Vous êtes sur la page 1sur 4

Atendimento e Legislação

Proteção Constitucional

Professora Tatiana Marcello

www.acasadoconcurseiro.com.br
Atendimento e Legislação

LEI Nº 8.078, DE 11 DE SETEMBRO DE 1990 –


CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR

Dispõe sobre a proteção do consumidor e dá outras providências.


O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a
seguinte lei:

TÍTULO I

Dos Direitos do Consumidor

CAPÍTULO I
DISPOSIÇÕES GERAIS
Art. 1º O presente código estabelece normas de proteção e defesa do consumidor, de ordem pública
e interesse social, nos termos dos arts. 5º, inciso XXXII, 170, inciso V, da Constituição Federal e art.
48 de suas Disposições Transitórias.
(...)

CONSIDERAÇÕES SOBRE O ASSUNTO

DISPOSIÇÕES GERAIS - PROTEÇÃO CONSTITUCIONAL

CF: art. 5º, XXXII - o Estado promoverá, na forma da lei, a defesa do consumidor -
cláusula pétrea
CDC: Lei 8.078/1990, cujas normas são de interesse social e de ordem pública.
Vulnerabilidade (art. 4º, I, CDC) – todo consumidor é presumidamente vulnerável.

www.acasadoconcurseiro.com.br 3
1. Para iniciar o estudo sobre Direito do Consumidor, é importantíssimo fazer uma leitura
atenta do Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/1990). Trata-se de uma lei pequena,
com menos de 120, redigidos de forma clara e linguagem simplificada, pois a intenção é de
que o próprio consumidor em geral consiga entendê-los.

2. O Direito do Consumidor está regulado, basicamente, pelo Código de Defesa do


Consumidor, Lei 8.078/1990, cujas normas são de interesse social e de ordem pública,
criado em conformidade com as disposições Constitucionais do art. 5º, inciso XXXII, cláusula
pétrea (o Estado promoverá, na forma da lei, a defesa do consumidor), art. 170, V e art. 48
da ADCT.

3. Como se tratam de normas de ordem pública, têm aplicação obrigatória, não podendo ser
derrogadas pelas partes. É uma legislação especial, cujo regime jurídico é aplicável sempre
que se tratar de relação de consumo.

4. Para que haja uma relação de consumo, é necessário que de um lado esteja alguém que se
enquadre no conceito de consumidor e, de outro, alguém que se enquadre no conceito de
fornecedor.

5. Ao estudar o Direito do Consumidor, deve-se ter como premissa que todo consumidor é
presumidamente vulnerável na relação de consumo. A intenção do legislador foi de criar
uma situação jurídica mais favorável à parte mais fraca na relação (consumidor), a fim de
equilibrar as desigualdades.

4 www.acasadoconcurseiro.com.br