Vous êtes sur la page 1sur 3

1.

Introdução
Com o empregos das metodologias ágeis desenvolvedores, testadores,
analista de negócios, gerente de projeto e produto trabalham juntos para atingir o
mesmo objetivo: desenvolver software ágil que respondam às necessidades do
negócio. No entanto a equipe de operação continuou trabalhando de forma isolada,
como se fosse um time a parte. Criando assim, barreiras na entrega do software em
produção, pois desenvolvedores querem que as mudanças desenvolvidas estejam
logo em produção, enquanto que a equipe de operação reluta para colocá-las, já que
a mudança de um software pode trazer risco à estabilidade no sistema ou na sua
implantação.
Um movimento cultural e profissional que está tentando quebrar essas
barreiras é o DevOps. Ele visa a aproximação entre as equipes de desenvolvimento
e operação com o uso da colaboração e através de uma comunicação mais efetiva
não apenas na fase de implantação do software, mas desde sua concepção,
passando por todas as fases, até a implantação, visando garantir a entrega de valor
ao cliente.
Sob o contexto de integração e entrega contínua, o DevOps é considerado
complementar ao desenvolvimento ágil, provendo a garantia de que o software está
pronto para ser promovido ao ambiente de produção, gerando valor para o cliente,
além de melhorar o fluxo de trabalho e integração entre as equipes.
2. DevOps
O movimento DevOps começou em 2008 onde nesse ano começaram a falar
sobre infraestrutura ágil.
Em uma conferência de Agile em 2008 em toronto, Patrick Debois tentou
propor as primeiras ideias relacionadas a DevOps. Onde ele trouxe propostas em
como resolver os constantes conflitos entre as áreas de desenvolvimento e
operações de IT, de forma que os problemas possam ser resolvidos com mais
agilidade. Na apresentação dele não há nenhum conceito relacionado ao DevOps
que é hoje. Há apenas a proposta inicial de discutir sobre este assunto.
No ano de 2009, na conferência O’Reilly Velocity, dois funcionários da Flickr
John Allspaw e Paul Hammond, fizeram um seminário chamado de “10+ Deploys per
Day: Dev and Ops Cooperation at Flickr”. Onde eles apresentaram o problema entre
a cooperação entre as áreas de desenvolvimento e operações e chegaram na
conclusão que a única forma realmente produtiva de construir, testar e instalar
software é fazendo com que as áreas de desenvolvimento e operações sejam
transparentes e integradas. Isso causou um impacto a partir do momento que
começaram a se demonstrar os benefícios desta integração. Foi logo após disso que
o termo DevOps começou a ser utilizado.
O termo DevOps é muito amplo e ainda não prescritivo, contudo sabe-se que
o termo DevOps envolve inúmeras atividades e aspectos, tais como:
● Avaliação​: são as métricas, medições, verificação de performance,
logs e integração;
● Automação: facilitar os processos repetitivos no deploy, controle,
monitoração, gerência de configuração e orquestração;
● Compartilhamento: assuntos relacionados a feedback e comunicação
entre a equipe
● Cultura: envolve colaboração, fim das divisões, relação saudável entre
as áreas e mudança de comportamento;
DevOps não significa simplesmente uma metodologia ou um conjunto de
ferramentas para automação em si. Ela representa mudança cultural, que afeta todo
o negócio, possibilitando a construção de um conceito onde o objetivo da
organização deve estar acima dos objetivos de cada equipe.
3. Vantagens e Desvantagens DevOps
A cultura de colaboração entre as equipes de desenvolvimento e operações
criada pelo DevOps permite: eliminar a competição entre as equipes, tornar a equipe
de operação mais participativa nos projetos e fazendo com que ela colabore mais
com detalhes técnicos, projetos se desenrolam mais facilmente e são entregues no
tempo e com o orçamento previstos, melhorias no monitoramento das aplicações
desenvolvidas, produtos finais mais eficientes a partir de uma melhor compreensão
da importância e das responsabilidades de cada departamento dentro dos projetos,
soluções entregues com mais estabilidade e melhor desempenho, as entregas são
mais rápidas, com menos incidentes e menos riscos e uma redução significativa de
custos.
A dificuldade da utilização vem de implantar essa cultura DevOps na equipe,
além da necessidade de aprender novas ferramentas e conceitos.