Vous êtes sur la page 1sur 19

20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa


A missão da FAIM é criar uma revolução nos cuidados de saúde a
nível mundial.
CasaSobre nósTemas de saúdeEscritores convidadosTópicos de pesquisaRecursosFAQsNovas fronteiras
EventosVídeosboletins informativos

Medicina de energia nos Estados Unidos

Rotas históricas e status atual

Dr. Karl Maret

http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 1/19
20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

Karl Maret, MD, MEng

Breve Perspectiva Histórica de Energias Subtle e Medicina de


Energia
O campo da medicina energética tem uma longa história nos Estados Unidos que remonta a quase dois séculos.
Durante o século XIX, houve um interesse generalizado nos dispositivos de eletroterapia e muitos foram
vendidos em catálogos de pedidos por correspondência. Uma visão geral do desenvolvimento do campo de
eletroterapia pode ser encontrada no livro do Dr. James Oschman, Energy Medicine: The Scientific Basis
(Oschman, 2000). Pequena pesquisa acadêmica foi feita neste campo nos Estados Unidos, depois que o
Relatório Flexner de 1910 levou à revisão da educação e pesquisa da escola médica. A eletroterapia foi
declarada cientificamente insuperável e foi legalmente excluída da prática clínica. Um dos poucos
pesquisadores que fez excelente trabalho foi Dr. Harold Saxton Burrna Universidade de Yale que investigou
campos de energia em sistemas vivos de 1932 a 1956. Ele chamou esses campos L. Seu trabalho foi
considerado fora de progresso com a pesquisa realizada na medicina convencional e na biologia de seu tempo e
poucos pesquisadores continuaram seu trabalho.

Outro pioneiro que estava ativo no início do século 20 foi Albert Abrams MD. Ele se tornou professor de
patologia na Cooper College em São Francisco em 1893 e também foi eleito vice-presidente da California
http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 2/19
20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

Medical Medical Society em 1889. Em 1916 ele publicou Novos conceitos de diagnóstico e tratamento em que
ele descreveu as Reações Eletrônicas de Abrams (ERA). Isso pode ser considerado como o início de métodos
de diagnóstico energéticos sutis. De acordo com a ERA, todas as doenças têm sua própria "taxa vibratória" que
pode ser medida e também tratada, com caixas eletrônicas exclusivas desenvolvidas pela Abrams.

De acordo com sua teoria, pode-se curar a doença ao "transmitir" de volta ao tecido doente a mesma taxa
vibratória sutil que estava "transmitindo". Isso neutralizaria as vibrações anormais e permitiria que o tecido
exibisse taxas vibratórias saudáveis, potencialmente eliminando a doença. Abrams também acreditava que as
drogas funcionavam quando tinham a mesma ou similar "vibrações" que a doença que curavam. Nesta
abordagem da doença, seu pensamento era algo análogo aos ensinamentos de Samuel Hahnemann(1755-
1843), o fundador da homeopatia. No entanto, a metodologia de Abrams sempre envolveu uma pessoa treinada
com ausculta em conjunto com seus dispositivos específicos, como o reflexôfono, e mais tarde o osciloplasma.
O trabalho de Abrams foi uma das primeiras tentativas no século 20 para aplicar o domínio de energia sutil à
medicina e mais tarde levou ao desenvolvimento de "radionics". Esse termo foi escolhido uma vez que
(erroneamente) pensou que o processo envolveu as novas ondas de rádio descobertas (Russell, 2004).

3500 praticantes usavam máquinas Abrams no auge de sua popularidade em 1923. O estabelecimento médico
de seu tempo tentou desacreditar seus métodos porque eles não podiam explicar como uma caixa simples com
resistores poderia ser usada para apresentar resultados válidos. No entanto, nenhuma investigação formal dos
métodos de Abrams nunca foi realizada pela American Medical Association (AMA). Depois de sua morte em
1924, muitos praticantes continuaram usando seus dispositivos e o desenvolvimento foi realizado por George
de la Warr no Reino Unido e Dr. Ruth Drown. Drown foi o último grande praticante de ERA na América. O
campo da radionica não pode ser entendido como agindo através das tradicionais ondas eletromagnéticas
transversais, mas pode ser classificado como uma divisão da medicina vibratória que se tornou popular através
das publicações do falecido Richard Gerber MD que escreveu extensivamente sobre isso (Gerber, 1988;
Gerber, 2000).

Nicola Tesla , o inventor da moderna tecnologia de corrente alternada, também promoveu o uso de correntes de
alta freqüência desenvolvidas por seus dispositivos de bobina Tesla para cura. Em um artigo publicado na
reunião anual de 1898 da American Electro-Therapeutic Association em Buffalo, NY, intitulado Osciladores de
alta freqüência para eletro-terapêuticos e outros fins , ele afirmou: "Quando uma pessoa é submetida à ação
de tal [aumento de força ] bobina, os ajustes adequados sendo cuidadosamente observados, fluxos luminosos
são vistos no escuro emanando de todas as partes do corpo ... logo após a pessoa transpirar livremente ".

Tesla descreveu um tipo único de radiação criado por seus projetos únicos de bobina que pareciam diferir
significativamente das ondas eletromagnéticas transversais convencionais descritas por Heinrich Hertz. As
radiações de Tesla são consideradas análogas às ondas longitudinais, semelhantes às ondas sonoras, e também
foram chamadas de ondas não-hertzianas. Esses projetos de bobina funcionaram produzindo um amplo espectro
de emissões de alta freqüência que pareciam criar condições de ressonância benéficas nos tecidos vivos. Uma
pessoa que aplicou esta tecnologia com projetos únicos de antenas foi o engenheiro de rádio russo Georges
Lakhovsky, que trabalhou em Paris com médicos que curaram câncer na década de 1930. Ele também imigrou
para os Estados Unidos e recebeu patentes para suas aplicações médicas.

Houve também interesse generalizado em fenômenos científicos incomuns, incluindo radiações, radiesthesia e
fenômenos de adivinhação e pesquisa psíquica. Investigações extensas foram realizadas por Joseph Banks
Rhine (1895-1980), que foi pioneiro na parapsicologia nos Estados Unidos. Rhine fundou o laboratório de
parapsicologia da Duke University, estabeleceu o Journal of Parapsychology e criou a Fundação para Pesquisa
sobre a Natureza do Homem em 1962, que foi renomeada pelo Centro de Pesquisa do Reno (RRC) em 1995
(ver mais adiante). O RRC compreende duas subsidiárias: o Instituto de Parapsicologia e a Parapsicologia da
Imprensa. JB Rhine também iniciou a Associação Parapsicológica . Esses fenômenos incomuns foram
resumidos já em 1949 pelo biometeorologista SW Tromp em seu livro histórico, Psychics Physics, que
ofereceu o primeiro compêndio científico do biofield orgânico vivo, o campo geofísico e os efeitos de várias
influências atmosféricas e campos eletromagnéticos em sistemas vivos. Todo esse trabalho pode ser
considerado fundamental para o desenvolvimento posterior da medicina energética.

O termo específico "medicina energética" parece ter sua origem no final da década de 1980. A Fundação John
E. Fetzer de Kalamazoo, MI patrocinou uma conferência internacional de medicina energética realizada de 27
de fevereiro a 1 de março de 1987 em Madras, na Índia. Muitos cientistas americanos participaram desta

http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 3/19
20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

reunião com o patrocínio da Fetzer Foundation. Das mais de 60 apresentações que foram entregues nesta
conferência, 28 apareceram na publicação Energy Medicine em todo o mundo de 1988 editada pelo Dr. TM
Srinivasan. Quase metade dos capítulos deste primeiro livro de medicamentos energéticos foram escritos por
pesquisadores dos Estados Unidos. O Dr. Srinivasan tornou-se posteriormente um investigador da Fundação
Fetzer que trabalha com a Clínica Edgar Cayce em Phoenix, Arizona, colaborando com os Drs. Gladys e
William McGarey e Harvey Grady pesquisam vários fenômenos de medicina energética. Ele também colaborou
com o Dr. Elmer Green da Fundação Menninger em algumas dessas pesquisas. Em 1989, ambos os homens,
juntamente com a Dra. Carol Schneider, fundaram a Sociedade Internacional para o Estudo da Energia Sutil e
da Medicina da Energia (ver abaixo).

O Dr. Elmer Green , considerado por alguns como um dos pais do biofeedback, teve um interesse de longa
data nos fenômenos psíquicos e na psicofisiologia. Em 1970, estudou o Indian Swami Rama na Fundação
Menninger, que subsequentemente levou a uma viagem de campo de 1973 à Índia para realizar pesquisas
fisiológicas sobre uma variedade de swamis, adeptos de yoga, meditadores de trance tibetanos e outras pessoas
com habilidades de auto-regulação incomuns. Durante a década de 1970, houve um intenso interesse em
processos de biofeedback e sistemas energéticos sutis do corpo, incluindo os ensinamentos yóguicos nos
chakras, os numerosos vórtices de energia no corpo descritos em Laya Yoga e outros sistemas yóguicos. O Dr.
Green e seu parceiro Alyce Green escreveram sobre sua visão ampliada da auto-regulação psicofisiológica em
seu livro Beyond Biofeedback (1977).

Das tradições yógicas orientais também vem o conceito expandido de vitalidade ou respiração da vida chamado
"prana", e especialmente os conceitos de múltiplos corpos além do corpo fisiológico da carne e do sangue,
concebidos em vários sistemas como "camadas" com nomes como o corpo etéreo, o corpo astral, o corpo
emocional, o corpo mental e outros corpos espirituais. Uma enciclopédia recente da sutil anatomia energética
dos seres humanos, incluindo a tentativa de algumas explicações físicas quânticas, acaba de ser publicada por
Cyndi Dale intitulado The Subtle Body (2009).

Da alquimia taoísta e da Medicina Tradicional Chinesa (TCM) vem o princípio de Chi ou Qi, com seus ciclos
Cósmico e Microcósmico e flui através dos canais ou meridianos de acupuntura no corpo. As idéias de energia
sutil na forma de energia da vida ou "Chi" começaram a ser mais amplamente apreciadas na América após a
visita do presidente Richard Nixon à China em 1971. Acompanhando o presidente Nixon em sua viagem, o
jornalista James Reston ficou doente com a apendicite e foi tratado com acupuntura após uma operação de
emergência. Impressionado por seus benefícios, Reston escreveu sobre sua experiência de acupuntura após seu
retorno aos Estados Unidos no New York Times, provocando o interesse americano pela acupuntura e medicina
tradicional chinesa.

Desde a década de 1970, tem havido um número crescente de pesquisadores americanos ativos no campo de
energias sutis e medicina energética. Estes incluem o professor William Tiller, o professor emérito da
Universidade de Stanford, o falecido Robert Becker MD, o falecido professor Ross Adey MD, Norman Shealy
MD, o professor Cyril Smith e o Dr. Mae-Wan Ho, ambos do Reino Unido, e para nomear apenas um alguns
dos pesquisadores mais amplamente publicados. O trabalho contemporâneo é descrito com mais detalhes nas
seções a seguir.

O Papel Único de ISSSEEM


A Sociedade Internacional para o Estudo de Energia Sutil e Medicina Energética tem sido continuamente ativa
no campo da medicina energética por quase duas décadas. Esta organização continua a desempenhar um papel
formativo no desenvolvimento do campo das energias sutis e da medicina energética através da publicação de
sua revista Bridges e da revista revista Subtle Energies and Energy Medicine .

A missão da ISSSEEM surgiu do trabalho dos parceiros de pesquisa Dr. Elmer Green e Alyce Green , e seus
colegas de trabalho da Fundação Menninger, então localizados em Topeka, Kansas e envolvendo pesquisas
sobre auto-regulação psicofisiológica. Em 1969, colegas científicos dos Verdes se uniram para fundar a
Biofeedback Research Society, que mais tarde se tornou a Biofeedback Society of America (BSA). Em 1988, a
BSA reidentificou-se como a Associação de Psicofisiologia Aplicada e Biofeedback (AAPB), uma organização
que hoje se descreve como uma "sociedade para interações mente-corpo em pesquisa, saúde e educação".

http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 4/19
20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

Em contraste com as abordagens mente-corpo que se baseavam em mais pesquisas comportamentais e


biomédicas em interações psicofisiológicas, o ISSEEEM representava uma evolução no pensamento e na
investigação científica para incluir uma perspectiva corpo-mente-espírito. Hoje é o lar de ambos os
pesquisadores interessados em explorar a medicina energética no contexto de experiências transcendentes e
unitivas, tanto científicas como pessoais, que também ajudam a avançar as fronteiras da ciência da consciência
humana. Eles definem a medicina energética como a aplicação diagnóstica e terapêutica de "interações
energéticas e de informação resultantes da auto-regulação" ou provocadas por interações entre mente e corpo.
Neste contexto, a energia é dada uma definição expandida além dos conhecidos campos de energia acústica e
eletromagnética que são conhecidos por afetar a biologia humana e a psicologia. Além disso, o termo "energias
sutis" foi introduzido para descrever energias ainda não mensuráveis que pareciam afetar mecanismos
fisiológicos e físicos, talvez através de um sistema de canais sutis, camadas ou bainhas que interpenetram o
corpo físico denso. Esses sistemas de energia sutis foram descritos há séculos em sistemas de cura não-
ocidentais.

ISSEEEM promoveu a idéia de que as energias sutis e a medicina energética são componentes sinérgicos em
um novo campo científico que teve suas raízes nos sistemas médicos orientais e a anatomia sutil descrita nas
tradições esotéricas ocidentais. Como sociedade educacional, o ISSSEEM promove a disseminação da
perspectiva teórica e da pesquisa experimental de ciências biomédicas, físicas e comportamentais. A
conferência anual da sociedade atrai uma audiência internacional e agora é realizada em Westminster,
Colorado, perto de Denver. Há agora 18 volumes do diário da ISSSEEM em publicação e espera-se que em
breve esteja disponível para pesquisas on-line através do banco de dados Index Medicus na US National
Library of Medicine.

Além desta revista dedicada especificamente à medicina energética e à pesquisa de energia sutil, a publicação
Mary Ann Liebert, Journal of Alternative and Complementary Medicine , vem publicando 15 volumes até à
data neste campo de medicina complementar. De tempos em tempos, artigos de pesquisa valiosos em medicina
energética apareceram aqui. O volume 10, número 1 em fevereiro de 2004, foi dedicado especificamente ao
campo da medicina energética e é um excelente jornal que vale a pena ter em qualquer biblioteca de medicina
energética.

US Government Recognition of Energy Medicine


Hoje, a medicina energética é oficialmente reconhecida pelos sistemas de saúde dos EUA como uma sub-
especialidade no campo maior de Medicina Complementar e Alternativa (CAM). O Centro Nacional de
Medicina Complementar e Alternativa (NCCAM), um centro dentro dos Institutos Nacionais de Saúde (NIH), é
a agência líder do governo federal para pesquisas científicas sobre CAM. A missão da NCCAM é "explorar
práticas de cura complementares e alternativas no contexto de uma ciência rigorosa e divulgar informações
autorizadas aos profissionais e ao público". O orçamento da NCCAM aumentou de 2 milhões de dólares em
1993, quando originalmente foi chamado de Escritório de Medicina Alternativa, para US $ 121,6 milhões em
2008.

NCCAM classifica cinco domínios dentro da CAM da seguinte maneira:

1. Sistemas médicos inteiros, como medicina homeopática, medicina naturopática, Medicina Tradicional
Chinesa (TCM) e Ayurveda
2. Medicina mental e mental, como meditação, biofeedback ou cura mental
3. Práticas biologicamente baseadas, como ervas e alimentos especiais.
4. Práticas manipulativas e baseadas no corpo, como quiropraxia, osteopatia e massagem
5. Medicina de energia

De acordo com o NCCAM, a medicina energética é dividida na aplicação de "verdadeiros" campos de energia,
aqueles que podem ser medidos para diagnóstico e tratamento e campos de energia "putativos" (também
chamados de biofields) que desafiaram a medição até a data por métodos reprodutíveis. A energia verdadeira
inclui vibrações mecânicas (como sons); forças eletromagnéticas, incluindo luz visível, magnetismo, radiação
monocromática (como lasers) e raios de outras partes do espectro eletromagnético. Em contraste, as energias
putativas baseiam-se no conceito de que uma forma sutil de energia (energia vital ou força vital) infunde

http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 5/19
20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

sistemas vivos conhecidos nos sistemas de cura tradicionais por muitos nomes como prana, energia etérica,
fohat, orgone, força Odic , mana e ressonância homeopática.

Exemplos de práticas envolvendo campos de energia putativos incluem Reiki e Johrei, ambos de origem
japonesa, a prática chinesa de Qi Gong, Terapia de cura e terapia de polaridade, Toque terapêutico e práticas
relacionadas, cura distante e orações de intercessão. Embora essas abordagens sejam as mais controversas das
práticas de medicina energética da CAM, elas estão ganhando popularidade no mercado americano e se
tornaram assuntos de investigações em vários centros médicos acadêmicos. Uma pesquisa recente do National
Center for Health Statistics indicou que aproximadamente um por cento dos americanos usaram técnicas de
medicina energética, 0,5 por cento usaram técnicas de energia verdadeiras e 4.6 por cento usaram algum tipo de
ritual de cura (CDC Advance Data e Report # 333, 2004) .

A medicina energética, tal como é praticada e estudada, não se restringe ao que o NCCAM inclui em Terapias
Energéticas, mas também se sobrepõe a práticas nos outros quatro campos NCCAM listados acima. Mover
alguma forma de "energia vital" faz parte de todo sistema de cura tradicional desde a antiguidade. O
pensamento científico ocidental desafortunadamente removeu o conceito de "vitalidade" ou "elean vital" da
ciência médica no século 19 e, portanto, teve dificuldade em reincorporar essas idéias que formam uma parte
tão vital dos sistemas de medicina oriental. No entanto, durante as últimas três décadas, os americanos e os
canadenses abraçaram as muitas abordagens terapêuticas oferecidas pelos proponentes desses movimentos de
cura tradicionais.

Todos os anos, quase metade dos americanos usam alguma forma de terapia alternativa, tipicamente como
complemento ou modalidade complementar à medicina ocidental convencional. Escolas de medicina e
hospitais oferecem tentativamente alguns cursos e programas agora em abordagens de CAM. Uma oferta muito
mais ampla está disponível a partir de uma ampla variedade de provedores de serviços alternativos que se
enquadram em uma ampla variedade de nomes, incluindo Humanistic, Holistic, Complementary, Integral,
Quantum Integrative, Alternative e Energy Medicine. A falta de acordo sobre a terminologia comumente aceita,
os padrões de prática, a falta de pesquisa de resultados baseados em evidências suficientes, fundamentos
filosóficos e científicos para a prática, Juntamente com uma orientação geralmente hostil a partir de céticos
científicos baseados em materialismo, levou a alguma medida de fragmentação na comunidade CAM e alguma
confusão pelo público em geral. Isso também se aplica a muitas modalidades usadas por profissionais de
medicina energética. A lista abaixo dá uma indicação da ampla gama de categorias em uso geral em medicina
holística / CAM.

Lista de Especialidades em Medicina Holística / CAM (alguns envolvem aspectos da


medicina energética)
Acupuntura / Acupressão
Antroposofia
Aromaterapia
Ayurveda
Terapia bioeletromagnética
Biofeedback
Medicina botânica
Quiropraxia
Terapias craniosacratas
Terapias de arte criativo
Dieta / Nutrição / Suplementos
Medicina ambiental
Medicina chinesa de cinco elementos
Essências de flores e gemas
Toque de cura
Promoção de saúde
Homeopatia
Hipnoterapia
Imagens
Práticas médicas indígenas

http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 6/19
20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

Práticas de intuição
Massagem
Acupuntura Médica
Meditação
Terapia mente-corpo
Naturopatia
Terapias não-locais
Orgonomia
Medicina Osteopática
Terapia de polaridade
Psychoneuroimmunology
Psicoterapia
Qigong
Reflexologia
Reiki
Relaxamento / redução de estresse
Cura / oração espiritual
Toque terapêutico
Medicina tibetana
Medicina Chinesa Tradicional
Ioga

Embora a CAM, também chamada de Medicina Integrativa por outros grupos, tenha feito consideráveis
estradas na educação médica ocidental convencional nos Estados Unidos, a medicina energética, como tal, não
é amplamente conhecida nas escolas de medicina. No entanto, a medicina energética deve sempre ser
considerada quando se discute as modalidades de CAM, uma vez que forma uma disciplina básica dentro do
campo da CAM. Nesse contexto, considere as seguintes estatísticas dos EUA:

O Centro Nacional de Medicina Complementar e Alternativa (NCCAM) informa que mais de 42% dos
americanos usam medicamentos alternativos para atender suas preocupações com saúde e bem-estar.
Além disso, os americanos gastaram mais de US $ 28 bilhões em essas terapias em 1998, superando as
despesas de bolso para todas as internações nos EUA.
Uma pesquisa publicada em 1994 revelou que mais de 60% dos médicos de uma ampla gama de
especialidades recomendavam modalidades alternativas aos pacientes pelo menos uma vez. O mesmo
estudo também informou que 48% desses médicos usaram modalidades alternativas.
O Journal of the American Medical Association relatou um aumento de 48,3% nas visitas totais a
praticantes de medicina alternativa entre 1990 e 1998.
Quase 85% das escolas médicas dos EUA oferecem cursos eletivos em medicina alternativa e
complementar ou incluem-se nos cursos exigidos.
Em 1993, o New England Journal of Medicine informou que mais de 34% de todos os americanos
usaram alguma forma de medicina alternativa. Um estudo de acompanhamento de 1998 mostrou que esse
número aumentou para 42% de todos os americanos.

Como resultado dessas tendências, várias instituições educacionais alternativas surgiram, bem como placas de
licenciamento especializadas no campo CAM. O mais proeminente destes operando nos Estados Unidos está
descrito na próxima seção.

Medicina de energia em instituições educacionais


Existem 87 escolas de medicina que foram identificadas como oferecendo alguns currículos que introduzem
Medicina Complementar e Alternativa (CAM) para os estudantes de medicina alopática. Destes, apenas um
número muito pequeno realmente tem alguma referência à medicina energética. Esses são:

Universidade do Arizona: Medicina Integrativa: Medicina de Energia


Faculdade de Medicina da Universidade de Maryland: Centro de Medicina Integrativa: Terapias
Energéticas
Universidade de Vermont, Faculdade de Enfermagem: Medicina de Energia

http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 7/19
20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

Universidade de Bastyr em Seattle, WA: Medicina naturopática, incluindo homeopatia e acupuntura


Centro Médico da Universidade Estadual de Ohio: Medicina de Energia (Reiki, Qi Gong, Terapia
Terapêutica / Cura e Terapia de Polaridade

Entre os 87 currículos da CAM nas escolas de medicina, que são principalmente oferecidos como cursos
eletivos para os estudantes de medicina, houve algumas ofertas únicas de medicamentos de energia. Por
exemplo, na Escola de Medicina Mount Sinai da Cidade da Universidade de Nova York, Joyce Shriver, Ph.D.
estava oferecendo "O Poder do Corpo Sutil: Qi Gong inovador" e "A Ciência do Yoga".

A Universidade do Arizona em Tucson é digna de ser financiada por uma doação do programa NCCAM no
Center for Frontier Medicine em Biofield Science sob a direção do Dr. Gary Schwartz. Algumas características
do biofield foram investigadas por uma equipe de vários pesquisadores, incluindo Mikel Aiken, PhD, Ann
Baldwin, PhD, Iris Bell, MD, PhD, Audrey Brookes, PhD, Katherine Burleson, MD, Maureen Campensino,
PhD, Melinda Connor, PhD , Katherine Creath, PhD, Allan Hamilton, MD, Lewis Mehl-Madrona, MD, PhD,
Cheryl Rittenbaugh, PhD e Beverly Rubik, PhD.

Especificamente, eles investigaram se o biofield poderia ser observado em células, plantas, animais e seres
humanos; quais fatores influenciam a direção, a magnitude e a estabilidade dos efeitos de bio-campo; e se
biofields podem ser medidos a partir de sistemas vivos usando instrumentos bioelectromagnéticos e ópticos de
última geração. Eles concluíram que avanços significativos na ciência do bio-campo e na ciência mente-corpo
podem ocorrer melhor quando essas duas áreas são sistematicamente integradas. Além disso, os avanços
recentes na instrumentação bioelectromagnética e óptica têm o potencial de ajudar a abordar a importante
questão "isso funciona em teoria?" As descobertas e teorias contemporâneas em estudos de consciência e física
quântica (incluindo a parapsicologia - veja Radin, 2006) são uma grande promessa.

Na Califórnia, existem várias escolas de graduação credenciadas únicas que oferecem diplomas de graduação
em Saúde Integrativa e Holística. Nenhum destes desenvolveu um curso específico em medicina energética até
à data; no entanto, eles reconhecem o valor desse campo emergente como uma subespecialidade distinta dentro
da CAM. Além disso, foram criados dois programas únicos em medicina integrativa e medicina energética na
última década, um no Seminário de Pós-Graduação da Universidade Holos e outro na Universidade de
Medicina de Energia. Essas instituições oferecem aos estudantes potenciais algumas oportunidades para um
curso de estudo em medicina energética ou psicologia energética. No entanto, a maioria das pessoas que atuam
no campo da medicina energética obtém treinamento adicional em workshops e seminários em várias
conferências como ISSSEEM, Instituto de Ciências Noéticas e outros.

O Instituto de Ciências Humanas da Califórnia foi iniciado pelo pesquisador japonês, adepto iogue e
engenheiro elétrico Dr. Hiroshi Motoyama em Encinitas, CA. Eles oferecem programas de pós-graduação em
vários discípulos, incluindo a Ciência Humana. CIHS também está conduzindo pesquisas sobre ki -energia
(palavra japonesa para chi ou energia vital) empregando um dispositivo de medição chamado AMI (um
aparelho para medir a função dos meridianos e seus órgãos internos correspondentes) que Motoyama inventou.
O objetivo geral do Programa Integral de Saúde é preparar o aluno para pesquisa original de natureza
distintamente holística e integrativa.

O seu programa de doutorado em Saúde Integral foi concebido para promover os seguintes objectivos: (1)
apresentar um curso de estudo que permita o desenvolvimento de uma compreensão sofisticada de
convergências e divergências no pensamento oriental e ocidental em medicina, ciência, religião e filosofia e
possibilidades sintéticas-integradoras; (2) para fornecer treinamento em uma variedade de dispositivos que
produzem dados físicos sobre as manifestações do corpo-mente-espírito em operação; (3) aplicar e expandir as
formas científicas de investigação para incorporar o estudo dos aspectos "paranormais" da vida humana e para
mostrar como tais fenômenos podem ser assimilados ao pensamento e à filosofia religiosos;

O Instituto de Estudos Integrais da Califórnia em San Francisco oferece um Mestrado em Estudos de Saúde
Integrativa. Este programa integra tradições de cura orientais, ocidentais e indígenas, explorando definições
pessoais, multiculturais e globais de saúde. Ele traça as perspectivas tradicionais e contemporâneas mente-
corpo-espírito e descobertas de ponta nas ciências naturais.

A Faculdade de Pós-Graduação de Saybrook localizada em São Francisco tem oferecido cursos de pós-
graduação em psicologia humanista desde 1971. O novo decano do programa de doutorado em Medicina do
corpo mental é o Dr. James Gordon, um psiquiatra educado de Harvard e especialista de renome mundial em
http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 8/19
20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

usando medicação mente-corpo para curar depressão, ansiedade e trauma psicológico. Ele é o Fundador e
Diretor do Centro de Medicina do Mente, um Professor Clínico nos Departamentos de Psiquiatria e Medicina
Familiar da Faculdade de Medicina de Georgetown e recentemente atuou como Presidente da Comissão da
Casa Branca sobre Política de Medicina Complementar e Alternativa.

A Universidade John F. Kennedy tem três campus na área da Baía de São Francisco, incluindo um em
Berkeley. Tem oferecido um diploma de pós-graduação em educação holística em saúde há 25 anos. Seu
programa explora os vínculos entre os aspectos físicos, emocionais e espirituais da saúde.

Holos University Graduate Seminary foi fundada por C. Norman Shealy, MD, Ph.D. e está em operação desde
2002. Esta instituição se formou em quase 100 alunos e oferece cursos de mestrado em teologia e doutorado em
teologia em cura espiritual e medicina energética. Dissertações com texto completo estão no site da escola. Esta
instituição localizada em Bolívar, no Missouri, também possui campos únicos de estudo em Saúde Integrativa,
Intuição de Aconselhamento Médico, Psicologia Transformacional e Direção Espiritual. Dr. Bernard Williams é
presidente e diretor executivo do seminário de graduação da universidade de Holos.

A Universidade de Medicina da Energia em Mill Valley, Califórnia, foi iniciada por Francesca McCartney, PhD
e está em operação desde 2006. É a escola de pós-graduação da Academia de Medicina Intuídica fundada em
1984 . Graduará os primeiros alunos em 2010. Oferecerá um mestrado em Mestrado em Ciências e Doutorado
em Filosofia em Saúde Integrativa Holística. Esta nova organização possui atualmente áreas de estudo em
Psicologia Integral, Intuição Médica, Bioenergética, Biofísica, Transformação Organizacional, Aconselhamento
Intuitivo, Psicologia da Energia, Espiritualidade e Saúde. Dr. Bernard Williams atua como decano da nova
universidade.

Além disso, existem muitos programas de treinamento complementar e alternativo oferecidos por uma grande
variedade de instituições nos EUA e no Canadá. O site Healthworld Online lista 3.340 escolas em todo os EUA
e 266 no Canadá. Essas escolas cobrem uma ampla gama de disciplinas que vão desde acupuntura, massagem,
yoga, herbologia e quiropraxia, nutrição, feng shui e equilíbrio zero. Muito poucas escolas estão diretamente
preocupadas com a medicina energética como uma disciplina separada, e muitos interpretam a medicina
energética a partir de uma energia sutil ou uma perspectiva putativa. A Califórnia tem a maior seção transversal
de escolas com 521 escolas, colégios e instalações de treinamento listados. Algumas dessas instituições são
licenciadas pelo estado, no entanto, um grande número são colégios privados, instalações de treinamento ou
centros de treinamento não registrados.

Medicina de energia e associações profissionais


Embora não haja órgãos formais que certificem profissionais de medicina energética nos Estados Unidos, os
profissionais que trabalham neste campo podem ser membros de outras associações profissionais. Alguns
destes estão listados abaixo.

O Conselho Americano de Medicina Integral Holística (ABIHM) foi fundado em 1996. A intenção deste
conselho é a transformação dos sistemas médicos para o holismo, combinando ciência e compaixão criando,
promovendo e melhorando os padrões de Medicina Integrista Holística. Eles fornecem certificação e
manutenção de certificação para médicos em Medicina integral holística e também procuram cooperação com
outros grupos profissionais e comunitários que apoiam a Medicina Integrista Integral. A medicina energética é
considerada uma das seis áreas especializadas na ciência da medicina holística conforme definido por esta
organização. As outras cinco áreas incluem medicina biomolecular, medicina botânica, medicina etóica,
medicina homeopática e medicina manual.

A American Holistic Nurses Association (AHNA) é uma associação de associação sem fins lucrativos para
enfermeiros e outros profissionais holísticos de saúde, atendendo a mais de 4,100 membros e 160 capítulos /
redes locais em todo os EUA e no exterior. Em dezembro de 2006, devido aos esforços da AHNA, a
enfermagem holística foi reconhecida como uma "especialidade oficial em enfermagem" pela American Nurses
Association, com seu próprio alcance definido e padrões de prática. A associação oferece programas aprovados
em uma variedade de campos, incluindo Healing Touch, Artes de Cura Integrativa, Aromaterapia Clínica,
Espiritualidade, Saúde e Cura e outros. A medicina da energia está apenas começando a ser reconhecida como
um componente valioso da enfermagem holística.

http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 9/19
20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

Psicologia da energia: um campo emergente


Uma modalidade de tratamento excepcionalmente nova que surgiu na América e está sendo pesquisada é
chamada de psicologia da energia (EP). A psicologia da energia é composta por um conjunto de procedimentos
físicos e cognitivos destinados a promover mudanças terapêuticas em emoções, cognições e comportamentos
direcionados (Gallo, 2004). Ele tem sido usado como uma abordagem psicoterapêutica independente, como
complemento de outras terapias, e como ferramenta de autocuidado para a autogestão emocional. De acordo
com o Dr. David Feinstein e seu parceiro Donna Eden, a psicologia da energia é considerada um derivado da
medicina energética (Feinstein & Eden, 2008) e postula que os transtornos mentais e outras condições de saúde
estão relacionados a distúrbios nas energias elétricas do corpo e campos de energia.

Há muitos relatórios sobre o uso benéfico de abordagens de psicologia energética na recuperação de trauma
(Folkes, 2002; Feinstein, 2008b), psicoterapia (Gallo, 2002; Feinstein 2008a) e psicologia geral (Feinstein e
Eden, 2008; Feinstein, Eden e Craig, 2005; Gallo 2004). Mais de duas dúzias de variações de EP podem ser
identificadas, com o mais conhecido sendo Thought Field Therapy (TFT), a Técnica de Acupressura de Tapas
(TAT) e as Técnicas de Libertação Emocional (EFT). Muitas das variações adaptam práticas e conceitos de
acupuntura e acupressão; Outros emprestam de ioga, meditação, qigong e outras práticas tradicionais
(Feinstein, 2008a).

Existe uma Associação para Psicologia Integral da Energia (ACEP) que tem apoiado este trabalho há mais de
10 anos. O Dr. Greg Nicosia é o presidente atual com o Dr. Robert Schwarz atuando como Diretor Executivo. A
ACEP é uma organização internacional sem fins lucrativos de profissionais de saúde mental licenciados e
profissionais de saúde energética aliada dedicados a desenvolver e aplicar métodos de psicologia energética
para tratamento e alívio de pessoas que sofrem de desafios emocionais, como vícios e compulsões, ansiedade,
depressão, crenças limitantes, distúrbios de personalidade, fobias, estresse e trauma. Até à data, apenas dois
ensaios de controle randomizados (RCTs) revisados por pares foram concluídos comparando os protocolos EP
mais bem estabelecidos com outras modalidades. Esses ECRs, no entanto, cumprem os critérios da Associação
Americana de Psicologia estabelecendo uma forma de EP como um "tratamento provavelmente eficaz" para
fobias específicas e outra como um tratamento provavelmente eficaz para manter a perda de peso (Feinstein,
2008a). Existem alguns pesquisadores que acreditam que o EP funciona através da modificação do bio-campo
humano descrito mais detalhadamente por Rubik (Rubik, 2002).

Recentemente houve um progresso considerável por sugestões de que a ciência da epigenética pode explicar
um provável mecanismo de ação para intervenções psicológicas de energia e, possivelmente, a medicina da
energia em geral. (Igreja, 2007). Especialmente ativo nesta área foi a Igreja Dawson, que sugeriu que este novo
campo fosse chamado de "Medicina Epigenética". As vias de mudança epigenética ativam ou desativam os
genes com base em condições ambientais, incluindo emoções. Parece que existem mais de 100 genes em nosso
corpo que são ativados por pensamentos, sentimentos e experiências. Esses genes podem ser ativados ou
desativados deliberadamente através de respostas e experiências emocionais, em apenas três segundos, afetando
de forma dramática o sistema imunológico e modificando nossa resistência à doença. O biólogo celular e ex-
professor de Stanford Dr.A Biologia da Crença . Ele ensina amplamente e acredita que a sinalização
epigenética é um mecanismo provável capaz de explicar a eficácia de muitas modalidades de medicina
energética.

Outro corpo extensivo de ensino na aplicação dos princípios da medicina de energia sutil foi criado por Donna
Eden que muitas vezes ensina esse trabalho com o marido David Feinstein. Seu livro Energy Medicine foi
amplamente lido e ensinou workshops para autocura, usando os métodos energéticos desenvolvidos por ela
durante muitos anos. Recentemente, ela criou um programa de estudo em casa e está trabalhando para um
programa de certificação nesta forma de medicina energética. Mais informações podem ser encontradas em seu
site: Energy Medicine com Donna Eden .

Outras organizações interessadas em medicina energética


Existem várias outras organizações que têm sua própria agenda de pesquisa e educação, mas estão dispostas à
medicina energética, à cura e ao biofield humano. Entre as organizações proeminentes estão o Instituto de
Ciências Noéticas fundado pelo astronauta Edgar Mitchell, o Centro de Ciências da Fronteira da Universidade
do Templo, o Instituto Samueli, o Centro de Pesquisa do Reno, o Instituto de HeartMath, a Fundação para a
http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 10/19
20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

Investigação da Mente, a Fundação Nacional para a Alternativa Medicina, e o Centro de Pesquisa


Neuroacústica.

O Instituto de Ciências Noéticas está localizado em Petaluma, Califórnia, a norte de São Francisco, e realizou
trinta anos de pesquisa inovadora sobre a consciência humana. Tem uma grande adesão e realiza conferências
anuais para compartilhar sua pesquisa e divulgação educacional sobre temas selecionados de crescimento
pessoal e mudanças na consciência humana que são de interesse para sua adesão. Uma parte de suas atividades
envolve um programa integrado de pesquisa e educação que se concentra nas interfaces entre consciência,
ciência e sociedade. Esta é uma colaboração multidisciplinar, multimodal e multinacional. Suas três áreas de
pesquisa, coordenadas pelo diretor de pesquisa Dr. Marilyn Schlitz, são:

1. Capacidades humanas estendidas e se concentra na criatividade, meditação, estudos psi, energias sutis,
estados de consciência, incluindo morte, morte e além.
2. Saúde Integral e Cura, incluindo a investigação de biofields, cura distante, medicina integral, medicina
do corpo da mente, sobrevivência prolongada e efeitos da expectativa de placebo.
3. Perspectivas do mundo emergentes que investigam a inteligência integral, a ciência da sabedoria, a teoria
de Gaia, as práticas transformadoras, o cultivo da consciência espiritual e as práticas do Leste / Oeste /
Indígenas.

O Centro para a Ciência da Fronteira na Universidade do Templo foi fundado em 1987, depois de Richard J.
Fox, então presidente do conselho de curadores, querer dar aos cientistas a chance de expressar idéias que
estavam fora da ciência dominante. Um dos seus propósitos era examinar novas alegações científicas que
podem levar a avanços. O Centro coordena globalmente intercâmbio de informações, redes e educação sobre
questões de fronteira da ciência, medicina e tecnologia. O Centro ajuda a aumentar a abertura das
reivindicações científicas em várias áreas da ciência, como a relação entre os campos eletromagnéticos e a vida,
a interação mental, a medicina complementar e as novas tecnologias energéticas.

Desde 1989, o Centro hospedou muitas palestras públicas. O primeiro diretor do centro foi Dr. Beverly Rubik e
a atual diretora é Nancy Kolenda. O Centro publica o periódico Frontier Perspectives, que contém muitos
artigos provocativos, incluindo a física quântica, a cura, o bioelelectromagnético e outras áreas relevantes para
a medicina energética.

O Instituto Samueli faz parte da Fundação Samueli em Alexandria, VA. Sua missão é transformar os cuidados
de saúde através da exploração científica rigorosa da cura usando pesquisas clínicas, básicas e de serviços de
saúde. Suas quatro áreas de programa envolvem medicina integradora; ambientes de cura ótimos; o Centro de
Pesquisa em Medicina Integrativa das Forças Armadas (CRIMM); e cérebro, mente e cura. Muitas questões de
saúde são complexas porque abrangem disciplinas e podem se estender além da ciência. A abordagem do
instituto é levar em conta toda a pessoa, incluindo ambiente, sistemas de crença e necessidades de atendimento
geral - combinando métodos alopáticos e não alopáticos.

O Rhine Research Center é uma organização educacional pública sem fins lucrativos licenciada no Estado da
Carolina do Norte que conduz pesquisa e educação pública e publica o Journal of Parapsychology. Está
interessado no campo da parapsicologia em geral, incluindo percepção extrasensorial (ESP), psicocinésia (PK),
sobrevivência após a morte e experiências de quase morte (EQM), reencarnação, cura e outros. Um estudo do
biofield humano está sendo realizado por Steve Baumann, Ph.D. e Bill Joines, Ph.D. Uma variedade de
detectores, incluindo aqueles que podem medir acumulação de carga e emissões eletromagnéticas, estão sendo
usados para estudar curandeiros de bioenergia, meditadores e pessoas que reivindicam efeitos incomuns em
equipamentos elétricos. Esta é uma continuação do trabalho iniciado originalmente na Duke University, que
está sendo financiado por uma doação da Fundação Bial.

O Institute of HeartMath em Boulder Creek, CA foi fundado por Doc Childre em 1971 como uma organização
sem fins lucrativos de pesquisa e educação com a missão de estudar os mecanismos fisiológicos pelos quais o
coração se comunica com o cérebro e sua influência sobre processamento cognitivo, percepção, emoção e
saúde. O HeartMath dedica-se a melhorar a saúde, o desempenho e o bem-estar em casa e no local de trabalho,
fornecendo produtos e serviços que permitem às pessoas transformar o estresse, regulam melhor as respostas
emocionais e aproveitam o poder da comunicação coração / cérebro. O diretor de pesquisa é Rollin McCraty.

A Fundação para Pesquisa de Pesquisa de Mente localizada em Los Altos, CA foi iniciada pelo engenheiro
nuclear e físico William Gough em 1980 para explorar a interface entre ciência e consciência. Seu objetivo é
http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 11/19
20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

auxiliar na evolução de modelos integrados que englobam o físico, o mental e o espiritual. O objetivo é levar o
novo campo de estudos de consciência a um reconhecimento mais amplo como um campo de ciência genuíno.
A Fundação nutre uma comunidade científica, filosófica e artística e conduziu palestras mensais e seminários,
incluindo medicina energética.

A Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa do Colorado, atualmente está trabalhando com vários
cientistas, olhando para dispositivos de medicina energética que estão disponíveis no mercado. Sua intenção é
oferecer ao público algumas informações de fundo objetivas para ajudar as partes interessadas a tomar decisões
mais informadas quanto à utilidade de vários dispositivos de cura e autocuidado.

O Centro de Pesquisa Neuroacústica (CNR) Em Encinitas, CA foi criado o Dr. Jeffrey Thompson para
pesquisar a aplicação do som na cura. O Centro usa procedimentos de testes científicos para observar o
funcionamento do corpo e do cérebro, orientando o uso preciso do som para curar. A tecnologia de som
científica e de ponta, combinada com uma profunda compreensão do uso antigo do som para curar e expandir a
consciência, trouxe ao CNR a capacidade de equilibrar o sistema nervoso autônomo em tempo real.
Equipamentos de pesquisa avançada, como o mapeamento de cérebro de EEG, a variabilidade da freqüência
cardíaca, monitores de estresse e outros possibilitam medir com precisão os efeitos de freqüências sonoras
específicas na cicatrização vibratória. A pesquisa e as criações musicais do Dr. Thompson são cada vez mais
utilizadas pelos profissionais da medicina energética.

Existem muitas outras organizações que têm um interesse específico em vários dispositivos e tecnologias de
medicina energética, muitos dos quais procuram promover instrumentação ou técnicas específicas. Devido à
natureza extensa desses dispositivos e instrumentação, estes não foram incluídos neste artigo introdutório.
Muitas dessas organizações têm artigos interessantes sobre medicina energética que geralmente são a opinião
dos autores. Um exemplo de escritos do Instituto de Medicina Técnica de Energia (ITEM), que procura
promover este campo, pode ser encontrado no Centro de Informações sobre Medicina Energética do ITEM .

Pioneiros em medicina de energia e seu legado


Nos últimos 20 anos, o campo da medicina energética amadureceu consideravelmente devido aos esforços
pioneiros de muitos pesquisadores e educadores dedicados. Alguns dos mais notáveis serão mencionados neste
relatório (listados em ordem alfabética) para destacar a crescente validade científica deste campo médico
emergente.

W. Ross Adey, MD(1922-2004), Professor de Anatomia e Fisiologia da UCLA e, mais tarde, da Universidade
de Loma Linda, realizou extensa pesquisa fundamental sobre sinalização celular influenciada por campos
eletromagnéticos. A carreira de Ross Adey na ciência médica durou 50 anos e trouxe reputação internacional;
Seu conhecimento específico sobre os efeitos dos campos eletromagnéticos em tecidos biológicos lhe valeu
renome mundial. Um de seus conceitos revolucionários sugeriu que os tecidos do cérebro são sensíveis a
campos intrínsecos e ambientais fracos e subtermais com efeitos bioquímicos, fisiológicos e comportamentais.
Esses campos de baixo nível induziram mudanças no tecido cerebral que eram ordens de magnitude inferiores
às associadas à excitação sináptica clássica. Ele é bem lembrado pelo seu conceito de "Janela biológica",
mostrando que os campos eletromagnéticos de baixo nível com amplitudes, frequências e formas de onda
específicas podem induzir ressonâncias eletromagnéticas e mudanças nos tecidos. Em 1976, os efeitos do
campo eletromagnético de baixo nível demonstraram ocorrer em toda a faixa de freqüência extremamente baixa
(ELF), atingindo um pico entre cerca de 12 e 20 Hz. Os efeitos foram vistos mais claramente com os sinais
ELF modulados em amplitude em microondas. Ele escreveu extensivamente sobre o perigo de poluição
eletromagnética generalizada de telefones celulares e outras radiações microondas modernas que são
moduladas por esses campos de baixa freqüência. Os efeitos foram vistos mais claramente com os sinais ELF
modulados em amplitude em microondas. Ele escreveu extensivamente sobre o perigo de poluição
eletromagnética generalizada de telefones celulares e outras radiações microondas modernas que são
moduladas por esses campos de baixa freqüência. Os efeitos foram vistos mais claramente com os sinais ELF
modulados em amplitude em microondas. Ele escreveu extensivamente sobre o perigo de poluição
eletromagnética generalizada de telefones celulares e outras radiações microondas modernas que são
moduladas por esses campos de baixa freqüência.

http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 12/19
20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

Robert O. Becker, MD (1923-2008) foi um dos primeiros pioneiros médicos a estudar correntes elétricas
naturais no corpo humano e a cautela sobre eletropoliticação. O Dr. Becker atuou no campo do
bioelelectromagnético, publicando várias visões notáveis deste campo, bem como livros populares que
incluíram, The Body Electric: o eletromagnetismo e os fundamentos da vida e correntes cruzadas: os perigos
da eletropropulsão. Ele mostrou como nossos corpos humanos e sistemas imunológicos estão sendo afetados
negativamente por campos eletromagnéticos feitos pelo homem a partir de linhas de energia, radares,
microondas, satélites, rádios de presunto, terminais de exibição de vídeo e até mesmo eletrodomésticos. Em
seus livros, o Dr. Becker ressaltou que a radiação considerada como segura, agora está correlacionada com o
aumento do câncer, defeitos congênitos, depressão e dificuldades de aprendizagem. Seu financiamento de
pesquisa foi eliminado quando ele começou a sugerir que campos magnéticos de linhas de energia de 60 Hz
poderiam afetar adversamente a saúde humana.

Mae-Wan Ho Ph.D. é o diretor do Instituto para a Ciência na Sociedade no Reino Unido , uma organização
que é fonte de informação e reflexão sobre questões relacionadas à engenharia genética na agricultura e
medicina. No entanto, o seu valioso contributo para a medicina energética envolve a caracterização da
termodinâmica da complexidade organizada em sistemas vivos, incluindo o fluxo de energia nos ciclos vivos, a
natureza cristalina líquida da matéria viva e a aplicação da física quântica à vida envolvendo emaranhamento
quântico e coerência biológica . Seguindo os passos do clássico do físico quântico, Erwin Schrödinger, de 1944,
o clássico What is Life? , Ho escreveu The Rainbow and the Wormdescrevendo lúcidamente a biofísica dos
organismos, oferecendo assim uma base sólida para a física por trás da medicina energética. Ela é a única não-
americana nesta lista.

James Oschman, Ph.D. é um conhecido autor que descreveu a biofísica da medicina energética e sua
aplicação na terapêutica e no desempenho humano (2000, 2003). Em 2009, o Dr. Oschman também foi
presidente da ISSSEEM. Ele era aluno do professor Albert Szent-Györgyi e ajudou a popularizar sua
compreensão sobre a base energética da bioquímica e de todos os processos vitais (ver abaixo). Ele fala
amplamente sobre a natureza da matriz viva, o sistema de comunicação rápida do corpo que exibe processos
semelhantes aos semicondutores. Ele promove o campo da medicina da energia internacionalmente e possui
valiosos recursos disponíveis no site da Associação de Pesquisas Próprias da Natureza .

Elizabeth Rauscher Ph.D. é um físico teórico, pesquisador e inventor cujas idéias brilhantes continuam a
oferecer uma sólida base teórica para muitos fenômenos sutis de energia e energia. Com seu falecido marido,
WL Van Bise, ela inventou um detector magnético não supercondutor, um marcapasso magnético externo e um
sistema de controle de dor magnética pulsada. Em sua longa carreira, ela criou mais de 275 artigos científicos e
6 livros, incluindo um novo modelo de física relativística no complexo espaço de Minkowski envolvendo oito
dimensões que se expande nas teorias bem aceitas de Albert Einstein. Seus papéis com Russell Targ descrevem
especificamente como 8-espaço pode ser usado para dar uma explicação científica para visão remota, ESP e
precognição. Todas essas ciências psi foram estudadas pelos EUA.

Royal Raymond Rife (1888-1971) foi um inventor americano que projetou novos microscópios ópticos para
observar patógenos vivos em grandes aumentos. Ele desenvolveu dispositivos de "raio de feixe" que poderiam
desvitalizar os agentes patogênicos induzindo ressonâncias destrutivas. Ele trabalhou com médicos para aplicar
esses dispositivos para tratar o câncer e foi saudado como um investigador pioneiro na década de 1930. Ele
acreditava que ele podia observar e tornar inerte uma série de vírus vivos, que ele achava que eram fatores
causais em várias doenças. Seu trabalho inicialmente envolveu dispositivos de radiofrequência, mas depois foi
realizado com dispositivos que usam freqüências de áudio sem o exame microscópico dos patógenos. Seu
trabalho nunca foi replicado corretamente pelo estabelecimento médico moderno e permanece controverso.

Paul Rosch, MD é o fundador do American Institute of Stress e um forte promotor da medicina energética. Dr.
Rosch é editor da Stress Medicine, editor associado da Revista Internacional de Saúde Mental de Emergência e
do International Journal of Stress Management. Ele organizou e presidiu o Congresso Internacional de Estresse
desde 1988, que apresentou apresentações de arte em todos os aspectos do estresse, bem como pesquisa de
ponta em áreas relevantes de Medicina Bioeletromagnética e Alternativa. Ele também é co-editor do livro de
capítulo 50 Bioelectromagnetic Medicine(2003), que fornece uma atualização sobre apresentações de ponta na
última década no Congresso Internacional de Stress e apresenta avanços de pesquisa na Europa Oriental, Rússia
e Oriente que não são bem conhecidos nos EUA. Incluem-se as revisões de ponta sobre rTMS (estimulação
magnética transcraniana repetitiva), estimulação do nervo vagal, estimulação cranioelétrica, terapia de onda
milimétrica de eletroporação, aplicações de campo magnético pulsado e estático, teorias de mecanismos de
http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 13/19
20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

ação e um novo modelo de comunicação no corpo baseado em sinalização eletromagnética e o conceito de um


"sistema circulatório elétrico".

O biophysicist Beverly Rubik, Ph.D., ex-diretor do Centro de Ciências da Fronteira da Temple University, é
agora diretor do Centro de Ciências da Fronteira em Oakland, Califórnia, com seu laboratório em Emeryville,
CA. Dr. Rubik escreveu extensivamente sobre a hipótese do biofield. Ela foi presidente de um painel dos
Institutos Nacionais de Saúde de 1992 que examinou a eficácia de várias terapias bioelectromagnéticas. Isto foi
publicado no relatório de 1994 intitulado "Medicina Alternativa: Expansão de Horizontes Médicos" com um
capítulo intitulado "Aplicações Bioeletromagnéticas em Medicina".

O premiado do Nobel Albert Szent-Györgyi (1893-1986) desenvolveu idéias fundamentais sobre a aplicação
das teorias da física quântica à bioquímica e, posteriormente, ao câncer. Ele pesquisou as propriedades
subatômicas do tecido protéico do corpo e reconheceu que a matriz viva se comportou como um semicondutor.
Ele reconheceu que quase todo o corpo formou um contínuo energético com moléculas que atuam como
"condutores" vitais na dança energética da vida. No final da vida, Szent-Györgyi começou a perseguir os
radicais livres como uma possível causa de câncer e envelhecimento. Ele veio a ver o câncer como sendo, em
última instância, um problema eletrônico a nível molecular. Ele inspirou muitos pesquisadores, incluindo o Dr.
James Oschman, que continuou a popularizar suas idéias.

William Tiller, Ph.D. , Professor Emérito de Ciência dos Materiais da Universidade de Stanford, publicou mais
de 250 artigos científicos convencionais, 3 livros e possui várias patentes ( Fundação Tiller ). Paralelamente, há
mais de 30 anos, ele está buscando estudos experimentais e teóricos sérios sobre o campo da psicoenergética,
que provavelmente se tornará parte integrante da física do "amanhã". Nesta nova área, ele publicou mais 100
artigos científicos e quatro livros seminais que detalham seus experimentos inovadores com Dispositivos
Elétricos de Imprensa de Intenção. O seu novo paradigma de física, apoiado por experimentos científicos
robustos, está em parte baseado em um modelo eletrodinâmico mais novo e de ordem superior que sugere que a
consciência e a intenção podem afetar os processos materiais e os ensaios biológicos.

O futuro da medicina da energia em saúde holística


Existem vários outros líderes ocidentais proeminentes e influentes emergentes no campo da medicina
energética. O Rev. Rosalyn Bruyere , fundador da Igreja Healing Light Center na Califórnia, influenciou
muitos dos curandeiros nos Estados Unidos, incluindo muitas das enfermeiras que estudaram o toque
terapêutico, bem como Barbara Brennan, Ph.D. . Quem dirige a Escola de Cura Barbara Brennan na Flórida.

Outros líderes ocidentais em medicina holística incluem: Deepak Chopra, MD um advogado de meditação e
cura quântica; Dr. Jon-Kabat Zinn , fundador de uma clínica de redução do estresse na Universidade de
Massachusetts e um especialista em meditação de atenção plena; e o cardiologista Dean Ornish MD , um
especialista em reverter a doença cardíaca através da dieta, yoga e meditação. Ele criou o Instituto de Pesquisa
em Medicina Preventiva e é professor na Universidade da Califórnia em São Francisco. O seu testemunho do
Senado dos EUA em 2009 sobre cuidados de saúde integrativos pode ser encontrado no site do Senado dos
EUA. Todos esses autores descobriram que a calma e o autoconhecimento adquiridos através da meditação
podem ter efeitos biológicos terapêuticos.

Na década de 1980, C. Norman Shealy, MD fundamentou a medicina holística e de energia na aceitação


convencional com seu estudo e treinamento de intuitivos médicos. Sua pesquisa inovadora com o clarividente e
autor Caroline Myss, Ph.D. criou a definição aceita do termo "intuitivo médico". Na década de 1970, o Dr.
Shealy foi um dos principais fundadores das Associações Holísticas de Enfermagem e Médicos Americanos. O
Dr. Shealy criou o primeiro grau que concede o Programa de Medicina Energética na Universidade de
Greenwich (agora extinto). Este programa participou de um novo paradigma acadêmico para o estudo da
biologia e da medicina com base na informação energética. Conforme descrito anteriormente, em 2002, a Dra.
Shealy fundou o Seminário de Pós-Graduação da Universidade Holos para fornecer diplomas de pós-graduação
em pesquisa de cura espiritual.

Na década de 1990, três médicos mainstream publicaram livros sobre a interação do campo de energia humana
e medicina. Christine Northrop, MD , escreveu sobre anatomia energética em seu livro mais vendido,
Women's Bodies, Women's Wisdom . Judith Orloff, MD , escreveu sobre a clarividência na prática da

http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 14/19
20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

psiquiatria em seu livro, Second Sight . Psiquiatra e neurocientífica Mona Lisa Schultz, MD, escreveu
Awakening Intuition , que explica como usar a rede mente-corpo para insight e cura.

Medicina holística na saúde principal


Na última década, a medicina holística tornou-se uma presença reconhecível no campo da saúde. As
modalidades de medicina holística estão sendo ensinadas à equipe do hospital no Centro Médico da California
Pacific, Health and Healing Clinic em São Francisco. Os intuitivos médicos estão sentados em salas de cirurgia
no Stanford Medical Center em Palo Alto, Califórnia. Os formulários de documentação de medicamentos de
energia para créditos de seguro médico estão disponíveis na Internet desde janeiro de 1999.

Hospitais, salas de cirurgia, clínicas médicas, companhias de seguros e programas acadêmicos em expansão
começaram a expandir a medicina holística / energética para o paradigma médico atualmente estabelecido.
Cursos sobre o papel da devoção religiosa e a oração na cura estão atualmente sendo ensinados em
aproximadamente 50 escolas médicas dos EUA. Este é um desenvolvimento histórico, uma reviravolta
deslumbrante da exclusão desses fatores da educação médica durante a maior parte do século XX. Além disso,
revistas médicas convencionais, como o Journal of the American Medical Association (JAMA), estão cada vez
mais dispostas a publicar estudos envolvendo terapias não convencionais. A questão da JAMA de 11 de
novembro de 1998 foi dedicada exclusivamente ao campo da medicina alternativa.

Novas Iniciativas de Medicina Integrativa


Desde que Barack Obama foi eleito presidente dos Estados Unidos, houve uma ampla iniciativa para criar um
novo sistema de saúde. Embora o campo da medicina energética não tenha sido parte deste diálogo, existem
agora possibilidades emergentes que merecem ser seguidas.

De 25 a 27 de fevereiro de 2009, o Instituto de Medicina da Academia Nacional de Ciências (IOM) convocou


uma cúpula que explorou a ciência e a prática da medicina integrativa - cuidados de saúde que abordam os
aspectos mentais, emocionais e físicos do processo de cura - para melhorar a amplitude e a profundidade dos
cuidados centrados no paciente e promover a saúde do país. A reunião analisou o estado da ciência, avaliou o
potencial e as prioridades e buscou identificar elementos de uma agenda para melhorar a compreensão, o
treinamento, a prática e outras ações que possam ajudar a melhorar as perspectivas de contribuições da
medicina integrativa para uma melhor saúde e saúde Cuidado. Várias organizações de medicina energética
vêem esses desenvolvimentos positivos como uma oportunidade para ampliar o diálogo sobre cuidados de
saúde para incluir a medicina energética no contexto de um papel possivelmente maior para a medicina
integrativa no novo sistema médico. Existe a possibilidade de uma considerável redução de custos de cuidados
de saúde se as melhores modalidades de diagnóstico e tratamento em medicina energética forem feitas em
grande escala. Mais informações estão disponíveis emInstituto de Medicina das Academias Natoinal .

Referências:
Medicina Alternativa: Expandindo Horizontes Médicos . (1994). Um Relatório aos Institutos Nacionais de
Saúde sobre Sistemas e Práticas Médicas Alternativas nos Estados Unidos. Inclui capítulo sobre Aplicações
Biomagnéticas em Medicina. Torrance, CA: Homestead Schools Inc.

Becker, Robert O. (1982). Electromagnetismo e Vida . Albany, NY: State University of New York Press.

Becker, Robert O. (1985). O corpo elétrico: o eletromagnetismo e os fundamentos da vida . Nova Iorque:
William Morrow & Co.

Becker, Robert O. (1990). Cross Currents: The Perils of Electropollution . Los Angeles: Jeremy Tarcher.

Igreja, Dawson (2007). O Genie em seus genes: a medicina epigenética e a nova biologia das intenções . Santa
Rosa, CA: Elite Books.

Dale, Cyndi (2009). O corpo subtil . Boulder, CO: Sounds True Publishers.

http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 15/19
20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

Eden, Donna (2008, ed. Revisada, 1st ed, 1999). Medicina de energia . Nova York: Jeremy P. Tarcher.

Feinstein, D. (2008a). Psicologia da energia: uma revisão da evidência preliminar. Psicoterapia: Teoria,
Pesquisa, Prática, Treinamento . 45 (2), 199-213.

Feinstein, D. (2008b). Psicologia da energia em alívio de desastres. Traumatologia, 14 (1), 124-137.

Feinstein D., & Eden D. (2008). Seis pilares da medicina energética: pontos fortes clínicos de um paradigma
complementar. Terapias alternativas em saúde e medicina , 14 (1), 44-54.

Feinstein, D., Eden, D., & Craig, G. (2005). A Promessa da Psicologia da Energia . Nova York: Tarcher /
Penguin.

Folkes, C. (2002). Thought Field Therapy e recuperação de trauma. Revista Internacional de Saúde Mental de
Emergência , 4, 99-103.

Gallo, FP (2004). Psicologia da energia: explorações na interface de energia, cognição, comportamento e


saúde . (2ª edição). Nova York: CRC Press.

Gallo, FP (Ed.). (2002). Psicologia da energia em psicoterapia . Nova York: Norton.

Gerber, R. (1988). Medicina Vibratória . Santa Fe, NM: Bear and Co.

Gerber, R. (2000). Medicina vibratória para o século XXI . Nova York: William Morrow.

Verde, Elmer & Alyce. (1977) Além do Biofeedback . Ft. Wayne, IN: Knoll Publishing.

Ho, Mae-Wan (2008, 3ª ed., 1ª ed., 1998). O arco-íris e o verme: a física dos organismos . Cingapura:
publicação científica mundial.

Lipton, Bruce. (2008) A Biologia da Crença . Carlsbad, CA: Hay House.

Northrup, Christiane. (2006). Corpos de mulheres, sabedoria das mulheres . (3º ed., 1º ed. 1994). Nova York:
Bantam Books (Random House).

Orloff, Judith. (1996) Segunda Visão . Nova York: Warner Books.

Oschman, James, (2000). Medicina de energia: a base científica . Edimburgo: Churchill Livingstone.

Oschman, James (2003). Medicina Energética em Terapêutica e Performance Humana . Filadélfia: Butterworth
/ Heinemann (Elsevier Science).

Radin, D. (2006) Minds Entangled: Experiências Extrasensoriais em uma Realidade Quântica . Paraview
Pocket Books.

Rauscher, Elizabeth. (1983). Fenômenos eletromagnéticos em geometrias complexas e fenômenos não-lineares,


ondas não-hertzianas e monopôles magnéticas . Tesla Book Co. (ligado à espiral).

Rauscher, Elizabeth. (2002). Grupos de calibre não-abelianos para as equações de Maxwell modificadas de
forma real e complexa . Em RL Amoroso, G. Hunter, M. Kafatos & JP Vigier (eds.) Gravitação e Cosmologia:
Do Hubble Radius à Planck Scale, pp. 183-188. Dordrecht: Kluwer Academic.

Renshaw, Ken. (2009). Além do Horizonte de Einstein: Ciência, Visualização Remota e ESP . Cambria, CA;
Constellation Press.

Rosch, P. e MS Markov (2003). Medicina Bioelectromagnética . Nova York: Marcel Dekker.

Rubik B. (2002). A hipótese do bio-campo: sua base biofísica e papel na medicina. Revista de Medicina
Alternativa e Complementar , 8: 703-717.

http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 16/19
20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

Russell, E. (2004) Relatório sobre Radionics . Random House, Reino Unido.

Schrödinger, Erwin. (1944) O que é a Vida? Cambridge University Press.

Schultz, Mona Lisa. (1999). Intuição de Despertar . NewYork: Three Rivers Press, Crown Publishing Group,
Random House.

Scott-Mumby, Keith (2005). Medicina virtual: uma nova dimensão na cura energética . Orem, UT:
Timpanogos Publishers.

Smith, Cyril W. & Simon Best (1989). Homem eletromagnético . Nova York: St. Martins Press.

Srinivasan, TM (editor) (1988). Medicina de energia em todo o mundo . Phoenix, AZ: Gabriel Press.

Tiller, William. (1997) Ciência e Transformação Humana . Walnut Creek, CA: Pavior Publishing.

Tiller, William, Walter Dibble e Michael Kohane. (2001) Atos Conscientes da Criação: O surgimento de uma
Nova Física . Walnut Creek, CA: Pavior Publishing.

Tiller, William, Walter Dible e Greg Fandel. (2005) Algumas aventuras científicas com magia real . Walnut
Creek, CA: Pavior Publishing.

Tiller, William. (2007) Ciência Psicoenergética: Uma Segunda Revolução Copérnica-Escalada . Walnut Creek,
CA: Pavior Publishing.

Tromp, SW (1949) Física Psíquica . Nova York: Elsevier Publishing.

Sobre o autor

Dr. Karl Maret

Karl Maret, MD, MEng, atua como presidente da Dove Health Alliance e foi fundamental em sua criação. Seu
amplo treinamento como engenheiro elétrico, engenheiro biomédico e médico conferiu-lhe um sólido histórico
em Medicina de Energia.

Ele realizou pesquisa fisiológica nos lugares mais altos. Leia mais

Leia mais

Pesquise no site da FAIM


Pesquisa

Tópicos relacionados à saúde


Medicina de energia

http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 17/19
20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

Novos artigos
História de Steve: triunfo pessoal do Dr. Mary Newport durante o início da doença de Alzheimer

Como o sono afeta a memória e a cognição

Fatos em primeiro lugar: as mudanças climáticas são reais

5 Passos para matar erros ruins escondidos em seu intestino que o fazem doente

O milagre da remineralização

A Saúde do Planeta Terra

Saúde Infantil e Vacinação

Doe à FAIM à medida que você compra

A Amazon vai doar 0,5% do preço de suas compras elegíveis da AmazonSmile para a Fundação para Medicina
Alternativa e Integrativa sempre que comprar na AmazonSmile .

Gifting Opportunities
A FAIM depende de doações públicas para continuar seu trabalho. Você pode ajudar!

Doe para FAIM online .

Obrigado pelo seu apoio!

Receba Notícias em andamento


Assine nosso boletim eletrônico mensal

Junte-se a nós no Facebook

Compartilhe esta página

Contate-Nos
http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 18/19
20/03/2018 Medicina de energia nos Estados Unidos | Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa

Política de Privacidade
aviso Legal
Termos de uso

© 2009-2018 Fundação para Medicina Alternativa e Integrativa | Contate-Nos

Design e desenvolvimento por Cam Howard

http://www.faim.org/energy-medicine-in-the-united-states 19/19