Vous êtes sur la page 1sur 6

COLÉGIO EQUIPE DE VISCONDE DO RIO BRANCO

Oficina de Textos
Prof. Leonardo Corrêa

GÊNEROS TELEVISIVOS: A
Telenovela

I. O que é uma Telenovela (TN)? – definição:


Segundo o Dicionário de Comunicação de Rabaça e Barbosa (1995), a
telenovela (TN) é uma novela* (como o próprio nome diz) escrita
especialmente para a televisão ou adaptada de outro gênero (literário,
teatral, etc.). Gênero televisivo que mantém suas raízes na fotonovela e
na radionovela, a telenovela é apresentada em capítulos diários de 30 a
55 minutos, sendo que cada capítulo é a continuação do anterior e assim
sucessivamente.

O sentido geral da trama é previsto inicialmente, isto é, antes da novela ir


para o ar, através da Sinopse. Entretanto, o
desenrolar da trama pode tomar outros rumos,
devido à influência das opiniões dos
telespectadores e da audiência.

Assim, a telenovela é costumeiramente tratada


como uma "obra aberta", em razão de seu enredo
poder ser alterado para ir ao encontro das reações
do público que a consome.

No dizer de Samira Youssef


Campedelli (1985), a TN é
como um novelo se desenrolando, pois ela se desenrola, pouco a
pouco, a partir de várias histórias que se entrecruzam, como fios de
um novelo, até o desfecho no último capítulo.

Assim, a apresentação das histórias é feita em progressão: cada trama


paralela tem de início uma autonomia que, à medida que a novela
caminha, ela se enovela na trama principal até sua resolução ao final.
Assim, a TN também depende da sucessividade, isto é, do gancho de cada capítulo para
aumentar o suspense e nos deixar atentos ao que vai acontecer no próximo capítulo...

1
Veiculada nas redes nacionais de televisão, em sua maioria, de sinal aberto, as telenovelas
brasileiras costumam ter seus direitos de exibição vendidos para diversos países. “Escrava
Isaura” (1976), adaptação de Gilberto Braga da obra de Bernardo Guimarães, foi exibida em
mais de 100 países, sendo considerada a telenovela mais exibida mundialmente.

Voltadas inicialmente ao entretenimento, algumas novelas também já discutiram polêmicas e


questões de responsabilidade social em suas histórias. A telenovela “Explode Coração”,
escrita por Glória Perez e exibida pela Rede Globo em 1995, por exemplo, abordou o
desaparecimento de crianças, e “Viver a Vida”, escrita por Manoel Carlos e exibida pela
Rede Globo em 2010, abordou a questão da tetraplegia e suas
dificuldades sociais

Na visão da autora Roberta Manuela Barros de Andrade, através de


seu trabalho O fascínio de Scherazade: os usos sociais da
telenovela, a telenovela não é um texto inocente, pois ela não nos
oferece somente entretenimento, mas transmite uma mensagem
sobre o social, isto é, nos dá uma visão de mundo, bem como nos
auxilia na interpretação de nossa realidade e sociedade. Ela
complementa:

Além do mais, como nos aponta Rose Calza (1996), a Telenovela é


um gênero que não pode e nem deve ser comparado com os
gêneros literários (romance, conto, etc.), teatrais (dramas, comédias,
etc.) e nem com outras formas de arte, pois ela possui um lugar
social específico: a massa. Assim, TN é uma peça dramática
ficcional, uma forma de arte popular que não é literatura, não é
teatro, não é cinema. Ela é uma forma de ficção seriada que
procura narrar os fatos do dia-a-dia de forma linear e cronológica
(princípio, meio e fim), aproximando-se assim não do romance, mas
da crônica de acontecimentos. É um gênero complexo que envolve
vários agentes (atores, diretores, roteiristas, cenógrafos, colaboradores, maquiadores,
cameramen, etc.) para ser transmitido pela televisão. Na verdade, o que assistimos é o
trabalho ininterrupto de várias pessoas – de uma grande equipe na verdade – que começa
com as ideias do autor e na sinopse aprovada pela emissora.

Nas palavras de Rose Calza (1996):

2
Nossa definição do gênero será a seguinte:

II. Evolução do Gênero:

É interessante observamos como o surgimento de certas tecnologias, como a televisão, a


internet, o cinema, fizeram e fazem ampliar e desaparecer certas formas de uso da
linguagem, ou seja, cada nova tecnologia comunicacional permite surgir novos gêneros
textuais que formalizam os textos produzidos em nossas interações verbais. Quem poderia
dizer que há 50 anos seria possível comunicar-se por meio de som e vídeo com outra
pessoa do outro lado mundo? Hoje, com a internet e programas como o MSN Windows Live,
é possível. Esse tipo de conversa, que denominamos de Chat agendado , foi evoluindo
juntamente com a tecnologia comunicacional: da conversa face-a-face para o chat

3
agendado. O mesmo aconteceu com a telenovela. Esse gênero também foi evoluindo a
partir de outros que vieram antes dele e muitas das características que a telenovela tem
atualmente vieram desses gêneros. Vejamos como se deu essa evolução ao longo da
história.

III. Quais são as características da Telenovela?

1. Características Gerais:

- Finalidade: a finalidade básica de uma TN é o entretenimento, visto que sua linha


mestra é narrar a crônica do cotidiano (fatos do dia-a-dia). Porém, em vários casos, há
também a finalidade de despertar a consciência crítica do telespectador, principalmente
quando as TNs procuram trabalhar com temas de forte repercursão social: racismo,
homossexualidade, tetraplegia, desaparecimento de crianças, sequestro, etc.

- Temáticas: o enredo de uma telenovela pode tratar de temáticas variadas: fortes


paixões (plot de amor), vida doméstica comum aliada a dramas familiares diversos,
triângulo amoroso (plot triângulo), etc.

- Identidades: o locutor e o interlocutor, nesse gênero, assumem, respectivamente, os


papéis de autor/personagens (lembre-se que é o autor que cria os personagens) e
telespectadores (interlocutor múltiplo).

• Autoria: o autor de uma novela não é, na verdade, um só. Há uma equipe de


autores que se dividem em roteirista-supervisor, roteirista-colaborador. Além
disso, há os diretores, cameramen, maquiadores, figurinistas, cenógrafos,
produtores, iluminadores, atores, etc, que também participam da elaboração do

4
texto televisual. Podemos dizer que, o locutor de uma TN são todos esses
elementos juntos. Vale ressaltar que o texto (roteiro) de uma TN nunca está
completo: ele vai sendo escrito à medida que a novela vai passando (“processo
do enquanto”, nas palavras de Janete Clair), sofrendo, dessa forma, a influência
da opinião pública quanto ao desenvolvimento das tramas (central e paralelas) →
“obra aberta”.

- Aspectos materiais: há vários elementos de ordem técnica que caracterizam esse


gênero.

• Formato: a TN tem um formato televisual. Portanto, seu texto resulta da


interação entre o verbal (fala dos personagens, roteiro) e do não-verbal (imagens,
trilhas sonoras, gestos, etc);

• Suporte: é a própria televisão. Tal fato implica uma série de coisas: lógica
comercial (as novelas são produtos feitos para o consumo dos telespectadores →
audiência); lógica simbólica (procuram influenciar a realidade social, ao mesmo
tempo que é influenciada por ela); lógica semiótica (há a interação entre diversos
tipos de linguagem: visual, icônica, gestual, sonora, verbal, etc.);

• Publicidade: muitas TNs dependem da publicidade (“comerciais de TN”; revistas


especializadas, etc.), do merchandising (certas novelas fazem a publicidade de
certos produtos através da atuação de atores), e do “patrocínio” de empresas
publicitárias para se manter no ar.

2. Características Linguísticas:

- Estilo: pelo fato de narrar fatos cotidianos, a grande maioria das TNs possui um estilo
informal (lembre-se que o diálogo é a base do roteiro), que reproduz a fala do dia-a-dia;

- Linguagens: tanto a linguagem verbal (fala dos personagens, roteiro), quanto a


linguagem não-verbal (imagem, trilha sonora, gestos dos atores, etc.) jogam um papel
muito grande na produção e interpretação do texto da telenovela. Às vezes, há a
predominância do não-verbal sobre o verbal (cenas de violência, assassinatos, etc.);

- Tipos textuais: predominância do narrativo e do descritivo → enredo (o que


acontece?) personagens (com quem acontece? Quem faz acontecer?), tempo (quando
acontece?), espaço (onde acontece?). Não há narrador nas TNs atuais. O papel do
narrador é feito pela câmera. A narração de uma TN não conta somente com um enredo
(como nas novelas), mas com vários enredos paralelos (multiplot) que se enovelam até o
desfecho no último capítulo.

3. Características Estruturais:

- Serialidade: episódios (denominados de capítulos) de 30 a 50 min diários (segunda a


sábado) que se distribuem por um certo período de tempo (6 meses em geral) → Divisão
em capítulos;

5
- Encadeamento/ Sucessividade: os capítulos se interligam por meio de certas
estratégias (ganchos) e sempre param num ápice narrativo que leva o telespectador a
esperar “ansioso” os próximos
capítulos → Uso do gancho*;

- Presença de
Abertura/Créditos finais: cada
capítulo apresenta uma abertura
que, de certa forma, representa a
idéia central da TN. A abertura vem
acompanhada da trilha sonora tema
da TN, bem como dos nomes dos
atores, autores e diretores
envolvidos. Porém, quando a
abertura aparece (antes do capítulo
da TN começar, ou antes do primeiro intervalo comercial) é uma questão de escolha da
equipe de produção da TN. Os créditos finais mostram toda a equipe envolvida na
produção da TN, os figurantes que participaram do capítulo, além do merchandising
evidenciado no mesmo.

Centres d'intérêt liés