Vous êtes sur la page 1sur 2

Estudantes: insira os nomes completos em ordem alfabética dos componentes do

seu grupo
Polo: insira o Polo que estão vinculados

Síntese do artigo “Estilos de uso do espaço virtual: como se aprende e


se ensina no virtual?” (BARROS, 2009)

No artigo “Estilos de uso do espaço virtual: como se aprende e se ensina no


virtual?”, a autora Daniela Barros traz uma discussão teórica sobre os estilos de
aprendizagem e os resultados de sua pesquisa sobre o uso do espaço virtual. A autora
traz como objetivos do texto apresentar a teoria de estilos de aprendizagem e
demonstrar os resultados de sua pesquisa sobre a forma com a qual as pessoas
utilizam e aprendem no espaço virtual.
Sobre os estilos de aprendizagem, a autora traz uma retrospectiva histórica dos
estudos sobre este tema e conclui afirmando que estes são características e traços
pessoais, em diversos âmbitos (afetivo, cognitivo, psicológico, etc.) que indicam como
as pessoas respondem a situações de aprendizagem e como aprendem. Citando Kolb
a autora destaca quatro estilos de aprendizagem: o ativo, o reflexivo, teórico e o
pragmático. A autora destaca que a teoria dos estilos de aprendizagem não tem o
intuito de criar rótulos estáticos, mas sim de identificar os estilos de maior
predominância em um indivíduo para a condução de um processo de aprendizagem
mais efetivo.
Outra ideia discutida pela autora é a relação do uso das tecnologias digitais
com os estilos de aprendizagem. A autora defende o uso das tecnologias de modo a
potencializar e desenvolver todos os elementos de cada estilo de aprendizagem. São
destacados três aspectos em que o virtual influi nos estilos de aprendizagem. O
primeiro aspecto diz respeito a variedade de opções de escolha no espaço virtual,
devido há uma diversidade de informações, movimentos e imagens. O segundo
aspecto trata da infinidade de formatos de informação, possibilitando que a mesma
mensagem possa entendida a partir de vários caminhos. O terceiro aspecto é a
interatividade, que provoca um apelo emocional no usuário do espaço virtual.
Considerando essas colocações, a autora traz os resultados de sua pesquisa
sobre a utilização do espaço virtual. Verificou-se na pesquisa que a aprendizagem no
virtual acontece de forma ampla, detalhista a partir de uma mescla de percepções
individuais. Outra conclusão da autora é que a dificuldade ou facilidade em usar o
espaço virtual não estão no espaço em si, mas no interesse motivacional do indivíduo.
Também foi constatado uma igualdade de condições para aprender no espaço virtual,
independentemente da idade dos sujeitos
Na análise do uso do espaço virtual com relação aos estilos de aprendizagem
a autora identificou a predominância do estilo reflexivo. A partir da análise dos
questionários, a autora elencou quatro tipos de utilização do espaço virtual, a saber:
uso participativo no espaço virtual; uso busca e pesquisa no espaço virtual;
estruturação e planejamento no espaço virtual; e ação concreta e produção no espaço
virtual. A autora afirma em sua conclusão que essas tendências de utilização não são
estanques ou padronizadas e que há a possibilidade de ampliação das tendências de
um indivíduo a partir da criação de uma ambiência de uso do virtual.
O texto apresenta uma discussão bastante pertinente e a autora faz uma
ligação entre a teoria dos estilos de aprendizagem e os estilos de uso do espaço
virtual. As conclusões trazidas pela autora podem auxiliar na construção de ambientes
virtuais de aprendizagem e apoiar mediação de processos educativos no ambiente
virtual de modo a não só efetivar a aprendizagem mas também ampliar os estilos de
aprendizagem predominantes em um sujeito, a partir do uso das tecnologias

Referência
BARROS, Daniela Melaré Vieira Barros. Estilos de uso do espaço virtual: como se aprende
e se ensina no virtual? Inter-Ação, Rev. Fac. Educ. UFG, v.34, n. 1, jan./jun. 2009, p. 51-74.
Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/interacao/article/download/6542/4803 Acesso em
05 mar. 2018.