Vous êtes sur la page 1sur 18

www.euvoupassar.com.

br

Curso​ ​de​ ​Contabilidade​ ​Pública


Matéria:​ ​Contabilidade​ ​Pública​ ​–​ ​Professor:​ ​Wilson​ ​Araújo

DVP

2.​ ​A​ ​respeito​ ​da​ ​contabilidade​ ​pública​ ​brasileira,​ ​julgue​ ​o​ ​item​ ​que​ ​se​ ​segue.
As​ ​contas​ ​de​ ​variações​ ​ativas​ ​e​ ​do​ ​ativo​ ​são​ ​creditadas​ ​pelo​ ​aumento​ ​e​ ​debitadas​ ​pela​ ​diminuição​ ​de​ ​saldo.

3.​ ​Durante​ ​determinado​ ​exercício​ ​financeiro,​ ​um​ ​ente​ ​público​ ​realizou​ ​as​ ​seguintes​ ​operações​ ​(em​ ​reais​ ​mil):

Com​ ​base​ ​nas​ ​informações,​ ​pode-se​ ​afirmar​ ​que​ ​o​ ​resultado​ ​econômico​ ​correspondeu​ ​a​ ​um
A. ​ ​déficit​ ​de​ ​300.
B. ​ ​déficit​ ​de​ ​8.300.
C. ​ ​superávit​ ​de​ ​300.
D. ​ ​superávit​ ​de​ ​8.300.
E. ​ ​superávit​ ​de​ ​7.700.

Página​ ​1
www.euvoupassar.com.br

FATOS​ ​QUE​ ​ALTERAM​ ​O​ ​RESULTADO​ ​PATRIMONIAL

FATOS​ ​QUE​ ​ALTERAM​ ​O​ ​RESULTADO​ ​PATRIMONIAL


POSITIVAMENTE

Página​ ​2
www.euvoupassar.com.br

4.​ ​(FCC)​ ​De​ ​acordo​ ​com​ ​a​ ​Lei​ ​n.​ ​4.320/64,​ ​assinale​ ​a​ ​opção​ ​que​ ​indica​ ​o​ ​correto​ ​preenchimento​ ​das​ ​lacunas:
_________​ ​demonstrará​ ​as​ ​receitas​ ​e​ ​despesas​ ​previstas​ ​em​ ​confronto​ ​com​ ​as​ ​realizadas.

1.​ ​O​ ​Balanço​ ​Financeiro.


2.​ ​O​ ​Balanço​ ​Orçamentário.
3.​ ​O​ ​Balanço​ ​Patrimonial.
4.​ ​A​ ​Demonstração​ ​das​ ​Variações​ ​Patrimoniais.

_________demonstrará a receita e a despesa orçamentárias, bem como os recebimentos e os pagamentos de


natureza extra-orçamentária, conjugados com os saldos em espécie provenientes do exercício anterior, e os que se
transferem​ ​para​ ​o​ ​exercício​ ​seguinte.

_________ demonstrará o Ativo Financeiro, o Ativo Permanente, o Passivo Financeiro, o Passivo Permanente, o
Saldo​ ​Patrimonial​ ​e​ ​as​ ​Contas​ ​de​ ​Compensação.

_________ evidenciará as alterações verificadas no patrimônio, resultantes ou independentes da execução


orçamentária,​ ​e​ ​indicará​ ​o​ ​resultado​ ​patrimonial​ ​do​ ​exercício.

1.​ ​O​ ​Balanço​ ​Financeiro.


2.​ ​O​ ​Balanço​ ​Orçamentário.
3.​ ​O​ ​Balanço​ ​Patrimonial.
4.​ ​A​ ​Demonstração​ ​das​ ​Variações​ ​Patrimoniais.
(A)​ ​1​ ​-​ ​2​ ​-​ ​3​ ​-​ ​4
(B)​ ​2​ ​-​ ​1​ ​-​ ​4​ ​-​ ​3
(C)​ ​1​ ​-​ ​2​ ​-​ ​4​ ​-​ ​3
(D)​ ​1​ ​-​ ​3​ ​-​ ​2​ ​-​ ​4
(E)​ ​2​ ​–​ ​1​ ​–​ ​3​ ​-​ ​4

5. (FCC) Sobre uma Demonstração das Variações Patrimoniais – DVP em que se observa a ocorrência de superávit
do​ ​exercício​ ​é​ ​correto​ ​afirmar:
(A)​ ​o​ ​montante​ ​das​ ​receitas​ ​orçamentárias​ ​foi​ ​maior​ ​do​ ​que​ ​as​ ​despesas​ ​orçamentárias.
(B)​ ​as​ ​despesas​ ​correntes​ ​foram​ ​necessariamente​ ​menores​ ​do​ ​que​ ​as​ ​receitas​ ​correntes.
(C)​ ​as​ ​variações​ ​ativas​ ​totais​ ​foram​ ​maiores​ ​do​ ​que​ ​as​ ​variações​ ​passivas​ ​totais.
(D)​ ​as​ ​mutações​ ​ativas​ ​obrigatoriamente​ ​superaram​ ​as​ ​despesas​ ​de​ ​capital.
(E)​ ​a​ ​ocorrência​ ​de​ ​superávit​ ​implica​ ​a​ ​não-existência​ ​de​ ​receitas​ ​de​ ​capital.

Página​ ​3
www.euvoupassar.com.br

6.​ ​(FCC)​ ​Assinale​ ​a​ ​opção​ ​correta​ ​em​ ​relação​ ​à​ ​Demonstração​ ​das​ ​Variações​ ​Patrimoniais.
(A)​ ​Evidencia​ ​as​ ​variações​ ​patrimoniais​ ​resultantes​ ​e​ ​independentes​ ​da​ ​execução​ ​orçamentária.
(B)​ ​Evidencia​ ​somente​ ​as​ ​variações​ ​patrimoniais​ ​decorrentes​ ​da​ ​execução​ ​orçamentária.
(C)​ ​Evidencia​ ​a​ ​situação​ ​patrimonial​ ​da​ ​entidade.
(D)​ ​Evidencia​ ​fluxo​ ​financeiro​ ​da​ ​entidade.
(E)​ ​Evidencia​ ​somente​ ​as​ ​variações​ ​patrimoniais​ ​decorrentes​ ​de​ ​desembolsos​ ​da​ ​entidade.

7. (FCC) Com base nos dados abaixo extraídos de uma Demonstração das Variações Patrimoniais hipotética assinale
a​ ​opção​ ​correta.
Variações​ ​ativas​ ​totais:​ ​............................................................1.200
Mutações​ ​Passivas:......................................................................200
Variações​ ​ativas​ ​indep.​ ​da​ ​execução​ ​orçamentárias:...............260
Mutações​ ​Ativas:...........................................................................250
Variações​ ​passivas​ ​orçamentárias:............................................750
Decréscimos​ ​patrimoniais:............................................................30
Variações​ ​passivas​ ​indep.​ ​da​ ​execução​ ​orçamentária:............680

(A)​ ​Os​ ​fatos​ ​permutativos​ ​da​ ​execução​ ​da​ ​despesa​ ​foram​ ​no​ ​montante​ ​de​ ​170​ ​unidades​ ​monetárias.
(B)​ ​As​ ​baixas​ ​extra-orçamentárias​ ​do​ ​ativo​ ​totalizaram​ ​200​ ​unidades​ ​monetárias.
(C)​ ​O​ ​montante​ ​da​ ​receita​ ​efetiva​ ​orçamentária​ ​foi​ ​de​ ​1.200​ ​unidades​ ​monetárias.
(D) O montante dos fatos permutativos orçamentários relacionados com o passivo foi maior do que os mesmos fatos
envolvendo​ ​o​ ​ativo.
(E)​ ​O​ ​resultado​ ​patrimonial​ ​apurado​ ​foi​ ​um​ ​déficit​ ​de​ ​230​ ​unidades​ ​monetárias.

DADOS
Variações​ ​ativas​ ​totais:​ ​............................................................1.200
Mutações​ ​Passivas:......................................................................200
Variações​ ​ativas​ ​indep.​ ​da​ ​execução​ ​orçamentárias:...............260
Mutações​ ​Ativas:...........................................................................250
Variações​ ​passivas​ ​orçamentárias:............................................750
Decréscimos​ ​patrimoniais:............................................................30
Variações​ ​passivas​ ​indep.​ ​da​ ​execução​ ​orçamentária:............680

Página​ ​4
www.euvoupassar.com.br

Página​ ​5
www.euvoupassar.com.br

TVP

RESULTADO​ ​PATRIMONIAL

Página​ ​6
www.euvoupassar.com.br

TOTAL​ ​DA​ ​COLUNA​ ​DAS​ ​VA

Página​ ​7
www.euvoupassar.com.br

TOTAL​ ​DA​ ​COLUNA​ ​DAS​ ​VP

TOTAL​ ​DAS​ ​VAO

Página​ ​8
www.euvoupassar.com.br

TOTAL​ ​DAS​ ​IFPEO

Página​ ​9
www.euvoupassar.com.br

(A)​ ​Os​ ​fatos​ ​permutativos​ ​da​ ​execução​ ​da​ ​despesa​ ​foram​ ​no​ ​montante​ ​de​ ​170​ ​unidades​ ​monetárias.

MUTAÇÕES​ ​ATIVAS

(B)​ ​As​ ​baixas​ ​extra-orçamentárias​ ​do​ ​ativo​ ​totalizaram​ ​200​ ​unidades​ ​monetárias.

IDA​ ​ou​ ​IP

Página​ ​10
www.euvoupassar.com.br

(C)​ ​O​ ​montante​ ​da​ ​receita​ ​efetiva​ ​orçamentária​ ​foi​ ​de​ ​1.200​ ​unidades​ ​monetárias.
RECEITA​ ​ORÇAMENTÁRIA:
❏ EFETIVA
❏ NÃO-EFETIVA

(D) O montante dos fatos permutativos orçamentários relacionados com o passivo foi maior do que os mesmos
fatos​ ​envolvendo​ ​o​ ​ativo.
MP​ ​>​ ​MA

(E)​ ​O​ ​resultado​ ​patrimonial​ ​apurado​ ​foi​ ​um​ ​déficit​ ​de​ ​230​ ​unidades​ ​monetárias.

Página​ ​11
www.euvoupassar.com.br

(A)​ ​Os​ ​fatos​ ​permutativos​ ​da​ ​execução​ ​da​ ​despesa​ ​foram​ ​no​ ​montante​ ​de​ ​170​ ​unidades​ ​monetárias.
(B)​ ​As​ ​baixas​ ​extra-orçamentárias​ ​do​ ​ativo​ ​totalizaram​ ​200​ ​unidades​ ​monetárias.
(C)​ ​O​ ​montante​ ​da​ ​receita​ ​efetiva​ ​orçamentária​ ​foi​ ​de​ ​1200​ ​unidades​ ​monetárias.
(D) O montante dos fatos permutativos orçamentários relacionados com o passivo foi maior do que os mesmos
fatos​ ​envolvendo​ ​o​ ​ativo.
(E)​ ​O​ ​resultado​ ​patrimonial​ ​apurado​ ​foi​ ​um​ ​déficit​ ​de​ ​230​ ​unidades​ ​monetárias.

CASP

CIÊNCIA​ ​CONTÁBIL

Assim, podemos dizer que a Contabilidade é a ciência que estuda, controla e avalia, em termos monetários, o
patrimônio​ ​das​ ​entidades,​ ​públicas​ ​e​ ​privadas,​ ​com​ ​ou​ ​sem​ ​fins​ ​lucrativos.

1.​ ​CONTEXTUALIZAÇÃO
A ciência contábil no Brasil vem passando por significativas transformações rumo à convergência aos padrões
internacionais. O processo de evolução da contabilidade do setor público deve ser analisado de forma histórica e
contextualizada​ ​com​ ​o​ ​próprio​ ​processo​ ​de​ ​evolução​ ​das​ ​finanças​ ​públicas.

A premissa da convergência é de que a área pública deve ser dotada de Normas que possam fornecer a orientação
contábil, ao mesmo tempo que avance na consolidação e integração com as Normas Internacionais, possibilitando ao
Setor Público, um tratamento adequado, respeitando às Normas Gerais do Direito Financeiro e Gestão Fiscal, mas sem
macular​ ​a​ ​Ciência​ ​Contábil.

O ORÇAMENTO PÚBLICO ganhou significativa importância no Brasil. Como consequência, as normas relativas a
registros e demonstrações contábeis, vigentes até hoje, acabaram por dar enfoque sobretudo aos conceitos
orçamentários,​ ​em​ ​detrimento​ ​da​ ​evidenciação​ ​dos​ ​aspectos​ ​patrimoniais.

Página​ ​12
www.euvoupassar.com.br

Outro importante avanço na área das finanças públicas foi a edição da Lei Complementar nº 101/2000 – Lei de
Responsabilidade Fiscal (LRF), que estabeleceu para toda a Federação, direta ou indiretamente, limites de dívida
consolidada, garantias, operações de crédito, restos a pagar e despesas de pessoal, dentre outros, com o intuito de
propiciar​ ​o​ ​equilíbrio​ ​das​ ​finanças​ ​públicas​ ​e​ ​instituir​ ​instrumentos​ ​de​ ​transparência​ ​da​ ​gestão​ ​fiscal.
A LRF estabeleceu, ainda, a exigência de realizar-se a consolidação nacional das contas públicas. Esta competência é
exercida pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN) por meio da publicação anual do Balanço do Setor Público
Nacional​ ​(BSPN),​ ​congregando​ ​as​ ​contas​ ​da​ ​União,​ ​estados,​ ​Distrito​ ​Federal​ ​e​ ​municípios.
Tendo em vista essa competência, a Portaria MF nº 184/2008 e o Decreto nº 6.976/2009 determinam que a STN,
enquanto órgão central do Sistema de Contabilidade Federal, edite normativos, manuais, instruções de
procedimentos contábeis e plano de contas de âmbito nacional, objetivando a elaboração e publicação de
demonstrações contábeis consolidadas. Tais instrumentos encontram-se em consonância com as Normas Brasileiras
de Contabilidade Técnicas Aplicadas ao Setor Público (NBC TSP) editadas pelo Conselho Federal de Contabilidade
(CFC), e buscam a convergência às normas internacionais de contabilidade aplicada ao setor público – International
Public Sector Accounting Standards (IPSAS) – editadas pelo International Public Sector Accounting Standards Board
(IPSASB).
A necessidade de evidenciar com qualidade os fenômenos patrimoniais e a busca por um tratamento contábil
padronizado dos atos e fatos administrativos no âmbito do setor público tornou imprescindível a elaboração de um
plano de contas com abrangência nacional. Este plano apresenta uma metodologia, estrutura, regras, conceitos e
funcionalidades​ ​que​ ​possibilitam​ ​a​ ​obtenção​ ​de​ ​dados​ ​que​ ​atendam​ ​aos​ ​diversos​ ​usuários​ ​da​ ​informação​ ​contábil.
Dessa forma, a STN editou o Plano de Contas Aplicado ao Setor Público (PCASP) e o Manual de Contabilidade Aplicada
ao Setor Público (MCASP), com abrangência nacional, que permitem e regulamentam o registro da aprovação e
execução do orçamento, resgatam o objeto da contabilidade – o patrimônio, e buscam a convergência aos padrões
internacionais,​ ​tendo​ ​sempre​ ​em​ ​vista​ ​a​ ​legislação​ ​nacional​ ​vigente​ ​e​ ​os​ ​princípios​ ​da​ ​ciência​ ​contábil.

PROCESSO​ ​DE​ ​CONVERGÊNCIA

Página​ ​13
www.euvoupassar.com.br

Página​ ​14
www.euvoupassar.com.br

CONVERGÊNCIA

NORMA​ ​BRASILEIRA​ ​DE​ ​CONTABILIDADE,​ ​NBC​ ​TSP​ ​ESTRUTURA​ ​CONCEITUAL,​ ​DE​ ​23​ ​DE​ ​SETEMBRO​ ​DE​ ​2016
Aprova a NBC TSP ESTRUTURA CONCEITUAL – Estrutura Conceitual para Elaboração e Divulgação de Informação
Contábil​ ​de​ ​Propósito​ ​Geral​ ​pelas​ ​Entidades​ ​do​ ​Setor​ ​Público.
Até​ ​2021​ ​serão​ ​convergidas​ ​32​ ​Normas

As​ ​normas​ ​estabelecidas​ ​no​ ​MCASP​ ​aplicam-se,​ ​obrigatoriamente,​ ​às​ ​entidades​ ​do​ ​setor​ ​público.

As​ ​normas​ ​estabelecidas​ ​no​ ​MCASP​ ​aplicam-se,​ ​obrigatoriamente,​ ​às​ ​entidades​ ​do​ ​setor​ ​público.
Estão compreendidos no conceito de entidades do setor público: os governos nacional (União), estaduais, distrital
(Distrito Federal) e municipais e seus respectivos poderes (abrangidos os tribunais de contas, as defensorias e o
Ministério Público), órgãos, secretarias, departamentos, agências, autarquias, fundações (instituídas e mantidas pelo
poder público), fundos, consórcios públicos e outras repartições públicas congêneres das administrações direta e
indireta​ ​(inclusive​ ​as​ ​empresas​ ​estatais​ ​dependentes).

ESTATAIS​ ​DEPENDENTES
ESTATAL​ ​=​ ​CONTROLADA
+
​ ​DEPENDENTE

EMPRESA​ ​CONTROLADA
LRF
Art.​ ​2º​ ​Para​ ​os​ ​efeitos​ ​desta​ ​Lei​ ​Complementar,​ ​entende-se​ ​como:
II - empresa controlada: sociedade cuja maioria do capital social com direito a voto pertença, direta ou
indiretamente,​ ​a​ ​ente​ ​da​ ​Federação;

Página​ ​15
www.euvoupassar.com.br

EMPRESA​ ​ESTATAL​ ​DEPENDENTE


III - EMPRESA ESTATAL DEPENDENTE: empresa controlada que receba do ente controlador recursos financeiros para
pagamento de despesas com pessoal ou de custeio em geral ou de capital, excluídos, no último caso, aqueles
provenientes​ ​de​ ​aumento​ ​de​ ​participação​ ​acionária;

❏ ESTATAL​ ​=​ ​CONTROLADA


❏ DEPENDENTE​ ​=​ ​RECEBE​ ​RECURSOS
DO​ ​CONTROLADOR​ ​PARA​ ​PAGAMENTO:
➔ PESSOAL;
➔ CUSTEIO​ ​EM​ ​GERAL;​ ​ou
➔ CAPITAL.

Os Conselhos Profissionais e as demais entidades não compreendidas no conceito de entidades do setor público,
incluídas as empresas estatais independentes, poderão aplicar as normas estabelecidas no MCASP de maneira
facultativa​ ​ou​ ​por​ ​determinação​ ​dos​ ​respectivos​ ​órgãos​ ​reguladores,​ ​fiscalizadores​ ​e​ ​congêneres.
Os Conselhos Profissionais e as demais entidades não compreendidas no conceito de entidades do setor público,
incluídas as empresas estatais independentes, poderão aplicar as normas estabelecidas no MCASP de maneira
facultativa​ ​ou​ ​por​ ​determinação​ ​dos​ ​respectivos​ ​órgãos​ ​reguladores,​ ​fiscalizadores​ ​e​ ​congêneres.

Página​ ​16
www.euvoupassar.com.br

Os RCPGs são os componentes centrais da transparência da informação contábil dos governos e de outras entidades
do​ ​setor​ ​público,​ ​aprimorando-a​ ​e​ ​favorecendo-a.

EC:​ ​PREFÁCIO
A Estrutura Conceitual para Elaboração e Divulgação de Informação Contábil de Propósito Geral pelas Entidades do
Setor Público (Estrutura Conceitual) estabelece os conceitos que devem ser aplicados no desenvolvimento das demais
Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público (NBCs TSP) do Conselho Federal de Contabilidade
(CFC) destinados às entidades do setor público. Além disso, tais conceitos são aplicáveis à elaboração e à divulgação
formal​ ​dos​ ​Relatórios​ ​Contábeis​ ​de​ ​Propósito​ ​Geral​ ​das​ ​Entidades​ ​do​ ​Setor​ ​Público​ ​(RCPGs).

OBJETIVOS​ ​DAS​ ​ENTIDADES​ ​DO​ ​SETOR​ ​PÚBLICO


O objetivo principal da maioria das entidades do setor público é prestar serviços à sociedade, em vez de obter lucros e
gerar​ ​retorno​ ​financeiro​ ​aos​ ​investidores.

❏ Processos​ ​Decisórios
​ e​ ​Contas
❏ Prestação​ d
❏ Responsabilização

Página​ ​17
www.euvoupassar.com.br

Portanto, os usuários dos RCPGs das entidades do setor público precisam de informações para subsidiar as
avaliações​ ​de​ ​algumas​ ​questões,​ ​tais​ ​como:
❏ se​ ​a​ ​entidade​ ​prestou​ ​seus​ ​serviços​ ​à​ ​sociedade​ ​de​ ​maneira​ ​eficiente​ ​e​ ​eficaz;
❏ quais são os recursos atualmente disponíveis para gastos futuros, e até que ponto há restrições ou condições
para​ ​a​ ​utilização​ ​desses​ ​recursos;
❏ a extensão na qual a carga tributária, que recai sobre os contribuintes em períodos futuros para pagar por
serviços​ ​correntes,​ ​tem​ ​mudado;​ ​e
❏ se a capacidade da entidade para prestar serviços melhorou ou piorou em comparação com exercícios
anteriores.

As seções a seguir destacam as características do setor público selecionadas para serem incluídas no
desenvolvimento​ ​desta​ ​estrutura​ ​conceitual.
❏ Volume​ ​e​ ​significância​ ​das​ ​transações​ ​sem​ ​contraprestação.
❏ Importância​ ​do​ ​orçamento​ ​público.
❏ Natureza​ ​dos​ ​programas​ ​e​ ​longevidade​ ​do​ ​setor​ ​público.
❏ Natureza​ ​e​ ​propósito​ ​dos​ ​ativos​ ​e​ ​passivos​ ​no​ ​setor​ ​público.
❏ Papel​ ​regulador​ ​das​ ​entidades​ ​do​ ​setor​ ​público.
❏ Relacionamento​ ​com​ ​as​ ​estatísticas​ ​de​ ​finanças​ ​públicas​ ​(EFP).
❏ Papel​ ​regulador​ ​das​ ​entidades​ ​do​ ​setor​ ​público.
❏ Relacionamento​ ​com​ ​as​ ​estatísticas​ ​de​ ​finanças​ ​públicas​ ​(EFP).

Volume​ ​e​ ​significância​ ​das​ ​transações​ ​sem​ ​contraprestação

Em transação sem contraprestação, a entidade recebe o valor da outra parte sem dar diretamente em troca valor
aproximadamente​ ​igual.​ ​Tais​ ​transações​ ​são​ ​comuns​ ​no​ ​setor​ ​público.
A quantidade e a qualida ade dos serviços públicos prestados a um indivíduo ou a um grupo de indivíduos,
normalmente,​ ​não​ ​são​ ​diretamente​ ​proporcionais​ ​ao​ ​volume​ ​de​ ​tributos​ ​cobrados.
A tributação é uma transação que ocorre por força de lei e, portanto, uma transação sem contraprestação entre
entidades​ ​(ou​ ​indivíduos)​ ​e​ ​o​ ​governo.

Importância​ ​do​ ​orçamento​ ​público

CONCEITO​ ​DO​ ​ESTADO

O Estado é a sociedade humana juridicamente organizada, dentro de um território, com um governo, para realização
de​ ​determinado​ ​fim.

NECESSIDADES
PÚBLICAS

Página​ ​18