Vous êtes sur la page 1sur 64

Movimento

em 2 e 3
dimensões
Capítulo 3
Cinemática em 2 e 3
dimensões
• Já estudamos cinemática em 1 dimensão

• Maioria dos casos o movimento não é


unidimensional x(2s)=3m

• Escolha do referencial? 0 3 x(m)

• Em 1 D bastava escolher o sentido e a origem


do eixo
Sistema de eixos
Seção 3.1

• Escolha do referencial é sempre o primeiro


passo
• Em 2 (ou 3) dimensões: em muitos casos
usaremos os eixos cartesianos
y(t)
• Posição é um vetor

• Mesmos conceitos de cinemática x(t)

z(t)

• Cinemática 1D + vetores
Velocidade e
aceleração
vetoriais
Seções 3.4 e 3.5
Deslocamento e
velocidade média

Não
• Deslocamento entre 2

con
instantes t1 e t2

fun
d
Trajetória de uma partícula

ir c
y

mf o
• Deslocamento também é Posição em t1

unç
um vetor

ão
Δy

hor
• Componentes dos vetores

á
ria
são independentes Δx

x (t)
Posição em t2
• Em três dimensões

x
Velocidade média
• Velocidade média foi
defnida como a razão
entre o deslocamento e o
intervalo de tempo (Δt) y

• Em 2 (e 3) dimensões o
deslocamento é um vetor

• Velocidade que a partícula


teria se tivesse ido em
MRU de 1 para 2 em Δt
x
Velocidade média
• Componentes independentes

Componente x
vmy vmz
da velocidade
média vmx

• Velocidade média é um vetor (escalar x vetor)

• Mesmos direção e sentido do deslocamento


Velocidade instantânea
• Limite da velocidade
média quando Δt0
Diminuindo Δt
y

• Velocidade média tem


mesmos direção e
sentido do
deslocamento

• Velocidade instantânea
também é um vetor
x
Velocidade instantânea
• Limite da velocidade
média quando Δt0
Diminuindo Δt
y

• Velocidade média tem


mesmos direção e
sentido do
deslocamento

• Velocidade instantânea
também é um vetor
x
Velocidade instantânea
• Limite da velocidade
média quando Δt0
Diminuindo Δt
y

• Velocidade média tem


mesmos direção e
sentido do
deslocamento

• Velocidade instantânea Dt ® 0
também é um vetor
x
Velocidade instantânea
• Velocidade instantânea
é um vetor tangente à
trajetória no instante
y
• Cuidado: nesse caso o Dt ® 0
vetor velocidade não
pode ser comparado
com a escala x versus y

Componente x
da velocidade
instantânea vy x
Exemplo
Sabe-se que uma partícula se move no plano xy
de um dado sistema de coordenadas. Seu vetor
posição é

Com t dado em segundos e as componentes do


vetor posição em metros
a)Qual o vetor velocidade em t=2 s?
b)Qual o vetor velocidade média entre t=0 e t=2s?
Exemplo x(t) y(t)

a)Sabemos que

Onde usou-se que a derivada da soma é a soma das


derivadas e que a derivada de uma constante é 0
Com as componentes
em m/s
Exemplo
b)Sabemos que

Com as componentes
0 em m

Com as componentes
em m/s

Atenção: Mas a componente y é a mesma…

Atenção: Velocidade é um vetor! Tem módulo direção e sentido


Aceleração média
• De novo cinemática+vetores

• Aceleração média

• É um vetor que tem direção do vetor diferença


de velocidade
Aceleração instantânea
• Limite da aceleração média com Dt0

• É um vetor que é a derivada da velocidade

• Em geral é uma função do tempo


Aceleração
vx vy

• No exemplo anterior

Com a componente
• Aceleração constante em m/s2

• Porque não é MRUV?

• Aceleração (velocidade e posição) é um vetor!

• Componentes são independentes


Aceleração
• Em x

• ax é constante

• A componente x descreve um MRUV

• Em y

• vy é constante

• A componente y descreve um MRU


Aceleração
• Movimento retilíneo é um
caso particular em que
velocidade e aceleração
tem a mesma direção

• Se aceleração é
constante

• Se tem mesma
direção, velocidade
sempre na mesma
direção
Vetores
• Cuidado: como a aceleração é um vetor, ela
pode mudar módulo, direção e sentido da

r!
velocidade!

la
ca
es
• Cuidado: como a velocidade é um vetor, ela

de
pode mudar módulo, direção e sentido da
e
nt
re
posição!
fe
di

• Mesmo no movimento uniformente variado



to
Ve

• NÃO signifca que


A não ser que seja retilíneo
Movimento de projéteis
Seção 3.6

• Projétil: É um objeto sujeito à queda livre na


proximidade da Terra
• Consideramos a Terra plana ões

• Desprezando resistência do ar xim
pro
A
• Galileu observou que todos os corpos sofrem a
mesma aceleração devido à gravidade
• Movimento uniformemente variado com
aceleração
Movimento de projéteis
Em Física I, exceto quando se disser
• Aceleração da gravidade
o contrário g=9,8 m/s2
• 1o passo para resolução?
• Escolha sistema de eixos

• Existe mais de uma opção e y


resultado físico não pode
depender dela

• Escolhendo, por exemplo


0 x
chão
Movimento de projéteis
Com a escolha de t0=0
• Estamos trabalhando com
vetores
• Componentes
independentes

• ax=0 Movimento y
uniforme em x

• Em y: uniformemente
0 x
variado com ay=-g
chão
Movimento de projéteis
• Trabalhando vetorialmente

y
• E

0 x
chão
Trajetória
• Qual a trajetória de um
projétil?
y
• Eliminamos o tempo das
equações

• Equação da parábola x
• Concavidade para baixo
Trajetória
Sugestão de exercício: mostre que, em
um lançamento de projétil do chão, o objeto
• Decomposição atinge novamente o chão a uma distância

y
• Nesse caso x0=0
θ
• Velocidade é sempre
tangente y0

• No ponto de altura
máxima? x
Independência de
movimento
• Considere 2 projéteis
que começam o
movimento do mesmo
ponto, com mesma v0y
mas v0x diferentes

• Em y o movimento
deve ser igual
Independência de
movimento
• Considere 2 projéteis
que começam o
movimento do mesmo
ponto, com mesma v0y
mas v0x diferentes

• Em y o movimento
deve ser igual
Exercício
Uma pedra é lançada do topo de um prédio, com uma
velocidade, de módulo 20 m/s, que faz um ângulo de 30o acima
da horizontal. Sabe-se que a altura do prédio é de 45 metros.

a)Quanto tempo a pedra leva para atingir o solo?

b) A que distância horizontal a partir do ponto de lançamento a


pedra atinge o solo?

c) qual a velocidade da pedra ao atingir o solo?

d)Qual o deslocamento da pedra entre os instantes inicial e


aquele no qual ela atinge o chão?
Exercício
Escolhendo a origem do
sistema de eixos de
maneira a coincidir com a
posição inicial da pedra

Condições iniciais:

Coordenadas da pedra
Exercício
a)Tempo de queda?

Quando atinge o solo y=-


h=-45 m

Isso ocorre no instante tq

a b c
Bhaskara
Exercício
Não faz sentido falar em t<0
a)

b)Distância horizontal
percorrida?

Vale ? Cuidado com fórmulas decoradas. Esse alcance só vale


quando o projétil volta a mesma altura original
Física não é decorar fórmulas!!!!
Exercício
b) A distância é a
percorrida
horizontalmente até o
instante tq

c)Velocidade é um vetor
Exercício
c) Em x MU e em y MUV

Atinge o solo em tq=4,2 s

Com as componentes em m/s

d)Deslocamento?
Aula passada
• Cinématica em 2 (e 3) dimensões: cinemática 1D
+ vetores

• Velocidade é a taxa de variação do vetor


posição e a aceleração a do vetor velocidade
• Componentes independentes

• Projéteis
Exemplo
Imagine um caçador se preparando para
atirar num macaco que se encontra a uma
altura h da arma em uma árvore que está a
uma distância d do caçador. No momento h
em que o caçador dispara a sua arma, o
macaco se assusta com o barulho e cai do
galho. Supondo que a mira do caçador
seja perfeita na posição em que o macaco d
se encontrava, desconsiderando o tempo
que o som leva pra chegar ao macaco e a
resistência do ar no movimento da bala.
- O caçador consegue atingir o macaco?
Exempo
Exercício Y&F 70
Um estudante está sentado sobre uma
plataforma a uma altura h acima do solo. Ele
lança um rojão com uma velocidade horizontal de
módulo v. Entretanto, devido ao vento que sopra
paralelamente ao solo, o artefato possui, durante
todo seu movimento de queda, uma aceleração
horizontal de módulo a. Isso faz com que o rojão
caia no chão diretamente sob o estudante.
Determine a altura h em termos de v, a e g.
Exercício Y&F 70
y
• É projétil? NÃO!
v

• Aceleração horizontal a
h

• Componente y:
Componentes independentes x

• Componente x:

• Atinge o solo exatamente sob o estudante


Exercício Y&F 70
• Portanto

• Mesmo de projétil (componentes independentes)

• Por outro lado

• Elevando ao quadrado
Movimento Circular
Seção 3.7

• O movimento circular é
y
aquele em que a
trajetória do objeto
estudado é um círculo
(ou um arco) de mesmo
raio
x
• É um movimento em 2
dimensões

• Escolhendo a origem no
centro da trajetória
Movimento Circular
• Em um determinado
instante y

• Raio da trajetória r

• Vetor posição r
θ
• Raio é sempre o mesmo x
• Apenas com o ângulo q a
posição fca determinada
Movimento Circular
• Estamos trabalhando com o
sistema de eixos cartesianos y

• Nesse caso é mais adequado


defnir um outro conjunto de
vetores unitários r
θ
• : vetor unitário que vai
x
sempre da origem ao ponto
onde se encontra o objeto
estudado

• Tem mesma direção do vetor


posição (por construção)
Movimento Circular
• Mesmo vetor escrito em
diferentes sistemas de y
cordenadas

• tem mesma direção do


vetor posição mas é unitário r
θ
x
Movimento Circular
• Precisamos de um outro
unitário para ter um sistema y
de coordenadas

• Um vetor unitário que seja


perpendicular a r
θ
• Chamaremos de x
Movimento Circular
• Essas são as coordenadas
polares (r,θ) y

• Diferente dos eixos


cartesianos, os unitários das
coordenadas polares variam θ r
com o tempo! θ
x
• Quem é a velocidade?

• Sempre tangente à Vetor é sempre Vetor é sempre


trajetória radial a trajetória tangente a trajetória
Movimento circular
• Se o movimento ocorre no
y
sentido anti-horário
• vq>0 (no mesmo sentido de
)

• Se o movimento ocorre no θ
sentido horário x
• vq<0 (sentido contrário ao
de )

• No movimento circular vr=0


Movimento circular
uniforme
• O movimento circular • Descrição do movimento?
uniforme (MCU) é o
movimento circular no qual • Velocidade é tangencial
o módulo da velocidade é sempre
constante
• O arco de círculo percorrido
em função do tempo
• Atenção: a velocidade no r s
movimento circular muda θ
de direção o tempo todo

• No MCU apenas seu módulo


é constante
O ângulo q deve ser expresso em radianos
Movimento Circular
Uniforme
• O arco é percorrido • No MCU, módulo da
devido à velocidade velocidade é uniforme
tangente à trajetória
• A velocidade angular é,
portanto, constante

• Defnimos a velocidade
angular

• MCU: objeto percorre


• Taxa de variação do ângulos iguais em
ângulo q intervalos iguais
MCU
• Sempre leva o mesmo • Unidade de w SI: rad/s
tempo para dar 1 volta
• Ponteiro de minuto do
• Qual o período T?
relógio (1 volta a cada
• q(T)-q0=2p 60 s)
(uma volta
completa)

r
• Frequência de rotação θ
(quantas voltas por
intervalo de tempo)
Aceleração no MCU
• No MCU • Aceleração é a taxa de
variação da velocidade

• Velocidade não muda


• Módulo de v é de módulo
constante mas direção
muda • No MCU

• Se velocidade varia há
aceleração! r
θ
Aceleração no MCU
• Quem é ar? • Então

• Recapitulando
constante

• Por outro lado

constante
• Finalmente
Aceleração centrípeta

• Sinal de – indica que o


vetor aceleração
aponta para o centro
do círculo

• Por isso é chamada de


aceleração centrípeta
Movimento circular
qualquer Seção 3.8

• No MCU • O vetor velocidade não


muda (continua sendo
tangente à trajetória)
Dependendo se o movimento é
no sentido horário ou anti-horário • Mas w não é mais constante
(v muda de módulo)
• E se o movimento for • É preciso haver uma
circular mas não componente tangencial da
aceleração
uniforme (módulo de v
muda)? • Componente radial é a
mesma (aceleração
• Vetor posição não muda centrípeta)
(trajetória é um círculo)
Aceleração centrípeta é a componente
radial da aceleração em coordenadas polares
Exercício
3.19) Com que velocidade linear estamos nos
movendo devido à rotação da Terra em torno do
seu eixo, se estivermos na Linha do Equador?
Qual seria a nossa aceleração centrípeta?
Exprima essa aceleração como um percentual de
g.
• Estamos em movimento circular uniforme de
raio = Raio da Terra
Exercício
• Período do movimento?
• 24 horas=24x60x60=86400 segundos

• Aceleração centrípeta
E no Rio, é a mesma coisa?
Velocidade Relativa
Seção 3.9

• Primeiro passo para tratar um problema em


mecânica é a defnição do referencial
• Até agora o observador (quem observa o
movimento) estava sempre parado
• E se o observador está também em movimento?

• Quando você está dentro de um avião, a pessoa


ao seu lado está parada em relação a você…
Velocidade relativa
• Suponha 2 partículas que • Lembrando que as
se movem em relação a posições são vetores
origem O de um sistema
de eixos. y

• Em um dado instante as
posições das parículas em
relação a uma mesma
origem O são e

• A posição de 2 em relação
a1é

0 x
Velocidade relativa
• A velocidade de 2 em
relação a 1 será
y

• Obs: esse resultado só


vale para velocidades
de 1 e 2 constantes
0 x
Exercício
Um barco parte de uma margem de um rio, direcionando o
barco na direção Norte. Sua velocidade em relação à água
é de 10 km/h, e o rio tem uma velocidade de 5km/h em
relação à Terra. Determine a velocidade do barco relativa a
um observador parado em uma das margens.

a)Se a largura do rio é de 3km, quanto tempo ele leva para


atravessá-lo?

b)Se o barco faz a travessia em uma direção perpendicular


à margem, quanto tempo leva a travessia?
Exercício
a)A velocidade do barco
em relação à água é

Velocidade do barco
em relação ao observador
Velocidade a água
em relação ao observador

Componentes em km/h x

Em módulo
Exercício
• Quanto tempo demora
a travessia?

• Deslocamento e
velocidade são vetores Dy=3km

• Só nos importa a
componente y do
movimento (MU) y

x
Exercício
b)Atravessa
perpendicularmente à
margem

• Velocidade da água em
relação à margem
q
• Qual deve ser a velocidade
y
do barco em relação à
água?
x
Exercício

• Portanto

• Portanto
q
y

• E
x

Por que maior que


no primeiro caso?