Vous êtes sur la page 1sur 45

Organização

COLÉGIO INTEGRADOe Normas POLIVALENTE

“Qu
“Qualidade na Arte de Ensinar”

APRESENTAÇÃO

Acreditamos que, como nós, você lute “por um Brasil melhor” na perspectiva do desenvolvimento da
Educação Profissional

Você encontrará um material inovador que orientará o seu trabalho na realização das atividades
propostas. Além disso, percebera por meio de recursos diversos como é fascinante o mundo da “Educação
Profissional”. Gradativamente, dominará competências e habilidades para que seja um profissional de
sucesso.
Participe de direito e de fato deste Curso de Educação a Distância, que prioriza as habilidades
necessárias para execução de seu plano de estudo:
• Você precisa ler todo o material de Ensino;
• Você deve realizar toda as atividades propostas;
• Você precisa organizar-se para estudar

Abra, leia, aproveite e acredite que “as chaves estão sendo entregues, logo as portas se abriram”.
Esta disposto a aceitar o convite?
Contamos com a sua participação para tornar este objetivo em realidade.

Equipe Polivalente

1 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
COLÉGIO Organização
INTEGRADO POLIVALENTE
e Normas

“Qualidade na Arte de Ensinar”


Ensinar”
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

SUMÁRIO

SUMÁRIO ..................................................................................................................... 2

UNIDADE - I ................................................................................................................. 5
HISTÓRICO DA ORGANIZAÇÃO CIENTÍFICA DO TRABALHO ............................................. 5

UNIDADE – II................................................................................................................ 6
ORGANIZAÇAO DE EMPRESAS ..................................................................................... 6
ELETROELETRÔNICA ORGANIZAÇÃO E NORMAS ............................................................ 6
FUNÇÕES .................................................................................................................. 7
DEPARTAMENTALIZAÇÃO DE EMPRESA ......................................................................... 9
ESTRUTURAS ORGANIZATIVAS .................................................................................. 11
GRÁFICOS DE ORGANIZAÇÃO .................................................................................... 13
MANUAL DE ORGANIZAÇÃO ................................................................................... 14
ESTRUTURA DO MANUAL DE ORGANIZAÇÃO ............................................................ 14
ORGANIZAÇÃO DE FICHÁRIOS E ............................................................................ 15
ARQUIVOS ........................................................................................................... 15
FUNDAMENTOS DA RACIONALIZAÇÃO ..................................................................... 15

UNIDADE III ............................................................................................................... 16


EMPRESA ................................................................................................................ 16
CONCEITUAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO ......................................................................... 16
CLASSIFICAÇÃO DAS EMPRESAS ............................................................................ 16
TIPOS DE FIRMA ................................................................................................... 17
CONCENTRAÇÃO DE EMPRESAS OU INFLUÊNCIA NO MERCADO .................................. 17

UNIDADE IV................................................................................................................ 19
TÉCNICA COMERCIAL ............................................................................................... 19
CONHECIMENTO DE MARKETING ............................................................................... 20
FUNÇÃO DE MARKETING........................................................................................ 20
PROPAGANDA E PUBLICIDADE ................................................................................... 21
EXPOSIÇÕES E FEIRAS ............................................................................................. 22
ÉTICA ..................................................................................................................... 22

UNIDADE V ................................................................................................................. 25
LAY-OUT ................................................................................................................. 25
TIPOS DE “LAYOUT” .............................................................................................. 25

UNIDADE – VI ............................................................................................................. 27
PLANEJAMENTO ....................................................................................................... 27
SINTESE DO PROCESSO DE PLANEJAMENTO (REPRESENTAÇÃO GRÁFICA) ...................... 28
EXEMPLO DE PLANEJAMENTO ORGANIZACIONAL ......................................................... 29
PRODUTO MONTAGEM DO ORGANOGRAMA ................................................................. 30

UNIDADE VII .............................................................................................................. 30


DIREÇÃO ................................................................................................................ 30

UNIDADE – VIII .......................................................................................................... 33


2 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,
propriedade do CIP – Lei n° 9.610
COLÉGIO Organização
INTEGRADO POLIVALENTE
e Normas

“Qualidade na Arte de Ensinar”


CONTROLE .............................................................................................................. 33

UNIDADE – IX ............................................................................................................. 34
SISTEMAS ADMINISTRATIVOS ................................................................................... 34
COMPOSIÇÃO DE UM SISTEMA ADMINISTRATIVO ........................................................ 35
ADMINISTRAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA .................................................. 35
“FEED – BACK” ........................................................................................................ 35
ELEMENTOS TÉCNICOS E VARIÁVEIS QUE ATUAM NA ................................................... 36
FORMULAÇÃO DO SISTEMA ADMINISTRATIVO ............................................................ 36
ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL .................................................................................. 36
ETAPAS DO RECRUTAMENTO E SELEÇÃO .................................................................... 37
REPRESENTAÇÃO GRÁFICA ........................................................................................... 37
TREINAMENTO ......................................................................................................... 37

UNIDADE – X .............................................................................................................. 38
SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO .................................................................... 38
CONCEITOS BÁSICOS E OBJETIVOS DA SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO:........... 38
PREVENÇÃO E PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO .......................................................... 40
NORMALIZAÇÃO ...................................................................................................... 43
BIBLIOGRAFIA BÁSICA ............................................................................................. 43

GLOSSÁRIO ............................................................................................................. 44

3 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
COLÉGIO INTEGRADO POLIVALENTE
Organização e Normas
“Qualidade na Arte de Ensinar”

ORGANIZAÇÃO E NORMA
INTRODUÇÃO
Você esta iniciando o estudo do Módulo - ORGANIZAÇÕES E NORMAS. Você terá contato com
teorias importantes que vão proporcionar um desempenho eficiente durante o seu Curso.
O módulo esta dividido em 10 unidades: UNIDADE I: Histórico da Organização Científica do

Trabalho. UNIDADE II: Organização de Empresas, Eletroeletrônica organização e Normas, Funções,

Departamento de Empresa, Estruturas Organizativas, Manual de Organização Estrutura do Manual de


Organização de Fichários e Arquivos, Fundamentos da Racionalização. UNIDADE III: Empresa, Conceituação e

Classificação, Classificação das Empresas, Tipos de Firma, Concentração de Empresas ou Influência no Mercado,
UNIDADE IV: Técnica Comercial, Conhecimento de Marketing, Função de Marketing, Propaganda e Publicidade,

Exposições e Feiras, Ética. UNIDADE V: Lay-Out, Tipos de Lay-Out. UNIDADE VI: Planejamento, Síntese do

Processo de Planejamento , Exemplo de Planejamento Organizacional, Produto Montagem do Organograma.


UNIDADE VII: Direção, UNIDADE VIII: Controle. UNIDADE IX: Sistemas Administrativos, Composição de um

Sistema Administrativo, Administração e Desenvolvimento do Sistema, “Feed-Back”, Elementos Técnicos e


Variáveis que atual na Formulação do Sistema Administrativo, Administração de Pessoal, Etapas do
Recrutamento e Seleção, Representação Gráfica, Treinamento. UNIDADE X: Segurança e Medicina do

Trabalho, Conceitos Básicos e Objetivos da Segurança e Medicina do Trabalho, Prevenção e Proteção contra
Incêndio, Normalização.
Nossa linha de trabalho abre um caminho atraente e seguro pela seqüência das atividades – leitura,
interpretação, reflexão, e pela variedade de propostas que mostram maneiras de pensar e agir, e que recriam
situações de aprendizagem.
As aprendizagens teóricas são acompanhadas de sua contrapartida prática, pois se aprende melhor
fazendo. Tais práticas são momentos de aplicação privilegiados, oportunidades por excelência, de demonstrar o
saber adquirido.
Nessa perspectiva, dois objetivos principais serão perseguidos neste material. De um lado, torná-lo
habilitado a aproveitar os frutos da aprendizagem, desses saberes que lhe são oferecidos de muitas maneiras,
em seu estudo, ou até pela mídia – jornais, revistas, rádio, televisão e outros - pois sabendo como foram
construídos poderá melhor julgar o seu valor. Por outro lado, capacitando-se para construir novos saberes. Daí
a necessidade do seu estágio para aliar a teoria à prática.

A soma de esforços para que estes módulos respondessem as suas necessidades, só foi possível mediante a
ação conjunta da Equipe Polivalente.
Nossa intenção é conduzir um dialogo para o ensino aprendizagem com vistas a conscientização,
participação para ação do aluno sobre a realidade em que vive.

A Coordenação e Tutores/Professores irá acompanhá-lo em todo o seu percurso de estudo, onde as


suas dúvidas serão sanadas, bastando para isso acessar o nosso site:

www.colegiopolivalente.com.br
Equipe Polivalente

4 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
COLÉGIO INTEGRADO POLIVALENTE
Organização e Normas
“Qualidade na Arte de Ensinar”
No período medieval, o comércio passa por
um retrocesso, provocado pelo medo que as
UNIDADE - I populações Cristãs da Europa sentiam dos Bárbaros
invasores, levando-os a viverem praticamente
HISTÓRICO DA ORGANIZAÇÃO isolados. Só à partir dos séculos X e XI, com as
CIENTÍFICA DO TRABALHO cruzadas grandes expedições organizadas pelos
Cristãos europeus para libertar Jerusalém das mãos
dos Árabes, é que o comércio ressurge com força
DA PRÉ-HISTÓRIA AOS DIAS DE HOJE.
total.
Os integrantes das cruzadas precisaram
Trabalho: é a aplicação da atividade humana alimentar-se e vestir-se, então entravam em ação
à produção de bens e serviço, em proveito de si ou os mercadores e comerciantes, especialmente das
de outrem que o remunera. Pode ser autônomo cidades Italianas de Gênova e Veneza, que
ou subordinado. forneciam alimentos, vestuário e transporte. Em
conseqüência a moeda voltou a circular e o
Mediterrâneo tornou-se palco de intensa atividade
comercial.
HISTÓRICO: Com o término das cruzadas, os nobres
A mais antiga forma de trabalho que se europeus acostumados a consumir, permitiram aos
tempo registro é a do britamento de pedras, mercadores organizarem entrepostos comerciais
envolvendo a produção de talhadeiras e machados mais permanentes, organizando assim duas formas
na Etiópia, datando de 2,5 milhões de anos atrás. de comércio:
A agricultura, basicamente a de A. FEIRAS - Comércio atacadista. Embora só
subsistência, é freqüentemente descrita como a permitidas duas vezes por ano, em alguns
mais antiga forma de trabalho do mundo, não lugares funcionavam o ano inteiro.
existindo no entanto, registro que comprove que B. MERCADOS - Comércio varejista
fosse praticada antes de cerca de 11.000 a.C. A semanal. Assemelhavam-se muito às nossas atuais
agricultura de subsistência consistia na produção feiras livres.
apenas do essencial para saciar a fome de um
determinado grupo ou pessoa. O comércio das feiras e mercados
existentes no fim da Idade Média, constituiu a
origem do comércio atual.
ORIGEM E EVOLUÇÃO DO COMÉRCIO:
No final da Pré-história, com a expansão da
agricultura, da criação de animais e da fabricação de
alguns instrumentos de trabalho é que surge o REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
comércio, porém ainda bastante incipiente. Se As características tidas como principais são:
algum grupo de pessoas tivesse por exemplo, trigo • aplicação da energia à indústria;
ou centeio de soja, trocava-o por mantimentos, por • melhoramento dos meios de transporte e
bois, cabras etc, dando origem assim, ao tipo de • comunicação, desenvolvimento tecnológico.
comércio chamada de troca direta, pois consistia na
troca de um produto por outro. Dentre as melhorias verificadas nos meios de
Na antigüidade, com o surgimento das transportes, passaram a ser constituídas estradas
primeiras civilizações, o comércio se desenvolveu de ferro e os navios à vapor aumentaram a
bastante, surgindo a moeda, como meio de troca, eficiência dos transportes marítimos.
ou seja, a troca indireta. Os Egípcios utilizavam O emprego de máquinas na fabricação de
como moedas, argolas de cobre ou de ouro com bens de consumo, aumentou a produção e alterou
peso fixo. as relações comerciais, provocou também a
A moeda propriamente dita, com símbolos substituição dos produtos comercializados: bens de
cunhados, como a conhecemos hoje, só foi luxo e ornamentos deram lugar aos bens de
inventada pelos Lídios, no século VII a. C. consumo para as populações que viviam do trabalho
nas fábricas e à matéria prima para as indústrias.
A partir de meados do século XIX, as

remunerar – pagar; ordenado; gratificar. grandes potências industrializadas passaram a

autônomo – que se governa por leis próprias; independente, disputar os mercados internacionais fornecedores de
livre. matéria-prima e consumidores de produtos
 industrializados.
subordinado – dependente; subalterno; individuo as
ordens de outros; empregado; criado. As conseqüências da revolução industrial e
 o embasamento para as nações poderosas de hoje.
britamento – ação de britar, quebramento; partir quebrar
pedras; fragmentar.

cunhado – marcado; selado com ferro, a marca

impressa por ferro; uma das faces de certas moedas, retrocesso – ato ou efeito de retroceder; volta ao
na qual se representavam as armas reais. primeiro estado; retirada; atrasamento.
5 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,
propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

Os países produtores de matéria-prima são RECURSOS MATERIAIS E HUMANOS


obrigados a vender seus produtos a preços baixos Do ponto de vista de recursos, materiais e
aos países industrializados. Estes, por sua vez, humanos, é necessário a execução dos planos
vendem os produtos industrializados a preços previamente estabelecidos pelo planejamento.
elevados, fazendo com que os países ricos tornem- Os recursos devem estar adaptados aos
se cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais métodos e procedimentos previamente
pobres. estabelecidos pela empresa. Com isso, o
administrador deve localizar e atrair para a
organização pessoas e materiais capazes, que
preencham os requisitos necessários à execução das
atividades da empresa.
UNIDADE – II

ORGANIZAÇAO DE EMPRESAS RECURSOS MATERIAIS


Dividem-se em:
a) recursos materiais ligados à produção
NOÇÕES GERAIS:
industrial: matérias-primas que serão transformadas
Organização é uma palavra que pode ter
pela empresa em produtos de consumo para a
dois sentidos. Entende-se organização no sentido de
sociedade, isto é, máquinas, equipamentos diversos,
sistema empresarial quando relacionam as
edifícios comerciais, residenciais e instalações;
empresas produzindo, interligadas, produtos para a
b) recursos financeiros: utilizados para
sociedade.
manter a empresa em funcionamento.
É típico o sistema econômico brasileiro. No
sentido de função administrativa, organização pode
ser definida como a construção da estrutura de
ASPECTO OPERACIONAL
recursos e de operações da empresa.
Do ponto de vista operacional, organização
significa agrupamento de atividades necessárias
para a execução dos planos em unidades
OS RECURSOS OPERACIONAIS E DE
produtivas.
PRODUÇÃO DA EMPRESA SÃO:
O agrupamento de atividades se realiza
a) capital: equipamentos, ferramentas,
mediante a divisão e distribuição do trabalho para
máquinas e recursos financeiros;
ser realizado em tarefas. Tarefas são divididas de
b) trabalho: mão-de-obra (pessoal) e as
acordo com a seqüência de operações.
rotinas de trabalho.
Como exemplo de tarefa cita-se o trabalho
a ser realizado em determinado tempo, para a
Do exposto, conclui-se que organização é a
empresa cumprir com a obrigação contraída,
ação de estruturar a empresa, reunindo pessoal
entregando a mercadorias vendida; o administrador
capacitado e equipamentos necessários ao trabalho,
fará que seus subordinados executem os serviços
de acordo com o planejamento elaborado.
planejados; o administrador deverá transmitir os
planos de execução aos subordinados e estimulá-los
PLANEJAMENTO
de maneira a despertar-lhes a motivação, o
Pressupõe uma previsão do que deverá
interesse para atingir as metas pré-determinadas
acontecer com a empresa dentro de certo período.
pela empresa.
Tal previsão pode ser chamada de projeção de
Metas são os objetivos a serem atingidos
referência, possibilitando especificar qual o futuro da
dentro de um período pré-determinado. A
organização no sistema empresarial (Russel L.
transmissão dos planos é feita através de
Ackolf).
instruções, ou ordens. As ordens podem ser escritas
ou orais. Quanto mais complexa a ordem, maior é a
precisão que se deseja para o seu cumprimento,
ELETROELETRÔNICA ORGANIZAÇÃO devendo, nesse caso, ser por escrito.
E NORMAS As etapas já mencionadas (organização,
planejamento e direção) devem ser seguidas de
controle, que significa a verificação da execução, ou
SISTEMA avaliação dos resultados. O Controle verifica até que
É um conjunto de partes coordenadas entre ponto foi observado o plano de execução e aponta
si. as falhas, bem como as correções que devem ser
Daí, encontramos a empresa econômica feitas nas atividades da empresa.
como sendo parte de um todo, isto é, o sistema Desta forma, conclui-se que os planos
integrado. Significa que varias partes integradas, ou empresariais são seguidos de providências para a
agrupadas entre si, concorrem para obter o organização dos recursos, de ordens e instruções
resultado produtivo. É como o corpo humano, que aos subordinados e verificações de resultados de
possui vários órgãos, coordenados entre mantendo atividades da empresa.
a estrutura funcional: a vida (teoria existencialista).

6 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

PRINCÍPIOS E APLICAÇÃO DE O elemento essencial do planejamento é o


ADMINISTRAÇÃO projeto, o qual analisa e avalia todas as
O administrador ao ser chamado para possibilidades de sucesso ou insucesso da atividade
planejar, organizar, dirigir e controlar as atividades empresarial.
da empresa, atua sobre seu patrimônio e o
pessoal, que visa lucros. nas atividades industriais, Organização: organizar uma empresa é
comerciais (compra e venda de imóvel) e de dotá-la de todos os elemento, necessários ao seu
serviços (administração de imóvel), e mesmo funcionamento, a saber: material, pessoal habilitado
entidades que não visam a lucros, como clubes e capital, Uma das causas mais comuns de
esportivos, fundações e outras instituições administração deficiente está na falta de atenção,
filantrópicas. Nestas, o lucro, ou sobra de capital, dada à própria estrutura organizacional da empresa.
denomina-se “superavit”. Organização planejada revela se através
Dentro dos princípios administrativos das seguintes tarefas:
destacam-se a informação administrativa, fixação de I - agrupamento, em unidades práticas, das
objetivos, divisão do trabalho, delegação de atividades previstas no planejamento, para
autoridade, justiças e avaliação. A informação é a obtenção do objetivo;
coleta de dados, registros e demonstração contábil. II - designação de pessoas para
Os princípios administrativos devem ser estudados desempenhar atividades específicas. Isto se chama
sobre enfoque de diferente, funções. divisão do trabalho;
III - delegação de poderes, para integrantes
do grupo, em cada unidade de serviço;
FUNÇÕES IV - definição de responsabilidades ou
obrigações de prestar contas dos elementos
FUNÇÃO ADMINISTRATIVA investido de poderes através dos órgãos. Órgão é
A função administrativa é de natureza um conjunto de meios, material e pessoal formando
universal, comum a qualquer cargo relacionado com uma unidade, que executa os mesmos serviços.
a administração. É função de caráter decisório. Função significa executar as tarefas designadas.
Para exercer função administrativa é
necessário conhecimento técnico para melhor Comando: esta missão se reparte entre os
orientação das decisões no campo da administração. diversos chefes da empresa, cabendo a cada um os
Compõe-se de seis elementos: encargos e as responsabilidades de sua unidade, em
Previsão: consiste em prever o futuro das fazê-la funcionar.
atividades com aproximação dos acontecimentos a Denomina-se estrutura informal a forma
serem realizados pela empresa. A sua base científica pela qual a empresa está estruturada pela iniciativa
está no princípio de que tudo que foi constante no das pessoas.
passado, é provável no futuro, nas mesmas Não existe nada escrito, mas verbal. É
circunstâncias. Tudo na vida deve ser previsto, para assim que funcionam as micro e pequenas
que não sejamos surpreendidos sem saber o que empresas, e os órgãos dos Estados desorganizados,
fazer. que não têm comando.
Conhecendo-se o passado e observando o Já na estrutura formal, seguida pelos
presente da empresa, pode-se prever o futuro com administradores, há um planejamento adotado pela
bastante aproximação. A empresa precisa fazer suas linha de autoridade, subordinação, hierarquia e
previsões financeiras, de caixa, de pessoal, de responsabilidade.
contas a pagar e outras. Exemplo: ao observar o A obediência à autoridade hierarquicamente
desempenho das atividades da empresa, no superior é uma constante. A arte de mandar exige
passado, pode-se projetar, com 20%, as suas capacidade e conhecimento dos princípios gerais de
atividades para o futuro exercício. administração.

Planejamento: planejar é elaborar o Assim, o chefe deve:


programa de ação de trabalho. Efetuadas as I. ter conhecimento profundo do seu papel;
previsões, conhecidas às tendências e a capacidade II. eliminar os incapazes e dar bom exemplo,
de consumo do mercado, através de pesquisa de com justiça;
mercado, estará a empresa em condições de III. conhecer as convenções da empresa;
planejar e organizar os orçamentos, os IV. promover reuniões com seus principais
cronogramas, os mapas e ordens aplicáveis a todos colaboradoras, no sentido de manter a
os setores da organização. unidade de direção e convergência de
esforços;
V. incentivar no pessoal a atividade, a
iniciativa e a dedicação ao trabalho. A

patrimônio – qualquer bem, materiais ou morais; conjunto autoridade é o direito de mandar e de se
dos bens avaliáveis em dinheiro. fazer obedecer.

instituição filantrópica – instituição de caridade,
benfeitoria; dedicação humana.

superávit – lucro; excesso, o excedente em favor da
receita de um orçamento.
7 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,
propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

A responsabilidade é a obrigação de fazer e FUNÇÃO FINANCEIRA


prestar contas do que foi feito. Na empresa, todos Esta função tem por finalidade prover a
os funcionários têm suas obrigações e devem empresa dos meios monetários indispensáveis à
prestar contas para um único chefe. A estrutura da liquidação dos pagamentos, dos ordenados e
organização formal das empresas pode ser feita de salários do pessoal; dos recursos à expansão dos
várias maneiras, porém, as mais usadas são: negócios da empresa e deve tirar melhor proveito
• organização linear, ou militar; possível das disponibilidades, bem como evitar
• organização funcional; aplicações imprudentes de capital.
Aqui se inclui a programação orçamentária
da empresa. O orçamento nada mais é do que um
plano das necessidades financeiras e uma estimativa
ORGANIZAÇÃO DE LINHA E (previsão) da receita e despesa durante
ASSESSORIA. determinado período, geralmente um ano.
Na organização linear ou militar a A elaboração de um orçamento compreende
disciplina está em primeiro lugar. As ordens vêm de as seguintes fases:
cima para baixo e têm que ser cumpridas. • Estimativa das receitas e fixação das
Na organização funcional, o chefe precisa despesas com um programa racional
ser criativo e ter conhecimento das suas funções e objetivo;
das atividades dos órgãos da empresa. É necessário • Elaboração e distribuição das receitas e das
conhecimento do que está fazendo, pois as decisões despesas pelas diversas contas da empresa;
de um departamento não podem interferir nas • Preparação do programa de execução,
decisões de outro. acompanhamento e controle orçamentário;
Na organização de linha e assessoria, • Projeto de contenção de despesas no caso
acrescentam-se órgãos de assessoramento de ocorrer deficiência na arrecadação de
(consultor técnico), para prestar orientação aos receita (falta de pagamento, altas taxas de
dirigentes da empresa. juros), ou retração do mercado;
• Aprovação final pela diretoria;
Coordenação: coordenar é estabelecer a • Orçamento deve refletir o padrão
harmonia entre todos os atos da empresa, de modo organizacional da empresa.
a facilitar seu funcionamento e garantir-lhe êxito.

Controle: deve verificar se tudo se realiza Várias providências podem, e devem ser
conforme o programa adotado e tem por finalidade aplicadas na contenção de despesas, destacando-se:
detectar as falhas e os erros, a fim de corrigí-los a
tempo. I. aproveitamento racional constante de
pessoal e material, especialmente nas
Assim, controlar é verificar: áreas úteis;
I. se os serviços são realizados de acordo II. treinamento e aperfeiçoamento do
com as normas legais, administrativas e trabalho em horas ociosas e
técnicas: controle de fichários, arquivos e aproveitamento pleno do material;
tabelas de vendas; III. redução progressiva dos custos
II. se não há prejuízos ou riscos para o operacionais, através da racionalização do
patrimônio e os interesses da empresa, material utilizado e do trabalho; redução
no âmbito financeiro, contábil e dos gastos com pessoal desnecessário,
comercial. energia elétrica, consumo de águas,
III. se estão sendo cumpridas as decisões da telefone, combustível e outros;
administração, segundo os objetivos IV. modernização dos conhecimentos e
estabelecidos. aperfeiçoamento dos avanços
tecnológicos, no sentido de melhor
adequar a empresa.
FUNÇÃO TÉCNICA
Trata-se de função relativa aos fins de,
atividades da empresa. Assim, numa empresa FUNÇÃO SEGURANÇA
industrial, a sua finalidade é a transformação das Tem a missão de proteger os bens e as
matérias-primas em produtos; a sua função técnica pessoas que trabalham na empresa de todos os
se localiza no setor da produção. Numa empresa de riscos contra a integridade física, furto, incêndio,
transporte, a função técnica é a transladação de inundação; e de evitar graves atentados e todos os
coisas e pessoas. Numa escola, o ensino. Na obstáculos de ordem social que possam
empresa imobiliária, a função técnica está na comprometer o progresso e a vida da empresa.
avaliação de imóvel e na administração da empresa.
A função técnica é desempenhada por Engenheiros,
Advogados, Economistas, Contadores, FUNÇÃO COMERCIAL
Administradores e outros técnicos. Trata da compra e da venda de
mercadorias, de serviços e de utilidades para a
empresa. A prosperidade de uma empresa depende

8 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

basicamente da atuação comercial, quanto das DEPARTAMENTALIZAÇÃO DE


demais funções, porque se o produto não for
vendido a empresa perecerá.
EMPRESA

A função comercial constitui-se dos seguintes Vimos anteriormente as características das


elementos: funções administrativas e técnicas. No
• Análise de mercado. é a operação através da planejamento, a direção e o controle ocorrem em
qual procura se conhecer as tendências, as momentos e setores diversos da empresa, havendo
preferências e a capacidade de consumo de necessidade de aplicação de conhecimentos
uma determinada população. Isto se faz por técnicos. Porém, o administrador pode contar com
meio da pesquisa de mercado; assessores no desempenho de suas funções.
• Compra: no aspecto mercantil é a aquisição Departamentalizar significa que cada
de mercadorias, para revenda, dentro do departamento seja agrupado aos setores ou
planejamento de vendas. É a operação de unidades da empresa em funções semelhantes para
escolher e adquirir coisas que vão ser facilitar a execução das tarefas. A construção da
utilizadas ou oferecidas ao mercado: estrutura de operações da empresa compreende
mercadorias ou serviços; vários conceitos, dentre os quais a divisão do
• Armazenamento: realizadas as compras, é trabalho em unidades administrativas e produtivas.
necessário guardar convenientemente o que
foi comprado. Isto quer dizer, poder um
produto ser facilmente localizado quando DIVISÃO DO TRABALHO
procurado no armazém; O princípio da divisão do trabalho consiste
• Cadastro: devem-se cadastrar os em agrupar ou dividir as funções básicas e
fornecedores e os compradores, pois derivadas, bem como as atividades que contribuam
realizadas as compras, adquiridas as eficazmente para que a empresa atinja seus
mercadorias e armazenadas, objetivos.
convenientemente, necessário será vendê- A estrutura de operações de qualquer
las. Para isso, é indispensável conhecer a empresa resulta em uma divisão do trabalho em
freguesia, sua idoneidade, capacidade unidades, realizada segundo certos critérios,
financeira e o limite de crédito. Esta é a definição das relações de comando e subordinação
função do cadastro: fornecer informações à em cada unidade da empresa. A divisão do trabalho
empresa; é considerada um dos princípios fundamentais da
• Propaganda: adquirida a melhor mercadoria, organização. Ela existe porque o trabalho do homem
dispondo-se de um bom cadastro e é dividido em tarefas, já que tudo não pode ser feito
conhecendo-se a clientela e seu potencial, é ao mesmo tempo. A divisão do trabalho significa a
preciso fazê-la interessar-se pela aquisição distribuição, quando há especialização das tarefas,
daquilo que se pretende vender. entre várias pessoas, cujo resultado será maior e
• Através da propaganda pode ser estimulada melhor qualidade de produção.
a vontade de comprar; A divisão do trabalho não visa somente a
• venda e expedição: a ação de vender é uma alcançar maior rendimento produtivo, mas seus
arte difícil. Venda, no aspecto mercantil, É a fundamentos, porque:
transferência de um bem (mercadoria), à • ninguém pode fazer duas coisas ao mesmo
vista ou a prazo, com a finalidade de se tempo;
obter lucro. Em se tratando de arte, não é • ninguém pode estar em dois lugares ao
vendedor aquele que quer, mas quem possui mesmo tempo;
qualidades para tal, as quais podem ser • na organização da empresa as operações e
aperfeiçoadas pelos estudos e pela prática. os serviços dividem-se entre várias setores
de trabalho: compras, vendas, estoques,
finanças, contabilidade (controle) e pessoal,
Uma vez vendida a mercadoria, é preciso cujos dirigentes dividem o trabalho entre si e
entregá-la ao comprador de maneira satisfatória. com os supervisores, encarregados e
Esta é a função da expedição: providenciar a auxiliares.
entrega da mercadoria dentro dos prazos
combinados.
TRABALHO EM EQUIPE
Dificilmente uma pessoa pode conhecer
FUNÇÃO CONTÁBIL todos os assuntos de uma empresa. Assim, a
A função contábil constitui o órgão de visão permuta de informações é indispensável à
das empresas e deve revelar a posição do negócio compreensão dos aspectos essenciais de cada um
através do levantamento contábil. favorecendo a interligação do trabalho, dos setores
e das pessoas.


departamentalizar – circunscrição administrativa,
repartição pública; divisão.
9 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,
propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

Para a divisão do trabalho em unidades, ou utilizado o uso de critério de processo em operações


departamentos, faz-se necessário conhecer os especializadas, por exemplo: os serviços de
critérios e seus fundamentos. mecanografia, desenho, impressão e outras, os
quais podem ser indicados pelo nome de suas
Primeiro critério: um dos critérios clássicos respectivas especializações, ou serem numerados,
da divisão do trabalho tem sido a de separar as ou alfanuméricos, de acordo com os critérios da
atividades segundo sua natureza. Na empresa de administração geral.
fabricação, a produção de bens de consumo e a
venda desses bens aos consumidores. DEPARTAMENTALIZAÇÃO POR
Assim, produção e venda são atividades PROCESSO
básicas da empresa. Nesse critério clássico a
empresa terá dois departamentos básicos: Administração Geral

departamento de produção e departamento de


Dep. de Produção Dep. de Vendas Dep. de Finanças Dep. Pessoal Dep. de Serviços
vendas. Além desses dois departamentos básicos,
poderão ser criados outros, como o de finanças, o Seção 1 Seção 2 Seção 3 Serviço A Serviço B Serviço C
de pessoal e o de serviços.
Quadro III
Concluindo, a departamentalização pôr
natureza de atividade resulta na instituição de
unidades de produção, vendas, finanças, pessoal e
Quarto critério: este critério adota a
serviço.
departamentalização pôr território, ou geográfico,
que comumente ocorre na área de vendas da
DEPARTAMENTO POR NATUREZA DE
empresa.
ATIVIDADE
Segundo este critério, quando uma empresa
distribui a diversas localidades geográficas, pode
haver divisão territorial de venda. Nessa divisão,
Administração Gerali pode ser dada maior atenção às atividades locais,
com vantagens para a eficiência da empresa.

Dep. Prod. Dep. Vendas Dep. Financeiro Dep.Pessoal Dep. de Serviço


DEPARTAMENTALIZAÇÃO PÔR
TERRITÓRIO
Quadro I
Administração
Segundo critério: o segundo critério de Geral
divisão do trabalho do pode ser o de agrupamento
das atividades ligadas a cada produto em unidades
estanques. Este critério é usado em empresas que Dep. de Dep. de Dep. de Dep. de Dep. de
pretendem encorajar a concorrência entre unidades, Produção Vendas Finanças Pessoal Serviços
dentro de limites estabelecidos pela administração
geral, com o fim de aumentar a eficiência em todas
as atividades ligadas a cada produto. Região 1 Região 2 Região 3

DEPARTAMENTALIZAÇÃO POR
PRODUTO Quadro IV

Administração Geral Quinto Critério: pode ocorrer, ainda no setor


de vendas, a departamentalização pôr clientela,
serviços ou atendimentos. As seções das grandes
Departamento do Departamento do Departamento do lojas estão comumente divididas, segundo este
Produto "X" Produto "y" Produto "Z" critério, bem como os bancos. Pôr exemplo: pode-se
atender à clientela infantil numa seção, a clientela
feminina numa outra e à clientela masculina numa
Quadro II terceira.
Este critério, aliado às técnicas de
marketing, pode ser conjugado aos anteriores.
Terceiro critério: é comum encontrar-se a Nesse caso, a clientela pode ser dividida segundo o
departamentalização por processo, onde a divisão seu poder aquisitivo, ou classe social.
do trabalho é baseada num tipo ou numa seqüência
de operações. Essa departamentalização é freqüente
no setor de produção, onde o próprio equipamento é
especializado em cada operação de fabricação. Por
exemplo: numa fábrica de malha, podemos 
mecanografia – utilização de máquinas de escrever, de
encontrar seções separadas para tricotagem, corte, calcular, duplicadores e assemelhados, para a execução de
costura, inspeção, embalagem e despacho. Pode ser trabalhos de escritórios.
10 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,
propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

DEPARTAMENTALIZAÇÃO POR ESTRUTURAS ORGANIZATIVAS


CLIENTELA

Administração A tarefa do administrador na construção da


Geral
estrutura de operações da empresa não se restringe
à divisão do trabalho; é preciso que a
Dep. de Dep. de Dep. de Dep. de Dep. de Serviços administração, tão logo, esteja definida a
Produção Vendas Finanças Pessoal
departamentalização, proceda à definição das
relações de comanda e subordinação, autoridade e
Clientela 1 Clientela 2 Clientela 3 responsabilidade, entre as unidades da organização,
e dentro de cada unidade previamente estabelecida.
Quadro V A definição das relações de comando e
subordinação deve completar, de forma harmônica,
a departamentalização da empresa dando à
Combinação de critérios: na prática, os estrutura operacional a possibilidade de contribuir
critérios examinados podem aparecer em satisfatoriamente para a realização dos planos-fins
combinações de vários tipos. Assim, na empresa (a curto prazo) e dos planos-meios (a longo prazo)
departamentalizada, podemos encontrar num da empresa, com objetivo de levantar e investigar
segundo nível o uso de critérios pôr produto. problemas técnicos administrativos e operacionais.
Inversamente, pode ocorrer a departamentalização
básica pôr produto, e, num segundo nível, a divisão
pôr natureza de atividades. Em qualquer dos casos, CONCEITO DE AUTORIDADE
pode haver subdivisões, segundo os critérios de Autoridade pode ser definida como o direito
processo, território ou clientela. de guiar ou dirigir outras pessoas, obtendo uma
conduta condizente com os objetivos da empresa.
Direito de mandar e de fazer obedecer. Dentro da
COMBINAÇÃO DE CRITÉRIOS NA organização encontramos a delegação de
DEPARTAMENTALIZAÇÃO autoridade, em que se formam níveis hierárquicos,
numa cadeia ininterrupta de delegações entre
Administração superiores e subordinados.
Geral Toda empresa apresenta vários níveis de
comando e subordinação e, em cada nível, a
autoridade emana do nível superior e é delegada ao
Dep. de Dep. de Dep. de Dep. de Dep. de inferior, constituindo a ligação contínua entre os
Produção Vendas Finanças Pessoal Serviços cargos administrativos.

Produto "X" Filial 1 Serviço 1 DELEGAÇÃO DE AUTORIDADE


Produto "Y" Filial 2 Serviço 2

Produto "Z" Filial 3 Serviço 3

Clientela A Clientela B

Quadro VI

Conclusão: a departamentalização ideal é


aquela que facilita a coordenação e aproveita a
especialização do trabalho na organização. Esse
ideal é difícil de se atingir, pois a escolha de um
critério que facilite a coordenação leva sempre a
alguma perda de especialização e vice-versa. Assim,
é muito variável a aplicação dos critérios vistos, Fig. 1
resultando estrutura de operações bastante Hierarquia:
diversas. Convém não esquecer que a 1° nível
departamentalização leva sempre em consideração 2° nível
os planos-fins e os planos - meios, previamente 3° nível
definidos, aproveitando, ao mesmo tempo, e na 4° nível
medida do possível, a especialização. A pequena etc
empresa pode servir-se de todas essas técnicas
aplicáveis a qualquer tamanho de sua empresa, Na escola clássica de administração a
desde que sejam observadas as necessidades da explicação para a existência de autoridade na e
empresa. empresa recorre ao seguinte fundamento: a
autoridade nos sistemas organizacional só existe em

11 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

funções das instituições básicas da sociedade. Como 2) leis e regulamentos aplicáveis na empresa;
exemplo, no caso da empresa, na instituição da
propriedade privada. II. limitação da divisão do trabalho: definição de
Porém, é conveniente lembrar que a autoridade, segundo a departamentalização,
autoridade não é restrita aos sistemas organizados, a qual é a divisão em unidades;
podendo surgir, tão logo se inicie um esforço em
grupo, seja ele planejado ou não. III. limitações físicas, biológicas, técnicas e
econômicas: delegação de autoridade,
segundo o estudo de desenvolvimento
LIMITAÇÃO DE AUTORIDADE tecnológico e econômico da empresa.
Falamos na delegação de autoridade em
cada nível da organização. A origem da autoridade
nos sistemas organizados nos lembra que ela RESPONSABILIDADE
decorre das instituições básicas da sociedade e de Autoridade, com todas essas restrições, não
definição legal específica. Isso significa que a existe pôr si só. Assim, “a todo direito corresponde
delegação de autoridade não pode ser absoluta, pois uma obrigação”; também à autoridade corresponde
sempre depende das imposições externas de leis e a responsabilidade.
regulamentos que afetam a empresa. Responsabilidade é a obrigação ou o dever
O exercício da autoridade na empresa é de cada pessoa, à qual se delegou autoridade, de
limitado pela própria divisão do trabalho, a executar o que lhe foi determinado. A
departamentalização. De acordo com a divisão em responsabilidade está diretamente ligada à
unidades, haverá delegação de autoridade ao autoridade e não pode excede-la, pois aranhas
gerente de produção para desenvolver as operações estão no mesmo pé de igualdade.
de produção; e ao gerente de vendas, para A responsabilidade não pode ser delegada;
desenvolver as atividades de vendas. Nesse caso, o uma vez delegada a autoridade, a responsabilidade
gerente de produção não poderá ultrapassar seu pelo comprimento das tarefas a que se refere a
âmbito de operações, e exercer autoridade, pôr autoridade é total.
exemplo, sobre os vendedores da empresa. Pôr
outro lado, o gerente de vendas não poderá exercer
autoridade sobre as atividades da produção. O AUTORIDADE DE LINHA E AUTORIDADE
mesmo vale para todas as unidades da empresa. FUNCIONAL
As relações básicas, dentro da estrutura da
Assim, a delegação de autoridade se organização, são as de autoridade de linha, que
resume em: podem ser definidas como o poder de comando
• à proporção que aumenta seu trabalho, em superior sobre os subordinados. Em princípio, cada
volume e espécie, e ainda a pessoa, na empresa, deve receber ordens somente
responsabilidade, o dirigente deve transferir de um chefe.
parte dele para outras pessoas, delegando- Essa é a regra de unidade de comando e
lhes a competente autoridade, para a prática corresponde à existência da autoridade de linha ou
dos atos correspondentes; linear.
• há dirigentes que resistem a essa Na prática, nas empresas que desenvolvem
transferência, pelo receio de perder o atividades diversas e complexas, muitas vezes é
controle dos assuntos e a autoridade, o que necessário que a autoridade linear seja completada
nem sempre é verdade, porque há muitos com autoridade funcional.
meios de controle; Nesse caso, alguns administradores, que
• a delegação deve ser dada para pessoas não têm autoridade de linha sobre certas unidades
suficientemente capazes (gerente ou chefe), da organização, podem determinar funções,
com conhecimento e responsabilidade para o métodos, políticas e metas a outras unidades.
cargo, e não parentes e amigos
incompetentes. Exemplo: o departamento pessoal de uma
empresa pode ter autoridade para estabelecer a
escala de salários de todos os funcionários da
A delegação de autoridade evita a excessiva empresa e os administradores dos demais
concentração de poder, que só prejuízos (em muitos departamentos estão impedidos de oferecer a seus
casos) acarreta à empresa. Para isso, quem ocupa subordinados salários incompatíveis com essa
um cargo deve estar em condições de cumprir as escala.
tarefas e obrigações que o caracterizam.
Com essas restrições, fica claro que a
autoridade, na empresa, é delegada de forma AUTORIDADES E ASSESSORIA
específica, embora se baseie num preceito de ordem Já observamos que a tarefa de assessoria
universal, decorrente da necessidade de na empresa se refere à assistência, à recomendação
desenvolver o esforço em grupo. Assim, as ou ao planejamento de atividades. A assessoria não
limitações de autoridade são: é um tipo de autoridade: é, sim, a extensão da
I. limitações institucionais e legais: autoridade básica dos administradores a pessoas,
1) definição de instituições básicas da sociedade; setores ou entidades, que possam desempenhar

12 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

funções técnicas e especializadas. Os assessores podem ser representadas graficamente no


trabalham na assistência aos cargos que têm organograma.
autoridade de linha e autoridade funcional,
levantando e investigando problemas técnicos,
administrativos ou operacionais, analisando e DEFINIÇÃO E UTILIZAÇÃO DO
interpretando fatos e recomendando a adoção de ORGANOGRAMA
planos-fins e planos meios. Organograma é uma figura gráfica,
basicamente de duas partes interligadas, linhas e
retângulos. As linhas representam o fluxo da
CENTRALIZAÇÃO E DESCENTRA- autoridade ou a ligação de unia unidade e suas
LIZAÇÃO DE AUTORIDADE subordinadas na empresa; os retângulos
A empresa pode, do ponto de vista da representam os cargos administrativos entre os
autoridade, ser centralizada ou descentralizada. quais flui a autoridade ou subordinação entre as
Quando a empresa é centralizada, as várias unidades que integram a estrutura
decisões mais importantes são tomadas nos níveis organizacional.
da hierarquia superior, uma supervisão maior sobre O organograma revela com clareza, em
os escalões inferiores da empresa. linhas gerais e esquemáticas, as divisões em
Ao contrário, quando a empresa é unidades administrativas e a definição de delegação
descentralizada, a maioria das decisões importantes de autoridade entre essas unidades. Como há
é tomada na parte inferior da hierarquia e há maior divisões lógicas e aceitáveis do trabalho, e
iniciativa nas decisões tomadas nesses níveis. delegações de autoridade que completam de forma
Esses dois tipos de organização apresentam harmônica essas divisões, o organograma é uma
vantagens. Na empresa centralizada há necessidade espécie de “mapa” da empresa e constitui
de um menor número de administradores de alto importante fonte de informação para funcionários e
nível e maior uniformidade nas decisões. Pôr outro outras pessoas ou entidades interessadas na
lado, na organização descentralizada, existe maior empresa.
rapidez nas decisões e aumento da moral e da
experiência dos administradores nos escalões
médios e baixos da hierarquia. FLUXOGRAMA
Ao delegar autoridade, a administração da
empresa deve considerar essas vantagens para Fluxograma é um gráfico que representa o
definir se será uma empresa centralizada ou movimento ou rotina de serviço, mostrando todas as
descentralizada. suas fases ou etapas. Procura mostrar a atividade
Exemplo de empresa descentralizada são os de um órgão, em relação às suas funções, cujas
bancos, com suas agências, com vida quase própria. atividades são realizadas através das rotinas de
trabalho.
O fluxograma deve representar claramente
Em resumo, temos: os setores ou unidades de trabalho, as ligações
entre os setores, as tarefas de cada unidade de
ORGANIZAÇÃO CENTRALIZADA: trabalho, bem como as seqüências das operações.
I. decisões mais importantes nos níveis
superiores da hierarquia;
II. maior supervisão sobre os níveis inferiores TIPOS BÁSICOS DE ORGANOGRAMAS
da hierarquia;
Há vários tipos de organogramas. Porém, os
mais conhecidos e divulgados são o Francês e o
ORGANIZAÇÃO DESCENTRALIZADA: Americano.
I. maior número de decisões importantes nos O organograma americano é mais adotado
níveis inferiores da hierarquia; em virtude de sua simplicidade. O organograma
II. maior iniciativa nos níveis inferiores da francês é usado quando se julga conveniente
hierarquia; divulgar os nomes dos administradores, além dos
III. maior qualificação nos níveis inferiores. títulos dos seus cargos, e também as
responsabilidades e o número de funcionários de
cada unidade da empresa.
GRÁFICOS DE ORGANIZAÇÃO Cada tipo de organograma obedece a uma
série de convenções de representação, que são
obedecidas em nossas empresas:
Já estudamos nas unidades anteriores os • O retângulo superior do organograma
critérios da divisão do trabalho, delegação de representa a autoridade maior dentro da
autoridade e atribuição de responsabilidade. Vimos
empresa: Presidente, Conselho de Diretoria,
que a definição das relações de comando e
Conselho de Administração, Diretoria
subordinação deve complementar, de forma
Executiva, etc;
harmônica, a departamentalização da empresa.
• Os retângulos ligados diretamente à
A delegação de autoridade na empresa e a
autoridade suprema referem-se a diretores,
divisão do trabalho em unidades administrativas que chefiam ou dirigem diretorias;

13 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

• Os retângulos ligados a cada um dos manual de organização. Esse manual contém


diretores referem-se a gerentes, que chefiam informações adicionais que, pela sua natureza, não
departamentos ou divisões; podem aparecer no gráfico de representações de
• Os retângulos ligados a gerências referem- estrutura da empresa.
se as seções comandadas ou dirigidas por O manual de organização compreende, além
chefes; do organograma, uma descrição breve dos objetivos
• As autoridades subordinadas às seções são da empresa e descrições das funções
conhecidas como subseções, ou setores, sendo desempenhadas em cada cargo administrativo. O
dirigidas por subchefes, supervisares, manual de organização costuma receber
encarregados; denominações diversas: na administração pública,
• Os cargos e unidades citados estão sempre regimento interno, nas sociedades por ações, por
colocados na medida do organograma; força do disposto no artigo 2º parágrafo 2º da Lei
• Os cargos de assessoria são colocados em 6.404176, o estatuto social define a estrutura da
ramais do organograma (figura 2); companhia; estatuto, simplesmente, nas fundações
• As linhas servem para ligar os retângulos e sociedades civis não lucrativas; e, ainda contrato
entre si, indicando a subordinação. social nas companhias de responsabilidade limitada
(Ltda.).
As empresas geralmente adotam o manual
de organização, ou manual de informações, ou
manual de rotinas de serviços, tratando da
organização da empresa e do campo de atuação de
cada autoridade e o inter-relacionamento das várias
unidades, da competência de cada uma das
unidades e autoridades, definindo assim, as normas
de serviços e procedimentos de rotinas para o
desenvolvimento das atividades previstas no
referido manual.

ESTRUTURA DO MANUAL DE ORGANIZAÇÃO


Fig.2
Um manual de organização deve conter:

OBJETIVOS GERAIS:
Observamos que os títulos dos cargos
• preservar a livre iniciativa, mediante
obedecem a uma certa normatização, o que facilita
oposição ao monopólio em qualquer de suas
a identificação dos níveis hierárquicos na empresa.
funções;
A distinção entre medula e ramais auxilia o
• pesquisar e desenvolver conhecimentos
reconhecimento imediato dos cargos de assessoria,
administrativos e tecnológicos;
que são extensões dos cargos em que há autoridade
• tomar a empresa o melhor lugar de trabalho,
linear e autoridade funcional (figura 3).
com satisfação para executá-lo.

A NOMECLATURA NO ORGANOGRAMA
OBJETIVOS FINANCEIROS:
Outras formas de representação da
• melhorar continuamente suas instalações e
estrutura: além da representação básica, feita em
dar condições de trabalho;
linha e retângulos, podemos encontrar
• promover razoáveis dividendos a seus
organogramas circulares que, observando as
acionistas;
convenções gerais dos organogramas clássicos,
• manter uma estrutura financeira sadia,
representam formas que permitem uma visualização
preservando sua liquidez;
gráfica mais resumida da empresa.
No organograma circular, geralmente para
estruturas amplas, é usada uma legenda à parte
OBJETIVOS DE VENDA:
precedida de um número que indica o que
• vender produtos da mais alta qualidade;
representa o círculo que o contém.
• vender exclusivamente através da
Podemos, ainda, encontrar organogramas
organização da empresa;
coloridos onde as cores substituem as linhas
• manter e melhorar a posição da empresa no
pontilhadas e representam a autoridade funcional e
mercado;
os cargos de assessoria, o que, visualmente,
• atender a seus clientes de forma eficiente;
distingue de imediato a estrutura organizacional.

OBJETIVOS DE PRODUÇÃO:
MANUAL DE ORGANIZAÇÃO
• diversificar os produtos, mantendo sempre a
mais alta qualidade;
Para completar o organograma existe outro
instrumento de organização: o manual de função ou
14 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,
propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

• utilizar ao máximo as acomodações fabris • geográfico: pelos nomes das praças,


existentes na empresa. cidades ou regiões onde residem os
correspondentes.

ORGANIZAÇÃO DE FICHÁRIOS E
ARQUIVOS FUNDAMENTOS DA RACIONALIZAÇÃO

O arquivo é o lugar destinado à guarda e à A expressão racionalização apareceu por


conservação dos livros documentos e todos os volta de 1919, após a Primeira Guerra Mundial
papéis concernentes à empresa. (1914 - 1918), usada por Watter Rathenau (1867 -
1922), Ministro de Estado, na Alemanha, para
denominar a campanha de recuperação econômica
SÃO CONDIÇÕES DE ARQUIVAMENTO: daquele país, seguindo as normas de organização
• segurança: o arquivo deve oferecer garantia que muito sucesso obtiveram nos Estados Unidos.
de precisão no momento de se consultar Racionalização, como a própria origem
determinados documentos ou fichas. Deve indica, é a ação de tomar racional alguma coisa.
oferecer condições de conservação contra Dizemos que uma coisa é racional quando está, de
incêndios ou extravios; acordo com a razão; significa bom senso, normal.
• simplicidade: deve ser fácil compreensão, Racionalização é toda ação reformada que
pautando em normas claras e precisas, de visa substituir processo rotineiro e arcaico por
fácil manejo; medidas e métodos sistemáticos e modernos.
• flexibilidade: o sistema de arquivo deve
acompanhar o desenvolvimento da empresa.
Deve ser de fácil mano o arquivo morto; PARA SE RACIONALIZAR DEVEM SER
• acessibilidade: o arquivo deve permitir a SEGUIDOS OS SEGUINTES PRINCÍPIOS:
pronta localização do material guardado. • produzir mais com a mesma, ou melhor,
qualidade e com o mesmo ou menor
dispêndio unitário;
É de se considerar, também, os aspectos • remunerar bem os trabalhadores, os
relativos a classificação, catalogação e codificação diretores e os acionistas;
do arquivo. • manter o ambiente de trabalho agradável e
Classificar é o ato de adotar critérios para higiênico e diminuir o número de acidentes
ordenar o material a arquivar, facilitando a de trabalho, com menor custo de produção;
localização e o manuseio. • desenvolver ao máximo a harmonia entre as
Catalogar é preparar as fichas e os chefias e os subordinados; e obter o
documentos que possibilitarão a busca e a pronta verdadeiro êxito conciliar os interesses entre
localização desses documentos. Codificar é designar empregados, empregadores, consumidores e
os números, letras ou outros símbolos, a fim de se o governo.
distinguir as categorias a que cada documento deve
pertencer ou onde deve ser arquivado.
SÃO VANTAGENS DA
RACIONALIZAÇÃO:
NA NOMENCLATURA BÁSICA USE-SE: I- do ponto de vista da empresa:
• arquivo horizontal: com gavetas, de a) elevar a produtividade com o menor
acordo com o documento a ser guardado; capital de giro para o fim desejado;
• arquivo vertical: gavetas altas para pastas; b) reduzir o preço de custo, a fim de
• fichários horizontais e verticais: para aumentar os lucros;
guardar cartões ou fichas. c) melhorar o atendimento dos negócios,
para se defender das crises;
Ficha é um pedaço de cartolina, com
tamanhos variados. Pasta é um instrumento de II - quanto ao pessoal:
arquivo, feito de cartolina, com duas abas, contendo a) salários mais altos;
ferragens para prender os documentos nela fixados. b) melhor aproveitamento de suas aptidões;
c) melhor emprego de tempo nos
instrumentos utilizados, para menor desgaste.
EM RELAÇÃO AO SISTEMA, OS
ARQUIVOS PODEM SER:
• alfabético: por nome, em ordem alfabética;
• numérico: consiste em abrir “pastas” com
números sucessivos. Cada número
corresponde a um cliente ou fornecedor;
• por assunto: consiste em guardar toda a
correspondência, relacionada com o assunto,
na pasta;

15 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

III - produção de serviços;


IV - produção de pecuária agrícola.

Na produção de serviços destaca-se a


UNIDADE III intermediação financeira (bancos e financeiras),
intermediação não financeira (companhias
seguradoras, companhias de transportes e
EMPRESA transações imobiliárias).

CONCEITUAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO
QUANTO À FORMA, NO DESEMPENHO
CONCEITO DE SUAS ATIVIDADES ECONÔMICAS, AS
Empresa é toda organização de natureza EMPRESAS PODEM SER:
civil ou mercantil, destinada à exploração por I - públicas: quando o poder público
pessoa física, ou jurídica, de qualquer atividade com (Estado) é o seu proprietário. São criados por lei
fins lucrativos (Lei Federal nº 4.137, de 10.09.62, para explorar atividades econômicas;
art. 60). II - privadas: como o nome está a indicar,
Empresa significa negócio, comércio, pertencem a particulares (individuais e sociedades);
empreendimento e associação organizada. III - de economia mista: com capital do
O sistema organização, baseado no Governo e de particulares.
interesse geral e comum, tem Como característica
fundamental o planejamento das atividades. Este
planejamento significa definição prévia de objetivos QUANTO AO TAMANHO, DE ACORDO
a serem alcançados, como o lucro, a produção em COM SUA IMPORTÂNCIA ECONÔMICA
escala, uma boa distribuição das mercadorias, bom (PRODUÇÃO):
atendimento ao público e a permanência da I - pequenas: em função da produção e do
empresa no mercado ao longo do tempo. capital, seu proprietário é o administrador, gerente
e vendedor;
II - médias: onde um grupo de pessoa
OBJETIVOS apresenta bom movimento econômico e financeiro;
Os objetivos pretendidos são possíveis III - grandes as Sociedades Anônimas
através de dois fatores principais de produção: o (S/A), que reúnem grandes capitais para produção
capital e o trabalho. em larga escala;
No conceito de capital incluem-se terra, IV - gigantes ou multinacionais: empresas
espaço físico, material para execução das operações com poderio econômico muito grande, podendo
e recursos financeiros para mobilizar mercadorias e atuar em qualquer parte do mundo.
matérias-primas.
Trabalho é toda mão-de-obra aplicada na
elaboração dos produtos ou serviços. QUANTO AO TRABALHO INTERNO:
I - simples: as empresas comerciais e de
serviços;
CARACTERÍSTICAS II - complexas: as empresas industriais e
São características de uma empresa: comerciais ao mesmo tempo, que transformam
• existência de um patrimônio que permita ao matérias-primas em produtos finais, e
administrador assumir: risco de produção; comercializam seus produtos.
• combinação dos fatores de produção (capital III - Escolha de Atividades e Constituição.
e trabalho);
• participantes da empresa: o trabalho é
fornecido pelos assalariados o capital pelos ESCOLHA DE ATIVIDADES
proprietários e fornecedores; As empresas se destinam à produção e
• objetivos de venda no mercado: conhecer a comercialização de bens ou serviços. Para isso,
demanda, ou poder aquisitivo dos reúnem recursos financeiros, humanos e materiais.
consumidores; Os recursos humanos são as pessoas, com
• dever de maximizar o lucro, ou a renda conhecimento e tecnologia, que trabalham na
líquida, e diminuir os custos operacionais. empresa. Os recursos financeiros é o capital
utilizado na manutenção das atividades operacionais
da empresa. Este é o capital de giro. Recursos
CLASSIFICAÇÃO DAS EMPRESAS materiais são as máquinas e equipa - mentos,
matérias-primas e as instalações para produção de
AS EMPRESAS SÃO CLASSIFICADAS: bens e serviços. O empresário, após possuir os
recursos acima citados, deverá proceder a uma
QUANTO AO OBJETIVO DE pesquisa de mercado e avaliar quais são as
ATIVIDADES: necessidades da sociedade. Isto se faz através do
I - produção comercial; projeto e a sensibilidade (conhecimento) de
II - produção industrial; observação de um sistema econômico.

16 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

CONSTITUIÇÃO MONOPÓLIO
A empresa ou sociedade, seja industrial, O monopólio assegura o direito, ou
comercial ou de serviço é a pessoa jurídica privilégio para uma pessoa (física, jurídica ou
resultante de um contrato social, ou estatuto social pública) fabricar e/ou comercializar (comprar ou
através do qual duas ou mais pessoas, físicas ou vender) certos bens e serviços com exclusão dos
jurídicas, destinam certa contribuição de bens concorrentes. O monopólio pode ser de fato e legal.
(recursos financeiros, ou materiais), ou serviços, Será de fato como resultado da luta de concorrência
formando o patrimônio social da nova empresa. entre empresas, em que a mais forte elimina a mais
Pessoa física é o indivíduo capaz de assumir fraca. Monopólio legal é a intervenção do Estado na
direitos e obrigações perante a sociedade. exploração de um serviço público, nas atividades de
Pessoa jurídica é a reunião de duas ou mais um determinado setor da indústria ou de comércio.
pessoas, resultante de uni contrato social, cujo Os principais monopólios legais são: o da pólvora,
patrimônio ficará (juridicamente) distinto do no interesse da segurança nacional, e o monopólio
patrimônio da pessoa física. da moeda, além da exploração de petróleo pela
Petrobrás.

TIPOS DE FIRMA CARTEL


É a associação temporária de produtores de
A FIRMA, OU EMPRESA, PODE SER DE determinado ramo, mantendo cada membro
DUAS ESPÉCIES: associado à sua individualidade, porém, obedecendo
• firma individual: é aquela que se refere ao a uma direção única de venda de produtos. O
estabelecimento (comercial, industrial ou de objetivo dos cartéis é forçar os consumidores a
serviços) através de uma única pessoa física. aceitar as condições impostas pela diminuição da
• firma ou empresa com capital social (em concorrência, aumentando o preço do produto.
sociedade): quando o patrimônio é formado Exemplo: Organização dos países Exportadores de
através sociedade entre várias pessoas, Petróleo (OPEP).
físicas ou jurídicas.
OS OBJETIVOS DESSES ACORDOS SÃO:
• fixação dos níveis de preços dos produtos
JUNTA COMERCIAL envolvidos no cartel;
É uma autarquia, um órgão que funciona • zoneamento dos mercados para as empresas
como cartório de registro de nascimento e morte do cartel;
das firmas (comerciais, industriais, agrícolas ou de • o nível de produção bem determinado para
serviços). Toda empresa ao ser constituída tem que cada produtor e para cada empresa do
ser registrada na Junta Comercial, da mesma forma cartel.
que deverá dar baixa no registro ao encerrar suas
atividades. O contrato social da empresas deverá
ser formulado de acordo com a Lei e as 3.3 - HOLDING
formalidades estipuladas pela Junta Comercial. É uma empresa que detém o controle
A Junta Comercial não registra duas firmas acionário de várias empresas, efetuando-se esse
com o mesmo nome. É o que estabelece o direito de controle por meio de uma participação majoritária
marcas e patentes. A busca, ou avaliação, pode ser no capital votante. A holding no Brasil é uma forma
até a nível nacional, para evitar ambigüidade de disfarçada de truste. As empresas holdings podem
nomes. ser classificadas sob dois aspectos:
A junta fornece o número, de registro nos • quanto aos objetivos: as holdings podem ser
contratos sociais, e suas alterações subseqüentes. puras ou de operações. Elas são ditas puras
Após o registro será fornecido o número do CGC do quando o seu objetivo consiste unicamente
Ministério da Fazenda, com o qual a empresa passa em controlar outras empresas. As holdings
a existir com todos os direitos que a lei lhe confere. são de operações quando, além de
controlarem outras empresas, desenvolvem
mais atividades próprias de produção, e
CONCENTRAÇÃO DE EMPRESAS OU comercialização;
INFLUÊNCIA NO MERCADO
A concentração acontece através de função

ou acordo que uma empresa faz com outra, do monopólio – exploração, posse, direito ou privilégio
mesmo ramo e congêneres, para controlar os preços exclusivos

e conquistar mercados. Cartel – Carta de desafio, provocação; rótulo; dístico;
As principais formas de concentração de entendimento comercial entre empresas produtoras, as
empresas são o monopólio, cartel, holding o truste. quais, embora conservem a autonomia interna, se organizam
em sindicatos para distribuírem, entre os mercados e

autarquia – poder absoluto; autonomia; governo autônomo. determinarem os preços.
17 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,
propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

• quanto ao encadeamento: considerando o Os objetivos e as metas são pontos


encadeamento, as holdings podem ser terminais do planejamento, ao passo que as
horizontais e verticais. Serão horizontais políticas ou diretrizes canalizam decisões nos
quando as subsidiárias são controladas por percursos até estes pontos.
uma única companhia. Isto ocorre com Em outras palavras, as políticas, ou
produtos homogêneos. Serão verticais diretrizes, conduzem aos objetivos e metas da
quando se processa encadeamento de mesma forma pela qual vários itinerários conduzem
controle acionário de companhias, cuja a uma cidade.
produção é heterogênea. Exemplo: empresa Portanto, diretrizes devem ser definidas em
que controla a criação de gado e também os todos os níveis da empresa, ou organização.
curtumes na elaboração das peles para
fabricação dos sapatos, bem como o controle AS DIRETRIZES SÃO CLASSIFICADAS
da indústria de fabricação de sapatos e a EM ÁREAS: INDUSTRIAL, FINANCEIRA E DE
comercialização do próprio sapato. PRODUÇÃO, COMO SEGUE.
• área industrial: nesta área as diretrizes
estabelecidas para alcançar’ o objetivo de
TRUSTE aumentar o nível de eficiência da empresa,
É o acordo financeiro que agrupa, sob uma dentro de metas já estabelecidas, poderão
única direção, diversas empresas que perdem a incluir treinamento de pessoal, revisão da
independência econômica, financeira e estrutura da organização, contratação de
administrativa. novos profissionais com formação
especializada, ou mesmo demissão desses
profissionais. Pesquisa e desenvolvimento de
FRAÇÃO DE DIRETRIZES NA EMPRESA conhecimentos tecnológicos poderão ser
O planejamento, característica básica da alcançados através da definição de diretrizes
empresa, é uma função administrativa permanente ao treinamento administrativo;
que inclui a definição de objetivos, metas e
procedimentos. • área financeira: visa a atingir os objetivos,
Planejar é determinar antecipadamente os a curto e a longo prazo, de propiciar
resultados a serem alcançados e os meios pelos dividendos aos acionistas e manter a
quais a empresa poderá alcançá-los. lucratividade do empreendimento. Poderá
Planejamento é um processo racional, no estabelecer diretrizes no sentido de abrir o
qual se destinam linhas de ação, escolhendo-se capital da empresa ao público, captando
alternativas com base em premissas conhecidas. recursos no mercado de ações, ou solicitar
empréstimos a instituição financeira,
O PLANEJAMENTO PODE SER destinados a empreendimento para o
CLASSIFICADO EM DOIS TIPOS: desenvolvimento;
Planos-fins e Planos- meios.
• área comercial: nesta área o atendimento
PLANOS-FINS rápido à clientela, dentro de metas fixadas,
São os objetivos a curto prazo, que referem poderá significar condições de atender as
a resultados a serem concretizados num reclamações de atraso na entrega de
determinado período. Os objetivos devem ser mercadorias;
alcançados pela empresa como um todo ‘e em cada
uma de suas unidades. As metas representam os • área de produção: os objetivos a curto
objetivos definidos com precisão quanto ao tempo, prazo de manter a qualidade dos produtos
espaço e qualidade. pode exigir uma diretriz de inspeção rigorosa
Os objetivos, ou diretrizes, se encontram de toda a produção da empresa.
nas áreas institucional, financeira, comercial, de
produção e operacional, a curto prazo (menos de
um ano) nas suas execuções.
As formas de executar as políticas e
PLANOS-MEIOS diretrizes são os procedimentos, as rotinas ou os
Dizem respeito à política e diretrizes da métodos que devem defini-las com precisão.
empresa. Os planos-meios são essenciais à
realização dos planos-fins. Sem uma clara e
adequada definição de meios, nenhum resultado,
ainda que teoricamente viável, poderá ser
alcançado. Examinemos a natureza e as
características das políticas ou diretrizes.


truste – monopólio; sociedade açambarcadora constituída
para suprimir a concorrência e impor os preços.

diretriz – norma, pauta, critério, linha reguladora.
18 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,
propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

g) sub-princípio da ordem: este está


intimamente relacionado com o reconhecimento da
UNIDADE IV autoridade e da obediência, e do apego à hierarquia.
Para que a organização funcione bem é
indispensável que as ordens dadas sejam
TÉCNICA COMERCIAL cumpridas;
h) sub-princípio da centralização ou
CONCEITO descentralização sensível -. refere-se à centralização
Técnica Comercial consiste, principalmente, da autoridade, processo ao qual pode-se recorrer
na aplicação prática dos estudos e explanações em casos transitórios. Um chefe mal informado
técnicas a respeito do comércio, aplicando-se-lhe os sobre o que se passa em sua empresa não poderá
princípios administrativos, jurídicos e econômicos. comandar com eficiência. Na prática, as empresas
Para o Técnico em Transações Imobiliárias é são estruturadas por critérios, os melhores
importante a observância desses princípios, uma vez possíveis;
que seu campo de atividades exige planificação i) sub-princípio do conforto: dentro do
detalhada do empreendimento que se propõe a pensamento moderno de administração, implica em
realizar. criar ambiente de trabalho em que o trabalhador
É necessário aquele que se propõe a esta seja compelido a desejá-lo quando estiver fora.
tarefa, que trabalhe sobre planos elaborados para Afinal, um terço do dia se passa no trabalho, e nada
zelar pelo bom nome profissional, evitando todo e melhor do que torná-lo aconchegante e desejável.
qualquer empirismo ou imprevisão.

ESTRUTURA DO COMÉRCIO
ORGANIZAÇÃO COMERCIAL Para se praticar ou desenvolver o comércio
Para se constituir uma empresa, material e é necessário contar com a seguinte estrutura:
socialmente, é necessário haver administração,
composta de vários elementos, entre eles a
organização, baseada nos seguintes sub-princípios: TRANSPORTE
a) sub-princípio da obediência ao Indispensável para a locomoção das
planejamento: a empresa comercial que obedece ao mercadorias, ou pessoas de um lugar para outro.
planejamento, colocará todo trabalho sistematizado Pode ser:
e será eficiente o resultado; a) Terrestre:
b) sub-princípio da seleção: as empresas • ferroviário: através de trens de ferro, para
devem selecionar elementos realmente capacitados. transporte de grandes quantidades de
mercadorias, a um custo bem menor;
O processo de seleção não é restrito apenas • rodoviário: através de caminhões e carretas,
ao potencial humano da empresa, mas também a tendo como objetivo o transporte de porta a
máquina, equipamentos e mercadorias que devem porta, isto é, pega ou apanha a mercadoria
ser cuidadosamente selecionados; na sua origem e entrega no destino, sem
c) sub-princípio da divisão do trabalho: a problema para seu proprietário;
divisão do trabalho é a distribuição dos agentes com
objetivos de aumentar eficientemente os resultados b) aéreo: pela rapidez do transporte,
da empresa. Uma organização comercial eficiente embora não seja o mais barato, é bastante utilizado
necessita dividir ou distribuir racionalmente o para mercadorias perecíveis e de pequeno porte,
trabalho e o tempo; como flores e sapatos para os Estados Unidos e
d) sub-princípio da departamentalização: Europa;
além de dividir ou distribuir o trabalho é necessário
agrupá-lo em departamentos personalizados, que c) aquaviário:
sejam capazes de conter atividades congêneres. • lacustre: através dos lagos, como exemplo a
Todo trabalho necessita ser controlado, e um só Lagoa Mirim no Rio Grande do Sul;~
homem controla apenas um limitado número de • fluvial: através dos rios. Os mais importantes
pessoas. Assim, o agrupamento de serviços de uma são pelo Rio São Francisco, em Minas Gerais,
mesma natureza permite à chefia exercer um que transporta mercadorias e passageiros de
controle mais eficiente; Juazeiro (BA) a Pirapora (MG); rio Paraná e
e) sub-princípio do conselho competente: Tietê, que têm grande importância na
toda empresa visa lucro. É necessário que seja locomoção de mercadorias e passageiros,
dirigida por pessoas especializadas e competentes entre os Estados de São Paulo e Paraná;
em suas áreas de atuação. Para isso, é importante • marítimo: para locomoção de grandes
contar com um corpo de dirigentes, assessores e quantidades de mercadorias entre as nações,
funcionários à altura das necessidades da empresa; abastecendo os mercados com produtos
f) sub-princípio da hierarquia: o conceito necessários aos consumidores.
mais simples de hierarquia é aquele que mostra o
elo entre o elemento mais graduado e o
subordinado. Só se deve dar ordem a subalternos
por intermédio de seu chefe;
19 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,
propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

O transporte marítimo pode ser de SISTEMA DE CÂMBIO


cabotagem, quando é feito na costa do mesmo Deve ser equilibrado, para que as
país, citando-se como exemplo o transporte de importações e exportações não sejam prejudicadas,
mercadorias e passageiros na costa brasileira de quando for dada a troca de moeda estrangeira por
norte a sul, e de longo curso quando o transporte moeda brasileira.
marítimo é feito de um país para outro, como no
transporte do Brasil para a Europa.
CONHECIMENTO DE MARKETING
COMUNICAÇÃO
É uma das condições indispensáveis para se
realizar bem as atividades comerciais. Sem Para tanto deve-se observar o método
comunicação não há comércio. A comunicação é moderno de se fazer comércio. O gráfico
apresentado bem ilustra tal método.
indispensável entre o produtor, distribuidor e
O moderno conceito de marketing envolve
consumidor. Esta comunicação se faz através de
todas as atividades comerciais relacionadas com a
telefone, telex, rádio, televisão, jornais e outros
movimentação de mercadorias e serviços, desde sua
meios.
produção física até o consumo final.
Entende-se por comunicação o processo de
Marketing implica em conhecer o que o
transmissão de idéias de uma pessoa para outra,
através de palavras, gestos e atitudes, de texto consumidor necessita, ou deseja. Deve estudar a
escrito, símbolos e outros meios. produção dessa necessidade, como produzi-la,
A comunicação pode ser interna e externa. distribuí-la e vendê-la ao consumidor, e ainda
Pode ser direta quando a transmissão de ensinar-lhe a consumir o produto. Estudar e analisar
idéia é entre pessoas ou grupos de pessoas, que se a execução das atividades de negócios que
encaminham o fluxo de mercadorias e serviços do
relacionam diretamente entre si. Nesse caso temos
produtor ao consumidor.
a comunicação interna, através de avisos, ordens e
memorandos dentro da própria empresa, e
comunicação externa, ou seja, com outras empresas
FUNÇÃO DE MARKETING
ou pessoas, através de cartas, telegramas e outros
meios, corno por exemplo os recados recebidos por
telefone, que devem ser anotados e encaminhados à AS PRINCIPAIS FUNÇÕES DE
pessoa indicada. A transmissão de recados constitui MARKETING SÃO:
um dos sérios problemas nas empresas. • administração: cuida de prover-se de pessoal
perfeitamente habilitado para realizar a
função global de marketing;
MERCADO FORNECEDOR • pesquisa: deve informar sobre o local, a
época as pessoas para quem o produto deve
Deve ser analisada a distância que separa o
ser vendido;
consumidor do fluxo de produção
• merchadising: função que envolve
conhecimento, tecnologia, o saber fazer e a
condição do produto, sua embalagem,
CONDIÇÕES DE CRÉDITO
marca, preços, padronização e classificação
A legislação pertinente ao assunto pode
restringir ou facilitar a circulação de mercadorias. dos produtos;
As condições monetárias, ou poder • compra e estocagem: o segredo do negócio
aquisitivo do consumidor, são os fatores pode estar na compra e estocagem, ou
condicionantes para uma boa atividade comercial. guarda da mercadoria, com aplicação de
Isto por que região pobre não tem condições de técnicas para cada caso;
consumir ou adquirir bens. • vendas: cuida do reentrosamento, seleção e
treinamento sobre as técnicas de venda;
• suprimento físico: refere-se aos canais de
distribuição entre atacadista e varejista;
TEMPO E ESPAÇO
• serviço e garantias: faz com que os
Ter bons armazéns, silos, secadores e
consumidores de hoje continuem a ser
acondicionamento para cada tipo de mercadoria, a
consumidores de amanhã. Que tenham
fim de poder guardar e proteger as mercadorias, a
fim de fazer estocagem de produtos para não deixar qualidade e bons serviços prestados ao longo
faltar no mercado, nos períodos de entressafra, são do tempo, para que a empresa venha
condições imprescindíveis para as atividades adquirir confiança dos consumidores;
comerciais. Os preços não devem subir • propaganda: a produção em série gerou o
desordenadamente, por falta de produtos, senão, consumo em massa, e este só se forma pela
comunicação ao consumidor em potencial,
pode prejudicar o comércio. O equilíbrio é
que deve ser avisado da existência do
necessário, para que haja bons lucros.
produto;
• promoção de venda: verifica se o esforço de
venda e a propaganda estão devidamente

sincronizados. Sua ação se faz sentir junto
cabotagem – navegação costeira (entre cabos ou portos da
mesma região.
20 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,
propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

ao vendedor da empresa, ao revendedor e 4) planejamento da amostragem ou


ao consumidor; quantidade ideal de elementos que será
• relações públicas: esta função cuida das pesquisados;
relações com os diferentes públicos 5) seleção, treinamento, supervisão,
envolvidos nos negócios da empresa, como controle e avaliação dos elementos que irão efetuar
consumidores, fornecedores, revendedores, as pesquisas;
funcionários da empresa, desempenhando 6) revisão do questionário, tabulação e
bem suas funções e mantendo relações análise dos dados obtidos;
amistosas com as autoridades constituídas. 7) preparação e redação do relatório final.
Esta função não é privilégio de um
funcionário de relações públicas, mas de todo É importante na pesquisa de mercado
o corpo funcional da empresa; dispensar uma atenção especial ao questionário da
• controle das operações de marketing: visa entrevista, porquanto ele visa não apenas ao
evitar desperdícios e melhorar o total levantamento, perguntas feitas pelo entrevistador,
cumprimento das atividades de bem servir o da posição que o produto ocupa no mercado, mas
consumidor, com base na lucratividade. também a honestidade das respostas.

ESTUDO DO MERCADO PROPAGANDA E PUBLICIDADE


Denomina-se mercadologia o conjunto de
atividades indispensáveis para criar, promover e
distribuir produtos que estejam de acordo com a CONCEITO
procura atual ou potencial do mercado e com a PROPAGANDA: é a arte ou técnica de
própria capacidade de produção da empresa. veicular notícias, ou fatos, para atingir objetivos
especulativos de ordem política, econômica, cultural
A função básica da pesquisa, ou estudo de
e social.
mercado, é a de conhecer os fatos e condições que
A propaganda caracteriza-se pelo emprego
interferem nas vendas, que são as seguintes:
de qualquer meio de comunicação, corno rádio,
I - área de produção ou dos serviços;
jornal, revista, televisão e outros. Visa tomar
II - área de organização e política de venda;
III - área de mercado consumidor. conhecido um produto, ou suas qualidades, a fim de
induzir o consumidor a adquiri-lo;

PESQUISA PUBLICIDADE: tem por objetivo tornar


Para saber o que o consumidor pensa de um público um fato, uma idéia ou uma coisa. O termo
produto, só há um caminho seguro: perguntando- publicidade confunde-se popularmente com o termo
lhe, através da pesquisa. Para elaborar um quadro propaganda, que encerra em conotação com a
divulgação de idéias e de produtos.
digno de confiança sobre o potencial de venda,
Como o desenvolvimento das ciências
devemos aplicar o método de investigação, capaz de
sociais, psicológicas e econômicas, aumentaram as
fornecer respostas rápidas. Para isso é necessário
bases objetivas da publicidade, tomando-a racional
elaborar um projeto de pesquisa de mercado, da
e técnica. Embora a lei não faça distinção,
seguinte forma:
• exploratória: quando não existem situações tecnicamente atribuem-se significados diferentes
ou hipóteses a serem testa- das, o que a aos termos “propaganda” e “publicidade”. Esta é a
toma bastante flexível. As hipóteses divulgação de idéias e atividades dirigidas ao
começam a surgir, para o mercado, nas cidadão. Aquela é uma técnica de persuasão na
fontes de informações e de investigações, atividade de mercado, com objetivo de induzir o
através do questionário; consumidor a preferir uma marca ou um produto.
• descritiva: procura, através da
descrição,uma posição completa e real do
A PROPAGANDA PODE SER:
mercado, da situação desejada;
• Institucional: que inclui patrocínio de
• experimental: quando se procura descobrir
utilidade pública, como a vacinação contra a
qual a relação entre a causa e o efeito
paralisia infantil, sarampo e outras que
atuando sobre o mercado.
desenvolvem uma reputação benéfica. Para a
empresa privada, que deve divulgar a
PARA SE ELABORAR UM PROJETO DE imagem da empresa e do produto, a
PESQUISA, DEVE-SE OBSERVAR AS SEGUINTES propaganda pode ser, inclusive, de
ETAPAS: recordação, ou seja, relembrando
1) definição dos objetivos da pesquisa; propagandas anteriormente veiculada;
2) determinação das fontes de informações • de produto: também conhecida como sendo
existentes e saber se já foram ou terão que ser de “promoção de venda”, cujo objetivo é
coletados; acelerar as vendas imediatamente.
3) elaboração do formulário que servirá
para coletar os dados da pesquisa;

21 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

OS FENÔMENOS PSICOLÓGICOS DA Feira do Vinho em São Roque - SP e Caxias -


PROPAGANDA, SEGUNDO OS ESPECIALISTAS, RS;
PODEM SER ASSIM ORDENADOS: • feiras de exposição, ou salões: as feiras
• despertar e fixar a atenção: a atenção de exposição são organizadas com a
pode ser classificada em espontânea, ou finalidade de divulgar o desenvolvimento e
passiva, e provocada, ou reflexa. A atenção progresso de determinado ramo industrial do
reflexa, ou provocada, é a técnica de país. São exemplos a Feira de Utilidades
propaganda que leva em consideração os Domésticas (UD) em São Paulo, Feira
efeitos, quando chega a atrair a atenção da Nacional da Indústria Têxtil (FENIT) em São
pessoa a quem é dirigida. Começa a produzir Paulo. Já os Salões têm corno objetivo fazer
efeitos quando chama atenção para a coisa, propaganda das mercadorias em exposição,
apresentando, desenvolvendo, assim seu como o Salão do Automóvel em São Paulo, o
campo de atuação; Salão Internacional de Automóvel e Aviação
• despertar emoção: é mais um campo em Paris e o Salão da Criança em São Paulo.
próprio da arte de propaganda. Traduz
conhecimento de psicologia aliado a um
desenvolvimento do poder de imaginação, Para as empresas imobiliárias,
conseguindo obter com mais eficiência especialmente as responsáveis por lançamento de
resultados nesse setor; empreendimentos imobiliários, necessário se faz
• fixar a memória: todas as leis psicológicas, promover uma boa exposição do empreendimento,
que intensificam a faculdade do espírito com uma bem elaborada divulgação promocional,
criativo, são utilizadas na técnica de através de propaganda.
propaganda;
• despertar o interesse: é um dos meios de
deter a atenção e encaminhar o juízo a ÉTICA
pronunciar-se favoravelmente à realização
pretendida pela propaganda. Isto é obtido
CONCEITO
com uma propaganda bem feita, ou bonita,
Ética é a parte da filosofia que estuda os
agradável;
• despertar o desejo: também aqui o espírito direitos do homem paro com DEUS o a sociedade.
inventiva de quem dirige o plano de A maioria das pessoas está imbuída de
propaganda, com exposição objetiva, como padrões éticos e morais adquiridos nas escolas e
anúncios e exposições em vitrines, painéis e igrejas que freqüentam, em situações familiares e
outros meios visuais, é orientado para através dos conhecimentos no mundo dos negócios
despertar o desejo de comprar. e nos ruas. Seja como for, nosso conceito do que é
certo e errado tende a ser muito parecido. Poucos
de nós conseguem viver sem acreditar que, o que
fazemos, é para o bem da Humanidade.
EXPOSIÇÕES E FEIRAS É por isso que, se agirmos sempre direito,
muitos vezes vamos nos dar bem, se você se
Entende-se por feira o lugar público onde entregar aos outros sem defesas e sem falsidades,
periodicamente são expostas mercadorias com a existe uma probabilidade de que as pessoas se
finalidade de venda. De origem tão antiga quanto o deixem levar, porque elas se identificam com você,
origem do próprio comércio, ela tem sido e não se sentem inclinadas a tirar vantagem de
incrementada em nosso país, segundo a orientação alguém que é realmente indefesa, portanto seja
dos grandes centros comerciais, estrangeiros ou ético. Negociações que satisfazem as partes.
nacionais. Existe uma lenda que se tornou parte do
folclore do mundo das negociações: Um irmão e
uma irmã estavam disputando um pedaço de bolo,
CATEGORIAS cada um insistia em ficar com o pedaço maior.
• feiras livres: são locais onde se realiza Assim que o garoto se apoderava da faca e se
comércio livre em bairros de uma cidade, nas prepara para tirar a parte do bolo para si, a mãe e o
ruas ou nas praças. São mercados do tipo pai entram em cena: Segunda a tradição do rei
popular, de caráter ambulante. O Salomão, o pai diz: Esperem ai! Não me importa
comerciante procura atender os quem vai dividir o bolo, mas quem o fizer tem que
consumidores com gêneros de primeira dar ao outro o direito de escolher o pedaço que
necessidade; desejar. Naturalmente, para se proteger, o garoto
• feiras regionais: geralmente são realizadas corta a fatia em dois pedaços do mesmo tamanho.
anualmente têm duração de duas semanas, A lenda não pode ser verdadeira, mas a
a fim de atender o grande fluxo de visitantes moral continua valendo. Existem muitas situações
das cidades vizinhas, que procuram conhecer em que as necessidades dos protagonistas não
os produtos ali colocados para distribuição estão realmente em oposição.
em suas cidades. Os exemplos mais Se em vez de um tentar derrotar o outro, os
conhecidos são as feiras de calçados em dois resolverem derrotar o problema, todos
Franca-SP, Feira do Gado em Goiânia - GO,

22 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

poderiam se beneficiar, e certamente, teremos feito O PODER DE CONHECER AS


o composto da parceria com a ética. NECESSIDADES:
Em toda negociação, existem duas coisas
sendo negociadas:
“O BENEFICIO DE UMA BOA • As questões e as exigências específicas que
NEGOCIAÇÃO” são declaradas abertamente.
Quando um cliente compra um imóvel, em • As verdadeiras necessidades do outro lado
via de regra tem a segundo etapa da compra que é que raramente são verbalizadas.
o momento da satisfação do cliente aí então entra o
benefício do corretor, quem comprou e quem Essa diferença comparada à história do
vendeu são os protagonistas da historia. cliente que foi comprar um imóvel direto no
Quem comprou: -”Estou muito satisfeito construtor e diz ao dono da construtora: olhe! se me
com o corretor, ele foi de uma precisão britânica, vender por “tanto” ’pago à vista e agora.’ Não, a
conseguiu me tirar a mania de especular, aí me proposta não satisfaz as verdadeiras necessidades
tornei mais transparente, para comprar esta casa do cliente vendedor por tratar-se de empreendedor,
estive varias vezes para fechar o negócio e não dava investidor que tem uma financeira e que lhe é
certo”. conveniente vender financiado, e não à vista.
Quem vendeu fala para o amigo: - Até que Obedecendo o critério ético ‘O Corretor’ deve ser
enfim encontrei um corretor ótimo, vendeu minha transparente com o cliente, o dinheiro não é um
casa com uma rapidez, e olha! Me tornei amigo bom argumento.
dele. Se for vender seu apartamento fale comigo
que eu lhe indico.
CAPACIDADE PERSUASIVA DO
NEGOCIADOR
3 - O DINHEIRO É UM BOM Em nossa sociedade civilizada a maioria das
ARGUMENTO... MAS SERÁ QUE É UM pessoas superestima o poder dos argumentos
ARGUMENTO VERDADEIRO? lógicos.
Nunca se enfureça e nem faça ameaças. Somos levados a acreditar que a lógica
Argumente com as pessoas. sempre prevalece, e que raramente influencia as
Há alguns anos, durante uma viagem de pessoas, o mais comum é que não funcione.
avião, um viajante ao meu lado perguntou: Como o Se você quer persuadir-me a acreditar em
senhor ganho a vida? Sou negociador - respondi. algo, fazer ou comprar alguma coisa, deve contar
Os olhos do meu companheiro se com os três fatores seguintes:
iluminaram e ele tentou soltar um sorriso • Tenho que entender o que você está dizendo. É
zombeteiro. Pela reação dele, compreendi o que fundamental que expresse suas razões através
estava pensando: ‘Ora onde já se viu? Esse cara de analogias que se relacionem com minha
deve vender tapumes de alumínio para moradores experiência, minha formação particular para
de prédios de tijolos”. fazer isso, deve entrar no meu mundo (Por isso
Infelizmente, esta reação negativa à palavra que é tão difícil negociar com alguém pouco
negociador’, é uma concepção errônea de que muito inteligente ou que você acha que é maluco).
gente partilha. Quando as pessoas ouvem, pensam • Seus argumentos devem ser tais que eu
automaticamente em um manipulador hábil, que mesmo consigo contestá-los.
tenta se dar bem à custa de alguma vitima inocente. • Minha aceitação de seu ponto de vista deve
Essa estratégia competitiva é apenas uma satisfazer minhas necessidades e meus desejos.
grande variedade de estilos de negociação desde os
competitivos .eu ganho; você perde’ Até aqueles
que envolvem colaboração ‘nós dois podemos PODER COM A CAPACIDADE DE FAZER
ganhar’. Há um momento comovente na peça. ‘A
Vamos focalizar dois tipos principais de morte do caixeiro viajante’, de Arthur Muller.
negociação, de que os indivíduos fazem uso da Quando o infeliz Willy Loman volta-se para
mesma situação de conflitos. seu irmão rico e pergunta: - ‘OH! ‘bem como você
‘O que ganha a qualquer custo... à modo conseguiu?’
soviética’, os negociadores tentam obter o que Qual é a resposta?
querem à custa da outra parte. Mesmo que você Para todos nós perdedores e vencedores,
nunca empregue esta estratégia, deve ser capaz de sem destruição - Willy está perguntando qual é a
reconhecê-la; do contrário poderia ser vítima dela. fórmula infalível do sucesso no jogo da vida.
“Negociação que satisfaz as duas partes e Se a vida é um jogo, a negociação é um
mais sobre a técnica ganha – ganha”, a ênfase meio de vida. Se você quer ser bem sucedido, deve
passa da tentativa de derrotar o adversário para a tentar compreender o jogo na sua totalidade.
de resolver um problema e chegar a um resultado Inicialmente, deve ver as coisas como elas
óbvio pelas partes. Neste caso, todos trabalham normalmente são, sem julga-las é muito fácil.
para encontrar uma solução criativa que satisfaça as Examinarmos situações de modo seletivo e
necessidades de ambos as partes. fazermos nosso próprio julgamento moral. Evite
esta objetividade, porque o que acontece é que você
só vê o que quer ver, em vez disso, veja as coisas

23 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

como elas realmente são. Os ingredientes essenciais tangíveis são serviços prestados, é o caso do
são sempre os mesmos: Poder - Tempo - intermediação imobiliária que nasce de um regime
Informações. de terceirização com parceria e ética.
Na negociação não podemos adotar o
pensamento de Henry Ford - ‘Quer você ache que é
capaz ou não, você está sempre certo’. PARCERIA DO MERCADO IMOBILIÁRIO
A cada dia aumenta a responsabilidade das
empresas do mercado imobiliário, notadamente das
SEGMENTAÇÃO DE MERCADO construtoras imobiliárias, e as entidades do
A importância da segmentação de mercado segmento, olhem para o futuro, vejam e antevejam
nasce das necessidades específicas dos clientes, que os problemas que advirão, sabendo como solucioná-
deverão ser atendidas através de um composto los, proporcionando bem estar coletivo. Tal atitude
mercadológico. Para satisfazer essas necessidades, implica em busca de reitoria de qualidade de vida
a segmentação do mercado varia em função do tipo das pessoas, moldando um novo papel para o
de serviço e se define a luz de alguns parâmetros, marketing, antes calcado apenas na satisfação das
que se diferenciam de serviço para serviço. Um necessidades e desejos através da oferta de
cuidado na escolha dos parâmetros de controle se produtos e serviços.
faz necessário, pois é baseado neles que se Com essa nova era abrem-se as
investem recursos na formulação do composto de perspectivas para as empresas e Corretores que
marketing. Alguns detalhes podem ser lembrados: atuam neste segmento.
A dimensão do segmento deve justificar um Para aquelas reconhecidamente eficazes, o
atendimento especializado. nosso mercado reserva enormes facilidades.
A segmentação representa uma Vivemos num país carente, com um sistema
oportunidade. habitacional falido e sem chances de melhora. É o
Os fatores críticos de sucesso identificados momento para atuação firme e segura, de conquista
em um segmento devem ser homogêneos. de clientes e mercados. Para tanto, o Corretor é co-
Quando pensamos em segmentar mercado, responsável por esta conquista trabalhando com
temos que ter em mente que essa é a atividade convicção de parceria, honestidade e, sobretudo
principal do homem de marketing e como tal deve com ética.
ser precisa. Algumas bases mais conhecidas de
segmentação são o início de qualquer negócio.
As mais utilizadas são: CREDIBILIDADE
• Localização geográfica Somos hoje uma categoria com
• Características demográficas credibilidade conquistada pelo conjunto de
• Características sócio-econômica-cultural interesses, luta das entidades e empresas que
• Características psicológicas investem em campanhas institucionais e dirigidas
• Tipos de serviço aos seus produtos. Suas peças promocionais
• Comportamento do consumidor procuram passar de forma clara a sua postura com
• Setor de atividades do comprador relação aos seus clientes, cada peça promocional
• Marketing mix. possui um objetivo específico. Os cartazes são
sempre aloucados em stands, empresas de vendas e
em locais de grande concentração pública.
PARCERIA Os folhetos de combate são para uso
Poucos assuntos nos tempos atuais, específico no momento da venda e argumentação do
provocam tanto interesse como a parceria e sua Corretor com base na parceria, dando ao
correlação como processo de vendas. Mas o que é consumidor a certeza da segurança e garantia de
parceria? um bom investimento.
Dentre varias definições existentes,
acreditamos que uma em especial, sintetiza tudo “O segredo de andar sobre as águas, é
que pensamos. saber onde estão as pedras.”
Parceria é conseguir produzir o produto
certo para as pessoas certas, no lugar certo, com
preço certo e com comunicação e promoções certos,
em verdade, parceria é a atividade humana dirigida
à satisfação de necessidades e de desejos através
de processos de troca. Quando começamos a
analisar o assunto, inicialmente pensamos no ponto
central, a ‘mola-mestra’ que faz o termo girar, no
caso da parceria, sabemos que os parceiros são os
impulsionadores do processo Agora o que é mesmo
produto? Produto é tudo que comercializamos que
atende a uma necessidade. Esses podem ser
pensados sobre dois aspectos: tangíveis e não
tangíveis. O primeiro refere-se no que geralmente
podemos pegar ou que possui matéria, os não

24 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

UNIDADE V • plano ou perspectivas de expansão futuros


• características da matéria prima: física,
química, peso, volume, quantidade, etc
LAY-OUT • características das máquinas e equipamentos
usados na produção: movimentação,
CONCEITO: manutenção, inspeção, etc
(Arranjo Físico) • dimensão, peso, periculosidade, irradiação
Além da estrutura organizacional o Lay-out de calor, etc
(ou seja a localização física dos diversos órgãos, • pessoal, destacando-se os seguintes pontos:
equipamentos e pessoas que compõem a Empresa) • quantidade;
precisa, também, ser estudado no capítulo de • qualidade;
Organização. • sexo;
• serviços a serem prestados de acordo com a
Lei do Trabalho;
CONTEÚDO • estocagem: quantidade, dimensões tempo de
Quando executamos um estudo de lay-out, estocagem perecibilidade dos materiais
partimos de um projeto geral abordando: localização e arrumação;
• arranjos da produção e dos departamentos • serviços auxiliares: vestiários, restaurantes,
que constituirão a indústria etc...
• arranjo interno de cada departamento
• detalhes de cada posto de trabalho
SINTOMAS DE UM “LAY-OUT” MAL
FEITO
OBJETIVOS DO ESTUDO DO “LAY-OUT” • Longas distâncias no movimentar;
a) reduzir ao mínimo o movimento de • Má utilização do espaço útil;
materiais e de pessoal, através de um fluxo de • Congestionamento de materiais;
fabricação racional; • Dificuldade em manter uma supervisão e um
b) aproveitar racionalmente o espaço útil e controle efetivos;
dar flexibilidade à produção, facilitando novos • Excesso de trabalho em processamento;
arranjos; • Desbalanceamento nas máquinas;
c) integrar melhor os equipamentos com a equipamentos e postos de serviço;
finalidade de evitar investimentos desnecessários; • Longos ciclos de produção com muitas
d) melhorar as condições do ambiente de esperas em seu desenvolvimento;
trabalho a fim de facilitar as tarefas dos operários e • Grande esforço físico ou mental durante as
supervisores; operações.
e) causar impressão favorável aos clientes e
visitantes, facilitando o seu atendimento.
TIPOS DE “LAYOUT”

BENEFÍCIOS DE UM “LAY-OUT” BEM “LAYOUT” POR PRODUTO


FEITO E RACIONAL É o mais adequado para produção em
a) satisfaz e mantém o interesse do massa As máquinas, os equipamentos e postos de
empregado; trabalho são fixos em uma linha, através da qual o
b) reduz o número de operações e de produto flui.
custos, devido ao cancelamento de movimentos Exemplo: linhas de montagem de
inúteis; automóveis, rádios, etc....
c) proporciona melhor supervisão;
d) utiliza mais efetivamente mão-de-obra
pela redução de movimentos inúteis; “LAY-OUT” POR PROCESSO
e) proporciona melhor atendimento aos As máquinas são agrupadas por suas
clientes e ao público em tempo menor. operações características, formando assim seções
de tornos, furadeiras, fressas, etc. O produto
percorre as diversas seções de acordo com o seu
FATORES A SEREM CONSIDERADOS delineamento.
PARA UM LAY-OUT RACIONAL: Exemplo: oficinas de manutenção
• tipo de produto
• tipo de produção: contínua e não contínua
• delineamento “LAY-OUT” FIXO OU POSICIONAL
• tipo de operações envolvidas É usado no caso de se ter um produto de
• mudanças do produto volume, dimensões, ou peso muito grandes.
• integração dos departamentos da fábrica Exemplo: fabricação de navios, locomotivas,
• tipo de inspeção: localizada ou centralizada turbinas, etc. O Layout é feito por imposição da
• natureza dos riscos envolvidos: poluição, inexistência de espaço suficiente para adoção de um
riscos químicos, segurança de pessoal e do outro tipo.
prédio
25 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,
propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

O produto fica parado e as máquinas e • Desta planta desenvolveremos os estudos


equipamentos se deslocam em torno deles, referentes a: calcular e atribuir áreas aos
seguindo um delineamento. diversos órgãos envolvidos;
• estabelecer quantidade e tipo de máquinas,
equipamentos e móveis;
ESTUDO E PREPARAÇÃO DAS • providenciar em escala reduzida móveis,
SOLUÇÕES máquinas e equipamentos, em cartolina;
É de grande importância a determinação • distribuir as miniaturas na planta não se
dos fluxos dos produtos desde o recebimento do esquecer da parte de instalações elétricas,
material até sua expedição final. telefones, etc...
• apresentar as propostas de mudanças aos
Devem esclarecer-se: órgãos interessados Deverão ser observados
a) os estoques iniciais, intermediários e certos critérios como: fluxo de informações
finais entre funcionários;
b) a seqüência das operações • funções que precisam ficar isoladas;
• localização de arquivos, máquinas e
Em cada Posto de Trabalho devemos equipamentos próximo dos respectivos
anotar: usuários;
• obstáculos; • prever necessidade de deslocamento de
• equipamentos necessários e desnecessários; pessoas e deixar livre o espaço requerido;
• pessoal ocioso ou em falta; • evitar a localização de pessoal que atende ao
• produção máxima; público em local de difícil acesso;
• evitar atender pedidos particulares de
Em cada local de estocagem devemos soluções que objetivam satisfazer vaidades
indicar: ou satisfação pessoal.
• qualidade do material a ser estocada; • o primordial é ater-se ao objetivo do estudo.
• peso, dimensão e volume do material
estocado;
• necessidade ou não de dispositivos de PARA SE IMPLANTAR O NOVO “LAY-
estocagem; OUT”
1) Preparar um cronograma onde
Quando instalamos um Posto de todas as atividades básicas serão representadas
Trabalho devemos observar: com a estimativa dos respectivos tempos de
• a possibilidade de uma só pessoa operar execução.
vários equipamentos; 2) Implementar o cronograma,
• possibilidade de expansão; providenciando:
• pequeno depósito onde o material aguarda • Distribuir cópia da nova planta a
para ser operado ou depois de operado, para todos os chefes, marceneiros, eletricistas,
ser transportado; funcionários que tomarão parte nas providências de
• redução ao máximo dos fluxos de pessoal; implementação fornecendo as informações
• evitar pontos de estrangulamento. necessárias para a boa realização do trabalho.
• Instruir todos os funcionários que
Processos de estudo de Lay-out e terão suas posições modificadas, sobre todos os
representação gráfica de soluções: procedimentos que deverão ser supridos para a
• Através de desenhos; obtenção de resultados positivos.
• Através de maquetes.

“LAY-OUT” DE ESCRITÓRIO

O Lay-out de escritório deve ser


estabelecido após um estudo planejado do sistema
de informações, relacionando com a distribuição de
equipamento, móveis e pessoas pelo espaço
disponível, de forma mais racional.
A vivência e o bom senso, aliados a técnica,
concorrerão para um Lay-out bem feito.
Para a realização de um bom Lay-out
existem alguns padrões:

• Obter uma planta do local onde serão feitas


as modificações;

26 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

UNIDADE – VI ESTRUTURA DO PLANEJAMENTO


Resposta às indagações:
• O que deve ser feito? Objetivo(s)
PLANEJAMENTO • Como deve ser feito? ...Estratégia (natureza
do trabalho a ser realizado)
CONCEITO • Quando deve ser feito? Época de realização
A noção de planejamento mais geral é a de • Onde deve ser feito? Localização
que ela é um processo de formulação de políticas geográfica
substantivas. Trata-se,pois de um processo através • Quanto custará? Orçamento
do qual se alcança um certo grau de compromisso
institucional em torno de metas e meios para
alcançá-las. DIVISÃO DO PLANEJAMENTO
O planejamento se subdivide em:
Programas, projetos e atividades.
FASES DO PLANEJAMENTO Programa: conjunto de ações integradas
com objetivos gerais.
• Tomada de decisão: parte da cúpula da Projeto: conjunto de ações destacadas de
organização - envolve acionistas e executivos cada programa, visando objetivos específicos.
– (finalidade e políticas gerais da empresa). Atividades: realização das tarefas
• Avança para a formação de um banco de necessárias para atingir os objetivos de um projeto.
dados: avança para a formação de um banco
de dados (informações, e pressupostos). Exemplo: Suponhamos que a Reitoria da
• Definição de diretrizes gerais: os obstáculos Universidade Católica solicite que seja feito um
(estruturais, recursos, etc), prossegue na PLANO para recuperação dos prédios do IPUC. Este
definição de diretrizes gerais que orientarão planejamento deveria se iniciar pelo estudo das
o trabalho. Diretrizes: são entendimentos instalações atuais, indo até a fase de conclusão das
generalizados que delimitam as tomadas de obras, definindo-se antecipadamente, sobre o que
decisões de administradores subordinados. fazer.
• Definição de metas: (objetivos
intermediários que balizam o caminho até PROGRAMA Recuperação dos prédios (salas de
que os objetivos sejam atingidos). aula) do IPUC.
• Elaboração: – o planejamento é PROJETOS •Reforma do prédio, das instalações
materializado em um documento do Dep. Mecânica.
denominado PLANO. •Reforma das instalações do Deptº
• Definição de estratégias: ou seja, das de elétrica.
maneiras pelas quais ele será executado. •Reforma das instalações do Deptº
• Implantação e controle: (através da correção Civil.
do curso proposto). •Reforma das instalações do Deptº
de Eletrônica

ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS ATIVIDADES •Elaboração do cronograma de


Para que o planejamento seja viável é serviços.
preciso que se considere alguns pontos: •Comunicação à direção dos Deptº.
•Contratação de uma firma
• Fatores condicionantes: valores, especializada em reforma.
necessidades, •Elaboração de um programa de
• Mercados, interesse, etc... utilização de salas de aula
• Flexibilidade: aberto à mudanças (revezamento).
participação: envolvendo a direção e os •Solicitação de verbas à Reitoria.
funcionários que irão executa-lo; •Criação de uma comissão de
• Racionalidade; acompanhamento e fiscalização de
• Legislação vigente, tecnologia disponível, obras, etc.
recursos humanos, materiais , financeiros,
etc...
• Avaliação constante

NÍVEIS
MACRO-ECONÔMICO: planejamento
governamental
MICRO-ECONÔMICO: planejamento
empresarial

27 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

SINTESE DO PROCESSO DE PLANEJAMENTO (REPRESENTAÇÃO GRÁFICA)

METODOLOGIA DO PLANEJAMENTO Princípios da evidência: Exploração de todas


as fontes disponíveis de informações: pesquisa.
Baseado no Método Cartesiano – Renée Definição e delimitação de objetivos: Prioridades
Descartes - Discursos sobre o método. Princípios da decomposição: Indicação de
possíveis alternativas: flexibilidade

28 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

Princípios da análise: Determinar as


possíveis soluções para se atingir os objetivos
Princípio do controle: Avaliar resultados;
fazer a revisão dos planos

EXEMPLO DE PLANEJAMENTO ORGANIZACIONAL

29 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

PRODUTO MONTAGEM DO ORGANOGRAMA

UNIDADE VII sozinho não pode exercitá-la, falta-lhe o essencial –


os subordinados.
Os chefes, supervisores, diretores,
DIREÇÃO presidentes somente poderão ser considerados
líderes quando dirigem obtendo a participação
GERENCIAR espontânea do grupo.
Significa obter resultados através das
pessoas. O que implica em habilidades essenciais TIPOS DE LIDERANÇA
tais como: Liderança Autocrática: exercida pelo
domínio de um sobre o grupo, pela imposição ou
PLANEJAR – ORGANIZAR – COORDENAR – pelo poder de um cargo. É um líder dominante,
LIDERAR - TOMAR DECISÕES – AVALIAR E mantendo posição arrogante. Seus planos é que
ACOMPANHAR devem ser executados, sem questionamentos por
parte do grupo de subordinados.
Este capítulo trata de três temas que Liderança democrática: neste método de
compõem a função “DIREÇÃO”: CHEFIA E liderança o Grupo é o elemento central. As
LIDERANÇA (supervisão). Tomada de decisão e habilidades, as idéias e a energia de todo o grupo
comunicações administrativas. formam o reservatório onde o líder consegue
insumos para as suas realizações. O líder
democrático tem assim a faculdade e a capacidade
CHEFIA E LIDERANÇA de representar o grupo, persuadi-los, dar voz a seus
“Liderar é influenciar pessoas na desejos, etc...
consecução de um objetivo”. Sendo que liderança, é Liderança carismática: liderança
uma ação desenvolvida em grupo, um homem supersticiosa com origens na submissão à
santidade, ao heroísmo ou a exemplariedade de

30 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

uma pessoa e as ordenações por ela criadas ou • tomar decisão


reveladas. • transformar a decisão em ação

CONCEITO DE CHEFIA
O entendimento generalizado parece nos CENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA
levar a crer que chefiar consiste apenas em tomar Quando a maioria das decisões são tomadas
posse do cargo, receber os respectivos vencimentos nos escalões superiores da empresa.
e expedir ordens aguardando que sejam cumpridas.
No entanto, além destas atribuições, chefiar Vantagens:
é também: planejar, comandar, tomar decisões pelo • conservação sistemática e consistente da
grupo, coordenar, gerenciar e controlar. autoridade os pontos centrais da empresa
• uniformidade de ação
RESPONSABILIDADE DO CHEFE
Vários termos são usados para designar a Os males da centralização
função de chefe: direção, supervisão, gerência, • falta de confiança nos níveis subalternos
superintendência, presidência, etc levam aos termos • falta de coragem para delegar
DIRETOR, SUPERVISOR, GERENTE, • excessiva centralização
SUPERINTENDENTE, PRESIDENTE, etc.
As responsabilidades gerais são distintas Quando centralizar as decisões
das responsabilidades do cargo. As • decisões que envolvem custos elevados
responsabilidades gerais são delegáveis. A • definição de políticas, objetivos e diretrizes
responsabilidade do cargo, ligado à própria essência • planejamento empresarial
da função de chefe, como contrapartida da
autoridade, é por natureza indelegável.
Respeitando a diversidade de atribuições DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA
definidas pelas empresas ALFRED M. COOPER Quando a maioria das decisões são tomadas
resumiu as principais responsabilidades do chefe; pelos níveis hierárquicos inferiores da empresa.
• responsabilidade pela efetividade da
produção; Vantagens:
• responsabilidade pela formação e • libera os executivos principais dos detalhes
desenvolvimento da moral do grupo; • aumenta a velocidade de decisão para
• responsabilidade pela segurança, saúde e problemas específicos
condições físicas dos subordinados; • estimula as iniciativas individuais
• responsabilidade pela cooperação com os • desenvolve a motivação, estimula a inovação
superiores, colegas de direção e os próprios
subordinados; Os males da descentralização
• responsabilidade pelo treinamento e • maior necessidade de controle
desenvolvimento dos subordinados; • executivos “universais”
• responsabilidade pela manutenção de • dispersão de esforços”
registros e relatórios.
Quando descentralizar as decisões
TOMADA DE DECISÃO • após estabelecer a centralização apropriada
O administrador, gerente, etc, enfim o • após proporcionar comunicação e
chefe, é responsável pelos homens, tempo, coordenação
dinheiro, máquinas e método de que dispõe. Para • após estabelecer controles adequados
determinar como melhor usar estes recursos em • após treinar os executivos
condições mutantes, ele precisa, a todo instante,
tomar decisões.
Uma decisão é sempre uma escolha entre COMUNICAÇÕES ADMINISTRATIVAS
alternativas.
Toda decisão tem um risco. O que é Comunicação?
Alguns chefes acham difícil tomar decisão Definições:
por medo de errar. A decisão de não tomar decisões • intercâmbio de palavras, pensamentos e
é pelo menos tão arriscada como aquela de agir. opiniões
Passos básicos da Tomada de Decisão: • transmissão de mensagem a um público ou
• coleta de informações e dados pessoa
• a importância relativa de cada objetivo e os • intercâmbio de conhecimentos e
resultados que se deseja alcançar informações
• análise da situação
• consideração sobre as alternativas / efeitos Elementos básicos na comunicação

 
distintas – diferente; separado. subalternos – que está sob as ordens de outro; secundário;

delegáveis – transmitir poderes por delegação; incubir; inferior.

encarregar; enviar alguém com poderes de julgar, resolver. intercâmbio – troca;
31 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,
propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

• A origem ou transmissor • A trajetória da mensagem deve ser itinerário


• A mensagem ou conjunto de símbolos lógico;
• O ponto de destino ou receptor: • O transmissor da mensagem deve ter
• Qualquer interrupção afeta a um desses três autoridade para faze-lo.
elementos ou a todos eles.

PROCEDIMENTOS PARA A
COMUNICAÇÃO EFICIENTE
Retroação (Feed-back)
O termo refere-se à capacidade de certas
máquinas (sistemas), de comprovar sua própria
atuação e corrigi-la, se necessário.
As comunicações humanas – é usado este
princípio, tornando tal utilização essencial se a
informação a comunicar é complexa.

Comunicação Direta
As comunicações diretas tem resultados
superiores às ordens escritas, avisos impressos ou
artigos publicados.
O transmissor tem certas intenções
(objetivos), as quais são traduzidas por ele Ajustamento ao Receptor
(codificadas) ou transmitidas ao receptor através de Levar em consideração o mundo particular
um meio de comunicação. O receptor decifra de quem recebe a comunicação, buscando avaliar o
(traduz) a mensagem, e aprende seu significado. O impacto sobre seus sentimentos e atitudes. Quanto
significado da mensagem faz com que o receptor maior a distância entre a formação e a experiência
haja de determinado modo. O receptor, então, dá do transmissor para o receptor, maior deverá ser o
indicação ao transmissor de que entendeu ou não o esforço para encontrar um ponto comum do
significado da mensagem, normalmente, através de entendimento.
uma ação; é bom lembrar, entretanto, quer muitas
vezes o que se modifica não é expresso através de Conhecimento dos Significados
aloés. Papel importante no mundo particular do
receptor. Verificar as implicações e associações que
PARA HAVER COMUNICAÇÃO É envolve a proposição a ser transmitida.
NECESSÁRIO:
• A codificação da mensagem, que deve ser Escolher o momento certo para a
clara, explicita para evitar distorções de mensagem.
sentido;
• A transmissão da mensagem, usando o Reforçar as palavras com atos.
melhor canal;
• A definição do objetivo da mensagem, que Linguagem simples e clara.
deve ser do conhecimento dos receptores da
mensagem;
• O canal através do qual a mensagem OBJETIVOS DA COMUNICAÇÃO:
caminha ate seu destino; Levar a mensagem a seu destino certo,
• O estimulo que aciona o processo da evitando distorções geradas por conflitos de
comunicação, levando-a à percepção do propósitos.
recebedor.

VALIDADE DA COMUNICAÇÃO PROVIDENCIAS QUE DEVEM SEREM


É necessário: TOMADAS PELA DIREÇÃO:
• A mensagem transmitida deve ser clara, • Classificar os objetivos da instituição
precisa e concisa; • Colocar estes objetivos em ordem
• Deve ser transmitida uma mensagem para decrescente de importância – hierarquiza-lo.
cada objetivo; • Divulgar amplamente esses objetivos.
• O transmissor da mensagem deve levar em • Investigar a maneira e influenciar o
consideração os elementos que receber; comportamento dos subordinados.
• Não deve haver dupla transmissão de • Empregar, de preferência a persuasão
mensagem; racional para influenciar o comportamento
• As mensagens transmitidas não devem ser dos subordinados, levando-os a ser leais à
conflitantes; instituição porque compreendem seus
propósitos.

transmissor – que transmite; mandar de um lado para • Manter em postos de chefia pessoas que
possuam autoridade pessoal e saibam
outro; comunicar.

codificação – vocabulário convencional.
32 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,
propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

estimular boas relações humanas no transmitir são palavras. E as mesmas palavras


trabalho. podem sugerir significados distintos para pessoas
• Manter rigorosamente a seqüência diferentes.
hierárquica evitando conflitos de autoridade. O significado está nas pessoas e não nas
• Elaborar comunicações explicitas e válidas. palavras.
• Policiar o conteúdo oculto das determinações
mis importantes. 6. Nosso estado emocional condiciona o que
• Comunicar aos empregados as decisões ouvimos
tomadas pela direção

UNIDADE – VIII
IMPORTANCIA DAS COMUNICAÇÕES
Na empresa a comunicação é importante
porque: CONTROLE
• Propicia certeza de relações entre patrões e
empregados. DEFINIÇÃO:
• Conduz ao ajustamento funcional. É a função administrativa que consiste em
• Conduz a integração dos objetivos dos MEDIR e CORRIGIR o desempenho para assegurar
empregados com os objetivos da empresa que os objetivos sejam alcançados. O controle é
• Diminui os atritos e possibilita a solução de exercido através das pessoas.
grande parte dos problemas internos
• Produz estímulos capazes de balizar o PROCESSO BÁSICO: 3 ETAPAS
procedimento dos subordinados. a) estabelecer padrões
• Possibilita a aceleração do processo de b) medir o desempenho
desenvolvimento da empresa. c) corrigir os desvios em relação aos
• Possibilita seja conseguida a coordenação padrões e planos
administrativa.
PRINCÍPIOS
a) Dos padrões: o controle adequado requer
BARREIRAS À COMUNICAÇÃO: padrões objetivos precisos e convenientes
1. O Receptor ouve o que espera ouvir b) Do ponto estratégico: seria dispendioso e
O que ouvimos ou entendemos quando desnecessário uma administração acompanhar todos
alguém nos fala está condicionado, em grande, por os detalhes da execução (todo o processo),
nossa experiência própria e nossos antecedentes. concentrar a atenção nos desvios relevantes com
Em lugar de ouvirmos o que nos dizem, ouvimos o relação aos resultados.
que nossa mente nos diz que foi dito. c) Da exceção: controlar principalmente as
Todos tendemos a ter idéias preconcebidas exceções: situações excepcionalmente boas ou más.
sobre o que nos é transmitido: - quando ouvimos d) Da flexibilidade: adaptação dos vários
algo novo tendemos a identificá-lo com algo princípios de controle.
semelhante por nós anteriormente experimentado. e) Da revisão: (ou pós controle): devem ser
revistos periodicamente.
2. Emissor e Receptor tem percepções f) Da ação: controle seguido de ação
distintas. corretiva.
Este obstáculo à comunicação se refere ao Exemplos:
fato das pessoas interpretarem um mesmo estímulo Pert: para programação
de formas distintas, conforme suas experiências Auditoria: para finanças (recursos pagos)
anteriores. Orçamento: para recursos financeiros a
serem pagos posteriormente
3. O Receptor avalia a fonte Físicos: homem/hora por unidade produzida
O receptor não somente avalia o que ouve, Custos: custo de mão-de-obra produzida
apoiado em sua própria formação e experiência Receita: R$ (real) por tonelada vendida
anterior, mas também, levam em conta quem diz. Capital: lucro líquido
Sinteticamente é extremamente difícil
estabelecermos uma distinção entre o que ouvimos Requisitos
e os sentimentos que nos inspira a pessoa que o diz. • devem acusar prontamente os desvios
• ser objetivos e flexíveis
4. O Receptor faz caso omisso da • refletir o padrão da organização (natureza e
informação contrária à que já possui recursos)
As comunicações falham freqüentemente • devem ser econômicos
em surtir os efeitos desejados por irem contra outra • devem ser corretivos
informação já em poder do receptor.

5. As palavras tem significado distintos.


Problema semântico. Não podemos
transmitir “significado”, tudo o que podemos

33 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

O PROCESSO DE CONTROLE vida exceto no sentido de que até mesmo os


organismos vivos mais simples tem processo de
ingestão, excreção e mudança metabólica.
A vida vencida ilustra o quinto nível.
O sexto nível é o reino animal.
O sétimo nível tem como sistema o ser
humano, o homem possui a qualidade auto-
reflexiva. Ele não apenas sabe mas sabe que sabe.
Tem memória desenvolvida, capacidade de fala,
está consciente do passado e do presente.
O oitavo nível é o da organização social. A
unidade não é o indivíduo mas o papel por ele
desempenhado. Podemos definir as organizações
sociais como um conjunto de papéis enfeixados
em sistemas pelos seus respectivos canais de
comunicação.
Como se pode ver as organizações fazem
parte dos sistemas abertos ou seja sistemas cuja
característica principal é o seu inter-relacionamento
UNIDADE – IX com o meio exterior e, ainda, estão situados no
oitavo nível, ou seja, o de maior complexidade.
SISTEMAS ADMINISTRATIVOS Isso quer dizer que não é fácil o
entendimento do fenômeno organizacional,
conforme salienta Geraldo C. Caravantes em sua
SISTEMAS: obra. “- Não nos contentemos com soluções
Para se compreender a função simplistas para o equacionamento de problemas
administrativa é necessário que se estude a organizacionais que são complexos”.
empresa como parte integrante de um sistema na
qual ela se insere.
Em termos de definição “Sistema é qualquer CONCEITO DE SISTEMA
entidade conceitual ou física, composta de partes Qualquer entidade conceitual ou física
inter-relacionadas, interatuantes ou composta por partes inter-relacionadas,
interdependentes”. Assim, o homem é um sistema, interatuantes ou interdependentes.
o carro outro, com mecanismos de ação
diferenciados. Cada um deles é formado por ESTÁGIOS
subsistemas (do carro basta o motor parar para que 1°. Sistemas estáticos – Mapas da Terra;
os demais fiquem sem função e o carro não anda, o Estruturas; Sistema Solar.
do homem basta uma lesão grave em dos
subsistemas para que o todo fique prejudicado. No 2° Sistemas dinâmicos simples – Mecanismo
entanto, é claro que o carro e o homem são de do Relógio, Dínamos, alavancas, etc.
natureza e complexidade diferentes. E a empresa?
Coube a Kenneth Boulding agrupar e hierarquizar os 3° Cibernéticos simples – Termostato
sistemas segundo a complexidade de que se (comunicação e integração de informações).
revestem. Sugeriu de oito níveis:
No primeiro, situam-se os sistemas 4° Sistemas abertos ou Auto-reguláveis =
estáticos. Compõem-se eles de Estruturas, Cédula; Chamas e rios.
tipificadas pelos padrões dos átomos numa fórmula
molecular, dos da terra ou do sistema solar. 5° Vida vegetal
O segundo nível compreende os sistemas
dinâmicos simples. Neles se incluem os mecanismos 6° Reino animal
de relógio, de movimentos pré-determinados. As
alavancas e as roldanas, embora sejam máquinas 7° Ser humano
bastantes complicadas, os motores a vapor e os
dínamos, podem ser incluídos nesta categoria. 8° Organização social (papel
O terceiro abrange os sistemas cibernéticos desempenhado)
simples, como o termostato. Este dispositivo implica
a comunicação e integração de informações,
permitindo ao sistema regular-se e manter
determinado equilíbrio dentro dos limites
estabelecidos.
No quarto nível encontramos o sistema 
enfeixado – reunido, junto.
“aberto” ou auto-regulável. Neste nível, a vida 
cibernético – estudo dos mecanismos e de controle nas
diferencia-se da não vida. Pode-se chamá-lo de
máquinas e nos seres vivos. Como adjetivo, aplica-se à arte
nível da célula. Chamas e rios são sistemas abertos
que tende representar coisas em movimento, utilizando
simples. Nem sempre é fácil diferenciar vida de não
fontes da técnica moderna.
34 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,
propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

MODELO DE SISTEMA “Feed-Back” “FEED – BACK”

ANÁLISE DO SISTEMA

a) Ambiente: Características da Demanda


(Estudo das possibilidades do mercado).

b) Medida de Rendimento: Custo de esforço,


Natureza do produto.

c) Recursos: -pessoal, - financeiros; -


materiais; - equipamentos.
CONCEITO TRADICIONAL
d) Componentes: Órgãos de atividades do Tipo de estruturação visando a coordenação
sistema. Ex.: Composição de um sistema e orientação técnica de forma sistemática entre os
administrativo. órgãos que exercem atividade meios.
Características fundamentais de um
sistema.
COMPOSIÇÃO DE UM SISTEMA • Organizar as atividades-meio
ADMINISTRATIVO horizontalmente, não em termos de
hierarquia mas de Supervisão e Orientação
• Estrutura da Organização técnica.
(Organograma) • Atividade-fim – Visando o público, objetivo –
• Canais de Comunicações se organizam no sentido vertical, inclusive a
• Fluxo e Volume de Trabalho hierarquia.
SISTEMA • Aproveitamento de Espaço Físico
• Métodos de Trabalho
• Equipamentos utilizados CONCEITO MODERNO
• Formulários, instruções e Normas Sistema é um conjunto de órgãos,
de Serviços atividades ou informações – Entrada – que se
relacionam em funcionamento coordenado –
Processo ou processamento – visando à obtenção de
determinados resultados ou informações
ADMINISTRAÇÃO E organizacionais – Saída.
DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA

• Tomada de Decisões SISTEMAS EM DIVERSOS NÍVEIS


• Controle de Entradas e Saídas. Ex.: ESTRUTURADOS E SOB E SOB DIVERSAS
Desenvolvimento do Sistema. MODALIDADES
• Definição de Objetivos
• Definição da Política de Ação Sistemas
• Identificação e Ponderação de fatores que (A) Entrada Processo Saída
afetam os planos de trabalho. Ex.: Custos, (B) Entrada Processo Saída
Dispositivos Legais, Pesquisas de Mercado (C) Entrada Processo Saída
• Tecnologia (grau de desenvolvimento dos
fatores de produção) SISTEMA ADMINISTRATIVO
• Implantação do sistema Fenômeno multidimensional, isto é, que a
• Acompanhamento caracterização técnica de um determinado
mecanismo administrativo é sempre a resultante da
ponderação de uma série de variáveis
condicionantes.

35 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

ELEMENTOS TÉCNICOS E VARIÁVEIS QUE ATUAM NA


FORMULAÇÃO DO SISTEMA ADMINISTRATIVO

A morfologia do sistema é a resultante de 3 SISTEMA


esferas de fatores condicionantes: Rotina
• Ambiente Cultural Lay-out
• Fatores organizacionais internos Formulários
• Imposições técnicas Métodos de trabalho
Equipamentos
Ambiente Fatores Imposições
Cultural Organizacionais Técnicas Fatores condicionantes dos Sistemas Administrativos
Internos
• Caráter de • Hierarquia • Comunicação
organização • Pessoal • Controle
• Público • Orçamento • Coordenação ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL
• Fatores • Legislação • Relação
éticos • Objetivos da linha-staff
• Filosofia empresa • Distribuição Só inicia a partir da elaboração do Plano de
econômica • Políticas de de trabalho, Cargos e Salários que irá orientar as chefias quanto
• Sistema de ação etc. às funções de recrutamento, seleção e treinamento de
pessoal.
status • Outros
O plano tem que ter por base uma análise
• Mito e tabus sistemas
de trabalho, ou seja, o que o trabalho vai exigir do
• Composição administrativ
ocupante:
étnica os, etc.
• Pela descrição do cargo
• Grupos de
• Pelas qualidades definidas
pressão
• Competição,
etc.

36 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

ANÁLISE DO TRABALHO - FASES seleção é baseada no potencial (capacidade do


• Coleta de dados indivíduo).
• Estudo dos dados apurados
• Descrição dos dados
• Discussão e aprovação FASES
• Procedimentos complementares • Avaliação da capacidade do indivíduo
(conhecimentos e experiências, curriculum
vitae);
FIXAÇÃO DE CARGOS / ATRIBUIÇÕES E • Investigação social (ficha individual).
REMUNERAÇÃO • Entrevista (aprofundamento)
Descrição dos cargos, faixa de vencimentos, • Exames e provas (psicotécnicos, concursos,
etc são componentes do Plano de Cargos e Salários. etc.)
Este trabalho é desenvolvido, normalmente, pela • Estágio probatório
equipe de Recursos Humanos da Empresa • Aprovação ou reprovação
(psicólogos, administradores, etc), o Plano irá • Contratação
orientar todo o processo de recrutamento e seleção
de pessoal.
ETAPAS DO RECRUTAMENTO E
SELEÇÃO
RECRUTAMENTO REPRESENTAÇÃO GRÁFICA
O Recrutamento é dividido em quatro fases:
• estudo do mercado
• atração de mão-de-obra
• preenchimento da ficha de inscrição
• controle dos resultados do recrutamento

ESTUDO DO MERCADO
a) Mercado fixo – ex: datilógrafo
b) Mercado cíclico – ex: camareira de hotel
c) Mercado limitado ou ilimitado: procurar o
mais próximo da empresa
d) Ocupado ou disponível: como atrair uma
pessoa que está trabalhando
Oferta e procura = equilibrado; excesso;
raro
ATRAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA
Estudo dos veículos de comunicação com
mão-de-obra.
• Jornal – cartazes em locais estratégicos
• Mão-de-obra especializada – revistas
técnicas
• Mão-de-obra menos qualificada – jornais de TREINAMENTO
grande circulação, rádio.
Desenvolvimento de pessoal na empresa.

PREENCHIMENTO DA FICHA DE
INSCRIÇÃO OBJETIVOS
Usar modelo adequado às necessidades • Preparar e orientar os novos empregados.
• Manter e aumentar o desempenho.
• Promover integração.
CONTROLE DOS RESULTADOS DO • Aumentar capacidade técnica.
RECRUTAMENTO • Habilitação para promoção
• rapidez • Preparar chefias.
• qualidade • Reciclar e proporcionar conhecimentos
• custo adicionais.
• permanência
• controle de saídas
PLANEJAMENTO DO PROCESSO DE
TREINAMENTO
SELEÇÃO • Identificação de necessidades
Baseia-se no sistema de mérito. • Escolha do método mis indicado
Antigamente a pessoa mais capaz era a mais • Definir responsáveis
confiável (parentes, principalmente). Atualmente, • Fixar incentivo
37 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,
propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

TIPOS DE TREINAMENTO: Mas tarde, o artífice individual (sapateiro,


Treinamento de formação: Anterior à ferreiro, carpinteiro, pedreiro etc) geralmente
admissão do empregado, preparação e orientação trabalhava sozinho ou com um ajudante ou
de candidatos a cargos e funções. aprendiz.
Treinamento posterior à admissão: Se fosse morte ou ficasse gravemente
Preparar o empregado para o desempenho de ferido em um acidente de trabalho, o fato não
determinada atividade ou para aumentar a sua atrairia muito a atenção, pois seria um acidente
eficiência na execução de tarefas inerentes ao cargo isolado e, em geral, apenas tomariam conhecimento
ou função. deles seus vizinhos e colegas imediatos.
Treinamento funcional: Parte do Modernamente, a proteção do trabalhador
aperfeiçoamento de grupos para a realização de no desempenho de suas atividades tem sido uma
tarefas comuns; das maiores preocupações nos países
Treinamento introdutório ou de industrializados e os esforços desenvolvidos nesse
iniciação: Preparar empregados recém-admitidos terreno permitiram sensível redução no número de
(direitos, obrigações, estrutura da empresa, etc). acidentes, diminuição dos acidentes mais graves,
Treinamento para aumento de assim como efetiva proteção do acidentado e seus
eficiência: Melhorar o rendimento. Cursos de dependentes.
pequena duração. Esses resultados foram conseguidos graças,
Treinamento para promoção: Preparar o principalmente, a um conjunto de leis bastante
funcionário para funções de maior responsabilidades rigorosas e crescente conscientização de
e dificuldades. empregados e empregadores sobre a importância do
Treinamento para transferência: cumprimento dessa legislação.
Adaptação no novo local. No Brasil, hoje, também já existe essa
Treinamento no plano de relações legislação: seu objetivo é coordenar, orientar,
humanas: adaptação integração, família, valores controlar e supervisionar a fiscalização e demais
sociais, etc. atividades relacionadas com a Medicina e Segurança
do Trabalho.
Essa legislação, consubstanciada na Lei nº.
6.514, de 22-12-1977, e na Portaria nº 3.214, de 8-
6- 1978, dotou o Brasil de normas de segurança,
UNIDADE – X higiene e medicina do trabalho que espelham com
fidelidade as exigências da presente realidade social
e econômica.
SEGURANÇA E MEDICINA DO A legislação citada modificou a denominação
TRABALHO dessas atividades até então chamadas Higiene e
Segurança do Trabalho para Segurança e Medicina do
Trabalho.
HISTÓRICO:
Acidentes com os homens sempre
ocorreram, e sempre houve condições inseguras e CONCEITOS BÁSICOS E OBJETIVOS
atos inseguros. DA SEGURANÇA E MEDICINA DO
O homem esta cercado de perigo por todos TRABALHO:
os lados. A sua sobrevivência se dá pela sua astúcia,
inteligência superior, ao uso de suas mãos, com A Segurança do Trabalho: pode ser
polegares em posição aos outros dedos. considerada como o conjunto de atividades de
O uso do fogo e de armas proporcionou-lhe reconhecimento, avaliação e controle dos riscos à
mais proteção, porém introduziu novos riscos. Dessa acidentes, ou seja, a prevenção dos acidentes de
forma, tanto o homem pré-histórico com a da idade trabalho propriamente ditos, isto é, aqueles que
da pedra estavam em sua vida diária, produzem cortes, fraturas, amputações lacerações
constantemente expostos a perigos que constituíam etc.
parte de sua luta pela existência. Quando se formou A Medicina do Trabalho: pode ser
o clã, como extravasamento natural da família, considerada como o conjunto de atividades de
foram delegadas que envolviam riscos calculados reconhecimento, avaliação e controle dos riscos à
para o bem-estar do clã. “Correr riscos” é, pois, uma saúde na indústria, ou seja, visa à prevenção das
historia antiga. doenças ocupacionais.
Em lugar do risco calculado para o bem- Embora nem sempre seja possível
estar da tribo encontra-se o cavaleiro medieval que estabelecer uma linha nítida de separação entre
participava de torneios para glória pessoal ou para Segurança e Medicina do Trabalho, costuma-se, por
sentir a emoção decorrente da ação e do perigo. questão didática, estabelecer distinção entre uma e
Atualmente, encontra-se a mesma motivação nos outra, podendo-se então dizer que, em tese, a
que tomam parte em corridas de automóveis, de Segurança do Trabalho visa proteger a integridade
motocicletas, aeronaves e etc. física do trabalhador contra as conseqüências
“Correr riscos”, na maioria das vezes agudas que lhe poderão advir do trabalho, enquanto
desnecessariamente, era característica da vida a Medicina do Trabalho procura resguardá-lo das
diária de nossos antepassados, tanto em seu conseqüências de caráter crônico.
trabalho como em sua recreação.
38 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,
propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

ACIDENTES DE TRABALHO: CONCEITO E • Focalizantes: chamam a atenção para


CAUSAS determinados pontos importantes, como
Um acidente é uma ocorrência não faces internas de tampas de proteção, campo
programada, inesperada, que interfere no processo de trabalho em máquinas operatrizes. Para
ordenado do trabalho ou interrompe-o. Um acidente maior destaque é conveniente que o resto
pode envolver qualquer pessoa ou uma combinação seja pintado com cor dissimulante.
dos seguintes itens: • De segurança: indicadora de precaução ou
• homens; perigo devendo chamar a atenção. Esse
• material; assunto é normalizado pela ABNT, que
• maquinaria; regulamenta seu uso na publicação NB-76
• equipamento; (cor na segurança do trabalho, 1968).
• tempo.

Uma lesão é o resultado de um acidente. O AS CORES COM A RESPECTIVAS


acidente em si é controlável; a lesão, porém, que FINALIDADES SÃO:
resulta do acidente é difícil de ser controlada. • Vermelho: proteção contra fogo: para
Portanto, os esforços na prevenção de acidentes distinguir e indicar partes, equipamentos de
devem ser dirigidos antes para o acidente que para proteção e combate a incêndio.
a lesão. • Alaranjado: para alertar; é sinal de atenção
que serve para indicar partes móveis e
perigosas de máquinas, face interna de
CAUSAS DE ACIDENTES caixas e chaves elétricas.
A causa de acidentes é a ação e/ou • Amarelo: designa precaução, cuidado. Deve
condição que precede imediatamente o acidente. marcar parapeitos e corrimãos, espelhos de
Daí se pode verbo que os acidentes são causados degraus, soleiras de portas, vigas baixas,
por: pára-choques ou traseiras de veículos de
• Condições inseguras, tais como: maquinaria circulação interna ou externa, viaturas que
desprotegida ou mal protegida; equipamento circulam em campos de pouso e tudo o que
defeituoso; piso escorregadio, fraco ou precisa ser visto.
desnivelado; arranjo perigoso de • Verde: significa segurança. Cor básica para
equipamento, ventilação ou iluminação designar caixa de primeiros socorros, local
imprópria. para curativos de emergência, quadro sobre
• Atos inseguros, tais como: tornar inoperante segurança.
os dispositivos de segurança; usar • Azul: para aviso de que não deve ser
equipamento inseguro; postura ou posição acionada máquina ou equipamento pesado.
insegura; trabalhar sobre maquinaria ou Sinais de advertência devem ser colocados
equipamento em movimento, distrair-se, no botão de partida ou fonte de força das
importunar ou brincar em serviço; deixar de máquinas.
usar vestimenta adequada ou equipamento • Púrpura: assinala a presença de radiações
individual de proteção; usar roupas ou eletromagnéticas, penetrantes ou
aparelhos inseguros e velocidades perigosas. radioativas.
• Branco: limitação de áreas de
estacionamento, circulação, depósito.
Os atos inseguros são devidos ao elemento • Preto: coletores de detritos, cavacos,
humano: compreendem características físicas e escórias. Estas cores não devem ser usadas
mentais, conhecimento, capacidade de atitudes do com finalidades decorativas ou com outro
indivíduo, que são responsáveis pelo ato causador sentido que não o convencional nos locais de
do acidente. trabalho, mesmo nos casos em que o fundo
não é contrastante.

CORES NA SEGURANÇA
RELAÇÃO COR / LOCAL
As cores na segurança são: VERMELHO
• De identificação: para assinalar características  Estações e equipamentos de bombeiros.
especiais, como: tubulações condutores de  Localização de extintores de incêndio e sinal
água potável. Água quente, ar comprimido, indicador de saída em caso de incêndio.
vapor etc.; cilindros com oxigênio, neon e  Baldes p/ caso de incêndio, caixas de alarma
outros; classificação de vergalhões de aço, contra fogo e local das mangueiras.
utilização de escaninhos, prateleiras,  Hidrantes das indústrias, bombas e sereias
etiquetas, fichas etc. de alarde de incêndio.
• Dissimulantes: realçam intencionalmente  Postes indicadores das válvulas dos sistemas
pormenores ou áreas, assim como partes e tubulações dos “sprinklers”.
móveis de máquinas, áreas de depósitos ou
de circulação.

39 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

ALARANJADA - Alerta Branco, preto ou uma combinação de


 As partes móveis, expostas e não protegidas ambos devem ser as cores básicas para as
de maquinaria. Aqui o interior dos anteparos marcações de tráfego e assuntos relacionados com
móveis (os que podem ser abertos ou ordem e limpeza.
removidos) deve ser pintado de cor-de-
laranja, para chamar a atenção dos De acordo com as condições locais, devem-
operadores. se usar branco liso, preto liso, faixas de cor única,
 Botões e caixas de movimentação. Essa cor faixas alternadas de branco e preto, ou xadrez
servirá de alerta a qualquer pessoa sobre o branco e preto. A seguir apresenta-se uma lista
risco potencial existente e como aviso de parcial de sugestões para sua aplicação:
“não ponha a mão” a pessoas não
autorizadas.
 Engrenagens, polias, rolos, cortadores, TRÁFEGO
garras expostos. Aqui só as bordas das • Fundos sem saída de corredores e
partes expostas são pintadas de cor-de- passagens.
laranja para prevenir contra o contato. • Localização e largura das faixas de
 Fusíveis e caixas de interruptores abertos. circulação.
Aqui pelo menos o interior da caixa ou da • Escadas (espelhos, linhas de direção limites
tampa é pintado de cor-de-laranja para de bordas).
prevenir contra os fios e equipamentos • Sinalização.
eletrificados expostos.

ORDEM E LIMPEZA
AMARELO - Alta visibilidade • Localização das latas de resíduos.
 Equipamento de construção (ou partes dele), • Cantos brancos de salas ou passagens.
tais como motoniveladoras, tratores, • Localização de bebedouros e equipamentos
caçambas. para distribuição de alimentos. Branco –
 Marcadores de canto para empilhamento. Tráfego Preto Púrpura - Radiação
 Bordas expostas e não protegidas de • Áreas não obstruídas do piso ao redor de
plataformas, poços e paredes. Guarnições equipamentos para socorros de urgência,
suspensas do teto ou paredes que avançam combate a incêndios e outros.
para as áreas de operação normal (dentro do
espaço livre para tráfego).
 Corrimãos, balaustradas, degraus inicial e PREVENÇÃO E PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO
final de escadas, em que haja necessidade
de cuidado. A prevenção dos incêndios é um princípio de
 Bordas horizontais de portas engenharia aplicada para prevenir o início do
contrabalançadas de elevador de incêndio; compreende a descoberta, extinção e
deslizamento vertical. controle do incêndio depois que tenha começado.
 Locomotivas de industrias (ou parte delas).
 Polias inferiores de talhas ou guindastes. A química do fogo
 Marcas para projeções, passagens, Para que o fogo se manifeste é necessário:
transportadores, canos e traves baixo,  Calor;
armações de elevadores e portas de  Oxigênio;
elevadores.  Combustível

A remoção de qualquer desses elementos


VERDE - Segurança impede o fogo de se manifestar ou provoca a sua
 Padiolas e caixas das padiolas. extinção. Assim, sempre que for preciso combater o
 Salas e caixas dos equipamentos de socorros fogo, os esforços devem ser destinados à remoção
de urgências. de um dos três elementos citados.
 Ambulatórios médicos.
 Recipientes de máscaras contra gás. REMOÇÃO DE CALOR: as fontes de calor
incluem: oxidação, encanamentos de vapor, fios,
arcos e centelhas elétricas, chamas, fósforos acesos,
AZUL - Precaução cigarros acesos, raios diretos do sol. A remoção
 Elevadores. dessas fontes ajudará a controlar o calor.
 Fogões e tintas, Tanques, Fornos, Caldeiras,
Controles elétricos e Secadores. REMOÇÃO DO OXIGÊNIO: para sustentar
 Poços de inspeção subterrâneos, Válvulas, a combustão é necessário 16% de oxigênio. Por
Andaimes, Escadas e Sinais para linhas isso, torna-se indispensável reduzir a porcentagem
férreas. de oxigênio no ar abaixo de 16%.

40 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

REMOÇÃO DO COMBUSTÍVEL: para


remover o combustível é necessário remover ou
controlar os líquidos, vapores e gases inflamáveis e
os materiais combustíveis.

CONTROLE DO CALOR: consiste em


controlar:
• chamas abertas;
• fagulhas;
• fricção;
• hábito de fumar perto de inflamáveis; RUÍDO: CONCEITO. NÍVEIS. CONSEQUÊNCIAS
• eletricidade. E PREVENÇÃO

CONCEITO:
Ruído é um som confuso, discordante,
CLASSES DE FOGO
composto de vários freqüências que não são
CLASSE A: São materiais de fácil
distinguíveis do som normal.
combustão com a propriedade de queimarem em
sua superfície e profundidade e que deixam
NÍVEIS DE RUÍDO
resíduos. Exemplos: tecidos, madeira, papel, fibras
Os ruídos podem ser medidos por aparelhos
etc. O fogo é extinto eliminando-se o calor pela
medidores de intensidade (nível de pressão sonora)
aplicação de um agente refrigerante ou abafador,
e analisadores de freqüência. A intensidade de ruído
como a água.
é marcada no aparelho em decibéis ( db ). Eis a
seguir alguns níveis de intensidade de ruídos típicos:
• Rumor de folhagem com vento leve......10 db
CLASSE B: São considerados os
• Tique-taque de relógio .......................30 db
inflamáveis, os produtos que queimam somente em
• Voz de conversa a 1 m ......................60 db
sua superfície, não deixando resíduos. Exemplos:
• Martelo pneumático a 3 m ..................90 db
óleos, graxas, vernizes, tintas, gasolina. O fogo é
• Buzina forte de automóvel a 7 m
extinto eliminando-se o oxigênio por meio de um
................. 100 db
agente de revestimento ou abafamento, como
espuma, vapor ou neblina de água.

CLASSE C: São considerados os que Observação: Acima de 120 db encontram-se


ocorrem em equipamentos elétricos energizados. os ruídos que produzem dores de ouvido, como é o
Exemplos: motores, transformadores, quadros de caso dos motores de aviões a jato.
distribuição, fios. O fogo é extinto desligando-se o
fornecimento da corrente elétrica e combatendo o
fogo com líquidos, gases, ou pós não condutores. O
agente extintor abafa e esfria, reduzindo assim o EFEITO DE RUÍDO SOBRE O APARELHO
calor e a quantidade de oxigênio no ar que circula AUDITIVO
imediatamente o fogo. Os efeitos nocivos ao ruído sobre o aparelho
auditivo são proporcionais à intensidade e duração.
CLASSE D: São considerados os elementos Podem trazer as seguintes conseqüências:
pirofóricos, como magnésio, zircônio, titânio. O fogo
é extinto com o extintor do tipo pó químico seco; o • Hipoacusia transitória: nos casos de exposição
pó químico deve ser especial para cada material. curta a ruído intenso (90 a 120 db), pode
ocorrer redução transitória da acuidade
auditiva, principalmente para sons agudos.
TIPOS DE EXTINTORES • Surdez profissional: nos casos suscetíveis de
• espuma exposição longa a ruídos intensos (90 a 120
• gás carbônico (co2); db), ou exposição curta a ruídos intensos (90
• pó químico seco (pqs); a 120 db), ou exposição curta a ruídos
• água pressurizada. excessivamente intensos (120 a 140 db),
pode ocorrer perda da audição, geralmente
incurável.
O quadro seguinte indica o tipo de extintor • Ruptura do tímpano: nas exposições a ruídos
recomendado para casa classe de fogo estrondosos, como explosões, pode ocorrer
perda do tímpano que traz, entre outras
conseqüências, redução transitória da
acuidade auditiva.

Além da intensidade e do tempo de


exposição, outros fatores têm influência nos efeitos
do ruído sobre o aparelho auditivo, tais como: sua

41 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

freqüência, suscetibilidade do operário, afecções do Veja alguns detalhes de equipamentos de


ouvido preexistentes. proteção individual:

CONSEQÜÊNCIAS GERAIS DO RUÍDO


O ruído traz perturbações funcionais ao
organismo, afetando o sistema nervoso, aparelhos
digestivo e circulatório, trazendo fadiga, razão pela
qual influi na produtividade do operário. Os ruídos
industriais prejudicam, dando origem aos acidentes
de trabalho.

PREVENÇÃO DE RUÍDO NO MEIO


AMBIENTE
Eliminação de ruído no meio ambiente - .troca
da operação ruidosa por outra não ruidosa;
manutenção da mesma operação, eliminando ou
atenuando os ruídos existentes, através da troca de
peças gastas e boa lubrificação das máquinas,
assentamento das máquinas sobre material
absorvente de som, alojamento de peças ruidosas
em banho de óleo, substituição de correntes
metálicas por correias de borracha, troca de
máquinas antigas por outras mais modernas.

Prevenção de ruído no homem • Finalmente, o terceiro problema é fazer com


Para a obtenção de resultados satisfatórios que os trabalhadores usem o equipamento
na prevenção do ruídos e suas causas, geralmente é escolhido.
necessário empregar, conjuntamente várias das Destaque-se o fato de que o equipamento
medidas preventivas que serão expostas. O ruído de proteção individual deve, sempre, ser
industrial é prejudicial à saúde do trabalhador, afeta considerado como a “ultima linha de defesa” . Os
a produção é perturba a tranqüilidade da população, dispositivos de proteção pessoal nada fazem para
constituindo-se em um grande mal social. reduzir o risco; apenas constituem uma barreira
contra o risco, e esta barreira deve ser
Exame otológico e audiométrico periódico: constantemente mantida, vigiada e protegida. O
O empregado que trabalha em área de equipamento de proteção individual pode ser
grande concentração de ruído, ao logo do tempo as classificada como segue:
empresas submete a exames de audiométria
periódico permanentes. Estes exames mede o grau PROTEÇÃO DA FACE E DOS OLHOS:
de audição e os cuidados a que as empresas deva • protetores faciais (viseiras);
tomar e a melhorar o índice da poluição sonora • óculos de vários tipos;
dentro do setor de trabalho. • escudos de soldador;
• elmos de soldador.
Equipamento de proteção individual (EPI)
Uma questão que vem preocupando os PROTEÇÃO DE CABEÇA:
profissionais que verificam as condições do • chapéus protetores;
ambientes de trabalho, tanto em perícias • proteção dos cabelos;
administrativas ou judiciais, como em outros tipos • proteção das orelhas.
de avaliações técnicas consiste em saber ou, no
mínimo, adquirir o sentimento de que a utilização do EQUIPAMENTO RESPIRATÓRIO:
equipamento de proteção individual efetivamente • aparelhos para respirar ar ou oxigênio
minimiza, elimina ou neutraliza as condições de (depósito incluso);
insalubridade tanto sob o ponto de vista técnico • respiradores de ar canalizado;
como também sob o ponto de vista legal. • respiradores de canistrel e de cartucho;
Existe três problemas que devem interessar • respiradores com filtro para aerodispersóides
todos os que são responsáveis pela segurança de líquidos e sólidos.
trabalhadores, com relação aos equipamentos de
proteção individual: PROTEÇÃO DA MÃO, PÉ, PERNA E
• Devem determinar a necessidade de CORPO:
equipamento de proteção individual. • luvas e protetores para mão;
• Determinada a necessidade, o problema • calçados de segurança;
seguinte é escolher o tipo adequado de • protetores para os pés;
equipamento individual de proteção. • roupa protetora do corpo.

42 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

NORMALIZAÇÃO estabelecido pelo Congresso Nacional. por


intermédio da Lei nº 5.966, de 11 de dezembro de
1973, com a finalidade de formular a executar a
CONCEITO E OBJETIVOS
política nacional de metrologia, normalização
Normalizar é especificar, unificar e
industrial e certificação de qualidade de produtos
simplificar. Toda norma deve atender, simultânea e
industriais.
harmoniosamente, a três requisitos: O SINMETRO é integrado por entidade
• Especificação: significa descrever com
pública ou privadas que exerçam as referidas
precisão as características, aquelas mais do atividades.
objeto a ser normalizado de modo que O Conselho Nacional de Metrologia,
impeça dúvida e assegure qualidade. Normalização e Qualidade Industrial (CONMETRO) é
• Unificação: significa escolher, entre várias
o órgão normativo do sistema.
características, aquelas mais usadas e mais O Instituto Nacional de Metrologia,
convenientes a fim de permitir uso
Normalização e Qualidade Industrial (INMETRO) é o
polivalente.
órgão executivo do sistema; cabe-lhe executar a
• Simplificação: Significa eliminar as variedades
política de metrologia legal, científico e industrial, de
de objetos considerados inúteis para as normalização e de certificação de qualidade dos
necessidades presentes. produtos industriais de acordo com as diretrizes
baixadas pelo CONMETRO.
Com relação às atividades de normalização,
O OBJETIVO DA NORMALIZAÇÃO É: destacam-se as seguintes resoluções e
Substituir vários objetos empregados para recomendações deliberadas pelo CONMETRO:
uma mesma finalidade por um único. Esse objeto • Definição de norma brasileira.
único deve atender às mesmas necessidades dos • Aprovação de diretriz para o preparo e a
vários que substitui.
apresentação de normas brasileiras.
Limitar a quantidade de especificações para • Atribuição ao INMETRO da tarefa de
um mesmo objeto. classificar e /ou registrar as normas.
• Classificação dos níveis das normas brasileira
(NBR1, NBR2, NBR3 e NBR4)
VANTAGENS DA NORMALIZAÇÃO
Os produtos, as especificações, os métodos De acordo com a Resolução nº 06/75, as
de ensaio, os processos de fabricação, a normas brasileira estão classificadas em quatro
terminologia, a simbologia, enfim tudo o que for níveis:
normalizado apresenta uma ou mais das seguintes NBR-1 Normas Compulsórias - de uso
vantagens:
obrigatório em todo território nacional.
• Facilidade de interpretação e de NBR-2 Normas Referenciadas - de uso
comunicação. obrigatório para o Poder Público e serviços públicos
• Aumento da quantidade fabricada, que concedidos.
possibilita, como conseqüência; NBR-3 Normas Registradas - normas
• uso de processos e métodos aperfeiçoados; voluntárias que venham a merecer registro no
• redução de custo; INMETRO, de
• melhoria da qualidade.
• intercâmbio das peças avulsas.
• diminuição dos estoques.
• facilidade de encontrar, no mercado, aquilo
de que se necessita; BIBLIOGRAFIA BÁSICA
• diminuição da variedade de produtos mais ou
menos semelhante;
• facilidade de estocagem por serem ARAÚJO, Luiz César G. Organização e Métodos.
conhecidas as especificações (dimensões,
peso etc). GENARI, Brebo. Uma análise de sistemas
administrativos.

ABNT Manual de Relações Industriais – Vários Autores.


No Brasil, a Associação Brasileira de Normas
Técnicas (ABNT) é o grande Fórum Nacional de MIRANDA, Mac Dowell dos Passos. Organização e
Normalização. Métodos.
Com a instituição do SINMETRO, o
entroncamento das normas técnicas nacionais no OUCHI, William G. Como as empresas podem
cenário econômico e industrial brasileiro vem enfrentar o desafio Japonês.
conquistando posição de destaque, ressaltando-se a
integração com a política nacional de SALDANHA, Genuíno. Manual de Pessoal.
desenvolvimento.
O Sistema Nacional de Metrologia, SIMERAY, J. P. Estrutura de Empresa.
Normalização e Qualidade Industrial (SINMETRO) foi

43 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

GLOSSÁRIO


remunerar – pagar; ordenado; gratificar.

autônomo – que se governa por leis próprias; independente,
livre.

subordinado – dependente; subalterno; individuo as
ordens de outros; empregado; criado.

britamento – ação de britar, quebramento; partir quebrar
pedras; fragmentar.

cunhado – marcado; selado com ferro, a marca
impressa por ferro; uma das faces de certas moedas,
na qual se representavam as armas reais.

retrocesso – ato ou efeito de retroceder; volta ao
primeiro estado; retirada; atrasamento.

patrimônio – qualquer bem, materiais ou morais; conjunto
dos bens avaliáveis em dinheiro.

instituição filantrópica – instituição de caridade,
benfeitoria; dedicação humana.

superávit – lucro; excesso, o excedente em favor da
receita de um orçamento.

departamentalizar – circunscrição administrativa,
repartição pública; divisão.

mecanografia – utilização de máquinas de escrever, de
calcular, duplicadores e assemelhados, para a execução de
trabalhos de escritórios.

autarquia – poder absoluto; autonomia; governo autônomo.

monopólio – exploração, posse, direito ou privilégio
exclusivos

Cartel – Carta de desafio, provocação; rótulo; dístico;
entendimento comercial entre empresas produtoras, as
quais, embora conservem a autonomia interna, se organizam
em sindicatos para distribuírem, entre os mercados e
determinarem os preços.

truste – monopólio; sociedade açambarcadora constituída
para suprimir a concorrência e impor os preços.

diretriz – norma, pauta, critério, linha reguladora.

cabotagem – navegação costeira (entre cabos ou portos da
mesma região.

distintas – diferente; separado.

delegáveis – transmitir poderes por delegação; incubir;
encarregar; enviar alguém com poderes de julgar, resolver.

subalternos – que está sob as ordens de outro; secundário;
inferior.

intercâmbio – troca;

transmissor – que transmite; mandar de um lado para
outro; comunicar.

codificação – vocabulário convencional.

enfeixado – reunido, junto.

cibernético – estudo dos mecanismos e de controle nas
máquinas e nos seres vivos. Como adjetivo, aplica-se à arte
que tende representar coisas em movimento, utilizando
fontes da técnica moderna.

44 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610
Organização e Normas

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Neste módulo, você encontrou conteúdo, textos e interpretações para apoiá-lo no seu Curso. Aqui, a
teoria é acompanhada da sua contrapartida – estágio – que será de grande valor para o seu enriquecimento
profissional.

Não pretendemos de forma alguma ditar receitas infalíveis. Nossa intenção é conduzir um diálogo
direcionado a você e dessa forma, ajudá-lo a desenvolver habilidades de estudo – consultas a dicionário,
enciclopédia e leitura de textos – tornando-o apto a superar os limites que esse material encerra.

Agora, vamos ao seu desempenho. Se você acertou tudo, passará para o próximo módulo. Caso
contrário, esclareça suas dúvidas com o seu professor/tutor, de acordo com a sua disponibilidade de tempo e

esteja você onde estiver, seja por telefone, fax ou internet (www.colegiopolivalente.com.br.)

O desafio de toda Equipe Polivalente é saber articular um ensino profissionalizante de modo a ser
compreendido pela comunidade. O único modo para articulá-lo e vivê-lo, é dando testemunho de vida.

O seu sucesso é também sucesso do CIP.

Afinal, o CIP é você!!!!

45 Proibida reprodução deste material em parte ou no todo,


propriedade do CIP – Lei n° 9.610