Vous êtes sur la page 1sur 6

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS


DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA

PLANO DE ENSINO

I. IDENTIFICAÇÃO
Curso: Psicologia Semestre: 2011.2 Turma: 07319
Disciplina: PSI5330 - Psicologia da Indústria I Horas/aula semanais: 4 Horário: 310102/610102
Professores: Andrea Valéria Steil, Dra. E-mail:andreasteil@egc.ufsc.br
Atendimento aos alunos: será realizado por meio de agendamento prévio.

II. EMENTA
O psicólogo e a psicologia na indústria. Condições de Trabalho. Organização do trabalho, ritmo, fadiga e repouso.
Motivos e incentivos, satisfação e frustração.

III. TEMAS DE ESTUDO


Psicologia do Trabalho (Ementa currículo novo – Psicologia do Trabalho): O trabalho como um fenômeno
psicológico e social. Significado e sentidos do trabalho na vida das pessoas. Psicologia do trabalho: objeto, objetivos
e tendências históricas. Fatores de risco, cargas de trabalho, acidentes. Saúde no trabalho: diagnóstico e prevenção.
Tendências atuais de pesquisa e intervenção em Psicologia do Trabalho.

IV. APRENDIZAGENS BÁSICAS (Listar numericamente as aprendizagens básicas que os alunos deverão
demonstrar como resultado da disciplina. Utilizar verbos no infinitivo para definir estas aprendizagens. Limitar a no
mínimo 3 e no máximo 7 aprendizagens básicas)
1. Caracterizar o trabalho do psicólogo nas organizações: atribuições, competências, recursos, possibilidades e
perspectivas de intervenção;
2. Compreender os processos psicossociais que ocorrem em organizações de trabalho e como eles influenciam na
construção das organizações e de suas dinâmicas específicas.
3. Identificar as principais demandas e alternativas de intervenção profissional dos psicólogos nas organizações.

V. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E CRONOGRAMA

Unidade 1 – Fundamentos e conceitos básicos


Unidade 2 – Análise do trabalho
Unidade 3 – Processos psicossociais em organizações de trabalho
Unidade 4 – Consolidação dos conhecimentos: a prática da análise do trabalho
* Avaliação da disciplina

Aula Data Unid. Atividades Referências básicas

1 (3ª) Visão geral das atividades da


1 06/03
disciplina (teoria e prática).

(6ª) Significado do trabalho na vida BORGES, L. O.; YAMAMOTO, O. H. O significado


das pessoas.O trabalho e a do trabalho para psicólogos brasileiros. In. BASTOS,
2 09/03 1 organização do trabalho em perspectiva A. V. B.; GONDIM, S. M. G. O trabalho do
histórica. Conceitos de razão, psicólogo no Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2010.
racionalidade e formas organizacionais. Capítulo 12, p. 248-282.

Unidade
I–
1
Fundam
entos e
conceito
s
básicos
(3ª) Semana Pedagógica do Curso
3 13/03 1 de Psicologia.
(6ª) Semana Pedagógica do Curso de
4 16/03 1 Psicologia.
(3ª) O trabalho e a organização do HALL, R. H. Organizações. Estrutura e
5 trabalho em perspectiva histórica: processos. 3ª ed. Rio de Janeiro: Prentice/Hall
20/03 1 do Brasil, 1984. Capítulo 2 – Sobre a natureza e
conceitos de organização,
características e tipos de os tipos de organizações.
organizações.
(6ª) Dia não letivo – Emancipação de
6 23/03 1 Florianópolis (feriado municipal)
(3ª) O trabalho e a organização do
trabalho em perspectiva histórica:
conceitos de organização,
7 27/03
1 características e tipos de organizações.
Definições de trabalho, emprego,
ocupações e profissões.
ZANELLI, J. C.; BASTOS, A. V. B. Inserção
profissional do psicólogo em organizações e no
(6ª) Introdução à Psicologia trabalho. In.: ZANELLI, J. C.; BORGES-ANDRADE,
8 30/03 1 Organizacional e do Trabalho – J. E.; BASTOS, A. V. B. (org.). Psicologia,
fundamentos históricos organizações e trabalho no Brasil. Porto Alegre:
Artmed, 2004, p. 483-491.

(3ª) Introdução à Psicologia


1 Organizacional e do Trabalho –
9 03/04
perspectivas atuais. Relação da POT
com a gestão de pessoas.

10 06/04 1 (6ª) Paixão de Cristo – feriado nacional


 SPECTOR, P. E. Psicologia nas
organizações. São Paulo: Saraiva, 2002.
11 10/04 2 (3ª) Análise do trabalho/função Capítulo 3 – Análise do trabalho (p. 57-76).
 MILKOVICH, G. T.; BOUREAU, J. W.
Administração de Recursos Humanos. São
Paulo: Atlas, 2000, p. 82-95 (Análise de
funções).
2 MARRAS, J. P. Administração de recursos
12 13/04 (6ª) Análise do trabalho/função humanos. Do operacional ao estratégico.
13ª ed. São Paulo, Saraiva, 2009. Análise de
função (p. 94-98).

2
13 17/04 (3ª) Avaliação individual escrita

2 (6ª) Trabalho prático: análise do


trabalho/função. Orientações iniciais –
organização das equipes, explicação
14 20/04
do Roteiro de Análise do
Trabalho/função, planejamento das
atividades de campo.

2
 BOCK, A. M. B.; FURTADO, O.; TEIXEIRA, M.
L. T. Psicologias. Uma introdução ao estudo
(3ª) Identidade e identificação com o da psicologia, 14 ed. São Paulo: Saraiva,
15 24/04 3
trabalho e com as organizações 2008. Capítulo 14 – Identidade, p. 206-219.
 OLIVEIRA, A. F. Identificação Organizacional.
In: SIQUEIRA, M. M. M. E cols. Medidas do
comportamento organizacional.
(6ª) Identidade e identificação com a
Ferramentas de diagnóstico e de gestão.
16 27/04 3 organização: apresentação de caso de
Porto Alegre: Artmed, 2008, p. 179-188.
organização brasileira

3 (3ª) Dia do trabalhador. Feriado


17 01/05
nacional
(6ª) Avaliação dos discentes sobre a V CBPOT - Congresso Brasileiro de Psicologia
18 04/05 * Organizacional e do Trabalho - RJ
disciplina

19 08/05 * (3ª) Diálogo entre professora e alunos

ROBBINS, S. P.; JUDGE, T. A.; SOBRAL, F.


Comportamento Organizacional. Teoria e
20 11/05 3 (6ª) Percepção em organizações prática no contexto brasileiro (14ª ed.). São
Paulo: Pearson, 2011. Capítulo 6 – Percepção e
tomada de decisão individual (p. 158-184).

21 15/05 3 (3ª) Percepção em organizações

(6ª) Trabalho prático: análise do


trabalho/função. Orientações
22 18/05 2 complementares. Acompanhamento
das atividades das equipes
ROBBINS, S. P.; JUDGE, T. A.; SOBRAL, F.
Comportamento organizacional. Teoria e
prática no contexto brasileiro. São Paulo:
23 22/05 3 (3ª) Motivação no trabalho Pearson, 2010. Capítulo 7 – Conceitos básicos de
motivação (p.195-229) e capítulo 8 – Motivação:
do conceito às aplicações (p. 230-260).

24 25/05 3 (6ª) Motivação no trabalho

3 SIQUEIRA, M. M. M. e cols. Satisfação no


trabalho. In. SIQUEIRA, M.M.M. Medidas do
25 29/05 (3ª) Satisfação no trabalho comportamento organizacional. Porto Alegre:
Artmed, 2008, p. 265-274.

3 ROBBINS, S. P.; JUDGE, T. A.; SOBRAL, F.


Comportamento organizacional. Teoria e
prática no contexto brasileiro. São Paulo:
26 01/06 (6ª) Emoções e afetos no trabalho Pearson, 2010. Capítulo 4 – Emoções e
sentimentos (p. 91-115).

3
3
27 05/06 (3ª) Emoções e afetos no trabalho

PUENTE-PALACIOS, K.. F. Equipes de trabalho.


(6ª) Equipes de trabalho: In: SIQUEIRA, M. M. M. e cols. Medidas do
28 08/06 3 interdependência de tarefas e de comportamento organizacional. Ferramentas
resultados de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre:
Artmed, 2008, p. 145-160.
(3ª) Equipes de trabalho:
3
29 12/06 interdependência de tarefas e de
resultados
4 (6ª) Trabalho prático: orientações finais
30 15/06
às equipes
4 (3ª) Apresentação e discussão dos
31 19/06
Trabalhos Práticos
4 (6ª) Apresentação e discussão dos
32 22/06
Trabalhos Práticos
4 (3ª) Apresentação e discussão dos
33 26/06
Trabalhos Práticos
4 (6ª) Apresentação e discussão dos
34 29/06
Trabalhos Práticos

35 03/07 4 (3ª) Síntese e Fechamento

(6ª) Nova avaliação para alunos com


freqüência suficiente e média de notas
36 06/07 4 de avaliações do semestre entre 3,0
(três) e 5,9 (cinco vírgula nove).

VI. MÉTODOS E ESTRATÉGIAS DE ENSINO-APRENDIZAGEM


1) Aulas expositivas – discussão de conceitos e experiências práticas;
2) Leituras de textos recomendados como preparação às discussões em classe;
3) Estudos dirigidos - pesquisa bibliográfica e estudo de campo;
4) Palestra com especialista externo;
5) Dinâmica de grupo;
6) Discussão de estudo de campo por meio de seminários.

VII. AVALIAÇÃO
Serão utilizadas as seguintes verificações de aprendizagem:
1) Freqüência (mínima de 75%). Conforme o artigo 69, parágrafo 2o da Resolução 017/Cun97, “será obrigatória a
freqüência às atividades correspondentes a cada disciplina, ficando nela reprovado o aluno que não comparecer,
no mínimo, a 75% (setenta e cinco por cento) das mesmas”;
2) Presença e participação qualificada nas atividades de sala de aula (peso 1 = 10% da nota);
3) Avaliação escrita (individual) sobre a Unidade I (peso 3,5 = 35% da nota);
4) Apresentação, em sala de aula, de uma análise do trabalho (peso 2 = 20% da nota) e entrega de um artigo por
escrito fundamentando essa experiência. Apresentação na forma de slides e artigo em formato científico entre 7 e
10 páginas (peso 3,5 = 35% da nota).

OBSERVAÇÕES:
1) A atribuição de notas para trabalhos escritos ou apresentações levará em conta os seguintes critérios:
a) Objetividade, clareza e coerência nas idéias pautadas no documento ou na apresentação;
b) Uso correto das regras da língua portuguesa;
4
c) Uso correto das normas da ABNT ou APA;
d) Aprofundamento do conteúdo;
e) Pertinência dos assuntos em relação aos objetivos da tarefa e da disciplina.

2) Sobre o andamento das aulas:


a) Solicitamos manter os celulares desligados no decorrer das aulas;
b) Cuidar uns dos outros do processo de aprendizagem (ouvindo, debatendo, sugerindo, instigando reflexões
com base nos textos e aulas...);
c) Trazer os textos recomendados para consulta em sala de aula.
d) Utilizar, em sala de aula, materiais de consulta pertinentes à disciplina.

VIII. NOVA AVALIAÇÃO


Conforme previsto no artigo 70, parágrafo 2° da Resolução 017/Cun/97, a qual dispõe sobre o Regulamento dos
Cursos de Graduação da UFSC, terá direito a uma nova avaliação, no final do semestre, o aluno com freqüência
suficiente (FS) e média das notas de avaliações do semestre entre 3,0 (três) e 5,5 (cinco vírgula cinco), exceto
nas disciplinas que envolvam Estágio Curricular, Prática de Ensino e Trabalho de Conclusão do Curso ou
equivalente, ou disciplinas de caráter prático que envolvam atividades de laboratório ou clínica definidas pelo
Departamento e homologados pelo Colegiado de Curso, para as quais a possibilidade de nova avaliação ficará a
critério do respectivo Colegiado do Curso. A nota final do aluno considerando a nova avaliação, de acordo com
Artigo 71, parágrafo 3o, será calculada através da média aritmética entre a média das notas das avaliações parciais
e a nota obtida na Nova Avaliação.

X. REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

BORGES, L. O.; YAMAMOTO, O. H. O significado do trabalho para psicólogos brasileiros. In. BASTOS, A. V. B.;
GONDIM, S. M. G. O trabalho do psicólogo no Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2010. Capítulo 12, p. 248-282.

BASTOS, A.V.B. Psicologia no contexto das organizações: tendências inovadoras no espaço de atuação do
psicólogo. In: Conselho Federal de Psicologia. Psicólogo brasileiro: construção de novos espaços. Campinas:
Átomo, 1992.

BASTOS, A. V. B.; GONDIM, S. M. G. O trabalho do psicólogo no Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2010.

DEJOURS, C., ABDOUCHELI, E.; JAYET, C. Psicodinâmica do trabalho: contribuição da Escola Dejouriana à
análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. São Paulo: Atlas, 1994.

DUBRIN, A. J. Fundamentos do comportamento organizacional. São Paulo: Cengage Learning, 2008.

ETZIONI, A. Organizações Modernas. 8ª. Ed. São Paulo: Bib. Pioneira de Ciências Sociais, 1989.

FERREIRA, M.C. Bem-estar: Equilíbrio entre a Cultura do Trabalho Prescrito e a Cultura do Trabalho Real. In Álvaro
Tamaio (org.) Cultura Organizacional e Saúde. São Paulo Ed. Artmed, 2004.

GONDIM, S. M. G.; SIQUEIRA, M. M. M. Emoções e afetos no trabalho. In: In.: ZANELLI, J. C.; BORGES-ANDRADE,
J. E.; BASTOS, A. V. B. (org.). Psicologia, organizações e trabalho no Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2004, p. 207-
236.

JACQUES, M. G. B & CODO, W. (orgs.) Saúde mental & trabalho. Porto Alegre: Artes Médicas, 2002.

MILKOVICH, G. T.; BOUREAU, J. W. Administração de Recursos Humanos. São Paulo: Atlas, 2000.

ROBBINS, S. P.; JUDGE, T. A.; SOBRAL, F. Comportamento organizacional. Teoria e prática no contexto
brasileiro. São Paulo: Pearson, 2010.
5
SIQUEIRA, M. M. M. E cols. Medidas do comportamento organizacional. Ferramentas de diagnóstico e de gestão.
Porto Alegre: Artmed, 2008.

SPECTOR, P. E. Psicologia nas organizações. São Paulo: Saraiva, 2002.

ZANELLI, J. C.; BORGES-ANDRADE, J. E.; BASTOS, A. V. B. (org.). Psicologia, organizações e trabalho no


Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2004.