Vous êtes sur la page 1sur 6

Lista de Doutrinadores Estrangeiros – Direito Administrativo

Fonte: Diogo de Figueiredo, Curso.

França Barão de Gérando - Institutes de Droit Administratif Français, em 1829
Émile Masseux Victor Foucart - Éléments de Droit Public et Administratif, 1832
Louis-Firmin, Julien Laferrière (Cours de Droit Public et Administratif, 1839),
Louis Marie de la Haye, Visconde de Cormenin (Droit Administratif, 1840),
Adolphe Chauveau (Principes de Compétence et de Juridiction Administratif, 1841),
Gabriel Dufour (Traité Général de Droit Administratif Apliqué, 1843),
Louis Antoine Macarel (Cours d’Administration et de Droit Administratif, 1844-
1846),
Alexandre François Auguste Vivien (Études Administratives, 1859),
Anselme Polycarpe Batbie (Précis de Droit Public et Administratif, 1860 e, mais tarde,
Traité Théorique et Pratique de Droit Administratif, 1868 a 1872),
Théophile Ducrocq (Cours de Droit Administratif, 1863),
Léon Aucoc (Conférences sur l’Administration et le Droit Administratif, 1869),
Henri Berthélémy (Précis Élémentaire de Droit Administratif, 1889, e Traité
Élémentaire de Droit Administratif, 1900),
Jean-François Marie (Éléments de Droit Administratif, 1890) e
Maurice Hauriou (Précis de Droit Administratif, 1892).
No século XX a Ciência do Direito Administrativo encontra seu pleno
desenvolvimento numa série de obras verdadeiramente monumental em que
sobressaem
os nomes de Gaston Jèze (Les Principes Généraux du Droit Administratif, 1904), René
Foignet (Manuel Élémentaire de Droit Administratif, 1913), Roger Bonnard (Précis
de Droit
Administratif, Partie Générale, 1935, precedido por importante monogra􀉹a, Le
Contrôle
Juridictionel de l’Administration, 1934), Marcel Waline (Manuel Élémentaire de Droit
Administratif, 1946), Louis Trotabas (Manuel de Droit Public et Administratif, 1948),
Paul
Duez et Guy Debeyre (Traité de Droit Administratif, 1952), André de Laubadère
(Traité
Élémentaire de Droit Administratif, 1953), Jean Rivero (Droit Administratif, 1960),
Georges
Vedel (Droit Administratif, 1961), Jean-Marie Auby et Robert Ducos-Ader (Droit
Administratif, 1967), Francis-Paul Benoit (Le Droit Administratif Français, 1968),
Charles
Debbasch (Droit Administratif, 1968; e Institutions de Droit Administratif, 1976),
ainda,
Georges Vedel (Droit Administratif, 1976), ainda André de Laubadère (Manuel de
Droit
Administratif, 1976), René Chapus (Droit Administratif Général, 1985, em 2 volumes,
com
sua 13ª edição em 1999), Georges Vedel e Pierre Devolvé (Droit Administratif, 1990),
Jean
Rivero (Droit Administratif, 1990), Jacques Moreau (Droit Administratif, 1990-1991),
André de Laubadère, Jean-Claude Venezia e Yves Gaudemet (Traité de Droit
Administratif, 1990

F. e. 1930). Ferraris (Diritto Amministrativo. cujo volume inicial veio à luz em 1897). com edição em 1933). 1931). última edição em 1956). No século XX 􀉹oresce uma extraordinária bibliogra􀉹a peninsular. 1992). Aldo M. também com sucessivas edições). 1879. com edições sucessivas até 1980). com Santi Romano (Principii di Diritto Amministrativo. Sandulli (Manuale di Diritto Amministrativo. Gian Domenico Romagnosi. Luigi Raggi (Corso di Diritto Amministrativo. Oreste Ranelletti (Principii di Diritto Amministrativo. um pioneiro dos sistematizadores do Direito Administrativo. que. 1952). Guido Zanobini (Corso di Diritto Amministrativo. 1945-1953). 1933 a 1935. Cino Vitta (Diritto Amministrativo. 1949). produziu seus Principii fondamentali di Diritto Amministrativo. em 1955 e 1956). Lorenzo Meucci (Istituzioni di Diritto Amministrativo. Enrico Presutti (Istituzioni di Diritto Amministrativo italiano. 1992). 1932). 1939). 1891. 1922-1924). com última edição em 1952. 1932-1934). Guy Braibant (Le Droit Administratif Français. 1948). Benvenuti (Appunti di Diritto Amministrativo. Itália A doutrina italiana tem. 1877). François Burdeau (com uma completa Histoire du Droit Administratif Français. posteriormente. No século XIX destacam-se ainda: De Gioannis Gianquinto (Corso di Diritto Amministrativo. Georges Dupuis et Marie-José Guédon (Droit Administratif. em 1814. 1914). 1991 com sua 7ª edição em 2001). 1950). com obra em 2 volumes e com a 12ª edição em 1992). Ugo Forti (Diritto Amministrativo. Arnaldo de Valles (Elementi di Diritto Amministrativo. Miele (Principii di Diritto Amministrativo. ainda Georges Vedel e Pierre Delvolvé (Droit Administratif. Francesco D’Alessio (Istituzioni di Diritto Amministrativo italiano. 1951). com última edição em 1909) e o prestigioso Vittorio Emmanuele Orlando (Principii di Diritto Amministrativo. Jacqueline Morand-Deviller (Cours de Droit Administratif. P. Massimo Severo Giannini (Lezioni di Diritto Amministrativo. Renato Alessi (Diritto Amministrativo. na vanguarda. Federico Cammeo (Corso di Diritto Amministrativo. 1991). 1937. Santi Romano (Corso di Diritto Amministrativo. 1947). 1953 e. 1949). F. 1912). 1936 a 1938. 1995). com última edição em 1955). Jean-Pierre Dubois (Droit Administratif. Afonso Tesauro (Istituzioni di Diritto Pubblico e . sob ângulo histórico muito especial. e mais seu alentado Primo Trattato Completo di Diritto Amministrativo Italiano. Gasparri (Corso di Diritto Amministrativo – Parte Generale. 1904. C. 1901). Umberto Fragola (Manuale di Diritto Amministrativo. Arnaldo de Valles (Elementi di Diritto Amministrativo. G. 1984-1950 com reedições em 1977 e 1987). Arturo Lentini (Istituzioni di Diritto Amministrativo. Piero Bodda (Lezioni di Diritto Amministrativo. Silvio Lessona (Elementi di Diritto Amministrativo.

Antonio Royo Villanova (Elementos de Derecho Administrativo. obra pioneira aparecida em 1843). Renato Alessi (Principii di Diritto Amministrativo. Filippo Satta (Introduzione a un Corso di Diritto Amministrativo. na 2ª edição em 2006). Martínez-Useros (Derecho Administrativo. O século XX apresenta destacados nomes como José Gascón y Marín (Princípios. C. em 3 Volumes. vol. Capacioli (Manuale di Diritto Amministrativo. com 9ª edição no ano 2000). 1897). 1980). 1994). 1978). Luigi Galateria e Massimo Stipo (Manuale di Diritto Amministrativo. 1890) e Adolfo Posada (Tratado de Derecho Administrativo. Rocco Galli (Corso di Diritto Amministrativo. José Luis Villar Palasi (Derecho Administrativo. coordenado por Giuseppe Santaniello. Sabino Cassese (Le basi del Diritto Amministrativo. e Pietro Virga (Diritto Amministrativo. 1970. 1919). 1954. 1974). Massimo Severo Giannini (Trattato di Diritto Amministrativo. 1990 e 1993). um dos países em que mais se elabora a disciplina e se distingue por sua plêiade de administrativistas sempre atualizados. Franco Bassi (Principii di Diritto Amministrativo. 1991). 1858). García Oviedo e E. Manuel Colmeiro (Derecho Administrativo Español. I – 1988 e Diritto Amministrativo. III. . com 3ª edição em 1974). 1961). Costantino Mortati (Istituzioni di Diritto Pubblico. em 2006 e vol. I tomo. 1958). Garcia-Trevijano (Tratado de Derecho Administrativo. 1970). I na 14ª edição em 2005. A Espanha é. 1993). 1977). 1991. Tratado General de Derecho Administrativo. Diritto Amministrativo. em três volumes. II na 12ª edição. 1934). com Fernando Garrido Falla (Tratado de Derecho Administrativo. V. com última edição em 1997). Mellado (Resúmen de Derecho Administrativo. 1968). 1995. 1927). 1968) e J. 1995). Vicenzo Cerulli Irelli (Corso di Diritto Amministrativo. 1961 a 1963. Sabino Álvarez-Gendin (Manual de Derecho Administrativo. Espanha No século XIX destacaram-se: Posada de Herrera (Lecciones de Administración. 1983). vol. C. vol. 1969). Massimo Severo Giannini (Corso di Diritto Amministrativo. atualmente. Garcia Oviedo (Derecho Administrativo. Roberto Lucifredi (Diritto Amministrativo. A􀉹onso Quaranta (Lineamenti di Diritto Amministrativo. A.

com sucessivas edições até a 14ª (I Vol. em 2008). 1987-1997. 1970. 1988). Jiménez Blanco e Luis Ortega (Manual de Derecho Administrativo. Juan Alfonso Santamaría Pastor (Fundamentos de Derecho Administrativo. L. Santiago Muñoz Machado (Tratado de Derecho Administrativo y de Derecho Público General. o seu ilustre chef-de-file. Gustavo Adolfo Revidali (Derecho Administrativo. 2ª edição em 1994 e Tomo III. Juan Alfonso Santamaría Pastor (Principios de Derecho Administrativo. em 3 volumes: vol. Morrel Ocaña (Curso de Derecho Administrativo. 2 Volumes). Borquera Oliver (Derecho Administrativo. vol. em 3 Volumes. 1ª edição em 1997). Rafael Entrena Cuesta (Curso de Derecho Administrativo. Eduardo García de Enterría. José Bermejo Veras (Derecho Administrativo. Tomo I. em 6 Volumes). em 2 volumes. González Navarro (Derecho Administrativo Español. José Ramón Parada Vázquez (Derecho Administrativo. 1993. 1994. Sebastiám Martín Retortillo (Derecho Administrativo Económico. com 24ª edição em 2005). 1987/1992. F. L.). 1998. Luis Cosculluela Montaner (Manual de Derecho Administrativo. em 10ª edição – 2004/2005). 1974. 1986. ainda. em 3 Tomos. em 2ª edição em 2009). 1984) e José M. 1998. 2007) e Santiago González Varas (Tratado de Derecho Administrativo. 2003). 1994/1995. 7ª edição em 2009). 10ª edição em 1996). II. 1969-1989. Parejo Alfonso. com 10ª edição em 2007) e. em 5ª edição). 1999). em 5 Volumes). 2ª edição em 1993. Ramón Martín Mateo (Curso de Derecho Administrativo. I. Aurelio Guaita (Derecho Administrativo Especial. 2008. Portugal Em Portugal publicou-se em 1849 a primeira obra de Direito Administrativo em . com 13ª edição em 1999). Miguel Sánchez Morón (Derecho Administrativo. Villar Escurra (Derecho Administrativo Especial. A. 1988. III. em 18ª edição e vol. em 2 Volumes). J. Tomo II. 2006. 2002) Luis Parejo Alfonso (Derecho Administrativo. Parte General. 1970). em parceria com Tomás Ramón Fernandez (Curso de Derecho Administrativo. Ramón Martín Mateo (Manual de Derecho Administrativo. em 15ª edição. L. Parte Especial.

1905). Foulkes (Administrative Law. Rawlings (Law and Administration. I. semelhantes aos da Inglaterra. 2004). como Albert Venn Dicey. a sistematização se iniciou solidamente bem mais cedo que neste País com a obra de Frank J. vol. Harlow-R. Lobo D’Ávila (Estudos de Administração. retirados de suas preleções proferidas em Coimbra. . 1924). 1893. 1905) John A. 2001. 1993). vol. A. sempre atualizado e enriquecido. 1923). De Smith (Judicial Review of Administrattive Action. Fairlie (The National Administration of the United States. 2ª edição. Jowell-D. que reapareceria em sucessivas edições. William A. de Smith (Administrative Law. 1874). chegaram a negar sua existência enquanto sistema excepcional. Robson (Justice and Administrative Law. J. em 1937. Seguiram-se: Justino Antonio de Freitas (Instituições de Direito Administrativo Português. D. H. 1983). O. 1857). derrogatório da common law. Inglaterra Dadas as peculiaridades do sistema jurídico inglês. II) e abordando especi􀉹camente o Direito Comunitário. de Souza Pinto. Gre􀉹th & Street (Principles of Administrative Law. EUA Não obstante a existência de antigos problemas de aceitação de um Direito Administrativo. 1982) e J. F. Oliver (The Changing Constitution. existindo mesmo uma edição brasileira de 1970. Diogo Freitas do Amaral. 1957). Destacam-se os trabalhos de Port (Administrative Law. em 1844 e 1845. Wade (Administrative Law. vernáculo: os Apontamentos de Direito Administrativo. e Principles of Administrative Law. Marcelo Caetano edita a principal obra portuguesa. 1996. 1992). Antonio Lopes Guimarães Pedrosa (Curso de Ciência da Administração e Direito Administrativo. discípulo e seguidor do eminente Marcelo Caetano (Curso de Direito Administrativo. 1992). 1978). Stet J. Fausto de Quadros (Direito da União Europeia. W. como nos trabalhos de C. A. 1974). Autores de porte. Jackson (Constitutional and Administrative Law. 1904) e João Tello de Magalhães Collaço (Direito Administrativo. Garner (Administrative Law. Hood Phillips e P. Goodnow (Comparative Administrative Law. o Direito Administrativo custou a emergir como disciplina autônoma. os publicistas ingleses tratam-no em conjunto com os estudos constitucionais. 1986. Geralmente. 1823). R. o Manual de Direito Administrativo. 1979).

Felix Sarría (Derecho Administrativo. J. Dreyer e R. Bartolomé Fiorini (Manual de Derecho Administrativo. 1921). 1976). e Princípios Generales de Derecho Administrativo. 1926). 1949). a obra de Ernst Freund (Das Ö􀊃entlichen Recht der Vereinigten Staaten von America. pelo alto nível alcançado. Alcides Greca (Derecho Administrativo y Ciencia de la Administración Municipal. o Direito Administrativo na Argentina. Mathews (Principles of American State Administration. 1972). Juan Carlos Cassagne (Derecho Administrativo. 1943). Rodolfo Bullrich (Nociones de Derecho Administrativo. 1968). 1902). 1958) Kenneth Culp Davis (Treatise on Administrative Law.. obra sempre atualizada. Agustín A. Pierce (?) Argentina Merece especial menção. 1927). Bernard Schwartz (An Introduction to American Administrative Law. Willoughby (Principles of Public Administration. Administrative Power. Benjamin Villegas Basavilbaso (Derecho Administrativo. William Bennett Munro (Principles and Methods of Municipal Administration. 1911. Stewart (Administrative Law and Regulatory Power. 1930). 1989. 1949). 1942). 1979). 1995). Rodolfo Bullrich (Derecho Administrativo. 1977. 1959). R. 1928). ainda. D. 1974). Gordillo (Tratado de Derecho Administrativo. e. Leonard D. prosseguiu com Lucio V. com sucessivas edições até 2007). 1963). 1977-1979). com Ramón Ferreyra (Derecho Administrativo argentino). William F. Daniel Antokoletz (Elementos de Derecho Constitucional y Administrativo argentinos.John M. 1966). Iniciada sua elaboração em 1866. e Derecho Administrativo. 1932. Manuel Maria Díez (Manual de Derecho Administrativo. novamente. Manuel Maria Díez (Derecho Administrativo. como tratadista. White (An Introduction to the Study of Public Administration. D. Marienho􀉹 (Tratado de Derecho Administrativo. 1984) e José Roberto Dromi (Manual de Derecho Administrativo. 1974 e segs. em 4ª edição em 2002). 1987. Richard J. Rafael Bielsa (Derecho Administrativo. Lopez (Derecho Administrativo argentino. Hector Jorge Escola (Compendio de Derecho Administrativo. Hart (An Introduction to Administrative Law. S. Barry e H. em inglês. Kenneth Culp Davis (Administrative Law. com 4ª edição em 1999 e 2002). 1917). Miguel S. 1945). . Gellhorn e Byse (Administrative Law. I – Parte General. Whitcomb (The Legal Foundation of Public Administration. 1981) John Adler (General Principles of Constitutional and Administrative Law. 1925). pela importância no estudo do Direito Administrativo norte-americano. Mencione-se. vol. José Canasi (Derecho Administrativo. 1924).