Vous êtes sur la page 1sur 32

Nádia Maria dos Santos Vieira

(Cartilha adaptada)
A ortografia da língua
portuguesa é regida
por um conjunto de
normas oficiais sob a
forma de acordos
ortográficos.
Desde o dia 01/01/2009 já
estão em vigor as novas regras
ortográficas da língua portuguesa.

Temos até 2012 para nos


“habituar” com essas novas regras.

Em 2013, o uso das mudanças


ortográficas será obrigatório.
 As letras k, w e y foram oficialmente
incorporadas ao alfabeto brasileiro, que
passa a ter 26 letras.

ABCDEFGHIJKLM
NOPQRSTUVWXYZ

 Essas letras são usadas em siglas, símbolos,


nomes próprios, palavras estrangeiras e
seus derivados.
Exs.: km, watt, Byron, byroniano.
 Não existe mais o trema na língua
portuguesa. Apenas em casos de
nomes próprios e seus derivados,
como por exemplo: Müller,
mülleriano.

Ex.: frequência, consequência,


cinquenta, linguiça, aguentar,
quinquênio, tranquilo.
 Palavras paroxítonas que possuem os
ditongos abertos ei ou oi não serão mais
acentuados, ou seja, quando os ditongos
abertos ei ou oi estiverem no interior das
palavras, esses perderão o acento.

Exs.: Assembleia, plateia, ideia, colmeia,


jiboia, heroico.

OBS.: Se as palavras terminarem em ditongo


(éi ou ói), elas serão palavras oxítonas e o
acento permanecerá, obrigatoriamente.

Exs.: herói, dói, constrói, pastéis.


 Naspalavras paroxítonas, não se usa
mais o acento no i e no u tônicos
quando vierem depois de um ditongo
(duas vogais na mesma sílaba).

Exs.: feiura, feiume, bocaiuva.

Obs: Se o i ou u estiverem em posição


final o acento permanecerá: tuiuiú,
Piauí.
Os hiatos oo e eem não
serão mais acentuados.

Ex.:enjoo, leem, veem, voo,


perdoo, deem, abençoo,
creem, releem.
 Não se usará mais o acento para
diferenciar:

 pera (substantivo - fruta) e pera (preposição


arcaica)
 pela (flexão do verbo pelar) de pela
(combinação da preposição com o artigo)
 para (verbo parar) de para (preposição)
 Pelo (substantivo) de pelo (combinação da
preposição com o artigo)
 polo (substantivo) de polo (combinação
antiga e popular de por e lo)
Obs.:
 Permanece o acento diferencial na palavra
pôde (pretérito perfeito do indicativo) e pode
(presente do indicativo), pôr (verbo) e por
(preposição). E continua o acento que
diferencia o singular do plural dos verbos ter
e vir e seus derivados.
Exs.: Ele tem dois carros / Eles têm dois carros.

É facultativo o uso do acento circunflexo para


diferenciar as palavras forma/fôrma. Em
alguns casos, o uso do acento deixa a frase
mais clara.
Exs.: Qual é a forma da fôrma do bolo?
Não se usa mais o acento agudo
no u tônico das formas: (tu)
arguis, (ele) argui, (eles) arguem,
do presente do indicativo dos
verbos arguir e redarguir.
 Osverbos terminados em GUAR, QUAR e QUIR
possuem duas pronúncias em algumas formas
do presente do indicativo, do presente do
subjuntivo e do imperativo.
 Não se usa mais o acento agudo nas formas
verbais que têm o acento tônico na raiz, com U
tônico precedido de G ou Q e seguido de E ou
I, ou seja,(gue, que, gui, qui) .
 Poucas formas verbais, como averigúe
(averiguar), apazigúe (apaziguar) e argúem
(arguir), passam a ser grafadas averigue,
apazigue, arguem.
Diferença entre palavras compostas e
prefixos.
 Palavras compostas – são aquelas que
possuem dois radicais, ou seja, são ligadas
por duas palavras independentes que se
unem para formar uma nova palavra.

 Prefixos - são morfemas - unidades


mínimas de significação, sendo elementos
constituintes dos vocábulos - que se
colocam antes dos radicais a fim de
modificar-lhes o sentido.
NÃO SE USA O HÍFEN

 em prefixos terminados em vogal + palavra


iniciada por outra vogal (diferente) ou palavra
iniciada por consoante.

Exs.:
autoescola, contraindicação, coprodução,
extraescolar, semideus, infraestrutura,
intraocular, semiárido, microcomputador,
supraocular, ultraelevado, agroindustrial,
ultramoderno, autopeça, neoexpressionista,
geopolítica.
NÃO SE USA O HÍFEN
 em prefixos terminados em vogal +
palavra iniciada por R ou S, sendo que
essas devem ser dobradas.

Exs.:
antessala, autossugestão, autorretrato,
ultrassonografia, suprarrenal,
antissocial, arquirromântico,
suprassensível, extrarregimento,
infrassom, contrassenso, contrarregra,
extrasseco.
 depois de NÃO e QUASE.

Exs.: não agressão, quase delito.


NÃO SE USA O HÍFEN
 em palavras compostas por elementos
de ligação.

Exs.: fim de semana, cão de guarda,


café com leite, pão de mel, sala de
jantar, cartão de visita, cor de vinho ...

Exceções: água-de-colônia, arco-da-


velha, cor-de-rosa, pé-de-meia,
mais-que-perfeito...
nas palavras compostas que
dão nomes a animais, plantas,
frutos, flores, raízes e
sementes.

Exs.: Mico-leão-dourado
cravo-da-índia
USA-SE O HÍFEN
 em prefixos + palavras iniciadas por H.

Exs.: sobre-humano, anti-higiênico, mini-


hotel, macro-história, super-humano.

 em prefixos terminados por vogal + palavras


iniciadas pela mesma vogal.

Exs.: micro-ondas, mega-aeroporto,


ultra-ativo.
USA-SE O HÍFEN
 em palavras compostas sem elemento de
ligação.
Exs.: tira-teima, lance-livre, mata-moscas.
Exceções: Mandachuva, paraquedas, paraquedista,
paralama, parabrisa. (perderam a noção de
composição).

 Com MAL + palavra iniciada por vogal, H e L.


Exs.: mal-educado, mal-arrumado, mal-humorado,
mal-letrado.
 Com a palavra BEM.

Exs.: bem-humorado, bem-arrumado,


bem-educado,
bem-criado (mas malcriado),
bem-ditoso (mas malditoso),
bem-falante (mas malfalante),
bem-mandado (mas malmandado),
bem-nascido (mas malnascido),
bem-visto (mas malvisto).).
USA-SE O HÍFEN
 em prefixo terminado por consoante +
palavra iniciada pela mesma consoante.

Exs.: super-romântico, hiper-rouco,


sub-bibliotecário.

 Prefixo SUB + palavra iniciada por R ou H.

Ex.: Sub-região, sub-raça, sub-hemisfério.

Exceção: sub-humano ou subumano.


USA-SE O HÍFEN

 Com prefixos CIRCUM e PAN + palavras


iniciadas por M, N e VOGAL.
Exs.: pan-americano, circum-navegação.

 Com os prefixos EX, SEM, ALÉM, AQUÉM,


RECÉM, VICE, PÓS, PRÉ e PRÓ.

Exs.: ex-namorada, sem-terra, além-mar,


pré-história, recém-casado, vice-diretor,
pós-parto.
USA-SE O HÍFEN
 comsufixos de origem tupi-guarani:
AÇU, GUAÇU e MIRIM.
Exs.: Capim-açu, amoré-guaçu, anajá-
mirim.

 nos compostos com apóstrofo.

Exs.: gota-d’água, pé-d’água, estrela-


d’alva.
USA-SE O HÍFEN
 em palavras iguais ou parecidas.
Exs.: esconde-esconde, zigue-zague,
ping-pong, blá-blá-blá.

 com prefixos AB (afastamento, separação),


OB (Posição em frente, oposição) e AD
(Aproximação; direção) + palavra iniciada
por B, D ou R.
Exs.: ad-digital (junto aos dedos), ob-rogar
(invalidar), ab-rogar (anular, suprimir).
USA-SE O HÍFEN

em palavras compostas derivadas


de nomes próprios de lugares.

Exs.: Belo-horizontino
rio-grandense-do-norte
porto-alegrense
USA-SE O HÍFEN

para ligar duas ou mais palavras


que, aparentemente sem sentido,
apresentam uma relação entre
elas.

Exs.: ponte Rio-Niterói


eixo Rio-São Paulo
 se for necessário dividir a palavra no
final da linha coincidindo com o hífen,
ele deve ser repetido na linha seguinte.

Exs.: Naquela cidade misteriosa, conta-


-se que ele desapareceu misteriosamente.

O diretor da escola foi receber os ex-


-alunos.
Acentuam-se graficamente as:
MONOSSÍLABOS
OXÍTONAS PAROXÍTONAS PROPAROXÍTONAS
TÔNICOS
Terminadas Que não
Terminadas em
em terminem em
A(s) A(s)
A(s)
E(s) E(s) TODAS
O(s) O(s)
E(s)
EM EM
ENS ENS O(s)

Obs.: Acentuam-se as paroxítonas terminadas em ditongo.


Exs.: vitória, série, áureo, glória, árduo.
•Hiatos – acentuam-se os I e U tônicos dos hiatos
seguidos ou não de S.
Exs: viúva, egoísta, saída, balaústre.

Obs.: Não acentuamos os I e U tônicos dos hiatos


acompanhados de NH.
Exs.: rainha, bainha.

Também não acentuação os hiatos I e U


acompanhados de ditongos, em palavras
paroxítonas.Ex.: Feiura.
•acentuam-se os ditongos abertos
éi, éu, ói na palavras oxítonas e
monossílabos tônicos, seguidos
ou não de S.
Exs.: herói, corrói, chapéu, céu,
pastéis.
Cartilha informativa: Na Ponta da Língua. SESI-FIEMG.

Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa. Academia Brasileira de Letras.


5.ed. São Paulo: Global, 2009.

Acordo Ortográfico. Disponível em: <http://www.portaldalinguaportuguesa.org/>.


Acesso em: 7 fev 2012.

TUFANO, Douglas. Nova Ortografia Descomplicada. Disponível em:


<www.douglastufano.multiply.com>. Acesso em: 10 fev. 2012.