Vous êtes sur la page 1sur 22

Márcia Mirene Dias Felipe

MUNICÍPIO DE ITUMBIARA

ESTADO DE GOIÁS

SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO

PLANO DE AÇÃO
DO GESTOR ESCOLAR (2014-2016)

Márcia Mirene Dias Felipe

Ano – 2014 – 2016


MUNICÍPIO DE ITUMBIARA

ESTADO DE GOIÁS
SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO
Centro Municipal de Educação Infantil
Brincar, Cantar e Aprender!
“Dona Leonor Loureiro”

I- IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR

1- Nome: Centro Municipal de Educação Infantil – CMEI Dona Leonor Loureiro


- Endereço: Rua cotovia Nº 100
- Bairro: Ulisses Guimarães
- Localização: Urbana
- Telefone: (64) 3433 3767
- CEP: 75503-970
- Cidade: Itumbiara-GO
Endereço eletrônico: cmeileonor@gmail.com
cmeileonor@hotmail.com

2- Códigos:

- CNPJ: 09.448.845/0001-19
- Código do INEP- 52.131203

3- Atos Legais de:


3.1-Lei de criação- Lei Municipal nº 2.888/03 e 2.890/03, de acordo com as
especificações da LDB 9394/96, tendo por base o Relatório de Fiscalização in loco e
de acordo com a solicitação contida no Processo nº 20060015

4- Níveis de Ensino:
Educação Infantil – Berçário

II- DA IDENTIFICAÇÃO DA ENTIDADE MANTENEDORA:


Prefeitura municipal de Itumbiara - Goiás
SME – Secretaria Municipal de Educação

III- DO GRUPO GESTOR


Diretora Pedagógica: Ana Lúcia Nogueira Bernardino

Diretor administrativo: Cairo Luiz Campos

Auxiliar de Secretaria: Luzia Silva Trindade

Coordenadora Pedagógica: Márcia Mirene Dias Felipe

IV- MODALIDADES DE ENSINO


Educação Infantil - Berçário
Berçário A - 01 Turma
Berçário B - 01 Turma
Berçário C - 01 Turma
Berçário D - 01 Turma

V- HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO CMEI


Período Integral - das 7:00 h às 17h20m
Horário de atendimento da secretaria – 07 h às 17h20
Obs.: são observados 15 minutos de tolerância para os atrasos na entrada e na saída
das crianças
.
VI- DOS RECURSOS FÍSICOS E MATERIAIS

A estrutura física da instituição é composta por:

1-01(uma) sala para direção e secretaria.

2-01(uma) sala para coordenação.

3-01(uma) cozinha.

4-01(uma) despensa

5-01(um) banheiro para uso das crianças, (meninos e meninas).

6-02(três) banheiros para adultos sendo: um funciona como (masculino e feminino).e o


outro como dispensa.

7-01(uma) sala de aula adequada para turma do berçário.

8- 03 salas de aula improvisadas(não atendem as necessidades dos alunos)


9- 01(uma) lavanderia.

10-Espaço para cultivo da horta e plantação de arvores frutíferas

11- não possui rede de esgoto(sistema de fossa).

11- a escola não possui espaço físico construído para biblioteca, sala de professores,
quadra e pátio coberto.

Com relação aos recursos pedagógicos a escola conta com:


- Materiais adquiridos com as verbas, FNDE/MEC E PENAE, para consumo do aluno;
- Acesso Aos livros da adquiridos para biblioteca;
- Kit Pedagógico -CDs e DVDs infantis
- 02 Computadores de mesa;
-04 Televisores
- 03 DVDs
- 02 Aparelho de Som
- 01 Máquina de xérox
-01- Impressora

VII- DOS RECURSOS HUMANOS


ESTRUTURA FUNCIONAL DO CMEI

GRUPO GESTOR CONSELHO ESCOLAR

SECRETARIA
COORDENADOR

AUXILIARES
PROFESSOR

AUXILIAR DE SALA DE AULA ADMINISTRATIVOS SERVIÇOS GERAIS

ALUNO
DISPOMOS DE RECURSOS HUMANOS DOCENTES E NÃO DOCENTES DE OS
VIII- RECURSOS HUMANOS DE ACORDO COM O QUADRO ABAIXO:

nº Nome Formação Função Situação


01 Ana Lúcia Nogueira. Pedagogia/Pós Diretora Efetiva
Bernardino graduação

02 Viviane Correia Freitas de Pedagogia/ Diretora Contrato


Lima Administrativa
03 Márcia Mirene Dias Felipe Pedagogia/ Letras, Coordenadora Efetiva
Pós graduação Pedagógica
04 Luzia Silva Trindade Ensino Médio Aux. Secretaria Efetiva

05 Aníger Silva Santana Educ. Física Professora Contrato

06 Eliana Soares de Oliveira Pedagogia/Pós Professora Efetiva


graduação

07 Lívia Campos Jacomete Pedagogia Professora Contrato

08 Márcia Alves Martins Geografia/ Professora Efetiva


Araújo Pedagogia
09 Virginia Maria Araújo Pedagogia Professora Efetiva
Martins

10 Adriana Batista da silva Cursando Aux. de CMEI Efetiva


Pedagogia
11 Ariadne de Oliveira Dias Cursando Aux. de CMEI Efetiva
Pedagogia
12 Bruna Miranda Andrade Ensino Médio Aux. de CMEI Efetiva
Oliveira

13 Cleonice Franco Oliveira Magistério Aux. de CMEI Efetiva

14 Lucimar Inocêncio C. Costa Magistério Aux. de CMEI Efetiva


15 Faustina Florinda de Ens. Médio Aux. de CMEI Efetiva
Azevedo Santos

16 Juliana dos Santos Assistência Social Aux. de CMEI Efetiva


e Pós graduação

17 Juliana da Silva Cursando Aux. de CMEI Efetiva


Pedagogia

18 Margarida O. dos Santos Normal Superior Aux. de CMEI Efetiva

19 Marilúce Faria Gomes da Pedagogia Aux. de CMEI Efetiva


Silva
20 Raquel Aparecida Miranda Ensino Médio Aux. de CMEI Efetiva
Andrade de Oliveira

21 Raquel Fernandes da Silva Ensino médio Aux. de CMEI Efetiva

22 Edilamar P. Casagrande Ens. Médio Merendeira Contrato

23 Francoá Martins Dias Ens. Fund. Vigilante Contrato


incompleto
24 Madalena Maria de Melo Magistério Merendeira Efetiva

25 Maria Helena Costa Fundamental Merendeira Contrato

26 Maria Borges de Oliveira Fundamental Aux. de Efetiva


incompleto serviços
diversos
27 Rosa Maria de Melo Fundamental Aux. de Efetiva
serviços
diversos
28 Silmara Aparecida Franco Cursando Ensino Aux. de Efetiva
Superior serviços
diversos
29 Sílvia Cristiane Franco Ensino médio Aux. de Efetiva
serviços
diversos
IX- DA CARACTERIZAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR

HISTÓRICO DO CMEI
O CMEI (Centro Municipal de Educação Infantil) Dona Leonor Loureiro foi fundado em
2005 e inaugurado em 2007, pelo Prefeito José Gomes da Rocha que escolheu este
nome em homenagem ao seu amigo José Paulo Loureiro, na época Ministro de
Segurança Pública cuja mãe levava este nome. A instituição fica na Rua Cotovia, nº 100,
no bairro Ulisses Guimarães.
Lei que dispõe da autorização de funcionamento da unidade.
O CMEI foi criado pela Lei Municipal nº 2.888/03 e 2.890/03, de acordo com as
especificações da LDB 9394/96, tendo por base o Relatório de Fiscalização in loco e de
acordo com a solicitação contida no Processo nº 20060015.
A primeira diretora foi a Profª. Hiroko Morino de Carvalho que administrou o CMEI de 2008 a
2010.
A segunda diretora foi a Prof. Cleuza Maria Pacheco que administrou o CMEI
31/08/2011 à 01/01/2011.
Atualmente: Professora: Ana Lúcia Nogueira Bernardino.
Até pouco tempo quase não existia atividades econômicas no bairro, que fosse geradora
de empregos, tendo os moradores do conjunto e dos bairros circunvizinhos
locomoverem- se ao centro da cidade e a outros bairros para trabalhar. O meio de
transporte mais usado é o ônibus, mas muitos usam motocicletas e bicicletas para irem
ao trabalho. Algumas famílias são numerosas, mas a maioria é constituída de três a
quatro filhos. Suas ocupações são as mais variadas, predominando o trabalho no setor
do comércio. No bairro existe um posto de saúde, os casos emergência são atendidos e
encaminhados ao Hospital Municipal.
Devido à mudanças na organização da Educação Municipal implantadas pela SME para
o ano de 2013 , o C.M.E.I passou a ministrar apenas o ensino da Educação Infantil de
06 meses a 2 anos e 11 meses - berçário. Nossa clientela é formada por alunos, cujos
pais são trabalhadores que desenvolvem atividades na construção civil, indústrias e
comércio da região. Pertencem à classe média baixa, e procuram esta instituição de
ensino em busca de benefício familiar, com o intuito de serem atendidos em suas
necessidades. Além do bairro Ulisses Guimarães somos procurados pelos bairros
adjacentes como, Nossa Senhora da Saúde, Dona Sinica, e Setor Industrial.
X- DOS RECURSOS DA COMUNIDADE LOCAL
O setor onde se localiza o CMEI Dona Leonor Loureiro também conta com o
funcionamento de outras instituições de ensino municipal e estadual. São elas: Escola
Municipal de Tempo Integral Luiz de Miranda Moura, Escola Municipal Alexandre
Arcipretti, CMEI Elvira Dias Faria, CMEI Dona Carminha, Colégio Estadual Damôres do
Amaral. O bairro também conta com supermercados, farmácias, oficinas de carros e
motos, lojas de roupas, salões de beleza e bares.

Atualmente atendemos em torno de 100 (cem) crianças em período integral sendo que
estão inscritas aguardando vagas aproximadamente mais de 20 (vinte) crianças que
procuremos atender na medida do possível.

XI - CONSELHO ESCOLAR

O Conselho Escolar do CMEI Dona Leonor Loureiro, é constituído pela Diretora,


Coordenadora Pedagógica, representante de pais, professores e funcionários que
tem como função tratar de assuntos ligados ao funcionamento pedagógico e
administrativo/escolar do estabelecimento.

XII – JUSTIFICATIVA

O presente trabalho surge da necessidade de elaborar um plano de ação e suas


manifestações com intuito de respaldar a gestão escolar no processo
Ensino/Aprendizagem. Sabe-se que toda escola precisa estar embasada nas propostas
pedagógicas que ajudarão o melhor desempenho da escola. O objetivo deste plano é
definir os rumos da educação do CMEI Dona Leonor Loureiro para o ano letivo
2014/2016, tendo em vista os desafios enfrentados pelo CMEI. Haja vista, que mesmo
tratando-se de uma instituição da modalidade infantil deve criar mecanismos
democráticos de gestão aonde assegurem a participação de todos os atores da
educação como: pais, alunos, professores, gestor e a comunidade local. Assim, é
necessário articular ações que provenha uma gestão mais igualitária e participativa.
De acordo com a CONAE (2010, p.28), no Brasil o processo educacional é marcado
pela edição de planos e projetos educacionais por isso, torna-se necessário
Empreender ações articulados entre a proposição e a materialização de políticas, bem
como ações de planejamento sistemáticas. Por sua vez, todos precisam se articular
com uma política nacional para educação, com vistas ao seu acompanhamento,
monitoramento e avaliação.
Neste sentido, a elaboração deste decorreu da necessidade de criar ações estratégias
para atuação do gestor do CMEI Dona Leonor Loureiro da comunidade do Bairro
Ulisses Guimarães em Itumbiara, Goiás, para o ano letivo que iniciará em Janeiro de
2014 a Março de 20115. A mesma funciona em período integral por atender uma
clientela de faixa etária que 06 meses a 02 anos.

Outro propósito foi contribuir no processo de gestão escolar democrática. Por isso, faz-
se necessário construir processos pedagógicos, curricular e avaliativo centrado na
maioria das condições de Ensino/Aprendizagem das crianças tendo em vista a
definição e reconstrução permanente de padrões adequado de qualidade educativa.

XII - OBJETIVOS
GERAL –

Contribuir para maior participação e interação entre a escola e a família com vista a
melhorar o processo de ensino aprendizagem do educando e da efetivação de uma
gestão democrática.

ESPECÍFICOS -
 Melhorar desenvolvimento cognitivo, psíquico físico e social dos alunos,
 Melhorar e promover a qualificação de professores e demais colaboradores;
 Entender a infância como condição da existência humana, e não apenas como
uma etapa passageira do desenvolvimento.
 Informar a comunidade sobre, Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)
através do Conselho Tutelar;
 Aumentar a frequência dos pais/família na escola;
 Promover ações que possam garantir a prática da gestão democrática;
 Efetivar a atuação do Conselho Escolar nos processos e ações pedagógicas da
escola;
 Promover ações de socialização entre os segmentos que compõem a
comunidade escolar.
 Realizar diagnóstico de crianças que estão ausentes das salas de aula;
 Acompanhar atividades desenvolvidas pelos educadores e projeto lúdico da
escola;
 Envolver os pais nos projetos da escola;
 Visitar as famílias que os filhos estão infrequentes ou ausentes da escola.

XIII - METAS

 Possibilitar ao educando condições para o desenvolvimento de suas


potencialidades, nos diferentes aspectos de sua personalidade e na busca da
autorrealização.

 Proporcionar o acesso dos professores aos cursos de capacitação oferecidos


pela própria unidade, pela Secretaria Municipal de Educação e outros
segmentos;

 Garantir o atendimento adequado e satisfatório aos servidores da unidade


escolar;

 Otimizar a utilização dos recursos financeiros e o funcionamento físico da


unidade escolar com a participação do órgão mantenedor, Prefeitura municipal e a
comunidade escolar;

XIV- MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DO PLANO DE AÇÃO

O monitoramento e avaliação das ações deste plano ocorrerão com base em


observações e registros e relatórios dos resultados, no decorrer do desenvolvimento as
ações nele propostas e através da supervisão e acompanhamento da coordenação. A
avaliação ocorrerá envolvendo a participação da comunidade, crianças, pais,
funcionários, Conselheiros Tutelares e Gestora de modo que aconteça as ações, bem
como apresentar novas propostas de reformulação ou adaptações.

XV- LINHAS BÁSICAS DO PLANO DE AÇÃO


Considerando que a educação é uma atividade necessária ao funcionamento da
sociedade, cabe a ela, possibilitar aos sujeitos os conhecimentos que os tornem
capazes de atuar no meio social, em função das necessidades econômicas, sociais e
políticas da coletividade. Para tanto, faz-se necessário um conhecimento sólido da
realidade sobre o processo de transformação da natureza, da sociedade e do homem
e, assim, compreender em que consiste o conhecimento humano, sua especificidade, a
educação e seu papel social. De acordo com Saviani,

“é preciso compreender a realidade enquanto


processo em movimento, enquanto um processo
contraditório e dialético em que o todo não se
explica fora das partes e as partes não se
compreendem fora do todo; portanto, é preciso
agir sobre o todo agindo simultaneamente sobre
as diferentes partes” (SAVIANI, 1991, p.55).

A educação, neste sentido, deve ser entendida como instrumento emancipador capaz
de tornar o homem um ser intelectualmente autônomo, protagonista, sujeito e não
objeto de suas ações. O processo educativo, numa perspectiva de escola pública deve
estar voltado aos interesses da população majoritária e para tanto se faz necessário
tomadas de decisões como resultado de discussões coletivas de modo que a
população tome seu destino nas mãos.
Há entraves que emperram a efetivação de uma política pública consistente que
assegure a democratização do ensino, tanto no âmbito político, econômico e mesmo
social de onde emergem mecanismos que nos condicionam a manutenção de um
sistema excludente. No entanto, é o espaço escolar o local privilegiado onde a
realidade se desvela através da atuação de profissionais comprometidos com uma
educação emancipadora, capaz de trazer mudanças consistentes na vida dos sujeitos.

XVI- PROPOSTA PEDAGÓGICA

Um ponto de reflexão

“A escola dos pequeninos tem de ser um ambiente


livre, onde o princípio pedagógico deve ser o respeito
à liberdade e à criatividade das crianças. Nela, os
pequeninos devem poder se locomover, ter atividades
criativas que permitam sua autossuficiência, e a
desobediência e a agressividade não devem ser
coibidas e, sim, orientadas, por serem condições
necessárias ao sucesso das pessoas.” (Antônio
Márcio Junqueira

A proposta pedagógica que planejamos para o CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL


CMEI Dona Leonor leva em conta a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional -
LDB 9.394/96, a
Constituição Brasileira, o Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA, o disposto nos
Parâmetros Curriculares Nacionais - PCN e as Deliberações E/CME nº 03/2000, nº
06/2001 e nº 15/2007, todas do Conselho Municipal de Educação do Município de
Itumbiara – Goiás.
Reconhecendo a importância das experiências vivenciadas na primeira infância e
acreditando ser a educação um direito da criança, é que construímos esse plano de
ação voltado para o atendimento das necessidades básicas de educação, afeto e
socialização, numa ação complementar à educação familiar e da comunidade.
A metodologia de ensino a ser adotada pelo CMEI Dona Leonor Loureiro está
baseada na proposta socioconstrutivista, cujo objetivo é levar a criança a construir o
seu próprio conhecimento através da exploração do seu corpo, dos objetos, do espaço
onde está inserida e das relações com o outro.
Desta forma, ampliando sua capacidade de descoberta e construção de
conhecimentos, as crianças irão penetrando de modo consciente na dinâmica da vida e
se constituindo, como sujeitos históricos, críticos e participativos. As atividades são
programadas de forma a inserir o conteúdo a ser trabalhado dentro do objetivo a ser
alcançado pela instituição, envolvendo a família e a comunidade.
Para prestar um atendimento de qualidade, primará por manter seus funcionários
constantemente atualizados. Por ser uma instituição pública, seus recursos financeiros
vêm dos cofres públicos do município.

XVII - PROCESSO DE AVALIAÇÃO DOS EDUCANDOS


No CMEI Dona Leonor Loureiro, a avaliação na Educação Infantil tem por finalidade
verificar a adequação do desenvolvimento do aluno face aos objetivos propostos,
levando-se em consideração as características da faixa etária.
Os resultados da avaliação são informados aos pais ou responsáveis,
bimestralmente, através de relatório semanal, mensal, bimestral, semestral e anual,
de observações registrados na ficha avaliativa descritiva (bimestral) em face dos
conteúdos desenvolvidos em cada uma das etapas da Educação Infantil.

XVII - MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DO PLANO

O monitoramento e avaliação das ações deste plano ocorrerão com base em


observações e registros e relatórios dos resultados, no decorrer do desenvolvimento
das ações nele propostas e através da supervisão da coordenação. A avaliação
ocorrerá envolvendo a participação da comunidade, crianças, pais, funcionários,
Conselheiros Tutelares e Gestora de modo que aconteça as ações, bem como
apresentar novas propostas de reformulação ou adaptações.
DEFINIÇÃO DE METAS (A CURTO, MÉDIO E LONGO PRAZO) A SEREM ATINGIDAS E AÇÕES A SEREM DESENCADEADAS.

INDICADORES A ESCOLA QUE TEMOS HOJE A ESCOLA QUE PRETENDEMOS Metas: QUE VAMOS FAZER
A CURTO/MÉDIO E LONGO
PRAZO.

POTENCIALIDADES DIFICULDADES

Direito de acesso Dificuldades para a Uma escola que: supere s índices


Formação continuada para
assegurado aos permanência e de desenvolvimento educacional de
professores e funcionários
alunos; sucesso escolar, seus educandos.
com o apoio da SME.
devido:
Maior parte dos Uma escola que: supere os
- Conflitos de ordem problemas socioculturais de sua
professores socioculturais e Reuniões com os pais, e
clientela com base no bom senso na
concursados; econômicas das sensibilidade e no conhecimento eventos envolvendo a
famílias dos pedagógico. comunidade escolar
Oferta de educação educandos. comunidade nas atividades e
GESTÃO DE
profissional nos projetos interdisciplinares
RESULTADOS Divulgar amplamente às famílias e do CMEI.
EDUCACIONAIS -Alguns educandos aos e aos responsáveis pelos
Profissionais de apoio com baixa frequência
educandos os programas Acompanhar e visitar as
para atender a sem apresentar educacionais ofertados pelo Governo famílias.
demanda, guardas, justificativa. e pelo MEC, como: Bolsa Família,
administrativo, serviços Campanhas de imunização, Cursos
gerais e merendeira. oferecidos aos pais.

Professores habilitados
com, no mínimo
especialização e
muitos auxiliares de
sala cursando
graduação
INDICADORES A ESCOLA QUE TEMOS HOJE A ESCOLA QUE QUE VAMOS FAZER A
PRETENDEMOS CURTO/MÉDIO E LONGO
PRAZO.

POTENCIALIDADES DIFICULDADES Realizar reunião geral para


Uma escola que de fato atue esclarecimento das funções dos
Eleição de diretores; Pouca participação das democraticamente, segmentos da escola – CMEI.
famílias dos alunos nas considerando a garantia de
GESTÃO Reunião de pais; participação coletiva, Envolver dos pais nas atividades
PARTICIPATIVA E reuniões de pais;
valorizando os profissionais da pedagógicas visando efetivar a
DEMOCRÁTICA Trabalhos coletivos; educação, suas ideias e participação da família nos eventos
Pouca clareza, por projetos, de modo que todos
parte de professores, das datas comemorativas
Reuniões pedagógicas passem a ser cogestores.
e administrativas; em relação aos
instrumentos e Promover um ambiente de trabalho
Tomada de decisões critérios de avaliação; agradável e produtivo, valorizando
baseadas nas o trabalho das professoras e
discussões dos demais funcionários, incentivando
Pouco interesse dos maior união e solidariedade por
representantes
professores em ocasiões de momentos ou
considerando a opinião
conhecer o PPP da problemas graves na família.
de todos
escola.
Valorizar e incentivar os bons
Pouco interesse dos profissionais que cumprem suas
auxiliares de sala em tarefas com competência e
participar de formações responsabilidade e cobrando dos
continuadas. demais o mesmo desempenho
profissional;
INDICADORES METAS ESTRATÉGIAS ACOMPANHAMENTO E
AVALIAÇÃO

Coordenar a implementação das Proporcionando o acesso dos Através do repasse de informações


Diretrizes Pedagógicas, aplicar professores aos cursos de socialização, acompanhamento e
GESTÃO normas, procedimentos e medidas capacitação oferecidos pela suporte dos cursos de formação
PEDAGÓGICA de acordo com instruções da
Secretaria Municipal de Educação oferecidos pela SME e pelo grupo
Secretaria Municipal de Educação.
e de outros segmentos, assim gestor do CMEI
como oferecer momentos de
formação continuada no CMEI
Através do acompanhamento da
Desenvolvimento de atividades coordenação pedagógica.
Proporcionar o acesso dos
lúdico pedagógicas, jogos, música,
professores aos cursos de
capacitação oferecidos pela dramatização entre as crianças e
própria unidade ou pela Secretaria os adultos.
Municipal de Educação e outros
segmentos; Elaborando projetos bimestrais Através da observação do
calendário escolar, com objetivo de
juntamente com as professoras e
aumentar a aprendizagem e a
acompanhando seu qualidade de ensino.
desenvolvimento em parceria com
a coordenação pedagógica.

Envolvendo dos pais nas Através da participação da escola


atividades pedagógicas visando em todos os eventos que forem
convocados como: desfiles, feiras,
efetivar a participação da família
amostras, reuniões, danças e
nos eventos das datas outros, o que fará aumentar a
Possibilitar ao educando comemorativas (Páscoa, Dia das
representatividade do CMEI perante
condições para o desenvolvimento Mães, Dia dos Pais, Festa Juninas a comunidade.
de suas potencialidades, nos e Natal);
diferentes aspectos de sua
personalidade e na busca de sua Trabalhando interdisciplinarmente
autorrealização. os componentes curriculares, Através do acompanhamento da
orações, escovação, higiene coordenação pedagógica.
corporal, PQVAE, Ensino Religioso
e outras atividades programadas
pela equipe da instituição;

Incentivando a participação do uso


Convocar integrantes da
comunidade escolar para a das mídias disponíveis na
elaboração do PDE, Plano de instituição como a televisão, vídeo,
desenvolvimento Escolar do CMEI som e outros;
submetendo-o à aprovação do
Conselho Escolar; Reunindo pais, professores e Através da realização de eventos e
funcionários periodicamente, comemorações realizados na
visando maior participação, unidade escolar;
interesse e compromisso deles nas
atividades promovidas pela
instituição;

Abrir espaços para discussão, Trabalhando conceitos de respeito, Através da valorização do trabalho
avaliação e intercâmbio, interno e disciplina, responsabilidade, amor dos professores e demais
externo das experiências de ao próximo, ética, cidadania e funcionários;
sucesso que acontecem durante outros valores;
as aulas ou durante a aplicação
dos conteúdos; Promovendo o uso dos recursos
tecnológicos e atendimento às
necessidades socioeconômicas e
culturais das crianças da nossa
instituição assim como aquelas
pertencentes às comunidades
circunvizinhas;
Promovendo e mantendo através Através de reuniões, conversas,
de parcerias com outras circulares, visitas às famílias e
instituições, campanhas de palestras;
combate às drogas, a violência
contra a mulher e à criança, às
doenças e à saúde bucal,

Assegurando uma atuação mais Através de reuniões mensais ou


efetiva do Conselho Escolar quando houver necessidades.
direcionada as questões
pedagógicas;

Tornando o espaço escolar mais


democrático e interativo por meio
de uma gestão escolar atuante,
política e democrática;

Promovendo um ambiente de
trabalho agradável e produtivo,
promovendo comemorações de
aniversários, incentivando maior
união e solidariedade por ocasiões
de momentos ou problemas graves
na família;

Valorizando e incentivando os pais


e a família que cumprem suas
tarefas com competência e
responsabilidade e cobrando dos
demais o mesmo desempenho e
responsabilidade;
INDICADORES METAS ESTRATÉGIAS ACOMPANHAMENTO E
AVALIAÇÃO

GESTÃO DE Garantir acessibilidade aos Oferecendo acessibilidade aos Atendendo a legislação no que concerne
INCLUSÃO/ educandos e comunidade escolar. cadeirantes, (quesito rampas e a educação inclusiva em sua forma
SOCIOEDUCAÇÃO banheiros), e deficientes visuais integral de atendimento.
(piso tátil e sinalização) facilitando a
locomoção dos educandos e da
comunidade escola.

INDICADORES METAS ESTRATÉGIAS ACOMPANHAMENTO E


AVALIAÇÃO

GESTÃO DE Garantir que professores e Promovendo um ambiente de trabalho Através da valorização do trabalho das
PESSOAS agentes educacionais (auxiliares e agradável e produtivo. professoras e demais funcionários,
administrativos) se sintam incentivando- os a uma maior união e
comprometidos com o trabalho Atualizando dados funcionais gerais solidariedade entre a equipe.
pedagógico. e pessoais;
Através da avaliação institucional.
Atender a todos os servidores em Orientando quanto as férias, recessos
suas necessidades e observar e encontros de formação.
critérios legais pertinentes a cada
segmento.
INDICADORES METAS ESTRATÉGIAS ACOMPANHAMENTO E
AVALIAÇÃO

GESTÃO DE Manter conservação do prédio. Conservando as dependências do Através do acompanhamento das


SERVIÇOS DE prédio em sua estrutura física e prestações de contas.
APOIO, RECURSOS material.
FÍSICOS E
FINANCEIROS Socializar os recursos financeiros
disponibilizados através de suas
fontes mantenedoras, sendo discutida
sua aplicação em suas necessidades
didático pedagógicas e físicas.

INDICADORES METAS ESTRATÉGIAS ACOMPANHAMENTO E


AVALIAÇÃO

GESTÃO DE Trabalhar a questão da diversidade Através da orientação nos planos de Através do acompanhamento da
PROMOÇÃO ÀS diariamente em sala de aula. aula que atendam a matriz curricular, coordenação pedagógica e das relações
DIVERSIDADES atentando para formação de do cotidiano.
identidades raciais, de gênero,
étnicas e socioeconômicas de forma
positiva a estimular o respeito às
diferenças.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS

BRASIL. Lei n. 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Estabelece normas gerais e critério


básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou
com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 20
dez. 2000.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de


Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF: MEC/SEESP, 2008

CONFERÊNCIA NACIONAL DE EDUCAÇÃO (CONAE), 2010,Brasília, DF. Construindo o


Sistema Nacional articulado de Educação:o Plano Nacional de Educação, diretrizes e
estratégias; Documento
Final. Brasília, DF: MEC, 2010,p. 28.
Disponível em: <http://conae.mec.gov.br.

ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (ECA)

ARTIGO- Os desafios docentes no cotidiano escolar. Elizete Simonelli de Souza. Paulino José
Orso.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia Histórico-Crítica: Primeiras aproximações. São Paulo:


Cortez, 1991.

LISBOA, Antônio Márcio Junqueira. O seu filho no dia-a-dia. Dicas de um pediatra


experiente.Vol.3.Brasília: Linha gráfica, 1998.

BRASIL.(1996) Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei 9394/96,


BrasÌlia.BRASIL Constituição da Reṗública Federativa do Brasil. 22ª ed. São Paulo:
Saraiva,1999.

Parâmetros Curriculares Nacionais – PCN

Construção coletiva da identidade da escola pública de qualidade que


pressupõe um projeto: de sociedade, de educação, de cultura e de
cidadania... fundamentado na democracia e na justiça social.