Vous êtes sur la page 1sur 2

Proteína

Todos os três (Whey concentrado, isolado e hidrolisado) têm forma perfis de aminoácidos
excelentes, os blocos de construção das proteínas, e são ricos no aminoácido leucina, o que
ajuda a sinalizar o corpo para ligar o crescimento muscular.

Como proteínas em pó, leite, carne e ovo não oferecem qualquer vantagem clara sobre o
whey e caseína geralmente menos caro e mais facilmente disponíveis.

Omega 6

Ácido eicosapentaenóico (EPA) e docosahexaenóico (DHA) são os superstars do mundo ácido


graxo essencial, e são encontrados principalmente em peixes e frutos do mar. Uma tremenda
quantidade de pesquisa investigou o impacto desses ácidos graxos na saúde e exercício
desempenho. Eles foram anteriormente discutidos no ERD # 12 para o seu potencial papel
benéfico no aumento da síntese de proteína e a força muscular.

Menos pesquisado é o ácido araquidónico (ARA, representado na Figura 1), o primo ómega-6
para o corpo de EPA que sintetiza a partir de ácido linoleico, o-base de plantas omega-6
encontrados em nozes, sementes, e seus óleos. Ele também pode ser obtido na dieta de carne
e ovos, embora em pequenas quantidades.

Em apoio destes achados Proveta, Investigação em adultos jovens mostrou que o consumo de
drogas não esteróides anti-inflamatórias (NSAIDs) após o exercício embota o aumento normal
na síntese de proteína muscular através de suprimir o aumento normal em PGF2a.

O ácido araquidónico é um ácido gordo poli-insaturado omega-6 sintetizado no corpo a


partir de ácido linoleico e consumido na dieta de carne e os ovos. O corpo depende de ARA
para promover e ajudar a resolver a inflamação, e algumas pesquisas sugerem que
embotamento inflamação derivados de ARA pode atenuar a adaptação do músculo
esquelético ao treinamento de resistência em adultos jovens. Este estudo procurou testar as
adaptações opostos-se a suplementação ARA aumentaria a resistência da formação.

Em testes pesquisadores, usaram dosagem 1,5g de ARA, 45min antes do treino, em dias sem
treino em qualquer horario.

Resultado: A massa corporal magra aumentada significativamente no apenas o grupo de ARA


(+1,6 kg; 3%), com quase sem alteração no grupo de placebo. Da mesma forma, enquanto
ambos os grupos aumentou de forma significativa a espessura muscular em comparação com
o valor basal, o aumento foi ligeiramente maior no grupo de ARA (8% vs. aumento de 4%; p =
0,08). Nenhum dos grupos mostrou uma alteração significativa ou diferença de uma outra na
massa gorda.

Suplementação ARA também reduziu significativamente a activação de AMPK quando


combinada com exercício. É bem conhecido que a AMPK activa em resposta à privação de
energia celular, o que leva a, entre outras coisas, uma redução na síntese de proteínas e a
inibição da via mTOR anabólico. Mais uma vez, as implicações desse achado permanecem
desconhecidas, embora seja plausível que esta desempenhou um papel na significativamente
maior massa corporal magra observado com a suplementação de ARA. Ainda, não houve
diferenças significativas em outras vias de sinalização anabolizantes.

O que devo saber?

ARA é um ácido gordo que desempenha um papel central em ambos promover e contribuir
para a resolução da inflamação. O presente estudo mostrou que os homens jovens
completando com 1,5 gramas de ARA diariamente durante oito semanas experientes
aumentou significativamente a massa corporal magra, força de membros superiores e inferior
do corpo potência quando combinado com programa não-periodizado de treinamento de
resistência. No entanto, o único outro estudo de investigação dos resultados semelhantes não
mostrou nenhum efeito sobre a composição corporal ou força, mas fez suportar os achados de
aumento de potência. Assim, é difícil tirar conclusões até que mais pesquisa é conduzida.