Vous êtes sur la page 1sur 2

LÓGICA DO CONCEITO/TERMO

Vejamos: Conceitos em si só, não afirmam e nada negam. E para que isso aconteça,
eles devem formar um Juízos, os quais sequenciados e coerentes formam
um Raciocínio.

Noções do Conceito e Termo

CONCEITO- como acto mental. É a representação mental de objectos ou seres da


mesma espécie, ou seja, no conceito temos apenas a essência, as características
determinantes de um objecto, e não o próprio objecto.

TERMO- é a evocação ou fixação do conceito pela linguagem, ou seja, é a expressão


verbal de um conceito. Ex: na realidade pensar um «animal» é diferente de ver um
«animal»

Extensão e Compreensão dos Conceitos

EXTENSÃO- é o conjunto de seres ou objectos abrangidos pelo Conceito. Ex: o conceito


Homem, constitui a classe dos jovens, velhos, adultos, crianças, adolescentes.

COMPREENSÃO- é o conjunto de propriedades que caracterizam e são comuns a todos


os seres ou objectos que formam sua extensão.

Relação entre Extensão e Compreensão dos Conceitos

Entre a Extensão e a Compreensão de um conceito, estabelece se uma relação


qualitativa, que varia na sua relação inversa, isto é, quanto maior for a Extensão menor
será a compreensão e vice-versa.

Extensão

Classificação dos Conceitos e Termos

Quanto à compreensão

-Simples: que não têm partes. Ex: Ser (a ideia de ser)

-Compostos: são divisíveis. Ex homem, animal, planta.

-Concretos: aplica se a realidades apalpáveis, objectos. Ex: gato, cadeira, livro.

-Abstractos: aplica se a qualidades, acções, pensamentos ou estados. Ex: amor, paixão,


alegria;

Quanto à Extensão

-Universais: aplica se a todos os elementos de um conjunto ou classe.

Ex: homem, caderno, e lápis.


-Particulares: aplica se a apenas à parte de um todo ou classe. Ex: Certos alunos, alguns
pais

-Singulares: aplicáveis apenas a um indivíduo. Ex: este caderno, António, esta carteira.

Quanto a Relação Mútua

-Contraditórios: opõe se e excluem se mutuamente. Ex: alto/não alto; branco/não


branco

-Contrárias: opõe se mas não se excluem. Ex: branco/preto; alto/baixo

-Relativos: implicação mútua. Um não é, sem o outro. Ex: pai/filho; direita/esquerda

Quanto ao modo de significação

-Unívocos: usa se de modo idêntico em diversos objectos.

Ex: planta que se aplica a cada uma das plantas. «pau preto»

-Equívocos: aplica se a sujeitos diversos mas em sentido completamente diferente.

Ex: Canto, que refere ao ângulo das duas paredes de uma casa, ou canto
dito do som

-Análogos: aplicado a realidades comparáveis, que sejam idênticos e também


diferentes.

Ex: António e o aluno brilhante, e também que o anel de ouro é brilhante.

Quanto a Perfeição com que Representam o Objecto

-Adequados: representam de forma perfeita o objecto. Ex: carnívoro, dito do cão.

-Inadequados: representam uma forma imperfeita o objecto. Ex: aquático, referindo se


a rã.

-Claros: que levam ao conhecimento do objecto.

-Obscuros: insuficientes para reconhecer o objecto.

-Distintos: as que distingue nitidamente dos outros objectos.

-Confusos: não ajudam na distinção do objecto no meio dos outros.