Vous êtes sur la page 1sur 2

Análise de tipos psicológicos

"Sabia que esta pequena chama era a minha consciência, a única luz que possuía.
O conhecimento de mim mesmo era o único e maior tesouro que possuía. Apesar
de infinitamente frágil comparado aos poderes da sombra, era uma luz, minha
única luz." - Carl Gustav Jung

A crescente necessidade de ampliar o conhecimento sobre os indivíduos de forma a


poder alocá-los no lugar certo dentro da organização, garantindo assim mais
produtividade e qualidade, tem levado um número cada vez maior de empresas a
adotarem novos métodos de indicação de personalidade. Como cada ser humano é
único em suas habilidades e atitudes, desvendar o mistério que envolve a
personalidade individual nem sempre é tarefa fácil. Para contribuir com esse
objetivo, a Coaching Psicologia Estratégica, divisão da Saad-Fellipelli Recursos
Humanos, trouxe para o Brasil o Myers Briggs Type Indicator (MBTI), um
instrumento de avaliação que descreve as preferências que cada pessoa tem ao
realizar determinada ação.

Baseado na psicologia de Carl Gustav Jung, psiquiatra suíço que criou a teoria dos
tipos psicológicos, o MBTI é composto por um questionário cujos resultados
apontam as diferenças existentes entre as pessoas. "O mais importante nesse
instrumento é que ele não visa prescrever as habilidades dos indivíduos e sim o seu
estilo mais natural de funcionamento, confirmando que todas as preferências são
igualmente importantes", destaca Adriana Fellipelli, diretora da Coaching.

Com mais de 3 milhões de indicadores administrados anualmente nos Estados


Unidos, o MBTI tem sido, conforme Miguel Vizioli, diretor da Coaching, o
instrumento mais amplamente utilizado para se compreender as diferenças de
personalidade. "O MBTI tem dado a possibilidade para as empresas de estabelecer
um plano de ação e melhoria, porque, se teoricamente quanto mais diversidade
dentro da equipe é melhor pois pode haver mais criatividade, na prática as
diferenças trazem maior possibilidade de conflito e causa mais dificuldade de
relacionamento", analisa Vizioli.

Assim, o conhecimento dessa diversidade pode auxiliar as pessoas a se entenderem


melhor e essa é a principal função do MBTI, conforme Vizioli. O MTBI estabelece 16
combinações para demonstrar as preferências de cada indivíduo. As pessoas podem
preferir concentrar sua atenção na Extroversão ou Introversão; obter informações
pela Sensação ou Intuição; tomar decisões pelo Pensamento (Thinking) ou
Sentimento (Feling); e se orientar em relação ao mundo exterior pelo Julgamento
ou Percepção.

O resultado do questionário gera a combinação das letras e leva ao


estabelecimento das preferências. Exemplificando: uma pessoa que seja ISTJ tira
energia do seu mundo interior e é bastante ligado a ele (I); gosta de obter
informações através dos sentidos (S); prefere usar o pensamento para tomar
decisões (T); e relaciona-se com o mundo exterior através do julgamento (J). Uma
pessoa com preferências totalmente opostas seria ENFP, ou seja, tira energia do
mundo exterior, das pessoas e dos acontecimentos (E); gosta de obter informações
sobre o "todo" e relaciona os fatos entre si (N); prefere usar o sentimento para
tomar decisões (F); e relaciona-se com o mundo exterior através da percepção (P).

As informações obtidas a partir do MTBI podem, segundo Adriana, auxiliar na


solução de problemas organizacionais. Para isso, é importante que as pessoas
conheçam suas preferências e as dos outros membros da equipe. "Como cada
pessoa toma suas decisões baseado naquilo que é mais natural e inato, uma
decisão poderia ser melhor tomada consultando-se uma outra pessoa com

1
preferências opostas ou mesmo prestando-se atenção às funções menos
preferidas", sugere.

[...]

Escalas medidas pelo MBTI

Escala Refere-se a Atividade-chave

Extroversão-Introversão Como uma pessoa é Motivação


motivada
Sensação-Intuição Naquilo que a pessoa Observação
presta atenção

Pensamento-Sentimento Como uma pessoa toma Decisões


decisões

Julgamento-Percepção Tipo de vida que uma Modo de vida


pessoa adota

Características das escalas

Motivação Extroversão Introversão


Preferência por tirar Preferência por tirar
energia do mundo exterior energia do mundo interior
das pessoas, atividades ou das idéias, emoções ou
coisas impressões pessoais

Observação Sensação Intuição


Preferência por obter Preferência por obter
informações através dos informações através do
cinco sentidos e observar "sexto sentido",
aquilo que é real observando o que pode ser

Decisões Pensamento Sentimento


Preferência por organizar e Preferência por organizar e
estruturar as informações estruturar as informações
para tomar decisões de para tomar decisões de
maneira lógica e objetiva maneira pessoal e
orientada para os valores

Modo de vida Julgamento Percepção


Preferência por ter uma Preferência por ter uma
vida organizada e vida espontânea e flexível
planejada

Fonte
ANÁLISE de tipos psicológicos. RH em Síntese. N. 12, set. 1996.