Vous êtes sur la page 1sur 62

Atos da Presidência........................................................................................

Atos do Plenário............................................................................................ 6
Outras Decisões - Plenário.................................................................................................................... 6

Atos da 1ª Câmara........................................................................................21
Outras Decisões - 1ª Câmara............................................................................................................... 21

Edição n° 1093 Atos da 2ª Câmara........................................................................................50


Vitória-ES, terça-feira, 20 de março de 2018 Outras Decisões - 2ª Câmara............................................................................................................... 50

Corpo Deliberativo - Conselheiros Atos dos Relatores........................................................................................57


Sérgio Aboudib Ferreira Pinto - Presidente
Domingos Augusto Taufner - Vice-Presidente Atos da Secretaria Geral das Sessões. . .............................................................62
Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun - Corregedor
Sebastião Carlos Ranna de Macedo - Ouvidor
Sérgio Manoel Nader Borges

Conselheiros-substitutos
Márcia Jaccoud Freitas
João Luiz Cotta Lovatti
Marco Antônio da Silva

Ministério Público Especial de Contas - Procuradores


Luciano Vieira - Procurador-Geral
Luis Henrique Anastácio da Silva
Heron Carlos Gomes de Oliveira

Projeto Gráfico e Editoração


Assessoria de Comunicação

Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo


Rua José Alexandre Buaiz, 157
Enseada do Suá, Vitória, ES - CEP 29050-913
Telefone: 27 3334-7600

Veículo oficial de publicação, divulgação e comunicação dos atos administrativos e processuais do


Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, de acordo com o artigo 181 da Lei Complementar nº 621/2012.

Terça-feira, 20 de março de 2018 1


ATOS DA PRESIDÊNCIA

Portaria Normativa 00031/2018-1


PRESIDÊNCIA Atos da Presidência
Protocolo(s): 03307/2018-1
Portaria Normativa 00030/2018-5 Criação: 15/03/2018
Protocolo(s): 03306/2018-5
Origem: GAP - Gabinete da Presidência
Criação: 15/03/2018
Altera a Portaria Normativa nº 00018/2018-4, de 07 de feve-
Origem: GAP - Gabinete da Presidência
Compete ao Presidente do TCE-ES, dirigir o Tribunal e reiro de 2018, que “Aprova a realização do Projeto E-TCEES –
Institui Comissão Permanente de atualização do Regimento Inter-
seus serviços auxiliares; dirigir as sessões plenárias, ob- Processo Administrativo Eletrônico, nos termos do Plano Exe-
no do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo e dá outras
servando e fazendo cumprir as normas legais e regimen- cutivo 2018, designa Gestor do Projeto, bem como equipe res-
providências.
tais; dar posse aos Conselheiros, Auditores, Procurado- ponsável por sua execução”.
O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO ESPÍRI-
res do Ministério Público junto ao Tribunal e servidores TO SANTO - TCEES, no uso de suas atribuições legais, em especial O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO ESPÍ-
do Tribunal, dentre outras competências conforme Re- o disposto no artigo 13 incisos I e XX da Lei Complementar nº 621, RITO SANTO, no uso de suas que lhe confere o artigo 13 inci-
gimento Interno. de 8 de março de 2012 e no artigo 20 incisos I e XXIII do Regimen- so I da Lei Complementar nº. 621, de 8 de março de 2012, c/c
to Interno; o artigo 20 incisos I e XXIII do Regimento Interno deste Tribu-
R E S O L V E: nal de Contas, aprovado pela Resolução TC nº 261, de 4 de ju-
Também é de competência do Presidente expedir atos de nho de 2013:
Art. 1º. Instituir a Comissão Permanente de atualização do Regi-
nomeação, admissão, exoneração, remoção, demissão, mento Interno do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo RESOLVE:
dispensa, designação, destituição, localização, aposen- – TCEES, composta pelos seguintes servidores:
Art. 1º. Alterar o artigo 3º da Portaria Normativa nº 00018/2018-
tadoria e outros atos relativos aos membros, Auditores I – Alexsander Binda Alves – matrícula 203.052;
4, de 07 de fevereiro de 2018, designando o servidor Alex Fa-
e servidores do quadro de pessoal do Tribunal. Além de II – Aroldo Gaspar Porcari – matrícula 203.262; valessa dos Santos para compor a equipe responsável pela exe-
conceder licença, férias e outros afastamentos aos Con- III – Cristiano Dreigenn de Andrade – matrícula 203.094; cução do Projeto, na qualidade de membro, passando a vigorar
selheiros, Auditores e Procuradores do Ministério Públi- IV – Eduardo Givago Coelho Machado – matrícula 203.129; com a seguinte redação:
co junto ao Tribunal; IV – Odilson Souza Barbosa Junior – matrícula 203.208. “Art. 3º. Designar para compor a equipe responsável pela exe-
Art. 2º. Fica designado o servidor Cristiano Dreigenn de Andrade cução do projeto, na condição de membros do Projeto, além do
Ao Presidente compete ainda determinar a realização para coordenar a Comissão. gestor, os seguintes servidores:
de concursos públicos para o provimento dos cargos de Art. 3º. É atribuição da Comissão Permanente:
I - Márcia Aparecida A. R. Rezende
Auditor, Procurador do Ministério Público junto ao Tri- I – coordenar os trabalhos de revisão do Regimento Interno;
II - Beatrice Xavier Beiruth
bunal e daqueles que compõe o seu quadro de pessoal, II – criar e aglutinar propostas de revisão do Regimento Interno;
III - Fabiano Valle Barros
bem como homologar os resultados. III – receber, analisar e deliberar sobre propostas ou sugestões de
revisão do Regimento Interno, apresentadas por cidadãos, servi- IV - José Carlos Campana Filho
dores ou membros do TCEES; V - Lucas Pinheiro Badaró Moreira
Art. 4º. As reuniões deverão ser convocadas com antecedência VI - Rafael Zanotelli Fernandes
mínima de 48 (quarenta e oito) horas, podendo, em caráter de ur-
VII - Giuliano Medina Silva
gência reconhecida pelo coordenador, ser convocada de forma ex-
Telefone: (27) 3334-7706 VIII – Alex Favalessa dos Santos”.
cepcional em menor prazo, com a divulgação da pauta.
gabinete@tce.es.gov.br Art. 5º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. Art. 2º. Esta Portaria entra em vigor na data da sua publicação.
Conselheiro SÉRGIO ABOUDIB FERREIRA PINTO Conselheiro SÉRGIO ABOUDIB FERREIRA PINTO
Presidente do Tribunal de Contas do Espírito Santo Presidente do Tribunal de Contas do Espírito Santo

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 2


ATOS DA PRESIDÊNCIA

Portaria Normativa 00032/2018-4 Portaria Normativa 00033/2018-9 Portaria Normativa 00034/2018-3


Protocolo(s):03308/2018-4 Protocolo(s): 03309/2018-9 Protocolo(s):03393/2018-4
Criação:15/03/2018 Criação: 15/03/2018 Criação: 16/03/2018
Origem:GAP - Gabinete da Presidência Origem: GAP - Gabinete da Presidência
Origem:GAP - Gabinete da Presidência
Altera a Portaria Normativa nº 00020/2018-1, de 07 de feve- Institui  Comissão  Permanente  de  Avaliação  Documen-
Altera a Portaria Normativa nº 00016/2018-5, de 07 de feve-
reiro de 2018, que “Aprova a realização do Projeto CidadES - tal   no âmbito do Tribunal de Contas do Estado do Espírito
reiro de 2018, que “Aprova a realização do Projeto Painéis de Registro de Atos de Pessoal, nos termos do Plano Executivo Santo – TCEES e dá outras providências.
Controle de Gestão de Prazos, nos termos do Plano Executivo 2018, designa Gestor do Projeto, bem como equipe responsá- O  PRESIDENTE  DO  TRIBUNAL  DE  CONTAS  DO  ESTADO  DO
2018, designa Gestor do Projeto, bem como equipe responsá- vel por sua execução”. ESPÍRITO SANTO, no uso das atribuições que lhe confere o art.
vel por sua execução”. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO ESPÍRI- 13, inciso I, da Lei Complementar 621, de 8 de março de 2012,
O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO ESPÍ- TO SANTO, no uso de suas que lhe confere o artigo 13 inciso I da c/c o art. 20, incisos I e XXIII, do RITCEES, aprovado pela Reso-
RITO SANTO, no uso de suas que lhe confere o artigo 13 inci- Lei Complementar nº. 621, de 8 de março de 2012, c/c o artigo lução TC 261/2013, e
20 incisos I e XXIII do Regimento Interno deste Tribunal de Con- Considerando o aprimoramento e racionalização do controle
so I da Lei Complementar nº. 621, de 8 de março de 2012, c/c
tas, aprovado pela Resolução TC nº 261, de 4 de junho de 2013: sobre a produção e fluxo de documentos;
o artigo 20 incisos I e XXIII do Regimento Interno deste Tribu-
RESOLVE: Considerando o disposto na Lei nº 8.159, de 8 de junho de
nal de Contas, aprovado pela Resolução TC nº 261, de 4 de ju-
Art. 1º. Alterar o artigo 3º da Portaria Normativa nº 00020/2018- 1991, que trata da política nacional de arquivos;
nho de 2013:
1, de 07 de fevereiro de 2018, excluindo, a pedido, o servidor Considerando o disposto nas Resoluções nº 07, de 20 de maio
RESOLVE: Durval Senna da Silva da equipe responsável pela execução do de 1997, e nº 14, de 24 de Outubro de 2001, do Conselho Na-
Art. 1º. Alterar o artigo 3º da Portaria Normativa nº 00016/2018- Projeto, e designando o servidor Octavio A. Ribeiro da Mota Jr. cional de Arquivos – CONARQ;
5, de 07 de fevereiro de 2018, excluindo, a pedido, a servidora para compor a equipe responsável pela execução do Projeto, na
Considerando a Resolução TC nº 152 de 17 de novembro de
Cláudia Stancioli César da equipe responsável pela execução do qualidade de membro, passando a vigorar com a seguinte reda-
1998, que  instituiu  a  Comissão  Permanente  de  Avaliação 
ção passando a vigorar com a seguinte redação:
Projeto, passando a vigorar com a seguinte redação: Documental  - CPAD no âmbito deste Tribunal, devidamente re-
“Art. 3º. Designar para compor a equipe responsável pela exe- gulamentada pela Portaria N nº 24, 03 de abril de 2012;
“Art. 3º. Designar para compor a equipe responsável pela exe-
cução do projeto, na condição de membros do Projeto, além do
cução do projeto, na condição de membros do Projeto, além do Considerando a necessidade de reestruturar a Comissão Per-
gestor, os seguintes servidores:
manente de Avaliação Documental - CPAD face às alterações
gestor, os seguintes servidores: Art. 3º. Designar para compor a equipe responsável pela execu- ocorridas nos quadros funcionais desta Corte;
I - Fábio Henriques Viana Pinto ção do projeto, na condição de membros do Projeto, além do
Considerando os termos do art. 46-A § 2º do Regimento In-
II - Igor Magri Vale gestor, os seguintes servidores:
terno deste Tribunal, que estabelece as competências do NCD,
I - André Gustavo Coelho de Almeida dentre as quais a coordenação do Centro de Documentação e
III - Klayson Sesana Bonatto
II - Octavio A. Ribeiro da Mota Jr. Arquivo – CDOC.
IV - Tiago Casagrande
III - Elizabeth Maria K. Amancio Pereira RESOLVE:
V - Bruno Augusto Garcia da Silva
IV - Guilherme Frizzera Meira Art. 1º. Designar os servidores abaixo relacionados para com-
VI - Vitor Lessa”.
V - Magali Oliveira França”. porem a Comissão Permanente de Avaliação Documental –
Art. 2º. Esta Portaria entra em vigor na data da sua publicação. Art. 2º. Esta Portaria entra em vigor na data da sua publicação. CPAD:
Conselheiro SÉRGIO ABOUDIB FERREIRA PINTO Conselheiro SÉRGIO ABOUDIB FERREIRA PINTO I – Anderson Gomes Barbosa – Presidente – mat. 203.604;
Presidente do Tribunal de Contas do Espírito Santo Presidente do Tribunal de Contas do Espírito Santo II – Alex Favalessa Dos Santos – mat. 203.710;

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 3


ATOS DA PRESIDÊNCIA

III - Alexandre Augusto Coelho Carvalho Polli – mat. 200.235; Vale para compor a equipe responsável pela execução do Pro- onde se lê: Portaria 277-P...
IV – Durval Senna Da Silva – mat. 202.694; jeto, na qualidade de membro, passando a vigorar com a se- leia-se: Portaria 195-P...
V - Gustavo Rubert Rodrigues – mat. 203.533; guinte redação: Na publicação da Portaria 278 -P, do Diário Oficial Eletrônico do
VI - Odilson Souza Barbosa Junior – mat. 203.208; “Art. 1º. Instituir a Comissão Permanente de aperfeiçoamento TCEES de 19/3/2018:
do módulo “fiscalização” do sistema e-TCEES, composta pelos onde se lê: Portaria 278-P...
VII - Jonas Suave – mat. 202.502;
seguintes servidores:
VIII - Lyncoln de Oliveira Reis – mat. 203.139; leia-se: Portaria 196-P...
I – Alexsander Binda Alves – matrícula 203.052;
IX - Paulo Henrique Resende Marques – mat. 203.638; Vitória, 19 de março de 2018.
II – Diego Henrique Ferreira Torres – matrícula 203.545;
X - Marcos Rogério Bozzi da Luz – mat. 203.611.
III – Elizabeth Maria Klippel Amancio Pereira – matrícula
Parágrafo  único.  Designar  o  servidor  Anderson  Gomes  Bar- 202.855;
bosa – mat. 203.604 para Presidir a CPAD, sendo automatica-
IV – Mayra Moreira de Almeida – matricula 203.552; PORTARIA 197-P, DE 16 DE MARÇO DE 2018.
mente substituído em suas ausências pelo Servidor Alex Fava-
lessa dos Santos – mat. 203.710. V – Paulo Sérgio Luchi de Carvalho – matrícula 203.035; O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO ESPÍ-
VI – Rafael Ignes Tristão – matrícula 203.641; RITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 13,
Art. 2°. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação,
VII – Vinicius Bergamini Del Pupo – matrícula 203.569; inciso IV, da Lei Complementar Estadual 621, de 8 de março de
revogando-se as disposições em contrário.
2012, e tendo em vista o que consta no caderno processual TC
Conselheiro SÉRGIO ABOUDIB FERREIRA PINTO VIII – Igor Magri Vale – matrícula 203.559”.
-9262/2014,
Presidente do Tribunal de Contas do Espírito Santo Art. 2º. Esta Portaria entra em vigor na data da sua publicação.
RESOLVE:
Conselheiro SÉRGIO ABOUDIB FERREIRA PINTO
efetuar a progressão por escolaridade da servidora ocupante
Presidente do Tribunal de Contas do Espírito Santo
do cargo efetivo de analista administrativo do Tribunal de Con-
Portaria Normativa 00035/2018-8 tas do Estado do Espírito Santo, observando o disposto no arti-
Protocolo(s): 03395/2018-3 go 6º, § 1º, inciso III da Lei Complementar Estadual 660/2012,
Criação: 16/03/2018 RETIFICAÇÃO DE PORTARIAS conforme abaixo:
Na publicação da Portaria 275 -P, do Diário Oficial Eletrônico do MATR. NOME NÍVEL REF. VIGÊNCIA
Origem: GAP - Gabinete da Presidência 203615 Camila Mara I 3 1/11/2017
TCEES de 19/3/2018:
Altera a Portaria Normativa nº 00029/2018-2, de 12 de mar- Ribeiro Lima
onde se lê: Portaria 275-P...
ço de 2018, que “Institui a Comissão Permanente de aperfei- SERGIO ABOUDIB FERREIRA PINTO
çoamento, do módulo “Fiscalização” do sistema e-TCEES e dá leia-se: Portaria 193-P...
Conselheiro-presidente
outras providências”. Na publicação da Portaria 276 -P, do Diário Oficial Eletrônico
do TCEES de 19/3/2018:
O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO ESPÍ-
RITO SANTO, no uso de suas que lhe confere o artigo 13 inci- onde se lê: Portaria 276-P... PORTARIA 198-P, DE 16 DE MARÇO DE 2018.
so I da Lei Complementar nº. 621, de 8 de março de 2012, c/c leia-se: Portaria 194-P... O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO ESPÍ-
o artigo 20 incisos I e XXIII do Regimento Interno deste Tribu- onde se lê: ...exercer, a contar de 15/3/2018, atividade de coor- RITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 13,
nal de Contas, aprovado pela Resolução TC nº 261, de 4 de ju- denação técnica FG-4, na Corregedoria... inciso IV, da Lei Complementar Estadual 621, de 8 de março de
nho de 2013: leia-se: ...exercer, a contar de 15/3/2018, atividade de coorde- 2012, e tendo em vista o que consta no caderno processual TC
RESOLVE: nação técnica FG-4, na Ouvidoria... - 2410/2013, 3697/2006, 2787/2005 e 3405/2006,
Art. 1º. Alterar o artigo 1º da Portaria Normativa nº 00029/2018- Na publicação da Portaria 277 -P, do Diário Oficial Eletrônico do RESOLVE:
2, de 12 de março de 2018, designando o servidor Igor Magri TCEES de 19/3/2018: efetuar a progressão por escolaridade dos servidores ocupan-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 4


ATOS DA PRESIDÊNCIA

tes do cargo efetivo de auditor de controle externo do Tribunal


de Contas do Estado do Espírito Santo, observando o disposto
nos artigos 11, 12 e 14 da Lei Complementar Estadual 622, de 8
de março de 2012, conforme abaixo:
MATR. NOME NÍVEL REF. VIGÊNCIA
203519 Janaína Gomes Garcia de I 5 1/11/2017
Moraes
203254 Raffael Barboza Nunes II 8 1/2/2018
203188 Renata Pinto Coelho Vello III 13 1/2/2018
203253 Vanessa de Oliveira Ribeiro II 9 1/2/2018

SERGIO ABOUDIB FERREIRA PINTO


Conselheiro-presidente

A Prestação de Contas
Anual (PCA) do Estado e dos
municípios capixabas já
pode ser feita no sistema
CidadES do TCE-ES.

www.cidades.tce.es.gov.br

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 5


ATOS DO PLENÁRIO

Atos do Plenário defesa ou documentos que entendessem necessários, em ra-


PLENÁRIO zão dos seguintes achados:
RESPONSÁVEIS subitens/ IRREGULARIDADES
Outras Decisões - Plenário iNDIVIDUAIS
2.1.1.1 Não exigência de garantia de execução con-
NOTIFICAÇÃO do conteúdo dispositivo da(s) Decisão(ões) abai-
tratual
xo, nos termos do artigo 66, parágrafo único, da Lei Comple- Ana Paula Vitali 2.1.1.2 Contratação de serviços de TI não vincula-
mentar nº 621/2012, encontrando-se os autos na Secretaria Janes Vescovi da a resultados
Geral das Sessões no Tribunal de Contas do Estado do Espíri- 2.1.1.3 Limitação das retenções de pagamentos
to Santo. 2.1.1.4 Entregas não homologadas pela Gerência
de Tecnologia da Informação
COMPOSIÇÃO DO PLENÁRIO Decisão 00331/2018-8 2.1.1.5 Cobrança pela identificação e pela corre-
Processos: 02013/2016-4, 00422/2016-1 ção de falhas
Conselheiros 2.1.1.2 Contratação de serviços de TI não vincula-
Classificação: Fiscalização Ordinária - Auditoria da a resultados
Sérgio Aboudib Ferreira Pinto - Presidente
UG: SEFAZ - Secretaria de Estado da Fazenda Adriana Furta- 2.1.1.3 Limitação das retenções de pagamentos
Domingos Augusto Taufner - Vice-Presidente do dos 2.1.1.4 Entregas não homologadas pela Gerência
Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun - Corregedor Relator: João Luiz Cotta Lovatti
Santos de Tecnologia da Informação
Sebastião Carlos Ranna de Macedo - Ouvidor Partes: Secretaria de Estado da Fazenda , Ana Paula Vitali Janes 2.1.1.5 Cobrança pela identificação e pela corre-
Sérgio Manoel Nader Borges Vescovi, Gilmar Hartwig, Bruno Pires Dias, Adriana Furtado dos ção de falhas
Santos, Bruno Funchal 2.1.1.2 Contratação de serviços de TI não vincula-
Gilmar Hartwig da a resultados
Conselheiros-substitutos FISCALIZAÇÃO ORDINÁRIA – AUDITORIA – NOTIFICAR – RECO- 2.1.1.3 Limitação das retenções de pagamentos
Márcia Jaccoud Freitas MENDAR – ENCAMINHAR 2.1.1.5 Cobrança pela identificação e pela corre-
João Luiz Cotta Lovatti O CONSELHEIRO EM SUBSTITUIÇÃO JOÃO LUIZ COTTA LOVATTI: ção de falhas
Marco Antônio da Silva 2.1.1.2 Contratação de serviços de TI não vincula-
Trata-se de fiscalização realizada na Secretaria de Estado da Fa- Bruno Pires Dias da a resultados
zenda- SEFAZ, na qual, em cumprimento à determinação do 2.1.1.3 Limitação das retenções de pagamentos
Ministério Público Especial de Contas 2.1.1.5 Cobrança pela identificação e pela corre-
Plano Anual de Fiscalização instituída pelo Termo de Designa-
Luciano Vieira - Procurador-Geral ção de falhas
ção nº 9/2016, objetivou-se a análise das demonstrações fi-
nanceiras básicas do Plano de Desenvolvimento da Adminis- O plenário deste Tribunal, em sua 37ª Sessão Ordinária,
tração Fazendária (PROFAZ), relativas ao exercício de 2015, da acompanhando o voto do Relator e nos termos da Decisão
documentação de apoio relacionada aos gastos, bem como a 3144/2016-9 (fls. 288), de 18/10/2016 acompanhou a área téc-
verificação dos processos de aquisições de bens e serviços, a nica e decidiu CITAR os responsáveis acima mencionados.
avaliação do sistema de controle interno relativos ao PROFAZ, Regularmente convocados (termos de citação 1397/2016;
em conformidade com os termos e condições do Contrato de 1398/2016; 1399/2016 e 1400/2016- fls. 289-292) os respon-
Empréstimo nº 2245/OC-BR (celebrado entre o BID e do Esta- sáveis exercitaram o direito de defesa, apresentando justificati-
do do Espírito Santo). vas e documentos comprobatórios às folhas 306-453.
SESSÕES O Relatório de Auditoria 00001/2016-2 (fls.11-278) e a Instru- Ao proceder à análise dos documentos apresentados, a Secre-
ção Técnica Inicial 00306/2016-3 (fls. 280-282) elaborados pe- taria de Controle Externo de Fiscalização do Estado, através da
Terças-feiras às 14 horas la então Secretaria de Controle Externo de Fiscalização do Es- Instrução Técnica Conclusiva 1200/2017-3 (fls. 458-494), consi-
tado, evidenciaram procedimentos irregulares e sugeriram a ci- derou que as inconsistências prospectadas não resultaram em
tação dos responsáveis, para que apresentassem alegações de dano ao erário, tampouco evidenciaram a prática de atos ilegí-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 6


ATOS DO PLENÁRIO

timos ou antieconômicos; diante do preceituado no art. 319, MOUN - Acompanho o relator. 1.2. NOTIFICAR o atual Secretário de Estado da Fazenda, se-
do RITCEES, opinando no sentido de notificar Bruno Funchal, O SR. CONSELHEIRO SÉRGIO MANOEL NADER BORGES – Com nhor Bruno Funchal, nos termos dos artigos 207, IV, c/c 329,
atual Secretário de Estado da Fazenda, para que tome ciência o relator. §7º, do RITCEES, para tomar ciência das determinações seguin-
de algumas recomendações e determinações. O SR. CONSELHEIRO EM SUBSTITUIÇÃO MARCO ANTONIO DA tes, ressaltando que seu descumprimento o sujeita à multa, na
O douto representante do Ministério Público de Contas, Dr. He- SILVA – Com o relator. forma do artigo 389, VII do Regimento Interno deste Tribunal:
ron Carlos Gomes de Oliveira, manifestou-se em consonância 1. DELIBERAÇÃO: 1.2.1. Exigir que em futuras contratações onde a prestação do
com a área técnica (fls. 498), ressaltando, ainda a necessidade serviço, objeto da contratação, possa ser avaliada por determi-
VISTOS, relatados e discutidos estes autos, DECIDEM os Con-
de monitoramento das recomendações e determinações, evi- nada unidade quantitativa de serviço prestado, que esta este-
selheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo,
denciando ao jurisdicionado sobre a possibilidade de aplicação reunidos em sessão plenária, ante as razões expostas pelo re- ja prevista no edital e no respectivo contrato, devendo ser utili-
de multa em caso de descumprimento das determinações. lator, em: zada como um dos parâmetros de aferição de resultados (item
Assim, encampo os fundamentos e conclusões explicitadas por 2.1.1.2 do Relatório de Auditoria 00001/2016-2- Contratação
1.1. NOTIFICAR o atual Secretário de Estado da Fazenda, se-
ambos, que me permito acolhê-las, passando a fazer parte in- de serviços de TI não vinculada a resultados).
nhor Bruno Funchal, nos termos dos artigos 207, V, c/c 329,
tegrante deste voto. §7º, do RITCEES, para tomar ciência das seguintes recomen- 1.2.2. Abster-se, em possíveis aditivos e em contratos futuros,
Assim, VOTO no sentido de que o Colegiado aprove a seguinte dações: de inserir cláusulas que contrariem a boa e regular liquidação
minuta de Decisão que submeto à sua consideração. da despesa, bem como monitorar o processo de contratação
1.1.1. Em contratações futuras que envolvam objetos relacio-
JOÃO LUIZ COTTA LOVATTI (item 2.1.1.3 do Relatório de Auditoria 00001/2016-2- Limita-
nados à área de Tecnologia da Informação, indique para a fis-
calização dos respectivos contratos 3 (três) fiscais distintos: um ção das retenções de pagamentos).
Conselheiro em Substituição
fiscal técnico representante da área de TI para fiscalizar tecni- 1.2.3. Verificar se foram entregues pela contratada os artefatos
NOTAS TAQUIGRÁFICAS INTEGRANTES DESTA DECISÃO:
camente o contrato, um fiscal administrativo, representante da ausentes não homologados pela GETEC, e caso não sejam en-
O SR. PRESIDENTE, CONSELHEIRO SÉRGIO ABOUDIB FERREIRA tregues, aplique as penalidades previstas na Lei 8666/93 (Item
área administrativa para cuidar dos procedimentos relaciona-
PINTO – Com relação a este processo, as recomendações, em- 2.1.1.4 do Relatório de Auditoria 00001/2016-2- Entregas não
dos a aspectos comuns da administração pública e um fiscal re-
bora, vamos dizer assim, não estejam revestidas de uma obri- homologadas pela gerência de Tecnologia da Informação).
quisitante, servidor da área solicitante, o qual será responsável
gatoriedade legal, elas têm um caráter de foco em resultado e
por avaliar a solução do ponto de vista funcional (Item 2.1.1.4 1.3. ENCAMINHAR cópia da Instrução Técnica Conclusiva
de funcionamento da administração que eu, particularmente,
do Relatório de Auditoria 00001/2016-2- Entregas não homo- 01200/2017-3, elaborada pela então Secretaria de Controle Ex-
me interessei em verificar se a nossa Casa estava executando
logadas pela gerência de Tecnologia da Informação). terno de Fiscalização do Estado.
dessa forma. E, com muita alegria, afirmo que estamos fazendo
1.1.2. Em contratos futuros relativos a serviços de tecnologia 2. Unânime.
exatamente dessa forma, que é absolutamente necessário que
da informação, exigir que o contratado forneça garantia técni- 3. Data da Sessão: 20/2/2018 – 3ª Sessão Ordinária do Plená-
ocorra. A questão de TI é muito mais nova do que as legislações
ca da integridade dos sistemas durante determinado período rio.
existentes. Então, parabenizo o voto e afirmo, com alegria, que
de tempo após o término do contrato (item 2.1.1. 5 do Relató-
já estamos executando essa sugestão de vossa excelência. Há 4. Especificação do quórum:
rio de Auditoria 00001/2016-2- Pagamento pela identificação e
uma pequena divergência com relação à exigência de monito- 4.1. Conselheiros: Sérgio Aboudib Ferreira Pinto (presidente),
pela correção das falhas).
ramento que sua excelência não acatou. Por essa razão, em dis- Sebastião Carlos Ranna de Macedo, Domingos Augusto Tau-
1.1.3. Manter gestão ao Governador do Estado do Espírito San-
cussão o processo. Em votação. fner, Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun e Sergio Manoel Na-
to para criação de norma específica para dispor sobre o pro-
O SR. CONSELHEIRO SEBASTIÃO CARLOS RANNA DE MACEDO – der Borges;
cesso de contratação de soluções de Tecnologia da Informa-
Acompanho e relator. 4.2. Conselheiros substitutos: Marco Antonio da Silva (em subs-
ção para as entidades integrantes do Poder Executivo Estadu-
O SR. CONSELHEIRO DOMINGOS AUGUSTO TAUFNER - Acom- al, nos moldes da Instrução Normativa SLTI 04/2010, da Secre- tituição) e João Luiz Cotta Lovatti (em substituição - relator).
panho o relator. tária de Logística e Tecnologia da Informação, do Poder Execu- 5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Luciano
O SR. CONSELHEIRO RODRIGO FLÁVIO FREIRE FARIAS CHA- tivo Federal. Vieira.

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 7


ATOS DO PLENÁRIO

CONSELHEIRO SÉRGIO ABOUDIB FERREIRA PINTO posta:


Presidente Tabela 1 – Relação de servidores submetidos à avaliação de desempenho
INÍCIO DO EXERCÍCIO SERVIDOR AVALIAÇÕES MÉDIA GERAL
1ª 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª

16/12/2014 Bruno Augusto Garcia da Silva 97,50 97,50 98,75 100,00 100,00 99,50 98,88
Decisão 00497/2018-1
Assim sendo, a Comissão de Avaliação de Servidores em Estágio Probatório (CASEP) atestou a aptidão do servidor, nos termos a se-
Processos: 02141/2017-7, 02459/2017-5
guir transcritos:
Classificação: Processo de Estabilidade
Considerando que o estágio probatório é o período de 3 (três) anos em que o servidor nomeado para o cargo de provimento efetivo
Relator: Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun
do TCEES terá o seu desempenho avaliado, em atendimento ao que estabelece o artigo 38 da LC 46/1994;
Partes: Unidade Administrativa do TCEES (SGP), Anderson Go-
Considerando que o art. 12 da Portaria N nº 47/2015 determina que, no prazo máximo de até 75 (setenta e cinco) dias, anteriores
mes Barbosa, Alex Favalessa dos Santos, Cristina Weber Am-
ao encerramento do estágio probatório, as conclusões da chefia imediata serão apreciadas, em caráter final, pela CASEP, especial-
brosio, Sergio Roberto Charpinel Junior, Giuliano Medina Silva,
mente criada para esse fim;
Ingrid Herzog Holz, Vinicius Emmanuel Cometti, Beatrice Xavier
Considerando as avaliações procedidas pelas Chefias imediatas do servidor, que concluíram pelo seu aproveitamento;
Beiruth, Michela Morale, Danilo Moraes Silva Scopel, Bruno Pi-
nheiro Sardenberg de Mattos, Felipe Varejao Pimenta, Fabio Diante de todo o exposto, concluímos por considerá-lo APTO para desempenhar suas funções, ressalvado posterior descumprimen-
Luchi Valin, Pedro de Paiva Brito Filho, Camila Mara Ribeiro Li- to de qualquer dos requisitos do estágio probatório (art. 39, I a IV, LC nº 46/1994) durante o restante do período, a ser informados
ma, Patricia Krauss Serrano Paris, Leonardo Dadalto, Gil Pimen- pela chefia imediata. (g.n.)
tel de Azeredo, Andre Giestas Ferreira, Marcos Rogerio Bozzi da Realizados os procedimentos necessários para a avaliação do servidor em estágio probatório para o cargo de analista administrativo
Luz, Bruno Augusto Garcia da Silva e em cumprimento ao disposto nos artigos 40, II, III e 42, caput e §2º, da Lei Complementar Estadual 46 de 31 de janeiro de 1994, a
PROCESSO DE ESTABILIDADE DE SERVIDOR OCUPANTE DO CAR- Secretaria de Gestão de Pessoas (SGP) encaminhou os autos a esta Corregedoria, nos termos do artigo 15, III, da Lei Complementar
GO DE ANALISTA ADMINISTRATIVO – APROVAÇÃO NO PERÍO- Estadual 621 de 8 de março de 2012 (Lei Orgânica do Tribunal de Contas).
DO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO – CONFIRMAÇÃO NO CARGO. II FUNDAMENTAÇÃO
O CONSELHEIRO RODRIGO FLÁVIO FREIRE FARIAS CHAMOUN: II.1 COMPETÊNCIA DO CORREGEDOR
I RELATÓRIO Nos termos da Lei Orgânica do Tribunal e do art. 2º, XVII, da Resolução TC 302 de 18 de abril de 2017 (Regimento Interno da Corre-
gedoria), compete ao corregedor, no exercício do controle disciplinar e do aperfeiçoamento das ações de controle externo, examinar
Versam os presentes autos sobre a avaliação de desempenho
e relatar os procedimentos sobre desempenho do servidor submetido ao estágio probatório, opinando, fundamentadamente, por
do servidor Bruno Augusto Garcia da Silva, submetido ao es-
sua confirmação no cargo ou exoneração, observando as formalidades legais.
tágio probatório, durante o período de 2014 a 2017, aprova-
do no concurso público para provimento de vagas no cargo de A matéria também se encontra devidamente disciplinada na Resolução TC 261 de 4 de junho de 2013 (Regimento Interno do Tribu-
analista administrativo, conforme Edital Nº 1 - TCE/ES de 19 de nal), que reitera a competência do corregedor.
setembro de 2013. Dessa forma, com base nos dispositivos legais em vigor, passo ao exame dos procedimentos sobre o desempenho dos analistas ad-
Nos termos do Manual de Orientação ao Avaliador e da Porta- ministrativos submetidos ao estágio probatório.
ria N nº 47 de 19 de maio de 2015, durante o período de está- II.2 ANÁLISE DOS PROCEDIMENTOS
gio probatório, o servidor foi submetido à avaliação de desem- De posse dos documentos, verifico que o procedimento seguiu a regra disposta na Portaria N nº 47/2015 e na Lei Complementar Es-
penho pelas chefias imediatas que concluíram pelo aproveita- tadual 46/1994.
mento no cargo. O servidor Bruno Augusto Garcia da Silva, foi submetido regularmente a avaliações de desempenho, tendo obtido a pontuação ne-
O resultado das avaliações parciais de desempenho do servi- cessária para aprovação em cada período avaliado. Nestas avaliações constam as assinaturas dos respectivos chefes imediatos, bem
dor, bem como a média geral, consta da tabela 1, a seguir dis- como a comprovação de ciência dos servidores avaliados.

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 8


ATOS DO PLENÁRIO

Quanto ao conteúdo avaliativo da análise de desempenho, ob- ros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, reunidos Partes: Camara Guacui , Nina Lucia Cristiano, Joao Fernando
servou-se o atendimento dos requisitos referentes à idoneida- em sessão administrativa do Plenário, ante as razões expostas de Faria
de moral e ética, disciplina, dedicação ao serviço e eficiência, pelo relator, em: RECURSO DE RECONSIDERAÇÃO - EXERCÍCIO DE 2007 - QUITA-
devidamente atestados pelas respectivas chefias, nos termos 1.1. CONFIRMAR o servidor Bruno Augusto Garcia da Silva no ÇÃO - ARQUIVAR.
do artigo 39, I a IV, da LC 46/1994 e artigo 6º, I e do anexo II, da cargo de analista administrativo do Tribunal de Contas do Esta- O EXMO. SR. CONSELHEIRO EM SUBSTITUIÇÃO MARCO ANTO-
Portaria N nº 47/2015. do do Espírito Santo; NIO DA SILVA:
Além disso, verifica-se que os servidores não incorreram em 1.2. ENCAMINHAR os autos ao Presidente do Tribunal de Con- Cuidam os presentes autos de Recurso de Reconsideração, in-
nenhuma das hipóteses que ensejam exoneração, dispostas no tas para homologação da avaliação final do servidor em estágio terposto pela Sra. Nina Lúcia Cristiano Brasil, em face do Acór-
artigo 40, II e III da LC 46/1994 e artigo 4º, II e III, da Portaria probatório, nos termos do artigo 22, III e § 3º, do Regimento In- dão TC nº 215/2009, constante às folhas 306-309 dos autos do
N nº 47/2015. terno e da Portaria TC N nº 47/2015; Processo TC nº 1752/2008, em apenso, que julgou irregulares
Art. 4º: 1.3. DETERMINAR a juntada das vias originais da avaliação de as contas, relativas ao exercício de 2007, sob a responsabilida-
II – apresentar mais de 30 (trinta) dias de faltas não justificadas desempenho do servidor ao respectivo processo de pessoal, de da recorrente e do Sr. João Fernando de Faria.
e consecutivas ou mais de 40 (quarenta) faltas não justificadas após a homologação de que trata o item anterior; Registre-se que esta Corte de Contas, através do Acórdão TC nº
interpoladamente, durante o período de 12 (doze) meses; e 1.4. DAR CIÊNCIA ao servidor interessado; e 215/2009, aplicou multa pecuniária à Sra. Nina Lúcia Cristiano
III – tiver sentença penal condenatória irrecorrível. 1.5. DEVOLVER os autos à SGP para juntada das avaliações de Brasil, no valor de 750 VRTE’s, bem como o ressarcimento no
Sendo assim, a CASEP procedeu à análise conclusiva do pro- servidor que, porventura, ainda se encontre em estágio pro- valor de 11.578,99 VRTE’s, já em relação ao Sr. João Fernando
cedimento, tendo considerado o servidor apto para desempe- batório. de Faria, foi aplicada multa pecuniária, no valor de 750 VRTE’s.
nhar as funções do cargo, ressalvando possível descumprimen- 2. Unânime. Frisa-se que o Sr. João Fernando de Faria, recolheu a multa a
to de quaisquer dos requisitos do estágio probatório, durante ele imposta, tendo recebido quitação, nos termos do Acórdão
3. Data da Sessão: 06/03/2018 – 2ª Sessão Administrativa do
o restante do período, já que tal manifestação foi firmada an- TC nº 361/2011, acostado às folhas 342-345 dos autos do Pro-
Plenário.
tes do término do período de estágio probatório, nos termos cesso TC nº 1752/2008.
4. Especificação do quórum:
do art. 12 da Portaria N nº 047/2015. Ressalta-se que a Sra. Nina Lúcia Cristiano Brasil, recolheu a
4.1. Conselheiros: Sérgio Aboudib Ferreira Pinto (presidente), multa a ela imposta, tendo recebido quitação, nos termos da
Nesse ínterim, não chegou ao conhecimento da Corregedoria
Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun (relator), Sebastião Car- Decisão TC nº 01890/2016, acostada à folha 82 dos presentes
qualquer fato novo capaz de alterar o entendimento ora apre-
los Ranna de Macedo e Sérgio Manoel Nader Borges. autos, bem como recolheu aos cofres públicos o valor de R$
sentado.
4.2. Conselheiros substitutos: João Luiz Cotta Lovatti (em subs- 20.918,68, relativos ao ressarcimento a ela imposto, confor-
III PROPOSTA DE DELIBERAÇÃO
tituição) e Marco Antonio da Silva (em substituição). me documento acostado à folha 322 dos autos do Processo nº
Por todo o exposto e com base na competência outorgada pelo
CONSELHEIRO SÉRGIO ABOUDIB FERREIRA PINTO 1752/2008, em apenso, tendo ficado pendente o valor residual
inciso V, do artigo 29, do Regimento Interno do TCEES e pelo in-
Presidente de 723,42 VRTE’s, conforme Termo de Verificação nº 006/2016
ciso III do artigo 15 da Lei Orgânica do Tribunal, considerando,
(fls. 71-72).
ainda, o cumprimento do período estágio probatório pelo ser-
Consta destes autos o documentos (fl. 135), informando que a
vidor Bruno Augusto Garcia da Silva, VOTO no sentido de que o
Sra. Nina Lúcia Cristiano Brasil recolheu através do Processo de
Colegiado aprove a seguinte proposta de deliberação que sub- Decisão 00529/2018-6 Execução Extrajudicial nº 020.11.002696-8, o valor residual, re-
meto à sua consideração: Processos: 04632/2009-4, 00999/2008-1, 01752/2008-1, lativo ao ressarcimento a ela imutado.
Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun 04633/2009-9
O Ministério Público Especial de Contas, mediante Parecer nº
Conselheiro corregedor Classificação: Recurso de Reconsideração 04816/2017-6, da lavra do Procurador, Dr. Luciano Vieira, pug-
1. DELIBERAÇÃO: UG: CMG - Câmara Municipal de Guaçuí nou no sentido de seja expedida a devida quitação a responsá-
Vistos, relatados e discutidos os autos, DECIDEM os conselhei- Relator: Marco Antônio da Silva vel, com arquivamento do feito, bem como a devolução dos au-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 9


ATOS DO PLENÁRIO

tos à Secretaria Geral do Ministério Público Especial de Contas lução TC nº 261/2013, estabelece o seguinte, litteris: Sebastião Carlos Ranna de Macedo, Rodrigo Flávio Freire Farias
para os devidos registros. Art. 481. Nos processos com trânsito em julgado até a publi- Chamoun e Sergio Manoel Nader Borges;
Conforme regular distribuição vieram os autos a este magistra- cação desta Resolução, o responsável ou interessado que qui- 4.2. Conselheiros substitutos: Marco Antonio da Silva (em subs-
do de Contas para emissão de relatório e voto para efeito de tar integralmente o débito ou multa, no prazo de até cento e tituição - relator) e João Luiz Cotta Lovatti (em substituição).
deliberação do Colegiado da 1ª Câmara deste Egrégio Tribunal oitenta dias, a partir da publicação desta Resolução, saneará o 5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Luciano
de Contas, nos termos do art. 29 do Regimento Interno, Reso- processo, se não houver sido observado dolo ou má-fé. – g.n. Vieira.
lução - TC 261/2013. Desse modo, a superveniência da Lei Complementar Estadu- CONSELHEIRO SÉRGIO ABOUDIB FERREIRA PINTO
É o sucinto relatório. al nº 621/2012 e o novo Regimento Interno, onde fora fixado Presidente
VOTO prazo de seis meses para se considerar saneados os autos dos
processos em que tenha havido trânsito em julgado, implica
Da análise dos autos, verifico que o Sra. Nina Lúcia Cristia-
tão somente no reconhecimento da quitação destes autos, re-
no Brasil recolheu aos cofres públicos (fl. 322 – Processo
lativamente a Sra. Nina Lúcia Cristiano Brasil, em face do paga- Decisão : 531/2018-3
TC nº 1752/2008) o valor de R$ 20.918,68, bem como o va-
mento da multa a ele imposta. PROCESSO: 9197/2016-7
lor residual, conforme Processo de Execução Extrajudicial nº
020.11.002696-8, relativo ao ressarcimento a ela imutado. Ante o exposto, acompanho o posicionamento do Ministério APENSO: 6726/2016
Público Especial de Contas, VOTO no sentido de que o Colegia- UNIDADE GESTORA: SEFAZ - Secretaria de Estado da Fazenda
Frisa-se que este Egrégio Tribunal de Contas, com o advento da
do aprove a seguinte minuta de Acórdão que submeto à sua
Lei Complementar Estadual nº 621/2012 e da Resolução TC nº CLASSIFICAÇÃO: Representação
consideração.
261/2013 – Regimento Interno pacificou o entendimento acer- REPRESENTANTE: Ministério Público de Contas
ca do presente tema, vejamos: MARCO ANTONIO DA SILVA
REPRESENTAÇÃO – PREJUDICADO PEDIDO DE CONCESSÃO DE
Os artigos 87 e 148, da Lei Complementar Estadual nº Relator
MEDIDA CAUTELAR – RITO ORDINÁRIO – À SEGEX PARA INS-
621/2012, assim estabelecem, verbis: 1. DELIBERAÇÃO: TRUIR PROC. TC 6726/2016 (APENSO)
Art. 87. Verificada irregularidade nas contas, cabe ao Tribunal VISTOS, relatados e discutidos estes autos, DECIDEM os Conse- O CONSELHEIRO EM SUBSTITUIÇÃO JOÃO LUIZ COTTA LOVATTI:
ou ao Relator: lheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, reu-
RELATÓRIO
[...] nidos em sessão da Primeira Câmara, ante as razões expostas
pelo relator, em: Tratam os autos de Representação promovida pelo Ministério
§ 2º. Reconhecida a boa-fé do responsável, a liquidação tem- Público de Contas em face da Secretaria de Estado da Fazenda,
pestiva do débito, atualizado monetariamente, saneará o pro- .1. DAR QUITAÇÃO à Sra. Nina Lúcia Cristiano Brasil, então Pre-
em razão do Edital nº 03/2016, referente ao processo seletivo
cesso, se não houver sido observada irregularidade grave nas sidente da Câmara Municipal de Guaçuí, no exercício de 2007,
para o provimento de cargos em comissão.
contas, hipótese em que o Tribunal julgará as contas regulares em razão do pagamento do valor do ressarcimento a ela im-
putado; À época, o relator titular, Conselheiro José Antônio Pimen-
com ressalva e dará quitação ao responsável. tel, determinou por meio do despacho nº 47102/2016-6 (pe-
[...] 1.2. ENCAMINHAR os presentes autos ao Ministério Público Es-
ça 03), o apensamento dos presentes autos ao Processo TC
pecial de Contas para os devidos registros no sistema de co-
Art. 148. Comprovado o recolhimento integral, o Tribunal de 6726/2016-8, pois constatou que tratava do mesmo objeto, e
brança do E-TCEES;
Contas expedirá quitação do débito e/ou da multa. não se manifestou sobre o pedido de concessão de cautelar.
1.3. ARQUIVAR os presentes autos após trânsito em julgado.
Parágrafo único. O pagamento integral do débito ou da multa, No processo TC 6726/2016-8, acima referido, houve decisão
após decisão definitiva, não importa em modificação do julga- 2. Unânime. pelo indeferimento da concessão de medida cautelar, subme-
mento quanto à irregularidade das contas, salvo em caso de re- 3. Data da Sessão: 06/03/2018 – 5ª Sessão Ordinária do Ple- tendo os autos em tramitação pelo rito ordinário – Decisão
curso provido, reconhecendo a boa-fé do responsável ou do in- nário. 00552/2017-7 – peça 39.
teressado. – g.n. 4. Especificação do quórum: Ocorre que ao instruir o processo, percebeu-se a ausência de
Já o Regimento Interno deste Egrégio Tribunal de Contas, Reso- 4.1. Conselheiros: Sérgio Aboudib Ferreira Pinto (presidente), decisão quanto ao pedido de concessão de cautelar e a Secre-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 10


ATOS DO PLENÁRIO

taria de Controle Externo de Previdência e Pessoal- Secex Pre- matéria de competência do Tribunal: 1.1. CONHECER da presente representação, vez que preenche
vidência expediu a Manifestação Técnica 0018/2018-4 onde I - ser redigida com clareza; os requisitos de admissibilidade, na forma do artigo 94 c/c o
sugere a prejudicialidade da concessão da medida decorren- II - conter informações sobre o fato, a autoria, as circunstâncias parágrafo único do artigo 101, ambos da Lei Complementar Es-
te do lapso temporal entre sua apresentação e a data atual, eis tadual nº 621/2012.
e os elementos de convicção;
que inserida no sistema etcees em 21/10/2016, verbis: 1.2. JULGAR PREJUDICADO O PEDIDO DE MEDIDA CAUTELAR,
III - estar acompanhada de indício de prova;
2. CONCLUSÃO em consonância ao disposto na Decisão 00552/2017-1, bem
IV - se pessoa natural, conter o nome completo, qualificação e
Ante o exposto, submetemos à consideração superior a seguin- como o lapso temporal, determinando que os autos tramitem
endereço do denunciante;
te proposta de encaminhamento: em rito ordinário, apensado ao principal – TC 6726/2016-8.
V - se pessoa jurídica, prova de sua existência e comprovação
4.1 – Em consonância ao disposto na Decisão 00552/2017-7 1.3. Encaminhar à SEGEX para prosseguimento da instrução do
de que os signatários têm habilitação para representá-la. Proc. 6726/2016.
bem como o lapso temporal transcorrido, considerar prejudica-
§ 1º A denúncia não será conhecida quando não observados os 1.4. DAR CIÊNCIA ao representante.
do o pedido para concessão de medida cautelar, de modo que
requisitos de admissibilidade previstos neste artigo.
os autos tramitem em rito ordinário, apensado ao principal. 2. Unânime.
§ 2º Caberá ao Relator o juízo de admissibilidade da denúncia.
4.2 – O encaminhamento dos autos a esta Secretaria de Con- 3. Data da Sessão: 06/03/2018 – 5ª Sessão Ordinária do Ple-
(...) nário.
trole Externo para continuidade da instrução do Processo TC-
6726/2016. Analisando os autos, verifico que foram atendidos os requisitos 4. Especificação do quórum:
de admissibilidade descritos nos incisos I a V do artigo 94 da LC
Lucas Gil Carneiro Salim 4.1. Conselheiros: Sérgio Aboudib Ferreira Pinto (presidente),
621/2012 (LOTCEES), razão pela qual, entendo que a presen-
Auditor de Controle Externo Sebastião Carlos Ranna de Macedo, Rodrigo Flávio Freire Farias
te representação seja conhecida por este Tribunal de Contas.
Mat. 203.521 Chamoun e Sergio Manoel Nader Borges;
Resta claro que o transcorrer do tempo sem manifestação
4.2. Conselheiros substitutos: João Luiz Cotta Lovatti (em subs-
.Nos termos regimentais, os autos foram encaminhados ao quanto ao pedido formulado levou a perda da oportunidade e tituição/relator) e Marco Antonio da Silva (em substituição).
douto Ministério Público de Contas que opina no mesmo senti- prejudicou o pedido.
do da SecexPrevidência (Parecer 0455/2018-6). 5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Luciano
Acrescento, ademais, que por imposição lógica, a juntada da Vieira.
Após, vieram-me os autos para análise. representação ao TC 6726/2016, cujo objeto aparenta conexo,
CONSELHEIRO SÉRGIO ABOUDIB FERREIRA PINTO
FUNDAMENTAÇÃO e a decisão nele proferida de negar o pedido cautelar, permi-
Presidente
Em uma análise inicial dos autos, a SecexPrevidência informa te inferir que a decisão posta naquele processo seria no mes-
que restou prejudicado a concessão de medida cautelar, pelo mo sentido.
lapso temporal, bem como pela Decisão 05552/2017 proferida Ante o exposto, acompanhando a manifestação da área técni-
nos autos do Proc. 6726/2016. ca e o parecer do douto Ministério Público de Contas, VOTO no Decisão 00532/2018-8
Nesse sentido, importante ressaltar que a proposta de encami- sentido de que o Colegiado aprove a seguinte minuta de Acór- Processo: 09154/2017-7
nhamento da área técnica e do Ministério Público de Contas é dão que submeto à sua consideração. Classificação: Controle Externo - Fiscalização - Representação
no sentido de considerar que os autos tramitem em rito ordi- JOÃO LUIZ COTTA LOVATTI UG: SEDU - Secretaria de Estado da Educação
nário, apensado ao principal. Conselheiro em Substituição Relator: Sebastião Carlos Ranna de Macedo
Área técnica e MPC não se manifestaram sobre admissibilidade 1. DELIBERAÇÕES: Partes: Haroldo Correa Rocha, MFI Empreendimentos LTDA -
Quanto aos requisitos de admissibilidade do presente feito, o VISTOS, relatados e discutidos estes autos, DECIDEM os Conse- EPP, Marcus Monte Mor Rangel, Tatiana Leao Leite Tostes
artigo 94 da Lei Complementar Estadual 621, de 8 de março de lheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, reu- Procuradores: Tatiana Peterle Dangelo Motta (OAB: 17475-ES),
2012 assim dispõe: nidos em sessão do Plenário, ante as razões expostas pelo re- Natalia Fiorot Coradini (OAB: 17690-ES), Tiago Rocon Zanetti
Art. 94. São requisitos de admissibilidade de denúncia sobre lator, em: (OAB: 13753-ES, OAB: 370452-SP), Stephannie Vanessa de Li-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 11


ATOS DO PLENÁRIO

ma Alvarenga Ramos (OAB: 25010-ES), Egeu Antonio Bisi (OAB: abertura de envelopes de habilitação de demais classificados nº 686/2018.
6273-ES), Maria Thereza Baptista Candido (OAB: 22351-ES), na Concorrência Pública n° 003/2017, Ata de 20/10/2017 às É o relatório.
Fausto Alonso Ferreira (OAB: 14004-ES), Sara Vieira Brandao 11h para julgamento das documentações de habilitação aber- 2 FUNDAMENTAÇÃO
(CPF: 132.336.327-03) tas na sessão anterior, Ata de 20/10/2017 às 15h para abertu-
2.1 Da admissibilidade
REPRESENTAÇÃO – 2017 – CONHECER – INDEFIRIR CAUTELAR ra de envelopes de habilitação de demais classificados e Ata
de 23/10/2017 para julgamento das documentações de habi- De início, registro que estão presentes todos os requisitos de
– ENCAMINHAR PARA RITO ORDINÁRIO – TRAMITAÇÃO PREF-
litação abertas na sessão anterior, todas anexadas pelo repre- admissibilidade elencados no art. 94 e art. 101 parágrafo úni-
ERENCIAL
sentante. co da LC n. 621/2012:
O EXMO.SR.CONSELHEIRO SEBASTIÃO CARLOS RANNA DE MA-
Alega o representante ter verificado a existência de cláusu- Art. 94. São requisitos de admissibilidade de denúncia sobre
CEDO
la restritiva à participação de diversas empresas no certame, matéria de competência do Tribunal:
1 RELATÓRIO
mormente no que tange à comprovação da execução dos ser- I - ser redigida com clareza;
Tratam os autos de Representação com pedido de cautelar, for-
viços listados de obras e serviços de engenharia de forma con- II - conter informações sobre o fato, a autoria, as circunstâncias
mulada pela empresa MFI Empreendimentos Ltda.- EPP, autua-
comitante, em unidades prediais distintas de um mesmo con- e os elementos de convicção;
da na data de 06 de dezembro de 2017, protocolo 19163/2017-
tratante, e restrição à competitividade. III - estar acompanhada de indício de prova;
1, em face da Secretaria de Estado da Educação – SEDU por su-
postas irregularidades na Concorrência Pública nº 003/2017, Por meio da Decisão Monocrática 2052/2017 os senhores Ha- IV- se pessoa natural, conter o nome completo, qualificação e
cujo objeto é “o registro de preços para a prestação de servi- roldo Rocha – Secretário de Estado de Educação, Marcus Mon- endereço do denunciante;
ços de manutenção preventiva e corretiva nos prédios adminis- te Mor Rangel - Subsecretário de Estado de Administração e
V - se pessoa jurídica, prova de sua existência e comprovação
trativos e escolares vinculados à rede pública de ensino do Es- Finanças e Tatiana Leão Leite Tostes - Presidente da Comissão
de que os signatários têm habilitação para representá-la.
tado do Espírito Santo, com fornecimento de materiais e mão Permanente de Licitação, foram notificados para prestar as in-
Art. 101. Qualquer licitante, contratado, pessoa física ou jurí-
de obra, consoante se infere do respectivo instrumento convo- formações que entendesse necessárias em 5 dias, nos termos
dica poderá representar ao Tribunal de Contas irregularidades
catório.”. do §1º do art. 307 do RITCEES.
na aplicação da legislação que regule licitações e contratos ad-
A abertura do procedimento licitatório ocorreu na data de Conforme Despacho 707/2018, o Núcleo de Controle de Do-
ministrativos.
28/08/2017 às 13h30min, conforme Ata de Reunião da Comis- cumentos informa que não consta do Sistema e-tcees, docu-
Parágrafo único. Aplicam-se à representação prevista nesta
são Permanente de Licitação de Obras e Serviços de Engenha- mentação alguma protocolizada em alusão ao Processo TC
subseção, no que couber, as normas relativas à denúncia.
ria para Abertura da Concorrência Pública nº 003/2017 da Se- 9154/2017, referente ao Termo de Notificação n° 3197/2017-
9, em nome do Senhor Haroldo Correa Rocha; ao Termo de No- Conforme pode ser visto na Representação protocolizada e nos
cretaria de Estado a Educação, em anexo, que foi encerrada pa-
tificação n° 3198/2017-3, em nome do Senhor Marcus Monte documentos juntados aos autos, a peça foi redigida com clare-
ra melhor análise da documentação apresentada pelos licitan-
Mor Rangele ao Termo de Notificação n° 3199/2017-8, em no- za; contém informações sobre o fato, a autoria, as circunstân-
tes.
me da Senhora Tatiana Leão Leite Tostes. cias e os elementos de convicção; e está acompanhada de in-
Seguiram-se novas Atas de Reunião datadas de 31/08/2017,
Encaminhados os autos para análise de admissibilidade da cau- dício de prova. Assim, a Peça satisfaz aos demais requisitos de
com o resultado da qualificação técnica, Ata de 02/10/2017
telar pela Secretaria de Controle Externo de Obras e Serviços admissibilidade estabelecidos no Art. 94 da Lei Complementar
para abertura das documentações de habilitação apresenta-
de Engenharia e Meio Ambiente, esta elaborou a Manifestação 621/2012 e 177 do RITCEES, motivo pelo qual conheço da Re-
das, Ata de 16/10/2017, para julgamento das documentações
Técnica 32/2018, opinando pelo indeferimento da medida cau- presentação.
de habilitação abertas na sessão anterior e abertura de envelo-
pes de habilitação de demais classificados, Ata de 17/10/2017 telar e arquivamento dos autos. Propõe, ainda, opcionalmente, 2.2 Do Mérito
para Retificação referente à Ata da Sessão realizada no dia pelo trâmite do processo para o rito ordinário. 2.2.1 Da medida cautelar
16/10/17, às 15:00 h, da Concorrência Pública Nº 003/2017, Extemporaneamente os notificados encaminharam informa- O representante MFI Empreendimentos Ltda.- EPP requer limi-
Ata de 18/10/2017 para julgamento das documentações de ha- ções, na data de 22/01/2018, conforme o documento Defesa/ narmente, a concessão de medida cautelar, no sentido de sus-
bilitação abertas na sessão anterior, Ata de 19/10/2017 para Justificativa nº 43/2018 acompanhada da Peça Complementar pensão das contratações oriundas da Concorrência Pública nº

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 12


ATOS DO PLENÁRIO

003/2017 (Processo Administrativo n.0 75955636 - Doc. 03), do o serviço anterior foi executado, mas também pela dificul- sem que a obra ou etapa anterior tenha sido cumprida, o que
ou ao menos da contratação referente ao Lote 02 da licitação dade em obter atestados dos entes públicos que demonstrem elimina o requisito da concomitância.
em comento. esse requisito de concomitância, já que os atestados são geral- Ora, na grande generalidade dos casos, os entes públicos con-
Adoto a análise técnica da documentação encaminhada pelo mente emitidos com a menção do serviço e das quantidades tratantes apenas liberam uma ordem de serviço para início de
Representante realizada pela Secretaria de Controle Externo executadas, mas não com referência a requisito temporal de um novo serviço quando o serviço anterior foi inteiramente
de Obras e Serviços de Engenharia e Meio Ambiente na Mani- simultaneidade. executado, o que, por certo, elimina a concomitância da execu-
festação Técnica 32/2018, onde propõe pelo indeferimento da Todavia, a concomitância ou simultaneidade exigida acima res- ção (tal como requerida no edital da CP n°. 003/2017) e eviden-
medida cautelar, in verbis: tringiu a competitividade do certame e excluiu da disputa lici- cia o desmensurada e restritiva é a regra editalícia ora ques-
“[...] tatória, em todos os lotes licitados, licitantes que tinham plena tionada.
capacidade técnica para a execução do objeto licitado, tal qual Do edital inserido no sistema Geoobras do TCEES extraímos o
2 ANÁLISE DA DOCUMENTAÇÃO APRESENTADa PELO REPRE-
comprovou a ora representante no que tange ao Lote 2, para trecho referido pelo representante e contra o qual se insurge:
SENTANTE
o qual apresentou proposta e documentação pertinente à de- 9.3 DA QUALIFICAÇÃO TÉCNICA
2.1 DOS ESCLARECIMENTOS INICIAIS
monstração de sua capacidade técnica.
Conforme informação do Núcleo de Controle de Documentos, 9.3.1 Capacidade técnico-operacional:
A restritividade causada pela exigência editalícia inserta no
não consta do Sistema e-TCEES, qualquer documentação pro- a) Registro ou Inscrição do licitante no Conselho Regional de
item 9.3, alínea “b.l.l”, item I. do edital, além de estar ínsita Engenharia, Agronomia e Arquitetura- CREA da região da sede
tocolizada em alusão ao Processo TC 9154/2017, referente ao
à própria regra do ato convocatório, ficou evidente na fase de da empresa (art. 30, I. da Lei Federal nº 8.666/93).
Termo de Notificação n° 3197/2017-9, em nome do Senhor Ha-
habilitação do certame, quando se verifica que a Comissão Li-
roldo Correa Rocha; ao Termo de Notificação n° 3198/2017-3, b) Comprovação de que o licitante executou/prestou, sem res-
citante precisou realizar 10 (dez) reuniões/sessões para anali-
em nome do Senhor Marcus Monte Mor Rangel e ao Termo de trição, serviço/obra de características semelhantes aos indica-
sar os documentos de habilitação das licitantes, a partir de vá-
Notificação n° 3199/2017-8, em nome da Senhora Tatiana Leão dos no ANEXO I deste Edital, considerando-se as parcelas de
rias inabilitações por este mesmo motivo, conforme se verifica
Leite Tostes. maior relevância e quantitativos mínimos a seguir definidos. A
das respectivas Atas trazidas em anexo Doc. 06 listadas abaixo:
Assim, a presente análise de deterá sobre as informações cons- comprovação será feita por meio de apresentação de no míni-
[...] mo 1 (um) Atestado ou Certidão de Acervo Técnico, certificado
tantes da Peça Complementar 10694/2017-4 trazida pelo re-
Tudo isso demonstra que, além de restringir a competitividade pelo CREA, devidamente assinado e carimbado pelo órgão ou
presentante.
e a vantajosidade do certame, a exigência de concomitância ou entidade pública ou privada declarante.
2.2 DAS ALEGAÇÕES DO REPRESENTANTE
simultaneidade na execução de obras similares aos serviços li- b.1) As características semelhantes para comprovação da ca-
Da Petição Inicial 425/2017-7 extraímos os trechos que sinte- citados, nos moldes já clarificados, também tornou o procedi- pacidade técnico-operacional do licitante, na forma do art. 30,
tizam as alegações do representante e são as principais razões mento licitatório extremamente burocrático, moroso e confu- II c/c § 2°, da Lei Federal n. 8.666/93, são, cumulativamente:
dos seus pedidos: so, o que não se coaduna com os princípios norteadores da li-
b.1.1) Obras de reforma ou construção civil, nas seguintes par-
[...] citação.
celas e quantitativos:
Observe-se, novamente, que o item 9.3, alínea “b.l.l”, item I, Com efeito, no que tange ao teor dos atestados de capacidade
Execução concomitante de obras (na quantidade constante na
do edital, exige da licitante a comprovação de execução CON- técnica, cumpre esclarecer que neles constam, em regra, tão
coluna ao lado) com duração mínima de 1 mês que contem-
COMITANTE de obras e serviços de pelo menos 7 (sete) itens somente a descrição dos serviços realizados e seus respectivos
plem a aplicação de pelo menos 07 (sete) Itens dos seguintes
de engenharia, simultaneamente em, no mínimo, 5 (cinco) lo- quantitativos, não havendo, na generalidade dos casos, a indi-
serviços: (grifo nosso)
cais/ obras diferentes, o que é uma situação muito difícil de se cação expressa, por exemplo, da realização concomitante ou si-
• Alvenaria;
atingir ou ser demonstrada, não só pela própria natureza das multânea de obras e serviços de engenharia em unidades pre-
obras e disponibilidade de recursos dos entes públicos contra- diais distintas de um mesmo contratante, até mesmo porque, • Impermeabilizações;
tantes, os quais, na grande generalidade dos casos, apenas li- como já gizado, são raríssimos os casos em que um contratante • Esquadrias metálicas;
beram uma ordem de serviço para início de outro serviço quan- expede mais de uma ordem de serviço para o mesmo contrato, • Esquadrias de madeira;

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 13


ATOS DO PLENÁRIO

• Cobertura; demonstrada, não só pela própria natureza das obras em es- Das primeiras atas, vemos que a alegada restrição à participa-
• Instalações hidráulicas; pecial, como pela dificuldade em se obter atestados dos entes ção não pode ser afirmada de forma peremptória, uma vez que
• Instalações elétricas; públicos que demonstrem esse requisito de concomitância, já se verifica a participação de cinco a dez empresas por lote.
que os atestados seriam emitidos com a descrição do serviço Já na terceira ata referida observa-se, também, que os descon-
• Forros;
e das quantidades executadas, mas não trariam referências a tos ofertados nas propostas vencedoras são expressivos (da or-
• Revestimentos; respeito da simultaneidade temporal dos serviços. dem de 17% a 23%), mostrando a ocorrência de competição
• Pisos: Alega, ainda, que a concomitância ou simultaneidade exigida entre os licitantes.
• Pintura; restringiu a competitividade do certame e excluiu da disputa li- Em pesquisa com apoio da equipe Geoobras, verificamos a pu-
• Muro de vedação; citatória, em todos os lotes licitados, licitantes que tinham ple- blicação no Diário Oficial do Estado, edição do dia 19 de janei-
• Paisagismo; e na capacidade técnica para a execução do objeto licitado. ro de 2018 (cópia em anexo), do aviso de resultado final, com a
• Recuperação estrutural... Vemos, assim, duas questões a serem analisadas a partir da re- alteração das empresas habilitadas, da Concorrência 003/2017
clamação do representante: e com isto, também, as propostas vencedoras dos lotes 02 e
Observação:
1) a alegada impossibilidade de comprovação da execução 05, em relação à ata anterior de 23/10/2017, passando a ser a
Os atestados deverão descrever os serviços executados, o lo-
concomitante e simultânea (na expressão do representante) Radana Construções Ltda., com descontos da ordem de 22%.
cal, bem como data de inicio e fim da execução, devendo todos
de determinados serviços de engenharia em locais distintos, A despeito da possibilidade de interposição de recursos, vê-se
os serviços indicados para a comprovação da capacidade técni-
à mesma época; e que foram habilitadas as empresas que ofereceram menor pre-
ca terem sido executados, ainda que parcialmente, no mesmo
2) a possível restrição à competitividade do certame. ço por lote.
período de 01 mês. (grifo nosso)
Sobre o primeiro item, entendemos que não assiste razão ao 3 CONCLUSÃO
b. 2) Caso a comprovação da capacidade técnico-operacional
representante, uma vez que os serviços relacionados para cer- O presente processo trata de representação com pedido de
seja feita através de atestado do Responsável Técnico da em-
tificação são de natureza comum, não constando qualquer es- cautelar, na qual a empresa representante apontou supostas
presa, deverá estar expresso na Certidão de Acervo Técnico
pecificação especial que permitisse vislumbrar maior dificulda- irregularidades no Edital de Concorrência 3/2017, que tem co-
que o profissional que a detém estava à época da execução da
de de comprovação. Deve-se considerar, ainda, que os atesta- mo objeto o registro de preços para a prestação de serviços de
obra/serviço vinculado ao licitante, podendo essa vinculação
dos emitidos pelas pessoas jurídicas, em geral, delimitam o pe- manutenção preventiva e corretiva nos prédios administrativos
também ser comprovada na forma do Item 10. 3. 2.
ríodo em que os serviços de engenharia/obras foram executa- e escolares vinculados à rede pública de ensino do Estado do
b.3) O licitante deverá comprovar sua experiência anterior na
dos, o que permite à comissão de licitação elaborar um mapa Espírito Santo, com fornecimento de materiais e mão de obra.
execução de todos os serviços discriminados.
comparativo com uma dimensão temporal, à semelhança de Em análise do teor da representação, evidenciam-se os ques-
b.4) Será admitido o somatório de atestados. seja para com- um cronograma, em que se pode vislumbrar a simultaneidade, tionamentos à concomitância ou simultaneidade exigida sobre
provação da experiência anterior do licitante na execução de ou não, dos serviços executados. a execução de determinados serviços de engenharia e a alega-
todos os serviços discriminados, seja para o atendimento do ção de restrição à competitividade do certame, com suposta
Quanto à possível restrição à competitividade da licitação, à
quantitativo mínimo especificado para cada um deles. exclusão da disputa licitatória de licitantes que teriam plena ca-
primeira vista pode parecer razoável a alegação, contudo co-
b. 5) Não serão aceitos atestados e/ou Certidões de Acervos mo a licitação combatida se encontra em fase avançada pode- pacidade técnica para a execução do objeto licitado.
parciais. referente a obras e/ou serviços em andamento. -se analisar se de fato tal ocorreu. Daí, que os pedidos do representante foram pela concessão
2.3 DA ANÁLISE DA DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR Para tanto, nos valemos das atas de reuniões dos dias 28 e 31 de medida cautelar, determinando-se a suspensão das contra-
Sinteticamente, o representante se insurge quanto à exigên- de agosto e do dia 23 de outubro de 2017 da Comissão Per- tações oriundas da Concorrência Pública n.º 003/2017, afas-
cia aos licitantes da comprovação da execução CONCOMITAN- manente de Licitação de Obras e Serviços da SEDU (constam tando ou corrigindo as alegadas irregularidades que restringi-
TE de obras e serviços de pelo menos sete itens de engenharia, das páginas 65 a 68 e 83 a 84 da documentação complementar riam a competitividade e eliminaram a vantajosidade do cer-
SIMULTANEAMENTE em, no mínimo, cinco locais diferentes, o apresentada pelo representante), as quais trazemos em anexo tame, bem como a retificação do instrumento convocatório, a
que, alega, seria uma situação muito difícil de atingir ou de ser à esta manifestação. fim de suprimir do edital a exigência de comprovação da exe-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 14


ATOS DO PLENÁRIO

cução concomitante de obras e serviços de engenharia na qua- ocorrer após a homologação da licitação, propomos o trâmite 1.3. Tramitar os autos sob o rito ordinário face à ausência dos
lificação técnica das licitantes. do processo em rito ordinário para melhor análise do Edital de pressupostos constantes do artigo 306 do RITCEES, e sejam re-
Da análise da documentação encaminhada pelo próprio repre- Concorrência Pública 003/2017 e dos atos da licitação, visando metidos à área técnica para regular instrução, com tramitação
sentante e de informações buscadas no Diário Oficial do Esta- à orientação de futuras contratações similares. preferencial de acordo com o art. 264, inc. IV do RITCEES;
do, verificou-se que: É a nossa manifestação. 1.4. Notificar o Representante, na forma do art. 307, §7º do RI-
- que os serviços relacionados para certificação são de nature- Vitória, 23 de janeiro de 2018. TCEES, bem como o agente responsável, na forma do art. 307,
za comum, não constando qualquer especificação especial que [...]” §3º da mesma norma regimental.
permitisse vislumbrar maior dificuldade de comprovação; Assim, diante do permissivo conferido a este Tribunal de Con- 2. Unânime.
- que dos atestados emitidos pelas pessoas jurídicas seria pos- tas do Estado do Espírito Santo para deliberar sobre a matéria 3. Data da Sessão: 06/03/2018 – 5ª Sessão do Plenário.
sível apurar o período em que os serviços de engenharia foram e tomados os fundamentos fáticos e de direito até aqui apre- 4. Especificação do quórum:
executados, permitindo se verificar a simultaneidade, ou não, sentados, acolhendo o que propõe a manifestação técnica, vo- 4.1. Conselheiros: Sérgio Aboudib Ferreira Pinto (presidente),
dos serviços executados; to por INDEFERIR a cautelar requerida eis que inexistente, no Sebastião Carlos Ranna de Macedo (relator), Rodrigo Flávio
- que, do teor das atas, se verifica a participação de cinco a dez caso concreto, o fumus boni iuris.
Freire Farias Chamoun e Sergio Manoel Nader Borges;
empresas por lote, não se confirmando a alegada restrição à Pelo exposto, entendo que devam os autos tramitar sob o rito
4.2. Conselheiros substitutos: João Luiz Cotta Lovatti (em subs-
participação; ordinário face à ausência dos pressupostos constantes do arti-
tituição) e Marco Antonio da Silva (em substituição).
- que os descontos ofertados pelos licitantes vencedores foram go 306 do RITCEES, e sejam remetidos à área técnica para re-
5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Lucia-
expressivos (da ordem de 20% a 23%), a demostrar a ocorrên- gular instrução, considerando, ainda, a documentação encami-
no Vieira.
cia de competição. nhada pelos responsáveis após a elaboração da Manifestação
Assim, em que pese a falta de informações pelos responsá- Técnica 32/2018, na data de 22/01/2018, conforme o docu- CONSELHEIRO SÉRGIO ABOUDIB FERREIRA PINTO
veis, entendemos que os resultados provisórios da licitação, mento Defesa/Justificativa nº 43/2018 acompanhada da Peça Presidente
ainda, pendentes de homologação, permitem a formação de Complementar nº 686/2018, com tramitação preferencial de
juízo acerca da desnecessidade da concessão de tutela provi- acordo com o art. 264, inc. IV do RITCEES.
sória, podendo a análise mais detida do Edital de Concorrên- Ante o exposto, obedecidos todos os trâmites processuais e le-
cia 003/2017 ser feita posteriormente para orientação de fu- gais, em consonância com o entendimento da área técnica, VO- Decisão 00556/2018-3
turas contratações, uma vez que estamos diante de uma licita- TO no sentido de que o Colegiado aprove a seguinte delibera- Processos: 06996/2017-7, 01516/2012-7
ção para ata de registro de preços, que vigorará por até doze ção que submeto a sua consideração. Classificação: Recurso de Reconsideração
meses, sem possibilidade de prorrogação, consoante o dispos- SEBASTIÃO CARLOS RANNA DE MACEDO UG: CMP - Câmara Municipal de Pancas
to no item 7.1 do edital. Relator Relator: Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun
PROPOSTA DE ENCAMINHAMENTO 1. DELIBERAÇÃO: Parte: Marcos Alexandre Mataveli de Morais
Ante o exposto, submetem-se os autos à consideração supe- VISTOS, relatados e discutidos estes autos, DELIBERAM os con- Procuradores: Josedy Simoes Nunes (OAB: 5277-ES), Rodrigo
rior, com a proposta de: selheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, Fardin (OAB: 18985- ES), Marcelo Souza Nunes (OAB: 9266-ES),
- indeferimento da medida cautelar pretendida; reunidos em sessão Plenária, ante as razões expostas pelo re- Daiane Maria Lopes da Silva (OAB: 24770-ES), Cícero Quedevez
- indeferimento dos pedidos de retificação do instrumento con- lator: Grobério (OAB: 9162), Tatiane Pirschner Zouain Grobério (OAB:
vocatório e suspensão das contratações oriundas da Concor- 1.1. Conhecer a presente representação, com amparo no Art. 17387), Rômulo Quedevez Grobério (OAB: 15160)
rência Pública n.º 003/2017; e 94, §2º da LC 621/2012; RECURSO DE RECONSIDERAÇÃO. SOBRESTAR O JULGAMENTO
- determinação de arquivamento dos autos. 1.2. Indeferir a medida cautelar, pela ausência de fumus bo- ATÉ DECISÃO DO INCIDENTE DE UNIFORMIZAÇÃO DE JURIS-
Caso o Conselheiro Relator entenda que o juízo definitivo deva ni iuris; PRUDÊNCIA – TC 6209/2017

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 15


ATOS DO PLENÁRIO

O EXMO. SR. CONSELHEIRO RODRIGO FLÁVIO FREIRE FARIAS dor o recolhimento das parcelas remanescentes, conforme os Pelo exposto, tendo em vista a competência a mim conferida
CHAMOUN valores indevidamente recebidos, individualmente. pelo art. 29, V, da Lei Complementar Estadual 621/2012 (Lei
I – RELATÓRIO Requer o recorrente que este Tribunal adote o mesmo proce- Orgânica do TCEES), divergindo do entendimento vertido na
dimento empregado no julgamento das contas da Câmara de peça conclusiva e parecer ministerial, VOTO, no sentido de que
Tratam os presentes autos cuidam de Recurso de Reconsidera-
Pancas, exercício de 2010, na qual a questão idêntica se resol- o Colegiado aprove a seguinte proposta de deliberação que
ção impetrado pelo representante legal do Presidente da Câ-
veu propondo a abertura em autos apartados para notificação submeto à sua consideração.
mara Municipal de Pancas no exercício de 2011, Sr. Marcos Ale-
dos demais vereadores para recolhimento dos valores individu- Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun
xandre Mataveli de Morais, tendo em vista o seu inconformis-
mo com o teor da decisão deste Tribunal, exarada através do almente recebidos. Conselheiro
Acórdão 897/2017, nos autos do processo TC 1516/2016. Nestas condições, o recorrente requer a aplicação dos princí- 1. DELIBERAÇÃO:
pios da proporcionalidade e razoabilidade, uma vez que teria Vistos, relatados e discutidos os autos do Processo TC
Após a autuação, os autos foram encaminhados para análise
recolhido previamente o valor individualmente recebido, ca- 6996/2017, DECIDEM os Conselheiros do Tribunal de Contas
da Secex/Recursos, que se manifestou, por intermédio da ITR
racterizando sua boa-fé, e neste sentido, requer o julgamento do Estado do Espírito Santo, reunidos em Sessão Plenária em:
00344/2017-7, nos seguintes termos:CONCLUSÃO:
de suas contas como regular com ressalva, bem como, a exclu- 1.1. Sobrestar o julgamento do presente Recurso de Reconside-
Ante as razões expostas, por estarem presentes os requisitos
são da multa arbitrada. ração, até a apreciação do Incidente de Uniformização de Juris-
de admissibilidade, sugere-se o conhecimento do Recurso de
Nesse passo, a área técnica manteve a irregularidade das con- prudência, suscitado no processo de Embargos de Declaração -
Reconsideração interposto e, quanto ao mérito, opina-se pelo
tas do recorrente, uma vez que o mesmo não teria aproveitado TC 6209/2017, ante a divergência de julgamentos sobre a mes-
seu NÃO PROVIMENTO, mantendo-se incólume a irregularida-
a fase prévia para adimplir na integralidade o débito imputado ma matéria, como ora foi arguida pelo recorrente, e verificada
de atribuída ao Recorrente durante a Prestação de Contas anu-
a ele como Ordenador de Despesas, abrindo mão da possibili- entre os Acórdãos TC 414/2017-Plenário e TC 788/2017-Plená-
al do exercício de 2011 (pagamentos de subsídios de vereado- rio, nos termos informados naqueles Embargos de Declaração,
dade de modificação do julgamento para regular com ressalva,
res acima do teto constitucional), bem como, as penalidades pelo Núcleo de Jurisprudência e Súmulas, através do Estudo
nos termos do art. 56, inciso III, da Lei 621/2012.
de multa e ressarcimento ao erário, a ele aplicadas. Técnico de Jurisprudência 0027/2017-5; e
Quanto à aplicação dos princípios da proporcionalidade e razo-
Ressalta-se a existência de pedido de sustentação oral pelo Re- abilidade arguidos pelo recorrente, a subscritora da peça téc- 1.2. Dar ciência aos interessados.
corrente. nica de recurso reconhece que a boa-fé estaria presente no ca- 2. Por maioria. Vencido o conselheiro em substituição, João
O representante do Ministério Público de Contas, Procurador so sob análise, o que ensejaria a redução da multa aplicada. Luiz Cotta Lovatti, que votou por conhecer e negar provimen-
Luciano Vieira, por meio do Parecer 7129/2017-1, acompanha Pois bem. to ao recurso, nos termos dos pareceres técnico e ministerial.
na íntegra a área técnica. 3. Data da Sessão: 13/03/2018 – 6ª Sessão Ordinária do Ple-
Entendo por alertar a este Colegiado que a matéria constante
É o relatório, em sua importância. no processo paradigma que o recorrente alegou – Acórdão TC nário.
II – FUNDAMENTAÇÃO: 788/2017- Plenário (processo TC 9645/2016), está sobrestada 4. Especificação do quórum:
Verifico que o presente recurso se reporta à irregularidade das até ulterior apreciação do Incidente de Uniformização de Juris- 4.1. Conselheiros: Sérgio Aboudib Ferreira Pinto (presidente),
contas da Câmara Municipal de Pancas, exercício de 2011, ten- prudência, suscitada nos Embargos de Declaração - processo Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun (relator), Domingos Au-
do em vista que o seu então presidente, Sr. Marcos Alexandre TC 6209/2017, tendo em vista as medidas divergentes adota- gusto Taufner, Sebastião Carlos Ranna de Macedo e Sergio Ma-
Mataveli de Morais, ao ser oportunizado em fase prévia ao pa- das por este Tribunal em caso semelhante, constantes no Acór- noel Nader Borges;
gamento da diferença de subsídio acima do teto constitucio- dão - TC 414/2017- Plenário (processo TC 4597/2015). 4.2. Conselheiros substitutos: João Luiz Cotta Lovatti (em subs-
nal (30% do subsídio dos deputados estaduais), verificada no Nesta situação, verifico que a irregularidade recorrida envolve tituição) e Marco Antonio da Silva (em substituição).
mês de janeiro de 2011, no valor de R$7.860,06, equivalente a questão ainda pendente de apreciação por esta Corte de Con- 5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Luciano
3.722,15 VRTE, conforme Decisão Preliminar TC 042/2014, so- tas, o que a meu ver merece o sobrestamento do julgamento Vieira.
mente recolheu 1/9 da importância devida, sob o argumento deste recurso. CONSELHEIRO SÉRGIO ABOUDIB FERREIRA PINTO
de que o débito estaria individualizado, restando a cada verea- III – PROPOSTA DE DELIBERAÇÃO: Presidente

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 16


ATOS DO PLENÁRIO

Decisão 00557/2018-8 te (despacho 71766/2017-2 de fl. 14) para a apreciação do fei- ACÓRDÃO TC-355/2013-PLENÁRIO;
Processo: 05298/2016-7 to, a relatoria do presente processo coube a mim após redistri- Trata-se de Recurso de Reconsideração em que o relator acom-
Classificação: Ato Normativo - Projeto de Enunciado de Súmu- buição e sorteio, na forma do despacho 74557/2017-3 da SGS panhou o entendimento da área técnica e do Ministério Público
la Jurisprudência (fl. 16). Especial de Contas para manter como irregular o seguinte indí-
Relator: Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun No rol dos julgados elencados pelo NJS na proposta de fl. cio de irregularidade: “3 - Exigência, Sem Amparo Legal, de Vi-
3/10 são precedentes do Plenário os seguintes Acórdãos: TC- sita Técnica Conjunta e Obrigatória, infringência do artigo 3°, §
Parte: Conselheiro Efetivo (SERGIO ABOUDIB FERREIRA PINTO)
355/2013, TC 498/2013, TC 1179/2014, TC 1003/2014, TC 1°, inciso I, da Lei n°. 8.666193”. O voto do relator foi acompa-
PROJETO DE ENUNCIADO DE SÚMULA DE JURISPRUDÊNCIA - A
227/2014, TC 1349/2015, TC 457/2015, TC 210/2015. O NJS ar- nhado à unanimidade, com voto de 4 membros .
VISITA TÉCNICA SOMENTE PODE SER EXIGIDA, SE DEVIDAMEN-
rolou ainda o Acórdão TC 094/2014 – SEGUNDA CÂMARA. ACÓRDÃO TC-498/2013-PLENÁRIO;
TE JUSTIFICADA PELA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, QUANDO AS
É o relatório. Passo ao voto. Trata-se de Representação em que o relator acompanhou o en-
PECULIARIDADES DO OBJETO NÃO POSSAM SER EXPRESSAS DE
MODO DETALHADO E ESPECÍFICO NO INSTRUMENTO CONVO- II – REQUISITOS DE ADMISSIBILIDADE tendimento da área técnica e do Ministério Público Especial de
CATÓRIO, SENDO VEDADA A OBRIGATORIEDADE DE VISITA TÉC- O presente processo administrativo encontra-se neste Gabine- Contas para considerar improcedente a alegação da empresa
NICA CONJUNTA – ADMISSIBILIDADE – CIÊNCIA. te para verificação dos requisitos de admissibilidade, consoan- representante no sentido de que deveria ter sido exigida a visi-
O EXMO. SR. CONSELHEIRO RODRIGO FLÁVIO FREIRE FARIAS te dispõe o art. 447, § 5º, in verbis: ta técnica aos licitantes. Foram computados votos de 4 mem-
CHAMOUN: “Art. 447. [...] bros.
I – RELATÓRIO: § 5º O Relator verificará se foram atendidos os requisitos de ACÓRDÃO TC-1179/2014-PLENÁRIO;
Tratam os presentes autos sobre procedimento destinado ao admissibilidade do projeto de enunciado de súmula ou da pro- Trata-se de Fiscalização, na qual foi apurada a seguinte irregu-
processamento e apreciação de Projeto de Enunciado de Sú- posta de alteração, revisão, revogação ou restabelecimento de laridade: “11.1 Exigência indevida de prévia visita técnica como
mula de Jurisprudência, deflagrado a partir de Estudo Técnico súmula, previstos no parágrafo anterior, como condição para o condição para participação no certame”. O relator foi acompa-
de Jurisprudência encaminhado ao Presidente deste Tribunal seguimento do feito. nhado à unanimidade, tendo sido computados 4 votos.
de Contas pelo Coordenador do Núcleo de Jurisprudência e Sú- [...]” ACÓRDÃO TC-1003/2014-PLENÁRIO;
mula - NJS, conforme dispõe o art. 445, inciso VI do Regimento Preliminarmente, destaco que as súmulas têm como objetivo Trata-se de fiscalização em que o relator entendeu que a exi-
Interno desta Corte de Contas. sintetizar e simplificar o entendimento da jurisprudência do gência de declaração de visita técnica, como critério de habi-
O texto da proposta de Enunciado apresentado pelo NJS às fls. Tribunal, tomando-se como base reiteradas deliberações em litação não seria irregular em razão de o objeto licitado exigir
3/10 foi o seguinte: um mesmo sentido, na forma do disposto no art. 446, caput do o conhecimento da estrutura física do local de trabalho. O vo-
“A visita técnica somente pode ser exigida, se devidamente Regimento Interno: to do relator foi acompanhado à unanimidade, com voto de
justificada pela administração pública, quando as peculiari- “Art. 446. A súmula de jurisprudência constituir-se-á de princí- 5 membros.
dades do objeto não possam ser expressas de modo detalha- pios ou enunciados, resumindo teses, soluções, precedentes e ACÓRDÃO TC-227/2014-PLENÁRIO;
do e específico no instrumento convocatório, sendo vedada a entendimentos adotados reiteradamente pelo Plenário ou pe-
Trata-se de Representação em que foi apurada como irregula-
obrigatoriedade de visita técnica conjunta.” las Câmaras, ao deliberar sobre matérias de suas respectivas
ridade: “//.6. Forma de visita técnica que possibilita conluio en-
Promovido o sorteio na 28ª sessão ordinária de 09/08/2016, o competências”.
tre licitantes”. O relator considerou parcialmente procedente o
feito foi distribuído para a relatoria do Conselheiro José Antô- Pois bem. indício e votou por determinar aos responsáveis que: “em fu-
nio Almeida Pimentel, conforme despacho 31919/2016-1 (fl. Neste momento processual, cuido apenas da análise das con- turos certames se abstenham de incluir, como regra, cláusulas
13) da SGS. dições de admissibilidade do presente processo de Enunciado editalícias que se refiram à obrigatoriedade de exigência de vi-
Ocorre que, considerando afastamento do Conselheiro José de Súmula de Jurisprudência. sita técnica dos locais dos serviços como condição para habili-
Antônio Almeida Pimentel e, considerando que o conselhei- O NJS apresentou no Estudo Técnico de Jurisprudência os se- tação na licitação, que somente poderá ser realizada median-
ro Substituto João Luiz Cotta Lovatti se declarou incompeten- guintes julgados: te prévia e motivada justificativa da Administração”. Seu voto

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 17


ATOS DO PLENÁRIO

foi acompanhado à unanimidade, com voto de 5 membros. § 3º O Presidente do Tribunal, ao receber o projeto de súmu- restringindo assim a competitividade.
ACÓRDÃO TC-1349/2015-PLENÁRIO; la ou proposta de alteração, revisão, revogação ou restabeleci- E, para que sua exigência seja legal, é necessário que a Admi-
Trata-se de Representação em que foi apontado como indício mento de súmula, determinará sua autuação e o sorteio de re- nistração Pública demonstre a indispensabilidade de sua reali-
de irregularidade a “Visita Técnica Obrigatória”. O voto do re- latoria, no prazo de quinze dias, dentre os Conselheiro efetivos, zação para a perfeita execução do contrato.
lator considerou a improcedência das alegações, tendo sido excluindo-se do sorteio o Presidente e aquele que eventualmen- Pelo exposto, nos termos art. 447, § 5º, verifico que foram aten-
acompanhado à unanimidade, computados 5 votos dos mem- te apresentar o projeto ou o enunciado. didos os requisitos de admissibilidade do projeto de enunciado
bros. [...]” de súmula exigidos no § 1º do art. 446, razão pela qual voto pe-
ACÓRDÃO TC-457/2015-PLENÁRIO; Mais adiante, o § 4º do art. 446 esclarece como o referido pro- lo seguimento do feito.
Trata-se de Representação em que foi analisado o seguinte jeto deve estar instruído, in verbis: Assim, apresento ao Plenário a seguinte deliberação que ora
item: “3.2.4.2 Exigir no edital de licitação a obrigatoriedade de “Art. 446. [...] submeto à apreciação deste Colegiado.
visita técnica conjunta e não aplicar fielmente o inciso 111 do § 4º O projeto de enunciado de súmula e a proposta de altera- Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun
artigo 30 da lei 8666193”. O relator considerou tal ponto irre- ção, revisão, revogação ou restabelecimento de súmula deve- Conselheiro Relator
gular, tendo sido acompanhado à unanimidade. Votou também rão, obrigatoriamente, ser instruídos com as justificativas fáti- 1. DELIBERAÇÃO:
por determinar que os responsáveis se abstivessem de “Exigir cas e jurídicas bem como indicar expressamente os dispositi-
Vistos, relatados e discutidos os autos do Processo TC
obrigatoriedade de visita técnica sem a necessidade da mes- vos legais pertinentes e os julgados em que se fundamentam.
1626/2017, DECIDEM os Conselheiros do Tribunal de Contas
ma”: Foram computados 5 votos dos membros . [...]” do Estado do Espírito Santo, reunidos em Sessão do Plenário:
ACÓRDÃO TC-210/2015-PLENÁRIO; Desse modo, entendo que o requisito objetivo foi cumprido, 1.1. Admitir o presente procedimento, eis presentes as condi-
Trata-se de Representação em que foi alegada irregularidade conforme disposto acima, contudo, resta avaliar a adequação ções exigidas nos §§ 1º e 2º do art. 446, e §5º do art. 447, do
em relação ao seguinte item: “DA VISITA TÉCNICA EM DATA E da redação ao entendimento consolidado deste Tribunal a res- Regimento Interno;
HORARIOS FIXOS”. O relator considerou procedente a alegação peito do tema.
1.2. Encaminhar os autos à Secretaria Geral das Sessões para
quanto a este ponto. Votou por expedir determinação aos res- Na forma do § 1º do art. 446 do Regimento Interno, são neces- os impulsos processuais necessários, encaminhando o proces-
ponsáveis no sentido de que “//) nas próximas licitações, in- sárias, pelo menos, 05 (cinco) decisões do Plenário no mesmo so ao Núcleo de Jurisprudência e Súmula – NJS para ciência;
clusive no procedimento licitatório que vier a substituir a Con- sentido, mediante aprovação, de, no mínimo, 04 (quatro) de
1.3. Procedidas às comunicações e demais providências neces-
corrência n° 00112011, estabeleça prazo suficiente e adequa- seus membros, em cada uma, para que se possa constituir sú-
sárias, retornem os autos a este Gabinete.
do para a realização da visita técnica, abstendo-se de restringi- mula de jurisprudência.
-la a dia e horários fixos para todos os licitantes”. Seu voto foi 2. Unânime.
De início, observo que o texto de enunciado proposto objetiva
acompanhado à unanimidade. Foram computados os votos de 3. Data da Sessão: 13/03/2018 – 6ª Sessão Ordinária do Ple-
esclarecer que a visita técnica somente pode ser exigida, se de-
5 membros. nário.
vidamente justificada pela Administração Pública, quando as
Nesse contexto, a fim de verificar a sua admissibilidade, passo peculiaridades do objeto não possam ser expressas de modo 4. Especificação do quórum:
abaixo a analisar se o projeto em exame apresenta todas as ca- detalhado e específico no instrumento convocatório, sendo ve- 4.1. Conselheiros: Sérgio Aboudib Ferreira Pinto (presidente),
racterísticas necessárias. dada a obrigatoriedade de visita técnica conjunta. Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun (relator), Domingos Au-
O art. 446, § 3º foi devidamente atendido, uma vez que, con- No que tange este requisito, considerando que constam 08 (oi- gusto Taufner, Sebastião Carlos Ranna de Macedo e Sergio Ma-
forme se observa das fls. 02/160, a proposta de súmula foi ini- to) decisões do Plenário, e que estas são semelhantes, enten- noel Nader Borges.
ciada pelo Núcleo de Jurisprudência e Súmula, autuado pelo do, portanto, que servem de paradigma para fins do disposto 5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Luciano
Presidente e distribuído a esta relatoria por sorteio ocorrido na proposta apresentada, uma vez que aduzem que apesar da Vieira.
no Plenário. importância da realização de visita técnica, é preciso reconhe- CONSELHEIRO SÉRGIO ABOUDIB FERREIRA PINTO
“Art. 446. [...] cer que a referida exigência limita o universo de competidores, Presidente

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 18


ATOS DO PLENÁRIO

Decisão 00558/2018-2 Nos termos do artigo 305, parágrafo único c/c artigo 463 do 4. Especificação do quórum:
Processos: 00201/2017-1, 03134/2014-4 Regimento Interno, os autos foram encaminhados os Ministé- 4.1. Conselheiros: Sérgio Aboudib Ferreira Pinto (presidente),
Classificação: Recurso de Reconsideração rio Público de Contas, lançando os seguintes Termos de Verifi- Sergio Manoel Nader Borges (relator), Sebastião Carlos Ranna
cação: de Macedo, Domingos Augusto Taufner e Rodrigo Flávio Freire
UG: IPSMRB - Instituto de Previdência dos Servidores do Muni-
cípio de Rio Bananal Nº 00004/2018-2 – Janedarque Fardim – valor residual Farias Chamoun;
Relator: Sérgio Manoel Nader Borges 0,0034VRTE – fl. 129/130; 4.2. Conselheiros substitutos: João Luiz Cotta Lovatti (em subs-
Parte: JANEDARQUE FARDIM O Ministério Público de Contas pronuncia-se por meio da lavra tituição) e Marco Antonio da Silva (em substituição).
do ilustre Procurador Geral Luciano Vieira, fls. 113, que anali- 5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Luciano
RECURSO DE RECONSIDERAÇÃO – QUITAÇÃO- MULTA – RETOR-
sando os Termos de Verificação expedidos pela Secretaria Ge- Vieira.
NO AO MINISTERIO PUBLICO DE CONTAS
ral do Ministério Público de Contas, onde certificou o recolhi- CONSELHEIRO SÉRGIO ABOUDIB FERREIRA PINTO
O EXMO. SR. CONSELHEIRO SÉRGIO MANOEL NADER BORGES: mento a menor, correspondente a 0,0034 VRTE, em relação ao Presidente
RELATÓRIO E FUNDAMENTAÇÃO valor da multa aplicada, e considerando desprezível esse valor
Cuidam os presentes autos de Recurso de Reconsideração pro- remanescente, pugna seja dada quitação á responsável em re-
tocolizada neste Tribunal pela Senhora Janedarque Fardim, re- lação à multa pecuniária; bem como requer a devolução dos Decisão 00606/2018-8
sponsavel pelo Instituto de Previdência dos Servidores do Mu- autos àquela Secretaria para os devidos registros no sistema Processos: 13655/2015-9, 06859/2013-1
nicipio de Rio Bananal durante o exercício de 2013, em face do de cobrança do E-TCEES. Classificação: Pedido de Revisão
Acordão TC 985/2016 – PRIMEIRA CÂMARA, em que julgou ir- Considerando, portanto, que foi cumprida pelos responsáveis UG: PMV - Prefeitura Municipal de Viana
regular a Prestação de Contas do Instituto de Previdência dos a decisão proferida pelo Acórdão TC823/2017, tendo em vis-
Servidores do Município de Rio Bananal, referente ao exercício Relator: Marco Antônio da Silva
ta que o recolhimento a menor trata-se de valor insignificante,
de 2013, e aplicação de multa de R$ 3.000,00, nos termos do Partes: Salvador Engenharia Ltda , Gilson Daniel Batista, Fatima
VOTO no sentido de que o colegiado aprove a seguinte propos-
artigo 135, inciso I da Lei Complementar n. 621/2012, nos au- Pereira Neimeg, Jessyca dos Reis Machado, Rodrigo Grijo dos
ta de deliberação que submeto à consideração.
tos do Processo TC nº 3134/2014 Santos, Cristiane Trancoso Grijo, Bruno Braganca Lima, Ariane
SÉRGIO MANOEL NADER BORGES
Devidamente notificado, o recorrente interpôs o Recurso de Barcellos da Paixao
Conselheiro Relator
Reconsideração em face da decisão proferida por este Tribunal. Procuradores: Luiz Alfredo Pretti (OAB: 8788-ES), Marcelo Mar-
1. DELIBERAÇÃO: tins Altoe (OAB: 8787-ES), Joao Pereira Gomes Netto (OAB:
Os autos foram encaminhado à Secretaria de Controle Externo
VISTOS, relatados e discutidos estes autos, DECIDEM os Conse- 13411-ES), Felipe Nascimento Bernabe (OAB: 14776-ES), Vi-
de Recursos que constatou que a materia constante nos autos
lheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, reu- tor Seabra Seixas Pinto (OAB: 16056-ES), Raul Fiorini Louzada
era materia eminentemente contabill, assim , estes foram en-
nidos em sessão Plenária, ante as razões expostas pelo relator, (OAB: 17823-ES), Larissa Luppe Dinelli (OAB: 18944)
caminhado a área técnica competente (Secretaria de Controle
com fundamento no art. 148 da Lei 621/2012, por: PEDIDO DE REVISÃO - EXERCÍCIO DE 2013 – QUITAÇÃO – AR-
Externo de Previdência e Pessoal -SecexPrevidência), que, por
sua vez, confeccionou a Manifestação Técnica 00695/2017-8 1.1. DAR QUITAÇÃO à senhora Janedarque Fardim, relação à QUIVAR – ENCAMINHAR AO MPEC.
(fls. 60-78) , concluindo pela Manutenção das irregularidades. multa pecuniária referida, e posterior arquivamento do feito, O EXMO. SR. CONSELHEIRO EM SUBSTITUIÇÃO MARCO ANTO-
Ato continuo, foi proferido o acordão 823/2017 – Plenário, re- na forma do art. 330, I e IV do RITCEES. NIO DA SILVA:
conhecendo o Recurso de Reconsideração interposto em face 1.2. RETORNAR os autos à Secretaria Geral do Ministério Pú- Cuidam os presentes autos de Pedido de Revisão, interposto
do Acórdão TC-985/2016 – Primeira Câmara e, no mérito, pelo blico de Contas, conforme solicitado, e disposto no artigo 463 pela Sra. Fátima Pereira Neimeg, ex-presidente da comissão de
não provimento das razões recursais, mantendo-se incólume o do RITCEES. licitação da Prefeitura Municipal de Viana, em face do Acórdão
Acórdão recorrido; 2. Unânime. TC nº 898/2015, acostado às folhas 2718-2736 do Processo TC
O processo teve seu trânsito em Julgado em 11/10/2017, con- 3. Data da Sessão: 13/03/2018 – 6ª Sessão Ordinária do Ple- 6859/2013, em apenso, que julgou irregular a conduta pratica-
forme Certidão nº 1570/2017-7, ás fls. 105. nário. da pela recorrente, em procedimento licitatório, referente ao

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 19


ATOS DO PLENÁRIO

exercício de 2013. ca do presente tema, vejamos: MARCO ANTONIO DA SILVA


Registre-se que, nos termos do Acórdão TC nº 898/2015 (fls. Os artigos 87 e 148, da Lei Complementar Estadual nº Relator
2718-2736) do Processo TC 6859/2013, foi aplicada multa in- 621/2012, assim estabelecem, verbis: 1. DELIBERAÇÃO:
dividual aos Srs. Gilson Daniel Batista, Fátima Pereira Neimeg, Art. 87. Verificada irregularidade nas contas, cabe ao Tribunal VISTOS, relatados e discutidos estes autos, DECIDEM os Conse-
Cristiane Trancoso Grijó, Jéssica dos Reis Machado, Rodrigo ou ao Relator: lheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, reu-
Grijó dos Santos, Bruno Bragança Lima e Ariane Barcellos da
[...] nidos em sessão do Plenário, ante as razões expostas pelo re-
Paixão, no valor de 500 VRTE’s.
§ 2º. Reconhecida a boa-fé do responsável, a liquidação tem- lator, em:
Consta, pois, destes autos os Termos de Verificação nº
pestiva do débito, atualizado monetariamente, saneará o pro- 1.1. DAR QUITAÇÃO aos Srs. Rodrigo Grijó e Bruno Bragança
00157/2017-9 e 00158/2017-3, emitidos pelo Ministério Públi-
cesso, se não houver sido observada irregularidade grave nas
co Especial de Contas, certificando que os Srs. Rodrigo Grijó e Lima, então membros da Comissão de Licitação da Prefeitura
contas, hipótese em que o Tribunal julgará as contas regulares
Bruno Bragança Lima recolheram, em 18/7/2017 e 29/9/2017, Municipal de Viana, no exercício de 2013, em razão do paga-
com ressalva e dará quitação ao responsável.
o valor atualizado de R$ 1.906,89 (um mil, novecentos e seis re- mento do valor da multa a eles imposta;
ais e oitenta e nove centavos) e R$ 1.936,43 (um mil, novecen- [...]
1.2. ARQUIVAR os presentes autos, na forma do art. 330, IV do
tos e trinta e seis reais e quarenta e três centavos), respectiva- Art. 148. Comprovado o recolhimento integral, o Tribunal de
Regimento Interno, Resolução TC nº 261/2013, sem baixa do
mente, aos cofres públicos, ressalvando o recolhimento a me- Contas expedirá quitação do débito e/ou da multa.
débito/responsabilidade das Sras. Fátima Pereira Neimeg, Jés-
nor, que corresponde a 0,0027 VRTE’s e 0,0023 VRTE’s, confor- Parágrafo único. O pagamento integral do débito ou da multa, sica dos Reis Machado e Ariane Barcellos da Paixão, ressaltan-
me documentos de folhas 157 e 162. após decisão definitiva, não importa em modificação do julga-
do-se que o desarquivamento poderá ser requerido a qualquer
O Ministério Público Especial de Contas, mediante Parecer nº mento quanto à irregularidade das contas, salvo em caso de re-
tempo, desde que sejam trazidas informações sobre o recolhi-
00172/2018-1, da lavra do Procurador, Dr. Luciano Vieira, pug- curso provido, reconhecendo a boa-fé do responsável ou do in-
mento do débito para as medidas de direito.
nou no sentido de seja expedida a devida quitação aos Srs. Ro- teressado. – g.n.
drigo Grijó e Bruno Bragança Lima e arquivamento do feito, 1.3. ENCAMINHAR os presentes autos ao Ministério Público Es-
Já o Regimento Interno deste Egrégio Tribunal de Contas, Reso-
bem como a devolução dos autos à Secretaria Geral do Minis- pecial de Contas para os devidos registros no sistema de co-
lução TC nº 261/2013, estabelece o seguinte, litteris:
tério Público Especial de Contas para os devidos registros. brança do E-TCEES.
Art. 481. Nos processos com trânsito em julgado até a publi-
Conforme regular distribuição vieram os autos a este magis- cação desta Resolução, o responsável ou interessado que qui- 2. Unânime.
trado de Contas para emissão de relatório e voto para efeito tar integralmente o débito ou multa, no prazo de até cento e 3. Data da Sessão: 13/03/2018 – 6ª Sessão Ordinária do Ple-
de deliberação do Plenário deste Egrégio Tribunal de Contas, oitenta dias, a partir da publicação desta Resolução, saneará o nário.
nos termos do art. 29 do Regimento Interno, Resolução - TC processo, se não houver sido observado dolo ou má-fé. – g.n. 4. Especificação do quórum:
261/2013. Desse modo, a superveniência da Lei Complementar Estadual 4.1. Conselheiros: Sérgio Aboudib Ferreira Pinto (presidente),
É o sucinto relatório. nº 621/2012 e o novo Regimento Interno, onde fora fixado pra- Sebastião Carlos Ranna de Macedo, Domingos Augusto Tau-
VOTO zo de seis meses para se considerar saneados os autos dos pro- fner, Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun e Sergio Manoel Na-
Da análise dos autos, verifico que os Srs. Rodrigo Grijó e Bru- cessos em que tenha havido trânsito em julgado, implica tão
der Borges;
no Bragança Lima recolheram a multa pecuniária a eles im- somente no reconhecimento da quitação destes autos, relati-
4.2. Conselheiros substitutos: Marco Antonio da Silva (relator)
putada, conforme Termos de Verificação nº 00157/2017-9 e vamente ao Srs. Rodrigo Grijó e Bruno Bragança Lima, em face
do pagamento da multa a eles imposta. e João Luiz Cotta Lovatti (em substituição).
00158/2017-3, emitidos pelo Ministério Público Especial de
Contas. Ante o exposto, acompanhando o posicionamento do Ministé- 5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Luciano
Frisa-se que este Egrégio Tribunal de Contas, com o advento da rio Público Especial de Contas, VOTO no sentido de que o Co- Vieira.
Lei Complementar Estadual nº 621/2012 e da Resolução TC nº legiado aprove a seguinte minuta de Acórdão que submeto à CONSELHEIRO SÉRGIO ABOUDIB FERREIRA PINTO
261/2013 – Regimento Interno pacificou o entendimento acer- sua consideração. Presidente

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 20


ATOS DA 1 a CÂMARA

de que o Colegiado aprove a seguinte minuta de Acórdão que


1 a CÂMARA Atos da 1ª Câmara submeto à sua consideração.
Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun
Outras Decisões - 1ª Câmara
Conselheiro Relator
1. DELIBERAÇÕES:
NOTIFICAÇÃO do conteúdo dispositivo da(s) Decisão(ões) abai-
xo, nos termos do artigo 66, parágrafo único, da Lei Comple- VISTOS, relatados e discutidos estes autos, DECIDEM os Conse-
mentar nº 621/2012, encontrando-se os autos na Secretaria lheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, reu-
Geral das Sessões no Tribunal de Contas do Estado do Espíri- nidos em sessão da Primeira Câmara, ante as razões expostas
to Santo. pelo relator, em:
COMPOSIÇÃO DA 1a CÂMARA
1.1. Arquivar os autos após os trâmites legais, com fundamen-
Decisão 04755/2017-3
to no art. 330, IV da Resolução TC nº 261/13.
Conselheiros Processo: 00882/2016-3
Sebastião Carlos Ranna de Macedo - Presidente 2. Unânime;
Classificação: Lei Orçamentária Anual
Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun Exercício: 2016 3. Data da Sessão: 06/12/2017 - 42ª Sessão ordinária da Pri-
meira Câmara;
UG: PMI - Prefeitura Municipal de Ibatiba
4. Especificação do quórum:
Conselheiros-substitutos Relator: Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun
4.1. Conselheiros: Sebastião Carlos Ranna de Macedo (presi-
Márcia Jaccoud Freitas Parte: JOSE ALCURE DE OLIVEIRA
dente) e Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun (relator);
Marco Antônio da Silva LEI ORÇAMENTÁRIA ANUAL – EXERCÍCIO DE 2016 – 1) ARQUI-
4.2. Conselheiros substitutos: Márcia Jaccoud Freitas;
VAR.
5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Heron
O EXMO. SR. CONSELHEIRO RODRIGO FLÁVIO FREIRE FARIAS
Ministério Público Especial de Contas Carlos Gomes de Oliveira.
CHAMOUN:
CONSELHEIRO SEBASTIÃO CARLOS RANNA DE MACEDO
I – RELATÓRIO:
Presidente
Trata-se de processo referente à documentação pertinente a
Lei Orçamentária Anual da Prefeitura de Ibatiba referente ao
exercício de 2016, sob responsabilidade do Senhor José Alcu- Decisão 00260/2018-1
re de Oliveira. Processos: 02411/2010-7, 08227/2014-6
No Despacho 61656/2017-5 (fl. 185), a Secretaria de Controle Classificação: Controle Externo - Fiscalização - Auditoria
Externo de Contas verificou que a Prefeitura Municipal de Ibati- Exercício: 2009
ba apresentou a mesma documentação digitalizada através do UG: PMM - Prefeitura Municipal de Muqui
sistema CIDADES referente à Lei Orçamentária Anual do exer-
Relator: Marco Antônio da Silva
cício de 2016. Dada à perda do objeto, sugeriu o arquivamento
dos autos, sendo acompanhado pelo Ministério Público Espe- Partes: Prefeitura Muqui , Nicolau Esperidiao Neto, Ministerio
cial de Contas através do Em. Procurador Luís Henrique Anastá- Publico de Contas do Estado do Espirito Santo, Associação Co-
cio da Silva que pugnou pelo ARQUIVAMENTO dos autos. mercial e Empresarial de Muqui - Ace Muqui
SESSÕES
Quartas-feiras às 14 horas II – CONCLUSÃO: FISCALIZAÇÃO/AUDITORIA - EXERCÍCIO DE 2009 – DAR QUITA-
Ante o exposto, acompanhando o entendimento da Área Técni- ÇÃO - ARQUIVAR.
ca e do Ministério Público Especial de Contas, VOTO no sentido O EXMO. SR. CONSELHEIRO EM SUBSTITUIÇÃO MARCO ANTO-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 21


ATOS DA 1 a CÂMARA

NIO DA SILVA: [...] nidos em sessão da Primeira Câmara, ante as razões expostas
Cuidam os presentes autos de Fiscalização/Auditoria, realiza- § 2º. Reconhecida a boa-fé do responsável, a liquidação tem- pelo relator, em:
da na Prefeitura Municipal de Muqui, relativa ao exercício de pestiva do débito, atualizado monetariamente, saneará o pro- 1.1. DAR QUITAÇÃO ao Sr. Nicolau Esperidião Neto, então Pre-
2009, sob a responsabilidade do Sr. Nicolau Esperidião Neto. cesso, se não houver sido observada irregularidade grave nas feito Municipal de Muqui, no exercício de 2009, em razão do
Registre-se que nos termos do Acórdão TC nº 1067/2016 (fls. contas, hipótese em que o Tribunal julgará as contas regulares pagamento do valor da multa a ele imposta;
871-899), foi aplicada multa pecuniária ao responsável, no va- com ressalva e dará quitação ao responsável. 1.2. ENCAMINHAR os presentes autos ao Ministério Público Es-
lor de 2.000 VRTE’s. [...] pecial de Contas para os devidos registros no sistema de co-
Consta dos autos o Termo de Verificação nº 00156/2017-4, Art. 148. Comprovado o recolhimento integral, o Tribunal de brança do E-TCEES;
emitido pelo Ministério Público Especial de Contas, certifican- Contas expedirá quitação do débito e/ou da multa. 1.3. ARQUIVAR os presentes autos tendo em vista o respecti-
do que o Sr. Nicolau Esperidião Neto recolheu, em 15/12/2017, Parágrafo único. O pagamento integral do débito ou da multa, vo adimplemento.
o valor atualizado de 2.000 VRTE’s aos cofres públicos, confor- após decisão definitiva, não importa em modificação do julga- 2. Unânime.
me documento de folha 126. mento quanto à irregularidade das contas, salvo em caso de re- 3. Data da Sessão: 21/02/2017 – 3ª Sessão Ordinária da Pri-
O Ministério Público Especial de Contas, mediante Parecer nº curso provido, reconhecendo a boa-fé do responsável ou do in-
meira Câmara.
00102/2018-6, da lavra do Procurador, Dr. Luciano Vieira, pug- teressado. – g.n.
4. Especificação do quórum:
nou no sentido de seja expedida a devida quitação ao respon- Já o Regimento Interno deste Egrégio Tribunal de Contas, Reso-
sável e arquivamento do feito, bem como a devolução dos au- 4.1. Conselheiros presentes: Sebastião Carlos Ranna de Mace-
lução TC nº 261/2013, estabelece o seguinte, litteris:
tos à Secretaria Geral do Ministério Público Especial de Contas do (presidente) e Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun;
Art. 481. Nos processos com trânsito em julgado até a publi-
para os devidos registros. 4.2. Conselheiros substitutos presentes: Marco Antonio da Sil-
cação desta Resolução, o responsável ou interessado que qui-
Conforme regular distribuição vieram os autos a este magistra- tar integralmente o débito ou multa, no prazo de até cento e va (relator).
do de Contas para emissão de relatório e voto para efeito de oitenta dias, a partir da publicação desta Resolução, saneará o 5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Heron
deliberação do Colegiado da 1ª Câmara deste Egrégio Tribunal processo, se não houver sido observado dolo ou má-fé. – g.n. Carlos Gomes de Oliveira.
de Contas, nos termos do art. 29 do Regimento Interno, Reso- Desse modo, a superveniência da Lei Complementar Estadual CONSELHEIRO SEBASTIÃO CARLOS RANNA DE MACEDO
lução - TC 261/2013. nº 621/2012 e o novo Regimento Interno, onde fora fixado pra- Presidente
É o sucinto relatório. zo de seis meses para se considerar saneados os autos dos pro-
VOTO cessos em que tenha havido trânsito em julgado, implica tão
somente no reconhecimento da quitação destes autos, relati- Decisão 00262/2018-1
Da análise dos autos, verifico que o Sr. Nicolau Esperidião Neto
vamente ao Sr. Nicolau Esperidião Neto, em face do pagamen- Processo: 03022/2012-2
recolheu a multa pecuniária a ele imputada, conforme Termo
to da multa a ele imposta. Classificação: Controle Externo - Fiscalização - Auditoria
de Verificação nº 00156/2017-4, emitido pelo Ministério Públi-
co Especial de Contas. Ante o exposto, acompanho o posicionamento do Ministério Exercício: 2011
Frisa-se que este Egrégio Tribunal de Contas, com o advento da Público Especial de Contas, VOTO no sentido de que o Colegia- UG: PMP - Prefeitura Municipal de Piúma
Lei Complementar Estadual nº 621/2012 e da Resolução TC nº do aprove a seguinte minuta de Acórdão que submeto à sua Relator: Marco Antônio da Silva
261/2013 – Regimento Interno pacificou o entendimento acer- consideração.
Partes: Jose Ricardo Pereira da Costa, Lenilce Carvalho Barreto,
ca do presente tema, vejamos: MARCO ANTONIO DA SILVA Marcio Jose Pereira Martins, Victor Belizario Couto
Os artigos 87 e 148, da Lei Complementar Estadual nº Relator Procuradores: Rodrigo Jose Pinto Amm (OAB: 10347-ES), Jose
621/2012, assim estabelecem, verbis: 1. DELIBERAÇÃO: Carlos Nascif Amm (OAB: 1356-ES), Julio Cesar Barreiro Ran-
Art. 87. Verificada irregularidade nas contas, cabe ao Tribunal VISTOS, relatados e discutidos estes autos, DECIDEM os Conse- dow Santana (OAB: 16013-ES), Raimundo Afonso de Alvaren-
ou ao Relator: lheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, reu- ga (OAB: 132A-ES)

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 22


ATOS DA 1 a CÂMARA

FISCALIZAÇÃO/AUDITORIA - EXERCÍCIO DE 2011 – DAR QUITA- to recolheu a multa pecuniária a ela imputada, conforme Ter- vamente à Sra. Lenilce Carvalho Barreto, em face do pagamen-
ÇÃO À LENILCE CARVALHO BARRETO. ARQUIVAR. mo de Verificação nº 00147/2017-5, emitido pelo Ministério to da multa a ela imposta.
O EXMO. SR. CONSELHEIRO EM SUBSTITUIÇÃO MARCO ANTO- Público Especial de Contas. Ante o exposto, acompanho o posicionamento do Ministério
NIO DA SILVA: Frisa-se que este Egrégio Tribunal de Contas, com o advento da Público Especial de Contas, VOTO no sentido de que o Colegia-
Cuidam os presentes autos de Fiscalização/Auditoria, realiza- Lei Complementar Estadual nº 621/2012 e da Resolução TC nº do aprove a seguinte minuta de Acórdão que submeto à sua
da na Prefeitura Municipal de Piúma, relativa ao exercício de 261/2013 – Regimento Interno pacificou o entendimento acer- consideração.
2011, sob a responsabilidade de. Lenilce Carvalho Barreto, ca do presente tema, vejamos: MARCO ANTONIO DA SILVA
Márcio José Pereira Martins e Victor Belizário Couto. Os artigos 87 e 148, da Lei Complementar Estadual nº Relator
Registre-se que nos termos do Acórdão TC nº 1179/2014 (fls. 621/2012, assim estabelecem, verbis: 1. DELIBERAÇÃO:
265-272), foi aplicada multa pecuniária à Sra. Lenilce Carvalho Art. 87. Verificada irregularidade nas contas, cabe ao Tribunal VISTOS, relatados e discutidos estes autos, DECIDEM os Conse-
Barreto e ao Sr. Márcio José Pereira Martins, no valor de 2.000 ou ao Relator: lheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, reu-
VRTE’s, bem como no valor de 1.000 VRTE’s ao Sr. Victor Beli- [...] nidos em sessão da Primeira Câmara, ante as razões expostas
zário Couto. § 2º. Reconhecida a boa-fé do responsável, a liquidação tem- pelo relator, em:
Consta dos autos o Termo de Verificação nº 00147/2017-5, pestiva do débito, atualizado monetariamente, saneará o pro- 1.1. DAR QUITAÇÃO à Sra. Lenilce Carvalho Barreto, então Se-
emitido pelo Ministério Público Especial de Contas, certifican- cesso, se não houver sido observada irregularidade grave nas cretária de Educação de Piúma, no exercício de 2011, em razão
do que a Sra. Lenilce Carvalho Barreto recolheu, em 31/1/2017, contas, hipótese em que o Tribunal julgará as contas regulares do pagamento do valor da multa a ela imposta;
o valor atualizado de 2.369,8484 VRTE’s aos cofres públicos, com ressalva e dará quitação ao responsável. 1.2. ARQUIVAR os presentes autos, na forma do art. 330, IV do
conforme documento de folha 314. [...] Regimento Interno, Resolução TC nº 261/2013, sem baixa do
Ressalta-se que não costa dos autos informação referente ao Art. 148. Comprovado o recolhimento integral, o Tribunal de débito/responsabilidade dos Srs. Márcio José Pereira Martins e
pagamento da multa imposta aos Srs. Márcio José Pereira Mar- Victor Belizário Couto, ressaltando-se que o desarquivamento
Contas expedirá quitação do débito e/ou da multa.
tins e Victor Belizário Couto. poderá ser requerido a qualquer tempo, desde que sejam tra-
Parágrafo único. O pagamento integral do débito ou da multa,
O Ministério Público Especial de Contas, mediante Parecer nº zidas informações sobre o recolhimento do débito para as me-
após decisão definitiva, não importa em modificação do julga-
07203/2017-8, da lavra do Procurador, Dr. Luciano Vieira, pug- didas de direito.
mento quanto à irregularidade das contas, salvo em caso de re-
nou no sentido de que seja expedida a devida quitação ao res- 1.3. ENCAMINHAR os presentes autos ao Ministério Público Es-
curso provido, reconhecendo a boa-fé do responsável ou do in-
ponsável com o arquivamento do feito, bem como a devolução pecial de Contas para os devidos registros no sistema de co-
teressado. – g.n.
dos autos ao Ministério Público Especial de Contas para acom- brança do E-TCEES.
Já o Regimento Interno deste Egrégio Tribunal de Contas, Reso-
panhamento da execução do referido Acórdão, relativamente à 2. Unânime.
lução TC nº 261/2013, estabelece o seguinte, litteris:
cobrança da multa pecuniária aplicada aos Srs. Márcio José Pe- 3. Data da Sessão: 21/02/2017 – 3ª Sessão Ordinária da Pri-
Art. 481. Nos processos com trânsito em julgado até a publi-
reira Martins e Victor Belizário Couto. meira Câmara.
cação desta Resolução, o responsável ou interessado que qui-
Conforme regular distribuição vieram os autos a este magistra- 4. Especificação do quórum:
tar integralmente o débito ou multa, no prazo de até cento e
do de Contas para emissão de relatório e voto para efeito de 4.1. Conselheiros: Sebastião Carlos Ranna de Macedo (presi-
oitenta dias, a partir da publicação desta Resolução, saneará o
deliberação do Colegiado da 1ª Câmara deste Egrégio Tribunal dente) e Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun;
processo, se não houver sido observado dolo ou má-fé. – g.n.
de Contas, nos termos do art. 29 do Regimento Interno, Reso- 4.2. Conselheiros substitutos: Marco Antonio da Silva (relator).
Desse modo, a superveniência da Lei Complementar Estadual
lução - TC 261/2013.
nº 621/2012 e o novo Regimento Interno, onde fora fixado pra- 5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Heron
É o sucinto relatório. zo de seis meses para se considerar saneados os autos dos pro- Carlos Gomes de Oliveira.
VOTO cessos em que tenha havido trânsito em julgado, implica tão CONSELHEIRO SEBASTIÃO CARLOS RANNA DE MACEDO
Da análise dos autos, verifico que a Sra. Lenilce Carvalho Barre- somente no reconhecimento da quitação destes autos, relati- Presidente

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 23


ATOS DA 1 a CÂMARA

Decisão 00263/2018-5 Da análise dos autos, verifico que o Sr. Amilck de Souza Costa somente no reconhecimento da quitação destes autos, relati-
Processo: 07561/2014-1 recolheu a multa pecuniária a ele imputada, conforme Termo vamente ao Sr. Amilck de Souza Costa, em face do pagamento
Classificação: Controle Externo - Fiscalização - Representação de Verificação nº 00159/2017-8, emitido pelo Ministério Públi- da multa a ele imposta.
UG: PML - Prefeitura Municipal de Linhares co Especial de Contas. Ante o exposto, acompanho o posicionamento do Ministério
Frisa-se que este Egrégio Tribunal de Contas, com o advento da Público Especial de Contas, VOTO no sentido de que o Colegia-
Relator: Marco Antônio da Silva
Lei Complementar Estadual nº 621/2012 e da Resolução TC nº do aprove a seguinte minuta de Acórdão que submeto à sua
Partes: Katia Cilene dos Santos Felix, Jair Correa, Tribunal de
261/2013 – Regimento Interno pacificou o entendimento acer- consideração.
Contas do Estado do Espirito Santo, Amilck de Souza Costa
ca do presente tema, vejamos: MARCO ANTONIO DA SILVA
FISCALIZAÇÃO/REPRESENTAÇÃO - EXERCÍCIO DE 2014 - QUITA-
Os artigos 87 e 148, da Lei Complementar Estadual nº Relator
ÇÃO - ARQUIVAR.
621/2012, assim estabelecem, verbis: 1. DELIBEIRAÇÃO:
O EXMO. SR. CONSELHEIRO EM SUBSTITUIÇÃO MARCO ANTO-
Art. 87. Verificada irregularidade nas contas, cabe ao Tribunal VISTOS, relatados e discutidos estes autos, DECIDEM os Conse-
NIO DA SILVA:
ou ao Relator: lheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, reu-
Cuidam os presentes autos de Fiscalização/Auditoria, realiza-
[...] nidos em sessão da Primeira Câmara, ante as razões expostas
da na Prefeitura Municipal de Linhares, relativa ao exercício de
§ 2º. Reconhecida a boa-fé do responsável, a liquidação tem- pelo relator, em:
2014, sob a responsabilidade dos Srs. Amilck de Souza Costa,
Kátia Cilene dos Santos Félix e Jair Corrêa. pestiva do débito, atualizado monetariamente, saneará o pro- 1.1. DAR QUITAÇÃO ao Sr. Amilck de Souza Costa, então Secre-
cesso, se não houver sido observada irregularidade grave nas tário Municipal de Obras de Linhares, no exercício de 2014, em
Registre-se que nos termos do Acórdão TC nº 876/2016 (fls.
contas, hipótese em que o Tribunal julgará as contas regulares razão do pagamento do valor da multa a ele imposta;
448-480), foi aplicada multa pecuniária aos Srs. Amilck de Sou-
za Costa, Kátia Cilene dos Santos Félix, no valor de 3.000 VR- com ressalva e dará quitação ao responsável. 1.2. ARQUIVAR os presentes autos, na forma do art. 330, IV do
TE’s. [...] Regimento Interno, Resolução TC nº 261/2013, sem baixa do
Art. 148. Comprovado o recolhimento integral, o Tribunal de débito/responsabilidade da Sra. Kátia Cilene dos Santos Félix,
Consta dos autos o Termo de Verificação nº 00159/2017-8,
ressaltando-se que o desarquivamento poderá ser requerido a
emitido pelo Ministério Público Especial de Contas, certifican- Contas expedirá quitação do débito e/ou da multa.
qualquer tempo, desde que sejam trazidas informações sobre
do que o Sr. Amilck de Souza Costa recolheu, em 13/12/2017, Parágrafo único. O pagamento integral do débito ou da multa,
o recolhimento do débito para as medidas de direito.
o valor atualizado de R$ 3.390,00 (três mil, trezentos e noventa após decisão definitiva, não importa em modificação do julga-
1.3. ENCAMINHAR os presentes autos ao Ministério Público Es-
reais) aos cofres públicos, conforme documento de folha 509. mento quanto à irregularidade das contas, salvo em caso de re-
pecial de Contas para os devidos registros no sistema de co-
O Ministério Público Especial de Contas, mediante Parecer nº curso provido, reconhecendo a boa-fé do responsável ou do in-
brança do E-TCEES.
00185/2018-9, da lavra do Procurador, Dr. Luciano Vieira, pug- teressado. – g.n.
2. Unânime.
nou no sentido de seja expedida a devida quitação ao respon- Já o Regimento Interno deste Egrégio Tribunal de Contas, Reso-
sável e arquivamento do feito, bem como a devolução dos au- lução TC nº 261/2013, estabelece o seguinte, litteris: 3. Data da Sessão: 21/02/2017 – 3ª Sessão Ordinária da Pri-
tos à Secretaria Geral do Ministério Público Especial de Contas meira Câmara.
Art. 481. Nos processos com trânsito em julgado até a publi-
para os devidos registros. 4. Especificação do quórum:
cação desta Resolução, o responsável ou interessado que qui-
Conforme regular distribuição vieram os autos a este magistra- tar integralmente o débito ou multa, no prazo de até cento e 4.1. Conselheiros: Sebastião Carlos Ranna de Macedo (presi-
do de Contas para emissão de relatório e voto para efeito de oitenta dias, a partir da publicação desta Resolução, saneará o dente) e Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun;
deliberação do Colegiado da 1ª Câmara deste Egrégio Tribunal processo, se não houver sido observado dolo ou má-fé. – g.n. 4.2. Conselheiros substitutos: Marco Antonio da Silva (relator).
de Contas, nos termos do art. 29 do Regimento Interno, Reso- Desse modo, a superveniência da Lei Complementar Estadual 5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Heron
lução - TC 261/2013. nº 621/2012 e o novo Regimento Interno, onde fora fixado pra- Carlos Gomes de Oliveira.
É o sucinto relatório. zo de seis meses para se considerar saneados os autos dos pro- CONSELHEIRO SEBASTIÃO CARLOS RANNA DE MACEDO
VOTO cessos em que tenha havido trânsito em julgado, implica tão Presidente

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 24


ATOS DA 1 a CÂMARA

Decisão 00472/2018-1 a) contrato nº 037/2007, mantido com a empresa Citeluz Ser- ção Técnica Inicial 01000/2017-8, verbis:
Processo: 01709/2007-6 viços de Iluminação Urbana S/A, bem como de todos os seus [...]
Classificação: Denúncia eventuais aditivos; Em face dos achados de fiscalização apontados no Relatório de
UG: PMCI - Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim b) de todos os processos de pagamentos efetuados à Contrata- Inspeção Nº 00018/2017-6, em respeito aos princípios consti-
Relator: Marco Antônio da Silva da Citeluz Serviços de Iluminação Urbana S/A na execução do tucionais do contraditório e da ampla defesa, sugere-se a esta
objeto da Concorrência Pública 001/2006. Corte de Contas:
Partes: Ative Engenharia Ltda , Roberto Valadao Almokdice, Ri-
cardo Claudino Pessanha, Magda Aparecida Gasparini, Jorge Este Relator, nos termos da Decisão Monocrática 165/2016, 1. A conversão do processo de fiscalização em tomada de con-
Luiz Gava, Jansler Bonicenha Aride, Citeluz Servicos de Ilumi- determinou a notificação do Sr. Carlos Roberto Casteglione tas especial, nos termos do artigo 115, caput, da Lei Comple-
nacao Urbana S/A Dias, conforme sugerido na Manifestação Técnica Preliminar - mentar 621/2012316 e do artigo 207, VI c/c art. 317, caput e §
MTP 89/2016, supramencionada, que, em atendimento ao Ter- 2º, do Regimento Interno do Tribunal de Contas do ES, aprova-
REPRESENTAÇÃO - DEIXAR DE CONVERTER EM TOMADA DE
mo de Notificação Nº 300/2016, trouxe aos autos vasta docu- do pela Resolução TC 261/2013, em razão dos achados que re-
CONTAS ESPECIAL – CITAÇÃO – PRAZO 30 DIAS – NOTIFICAR.
mentação. sultaram em dano ao erário.
O EXMO. SR. CONSELHEIRO EM SUBSTITUIÇÃO MARCO ANTO-
Analisando os autos, área técnica, através da Secretaria de Con- 2. A citação dos responsáveis descritos no quadro adiante, nos
NIO DA SILVA:
trole Externo de Obras e Serviços de Engenharia, nos termos da termos do artigo 56, II e III da Lei Complementar 621 de 8 de
Cuidam os presentes autos de Representação, formulada pela Instrução Técnica Inicial 01000/2017-8, com base nos achados março de 2012; e artigo 157, II, do RITCE/ES, para que, no pra-
empresa Ative Engenharia Ltda, relativa a supostas irregulari-
de auditoria apontados no Relatório de Inspeção 00018/2017- zo estipulado, apresentem, individual ou coletivamente, razões
dades na realização de Concorrência Pública n° 001/2006, cujo
6, sugeriu a conversão do processo de fiscalização em Toma- de justificativa (caso não houver débito), ou alegações de de-
objeto se refere à contratação de empresa especializada para
da de Contas Especial, com a realização de citação dos respon- fesa, bem como documentos que entenderem necessários, e/
o gerenciamento integrado do sistema de iluminação pública
sáveis, Sr. Ricardo Claudino Pessanha, Sr. Roberto Valadão Al- ou recolham as importâncias devidas (nos termos descritos no
do município, com fornecimento de mão-de-obra e materiais.
mokdice, Sr. Jorge Luiz Gava, Sr. Jansler Bonicenha Aride, Sr.ª. item 4.1 do Relatório de Inspeção Nº  00018/2017-6), em ra-
Constam dos autos o Relatório de Auditoria Especial - RA-E Magda Aparecida Gasparini, Citeluz Serviços de Iluminação Ur- zão dos achados de fiscalização apontados individual ou cole-
46/2007, elaborado pela 9ª Controladoria Técnica – Engenha- bana S/A. tivamente:
ria, que sugeriu a citação do Prefeito Municipal de Cachoeiro RESPONSÁVEIS SOLIDÁRIOS SUBITENS / IRRE- IMPORTÂNCIA DEVIDA
Conforme regular distribuição vieram os autos a este Magis-
de Itapemirim, Sr. Roberto Valadão Almokdice para que se pro- GULARIDADES R$ VRTE
trado de Contas para emissão de relatório e voto para efeito Sr. Ricardo Claudino Pessanha; 2.1.2 Prejuízo cau- 944.768,85 474.879,80
nunciasse sobre os indícios de irregularidades apontados, sen-
de deliberação da 1ª Câmara deste Egrégio Tribunal de Con- Sr. Roberto Valadão Almokdice; sado por sistemática
do tal entendimento acolhido na Instrução Técnica Inicial - ITI
tas, na forma do art. 29 do Regimento Interno, Resolução TC Sr. Jorge Luiz Gava; de avaliação de técni-
853/2007. Sr. Jansler Bonicenha Aride; ca e preço incompatí-
nº 261/2013.
Na sequência, a área técnica, através do Núcleo de Engenharia Sra. Magda Aparecida Gaspa- vel com o objeto da li-
É o sucinto relatório. rini; citação
e Obras Públicas (NEO), nos termos da Instrução de Engenharia
VOTO Citeluz Serviços de Iluminação
Conclusiva - IEC 7/2015, concluiu que as justificativas apresen- Urbana S/A
tadas pelo Sr. Roberto Valadão Almokdice foram insuficientes, Tendo sido apresentada a presente Denúncia, acerca de supos- Sr. Roberto Valadão Almokdice 2.1.1 Pagamento de 389.186,04 221.960,78

mantendo-se a irregularidade, sugerindo o encaminhamento tas irregularidades na realização de Concorrência Pública n° Sr. Jorge Luiz Gava serviços com super-

dos autos ao Núcleo de Estudos Técnicos e Análises Conclusi- 001/2006, necessária é sua análise para posterior deliberação, Sr. Jansler Bonicenha Aride faturamento em de-
Sra. Magda Aparecida Gasparini corrência dos preços
vas (NEC) para manifestação. em razão da documentação que lhe deu suporte.
Citeluz Serviços de Iluminação acima do preço para-
Ato contínuo, o Núcleo de Estudos Técnicos e Análises Conclu- 1. CONSIDERAÇÕES DE FATO E DE DIREITO: Urbana S/A digma
TOTAL 1.333.954,89 696.840,58
sivas – NEC, nos termos da Manifestação Técnica Preliminar - Do exame dos autos verifico que a área técnica sugeriu a con-
MTP 89/2016, sugeriu notificação do atual Prefeito de Cachoei- versão dos presentes autos em Tomada de Contas Especial, Sugere-se, também, a remessa de cópia do Relatório de Fiscali-
ro do Itapemirim para que juntasse aos autos o processo: com a realização de citação dos responsáveis, conforme Instru- zação e seus apêndices e anexos (fls. 5542 - 5884) em referên-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 25


ATOS DA 1 a CÂMARA

cia, juntamente com o Termo de Citação, a fim de subsidiar a 1.333.954,89 (um milhão, trezentos e trinta e três mil, nove- Classificação: Controle Externo - Fiscalização - Auditoria
presente Instrução Técnica Inicial. – g.n. centos e cinquenta e quatro reais e oitenta e nove centavos), Exercício: 1998
Em que pese o posicionamento da área técnica, verifico que equivalentes a 696.840,58 VRTE’s, em razão dos indicativos de UG: PMM - Prefeitura Municipal de Muqui
não deve ser promovida a conversão dos autos em tomada de irregularidades constantes da Instrução Técnica Inicial – ITI nº
Relator: Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun
contas especial, neste momento processual, razão pela qual 01000/2017-8, conforme suas responsabilidades;
Partes: Prefeitura Muqui , Mauricio Jose da Silva, Gilbardo Mo-
deixo de acolher, preliminarmente, a conversão dos presentes 1.2. NOTIFICAR os responsáveis, no sentido de que poderão
fati Vicente, Carlos Elias Mendonca, Heron Carlos Machado Go-
autos em tomada de contas, conforme sugerido pela área téc- exercer sua defesa por todos os meios em direito admitidos,
mes, Marco Aurelio Monteiro de Barros Sobrinho, Valdir Casti-
nica, em razão de que podem haver esclarecimentos quanto e, querendo, exercer o direito de sustentação oral, nos termos
glioni Filho, Fabio Vieira dos Santos 05438396647, Gatti &Bor-
aos valores a serem ressarcidos pelos gestores, ou então, po- do disposto no art. 327, § 1º, da Resolução TC nº 261/2013, Re-
toloso Engenharia Ltda - Me, Ecologica- Engenharia e Meio Am-
dem os responsáveis aproveitar a oportunidade para recolhe- gimento Interno, quando do julgamento dos presentes autos,
biente Ltda - Me
rem as respectivas importâncias. cuja data será devidamente publicada no Diário Oficial Eletrô-
Procuradores: ROBERTA WEBER (OAB: 32056-SC), LAIS CAMI-
Assim sendo, acolho parcialmente os termos da manifesta- nico do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, na for-
LA DE MEDEIROS (OAB: 35900-SC), VILCO DE MEDEIROS (OAB:
ção técnica, exceto quanto à conversão do feito em tomada ma do art. 101, da Resolução TC nº 261/2013;
12589-SC), GENESIO MOFATI VICENTE (OAB: 8031-ES), OZORIO
de contas, no que se refere à Instrução Técnica Inicial – ITI nº 1.3. ALERTAR aos agentes responsáveis que a ausência de
VICENTE NETTO (OAB: 19873-ES), LUÍZA OZÓRIO DE OLIVEIRA
01000/2017-8, constante destes autos. manifestação resulta na declaração de sua revelia, nos ter-
(OAB: 28132-ES)
DISPOSITIVO: mos do art. 157, § 7º, da Resolução TC nº 261/2013, acom-
CONTROLE EXTERNO – FISCALIZAÇÃO – AUDITORIA - REVOGAR
Ante o exposto, acompanhando, parcialmente, o entendimen- panha esta decisão, integrando-a, cópia do Relatório de Ins-
PARCIALMENTE A DECISÃO MONOCRÁTICA Nº 00994/2017-1,
to da área técnica, VOTO no sentido de que o Colegiado aprove peção 00018/2017-6 e da Instrução Técnica Inicial – ITI nº
RECONHECENDO A ILEGITIMIDADE PASSIVA DA PESSOA JURÍDI-
a seguinte minuta de Decisão que submeto à sua consideração. 01000/2017-8, constante dos presentes autos;
CA GATTI & BORTOLOSO ENGENHARIA LTDA – CITAÇÃO DA EM-
MARCO ANTONIO DA SILVA 1.4. CERTIFICAR os prazos relativos à citação, após, devolva-se PRESA ECOLÓGICA ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE LTDA-ME
os autos ao Relator para prosseguimento do feito.
Relator O EXMO. SR. CONSELHEIRO RODRIGO FLÁVIO FREIRE FARIAS
2. Unânime. CHAMOUN:
1. DELIBERAÇÃO:
3. Data da Sessão: 28/02/2018 – 4ª Sessão Ordinária da Pri- I – RELATÓRIO:
VISTOS, relatados e discutidos estes autos, ACORDAM os Con-
meira Câmara.
selheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, Nos termos da Decisão Monocrática 00994/2017-1 determinei
reunidos em sessão da Primeira Câmara, ante as razões expos- 4. Especificação do quórum: a citação, além de outros responsáveis, da pessoa jurídica Gatti
tas pelo relator, em: 4.1. Conselheiros: Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun (no & Bortoloso Engenharia Ltda-ME (nome fantasia Ecológica En-
1.1. DEIXAR de converter os presentes autos em Tomada de exercício da presidência); genharia e Meio Ambiente), acompanhando in totum os ter-
Contas Especial, promovendo-se a CITAÇÃO dos agentes res- 4.2. Conselheiros substitutos: Marco Antonio da Silva (relator) mos da Instrução Técnica inicial – Complementar nº 700/2017-
ponsáveis, Sr. Ricardo Claudino Pessanha, Sr. Roberto Vala- e Márcia Freitas Jacooud (convocada). 5 (evento 12 - fl. 379/382).
dão Almokdice, Sr. Jorge Luiz Gava, Sr. Jansler Bonicenha Ari- 5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Heron Devidamente notificada, na forma do Termo de Citação nº
de, Srª. Magda Aparecida Gasparini, Citeluz Serviços de Ilumi- Carlos Gomes de Oliveira. 01510/2017-5 (evento 22 – fl. 395), a procuradora constituí-
nação Urbana S/A, nos termos do artigo 288, inciso IX, e 157, CONSELHEIRO RODRIGO FLÁVIO FREIRE FARIAS CHAMOUN da, por meio de Defesa/Justificativa de nº 01125/2017-1 (even-
II, do Regimento Interno, Resolução TC nº 261/2013, e do art. No exercício da Presidência to 35) veio aos autos informando que “a empresa peticio-
56, III, da Lei Complementar Estadual nº 621/2012, para que, nante, Gatti e Botoloso Engenharia Ltda ME, inscrita no CNPJ
no prazo de (trinta) 30 dias, apresentem suas alegações de de- 10.985.176/0001-01, jamais contratou com a Prefeitura Muni-
fesa, bem como os documentos que entenderem necessários Decisão 00474/2018-9 cipal de Muqui (ES), tampouco prestou serviços de engenharia
e/ou recolham a respectiva importância devida, no valor de R$ Processo: 02800/2005-3 de construção civil para nenhuma outra empresa”.

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 26


ATOS DA 1 a CÂMARA

Menciona, ainda, que a empresa manifestante foi fundada em 261/2013 (Regimento Interno do TCEES), apresento à Câmara ti e Bortoloso Engenharia Ltda (CNPJ: 10.985.176/0001-01),
24/07/2009, tendo como atividade econômica principal a fa- a seguinte DELIBERAÇÃO que ora submeto à sua consideração: cientificando-a pessoalmente do teor da deliberação e tam-
bricação de máquinas e equipamentos para indústrias de ali- Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun bém mediante publicação em Diário Eletrônico, fazendo cons-
mentos, bebidas, fumo, peças e acessórios, sendo que jamais Conselheiro Relator tar expressamente do Ofício, as sinceras escusas por parte des-
prestou serviços de construção civil, objeto da auditoria reali- te Conselheiro Relator, em nome do Tribunal de Contas do Es-
1. DELIBERAÇÃO:
zada. pírito Santo, pelo lamentável equívoco ocorrido.
Vistos, relatados e discutidos os autos do Processo TC
Ademais, esclarece que em consulta aos autos de auditoria, ve- 1626/2017, DECIDEM os Conselheiros do Tribunal de Contas Em 08 de Fevereiro de 2018.
rificou que a empresa que efetivamente celebrou o contrato do Estado do Espírito Santo, reunidos em Sessão da 1ª Câmara: Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun
é denominada Ecológica Engenharia e Meio Ambiente LTDA, Conselheiro Relator
1.1. REVOGAR parcialmente a Decisão Monocrática nº
inscrita no CNPJ 02.773.327/0001-2, pessoa jurídica distinta da
00994/2017-1, reconhecendo, com base no art. 70 da LC 2. Unânime.
que foi efetivamente citada.
621/2012 c/c artigo 485, VI do Código de Processo Civil, a ilegi- 3. Data da Sessão: 28/02/2018 – 4ª Sessão Ordinária da Pri-
Para comprovação de todo alegado, juntou a situação cadas- timidade passiva da pessoa jurídica Gatti & Bortoloso Engenha- meira Câmara.
tral de Pessoa Jurídica das duas empresas distintas, bem como, ria Ltda, inscrita no CNPJ sob o n° 10.985.176/0001-01, excluin-
o contrato de n° 057/2003 objeto de auditoria e Nota fiscal de 4. Especificação do quórum:
do-a do rol de responsáveis nos presentes autos, anulando-se,
n° 000152, visando asseverar que os mesmos foram realizados assim, o Termo de Citação nº 01510/2017-5; 4.1. Conselheiros: Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun (no
pela empresa Ecológica Engenharia e Meio Ambiente Ltda, re- exercício da presidência/ relator);
1.2. CITAR o responsável abaixo relacionado, para que no pra-
gistrada sob no CNPJ sob o n° 02.773.327/0001-21. zo de 30 (trinta) dias improrrogáveis (art. 56, III da LCE nº 4.2. Conselheiros substitutos: Marco Antonio da Silva (em
Conclui requerendo o reconhecimento da ilegitimidade passi- 621/2012 e art. 157, III da Resolução TC nº 261/2013), apre- substituição) e Márcia Freitas Jacooud (convocada).
va e a consequente extinção do processo em face da empresa sente, individual ou coletivamente, alegações de defesa, bem 5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Heron
Gatti & Bortoloso Engenharia Ltda-ME, registrada no CNPJ sob como documentos que entender necessários e/ou recolha as Carlos Gomes de Oliveira.
o n° 10.985.176/0001-01. importâncias devidas, em razão dos achados apontados na Ins- CONSELHEIRO RODRIGO FLÁVIO FREIRE FARIAS CHAMOUN
É o relatório. Passo ao voto. trução Técnica Inicial ITI 00700/2017-5, da qual deverá ser ex- No Exercício da Presidência
traída cópia integral para remessa ao interessado, juntamente
II – FUNDAMENTAÇÃO:
com a cópia do Relatório de Auditoria nº 21/2005 e Manifesta-
De fato, assiste razão a empresa peticionante, pois confor- Decisão 00478/2018-7
ção Técnica 913/2017-8, e do Termo de Citação, preferencial-
me relatado nas alegações de defesa, a pessoa jurídica Gat- Processo: 02918/2012-9
mente em mídia digital:
ti & Bortoloso Engenharia Ltda, registrada no CNPJ sob o n° RESPONSÁVEIS subitens/ IRRE- IMPORTÂNCIA DEVIDA Classificação: Controle Externo - Fiscalização - Auditoria
10.985.176/0001-01, é parte ilegítima para constar como res- SOLIDÁRIOS GULARIDADES R$ VRTE
ponsável nos presentes autos. Ecológica Engenharia 2.2 – Recebeu por 19.296,40 15.593,05 Exercício: 2011
e Meio Ambiente) serviços não execu- UG: PMM - Prefeitura Municipal de Montanha
Diante do exposto, apresento sinceros votos de escusas e pe-
(Contrato nº 57/2002) tados
sar pelo equívoco, além de agradecer e parabenizar pela con- Relator: Marco Antônio da Silva
2.3 – Recebeu por 6.625,46 5.353,91
sideração em diligenciar e abastecer os autos com documenta- serviços já executa- Partes: Prefeitura Montanha , Iracy Carvalho Machado Baltar
ção pertinente à questão, e voto, por reconhecer a ilegitimida- dos no contrato nº Fernandes, Haroldo Correa Rocha, Norma Lucia Silva Costa, Al-
60/1998
de passiva da empresa em questão, com a consequente citação tamir Morais Filho
Ecológica Engenharia 2.4 – Recebeu por 4.401,48 3.225,95
da empresa Ecológica Engenharia e Meio Ambiente LTDA-ME. e Meio Ambiente) serviços não execu- Procuradores: Luciano Kelly Do Nascimento (OAB: 5205-ES)
III – DISPOSITIVO: (Contrato nº 57/2003) tados no contrato CONTROLE EXTERNO – FISCALIZAÇÃO – AUDITORIA – PREFEI-
nº 57/2003 (PMM)
Pelo exposto, com base na competência outorgada pelo inciso TURA DO MUNICÍPIO DE MONTANHA – EXERCÍCIO DE 2011 –
V, do artigo 29, e, na forma do § 2º do art. 47 da Resolução TC Dê-se ciência ao Representante Legal da Pessoa Jurídica Gat- PRESCRIÇÃO – INEXISTÊNCIA DO PARECER DE QUE TRATA O AR-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 27


ATOS DA 1 a CÂMARA

TIGO 71, §1º DA LEI ORGÂNICA DO TRIBUNAL DE CONTAS E legiado da 1ª Câmara deste Egrégio Tribunal de Contas, na for- Responsável: Haroldo Corrêa Rocha - Secretário Estadual de
O ARTIGO 373, §1º DO REGIMENTO INTERNO – ENCAMINHA- ma do art. 29 do Regimento Interno, Resolução TC 261/2013, Educação
MENTO DOS AUTOS AO MINISTÉRIO PÚBLICO JUNTO AO TRI- em virtude da Conselheira em Substituição Márcia Jaccoud 3.1.2 - DESCUMPRIMENTO DE CLÁUSULAS CONVENIADAS.
BUNAL DE CONTAS. Freitas declarar-se suspeita para atuar nos autos. → Infringência ao artigo 21 da Portaria AGE/Sefaz 01/06.
O EXMO. SR. CONSELHEIRO EM SUBSTITUIÇÃO MARCO ANTO- Registre-se que a Sras. Iracy Carvalho Machado Baltar Fernan- Responsáveis: Haroldo Corrêa Rocha e Iracy Carvalho Machado
NIO DA SILVA: des, Norma Lúcia Silva Costa e o Sr. Altamir Morais Filho reque- Baltar Fernandes - Prefeita Municipal
Cuidam os presentes autos de Auditoria Ordinária, realizada na reram sustentação oral (fl. 1034), por seu patrono, Dr. Lucia-
3.1.3 - AUSÊNCIA DE ESTIMATIVA DO IMPACTO ORÇAMENTÁ-
Prefeitura Municipal de Montanha, referente ao exercício de no Kelly do Nascimento – OAB/ES 5.205, sendo realizados dois
RIO-FINANCEIRO DA DESPESA.
2011, sob a responsabilidade da Sra. Iracy Carvalho Machado pregões, respectivamente, nos dias 06/12/2017 e 13/12/2017,
→ Infringência ao artigo 16, inciso I, da Lei Complementar nº
Baltar Fernandes, Prefeita Municipal, sendo responsáveis soli- porém, os interessados não compareceram para o exercício
101/00.
dários os senhores Haroldo Correa Rocha – Secretário de Esta- desse direito.
do da Educação, Norma Lúcia Silva Costa – Pregoeira e Altamir Responsáveis: Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes - Pre-
É o sucinto relatório.
Morais Filho – Assistente Jurídico. feita Municipal e Altamir Morais Filho - Assistente Jurídico
VOTO
Os responsáveis foram citados, conforme Decisão Monocrática 3.1.4 - AUSÊNCIA DE INDICAÇÃO DE RECURSO PRÓPRIO PARA
Em atendimento ao Plano de Auditoria nº 54/2012 (fl. 01), a
299/2012 e Termos de Citação 1694, 1695, 1696 e 1697/2012, A DESPESA E AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DA EXISTÊNCIA DE
equipe técnica deste Egrégio Tribunal de Contas realizou na
na forma do Relatório de Auditoria – RAO 65/2012 e Instru- PREVISÃO DE RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS.
Prefeitura Municipal de Montanha fiscalização/auditoria, obje-
ção Técnica Inicial – ITI 991/2012, para manifestação sobre → Infringência ao artigo 7º, § 2º, inciso III, e artigo 38 da Lei
tivando verificar a regularidade e legalidade dos atos de ges-
os indicativos de irregularidade 2.1, 2.2, 2.3, 2.4, 2.5, 2.6, 2.7, nº 8.666/93.
tão praticados, no exercício de 2011, relativamente ao Convê-
2.8, 2.9 e 2.10, relativamente ao Convênio 025/2009 (fls. 101- nio 025/2009 (fls. 101-109), realizado entre o Estado do Espíri- Responsáveis: Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes - Pre-
109), realizado entre o Estado do Espírito Santo, por intermé- to Santo, por intermédio da Secretaria de Estado da Educação- feita Municipal e ordenadora de despesas, Norma Lucia Silva
dio da Secretaria de Estado da Educação - SEDU e o Município -SEDU e o Município de Montanha. Costa – Pregoeira e Altamir Morais Filho - Assistente Jurídico.
de Montanha, bem como para recolhimento da importância de 3.1.5 - EDITAL DE LICITAÇÃO EM DESCONFORMIDADE COM A
CONSIDERAÇÕES DE FATO E DE DIREITO:
R$ 3.235.089,47, equivalente a 1.531.983,45 VRTE’s, referente LEGISLAÇÃO.
Da análise dos autos, verifico que a área técnica, nos termos
ao item 2.10, trazendo aos autos a documentação de fls. 1011- → Infringência ao princípio da legalidade, do interesse público
da Instrução Técnica Conclusiva – ITC 04391/2016-1, assim opi-
1017 e 1022-1036. e da motivação – artigo 37 da CF e artigo 32 da CEES.
nou, verbis:
A área técnica, através do Núcleo de Estudos Técnicos e Análi- → Infringência ao artigo 3º, incisos I, II e III, da Lei 10.520/02.
[...]
ses Conclusivas – NEC, nos termos da Instrução Técnica Conclu-
3. CONCLUSÃO/PROPOSTA DE ENCAMINHAMENTO → Infringência artigo 7º, inciso I e § 2º, inciso II, da Lei nº
siva – ITC 04391/2016-1 opinou pela manutenção das irregula-
8.66693.
ridades indicadas nos itens 2.1, 2.2, 2.3, 2.4, 2.5, 2.6, 2.7, 2.8, 3.1. Após a análise dos fatos constantes dos presentes autos,
2.9 e 2.10, pelo afastamento da devolução ao erário da impor- que versam sobre Auditoria Ordinária, realizada na Prefeitura → Infringência ao artigo 40, caput, e § 2º, incisos I e II, da Lei
tância relativa ao item 2.10, bem como pela aplicação de multa Municipal de Montanha, relativa ao exercício de 2011, enten- nº 8.666/93.
aos responsáveis, com expedição de recomendação. deu-se que devem ser mantidas as seguintes irregularidades, Responsáveis: Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes, Nor-
O Ministério Público Especial de Contas, mediante o Parecer conforme abaixo discriminados: ma Lucia Silva Costa e Altamir Morais Filho.
5373/2017-2, da lavra do Procurador, Dr. Heron Carlos Gomes 3.1.1 – ESTABELECIMENTO DE CONVÊNIO DE TRANSPORTE ES- 3.1.6 - EDITAL DE LICITAÇÃO CONTENDO CLÁUSULAS RESTRITI-
de Oliveira, em consonância com a área técnica, pugnou no COLAR EM DESACORDO COM A PORTARIA AGE/SEFAZ 01/2006. VAS DE COMPETIÇÃO.
mesmo sentido. → Infringência ao artigo 2º, incisos II, III e IV, § 1º, ao artigo 8º, → Infringência ao artigo 3º, caput e § 1º, inciso I, Lei nº
Os autos foram redistribuídos a este Magistrado de Contas pa- incisos I e V, aos artigos 22, 28, 29, 30, parágrafo único, e 34, § 8.666/93.
ra emissão de relatório e voto para efeito de deliberação do Co- 1º, incisos I e II, da Portaria AGE/Sefaz 01/06. Responsáveis: Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes - Pre-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 28


ATOS DA 1 a CÂMARA

feita Municipal, Norma Lucia Silva Costa – Pregoeira e Altamir dispostas nos itens 3.1.2 a 3.1.10 desta ITC, sugerindo a aplica- assinado entre a Secretaria Estadual de Educação (sendo o tit-
Morais Filho - Assistente Jurídico. ção de multa, com amparo no artigo 62 da LC 32/93 e na forma ular Haroldo Corrêa Rocha) e a Prefeitura Municipal de Mon-
3.1.7 – AUSÊNCIA DE CRITÉRIO DE ACEITABILIDADE DOS PRE- do artigo 96, inciso II, da Lei Complementar 32/93; tanha, apresentou Plano de Trabalho com diversas irregulari-
ÇOS UNITÁRIO E GLOBAL. 3.2.3 Rejeitar as razões de justificativa da senhora Norma Lucia dades, a saber:
→ Infringência ao artigo 40, inciso X, da Lei nº 8.666/93. Silva Costa, em razão das irregularidades dispostas nos itens identificação imprecisa do objeto, visto que não são indicados
3.1.4 a 3.1.8 desta ITC, sugerindo a aplicação de multa, com os alunos beneficiários e a localização exata das suas residên-
Responsáveis: Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes - Pre-
amparo no artigo 62 da LC 32/93 e na forma do artigo 96, inci- cias, as escolas em que estudam, as séries e outros elementos
feita Municipal, Norma Lucia Silva Costa – Pregoeira e Altamir
so II, da Lei Complementar 32/93; essenciais para determinar os percursos e as distâncias a serem
Morais Filho - Assistente Jurídico.
3.2.4 Rejeitar as razões de justificativa do senhor Altamir Mo- percorridas para a execução do objeto;
3.1.8 - CONTRATO E MINUTA DO CONTRATO SEM CLÁUSULAS
rais Filho, em razão das irregularidades dispostas nos itens ausência da descrição das metas a serem atingidas, qualitativa
OBRIGATÓRIAS.
3.1.3 a 3.1.8 desta ITC, sugerindo a aplicação de multa, com e quantitativamente, visto que no plano de trabalho referen-
→ Infringência ao artigo 55, incisos I, II, III, VII, VIII, IX e XIII, da
amparo no artigo 62 da LC 32/93 e na forma do artigo 96, inci- te ao Convênio 025/09, não são descritas quaisquer metas. A
Lei nº 8.666/93.
so II, da Lei Complementar 32/93; equipe de auditoria entende que meta é a parcela quantificá-
Responsáveis: Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes - Pre- vel do objeto descrita no plano de trabalho, sem a qual não é
3.2.5 - Recomendar à Prefeitura Municipal de Montanha que
feita Municipal, Norma Lucia Silva Costa – Pregoeira e Altamir possível identificar ou determinar o objeto conveniado. A equi-
faça constar em seus editais de licitação para contratos de
Morais Filho - Assistente Jurídico. pe entende, ainda, que as metas devem indicar e quantificar os
transporte escolar uma descrição dos itinerários previstos, com
3.1.9 – PUBLICAÇÃO IRREGULAR DO RESUMO DO CONTRATO. pelo menos seus pontos de partida e chegada, veículos neces- produtos e resultados esperados de modo a permitir a verifica-
→ Infringência ao artigo 37, caput (princípio da publicidade), sários a cada qual e estimativa do público a ser atendido em ca- ção de seu cumprimento, além da identificação dos beneficiá-
da CF e ao artigo 61, parágrafo único, da Lei nº 8.666/93. da itinerário. - (g.n.). rios (direta ou indiretamente) do projeto. As metas devem dar
Responsáveis: Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes - Pre- noção da abrangência da ação a ser realizada;
Por seu turno, o douto representante do Parquet de Contas,
feita Municipal nos termos do Parecer 5373/2017-2, acompanhou na íntegra o ausência da descrição das etapas ou fases, sendo descrito ape-
3.1.10 – ALTERAÇÕES CONTRATUAIS SEM A DEVIDA FORMA- posicionamento da área técnica. nas as atividades (que na tabela aparece como “especifica-
LIZAÇÃO MEDIANTE TERMO ADITIVO (CONTRATO VERBAL) - ção”);
Assim sendo, passo, então, ao enfrentamento de mérito dos
ACRÉSCIMO DO VALOR CONTRATADO ACIMA DOS 25%. indicativos de irregularidades cuja mantença foi sugerida pe- cronograma de execução das metas/fases insuficiente. Se não
la área técnica, à luz da documentação dos autos, das alega- existem metas definidas no plano de trabalho, se não existem
→ Infringência aos artigos 60, parágrafo único e 65, § 1º e 2º,
ções de defesa apresentadas, bem como da legislação aplicá- etapas ou fases definidas no plano de trabalho, o cronograma
da Lei nº 8.666/93.
vel, a saber: de execução constante do plano de trabalho é irregular, pois
Responsável: Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes - Pre-
representa a periodização da execução das metas e etapas. A
feita Municipal. 2. DO MÉRITO:
equipe de auditoria entende que o cronograma de execução é
3.2. Posto isso e diante do preceituado no art. 319, § 1º, inciso 2.1 ESTABELECIMENTO DE CONVÊNIO DE TRANSPORTE ESCO- o desdobramento do objeto do convênio em realizações físi-
IV, da Res. TC 261/2013, conclui-se opinando por: LAR EM DESACORDO COM A PORTARIA AGE/SEFAZ 01/2006 cas, de acordo com unidades de medida preestabelecidas, com
3.2.1 Rejeitar as razões de justificativa de Haroldo Corrêa Ro- (ITEM 2.1 DA ITC 04391/2016-1 e ITI). a indicação do conjunto de elementos que compõem o objeto.
cha, em razão das irregularidades dispostas nos itens 3.1.1 e Base legal: Infringência ao artigo 2º, incisos II, III e IV, § 1º, ao Entende, ainda, que devem ser indicadas cada uma das ações
3.1.2 desta ITC, sugerindo a aplicação de multa, com amparo artigo 8º, incisos I e V, aos artigos 22, 28, 29, 30, parágrafo úni- em que se divide uma meta e o prazo previsto para a imple-
no artigo 62 da LC 32/93 e na forma do artigo 96, inciso II, da co, e 34, § 1º, incisos I e II, da Portaria AGE/Sefaz 01/06. mentação de cada meta, etapa ou fase com suas respectivas
Lei Complementar 32/93; Responsável: Haroldo Corrêa Rocha - Secretário Estadual de datas, informando a unidade de medida que melhor caracteri-
3.2.2 Rejeitar as razões de justificativa da senhora Iracy Carva- Educação za o produto de cada meta, etapa ou fase.
lho Machado Baltar Fernandes, em razão das irregularidades Segundo o relato técnico, em síntese, o Convênio 025/2009, Constatou-se, ainda, omissão do órgão concedente – SEDU, na

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 29


ATOS DA 1 a CÂMARA

adoção de ações corretivas visando o saneamento do Plano de minhadas à SEDU, juntamente com as prestações de contas. conveniado, atende aos ditames do § 1º, do artigo 116, da Lei
Trabalho, condição necessária para sua aprovação e a conse- No tocante à ausência de análise de prestação de contas, a Federal 8666/1993, que assim estabelece, litteris:
quente liberação dos recursos, bem como ausência de ado- análise ocorre na medida em que são apresentadas as presta- Artigo 116 – [...]
ção de ações de controle e fiscalização da execução do convê- ções de contas parciais. § 1º A celebração de convênio acordo ou ajuste pelos órgãos
nio, tanto pelo concedente como pelo convenente, além das A subscritora da Instrução Técnica Conclusiva - ITC sugeriu a ou entidades da Administração Pública depende de prévia
prestações de contas, conforme artigos 2º, incisos II, III, e IV, mantença da irregularidade, contra argumentando, em sínte- aprovação de competente plano de trabalho proposto pela or-
parágrafo primeiro, e artigo 8º, inciso V, 22, 28, 29 e 30, da Por- se, que o Secretário não apresentou qualquer documento que ganização interessada, o qual deverá conter, no mínimo, as se-
taria AGE/Sefaz 01/06. comprove suas alegações e que, ao contrário, o plano de tra- guintes informações:
O Sr. Haroldo Corrêa Rocha alegou, em síntese, que a auditoria balho apresentado pelo Município é praticamente inexistente, I - identificação do objeto a ser executado;
ocorreu em 2012, abrangendo o exercício de 2011, e que, em não demonstrando a sua necessidade e impossibilitando o cál-
2011, jê não era mais o ordenador de despesas da Secretaria II - metas a serem atingidas;
culo dos valores a serem repassados pela SEDU.
de Estado da Educação, vez que foi nomeado em 12/02/2007 III - etapas ou fases da execução;
Aduziu, pois, que, quanto à ausência de ações de controle e fis-
e exonerado em 01/01/2011, conforme se vê às folhas 1016- calização, o artigo 22 da Portaria AGE/SEFAZ 01/2006, estabe- IV - plano de aplicação dos recursos financeiros;
1017, requerendo a exclusão da sua responsabilidade. lece que deve ser exercido pela SEDU e não pelo município co- V - cronograma de desembolso;
Acrescentou, também, que (fls. 1012-1014): mo alegou o Secretário. VI - previsão de início e fim da execução do objeto, bem assim
- identificação imprecisa do objeto – consta do plano de tra- Sustentou, por fim, quanto à ausência de análise e avaliação da conclusão das etapas ou fases programadas;
balho, planilhas assinadas pelos diretores das unidades esco- das prestações de contas parciais, que a defesa não compro- VII - se o ajuste compreender obra ou serviço de engenharia
lares, contendo os nomes dos alunos, localização de suas resi- vou através de pareceres que as mesmas foram analisadas e [...] - g.n.
dências, escolas que frequentavam, séries, turnos, identifica- aprovadas antes da liberação da parcela seguinte do convênio. Com relação às prestações de contas, constato da documenta-
ção do percurso e quilometragem. Examinando os autos, verifico que o convênio em questão foi ção juntada em auditoria, às fls. 134-392, que a única juntada
- ausência da descrição das metas a serem atingidas, qualitati- assinado em 28/05/2009, com vigência até 30/04/2010, sendo aos autos se refere ao exercício de 2011 (18/10/2011), não po-
va e quantitativamente – as metas a serem atingidas são defi- o responsável exonerado em 01/11/2011, motivo pelo qual en- dendo o Sr. Haroldo ser responsabilizado por elas, haja vista a
nidas pelo nº de alunos a serem atendidos pelo transporte es- tendo que os fatos trazidos no bojo processual abrangem situ- sua exoneração do cargo de Secretário Estadual ocorreu em ja-
colar, conforme o plano de trabalho. ações ocorridas nos exercícios de 2009 e 2010, que acertada- neiro de 2011, não havendo nos autos comprovação de qual-
- ausência da descrição das etapas ou fases – neste caso, não mente foram basilares na verificação realizada pela área técni- quer ausência de controle e fiscalização da execução do convê-
há descrição detalhada, uma vez que o atendimento aos alu- ca, não cabendo, no caso, a exclusão da responsabilidade do nio no período de sua gestão (2009/2010).
nos ocorre diariamente, por 200 dias letivos, definidos no ca- Secretário Estadual, como requerido.
Posto isto, divirjo do entendimento técnico e do Órgão ministe-
lendário escolar. Não se trata de atividades desenvolvidas em Com relação às diversas inconsistências apontadas pela área rial e afasto a presente irregularidade.
momentos estanques, que necessitem de cumprimento de um técnica, verifico da documentação juntada em auditoria, às fls.
item para início de outro. 2.2 DESCUMPRIMENTO DE CLÁUSULAS CONVENIADAS (ITEM
100-133, que o objeto do convênio foi o custeio do transporte
2.2 DA ITC 04391/2016-1 e ITI).
- cronograma de execução das metas/fases insuficiente – con- escolar dos alunos do ensino fundamental e médio residentes
forme dito anteriormente, existe uma única meta para todo o em áreas rurais, trazendo em anexo, como parte integrante do Base Legal: Infringência ao artigo 21 da Portaria AGE/Sefaz
período letivo, não havendo desdobramento do objeto do con- convênio, o plano de trabalho, o plano de aplicação, o crono- 01/06.
vênio em realizações físicas, pois trata-se de nº de alunos a se- grama de execução e de desembolso, bem como os demons- Responsáveis: Haroldo Corrêa Rocha e Iracy Carvalho Machado
rem atendidos diariamente durante 200 dias letivos. trativos da quantidade de alunos por localidade, por escola e Baltar Fernandes - Prefeita Municipal.
Quanto ao controle e fiscalização do convênio, é realizado dia- por turno, os demonstrativos de custo anual por ação, descre- De acordo com o relato técnico, a Prefeitura Municipal de
riamente pelas unidades escolares através de planilhas de fre- vendo cada escola e respectivo quantitativo de aluno. Montanha não cumpriu a Cláusula 2.1.2, item “g”, do Convênio
quência, conforme estabelece a Portaria 232-S/2009, e enca- A referida documentação, a meu ver, considerando o objeto 025/2009, que determina “observar e cumprir as regras da Lei

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 30


ATOS DA 1 a CÂMARA

8.666/93 na celebração de contratos para a execução do ob- ao processo 2918/2102 se refere ao exercício de 2011, período nal de Trânsito, não constando, explicitamente, a obrigatorie-
jeto do presente Convênio”, deixando de constar do contrato em que eu não mais ocupava o cargo de Secretário de Estado dade de acompanhante no transporte escolar, sendo esta man-
11/2009, diversas cláusulas obrigatórias como ausência de ob- de Educação, uma vez fui exonerado a partir do dia 01/01/2011 tida, especificamente, por inobservância ao artigo 12 da IN/DE-
jeto e seus elementos característicos (definição das linhas e ro- através do Decreto n’ 018-S, de 03/01/2011. TRAN 26/2005.
tas, distância de cada rota, quantitativo de alunos por linha e A subscritora da ITC sugeriu a mantença da irregularidade so- Em assim sendo, entendo que não constou explicitamente da
turno), regime de execução dos serviços, valor total estimado mente quanto ao item “i” da Cláusula 2.1.2, excluindo o item clausula conveniada a obrigatoriedade de acompanhante no
do contrato, contendo o preço por quilômetro rodado, o direi- “g” da mesma Cláusula, em razão do princípio non bis in idem, transporte escolar e que houve, portanto, o cumprimento das
to e a responsabilidade das partes, casos de recisão. contra argumentando, em síntese, que as irregularidades trata- exigências explicitamente pactuadas, razão pela qual divirjo do
Relatou, ainda, a equipe técnica, que o município não cumpriu das na Instrução Técnica Inicial - ITI se referem ao descumpri- entendimento técnico e do Órgão Ministerial e afasto a presen-
a Cláusula 2.1.2, item “i”, do Convênio 025/2009, que determi- mento das regras estabelecidas pela Lei 8666/93 e que o con- te irregularidade.
na “utilizar para transporte dos alunos veículo devidamente li- trato 11/2009 não incluiu cláusula que determine a obrigato- 2.3 AUSÊNCIA DE ESTIMATIVA DO IMPACTO ORÇAMENTÁRIO-
cenciado pelo Detran-ES”, conforme prevê a Instrução de Ser- riedade de acompanhante no transporte de alunos do ensino -FINANCEIRO DA DESPESA (ITEM 2.3 DA ITC 04391/2016-1 e
viço nº 026N de 15/05/2005 e previsão de acompanhamento, infantil e fundamental. ITI).
por monitores, para o transporte dos alunos do ensino infan- Sustentou, também, que era responsabilidade do Secretário de Base Legal: Infringência ao artigo 16, inciso I, da Lei Comple-
til e fundamental. Estado da Educação a fiscalização do cumprimento dos termos mentar 101/2000.
A Sra. Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes alegou, em do Convênio pelo município, mantendo a responsabilidade do Responsáveis: Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes - Pre-
síntese, que, todos os veículos foram vistoriados e fiscalizados Sr. Haroldo Corrêa Rocha quanto aos exercícios de 2009 e 2010, feita Municipal e Altamir Morais Filho - Assistente Jurídico.
pelo DETRAN, bem como seus condutores devidamente forma- haja vista a sua exoneração em 01/01/2011. O Relatório de Auditoria apontou a ausência de estimativa do
dos para o transporte escolar. Examinando os autos, verifico da documentação juntada em impacto orçamentário-financeiro da despesa no exercício em
Quanto à falta de previsão de acompanhamento, por monito- auditoria às fls. 441-611, 100 -102 e 423-424, que o subitem que deva entrar em vigor e nos dois exercícios seguintes, con-
res, para o transporte dos alunos esta não conduz à desaprova- “i” do item 2.1.2 da cláusula 2ª do convênio, exige a utilização forme exigência legal (fls. 33-34).
ção das contas, na medida em que os serviços contratados fo- de veículos devidamente licenciados pelo DETRAN, conforme Os responsáveis alegaram, em síntese, que os pareceres téc-
ram prestados, observando os valores do mercado, sem qual- Instrução de Serviço 26-N/2005, bem como o atendimento da nicos acostados aos autos dão conta da existência de previsão
quer prejuízo para a municipalidade ou ilegalidade que enseje legislação de trânsito, em especial, o artigo 136 do Código Na- orçamentária para a quitação da despesa decorrente da exe-
a declaração de ilegalidade da contratação. cional de Trânsito. cução do contrato, haja vista a origem da receita advinda do
O Sr. Haroldo Corrêa Rocha alegou, em síntese, o seguinte: Verifico, ainda, que o contrato prevê a execução dos serviços convênio.
Nos processos de prestação de contas constam os atestados de acordo com o edital de pregão e que o referido edital traz Sustentaram, por fim, que a exigência de estimativa do impac-
das escolas referentes à execução dos serviços e relatórios de todas as exigências relativas à regularidade dos veículos e seus to orçamentário-financeiro da despesa previsto no artigo 16,
acompanhamento realizados pela Superintendência Regional motoristas (fls. 449-450), as quais atendem aos artigos 136 e inciso I, da LRF se refere à criação, expansão, ou aperfeiçoa-
de Educação. 138 do Código Nacional de Trânsito, exceto quanto ao acom- mento de ação governamental que acarrete aumento de des-
Esclarecemos que, para a celebração dos convênios com os panhante que não está previsto no referido artigo 136, mas no pesa, o que não é o caso em questão.
municípios, os processos são submetidos à análise da Procu- artigo 12 da Instrução Normativa 26/2005 do DETRAN, estan- A subscritora da ITC sugeriu a mantença da irregularidade con-
radoria Geral do Estado e a Secretaria do Estado de Controle e do toda esta documentação juntada aos autos (fls. 496-577). tra argumentando, em síntese, que, considerando que a Pre-
Transparência, sendo de inteira responsabilidade do Município Conforme demonstrado, a irregularidade trata de descumpri- feitura Municipal de Montanha, durante a realização do Pre-
a realização do processo licitatório para contratação dos servi- mento do artigo 21 da Portaria AGE/SEFAZ 01/2006 que obriga gão Presencial 04/2009, não apresentou um plano de trabalho
ços e a fiscalização da sua prestação em conformidade com a o atendimento de cláusula do convênio, a qual se refere a licen- completo, descrevendo as rotas do transporte escolar e as dis-
legislação em vigor. ciamento de veículos conforme a IN/DETRAN 26/2005 e a le- tâncias percorridas, também não estimou o impacto orçamen-
Por fim é necessário relembrar, que a auditoria que deu origem gislação de trânsito, em especial o artigo 136 do Código Nacio- tário-financeiro da despesa, pois não conhecia o valor global

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 31


ATOS DA 1 a CÂMARA

estimado para as despesas de transporte escolar. passado pela SEDU à Prefeitura Municipal de Montanha o to- Infringência ao artigo 40, caput, e § 2º, incisos I e II, da Lei nº
Conforme demonstrado, trata a irregularidade, de inobservân- tal de R$ 729.891,27, além de R$ 19.983,53, provenientes do 8.666/93.
cia de dispositivo de lei (artigo 16, I, da LRF) não aplicável ao PNATE, transferidos diretamente ao município, totalizando R$ Responsáveis: Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes, Nor-
caso em apreço, vez que se trata de recurso de convênio, e, 749.874,80, assim, R$ 791.942,20 foram pagos com recursos ma Lucia Silva Costa e Altamir Morais Filho.
quanto ao plano de trabalho descrevendo as rotas e as distân- próprios da Prefeitura Municipal de Montanha à empresa con- Segundo o Relatório de Auditoria, a Prefeitura Municipal de
cias percorridas, este já foi analisado em item anterior, consta- tratada. Montanha elaborou edital de licitação sem a identificação exa-
tando-se que constam dos anexos ao convênio, item 9.2.5 do Sustentou, por fim, que, de acordo com a defesa, a dotação or- ta do objeto (art. 3º, incisos I, II e III, da Lei nº 10.520/2002),
pregão, a realização de visita técnica com percurso em todas çamentária estava prevista no edital de licitação. Entretanto, acarretando na irregularidade de vários aspectos do processo.
as linhas, bem como o atestado de que fora realizada (fls. 450 verifica-se dos autos que para a execução do objeto contratual, De acordo com a Equipe Técnica, a definição do objeto da lici-
e 477). o edital de licitação fez menção apenas às seguintes dotações tação como sendo a “Contratação de 03 (três) kombis e 13 (tre-
Posto isto, divirjo do entendimento técnico e do Órgão Ministe- orçamentárias, conforme cláusula 1.5, relativas às transferên- ze) ônibus para o transporte de alunos”, primeiramente, não
rial e afasto a presente irregularidade. cias realizadas pela Sedu e PNATE: demonstrou com clareza o interesse público e a motivação,
2.4 AUSÊNCIA DE INDICAÇÃO DE RECURSO PRÓPRIO PARA A 1.5- Dotação Orçamentária: uma vez que o processo não apresentou a quantidade de alu-
DESPESA E AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DA EXISTÊNCIA DE 050002.3.3.3.90.39.1236100162.034, 050002.3.3.3.90.39.123 nos que utilizavam o transporte, como também não identificou
PREVISÃO DE RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS (ITEM 2.4 DA ITC Nº 6100362.046 as linhas ou rotas licitadas.
04391/2016-1). Conforme demonstrado à fl. 445 destes autos, a dotação or- Aduziu que o elemento essencial para a contratação de servi-
Base Legal: Infringência ao artigo 7º, § 2º, inciso III, e artigo 38 çamentária própria consta do edital de pregão, bem como da ços de transporte escolar é a distância (em quilômetros) a ser
da Lei nº 8.666/93. cláusula 4ª do contrato (fls. 423-424), quais sejam: 050002.3.3. percorrida diariamente, distância esta resultante da medição
Responsáveis: Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes - Pre- 90.39.1236100162.034, 050009.3.90.39.1236100362.046, fato das diversas linhas e rotas a serem percorridas pelas Kombis e
feita Municipal e ordenadora de despesas, Norma Lucia Silva incontroverso, não se identificando, no entanto, o valor mone- ônibus, sendo que sem a definição das linhas ou rotas (a par-
Costa – Pregoeira e Altamir Morais Filho - Assistente Jurídico. tário global do contrato, mas apenas o valor unitário por quilô- tir da identificação e quantificação dos alunos), não há, no pro-
metro rodado (R$ 2,55). cesso, parâmetro para uma estimativa de preços ou realização
De acordo com o Relatório de Auditoria, a Administração Mu-
Verifico, pois, do Termo de Convênio acostado às fls. 100-109, de orçamento.
nicipal de Montanha não indicou no processo licitatório a pre-
visão de recursos orçamentários (artigo 7º, §2º, inciso III) e que o mesmo não prevê contrapartida monetária por parte do Sustentou, por fim, que a ausência da definição das rotas para
a existência de recursos próprios para a despesa (artigo 38, município, constando da cláusula 3ª apenas os recursos do Es- o transporte escolar também impossibilitou o parcelamento do
caput). tado e do FNDE, nos valores relatados, já quanto aos valores objeto, conforme determina o artigo 15, inciso IV, da Lei de Lici-
indicados na ITC relativos ao item 2.10, não fazem parte deste tações, e que, se a Prefeitura Municipal tivesse determinado as
Segunda a defesa, a indicação da dotação orçamentária cons-
item, e, por consequência deve ser desconsiderada sua apre- rotas e a quantidade de alunos por linha para o transporte es-
ta do Edital do Pregão Presencial, sendo atendido, consequen-
ciação. colar, parcelando o objeto, um maior número de interessados
temente, o disposto no artigo 7º, § 2º, inciso III, e o artigo 38
Posto isto, divirjo do entendimento técnico e do Órgão Ministe- poderia ter participado do certame.
da lei de licitações.
rial e afasto a presente irregularidade. O Relatório de Auditoria apontou, ainda, que o Edital de Pre-
A subscritora da ITC sugeriu a mantença da irregularidade, con-
2.5 EDITAL DE LICITAÇÃO EM DESCONFORMIDADE COM A LE- gão Presencial 04/2009 não está acompanhado de Termo de
tra argumentando, em síntese, de acordo com a irregularida-
GISLAÇÃO (ITEM 2.5 DA ITC 04391/2016-1 e ITI). Referência ou Projeto Básico, conforme exigência legal e, como
de descrita no item 2.10 desta ITC, que a Prefeitura Municipal consequência, o procedimento licitatório foi processado e rea-
de Montanha pagou à empresa Aritur Transporte e Turismo, no Base Legal: Infringência ao princípio da legalidade, do interes-
lizado sem a definição ou estimativa da avaliação do custo total
exercício de 2009, o valor de R$ 1.541.817,00 pelos serviços se público e da motivação – artigo 37 da CF e artigo 32 da CEES;
e dos preços unitários dos serviços a serem contratados, infrin-
prestados de transporte escolar. Infringência ao artigo 3º, incisos I, II e III, da Lei 10.520/02. gindo o artigo 40, §2º, incisos I e II, da Lei nº 8.666/93, consta-
Aduziu, ainda, de acordo com o Convênio 25/2009, que foi re- Infringência artigo 7º, inciso I e § 2º, inciso II, da Lei nº 8.66693. tando, também a ausência de indicação do regime de execução

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 32


ATOS DA 1 a CÂMARA

do serviço a ser contratado (artigo 40, caput, da LL), evidencian- edital 004/2009 demonstra a falta de compromisso das autorida- bis e 13 (treze) ônibus para o transporte de alunos (...) com capa-
do a não exigência do cumprimento do art. 7º, XXXIII, da CF (arti- des com a legislação vigente na realização do processo de contra- cidade mínima de 39 a 45 passageiros sentados (...)”, sendo que,
go 27, inciso V). tação de transporte escolar. segundo o seu entendimento, tal definição, além de incorreta, res-
Os responsáveis alegaram, em síntese, que o custo e o preço uni- Quanto à ausência de previsão no edital de licitação de proibição tringiu a participação de maior número de empresas no certame.
tário foram expressamente fixados mediante pesquisa realizada de trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de dezoi- Aduziu, também, que os quantitativos exigidos no Edital (3 kom-
na forma da lei, sendo que custo do quilômetro ficou abaixo do to e de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos, salvo na bis, 13 ônibus, capacidade mínima de 39 a 45 lugares) demons-
valor apurado, e, quanto ao objeto, declaram que foi definido co- condição de aprendiz, a partir de quatorze anos (art. 7º, inciso tram discricionariedade porque não são embasados em estudos
mo sendo transporte escolar. XXXIII, CF), conforme artigo 27, inciso V, da Lei nº 8.666/93, opi- técnicos e não apresentam justificativa, e, conforme se observa
No que se refere ao parcelamento, alegam que a opção era impro- nou pelo afastamento da irregularidade, tendo em vista que con- nos relatórios “levantamento do transporte escolar rural”, enca-
dutiva, já que um só prestador pode ao longo do contrato otimizar tratos relativos a transporte escolar não admitem trabalhadores minhado junto aos processos de pagamentos, em fevereiro de
recursos mediante a utilização de um só sistema de manutenção, menores de 18 anos. 2011 (fls. 848-973), existiam 50 diferentes linhas em 20 diferentes
pessoal, almoxarifado, estoque, etc. Quanto ao apontamento de infringência ao artigo 15, incisos IV rotas (nos turnos matutino, vespertino e noturno), que foram ser-
A subscritora da ITC sugeriu a mantença da irregularidade, contra e V, da Lei 8.666/93, opinou pelo afastamento da irregularidade, vidas por 13 ônibus, 11 micro-ônibus, 2 vans e 23 kombis.
argumentando, em síntese, que o objeto do Pregão foi a “Contra- tendo em vista que não se aplica ao processo em comento. Sustentou, por fim, que os quantitativos exigidos na licitação di-
tação de 3 kombis e 13 ônibus para o transporte de alunos das zo- Examinando os autos, verifico que, conforme demonstrado, de vergem do efetivamente utilizado: em maio de 2009, na planilha
nas rural e urbana do Município, com capacidade mínima de 39 a um tema genérico (edital de licitação em desacordo com a legis- apresentada pela empresa pelos serviços prestados (fls. 265 do
45 passageiros sentados (...) ou seja, o edital de licitação preten- lação), nasceram várias irregularidades, dentre as quais, a descri- processo de pagamento), tem-se 34 linhas, das quais 7 linhas tem
dia contratar transporte escolar, mas não continha um descritivo ção inexata do objeto, a não demonstração do interesse público e apenas 1 turno – as outras 25 linhas referem-se a rotas com alu-
das rotas, informando a quantidade de alunos e a localidade de da motivação, a ausência de projeto básico ou termo de referên- nos em 2 turnos e 3 linhas com alunos em 3 turnos (matutino, ves-
suas residências, os turnos e a quilometragem a ser realizada dia- cia, decorrem da não apresentação do quantitativo de alunos e a pertino e noturno).
riamente. identificação das linhas ou rotas a serem percorridas. Assim sendo, tem-se o seguinte resumo:
Aduziu, pois, da leitura do objeto que, em razão da sua impreci- No entanto, conforme analisado em item anterior, houve até vis- Das 7 linhas com um turno, o serviço de transporte escolar é pres-
são, seria possível até mesmo afirmar que a Prefeitura pretendia toria (percurso) nas linhas e rotas licitadas, das quais constam as tado por 2 ônibus e 5 kombis.
contratar apenas os veículos, sem a prestação dos serviços de mo- escolas e os quantitativos de alunos por escola, localidade e por As 2 linhas com 3 turnos são servidas por 4 ônibus e 2 micro-ôni-
torista e que a defesa não juntou aos autos qualquer documento turno, como definido no convênio. bus, por exemplo, a linha São Sebastião do Norte-Santo Antonio
comprovando a existência de um termo de referência ou projeto Em assim sendo, acolho as razões de justificativas, divirjo do en- tem 3 turnos (matutino, vespertino e noturno) sendo necessário
básico discriminando as rotas do transporte escolar (art. 7º, inciso tendimento técnico e do Órgão Ministerial e afasto a presente ir- apenas 1 ônibus para cumprir os 3 turnos. Já em relação à linha
I e § 2º, inciso II, Lei 8.666/93 e art. 40, § 2º, inciso I e II). regularidade. Assentamento Osiel Alves, o turno da manhã é servido por 1 ôni-
Concluiu que houve infringência ao princípio da legalidade, da bus e os turnos vespertino e noturno, por micro-ônibus – no caso,
2.6 EDITAL DE LICITAÇÃO CONTENDO CLÁUSULAS RESTRITIVAS DE
motivação e do interesse público, tendo em vista que durante a apenas 1 micro-ônibus para cumprir os 2 turnos.
COMPETIÇÃO (ITEM 2.6 DA ITC 4391/2016-1 e ITI).
fase preparatória do pregão a autoridade competente não justi-
Base Legal: Infringência ao artigo 3º, caput e §1º, inciso I, Lei nº As 25 linhas com 2 turnos são servidas por 2 ônibus, 10 Kombis, 6
ficou a necessidade de contratação com a elaboração de projeto,
8.666/93. micro-ônibus e 2 vans – o que significa a utilização, de fato, de 1
bem como não definiu o objeto de forma precisa, suficiente e cla-
Responsáveis: Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes - Prefei- ônibus, 5 Kombis, 3 micro-ônibus e 1 van para cumprir os turnos.
ra (art. 3º, inc. I, II e III, Lei 10.520/2002).
ta Municipal, Norma Lucia Silva Costa – Pregoeira e Altamir Morais Como resultado, no mês de maio de 2009, foram efetivamente
Argumentou, por fim, em relação à ausência de previsão do re-
Filho - Assistente Jurídico. utilizados 5 ônibus, 10 Kombis, 4 micro-ônibus e 1 van.
gime de execução contratual (artigo 40, caput, da Lei 8.666/93),
que, ainda que os serviços de transporte escolar sejam pagos por 2.6.1 OBJETO DA LICITAÇÃO INDICADO DE FORMA A RESTRINGIR Assim, o número de veículos exigidos no Edital não apresentam
quilômetro rodado, o que presumiria a opção pela execução indi- A PARTICIPAÇÃO DE COMPETIDORES. relação com os da efetiva prestação dos serviços, não sendo justi-
reta por empreitada por preço unitário, mantem-se a irregularida- De acordo com o relato técnico o edital de licitação definiu, em ficada a exigência de 3 kombis e 13 ônibus.
de, pois o conjunto de irregularidades verificado na elaboração do sua Cláusula 1.4, o objeto a ser contratado como “(...) 3 (três) kom- Tal divergência se mantém em 2010 (dados compilados das pla-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 33


ATOS DA 1 a CÂMARA

nilhas apresentadas pela Secretaria Municipal de Educação para 3 Linhas com 1 8 Linhas com 2 8 Linhas com 3 Total Agosto de 2011 – valor pago R$ 290.825,69 (23 dias letivos)
atestar os serviços prestados): turno turnos turnos 9 Linhas com 2 turnos 11 Linhas com 3 turnos Total
1 ônibus 2 ônibus 4 ônibus 7 ônibus 4 ônibus 3 ônibus 7 ônibus
Fevereiro de 2010 – valor pago R$177.500,00 (20 dias letivos)
3 kombis 1 micro-ônibus 3 micro-ônibus 4 micro-ônibus 2 micro-ônibus 3 micro-ônibus 5 micro-ônibus
4 Linhas com 10 Linhas com 5 Linhas com Total 1 van 4 kombis 1 van
1 van 1 van
1 turno 2 turnos 3 turnos 7 kombis 11 kombis
6 kombis 2 kombis 9 kombis
1 ônibus 2 ônibus 4 ônibus 7 ônibus
3 kombis 2 micro-ônibus 2 micro-ônibus 4 micro-ônibus A divergência se mantém, ainda, em 2011 (dados compilados Setembro de 2011 – valor pago R$ 240247,31 (19 dias letivos)
1 van 2 kombis 1 van das planilhas apresentadas pela Secretaria Municipal de Educa- 9 Linhas com 2 turnos 11 Linhas com 3 turnos Total
6 kombis 9 kombis 4 ônibus 3 ônibus 7 ônibus
ção para atestar os serviços prestados):
2 micro-ônibus 3 micro-ônibus 5 micro-ônibus
Março e abril de 2010 – valor pago R$180.000,00 (20 dias le- Fevereiro de 2011 – valor pago R$227.300,00 (20 dias letivos) 1 van 4 kombis 1 van
tivos) 13 Linhas com 2 turnos 8 Linhas com 3 turnos Total 7 kombis 11 kombis
4 Linhas com 1 9 Linhas com 2 6 Linhas com 3 Total 4 ônibus 3 ônibus 7 ônibus
turno turnos turnos 2 micro-ônibus 3 micro-ônibus 5 micro-ônibus Outubro de 2011 – valor pago R$ 240.247,31 (19 dias letivos)
1 ônibus 2 ônibus 4 ônibus 7 ônibus 1 van 4 kombis 1 van 9 Linhas com 2 turnos 11 Linhas com 3 turnos Total
3 kombis 1 micro-ônibus 3 micro-ônibus 4 micro-ônibus 7 kombis 11 kombis 4 ônibus 3 ônibus 7 ônibus
1 van 2 kombis 1 van 2 micro-ônibus 3 micro-ônibus 5 micro-ônibus
6 kombis 9 kombis Março de 2011 – valor pago R$234.100,00 (20 dias letivos) 1 van 4 kombis 1 van
12 Linhas com 2 turnos 9 Linhas com 3 turnos Total 7 kombis 11 kombis
Maio e junho de 2010 – valor pago R$189.000,00 (20 dias leti- 4 ônibus 3 ônibus 7 ônibus
vos – reajuste de 4,02%) 2 micro-ônibus 3 micro-ônibus 5 micro-ônibus Novembro de 2011 – valor pago R$ 252.891,90 (20 dias letivos)
4 Linhas com 1 9 Linhas com 2 6 Linhas com 3 Total 1 van 4 kombis 1 van 9 Linhas com 2 turnos 11 Linhas com 3 turnos Total
turno turnos turnos 7 kombis 11 kombis 4 ônibus 3 ônibus 7 ônibus
1 ônibus 2 ônibus 4 ônibus 7 ônibus 2 micro-ônibus 3 micro-ônibus 5 micro-ônibus
Abril de 2011 – valor pago R$235.840,00 (20 dias letivos) 1 van 4 kombis 1 van
3 kombis 1 micro-ônibus 3 micro-ônibus 4 micro-ônibus
11 Linhas com 2 turnos 10 Linhas com 3 tur- Total 7 kombis 11 kombis
1 van 2 kombis 1 van
nos
6 kombis 9 kombis Dezembro de 2011 – valor pago R$ 203.348,03 (16 dias letivos)
4 ônibus 3 ônibus 7 ônibus
Julho de 2010 – valor pago R$191.500,00 (20 dias letivos) 2 micro-ônibus 3 micro-ônibus 5 micro-ônibus 9 Linhas com 2 turnos 11 Linhas com 3 turnos Total
1 van 4 kombis 1 van 4 ônibus 3 ônibus 7 ônibus
3 Linhas com 1 10 Linhas com 2 6 Linhas com 3 Total
7 kombis 11 kombis 2 micro-ônibus 3 micro-ônibus 5 micro-ônibus
turno turnos turnos
1 van 1 van
1 ônibus 2 ônibus 4 ônibus 7 ônibus Maio de 2011 – valor pago R$252.891,93 (20 dias letivos) 7 kombis 4 kombis 11 kombis
3 kombis 1 micro-ônibus 3 micro-ônibus 4 micro-ônibus
9 Linhas com 2 turnos 11 Linhas com 3 turnos Total
1 van 2 kombis 1 van Dezembro de 2011 – valor pago R$ 40.424,47 (Recuperação –
4 ônibus 3 ônibus 7 ônibus
6 kombis 9 kombis
2 micro-ônibus 3 micro-ônibus 5 micro-ônibus 7 dias letivos)
Agosto, setembro, outubro, novembro de 2010 – valor pago 1 van 4 kombis 1 van 12 Linhas com 1 turno 6 Linhas com 2 turnos Total
7 kombis 11 kombis 1 ônibus 3 ônibus 4 ônibus
R$199.800,00 (20 dias letivos)
3 micro-ônibus 3 micro-ônibus
3 Linhas com 1 8 Linhas com 2 8 Linhas com 3 Total Junho de 2011 – sem documentos, NF ou outras informações 1 van 1 van
turno turnos turnos Julho de 2011 – valor pago R$ 177.024,33 (14 dias letivos) 10 kombis 1 kombis 11 kombis
1 ônibus 2 ônibus 4 ônibus 7 ônibus
9 Linhas com 2 turnos 11 Linhas com 3 turnos Total
3 kombis 1 micro-ônibus 3 micro-ônibus 4 micro-ônibus Relatou-se, por fim, que durante o ano de 2011, foram efeti-
4 ônibus 3 ônibus 7 ônibus
1 van 1 van vamente utilizados 7 ônibus, 5 micro-ônibus, 1 van e 11 kom-
2 micro-ônibus 3 micro-ônibus 5 micro-ônibus
6 kombis 2 kombis 9 kombis
1 van 4 kombis 1 van bis, o que difere do quantitativo exigido no Edital (13 ônibus e
Dezembro de 2010 – valor pago R$79.920,00 (8 dias letivos) 7 kombis 11 kombis 3 kombis), o qual exigiu a quantidade mínima de 13 (treze) ôni-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 34


ATOS DA 1 a CÂMARA

bus sem justificativa. ou diminuições na frota licitada e contratada ou substituição 218/73, entendo como correto o opinamento técnico e do ór-
Os responsáveis alegaram, em síntese, que, apurando-se a me- do tipo de veículo, durante a execução contratual, consideran- gão Ministerial quanto ao afastamento da irregularidade, en-
lhor proposta, segundo o menor preço por quilômetro, dian- do que o preço licitado foi unitário (por quilômetro rodado), tendimento este com o qual coaduno, razão pela qual afasto a
te da necessidade de atendimento à população municipal, a sendo mantido inalterado o preço por quilômetro rodado. presente irregularidade.
quantidade de veículos foi alterada por necessidade da admi- Como se vê da documentação de fls. 848-973, o mencionado 2.6.3 EXIGÊNCIA DE DECLARAÇÃO DE ÓRGÃO PÚBLICO DE QUE
nistração, mas sem influência no preço, o que revelou benefí- “levantamento do transporte escolar rural” (ex. fl. 874), não A EMPRESA POSSUI OFICINA PRÓPRIA PARA A MANUTENÇÃO
cio no cumprimento do contrato, diferente seria a redução do significa que houve acréscimo do quantitativo de veículos em- DOS SEUS VEÍCULOS NO DOMICÍLIO OU SEDE DO LICITANTE.
número de veículos, que revelaria condição a autorizar a parti- pregados na execução contratual, mas que os trajetos foram De acordo com o relato técnico, o edital de pregão, exigiu dos
cipação de outros interessados, empresas com menor estrutu- percorridos por aqueles tipos de veículos, substituindo-se, em licitantes a apresentação, no envelope 02 – Habilitação – item
ra do que aquelas que efetivamente compareceram. alguns casos os tipos contratados, não se apontando prejuízo à 9.2.7 – Declaração de órgão público municipal ou estadual de
A subscritora da ITC sugeriu a mantença deste subitem argu- Administração Pública. que possui oficina própria para a manutenção dos seus veículos
mentando, em síntese, que a equipe de auditoria considerou Em assim sendo, divirjo do entendimento técnico e do Órgão com instalação e equipamentos relativo ao domicílio ou sede
cláusula restritiva da competitividade a elaboração de obje- Ministerial e afasto a presente irregularidade. do licitante, tendo a equipe entendido que tal exigência não
to licitatório em lote único para contratação de 13 ônibus e 2.6.2 EXIGÊNCIA DE ATESTADO DE CAPACIDADE TÉCNICA PRO- apresentou razoabilidade e restringiu a competitividade do
3 kombis, tendo em vista que, a partir do início da execução FISSIONAL EMITIDA POR ÓRGÃO PÚBLICO DE QUE OS VEÍCU- certame, haja vista que nem mesmo a empresa vencedora do
do contrato, foram utilizados 5 ônibus, 10 Kombis, 4 micro-ô- LOS SÃO VISTORIADOS POR ENGENHEIRO MECÂNICO. certame apresentou tal documento.
nibus e 1 van. Relata a equipe técnica que, de acordo com o Edital de licita- Os responsáveis alegaram em síntese, que, quanto à exigên-
Aduziu, também, que é notório que a prestação de serviço de ção, os licitantes deveriam apresentar no envelope 02 – Habili- cia de oficina própria, não se trata de oficina necessariamente
transporte escolar admite o parcelamento, nos termos do arti- tação – item 9.2.6 – Atestado de capacidade técnica profissio- de propriedade da própria empresa, mas própria, adequada à
go 23, § 1º, da Lei 8.666/93, e a possibilidade de participação nal emitida por órgão público de que seus veículos são visto- manutenção dos veículos e que esses fatos não restringiram a
de diversas empresas do ramo, de acordo com sua capacidade, riados por engenheiro mecânico. Porém, entendendo a equipe competitividade do certame, tanto que não foram impugnados
conforme Súmula nº 247 do TCU, “É obrigatória a admissão da que tal exigência não apresentou razoabilidade e restringiu a por quem quer que fosse e garantiram a participação de em-
adjudicação por item e não por preço global, nos editais das li- competitividade do certame. presa idônea que cumpririam o contrato com segurança.
citações para a contratação de obras, serviços, compras e alie- Os responsáveis alegaram, em síntese, que, quanto à exigên- A subscritora da ITC sugeriu a mantença deste subitem contra
nações, cujo objeto seja divisível, desde que não haja prejuízo cia de atestado de capacidade técnica firmado pelo DETRAN, argumentando, em síntese, que a alegação da defesa de que a
para o conjunto ou complexo ou perda de economia de escala. decorre do cuidado do Município em ver participando do pro- exigência da cláusula 9.2.7 - Declaração de órgão público mu-
Sustentou, por fim, que o que se verifica do processo do Pregão cesso de licitação apenas empresas que efetivamente realizem nicipal ou estadual de que possui oficina própria para a manu-
Presencial 004/2009 é a elaboração de objeto em lote único, transporte público escolar, em atendimento às determinações tenção dos seus veículos com instalação e equipamentos rela-
sem a apresentação de projeto básico, demonstrando desor- do CONTRAN, expressamente indicadas no Edital. tivo ao domicílio ou sede do licitante - não se trata de oficina
ganização da administração municipal na contratação do trans- A subscritora da ITC sugeriu o afastamento deste subitem, con- necessariamente de propriedade da própria empresa, mas pró-
porte escolar, fato que impediu a participação de outras em- tra argumentando, em síntese, que, de acordo com a Resolu- pria, adequada à manutenção dos veículos, não pode ser acei-
presas no certame e a seleção da proposta mais vantajosa, sen- ção 218/73/CONFEA, artigo 12, inciso I, é de competência do ta, pois os termos utilizados no edital não permitiam a inter-
do que durante o período auditado, exercício de 2009, 2010 e engenheiro mecânico a realização de vistorias em veículos au- pretação ora alegada.
2011, não foram utilizados para o transporte escolar os 13 ôni- tomotores, assim, considerando a natureza dos serviços con- Aduziu que, conforme o relato técnico, a exigência de oficina
bus requisitados no edital de licitação, o que evidencia cláusula tratados de transporte escolar e os termos da Resolução CON- própria atestada por órgão público não exerce outro papel a
restritiva da competitividade. FEA 218/73. não ser o de restringir a competitividade, posto que nem mes-
Desta maneira, não se evidencia a ocorrência de restrição Assim sendo, considerando a natureza dos serviços contrata- mo a empresa contratada comprovou tal requisito.
quanto ao objeto licitado, pelo fato de ocorrerem acréscimos dos de transporte escolar e os termos da Resolução CONFEA Sustentou, por fim, que, de acordo com o artigo 3º, § 1º, da Lei

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 35


ATOS DA 1 a CÂMARA

de Licitações, é vedado aos agentes públicos admitir, prever, no edital de licitação, tendo em vista que a própria Administra- A subscritora da ITC sugeriu a mantença deste subitem argu-
incluir ou tolerar, nos atos de convocação, cláusulas ou condi- ção Púbica não elaborou o plano de trabalho devido, restrin- mentando, em síntese, que o edital de pregão estabeleceu
ções que comprometam, restrinjam ou frustrem o seu caráter gindo a competitividade. cláusula determinando a inabilitação da empresa que apresen-
competitivo, e estabeleçam preferências ou distinções em ra- No que se refere à exigência de apresentação de esquema ope- tasse Índice de Liquidez Corrente menor que 1,5, sem justificar
zão de qualquer circunstância impertinente ou irrelevante para racional adequado do funcionamento das linhas licitadas de nos autos as razões da escolha do índice em relação às caracte-
o específico objeto do contrato, e que, considerando que o ob- acordo com o plano de trabalho, esta foi mantida pela área téc- rísticas do objeto licitado.
jeto do certame era a contratação de transporte escolar, tem- nica, tendo em vista que a própria Administração não elaborou Desta maneira, coaduno com o entendimento técnico no senti-
-se que tal exigência é irrelevante para a execução dos serviços, o plano de trabalho devido, não tendo, pretensamente, no ca- do de que tal exigência se mostra restritiva em razão da ausên-
tendo a cláusula restringido o caráter competitivo do certame. so a contratada apresentado tal documento. cia de justificativa do índice de liquidez não inferior a 1,5%, ra-
Desta maneira, com relação à exigência de declaração de órgão Verifico da análise dos autos, à fl. 578, que, diversamente do zão pela qual a mantenho a presente irregularidade, ressalvan-
público de que possui oficina própria para manutenção dos ve- que afirma a área técnica, a contratada apresentou, sim, o re- do que não houve exigência de outros índices (fl. 450), contu-
ículos, com instalação e equipamentos relativo ao domicílio do ferido documento, identificando o quantitativo e tipo de veícu- do, entendo que a irregularidade não tem o condão de macular
licitante, entendo ser esta exigência razoável e necessária ao lo a ser utilizado por turno e localidade. os atos de gestão dos responsáveis.
cumprimento do contrato, dada a especificidade dos serviços Quanto à inexistência de plano de trabalho competente elabo- 2.6.6 ESTABELECIMENTO DE VISITA TÉCNICA EM DIA E HORA
da Administração Pública, sobretudo em se tratando de aten- rado pela Administração, este já foi objeto de análise em item ÚNICOS.
dimento à área de educação. anterior, com o afastamento da irregularidade. A equipe de auditoria entendeu que a exigência de visita técni-
Verifico, também, à fl. 494 dos autos, que a Prefeitura Munici- Posto isto, entendo que tal exigência não caracteriza restrição ca em um único dia e horário, além de abusiva mostra-se res-
pal de Colatina (município – sede da contratada) emitiu decla- à competitividade do certame, razão pela qual divirjo do en- tritiva da competição por representar um ônus indevido às in-
ração nesse sentido, não sendo tal fato considerado suficiente tendimento técnico e do Órgão Ministerial e afasto a presen- teressadas, potencializando a possibilidade de ajustes prévios
para caracterizar um limitador da competitividade, razão pela te irregularidade. entre os pretensos licitantes.
qual divirjo do entendimento técnico e do Órgão Ministerial e Os responsáveis alegaram, em síntese, que a necessidade de
2.6.5 EXIGÊNCIA DE ÍNDICE DE LIQUIDEZ CORRENTE.
afasto a presente irregularidade. vistoria decorre do interesse do município em relação à segu-
Ainda, segundo o relato técnico, foi injustificada a exigência de
2.6.4 EXIGÊNCIA DE APRESENTAÇÃO DE ESQUEMA OPERACIO- rança do transporte escolar e não revela qualquer ilegalidade
Índice de Liquidez Corrente menor que 1,5 (Cláusula 9.2.16 do
NAL ADEQUADO DO FUNCIONAMENTO DAS LINHAS LICITADAS ou limitação.
Edital), sendo necessária justificativa técnica para a sua exigên-
DE ACORDO COM O PLANO DE TRABALHO. A subscritora da ITC, citando jurisprudência, sugeriu a manten-
cia, conforme jurisprudência pacífica, e que, os índices exigi-
Segundo o Relatório de Auditoria, o edital de pregão exigiu co- dos pela Prefeitura (ILC>1,5, ILG>1,2 e EG<0,5) são os mesmos ça deste subitem, contra argumentando, em síntese, que, con-
mo documento de habilitação técnica a apresentação de “es- exigidos para a contratação de obras complexas de engenha- siderando que foi estabelecido um único dia e horário para a
quema operacional do funcionamento das linhas licitadas” ria, nas quais cabe à empresa contratada alocar ativos físicos visita técnica, em consonância com a jurisprudência mantem-
(cláusula 9.2.13, o que a equipe técnica considerou injustifica- e financeiros de grande monta, ainda assim, neste caso, a exi- -se a irregularidade da cláusula que estabeleceu a visita técni-
da, tendo em vista que o processo licitatório não apresentava gência dos índices haveria de ser justificada, por meio de estu- ca em horário único para todos os licitantes.
os critérios técnicos sob os quais seriam avaliados os esquemas dos técnicos. Desta maneira, quanto ao fato de se tratar de exigência restriti-
operacionais apresentados pelos eventuais participantes, não Embora a subscritora da ITC tenha mencionado argumentos de va da competitividade, alinho-me ao entendimento técnico tal
tendo a empresa vencedora do certame apresentado o referi- defesa no sentido de que, com relação à exigência de índices qual externo, razão pela qual e mantenho a presente irregula-
do “esquema operacional”. de liquidez corrente, a defesa considera que não revela, nem ridade, visto que a visita técnica realizada em um único dia e
Não foram apresentadas razões de justificativas a este respei- de longe, ilegalidade capaz de macular a contratação e a exe- horário, potencializa a possibilidade de ajustes prévios entre os
to. cução do contrato, verifico, à fl. 1034, que tal argumento se re- pretensos licitantes, embora se mantenha a importância da vi-
A subscritora da ITC sugeriu a mantença deste subitem argu- fere, em verdade, à falta de identificação do valor global do sita realizada, em função do objeto licitado, contudo, entendo
mentando, em síntese, que a exigência não encontra respaldo contrato. que a irregularidade não tem o condão de macular os atos de

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 36


ATOS DA 1 a CÂMARA

gestão dos responsáveis. so, do preço máximo, caso este tenha sido fixado, é meramen- mou qual o valor total estimado do contrato, tendo sido infor-
2.7 AUSÊNCIA DE CRITÉRIO DE ACEITABILIDADE DOS PREÇOS te facultativa. mado apenas que o preço estipulado para a prestação de servi-
UNITÁRIO E GLOBAL (ITEM 2.7 DA ITC 4391/2016-1 e ITI). Assim sendo, da análise do Pregão Presencial 004/2009 (fls. ços é de R$ 2,55 por quilômetro rodado.
Base Legal: Infringência ao artigo 40, inciso X, da Lei Federal 445-454), verifico que o item 1.3 indica o tipo de licitação, que O contrato não descreveu, ainda, os direitos e obrigações das
8.666/1993. no caso é o de menor preço, já o item 5.1, indica que o valor se- partes, as penalidades cabíveis e os valores das multas (Art. 55,
rá cotado por quilômetro rodado. VII, da Lei 8.666/93); não há no contrato os casos de rescisão
Responsáveis: Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes - Pre-
Por outro lado, na hipótese do preço de referência ser utiliza- (Art. 55, VIII, da Lei 8.666/93); não há o reconhecimento dos di-
feita Municipal, Norma Lucia Silva Costa – Pregoeira e Altamir
do como critério de aceitabilidade de preços, a divulgação no reitos da Administração (Art. 55, XIX, da Lei 8.666/93); e não há
Morais Filho - Assistente Jurídico.
edital é obrigatória. a exigência do contratado obrigar-se a manter, durante toda a
A equipe de auditoria verificou que o Edital de Pregão não de-
execução do contrato, as condições de habilitação e qualifica-
terminou o critério de aceitabilidade dos preços unitário e glo- Posto isto, divirjo do entendimento técnico e do órgão Ministe-
ção exigidas na licitação (Art. 55, XIII, da Lei 8.666/93).
bal, infringindo o artigo 40, inciso X, da Lei 8.666/93. rial e afasto a presente irregularidade.
Os responsáveis alegaram, em síntese, que o contrato, embora
Os responsáveis alegaram, em síntese, que a referida norma le- 2.8 CONTRATO E MINUTA DO CONTRATO SEM CLÁUSULAS
simples, atende aos termos da Lei, na medida em que dispõe
gal registra que “o Edital conterá, conforme o caso, o critério de OBRIGATÓRIAS (ITEM 2.8 DA ITC 4391/2016-1 e ITI).
expressamente sobre o objeto e seus elementos característi-
aceitabilidade dos preços unitário e global” e que a licitação é Base Legal: Infringência ao artigo 55, incisos I, II, III, VII, VIII, IX
cos, trata do regime de execução, remetendo ao Edital de Pre-
simples, como simples é seu objeto: menor preço por quilôme- e XIII, da Lei nº 8.666/93.
gão, que faz parte do contrato, informa o preço e todos os ele-
tro rodado para transporte público escolar. Responsáveis: Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes - Pre- mentos a ele atrelados, bem como estabelece que, na forma da
A subscritora da ITC sugeriu a mantença da irregularidade, con- feita Municipal, Norma Lucia Silva Costa – Pregoeira e Altamir Lei, serão observados os direitos e responsabilidades das par-
tra argumentando, em síntese, que, em razão da não elabora- Morais Filho - Assistente Jurídico. tes, os casos e possibilidades de rescisão, e que o princípio da
ção do objeto de forma clara e da ausência de plano de traba- Segundo o relato técnico, a Minuta do Contrato anexa ao Edital instrumentalidade das formas se opera em favor da presunção
lho completo, o preço global do contrato, bem como os crité- de pregão, bem como o Contrato 1/2009, firmado entre a Pre- de legalidade do contrato que atendeu aos seus fins, tendo si-
rios de aceitabilidade do preço global não foram elaborados na feitura Municipal e a empresa Aritur Transporte e Turismo Lt- do devidamente cumprido, sem irregularidades.
fase licitatória. da, não atenderam aos mínimos preceitos e determinações le- A subscritora da ITC, citando jurisprudência, sugeriu a manten-
Examinando todo o processado, constato que não há uniformi- gais, especialmente em relação às cláusulas obrigatórias exigi- ça da irregularidade, contra argumentando, em síntese, que,
dade de fundamentos jurídicos do caso em apreço, vez que a das pela Lei Federal 8.666/1993. ainda que o contrato, em formato simples, esteja atrelado aos
Súmula TCU nº 259 faz menção a contratações de obras e ser- A Cláusula Primeira do Contrato 011/2009 informa que a con- termos do edital de licitação, as cláusulas arroladas pelo arti-
viços de engenharia, enquanto que o artigo 40, inciso X, da Lei tratada obriga-se a prestar serviços de transporte escolar das go 55 da Lei de Licitações, garantidoras dos direitos e obriga-
de Licitações, apenas se refere ao tipo de licitação. zonas rural e urbana deste Município (3 Kombis e 13 ônibus), ções das partes, devem estar presentes no corpo do contrato
Desse modo, entendo ser diferente a situação da divulgação não indicando detalhadamente os elementos do objeto, tais de forma explícita.
do valor de referência e do preço máximo, quando este for ob- como a definição das linhas e rotas, o quantitativo da distân- Conforme bem demonstrado pela área técnica, não foi obser-
viamente fixado, ou seja, para as modalidades licitatórias tra- cia de cada uma das rotas e do total (elemento essencial para vado, na elaboração do contrato 11/2009, a inclusão de cláusu-
dicionais, a regra está contemplada no art. 40, § 2º, II, da Lei determinar o valor do contrato) e o quantitativo de alunos por las obrigatórias na forma da Lei Federal 8666/1993, razão pela
nº 8.666/93, ou seja, tem que haver necessariamente a divul- cada linha e turno. qual coaduno com o seu entendimento e mantenho a presen-
gação do orçamento elaborado, contemplando o preço estima- O contrato não informou, ainda, o regime de execução dos ser- te irregularidade.
do e, se for o caso, o preço máximo que a Administração se dis- viços (Art. 55, II, da Lei 8.666/93), preço global a ser pago e as Desse modo, embora a irregularidade tenha sido mantida, dei-
põe a pagar. condições de pagamento (Art. 55, III, da Lei 8.666/93), estabe- xo de aplicar multa pecuniária aos responsáveis, entendendo
Entretanto, no caso do pregão, a jurisprudência do TCU acena lecendo apenas o valor a ser pago por quilometro (km) rodado. que deve ser expedida determinação ao atual gestor do Muni-
no sentido de que a divulgação do valor orçado e, se for o ca- A “Cláusula Quarta – do preço e valor do contrato” não infor- cípio, no sentido de que nos contratos e minutas devam cons-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 37


ATOS DA 1 a CÂMARA

tar as cláusulas obrigatórias, na forma do artigo 55, incisos I, Já o artigo 61, da Lei Federal 8.666/1993, assim dispõe, litteris: ÇÃO MEDIANTE TERMO ADITIVO (CONTRATO VERBAL) - ACRÉS-
II, III, VII, VIII, IX e XIII, da Lei Federal nº 8.666/1993, dado o [...] CIMO DO VALOR CONTRATADO ACIMA DOS 25% (ITEM 2.10 DA
número de 15 (quinze) irregularidades inicialmente imputadas, Art. 61 Todo contrato deve mencionar os nomes das partes e os ITC 4391/2016-1 e ITI).
das quais remanesceu esta com maior potencial de lesividade. de seus representantes, a finalidade, o ato que autorizou a sua Base Legal: Infringência aos artigos 60, parágrafo único e 65, §
2.9 PUBLICAÇÃO IRREGULAR DO RESUMO DO CONTRATO lavratura, o número do processo da licitação, da dispensa ou da 1º e 2º, da Lei nº 8.666/93.
(ITEM 2.9 DA ITC 4391/2016-1 e ITI). inexigibilidade, a sujeição dos contratantes às normas desta Lei Responsável: Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes - Pre-
Base Legal: Infringência ao artigo 37, caput (princípio da pub- e às cláusulas contratuais. feita Municipal.
licidade), da CF e ao artigo 61, parágrafo único, da Lei Federal Parágrafo único - A publicação resumida do instrumento de Em sua análise, o corpo técnico assim se posicionou, verbis:
8.666/1993. contrato ou de seus aditamentos na imprensa oficial, que é [...]
Responsáveis: Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes - Pre- condição indispensável para sua eficácia, será providenciada Conforme se verificou no Relatório de Auditoria, o edital e o
feita Municipal pela Administração até o quinto dia útil do mês seguinte ao de
contrato de prestação de serviços de transporte escolar foram
De acordo com o relato técnico, a publicação do resumo do sua assinatura, para ocorrer no prazo de vinte dias daquela da-
elaborados de forma incorreta, pois não possuíam plano de
contrato 11/2009 no DOE (fls. 186 do processo licitatório) foi ta, qualquer que seja o seu valor, ainda que sem ônus, ressal-
trabalho detalhado das rotas do transporte, o que impossibili-
irregular por não informar o valor total do contrato, e que, con- vado o disposto no art. 26 desta Lei. – (g.n.)
tou a determinação do valor global do contrato.
soante o princípio da publicidade, o valor do contrato é ele- Cabe ressaltar que o princípio da publicidade é basilar, atrelan-
Em razão da ausência de planejamento da administração, du-
mento essencial que deve ser informado quando da sua pu- do-se a transparência da administração pública, sendo assim,
rante a execução contratual a equipe de auditoria verificou que
blicação. imprescindível no que diz respeito aos atos praticados pelos
“13 ônibus e 3 Kombi” não foram suficientes para a realização
Os responsáveis alegaram, em síntese, que a publicação foi re- gestores públicos, a fim de que o cidadão possa observar a efi-
do transporte escolar, tendo a administração demandado da
alizada, em atendimento ao princípio da publicidade, sendo cácia e o controle dos atos administrativos.
empresa contratada a necessidade de 9 ônibus, 14 Kombi, 7
que a falta de indicação do valor global do contrato não macula Por outro lado, o caput do artigo 61, da Lei Federal nº micro-ônibus e 1 van.
a legalidade do procedimento ou a constatação de que o mes- 8.666/1993, retrata a elaboração de um contrato, ou seja, de
Assim, a equipe de auditoria considerou que esse incremento
mo foi devidamente cumprido. como deve ser constituído.
no objeto contratual (superior a 25%) infringiu o artigo 65, § 1º
A subscritora da ITC sugeriu a mantença da irregularidade con- Entretanto, o parágrafo único, do artigo 61, da Lei Federal e 2º, da Lei 8.666/93, que determina que:
tra argumentando, em síntese, que, a irregularidade decorre 8.666/1993, trata da publicação resumida do contrato e de
Verificou-se, ainda, que nos exercícios seguintes (2010 e 2011),
da ausência da elaboração correta do plano de trabalho e da seus aditamentos para atingir sua eficácia, estabelecendo, ain-
em que a Prefeitura Municipal prorrogou a vigência do Con-
definição do objeto, além da ausência de definição de rotas de da, o prazo de publicação, independente seja qual for o valor,
trato 11/2009, os Termos Aditivos não fizeram referência ao
transporte escolar e a quantidade diária de quilômetros roda- mesmo que não haja ônus, ou seja, sem valor.
acréscimo realizado no quantitativo e qualitativo dos veículos
dos no edital impossibilitou o cálculo do valor total do contra- O contrato em questão foi publicado no Diário Oficial do Esta- utilizados para o transporte escolar, pois segundo consta do
to. do – DOE, em 09/02/2009, conforme demonstrado à folha 628 Relatório, no exercício de 2010 foram utilizados 10 ônibus, 22
No que se refere ao princípio da publicidade, o caput do artigo dos autos, indicando o valor de R$ 2,55 (dois reais e cinquenta Kombi, 9 micro-ônibus e 2 vans, e em 2011, 14 ônibus, 25 Kom-
37, da Constituição Federal, assim preconiza, verbis: e cinco reais), no caso por quilometro rodado (fl. 624). bi, 12 micro-ônibus e 2 vans.
[...] Em assim sendo, não vislumbro inobservância aos princípios da Assim, a equipe de auditoria considerou que as prorrogações
Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer transparência e da publicidade (art. 37 da CF/88), nem ao art. contratuais sem a evidenciação das alterações do objeto con-
dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos 61 da Lei Federal 8666/1993, pois houve a devida publicação. figuraram contratação verbal, devendo ser consideradas nulas,
Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoa- Posto isso, divirjo do posicionamento técnico e do Órgão Minis- conforme artigo 60, parágrafo único, da Lei 8.666/93, tendo
lidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao se- terial e afasto a presente irregularidade. concluído que todos os valores pagos, que ultrapassaram o li-
guinte: - (g.n.). 2.10 ALTERAÇÕES CONTRATUAIS SEM A DEVIDA FORMALIZA- mite estabelecido pelo artigo 65, § 1º, da Lei 8.666/93, no total

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 38


ATOS DA 1 a CÂMARA

de R$3.235.089,47 devem ser restituídos aos cofres públicos. tavos) por quilômetro, que seria o valor máximo, considerando lor global contratado.
Todavia, ainda que os valores tenham sido pagos sem previsão a possibilidade de acréscimo de 25% sobre o preço ajustado. Em assim sendo, não havendo parâmetro para aferição de
legal, não constam dos autos indícios de que os serviços não Vale notar ainda que a formalização dos aditivos se deu, sem- acréscimo contratual superior a 25% do valor inicial contrata-
tenham sido realizados ou de que os valores tenham sido pa- pre, precedida de Parecer indicativo da legalidade da prorroga- do, verificando-se nestes autos (fls. 425-428), os termos adi-
gos com desvio de finalidade, não havendo justificativa sufici- ção do contrato. tivos firmados formalmente, na forma da lei, entendo que a
ente para que o gestor seja apenado com a devolução dos re- E mais, a Fiscalização não aponta irregularidade no quantitati- presente irregularidade não se sustenta, razão pela qual divirjo
cursos ao erário, tendo opinado pela manutenção da irregular- vo de quilômetros totalizado, e tampouco na liquidação da des- parcialmente do entendimento técnico e do Órgão Ministerial
idade e pelo afastamento da devolução dos recursos ao erário. pesa pela Municipalidade, com observância aos termos do ar- que afastou apenas o ressarcimento e afasto a presente irregu-
Os responsáveis alegaram, em síntese (fls. 1025-1027), que: tigo 63 da Lei 4.320/64, sendo certo que o valor total pago cor- laridade, bem como o ressarcimento dela decorrente.

[...] respondeu ao quantitativo de quilômetros rodados pela Em- 3. DISPOSITIVO:

Pois bem, o contrato, de forma absolutamente regular, tratou presa contratada, o que revela que o serviço foi efetivamen- Ante o exposto, acompanhando parcialmente o posicionamen-
da prestação de transporte de alunos das zonas rural e urbana te prestado. to da área técnica e do Ministério Público Especial de Contas,
Nada foi feito à margem do que previu o Edital, e o preço míni- proponho VOTO no sentido de que o Colegiado aprove a se-
do Município de Montanha.
mo por quilômetro respeitado. guinte minuta de Acórdão que submeto à sua consideração.
Embora o Edital tenha, inicialmente, tratado da contratação de
Imaginar outra alternativa de contratação para a Municipalida- VISTOS, relatados e discutidos estes autos, ACORDAM os Con-
três Kombis e treze ônibus, o certo é que a sua remuneração se
de representaria risco de prejuízo para o Erário, na medida em selheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo,
daria por quilômetro efetivamente rodado, com previsão de re-
que, nos moldes contratados, independentemente do número reunidos em sessão da Primeira Câmara, ante as razões expos-
ajustamento nos moldes do Convênio firmado com a Secretaria
de veículos envolvidos, prestigiou-se o preço mínimo proposto. tas pelo relator, em:
Estadual de Educação.
Ou seja, o contrato prestigia o interesse da população, na me- 3.1. ACOLHER as razões de justificativas apresentadas e AFAS-
Ou seja, já que se observa que a referência para apuração do
dida em que permite o atendimento às várias localidades do TAR, pelas razões antes expendidas, os indicativos de irregula-
acréscimo do preço superior a 25% não pode ser o número
Município, garantindo inclusive o aumento do número de veí- ridades constantes dos itens 2.1, 2.2, 2.3, 2.4, 2.5, 2.6 (2.6.1,
de veículos, ou tampouco o valor global quitado em razão da
2.6.2, 2.63 e 2.6.4), 2.7, 2.9 e 2.10, desta decisão, bem como
quantidade de quilômetros rodados, mas sim o preço unitário culos, sem qualquer acréscimo no valor ajustado.
o ressarcimento relativo ao item 2.10, sob a responsabilidade
do quilômetro, descontados os reajustes regulares autorizados Não há, portanto, que se falar em contratação acima do limite
dos senhores: Haroldo Corrêa Rocha – Secretário de Estado da
pelo convênio. de 25% do valor inicialmente contratado.
Educação, Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes - Prefeita
Essa é, efetivamente, a base de cálculo a ser utilizada, e ficou Por outro lado, tendo o serviço sido efetivamente prestado, e Municipal, Norma Lucia Silva Costa – Pregoeira e Altamir Mo-
assentada em R$ 2,55 (dois reais e cinquenta e cinco centavos) isso não se nega nem mesmo palidamente, não há que se falar rais Filho - Assistente Jurídico;
por quilômetro, abaixo da medida aritmética resultante da pes- em ressarcimento aos cofres públicos, sob pena de enriqueci- 3.2. REJEITAR as razões de justificativa apresentadas e MAN-
quisa de preços realizada pela Municipalidade, conforme se in- mento sem causa do erário. TER, os indicativos de irregularidades constantes dos itens 2.6
fere da leitura da página 289 do processo de licitação (apurada Ante o exposto, não merece ser acolhida a suposta irregulari- (subitens 2.6.5 e 2.6.6) e 2.8 desta decisão, sob a responsabi-
R$ 2,76 – dois reais e setenta e seis centavos). dade apontada no item em destaque, impondo-se o reconhe- lidade das senhoras Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes
Posteriormente, para as prorrogações do contrato, foram con- cimento da regularidade da prática adotada pela Defendente, - Prefeita Municipal, Norma Lucia Silva Costa – Pregoeira e do
cluídas novas pesquisas de preço, que apuraram como valor o que se requer. Sr. Altamir Morais Filho - Assistente Jurídico, sem cominação de
médio de mercado para cada quilômetro rodado o montante Da análise dos autos, verifico que o Contrato 11/2009, firma- multa pecuniária pelas razões antes expendidas;
de R$ 2,95 (dois reais e noventa e cinco centavos) para 2010, e do em 04/02/2009 (fls. 423-424), entre a Prefeitura Municipal 3.3 JULGAR REGULARES COM RESSALVA os atos de gestão pra-
R$ 3,06 (três reais e seis centavos) para 2011. de Montanha e a Aritur Transporte e Turismo Ltda, estipula na ticados pelas Sras. Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes,
E o contrato foi prorrogado, sempre, com manutenção do valor cláusula 4.1, o preço de R$ 2,55 (dois reais e cinquenta e cin- Prefeita Municipal de Montanha, Norma Lúcia Silva Costa –
originário, abaixo do limite de R$ 3,18 (três reais e dezoito cen- co centavos) por quilômetro rodado, não se estipulando o va- Pregoeira, e pelos Srs. Haroldo Correa Rocha – Secretário de

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 39


ATOS DA 1 a CÂMARA

Estado da Educação e Altamir Morais Filho – Assistente Jurídi- nal de Contas nos feitos a seu cargo. Lei Orgânica
co, relativos ao exercício de 2011, dando-lhes a devida QUITA- [...] Art. 71. [...]
ÇÃO, na forma do artigo 84, II, da Lei Complementar Estadual § 2º Considera-se a data inicial para a contagem do prazo pres- § 1º A prescrição poderá ser decretada de ofício ou mediante
nº 621/2012; cricional: provocação de qualquer interessado, após manifestação escri-
3.4 DETERMINAR ao atual gestor do Município de Montanha, I - da autuação do feito no Tribunal de Contas, nos casos de ta do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas.
no sentido de que nos contratos e minutas constem as cláusu- processos de prestação e tomada de contas, e nos casos em Regimento Interno
las obrigatórias, na forma do artigo 55, incisos I, II, III, VII, VIII, que houver obrigação formal de envio pelo jurisdicionado, pre- Art. 373. [...]
IX e XIII, da Lei Federal nº 8.666/1993. vista em lei ou ato normativo, incluindo os atos de pessoal su-
3.5 Arquivar os presentes autos, após o trânsito em julgado. §1º A prescrição poderá ser decretada de ofício ou mediante
jeitos a registro;
provocação de qualquer interessado, após manifestação escri-
MARCO ANTONIO DA SILVA II - da ocorrência do fato, nos demais casos. ta do Ministério Público junto ao Tribunal.
Relator [...] [g.n.]
VOTO-VISTA DO CONSELHEIRO RODRIGO FLÁVIO FREIRE FA- § 4º Interrompem a prescrição: III PROPOSTA DE DELIBERAÇÃO
RIAS CHAMOUN:
I - a citação válida do responsável; Por todo o exposto e com base na competência outorgada pe-
I RELATÓRIO
Regimento Interno lo inciso V, do artigo 29, do RITCEES, divirjo do conselheiro re-
Como devidamente registrado no voto proferido pelo conse-
Art. 373. Prescreve em cinco anos a pretensão punitiva do Tri- lator e VOTO no sentido de que o Colegiado aprove a seguinte
lheiro relator, cujo relatório adoto integralmente, trata-se de
bunal nos feitos a seu cargo. proposta de deliberação:
auditoria ordinária realizada na Prefeitura do Município de
[...] DECISÃO
Montanha referente ao exercício de 2011.
§ 2º Considera-se a data inicial para a contagem do prazo pres- VISTOS, relatados e discutidos estes autos, ACORDAM os con-
Tendo o feito integrado a pauta da 3ª Sessão Ordinária da Pri-
cricional: selheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo,
meira Câmara, pedi vista dos autos para melhor me inteirar das
questões nele debatidas, razão pela qual elaborei o presente I - da autuação do feito no Tribunal, nos casos de processos de reunidos em sessão da Primeira Câmara, ante as razões expos-
voto de vistas. prestação ou tomada de contas, e nos demais casos em que tas pelo conselheiro Rodrigo Chamoun, em ENCAMINHAR os
houver obrigação formal de envio pelo jurisdicionado, previs- autos ao Ministério Público junto ao TCEES para emissão do pa-
II FUNDAMENTAÇÃO
ta em lei ou ato normativo, incluindo os atos de pessoal sujei- recer de que tratam o art. 71, §1º da Lei Orgânica do TCEES e o
Ao me debruçar sobre o feito, de plano pude constatar a ocor-
tos a registro; art. 373, §1º do RITCEES.
rência do fenômeno prescricional, tendo em vista o decurso
II - da ocorrência do fato, nos demais casos, inclusive nos pro- Conselheiro Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun
do prazo quinquenal decorrido desde a época dos fatos, prazo
cessos de fiscalização convertidos em tomada de contas espe- Conselheiro relator
esse que foi posteriormente interrompido por ocasião da cita-
cial pelo Tribunal;
ção dos responsáveis em dezembro de 2012 (fls. 1008, 1018 e VOTO COMPLEMENTAR DO EXMO. SR. CONSELHEIRO EM
1019 – v. IV). [...] SUBSTITUIÇÃO MARCO ANTONIO DA SILVA:
Assim, o fenômeno prescricional se exauriu por completo em § 4º Interrompem a prescrição: Tratam os presentes autos de Auditoria Ordinária, realizada na
dezembro de 2017, nos termos ditados pelo artigo 71, caput, I - a citação válida do responsável; Prefeitura Municipal de Montanha, referente ao exercício de
§2º, II e §4º, I, da Lei Complementar Estadual 621, de 8 de mar- [g.n.] 2011, sob a responsabilidade da Sra. Iracy Carvalho Machado
ço de 2012 (Lei Orgânica do Tribunal de Contas) e art. 373, Ocorre, porém, que apesar de ter identificado a ocorrência da Baltar Fernandes, Prefeita Municipal, tendo como responsáveis
caput, §2º, II e §4º, I, do Regimento Interno deste Tribunal (RI- prescrição, também vislumbrei que os autos ainda não contam solidários os senhores Haroldo Correa Rocha – Secretário de
TCEES), a saber: a necessária manifestação ministerial a esse respeito, o que Estado da Educação, Norma Lúcia Silva Costa – Pregoeira e Al-
Lei Orgânica contraria o art. 71, §1º da Lei Orgânica do Tribunal de Contas tamir Morais Filho – Assistente Jurídico.
Art. 71. Prescreve em cinco anos a pretensão punitiva do Tribu- (TCEES) e o art. 373, §1º do RITCEES, a seguir reproduzidos: Ocorre que, após prolação de voto, houve pedido de vista pe-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 40


ATOS DA 1 a CÂMARA

lo Eminente Conselheiro Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun, ço de 2012 (Lei Orgânica do Tribunal de Contas) e art. 373, prescrição, também vislumbrei que os autos ainda não contam
apresentando seu voto de vista nº 00040/2018-9, divergindo caput, §2º, II e §4º, I, do Regimento Interno deste Tribunal (RI- a necessária manifestação ministerial a esse respeito, o que
deste Relator quanto à ausência de parecer relativo à ocorrên- TCEES), a saber: contraria o art. 71, §1º da Lei Orgânica do Tribunal de Contas
cia de prescrição, na forma do § 1º, do artigo 71, da Lei Com- Lei Orgânica (TCEES) e o art. 373, §1º do RITCEES, a seguir reproduzidos:
plementar Estadual nº 621/2012. Art. 71. Prescreve em cinco anos a pretensão punitiva do Tribu- Lei Orgânica
Após análise do voto de vista prolatado, entende este Conse- nal de Contas nos feitos a seu cargo. Art. 71. [...]
lheiro em Substituição que procedem os argumentos trazidos [...] § 1º A prescrição poderá ser decretada de ofício ou mediante
pelo Eminente Conselheiro Rodrigo Flávio Freire Farias Cha- provocação de qualquer interessado, após manifestação escri-
§ 2º Considera-se a data inicial para a contagem do prazo pres-
moun, razão pela qual apresenta complemento de voto, a fim ta do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas.
cricional:
de alinhar ao voto de vista apresentado. Regimento Interno
I - da autuação do feito no Tribunal de Contas, nos casos de
É o sucinto relatório. processos de prestação e tomada de contas, e nos casos em Art. 373. [...]
COMPLEMENTODEVOTO que houver obrigação formal de envio pelo jurisdicionado, pre- §1º A prescrição poderá ser decretada de ofício ou mediante
Cuidam os presentes autos de Auditoria Ordinária, como já vista em lei ou ato normativo, incluindo os atos de pessoal su- provocação de qualquer interessado, após manifestação escri-
afirmado, realizada na Prefeitura Municipal de Montanha, re- jeitos a registro; ta do Ministério Público junto ao Tribunal.
ferente ao exercício de 2011, sob a responsabilidade da Sra. II - da ocorrência do fato, nos demais casos. III PROPOSTA DE DELIBERAÇÃO
Iracy Carvalho Machado Baltar Fernandes, Prefeita Municipal, [...] Por todo o exposto e com base na competência outorgada pe-
tendo como responsáveis solidários os senhores Haroldo Cor- lo inciso V, do artigo 29, do RITCEES, divirjo do conselheiro re-
§ 4º Interrompem a prescrição:
rea Rocha – Secretário de Estado da Educação, Norma Lúcia Sil- lator e VOTO no sentido de que o Colegiado aprove a seguinte
I - a citação válida do responsável;
va Costa – Pregoeira e Altamir Morais Filho – Assistente Jurídi- proposta de deliberação:
co, fazendo-se necessário a análise dos atos e fatos em face da Regimento Interno
Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun
documentação que lhe deu suporte, tendo em vista o voto de Art. 373. Prescreve em cinco anos a pretensão punitiva do Tri-
bunal nos feitos a seu cargo. Conselheiro relator
vista apresentado.
[...] DECISÃO
CONSIDERAÇÕES DE FATO E DE DIREITO:
§ 2º Considera-se a data inicial para a contagem do prazo pres- VISTOS, relatados e discutidos estes autos, ACORDAM os con-
Da análise dos autos, verifico que o Eminente Conselheiro Ro-
cricional: selheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo,
drigo Flávio Freire Farias Chamoun, apresentou voto de vista,
reunidos em sessão da Primeira Câmara, ante as razões expos-
nos seguintes termos, verbis: I - da autuação do feito no Tribunal, nos casos de processos de
tas pelo conselheiro Rodrigo Chamoun, em ENCAMINHAR os
[...] prestação ou tomada de contas, e nos demais casos em que
autos ao Ministério Público junto ao TCEES para emissão do pa-
II FUNDAMENTAÇÃO houver obrigação formal de envio pelo jurisdicionado, previs-
recer de que tratam o art. 71, §1º da Lei Orgânica do TCEES e o
ta em lei ou ato normativo, incluindo os atos de pessoal sujei-
Ao me debruçar sobre o feito, de plano pude constatar a ocor- art. 373, §1º do RITCEES. – g.n.
tos a registro;
rência do fenômeno prescricional, tendo em vista o decurso Assim sendo, o Eminente Conselheiro Rodrigo Flávio Freire Fa-
II - da ocorrência do fato, nos demais casos, inclusive nos pro-
do prazo quinquenal decorrido desde a época dos fatos, prazo rias Chamoun divergiu do entendimento deste Conselheiro em
cessos de fiscalização convertidos em tomada de contas espe-
esse que foi posteriormente interrompido por ocasião da cita- Substituição, sendo que em seu voto de vista trouxe argumen-
cial pelo Tribunal;
ção dos responsáveis em dezembro de 2012 (fls. 1008, 1018 e tos no sentido de encaminhar os autos ao Ministério Público
1019 – v. IV). [...] Especial de Contas para emissão de parecer, na forma do § 1º,
Assim, o fenômeno prescricional se exauriu por completo em § 4º Interrompem a prescrição: do artigo 71, da Lei Complementar Estadual nº 621/2012 e do
dezembro de 2017, nos termos ditados pelo artigo 71, caput, I - a citação válida do responsável; § 1º, do artigo 373, da Resolução TC nº 261/2013.
§2º, II e §4º, I, da Lei Complementar Estadual 621, de 8 de mar- Ocorre, porém, que apesar de ter identificado a ocorrência da Dessa maneira, no que se refere aos argumentos trazidos pe-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 41


ATOS DA 1 a CÂMARA

lo Eminente Conselheiro Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun 4.2. Conselheiros substitutos: Marco Antonio da Silva (em subs- de de se ter posicionamento normativo vinculante sobre o te-
em seu voto de vista, notadamente, quanto à necessidade de tituição / relator) e Márcia Jaccoud Freitas (convocada). ma, a fim de que se alcance a uniformidade das decisões desta
emissão de parecer, na forma do § 1º, do artigo 71, da Lei Com- 5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Heron Corte. Assim, nos termos dos artigos 174 e 348 a 355 do Regi-
plementar Estadual nº 621/2012, entendo que este se mostra Carlos Gomes de Oliveira. mento Interno, foi instaurado Incidente de Prejulgado suscita-
realmente necessário, motivo pelo qual encampo sua razão de CONSELHEIRO RODRIGO FLÁVIO FREIRE FARIAS CHAMOUN do pelo Excelentíssimo Conselheiro Rodrigo Flávio Freire Farias
decidir quanto à questão preliminar suscitada. No Exercício da Presidência Chamoun no bojo da Representação constante do Processo TC
2. DISPOSITIVO: 7156/2012, conforme Decisão Plenária TC 2144/2016.
Ante o exposto, acompanhando os termos do voto de vista do O Incidente de Prejulgado foi autuado sob o nº TC 6603/2016,
Eminente Conselheiro Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun, Decisão 00527/2018-7 cabendo-nos a relatoria. Tal processo está sob a apreciação do
VOTO no sentido de que o Colegiado aprove a seguinte minuta Processo: 07058/2013-6 Plenário, porém ainda pendente de julgamento.
de Decisão que submeto à sua consideração. Classificação: Tomada de Contas Especial É o relatório.
VISTOS, relatados e discutidos estes autos, RESOLVEM os Con- UG: PMI - Prefeitura Municipal de Ibiraçu 2 Fundamentação
selheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo,
Relator: Sebastião Carlos Ranna de Macedo Compulsando acuradamente os autos, verifico que o tema aqui
reunidos em sessão da Primeira Câmara, ante as razões expos-
Partes: Naciene Luzia Modenesi Vicente, Randow &Fraga Ad- tratado é matéria discutida nos autos do processo de Inciden-
tas pelo relator, em:
vogados Associados, Rogerio Rosalem Fraga, Antonio Viana te de Prejulgado TC 6603/2016 onde se aprecia a regularidade
1. ENCAMINHAR os autos ao Ministério Público Especial de do contrato de risco para a recuperação de créditos, o paga-
Procuradores: Gabriel Peixoto Rocha (OAB: 23404-ES), Vini-
Contas para emissão do parecer, na forma do artigo 71, § 1º da mento fixado em percentual do incremento da receita, a ter-
cius Rocha Fraga (OAB: 24716-ES), Ricardo Claudino Pessanha
Lei Complementar Estadual nº 621/2012 e do § 1º, do artigo ceirização da atividade tributária e a contratação direta por in-
(OAB: 10.406-ES)
373, da Resolução TC nº 261/2013. exigibilidade de licitação, nos termos do Voto do Conselheiro
TOMADA DE CONTAS ESPECIAL – EXERCÍCIO DE 2010 a 2012 –
MARCO ANTONIO DA SILVA suscitante.
SOBRESTAR
Relator O Regimento Interno, sobre Incidente de Prejulgado assim
O EXMO. SR. CONSELHEIRO SEBASTIÃO CARLOS RANNA DE
1. DECISÃO TC-478/2018: dispõe:
MACEDO
VISTOS, relatados e discutidos estes autos, DECIDEM os conse- Art. 352 - Proferido o julgamento do incidente pelo Plenário,
1 RELATÓRIO
lheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, reu- observado o quorum qualificado previsto no art. 180 da Lei Or-
nidos em sessão da Primeira Câmara, nos termos do voto-vista Tratam os autos de Tomada de Contas Especial instaurada pe-
gânica do Tribunal, os autos serão devolvidos àquele que sus-
do conselheiro Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun, encam- la Prefeitura Municipal de Ibiraçu por determinação desta Cor-
citou a matéria incidental, para apreciação do mérito do pro-
pado pelo relator. te, oriunda do encaminhamento pelo Prefeito Eduardo Marozzi
cesso.
Zanotti, de cópia de processo de compensação de créditos re-
1.1. ENCAMINHAR os autos ao Ministério Público junto ao TCE- § 1º O julgamento que deliberar sobre o incidente processual
ferente ao Contrato de Prestação de Serviços nº 127/2010, fir-
ES para emissão do parecer de que tratam o art. 71, §1º da Lei solucionará a questão levantada, constituindo prejulgado vin-
mado com a empresa Randow & Fraga Advogados Associados,
Orgânica do TCEES e o art. 373, §1º do RITCEES. culante aos demais casos submetidos ao Tribunal.
cujo objeto era a “recuperação de créditos previdenciários e
2. Unânime. Nos termos do voto-vista do conselheiro Rodrigo outros benefícios tributários”. § 2º Dirimida a questão, os respectivos autos serão apensados
Flávio Freire Farias Chamoun, encampado pelo relator. ao processo em que se originou o incidente. (grifei).
Considerando que a matéria tratada nestes autos está presen-
3. Data da Sessão: 28/02/2018 – 4ª Sessão Ordinária da Pri- te em muitos outros processos que tramitam neste Corte, ha- Resta claro que a pendência de julgamento do prejulgado prej-
meira Câmara. ja vista que vários municípios do Estado do Espírito Santo ce- udica o julgamento de todos os demais processos em que se
4. Especificação do quórum: lebraram contratos de risco para recuperação de crédito, foi discute a matéria lá contemplada, vez que se não restasse dúvi-
4.1. Conselheiros: Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun (no reconhecida a relevância da matéria de direito e sua aplicabi- da sobre a interpretação normativa que rege a matéria, não
exercício da presidência); lidade de forma geral, entendendo o Plenário pela necessida- haveria o porquê de se recorrer ao instituto de Instauração do

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 42


ATOS DA 1 a CÂMARA

Incidente de Prejulgado. Exercício: 2017 1. DELIBERAÇÃO:


Vale destacar que decisão do Plenário desta Corte de Con- UG: PMAB - Prefeitura Municipal de Águia Branca VISTOS, relatados e discutidos estes autos, DECIDEM os Conse-
tas determinou o sobretamento dos processos que tramitam Relator: Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun lheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, reu-
naquele colegiado. Assim, faz-se necessário o sobrestamento Parte: ANGELO ANTONIO CORTELETTI nidos em sessão da Primeira Câmara, ante as razões expostas
dos presentes autos pelas razões aventadas, devendo os au- pelo relator, em:
RELATÓRIO RESUMIDO DE EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA – 4º BI-
tos ficarem aguardando na Secretaria Geral das Sessões – SGS. 1.1. Arquivar os autos após os trâmites legais, com fundamen-
MESTRE DE 2017 – 1) ARQUIVAR.
Ante o exposto, obedecidos todos os trâmites processuais e le- to no art. 330, IV da Resolução TC nº 261/13.
O EXMO. SR. CONSELHEIRO RODRIGO FLÁVIO FREIRE FARIAS
gais, VOTO no sentido de que o Colegiado aprove a seguinte 2. Unânime.
CHAMOUN:
minuta de deliberação que submeto à sua consideração. 3. Data da Sessão: 07/03/2018 – 5ª Sessão Ordinária da Pri-
I – RELATÓRIO:
SEBASTIÃO CARLOS RANNA DE MACEDO meira Câmara.
Trata-se de processo acerca do parecer de alerta emitido por
Relator este Tribunal em cumprimento ao disposto no art. 59, §1º, da 4. Especificação do quórum:
1. DECISÃO: Lei de Responsabilidade Fiscal, após análise do Relatório Resu- 4.1. Conselheiros: Sebastião Carlos Ranna de Macedo (presi-
VISTOS, relatados e discutidos estes autos, DECIDEM os Conse- mido de Execução Orçamentária, referente ao 4º bimestre do dente) e Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun (relator);
lheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, reu- exercício de 2017 da Prefeitura de Águia Branca, verificando a 4.2. Conselheiros substitutos: Marco Antonio da Silva (em
nidos em sessão da Primeira Câmara, ante as razões expostas possibilidade do não atingimento das Metas de Arrecadação. substituição).
pelo relator, por: Na Instrução Técnica 00013/2018-1, o Núcleo de Controle Ex- 5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Heron
1.1. SOBRESTAR os presentes autos, restando prejudicada sua terno de Contabilidade e Economia verificou que as metas es- Carlos Gomes de Oliveira.
análise de mérito até o julgamento do Incidente de Prejulgado tabelecidas na LDO são de periodicidade anual, tornando ne- CONSELHEIRO SEBASTIÃO CARLOS RANNA DE MACEDO
TC 6603/2016. cessário o encerramento do exercício financeiro para a verifi- Presidente
2. Unânime. cação da efetividade das medidas adotadas no que se refere
ao descompasso entre as metas previstas e o que foi realiza-
3. Data da Sessão: 06/03/2018 – 5ª Sessão Ordinária da Pri-
do no período. Decisão 00534/2018-7
meira Câmara.
Dada à perda do objeto, a área técnica sugeriu o arquivamento Processo: 08456/2017-2
4. Especificação do quórum:
dos autos, destacando que o conteúdo destes irá integrar/sub- Classificação: Relatório Resumido de Execução Orçamentária
4.1. Conselheiros: Sebastião Carlos Ranna de Macedo (presi- sidiar a análise da Prestação de Contas da Prefeitura de Águia
dente/relator) e Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun; Exercício: 2017
Branca (exercício de 2017), permitindo assim a verificação, em
4.2. Conselheiros substitutos: Marco Antonio da Silva (em UG: PMI - Prefeitura Municipal de Itaguaçu
definitivo, do cumprimento dos ditames estabelecidos na Lei
substituição). Complementar nº 101/2000, sendo acompanhado pelo Minis- Relator: Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun
5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Heron tério Público Especial de Contas através do Em. Procurador Lu- Parte: DARLY DETTMANN
Carlos Gomes de Oliveira. ciano Vieira que pugnou pelo ARQUIVAMENTO dos autos. RELATÓRIO RESUMIDO DE EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA – 4º BI-
CONSELHEIRO SEBASTIÃO CARLOS RANNA DE MACEDO II – CONCLUSÃO: MESTRE DE 2017 – 1) ARQUIVAR.
Presidente Ante o exposto, acompanhando o entendimento da Área Técni- O EXMO. SR. CONSELHEIRO RODRIGO FLÁVIO FREIRE FARIAS
ca e do Ministério Público Especial de Contas, VOTO no sentido CHAMOUN:
de que o Colegiado aprove a seguinte minuta de Acórdão que I – RELATÓRIO:
Decisão 00533/2018-2 submeto à sua consideração. Trata-se de processo acerca do parecer de alerta emitido por
Processo: 08429/2017-5 Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun este Tribunal em cumprimento ao disposto no art. 59, §1º, da
Classificação: Relatório Resumido de Execução Orçamentária Conselheiro Relator Lei de Responsabilidade Fiscal, após análise do Relatório Resu-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 43


ATOS DA 1 a CÂMARA

mido de Execução Orçamentária, referente ao 4º bimestre do dente) e Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun (relator); nitivo, do cumprimento dos ditames estabelecidos na Lei Com-
exercício de 2017 da Prefeitura de Itaguaçu, verificando a pos- 4.2. Conselheiro em substituição: Marco Antonio da Silva. plementar nº 101/2000, sendo acompanhado pelo Ministério
sibilidade do não atingimento das Metas de Arrecadação. 5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Heron Público Especial de Contas através do Em. Procurador Heron
Na Instrução Técnica 00012/2018-7, o Núcleo de Controle Ex- Carlos Gomes de Oliveira. Carlos Gomes de Oliveira que pugnou pelo ARQUIVAMENTO
terno de Contabilidade e Economia verificou que as metas es- dos autos.
CONSELHEIRO SEBASTIÃO CARLOS RANNA DE MACEDO
tabelecidas na LDO são de periodicidade anual, tornando ne- Presidente II – CONCLUSÃO:
cessário o encerramento do exercício financeiro para a verifi- Ante o exposto, acompanhando o entendimento da Área Técni-
cação da efetividade das medidas adotadas no que se refere ca e do Ministério Público Especial de Contas, VOTO no sentido
ao descompasso entre as metas previstas e o que foi realiza- Decisão 00535/2018-1 de que o Colegiado aprove a seguinte minuta de Acórdão que
do no período. Processo: 08458/2017-1 submeto à sua consideração.
Dada à perda do objeto, a área técnica sugeriu o arquivamento Classificação: Relatório Resumido de Execução Orçamentária Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun
dos autos, destacando que o conteúdo destes irá integrar/sub-
Exercício: 2017 Conselheiro Relator
sidiar a análise da Prestação de Contas da Prefeitura de Itagua-
UG: PMI - Prefeitura Municipal de Iúna 1. DELIBERAÇÃO:
çu (exercício de 2017), permitindo assim a verificação, em defi-
nitivo, do cumprimento dos ditames estabelecidos na Lei Com- Relator: Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun VISTOS, relatados e discutidos estes autos, DECIDEM os Conse-
plementar nº 101/2000, sendo acompanhado pelo Ministério Parte: WELITON VIRGILIO PEREIRA lheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, reu-
Público Especial de Contas através do Em. Procurador Luciano RELATÓRIO RESUMIDO DE EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA – 4º BI- nidos em sessão da Primeira Câmara, ante as razões expostas
Vieira que pugnou pelo ARQUIVAMENTO dos autos. MESTRE DE 2017 – 1) ARQUIVAR. pelo relator, em:
II – CONCLUSÃO: O EXMO. SR. CONSELHEIRO RODRIGO FLÁVIO FREIRE FARIAS 1.1. Arquivar os autos após os trâmites legais, com fundamen-
Ante o exposto, acompanhando o entendimento da Área Técni- CHAMOUN: to no art. 330, IV da Resolução TC nº 261/13.
ca e do Ministério Público Especial de Contas, VOTO no sentido I – RELATÓRIO: 2. Unânime.
de que o Colegiado aprove a seguinte minuta de Acórdão que Trata-se de processo acerca do parecer de alerta emitido por 3. Data da Sessão: 07/03/2018 – 5ª Sessão Ordinária da Pri-
submeto à sua consideração. este Tribunal em cumprimento ao disposto no art. 59, §1º, da meira Câmara.
Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun Lei de Responsabilidade Fiscal, após análise do Relatório Resu- 4. Especificação do quórum:
Conselheiro Relator mido de Execução Orçamentária, referente ao 4º bimestre do 4.1. Conselheiros: Sebastião Carlos Ranna de Macedo (presi-
1. DELIBERAÇÕES: exercício de 2017 da Prefeitura de Iúna, verificando a possibili- dente) e Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun (relator);
dade do não atingimento das Metas de Arrecadação.
ISTOS, relatados e discutidos estes autos, DECIDEM os Conse- 4.2. Conselheiros substitutos: Marco Antonio da Silva.
lheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, reu- Na Instrução Técnica 00011/2018-2, o Núcleo de Controle Ex-
5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Heron
nidos em sessão da Primeira Câmara, ante as razões expostas terno de Contabilidade e Economia verificou que as metas es-
Carlos Gomes de Oliveira.
pelo relator, em: tabelecidas na LDO são de periodicidade anual, tornando ne-
cessário o encerramento do exercício financeiro para a verifi- CONSELHEIRO SEBASTIÃO CARLOS RANNA DE MACEDO
1.1. Arquivar os autos após os trâmites legais, com fundamen- Presidente
cação da efetividade das medidas adotadas no que se refere
to no art. 330, IV da Resolução TC nº 261/13.
ao descompasso entre as metas previstas e o que foi realiza-
2. Unânime. do no período.
3. Data da Sessão: 07/03/2018 – 5ª Sessão Ordinária da Pri- Dada à perda do objeto, a área técnica sugeriu o arquivamen-
Decisão 00536/2018-6
meira Câmara. to dos autos, destacando que o conteúdo destes irá integrar/ Processo: 08478/2017-9
4. Especificação do quórum: subsidiar a análise da Prestação de Contas da Prefeitura de Iú- Classificação: Relatório Resumido de Execução Orçamentária
4.1. Conselheiros: Sebastião Carlos Ranna de Macedo (presi- na (exercício de 2017), permitindo assim a verificação, em defi- Exercício: 2017

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 44


ATOS DA 1 a CÂMARA

UG: PMV - Prefeitura Municipal de Viana VISTOS, relatados e discutidos estes autos, DECIDEM os Conse- ca, os indicativos de irregularidades na liquidação de despesas,
Relator: Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun lheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, reu- que em suma, se reportam à contratação de artistas e bandas
Parte: GILSON DANIEL BATISTA nidos em sessão da Primeira Câmara, ante as razões expostas para serem apresentados nas Festividades do 50º, 51º e 53º
pelo relator, em: Aniversário de Ecoporanga, 5º FORRÓ ECO, bem como no CAR-
RELATÓRIO RESUMIDO DE EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA – 4º BI-
1.1. Arquivar os autos após os trâmites legais, com fundamen- NAVAL DE ECOPORANGA (exercício de 2013).
MESTRE DE 2017 – 1) ARQUIVAR.
to no art. 330, IV da Resolução TC nº 261/13. Conforme auditoria realizada, através do Relatório de Inspeção
O EXMO. SR. CONSELHEIRO RODRIGO FLÁVIO FREIRE FARIAS
CHAMOUN: 2. Unânime. TC 019/2017-1, a equipe técnica apontou indícios de irregulari-
3. Data da Sessão: 07/03/2018 – 5ª Sessão Ordinária da Pri- dades sugerindo a citação exclusiva do prefeito.
I – RELATÓRIO:
meira Câmara. Nestas circunstâncias, foram constatadas irregularidades ati-
Trata-se de processo acerca do parecer de alerta emitido por
4. Especificação do quórum: nentes à liquidação irregular de despesas deflagradas em claro
este Tribunal em cumprimento ao disposto no art. 59, §1º, da
descumprimento à legislação em vigor, todavia, considerando
Lei de Responsabilidade Fiscal, após análise do Relatório Resu- 4.1. Conselheiros: Sebastião Carlos Ranna de Macedo (presi-
que foram indevidamente imputados exclusivamente ao pre-
mido de Execução Orçamentária, referente ao 4º bimestre do dente) e Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun (relator);
feito que, por assumir ações de governo, não deveria se imis-
exercício de 2017 da Prefeitura de Viana, verificando a possibi- 4.2. Conselheiros substitutos: Marco Antonio da Silva.
lidade do não atingimento das Metas de Arrecadação. cuir em procedimentos administrativos de acompanhamen-
5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Heron to na execução contratual e nos respectivos pagamentos dos
Na Instrução Técnica 00015/2018-1, o Núcleo de Controle Ex- Carlos Gomes de Oliveira. contratados, proferi o voto 5922/2017-6 determinando o re-
terno de Contabilidade e Economia verificou que as metas es- CONSELHEIRO SEBASTIÃO CARLOS RANNA DE MACEDO fazimento da matriz de responsabilização e consequente rea-
tabelecidas na LDO são de periodicidade anual, tornando ne- Presidente bertura da instrução processual, no que fui acompanhado in-
cessário o encerramento do exercício financeiro para a verifi-
tegralmente pela 1ª Câmara deste Tribunal, conforme Decisão
cação da efetividade das medidas adotadas no que se refere
3954/2017.
ao descompasso entre as metas previstas e o que foi realiza-
Decisão 00580/2018-7 Adiante, por não concordar em reabrir a instrução processual,
do no período.
Processo: 04150/2013-7 bem como, por entender correta a matriz de responsabilidade
Dada à perda do objeto, a área técnica sugeriu o arquivamento
Classificação: Controle Externo - Fiscalização - Denúncia por eles indicada, a SecexDenúncias apresentou a Manifesta-
dos autos, destacando que o conteúdo destes irá integrar/sub-
sidiar a análise da Prestação de Contas da Prefeitura de Viana UG: PME - Prefeitura Municipal de Ecoporanga ção Técnica 1643/2017-2, finalizando seus trabalhos com a se-
(exercício de 2017), permitindo assim a verificação, em defini- Relator: Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun guinte proposta:
tivo, do cumprimento dos ditames estabelecidos na Lei Com- Partes: Identidade preservada, PEDRO COSTA FILHO VI – CONCLUSÃO
plementar nº 101/2000, sendo acompanhado pelo Ministério EMENTA: REPRESENTAÇÃO - CITAÇÃO DO PREFEITO E DOS CHE- Ante todo o exposto concluímos que o trabalho levado a efeito
Público Especial de Contas através do Em. Procurador Luciano FES DE GABINETE. por auditores de controle externo desta Secex Denúncias, fo-
Vieira que pugnou pelo ARQUIVAMENTO dos autos. ram realizados de acordo com as Normas Governamentais de
O SR. CONSELHEIRO RODRIGO FLÁVIO FREIRE FARIAS CHA-
II – CONCLUSÃO: MOUN: Auditoria – NAG´s, bem como em consonância com o Regimen-
Ante o exposto, acompanhando o entendimento da Área Técni- to Interno desta Corte de Contas.
RELATÓRIO:
ca e do Ministério Público Especial de Contas, VOTO no sentido Por fim, reiteramos que a Secretaria de Controle Externo de
Tratam os autos de documentação protocolada neste Tribunal
de que o Colegiado aprove a seguinte minuta de Acórdão que Denúncias e Representações encontra-se a disposição do Con-
em 09/05/2013 pelo Sr. Robério Pinheiro Rodrigues, Vereador
submeto à sua consideração. selheiro Relator para dirimir eventuais dúvidas que surgirem
do Município de Ecoporanga na qual se refere às possíveis ir-
Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun regularidades no município de Ecoporanga, em desfavor do Sr. no curso da instrução processual.
Conselheiro Relator Pedro Costa Filho - Prefeito Municipal, enumerando diversos É o relatório. Passo à análise.
1. DELIBERAÇÃO: processos administrativos onde ocorreram, segundo sua óti- FUNDAMENTAÇÃO:

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 45


ATOS DA 1 a CÂMARA

Trata-se de supostas irregularidades na liquidação de despe- No que diz respeito à solicitação de diligência motivada por e, sim por ter realizado o pagamento para as empresas contra-
sas, que em suma, se reportam à contratação de artistas e ban- uma falha na Matriz de Responsabilização, tendo em vista a tadas, sem que fosse demonstrada a regular liquidação da des-
das para as Festividades do 50º, 51º e 53º Aniversário de Eco- responsabilização única do então Prefeito Municipal, passou- pesa, conforme descrição contida nas irregularidades constan-
poranga, 5º FORRÓ ECO, bem como no CARNAVAL DE ECOPO- -se a discorrer sobre o método de trabalho adotado pela área tes do relatório de inspeção em tela, ou seja, a conduta descri-
RANGA (exercício de 2013). técnica deste Tribunal, e neste momento, aludiu-se que: ta se reveste de características objetivas.
Considerando que as irregularidades se referiam à liquidação “(...) o Auditor de Controle Externo deve executar procedimen- Pois bem.
irregular de despesas em descumprimento à legislação em vi- tos de auditoria de forma a obter evidência de auditoria sufi- Primeiramente, importa esclarecer que a instrução processual
gor, e que foram, em meu entender, indevidamente imputa- ciente e apropriada e assim tirar suas conclusões para funda- destes autos está em curso, todavia, para a área técnica, a fa-
dos exclusivamente ao Prefeito que, por assumir ações de go- mentar a sua opinião. se em que foi proposta a citação dos responsáveis já teria sido
verno, não deveria se imiscuir em procedimentos administrati- Em outras palavras, deve agir com profissionalismo e indepen- ultrapassada quando do ingresso destes autos neste gabine-
vos de acompanhamento na execução contratual e nos respec- dência em seus trabalhos de campo e relatar somente aquilo te e, nessas condições, resta ao relator, enquanto condutor do
tivos pagamentos dos contratados, proferi o voto 5922/2017- que estiver devidamente embasado por meio de provas (evi- feito ao julgamento, a decisão, a ser apreciada pelo Colegiado
6, determinando o refazimento da matriz de responsabilização correspondente, para divergir da matriz de responsabilização
dências), ou seja, não há espaço para ‘presunções’”.
e consequente reabertura da instrução processual, no que fui apresentada e para propor a consequente reformulação da ci-
Seguiu afirmando o Secretário de Controle Externo de Denún-
acompanhado integralmente pela 1ª Câmara deste Tribunal, tação proposta.
cias e Representações:
conforme Decisão 3954/2017. No que concerne à individualização das responsabilidades,
Conclui-se, portanto, que documentos acostados ao presente
Diante das circunstâncias, a SecexDenúncias apresenta diver- destaque-se que a conduta do prefeito em autorizar, ao final, o
gência de entendimento quanto à determinação a eles enca- processo foram os únicos meios de prova utilizados para for-
pagamento da despesa, por si só, não o inclui como responsá-
minhada, sob o argumento de que a metodologia de trabalho mar opinião acerca da imputação de responsabilidade pelos fa-
vel exclusivo pela liquidação e nem pelo ateste de que os servi-
adotada pela área técnica estaria baseada nas regras impostas tos tidos por irregulares.
ços foram executados.
no Regimento Interno desta Corte de Contas, bem como nas Destacam, ainda, que apesar de não ser necessário, nem viá-
Nesta linha, a insuficiência de documentação nestes autos pa-
Normas de Auditoria Governamental – NAG´s. vel, justificar a não inclusão de determinado agente público co-
ra a imputação exclusiva do prefeito enseja a reformulação da
No tocante à possibilidade de reabertura processual, prevista mo responsável por irregularidades, a equipe técnica fez cons-
proposta citatória para suprir as falhas na individualização das
no artigo 321, parágrafo 1º, do RITCEES, alegou que deveria ser tar em seu relatório que o Sr. Marcos Antônio de Jesus não
condutas possivelmente praticadas por demais agentes que es-
precedida de três condicionantes: exerceu a conduta de ATESTAR a prestação dos serviços, supos-
tariam atuando na concretização da irregularidade apontada,
tamente, contratadas.
A primeira condicionante refere-se à PARTE FORMAL do pedi- que pode ser dada em solidariedade ao prefeito, ou não, de-
do, a qual entende-se devidamente cumprido por meio da pró- Entendemos, tal como os Auditores de Controle Externo sig- pendendo das condições verificadas mais adiante.
pria Decisão TC 3954/2017. natários do relatório de inspeção em destaque que não é pos- Assim sendo, compulsando os autos verifico evidenciado que
A Segunda é referente à FINALIDADE do pedido, ou seja, deve- sível afirmar, com base nas evidências coletadas, condutas re- os serviços em tela foram atestados pelo então chefe de gabi-
-se buscar a realização de diligências, sobre o qual abordare- prováveis de responsabilidade do Sr. Marcos Antônio de Jesus. nete, como exemplo:
mos em momento oportuno. Entendemos, ainda, que não há impedimento, consoante as re- Referente ao processo 5847/2008 - Contrato 113/2008 – Cons-
Por fim, a terceira condicionante refere-se ao MOMENTO do gras adotadas por este TCEES, para a imputação solitária da fi- ta às fls. 837 (volume V), despacho do então Chefe de Gabinete
pedido, ou seja, somente após o encerramento da fase de ins- gura do Ordenador de Despesas, desde que devidamente com- – Sr. Marcos Antônio de Jesus, encaminhando ao Secretário de
trução técnica. provada por meio de evidências, o que no caso concreto ocor- Finanças o ateste dos serviços prestados, conforme NF 0088;
reu.
Quanto à condicionante “MOMENTO”, alegam que a instrução Referente ao processo 078/2013 - Contrato 002/2013 - Cons-
técnica, na atual fase processual, encontrava-se aberta, razão Seguindo essa linha, concluiu com o seguinte argumento: ta às fls. 1130 (volume VI), despacho do então Chefe de Gabi-
pela qual entendiam que, tecnicamente, não seria o momento Não obstante, a responsabilidade do Prefeito Municipal não foi nete – Sr. Gefherson Alves da Silva, encaminhando à Secreta-
de provocar reabertura de instrução processual. motivada pelo fato de “... ser ele o Ordenador de Despesas...”, ria de Finanças o ateste dos serviços prestados, conforme NF

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 46


ATOS DA 1 a CÂMARA

Eletrônica. V – se limita a invocar precedente ou enunciado de súmula, la oriunda de julgamento de casos repetitivos, pode haver mo-
Nas hipóteses apresentadas pela SecexDenúncias, cabe a res- sem identificar seus fundamentos determinantes nem demons- dulação dos efeitos da alteração no interesse social e no da se-
salva de que, embora as notas fiscais emitidas pela realização trar que o caso sob julgamento se ajusta àqueles fundamentos; gurança jurídica.
dos serviços não viessem atestadas por servidor público devi- VI – deixar de seguir enunciado de súmula, jurisprudência ou §4º A modificação de enunciado de súmula, de jurisprudência
damente identificado, evidencia-se em sequência um pedido precedente invocado pela parte, sem demonstrar a existên- pacificada ou de tese adotada em julgamento de casos repeti-
do Setor Contábil para que o Chefe de Gabinete viesse a ins- cia de distinção no caso em julgamento ou a superação do en- tivos observará a necessidade de fundamentação adequada e
truir o processo, tendo o mesmo informado que a despesa re- tendimento. específica, considerando os princípios da segurança jurídica, da
feria-se à prestação de serviços da empresa contratada. Art. 926. Os tribunais devem uniformizar sua jurisprudência e proteção da confiança e da isonomia.
Percebe-se que a informação prestada pelo chefe de gabinete mantê-la estável, íntegra e coerente. §5º Os tribunais darão publicidade a seus precedentes, organi-
se tornou como base para que o prefeito viesse a determinar o § 1º Na forma estabelecida e segundo os pressupostos fixados zando-os por questão jurídica decidida e divulgando-os, prefe-
pagamento, numa aparente liquidação de despesas, já que foi no regimento interno, os tribunais editarão enunciados de sú- rencialmente, na rede mundial de computadores.
afirmado por aquele que os serviços referiam-se à prestação mula correspondentes a sua jurisprudência dominante. Depreende-se, pois, que os tribunais, nestes incluídos os Tribu-
de serviços pela empresa contratada, denotando que os servi- nais de Contas, não devem permitir divergências internas so-
§ 2º Ao editar enunciados de súmula, os tribunais devem ater-
ços estavam aptos ao pagamento, pois segundo o chefe de ga- bre questões jurídicas idênticas, como se cada magistrado ou
-se às circunstâncias fáticas dos precedentes que motivaram
binete, teriam sido prestados pela contratada. colegiado julgador não fizesse parte de um sistema e para es-
sua criação.
Não se pode olvidar que a informação do agente público que se desiderato convém que a jurisprudência seja uniformizada
Art. 927. Os juízes e os tribunais observarão:
solicitou os serviços e foi demandado ao final para instruir o com estabilidade.
I - as decisões do Supremo Tribunal Federal em controle con-
feito, no caso concreto, o chefe de gabinete em exercício no Os dispositivos legais suso transcritos aplicam-se de forma sub-
centrado de constitucionalidade;
período, se apresenta na cadeia processual de execução e pa- sidiária aos processos em trâmite nesta Corte por força do art.
gamento de uma despesa pública, como um ateste dos servi- II - os enunciados de súmula vinculante;
70 da LC 621/2012, e objetivam “privilegiar a busca pela unifor-
ços prestados, pois nada mais coerente seria a análise de con- III - os acórdãos em incidente de assunção de competência ou
mização e estabilização da jurisprudência e garantir a efetivida-
formidade dos serviços prestados pelo chefe da pasta que o de resolução de demandas repetitivas e em julgamento de re-
de do processo, notadamente das garantias constitucionais”.
solicitou. cursos extraordinário e especial repetitivos;
A Força dos Precedentes do Novo Código de Processo Civil, El-
Ademais, a Decisão 3954/2017, da 1ª Câmara, está em conso- IV - os enunciados das súmulas do Supremo Tribunal Federal pídio Donizetti, disponível em www.elpidiodonizetti.jusbrasil.
nância com diversos precedentes desta Corte de Contas, sendo em matéria constitucional e do Superior Tribunal de Justiça em com.br/artigos/155178268/a-forca-dos-precedentes-do-novo-
válido discorrer sobre a importância de se seguir os preceden- matéria infraconstitucional; -codigo-de-processo-civil. Acesso em 23 de outubro de 2017.
tes, de modo a conferir observância aos princípios constitucio- V - a orientação do plenário ou do órgão especial aos quais es- Ainda tratando sobre a valorização do precedente, o Minis-
nais norteadores do ordenamento jurídico pátrio. tiverem vinculados. tro do Superior Tribunal de Justiça, Paulo de Tarso Sanseveri-
Há de se destacar que os precedentes estão ganhando impor- §1° Os juízes e os tribunais observarão o disposto no art. 10 no, destacou:
tância, objetivando imprimir maior segurança jurídica aos ju- e no art. 489, § 1o, quando decidirem com fundamento nes- “Esse ponto é, particularmente, muito positivo para o STJ, cuja
risdicionados e maior celeridade ao trâmite processual. Inclu- te artigo. missão é a uniformização da interpretação da legislação fede-
sive, o Novo CPC trouxe menção expressa a essa relevância ao §2º A alteração de tese jurídica adotada em enunciado de sú- ral. Então, através de institutos como a valorização dos recur-
estabelecer as regras dos arts. 489, 926 e 927, cujos grifos ora mula ou em julgamento de casos repetitivos poderá ser prece- sos repetitivos e o incidente de assunção de competência, nós
se mostram adequados: dida de audiências públicas e da participação de pessoas, ór- teremos ainda mais mecanismos para uma melhor aplicação
Art. 489 (...) gãos ou entidades que possam contribuir para a rediscussão do direito federal, com muito mais segurança jurídica e igual-
§ 1º Não se considera fundamentada qualquer decisão judi- da tese. dade na aplicação da lei para todos os cidadãos”. In: BRASIL.
cial, seja ela interlocutória, sentença ou acórdão, que: §3º Na hipótese de alteração de jurisprudência dominante do Superior Tribunal de Justiça. Valorização dos precedentes juris-
(...) Supremo Tribunal Federal e dos tribunais superiores ou daque- prudenciais é destaque do Novo CPC que entra em vigor hoje.

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 47


ATOS DA 1 a CÂMARA

Disponível em: <http://laurochammacorreia.jusbrasil.com.br/ (...) 2. DA AUSÊNCIA DA MATRIZ DE RESPONSABILIDADE NOS ve conter todos os elementos do ato administrativo, a fim de
noticias/315649923/valorizacao-de-precedentesjurispruden- AUTOS DO PROCESSO TC 4580/2009 produzir um efeito específico e que é essencial para a decisão
ciais-e-destaque-do-novo-cpc-que-entra-em-vigor-hoje-18>. (...) A elaboração da matriz de responsabilização indica que a administrativa.
Acesso em: 07/12/2017. responsabilidade não pode recair unicamente sobre os Chefes Assim, a unidade de efeitos decorre exatamente do fato de
Corroborando o protagonismo dos precedentes no novo CPC, o de Poder ou sobre os altos dirigentes dos órgãos públicos, pe- que, embora cada ato seja manifestado com uma finalidade es-
Ministro Gurgel de Faria, também se posicionou: la simples razão do cargo que ocupam, sendo imprescindível a pecífica, todos os atos de um processo têm em vista uma única
“A grande novidade do novo código é a força maior que traz análise das condutas dos demais agentes públicos que partici- manifestação de vontade da Administração.
com relação aos precedentes. Especificamente no que diz res- param para configuração da irregularidade, sob pena de viola- (...) vê-se que a última característica é a relação de causalidade,
peito aos recursos especiais repetitivos. Nós temos que traba- ção a responsabilidade subjetiva, cuja demonstração rechaça a isto é, na medida em que cada ato é pressuposto e causa do su-
lhar muito, no âmbito do STJ, com relação à adoção dos repeti- responsabilidade presumida. cessor, se os atos não forem praticados na sequência lógica, to-
tivos, para que possamos dar uma resposta célere à grande de- Alinho-me, neste caso, ao pensamento do Conselheiro Rodri- dos serão viciados, pois tal vício, em um procedimento, rompe
manda que aqui chega”. In: BRASIL. Superior Tribunal de Justi- go Flávio Freire Farias Chamoun, tomando de empréstimo su- com a cadeia causal a partir da prática do ato que não teve re-
ça. Valorização dos precedentes jurisprudenciais é destaque do as palavras, no sentido de que um Prefeito, além das atribui- lação de efeito do anterior.
Novo CPC que entra em vigor hoje. Disponível em: ções político-gerenciais, desempenha, também, tarefas de ín- (...) Ocorre que em não havendo a matriz de responsabilidade,
<http://laurochammacorreia.jusbrasil.com.br/noti - dole administrativa, o que inviabilizaria a abrangência de uma imputando se o nexo causal respectivo, não se mostra viável a
cias/315649923/valorizacao-de-precedentesjurisprudenciais- conduta de forma onipotente, eis que não caberia ao Prefeito verificação do grau de reprovabilidade da conduta, de manei-
-e-destaque-do-novo-cpc-que-entra-em-vigor-hoje-18>. Aces- a tudo se encarregar. ra que sua imputação assume faceta de responsabilidade ob-
so em: 07/12/2017. (...) Portanto, uma decisão administrativa não depende, majo- jetiva, o que, via de regra, é vedado pelo ordenamento jurídi-
Não restam dúvidas, pois, de que o ordenamento jurídico bra- ritariamente, da vontade única e exclusiva de um agente pú- co vigente.
sileiro acolheu o modo de operar com precedentes e mais, en- blico, pelo contrário, as inúmeras decisões da Administração (...) Há, pois, necessidade de demonstração da devida relação
controu nos princípios constitucionais, o norte para a valori- Pública, ainda que tenham o ato final expedido por um único de causalidade com a atuação do agente, para além, de uma
zação da jurisprudência estável como forma de tranquilização agente, dependem do trabalho conjunto de inúmeros agentes simples aposição de uma assinatura por dever de ofício, isto é,
social. que atuam por meio de um processo administrativo. em decorrência da mera relação formal por exercício de com-
Nesse sentido, saliento os julgados recentes deste Tribunal de (...) Neste sentido, o procedimento administrativo constitui-se petência, ao se assinar um contrato, um aditivo ou ordem de
Contas, em que este Plenário decidiu pela impossibilidade de de atos intermediários, preparatórios e autônomos, mas sem- pagamento, um balanço, quando se verificar ser esta a única
responsabilizar exclusivamente o Ordenador de Despesas, nos pre interligados que se conjugam para dar conteúdo e forma ao conduta possível, mormente quando já ouvidos os diversos ór-
casos em que não havia sido demonstrado o nexo de causalida- ato principal e final colimado pelo Poder Público. gãos de assessoramento, o próprio controle interno.
de entre a sua conduta e a irregularidade imputada, numa cor- As operações intermediárias, à medida que se realizam, sem Portanto, ocorre neste caso que se denomina inexigibilidade
reta matriz de responsabilização, em situações idênticas a pre- oposição dos interessados, tornam-se definitivas para a Admi- de conduta funcional diversa, que na teoria geral dos atos ju-
sente hipótese, todos disponíveis em https://mapjuris.tce.es. nistração e para o administrado. rídicos, é excludente de responsabilização e, mais do que isso,
gov.br/, acesso em 07 de dezembro de 2017: Nessa esteira, a Administração Pública realiza sua função exe- apesar de existir formalmente, a relação de causalidade entre
[Responsabilidade. Chefe de Poder. Ausência de matriz de res- cutiva por meio de atos jurídicos que recebem a denominação ato e dano, fica rompida, ao menos quanto ao seu conteúdo,
ponsabilização. Impossibilidade de responsabilização objetiva especial de atos administrativos, onde o ato principal é o que a saber, o de responder pelos prejuízos ao erário, por ação ou
do agente público. Nexo de causalidade não demonstrado] encerra a manifestação de vontade final da Administração e o omissão, culpa ou dolo.
 ACÓRDÃO TC-608/2017 - PRIMEIRA CÂMARA ato intermediário ou preparatório é o que concorre para a for- (...) Por fim, concluo que a instrução do feito não obedeceu aos
Cuidam os presentes autos da Prestação de Contas Anual da mação de um ato principal e final. trâmites constitucionais e legais necessários, devido à ausência
Câmara Municipal de Santa Leopoldina, referente ao exercício A autonomia implica a existência individual de cada ato, de for- da caracterização da responsabilidade de todos os agentes que
de 2008, sob a responsabilidade do Sr. (...), então Presidente. ma que cada ato integrante de um processo administrativo de- influíram para a irregularidade, o nexo de causalidade, bem co-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 48


ATOS DA 1 a CÂMARA

mo da matriz de responsabilidade, prejudicando sobremaneira a a proposta de citação de outros agentes públicos, no caso, o Pre-
individualização da pena, resultando na possibilidade de atribui- feito Municipal e os chefes de gabinete que atestaram as despesas
A Prestação de Contas
ção de responsabilidade além da realmente devida, motivo pelo decorrentes dos Contratos 113/2008 e 002/2013.
qual é de se afastar a responsabilidade do então Presidente da Câ- PROPOSTA DE DELIBERAÇÃO:
mara Municipal. Anual (PCA) do Estado e dos
Pelo exposto, tendo em vista a competência a mim conferida pelo
municípios
 [Responsabilidade. Matriz de responsabilidades. capixabas
Individualização art. 29, V,já
da Lei Complementar Estadual 621/2012 (Lei Orgânica
da conduta]
pode ser feita no sistema do TCEES), divergindo do entendimento vertido na Manifestação
ACÓRDÃO TC-832/2017 - PRIMEIRA CÂMARA Técnica 1643/2017, VOTO, no sentido de que o Colegiado apro-
CidadES do TCE-ES.
Cuidam os presentes autos de auditoria/fiscalização ordinária, re- ve a seguinte proposta de deliberação que submeto à sua consi-
alizada na Prefeitura Municipal de São José do Calçado, relativa deração. A Prestação de Contas
ao exercício de 2008, que resultou no Relatório de Auditoria RA-O Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun Anual (PCA) do Estado e dos
88/2011, onde fora verificada a presença de indícios de irregula- Conselheiro
ridades, consignados na Instrução Técnica Inicial ITI - 1077/2011, 1. DELIBERAÇÃO:
municípios capixabas já
culminando na Decisão Preliminar TC 013/2012.
Vistos, relatados e discutidos os autos do Processo TC 4150/2013, pode ser feita no sistema
 (...) 2.2 PRELIMINAR REFERENTE À AUSÊNCIA DE MATRIZ DE RES-
PONSABILIDADE:
O prazo final para a
DECIDEM os Conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Es- CidadES do TCE-ES.
pírito Santo, reunidos em Sessão Plenária em:
entrega1.1.éCITAR
A área técnica identificou ausência de matriz de responsabilida- 31 ode Prefeito Municipal, Sr. Pedro Costa Filho e os Chefes
de nos presentes autos, de forma que não houve a correta indivi- março.
de Gabinete – Sr. Marcos Antônio de Jesus (referente ao proces-
dualização das condutas de todos os responsáveis que contribuí- so 5847/2008 - Contrato 113/2008) e Sr. Gefherson Alves da Sil-
ram para ocorrência das irregularidades indicadas, sugerindo a re- va (referente ao processo 078/2013 - Contrato 002/2013), confor-
abertura da instrução processual em autos apartados. me fundamentado neste voto, para que no prazo de 30 (trinta)
Nesse contexto, destaca-se que a presença da correta  ma- dias improrrogáveis (art. 157, II, da Resolução TCEES nº 261/2013),
triz de responsabilidade é pressuposto necessário para correta im- prestem os esclarecimentos que julgarem pertinentes, quanto aos
putação de responsabilização pela prática de irregularidades, sen- indicativos de irregularidades apresentados na Instrução Técnica
do que a sua ausência resulta na necessidade de afastamento das Inicial ITI 1091/2017-5.
irregularidades apontadas ou de refazimento de toda instrução 2. Unânime.
técnica inicial com observância da matriz de responsabilidade.
3. Data da Sessão: 14/03/2017 – 6ª Sessão Ordinária da Primei-
 Ocorre que, nestes autos, é possível verificar que a matriz de res- ra Câmara.
ponsabilidade presente na ITI nº 02157/2017 não especificou as
4. Especificação do quórum:
condutas, o nexo causal e a culpabilidade de forma que não há
dúvidas quanto à ausência da correta  matriz de responsabilida- 4.1. Conselheiros: Sebastião Carlos Ranna de Macedo (presidente) www.cidades.tce.es.gov.br
de em face dos responsáveis, motivo pelo qual divirjo da posição e Rodrigo Flávio Freire Farias Chamoun (relator);
externada pela área técnica, rejeitando a reabertura do feito, em 4.2. Conselheiros substitutos: Marco Antonio da Silva (em subs-
razão do princípio da duração razoável do processo, extinguindo- tituição).
-se o feito com julgamento do mérito em razão do acolhimento da 5. Membro do Ministério Público Especial de Contas: Luís Henri-
prescrição da pretensão punitiva por parte desta Corte de Contas.  que Anastácio da Silva.
Ante o exposto, tendo em vista a necessária correção na instrução CONSELHEIRO SEBASTIÃO CARLOS RANNA DE MACEDO
processual do presente feito, voto submetendo à Primeira Câmara Presidente

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 49


ATOS DA 2 a CÂMARA

O Núcleo de Engenharia e Obras Públicas – NEO, elaborou a Ma-


2 a CÂMARA Atos da 2ª Câmara nifestação Técnica Preliminar nº 670/2014, sugerindo a dispen-
sa da realização dos procedimentos de fiscalização nas contrata-
Outras Decisões - 2ª Câmara ções referentes a obras e serviços de engenharia, que após ouvi-
do o Ministério Público de Contas fosse determinado o arquiva-
NOTIFICAÇÃO do conteúdo dispositivo da(s) Decisão(ões) abaixo,
mento do mesmo e remetido o Processo TC 2693/2008 à Secre-
nos termos do artigo 66, parágrafo único, da Lei Complementar
taria Competente.
nº 621/2012, encontrando-se os autos na Secretaria Geral das
Sessões no Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo. Por meio do Acórdão 1819/2015 decidiram os Conselheiros,
desapensar o processo TC 2963/2008 e arquivar o processo TC
Decisão 00418/2018-5
750/2009.
Processos: 00750/2009-8, 04098/2016-1
Assim sendo, o Ministério Público de Contas interpôs Pedido de
COMPOSIÇÃO DA 2a CÂMARA Classificação: Auditoria Ordinária
Reexame em face do Acórdão TC 1819/2015, alegando que con-
Exercício: 2008 quanto tenha concordado com a possibilidade de “dispensa da
Conselheiros
UG: PMAB - Prefeitura Municipal de Águia Branca realização dos procedimentos de fiscalização nas contratações
Sérgio Manoel Nader Borges - Presidente
Domingos Augusto Taufner Relator: Domingos Augusto Taufner de obras e serviços de engenharia”, divergiu da área técnica, ma-
Partes: Ministério Público de Contas, Jailson Jose Quiuqui, Joao nifestando-se pela revogação da Decisão Preliminar TC 425/2009
Menegardo Diirr, Fonseca &Oliveira S/C LTDA - ME, Paulo Pires e pelo prosseguimento dos feitos nos termos regimentais, tendo
Conselheiros-substitutos da Fonseca em vista que “a execução da diligência ainda encontra-se no âm-
João Luiz Cotta Lovatti bito da discricionariedade do Tribunal”.
Procurador: RICARDO XIMENES DE SOUZA (OAB: 21196-ES),
Com isso, decidiu o Plenário por meio do Acórdão TC 189/2017
FISCALIZAÇÃO AUDITORIA – DESCONSIDERAÇÃO DA PESSOA JU-
conhecer o pedido de reexame, reformular o Acórdão TC
RÍDICA - CITAÇÃO
Ministério Público Especial de Contas 1819/2015 determinando a dispensa da realização dos procedi-
O EXMO. SR. CONSELHEIRO DOMINGOS AUGUSTO TAUFNER:
mentos de fiscalização nos contratos de obras e serviço de enge-
RELATÓRIO nharia, bem como prosseguimento do feito em razão do seguin-
Trata o presente processo de Relatório de Auditoria Ordinária nº te indício de irregularidade: item 5.2.1.2 do RA-O 82/2009 “Não
82/2009, em cumprimento ao Plano e Programa de Auditoria Or- comprovação de liquidação de despesa” sobre o qual incide pos-
dinária nº 014/2009, realizado na Prefeitura Municipal de Águia sível dano ao erário de 18.743,43 VRTE.
Branca. Ato contínuo, os autos seguiram para a Secretaria de Controle
O Relatório de Auditoria RA-O 82/2009 apontou alguns indícios Externo de Fiscalização dos Municípios – SecexMunicipios que
de irregularidades, tendo a Instrução Técnica Inicial nº 489/2009 elaborou a Instrução Técnica Inicial nº 01453/2017-1 opinando
sugerido a citação do Sr. Jaílson José Quiuqui. por declarar a desconsideração da pessoa jurídica Fonseca e Oli-
Por meio da Decisão Preliminar nº 425/2009 o então Conselhei- veira S/C Ltda., atribuindo responsabilidade ao sócio Paulo Pires
ro Relator a época, entendeu por converter o julgamento em di- da Fonseca, citação dos responsáveis e aplicação de multa.
ligência, para que fosse realizada a análise dos processos licitató- Após, temos as Notas Taquigráficas nº 00032/2018-4 referentes
SESSÕES rios relacionados à contratação de obras e serviços de engenha- à 03ª Sessão Ordinária realizada no dia 21/02/2018 em que o Sr.
Quartas-feiras às 10 horas ria e também a devida análise dos aspectos relacionados à exe- Ricardo Ximenes de Souza – representante do Sr. Jailson Quiu-
cução física das obras e serviços, inclusive aquelas custeadas por qui, solicitou questão de ordem referente a matéria do pedido
convênios estaduais. de reexame interposto pelo Ministério Público de Contas que se-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 50


ATOS DA 2 a CÂMARA

ria intempestivo responsabilidade, Fonseca e Oliveira S/C Ltda. – Empresa Con- Ante todo o exposto, acompanhando parcialmente o entendi-
É o relatório. Passo a fundamentação. tratada por receber pagamentos sem demonstrar a efetiva con- mento da Área Técnica, VOTO para que seja adotada a delibera-
FUNDAMENTAÇÃO traprestação dos serviços contratados e Paulo Pires da Fonseca – ção que ora submeto à apreciação deste Colegiado.
Advogado Sócio representante da Empresa Contratada e ao mes- DOMINGOS AUGUSTO TAUFNER
Inicialmente irei tratar da questão de ordem suscitada pelo
mo tempo parecerista jurídico do Convite nº 03/2008, entendo Relator
Sr. Ricardo Ximenes de Souza, que diz respeito ao Processo TC
como correta a citação dos responsáveis, motivo pelo qual acom-
4098/2016 interposto pelo Ministério Público de Contas, cumpre 1. DELIBERAÇÃO:
panho o entendimento técnico.
destacar que o referido recurso já foi julgado conforme o Acór- Vistos, relatados e discutidos estes autos, DECIDEM os Conse-
Com relação à Desconsideração da Pessoa Jurídica Fonseca e Oli-
dão TC 189/2017 que conheceu o pedido de reexame, reformu- lheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, reuni-
veira S/C Ltda., o Sr. Paulo Pires da Fonseca atuou como parece-
lar o Acórdão TC 1819/2015 determinando a dispensa da realiza- dos em Sessão Colegiada, ante as razões expostas pelo Relator:
rista jurídico do processo administrativo (Convite 03/2008) e ao
ção dos procedimentos de fiscalização nos contratos de obras e 1.1. Declarar a desconsideração da pessoa jurídica Fonseca e Oli-
mesmo tempo, atuou como representante da Empresa Contrata-
serviço de engenharia, bem como prosseguimento do feito em veira s/c Ltda., para atribuir responsabilidade ao sócio represen-
da na mesma licitação.
razão do seguinte indício de irregularidade: item 5.2.1.2 do RA- tante Paulo Pires da Fonseca, de acordo com o disposto no arti-
-O 82/2009 “Não comprovação de liquidação de despesa” sobre Destaca-se ainda que as demais empresas convidadas não com-
go 50 do Código Civil;
o qual incide possível dano ao erário de 18.743,43 VRTE. Com is- pareceram ao certame e o próprio representante da Empresa,
agora na condição de parecerista jurídico, opinou pela sua pró- 1.2. CITAR os Srs. Jaílson José Quiuqui – Ex-Prefeito Municipal,
so, entendo já superada qualquer análise em relação ao referido
pria contratação. João Menegardo Diirr – Ex-Secretário Municipal da Administra-
recurso, destacando ainda que o mesmo já possui a Certidão de
É importante destacar o artigo 50 do Código Civil que diz que o ção, Paulo Pires da Fonseca – Advogado sócio representante da
Trânsito em Julgado nº 01124/2017-6.
abuso de personalidade jurídica é caracterizado pelo desvio de fi- Empresa Contratada e Parecerista Jurídico e a Empresa Fonse-
Passarei agora a análise do presente processo que trata de Audi- ca e Oliveira S/C LTDA tendo em vista a informação contida na
nalidade ou pela confusão patrimonial, conforme transcrito abai-
toria Ordinária realizada na Prefeitura de Águia Branca, referen- Instrução Técnica Inicial nº 01453/2017-1, para que no prazo de
xo:
te ao exercício de 2008. 30 (trinta) dias improrrogáveis (art. 157, II do Regimento Inter-
Art. 50. Em caso de abuso da personalidade jurídica, caracteriza-
Na Instrução Técnica Inicial nº 01453/2017-1 foi apontado como no desta Corte de Contas), prestem os esclarecimentos que jul-
do pelo desvio de finalidade, ou pela confusão patrimonial, po-
indício de irregularidade: garem pertinentes e/ou recolham a importância devida, quanto
de o juiz decidir, a requerimento da parte, ou do Ministério Pú-
1. Não comprovação de liquidação de despesa. ao indício de irregularidade apontado na Instrução Técnica Inicial
blico quando lhe couber intervir no processo, que os efeitos de
A referida irregularidade diz respeito ao Convite nº 003/2008 ITI 01453/2017-1;
certas e determinadas relações de obrigações sejam estendidos
que tinha como objeto a contratação de empresa para prestação aos bens particulares dos administradores ou sócios da pessoa 1.3. Determinar o encaminhamento de cópia integral da Instru-
de serviço de assessoria jurídica. jurídica. ção Técnica Inicial nº 01453/2017-1, e do Relatório de Auditoria
A equipe de auditoria não verificou de forma objetiva e clara a Ordinária nº 00082/2009-9 para remessa aos interessados, jun-
Com isso, fica caracterizado o abuso da personalidade jurídica e
realização de tal serviço, e destacou que foram verificados ape- tamente com os Termos de Citação;
a necessidade de desconsiderar a pessoa jurídica Fonseca e Oli-
nas alguns pareceres nas licitações (Relatório de Auditoria nº veira S/C Ltda., atribuindo responsabilidade ao Sr. Paulo Pires da 1.4. ADVERTÊNCIAS:
82/2009), alegou ainda que os responsáveis são passíveis de de- Fonseca já que o mesmo foi parecerista jurídico do processo ad- 1.4.1. Não cabe recurso da decisão que determinar a CITAÇÃO,
volução dos valores pagos pelo Município de Águia Branca, no ministrativo (Convite 03/2008) e atuou como representante da na forma do art. 153, inciso II, da Lei Complementar 621/2012.
total de R$ 33.949,99, equivalentes a 18.743,43 VRTE. Empresa contratada. 1.4.2. Na forma do inciso I, do § 1º, do Artigo 64, da Lei Comple-
Foram apontados como responsáveis os Srs. Jaílson José Quiuqui Já em relação à aplicação de multa sugerida pela equipe técnica, mentar 621/2012, a comunicação dos atos processuais ter-se-á
– Ex-Prefeito por ter autorizado o pagamento sem verificar a cor- entendo que esse ainda não é o momento processual para a apli- como realizada quando confirmada por recibo assinado por pes-
reta liquidação de despesa, João Menegardo Diirr – Ex-Secretário cação da mesma, já que ainda estamos na fase inicial do proces- soa encarregada de receber correspondência, ou, conforme o ca-
da Administração por não ter fiscalizado o serviço objeto do con- so, não sendo necessária a aplicação de multa nesse momento, so, por membro da família ou empregado do responsável ou do
trato nº 53/2008, oriundo do convite 03/2008, quando era sua sem prejuízo de que esta multa seja dada posteriormente. interessado.

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 51


ATOS DA 2 a CÂMARA

1.4.3. As demais comunicações pós-citação serão feitas na forma equipe, selecionando-se o Município de Marilândia para fiscali-
Decisão 00419/2018-1
do artigo 241 do Regimento Interno, ou seja, pelo Diário Oficial zação no exercício de 2016.
Processo: 04349/2016-4
Eletrônico do Tribunal de Contas do Espírito Santo instituído pelo Destarte, instruída a fiscalização do Relatório de Auditoria
Classificação: Controle Externo - Fiscalização - Auditoria
artigo 181 da Lei Complementar 621/2012 e regulamentado pe- 00051/2016-1 e seus apêndices, foram acolhidas as sugestões
Exercício: 2015
la Resolução TC 262/2013. nele inscritas, consideradas no escopo da auditoria em identifi-
UG: PMM - Prefeitura Municipal de Marilândia car problemas e propor medidas destinadas a tornar a Adminis-
1.4.4.Poderá o interessado exercer sua defesa por todos os
Relator: João Luiz Cotta Lovatti tração Tributária Municipal mais eficiente, retratadas na Instru-
meios em direito admitidos, e querendo exercer o direito de sus-
Partes: GEDER CAMATA, OSMAR PASSAMANI, MARIA NATALINA ção Técnica Inicial ITI 00024/2017-1.
tentação oral, deverão ser observados os requisitos do art. 327
do Regimento Interno do Tribunal de Contas quando do julga- CASALI, WILSON HAESE, EVANDRO VERMELHO, VALDEIR LUCIA- A Segunda Câmara deste Tribunal, em sua 11ª Sessão Ordiná-
NO GOLDNER ria, acompanhando o voto do Relator e nos termos da Decisão
mento dos presentes autos, cuja data será publicada no Diário
FISCALIZAÇAO- AUDITORIA – NOTIFICAR – PRAZO : 60 DIAS – RE- 01347/2017-2, de 19/04/2017, decidiu NOTIFICAR os Senhores
Oficial Eletrônico do Tribunal de Contas do Espírito Santo por
COMENDAR Osmar Passamani, Maria Natalina Casali, Wilson Haese, Valdeir
meio da divulgação da pauta de julgamento na forma do art. 101
O CONSELHEIRO EM SUBSTITUIÇÃO JOÃO LUIZ COTTA LOVATTI: Luciano Goldner e Evandro Vermelho, para que tomassem ciên-
do mesmo diploma regimental, tudo em observância aos princí-
cia dos indicativos e das proposições suscitadas constantes do
pios constitucionais do devido processo legal, do contraditório, Trata-se de fiscalização na área temática RECEITAS PÚBLICAS,
Relatório de Auditoria 51/2016 e seus apêndices e também NO-
da ampla defesa, bem como da publicidade. realizada na Prefeitura Municipal de Marilândia/ES, relativo ao
TIFICAR o Município de Marilândia, na pessoa do atual Chefe do
exercício de 2016, decorrente do Plano de Fiscalização 2017.
1.4.5. Para fins de aplicação do Artigo 87, do § 2º, da Lei Comple- Executivo, Senhor Géder Camata, para que apresentasse no pra-
mentar 621/2012, os responsáveis deverão observar a necessi- O presente feito atende a proposição contida no Plano Anual de
zo de 90 (noventa) dias, considerações quanto aos achados de
dade de demonstração de boa-fé na prática de atos e/ou omis- Fiscalização para o exercício de 2016, aprovado na 41º sessão
auditoria constantes do Relatório de Auditoria 51/2016 e Instru-
sões reportadas na Instrução Técnica Inicial. plenária de 2015, quanto à realização de auditoria concernen-
ção Técnica Inicial ITI-24/2017.
te à administração tributária dos Municípios do Estado do Espi-
1.4.6. Ressalto que o não atendimento desta solicitação pode- Tendo o gestor se manifestado a respeito dos achados e encami-
rito Santo.
rá implicar em sanção de multa, conforme disposição dos arts. nhado proposições de ações a serem implementadas na Unidade
Segundo informações dos autos, preliminarmente à auditoria,
135, §2º, da LC 621/12 e 391, do Regimento Interno desta Cor- Gestora, foram os autos encaminhados à Secretaria de Controle
foi realizado levantamento relacionado à administração tribu-
te de Contas. Externo de Fiscalização de Municípios que elaborou a Manifesta-
tária de cada município do Estado do Espírito Santo, buscando
ção Técnica 01672/2017-9.
2. Unânime. identificar o cumprimento de requisitos mínimos relacionados
Sugeriu a área técnica a notificação do atual Prefeito de Mari-
3. Data da Sessão: 28/2/2018 – 4ª sessão ordinária da Segun- ao aparelhamento e operacionalização da estrutura arrecadató-
lândia para cumprir algumas determinações presentes no item 3
da Câmara. ria municipal.
da Manifestação Técnica 01672/2017-9 e determinação ao atual
4. Especificação do quórum: O resultado do levantamento permitiu traçar uma avaliação ge-
Prefeito para que implemente ações consideradas como de apli-
4.1. Conselheiros: Sérgio Manoel Nader Borges (presidente) e ral e individualizada acerca da estrutura de fiscalização, arreca-
cação imediata.
Domingos Augusto Taufner (relator); dação e cobrança de todos os municípios do estado do Espíri-
Assim, VOTO no sentido de que o Colegiado aprove a seguinte
to Santo, consubstanciada no Relatório de Levantamento RLE nº
4.2. Conselheiros substitutos: João Luiz Cotta Lovatti (em subs- minuta de Decisão que submeto à sua consideração.
03/2015, inserido no bojo do processo TC 4548/2015.
tituição). JOÃO LUIZ COTTA LOVATTI
Esse relatório possibilitou o estabelecimento do escopo da audi-
5. Membro do Ministério Público: Heron Carlos Gomes de Oli- toria e a seleção dos jurisdicionados a ser objeto de fiscalização Conselheiro em Substituição
veira. in loco, dentre aqueles que apresentaram as maiores deficiências 1. DELIBERAÇÃO
CONSELHEIRO SÉRGIO MANOEL NADER BORGES técnicas (riscos) quanto aos índices avaliados nos questionários, VISTOS, relatados e discutidos estes autos, DECIDEM os Conse-
Presidente levando-se em conta as faixas populacionais estabelecidas pela lheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, reuni-

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 52


ATOS DA 2 a CÂMARA

dos em sessão da segunda câmara, ante as razões expostas pe- ência do encargo a ele confiado no Plano de Ação. 3.6 AUSÊNCIA DE REGULAMENTAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO TRI-
lo relator, em: Inobstante a condição de ausência de responsável pela ação in- BUTÁRIA
1.1. NOTIFICAR o atual Prefeito de Marilândia/ES, senhor GE- dicada, recomenda-se, a bem do Princípio do Interesse Público, a Sugere-se a indicação do responsável e sua respectiva anuência
DER CAMATA, nos termos do artigo 8º da Resolução TC nº imediata implementação das ações ora propostas, visto que tais para a implementação da ação proposta.
298/2016 c/c os artigos 206, §2º, e 358, inciso III, da Resolução ações independem de homologação pela não indicação do seu Assim sendo, sugere-se também que este Sodalício assine prazo
TC 261/2013, que cuida do Regimento Interno deste Tribunal c/c responsável. determinando ao Gestor a apresentação do nome do responsá-
o artigo 63, inciso III, da Lei Orgânica deste Tribunal, para que, no Desse modo, após saneadas as ressalvas ora indicadas, sugeri- vel pela ação em tela, com sua correspondente assinatura, dan-
prazo de 60 (sessenta) dias: mos a homologação do presente item. do ciência do encargo a ele confiado no Plano de Ação.
Cumpra as DETERMINAÇÕES abaixo relacionadas, relativas à 3.3 IRREGULARIDADES NA CONCESSÃO DE BENEFÍCIOS FISCAIS Inobstante a condição de ausência de responsável pela ação in-
Análise dos Planos de Ação, com base no artigo 7º, da Resolução Sugere-se a indicação do responsável e sua respectiva anuência dicada, recomenda-se, a bem do Princípio do Interesse Público, a
TC nº 298/2016 e em especial o art. 37 da CF e o art. 11 da LRF, para a implementação da ação proposta. imediata implementação das ações ora propostas, visto que tais
alertando-o de que o não atendimento injustificado o sujeita às ações independem de homologação pela não indicação do seu
Assim sendo, sugere-se ainda que este Sodalício assine prazo de-
sanções previstas no art. 1º, inciso XXXII e artigo 135, inciso IV, da responsável.
terminando ao Gestor a apresentação do nome do responsável
Lei Orgânica deste Tribunal c/c artigo 389, inciso IV, da Resolução Desse modo, após saneadas as ressalvas ora indicadas, sugeri-
pela ação em tela, com sua correspondente assinatura, dando ci-
TC 261/2013, que cuida do Regimento Interno deste Tribunal. ência do encargo a ele confiado no Plano de Ação. mos a homologação do presente item.
3.1- AUSÊNCIA DE REVISÃO DA PLANTA GENÉRICA DE VALORES Inobstante a condição de ausência de responsável pela ação in- 3.8 NÃO PRIORIZAÇÃO DE RECURSOS À ADMINISTRAÇÃO TRIBU-
Sugere-se a indicação do responsável e sua respectiva anuência dicada, recomenda-se, a bem do Princípio do Interesse Público, a TÁRIA
para a implementação da ação proposta. imediata implementação das ações ora propostas, visto que tais Sugere-se a indicação do responsável e sua respectiva anuência
Assim sendo, sugere-se também que este Sodalício assine prazo ações independem de homologação pela não indicação do seu para a implementação da ação proposta.
determinando ao Gestor a apresentação do nome do responsá- responsável. Outrossim, sugerimos ainda que este Sodalício assine prazo de-
vel pela ação em tela, com sua correspondente assinatura, dan- Desse modo, após saneadas as ressalvas ora indicadas, sugeri- terminando ao Gestor a apresentação do nome do responsável
do ciência do encargo a ele confiado no Plano de Ação. mos a homologação do presente item. pelas ações em tela, com sua correspondente assinatura, dando
Inobstante a condição de ausência de responsável pela ação in- 3.5 CARGOS DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DESPROVIDOS DE ciência do encargo a ele confiado no Plano de Ação.
dicada, recomenda-se, a bem do Princípio do Interesse Público, a ATRIBUIÇÕES LEGAIS EXPRESSAS Restou prejudicada a indicação da homologação para condição
imediata implementação das ações ora propostas, visto que tais Sugere-se a indicação do responsável e sua respectiva anuência de execução da ação já levada a termo pelo Gestor quanto ao
ações independem de homologação pela não indicação do seu para a implementação da ação proposta. Problema 3, em virtude de atribuições restritas ao cargo de Fis-
responsável. cal de Tributos passarem a serem executadas por Agente Fiscal,
Assim sendo, sugere-se ainda que este Sodalício assine prazo de-
Desse modo, após saneadas as ressalvas ora indicadas, sugeri- terminando ao Gestor a apresentação do nome do responsável o qual tem atribuições legais diversas do primeiro. Assim sendo,
mos a homologação do presente item. pela ação em tela, com sua correspondente assinatura, dando ci- sugere-se convocar mais um servidor para o preenchimento da
3.2 NÃO UTILIZAÇÃO DA PLANTA GENÉRICA DE VALORES VIGEN- ência do encargo a ele confiado no Plano de Ação. vaga de Fiscal de Tributos.
TE PARA AFERIÇÃO DA BASE DE CÁLCULO DE TRIBUTOS IMOBI- Inobstante a condição de ausência de responsável pela ação in- Entende-se que a condição legal para a ocupação do cargo de Fis-
LIÁRIOS dicada, recomenda-se, a bem do Princípio do Interesse Público, a cal de Tributos Municipais é a abertura de concurso público, con-
Sugere-se a indicação do responsável e sua respectiva anuência imediata implementação das ações ora propostas, visto que tais forme determinado na CFB/88, em seu Artigo 37, II.
para a implementação da ação proposta. ações independem de homologação pela não indicação do seu Sugere-se a este Sodalício também que determine o preenchi-
Assim sendo, sugere-se ainda que este Sodalício assine prazo de- responsável. mento das vagas para o cargo de Fiscal de Tributos Municipais
terminando ao Gestor a apresentação do nome do responsável Desse modo, após saneadas as ressalvas ora indicadas, sugeri- tão somente por meio de concurso público, vez que foi coloca-
pela ação em tela, com sua correspondente assinatura, dando ci- mos a homologação do presente item. do servidor ocupante do cargo de Agente Fiscal para executar

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 53


ATOS DA 2 a CÂMARA

as atividades daquele cargo de fiscalização tributária (desvio de Desse modo, após saneadas as ressalvas ora indicadas, sugeri- Desse modo, após saneadas as ressalvas ora indicadas, sugeri-
função). mos a homologação do presente item. mos a homologação do presente item.
Assim, não há como se indicar a homologação da ação propos- 3.11 CADASTRO IMOBILIÁRIO NÃO FIDEDIGNO 3.13 IRREGULARIDADES NO ARBITRAMENTO DO ITBI
ta tão somente com a resolução da questão relativa ao nome do Sugere-se a indicação do responsável e sua respectiva anuência Sugere-se a indicação do responsável e sua respectiva anuência
responsável pela ação, enquanto não para a implementação da ação proposta. para a implementação da ação proposta.
forem saneadas as condições apontadas de desvio de função do Inobstante a sugestão para que este Sodalício assine prazo deter- Assim sendo, sugere-se também que este Sodalício assine prazo
Agente Fiscal e da consequente ausência ocupação do cargo de minando ao Gestor a apresentação do nome do responsável pela determinando ao Gestor a apresentação do nome do responsá-
Fiscal de Tributos Municipais. ação em tela, com sua correspondente assinatura, dando ciência vel pela ação em tela, com sua correspondente assinatura, dan-
3.9 INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO ORÇAMENTÁRIA ESTABELECEN- do encargo a ele confiado no Plano de Ação, sugere-se também, do ciência do encargo a ele confiado no Plano de Ação.
DO RECURSOS ESPECÍFICOS PARA A ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁ- haja vista as dificuldades suscitadas por aquele ordenador quan- Inobstante a condição de ausência de responsável pela ação in-
RIA to à impossibilidade de cumprimento da segunda recomendação dicada, recomenda-se, a bem do Princípio do Interesse Público, a
Sugere-se a indicação do responsável e sua respectiva anuência das propostas de encaminhamento apontadas no subitem 2.11.2 imediata implementação das ações ora propostas, visto que tais
para a implementação da ação proposta. deste Relatório de Análise de Plano de Ação, que seja cobrada de ações independem de homologação pela não indicação do seu
Assim sendo, sugere-se ainda que este Sodalício assine prazo de- imediato ao menos a designação de um servidor responsável pe- responsável.
terminando ao Gestor a apresentação do nome do responsável lo registro cadastral de contribuintes do município. Desse modo, após saneadas as ressalvas ora indicadas, sugeri-
pela ação em tela, com sua correspondente assinatura, dando ci- Independente da condição de ausência de responsável pela ação mos a homologação do presente item.
ência do encargo a ele confiado no Plano de Ação. indicada, recomenda-se, a bem do Princípio do Interesse Públi- 3.14 AUSÊNCIA DE INFORMAÇÕES DE CARTÓRIOS DE REGISTRO
Inobstante a condição de ausência de responsável pela ação in- co, a imediata implementação das ações ora propostas, visto que DE IMÓVES SOBRE TRANSMISSÕES LAVRADAS NO MUNICÍPIO
dicada, recomenda-se, a bem do Princípio do Interesse Público, a tais ações independem de ausência de homologação pela não in- Sugere-se a indicação do responsável e sua respectiva anuência
imediata implementação das ações ora propostas, visto que tais dicação do seu responsável. para a implementação da ação proposta.
ações independem de homologação pela não indicação do seu 3.12 IRREGULARIDADES NOS PROCEDIMENTOS FISCALIZATÓ- Assim sendo, sugere-se também que este Sodalício assine prazo
responsável. RIOS DE MAXIMIZAÇÃO DA ARRECADAÇÃO determinando ao Gestor a apresentação do nome do responsá-
Desse modo, após saneadas as ressalvas ora indicadas, sugeri- Sugere-se a indicação do responsável e sua respectiva anuência vel pela ação em tela, com sua correspondente assinatura, dan-
mos a homologação do presente item. para a implementação da ação proposta. do ciência do encargo a ele confiado no Plano de Ação.
3.10 REGISTRO IRREGULAR DA EXECUÇÃO DE DESPESAS COM A Assim sendo, sugere-se ainda que este Sodalício assine prazo de- Inobstante a condição de ausência de responsável pela ação in-
ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA terminando ao Gestor a apresentação do nome do responsável dicada, recomenda-se, a bem do Princípio do Interesse Público, a
Sugere-se a indicação do responsável e sua respectiva anuência pela ação em tela, com sua correspondente assinatura, dando ci- imediata implementação das ações ora propostas, visto que tais
para a implementação da ação proposta. ência do encargo a ele confiado no Plano de Ação. ações independem de homologação pela não indicação do seu
Inobstante a condição de ausência de responsável pela ação in- responsável.
Assim sendo, sugere-se também que este Sodalício assine prazo
determinando ao Gestor a apresentação do nome do responsá- dicada, recomenda-se, a bem do Princípio do Interesse Público, a Desse modo, após saneadas as ressalvas ora indicadas, sugeri-
vel pela ação em tela, com sua correspondente assinatura, dan- imediata implementação das ações ora propostas, visto que tais mos a homologação do presente item.
do ciência do encargo a ele confiado no Plano de Ação. ações independem de homologação pela não indicação do seu 3.15 COBRANÇA ADMINISTRATIVA INSUFICIENTE PARA REALIZAR
Inobstante a condição de ausência de responsável pela ação in- responsável. A EFETIVA ARRECADAÇÃO
dicada, recomenda-se, a bem do Princípio do Interesse Público, a Importa salientar que as ações indicadas pelo Gestor não afas- Sugere-se a indicação do responsável e sua respectiva anuência
imediata implementação das ações ora propostas, visto que tais tam as proposituras da equipe descritas no subitem 2.2.12 deste para a implementação da ação proposta.
ações independem de homologação pela não indicação do seu Relatório de Análise de Plano de Ação, mas seguem concomitan- Assim sendo, sugere-se ainda que este Sodalício assine prazo de-
responsável. tes e se complementam com estas últimas. terminando ao Gestor a apresentação do nome do responsável

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 54


ATOS DA 2 a CÂMARA

pela ação em tela, com sua correspondente assinatura, dando ci- Desse modo, após saneadas as ressalvas ora indicadas, sugeri- 2015) – JURISDICIONADO: PREFEITURA MUNICIPAL DE MUQUI –
ência do encargo a ele confiado no Plano de Ação. mos a homologação do presente item. NOTIFICAR – DETERMINAR
Inobstante a condição de ausência de responsável pela ação in- b) Assim, não obstante as ressalvas concernentes à responsabili- O EXMO. SR. CONSELHEIRO SÉRGIO MANOEL NADER BORGES
dicada, recomenda-se, a bem do Princípio do Interesse Público, a zação pelo cumprimento das ações indicadas e para a execução 1 – RELATÓRIO E FUNDAMENTAÇÃO
imediata implementação das ações ora propostas, visto que tais das ações programadas dentro do prazo de 60 (sessenta) dias, Tratam os presentes autos de Relatório de Auditoria no tocante
ações independem de homologação pela não indicação do seu DETERMINO ainda ao atual Prefeito de Marilândia/ES, a bem dos a temática Receitas Públicas realizada na Prefeitura Municipal de
responsável. Princípios da Continuidade Administrativa e do Interesse Públi- Muqui, relativa ao exercício de 2015.
Desse modo, após saneadas as ressalvas ora indicadas, sugeri- co, a implementação das ações consideradas como de aplicação
Para cumprimento do Plano Anual de Fiscalização 2016, foi ela-
mos a homologação do presente item. imediata.
borado o Plano de Fiscalização 141/2016, aprovado na 41ª Ses-
3.16 PARCELAMENTOS EM DESACORDO COM AS NORMAS GE- 1.2. RECOMENDAR ao Prefeito Municipal de Marilândia, que ob- são Plenária, na qual o tema Receitas Públicas foi considerado
RAIS serve rigorosamente as vedações e limites impostos pela Lei de área de interesse prioritária para fiscalização.
Sugere-se a indicação do responsável e sua respectiva anuência Responsabilidade Fiscal, acaso ocorram eventuais admissões de
A auditoria realizada no executivo do município de Muqui foi
para a implementação da ação proposta. servidores decorrentes desse procedimento.
consubstanciada no Relatório de Auditoria nº 041/2016 e seus
Assim sendo, sugere-se ainda que este Sodalício assine prazo de- 1.3. ENCAMINHAR cópia da Manifestação Técnica 01672/2017- apêndices, seguindo-se com a elaboração da Instrução Técnica
terminando ao Gestor a apresentação do nome do responsável 9, elaborada pela então Secretaria de Controle Externo de Fisca- Inicial 026/2017, contendo propostas que foram acatadas pelo
pela ação em tela, com sua correspondente assinatura, dando ci- lização dos Municípios. relator originando, dessa forma, a Decisão TC-1306/2017-3.
ência do encargo a ele confiado no Plano de Ação. 2. Unânime. Devido à situação atípica que o município estava enfrentado,
Inobstante a condição de ausência de responsável pela ação in- 3. Data da Sessão: 28/2/2018 – 4ª sessão ordinária da Segun- quanto à eleição de um novo prefeito, o relator do processo aca-
dicada, recomenda-se, a bem do Princípio do Interesse Público, a da Câmara. tou a solicitação do gestor interino municipal à época, e manteve
imediata implementação das ações ora propostas, visto que tais 4. Especificação do quórum: as determinações contidas na Decisão TC-1306/2017-3, alteran-
ações independem de homologação pela não indicação do seu do apenas o prazo de início das determinações, a partir da pos-
4.1. Conselheiros: Sérgio Manoel Nader Borges (presidente) e
responsável. se do novo prefeito eleito em 28/07/201, originando a Decisão
Domingos Augusto Taufner;
Desse modo, após saneadas as ressalvas ora indicadas, sugeri- TC-2413/2017-8.
4.2. Conselheiros substitutos: João Luiz Cotta Lovatti (em substi-
mos a homologação do presente item. Após regular notificação, o prefeito eleito de Muqui protoco-
tuição / relator);
3.17 AUSÊNCIA DE INSCRIÇÃO EM DÍVIDA ATIVA DE IMPOSTO lou, em 26/10/2017, o Plano de Ação, que foi analisado pela
CONSELHEIRO SÉRGIO MANOEL NADER BORGES
INADIMPLIDO Área Técnica, originando dessa forma a manifestação Técnica -
Presidente
Sugere-se a indicação do responsável e sua respectiva anuência MT1704/2017, onde propôs encaminhamentos, vejamos:
para a implementação da ação proposta. 4 ENCAMINHAMENTOS
Assim sendo, sugere-se também que este Sodalício assine prazo Decisão 00477/2018-2 Ante todo o exposto na presente instrução, quanto às improprie-
determinando ao Gestor a apresentação do nome do responsá- Processo: 06249/2016-5 dades encontradas no plano de ação sob análise, considerando
vel pela ação em tela, com sua correspondente assinatura, dan- Classificação: Controle Externo - Fiscalização - Auditoria as proposições apresentadas pela equipe de auditoria por meio
do ciência do encargo a ele confiado no Plano de Ação. do Relatório de Auditoria TC 041/2016, sugere-se ao Egrégio Ple-
Exercício: 2015
Inobstante a condição de ausência de responsável pela ação in- nário desta Corte de Contas, independentemente de outras pro-
UG: PMM - Prefeitura Municipal de Muqui vidências julgadas convenientes, a adoção das seguintes propos-
dicada, recomenda-se, a bem do Princípio do Interesse Público, a
imediata implementação das ações ora propostas, visto que tais Relator: Sérgio Manoel Nader Borges tas:
ações independem de homologação pela não indicação do seu Parte: CARLOS RENATO PRUCOLI 4.1 NOTIFICAR o atual Prefeito de Muqui/ES, nos termos do arti-
responsável. CONTROLE EXTERNO – FISCALIZAÇÃO – AUDITORIA (EXERCICIO go 8º da Resolução TC nº 298/2016 c/c os artigos 206, §2º, e 358,

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 55


ATOS DA 2 a CÂMARA

inciso III, da Resolução TC 261/2013, que cuida do Regimento In- tigo 8º da Resolução TC nº 298/2016 c/c os artigos 206, §2º, e
terno deste Tribunal c/c o artigo 63, inciso III, da Lei Orgânica des- 358, inciso III, da Resolução TC 261/2013, c/c o artigo 63, inci-
te Tribunal, para que, no prazo de 30 (trinta) dias, caso o Plenário so III, da Lei Orgânica deste Tribunal, para que, no prazo de 30
não fixe prazo diferente: A Prestação de Contas (trinta) dias:
Anual
4.1.1 Cumpra as DETERMINAÇÕES dispostas (PCA)
no item 3 da do
pre- Estado e dosas DETERMINAÇÕES dispostas no item 3 da Ma-
1.1.1. Cumpra
sente instrução, para os subitens da Análise dos Planos de Ação nifestação Técnica 1704/2017 , para os subitens da Análise dos
municípios capixabas
de números 3.1 até 3.18, com base no artigo 7º, da Resolução TC

Planos de Ação de números 3.1 até 3.18, com base no artigo 7º,
nº 298/2016 e em especial o art. 37 da CFpode ser
e o art. 11 feita
da LRF, aler- noda
sistema
Resolução TC nº 298/2016 e em especial o art. 37 da CF e o
tando-o de que o não atendimento injustificado CidadES do TCE-ES.
o sujeita às san- art. 11 da LRF alertando-o de que o não atendimento injustifica-
ções previstas no art. 1º, inciso XXXII e artigo 135, inciso IV, da Lei do o sujeita às sanções previstas no art. 1º, inciso XXXII e artigo
Orgânica deste Tribunal c/c artigo 389, inciso IV, da Resolução TC 135, inciso IV, da Lei Orgânica deste Tribunal c/c artigo 389, inci- A Prestação de Contas
261/2013, que cuida do Regimento Interno deste Tribunal. so IV, da Resolução TC 261/2013, que cuida do Regimento Inter- Anual (PCA) do Estado e dos
no deste Tribunal.
4.1.2 Assim, não obstante as ressalvas concernentes à respon- municípios capixabas já
sabilização pelo cumprimento das ações indicadas e para a exe- 1.1.2. DETERMINAR ao atual Prefeito de Muqui, a bem dos Prin-
cução das ações programadas dentro dos prazos tratados aqui cípios da Continuidade Administrativa e do Interesse Público, a pode ser feita no sistema
por razoáveis, sugerimos DETERMINAR ainda ao atual Prefeito O prazo final para a
implementação das ações consideradas como de aplicação ime- CidadES do TCE-ES.
de Muqui, a bem dos Princípios da Continuidade Administrativa diata.
e do Interesse Público, a implementação das ações consideradasentrega1.2.éALERTAR
31 de que o não atendimento à determinação deste Tri-
como de aplicação imediata. março.
bunal sujeita o responsável à sanções previstas no art.1º, inci-
O Ministério Público de Contas, por meio de parecer 00029/2018- so XXXII e artigo 135, inciso IV, da Lei Complementar Estadual
2, de lavra do Exmo. Procurador de Contas Dr. Heron Carlos Go- nº 621/2012 c/c o artigo 389, inciso IV do Regimento Interno do
mes de Oliveira, manifestou-se anuindo aos argumentos fáticos TCE-ES.
e jurídicos delineados na Manifestação Técnica - MT 1704/2017. 1.3. Após a confecção da Decisão deste julgamento, REMETER os
Ante o exposto, perfilho do mesmo entendimento exposto nos autos ao ilustre representante do Ministério Público de Contas,
fundamentos e conclusões alcançados pela área técnica, endos- nos termos do art. 62, § único da lei Complementar n° 621/2012.
sados pelo órgão ministerial, tornando-os parte integrante do 2. Unânime.
presente voto. 3. Data da Sessão: 28/2/2018 – 4ª sessão ordinária da Segun-
Assim, VOTO no sentido de que o Colegiado aprove a seguinte da Câmara.
proposta de deliberação que submeto à consideração. 4. Especificação do quórum:
SÉRGIO MANOEL NADER BORGES 4.1. Conselheiros: Sérgio Manoel Nader Borges (presidente/rela-
Conselheiro Relator tor) e Domingos Augusto Taufner;
www.cidades.tce.es.gov.br
1. DELIBERAÇÃO: 4.2. Conselheiros substitutos: João Luiz Cotta Lovatti (em subs-
VISTOS, relatados e discutidos estes autos, DECIDEM os Conse- tituição);
lheiros do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, reu- 5. Membro do Ministério Público: Heron Carlos Gomes de Oli-
nidos em sessão da 2º Câmara, ante as razões expostas pelo re- veira
lator, em: CONSELHEIRO SÉRGIO MANOEL NADER BORGES
1.1. NOTIFICAR o atual Prefeito de Muqui/ES, nos termos do ar- Presidente

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 56


ATOS DOS RELATORES

forme Termos de Notificações números 14/2018, 15/2018,


RELATORES Atos dos Relatores 16/2018, os responsáveis foram notificados, tendo apresen-
DECISÃO MONOCRÁTICA Nº 00424/2018-1 tado justificativas e documentos.
PROCESSO TC: 00663/2018-1 Desse modo, vieram os autos a este Magistrado de Contas
ASSUNTO: REPRESENTAÇÃO para apreciação da medida cautelar pleiteada, tendo em vista
REPRESENTANTE: START CONSTRUÇÃO E SERVIÇOS EIRELI - a urgência do caso em apreço, nos termos em que preceitua-
EPP dos pelo parágrafo único do artigo 376 do Regimento Interno
desta Corte de Contas, Resolução TC nº 261/2013, cabendo,
O Relator será juiz do feito que lhe for distribuído, com- JURISDICIONADO: PREFEITURA MUNICIPAL DE PIUMA
posteriormente, o encaminhamento da decisão proferida pa-
petindo-lhe determinar a instrução do feito pelas unida- RESPONSÁVEIS: JOSÉ RICARDO PEREIRA DA COSTA E VALÉRIO ra apreciação do Colegiado competente.
des técnicas; determinar a juntada de documentos que NASCIMENTO BOURGUIGNON
É o sucinto Relatório.
lhe tenham sido encaminhados, pertinentes à instrução Tratam os presentes autos de REPRESENTAÇÃO COM PEDIDO
dos autos de sua relatoria; determinar o desentranha- Decido.
DE CONCESSÃO DE MEDIDA CAUTELAR, formulada pela em-
mento de documentos dos processos, anexação, apen- Trata-se de representação em face do Edital de Concorrên-
presa START CONSTRUÇÃO E SERVIÇOS EIRELI – EPP, por seu
samento e outras medidas correlatas acerca da organi- cia Pública nº 001/2017 promovido pelo Município de Piú-
representante legal, perante este Egrégio Tribunal de Con-
ma. Assim, initio causae, cabe a este Relator a análise dos re-
zação e constituição dos autos; tas, em face de supostas irregularidades contidas no Edital
quisitos de admissibilidade, bem como o pleito de conces-
de Concorrência Pública nº 001/2017, no âmbito do Muni-
são de medida cautelar dada a urgência que permeia o ca-
Além de decidir, em qualquer fase, sobre pedido de vis- cípio de Piúma, cujo objeto é a é a Contratação de empresa
so em apreço.
para prestação de serviços de limpeza e manutenção de vias
ta e cópia dos autos do processo, que lhe tenha sido en- 1. DA ADMISSIBILIDADE DA REPRESENTAÇÃO:
públicas, tais como: varrição, capina, roçada manual e meca-
caminhado por interessado; determinar a coleta de pro- Compete ao Relator, nos termos do artigo 177, § 2º, do Re-
nizada, limpeza de sarjetas, meio fio e canaletas, caiação de
vas, caso não produzidas pela unidade técnica compe- gimento Interno, a realização do juízo de admissibilidade da
guias, desobstrução de bueiros, poda de árvores com limpeza
tente, em busca da verdade real; presente representação, nos termos em que previstos no
de galhos secos e retirada de parasitas, recolhimento e trans-
porte de resíduos de capina e roçada, sem dedicação exclusi- caput do art. 177 c/c art. 186, do Regimento Interno do Tri-
Também cabe ao Relator determinar a realização das di- bunal de Contas do Estado do Espirito Santo - RITTCES, que
va de mão de obra, com previsão de abertura dos envelopes
dispõe sobre os requisitos de admissibilidade para o seu co-
ligências necessárias à escorreita instrução do processo, para a data de 25 de Janeiro de 2018 às 13h15m.
nhecimento, in verbis:
inclusive quando o julgamento ou a apreciação depende- Em apertada síntese, alega a representante que o referido
[...]
rem da verificação de fatos ou atos considerados prejudi- edital faz exigências que permitem identificar os interessa-
ciais, estabelecendo prazo para o seu cumprimento; den- dos em participar do certame; contém exigência de indicação Art. 177. São requisitos de admissibilidade de denúncia sobre
de profissionais que restringem o caráter competitivo da lici- matéria de competência do Tribunal:
tre outras competências conforme Regimento Interno.
tação e, ainda, no tocante a qualificação econômico-financei- I – ser redigida com clareza;
ra, faz exigência excessivas e cumulativas-caução em conjun- II – conter informações sobre o fato, a autoria, as circunstân-
to com índices contábeis. cias e os elementos de convicção;
Por fim, requer a concessão de medida cautelar para que seja III - estar acompanhada de indício de prova;
suspenso o edital do referido procedimento licitatório, e, no IV – se pessoa natural, conter o nome completo, qualificação
mérito, para que seja provida a representação e adotadas as e endereço do denunciante;
medidas necessárias para evitar prejuízos ao erário. V – se pessoa jurídica, prova de sua existência, e comprova-
Nos termos da Decisão Monocrática 00149/2018-2, con- ção de que os signatários têm habilitação para representá-la.

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 57


ATOS DOS RELATORES

§ 1º A denúncia não será conhecida quando não observados DER, COM TAL CONDUTA, A EXIGÊNCIA CONSTITUCIONAL e de risco de ineficácia da decisão de mérito, o Tribunal de
os requisitos de admissibilidade previstos neste artigo. PERTINENTE À NECESSIDADE DE MOTIVAÇÃO DAS DECISÕES Contas poderá, de ofício ou mediante provocação, com ou
[...] ESTATAIS. PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO EM CUJO ÂM- sem a oitiva da parte, determinar medidas cautelares.
Art. 186. Aplicam-se às representações previstas nesta subse- BITO TERIAM SIDO OBSERVADAS AS GARANTIAS INERENTES Parágrafo único. Em caso de comprovada urgência, as me-
ção, no que couber, as normas relativas à denúncia. - (g. n.). À CLÁUSULA CONSTITUCIONAL DO “DUE PROCESS OF LAW”. didas cautelares poderão ser determinadas por decisão do
DELIBERAÇÃO FINAL DO TCU QUE SE LIMITOU A DETERMI- Relator, devendo ser submetidas à ratificação do Tribunal de
Em sendo assim, resta evidente que a presente Representa-
NAR, AO DIRETOR-PRESIDENTE DA CODEBA (SOCIEDADE DE Contas na primeira sessão subsequente, sob pena de perda
ção preenche os requisitos de admissibilidade estabelecidos
ECONOMIA MISTA), A INVALIDAÇÃO DO PROCEDIMENTO LI- da eficácia, nos termos do Regimento Interno. – (g. n.).
nos dispositivos supracitados, com destaque para a presença
CITATÓRIO E DO CONTRATO CELEBRADO COM A EMPRESA A
de informações sobre os fatos, elementos de convicção, indí- Outrossim, o Regimento Interno desta Corte de Contas, Reso-
QUEM SE ADJUDICOU O OBJETO DA LICITAÇÃO. INTELIGÊN-
cio de provas e qualificação do representado, sendo identi- lução TC nº 261/2013, tratando da competência do Tribunal
CIA DA NORMA INSCRITA NO ART. 71, INCISO IX, DA CONSTI-
ficado o interesse público com indícios de ocorrência de da- de Contas do Estado do Espírito Santo, assim prescreveu em
TUIÇÃO. APARENTE OBSERVÂNCIA, PELO TRIBUNAL DE CON-
no ao erário, motivo pelo qual se verifica a competência des- seu artigo 1º, verbis:
TAS DA UNIÃO, NO CASO EM EXAME, DO PRECEDENTE QUE O
ta Egrégia Corte de Contas para analisá-la, sendo este o foro [...]
SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL FIRMOU A RESPEITO DO SEN-
adequado. Art. 1º Ao Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, ór-
TIDO E DO ALCANCE DESSE PRECEITO CONSTITUCIONAL (MS
Tratando-se de procedimento licitatório, a representação 23.550/DF, REL. P/ ACÓRDÃO O MIN. SEPÚLVEDA PERTENCE). gão de controle externo do Estado e dos Municípios, nos ter-
apresenta peculiaridades quanto ao rol de legitimados para INVIABILIDADE DA CONCESSÃO, NO CASO, DA MEDIDA LIMI- mos da Constituição Federal e da Constituição Estadual e na
a sua apresentação nesta Corte de Contas, conforme se ve- NAR PRETENDIDA, EIS QUE NÃO ATENDIDOS, CUMULATIVA- forma estabelecida na sua Lei Orgânica, compete:
rifica da análise do artigo 184 do Regimento Interno, verbis: MENTE, OS PRESSUPOSTOS LEGITIMADORES DE SEU DEFE- XV - expedir medidas cautelares, a fim de prevenir a ocorrên-
[...] RIMENTO. MEDIDA CAUTELAR INDEFERIDA. DECISÃO: Trata- cia de lesão ao Erário ou a direito alheio, objetivando a efeti-
Art. 184. Qualquer licitante, contratado, pessoa física ou ju- -se de mandado de segurança, com pedido de medida cau- vidade das suas decisões;
rídica poderá representar ao Tribunal irregularidades na apli- telar, impetrado contra deliberação, que, emanada do E. Tri- XXXV - expedir medidas cautelares nos processos de sua
cação da legislação que regule licitações e contratos adminis- bunal de Contas da União (Processo TC-008.538/2006-0), competência; - (g. n.)
trativos. (g. n.). acha-se consubstanciada em acórdão assim ementado (fls. Nesse sentido, compete a esta Corte de Contas expedir me-
Ademais, o Excelso Pretório já pacificou o entendimento 35/36EMENTA: TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO. PODER GE- didas cautelares com o objetivo de prevenir a ocorrência de
RAL DE) – (g. n.)
quanto à competência dos Tribunais de Contas para conces- lesão ao erário, resguardando efetividade das suas decisões,
são de medidas cautelares, vez que se mostra atividade in- Desse modo, extrai-se que a representante é legitimada para sendo observados os requisitos legais.
trínseca à consecução da competência constitucionalmente apresentar representação perante esta Corte de Contas, vez
Os requisitos que autorizam a concessão da medida de cau-
estabelecida aos Tribunais de Contas, vejamos: que é pessoa jurídica e licitante no certame em análise, mo-
telar são denominados pela doutrina como fumus boni iuris,
tivo pelo qual deve ser conhecida a presente representação
[...] medidas estas reconhecidas como de urgência pelo Novo Có-
por estarem presentes todos os requisitos legais e regimen-
CAUTELA. LEGITIMIDADE. DOUTRINA DOS PODERES IMPLÍCI- digo de Processo Civil, que é a plausibilidade do direito subs-
tais para sua admissibilidade.
TOS. PRECEDENTE (STF). CONSEQÜENTE POSSIBILIDADE DE tancial invocado por quem pretende a medida, e o periculum
2. DA MEDIDA CAUTELAR PLEITEADA: in mora, onde se deve observar um dano potencial, um ris-
O TRIBUNAL DE CONTAS EXPEDIR PROVIMENTOS CAUTELA-
RES, MESMO SEM AUDIÊNCIA DA PARTE CONTRÁRIA, DES- Acerca do tema cautelar, a Lei Complementar Estadual n° co que decorre da delonga do processo, sob pena de se tor-
DE QUE MEDIANTE DECISÃO FUNDAMENTADA. DELIBERA- 621/2012, em seu artigo 124 estabelece, verbis: nar inútil o provimento final do interesse demonstrado pela
ÇÃO DO TCU, QUE, AO DEFERIR A MEDIDA CAUTELAR, JUSTI- [...] parte interessada.
FICOU, EXTENSAMENTE, A OUTORGA DESSE PROVIMENTO DE Art. 124. No início ou no curso de qualquer processo, haven- A análise do periculum in mora em sede cautelar não se re-
URGÊNCIA. PREOCUPAÇÃO DA CORTE DE CONTAS EM ATEN- do fundado receio de grave lesão ao erário ou a direito alheio veste na certeza jurídica, situação que se verifica na decisão

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 58


ATOS DOS RELATORES

de mérito, de outro modo, o momento processual atual se bença jurídica que, no tocante a licitação, um dos princípios Por seu turno, a Lei nº 8.666/93, dispõe em seu art. 3º, § 1º,
traduz na necessidade de se averiguar, em cognição sumária, basilares da administração pública é a busca pela proposta a vedação de cláusulas que restringem ou frustre o caráter
se a situação objetivamente concreta, trazida nos autos, en- mais vantajosa. competitivo do certame, verbis:
seja a necessidade de ser acobertada pela proteção do bem Neste contexto, a depender do objeto licitatório, o melhor “Art. 3º. A licitação destina-se a garantir a observância do
jurídico ameaçado em face do dano iminente. critério de julgamento para se obter a melhor contratação é a princípio constitucional da isonomia, a seleção da proposta
Para tanto, reveste-se como condição sine qua non para aco- proposta do tipo menor preço. mais vantajosa para a administração e a promoção do desen-
lhimento da pretensão requerida que a relevância dos mo- Aliás, o edital em apreço, tem como critério de julgamento, volvimento nacional sustentável e será processada e julgada
tivos alegados pela representante configure grave lesão à no seu item 13.9, exatamente a proposta de menor preço, em estrita conformidade com os princípios básicos da lega-
ordem pública e ao interesse público indisponível, fazendo conforme descrito abaixo, litteris: lidade, da impessoalidade, da moralidade, da igualdade, da
emergir a necessidade de proteção jurídica ao direito tute- publicidade, da probidade administrativa, da vinculação ao
[...]
lado, sob pena de que o decurso do tempo torne o processo instrumento convocatório, do julgamento objetivo e dos que
13.9 - Será considerada vencedora a licitante que, satisfeitas
sem qualquer utilidade, evidenciado um dano irreversível ao lhes são correlatos.
todas as etapas e exigências deste edital, tenha apresentado
patrimônio público. § 1º É vedado aos agentes públicos:
a proposta de menor preço global. (g. n)
Outrossim, a comprovação da efetiva existência do fumus bo- I - admitir, prever, incluir ou tolerar, nos atos de convocação,
Nesta vertente, considerando o objeto licitatório, subenten-
ni iuris é requisito essencial para a concessão da medida cau- cláusulas ou condições que comprometam, restrinjam ou
de-se que a exigência de contratação de uma empresa que
telar, sendo necessário averiguar a provável existência do di- frustrem o seu caráter competitivo, inclusive nos casos de so-
reito alegado em um exercício de juízo de probabilidade e ve- detenha em seu quadro de pessoal, maior número de profis-
ciedades cooperativas, e estabeleçam preferências ou distin-
rossimilhança do direito a ser acautelado. sionais qualificados, dada a desnecessidade de especial qua-
ções em razão da naturalidade, da sede ou domicílio dos li-
lificação, inviabiliza a melhor contratação pela administração
In casu, observa-se a ocorrência de parte das irregularidades citantes ou de qualquer outra circunstância impertinente ou
pública.
elencadas na peça inaugural, no que tange à exigência de ca- irrelevante para o específico objeto do contrato, ressalvado
pacidade técnica-operacional, prevista no item 10.1.5.1, do A Constituição Federal, em seu art. 37, XXI, prevê que somen- o disposto nos §§ 5º a 12 deste artigo e no art. 3º da Lei no
aludido edital, notadamente ao descrito na letra “c” do refe- te poderão ser exigidas qualificações técnica e econômica in- 8.248, de 23 de outubro de 1991; (g. n)
rido item editalício que pormenoriza a “Indicação do(s) Res- dispensáveis ao cumprimento das obrigações, verbis:
Ademais, as justificativas apresentadas pelos responsá-
ponsável(is) Técnico(s) (Engenheiro Civil e/ou Arquiteto, En- “Art. 37. A administração pública direta e indireta de qual- veis, no sentido de que a CPL teria acolhido a impugnação
genheiro Ambiental, Engenheiro Agrônomo e Técnico em quer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Fede- apresentada pela empresa FORTE AMBIENTAL EIRELI, tam-
Segurança do Trabalho) para o acompanhamento dos ser- ral e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, bém participante do certame em apreço, não descaracteri-
viços, objeto da presente licitação”. impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, tam- za o caráter restritivo, referente à exigência contida no item
Assim, tendo por base o objeto licitando, que visa à contra- bém, ao seguinte: 10.1.5.1, do edital, visto que a decisão da CPL não abrange a
tação de varrição, capina, roçada manual e mecanizada, lim- [...] totalidade de eventuais licitantes já que a publicação do edi-
peza de sarjetas, meio fio e canaletas, caiação de guias, de- XXI - ressalvados os casos especificados na legislação, as tal com cláusula restritiva é suficiente para afastar o interesse
sobstrução de bueiros, poda de árvores com limpeza de ga- obras, serviços, compras e alienações serão contratados me- de pretensos participantes do certame, assim, não tendo ha-
lhos secos e retirada de parasitas, recolhimento e transporte diante processo de licitação pública que assegure igualdade vido retificação editalícia neste sentido, permanecendo con-
de resíduos de capina e roçada, não me parece salutar a exi- de condições a todos os concorrentes, com cláusulas que es- dições que restrinjam ou frustrem o seu caráter competitivo.
gência de uma diversidade de qualificações técnicas, tais co- tabeleçam obrigações de pagamento, mantidas as condições Deste modo, as exigências contidas no procedimento licitató-
mo Arquiteto e Engenheiro Agrônomo, ao menos em juízo de efetivas da proposta, nos termos da lei, o qual somente per- rio, devem ser devidamente justificadas e guardar pertinên-
cognição sumária. mitirá as exigências de qualificação técnica e econômica in- cia com o seu objeto, sempre evitando requisitos desneces-
Isto porque, obviamente, sem querer desprestigiar a parti- dispensáveis à garantia do cumprimento das obrigações.” (g. sários, de modo a não ocasionar restrição à competitividade,
cipação dos exemplares profissionais acima citados, é de sa- n) tudo em observância à legalidade.

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 59


ATOS DOS RELATORES

Neste sentido, o Tribunal de Contas da União, tem assim de- tamento, não vislumbro, neste momento, a irregularidade ou trabalhista, relacionadas à execução do contrato, ou para
cidido, litteris: apontada possa comprometer a lisura do certame. responder por ação ou omissão de responsabilidade da CON-
“As exigências relativas à capacidade técnica guardam am- Por fim, quanto ao indicativo de irregularidade apontado na TRATADA, perseguida em processos judiciais em qualquer
paro constitucional e não constituem, por si só, restrição in- representação (item III.3.1 - exigência excessivas e cumulati- área, até o trânsito em julgado da decisão. (g. n)
devida ao caráter competitivo de licitações conduzidas pelo vas), referente ao item 10.1.3 – (QUALIFICAÇÃO ECONÔMI- Assim, a garantia financeira contida no edital tem por finali-
Poder Público. Tais exigências, sejam elas de caráter técni- CO-FINANCEIRA), tem-se que tais exigências editalícias visam dade assegurar à Administração Pública a mitigação dos ris-
co-profissional ou técnico-operacional, não podem ser de- garantir a execução do contrato. cos quanto à inexecução do contrato pela vencedora do cer-
sarrazoadas a ponto de comprometer o caráter competitivo Neste prisma, a Lei nº 8.666/93, em seu art. 56 e parágrafos, tame.
do certame, devendo tão-somente constituir garantia míni- facultam à Administração, desde que previsto e estabeleci- Sendo certo que esta garantia somente será exigida da lici-
ma suficiente de que o futuro contratado detém capacida- do no edital, exigir a prestação de garantia nas contratações tante vencedora do certame e em nada prejudica a poten-
de de cumprir com as obrigações contratuais. Tais exigências de obras, serviços e compras através das seguintes modalida- cial participação de licitantes na fase de habilitação do proce-
(sic) ser sempre devidamente fundamentadas, de forma que des: caução em dinheiro ou títulos da dívida pública; seguro- dimento licitatório, portanto, não havendo, em sede de cog-
fiquem demonstradas inequivocamente sua imprescindibili- -garantia e fiança bancária. nição sumária, qualquer prejuízo para a livre concorrência.
dade e pertinência em relação ao objeto licitado”. (g. n). Ademais, tal exigência não se confunde com as exigências
Em consonância com a mens legis, o item 16.5.1 do aludido
Em sendo assim, entendo que as exigências contidas no item edital faculta à empresa vencedora as diversas modalidades contidas no item 10.1.3 do edital, que visa garantir a saúde fi-
10.1.5.1, inerente a capacidade técnica-operacional, restrin- de garantia para execução do contrato, litteris: nanceira, através de dados contábeis da empresa licitante na
gem o caráter competitivo do procedimento licitatório, pois fase de habilitação do certame, verbis:
16.5.1 - Caberá a empresa vencedora optar por uma das se-
além de não guardar compatibilidade com o objeto licitató- 10.1.3 – QUALIFICAÇÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA:
guintes modalidades e prestar diretamente na Secretaria de
rio, não restou devidamente justificado a sua exigência no a) Certidão Negativa de Falência ou Concordata expedida pe-
Fazenda do Município de Piúma, antes da assinatura do Con-
certame, razão pela qual, neste particular, deve ser conce- lo distribuidor da sede da pessoa jurídica, com data de emis-
trato, no valor correspondente a 5% (cinco por cento) do va-
dida a medida cautelar, suspendendo-se a homologação do são de no máximo 90 (noventa) dias, anteriores à data fixada
lor da contratação, garantia para execução do contrato, em
certame. para a sessão de abertura da licitação;
uma das seguintes modalidades:
No tocante ao apontamento de suposta irregularidade, refe- a.1) Caso a Certidão Negativa de Falência e Concordata con-
a) Caução em dinheiro, ou títulos da dívida pública, devendo
rente às exigências que permitem identificar os interessados tenha prazo de validade, prevalecerá o prazo de validade ne-
estes ter sido emitidos sob a forma escritural, mediante regis-
em participar do certame, posto que o item 1.10 do Edital la estipulado.
tro em sistema centralizado de liquidação e de custódia auto-
Concorrência Pública n° 001/2017, dispõe que “o edital po- a.2) Será permitida a participação de empresas que se encon-
rizado pelo Banco Central do Brasil e avaliados pelos seus va-
derá ser adquirido na sede da Prefeitura Municipal de Piúma/ trem em processo de recuperação judicial ou extrajudicial,
lores econômicos, conforme definido pelo Ministério da Fa-
ES”, entendo que tal previsão editalícia, não significa, neces- devendo para tanto ser apresentada certidão emitida pela
zenda;
sariamente, a possibilidade de fraude à licitação por indevida instância judicial competente que certifique que a empresa
identificação dos licitantes. b) Seguro-garantia;
esteja apta econômica e financeiramente a participação do
O fato de o instrumento licitatório prever que o edital se- c) Fiança Bancária. (g.n) certame licitatório, nos termo da Lei 8.666/93.
ja adquirido, na sede do Município, implica a ampliação das O próprio edital, em análise, fundamenta em seu item 16.6, o b) Balanço Patrimonial e Demonstrações Contábeis do último
possíveis formas de se ter acesso ao certame, haja vista que propósito da exigência de garantia financeira, vejamos: exercício social, já exigíveis e apresentados na forma da lei,
o referido item 1.10 dispõe que o edital poderá ser adquiri- 16.6 - A garantia referida no item 16.5 destina-se a assegu- que comprovem a boa situação financeira da empresa, veda-
do, também, através do e-mail cpl@piuma.es.gov.br e/ou pe- rar o cumprimento das normas, a boa e fiel execução do Con- da a sua substituição ou por balancetes ou balanços provisó-
lo site da Prefeiturahttp://www.controladoria.piuma.es.gov. trato, o pagamento de eventuais multas aplicadas à CONTRA- rios, podendo ser atualizados por índices oficiais quando en-
br/portal/transparencia/licitacao. TADA, podendo ainda ser retida para satisfação de eventuais cerrado há mais de 03 (três) meses da data de apresentação
Porquanto, ainda que numa análise perfunctória deste apon- demandas e/ou condenações judiciais, na área civil, criminal da proposta. O balanço das empresas de Sociedade Anônima

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 60


ATOS DOS RELATORES

ou por Ações, deverá ser apresentado em publicação no “Diá- Ademais, não se verifica a ocorrência de perigo inverso até
rio Oficial”, enquanto as demais deverão apresentar o balan- a resolução de mérito, pois a suspensão do procedimento li-
ço autenticado, certificado por contador registrado no Conse- citatório, em tese, não implica na suspensão dos serviços de
A Prestação de Contas
lho Regional de Contabilidade, mencionando, expressamen- limpeza e varrição de ruas, posto que tais serviços possuem
te o número do “Livro Diário” e folha em que cada balanço se
acha regularmente transcrito.
Anual (PCA) do Estado e dos caráter contínuo, havendo contrato cuja vigência está em cur-
so, podendo, ainda, se for o caso, ser executado provisoria-
municípios
c) a comprovação da boa situação financeira capixabas já
da empresa se- mente pelos servidores que integram o quadro de pessoal do
pode
rá considerada através da verificação dos índicesser feita no sistema
de Liquidez
Município designados para tal mister.
Corrente (LC), Liquidez Geral (LG) e de Solvência Geral (SG),
CidadES do TCE-ES.
de acordo com as fórmulas e condições abaixo: Desse modo, CONHEÇO da representação intentada, na for-

LG = (Ativo Circulante + Realizável a Longo Prazo) / (Passivo


ma do art. 177 c/c 184 do RITCEES, aprovado pela Resolução A Prestação de Contas
Circulante + Exigível a Longo Prazo) =>1 TC nº 261/2013, e CONCEDO o provimento cautelar, a fim de
Anual (PCA) do Estado e dos
prevenir a ocorrência de dano ao erário municipal, na for-
LC = (Ativo Circulante) / (Passivo Circulante) =>1
ma revista no art. 1ª, XV da Lei Complementar Estadual nº municípios capixabas já
SG = (Ativo Geral) / (Passivo Circulante + Exigível a Longo Pra-
zo) =>1
621/2012, para com isso DETERMINAR ao Prefeito Municipal pode ser feita no sistema
O prazo final para a
c.1) As empresas que apresentarem resultado menor do que
de Piúma, Sr. José Ricardo Pereira da Costa e ao Presidente CidadES do TCE-ES.
da CPL, Sr. Valério Nascimento Bourguignon que, em face da
entrega é 31 de
1 (um), em qualquer dos índices referidos na alínea ‘c’ deste
concessão da presente medida, suspenda a homologação do
item serão INABILITADAS.
d) Os índices relacionados acima deverão ser apurados a par-
março.procedimento licitatório, referente ao Edital de Concorrência
tir do balanço patrimonial referido no item 10.1.3 alínea ‘b’. Pública nº 001/2017 e se, caso tenha assinado contrato, que
suspenda a sua execução até a análise final de mérito da pre-
e) As empresas com menos de 01 (um) ano de existência de-
verão apresentar balanços de constituição e balancetes do sente representação, de modo a preservar o interesse públi-
mês anterior ao da realização da presente licitação, autenti- co indisponível subjacente, devendo o presente processo se-
cados por profissional credenciado. (g. n). guir o rito sumário, nos termos do art. 100 da Lei Comple-
Portanto, no tocante ao apontamento contido no item III.3.1 mentar Estadual nº 621/2012.
da representação, nesta fase inicial do processo, não vislum- À Secretaria Geral das Sessões para comunicação urgente,
bro a referida irregularidade, pois conforme dito alhures, a mediante comunicação eletrônica, com a devida confirmação
exigência contida no edital, neste particular visa a garantia da e certificação, promovendo-se todos os demais impulsos ne-
execução do contrato. cessários, dando-se, também, ciência ao representante e ao
Contudo, diante da irregularidade evidenciada nesta repre- Ministério Público Especial de Contas acerca dos termos des- www.cidades.tce.es.gov.br
sentação, notadamente, no que tange à exigência de capaci- ta Decisão.
dade técnica-operacional, prevista no item 10.1.5.1, do alu-
Vitória, 14 de março de 2018.
dido edital, conclui-se que o não deferimento da medida cau-
telar de forma a suspender o andamento do certame pode- MARCO ANTONIO DA SILVA
rá acarretar dano irreversível ou irreparável ao erário munici- Conselheiro Relator em Substituição
pal, visto que, neste momento, entende-se que há restrição REPUBLICADA EM LUGAR DO TEOR DA DECISÃO DISPONIBILI-
ao caráter competitivo do procedimento licitatório. ZADA EM 19/03/2018, POR HAVER INCORREÇÕES.

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 61


ATOS DA SECRETARIA GERAL DAS SESSÕES

ca do TCEES);
SECRETARIA GERAL DAS SESSÕES Atos da Secretaria Geral das Sessões
b) não cabe recurso da decisão que determinar a citação, nos ter-
EDITAL DE CITAÇÃO mos do art. 153, inciso II, da Lei Orgânica do TCEES;
PROCESSO: TC – 1707/2017-4 c) as demais comunicações de atos e decisões presumem-se per-
ASSUNTO: Tomada de Contas Especial feitas com a publicação no Diário Oficial Eletrônico do TCEES, con-
JURISDICIONADO: Câmara Municipal de Vila Velha soante o disposto no art. 360 do Regimento Interno deste Tribunal;
Partes: Identidade preservada, IVAN CARLINI, JOAO ARTEM, ROB- d) poderá o responsável, em nome próprio ou por procurador re-
À Secretaria Geral das Sessões – SGS compete:
SON RODRIGUES BATISTA, ROGERIO CARDOSO SILVEIRA, JONIMAR gularmente constituído, exercer sua defesa pelos meios admitidos
- Secretariar as sessões do Plenário e assessorar o Pre- SANTOS OLIVEIRA, ALMIR NERES DE SOUZA, ANDERSON DE OLI- em direito e, querendo exercer o direito de sustentação oral, deve-
sidente, os Conselheiros, os Auditores e o Ministério VEIRA ALMEIDA, ANTONIO MARCOS DE FREITAS, ANTONIO SOU- rá observar os requisitos do art. 327 do Regimento Interno deste
Público junto ao Tribunal durante as reuniões, e em ZA DOS SANTOS, BELARMINO NUNES FILHO, JOAO BATISTA GAGNO Tribunal quando do julgamento dos presentes autos, cuja pauta de
decorrência destas adotar todas as medidas necessá- INTRA, JOSE RICARDO RANGEL PEYROTON, OZIAS NUNES PEREIRA, julgamento contendo a data da sessão será previamente publicada
rias ao funcionamento do Plenário; TENORIO MIGUEL MERLO, VALDIR NEITZEL, VALTER RITO ROCON, no Diário Oficial Eletrônico do TCEES, na forma do art. 101 do mes-
WANDERSON PIRES mo diploma normativo, em observância aos princípios do devido
- Zelar pela organização, divulgação e publicação dos processo legal, contraditório, ampla defesa e publicidade;
Procuradores: ALOIR ZAMPROGNO FILHO (OAB: 11169-ES), ANTO-
atos que lhe são pertinentes; e) A resposta à citação deverá observar o formato dos documentos
NIO CARLOS PIMENTEL MELLO (OAB: 1388-ES), PABLO DE ANDRA-
- Providenciar a redação dos acórdãos, pareceres e de- DE RODRIGUES (OAB: 10300-ES), JOSEDY SIMOES NUNES (OAB: aceitos pelo TCEES, de acordo com o disposto na Instrução Norma-
cisões; 5277-ES), GREGORIO RIBEIRO DA SILVA (OAB: 16046-ES), ALTAMI- tiva TC 35/2015.
- Organizar e promover a publicação da súmula de juris- RO THADEU FRONTINO SOBREIRO (OAB: 15786-ES), DANIELE BRAI- Registramos que os autos se encontram na Secretaria Geral das
DE TARTAGLIA (OAB: 18079-ES), RODRIGO FARDIN (OAB: 18985- Sessões.
prudência;
ES), MARCELO SOUZA NUNES (OAB: 9266-ES), SANTOS FERREI- Vitória, 16 de março de 2018.
- Disponibilizar para consulta nos sistemas de informáti- RA DE SOUZA (OAB: 3462-ES), AMULIO FINAMORE FILHO (OAB: ODILSON SOUZA BARBOSA JÚNIOR
ca e no sítio eletrônico do Tribunal os acórdãos e pa- 1418-ES), VITOR RIZZO MENECHINI (OAB: 10918-ES), RODRIGO Secretário Geral das Sessões
receres na íntegra, após sua leitura em sessão, assim BARCELLOS GONCALVES (OAB: 15053-ES), LUIZ ALFREDO DE SOU- (por delegação – Portaria nº 021/2011)
como as manifestações técnicas e pareceres do Minis- ZA E MELLO (OAB: 5708-ES), MARCUS VINICIUS RONCETTE CHRIS-
tério Público junto ao Tribunal; TO FARIAS, VINICIUS FREGONAZZI TAVARES, LEONARDO CUNHA
DO AMARAL, LORENA ZUCATELLI DOS SANTOS, PRISCILA CANDIDO ERRATA DE PUBLICAÇÃO
- Certificar o trânsito em julgado das decisões; Informamos que o Anexo Único da Decisão Plenária TC-
BONADIMAN, GILBERTO ALVARES DOS SANTOS, GILBERTO ALVA-
- Organizar, manter e divulgar os cadastros e registros RES &ADVOGADOS ASSOCIADOS - EPP (CNPJ: 05.209.019/0001-66) 025/2017, que regulamenta os critérios populacional e orçamen-
previstos neste Regimento; Fica o senhor José Ricardo Rangel Peyroton CITADO da Decisão tário de que tratam o § 1º do art. 9º e o § 1º do art. 16, ambos do
- Proceder à juntada de avisos de recebimento e contra- 04240/2017-3, prolatada no processo em epígrafe, que trata de Regimento Interno do Tribunal de Contas do Estado do Espírito
Tomada de Contas Especial, para que, no prazo de 30 (trinta) dias, Santo, e dá outras providências (data de disponibilização no DOE
fés relativos aos processos de sua competência.
apresente as alegações de defesa, bem como os documentos que – TCEES: 10 de janeiro de 2018), e que alterou a Decisão Plená-
entender necessários, e/ou recolha a importância devida, em razão ria TC-03/2015, foi disponibilizado novamente no sítio eletrônico
dos indícios de irregularidades relatados nos itens 2.1.1 a 2.1.17 da do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, em razão de
ITI 1163/2017. equívoco na apuração da despesa consolidada de alguns municí-
Fica o responsável advertido de que: pios, para fins de distribuição entre os colegiados deste Tribunal.
Telefone: (27) 3334-7677 a) o não atendimento à citação implicará na declaração de revelia, Odilson Souza Barbosa Junior
para todos os efeitos, dando-se prosseguimento ao processo, nos Secretário Geral das Sessões
termos do art. 65 da Lei Complementar nº 621/2012 (Lei Orgâni- (Por delegação – Portaria nº 021/2011)

Diário Oficial de Contas www.tce.es.gov.br Terça-feira, 20 de março de 2018 62