Vous êtes sur la page 1sur 17

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE – UERN

FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS SOCIAIS – FAFIC/UERN


Campus Central – BR 110 – KM 46 – Rua Prof. Antônio Campos, s/n – Costa e Silva

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-


GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR EM CIÊNCIAS
SOCIAIS E HUMANAS – PPGCISH
DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO
RIO GRANDE DO NORTE

NÍVEL:
MESTRADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

GRANDE ÁREA:
INTERDISCIPLINAR

ÁREA:
SOCIAIS E HUMANIDADES

Mossoró – RN, julho de 2011


Capítulo I – Da Denominação e das Finalidades

Art. 1º - A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) manterá, na


Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais (FAFIC), o Programa de Pós-Graduação em
Ciências Sociais e Humanas (PPGCISH), com o Curso de Mestrado Interdisciplinar em
Ciências Sociais e Humanas, que seguirá as normas estabelecidas por este Regimento e
pela legislação vigente, e terá como objetivos:

I - formar profissionais para atuar como docentes na área interdisciplinar de Ciências


Sociais e Humanas, de modo a constituir-se em um centro formador de recursos humanos
para as instituições de ensino superior e da educação básica;
II - desenvolver pesquisas de relevância científica e educacional na área de concentração;
III - intervir na realidade sociocultural, contribuindo para elevar o nível científico e
educacional em sua área de atuação;
IV - atrair professores, pesquisadores e estudantes de diferentes formações disciplinares,
no intuito de consolidar espaços de interlocução entre as áreas que compõem as Ciências
Sociais e Humanas.

Capítulo II – Da Área de Concentração e das Linhas de Pesquisa

Art. 2º - O Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais e Humanas (PPGCISH) está


organizado em uma única área de concentração: Sujeito, Saberes e Práticas Cotidianas, a
qual está subdividida em duas linhas de pesquisa:

I – Linguagens, Memória e Produção de Saberes;


II – Cotidiano, Identidades e Subjetividades.

Capítulo III – Da Estrutura Administrativa e da Coordenação Didático-Científica

Art. 3º - A organização administrativa do Programa será constituída de um Colegiado, uma


Coordenação, uma Vice-Coordenação e uma Secretaria.

Art. 4º - A coordenação didático-científica do Programa será exercida pelo Colegiado,


presidido pelo Coordenador e terá os seguintes membros:

I - Coordenador do Programa, seu Presidente;


II - Vice-Coordenador como Vice-Presidente do colegiado;
III - todos os demais docentes do Programa;
IV - um representante discente.

§ 1º Os Professores Colaboradores do PPGCISH terão assento no seu colegiado com


direito a voz.
§ 2o O Coordenador e o Vice-Coordenador do Programa serão escolhidos pelo colegiado
para exercerem mandato de dois anos, com direito a uma recondução consecutiva;
§ 3º O representante discente e seu suplente serão eleitos pelos alunos regularmente
matriculados no Programa, para exercerem mandato de um ano, com direito a uma
recondução.
Art. 5º São atribuições do Colegiado:

I - colaborar com o Coordenador no desempenho de suas atribuições;


II - propor ao Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE) modificações neste
regimento;
III - aprovar ementas, programas de disciplinas, créditos e critérios de avaliação;
IV - apreciar, semestralmente, o elenco das disciplinas a serem ministradas no semestre
subsequente, com os respectivos professores e horários, em tempo hábil para sua
implementação e divulgação;
V - credenciar, recredenciar e descredenciar os docentes do Programa, segundo critérios
de produtividade científica e/ou avaliação de desempenho institucional.
VI - estabelecer o número de vagas para cada processo seletivo;
VII - designar professores integrantes do corpo docente permanente para conduzir o
processo seletivo;
VIII - organizar, aprovar e publicar a lista de orientadores de dissertação por linha de
pesquisa;
XIX - homologar o nome do orientador a partir do momento da admissão do estudante;
X - aprovar as propostas de co-orientação apresentadas pelos orientadores;
XI - deliberar sobre as eventuais substituições de orientadores e co-orientadores;
XII - aprovar editais para processo seletivo;
XIII - homologar os resultados do processo seletivo do Programa;
XIV - apreciar proposta de intercâmbio com instituições acadêmicas, culturais,
empresariais e com a sociedade em geral, visando a uma maior interação com a
comunidade, resguardado o projeto institucional da Universidade;
XV - interagir, nas atividades de pós-graduação, com instituições afins e com órgãos de
fomento;
XVI - decidir sobre a convalidação de créditos obtidos em outras instituições;
XVII - aprovar a composição de bancas examinadoras;
XVIII - apreciar pedidos e recursos de alunos e professores, no âmbito de sua
competência;
XIX - apreciar os relatórios das atividades e os projetos de pesquisa do Programa no
triênio;
XX - incentivar a realização de eventos científicos, estimulando a participação dos
estudantes do programa;
XXI - estabelecer procedimentos que assegurem ao estudante acesso às normas do
Programa, bem como à efetiva orientação acadêmica;
XXII - aprovar o manual do curso;
XXIII - apreciar o planejamento orçamentário do Programa e estabelecer critérios para a
alocação de recursos;
XXIV - aprovar as atas das reuniões do Colegiado;
XXV - aprovar a atribuição de recursos orçamentários para o curso, encaminhando a
proposta aos órgãos superiores da UERN;
XXVI - avaliar, a cada triênio, as linhas de pesquisa tendo em vista sua continuidade ou
sua extinção;
XXVII - propor à coordenação medidas que julgue necessárias ao bom desempenho do
Programa;
XXVIII - aprovar a prorrogação do prazo de permanência do aluno no Programa;
XXIX - discutir e aprovar mecanismos de integração com a Graduação;
XXX - Analisar e julgar recursos provenientes dos candidatos dos processos de seleção da
pós-graduação;
XXXI - Propor a criação de novas disciplinas e/ou cancelamento ou alterações de
disciplinas existentes;
XXXII - Assumir outras atribuições constantes do presente regimento;
XXXIII - Deliberar sobre os casos omissos neste Regimento.

Parágrafo Único - O Colegiado deverá se reunir ordinariamente pelo menos três vezes
durante o semestre letivo por convocação do seu Presidente e, extraordinariamente,
quando necessário.

Art. 6º Compete ao Coordenador:

I - convocar e presidir as reuniões do Colegiado;


II - cumprir e fazer cumprir as decisões dos órgãos superiores e do colegiado sobre
matérias relativas ao Programa;
III - representar o Programa junto aos órgãos e conselhos superiores da UERN, entidades
e fóruns de caráter cultural e científico e a outros órgãos, caso se faça necessário;
IV - organizar o plano semestral de atividades do Programa;
V - elaborar e deixar disponível ao PPGCISH e à PROPEG o calendário das principais
atividades acadêmicas de cada ano;
VI - supervisionar o processo de seleção, de matrícula e do desempenho acadêmico dos
discentes de acordo com a sistemática estabelecida pelos órgãos centrais competentes;
VII - contactar outros centros de ensino e pesquisa, bem como agências de fomento,
nacionais e internacionais;
VIII - dispor sobre recursos destinados ao Programa, realizando as correspondentes
prestações de contas;
IX - solicitar à Direção da Unidade e à Administração Central da UERN as providências
que se fizerem necessárias para melhor funcionamento do Programa em matéria de
instalações, equipamentos, materiais de expediente e pessoal;
X - supervisionar o trabalho do Secretário e do pessoal técnico do Programa;
XI - expedir atestados e declarações relativas às atividades do Programa;
XII - instaurar o processo de eleição de Coordenador e Vice-Coordenador até 30 dias
antes do término do mandato vigente;
XIII - administrar recursos oriundos do fomento à pós-graduação;
XIV - elaborar relatórios exigidos pelos órgãos oficiais, bem como organizar processo de
pedido de credenciamento, recredenciamento e descredenciamento de docentes;
XV - tomar outras medidas cabíveis para o bom andamento das atividades do Programa;
XVI - cumprir e fiscalizar o cumprimento deste regimento e da proposta pedagógica do
Curso.
XIV - solicitar bolsas de estudos junto aos órgãos de fomento;
XXVI - elaborar o manual do Curso;
XXVII - fazer o planejamento orçamentário do Programa e estabelecer critérios para a
alocação de recursos;
XXII - acompanhar e avaliar as atividades e os projetos de pesquisa do Programa.
Art. 7º - Compete ao Vice-Coordenador do Programa:

I - colaborar com o coordenador na gestão dos assuntos administrativos e acadêmicos do


curso;
II - substituir automaticamente o coordenador em suas faltas ou eventuais impedimentos.

Art. 8º A Secretaria, unidade executora dos serviços administrativos e burocráticos do


Programa, é administrada por um Secretário, a quem compete:

I - coordenar e organizar os trabalhos inerentes à Secretaria;


II - manter atualizadas as devidas anotações referentes aos docentes, discentes e pessoal
técnico-administrativo do Programa;
III - registrar os dados acadêmicos dos alunos para o envio aos órgãos competentes da
UERN e de outras instituições;
IV - manter em dia a relação dos estudantes matriculados por disciplina, e remetê-la aos
órgãos definidos pela UERN;
V - processar, informar, distribuir e arquivar documentos relativos às atividades didáticas e
administrativas;
VI - manter organizados e atualizados os registros sobre a legislação e outros
instrumentos legais pertinentes ao Programa;
VII - sistematizar informações, organizar prestações de contas, digitar relatórios e outros
documentos, remetendo-os, quando necessário, aos órgãos competentes, dentro dos
prazos estabelecidos;
VIII - secretariar as reuniões do Colegiado do Programa e manter em dia o livro de atas;
IX - manter inventário atualizado dos equipamentos e dos materiais pertencentes ao
Programa;
X - divulgar editais de inscrição aos exames de seleção;
XI - receber as inscrições dos candidatos aos exames de seleção e os requerimentos de
matrículas dos alunos aprovados no Programa;
XII - providenciar editais, on line e impressos, de convocação das reuniões do Colegiado;
XIII - encaminhar processos aos relatores, previamente indicados pelo Coordenador do
Programa;
XIV - informar aos docentes e aos discentes sobre as resoluções do Colegiado e do
CONSEPE;
XV - providenciar a expedição de atestados e declarações;
XVI - elaborar, junto à coordenação do Programa, relatórios exigidos pelos órgãos
oficialmente encarregados de acompanhar o desenvolvimento do Curso;
XVII - manter em dia a documentação contábil referente às finanças do Programa;
XVIII - manter atualizado o endereço residencial e eletrônico do corpo docente e discente,
e do pessoal técnico-administrativo do Programa;
XIX - enviar ao setor competente, conforme orientações da coordenação, as informações
referentes ao Programa que deverão ser divulgadas no site do Programa, mantendo-o
atualizado;
XX - enviar a documentação pertinente à Diretoria de Pós-Graduação da PROPEG/UERN;
XXI - organizar documentos, arquivos e demais materiais relativos ao funcionamento do
Programa;
XXII - secretariar as comissões que constituirão as bancas examinadoras de qualificação e
defesa de dissertação e outras comissões instituídas pelo Colegiado do Programa;
XXIII - realizar outras tarefas relativas às atividades do Curso;
XXIV - colaborar com a coordenação para o bom funcionamento do Curso.
Capítulo IV - Da Inscrição, da Seleção, da Admissão e da Matrícula

Art. 9° O ingresso ao Curso será feito através de processo seletivo conduzido por
Comissão Examinadora composta por professores do Programa.

Art. 10. O processo seletivo será aberto por edital específico elaborado pela Comissão
Examinadora, de acordo com as normas deste regimento, homologado pelo Colegiado do
Programa e divulgado em prazo não inferior a sessenta dias da data fixada para o início
da seleção.
Art. 11. A seleção constará de etapas eliminatórias (itens I, II e III) e classificatórias (itens
IV e V):

I - prova escrita específica, elaborada de acordo com a bibliografia indicada no edital, para
submeter-se às demais etapas do processo seletivo;
II - apresentação de projeto de pesquisa elaborado de acordo com as instruções do edital;
III - entrevista, em que o candidato será arguido sobre aspectos teóricos, conceituais e
metodológicos do seu projeto de pesquisa, levando-se em conta as instruções do edital
para a elaboração do projeto;
IV - prova de proficiência em língua estrangeira, em inglês ou francês, de caráter classifi-
catório. Excepcionalmente nesta prova, o candidato que não atingir a média estabelecida
terá que se submeter a novo exame até o final do segundo semestre letivo;
V - curriculum vitae (modelo plataforma lattes) para avaliação, conforme critérios estabele-
cidos e aprovados pelo Colegiado do Programa;

Parágrafo único: o candidato deverá obter a nota mínima 7 (sete) nos itens I, II e III.

Art. 12. Serão aceitas inscrições para o processo seletivo de candidatos:

I - portadores de Diploma de Graduação, bacharelado ou licenciatura em Ciências


Humanas ou áreas afins, obtido em instituições reconhecidas pelo MEC;
II - portadores de diploma de graduação de instituições estrangeiras, que, segundo
avaliação do Colegiado, atendam aos objetivos do Programa.

Art. 13. No ato de inscrição para o processo seletivo, o candidato apresentará à


Secretaria, no prazo estabelecido pelo Colegiado, os seguintes documentos:

I - formulário de inscrição preenchido;


II - fotocópia autenticada do diploma de graduação ou documento equivalente que
comprove estar o candidato em condições de concluir o Curso de graduação antes de
iniciar o de pós-graduação;
III - fotocópia autenticada do histórico escolar do Curso de graduação;
IV - fotocópia autenticada dos documentos pessoais: RG, CPF, título de eleitor (com
comprovante da última votação), carteira de reservista (para candidatos do sexo
masculino) e certidão de nascimento ou casamento;
V - duas fotos recentes 3x4;
VI - curriculum vitae (plataforma lattes) com documentos comprobatórios;
VII - projeto de dissertação com linha de pesquisa definida;
VIII - comprovante de pagamento de taxa de inscrição.

Art. 14. O estudante aprovado em Exame de Seleção ou transferido de outro programa


deverá requerer matrícula nas disciplinas de seu interesse, dentro do prazo estabelecido
no calendário do PPGCISH e com anuência de seu orientador.

I - A matrícula será realizada na Secretaria ou, a critério do Colegiado, via internet, na


página on line do Curso (no Portal da UERN), momento em que efetuará o seu registro,
devendo, neste caso, a documentação ser encaminhada ao PPGCISH, de acordo com as
instruções dispostas na própria página.
II - A matrícula será efetivada somente após ser referendada pelo orientador.
III - Durante a fase de elaboração de dissertação até o seu julgamento, o estudante,
independentemente de estar ou não matriculado em disciplinas, deverá matricular-se,
obrigatoriamente, em cada período letivo, no Curso, para a atividade de orientação.
IV - Egressos de Cursos de graduação poderão matricular-se em disciplinas, na condição
de aluno especial, desde que existam vagas disponíveis e mediante requerimento com a
anuência do professor responsável pela disciplina e homologado pelo Coordenador do
Programa.
V - O aluno poderá cursar disciplinas, com aproveitamento de créditos, ou solicitar
aproveitamento de disciplinas cursadas, em Programas de Pós-Graduação da UERN e de
outras IES, com a anuência de seu orientador e do Colegiado.
VI - O aproveitamento de créditos de disciplinas de que trata o caput deste artigo será
permitido somente para as disciplinas cursadas nos últimos 3 (três) anos anteriores à data
da matrícula inicial no PPGCISH-UERN.
VII - Para o aproveitamento de disciplinas, considera-se somente aquelas que o aluno
obteve conceito A ou B.
VIII - O requerimento de aproveitamento deverá ser feito no primeiro semestre letivo do
curso, com apresentação do histórico do aluno no curso realizado ou declaração da
disciplina cursada em caráter especial, com conceito, expedido (a) pelo programa de pós-
graduação no qual cursou a disciplina, e cópia do Programa Geral da Disciplina cursada
(constando ementa, carga horária, conteúdo trabalhado e referências) autenticada pelo
programa de pós-graduação ao qual está vinculada.
IX - Em cada semestre letivo, o estudante deverá cursar pelo menos um número de
disciplinas equivalente a 8 (oito) créditos, exceto quando os candidatos tiverem obrigação
curricular inferior a 8 (oito) créditos e em casos excepcionais, a serem apreciados pelo
Colegiado.
X - O estudante, de acordo com seu orientador, poderá solicitar ao Colegiado do Programa
a substituição de 1 (uma) ou 2 (duas) disciplinas em que se matriculou, antes de
ministradas um quinto da carga horária total da nova disciplina.
XI - O trancamento de matrícula em disciplina deverá ser requerido antes de decorrido 1/3
(um terço) do período letivo, devendo a Secretaria registrar o trancamento.
XII - Poderá ser concedido trancamento de matrícula apenas uma vez na mesma
disciplina durante o Curso.
XIII - O Colegiado poderá conceder trancamento total de matrícula, uma só vez, no
máximo por um semestre, à vista de motivos comprovadamente relevantes, não sendo o
período de trancamento computado para efeito de integralização do tempo máximo do
Curso.
XIV - Será excluído do Curso o estudante que não renovar sua matrícula por 1 (um)
semestre letivo, salvo em casos justificados pelo aluno e apreciado pelo Colegiado.

Capítulo V – Dos Prazos

Art. 15. Incluindo os prazos para a conclusão dos créditos das disciplinas, o Exame de
Qualificação, a elaboração e a defesa da dissertação de mestrado, o prazo máximo será
de 24 meses.

I - O discente terá o prazo máximo de 15 (quinze) meses após o início do Curso para
realizar o Exame de Qualificação.
II - No caso de parto ocorrido durante o curso, formalmente informado ao Colegiado, a
discente terá direito à regime de aulas e avaliação diferenciadas.

Capítulo VI – Da Organização Didática do Mestrado

Art. 16. A grade curricular do curso de Mestrado Acadêmico em Ciências Sociais e


Humanas é composta por disciplinas obrigatórias e optativas.

I - Todos os discentes devem cursar as disciplinas obrigatórias.


II - Cada 15 horas/aula contará 1 crédito.
III - As disciplinas obrigatórias possuem 4 (quatro) créditos.
III - As disciplinas optativas possuem 1 (um), 2 (dois), 3 (três) e 4 (quatro) créditos.
IV - Para aptidão ao Exame de Qualificação é necessária a obtenção de, no mínimo, 20
(vinte) créditos em disciplinas.
V - Para a conclusão do Curso o discente terá que obter 24 créditos.
VI - O Exame de Qualificação e a Dissertação de Mestrado não contarão crédito.
VII - Poderão ser aproveitadas disciplinas do Mestrado cursadas em caráter especial com
o limite máximo de 50% do total de créditos das disciplinas optativas.
IX - De acordo com critérios estabelecidos pelo Colegiado do PPGCISH, poderão ser
aproveitadas disciplinas cursadas em programas de pós-graduação stricto sensu no Brasil
ou em instituições estrangeiras reconhecidos pela CAPES/MEC, até o limite de 30% dos
créditos nas disciplinas optativas exigidas pelo curso, desde que seja demonstrada a
importância da disciplina para o planejamento de estudos do discente.
X - O aproveitamento de disciplinas dependerá de aprovação do Colegiado a partir de
parecer emitido pelo orientador.
XI - Após a conclusão dos créditos, o discente terá que matricular-se semestralmente na
atividade “Orientação de Dissertação de Mestrado” e entregar relatório com anuência do
orientador.
XII - O discente só poderá realizar “programa sanduíche” após o Exame de Qualificação.
XIII - O discente que realizar “programa sanduíche” terá que matricular-se na atividade “
Dissertação de Mestrado” e entregar relatório com anuência do orientador no Brasil.
XIV - Não poderá se submeter ao Exame de Qualificação o discente que não tiver sido
aprovado na prova de proficiência em língua estrangeira.
XV - A publicação em periódicos na área Interdisciplinar em Ciências Sociais e Humanas,
com qualis CAPES de B5 a A1, durante o Curso, contará 2 (dois) créditos.

Art. 17. O rendimento acadêmico será averiguado pela frequência nas aulas e pela
mensuração de aproveitamento nas disciplinas.
I - Caberá ao professor/a estabelecer a forma e o número de atividades para a
mensuração do aproveitamento do discente.
II - O rendimento acadêmico é expresso por uma única nota, sendo atribuído conceito A
para notas entre 9,0 e 10,0, conceito B para notas entre 8,0 e 8,9, conceito C para notas
entre 7,0 e 7,9, e conceito D para notas menores que 7,0.
III - O discente que obtiver conceito A, B ou C será aprovado na disciplina.
IV - Caso obtenha conceito D, o discente será reprovado na disciplina.

Art. 18. O Exame de Qualificação é requisito para a defesa da dissertação e deverá ser
solicitado pelo orientador.

I - No Exame de Qualificação, o discente deverá apresentar a versão definitiva do projeto


de dissertação para uma banca composta pelo orientador, por dois professores doutores
indicados pelo orientador e um professor doutor suplente, de acordo com as datas
estabelecidas pelo Colegiado.
II - A versão definitiva do projeto de dissertação para o Exame de Qualificação deverá
conter título, mesmo que seja provisório, delimitação da problemática a ser analisada,
justificativa, objetivos da pesquisa, metodologia, referencial teórico, plano de trabalho,
cronograma de execução, sumário e pelo menos um capítulo redigido, sendo entregue 4
(quatro) cópias para a Secretaria do Programa.
III - Após a aprovação no Exame de Qualificação, a ata de avaliação assinada pelos
membros da banca deverá ser encaminhada para a Secretaria do Programa.
IV - Será utilizada a forma de notas na escala de 0 (zero) a 10 (dez) para o resultado do
Exame de Qualificação.
V - A nota mínima para a aprovação no Exame de Qualificação é 7,0 (sete vírgula zero).
VI - O discente só poderá repetir o Exame de Qualificação uma única vez no prazo
máximo de até 60 (sessenta) dias, sendo desligado do Programa no caso de uma
segunda reprovação.

Capítulo VII – Da Orientação

Art. 19. Cada discente regular do PPGCISH disporá de um professor orientador.

Parágrafo único - O discente selecionado e matriculado no Programa deverá se


comprometer a realizar todas as atividades estipuladas pelo Programa.

Art. 20. O discente poderá dispor de um professor co-orientador.

I - A solicitação de professor co-orientador será realizada pelo professor orientador e


deverá ser aprovada pelo Colegiado.
II - O professor co-orientador não substitui o professor orientador nas atribuições
especificadas no presente regimento.

Capítulo VIII – Da Dissertação

Art. 21. É exigência para a obtenção do título de Mestre em Ciências Sociais e Humanas
a defesa pública da dissertação de Mestrado, perante banca examinadora composta pelo
orientador e por dois professores doutores, sendo um membro externo à UERN.
Parágrafo único - A banca da defesa de dissertação de mestrado deverá ser indicada
pelo orientador.

Art. 22. A solicitação de defesa de dissertação deverá ser acompanhada de parecer do


orientador confirmando que a dissertação tem condições para apresentação e do histórico
escolar do discente.

I - O discente terá que encaminhar 4 (quatro) exemplares impressos da dissertação


contendo ficha catalográfica no prazo de 30 (trinta) dias antes da data prevista para a
defesa à Secretaria do Programa.
I - O Colegiado fornecerá um modelo padrão de apresentação da dissertação.
II - O tema da dissertação deverá relacionar-se com uma das linhas de pesquisa do
Programa, apresentando revisão bibliográfica e fundamentação teórica pertinente e
atualizada referente ao tema proposto.
III - A dissertação deverá apresentar claramente a delimitação do tema e da problemática,
argumentação, a capacidade de sistematização e o conhecimento da metodologia
aplicada na pesquisa.
IV - A dissertação deverá ser redigida no padrão culto da língua portuguesa.

Art. 23. A defesa da dissertação será realizada em sessão pública, em local, data e
horário previamente definidos pelo orientador e homologados pelo Colegiado do
PPGCISH.

I - O orientador presidirá a banca.


II - O discente disporá de até 30 (trinta) minutos para a defesa.
III - Após a apresentação, o discente será arguido pelos componentes da banca.
IV - Após a avaliação da defesa da dissertação, a banca examinadora se reunirá em
sessão reservada e atribuirá os conceitos de aprovado ou reprovado para o discente.
V - O discente deverá seguir as orientações da banca examinadora e, caso seja
necessário, realizar alterações sugeridas na defesa sob a supervisão do orientador e
entregar, no prazo de 60 (sessenta) dias, 4 (quatro) cópias em capa dura, acompanhadas
de uma versão em PDF da dissertação gravada em CD-ROM para a Secretaria do
Programa.

Capítulo IX - Da Prática Docente

Art. 24. A Prática Docente constituir-se-á de atividade docente realizada pelo pós-
graduando com a supervisão do orientador.

I - Para os discentes bolsistas da CAPES é obrigatória o Estágio Docência.


II - O discente terá que matricular-se na disciplina Estágio Docência para a realização de
atividades docentes em disciplinas escolhidas pelo Colegiado.
III - O discente deverá formular e apresentar um plano de atividades com dados de
identificação e ementa da disciplina, objetivos, conteúdos, metodologia, avaliação e
referências bibliográficas.
IV - O Estágio Docência será realizada ao longo de 1 (um) semestre letivo.
V - O Estágio Docência contará 2 (dois) créditos para o discente e será registrada em seu
histórico escolar.
VI - Conforme orientação da CAPES, o Estágio Docência poderá ser realizado na rede
pública de ensino médio sob a supervisão do orientador.

Art. 25. O discente que realizar o Estágio Docência deverá:

§ 1º Colaborar com o docente responsável pela disciplina em atividades complementares


ao curso, no desenvolvimento de seminários, na divulgação de pesquisas, na
apresentação de material didático e bibliográfico relevante para a disciplina, no
atendimento e na orientação de trabalhos e pesquisas da disciplina.
§ 2º O docente responsável pelo pós-graduando no Estágio Docência deverá:
I - Avaliar o desenvolvimento do plano de atividades proposto pelo discente;
II - Orientar as atividades docentes realizadas pelo pós-graduando.

Art. 26. É vedado ao pós-graduando no Estágio Docência assumir integralmente a


disciplina de graduação.

Parágrafo único - O Estágio Docência é uma atividade do Programa de Mestrado em


Ciências Sociais e Humanas e não terá qualquer tipo de vínculo empregatício com a
Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

Capítulo X – Do Desligamento do Programa

Art. 27. Caberá ao Colegiado decidir pelo desligamento do discente do Programa nas
situações explicitadas a seguir:

I - se não realizar matrícula no semestre letivo;


II - se obtiver conceito C em três disciplinas ou conceito D em duas disciplinas;
III - se for reprovado duas vezes no Exame de Qualificação para a defesa de dissertação
de mestrado;
IV - se for reprovado na defesa da dissertação de mestrado;
V - se deixar de cumprir os prazos estabelecidos no Art. 17.

Art. 28. Caso o discente desligado do Programa deseje ingressar novamente no Curso
terá que fazê-lo por meio de nova seleção pública, conforme os procedimentos
estabelecidos em edital.

Parágrafo único - Caberá à Comissão do PPGCISH analisar e emitir parecer sobre o


aproveitamento de disciplinas cursadas anteriormente pelo discente.

Capítulo XI – Do Corpo Docente

Art. 29. O corpo docente do Programa será composto de:


I - docentes permanentes;
II - docentes visitantes;
III - docentes colaboradores.

Art. 30. Integram a categoria de docentes permanentes professores do quadro efetivo da


UERN que atendam aos seguintes requisitos:
I - ter título de doutor ou equivalente;
II - ter orientado trabalho em, no mínimo, uma das seguintes categorias: iniciação
científica, trabalho de conclusão de curso, monografia, dissertação ou tese;
III - apresentar produção científica significativa, em conformidade com as exigências
mínimas da CAPES;
IV - estar em regime de trabalho de 40 horas ou 40 horas com dedicação exclusiva.

§ 1º Podem ser enquadrados também como docentes permanentes:


I - pesquisadores bolsistas de agências federais ou estaduais de fomento;
II - professores ou pesquisadores aposentados que tenham firmado, com a instituição, ter -
mo de compromisso de participação no Programa;
III - docentes cedidos, por convênio formal, para atuar no Programa.

Art. 31. Integram a categoria de docentes visitantes, os docentes ou pesquisadores, com


vínculo funcional com outras instituições, que sejam liberados das atividades
correspondentes a tal vínculo, para colaborarem, por um período determinado e contínuo
de tempo, em projetos de pesquisa e/ou atividades de ensino no Programa, permitindo-se
que atuem como orientadores e em atividades de extensão.

Art. 32. Integram a categoria de docentes colaboradores, os demais membros do corpo


docente que não atendam a todos os requisitos para serem enquadrados como docentes
permanentes ou como visitantes, mas que participem, de forma sistemática, do
desenvolvimento de pesquisa, incluindo conferências, orientação de alunos, ou de
atividades de ensino ou de extensão, independentemente de possuírem vínculo com a
instituição.

Art. 33. O credenciamento e recredenciamento de professores no Programa serão


efetuados pelo Colegiado.

§ 1º O processo de credenciamento de professores no Programa será iniciado a partir de


solicitação formal do interessado e mediante apresentação dos seguintes documentos:
I - currículo lattes devidamente comprovado;
II - relação de disciplina(s) que pretende ministrar;
III - projeto de pesquisa que pretende desenvolver no Programa.

§ 2º O credenciamento dos membros do corpo docente terá validade pelo período de 3


(três) anos, ao final do qual será feita uma avaliação do desempenho do docente nos
termos apresentados neste artigo.

§ 3º Para o recredenciamento, o docente deverá apresentar ao Colegiado do Programa:


I - curriculum, na versão Lattes do CNPq, devidamente comprovado;
II - relatório do qual constem sua produção acadêmico-científica dos últimos 3 (três) anos;
III - relatório do projeto de pesquisa desenvolvido no triênio;
IV - novo projeto de pesquisa a ser desenvolvido durante o próximo período de
credenciamento.

§ 4º A produção acadêmico-científica mencionada no parágrafo terceiro deverá ser


compatível com a exigida pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível
Superior - CAPES para classificar os docentes.

§ 5º O Colegiado designará uma comissão, com no mínimo dois docentes permanentes,


para apreciação dos processos de credenciamento e recredenciamento, com emissão de
parecer.

§ 6º O recredenciamento deverá ocorrer ao final do terceiro ano do credenciamento do


docente.

Art. 34. Serão descredenciados do Programa os professores que, durante o período de 1


(um) ano, não atenderem a pelo menos 1 (um) dos itens abaixo:

I - ministrar uma disciplina;


II - realizar uma orientação;
III - publicar, no mínimo, 2 (dois) textos completos, no último triênio, em livros, capítulos de
livros ou periódicos indexados com qualis entre B4 e B1.

§ 1º O docente também poderá ser desligado antes do prazo de 3 (três) anos, mediante
sua solicitação ou deliberação do Colegiado.

§ 2º Professores afastados para pós-doutorado, ou para exercer outra atividade aprovada


pelo Colegiado, não se enquadram nas normas deste artigo.

Art. 35. Os membros do corpo docente, além das tarefas inerentes ao ensino e à
pesquisa, farão parte também das comissões examinadoras de seleção e das bancas de
dissertação.

Art. 36. Cada membro do corpo docente permanente do Programa terá ajuda de custo,
dependendo dos recursos disponíveis, para participar de até 2 (dois) eventos acadêmico-
científicos nacionais e internacionais, por ano, apresentando trabalhos associados às
linhas de pesquisa.

§ 1 º Essa ajuda de custo pode ser estendida à participação em eventos de dimensão


local, desde que justificada a pertinência do evento para o desenvolvimento das pesquisas
do Programa, sendo necessário submeter a solicitação à apreciação do Colegiado.

Capitulo XII – Do Corpo Discente

Art. 37. A admissão de alunos no PPGCISH será feita por seleção pública para candidatos
que satisfaçam as exigências estabelecidas na regulamentação geral da Universidade do
Estado do Rio Grande do Norte, além das seguintes exigências:
I. ser selecionado dentro do número de vagas conforme o regulamento do Programa e
demais condições estipuladas em edital;
II. ser diplomado em curso de graduação.

Art. 38. O Corpo Discente é composto pelos alunos regularmente matriculados no


Programa, conforme estabelecido pelas normas gerais da UERN.
Art. 39. O Corpo Discente tem direito a 1 (um) representante no Colegiado, com voz e
voto, e será escolhido em assembleia própria, na forma da legislação vigente e prevista
nas normas gerais da UERN.

§ 1º O representante discente terá um suplente escolhido da mesma forma que o titular,


cabendo-lhe substituí-lo em seus impedimentos, ausências eventuais e sucedendo-o em
caso de vacância.

§ 2º O aluno será representante do Corpo Discente junto ao Colegiado somente enquanto


for regularmente matriculado, perdendo o mandato ao deixar de sê-lo.

Capítulo XIII - Do Grau Acadêmico, do Diploma e do Certificado

Art. 40. Para a obtenção do grau de Mestre em Ciências Sociais e Humanas, o candidato
deve ser aprovado na defesa da dissertação, conforme disposto no Art.18.

Art. 41. O histórico escolar do pós-graduando será assinado pelo Coordenador do


Programa, contendo as seguintes informações:

I - nome completo, filiação, data e local de nascimento, nacionalidade e grau acadêmico


anterior;
II - data de admissão no curso;
III - número do CPF, número da cédula de Identidade e nome do órgão que a expediu, no
caso de estudante brasileiro ou estrangeiro com residência permanente, e número do
passaporte e local de emissão, no caso de estrangeiro sem visto permanente;
IV - área de concentração do Programa;
V - relação das disciplinas com as respectivas notas e conceitos, créditos obtidos, anos e
períodos letivos em que foram cursadas;
VI - relação dos Estudos Especiais realizados, com os créditos obtidos, quando for o caso;
VII - data de aprovação no exame de proficiência em língua estrangeira, com indicação da
língua escolhida;
VIII - data da aprovação no exame de qualificação, com o respectivo conceito obtido;
IX - data de aprovação da dissertação, com o respectivo conceito obtido;
X - nome do orientador.

Art. 42. São condições para obtenção do diploma de mestre:

I - comprovação do cumprimento, pelo pós-graduando, de todas as exigências deste


regimento e da legislação da UERN em vigor;
II - comprovação de quitação, pelo pós-graduando, junto ao sistema de bibliotecas da
UERN;
III - remessa à PROPEG do histórico escolar do concluinte, ata de aprovação da
dissertação pela banca examinadora e demais documentos pertinentes.

Art. 43. O diploma de Mestre em Ciências Sociais e Humanas será expedido pela
PROPEG (Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação) e assinado pelo Reitor, pelo Pró-
Reitor de Pesquisa e Pós Graduação e pelo Diplomado.
Capítulo XIV - Das Disposições Gerais e Transitórias

Art. 44. Os casos omissos neste regimento serão resolvidos pelo Colegiado.

Art. 45. Este regimento entrará em vigor a partir da data de sua aprovação pelo CONSE-
PE.
ANEXO
INSTRUÇÕES PARA A VERSÃO FINAL DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

1 - As citações na dissertação seguirão o sistema autor-data, no corpo do texto, conforme


as normas em vigor da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).
2 - A Dissertação de Mestrado deverá ter até 150 páginas e o mínimo de 100, incluindo
referências bibliográficas. Para ultrapassar este número será necessária uma justificativa
ao Colegiado.
3 - Citações no texto da dissertação com até três linhas deverão aparecer entre aspas e
citações que excederem três linhas alinhadas à direita com recuo de 4 cm e fonte tamanho
10.
4 - As referências bibliográficas devem estar de acordo com as normas da ABNT em vigor.
5 - O texto deve ter a seguinte formatação:
Espaçamento: 1,5
Fonte: Times New Roman, tamanho 12
Margens: 2,5
Papel: A4
Numeração de página: inferior/centralizada
Título de Capítulo: tamanho 14 (negrito)
Sub-título: tamanho 12 (negrito)
Parágrafo: 1,5 cm
6 - Na folha de rosto deverá constar o nome dos componentes da Banca com a
especificação da instituição de origem de cada um e do suplente.
7 - Folha de aprovação.