Vous êtes sur la page 1sur 64

Universidade Federal de Campina Grande – UFCG

Centro de Humanidades – CH
Unidade Acadêmica de Economia - UAECON
Disciplina: Economia

Prof. Pablo Aurélio L. de A. Pinto


pabloaurelioap@hotmail.com

Introdução à Economia
Apresentação

 Objetivo
 Apresentar a ciência econômica, sua importância, seus
princípios básicos e sua abrangência.
Apresentação

 Temas que serão abordados:


 Os Dez Princípios da Economia;
 Análise Positiva versus Análise Normativa;
 Conceito de Economia;
 Objetivo da Ciência Econômica: a lei da Escassez;
 Problemas econômicos básicos;
 Sistemas Econômicos;
 O Fluxo Circular da Renda;
 Curva de Possibilidades de Produção (CPP);
 Divisão do Estudo Econômico: Microeconomia e
Macroeconomia.
Motivação Inicial

 Diariamente nos noticiários da TV, dos jornais ou


na internet deparamos com informações sobre
economia:
 Inflação;
 Taxa de Juros;
 Déficit público;
 Desemprego;
 Taxa de câmbio;
 Dívida externa;
 Crise do petróleo;
 Crise cambial dos países emergentes;
 Instabilidade financeira internacional;
 Impacto da economia mundial na economia brasileira.
Motivação Inicial
Algumas Manchetes Atuais de Jornais e Revistas:

“Dólar fecha a R$ 1,705; Bovespa tem queda de 0,96%”


Jornal Folha de São Paulo, 27/02/2012

“Déficit nas contas externas atinge US$ 45,830 bilhões no


ano”
Agência Brasil, 20/12/2011

“Risco Brasil sobe 1,02% e fecha aos 198 pontos”


Jornal O Globo, 23/02/2012

“Fazenda reduz projeção de expansão do PIB em 2012 de


5% para 4,5%” Jornal Valor Econômico, 13/02/2012
 .
Alguns Problemas Econômicos

 Por que a expansão da moeda e do crédito pode


gerar inflação?
 Por que o nordestino possui uma renda per capita
muito inferior à do paulista?
 Como pode uma desvalorização cambial conduzir
a uma melhoria na balança comercial e uma
redução do salário real?
 Até onde juros altos reduzem o consumo e
estimulam a poupança?
Alguns Problemas Econômicos

 Por que a renda dos agricultores se eleva quando


ocorre uma estiagem que reduz a produção?
 Por que a alta de preço do cafezinho reduz a
demanda de açúcar?
 Por que estudar economia quando o lazer é mais
atraente?
 Como uma crise imobiliária nos EUA afeta
negativamente a economia brasileira?
Dez Princípios de Economia:

 Como as pessoas tomam decisões?

 Como as pessoas interagem umas com as outras?

 Analisam as forças e tendências que afetam a


economia como um todo.
Como as Pessoas Tomam
Decisões :
 Princípio 1: As Pessoas Enfrentam Tradeoffs

 Em Economia, tradeoff é uma expressão que define uma


situação de escolha conflitante, isto é, quando uma ação
econômica que visa à resolução de determinado problema
acarreta, inevitavelmente, outro.

 Para conseguirmos algo que queremos, geralmente precisamos


abrir mão de outra coisa de que gostamos: a tomada de
decisões exige escolher um objetivo em detrimento de outro.

 Portanto, quando as pessoas estão agrupadas em sociedade,


deparam-se com tipos diferentes de tradeoffs.
Como as Pessoas Tomam
Decisões :
 Princípio 1: As Pessoas Enfrentam Tradeoffs

 Tomada de decisões

 Exige escolher um objetivo em detrimento de outro.


 Estudante – tempo
 Pais – renda
 Sociedade
• Defesa nacional versus bens de consumo
• Meio ambiente sem poluição versus alto nível de renda
Como as Pessoas Tomam
Decisões :
 Princípio 1: As Pessoas Enfrentam Tradeoffs
Como as Pessoas Tomam
Decisões :
 Princípio 2: O Custo de Alguma Coisa É Aquilo
de que Você Desiste para Obtê‐la

 Como as pessoas enfrentam tradeoffs


 Tomada de decisões
• Comparar os custos e benefícios de possibilidades
alternativas de ação

• Custo de uma ação


• Aquilo que deve ser sacrificado para que se obtenha um
item desejado
Como as Pessoas Tomam
Decisões :
 Princípio 2: O Custo de Alguma Coisa É Aquilo de
que Você Desiste para Obtê‐la

 Como as pessoas enfrentam tradeoffs, a tomada de


decisões exige comparar os custos e benefícios de
possibilidade alternativas de ação. Em muitos casos,
contudo, o custo de uma ação não é tão claro quanto
pode parecer à primeira vista.
 O custo de oportunidade de um item é aquilo de que
você abre mão para o obter. Ao tomarem qualquer
decisão, os tomadores de decisões precisam estar
cientes dos custos de oportunidade que acompanham
cada ação possível.
Como as Pessoas Tomam
Decisões :
 Princípio 3: As Pessoas Racionais Pensam na
Margem
 Pessoa racional
• Faz o melhor para alcançar seus objetivos, sistemática e
objetivamente, conforme as oportunidades disponíveis

• Mudanças marginais

• Pequenos ajustes incrementais a um plano de ação


existente
• A pessoa racional geralmente toma decisões comparando
benefícios marginais com custos marginais
Como as Pessoas Tomam
Decisões :
 Princípio 3: As Pessoas Racionais Pensam na
Margem

 Os economistas usam o termo mudanças marginais para


descrever pequenos ajustes incrementais a um plano de
ação existente. Lembre-se de que “margem” pressupõe a
existência de extremos, portanto, mudanças marginais são
ajustes ao redor dos “extremos” daquilo que você está
fazendo.

 Um tomador de decisões racional executa uma ação se, e


somente se, o benefício marginal da ação ultrapassa o
custo marginal.
Como as Pessoas Tomam
Decisões :
 Princípio 4: As Pessoas Reagem a Incentivos

 Incentivo
• Algo que induz a pessoa a agir
• Preços mais altos
• Consumidores – consomem menos
• Vendedores – produzem mais

• Política pública
• Alteram os custos e benefícios para as pessoas
• Alteram o comportamento das pessoas
Como as Pessoas Tomam
Decisões :
 Princípio 4: As Pessoas Reagem a Incentivos

 Como as pessoas tomam decisões por meio da


comparação entre custos e benefícios, seu comportamento
pode mudar quando os custos ou benefícios mudam. Em
outras palavras, as pessoas reagem a incentivos.

 Os formuladores de políticas públicas nunca devem se


esquecer dos incentivos, já que muitas políticas alteram os
custos e benefícios para as pessoas e, portanto, alteram
seu comportamento.
Como as Pessoas Interagem:

 Princípio 5: O Comércio Pode Ser Bom para


Todos

• Comércio
• O comércio permite que as pessoas se especializem
na atividade em que são melhores
• Assim como as famílias, os países beneficiam‐se da
possibilidade de comerciar uns com os outros
• O comércio permite que eles se especializem naquilo
que fazem melhor e desfrutem de uma maior
variedade de bens e serviços
Como as Pessoas Interagem:

 Princípio 5: O Comércio Pode Ser Bom para


Todos

• O comércio permite que as famílias e os países se


especializem naquilo que sabem fazer de melhor e
desfrutem de uma maior variedade de bens e serviços.
Como as Pessoas Interagem:

 Princípio 6: Os Mercados São Geralmente uma


Boa Maneira de Organizar a Atividade
Econômica

 Como vimos, a especialização em uma determinada


função e o comércio são formas eficientes que precisam
ser organizadas.

 Tal organização(alocação) é feita nos mercados, um


conjunto de compradores e vendedores dispostos a ofertar
e demandar determinado produto ou serviço.
Como as Pessoas Interagem:

 Princípio 7: Às Vezes os Governos Podem


Melhorar os Resultados dos Mercados

 Precisamos do governo para: Garantir o cumprimento de


regras
 Manter as instituições – chave para a economia de
mercado
 Garantir o direito de propriedade
Como as Pessoas Interagem:
 Princípio7: Às Vezes os Governos Podem
Melhorar os Resultados dos Mercados

 Quando os mercados são ineficientes, os governos


podem interferir tentando fazer desaparecer externalidades
e assimetria de informações.

FALHA DE MERCADO
(alocação ineficiente do mercado)
EXTERNALIDADES
(impactos em terceiros da ação de um agente)
PODER DE MERCADO
(capacidade de influenciar indevidamente os preços do
mercado)
Como a Economia Funciona:

 Princípio 8: O Padrão de Vida de um País


Depende de sua Capacidade de Produzir Bens
e Serviços

 Grandes diferenças nos padrões de vida


• Entre países
• Ao longo do tempo

 Explicação: diferenças na produtividade


Como a Economia Funciona:

 Princípio 8: O Padrão de Vida de um País


Depende de sua Capacidade de Produzir Bens
e Serviços

 A capacidade de produzir bens e serviços em uma


economia (Produto Interno Bruto –PIB) está diretamente
relacionada com o padrão de vida da população a qual
se submete a riqueza/produto formado (produtividade).
Como a Economia Funciona:

 Princípio
9: Os Preços Sobem Quando o
Governo Emite Moeda Demais

 Inflação
• Um aumento do nível geral de preços da economia

 Causas para a inflação elevada e persistente


• Crescimento na quantidade de moeda
• Diminuição do valor da moeda
Como a Economia Funciona:

 Princípio
9: Os Preços Sobem Quando o
Governo Emite Moeda Demais

 Se o governo, através da autoridade monetária, decidir


emitir moeda de maneira excessiva, pode ocasionar em
aumento do nível geral dos preços, ou seja, inflação.
Como a Economia Funciona:

 Princípio 10: A Sociedade Enfrenta um Tradeoff


de Curto Prazo entre Inflação e Desemprego

 Muitos economistas descrevem os efeitos de curto prazo


da injeção monetária como:
• O aumento da quantidade de moeda na economia
estimula o nível geral de consumo
• O aumento da demanda pode, com o tempo, levar as
empresas a aumentarem os preços
• Maior contratação significa menos desemprego
Como a Economia Funciona:

 Princípio 10: A Sociedade Enfrenta um Tradeoff


de Curto Prazo entre Inflação e Desemprego

 Através da Curva de Phillips podemos montar uma


relação inversa entre o nível geral de preços (inflação) e
a taxa de desemprego.
Análise Positiva X Análise
Normativa:
 Para ajudar a esclarecer os dois papéis que os
economistas desempenham, começaremos examinando o
uso da linguagem. Como cientistas e conselheiros políticos
têm objetivos diferentes, usam a linguagem de maneiras
diferentes.
 Declarações positivas são aquelas que tentam descrever
o mundo como ele é.
Exemplo: O salário mínimo no Brasil é de R$ 622.
 Declarações normativas são aquelas que tentam
prescrever o mundo como deveria ser.
Exemplo: O governo deveria aumentar o salário mínimo.
Análise Positiva X Análise
Normativa:
 1º Exercício resolvido em sala de aula.
 Indique se as afirmativas seguintes pertencem à economia
positiva ou normativa:

a) "Segundo o Banco Central, a inflação no Brasil teria


ficado em 5,58% em 2007, ao invés dos 4,46% registrados,
se não fosse a ajuda do câmbio".

b) "Com o aumento do consumo de alimentos provocado


pelo alto crescimento populacional asiático, deve ocorrer
uma elevação dos preços de equilíbrio nesse mercado".
A Lei da Escassez:
 Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que
física: a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens
e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a
cada sociedade.

 Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser


produzida, se os desejos humanos pudessem ser
completamente satisfeitos, não importaria que uma
quantidade excessiva de certo bem fosse de fato
produzida.

 Portanto, a Economia é o estudo da escassez dos bens e


dos recursos, dada as necessidades ilimitadas da
sociedade.
Conceito de Economia

Conceito mais atual e abrangente:

“é uma ciência social que estuda como o indivíduo e


a sociedade decidem utilizar recursos produtivos
escassos, na produção de bens e serviços, de modo
a distribuí-los entre as várias pessoas e grupos da
sociedade, com a finalidade de satisfazer às
necessidades humanas”.
Conceito de Economia:

 Conceitos importantes:

• Escolha;
• Escassez;
• Necessidades;
• Recursos;
• Produção;
• Distribuição.
Conceito de Economia:

 Objeto de estudo: A Lei da Escassez, isto é, produzir


o máximo de bens e serviços com os recursos
escassos disponíveis a cada sociedade.

 Restrição física dos recursos: gera a escassez dos


bens (materiais e imateriais).

 Necessidade humana: qualquer manifestação de


desejo que envolva a escolha de um bem econômico
capaz de contribuir para a sobrevivência ou para a
realização social do indivíduo.
Conceito de Economia:

 Objetivo da economia – analisar os problemas


econômicos e formular soluções para resolvê-los,
de forma a melhorar a nossa qualidade de vida.

 Questão central do estudo da economia - como


alocar recursos produtivos limitados para
satisfazer todas as necessidades da população.
Problemas Econômicos
Fundamentais:
 Nas bases de qualquer comunidade se encontra sempre a
seguinte tríade de problemas econômicos básicos:

 O QUE produzir? Isto significa quais os produtos deverão


ser produzidos e em que quantidade deverão ser
colocados à disposição dos consumidores.
 COMO produzir?–Isto é, por quem serão produzidos os
bens e serviços,com que recursos e de que maneira ou
processo técnico.
 PARA QUEM produzir?–Ou seja , para quem se destinará
a produção, fatalmente para os que têm renda
Problemas Econômicos
Fundamentais:

 É muito fácil entender que: QUAIS, QUANTO, COMO e


PARA QUEM produzir não seriam problemas se os
recursos utilizáveis fossem ilimitados.

 Todavia, na realidade existem ilimitadas necessidades e


limitados recursos disponíveis e técnicas de fabricação.
Baseada nessas restrições, a Economia deve optar dentre
os bens a serem produzidos e os processos técnicos
capazes de transformar os recursos escassos em
produção.
Problemas Econômicos
Fundamentais:
Sistemas Econômicos:

 Um sistema econômico pode ser definido como a forma


política, social e econômica de organização de uma
sociedade.

 Sistema Econômico / Organização Econômica

É a forma como a sociedade está organizada para


desenvolver as atividades econômicas.

Atividades de produção, circulação, distribuição e


consumo de bens e serviços
Sistemas Econômicos:

 Principais formas:

 Economia de Mercado (ou descentralizada, tipo


capitalista):
- Concorrência pura (sem interferência do governo); e
- Sistema de concorrência mista (com interferência
governamental).

 Economia Planificada (ou centralizada, tipo


socialista).
Sistemas Econômicos:

 Sistema de concorrência pura (economia de mercado)

 Base da filosofia do liberalismo econômico - advoga a


soberania do mercado, sem interferência do Estado.

 Críticas ao sistema de Concorrência Pura:


 Grande simplificação da realidade.
 O mercado sozinho não promove perfeita alocação e distribuição de
renda.
 Os preços podem variar não devido ao mercado, mas em função de:
• força de sindicatos;
• poder de monopólios e oligopólios;
• intervenção do governo.
Sistemas Econômicos:

 Economia Planificada (Socialista)

 As questões econômicas são resolvidas por um órgão


central de planejamento, predominando a propriedade
pública dos fatores de produção, chamados nessas
economias de meios de produção, englobando os bens de
capital, terra, prédios, bancos e matérias-primas.

 Principal problema: dificuldades de planejamento da


atividade econômica por meio de um planejador
central.
Fluxo Circular de Renda:

 O Fluxo Circular de Renda é uma forma


esquemática de apresentarmos as inter-relações
entre os agentes econômicos que compõem nossa
sociedade, juntamente com a organização e
propriedade dos fatores de produção. Os agentes
econômicos são:
 Unidades Familiares
 Empresas
 Governo
 Resto do Mundo
Fluxo Circular de Renda:

 Unidades Familiares:
 Indivíduos empregados;
 Aposentados e pensionistas;
 Todos que recebem renda.

 Empresas:
 Unidades que compõem o aparelho de produção;
 Produtoras de bens e serviços;
 Reúnem, organizam e remuneram os fatores de
produção.
Fluxo Circular de Renda:

 Governo:
 Centro de produção de serviços coletivos;
 Agente coletivo que contrata trabalho das unidades
familiares e parcela da produção das empresas para
proporcionar serviços úteis à sociedade;
 Governo federal, estadual e municipal.

 Resto do Mundo:
 Unidades familiares, empresas e governo de outros
países.
Fluxo Circular de Renda:

 Os fatores de produção são:

1) Recursos naturais ou Terra: elementos da


natureza suscetíveis de serem incorporados às
atividades econômicas.
2) Mão-de-obra ou Trabalho: conjunto da população
em idade ativa disponível na sociedade.
3) Capital: conjunto de edifícios, máquinas,
equipamentos e instalações que a sociedade
dispõe para efetuar a produção
Fluxo Circular de Renda:
Fluxo Circular de Renda:
Curva de Possibilidades de
Produção (CPP):
 A CPP é um gráfico que mostra as várias combinações de
produto que a economia pode produzir potencialmente,
dados os fatores de produção e a tecnologia disponíveis.

 É a fronteira máxima que a economia pode produzir, dado


os recursos produtivos limitados. Mostra as alternativas de
produção da sociedade, supondo os recursos plenamente
empregados.

 Representa o tradeoff enfrentado pela sociedade, de que


nada é de graça, ou seja, obtemos alguma coisa abrindo
mão de outra.
Curva de Possibilidades de
Produção (CPP):
Curva de Possibilidades de
Produção (CPP):
Curva de Possibilidades de
Produção (CPP):
Curva de Possibilidades de
Produção (CPP):
 Lei dos custos de oportunidade crescentes:
 Dadas como inalteradas as capacidades tecnológicas e de
produção de uma economia e estando o sistema a operar a
níveis de pleno emprego, a obtenção de quantidades
adicionais de determinada classe de produto implica
necessariamente a redução das quantidades de outra
classe.
 Em resposta a constantes reduções impostas à classe que
estará sendo sacrificada, serão obtidas quantidades
adicionais cada vez menos expressivas da classe cuja
produção estará sendo aumentada, devido à relativa e
progressiva inflexibilidade dos recursos de produção
disponíveis e em uso.
Curva de Possibilidades de
Produção (CPP):
Curva de Possibilidades de
Produção (CPP):
 Custo de oportunidade

 A transferência dos fatores de produção de um bem X para


produzir um bem Y implica um custo de oportunidade que é
igual ao sacrifício de se deixar de produzir parte do bem X para
se produzir mais do bem Y.

 Deslocamentos da curva de possibilidades de produção

 O deslocamento da CPP par a direita indica que o país está


crescendo, o que pode ocorrer em função do aumento da
quantidade física de fatores, progresso tecnológico, maior
eficiência produtiva e organizacional e melhoria no grau de
qualificação da mão-de-obra.
Curva de Possibilidades de
Produção (CPP):
 1º Exercício resolvido em sala de aula:
 A economia de certo país é representada pela curva (ou
fronteira) de possibilidades de produção abaixo:
Curva de Possibilidades de
Produção (CPP):
 2º Exercício resolvido em sala de aula:

 a) Indique, explicando com CONCEITOS ECONÔMICOS,


como você representaria:
(i) um ponto A onde a produção seja “eficiente”;
(ii) um ponto B onde a produção seja “ineficiente”;
(iii) uma situação de crescimento econômico;
(iv) uma situação em que, em decorrência uma guerra,
grande parte das fábricas e equipamentos produtivos
desse país fossem destruídos.
 b) Defina “eficiência”, nesse contexto.
Tipos de Bens:
Tipos de bens
 3º Exercício resolvido em sala de aula:
 Como poderiam ser classificados, de acordo com cada um
desses três critérios, os bens abaixo?

a) Um computador utilizado em um escritório de advocacia.

b) Um automóvel de passeio de uso exclusivo do


proprietário.

c) Á água utilizada em um bloco residencial.

d) O edifício que abriga uma fábrica de calçados.


Problemas e Aplicações:
 Eficiência X Equidade:
 Classifique cada uma das seguintes atividades do
governo de acordo com a sua motivação: uma
preocupação com a equidade ou uma preocupação
com a eficiência.
a) Regulamentar os preços da de serviços públicos
como água e eletricidade.
b) Oferecer a uma parcela da população pobre tíquetes
que podem ser usados para comprar comida.
c) Dividir a Standard Oil (que chegou a deter 90% das
refinarias de petróleo dos Estados Unidos) em
diversas empresas menores.
d) Aumentar as alíquotas de imposto de renda das
pessoas com alta renda.
Problemas e Aplicações:

 Tradeoff
 Leia com atenção os trechos da reportagem seguinte,
publicada no caderno Economia do jornal O Estado de
S. Paulo em 28/4/05, e Identifique o importante
tradeoff associado à situação abordada:
“Bush quer mais refinarias para conter a alta no preço
dos combustíveis (...) (...) O pedido de Bush foi mal
recebido pelos grupos preservacionistas. (...) o
presidente „está propondo uma política energética
obsoleta, que depende de tecnologias do século
passado‟ (...) ele deveria exortar os americanos a
gastar menos combustíveis e lutar pelo melhor
aproveitamento dos derivados de petróleo”.
Problemas e Aplicações:

 Custo de Oportunidade

 Um investidor compra uma ação por R$ 10 e, ao fim de um


mês, a cotação subiu para R$ 15. Deve decidir se vende
ou não. Qual é o custo de oportunidade de ficar com a
ação?

 Qual seria o custo de oportunidade (do ponto de vista de


um aluno da UFCG, matriculado em um curso diurno) das
seguintes decisões ou situações:
a) Aceitar um emprego que envolve trabalhar de 7 da
manhã às 17 da tarde.
b) Poupar 50% de seu ordenado, bolsa ou mesada.
Teste Rápido:

 Descreva um tradeoff importante que você


tenha enfrentado recentemente. Descreva um
incentivo que seus pais lhe ofereceram numa
tentativa de influenciar seu comportamento.

 Por que um país fica melhor quando não se


isola dos outros países?

 Por que os formuladores de políticas devem


pensar sobre os incentivos?
Divisão do estudo econômico:

Microeconomia é o estudo de como a famílias e


empresas tomam decisões e de como interagem nos
mercados.

Macroeconomia é o estudo dos fenômenos da


economia como um todo, incluindo inflação,
desemprego e crescimento econômico.