior da Otz 7 Zayn Z
Chain chegam até nós. 8 Cheth Ch
9 Teth T
O estudo da Cabalá dá-nos as indicações para os 10 Yod I ou Y
melhores “acordes de notas” para tais conexões. Uma 11 Kaph K ou Kh
simples letra fora do lugar, tal como uma nota 12 Lamed L
incorreta no acorde, gera uma dissonância e estas 13 Mem M
energias chegarão até nós de forma distorcida, 14 Nun N
tornando a ressonância ineficiente ou mesmo 15 Samekh S
prejudicial. 16 Ain Aa ou Ngh
17 Pe P
18 Tzaddi Tz
Cada letra do alfabeto Hebraico possui um complexo 19 Qoph Q
de significados que, ao serem estudados, geram um 20 Resh R
verdadeiro mapa do caminho iniciático cabalístico. A 21 Shin Sh
própria posição sequencial das letras no alfabeto não 22 Tav T ou Th
é aleatória. Cada letra leva à seguinte, em um caminho
ascendente em direção à iluminação espiritual. Por
Estas letras podem ser separadas em grupos de
este motivo deve-se realizar o estudo das mesmas de
acordo com suas características, tomadas quando na
forma sequencial e disciplinada, não apenas
forma esc rita. Estes grupos são: As Letras-Mãe (ligadas
entendendo mas compreendendo a mensagem
aos Elementos), as Letras Simples (correspondendo
cifrada que encontra-se em cada letra e suas relações
aos Planetas Clássicos) e as Letras Duplas
com as letras anteriores e seguintes.
(correlacionadas aos Signos do Zodíaco).

Segue-se aqui uma tabela com os sons, valores


numéricos e significados de cada uma das letras 8 . A
coluna “Som” indica também a(s) letras a serem
usadas na transliteração parcial.

8
Conforme Israel Regardie, ed., “The Golden Dawn” (1986 one
vol., revised ed.), p. 53.
9
# Letra Correlação Astrologia processo inverso também ocorre. Podem-se c riar
As Três Letras-Mãe palavras novas ao se unirem letras, gerando uma
1 Aleph Ar manipulação das energias em uma forma final. Esta
13 Mem Água forma-palavra é levada pelos melachin 9 até o Plano
21 Shin Fogo das Manifestações, onde começa a gerar a nova forma
As Sete Letras Duplas que será manifestada em Malkhut. Conhecer as Letras
Sabedoria & Hebraicas é conhecer a composição de tudo.
2 Beth Mercúrio
Loucura
Graça &
3 Gimel Lua
Indignação
Fertilidade &
4 Daleth Vênus
Solidão Segue abaixo um estudo pormenorizado de cada letra.
11 Kaph Vida & Morte Júpiter Estes dados são um resumo das informações contidas
17 Pe Poder & Solidão Marte no Sepher Yetzirah 10 . As explicações relativas a cada
20 Resh Paz & Guerra Sol letra seguem as definições abaixo:
Riqueza &
22 Tav Saturno
Pobreza Conceito........... O princípio fundamental subjacente
As Doze Letras Simples associado com a letra
5 He Visão Aquário Significados...... Os significados literais do nome da
6 Vau Audição Touro letra
7 Zayn Olfato Gêmeos Formato........... A associação visual primária
8 Cheth Fala Câncer relacionada ao formato da letra ou sua
9 Teth Paladar Leão composição
10 Yod Sexo Virgem Espaço.............. Os elementos físicos, os corpos
12 Lamed Trabalho Libra
celestes e os signos do Zodíaco
14 Nun Movimento Escorpião
Alma ................ Os membros e órgãos do corpo
15 Samekh Raiva Sagitário
humano, responsáveis por mediar
Capricórni
16 Ayn Regozijo experiências relacionadas com o “eu”
o
18 Tzaddi Imaginação Ares Qualidade / Dom / Sentido...Expressões inatas ou
19 Qoph Sono Peixes adquiridas de experiência vivida,
controlada pelos membros acima e
Um ponto interessante a se notar aqui é que a dupla órgãos da alma.
de significados das Letras Duplas mantém, Número ........... Número(s) associado(s) à letra
constantemente, um equilíbrio. As Letras Hebraicas Caminho........... Caminho da Otz Chain associado à
também definem o calendário judaico, sendo que a letra
cada mês judaico correspondem duas letras, definindo Atu .................. Arcano Maior no Taro de Thoth
aquele período de tempo pelas energias às letras relacionado à letra
associadas.

Cada letra está, assim, conectada a uma forma de


energia primal. Através do estudo das letras que
compõem uma palavra pode-se chegar ao
conhecimento das energias a ela conectadas, ou s eja,
ao conhecimento de seu significado arquetípico. O

9 10
Anjos Oriundos do Sepher Yetzirah, estes dados correspondem ao
estudo clássico da Cabalá. Alguns destes foram alterados por
Crowley, como pode ser visto no Liber 777.
10
Significados...... Um camelo; uma ponte; desmame;
benevolência.
Aleph Formato ........... Um corpo (o Vau) caminhando (o Yod
Tradução ..........Boi ligado, como um pé).
Transliteração ..A Espaço.............. Marte.
Correlação ........Ar Alma................. Ouvido direito.
Conceito ...........Paradoxo, o selo Divino no ser Dom ................ Riqueza.
humano. Número .............3
Significados ......Um boi; um milhar; ensinamento; um Caminho .......... 13 – Kether / Tiphareth
campeão. Atu ................... A Sacerdotisa
Formato............Duas tendências polares (os Yod
superior e inferior) juntos por uma
força mediadora (o Vau).
Espaço ..............A atmosfera entre o céu e a terra. Daleth
Alma..................O torso superior, especialmente o Tradução.......... Porta
peito e o sistema respiratório. Transliteração.. D
Qualidade .........Grande compaixão. Correlação ....... Vênus
Valor .................. 1 Conceito .......... A anulação do "eu" que acompanha
Caminho ...........11 – Kether / Chokhmah qualquer mudança básica na
Atu ....................O Louco orientação existencial de alguém.
Significados...... Uma porta; um homem pobre;
extração.
Formato ........... Uma alma ereta (o Vau vertical) ligada
Beth a sua Divina Fonte (o Vau horizontal
Tradução ..........Casa pairando acima).
Transliteração ..B Espaço.............. Sol.
Correlação ........Mercúrio Alma................. Narina direita.
Conceito ...........O propósito da Criação: uma morada Dom ................. Descendentes.
para Deus neste mundo inferior. Número ..............4
Significados ......Casa. Caminho .......... 14 – Chokhmah / Binah
Formato............Um cercado de três lados, aberto no Atu ................... A Imperatriz
lado esquerdo, "lado norte".
Espaço ..............Lua.
Alma..................Olho direito.
Dom ..................Sabedori a. He
Número.............. 2 Tradução.......... Janela
Caminho ...........12 – Kether / Binah Transliteração.. H, E
Atu ....................O Mago Correlação ....... Aquário
Conceito .......... A capacidade de auto expressão
através do pensamento, palavra e
Gimel
ação.
Tradução ..........Camelo Significados...... Ser quebrado; pegar sementes;
Transliteração ..G contemplar.
Correlação ........Lua Formato ........... A "janela" tridimensional da
Conceito ...........A busca de recompensa e punição no consciência, composta de um eixo
contexto do mundo físico. horizontal e vertical (o Daleth) com
11
um ponto solto (o Yod) aludindo à
coordenada de profundidade.
Espaço ..............Cordeiro (Áries). Cheth
Alma..................Pé direito. Tradução.......... Cerca
Sentido .............Fala. Transliteração.. Ch (som de “R”)
Número ............. 5 Correlação ....... Câncer
Caminho ...........15 – Chokhmah / Tiphareth Conceito .......... A dialética de "ir e vir" entre a unidade
Atu ....................A Estrela absoluta de Deus e a aparente
pluralidade da Criação.
Significados...... Medo; força da vida.
Formato ........... As forças opostas do Vau e Zayn
Vau ligadas no topo por um arco.
Tradução ..........Unha Espaço.............. Caranguejo (Câncer).
Transliteração ..V, U Alma................. Mão direita.
Correlação ........Touro Qualidade ........ Visão.
Conceito ...........O poder de conectar e correlacionar Número ............ 8
todos os elementos dentro da Caminho .......... 18 – Binah / Geburah
Criação. Atu ................... O Carro
Significados ......Um gancho.
Formato............Um pilar ereto.
Espaço ..............Boi (Touro).
Alma..................Rim direito. Teth
Sentido .............Contemplação Tradução.......... Serpente
Número.............. 6 Transliteração.. Th
Caminho ...........16 – Chokhmah / Chesed Correlação ....... Câncer
Atu ....................O Hierofante Conceito .......... A "inversão," ou ocultamento, da
benevolência de Deus neste mundo.
Significados...... Uma inclinação; um cajado; abaixo;
uma cama.
Zayn Formato ........... Um recipiente com uma aba invertida:
Tradução ..........Arma uma bolsa d'água.
Transliteração ..Z Espaço.............. Leão (Leo).
Correlação ........Gêmeos Alma................. Rim esquerdo.
Conceito ...........O poder de "or chozer" (luz Divina Sentido............. Audição.
refletida rumo ao Alto pela Criação) Número ..............9
para ascender além de seu próprio Caminho .......... 19 – Chesed / Geburah
ponto de origem. Atu ................... A Luxúria
Significados ......Uma arma; uma coroa; uma espécie;
nutrir.
Formato............Um Vau com uma coroa.
Espaço ..............Gêmeos (Gêmeos).
Yod
Alma..................Pé esquerdo.
Sentido .............Movimento. Tradução.......... Mão

Número.............. 7 Transliteração.. I, Y

Caminho ...........17 – Binah / Tiphareth Correlação ....... Virgem

Atu Os Amantes Conceito .......... A concentração do infinito dentro do


finito.
12
Significados ......Uma mão; impulsionar. Alma................. Vesícula biliar.
Formato............Um ponto suspenso, com uma ponta Sentido............. Toque físico e intimidade.
projetando-se para cima e um Número ............. 30
apêndice seguindo para baixo. Caminho .......... 22 – Geburah / Tiphareth
Espaço ..............Virgem (Virgem). Atu ................... O Ajustamento
Alma..................Mão esquerda.
Qualidade .........Ação.
Número .............10
Caminho ...........20 – Chesed / Tiphareth ou Mem
Atu ....................O Eremita
Tradução.......... Água
Transliteração.. M
Correlação ....... Água
Conceito .......... O brotar da sabedoria na fonte do
ou Kaph supra consciente.
Tradução ..........Palma Significados...... Água; uma mancha.

Transliteração ..K Formato ........... Um tanque, com uma ligeira abertura

Correlação ........Júpiter em seu canto inferior esquerdo. O


Conceito ...........A capacidade de alguém realizar seu Mem final: Um tanque
potencial. completamente fechado.

Significados ......A palma da mão de alguém; uma Espaço.............. Terra.

nuvem; suprimir. Alma................. Torso inferior, especificamente o

Formato............Um c ercado de três lados com cantos abdômen.

redondos, assemelhando-se à coroa Qualidade ........ Amor expressando-se como água.

de uma cabeça em perfil lateral. O Número ........... 40 (Final: 600)

Kaph final: A mesma figura, com sua Caminho .......... 23 – Geburah / Hod
base caída em extensão vertical. Atu ................... O Pendurado

Espaço ..............Vênus.
Alma..................Olho esquerdo.
Dom ..................Vida (boa saúde).
Número ............20 (Final: 500)
ou Nun
Caminho ...........21 – Chesed / Netzach
Tradução.......... Peixe
Atu ....................A Fortuna
Transliteração.. N
Correlação ....... Escorpião
Conceito .......... A queda do altruísmo até a
autoconscientização.
Significados...... Um peixe; reino; um herdeiro real.
Lamed Formato ........... Um ângulo oblíquo (o servo curvado)
Tradução ..........Aguilhão de Boi com uma coroa em seu topo. O Nun
Transliteração ..L final: a mesma figura com sua base
Correlação ........Libra caída na extensão vertical.
Conceito ...........A ânsia do coração para interiorizar o Espaço.............. Escorpião.
conhecimento. Alma................. Intestinos.
Significados ......Aprender, ensinar. Sentido............. Olfato.
Formato............Um Vau em formato de torre pousado Número ........... 50 (Final: 700)
sobre um Kaph. Caminho .......... 24 – Tiphareth / Netzach
Espaço ..............Balanças (Libra). Atu ................... A Morte
13
Formato ........... Uma cabeça em perfil lateral, com a
Boca aberta e um dente superior
Samekh invertido. O Pe final: a mesma figura,
Tradução ..........Escora com sua base caída na extensão
Transliteração ..S vertical.
Correlação ........Sagitário Espaço.............. Mercúrio.
Conceito ...........A natureza cíclica da experiência, e a Alma................. Ouvido esquerdo.
equanimidade que ela traz. Dom ................. Autoridade.
Significados ......Apoiar; confiar; ordenação; forma de Número ........... 80 (Final: 800)
construção (em gramática). Caminho .......... 27 – Netzach / Hod
Formato............Um círculo completo ou anel. Atu ................... A Torre
Espaço ..............Arco (Sagitário).
Alma..................E st ômago inferior.
Sentido .............Sono.
Número .............60
Caminho ...........25 – Tiphareth / Yesod ou Tzaddi
Atu ....................A Arte
Tradução.......... Anzol
Transliteração.. Tz (som de “tsc”)
Correlação ....... Áries
Conceito .......... A fé dos justos.
Ayn Significados...... Um justo; um lado; caçar; caos (em
Aramaico).
Tradução ..........Olho
Formato ........... Um Yod (a vitalidade da sabedoria)
Transliteração ..Aa
cunhada na parte traseira superior de
Correlação ........Capricórnio
um Nun curvado (o humilde servo). O
Conceito ...........A constante vigilância de Deus sobre
Tzaddi final: a mesma figura, com sua
todo elemento da Criação.
base caída na extensão vertical.
Significados ......Um olho; cor; uma fonte; carneiro (em
Espaço.............. Jarro (Aquário).
Aramaico).
Alma................. Estômago superior.
Formato............Um Nun aberto à força (o servo
Sentido............. Paladar.
humilde), com um Vau (Fluxo Divino)
Número ........... 90 (Final: 900)
cunhado dentro.
Caminho .......... 28 – Netzach / Yesod
Espaço ..............Cabrito (Capricórnio).
Atu ................... O Imperador
Alma..................Fígado.
Sentido .............Raiva.
Número.............. 70
Caminho ...........26 – Tiphareth / Hod
Atu ....................O Diabo
Qoph
Tradução.......... Nuca
Transliteração.. Q
Correlação ....... Peixes
ou Pe Conceito .......... O paradoxo da santidade: a
Tradução ..........Boca expropriação da força de vida Divina
Transliteração ..P transcendente pelo reino material.
Correlação ........Marte Significados...... Um macaco; cercar; tocar; força; o
Conceito ...........Comunicação oral do conhecimento. fundo de uma agulha (em Aramaico).
Significados ......Uma Boca.
14
Formato............Um Resh que paira (transcendência Alma................. Cabeça.
Divina) suspensa acima de um Zayn Qualidade ........ Amor expresso como o fogo.
(centelhas caídas de santidade). Número ............ 300
Espaço ..............Peixes. Caminho .......... 31 – Hod / Malkhut
Alma..................Baço. Atu ................... O Eon
Sentido .............Risada.
Número .............100
Caminho ...........29 – Netzach / Malkhut
Atu ....................A Lua Tav
Tradução.......... Cruz
Transliteração.. T
Correlação ....... Saturno
Resh Conceito .......... A impressão de que a fé na
Tradução ..........Cabeça onipresença de Deus faz sobre
Transliteração ..R experiência da realidade no supra
Correlação ........Sol consciente da pessoa.
Conceito ...........A capacidade de iniciar o processo de Significados...... Um sinal; uma impressão; um código;
retificar o "yesh" ("algo", fisicalidade) mais (em Aramaico).
da Criação. Formato ........... Um Daleth fazendo uma impressão na
Significados ......Cabeça ou início; um homem pobre. coroa de um Nun.
Formato............A parte de trás da cabeça em perfil Espaço.............. Júpiter
lateral. Alma................. Boca.
Espaço ..............Saturno. Dom ................. Graça.
Alma..................Narina esquerda. Número ..............400
Dom ..................Serenidade. Caminho .......... 32 – Yesod / Malkhut
Número.............. 200 Atu ................... O Universo
Caminho ...........30 – Hod / Yesod
Atu ....................O Sol

Shin
Tradução ..........Dente
Transliteração ..Sh (som de “x”)
Correlação ........Fogo
Conceito ...........O mistério de como a bruxuleante
inconstância de todas as coisas
emanam de uma Fonte eterna e
invariável.
Significados ......Um dente; um ano; mudança;
escarlate; serenidade; dormir;
ensinar; dois; afiado; velho; vice-rei.
Formato............Três Vau levantando-se
simetricamente como chamas, de um
único ponto na base.
Espaço ..............Céu.
15
número da verdade e todas as palavras
terminadas em 9 são consideradas verdadeiras.
As letras Hebraicas também são intimamente ligadas
aos números. Da mesma forma que Pitágoras viria a 11 ....Não é considerado um número bom pelos
assumir séculos depois, os cabalistas dizem que o cabalistas, pois somado dá 2 (voltando à divisão).
Universo é numérico e dentro deste estudo Como são 10 as Sephiroth, representando a
associativo de letras e números encontram-se os totalidade, o 11 seria um passo além deste todo,
métodos da Gematria e da Temurah. Por exemplo, é levando a Daath, a 11 a. Esfera. Esta esfera não é
através da Gematria que são selecionados os considerada como realmente existente pelos
alimentos ditos kosher – todos eles, quando têm seus cabalistas, podendo simbolizar o Conhecimento
nomes vertidos para o Hebraico e feita sua Gematria e também o Abismo, e assim levar o estudioso
obtém como resultado o número 7 (Zayn). tanto a um grande salto espiritual, ao
entendimento, quanto ao abismo da decadência.
Cada número possui uma representação,
Contudo, na visão thelêmica, representa a
normalmente ligada à letra que o define. Eis algumas:
Grande Obra, junção do 5 e do 6 (Mic ro e
1 ......É a Unidade, representa o número de Deus. Macrocosmos), e desta forma, adquire grande
importância, juntamente com Daath.
2 ......Não é considerado um número positivo por
representar a divisão (por isto o cabalista faz 12 ....São doze as Tribos de Judá. São doze as
rituais de proteção na segunda-feira). É o constelações do Zodíaco. Foram doze os
segundo dia da Criação. Note-se que em todo os Apóstolos do Cristianismo. Este é um número
dias, quando Deus termina aquela etapa ele diz ligado ao crescimento espiritual, representando
11 uma comunhão perfeita, uma manutenção da
“e vi que era bom e assim se fez” , menos no
segundo dia. Pois a divisão é o que leva ao energia espiritual como um todo. É interessante
conflito. que muitas das associações humanas formadas
em conjuntos de 12 membros na verdade
5 ......São cinco os livros da Torah. É considerado um possuem um total de 13 pessoas, pois aos 12
número de sabedoria. Um cabalista, ao tomar básicos é somado um líder (12 apóstolos e um
uma decisão difícil conta até cinco. Também é o Messias, 12 membros de um Coven Wicca e um
número de elementos filosóficos: Água, Terra, líder, as 12 Tribos e Mosheh, os 12 Cavaleiros da
Ar, Fogo e Espírito. Assim, é também uma Távola Redonda e o Rei Arthur).
representação do Microcosmo.
40 ....É outro número que repete-se
6 ......Representado pela Estrela de Davi, o hexagrama consideravelmente. São quarenta os dias do
formado por um triângulo ascendente e um Dilúvio de Noah, foram quarenta anos passados
descendente, representa a natureza dual da pelos judeus no deserto, para os cristãos, Jesus
realidade fenomênica em harmonia. Sendo que passou quarenta dias sendo tentado pelo
cada uma de suas pontas rec ebe um dos Planetas demônio no deserto. É um número ligado à
Clássicos (Lua, Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e maturidade. Muitos dos rituais cabalísticos são
Saturno) com o Sol em seu centro, é uma feitos durante 40 dias.
representação do Macrocosmo.

9 ......Emet é a palavra hebraica para “verdade” e sua


composição gemátrica soma 9. Este é, assim, o

11
T emos com esta frase um conceito interessante, como se Deus,
na verdade, estivesse experimentando o que fazia e
concretizando-as apenas quando estas se mostrassem “boas”.
16
São também de suma importância as ligações entre os • V =6
números de 1 a 10 (ou 11) e as Sephiroth da Otz Chain, • Kaph
bem como entre as letras e os Caminhos da Árvore. • K = 11
• A =1
Os principais relacionamentos dos números estão • V =6
ligados aos significados das letras a eles associados,
• Vau
bem como das eventuais Sephiroth ou caminhos.
• V =6
• A =1
As ferramentas para o estudo das letras e das palavras
• V =6
são três: a Gematria, a Temurah e o Notarikon. Os
cabalistas clássicos em geral especializam-se ou nos Assim sendo, o Valor Integral deste nome é (10 + 6 +
dois primeiros, sendo o Notarikon de uso mais
4) + (1 + 12 + 6) + (11 + 1 + 6) + (6 + 1 + 6) = 70
frequente entre os cabalistas europeus.
Outros dois processos complementares são o da soma
final (para valores gemátricos maiores que 9, quando
A Gematria é o estudo das relações numéricas entre se deseja trabalhar nas Sephiroth, ou 22, quando se
as palavras. O processo, simples, consiste em se tomar quer trabalhar com a Otz Chain completa ou com os
uma palavra Hebraica (ou vertida para o Hebraico) e Atus) e do Número Mágico (obtido somando-se todos
fazer-se a soma dos valores numéricos de todas as os números de 1 até o valor gemátrico 12 ). Deste
suas letras. Isto resultará no Valor Normativo (mispar número duas ideias podem ser encaminhadas. A
hechrachi) daquela palavra. Outro cálculo de valor primeira é a que palavras que possuam o mesmo valor
gemátrico que pode ser efetuado é o do Valor Integral gemátrico possuem energias similares sendo,
(mispar milui), obtido pela soma dos Valores portanto, correspondentes. Outro uso que pode ser
Normativos das letras Hebraicas que compõem a dado é pela associação entre o valor gemátrico e a
palavra já transliterada. Letra Hebraica que lhe é correspondente. Desta
forma, uma palavra que tenha o valor da letra Shin
Um exemplo. O nome Yakov pode ser transliterado (30 0 ) será relacionada às energias do Fogo, do Sopro
como YAKV. Os valores das letras são: de Deus.

• Y = 10 Uma forma simplificada de Gematria utiliza apenas a


• A =1
primeira letra da palavra. Isto foi visto no estudo da
• K = 11 Criação, quando a letra Beth é exaustivamente
• V =6 analisada à custa da palavra Beresht. Pode-se utilizar
aqui um outro exemplo do estudo desta palavra, cujo
Isto nos dá um Valor Normativo de 10 + 1 + 11 + 6 =
valor gemátrico é 62 = 8, que nos leva à letra Cheth.
28. Já o cálculo do Valor Integral é mais complexo:
Esta letra significa “cercado”, o que traz a ideia de que
• Yod = a Criação foi um ato de delimitação do Todo. O
• Y = 10 Número Mágico de 8 é 36 = 9. Com isto temos que
• O=6 bereshit é uma palavra Verdadeira, ou seja, que há um
• D=4 sentido na Criação.
• Aleph =
• A =1
• L = 12

12
Isto significa que o Número Mágico é uma P.A. (progressão
Nm = [(1 + G)  2] x G, onde Nm é o Número Mágico e G o
aritmética) de 1 até o Número Mágico com passo igual a 1.
Desta forma, o N.M. pode ser facilmente obtido pela fórmula valor gemátrico.
17
A Temurah é um processo que analisa uma palavra
Hebraica e extrai as palavras que estão “dentro” dela.
Através deste processo podem-se identificar os
componentes energéticos de uma palavra, ou seja, de
um conceito. As ideias incorporadas a um c erto
processo podem ser também assim determinadas.
Este é um método de trabalho mais complexo que a
Gematria pois exige um profundo conhecimento do
idioma Hebraico e um vaso vocabulário, além do
conhecimento das combinações possíveis das letras.

Utilizando novamente a palavra bereshit como


exemplo, podem ser tiradas (dentre outras):

• Barah sht: “criou seis”


• Set: o terceiro filho de Adam e Chavah (Eva).
• Barah: criou
• Beth: casa

O Notarikon é um método, provavelmente advindo da


Temurah, que consiste em dois processos diferentes.
O primeiro é a c riação de uma palavra através das
iniciais de outra. Desta forma a palavra criada aglutina
em si as energias de seus componentes em si. Um
exemplo clássico de um Notarikon está presente no
Ritual Menor do P entagrama: a palavra AGLA (Athah
Gibor Leolam, Adonai – “tua arte, poderoso e eterno,
Senhor”). O outro proc esso é o inverso deste, sendo
mais analítico, buscando-se um grupo de palavras que
possam colocar-se em conjunto para a formação da
palavra que se está estudando. Por exemplo, através
da palavra CASA podemos ter Centro da Alma Sagrada
Ascendente.

O Notarikon é uma metodologia muito utilizada na


formação de pantáculos e fórmulas mágicas, ou como
forma de se ocultar determinados conhecimentos.
Dos três métodos de estudo das palavras, este é o
único que, por ser de origem da Cabalá Europeia, não
está diretamente conectado ao idioma Hebraico.
Entretanto é interessante seu uso em conjunto com os
dois anteriores.
18
O estudo da Otz Chain é o núcleo para a compreensão Há ainda uma décima primeira Esfera, que é Daath
da Cabalá. Nela estão não apenas as relações (Abismo ou Conhecimento). A maioria dos sistemas
numéricas e alfabéticas mas toda a “interfac e” entre o cabalísticos prefere não lidar com esta Esfera, sendo
Divino e o Humano. Já houveram várias que muitos dos quais não a reconhecem como uma
representações gráficas da Árvore da Vida. verdadeira Sephirah. Porém, haja vista sua
Entretanto, desde a Idade Média, a representação importância no sistema thelêmico, iremos lidar
mais tradicional é a que se encontra no Anexo 1 (vide), normalmente com ela.
onde os círculos representam as esferas (Sephiroth) e
Acima da Otz Chain estão os chamados três Véus da
as barras representam os Caminhos.
Negatividade (por ordem de proximidade à Kether):
Outras representações também são conhecidas e
aceitas, dependendo da escola cabalística em 1. Ain: o Nada. Representa tudo aquilo que está fora
da Existência.
questão. Em algumas os caminhos são diferentes.
2. Ain Soph: o Ilimitado. É a representação simbólica
Algumas não utilizam a representação aqui exposta
mas veem as Sephiroth como concêntricas. Por ser o do Infinito e do Eterno, que não têm forma nem
semelhança.
arranjo acima o mais comum iremos utilizá-lo como
base. O estudante, porém, deve buscar conhec er 3. Ain Soph Aur: a Luz Ilimitada. É o princípio da
Criação e da Manifestação, o Caos Primordial de
outras representações da Otz Chain e familiarizar-se
onde emanam todos os potenciais de Kether.
com sua representação e sua simbologia particular.

A simbologia destes Véus é a do que encontra-se total


De modo geral, a Otz Chain representa o fluxo de
e completamente fora de nosso alcanc e, seja
energia do poder divino à matéria, bem como os
intelectual ou espiritual. Tanto para o Ser Humano
caminhos de ascensão que o cabalista deve percorrer
quanto para Deus o ponto máximo passível de
para enfrentar esta manifestação divina em cada nível.
compreensão do Divino, bem como o primeiro estágio
Este fluxo segue pelos Caminhos, manifestando-se em
cada uma das 10 Sephiroth, cujo significado literal é: de compreensão do Material encontra-se em Kether.
Fora estes limites, de Ain Soph Aur para cima, não nos
# Nome Significado é dado compreender ou mesmo perceber por
1 KThR (Kether) Coroa qualquer meio conhecido. Diz-se que aos que chegam
2 ChKMH (Chokhmah) Sabedoria ao ponto além de Kether ocorre a dissolução no vazio
3 BYNH (Binah) Entendimento da Luz de Ain Soph Aur e que se há algum retorno de
4 ChSD (Chesed) Piedade então, certamente não é sob qualquer compreensão
5 GBVRH (Geburah) Severidade anterior.
6 ThPARTh (Tiphareth) Beleza
7 NTzCH (Netzach) Vitória
8 HVD (Hod) Glória
O estudo da Otz Chain envolve sua divisão em dois
9 YSVD (Yesod) Fundação
conjuntos de três. O primeiro destes é a divisão feita
10 MLKVTh (Malkhut) Reino
na vertical, onde se nota a composição do diagrama
Cada Sephirah representa um determinado estado de em três colunas distintas. Cada coluna destas é
consciência, compreensível e estudado através de sua classificada de acordo com as Esferas que a compõe e
simbologia própria. Já os Caminhos correspondem aos assume a seguinte simbologia:
estados intermediários entre dois estados de
consciência e são chamados de “Inteligências de
Deus” pois é neles que se manifesta a divindade.
19
Severidade Equilíbrio Misericórdia Homem Primordial, criado à imagem de Deus, Adam
KETHER Kadmon.
BINAH [DAATH] CHOKHMAH
GEBURAH CHESED Cada um destes possui inumeráveis componentes.
TIPHARETH
Estes mundos são aspectos de 5 Sephiroth e as
HOD NETZATCH
energias que são trabalhadas nestes cinco mundos são
YESOD
chamadas: Yechidah (Individualidade), Hayah (Vida),
MALKUT
Neshamah (Alma), Ruach (Espírito) e Nephesh
Associações
“O Caminho (Espírito Primitivo). Pois a luz de Yechidah irradia no
Direita Esquerda mundo do Homem Primordial (Adam Kadmon), a luz
Direto”
Feminino Hermafrodita Masculino de Hayah irradia no mundo da Emanação, a luz de
Passivo Unificador Ativo Neshamah irradia no mundo da Criação, a luz de
Negativo Equilíbrio Positivo Ruach irradia no mundo da Formação e a luz de
Severidade Misericórdia Nephesh irradia no mundo da Ação.
Intuição Intelecto
Todos estes mundos e tudo que está contido neles,
está incluído no Nome Sagrado YHVH e no ponto
Nota-se claramente que os Pilares laterais são superior do Yod. O homem é incapaz de conhecer o
basicamente representações de polaridades primeiro mundo, que é de Adam Kadmon. Portanto
enquanto o Pilar Central manifesta o equilíbrio entre ele é aludido apenas no ponto superior do Yod do
os opostos. Nome Sagrado, e não se pode falar a respeito dele;
não por uma questão de proibição, tabu ou tradição
Uma outra divisão da Otz
mas apenas por que nossas mentes não conseguem
Chain é feita nos níveis
conceber símbolos para os conceitos ali encontrados.
horizontais do diagrama. Esta
divisão se dá a partir das Assim nós somente mencionamos os 4 mundos da
correspondências com o Emanação, Criação, Formação e Ação ou Realização. O
Tetragrammaton, ou IHVH. Yod é Atziluth, o He é Briah, o Vau é Yetzirah e o He
Como cada uma das quatro mais baixo é Asyiah.
letras do “nome indizível” de
Deus está associada a um Estes cinco mundos, desta forma, contém toda a
elemento, esta divisão existência espiritual desde os Véus do Vazio até este
costuma ser chamada de “Os mundo presente. Entretanto, cada um deles contém
Quatro Planos Elementais”: todos os outros. De fato, cada um dos mundos contém
todos os cinco mundos, nominalmente as cinco
Estes quatro planos são (de cima para baixo): Sephiroth : Kether, Chokhmah, Binah, Tiphareth e
Malkhut13 , incorporando dentro delas os conceitos de
1. Atziluth (ATzYLVTh): Emanação
Nephesh, Ruach, Neshamah, Hayah e Yechidah, que
2. Briah (BRYAH): Criação
correspondem aos cinco mundos.
3. Yetzirah (YITzYRH): Formação
4. Asyiah (OShYH): Ação ou Realização. Fora destas cinco Sephiroth, que são encontradas em
cada um dos cinco mundos, existem também os
Tradicionalmente, considera-se que acima destes
quatro aspec tos espirituais: Inanimado, Vegetativo,
quatro planos está um quinto, que é o plano do
Animal e Humano. A Alma (Neshamah) é o aspecto
Humano; os Anjos constituem o aspecto Animal; os

13
Aqui também chamada de Gulph, o corpo humano físico.
20
aspectos Vegetativos são chamados de Trajes, e os Chokhmah –, e a raiz de todos eles correspondem a
aspectos Inanimados são chamados de Átrios, e eles Kether, a Coroa.
são distinguidos como vestindo uns aos outros.
Finalmente cada simples membro de todas as espécies
Assim os aspectos do Humano, nominalmente as inclusas nas categorias Inanimado, Vegetativo, Animal
Almas (Neshamoth) da humanidade, são vestidas em e Humano, está presente nos quatro aspectos de
torno das cinco divinas Sephiroth - Kether, Chokhmah, Inanimado, Vegetativo, Animal e Humano. Assim
Binah, Tiphareth e Malkhut. qualquer ser humano individual, possui os quatro
aspectos de Inanimado, Vegetativo, Animal e
Os aspectos do Animal, nominalmente os Anjos,
Humano, que são as quatro partes do “desejo de
vestem as Almas (Neshamoth); e os aspectos
receber” que está dentro dele, e no qual o “ponto” da
Vegetativos, que são os Trajes, vestem os Anjos; os
Alma (Nephesh) sagrada, está vestido.
aspetos do Inanimado, nominalmente os Átrios,
embrulham (são enrolados em torno) de todos estes. Há ainda uma outra forma de se representarem estes
Este “ser enrolado sobre outro” é assumido, tanto mundos, que é consiste em se colocarem quatro
quanto como todos fazem uso uns dos outros e se representações da Otz Chain uma por sobre a outra.
desenvolvem um a partir do outro. Desta forma, Malkhut de Atziluth torna-se Kether em
Briah e assim por diante.
Os aspectos Inanimado, Vegetativo, Animal não
possuem existência por si mesmos, mas só existem Uma última representação dos Quatro Mundos
para que o quarto aspecto, que é a espécie humana, Elementais é chamada de “A Escada de Yakov”. Nesta
possa se desenvolver e se elevar por meio destes; representação, as Sephiroth estão sobrepostas abaixo
assim seu único propósito é servir e ser útil ao homem. de Geburah e Chesed: Tiphareth de Atziluth tornando-
se Kether de Briah e assim por diante.
O mesmo é verdade para todos os mundos espirituais
em que os aspectos Inanimado, Vegetativo e Animal
se encontram; eles somente existem para servir e
serem úteis ao aspecto Humano que é a Alma
(Neshamah) do homem. Portanto, todos eles são
vestidos sobre a Alma (Neshamah) do homem.

Assim que o homem nasce, ele possui um aspecto


sagrado: a Alma (Nephesh). Não a Alma por si mesma,
mas o aspecto mais escondido da Alma (Nephesh),
que é o último de seus aspectos; chamado, por causa
de sua instantaneidade, de “ponto”. Este ponto é
vestido no coração do homem, o que é o mesmo que
dizer, no “desejo de rec eber” (desejo da Cabalá) que
está dentro dele, e que se manifesta principalmente
no coração do Ser Humano.

As cinco Sephiroth estão presentes no todo da


existência, estão também presentes em cada um dos
mundos e mesmo em cada parte, por menor que seja,
destes mundos.

O mundo atual é dividido em 4 aspectos Inanimado,


Vegetativo, Animal e Humano, e a eles correspondem
quatro Sephiroth – Malkhut, Tiphareth, Binah e
21
É interessante notar que esta é uma das poucas • Chesed: o perdão, a misericórdia.
representações em que Daath é claramente mostrada • Binah: o entendimento
como presente na Otz Chain. • Chokhmah: a sabedoria
• Kether: a iluminação.
Com isto podemos começar a compreender o
conceito de Daath como uma Sephiroth “fantasma”.
Pela natureza interpolada da Escada pode-se notar
que a Yesod de Atziluth torna-se a Daath de Briah e daí
Tal como a ligação entre a Otz Chain e o espírito existe
por diante. E justamente Yesod é considerada como a
uma ligação entre ela e o corpo físico15 . Cada parte de
Sephiroth ligada às ilusões. Desta forma, o
nosso corpo está conectada a uma Sephira, dentro do
Conhecimento de Daath tornar-se-ia o Abismo onde o
seguinte esquema:
ser humano se perde em ilusões14 .

• Malkhut – pés e pernas: Energias circulando por


estas áreas fortalecem a ligação do indivíduo com
Como já foi visto, a Otz Chain é um esquema que pode o mundo material.
ser aplicado a várias ideias, desde estudos espirituais • Yesod – órgãos sexuais: Trabalha-se nesta área
à administração de uma empresa. Encontrar o quando se deseja um fortalecimento da relação
esquema da Otz Chain em todas as coisas é uma das com o inconsciente, trazendo-o mais à tona.
chaves para o estudo da Cabalá. Com isto pode-se • Hod – mão direita ou quadril direito:
localizar um determinado evento ou uma certa Tradicionalmente esta é a mão de controle, é a
situação nas Sephiroth e ter uma ideia dos caminhos a mão que oferece ou ataca. Trabalha-se esta área
serem tomados e para onde eles levarão. Assim o quando se deseja um controle maior da
sendo, uma parte do estudo da Cabalá refere-se ao capacidade de interpretação, de comunicação com
estudo do próprio Ser Humano, vendo este não o mundo.
apenas em seus componentes físicos mas também nos • Netzach – mão esquerda ou quadril direito: Está
mentais e espirituais. Isto já pode ser verificado no ligada aos sentimentos. Trabalha -se esta área
estudo das três divisões do Adam Kadmon. Entretanto quando se deseja um maior controle sobre os
há uma forma mais completa de se ver isto, em mesmos. É uma área de rec ebimento, em oposição
relação a cada ser humano. A este estudo aqui à mão direita.
denominamos Antropologia Cabalística. • Tiphareth – plexo solar: É trabalhada com dois
objetivos. Sendo o centro da Otz Chain e o centro
De forma geral, pode-se organizar a estrutura humana
de nosso corpo pode ser trabalhada em busca de
da seguinte maneira:
equilíbrio físico, psíquico ou espiritual. Por estar
• Malkhut: o corpo físico e suas percepções. ligada ao aparelho digestivo pode também ser
• Yesod: o inconsciente, onde habitam os medos e trabalhada de forma a trazer uma consciência
os temores (as Qliphot). alimentar tratar doenças nesta área.
• Hod: o intelecto, a palavra, a comunicação com o • Geburah – ombro direito: Esta área está ligada à
mundo nossa força de ataque, de atuação e conquista, de
• Netzach: os sentimentos, a emoção luta. Trabalha-se em busca de uma consciência do
• Tiphareth: é o senso de equilíbrio, o uso da espada em nossas vidas, sua força de
gerenciamento de nós mesmos. transformação.
• Geburah: nossas cobranças, o superego junguiano.

14
Halevi, Zev ben Shimon [Kenton, Warren], “Adam and the 15
As ligações entre a Otz Chain e o corpo físico são utilizadas na
Kabbalistic Tree”, pp. 324-325; e “Kabbalah and Exodus” técnica de cura cabalística chamada Tikun (Correção), que visa
(1980), pp. 18-26. restabelecer o equilíbrio entre as Sephiroth do corpo ou
trabalhar uma área específica com determinado fim.
22
• Chesed – ombro esquerdo: Esta é a área ligada à Malkhut. Desta forma, tem-se em Kether a Ideia
força que fazemos ao puxar algo, ou seja, aquela Primeira de onde tudo emana.
que utilizamos para trazer o universo para dentro
de nós. Trabalha-se para se obter uma consciência Outras Definições:
maior do senso de justiça. • Coroa Superior
• Binah – face direita / Chokhmah – face esquerda:
• Chokhmah Penimit (Sabedoria Interior)
Da mesma forma que não se pode separar o rosto
• Mahshavah Elohit (Pensamento Divino)
fisicamente não se deve trabalhar estas duas • Espírito de Deus
forças em separado mas sempre em conjunto.
• Raiz das Raízes
Sendo Binah a força feminina da Otz Chain e
• Sabedoria Misteriosa
Chokhmah a força masculina, esta área, • Ponto Primitivo
corresponde, respectivamente, a Shekinah e a • “Cabeça Branca”
Adonai. Trabalha-se esta área quando se deseja
• Vontade
um maior contato com a espiritualidade, com a • Ehyeh Asher Ehyeh (Eu Sou o que Sou)
presença divina.
• Kether – acima da cabeça: Estando diretamente
Atribuições:
ligada às forças divinas, trabalha-se esta área de
1. Imagem: um velho barbado, visto de perfil
modo a ampliar a relação com nossos dons
2. Nome Divino: EHEIE
espirituais.
3. Experiência Espiritual: a União com a Divindade
Normalmente o trabalho com a representação 4. Virtude: Consecução, a realização da Grande Obra
orgânica da Otz Chain é feita pela visualização de um 5. Correspondências: o crânio, a Centelha Divina
raio de luz branca que percorre, nas correspondentes
áreas do corpo, o caminho da Espada Flamejante.
É a primeira Sephira a poder ser realmente
compreendida. Nas Escrituras Judaicas é dito que
estava com Deus até a Criação. Por isto é considerada
como sendo a totalidade de todas as coisas que vieram
da Criação, sendo associada à Torah Primordial, o
esquema geral da existência. De Chokhmah diz-se ser
Esta é a primeira das Sephiroth, a mais próxima aos
o repositório das ideias e conceitos da Divindade. Por
Véus do Desconhecido (Ayn, Ayn Soph e Ayn Soph
ser a força ativa da Divindade, é associada ao conceito
Aur). Assim sendo, diz-se que “coroa” todas as outras.
de Abba16 no que concerne ao restante das Sephiroth
Diz-se também que esta Sephira localiza-se na região
Assim o sendo, é aqui que as ideias nascidas em Kether
limítrofe entre o mundo e o Infinito, atuando como
iniciam a tomar forma.
uma “barreira” entre as outras Sephiroth e os Véus. É
também o princípio divino que situa-se ao topo do
Pilar Central, conhecido como a Vontade de Deus. Outras Definições:
Kether é tão associada aos Véus quanto ao Nome de • Revelação
Deus revelado a Moshe (“Eu Sou o que Sou”). Mais do • A Torah Primordial (existente antes da Criação)
que apenas uma Sephira, Kether é a própria • Pai
representação da Divindade que inicia seu caminho • Yesh me-ayn (Vindo do Nada)
pela Espada Flamejante até a manifestação em • Início
• YAH

16
Pai
23
• YAWH  Nome Divino: IHVH Elohim
 Experiência Espiritual: a Visão da Dor
Atribuições:  Virtude: Silêncio

 Imagem: uma figura masculina barbada


 Nome Divino: IHVH
 Experiência Espiritual: a Visão da Divindade, face Esta Sephira representa o amor e a misericórdia

a face dentro da filosofia cabalística. É o aspecto ativo,

 Virtude: Devoção doador da Divindade, irradiando sua infinita essência.


Representa o Amor Verdadeiro, irrestrito

Binah possui uma correlação com Chokhmah, Outras Definições:


tomando os princípios gerais e conceitos desta e  Graça
definindo-os, diferenciando-os em distintas  Amor de Deus
entidades. Dá também uma “vestimenta” a Chokhmah  Braço Direito de Deus
através do nome Elohim, o qual manifesta-se através
das sete Sephiroth restantes. Estas sete são por isto Atribuições:
conhecidas como o “corpo” de Atziluth, bem como
 Imagem: um poderoso rei em seu trono
“Os Sete Espíritos de Deus”. É também a contraparte
 Nome Divino: EL
feminina de Chokhmah. Sabedoria e Entendimento
 Experiência Espiritual: a Visão do Amor
são ditas pela sabedoria cabalística como
 Virtude: Obediência
interdependentes. Por sua natureza feminina, Binah é
considerada como a fonte das almas. É a esfera
superior do Pilar da Severidade, pois o
Contrapondo-se a Chesed temos, na Otz Chain a
arrependimento provém da real compreensão da
esfera de Geburah, também conhecida como Dim.
responsabilidade pelos atos praticados e pelas
Simboliza tanto a Justiça quanto a Severidade. Sua
decisões tomadas. Em Binah as ideias formadas
principal função é atuar como restritora da força de
primordialmente em K ether e concebidas em
Chesed, dando-lhe definição e limite, o que impede a
Chokhmah encontram sua forma ideal final e
Luz da Divindade de tomar para si todo o espaço
começam movimentar-se do Mundo Arquetípico para
existente na Criação.
o Mundo da Criação, saindo da Tríade Superna.

Outras Definições:
Outras Definições:
• Força
 Intelecto
• Severidade
 Teshuvah (Arrependimento)
• Pechad (Medo de Deus)
 Razão
• Braço Esquerdo de Deus
 Palácio
• Vermelho
 Templo
• YAH
 Útero
 Mãe Superna
Atribuições:
 Yerushalom Acima
 Imagem: um poderoso guerreiro em seu carro
 Liberdade
 Nome Divino: Elohim Gibor
 Jubileu
 Experiência Espiritual: a Visão do Poder
 Virtude: Energia, Coragem
Atribuições:
 Imagem: uma mulher madura, uma matrona
24
final contra os obstáculos tanto na materialização das

Tiphareth e Malkhut são consideradas as duas ideias no Caminho da Espada Flamejante quanto na
subida espiritual do Caminho da Serpente.
principais Sephiroth abaixo da Tríade Superna, lidando
com o mundo em que vivemos. Isto se dá,
principalmente, por causa da relação entre esta Outras Definições:
Sephira e a imagem arquetípica do noivo, remetendo  Eternidade
ao IHVH e ao Casamento Alquímico. Tiphareth é  Profecia
também a esfera central na O tz Chain, envolvendo a  Orquestramento
unificação das Sephiroth e o Nome de Deus, motivo  Iniciativa
pelo qual também é associada ao conceito de  Persistência
Harmonia. É também relacionada fisicamente ao Leste  Bitachon (Confidência)
geográfico, a direção do Tabernáculo do Templo.  As Hostes de YHWH
Junto a Chesed e Geburah, forma a Tríade da Alma
Divina, atuando como ponte entre o Homem e a
Atribuições:
Divindade.
 Imagem: uma mulher nua
 Nome Divino: IHVH Tsabaoth – O Senhor dos
Outras Definições: Exércitos
 Harmonia  Experiência Espiritual: a Visão da Beleza
 Rahamim (Compaixão) Triunfante
 Os atributos da misericórdia  Virtude: Desprendimento
 A Torah Escrita
 Casamento
 Filho Está associada à alma continuamente avançando, com
 Rei perseverança e determinação. Também ao
 Pai conhecimento de um propósito superior para a vida.
 Noivo Juntamente com Netzach, são considerados, “dois
 Esposo corpos para a mesma alma”, pois estas duas Sephiroth
 Mashiach (Ungido) atuam de forma conjunta como “filtros” para as
 Tabernáculo/Templo energias emanadas de Chesed e Geburah. Também
 Paraíso são consideradas como condutores através dos quais
 Criado a Essência Divina converge das Sephiroth superiores
 Portão da Retidão para as inferiores. Por este motivo, são consideradas
 Sol as fontes das profecias.
 Grande Nome
Outras Definições:
Atribuições:  Majestade
 Imagem: um rei majestoso, uma criança, um deus  Esplendor
sacrificado  Reverberação
 Nome Divino: IHVH Aloah Va Daath  Profecia
 Experiência Espiritual: a Visão da Harmonia  Rendição
 Virtude: Devoção à Grande Obra  Temimut (Sinceridade)
 Âncora

Esta é a primeira Sephira associada ao “Segundo Atribuições:


Paraíso”, o Reino dos melachin Está ligada à vitória  Imagem: um hermafrodita
25
 Nome Divino: Elohim Tsabaoth – O Deus das quanto do Esquerdo. Está associada a Chokhmah por
Hostes ser a última Sephira daquelas compreensíveis (ou seja,
 Experiência Espiritual: a Visão do Esplendor abaixo de Kether).
 Virtude: Veracidade
Outras Definições:
 Atarah (Diadema)
Yesod atua como um canal para o poder e a luz  Reinado
procedente das Sephiroth anteriores, trazendo-os
 Shekinah (Presença)
para Malkhut O conceito de Tzadik provém do  Sabbath
Provérbio que diz que “os justos serão o Pilar do
 Coroa Inferior
mundo”. Por estas carac terísticas, Yesod está
 Atributo da Justiça
associada a Tiphareth, sendo a força que procede à
 Assembléia de Israel
união alquímica entre a Noiva e o Noivo. Está
 Corte de Deus
intimamente ligada a Hod e Netzach, sendo a
 A Torah Oral
representação dos aspectos mais “físicos” da
 Noiva
Divindade. Por ser a conexão direta entre o mundo
 Esposa
físico e o espiritual está também ligada às ilusões
 Mãe Inferior
criadas pela mente.
 Nome Honorável
 Milagres Ocultos
Outras Definições:
 Terra
 Extremo Inferior dos Paraísos
 Lua
 Tzadik (O Justo)
 Humildade
 Pilar unindo Céus e Terras
 Selo da Verdade
Atribuições:
 Falo
 Imagem: uma jovem coroada, sentada em seu
 Espelho sem Lucidez
trono
 “Todas as Coisas”
 Nome Divino: Adonai Malekth ou Adonai ha Aretz
 Pureza
 Experiência Espiritual: a Visão do Sagrado Anjo
 Ilusão
Guardião
 Virtude: Discriminação
Atribuições:
 Imagem: um homem nu, forte
 Nome Divino: Shadai el Shadai Daath, o Abismo, não é considerada pelos cabalistas
 Experiência Espiritual: a Visão do Mecanismo do como sendo uma verdadeira Sephira mas sim uma
Universo passagem c riada pelo próprio espírito na transição de
 Virtude: Independência uma Sephira a outra. Por esta característica, está
correlacionada ao Entendimento pois representa um
estado em que o Intelecto encontra-se impotente.
Malkhut é a Sephira relacionada diretamente à
Shekinah, a presença Divina visível no mundo. O Reino
de Malkhut é a presença paradisíaca mais próxima ao Cada uma destas esferas é ligada a outras esferas da
mundo físico. Por estar associado à figura da Noiva, Árvore através de 22 caminhos (os quais são ligados às
está diretamente relacionada a Tiphareth. Pode tanto 22 Letras Hebraicas e aos 22 Arcanos Maiores do
estar associada ao Temor quanto ao Amor de Deus Taro), os quais constituem a estrutura interna da Otz
pois, sendo a base do Pilar Central da Otz Chain, é
capaz de assumir características tanto do Pilar Direito
26
Chain. Estes caminhos são, sempre, vias de mão dupla através dos múltiplos v éus que o ocultam. Está
e são numerados de 11 a 32: ligado à letra Beth, responsável pela Criação
por, entre outros motivos, possuir o valor 2 e
# Ligação ser propícia à divisão.
11 Kether / Chokhmah
12 Kether / Binah 13.....Este é o caminho de Gimel, sendo chamado de
13 Kether / Tiphareth “A Noite Negra da Alma”, por atravessar o
14 Chokhmah / Binah Abismo diretamente até Kether. Aqui está
15 Chokhmah / Tiphareth representada a essência da consciência, sendo
16 Chokhmah / Chesed o Caminho que liga o Divino ao Humano (por
17 Binah / Tiphareth isto é também denominado “Luz da Alma”),
18 Binah / Geburah sendo o primeiro ponto onde a Luz do Espírito
19 Chesed / Geburah começa a velar-se
20 Chesed / Tiphareth
21 Chesed / Netzach 14.....Ligando Binah a Chokhmah, este é o Caminho
22 Geburah / Tiphareth da Unidade, a união dos poderes da Força e da
23 Geburah / Hod Forma. É a “Inteligência Luminosa”, a
24 Tiphareth / Netzach “fundação das ideias escondidas e
25 Tiphareth / Yesod fundamentais de Santidade”; sendo que a
26 Tiphareth / Hod
palavra “fundação” retorna à ideia de uma
27 Netzach / Hod
união primal e do começo da Vida. O adjetivo
28 Netzach / Yesod
“luminoso” deriva da palavra Hebraica Aur. Sua
29 Netzach / Malkhut
letra é Daleth, a porta por onde aquilo que
30 Hod / Yesod
31 Hod / Malkhut começa a tomar forma em Chokhmah é

32 Yesod / Malkhut formulado com conceitos ininteligíveis em


Binah.

Vejamos agora algumas associações dos Caminhos: 15.....Este é o Caminho da letra He. No IHVH é o
aspecto feminino, a força criativa e
11.....É associado à letra Aleph e denominado “A sustentadora do Tetragrammaton. Esta letra é
Inteligência Cintilante”. Ele reflete o primeiro o arquétipo da Vida Universal, contendo as
fluxo de influência espiritual advindo de raízes de todos os verbos do idioma Hebraico
Kether. Em Hebraico, a palavra para relativos ao ser.
Inteligência é Saykel (ShKL), que também
significa “perspicácia” ou “consciência”17 . Esta 16.....Este caminho é o da letra Vau. Tanto esta letra
palavra provém da raiz Soke (ShK), que significa quanto a Sephiroth Tiphareth estão associadas
“habitar com” e Kole (KL), que significa “todo” ao número 6, o número da união dos opostos.
ou “o buraco”. Disto pode-se concluir que as A Inteligência neste Caminho é chamada de
Inteligências na Árvore representam, cada “Triunfante” pois “não há outra Glória como
uma, uma categoria de Deus, que estão, cada esta” e por estar “o Paraíso pronto para os
uma, acima do Todo de Deus. Justos”.

12.....Este é chamado de “Inteligência Transparente” 17.....Este caminho, o da letra Zayn é o da


e representa a mais alta forma de “Inteligência que Dispõe”, por estar ligado à
conhecimento espiritual, refletindo a perseverança. Esta perseverança coloca
habilidade de se ver a imagem do Indefinível sentimentos, pensamentos e ações em

17
No sentido de “ter conhecimento”.
27
harmonia com a ordem universal, um processo Superior. Liga a Misericórdia aos desejos de
que exige uma aguda disc riminação das coisas. Netzach, podendo ser a fome profunda que
A numeração do verbo em Hebraico para jamais é satisfeita.
“matar, sacrificar” (ZBCh) é também 17, o que
22.....A ele é atribuída a letra Lamed. Aqui é feita a
implica em Tiphareth como um ponto de
mediação entre a radiância de Tiphareth e as
partida (ou a esfera do Deus Sacrificado). Há
chamas de Geburah. É o caminho da
uma advertência na interpretação do 17º
“Inteligência Fiel”, onde encontramos a palavra
Caminho que diz a espada pode destruir
Amen (AMN), cujo número é 91 e é a soma de
totalmente esses que viajam pelo Abismo,
dois nomes divinos: IHVH e Adonai.
porque o ego tem que sofrer uma morte total
antes de poder ser reconstituído. 23.....Aqui encontramos a “Inteligência Estável”,
quando o ser humano é tragado pela
18.....A letra deste caminho é Cheth. Isto coloca aqui
Consciência Universal. Sua letra é Mem, cujo
um significado de estruturação da consciência
valor 4 representa estabilidade e estrutura. A
em componentes capazes de percepção e
entendimento. Representa também o palavra “estável”, em Hebraico é Khayam, cujo
valor gemátrico, 160, é o mesmo de Otz. Ou
receptáculo da essência espiritual. Este é o
seja, neste Caminho está também toda a Otz
caminho da “Influência” (ShPO), que também
significa “fluir” ou “abundância” Chain.

24.....A letra para este Caminho é Nun, o peixe,


19.....Este caminho é velado em muitos mistérios,
concentrando as ideias de morte, vida e
sendo chamado de “Inteligência dos Segredos
renovação. É também a “Inteligência
de Todas as Atividades Espirituais”. Passando
Imaginativa”, ligado à criação harmoniosa
por sobre Daath, conecta os dois aspectos mais
dicotômicos das energias divinas: a entre opostos, balanceando Netzach e
Tiphareth.
Misericórdia e a Severidade. Sua letra é Teth, a
serpente curvada até formar um círculo (que os
25.....Caminho da letra Samekh é o da “Inteligência
cabalistas chamam de Theli18 ). das Provações” ou da “Inteligência das
Tentativas”, onde “o Criador testa os
20.....A Inteligência deste Caminho é “Vontade”, que
virtuosos”. O conceito básico deste Caminho é
forma o padrão de todas as coisas. Yod é a letra
o da confirmação das crenças e teorias.
a ele associada, a menor letra do alfabeto
Quando bem trabalhado este caminho provê
Hebraico mas que está presente em todas as
uma iluminação filosófica que destila a verdade
outras. Seu valor (10) é aquele que contém em
dos véus da matéria e da ilusão.
si a soma de todas as coisas e é o número que
contém todo o potencial, pois não há número 26.....Este é o Caminho da “Inteligência
maior que dez que não possa ser reduzido a um Renovadora”, pois é aqui onde tudo é
número menor do que ele. transformado. É dito que sua letra Ayn guarda
muitos mistérios (o próprio nome da Letra está
21.....Estando ligado à letra Kaph, mostra que é
ligado a esta palavra). É quando as aparências
necessário um esforço consciente para se
devem desfazer-se ou criar-se. Sendo o
orbitar entre as forças de Netzach e Chesed.
Caminho que está entre a Beleza e o Esplendor,
Este é o Caminho da “Inteligência
é sempre um caminho ligado ao êxtase.
Recompensadora dos que Buscam” ou a
“Inteligência da Conciliação”, sendo o
mediador entre a Personalidade e o Eu

18
Há aqui uma clara associação com o Ouroboros alquímico.
28
27.....Chama-se este caminho de “Inteligência
Excitante”, pois é onde são consumadas e
A descida de K ether a Malkhut é feita através de um
tornadas perfeitas todas as coisas da Natureza.
caminho em ziguezague pelas Sephiroth, conhecido
Recebe a letra Pe, a boca, onde se mostra que
como a Espada Flamejante (note-se que nem todos os
é o nome que dá forma a tudo. Está também
caminhos da Espada Flamejante seguem os Caminhos
ligado à Força Vital e ao Amor.
da Otz Chain):

28.....A letra Tzaddi, ligada a este Caminho, coloca-o


1. Kether (1) a Chokhmah (2), pelo Caminho 11
em conjunção com a atração das forças
2. Chokhmah (2) a Binah (3), pelo Caminho 14
Supranaturais, com a Esperança e a Aspiração.
3. Binah (3) a Chesed (4), sem passar por nenhum
Também está ligado ao paciente e cuidadoso
Caminho.
caminhar em direção ao conhecimento. Este
4. Chesed (4) a Geburah(5), pelo Caminho 19
Caminho equilibra a Intuição e o Instinto do Eu
5. Geburah (5) a Tiphareth (6) pelo Caminho 22
Superior.
6. Tiphareth (6) a Netzach (7), pelo Caminho 22

29.....Qoph, a letra deste caminho representa a 7. Netzach (7) a Hod, pelo Caminho 27
8. Hod (8) a Yesod (9), pelo Caminho 30
consciência da forma física. Por isto é chamado
de “Inteligência Corpórea”, onde o Espírito e o 9. Yesod (9) a Malkhut (10) pelo Caminho 32

Corpo encontram-se. Este caminho faz a mais


forte conexão entre os conceitos imateriais e
os materiais, principalmente quando estudado
em termos de microcosmo.

30.....Ligando Yesod, a ilusão, a Hod, o conhecimento


puro, este caminho associa-se à letra Resh,
que, por sua vez, está ligada ao “despertar”. É,
assim, um caminho de grande inspiração
visionária, de descobertas. Também é
devotado às sensações físicas com o propósito
de regeneração da personalidade. É chamado
de “Inteligência Coletiva” por sintetizar e
adaptar todas as outras formas de consciência,
administrando as leis que regem a realidade.

31.....Ligado à letra Shin, o fogo criador, o Sopro de


Deus (Ruach Elohim) este caminho está
diretamente ligado às Inteligências ígneas da
própria natureza divina. Ligando o mundo físico
de Malkhut ao mundo racional de Hod, este
Caminho é feito mais de intelecto do que de
emoção

32.....Chamado de “Inteligência Administrativa”, este


Caminho gerência os componentes da Criação,
mantendo a realidade em seu curso. Sua letra
é Tav, a última letra, mostrando que este é o
caminho final da Criação.
29
 Arquétipos da Árvore da Vida. Compton,
Madonna
 Árvore da Vida, A. Um Estudo Sobre Magia.
Regardie, Israel
 Cabala Mística, A. Fortune, Dion
 Espada e a Serpente, A. Dennings, Melita &
Philips, Osborne
 Essencial da Cabala, O. Matt, Daniel C.
 Jardim das Romãs, O. Regardie, Israel
 Liber 777 e Outros Trabalhos Cabalísticos de
Aleister Crowley. Crowley, Aleister e
Regardier, Israel
 Magia Moderna. Kraig, Donald M.
 Numerologia e o Triângulo Divino. Javane,
Faith & Bunker, Dusty
 Qabala Desvelada, A. Mathers, MacGregor
 Sêfer Ietzirá. O Livro da Criação – Teoria e
Pática. Kaplah, Arieh

• A menos que indicado de outra forma, a sílaba


tônica é sempre a primeira sílaba.
• O M e o N pronunciam-se como em Inglês
(fechando os lábios).
• O H é uma espécie de R gutural suave (como se
fosse “soprado”)
• O R se pronuncia como em “rock”, enrolando a
língua.
• O Tz é junto, fazendo um som sibilante. Como ao
ralhar com alguém: “tsk”.
• O Ch pronuncia-se como em “rio”.
30

Centres d'intérêt liés