Vous êtes sur la page 1sur 15

Gestão Organizacional e

Educação Corporativa

Administração

Desenvolvimento do Conceito

1
APOSTILA
Funções Administrativas

2
Princípios para um bom administrador

Principais Teorias Administrativas

Variáveis Básicas do TGA

Administração na Sociedade Moderna

Perspectivas Futuras da Administração

Professor
Edinaldo Gonçalves
Adm. Empresas

Aluno:_________________________________________

7º Período – Administração Gestão de Negócios

1º Semestre - 2010
GESTÃO ORGANIZACIONAL E EDUCAÇÃO CORPORATIVA

ADMINISTRAÇÃO

Administração ou gestão de empresas supõe a existência de uma instituição a ser


administrada ou gerida, ou seja, um agrupamento de pessoas que se relacionem num determinado
ambiente, físico ou não, orientadas para um objetivo comum que é a empresa. Empresa, aqui
significa o empreendimento, os esforços humanos organizados, feitos em comum, com um fim
específico, um objetivo. As instituições (empresas) podem ser públicas ou privadas, com ou sem
fins lucrativos.
Atualmente se utiliza esta palavra para designar os estabelecimentos comerciais,
industriais, de serviços, etc., grandes ou pequenos, o que não revela seu sentido no título
da profissão.
A necessidade de organizar os estabelecimentos nascidos com a revolução industrial
levou os profissionais de outras áreas mais antigas e maduras a buscar soluções específicas
para problemas que não existiam antes.
Assim a pesquisa de métodos especiais para administrar estes empreendimentos deu
origem aos rudimentos da ciência da administração.

DESENVOLVIMENTO DO CONCEITO

Como ciência é um ramo das ciências humanas, ditas sociais, pois trata dos
agrupamentos humanos. Do ponto de vista histórico, ao longo do tempo, é uma especialização
do direito, como também da economia.
Desde tempos primitivos os homens, reunidos em tribos com o fito de defenderem-se,
desenvolvem as relações que obedecem às REGRAS DO DIREITO.
Estas relações quando puderem ser mensuradas quantitativamente seguem
PRINCÍPIOS DA ECONOMIA.
Outras instituições, sem fins lucrativos, medem o retorno do investimento de seus
esforços pela satisfação das necessidades do seu público, de qualquer forma precisam ser
administradas.
Administrar é o processo de tomar, realizar e alcançar ações que utilizam
recursos para atingir objetivos. Embora seja importante em qualquer escala de aplicação de
recursos, a principal razão para o estudo da administração é seu impacto sobre o desempenho
das organizações.
É a forma como são administradas que torna as organizações mais ou menos capazes
de utilizar corretamente seus recursos para atingir os objetivos corretos.[1]
Em síntese, o administrador é a ponte entre os meios (recursos financeiros,
tecnológicos e humanos) e os fins (objetivos).
Como elo entre os recursos e os objetivos de uma organização, cabe ao
administrador combinar os recursos na proporção adequada e para isso é necessário é tomar
decisões constantemente num contexto de restrições, pois, nenhuma organização por melhor que
seja dispõe de todos os recursos e também a capacidade de processamento de informações do
ser humano é limitado.
Administrar envolve a elaboração de planos, pareceres, relatórios, projetos,
arbitragens e laudos, em que é exigida a aplicação de conhecimentos inerentes às técnicas de
Administração.
21
Prof. Adm. Edinaldo Gonçalves edgconsult@superig.com.br – (18) 3743-7120/3742-2739
GESTÃO ORGANIZACIONAL E EDUCAÇÃO CORPORATIVA

A Administração se divide, basicamente, em cinco áreas: finanças, logística,


marketing, vendas ou produção e recursos humanos.
Alguns doutrinadores modernos inserem nessa divisão a TI (Tecnologia da
Informação) e a P&D, ou seja, a Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação. Pelo fato da
Administração ter diversas ciências como base, o administrador disputa seu espaço com
profissional de diferente áreas.

• Em finanças, disputa espaço com economistas e contadores.


• Em marketing, disputa espaço com publicitários.
• Em produção, disputa espaço com engenheiros.
• Em recursos humanos, disputa espaço com psicólogos.

Os primeiros administradores profissionais (administrador contratado, que não é o dono


do negócio) foram os que geriram as companhias de navegação inglesas a partir do século XVII.

Segundo Jonh W. Riegel, "o êxito do desenvolvimento de executivos em uma empresa


é resultado, em grande parte, da atuação e da capacidade dos seus gerentes no seu papel de
educadores. Cada superior assume este papel quando ele procura orientar e facilitar os esforços
dos seus subordinados para se desenvolverem".

PARTICIPAÇÃO EM SALA

FUNÇÕES ADMINISTRATIVAS

Fayol foi o primeiro a definir as funções básicas do Administrador:


Planejar, Organizar, Controlar, Coordenar e Comandar - POCCC.

Atualmente, sobretudo com as contribuições da Abordagem Neoclássica da Administração, os


princípios foram retrabalhados e são conhecidos como:
Planejar, Organizar, Dirigir e Controlar (PODC).
Ressalte-se, então, que destas funções as que sofreram transformações na forma de abordar
foram "comandar e coordenar" que anteriormente chamava-se Dirigir (Liderança).
Planejar, Organizar, Liderar e Controlar

Atualmente, as principais funções administrativas são:

• Fixar objetivos (planejar);


• Analisar: conhecer os problemas;
• Solucionar problemas;
• Organizar e alocar recursos (recursos financeiros e tecnológicos e as pessoas);

21
Prof. Adm. Edinaldo Gonçalves edgconsult@superig.com.br – (18) 3743-7120/3742-2739
GESTÃO ORGANIZACIONAL E EDUCAÇÃO CORPORATIVA

• Comunicar, dirigir e motivar as pessoas (liderar);


• Negociar;

• Tomar as decisões (rápidas e precisas);

• Mensurar e avaliar (controlar).


• As características do gestor

Segundo Araujo (2004), "as funções do gestor foram, num primeiro momento,
delimitadas como: planejar, organizar, comandar, coordenar e controlar. No entanto, por ser essa
classificação bastante difundida, é comum encontrá-la em diversos livros e até mesmo em jornais
de forma condensada em quatro categorias. São elas: planejar, organizar, liderar e controlar."

PLANEJAR: "definir o futuro da empresa, principalmente, suas metas, como serão


alcançadas e quais são seus propósitos e seus objetivos" (ARAÚJO, 169, 2004), ou como
"ferramenta que as pessoas e as organizações usam para administrar suas relações com o futuro.
É uma aplicação específica do processo decisório." (MAXIMIANO, 105, 2002).
O planejamento envolve a determinação no presente do que se espera para o futuro da
organização, envolvendo quais as decisões deverão ser tomadas, para que as metas e propósitos
sejam alcançados.

ORGANIZAR: pode-se constatar que [...] se fosse possível seqüenciar, diríamos que
depois de traçada(s) a(s) meta(s) organizacional (ais), é necessário que as atividades sejam
adequadas às pessoas e aos recursos da organização, ou seja, chega a hora de definir o que
deve ser feito, por quem deve ser feito, como deve ser feito, a quem a pessoa deve reportar-se, o
que é preciso para a realização da tarefa. (ARAÚJO, 169, 2004).
Logo, "organizar é o processo de dispor qualquer conjunto de recursos em uma
estrutura que facilite a realização de objetivos. O processo organizacional tem como resultado o
ordenamento das partes de um todo, ou a divisão de um todo em partes ordenadas."
(MAXIMIANO, 111, 2002).

LIDERAR: envolve influenciar as pessoas para que trabalhem num objetivo comum.
"Meta(s) traçada(s), responsabilidades definidas, será preciso neste momento uma competência
essencial, qual seja, a de influenciar pessoas de forma que os objetivos planejados sejam
alcançados." (ARAÚJO, 170, 2004).
A chave para tal, está na utilização da sua afetividade, na sua interação com o meio
ambiente que atua.
Na gestão, não basta apenas ser uma pessoa boa é necessário que tenha nascido para
vencer, vitória essa que está relacionada com a busca constante de desafios, com a coragem de
mobilizar-se, de assumir seu papel diante de seus pares, de seus colaboradores e de seus
supervisores.
A chave para tal, está na utilização da sua afetividade, na sua interação com o meio
ambiente que atua. (muito bem mencionado)
Falar de afetividade pode significar aderir a um sistema de gestão de pessoas de forma
parcial.
21
Prof. Adm. Edinaldo Gonçalves edgconsult@superig.com.br – (18) 3743-7120/3742-2739
GESTÃO ORGANIZACIONAL E EDUCAÇÃO CORPORATIVA

Quando se fala de gerir pessoas é importante ter em atenção ser competente,


reconhecer competência e competências.
Trabalhar, ou liderar, pessoas é uma tarefa árdua, em que mais depressa se detectam
os fracassos do que os sucesso, já que no primeiro caso toda a empresa se poderá ressentir, no
segundo o mérito é geralmente assumido de forma solitária.
Trabalhar com seres humanos exige conhecer, compreender para posteriormente se
desenvolver.
Para identificar competências há que conhecer muito bem a empresa e todos os seus
colaboradores. Desta forma partimos para a implementação de todo um sistema organizado,
planeado e formalizado com o objectivo de reter talentos, desenvolver as capacidades individuais,
prever constrangimentos, e acima de tudo criar e gerir as oportunidades. Desta forma motivamos
todos os intervenientes, gerimos as suas expectativas e potenciamos a produtividade.
Liderar significa análise, responsabilidade e justiça.
Maximiano ao invés de liderar, define o terceiro passo como executar, "o processo de
execução consiste em realizar as atividades planejadas que envolvem dispêndio de energia física
e intelectual" (MAXIMIANO, 119, 2002).

E por último CONTROLAR, que "estando a organização devidamente planejada,


organizada e liderada, é preciso que haja um acompanhamento das atividades, a fim de se
garantir a execução do planejado e a correção de possíveis desvios"(ARAÚJO, 170, 2004).
Cada uma das características podem ser definidas separadamente, porém dentro da
organização, são executadas em conjunto, ou seja, não podem ser trabalhados disjuntas.

PRINCÍPIOS PARA UMA BOA ADMINISTRAÇÃO

• Saber utilizar princípios, técnicas e ferramentas administrativas;


• Saber decidir e solucionar problemas;
• Saber lidar com pessoas: comunicar eficientemente, negociar, conduzir mudanças, obter
cooperação e solucionar conflitos.
• Ter uma visão sistêmica e global da estrutura da organização;
• Ser proativo, ousado e criativo;
• Ser um bom líder;
• Gerir com responsabilidade e profissionalismo.

Assim, a administração é imprescindível para:

• existência,
• sobrevivência e
• sucesso das organizações.
Sem a administração, as organizações jamais teriam condições de existir e de crescer.
• Ao longo do tempo, na medida em que foram surgindo problemas na gestão empresarial,
várias Teorias Administrativas foram formuladas para atender as necessidades mais
relevantes.

21
Prof. Adm. Edinaldo Gonçalves edgconsult@superig.com.br – (18) 3743-7120/3742-2739
GESTÃO ORGANIZACIONAL E EDUCAÇÃO CORPORATIVA

• De acordo com cada teoria, o significado e o conteúdo da Administração também variou.


• Normalmente, cada autor, procura privilegiar um dos aspectos que compõe a
organização, relegando os demais a um plano secundário.

As PRINCIPAIS TEORIAS que influenciam o atual pensamento administrativo são:


A)
Administração Científica:

A TGA começou com os estudos de Taylor, denominada de Administração Científica, e


se preocupou com a racionalização do trabalho no nível operacional e alguns Princípios de
Administração ( Planejamento – Preparo – Controle – Execução).
Essa racionalização seria obtida através:
• Análise do trabalho e do estudo dos tempos e movimentos;
• Estudo da fadiga humana;
• Divisão do trabalho e especialização do operário;
• Desenho de cargos e de tarefas;
• Incentivos salariais e prêmios;
• Condições ambientais de trabalho;
• Padronização de métodos e máquinas; e
• Supervisão funcional.

B) Teoria Clássica, Teoria da Burocracia e Teoria Estruturalista :

• A seguir a preocupação se voltou para a “ESTRUTURA” da organização, com a Teoria


Clássica de Fayol, a Teoria da Burocracia de Weber e mais tarde a Teoria Estruturalista
da Administração de Victor A. Thompson e Amitai Etzioni.

C) Teoria das Relações Humanas, Teoria Comportamental e Teoria do Desenvolvimento


Organizacional:

A preocupação com as “PESSOAS” veio com:


• “Teoria das Relações Humanas”, cujos expoentes foram Elton Mayo, Kurt Lewin e Mary
Parker Follet e outros.
• Teoria Comportamental por Douglas McGregor, Kurt Lewin e Herbert Simon e outros;
• Teoria do Desenvolvimento Organizacional, cujos autores mais expressivos foram
Richard Beckhard e Warren G. Bennis.

21
Prof. Adm. Edinaldo Gonçalves edgconsult@superig.com.br – (18) 3743-7120/3742-2739
GESTÃO ORGANIZACIONAL E EDUCAÇÃO CORPORATIVA

D)
Teoria dos Sistemas e Teoria da Contingência:

• A preocupação com o “AMBIENTE” deu origem a Teoria dos Sistemas (Norbert Wiener,
L. Von Bertalanffy e Herbert Simon), sendo completada pela Teoria da Contingência
(Willian R. Dill e James D. Thompson), que posteriormente enfocou também o aspecto da
“TECNOLOGIA”.

E)
OUTRAS TEORIAS

Além dessas teorias já consagradas, há outras mais recentes tais como: Administração

Participativa, Empreendedora, Japonesa, Holística e Virtual.


• Todas as teorias administrativas apresentadas são aplicáveis às situações de hoje.
• Cabe ao administrador aplicar a teoria mais adequada para cada situação.

2 VARIÁVEIS BÁSICA NA TGA

• As cinco variáveis básicas que constituem os principais componentes no estudo da


Administração das empresas são: tarefa, estrutura, pessoas, ambiente e tecnologia.
• Hoje, a TGA estuda a Administração das organizações verificando a interação, a
correlação entre essas cinco variáveis.
• Achar o ponto de equilíbrio adequado entre essas variáveis é o grande desafio do
Administrador.
• O comportamento dessas variáveis é sistemático e complexo: cada variável influencia e
é influenciada pelas demais variáveis, o que torna difícil o estudo das teorias
administrativas.
 Foco de atuação maior:

 A ampliação da ação da administrativa pode ser percebida pela

evolução do seu foco de atuação:


• No início o foco era um conjunto de cargos e tarefas;
• A seguir, passou para o conjunto de órgãos e funções;
• Posteriormente, para a concepção de sistema;
• As mais recentes teorias, estuda a organização como um sistema composto de
subsistemas que interagem entre si e com o ambiente externo.

3 A ADMINISTRAÇÃO NA SOCIEDADE MODERNA

Complexidade das Organizações.


Responsabilidades do Administrador:
• conduzir seus subordinados pelo caminho correto;
21
Prof. Adm. Edinaldo Gonçalves edgconsult@superig.com.br – (18) 3743-7120/3742-2739
GESTÃO ORGANIZACIONAL E EDUCAÇÃO CORPORATIVA

• interagir com pessoas que estão sob sua subordinação, no mesmo nível ou acima;
• estar atento para os fatos passados e presentes e se preocupar com o futuro. Fazer as
suas previsões para poder orientar seus subordinados;

• lidar com eventos internos e externos ao local de trabalho e até mesmo externo a
empresa;
• ver mais longe para não perder de vista os objetivos da empresa;
• é um agente educador, na medida em que modifica comportamentos e atitudes de outras
pessoas;
• é um agente cultural, pois com seu estilo de Administração modifica a cultura da
organização.

Consciência como Administrador:


• é preciso ter consciência de que o administrador deixa marcas profundas na vida das
pessoas, pois, ele mexe com os destinos dos subordinados, colegas e chefes dentro da
empresa; e
• influencia o comportamento dos consumidores, fornecedores, concorrentes e outras
organizações humanas.

4. PERSPECTIVAS FUTURAS DA ADMINISTRAÇÃO

Segundo os estudiosos, a forma organizacional de hoje, ou seja, a organização

burocrática, tende a desaparecer, dando lugar a novos sistemas mais adequados a era pós-

industrialização.
O que está acontecendo que pode levar a essas mudanças?

21
Prof. Adm. Edinaldo Gonçalves edgconsult@superig.com.br – (18) 3743-7120/3742-2739
GESTÃO ORGANIZACIONAL E EDUCAÇÃO CORPORATIVA

NOVAS FORMAS DE ORGANIZAÇÃO

21
Prof. Adm. Edinaldo Gonçalves edgconsult@superig.com.br – (18) 3743-7120/3742-2739
GESTÃO ORGANIZACIONAL E EDUCAÇÃO CORPORATIVA

• Mudanças Rápidas e Inesperadas – principalmente no campo do


conhecimento e da explosão populacional, impondo novas e crescentes necessidades
a que as atuais organizações não têm condições de atender.
• Crescimento no tamanho das organizações – que se tornam complexas e

internacionais.
• Atividades novas que exigem pessoas de competências diversas e

altamente especializadas - envolvendo problemas de coordenação e,

principalmente, de acompanhamento das rápidas mudanças.

21
Prof. Adm. Edinaldo Gonçalves edgconsult@superig.com.br – (18) 3743-7120/3742-2739
GESTÃO ORGANIZACIONAL E EDUCAÇÃO CORPORATIVA

A atividade de administrar tende a ficar cada vez mais complexa pois o volume de

informações, na maioria das vezes contraditória, tem aumentado de forma geométrica,

dificultando sobremaneira qualquer diagnóstico e por conseqüência a atividade de planejar e

decidir corretamente.
Estão ocorrendo grandes transformações nas organizações, cujos reflexos na

administração das empresas serão profundas e marcantes.


As MEGATENDÊNCIAS e seus reflexos na administração contemporânea são os seguintes,

segundo John Naisbitt:

a)
Da Sociedade Industrial para a Sociedade de Informação:

Da Tecnologia Simples para a Alta Tecnologia


b)

Da Economia Nacional para a Economia Mundial:


c) Do Curto Prazo para o Longo Prazo:

d)
Da Democracia Representativa para a Democracia Participativa

• Democracia representativa (as pessoas escolhem seus


representantes) x democracia participativa (as pessoas são consultadas para se
decidir).
e)
Das Hierarquias para a Comunicação Lateral Intensiva

f) Da Centralização para a Descentralização:

g) Da Ajuda Internacional para a Auto-Ajuda

DESAFIOS FUTUROS DA ADMINISTRAÇÃO

A tarefa administrativa nos próximos anos será incerta e desafiadora, pois deverá ser
atingida por uma infinidade de variáveis, mudanças e transformações carregadas de ambigüidade
e de incertezas.

1 – CRESCIMENTO DAS ORGANIZAÇÕES

21
Prof. Adm. Edinaldo Gonçalves edgconsult@superig.com.br – (18) 3743-7120/3742-2739
GESTÃO ORGANIZACIONAL E EDUCAÇÃO CORPORATIVA

Na medida em que a organização cresce, ocorre uma subdivisão interna (divisão do


trabalho) e especialização dos órgãos e, em decorrência, maior necessidade de coordenação e
integração das partes envolvidas para garantir a eficiência e a eficácia.
O mundo externo é caracterizado por mudanças rápidas e freqüentes e, para
acompanhar com sucesso essas mudanças, os administradores “generalistas” dotados de
habilidades genéricas e variadas terão perspectivas mais promissoras do que os administradores
“especialistas” e concentrados em poucas habilidades gerenciais.

2 – CONCORRÊNCIA MAIS AGUDA

Na medida em que aumentam os mercados e os negócios, crescem também os riscos


da atividade empresarial. O produto ou o serviço que demonstra ser melhor ou superior será o
mais procurado.
O desenvolvimento de produtos ou serviços exigirá maiores investimentos em pesquisa
e desenvolvimento, aperfeiçoamento de tecnologias, dissolução de velhos e criação de novos
departamentos, busca incessante de novos mercados e competição com outras organizações para
sobreviver e crescer.

3 – SOFISTICAÇÃO DA TECNOLOGIA

A tecnologia proporciona eficiência maior, precisão maior e a liberação da atividade


humana para tarefas mais complicadas que exijam planejamento e criatividade. A tecnologia
introduzirá novos processos e instrumentos que causarão impactos sobre as organizações.

4 – TAXAS ELEVADAS DE INFLAÇÃO

Os custos de energia, matérias-primas, trabalho humano e dinheiro estão se elevando


continuamente. A inflação exigirá, cada vez mais, maior eficiência da administração das
organizações para que possam obter melhores resultados com menos recursos e programas de
redução de custos operacionais. A inflação imporá novas pressões e ameaças sobre as
organizações: elas deverão lutar pelo lucro e pela sobrevivência por meio de maior produtividade.

5 – GLOBALIZAÇÃO DA ECONOMIA E INTERNACIONALIZAÇÃO DOS NEGÓCIOS

O esforço de exportação e criação de subsidiárias para deitar raízes em outros


territórios estrangeiros é um fenômeno que influenciará as organizações do futuro e sua
administração. A globalização e o intercâmbio planetário fazem com que a competição se torne
mundial.

6 – VISIBILIDADE MAIOR DAS ORGANIZAÇÕES

21
Prof. Adm. Edinaldo Gonçalves edgconsult@superig.com.br – (18) 3743-7120/3742-2739
GESTÃO ORGANIZACIONAL E EDUCAÇÃO CORPORATIVA

A visibilidade da organização – a sua capacidade de chamar a atenção dos outros –


pode ocorrer de maneira positiva (imagem positiva da organização perante o público) ou negativa
(imagem negativa). De qualquer forma, a organização jamais será ignorada pelos consumidores,
fornecedores, imprensa, sindicatos, governo etc., e isso influenciará seu comportamento.

CONCLUSÃO:

Estas são as megatendências da sociedade e o sucesso das empresas ou dos futuros


administradores nesse novo contexto dependerá da sua capacidade de:
• diagnosticar corretamente a realidade que o cerca;
• acompanhar as transformações;
• identificar as oportunidades e aproveitá-las prontamente com flexibilidade e agilidade; e
• identificar as ameaças e neutralizá-las.
Como as mudanças estão se processando cada vez mais rapidamente, as empresas vão ter

que ganhar também essa agilidade para:

• mudar sua linha de ação;


• adaptar-se a uma nova realidade;
• renovar-se;
• ajustar-se.
• o diagnóstico correto do que a terapêutica; e
• saber “o que” fazer do que “como fazer”.

É importante ter sempre presente que em Administração nada é absoluto ou definitivo,


tudo é relativo e tudo depende da situação e do momento.

TOME NOTA

A teoria geral da administração começou com a ênfase nas tarefas, com a


administração científica de Taylor.
A seguir, a preocupação básica passou para a ênfase na estrutura com a teoria clássica
de Fayol e com a teoria burocrática de Max Weber, seguindo-se mais tarde a teoria estruturalista.
A reação humanística surgiu com a ênfase nas pessoas, por meio da teoria
comportamental e pela teoria do desenvolvimento organizacional.
A ênfase no ambiente surgiu com a Teoria dos Sistemas, sendo completada pela teoria
da contingência. Esta, posteriormente, desenvolveu a ênfase na tecnologia.
Cada uma dessas cinco variáveis - tarefas, estrutura, pessoas, ambiente e
tecnologia - provocou a seu tempo uma diferente teoria administrativa, marcando um gradativo
passo no desenvolvimento da TGA.
Cada teoria administrativa procurou privilegiar ou enfatizar uma dessas cinco variáveis,
omitindo ou relegando a um plano secundário todas as demais.

• Áreas da administração
21
Prof. Adm. Edinaldo Gonçalves edgconsult@superig.com.br – (18) 3743-7120/3742-2739
GESTÃO ORGANIZACIONAL E EDUCAÇÃO CORPORATIVA

• Administração financeira
• Administração da produção
• Administração pública
• Administração de materiais
• Marketing
• Gestão de pessoas
• Gestão sistêmica
• Administração de sistemas de informação
• Organização, sistemas e métodos
• Comércio internacional

RETOMANDO

ATIVIDADE EM SALA

TOME NOTA

EXERCÍCIO EXTRA

PESQUISE SOBRE O ASSUNTO

INTERNET

GRAVE / SALVE O ARQUIVO

TRABALHO EM GRUPO

MARCAR DIA DE PROVA

PARTICIPAÇÃO EM SALA

ÁUDIO

21
Prof. Adm. Edinaldo Gonçalves edgconsult@superig.com.br – (18) 3743-7120/3742-2739
GESTÃO ORGANIZACIONAL E EDUCAÇÃO CORPORATIVA

VÍDEO

Acesse sempre o e-mail da sala para verificar novos artigos.


Lembre-se eles serão importantes na avaliação do CHA (Conhecimento, Habilidade, Atitude)

21
Prof. Adm. Edinaldo Gonçalves edgconsult@superig.com.br – (18) 3743-7120/3742-2739

Centres d'intérêt liés