Vous êtes sur la page 1sur 5

FURG- UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE

UAB-UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL


ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO

Raquel Kummer Maschmann

A integração do Poadcast nas aulas de Língua Espanhola: Uma tecnologia


necessária ao desenvolvimento da oralidade do educando

Podemos dizer que durante muitas décadas, os programas educativos


transmitidos via rádio no Brasil foram responsáveis por garantir ao público menos
favorecido acesso a diversas produções culturais, socais, além de alfabetizar grande
parte da população. Desde então, esta mídia passou a ser indissociável do cotidiano
das pessoas, tornando-se um grande veículo de apoio ao processo de ensino
aprendizagem, principalmente no tocante ao âmbito escolar.
Ressalta-se, entretanto, que o avanço das TIC’S, sobretudo com o advento da
WEB 2.0, trouxe novos contornos à transmissão radiofônica que até então era
transmitida apenas pelo aparelho de rádio; instrumentos foram surgindo com as
mesmas características, porém voltados para o espaço digital. Nesse sentido, temos
a Web rádio e o Poadcast. Este último, objeto de análise em questão, refere-se a
uma mídia digital que pode ser transmitida via RSS, difere da rádio web por não ter
canais, programação ou sintonização, tratando-se de arquivos digitais de áudio
publicados em diferentes plataformas que podem ser acessados e ouvidos a
qualquer hora, e, além disso, possuem a grande facilidade de produção e
distribuição.
O radio e as mídias adjacentes já citadas, são tecnologias indispensáveis ao
desenvolvimento do posicionamento crítico e da oralidade dos educandos na escola.
Em contrapartida, o que é observado na esfera da escola pública brasileira é “a
repercussão da lógica que elege a escrita como instância exclusiva de registro do
conhecimento”. (SIGNORINI, 2000, p. 08). Diante desse quadro, quando
observamos a utilização de alguma tecnologia por parte dos docentes, geralmente
limita-se à produção escrita em blogs ou redes sociais, deixando-se de lado a
importância da fala, principalmente, quando nos deparamos com disciplinas de
ensino-aprendizagem de língua estrangeira às quais pressupõem o desenvolvimento
obrigatório da oralidade para que o estudante de fato, adquira conhecimento sobre a
língua meta e consiga colocá-lo em prática em diferentes situações comunicativas.
Para tanto, necessário se faz que o docente explore novas possibilidades de
desenvolver a expressão oral de seus estudantes com propósito de sofisticar seus
métodos pedagógicos, nesse aspecto, o Poadcast se torna uma excelente
ferramenta para promover uma aprendizagem autônoma, interativa e colaborativa,
haja vista que os alunos podem gravar/ filmar (no caso de videocast) em diferentes
cenários intensificando-se a interação e processos de afetividade entre os sujeitos
envolvidos neste tipo de atividade. Desse modo, alunos comumente mais tímidos,
distanciam-se do constrangimento em público ao passo que estão imersos em um
espaço entre amigos onde e sentem à vontade para exercitarem a fala. Além disso,
cumpre frisar, que ao estimularmos os alunos a gravar, estaremos a igual tempo
desenvolvendo a habilidade escrita, pois estes terão que preparar um bom texto a
fim de disponibilizarem materiais coerentes para os colegas. Como professora de
Língua Espanhola vislumbro uma infinidade de aproveitamento desta mídia. Além da
integração nas aulas presenciais, é possível desenvolver um Poadcast com feed
RSS onde os educandos em equipes pesquisem a dimensão cultural de países de
língua espanhola. Os grupos poderiam, por exemplo, subdividirem-se em História e
Geografia, Arte e Cultura, Música e Dança, Personalidades famosas, Gastronomia,
Literatura e Esportes, buscando em todo tempo, novas narrativas para textos
principais, explorando-se novas plataformas midiáticas, colocando-se na práxis a
“narrativa transmídia”. Assim sendo, neste cenário de convergência, mais
especificamente no ensino de LE o poadcast pode tornar a aprendizagem do idioma
mais real e significativa para os aprendizes considerando-se que o alunado pode
socializar seus áudios vídeos com pessoas de várias partes do mundo, constituindo-
se assim um material autêntico muito rico para a aprendizagem e troca de saberes.
O autor Bush (1997) argumenta que a tecnologia não substitui os professores,
mas, os professores que a usam com eficácia poderão substituir aqueles que não a
usam. Diante dessa premissa, temos que o docente deve ser o principal incentivador
da aprendizagem e da curiosidade do educando devendo estimulá-lo a ser um
verdadeiro pesquisador que desenvolva experimentos relativos aos assuntos que
por ele analisados. Isto gera uma experiência reflexiva sobre os objetivos traçados,
fazendo com que o aprendiz reflita sobre a construção de sua própria aprendizagem.
Como exemplo de Podcast a ser utilizado nas aulas de Língua Espanhola cito
“En sitonia com el Español” promovido pelo Instituto Cervantes com objetivo de
promover temas da atualidade envolvendo cultura e sociedade, atividades interativas
e a demonstração de entrevistas com pessoas de várias partes do mundo
“aprendizes de Espanhol como Língua Estrangeira” e os erros mais comuns que
cometem no momento da fala.
Neste espaço sempre contamos com a participação oral de um professor@
de espanhol que debate questões da atualidade com alunos reais residentes da
Espanha. É uma excelente forma de trazermos a variante do “Español estándar”
que segue as regras normativas da Real Academia Espanhola, já que normalmente,
a única variante de Espanhol que os alunos tem acesso e, “quando a tem” diga-se
de passagem, é a variante rio-platense. Não que esta seja inferior, de modo algum,
mas devemos deixar os alunos a par das diferenciações regionais do idioma. Outra
característica dos áudios fornecidos nesta plataforma é que são voltados para
diferentes níveis de aprendizagem, inicial, intermediário e avançado. Assim, os
alunos podem ser desafiados a irem aprimorando sua interlíngua ao escutarem
estes poadcasts no ambiente extracurricular.
Por fim, ainda faço alusão a um dos poadcasts específicos deste espaço
denominado “El ócio Juvenil em España”, nele realmente vemos a entrevista a uma
moça sueca residente de Zaragoza e são analisadas algumas competências
comunicativas básicas de aprendizes de E/LE de nível inicial tais como o uso dos
verbos gustar/interesar/molestar os quais são indispensáveis de serem trabalhados
no espaço escolar. Assim, a entrevista se faz muito interessante o áudio é bastante
claro, facilitando a compreensão do educando e os contextos de uso correto dos
verbos quando os substantivos subsequentes estão no singular ou plural, ou ocorre
uso de verbos.
Exemplo: A mí me encantan los peluches/ A mí me molesta despertar
temprano.
A partir da audição deste áudio, é possível solicitar aos estudantes que façam
um videocast expressando em espanhol gostos e preferências utilizando exemplos
práticos, onde aparecem comidas, lugares e situações distintas. Vai da criatividade
dos educandos!
Ao final do próprio videocast devem desafiar outras pessoas a darem
prosseguimento na propagação do idioma relatando aquilo que mais gostam de
fazer, etc... A ideia é que os ouvintes se sintam desafiados a colocar o aprendizado
na prática, pois esta é a diferença entre um simples vídeo onde assimilamos
informações de forma passiva, para um videocast onde somos conduzidos a uma
experiência reflexiva.

Poadcast com vários áudios do Instituto Cervantes

Disponível em <https://cvc.cervantes.es/ensenanza/ese/default.htm> acesso


em 28/03/2017.

Poadcast específico da plataforma citado no texto:

<
Disponível em <https://cvc.cervantes.es/ensenanza/ese/programa_01/default.htm>
acesso em 28/03/2018
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

DUTRA, Alessandra. Poadcast e videocast: uma possibilidade de trabalho nas aulas de


Língua Inglesa. Disponível em< http://tecedu.pro.br/wp-content/uploads/2015/07/Art16-
ano6-vol11-dez2014.pdf > acesso em 28/03/2017

FREIRE, Eugênio. Poadcast: breve história de uma nova tecnologia educacional.


Disponível em <
http://www.uab.furg.br/pluginfile.php/79928/mod_resource/content/1/Podcast%20%20brev
e%20hist%C3%B3ria%20de%20uma%20nova%20tecnologia%20educacional.pdf>
Acesso em 28/12/2018

GOBATO, Marcelo. Aspectos históricos, socioculturais e tecnológicos do rádio e da


educação. Curso de Especialização Mídias na Educação – Edição 2015-2016

MORAN, José Manuel. Novas tecnologias e mediação pedagógica. Campinas: Editora


Papirus. 2013.

NEUBERGER, Rachel.O rádio na era da convergência das mídias.Bahia:UFRB,2012.