Vous êtes sur la page 1sur 26

HIDROGINÁSTICA

METODOLOGIA E PRÁTICA

PROF. Ms. HELIO FURTADO

ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS NOS


EXERCÍCIOS AQUÁTICOS

Termoregulação Durante as Atividades Aquáticas

Freqüência Cardíaca Durante as Atividades Aquáticas

Gasto Energético em Atividades Aquáticas

Hidroginástica e Osteoporose

Hidroginástica para Obesos

1
TERMOREGULAÇÃO DURANTE AS ATIVIDADES AQUÁTICAS

A intensidade da perda de calor por condução depende do gradiente de


temperatura entre a pele e as superfícies adjacentes e de suas qualidades
térmicas. A perda de calor na água pode ser considerável e depende da rapidez
com que a água adjacente ao corpo é permutada após ter sido aquecida. A
água é um excelente meio onde pode ser estudado o ajuste fisiológico ao frio,
pois a condução de calor nessa substancia é cerca de 25 vezes maior do que
aquela do ar, na mesma temperatura.

TERMOREGULAÇÃO DURANTE AS ATIVIDADES


AQUÁTICAS

Krasevec e Grimes (1988), citam que a temperatura da água normalmente utilizada nas
piscinas para a prática da hidroginástica está entre os 25º e 29ºC. A permuta de calor por
condução, segundo Astrand e Rodahl (1987), na maioria das condições, é negligenciável;
porém, aumenta de importância no meio liquido, pois a água possui uma capacidade de
remover calor maior do que o ar.

Exercícios vigorosos executados em água aquecida (33ºC) resultam em um aumento da


temperatura corporal central para (39,4ºC) e fadiga prematura. Exercícios vigorosos
executados em água fria (18ºC) levam a uma queda da temperatura corporal central
(36ºC) e uma inabilidade de contração muscular (Bates ; Hanson, 1998, p. 28)

2
FREQÜÊNCIA CARDÍACA DURANTE AS ATIVIDADES
AQUÁTICAS

Christie et al.(1992) pesquisaram o VO2 e encontraram diferentes valores de freqüência


cardíaca em intensidades de trabalho na terra e em situação de imersão. O estudo envolveu
o uso de cateteres cardíacos internos e compararam parâmetros cardíacos diferentes
significativamente mais baixos na água, apenas durante as intensidades mais altas 80% e
100% do máximo.

A imersão ao meio líquido, expõe o corpo a uma nova pressão hidrostática, a outra
viscosidade do meio e a novas condições térmicas, e algumas vezes, a estímulos reflexos
circulatórios, que poderiam alterar as respostas cardio-circulatórias.

Os efeitos destas trocas poderão variar com a postura, com a intensidade do trabalho, com o
tipo de movimentos dos braços, com a temperatura da água e deveriam ser mais evidentes
com indivíduos realizando exercícios máximos em água fria ( KRUEL, 1994).

FREQÜÊNCIA CARDÍACA DURANTE AS ATIVIDADES


AQUÁTICAS

Segundo Avellini et al.(1983), pode-se esperar que o exercício físico aquático produza
reações fisiológicas diferentes daquelas ao ar livre, devido tanto ao efeito hidrostático da
água nos sistemas cardiorespiratórios, como à sua capacidade de intensificar a perda de
calor comparada ao ar.

Vários pesquisadores de atividades aquáticas indicam uma redução de 10 a 20 batimentos


por minuto (bpm) da freqüência cardíaca recomendada para os exercícios em terra.
Segundo Pollock e Willmore (1993), na natação, a F.C. se mostra consideravelmente
menor que na esteira rolante(14bpm).

3
GASTO ENERGÉTICO EM ATIVIDADES AQUÁTICAS
Sobre o gasto energético, PAULO (1994) cita que, em nível muscular, há um envolvimento
da maioria dos grupos musculares (agonistas e antagonistas), equilíbrio nas fases de
tensão e relaxamento.

E o exercício na água produz, também, uma necessária sobrecarga, o que faz com que o
gasto de energia seja ainda maior. Aliado a esse fato, deve-se lembrar que o trabalho na
água estimula a produção de calor, daí maior consumo de energia e, então, transformação
de peso gordura em peso muscular. O gasto energético do exercício na água, em relação
ao exercício em terra, depende da profundidade e temperatura da água e da velocidade
com que a atividade é executada (VARELA, 1999).

HIDROGINÁSTICA E OSTEOPOROSE

A força mecânica proporcionada pelo exercício físico regular estimula a atividade osteoblástica por
meio do efeito piezoelétrico (transformação de energia mecânica em energia elétrica), ocasionando
um aumento na incorporação do cálcio ao osso (MATSUDO; MATSUDO, 1991). Os mesmos autores
ainda citam que a prática da hidroginástica proporciona uma redução de freqüência cardíaca, da
pressão arterial, da atividade da renina plasmática, da aldosterona e incrementa o retorno venoso.
Também é indicada para pacientes com limitações da mobilidade (artrose, artrite), reabilitação
músculo-esquelética, enfermidades de coluna e osteoporose.

Várias metas devem ser atingidas quando se faz um programa de exercícios para pacientes com
osteoporose. A mais importante de todas é que o programa não ofereça perigo. Ele deve aumentar a
habilidade do paciente para realizar suas atividades de rotina diária e deve minimizar o risco de fratura
subseqüente (BANDEIRA et al .2000).

4
HIDROGINÁSTICA PARA OBESOS
Whitley; Schoene (1987), Frangolias; Rhodes (1996) concordam que a hidroginástica é uma
atividade indicada para as pessoas que tenham problemas nas articulações , de reabilitação
cardíaca e obesidade. A atividade física na água é uma alternativa interessante por apresentar
menor tendência a provocar lesões, devido à diminuição de seu peso hidrostático.

O Peso Hidrostático se baseia no princípio de Arquimedes. Esse princípio se dá quando um corpo é


parcial ou totalmente imerso em um fluido em repouso, ocorrendo uma força de empuxo para
cima, igual ao peso do volume de fluído deslocado (BATES;HANSON, 1996).

Propriedades Físicas da Água


Pressão Hidrostática
Peso
Peso Corporal Dentro da Água
Densidade Relativa ( Gravidade Específica)
Viscosidade
Turbulência e Resistência
 Flutuação

Pressão Hidrostática
A pressão hidrostática é a primeira contribuição para o exercício, existe uma estimulação
imediata da circulação periférica e estando água na altura dos ombros promove uma resistência
sobre a caixa torácica
torácica.. ( Paulo, 1994
1994)). A lei de Pascal estabelece que a pressão do fluido é
exercida igualmente sobre todas as áreas e um corpo imerso a uma dada profundidade profundidade.. A
pressão é diretamente proporcional a ambasambas:: a profundidade e a densidade do fluido
fluido.. (Bates e
Hanson 1998
1998)).
Auxilia o retorno venoso, pois as forças que atuam ao redor do corpo facilitam o trabalho das
bombas musculares e também é responsável pelo efeito massageador percebido nas aulas de
hidroginástica, que diminui sobremaneira as dores musculares pós exercício
exercício.. (Bonachela, 2001
2001))

5
Peso
Segundo Skinner & Thomson (1985) o peso de uma substância é a força com a qual ela é atraída no
sentido do centro da terra. Nas atividades aquáticas o peso do indivíduo é reduzido em 90% quando
está imerso com a água na dos ombros.

Peso Corporal Dentro da Água


O peso corporal dentro da água é aliviado de acordo com a profundidade em que se encontram as
articulações, pela ação da flutuabilidade, nas seguintes proporções: nível da água no ombro 90%,
nível da água no tórax 80%, nível da água na cintura 50%, nível da água na coxa 40%, nível da água
nos joelhos 20% e nível da água nos tornozelos 10%. Na água o corpo flutua fazendo com que o
individuo diminua o peso hidrostático e conseqüentemente, as forças compressivas que atuam
nas articulações, principalmente nos membros inferiores , reduzindo desta forma o estresse nas
articulações. Quanto maior o nível de imersão menor será o impacto que uma articulação será
submetida ( Bonachela, 2001)

Densidade Relativa ( Gravidade Específica)


A densidade relativa de um objeto é a relação entre a massa do objeto e a igual massa de volume
de água deslocado. Se este valor for maior que 1,0 o objeto afundará; se for menor que 1,0 flutuará.
Se o valor for exatamente igual a 1,0, o objeto flutuará logo abaixo da superfície da água (Skinner &
Thomson., 1985).
A gravidade específica do corpo humano, pode ser
determinada por sua composição ou constituição física.
Uma vez que um corpo humano é constituído de uma
variedade de tecidos (ossos, músculos, gorduras e etc.)
e como eles próprios têm diferentes gravidades
específicas, a quantidade de cada um existente no
corpo de uma pessoa tem uma boa relação com a
capacidade desta flutuar ou não.

São características importantes da densidade relacionadas a hidroginástica:

A água é mais densa a 4º C ( Skiner & Thomson, 1985)


A água é cerca de 770 vezes mais densa que o ar (Weineck, 1991)
Indivíduos obesos tendem a flutuar com mais facilidade (Frangolias & Rhodes, 1996)
Conhecer a densidade dos materiais é importante para a utilização dos equipamentos e
determinação das sobrecargas

6
Viscosidade
A resistência do movimento através de um fluido, que é causada pela fricção entre as
moléculas do fluido, é conhecida como viscosidade
viscosidade.. Com o aumento da temperatura da água, a
viscosidade diminui porque as moléculas estão mais afastadas, a viscosidade atua como uma
resistência ao movimento, pois as moléculas tendem aderir à superfície do corpo corpo.. (Bates e
Hanson, 1998
1998)). viscosidade ocorre quando existe fricção entre as moléculas de um
líquido,criando a tendência de uma molécula se aderir à outra (coesão) e na água a tendência
de uma molécula se aderir a um corpo submerso( adesão) adesão).. A viscosidade aumenta a medida
que a temperatura diminui
diminui.. Esta ficção entre as moléculas é que provoca resistência a açãoação..
(AEA, 2001)
2001)

Este tipo de atrito (fricção) que ocorre entre as moléculas de um líquido é que oferece
resistência ao movimento debaixo da água em qualquer direção provocando uma turbulência
maior ou menor de acordo com a velocidade com que executamos o movimento
movimento.. Quanto mais
rápido, maior será a intensidade do esforço
esforço.. (Bonachela, 2001
2001)).

São características importantes da viscosidade relacionadas à hidroginástica:

- Quanto maior a superfície de contato, maior a resistência oferecida ao movimento.


- Quando aumentamos a velocidade aumentamos o arrasto, aumentando assim a oposição ao movimento.

Turbulência e Resistência
A resistência encontrada durante os movimentos através da água é consideravelmente maior do que
durante a realização dos mesmos movimentos na terra, em razão da maior densidade relativa da água.
O grau de resistência oferecido pela água parada depende da velocidade do movimento e da forma do
corpo em movimento, isso se dá porque essa parte causa turbulência, isto é, corrente de águas
aleatórias. (Baum, 2000)
A turbulência é um termo que indica os redemoinhos que seguem um objeto que se movimenta
através de um fluido. O grau de turbulência dependerá da velocidade do movimento. Quando o
movimento for muito lento, então o fluxo de partículas será quase paralelo ao movimento e
prosseguirá em curvas leves e contínuas. Movimentos mais rápidos produzem redemoinhos e a
energia desses redemoinhos é dissipada, reduzindo a pressão e aumentando o arrastamento do
corpo. A forma do corpo tem uma enorme influência sobre a produção de turbulência. (Campion,2000)
Diferentes dos nadadores e remadores que buscam diminuir a turbulência e o arrasto para professor
de hidroginástica são ferramentas fundamentais na individualização dos exercícios porque permitem o
aumento ou a diminuição da intensidade. (AEA,2001)

No fluxo turbulento a resistência é o quadrado da


velocidade (Becker & Cole, 2000), tornando a velocidade
de execução uma das maneiras de controlar a intensidade
do exercício.

7
Flutuação
A água exerce uma força (flutuação) ascendente em qualquer corpo que esteja imerso. A força
depende do volume de água deslocado. O peso do objeto é uma força descendente. Quando um
corpo é pesado na água, seu peso fica diminuindo pela força ascendente da flutuação na água.
Quando um indivíduo empurra um objeto flutuante mais para dentro da água, surge uma força mais
ascendente correspondente ao peso da água adicional que agora está sendo deslocada. ( Baum
2000)
A flutuação sustenta o corpo, permitindo maior facilidade de movimentos, isto é explicado por uma
lei física que é o Princípio de Arquimedes: Um corpo imerso num fluido é sustentado por uma
força igual ao peso do fluido deslocado pelo corpo.

A flutuação pode ser de assistência (assistiva), de resistência (resistiva) ou de apoio (suporte).


Esta força assiste qualquer movimento em direção a superfície da água e resiste qualquer
movimento na direção oposta à superfície da água.(Bates e Hanson, 1998) Flutuação, conforme
SKINNER & THOMSON (1985), é a força, experimentada como empuxo para cima, que atua em
sentido oposto à força de gravidade. Um corpo na água está portanto submetido a duas forças em
oposição - a gravidade, atuando através do centro de gravidade, e a flutuação, atuando através do
centro de flutuação (ou metacentro, ou centro de empuxo).

São características importantes na flutuação da relacionadas à hidroginástica:


- Na água o corpo está submetido a duas forças em oposição: gravidade e flutuação (Skinner &
Thomson.-- 1985).
Thomson.
- Pode ser utilizada como resistência ou assistência ao movimento, variando de acordo com a
direção que é realizado (AEA, 2001).
- A força de empuxo alivia o peso e por conseguinte a pressão no sistema osteomioarticular,
causando menos lesões ( Tarpiniam & Awbrey, 1997)
- Alivia o impacto articular, importante para obesos e idosos
- Com o efeito da gravidade reduzido, o sangue volta pra o coração com menor esforço (AEA, 2001)

8
LEIS DE NEWTON
As leis de Newton podem ser amplamente utilizadas no, meio líquido e
especificamente na Hidroginástica.
Inércia (1ª Lei de Newton)
Um corpo em repouso tende a permanecer em repouso até que atue sobre ele
alguma força
força.. Já um corpo em movimento tende a permanecer em movimento
retilíneo e numa velocidade constante, a não ser que a ação de forças externas
modifique seu estado
estado.. Na água isto é mais percebível devido a viscosidade do meio
líquido.. Se um indivíduo troca de sentido durante uma corrida na piscina, o corpo
líquido
sofrerá a oposição da inércia da água
água..

Aceleração (2ª Lei de Newton)


A reação do corpo com medida de aceleração é proporcional à força aplicada, na mesma
direção e inversamente proporcional a sua massa.
Pra a AEA esta lei pode ser usada de duas maneiras: aplicar mais esforço contra a resistência da
água, usando braços e pernas, e/ou aplicar mais esforço sobre o fundo da piscina para
impulsionar o corpo para cima ou para fora.

9
Ação e Reação (3ª Lei de Newton)
Sempre que um corpo atua sobre o outro, o segundo exerce uma reação igual e oposta
sobre o primeiro. Durante um exercício se puxarmos a água para trás, provocaremos um
movimento adiante ou se empurrarmos para baixo provocaremos um movimento
ascendente.

Resistência Frontal
Este é um fator que afeta a intensidade do exercício
exercício.. A resistência frontal é resultante
das forças horizontais na água
água.. O tamanho da área de resistência frontal de um objeto
afeta diretamente a quantidade de energia requerida para movimentar este objeto através
da água
água.. O tamanho da área de superfície dos membros e a posição das mãos influencia
de sobremaneira a intensidade dos exercícios
exercícios..
A superfície frontal é determinante na intensidade do exercício
exercício.. Podemos utilizar
apenas o nosso corpo para aumentar ou diminuir a superfície frontal ou acrescentarmos
materiais como halteres, tornozeleiras e outros equipamentos
equipamentos..

10
HABILIDADES FUNDAMENTIAIS
DE UM PROFESSOR DE HIDROGINÁSTICA

Ginástica X Hidro

Braços Fora Da Água?

Demonstração Correta Dos Exercícios

Tempo De Água

Musicas Adequadas

Correção Constante Dos Alunos

Verificação Da Intensidade

Percepção De Esforço

Vestimenta adequada

microfone

deck x dentro da água

tenis adequado

colocação dos alunos na piscina

alunos atrasados

aluno novo usa logo o equipamento ?

profundidade da piscina

utilizar adequadamente a piscina

diferentes intensidades para grupos heterogeneos

equipamentos de diferentes resistencias

utilizar as propriedades da água para aumentar ou diminuir


a intensidade do exercício

11
Objetivos do Programa
FORÇA
Alguns autores acreditam que o trabalho com força deve vencer
uma sobrecarga de 85% a 100% da carga máxima. O número de
repetições é de seis a doze e velocidade de execução de lenta
para média ( MONTEIRO, 1998).
Em hidroginástica há uma carência de equipamentos de grande
resistência tornando o aumento de força questionável, não
existindo embasamento teórico para um trabalho eficiente de
força (DI MASI, 1999).
Outro fator importante é o tipo de contração desenvolvido nas
atividades aquáticas, em virtude das características do meio,
existe um predomínio de contrações concêntricas. Sabendo-se
que o trabalho excêntrico provoca mais microtraumas no tecido
muscular, e estes microtraumas poderiam promover a hipertrofia
(NETO,1997).

Objetivos do Programa
FORÇA
De acordo com BAUM (2000), Estudos comparativos de trabalhos
muscular realizados em imersão e não imersão, utilizando
eletromiografia subaquáática por radiotelemetria, indicam um
recrutamento consideravelmente menor de fibras durante a
imersão, o recrutamento menor demonstrado pelos estudos
efetivamente parece questionar a validade do princíípio da
sobrecarga
A força resistente é uma qualidade física com resultado bastante
satisfatório em hidroginástica, devido à atividade não possuir
equipamentos de grande sobrecarga, apenas equipamentos de
média e baixa sobrecarga. Segundo Weineck (1998), força
resistente é a capacidade de resistência a fadiga da musculatura
em desempenho de força de longa duração.

12
Objetivos do Programa

FLEXIBILIDADE
Segundo Dantas (1994), a flexibilidade é a qualidade física mais
utilizada em desportos, entretanto até pouco tempo atrás dava-se
pouca importância ao trabalho de flexibilidade. Sova (1998), afirma
que flexibilidade é a capacidade que as articulações tem de se
movimentar dentro de uma faixa normal.
Devido ao menor efeito da gravidade na água, as articulações
podem fazer uma variedade maior de movimentos e alongarem-se
mais efetivamente sem aumento de pressão sobre elas. Bates e
Hanson (1996), citam que os métodos estáticos são os mais
recomendados porque eles permitem aos músculos aumentarem o
comprimento sem produzir microrupturas no tecido muscular, o
que acontece nos movimentos balísticos

Objetivos do Programa

RESISTÊNCIA CARDIORESPIRATÓRIA
O indivíduo que pratica hidroginástica periodicamente adquire através
das partes aeróbicas das aulas, trabalhadas dentro das zonas de
treinamento um bom condicionamento cardiorespiratório. Baum (2000),
afirma que o principal objetivo do sistema cardiorespiratório durante o
exercício é fornecer suficiente sangue oxigenado para os músculos em
atividade. Aboarrage (1997), cita o condicionamento cardiorespiratório
como, "A capacidade de transportar oxigênio para os músculos de
forma a sustentar longos períodos de produção de energia".

13
Bases do Treinamento Desportivo

O aprimoramento fisiológico induz uma resposta ao treinamento, que


deverá ser aplicada numa sobrecarga com o exercício que seja
específico para a atividade.
atividade. Ao exercitar-
exercitar-se em um nível de intensidade
mais alto que aquele adotado normalmente, consegue-
consegue-se induzir uma
série de adaptações ao treinamento altamente específicas e que
permitem ao organismo funcionar com maior eficiência
(MCARDLE ,2004).

Bases do Treinamento Desportivo


Os programas de treinamento em hidroginástica devem seguir as
características dos métodos de treinamento desportivo como citado por
"A metodologia pela qual o treinamento será prescrito pode influenciar
diretamente na magnitude dos efeitos fisiológicos obtidos".
(Monteiro (1998)

14
Bases do Treinamento Desportivo
CONTÍNUO
TREINAMENTO CONTÍ
Treinamentos contíínuos são aqueles que envolvem a aplicaçção de cargas
contíínuas caracterizadas pelo predomíínio do volume sobre a intensidade
( Dantas 2001).
Propiciam basicamente o desenvolvimento da resistência aeró óbica,
atividades fíísicas que envolvem grandes massas musculares, e podem
ser sustentadas por um longo perííodo de tempo, são mais adequadas
para aprimorar o VO2 má áx
(Monteiro,1998).

Bases do Treinamento Desportivo

TREINAMENTO INTERVALADO
Consiste de uma sé érie de estíímulos (esforçço submá áximo)
entremeados de intervalos que propiciam uma recuperaç ção
parcial. O treinamento conduzido na forma intervalada permite que
se possa trabalhar em altos percentuais de VO2 má áx. (DANTAS,
1998).
um mé étodo bastante eficiente na obtenç ção de um melhor
condicionamento fíísico em curto prazo (MONTEIRO(1998). E de
ção deste mé
grande valia a utilizaç étodo em aulas de hidroginá
ástica,
mas é pouco utilizado como estraté égia de aula.

15
Bases do Treinamento Desportivo

TREINAMENTO CIRCUITADO
É o meio de preparaç ção fíísica realizado na sua origem em forma de
cíírculo, em que consta a passagem dos atletas por estaç ções, nas
quais são executados exercíícios de efeitos distintos
(TUBINO, 1980.)
É um mé étodo misto, pois tanto se presta para o condicionamento
cardiopulmonar como para o neuromuscular. Pode ser dosado
para trabalhar qualquer um dos sistemas energé éticos pela correta
ção de estíímulos e intervalos. Estes circuitos podem ser
utilizaç
aeróóbicos ou anaeróóbicos, a distribuiç
ção dos estíímulos é que
condicionaráá em que tipo de circuito o treinamento melhor se
enquadra (DANTAS, 1998).

PESQUISA SOBRE METODOLOGIA DE AULA


PROGRAMA DE HIDROGINÁSTICA

Método contínuo é o mais utilizado ( 60%


60% ), este método é caracterizado
como meio de preparação, que utilizam exercícios de movimentação
contínua, em geral de longa duração, e que, fundamentalmente, usam o
desenvolvimento cardiorespiratório (TUBINO, 1984)
1984). Vários professores
que citaram este método, na verdade trabalharam outras valências físicas,
o que aponta para uma ineficiência na elaboração dos programas.
programas.

Método circuitado (23,


23,3%), que segundo Dantas (1998),
1998), é um método
misto, pois tanto se presta para o condicionamento cardiopulmonar como
para o neuromuscular, pode ser dosado para trabalhar qualquer um dos
sistemas energéticos, pela correta utilização de estímulos e intervalos.
intervalos.
Demonstra ser um método pouco utilizado comparado com o método
contínuo.
contínuo.

16
PESQUISA SOBRE METODOLOGIA DE AULA
PROGRAMA DE HIDROGINÁSTICA

Método intervalado (16,


16,7%) foi o menos citado, embora apresente bons
resultados.. Em pesquisa realizada por Scartoni (2002),
resultados 2002), analisando:
analisando:
freqüência cardíaca, Vo2
Vo2 Max e ventilação por minuto, verificou-
verificou-se que o
método mais eficiente em intensidade de aula, com base nos parâmetros
de freqüência cardíaca e ventilação por minuto, foi o método intervalado.
intervalado.

Equipamentos

Os Equipamentos podem ser divididos em três categorias:

 Flutuantes – utiliza a como sobrecarga a resistência de flutuação

17
Equipamentos
Resistidos – utiliza com sobrecarga o deslocamento de um volume de
água, quanto maior for a área de atrito maior se’r a resistência do
equipamento

Equipamentos

 Adaptados – sao colocados no maio aquático e adaptados de dos


exerçicios terrestres, não utilizam a sobrecarga da água

18
PESQUISA SOBRE METODOLOGIA DE AULA
PROGRAMA DE HIDROGINÁSTICA
Quais os equipamentos que você utiliza nas aulas de hidroginástica?
Halteres

Caneleiras de
borracha
Luvas

Canudos
3%
5% 16% Coletes flutuantes
9%
Aquafins
9% 13%
Aquadisc

10%
14% Bolas
17%
Step

. Caneleiras de
peso
Bastão de
borracha
Hydrotone

PESQUISA SOBRE METODOLOGIA DE AULA


PROGRAMA DE HIDROGINÁSTICA

Qual o método de treinamento que você mais utiliza em suas aulas?

17%
23%

intervalado
contínuo
circuitado

60%

19
Características das aulas

O tempo de duração das aulas deve ser previsto, conforme a


American College Sport of Medicine (1991) que preconiza a
realização de trabalhos com duração contínua, que podem variar
de vinte a sessenta minutos.
Fletcher (1997) citado por Monteiro (1998) afirma que aquelas
pessoas que desejam aprimorar sua aptidão cardiorrespiratória,
sem ênfase no trabalho de emagrecimento, sessões com duração
de 30 minutos parecem ser suficientes.
A dosagem dos exercícios dependerá da turma, dos objetivos a
serem atingidos, seguindo-se um processo evolutivo de acordo
com o nível, procurando sempre melhorar o desempenho físico e o
desenvolvimento dos aspectos orgânicos e neuro-musculares.”
(BONACHELA, 1994)

Características das aulas

No que se refere ao número de sessões semanais, Pollock (1975)


diz que são necessários pelo menos três dias de treinamento por
semana para modificar a composição corporal através do exercício.
Em relação a diminuição do peso, a união de uma dieta alimentar e
exercício podem atingir o nível desejado. Segundo Bouchard (1990)
O acréscimo de exercício a um programa de controle ponderal
pode modificar favoravelmente a composição do peso perdido,
resultando em uma maior perda de peso na forma de gordura.
Pollock (1969) afirma que a intensidade de treinamento de vários
programas, obtiveram resultados semelhantes incluindo uma
redução significativa no percentual de gordura corporal. Em
hidroginástica há uma maior dificuldade de aferir a intensidade ao
qual os alunos estão sendo submetidos, sendo necessário um
acompanhamento para um melhor resultado nos objetivos.

20
Estratégias de aula
Segundo a AEA (2001) são os componentes da aula de
hidroginástica:
Aquecimento Térmico – ( 3 à 5 minutos)
Pré-alongamento – (3 à 5 minutos)
Aquecimento cardiorespiratório - (3 à 5 minutos)
Treinamento cardiorespiratório – (20 minutos)
Relaxamento cardiorespiratório - (3 à 5 minutos)
Condicionamento muscular – (5 à 15 minutos)
Alongamento Final – (5 à 10 minutos)

Estratégias de aula
Deep Water
O Deep water é uma atividade de alta intensidade que trabalha
fortalecendo vários grupamentos musculares, sem causar stress as
articulações e estimula o sistema muscular, o sistema neurológico e
o sistema articular ( Reis, 2002).
BRODSKY ( 2001) cita que um programa de Deep water bem
elaborado pode trazer: ganhos de força, melhoras na composição
corporal e postura, aumento da resistência aeróbica e redução de
stress.
As aulas de “Deep Water “ utilizam a parte funda da piscina, com
auxilio de um colete flutuador o aluno permanece em flutuação sem
tocar o fundo durante toda a aula, objetiva um condicionamento
aeróbico. (DELGADO, 2001)

21
Estratégias de aula
HIDRO ESPORTE
Utilizado como treinamento complementar e/ou preventivo, baseia-
se aos princípios básicos do treinamento, tem com objetivo
melhorar a performance, prevenir e reabilitar o atleta, a temperatura
é de 27º à 29º C. Utiliza vários equipamentos :Hidro-tone, luvas,
Cinturões (colete), halteres, wett-vests, caneleiras, dyna band,
rueber band, bastões para água, pé de pato.. Tem como cuidados
especiais pisar sempre com o pé todo no chão e tem como
objetivos: força, R.M.L, flexibilidade, resistência aeróbia, a aula
tem uma duração relacionada ao objetivo do treinamento.

Estratégias de aula

HIDRO LOCALIZADA
Conjunto de exercíícios fíísicos, executados com ou sem material em
piscina, e que tem como objetivo aumentar a forç ça e resistência
muscular, melhorar a capacidade respirató ória e a amplitude articular,
utilizando a água como sobrecarga (BONACHELA, 2001).
Estrutura da aula :
Parte inicial – Aquecimento e exercíícios aeró
óbicos: corridas,
ços e pernas.
deslocamentos e movimentos combinados de braç
Parte principal – Exercíícios localizados: Membros superiores,
édia do corpo.
membros inferiores parte mé

Parte final – Alongamento e relaxamento

22
Estratégias de aula
AQUAERÓBICA
AQUAERÓ

óbica é um sistema de exercíícios com mú


Aquaeró úsica realizados na
água; são exercíícios promotores da saú úde, naturais, agradá
áveis e
holíísticos.

São em sua maioria realizados na posiç ção vertical, com água na


órax. Seus movimentos são funcionais a planejados para
altura do tó
envolver todo corpo, estruturados de forma ló ógica, compatíível com a
ática atual dos treinamentos de condicionamento fíísico para
prá
indivííduos saudááveis. A aula é dividida em aquecimento,
treinamento aeró óbico e relaxamento (BAUM, 2000).

Estratégias de aula
AQUAMOTION

Foi criado por Miles-


Miles-Dutton e Buchanan (1992). Esta aula é composta
por: aquecimento, segmento aeróbico, esfriamento e relaxamento. A
estratégia utilizada é um predomínio aeróbico com exercícios pré
estabelecidos, onde o aluno através de experiências anteriores vai se
adaptando aos 52 exercícios existentes.

O objetivo é alternar movimentos de trabalho aeró óbicos, antero-


posterior com os de mé édio-lateral. A profundidade da piscina é com
a água na altura do peito, utiliza luvas (opcional) e tem como
cuidados especiais pisar sempre com os pé és todo no chão,
mantendo o abdomem e glú úteos contraíídos, e braç ços sob a
superfíície da água. Com exceç ção das aulas coreografadas, objetiva
óbia e tem uma duraç
a resistência aeró ção méédia de 45 minutos.

23
Aulas e Programas Formatados

HIDROSPINNING

Um programa de condicionamento físico eficiente adaptado


das aulas de academia

Aulas e Programas Formatados

HIDROSPINNING

Utlizando um método de treinamento intervalado as aulas


conseguem chegar a limiares de frequencia cadíaca bastante
elevados proporcionando um alto gasto calórico.

24
Aulas e Programas Formatados

POWER POOL

Um programa de aulas .
coreografadas com ênfase no
trabalho aeróbico.
Utiliza deslocamentos em diversas
direções onde a rotina vem toda
formatada pronta para ser
ministrada.
Busca a maior aderência de jovens
tentando mudar o perfil da maior
clientela “Idosos”.

PLANEJAMENTO DE UM PROGRAMA DE FORÇA EM


HIDROGINÁSTICA

MESOCICLO
1ª Semana 2ª Semana 3ª Semana 4ª Semana
Força Resistente Hidro Power Equip Hidro Power Equip Hidro Power Equip
Bíceps/Tríceps Bíceps/Tríceps Quadríceps Bíceps/Tríceps
Peitoral/ Dorsal Peitoral/ Dorsal/ ombro Peitoral/ Dorsal/ ombro

Força Resistente Hidro Power Equip Hidro Power Equip Hidro Power Equip
Quadríceps Quadríceps Bíceps/Tríceps Quadríceps
Peitoral/ Dorsal/ ombro
Força Resistente Hidro Power Equip Hidro Power Equip Força Resistente
Ombro Bíceps/Tríceps Quadríceps Bíceps/Tríceps
Abdômen Peitoral/ Dorsal/ ombro Peitoral/ Dorsal

Hidro Power Hidro Power Equip Hidro Power Equip Força Resistente
Bíceps/Tríceps Quadríceps Bíceps/Tríceps Quadríceps
Peitoral/ Dorsal . Peitoral/ Dorsal/ ombro
Hidro Power Hidro Power Equip Hidro Power Equip Deep Water
Quadríceps Bíceps/Tríceps Quadríceps
Peitoral/ Dorsal/ ombro

25
PLANEJAMENTO DE UM PROGRAMA DE FORÇA EM
HIDROGINÁSTICA

Para a elaboração de um planejamento eficiente devemos organizar um macrociclo que


atenda os objetivos dos alunos. Faz-se necessário conhecer:
 O nível da turma
Os equipamentos disponíveis

Número de sessões semanais


As intensidades dos exercícios
As amplitudes de movimento
A velocidade de execução
A forma do equipamento

.
R= KSV2 p
R - Resistência (Força em Kg) - K – Coeficiente de forma S – Area de atrito
V – Velocidade em m/s - p – Densidade do meio

PLANEJAMENTO DE UM PROGRAMA
CARDIORESPIRATÓRIO DE HIDROGINÁSTICA
Para a elaboração de um planejamento eficiente devemos organizar um
macrociclo que atenda os objetivos dos alunos. Faz-se necessário conhecer:
 O nível da turma
Os equipamentos disponíveis
Número de sessões semanais
MESOCICLO
1ª Semana 2ª Semana 3ª Semana 4ª Semana
Deep Water Caminhada Aquática Hidro intervalada Deep Water

Aquamotion Deep Water Deep Water Hidro step

Hidro intervalada Aquamotion Hidro step Corrida em piscina rasa

Corrida em piscina rasa Hidro intervalada Deep Water Aquamotion

Hidro step Deep Water Hidro intervalada Caminhada Aquática

26