Vous êtes sur la page 1sur 45

REGULAMENTO BRASILEIRO

DA AVIAÇÃO CIVIL
RBAC nº 110
EMENDA nº 00
Título: PROGRAMA NACIONAL DE INSTRUÇÃO EM
SEGURANÇA DA AVIAÇÃO CIVIL CONTRA ATOS DE
INTERFERÊNCIA ILÍCITA - PNIAVSEC
Aprovação: Resolução nº 361, de 16 de julho de 2015. Origem: SIA

SUMÁRIO

SUBPARTE A - GENERALIDADES
110.1 Aplicabilidade
110.3 Definições
110.5 Abreviaturas e símbolos
110.7 a 110.9 [RESERVADO]
SUBPARTE B - REQUISITOS DE CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS QUE REALIZAM
ATIVIDADE AVSEC
110.11 Requisitos para desempenho de atividades AVSEC
110.13 Capacitação em Segurança da Aviação Civil - AVSEC
110.15 Certificação dos profissionais em Segurança da Aviação Civil - AVSEC
110.17 Atualização da certificação de Segurança da Aviação Civil - AVSEC
110.19 a 110.21 [RESERVADO]
SUBPARTE C - RESPONSABILIDADES DOS CENTROS DE INSTRUÇÃO
110.23 Centro de instrução
110.25 Validade da autorização do centro de instrução
110.27 Requisitos para obtenção de autorização de centro de instrução
110.29 Requerimento de autorização de centro de instrução
110.31 Quadro funcional
110.33 Grade curricular
110.35 Produção de material instrucional e planos de aula
110.37 Sistema simulador de equipamento de raios-X
110.39 Manual de Procedimentos do Centro de Instrução (MPCI)
110.41 Turma de curso AVSEC
110.43 Matrícula em curso AVSEC
110.45 Instalações para ministrar curso AVSEC
110.47 Regulamento de curso
110.49 Melhoria de qualidade da instrução ministrada
110.51 Responsabilidades na Certificação em Segurança da Aviação Civil - AVSEC
110.53 Avaliação de desempenho teórica
Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

110.55 Segunda chamada de avaliação de desempenho teórica


110.57 Interposição de recursos às avaliações de desempenho teóricas
110.59 Garantia da idoneidade da avaliação de desempenho e elaboração de recursos
110.61 Certificado AVSEC
110.63 Registros do centro de instrução
110.65 a 110.67 [RESERVADO]
SUBPARTE D - RESPONSABILIDADES DAS ORGANIZAÇÕES COM RESPONSABILIDADE
AVSEC
110.69 Responsabilidade pela proficiência do profissional
110.71 Treinamento em Serviço para profissionais que desempenham atividade de
inspeção de segurança da aviação civil
110.73 Reciclagem
110.75 Apresentação de aeronaves para verificação e inspeção
110.77 Programa de Instrução AVSEC (PIAVSEC)
110.79 Registros de organização com responsabilidade AVSEC
110.81 a 110.89 [RESERVADO]
SUBPARTE E - FISCALIZAÇÃO, CONSEQUÊNCIAS E SANÇÕES ADMINISTRATIVAS
110.91 Fiscalização da ANAC
110.93 Consequências administrativas
110.95 Sanções administrativas de suspensão e cassação
110.97 a 110.99 [RESERVADO]
SUBPARTE F - DISPOSIÇÕES FINAIS E TRANSITÓRIAS
110.101 Disposições finais e transitórias
110.103 a 110.105 [RESERVADO]
APÊNDICE A - ATIVIDADES AVSEC E CERTIFICAÇÕES EXIGIDAS

APÊNDICE B - CURSOS AVSEC

APÊNDICE C - DESENHO ESQUEMÁTICO DO PROCESSO DE FORMAÇÃO E ATUALIZAÇÃO


EM INSPEÇÃO DE SEGURANÇA DA AVIAÇÃO CIVIL

Origem: SIA 2/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

SUBPARTE A
GENERALIDADES

110.1 Aplicabilidade
(a) Este regulamento se aplica a:
(1) operadores de aeródromos que executam atividade AVSEC listada no Apêndice A deste
Regulamento, segundo requisito presente em regulamentação específica da ANAC;
(2) operadores aéreos que executam atividade AVSEC listada no Apêndice A deste
Regulamento, segundo requisito presente em regulamentação específica da ANAC;
(3) agentes de carga aérea acreditados que executam atividade AVSEC listada no Apêndice
A deste Regulamento, segundo requisito presente em regulamentação específica da ANAC;
(4) centros de instrução; e
(5) profissionais AVSEC.
(b) Nos casos de terceirização na prestação de serviços ou de utilização de expedidor
reconhecido, os tomadores de serviços são responsáveis por executar fiscalização, por controlar
e por garantir o cumprimento dos requisitos deste regulamento para os profissionais que
desempenhem atividades em seu benefício.
(c) Eventualmente, a ANAC poderá ministrar cursos AVSEC e operacionalizar os critérios
de aprovação das certificações AVSEC previstos neste Regulamento.
(d) A organização deste Regulamento está segmentada conforme a aplicabilidade para os
entes envolvidos, conforme segue:
(1) Subparte A - Generalidades: aplica-se aos operadores de aeródromos, operadores
aéreos, agentes de carga aérea acreditados, centros de instrução e profissionais AVSEC;
(2) Subparte B - Requisitos de Capacitação de Profissionais que Realizam Atividade
AVSEC: aplica-se aos operadores de aeródromos, operadores aéreos, agentes de carga aérea
acreditados, centros de instrução e profissionais AVSEC;
(3) Subparte C - Responsabilidades dos Centros de Instrução: aplica-se aos centros de
instrução;
(4) Subparte D - Responsabilidades das Organizações com responsabilidade AVSEC:
aplica-se aos operadores de aeródromos, operadores aéreos e agentes de carga aérea
acreditados;
(5) Subparte E - Fiscalização, Consequências e Sanções Administrativas: aplica-se aos
operadores de aeródromos, operadores aéreos, agentes de carga aérea acreditados, centros de
instrução e profissionais AVSEC; e

Origem: SIA 3/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(6) Subparte F - Disposições Finais e Transitórias: aplica-se aos centros de instrução e


profissionais AVSEC.
(e) O treinamento dos profissionais que realizam atividades AVSEC para Polícia Federal e
para o Comando da Aeronáutica é de responsabilidade dos respectivos órgãos.

110.3 Definições
(a) Para os efeitos deste Regulamento, aplicam-se as definições estabelecida no
Regulamento Brasileiro da Aviação Civil nº 01 − RBAC 01; no Decreto nº 7.168, de 5 de maio
de 2010, que dispõe sobre o Programa Nacional de Segurança da Aviação Civil contra Atos de
Interferência Ilícita; na Lei nº 7.565, de 19 de dezembro de 1986, que dispõe sobre o Código
Brasileiro da Aeronáutica; e as seguintes:
(1) Atividade AVSEC significa a atividade relacionada à AVSEC ou cuja finalidade é garantir
a AVSEC, conforme discriminado na tabela do Apêndice A deste Regulamento;
(2) Autorização de Centro de Instrução (ACI) significa a autorização da ANAC para o centro
de instrução ministrar determinados cursos AVSEC, após verificação do atendimento aos
requisitos deste Regulamento;
(3) Avaliação de Antecedentes significa a identificação e verificação social de uma pessoa,
incluindo verificação de experiência prévia e de antecedentes criminais, com objetivo de avaliar
a idoneidade de um indivíduo para implementação de controle de segurança e para acesso
desacompanhado a uma área restrita de segurança;
(4) Avaliação de Desempenho significa a avaliação teórica ou teórica e prática que mede o
desempenho do aluno, a fim de verificar o alcance dos objetivos propostos por um evento de
capacitação;
(5) Carga Horária significa o total de horas-aula teóricas ou práticas de qualquer atividade
de instrução AVSEC;
(6) Centro de Instrução significa uma organização que possui autorização emitida pela
ANAC segundo este Regulamento para fornecer treinamento de cursos AVSEC e conduzir
certificação de profissional que desempenha atividade AVSEC;
(7) Certificação AVSEC significa a avaliação dos critérios definidos em regulamento que
resultam em uma confirmação, concedida pela ANAC ou em nome da Agência, de que uma
pessoa possui as competências necessárias para desempenhar as atividades AVSEC em um
nível aceitável, conforme definido em regulamento específico da ANAC;
(8) Certificado AVSEC significa o documento concedido pela ANAC ao profissional
AVSEC que comprova sua aprovação na certificação AVSEC e o habilita para o desempenho
de atividade AVSEC, condicionado ao êxito nos critérios de aprovação previstos neste
regulamento;

Origem: SIA 4/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(9) Conteúdo Programático significa a lista de conhecimentos a serem abordados em um


determinado curso;
(10) Dispositivo Explosivo Improvisado significa a ameaça que apresenta formatos diversos
e contém carga explosiva, detonador, fonte de energia e dispositivo de acionamento;
(11) Ensino a Distância significa a modalidade de ensino na qual os alunos e os instrutores
estão separados fisicamente, tendo sua interação mediada por recursos tecnológicos ou por
correspondência;
(12) Ensino Presencial significa a modalidade de ensino ministrada com a presença de
instrutor e com a participação dos alunos em sala de aula;
(13) Ensino Semipresencial significa a modalidade de ensino que conjuga estratégias de
ensino presencial e de ensino a distância, a fim de compor uma ação de capacitação;
(14) Grade Curricular significa a distribuição da carga horária para cada item do conteúdo
programático;
(15) Grade Horária ou Programação Semanal significa o calendário de realização de curso
que contém a data e horário de cada item do conteúdo programático, bem como da primeira e
segunda chamadas de avaliações de desempenho;
(16) Hora-Aula significa a unidade de medida do tempo de instrução com duração de 50
(cinquenta) minutos;
(17) Imprevisibilidade significa a implementação de medida de segurança com frequências
irregulares, em diferentes locais ou utilizando meios variados, de acordo com um marco
definido, com o objetivo de aumentar sua eficácia e seu efeito dissuasivo;
(18) Instrutor AVSEC significa o profissional com certificação de Instrutor AVSEC,
habilitado para ministrar cursos AVSEC presenciais ou para acompanhar cursos
semipresenciais ou a distância;
(19) Material Instrucional significa o material elaborado para um curso AVSEC, que pode
incluir programas instrucionais informatizados, manuais de treinamento, apostilas, slides e
demais recursos pedagógicos utilizados para o mesmo fim;
(20) Organização com responsabilidade AVSEC significa o grupo de entidades com
responsabilidades definidas em regulamentos AVSEC específicos da ANAC, incluindo
operadores de aeródromos, operadores aéreos e agentes de carga aérea acreditados;
(21) Plano de Aula significa o documento produzido pelo responsável técnico do centro de
instrução, devendo conter orientações técnicas e didáticas do processo de ensino de cada aula,
buscando direcionar a atuação do instrutor;
(22) Profissional AVSEC significa a pessoa física que desempenha as atividades AVSEC
descritas no Apêndice A, nos termos deste Regulamento;

Origem: SIA 5/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(23) Reciclagem significa uma atividade prática conduzida por organização com
responsabilidade AVSEC para o profissional que desempenha atividade em seu benefício que busca
enfatizar conhecimentos e técnicas identificados como frágeis em atividade de fiscalização ou de
controle de qualidade realizada pela ANAC ou pela organização com responsabilidade AVSEC;
(24) Regulamento do Curso significa o conjunto de normas que regula a atuação do aluno
na instituição de ensino e apresenta as regras de realização de um curso;
(25) Revalidação de Certificação significa a avaliação de desempenho realizada pela
ANAC, que busca ratificar a certificação AVSEC do profissional, quando motivada por
denúncias e possíveis irregularidades identificadas na fiscalização relativas à fraude, ilícito ou
descumprimento deste regulamento;
(26) Seleção significa o processo de escolha de um indivíduo, dentre os candidatos a um
contrato de trabalho, que determina o indivíduo mais adequado ao exercício das atividades
inerentes ao cargo, contemplando no mínimo a verificação do perfil e capacidade para
desempenho das atividades AVSEC, a verificação da maioridade penal e a aprovação no
processo de avaliação de antecedentes;
(27) Testes aleatórios de identificação de ameaças significa uma simulação de ameaça no
canal de inspeção que busca avaliar a capacidade do profissional AVSEC em identificá-la,
podendo utilizar sistema simulador de equipamento de raios-X, threat image projection (TIP),
simulacro ou outros meios;
(28) Testes de controle de qualidade significa a simulação de ato de interferência ilícita para
verificação da eficiência e da eficácia das medidas de segurança existentes;
(29) Treinamento em serviço significa uma etapa da certificação em Inspeção de Segurança
da Aviação Civil, com propósito de orientar e avaliar o profissional em relação às suas
habilidades e conhecimentos no desempenho de atividade AVSEC em ambiente operacional; e
(30) Turma de Curso AVSEC significa evento de capacitação composto por um ou mais
alunos com o objetivo de obter certificação AVSEC.

110.5 Abreviaturas e símbolos


(a) Para os efeitos deste Regulamento, aplicam-se as abreviaturas e símbolos estabelecidos
no Regulamento Brasileiro da Aviação Civil nº 01 − RBAC 01, no Decreto n.º 7.168, de 2010,
que dispõe sobre o PNAVSEC, e as seguintes:
(1) DPF: Departamento de Polícia Federal;
(2) MPCI: Manual de Procedimentos de Centro de Instrução; e
(3) PSOA: Programa de Segurança do Operador Aéreo.

110.7 a 110.9 [RESERVADO]

Origem: SIA 6/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

SUBPARTE B
REQUISITOS DE CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS QUE REALIZAM
ATIVIDADE AVSEC

110.11 Requisitos para desempenho de atividades AVSEC


(a) As organizações com responsabilidade AVSEC e o centro de instrução somente poderão
designar profissional para realizar atividades AVSEC que atendam aos seguintes requisitos:
(1) Passem por processo de seleção que contemple, no mínimo: verificação do perfil e
capacidade para desempenho das atividades AVSEC, verificação da maioridade penal e
avaliação de antecedentes.
(i) A verificação do perfil e capacidade para desempenho das atividades AVSEC deve
considerar as atividades elencadas no Apêndice A.
(ii) A comprovação da maioridade penal deve ser realizada por meio da apresentação de
documento pessoal de identificação válido, com fotografia, data de nascimento e que possua fé
pública.
(iii) A avaliação de antecedentes inclui a verificação da identidade, a verificação de
experiência prévia e a verificação de antecedentes criminais, com objetivo de avaliar a
idoneidade de um indivíduo para implementação de controle de segurança e para acesso
desacompanhado a uma área restrita de segurança.
(A) Para fins de avaliação dos antecedentes criminais, o profissional deverá apresentar ao
empregador os mesmos atestados de antecedentes criminais previstos para o credenciamento
junto ao aeródromo, conforme regulamentação específica da ANAC.
(B) A avaliação de antecedentes criminais deve balizar as decisões da organização com
responsabilidade AVSEC sobre a indicação de um profissional para realizar atividades AVSEC.
(2) Possuir condição física e mental para o desempenho pleno das atividades AVSEC
elencadas no Apêndice A, a ser comprovada por meio de exame médico.
(i) Os exames médicos deverão ser atualizados a cada 24 (vinte e quatro) meses.
(3) Ser capacitado e possuir certificação AVSEC, conforme os critérios deste Regulamento.

110.13 Capacitação em Segurança da Aviação Civil - AVSEC


(a) Os cursos AVSEC abordam procedimentos de segurança e objetivam capacitar
profissionais que desempenharão atividades AVSEC.
(1) Durante as aulas dos cursos AVSEC do tipo Formação, os instrutores não devem utilizar
exemplos específicos de organização com responsabilidade AVSEC que possam comprometer
a segurança da aviação civil contra atos de interferência ilícita, como os critérios de
imprevisibilidade, entre outros aspectos específicos.
(b) São cursos AVSEC, de Formação ou Atualização:

Origem: SIA 7/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(1) AVSEC para Atendimento ao Passageiro;


(2) AVSEC para Carga Aérea;
(3) AVSEC para Operações de Solo;
(4) AVSEC para Tripulantes;
(5) AVSEC para Vigilantes;
(6) Básico AVSEC;
(7) Inspeção de Segurança da Aviação Civil;
(8) AVSEC para Operador Aéreo; e
(9) AVSEC para Operador de Aeródromo.
(c) As especificações de matrícula, carga horária mínima, conteúdo programático e critérios
de aprovação dos cursos AVSEC de Formação e Atualização constam no Apêndice B.
(d) Os cursos de Formação e Atualização em Inspeção de Segurança da Aviação Civil
incluem treinamentos teóricos e práticos, conduzidos pelo Centro de Instrução e pela
organização com responsabilidade AVSEC, devendo ocorrer na sequência demonstrada no
Apêndice C deste Regulamento.
(e) Os cursos AVSEC possuem certificações AVSEC correspondentes, que serão concedidas
ao profissional que atender aos critérios de aprovação definidos no Apêndice B.

110.15 Certificação dos profissionais em Segurança da Aviação Civil - AVSEC


(a) As certificações em cursos AVSEC habilitam o profissional a realizar as atividades
listadas na tabela do Apêndice A deste Regulamento. Para desempenhá-las em território
brasileiro ou em espaço aéreo sobre este território, o profissional deve possuir, pelo menos, uma
das certificações da tabela correspondentes à atividade que pretende exercer.
(b) São certificações AVSEC:
(1) AVSEC para Atendimento ao Passageiro;
(2) AVSEC para Carga Aérea;
(3) AVSEC para Operações de Solo;
(4) AVSEC para Tripulantes;
(5) AVSEC para Vigilantes;
(6) Básico AVSEC;
(7) Inspeção de Segurança da Aviação Civil;
(8) AVSEC para Operador Aéreo;
(9) AVSEC para Operador de Aeródromo; e

Origem: SIA 8/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(10) Instrutor AVSEC.


(i) Instrutor AVSEC é uma certificação que dispensa a etapa de horas-aula dos cursos
AVSEC, incluindo apenas a aferição dos critérios de aprovação pela ANAC.
(c) A validade e os critérios de aprovação de cada certificação AVSEC são apresentados no
Apêndice B deste Regulamento.
(1) A validade da certificação começa a contar a partir da data de aprovação no curso, ou
seja, após o aluno atender a todos os critérios de aprovação previstos no Apêndice B.
(2) O fim da validade da certificação é estendido até o último dia do mês do vencimento.
(d) As certificações de Formação e Atualização em Inspeção de Segurança da Aviação Civil
incluem treinamentos teóricos e práticos, conduzidos pelo centro de instrução e por organização
com responsabilidade AVSEC, devendo ocorrer na sequência demonstrada no Apêndice C
deste Regulamento.
(1) A certificação de Formação em Inspeção de Segurança da Aviação Civil inicia com o
curso no centro de instrução e termina com o Treinamento em Serviço na organização com
responsabilidade AVSEC.
(2) A certificação de Atualização em Inspeção de Segurança da Aviação Civil inicia com o
Treinamento em Serviço na organização com responsabilidade AVSEC e termina com o curso
no centro de instrução.
(e) Ficam isentos de certificação de Formação ou Atualização de Instrutor AVSEC, os
profissionais que sejam servidores públicos de órgão com responsabilidade vinculada à
AVSEC, que ministrem aulas com temas pertinentes à sua área de atuação e que não
ultrapassem 40% (quarenta porcento) da carga horária do curso.
(f) Os tripulantes de aeronave com matrícula estrangeira que possuam treinamento em
AVSEC reconhecido pela autoridade de aviação civil do país de origem ficam isentos da
certificação de AVSEC para Tripulantes, quando atuarem em operações internacionais.
(g) As organizações com responsabilidade AVSEC são responsáveis por manter certificado
o profissional que desempenhe atividade AVSEC em seu benefício.
(h) Para o desempenho de atividades de inspeção de segurança, além das exigências de
certificações exigidas neste Regulamento, o profissional deve possuir capacitação sobre
identificação de artigos perigosos, conforme regulamentação específica sobre a matéria.

110.17 Atualização da certificação em Segurança da Aviação Civil - AVSEC


(a) A validade das certificações deve ser renovada por meio de aprovação em curso de
Atualização correspondente.
(1) O curso de Atualização deve ser iniciado dentro do prazo de vigência da certificação.

Origem: SIA 9/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(i) A matrícula em curso de Atualização só deve ser realizada para alunos que possuírem o
respectivo curso de Formação ou Atualização válido até o primeiro dia do curso de Atualização
pleiteado.
(2) Caso a validade da certificação expire e o profissional pretenda realizar atividade
AVSEC, é necessário realizar novo curso de Formação correspondente.
(b) A Atualização em Inspeção de Segurança da Aviação Civil fica condicionada ao prazo
mínimo de 180 (cento e oitenta) dias de efetiva prestação de serviço de inspeção para fins de
cumprimento do Treinamento em Serviço, nos termos do item 110.71(h)(3)(i).

110.19 a 110.21 [RESERVADO]

Origem: SIA 10/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

SUBPARTE C
RESPONSABILIDADES DOS CENTROS DE INSTRUÇÃO

AUTORIZAÇÃO DE CENTRO DE INSTRUÇÃO

110.23 Centro de instrução


(a) Somente poderá ministrar curso AVSEC o centro de instrução que possua autorização
emitida pela ANAC de acordo com este Regulamento.
(b) O centro de instrução somente poderá ministrar os cursos AVSEC listados em seu
Manual de Procedimentos do Centro de Instrução (MPCI) aprovado pela ANAC.
(c) O centro de instrução poderá ministrar edição de curso AVSEC a qualquer tempo, desde
que ocorra integralmente dentro da validade de sua autorização e em cumprimento com este
Regulamento.
(d) O centro de instrução poderá ministrar cursos AVSEC na modalidade presencial,
semipresencial ou a distância, desde que tais modalidades estejam previstas no MPCI aprovado
pela ANAC.
(1) O curso de Formação ou Atualização em Inspeção de Segurança da Aviação Civil deve
ser realizado obrigatoriamente na modalidade presencial.

110.25 Validade da autorização do centro de instrução


(a) O centro de instrução que deixar de ministrar curso AVSEC por mais de 12 (doze) meses
terá sua autorização automaticamente revogada.
(1) Caso a autorização seja revogada, o centro de instrução que desejar voltar a operar deverá
iniciar novamente o processo de autorização de centro de instrução.

110.27 Requisitos para obtenção de autorização de centro de instrução


(a) São requisitos para a obtenção de autorização de centro de instrução:
(1) ser pessoa jurídica;
(2) possuir sede administrativa localizada no Brasil;
(3) possuir em seu quadro funcional, no mínimo, um responsável técnico, com certificação
em Instrutor AVSEC válida.
(4) possuir MPCI aprovado pela ANAC e em conformidade com os requisitos previstos neste
Regulamento.
(b) Sem prejuízo aos requisitos apresentados no parágrafo 110.27(a), o centro de instrução
que deseje ministrar o curso de Formação e Atualização em Inspeção de Segurança da Aviação
Civil deve possuir:

Origem: SIA 11/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(1) sistema simulador de equipamento de raios-X, com objetivo de instruir sobre a


interpretação de imagens de raios-X;
(2) simuladores de pórticos detectores de metal e de detectores manuais de metal;
(3) simulacros de armamentos e de artefatos explosivos ou imagens que os apresentem de
forma didática; e
(4) infraestrutura necessária que garanta, pelo menos, um sistema simulador de equipamento
de raios-X para cada quatro alunos e um simulador de pórtico detector de metais por turma.

110.29 Requerimento de autorização de centro de instrução


(a) As pessoas jurídicas que pretendam ministrar os cursos AVSEC deverão formalizar por
escrito requerimento de autorização de centro de instrução, protocolando-o junto à ANAC.
(b) O requerimento de autorização de centro de instrução deverá:
(1) qualificar a pessoa jurídica requerente, bem como seu representante legal;
(2) ser assinado pelo requerente ou pelo seu representante legal;
(3) elencar os cursos de segurança da aviação civil a serem ministrados;
(4) apresentar o MPCI; e
(5) apresentar comprovante de pagamento de Taxa de Fiscalização da Aviação Civil (TFAC)
correspondente.
(6) anexar o material instrucional a ser utilizado.
(i) O conteúdo do material instrucional não será objeto de análise prévia para autorização do
centro de instrução.
(ii) A ANAC fiscalizará o cumprimento das exigências do item 110.35(b) durante as
atividades de fiscalização e controle de qualidade, podendo solicitar o envio do material
instrucional utilizado nos cursos AVSEC a qualquer tempo.
(c) A ANAC terá 90 (noventa) dias para se manifestar sobre o pleito do requerente, a contar
da data do protocolo do requerimento de autorização de centro de instrução ou da correção
realizada pelo centro de instrução.
(d) Caso a ANAC identifique falhas no requerimento, concederá oportunidade de correção
ao interessado, determinando o prazo de correção de até 60 (sessenta) dias, a contar do
comunicado da ANAC.
(1) A ANAC concederá no máximo duas oportunidades de correção para o requerente ao
longo do processo de autorização de centro de instrução, o que corresponde a três avaliações de
requerimento realizadas pela ANAC.

Origem: SIA 12/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(2) Caso o interessado não protocole na ANAC as devidas correções no prazo fixado pela
Agência, a autorização será negada automaticamente e o processo será arquivado.
(e) No parecer final, o não cumprimento de qualquer exigência formulada pela ANAC ao
interessado implicará em negativa de autorização e arquivamento do processo.
(f) Fica assegurado o direito de recurso ao centro de instrução que tiver sua autorização
negada, nos moldes da Lei nº 9.784, de 29 de janeiro de 1999.
(g) O centro de instrução que optar por alterar quaisquer dos elementos elencados nos
parágrafos 110.29(b)(1) a 110.29(b)(4), após autorização da ANAC, deverá apresentar
previamente à ANAC somente as alterações pretendidas, para aprovação, obedecendo aos
mesmos prazos de análise e resposta.

110.31 Quadro funcional


(a) O responsável técnico deve compartilhar com o representante legal a intermediação com
a ANAC e deve desempenhar, no mínimo, as seguintes atividades: produzir a grade curricular
dos cursos AVSEC e os planos de aula; avaliar se os materiais instrucionais estão condizentes
com os critérios técnicos e boas práticas pedagógicas vigentes, aprovando-os; supervisionar e
orientar os instrutores quanto aos regulamentos vigentes e técnicas AVSEC e pedagógicas
atuais; criar metodologia e operacionalizar a melhoria da qualidade da instrução ministrada;
validar os resultados das certificações dos alunos e analisar recursos interpostos pelos alunos.
(b) O centro de instrução somente deverá designar profissional para desempenhar atividades
em seu benefício após realizar processo de seleção, conforme 110.11(a)(1).
(c) O centro de instrução é responsável por garantir que somente instrutor com certificação
válida ministre curso AVSEC.
(d) O centro de instrução é responsável por garantir que somente pessoa que assinou termo
de responsabilidade aplique a avaliação de desempenho e conduza os recursos.
(1) A aplicação da avaliação de desempenho e a condução dos recursos deve ser realizada
prioritariamente pelo instrutor que ministrou o curso AVSEC e que assinou termo de
responsabilidade, podendo haver indicação de outros profissionais que tenham assinado termo
de responsabilidade, para os casos de impossibilidade.
(e) As turmas de cursos AVSEC semipresenciais e a distância devem ser acompanhadas por
profissional com certificação de Instrutor AVSEC válida durante o período de vigência da
turma de curso AVSEC, não havendo necessidade de ser o mesmo instrutor que produziu o
material instrucional do curso para o Centro de Instrução.
(1) O acompanhamento dos instrutores AVSEC nos cursos semipresencial e a distância
objetiva organizar o curso e promover a orientação e a interação dos alunos, a fim de auxiliar
na construção do conhecimento e no esclarecimento de dúvidas.

Origem: SIA 13/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

110.33 Grade curricular


(a) O centro de instrução deve definir a grade curricular dos cursos AVSEC, respeitando o
conteúdo programático e as cargas horárias mínimas exigidas no Apêndice B deste
Regulamento.
(b) A carga horária indicada no Apêndice B deste Regulamento não inclui período de tempo
destinado para credenciamento, avaliações de desempenho e interposição de recursos.

110.35 Produção de material instrucional e planos de aula


(a) O centro de instrução é responsável pela produção do material instrucional e dos planos
de aula utilizados nos cursos.
(1) O material de curso AVSEC presencial, semipresencial ou a distância deve ser produzido
por profissional que possua certificação de Instrutor AVSEC válida durante a produção do
material, devendo registrar nome e CPF do autor do material e a data de fechamento da edição
do material.
(b) O centro de instrução deverá manter seu material instrucional atualizado de acordo com
as normas técnicas em vigor e com o conteúdo programático do curso definido no Apêndice B
deste Regulamento.
(c) A ANAC poderá reconhecer como válido no Brasil material instrucional de curso de
outro Estado signatário da Convenção de Aviação Civil Internacional, desde que o curso
contemple o conteúdo programático do Apêndice B.

110.37 Sistema simulador de equipamento de raios-X


(a) O centro de instrução deve utilizar, para o curso de Formação e Atualização em Inspeção
de Segurança da Aviação Civil e para sua avaliação de desempenho, um sistema simulador de
equipamento de raios-X que atenda no mínimo aos seguintes critérios:
(1) 1000 (mil) imagens de volumes, contendo:
(i) diferentes modelos de bagagens de mão, despachadas ou de carga;
(ii) diferentes tipos de ameaças, que incluam objetos pontiagudos e cortantes, armas,
bombas, explosivos, dispositivos explosivos improvisados e demais objetos proibidos previstos
em regulamentação específica da ANAC; e
(iii) o conceito de nenhuma ameaça, ameaça óbvia e possível ameaça.
(2) Para cada volume, o sistema deve possuir duas imagens, a real e a correspondente em
raios-X. A imagem real deve destacar os objetos que compõem o volume.
(b) O conceito de nenhuma ameaça, ameaça óbvia e possível ameaça deve ser explorado
pelo sistema simulador da seguinte forma:

Origem: SIA 14/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(1) nenhuma ameaça: a imagem de raios-X do volume não contém objetos proibidos e não
gera dúvida quanto a sua existência, não justificando a realização de inspeção manual;
(2) ameaça óbvia: a imagem de raios-X apresenta uma ameaça clara, devendo ser negado o
seu embarque sem realização de inspeção manual; e
(3) possível ameaça: a imagem de raios-X gera dúvidas quanto à existência de ameaça,
justificando a realização de inspeção manual.
(i) se durante a inspeção manual for identificado um objeto proibido, o embarque do volume
deve ser negado.
(ii) se durante a inspeção manual não for identificado um objeto proibido, o embarque do
volume deve ser liberado.
(c) O equipamento de raios-X que permita salvar imagens com ameaças e que atenda aos
critérios (a) e (b) deste item será aceito em substituição ao simulador de equipamento de raios-
X.

110.39 Manual de Procedimentos do Centro de Instrução (MPCI)


(a) O centro de instrução deverá manter, por escrito, o MPCI, a ser apresentado e aprovado
pela ANAC.
(b) No MPCI devem constar as seguintes descrições:
(1) dados gerais do centro de instrução, tais como nome do(s) representante(s) legal(is) e dos
demais responsáveis previstos neste Regulamento, endereço da sede e canais de comunicação
formais da empresa;
(2) quadro funcional;
(3) cursos AVSEC que serão ministrados e suas modalidades – presencial, semipresencial
ou a distância;
(4) para cada curso AVSEC ministrado, conteúdo programático, proposta de grade curricular
dos cursos, proposta de plano de aula, recursos auxiliares da instrução, referências
bibliográficas e documentos normativos ou regulamentares;
(5) termo de responsabilidade assinado pelo representante legal do centro de instrução e pelo
responsável técnico, declarando o compromisso pelo cumprimento do MPCI e deste
Regulamento;
(6) modelo de regulamento de curso; apresentação dos sistemas simuladores e
simulacros/imagens exigidos neste Regulamento, nas turmas dos cursos de Formação e
Atualização em Inspeção de Segurança da Aviação Civil;
(7) plataformas ou meios utilizados para instrução nos cursos a distância ou semipresenciais,
incluindo o suporte técnico e pedagógico necessários para a eficácia da capacitação;

Origem: SIA 15/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(8) responsabilidades e procedimentos de seleção nos termos deste regulamento para todos
os profissionais que manuseiam documentos do centro de instrução;
(9) responsabilidades e procedimentos de matrícula que garantam a conferência dos
requisitos exigidos neste regulamento;
(10) responsabilidades e procedimentos relativos às aplicações de avaliação de desempenho
e interposição de recurso;
(11) responsabilidades, procedimentos e métodos de melhoria da qualidade da instrução
ministrada; e
(12) instruções relativas ao nível de sigilo, arquivo e guarda dos registros, identificando a
forma e o local de armazenamento para os documentos requeridos na seção 110.63 e para o
material de referência que requeira tratamento sigiloso.
(c) Os procedimentos do MPCI devem:
(1) atender aos requisitos aplicáveis ao centro de instrução previstos neste Regulamento; e
(2) esclarecer, no mínimo, os seguintes questionamentos:
(i) quem realiza o procedimento?
(ii) quando é realizado o procedimento?
(iii) como é realizado o procedimento?
(iv) como é controlado o procedimento?
(d) A ANAC poderá disponibilizar modelo de MPCI aos centros de instrução.
(1) No MPCI submetido à ANAC, o centro de instrução deverá apresentar somente os
procedimentos que diferirem do modelo disponibilizado pela ANAC, assumindo a
implementação dos demais procedimentos conforme descrição do modelo.

EDIÇÕES DE CURSOS AVSEC

110.41 Turma de curso AVSEC


(a) O centro de instrução deve informar à ANAC a realização de cada turma de curso
AVSEC a ser ministrada, com no mínimo 15 (quinze) dias de antecedência, encaminhando o
registro do curso, o qual deve conter estimativa de quantidade de alunos; nome(s) do(s)
instrutor(es) AVSEC previsto(s) para ministrar o curso, responsável pela aplicação da avaliação
de desempenho e acompanhamento dos recursos; endereço de realização e turno para curso
presencial ou semipresencial.
(1) Em caso de força maior, sob justificativa apresentada e aprovada pela ANAC, o centro
de instrução poderá alterar os dados citados no item 110.41 (a) ou realizar o aviso de curso em
prazo menor que 15 (quinze) dias.

Origem: SIA 16/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(b) Uma turma de curso AVSEC deve possuir no mínimo um instrutor com certificação
válida até a data de término do curso, referente à etapa do centro de instrução.
(c) As turmas de cursos AVSEC presenciais, semipresenciais e a distância ficam limitadas
ao máximo de 50 (cinquenta) alunos.

110.43 Matrícula em curso AVSEC


(a) O centro de instrução é responsável por garantir que somente seja matriculado em curso
AVSEC o profissional que atenda aos requisitos de matrícula estabelecidos neste Regulamento
e no Apêndice B.
(1) A matrícula nos cursos de Formação exige a avaliação de antecedentes criminais pelo
centro de instrução, com o objetivo de permitir que apenas profissionais que não tenham
cometido crimes que comprometam a segurança da aviação civil contra atos de interferência
ilícita tenham acesso ao conteúdo dos cursos AVSEC.
(i) Para fins de avaliação dos antecedentes criminais, o profissional deverá apresentar ao
centro de instrução os mesmos atestados de antecedentes criminais previstos para o
credenciamento junto ao aeródromo, conforme regulamento específico da ANAC.
(ii) A avaliação de antecedentes criminais deve balizar as decisões do centro de instrução
sobre a indicação de um profissional para realizar um curso AVSEC.
(iii) O profissional que possua credencial de acesso à área restrita de segurança do aeroporto
em que trabalha pode apresentá-la como comprovante de verificação de antecedentes já
realizada.
(b) Só é possível matricular ou retirar aluno de uma turma de curso AVSEC até o primeiro
dia do curso.
(c) A matrícula em curso de Atualização só deve ser realizada para alunos que possuírem o
respectivo curso de Formação ou Atualização válido até o primeiro dia do curso de Atualização
pleiteado.

110.45 Instalações para ministrar curso AVSEC


(a) As instalações utilizadas para ministrar aulas deverão apresentar condições de espaço,
mobiliário, iluminação, ventilação e acústica que não prejudiquem o processo de aprendizagem
do aluno.
(b) As instalações utilizadas como sede do centro de instrução deverão apresentar condições
que propiciem a segurança e o devido arquivamento e organização dos documentos exigidos
por este Regulamento.

Origem: SIA 17/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

110.47 Regulamento de curso


(a) O centro de instrução deve fornecer aos seus alunos, até o primeiro dia de aula, um
regulamento do respectivo curso.
(b) O regulamento do curso deve conter, no mínimo, as seguintes informações:
(1) dados do centro de instrução, incluindo endereço da sede e seu canal de comunicação
com o aluno para reclamações, sugestões e elogios;
(2) nome do responsável técnico;
(3) indicação da autorização do centro de instrução e o endereço eletrônico na página da
ANAC na internet onde consta a informação sobre a validade da autorização;
(4) procedimentos de matrícula;
(5) grade horária;
(6) critérios de aprovação do aluno, conforme Apêndice B deste Regulamento;
(7) deveres do aluno;
(8) procedimentos para realização da avaliação de desempenho;
(9) procedimentos para interposição de recurso de avaliação de desempenho;
(10) referência a este regulamento, indicando o endereço eletrônico da ANAC onde ele pode
ser consultado; e
(11) endereço eletrônico e telefone da ANAC – “Fale com a ANAC”.

110.49 Melhoria da qualidade da instrução ministrada


(a) O centro de instrução deve manter metodologia de avaliação da instrução ministrada
capaz de identificar falhas e gerar melhorias, garantindo a qualidade mínima da instrução,
conforme seu MPCI.

CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS

110.51 Responsabilidades na certificação em Segurança da Aviação Civil - AVSEC


(a) O centro de instrução é responsável por ministrar o curso AVSEC, operacionalizar a
aplicação dos critérios de aprovação das certificações que estão descritos no Apêndice B e
informar à ANAC os dados dos profissionais que realizam os seguintes cursos de Formação e
de Atualização:
(1) AVSEC para o Atendimento ao Passageiro;
(2) AVSEC para a Carga Aérea;
(3) AVSEC para as Operações de Solo;

Origem: SIA 18/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(4) AVSEC para Tripulantes;


(5) AVSEC para Vigilantes;
(6) Básico AVSEC;
(7) Inspeção de Segurança da Aviação Civil;
(8) AVSEC para Operador Aéreo; e
(9) AVSEC para Operador de Aeródromo.
(b) A ANAC é responsável por operacionalizar a aplicação dos critérios de aprovação ao
profissional submetido à certificação de Instrutor AVSEC.
(1) A avaliação teórica da certificação de Instrutor AVSEC contemplará questões de
natureza técnica, referentes aos conteúdos programáticos de qualquer um dos cursos listados no
Apêndice B.
(2) A avaliação prática da certificação de Instrutor AVSEC visa aferir o domínio técnico dos
assuntos AVSEC e as habilidades pedagógicas de um instrutor durante a execução de uma aula
com conteúdo AVSEC.
(c) A frequência é um critério de aprovação previsto no Apêndice B.
(1) O instrutor AVSEC é o responsável pelo registro de frequência.
(2) Para os cursos presenciais, a frequência deve ser aferida a cada turno de aula, que
corresponde a 4 (quatro) horas-aula.
(3) Para os cursos semipresenciais ou a distância, a frequência deve ser aferida de modo a
registrar a evolução do aluno, correspondendo a uma frequência para cada item do conteúdo
programático.
(d) A ANAC produzirá o conteúdo das avaliações de desempenho teóricas e o centro de
instrução conduzirá a aplicação dessas avaliações de desempenho, informando a ANAC dos
resultados obtidos pelos alunos em conformidade com as regras deste Regulamento.
(e) Todo profissional AVSEC que obtiver êxito nos critérios de aprovação das certificações
AVSEC receberá um certificado AVSEC conforme definições deste Regulamento.
(f) O centro de instrução deve garantir a confidencialidade e a idoneidade de todo o processo
de certificação AVSEC.
(g) Para o curso de Formação em Inspeção de Segurança da Aviação Civil, o centro de
instrução deve emitir declaração ao profissional após conclusão das partes teórica e prática do
centro de instrução, habilitando-o para o início do Treinamento em Serviço.
(h) O centro de instrução é o responsável por informar à ANAC, em até 30 (trinta) dias após
a data de término do curso AVSEC, os índices dos critérios de aprovação atingidos pelos
profissionais durante processo de certificação AVSEC.

Origem: SIA 19/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(1) Nos casos da certificação de Formação em Inspeção de Segurança da Aviação Civil, o


centro de instrução deve informar à ANAC, em até 12 (doze) meses, o “apto” ou “não-apto” do
Treinamento em Serviço, conforme avaliação da organização com responsabilidade AVSEC.
(2) Nos casos da certificação de Formação em Inspeção de Segurança da Aviação Civil, a
validade da certificação de Formação e Atualização em Inspeção de Segurança da Aviação Civil
iniciará somente após a obtenção do “apto” no Treinamento em Serviço.
(i) A aprovação no curso de Formação em Inspeção de Segurança da Aviação Civil ocorre
somente após a emissão da ficha de avaliação, pela organização com responsabilidade AVSEC,
que considere o profissional apto para a função.
(j) A ANAC poderá validar a certificação emitida por outro Estado signatário da Convenção
de Aviação Civil Internacional, desde que haja comprovação de que o aluno tenha passado por
um processo de instrução equivalente, conforme este Regulamento.
(1) A validação se dará apenas nos casos em que houver equiparação entre a atividade
AVSEC realizada no país de origem e no Brasil.
(2) Nos casos referidos neste item, a ANAC poderá emitir certificado condicionado à
aprovação em avaliação de desempenho aplicada pela Agência.

110.53 Avaliação de desempenho teórica


(a) Nas avaliações de desempenho teórico das certificações AVSEC, o centro de instrução
deverá utilizar provas indicadas pela ANAC.
(1) O centro de instrução deve guardar e garantir o sigilo das questões das provas enviadas
pela ANAC, disponibilizando-as aos alunos apenas durante a aplicação da avaliação de
desempenho e durante a elaboração de recursos, em ambiente controlado.
(b) As avaliações de desempenho utilizadas na segunda chamada devem ser diferentes das
utilizadas na primeira chamada.
(c) O centro de instrução deverá produzir e encaminhar à ANAC questões inéditas de
avaliações de desempenho, quando solicitado pela Agência.
(1) O pedido da ANAC ficará limitado a 20 (vinte) questões por curso no período de um ano.
(2) Após a solicitação da ANAC, o centro de instrução terá o prazo de 90 (noventa) dias para
o encaminhamento das questões.
(3) As questões devem abordar os conteúdos programáticos dos cursos e atender a legislação
técnica vigente.
(d) A avaliação de desempenho deve ser realizada presencialmente em sala de aula, inclusive
para os cursos a distância ou semipresenciais, limitada ao máximo de 50 (cinquenta) alunos.

Origem: SIA 20/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(e) As avaliações de desempenho devem possuir duração de 1 (uma) hora e 30 (trinta)


minutos.

110.55 Segunda chamada de avaliação de desempenho teórica


(a) O aluno que não for aprovado ou não comparecer à avaliação de desempenho teórica terá
direito a uma segunda chamada, definida na grade horária presente no regulamento do curso.
(b) A segunda chamada deverá ocorrer em até 15 (quinze) dias após a data de realização da
primeira chamada.
(c) O aluno terá direito a realizar apenas uma avaliação de segunda chamada.
(d) O aluno que não for aprovado ou não comparecer à avaliação de segunda chamada estará
automaticamente inabilitado.
(e) O aluno que for inabilitado poderá realizar um novo curso AVSEC.

110.57 Interposição de recursos às avaliações de desempenho teóricas


(a) Durante a realização da prova, o centro de instrução deve permitir que o aluno registre
apenas suas respostas para posterior conferência com o gabarito.
(b) O centro de instrução deve manter a guarda das folhas de respostas dos alunos, das
avaliações de desempenho aplicadas e do banco de questões utilizado, não permitindo que elas
sejam copiadas ou saiam de sua posse.
(c) O resultado da avaliação de desempenho deve ser informado aos alunos em até 2 (duas)
horas após o aluno concluir a avaliação.
(d) Para os alunos que desejarem interpor recurso, o centro de instrução deve disponibilizar
um modelo da avaliação de desempenho aplicada, o respectivo gabarito e um formulário de
recurso, em até 2 (duas) horas após o aluno concluir a avaliação de desempenho.
(1) A avaliação de desempenho aplicada, o gabarito e o formulário de recurso só devem ser
disponibilizados em ambiente controlado, conforme regras deste Regulamento, não permitindo
que as questões sejam copiadas.
(2) O processo de interposição de recurso deve ser realizado presencialmente em sala de
aula, em ambiente controlado por indivíduo que tenha assinado previamente termo de
responsabilidade, inclusive para os cursos a distância ou semipresenciais, de forma a evitar a
cópia de questões pelos alunos que tiverem acesso ao modelo da avaliação de desempenho
disponibilizado.
(3) O aluno poderá levar o registro de suas respostas para conferência do gabarito.
(e) O tempo destinado à execução dos recursos é de 2 (duas) horas.

Origem: SIA 21/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(f) Os recursos devem ser analisados pelo responsável técnico no prazo máximo de até 10
(dez) dias, respondendo apenas se foi deferido ou não.
(1) Caso o responsável técnico julgue o recurso improcedente, a resposta deve ser concedida
diretamente ao aluno e não haverá alteração das notas dos demais alunos.
(2) Caso o responsável técnico julgue o recurso procedente ou caso o aluno não concorde
com o seu parecer, o centro de instrução deverá encaminhar à ANAC o formulário do recurso
contendo a questão envolvida e a justificativa preliminar do responsável técnico, com propósito
de obter um parecer definitivo da ANAC, o qual deverá ser acatado pelo centro de instrução.
(i) Caso a ANAC julgue o recurso como procedente, a questão será anulada e a pontuação
da questão deve ser atribuída a todos os alunos da turma envolvida.
(ii) Caso a ANAC julgue o recurso improcedente, não haverá alteração das notas dos alunos.

110.59 Garantia da idoneidade da avaliação de desempenho e elaboração de recursos


(a) O centro de instrução deve informar aos alunos previamente à aplicação das avaliações
de desempenho quais as práticas consideradas inadequadas durante a avaliação, que excluem
automaticamente o aluno da avaliação.
(b) O centro de instrução deve garantir a presença do profissional responsável pela aplicação
de avaliação de desempenho e pelo processo de interposição de recurso, em tempo integral em
sala de aula.
(1) O referido profissional deve assinar termo de responsabilidade de suas atribuições, antes
da execução da aplicação de avaliação de desempenho e do processo de interposição de recurso,
de forma a garantir a idoneidade do processo.
(c) O centro de instrução deverá estabelecer regras que garantam a conduta ética dos alunos,
o sigilo do conteúdo das avaliações de desempenho e a idoneidade do processo de avaliação.
(1) O centro de instrução reprovará automaticamente o aluno que adotar qualquer atitude
que desrespeite as regras da avaliação de desempenho ou perturbe, de qualquer modo, a ordem
dos trabalhos ou utilize meios ilícitos.

DOCUMENTAÇÃO DO CENTRO DE INTRUÇÃO

110.61 Certificado AVSEC


(a) O profissional que atender aos critérios de certificação em determinado curso definidos
neste Regulamento deverá receber um certificado, necessário para desempenho de atividade
AVSEC.
(b) O centro de instrução deverá emitir declaração de participação em curso AVSEC para os
alunos que a requererem, no prazo máximo de até 10 (dez) dias após a solicitação.

Origem: SIA 22/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(1) A declaração de participação em curso AVSEC produzida pelo centro de instrução serve
apenas para comprovação de participação no respectivo curso e para comprovação das horas de
capacitação ao empregador, não tendo efeito para fins de comprovação de aprovação na
certificação AVSEC.
(c) A ANAC produzirá certificado AVSEC para todos os profissionais aprovados em
certificação AVSEC.
(1) O único certificado que indica aprovação em certificação AVSEC será o certificado
emitido pela ANAC.
(2) A ANAC disponibilizará ao centro de instrução os certificados AVSEC dos profissionais
aprovados, agrupados por turma, somente após o centro de instrução informar à ANAC os
índices dos critérios de aprovação atingidos pelos profissionais durante processo de certificação
AVSEC.
(3) O centro de instrução deve entregar o certificado AVSEC ao profissional em até 30
(trinta) dias após a disponibilização desse documento pela ANAC.
(d) O certificado AVSEC é um documento pessoal do profissional, sendo vedada sua
retenção pelo centro de instrução ou pela organização para qual o profissional presta serviço.
(e) O certificado AVSEC conterá, no mínimo, as seguintes informações:
(1) nome do centro de instrução que conduziu a aplicação dos critérios de aprovação da
certificação;
(2) nome completo do profissional;
(3) número de inscrição no Cadastro de Pessoa Física (CPF) do profissional;
(4) nome da certificação;
(5) validade da certificação; e
(6) nomes dos instrutores do curso.

110.63 Registros do centro de instrução


(a) O centro de instrução deve manter arquivado o seu MPCI aprovado pela ANAC com
todas as atualizações, inclusive do material instrucional, durante toda a vigência da autorização
de centro de instrução.
(b) O centro de instrução deve manter arquivado por no mínimo 5 (cinco) anos os seguintes
registros relativos a cada turma de curso AVSEC:
(1) documentos comprobatórios de atendimento aos requisitos de matrícula de cada aluno,
conforme especificações deste Regulamento;
(2) grade horária;

Origem: SIA 23/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(3) grade curricular;


(4) comprovação de recebimento pelos alunos do regulamento do curso e materiais
instrucionais pertinentes;
(5) registro de frequência dos alunos;
(6) cópia das avaliações de desempenho aplicadas e folhas de respostas dos alunos;
(7) declarações emitidas por centro de instrução que contenham os alunos aprovados em
curso de Formação em Inspeção de Segurança da Aviação Civil, habilitando-os para o início do
Treinamento em Serviço;
(8) fichas de avaliações do Treinamento em Serviço emitidas por organização com
responsabilidade AVSEC, para o curso de Formação e Atualização em Inspeção de Segurança
da Aviação Civil;
(9) termos de responsabilidade dos aplicadores de avaliações de desempenho e de recursos;
(10) formulários das interposições de recursos às avaliações de desempenho, incluindo as
respostas do responsável técnico; e
(11) registros das ações de melhoria de qualidade da instrução ministrada.
(c) O centro de instrução deve manter registro da comprovação de seleção dos profissionais
que realizem atividade em seu benefício, enquanto o profissional mantiver relação de trabalho
e até um ano após o seu desligamento.
(d) Os registros requeridos neste Regulamento devem ser feitos em meio físico ou digital e
serem disponibilizados à ANAC sempre que solicitados.

110.65 a 110.67 [RESERVADO]

Origem: SIA 24/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

SUBPARTE D
RESPONSABILIDADES DAS ORGANIZAÇÕES COM RESPONSABILIDADE
AVSEC

110.69 Responsabilidade pela proficiência do profissional


(a) A organização com responsabilidade AVSEC deve garantir que o profissional que
desempenhe atividade AVSEC em seu benefício possua a proficiência na execução das
atividades AVSEC previstas no Apêndice A deste Regulamento.
(1) A proficiência compreende a certificação válida, que habilita o profissional para o
desempenho das atividades AVSEC em conformidade com o Apêndice A deste Regulamento,
e a execução de procedimentos conforme regulamentos da ANAC e programas de segurança
específicos.
(b) A organização com responsabilidade AVSEC deve implementar controle para garantir a
certificação dos profissionais que desempenhem atividade em seu benefício.

110.71 Treinamento em Serviço para profissionais que desempenham atividade de


inspeção de segurança da aviação civil
(a) O Treinamento em Serviço é parte integrante das atividades práticas que compõem a
certificação no curso de Formação e Atualização em Inspeção de Segurança da Aviação Civil.
(b) A organização com responsabilidade AVSEC deve garantir um Treinamento em Serviço
ao profissional que desempenha atividade AVSEC vinculada à certificação em Inspeção de
Segurança da Aviação Civil em suas instalações
(c) A organização com responsabilidade AVSEC deve designar um responsável para realizar
o acompanhamento e a avaliação desta etapa da certificação dos profissionais.
(1) O responsável pelo acompanhamento do Treinamento em Serviço deve ser um
profissional com certificação válida em um dos seguintes cursos: Inspeção de Segurança da
Aviação Civil, AVSEC para Operadores de Aeródromos ou AVSEC para Operadores Aéreos.
(d) O Treinamento em Serviço é composto pelas seguintes atividades:
(1) orientação da atuação do profissional para adequar seus procedimentos aos previstos nos
regulamentos da ANAC e nos programas de segurança.
(2) aprimoramento do profissional para identificação de ameaças, utilizando-se de no
mínimo 12 (doze) horas-aula de simulações de ameaças, mediante a utilização de técnicas de
inspeção manual, equipamentos de raios-X ou outras tecnologias, a depender do método de
inspeção previsto no programa de segurança do operador; e
(3) aprimoramento do profissional para identificação de ameaças, utilizando-se de no
mínimo 20 (vinte) testes aleatórios de identificação de ameaças.

Origem: SIA 25/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(e) O Treinamento em Serviço deve ser finalizado com ficha de avaliação, assinada pelo
responsável designado para o acompanhamento e avaliação do Treinamento em Serviço, que
formalize se, ao final do período, o novo profissional está “apto” ou “não-apto” para
desempenho de suas funções, com base nos seguintes critérios de avaliação:
(1) O profissional é capaz de desempenhar as atividades em conformidade com os
procedimentos previstos nos regulamentos da ANAC e nos programas de segurança?
(2) O profissional demonstrou capacidade de detecção de ameaças nas 12 (doze) horas-aula
de simulações de ameaças?
(3) O profissional identificou 70% (setenta porcento) ou mais das ameaças constantes nos
testes aleatórios de identificação de ameaças realizados?
(f) A organização com responsabilidade AVSEC deve entregar a ficha de avaliação ao
profissional, em até 10 (dez) dias após o término do Treinamento em Serviço, para
prosseguimento da sua certificação no centro de instrução.
(g) Para o curso de Formação da Inspeção de Segurança da Aviação Civil, o Treinamento
em Serviço deve atender aos seguintes requisitos:
(1) iniciar somente após o aluno comprovar, por meio de declaração expedida pelo centro de
instrução, que atendeu aos critérios de aprovação 1 e 2 do Curso de Formação e Atualização
em Inspeção de Segurança em Aviação Civil, constantes no Apêndice B;
(2) ocorrer durante os 30 (trinta) primeiros dias de trabalho efetivo, após a declaração
expedida pelo centro de instrução;
(3) ser concluído no prazo máximo de 12 (doze) meses após a emissão da declaração do
centro de instrução; e
(4) A organização com responsabilidade AVSEC que possuir profissionais realizando
Treinamento em Serviço referente à certificação de Formação em Inspeção de Segurança da
Aviação Civil deve comprovar a situação por meio da apresentação dos seguintes documentos:
declaração do centro de instrução datada e com a aprovação na primeira etapa da referida
certificação e documento que comprove a data de início da relação de trabalho, de forma a
comprovar o atendimento aos prazos citados neste item.
(h) Para o curso de Atualização em Inspeção de Segurança da Aviação Civil, o Treinamento
em Serviço deve atender aos seguintes requisitos:
(1) anteceder à matrícula no centro de instrução para o curso de Atualização em Inspeção de
Segurança da Aviação Civil;
(2) iniciar logo após à obtenção da certificação em Formação ou Atualização em Inspeção
da Aviação Civil e à efetiva prestação de serviço de inspeção para organização com
responsabilidade AVSEC;
(3) Ocorrer durante o período de validade da certificação vigente;

Origem: SIA 26/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(i) Para fins de atualização, o prazo mínimo para conclusão do Treinamento em Serviço é de
180 (cento e oitenta) dias de efetiva prestação de serviço de inspeção.
(ii) Caso o profissional AVSEC mude de organização com responsabilidade AVSEC para
quem presta serviço de inspeção, a ficha de avaliação do Treinamento em Serviço deve ser
emitida pela organização na qual a prestação de serviço possua maior duração relativa à
certificação vigente, não sendo o período de avaliação inferior a 180 (cento e oitenta) dias.
(iii) Caso o profissional AVSEC não atenda ao prazo mínimo de 180 (cento e oitenta) dias
de prestação de serviço de inspeção ao longo da vigência de sua certificação em Inspeção de
Segurança da Aviação Civil, esse profissional não receberá a ficha de avaliação para fins de
Atualização da certificação AVSEC, podendo realizar novo curso de Formação.
(4) Ser concluída no prazo máximo de 24 (vinte e quatro) meses, com a emissão da ficha de
avaliação pela organização com responsabilidade AVSEC que ateste o “apto” ou “não-apto” de
acordo com os critérios de avaliação definidos no item 110.71(e).
(i) O Apêndice C deste Regulamento apresenta um desenho esquemático do processo de
certificação no curso Inspeção de Segurança da Aviação Civil.

110.73 Reciclagem
(a) As organizações com responsabilidade AVSEC devem prover reciclagem do profissional
que desempenhe atividade em seu benefício e que não demonstre proficiência durante atividade
de fiscalização ou de controle de qualidade realizada pela ANAC ou por organização com
responsabilidade AVSEC.
(b) A reciclagem consiste em uma atividade prática que busca enfatizar os conhecimentos e
técnicas que foram identificados como frágeis em atividade de fiscalização ou de controle de
qualidade realizada pela ANAC ou por organização com responsabilidade AVSEC.
(c) As ações de reciclagem devem ser formalizadas por meio de documento que apresente
resumo das atividades realizadas e lista de presença dos participantes.

110.75 Apresentação de aeronaves para verificação e inspeção


(a) O operador aéreo deve prover a apresentação das características de cada modelo de
aeronave que opera ao profissional que desempenhe as atividades de inspeção ou verificação
de aeronaves, a fim de orientar sua atuação.

110.77 Plano de Instrução AVSEC (PIAVSEC)


(a) As organizações com responsabilidade AVSEC são responsáveis pelo desenvolvimento
e manutenção dos respectivos Programas de Instrução que poderão fazer parte dos seus
programas de segurança específicos.

Origem: SIA 27/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(1) A ANAC aprovará os PIAVSEC durante a avaliação dos programas de segurança


específicos de cada ente do sistema da aviação civil.
(i) Nos casos de terceirização ou de utilização de expedidor reconhecido, o prestador de
serviço deve seguir o PIAVSEC do contratante.
(b) No PIAVSEC devem constar as seguintes descrições:
(1) política e objetivo do programa de instrução;
(2) conteúdo programático;
(3) grade curricular dos cursos;
(4) referências bibliográficas e documentos normativos ou regulamentares;
(5) responsabilidades e procedimentos de seleção dos profissionais nos termos deste
regulamento e conferência dos requisitos para desempenho de atividades AVSEC previstos no
item 110.11 deste RBAC;
(6) responsabilidades e procedimentos de reciclagem;
(7) responsabilidades e procedimentos de realização do Treinamento em Serviço;
(8)responsabilidades e procedimentos de apresentação de cada modelo de aeronave que
opera, para fins de verificação e inspeção de aeronaves, aplicável aos operadores aéreos;
(9) responsabilidades e procedimentos do controle de capacitação dos profissionais que
desempenharem atividade AVSEC em seu benefício;
(10) responsabilidades e procedimentos relativos ao nível de sigilo, arquivo e guarda dos
registros, identificando a forma e local de armazenamento para os documentos requeridos no
item 110.79 e para o material de referência que requeira tratamento sigiloso; e
(11) detalhamento dos requisitos de instrução a serem cumpridos pelos prestadores de
serviço com as quais as organizações com responsabilidade AVSEC mantenham relações
contratuais.
(c) Os procedimentos do PIAVSEC devem:
(1) atender aos requisitos aplicáveis deste Regulamento; e
(2) esclarecer, no mínimo, os seguintes questionamentos:
(i) quem realiza o procedimento?
(ii) quando é realizado o procedimento?
(iii) como é realizado o procedimento?
(iv) como é controlado o procedimento?
(d) A ANAC poderá disponibilizar um modelo de PIAVSEC.

Origem: SIA 28/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

DOCUMENTAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES AVSEC

110.79 Registros de organização com responsabilidade AVSEC


(a) A organização com responsabilidade AVSEC deve manter registro em arquivo, por no
mínimo 5 (cinco) anos, dos seguintes documentos:
(1) registro de frequência para ações de apresentação de aeronaves, no caso de operadores
aéreos;
(2) registro de frequência e descrição das atividades de reciclagem;
(3) declarações emitidas por centro de instrução que contenham os alunos aprovados em
curso de Formação em Inspeção de Segurança da Aviação Civil, habilitando-os para o início do
Treinamento em Serviço; e
(4) fichas de avaliação dos Treinamentos em Serviço realizados.
(b) A organização com responsabilidade AVSEC deve garantir que haja registros que
comprovem o atendimento dos requisitos para desempenho de atividade AVSEC, previstos no
item 110.11, para cada profissional que realizar atividade AVSEC em seu benefício, enquanto
o profissional mantiver relação de trabalho e até um ano após o seu desligamento.
(c) Os registros requeridos neste Regulamento devem ser mantidos em meio físico ou digital
e ser disponibilizados à ANAC sempre que solicitados.

110.81 a 110.89 [RESERVADO]

Origem: SIA 29/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

SUBPARTE E

FISCALIZAÇÃO, CONSEQUÊNCIAS E SANÇÕES ADMINISTRATIVAS

110.91 Fiscalização da ANAC


(a) A ANAC poderá, a qualquer tempo e sem aviso prévio, realizar ações de fiscalização
relativas à instrução AVSEC.
(b) A ANAC poderá reaplicar a avaliação de desempenho para profissional AVSEC, com
objetivo de revalidar a certificação AVSEC do profissional, quando motivada por
irregularidades identificadas na fiscalização ou denúncias relativas à fraude, ilícito ou
descumprimento deste Regulamento.
(c) O centro de instrução, a organização com responsabilidade AVSEC e o profissional com
certificação AVSEC prevista neste Regulamento devem disponibilizar todo e qualquer registro
de instrução ou certificação requerido pela ANAC para fins de comprovação ou verificação de
cumprimento dos requisitos normativos.
(d) O centro de instrução, a organização com responsabilidade AVSEC e o profissional com
certificação AVSEC devem facilitar o acesso dos inspetores à documentação, equipamentos,
pessoas e instalações quando estiverem realizando ações de fiscalização ou de controle de
qualidade.

110.93 Consequências administrativas


(a) A ocorrência de não conformidade com requisitos exigidos neste Regulamento autoriza
a ANAC a adotar as medidas emergenciais cabíveis para normalizar situações eventualmente
prejudicais à segurança da aviação, sem prejuízo da aplicação de eventuais sanções.

110.95 Sanções administrativas de suspensão e cassação


(a) Nos termos do art. 299, inciso I, da Lei nº 7.565, de 1986, o profissional AVSEC e o
instrutor AVSEC que se utilizarem de meios ilícitos ou atuarem em desacordo com este
Regulamento no que se refere ao processo de certificação, poderão ter todas as suas
certificações AVSEC cassadas.
(b) O profissional AVSEC que, comprovadamente, deixar de atender aos requisitos para
desempenho da atividade AVSEC, em momento posterior à obtenção da certificação, poderá
ter todas as suas certificações AVSEC cassadas.
(c) Nos termos do art. 299, incisos VI e VII, da Lei nº 7.565, de 1986, o centro de instrução
poderá ter sua autorização suspensa por até 180 (cento e oitenta) dias, prorrogáveis por igual
período, caso:
(1) deixe de cumprir reiteradamente requisito relativo às instalações utilizadas para ministrar
aulas de curso AVSEC;

Origem: SIA 30/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(2) deixe de cumprir reiteradamente requisito relativo à emissão e entrega de certificado


AVSEC ou declaração exigida neste Regulamento;
(3) deixe de cumprir reiteradamente requisito relativo à matrícula em curso AVSEC;
(4) deixe de cumprir reiteradamente requisito relativo ao aproveitamento e frequência do
aluno para certificação AVSEC;
(5) deixe de cumprir reiteradamente requisito relativo ao quadro funcional;
(6) deixe de realizar reiteradamente a melhoria da qualidade da instrução oferecida;
(7) deixe de informar à ANAC, dentro dos prazos estabelecidos, a realização de cada edição
de curso AVSEC ou a relação de profissionais certificados;
(8) ministre aula reiteradamente com conteúdo incorreto ou desatualizado; ou
(9) deixe de cumprir reiteradamente requisito relativo à guarda e manutenção dos registros
de matrícula e instrução em curso AVSEC.
(d) Nos termos do art. 299, incisos V e VII, da Lei nº 7.565, de 1986, o centro de instrução
poderá ter sua autorização cassada, caso:
(1) ministre curso AVSEC utilizando instrutor sem certificação de Instrutor AVSEC;
(2) ministre curso AVSEC não autorizado pela ANAC ou com autorização vencida;
(3) apresente dados, informações ou documentação inexatos ou adulterados à ANAC;
(4) fraude o processo de autorização de centro de instrução ou de certificação dos
profissionais AVSEC em sua totalidade ou em parte; ou
(5) seja penalizado com pena de suspensão mais de 2 (duas) vezes no período de 3 (três)
anos.
(e) A previsão de sanções nesta Subparte não exclui a aplicação de outras sanções previstas
na Lei nº 7.565, de 1986, e sua legislação complementar, bem como nas demais normas de
competência da autoridade da aviação civil.

110.97 a 110.99 [RESERVADO]

Origem: SIA 31/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

SUBPARTE F
DISPOSIÇÕES FINAIS E TRANSITÓRIAS

110.101 Disposições finais e transitórias


(a) Os centros de instrução homologados segundo a Resolução nº 63, de 26 de novembro de
2008, ficam autorizados a ministrar cursos AVSEC de acordo com as regras daquela Resolução
pelo prazo de até 18 (dezoito) meses após a entrada em vigor deste Regulamento.
(1) Os centros de instrução devem observar a validade de sua homologação, caso esta
termine antes do prazo mencionado no parágrafo anterior.
(b) Os processos de solicitação ou de renovação de homologação de centro de instrução nas
regras da Resolução nº 63, de 2008, poderão ser finalizados segundo os preceitos constantes da
citada Resolução, desde que protocolados antes da data de entrada em vigor deste Regulamento.
(c) Após o prazo de 18 (dezoito) meses, contados da entrada em vigor deste Regulamento,
as homologações de centro de instrução emitidas sob a égide da Resolução nº 63, de 2008 serão
automaticamente revogadas.
(d) Após o prazo de 18 (dezoito) meses, contados da entrada em vigor deste Regulamento,
somente poderão ministrar cursos AVSEC os centros de instrução homologados segundo este
Regulamento, independentemente da data de obtenção da homologação anterior.
(e) Permanecem válidas as certificações de profissionais emitidas em consonância com a
Resolução nº 63, de 2008.
(1) As certificações e cursos da Resolução nº 63, de 2008, cujas validades sejam inferiores
a dois anos e que se encontrem dentro da validade no dia da entrada em vigor deste
Regulamento, terão sua vigência ampliada para dois anos, acompanhando a duração da validade
dos cursos correspondentes conforme tabela de equivalência 110.101-1
(2) As certificações e cursos da Resolução nº 63, de 2008, cujas validades sejam inferiores
a dois anos e que sejam realizadas após a entrada em vigor deste Regulamento, passam a adotar
prazo de validade de dois anos, acompanhando a validade dos cursos correspondentes conforme
tabela de equivalência 110.101-1.
(3) O prazo de validade dessas certificações ficará estendido até o último dia do mês de seu
vencimento.
(f) Para os profissionais certificados que já desempenham atividade AVSEC, será aceita a
matrícula no curso de Atualização em centro de instrução homologado segundo a Resolução nº
63, de 2008, ou em centro de instrução autorizado segundo este Regulamento, conforme
equiparações entre as certificações constantes na Tabela 110.101-1.

Origem: SIA 32/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

(g) As certificações e cursos AVSEC previstos na Resolução nº 63, de 2008, que são
mencionados em outros regulamentos da ANAC devem ser substituídos de acordo com a
equivalência da tabela 110.101-1.

Tabela 110.101-1 Equiparação entre Certificações em cursos AVSEC previstos na Resolução nº 63 e


neste Regulamento para fins de atualização.

Equiparação – Certificação da Regulamentação Anterior Aceitas para Matrícula em Cursos de


Atualização

Certificações Previstas no PNIAVSEC da Resolução ANAC nº 63 RBAC nº 110


AVSEC para Atendimento ao
Passageiro
Segurança no Atendimento ao Passageiro, Carga e Operações de Solo
AVSEC para Carga Aérea
AVSEC para Operações de Solo
Segurança da Aviação Civil para Tripulantes AVSEC para Tripulantes
Segurança da Aviação Civil para Vigilantes Aeroportuários AVSEC para Vigilantes
Inspeção de Segurança da Aviação
Operador Especializado em Raios X
Civil
Básico em AVSEC Básico AVSEC
AVSEC para Operadores Aéreos
Supervisão em AVSEC
ou
Gerenciamento AVSEC
AVSEC para Operadores de
Auditor AVSEC Aeródromos
Treinamento para Instrutores AVSEC Instrutor AVSEC

(h) Somente centro de instrução autorizado pelos critérios previstos neste Regulamento
poderá realizar a certificação AVSEC nos termos deste Regulamento, ficando os alunos dos
centros de instrução homologados pela Resolução nº 63, de 2008, sujeitos às regras de aplicação
de exames de certificação da referida Resolução.
(i) Os requisitos de escolaridade referentes à matrícula nos cursos AVSEC da Resolução nº
63, de 2008, devem ser substituídos pelos requisitos de escolaridade deste Regulamento,
obedecendo a equiparação da tabela 110.101-1, a partir da entrada em vigor deste Regulamento.
(j) Aplicam-se aos cursos AVSEC realizados segundo a Resolução nº 63, de 2008, os prazos
de validade estabelecidos neste Regulamento, conforme equiparação de cursos na Tabela
110.101-1.

110.103 a 110.105 [RESERVADO]

Origem: SIA 33/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

APÊNDICE A – ATIVIDADES AVSEC E CERTIFICAÇÕES EXIGIDAS (1) (2)

CERTIFICAÇÃO AVSEC NECESSÁRIA PARA EXECUTAR A ATIVIDADE (2)(4)

AVSEC Inspeção de AVSEC


ATIVIDADES AVSEC (1) AVSEC para AVSEC AVSEC AVSEC para
para AVSEC para Básico Segurança para Instrutor
Atendimento para para Operador
Operações Carga Aérea AVSEC da Aviação Operador de AVSEC
ao Passageiro Tripulantes Vigilantes Aéreo
de Solo Civil (3) Aeródromo

Atendimento do Passageiro no check-


in (despacho de passageiro) ou
1 - SIM - - - - - - - -
identificação e aceitação (conciliação)
de bagagem despachada.
Supervisionar o trânsito de
2 passageiros entre a área de embarque - SIM SIM - - SIM SIM - - -
e a aeronave

3 Atendimento a Passageiro em voo - - SIM - - - - - - -

Operar aeronave em exploração de


4 - - SIM - - - - - - -
serviço de transporte aéreo público

Avaliar os projetos de obras


aeroportuárias, para garantir que os
5 aspectos da AVSEC estejam - - - - - - - SIM - -
contemplados na concepção e
execução dos projetos
Identificação e controle de acesso de
6 pessoas e objetos às áreas restritas ou - - - - SIM SIM SIM - - -
controladas de aeroportos.

Identificação e controle de acesso de


7 - SIM SIM - - SIM SIM - - -
pessoas à aeronave

Identificação e inspeção de pessoas e


8 veículos em controle de acesso de - - - - SIM SIM SIM - - -
veículos

Origem: SIA 34/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

CERTIFICAÇÃO AVSEC NECESSÁRIA PARA EXECUTAR A ATIVIDADE (2)(4)

AVSEC Inspeção de AVSEC


ATIVIDADES AVSEC (1) AVSEC para AVSEC AVSEC AVSEC para
para AVSEC para Básico Segurança para Instrutor
Atendimento para para Operador
Operações Carga Aérea AVSEC da Aviação Operador de AVSEC
ao Passageiro Tripulantes Vigilantes Aéreo
de Solo Civil (3) Aeródromo

Inspeção das Provisões de Bordo ou


9 - - - - - SIM SIM - - -
serviço de bordo

10 Inspeção de Área Estéril - - - - - SIM SIM - - -

Inspeção de bagagens, carga e objetos


11 em geral por meio de raios X ou - - - - - - SIM - - -
tomógrafos
Inspeção de bagagens, carga e objetos
12 em geral por meio de cão farejador de - - - - - SIM SIM - - -
explosivos

Inspeção de pessoas por meio de


13 - - - - - - SIM - - -
body-scan

14 Inspeção de pessoas - - - - - SIM SIM - - -

15 Inspeção de segurança da aeronave (3) - - - - - SIM SIM - - -

16 Inspeção manual de objetos - - - - - SIM SIM - - -

Patrulhamento e vigilância das


instalações de produção e
17 - - - - SIM SIM SIM - - -
armazenamento de serviço de bordo e
terminais de carga ou correio

Origem: SIA 35/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

CERTIFICAÇÃO AVSEC NECESSÁRIA PARA EXECUTAR A ATIVIDADE (2)(4)

AVSEC Inspeção de AVSEC


ATIVIDADES AVSEC (1) AVSEC para AVSEC AVSEC AVSEC para
para AVSEC para Básico Segurança para Instrutor
Atendimento para para Operador
Operações Carga Aérea AVSEC da Aviação Operador de AVSEC
ao Passageiro Tripulantes Vigilantes Aéreo
de Solo Civil (3) Aeródromo

Patrulhamento e vigilância da área


18 - - - - SIM SIM SIM - - -
operacional de aeroportos

Patrulhamento e vigilância de canais


19 - - - - SIM SIM SIM - - -
de controle de acesso

Realizar vigilância em provisões de


20 bordo, serviço de bordo, carga ou SIM - SIM SIM SIM SIM SIM - - -
correio ou bagagens despachadas

Consolidação do Despacho AVSEC


21 - - SIM - - SIM SIM - SIM -
do voo

Proteção de área estéril ou de


22 SIM SIM SIM SIM SIM SIM SIM - - -
aeronave

Recebimento das Provisões na


23 - - SIM - - SIM SIM - - -
Aeronave

Recebimento e identificação de carga


24 - - - SIM - SIM SIM - - -
ou correio na cadeia segura da carga

25 Revista (busca pessoal) em pessoas - - - - - - SIM - - -

Verificação de Segurança da
26 - - SIM - - SIM SIM - - -
Aeronave (3)

Origem: SIA 36/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

CERTIFICAÇÃO AVSEC NECESSÁRIA PARA EXECUTAR A ATIVIDADE (2)(4)

AVSEC Inspeção de AVSEC


ATIVIDADES AVSEC (1) AVSEC para AVSEC AVSEC AVSEC para
para AVSEC para Básico Segurança para Instrutor
Atendimento para para Operador
Operações Carga Aérea AVSEC da Aviação Operador de AVSEC
ao Passageiro Tripulantes Vigilantes Aéreo
de Solo Civil (3) Aeródromo

Coordenar e gerir setor de segurança


27 - - - - - - - SIM - -
aeroportuária

Supervisionar e garantir a
implementação dos controles de
28 segurança e medidas de resposta pelo - - - - - - - - SIM -
operador aéreo em âmbito nacional ou
de aeródromo.
Supervisionar e garantir a
implementação dos controles de
29 segurança previstos no Programa de - - - - - SIM - SIM SIM -
Segurança de Agentes de carga aérea
acreditados (PSACA)

Supervisionar e monitorar a inspeção


30 - - - - - - SIM SIM SIM -
e revista de passageiros e bagagens

Supervisionar e avaliar o treinamento


31 em serviço da certificação em - - - - - - SIM SIM SIM -
inspeção de segurança
Representar operador aéreo ou de
aeródromo em eventos de segurança
32 - - - - - - - SIM SIM -
exigidos em norma, como CSA,
ESAIA e ESAB
Realizar atividade de controle de
33 qualidade AVSEC, para operador - - - - - - - SIM - -
aeroportuário, exceto testes
Realizar atividade de controle de
34 qualidade AVSEC, para operador - - - - - - - - SIM -
aéreo, exceto testes

Realizar testes de controle de


35 - - - - - - SIM SIM SIM -
qualidade

Origem: SIA 37/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

CERTIFICAÇÃO AVSEC NECESSÁRIA PARA EXECUTAR A ATIVIDADE (2)(4)

AVSEC Inspeção de AVSEC


ATIVIDADES AVSEC (1) AVSEC para AVSEC AVSEC AVSEC para
para AVSEC para Básico Segurança para Instrutor
Atendimento para para Operador
Operações Carga Aérea AVSEC da Aviação Operador de AVSEC
ao Passageiro Tripulantes Vigilantes Aéreo
de Solo Civil (3) Aeródromo

Ministrar curso AVSEC e controlar


36 - - - - - - - - - SIM
frequência dos alunos.

Produzir materiais instrucionais para


37 - - - - - - - - - SIM
cursos AVSEC

(1) Para desempenhar as atividades da tabela, é necessário que o profissional possua pelo menos uma das certificações correspondentes, não necessitando possuir todas as
certificações que habilitam a execução da atividade.
(2) As certificações que requerem outro curso como pré-requisito constam no Apêndice B deste Regulamento.
(3) Adicionalmente, para as atividades de inspeção ou verificação de aeronaves, o operador aéreo deve prover ao profissional apresentação das características de suas aeronaves.
(4) Devem ser observadas demais exigências normativas e capacitações específicas para desempenho das atividades previstas neste Apêndice.

Origem: SIA 38/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

APÊNDICE B – CURSOS AVSEC


Carga Carga
Horária Horária
Validade da
Pré-requisito para Matrícula Conteúdo Programático Mínima Mínima Critérios de Aprovação Certificação
para para
Formação Atualização
FORMAÇÃO OU ATUALIZAÇÃO(2) EM AVSEC PARA ATENDIMENTO AO PASSAGEIRO
1. Introdução à segurança da aviação civil contra atos de interferência
ilícita;
2. Credenciamento;
1. Para o curso de Formação, passar
3. Identificação de passageiro;
por avaliação de antecedentes 08 (oito) 04 (quatro)
4. Procedimentos para embarque de passageiro armado; 1. Frequência integral(3). 2 anos
criminais realizada pelo centro de horas-aula horas-aula
5. Medidas de segurança relativas ao passageiro, à bagagem de mão e
instrução;
à bagagem despachada;
6. Reconhecimento e resposta à ameaça de bomba e noções básicas
das ações de contingência.
FORMAÇÃO OU ATUALIZAÇÃO(2) EM AVSEC PARA CARGA AÉREA
1. Introdução à segurança da aviação civil contra atos de interferência
ilícita;
1. Para o curso de Formação, passar
2. Credenciamento;
por avaliação de antecedentes 06 (seis) 03 (três)
3. Apresentação da carga aérea; 1. Frequência integral(3). 2 anos
criminais realizada pelo centro de horas-aula horas-aula
4. Proteção da carga aérea;
instrução;
5. Reconhecimento e resposta à ameaça de bomba e noções básicas
das ações de contingência.
FORMAÇÃO OU ATUALIZAÇÃO(2) EM AVSEC PARA OPERAÇÕES DE SOLO
1. Introdução à segurança da aviação civil contra atos de interferência
ilícita;
1. Para o curso de Formação, passar
2. Credenciamento;
por avaliação de antecedentes 06 (seis) 03 (três)
3. Noções de segurança da bagagem despachada, carga, aeronaves no 1. Frequência integral(3). 2 anos
criminais realizada pelo centro de horas-aula horas-aula
solo, catering e demais operações de solo;
instrução;
4. Reconhecimento e resposta à ameaça de bomba e noções básicas
das ações de contingência.

Origem: SIA 39/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

Carga Carga
Horária Horária
Validade da
Pré-requisito para Matrícula Conteúdo Programático Mínima Mínima Critérios de Aprovação Certificação
para para
Formação Atualização
FORMAÇÃO OU ATUALIZAÇÃO(2) EM AVSEC PARA TRIPULANTES
1. Introdução à segurança da aviação civil contra atos de interferência
ilícita;
1. Para o curso de Formação, passar
2. Segurança da cabine de comando;
por avaliação de antecedentes
3. Ameaça de bomba e reconhecimento de armas químicas e armas
criminais realizada pelo centro de 08 (oito) 04 (quatro)
biológicas; 1. Frequência integral(3). 2 anos
instrução; horas-aula horas-aula
4. Medidas de segurança de aeronaves em solo;
5. Verificação de aeronaves;
2. Licença válida de tripulante.
6. Passageiros indisciplinados em voo;
7. Comunicação, coordenação e resposta a atos ilícitos.
FORMAÇÃO OU ATUALIZAÇÃO(2) EM AVSEC PARA VIGILANTES
1. Introdução à segurança da aviação civil contra atos de interferência
1. Para o curso de Formação, passar
ilícita;
por avaliação de antecedentes
2. Credenciamento;
criminais realizada pelo centro de
3. Noções básicas de controle de acesso e inspeção de pessoas e
instrução; 16
veículos; 08 (oito)
(dezesseis) 1. Frequência integral(3). 2 anos
4. Patrulhamento e vigilância; horas-aula
2. Habilitação para exercer a atividade horas-aula
5. Noções básicas das medidas de segurança relativas à passageiros,
de vigilante, de acordo com
bagagem despachada e aeronave em solo;
regulamentação do Departamento de
6. Proteção de carga;
Policia Federal.
7. Ameaça de bomba e noções básicas de ações de contingência;
FORMAÇÃO OU ATUALIZAÇÃO(2) EM BÁSICO AVSEC
1. Introdução à segurança da aviação civil contra atos de interferência
ilícita; 1. Frequência mínima(3)
1. Para o curso de Formação, passar 2. Noções Básicas de marco regulatório e autoridade legal; igual ou superior a 80%
por avaliação de antecedentes 3. Apresentação do Aeroporto; (oitenta porcento) da carga
32 (trinta e
criminais realizada pelo centro de 4. Noções básicas de credenciamento; 12 (doze) horária do curso;
dois) horas- 2 anos
instrução; 5. Noções básicas de controle de acesso e inspeção de pessoas e horas-aula
aula
bagagem de mão; 2. Nota na avaliação teórica
2. Ensino médio (1); 6. Identificação de armas químicas, armas biológicas e explosivos; igual ou superior a 70%
7. Noções básicas das medidas de segurança relativas ao passageiro, à (setenta porcento).
bagagem de mão e à bagagem despachada;

Origem: SIA 40/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

Carga Carga
Horária Horária
Validade da
Pré-requisito para Matrícula Conteúdo Programático Mínima Mínima Critérios de Aprovação Certificação
para para
Formação Atualização
8. Noções básicas das medidas de segurança relativas à aeronave no
solo;
9. Noções básicas das medidas de segurança relativas à carga, ao
correio e a outros itens;
10. Procedimentos de varredura e proteção de áreas;
11. Ações de Contingência
12. Visita Técnica
FORMAÇÃO OU ATUALIZAÇÃO(2) EM INSPEÇÃO DE SEGURANÇA DA AVIAÇÃO CIVIL(5)

1. Frequência mínima(3)
igual ou superior a 80%
(oitenta porcento) da carga
1. Para o curso de Formação, passar horária do curso;
por avaliação de antecedentes 20 (vinte)
criminais realizada pelo centro de horas-aula 2. Nota na avaliação teórica
8 (oito)
instrução; de atividade igual ou superior a 70%
1. Equipamentos do canal de inspeção; horas-aula
teórica (setenta porcento);
(1) 2. Funções nos canais de inspeção; teóricas
2. Ensino médio ;
3. Inspeção de passageiros e de sua bagagem de mão;
e 3. Para o curso de
4. Categorias especiais de passageiros; e
3. Para o curso de Formação, formação, a Ficha de 2 anos
5. Situações especiais de inspeção;
certificado do curso Formação Básico 16 Avaliação do Treinamento
6. Itens proibidos; 8 (oito)
AVSEC. (dezesseis) Inicial em Serviço,
7. Interpretação de imagens de objetos por meio de equipamentos de horas-aula
horas-aula qualificando o profissional
inspeção (atividade prática). práticas de
4. Para o curso de Atualização, a de atividade como apto;
inspeção
Ficha de Avaliação do Treinamento prática de
em Serviço, qualificando o inspeção 4. Para o curso de
profissional como apto. atualização, a Ficha de
Avaliação da Formação
Continuada, qualificando o
profissional como apto.

Origem: SIA 41/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

Carga Carga
Horária Horária
Validade da
Pré-requisito para Matrícula Conteúdo Programático Mínima Mínima Critérios de Aprovação Certificação
para para
Formação Atualização
FORMAÇÃO OU ATUALIZAÇÃO(2) EM AVSEC PARA OPERADOR DE AERÓDROMO
1. A segurança da aviação civil contra atos de interferência ilícita no
mundo;
2. Marco regulatório internacional e nacional;
3. Planejamento aeroportuário e recursos de segurança;
1. Para o curso de Formação, passar
4. Sistema de coordenação e comunicação;
por avaliação de antecedentes
5. Sistema de proteção aplicado às áreas e instalações do aeródromo,
criminais realizada pelo centro de
zoneamento e vigilância;
instrução; 1. Frequência mínima(3)
6. Sistema de credenciamento e autorização;
igual ou superior a 80%
7. Medidas de segurança relativas aos funcionários, aos passageiros e
2. Ensino médio (1); (oitenta porcento) da carga
seus pertences de mão; 36 (trinta e 16
horária do curso;
8. Medidas de segurança relativas à bagagem despachada; seis) horas- (dezesseis) 3 anos
3. Para o curso de formação,
9. Medidas de segurança relativas à carga, correio e outros itens; aula horas-aula
certificado do curso Formação Básico 2. Nota na avaliação teórica
10. Sistema de contingência e comunicação;
AVSEC; igual ou superior a 70%
11. Programas e planos de segurança do operador de aeródromo -
(setenta porcento).
PSA.
4. Experiência profissional mínima de
12. Controle de Qualidade AVSEC;
06 (seis) meses no sistema de aviação
13. Seleção e Capacitação para desempenho de atividade AVSEC;
civil.
14. Estudo de caso sobre o planejamento da segurança da aviação civil
contra atos de interferência ilícita.

FORMAÇÃO OU ATUALIZAÇÃO(2) EM AVSEC PARA OPERADOR AÉREO


1. A segurança da aviação civil contra atos de interferência ilícita no
1. Frequência mínima(3)
mundo;
1. Para o curso de Formação, passar igual ou superior a 80%
2. Marco regulatório internacional e nacional;
por avaliação de antecedentes (oitenta porcento) da carga
3. Medidas de segurança relativas ao passageiro e à bagagem de mão; 32(trinta e 16
criminais realizada pelo centro de horária do curso;
4. Medidas de segurança relativas à bagagem despachada; dois) horas- (dezesseis) 3 anos
instrução;
5. Medidas de segurança relativas às provisões de bordo e de serviço aula horas-aula
2. Nota na avaliação teórica
de bordo;
2. Ensino médio(1); igual ou superior a 70%
6. Medidas de segurança relativas à carga, ao correio e a outros itens;
(setenta porcento).
7. Medidas de segurança relativas à aeronave no solo;

Origem: SIA 42/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

Carga Carga
Horária Horária
Validade da
Pré-requisito para Matrícula Conteúdo Programático Mínima Mínima Critérios de Aprovação Certificação
para para
Formação Atualização
3. Para o curso de Formação, 8. Medidas de segurança relativas à aeronave em voo;
Certificado do curso Formação Básico 9. Ações de contingência e comunicação;
AVSEC; 10. Programas e planos de segurança do operador aéreo - PSOA.
11. Controle de Qualidade AVSEC;
4. Experiência profissional mínima de 12. Seleção e Capacitação para desempenho de atividade AVSEC;
06 (seis) meses no sistema de aviação 13. Estudo de caso sobre o planejamento da segurança da aviação civil
civil. contra atos de interferência ilícita.

FORMAÇÃO OU ATUALIZAÇÃO(2) EM INSTRUTOR AVSEC


1. Nota nas avaliações
teórica e prática igual ou
superior a 70% (setenta
porcento).

2. Experiência
profissional(4) mínima de
12 (doze) meses nas
atividades operacionais de
aviação civil;
3 anos
3. Ensino médio(1);

4. Certificação válida de
AVSEC para Operador
Aéreo e de AVSEC para
Operador de Aeródromo;

5. Passar por avaliação de


antecedentes, conforme
este regulamento;

Origem: SIA 43/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

Carga Carga
Horária Horária
Validade da
Pré-requisito para Matrícula Conteúdo Programático Mínima Mínima Critérios de Aprovação Certificação
para para
Formação Atualização
6. Certificação em
Inspeção de Segurança da
Aviação Civil ou
declaração de conclusão da
primeira etapa do referido
curso (etapa do centro de
instrução).
(1) A escolaridade deve ser comprovada por meio de certificado de conclusão do respectivo curso.
(2) Para realizar o curso de atualização, o profissional deve possuir a certificação no curso pretendido dentro do período de validade.
(3) No ensino semipresencial ou a distância, a frequência mínima deve ser verificável por mecanismos que comprovem o cumprimento de cada item da grade curricular do curso pelo
aluno.
(4) As atividades de controle de qualidade, docência e elaboração de material didático não são consideradas como atividade operacional para fins de experiência exigida nos critérios de
aprovação da certificação de instrutor AVSEC.
(5) Para os cursos de Formação e Atualização em Inspeção de Segurança da Aviação Civil, a carga horária discriminada na tabela do Apêndice B se refere apenas à etapa ministrada
pelo centro de instrução.

Origem: SIA 44/49


Data de emissão: 17 de julho de 2015 RBAC nº 110
Emenda nº 00

APÊNDICE C – DESENHO ESQUEMÁTICO DO PROCESSO DE FORMAÇÃO E ATUALIZAÇÃO EM INSPEÇÃO DE


SEGURANÇA DA AVIAÇÃO CIVIL

(*) Os prazos para emissão dos documentos não constam no desenho esquemático, estando descritos nos requisitos do Regulamento.

Origem: SIA 45/49