Vous êtes sur la page 1sur 6

PCC 6 Semestre

Artes Visuais Brasileiras

A disciplina Artes Visuais Brasileiras pelo que entendi se baseou no conhecimento dos
principais períodos e estilos da arte brasileira: arte indígena, pré-colonial, colonial, arte
imperial, neoclássica, barroco, rococó, arte moderna, ecletismo, contemporânea, abstração e
novos meios.

Nesta disciplina nos foi apresentado os estilos de arte brasileira e os contextos em que eles
foram produzidos em formas, cores e estética. Também foram abordados vários assunto para os
auxiliar aprender a arqueologia rupestre, cerâmica, plumária, pesquisar a arte indígena, estudar
o romantismo e academicismo e compreender a arte imperial brasileira e a arte colonial, os
requintes do barroco e do rococó, bem como conhecer os ofícios fotográficos da época do
Império.

Por fim acredito que todo esse conteúdo me auxiliou a discutir a arte moderna e
contemporânea, compreender o movimento Modernista e a Semana de Arte Moderna e ainda
conhecer os novos meios.

Artes Visuais na Rede

Esta disciplina nos forneceu subsídios e conhecimentos para que pudesse assimilar a formação
das Redes e sua relação com as Artes Visuais, bem como a compreensão dos conceitos sobre a
história da Internet, o aprimoramento das telecomunicações, o início dos celulares no Brasil, a
utilização das redes para a comunicação e as redes sociais na internet

Foram abordados histórias importantes sobre a origem do Linux, o início da internet no Brasil,
o nascimento do videogame, as novidades tecnológicas nos jogos de Barcelona e na Expo
Sevilha em 1992, a entrada do celular em São Paulo e no Brasil, a ascendência do DVD, a
projeção do Windows pela Microsoft, o renascimento da Apple, a Lei Geral para a queda do
monopólio no Brasil, o aumento do número de internautas brasileiros, os lançamentos da
Apple, o bug do milênio, a renovação do design do iMac e o início da TV digital no Brasil, o
nascimento do e-commerce e o bum dos milhões de celulares em território nacional.

Abordado também a Artes Visuais e Educação, dando um maior enfoque a como as tecnologias
podem favorecer a disseminação das Artes Visuais no campo educacional.

Direitos Humanos

Nesta disciplina estudamos temas considerados relevantes para o exercício dos direitos
humanos de todas as pessoas. Aprendemos que o estudo dos direitos humanos tem o objetivo
de promover a responsabilidade social orientada para além de todos os direitos considerados
universais e inalienáveis, numa visão holística e voltada à missão prática dos direitos humanos
como forma de vida para os países democráticos. A disciplina, desse modo, promoveru
diálogos e debates que conduziram ao pensamento crítico e à análise sistêmica sobre o futuro
da humanidade em prol da paz, da justiça econômica e social. Além disso, nos incentivou ao
entendimento das implicações morais e políticas dos direitos humanos para que haja a
conscientização de que os indivíduos são protegidos pela Declaração Universal dos Direitos
Humanos, aceita pela maioria das nações.

Estudos Disciplinares XI

Foi realizado trabalho com as questões do enade de 2014 e elaborado um texto dissertativo
sobre dissertativo que apontasse um fator que contribui para o grande percentual de pessoas
mal alfabetizadas na sociedade brasileira e uma consequência desse problema.

Estudos Disciplinares XII

Foi realizado trabalho com as questões do enade de 2014, na qual foram nalisadas as
afirmativas corretas e justificada cada alternativa, mesmo que incorreta, foi explicado o porquê
de estar incorreta.

Ética, Legislação e Direito Autoral

Esta disciplina nos forneceu conhecimento para que pudéssemos compreender a


construção da Ética, Legislação e Direito Autoral, fornecendo subsídios para o entendimento
dos conceitos sobre os processos de ética, moral e sobre a história no processo de formação
legal.

Estudamos a moral como fonte do direito, o estatuto da ética e suas prerrogativas na profissão,
além do reconhecimento da sociedade e de seus direitos.

Foi discutido também a inclusão das Artes Visuais, bem como o senso estético no que se refere
à moral e aos direitos autorais. As diferenças entre plágio e busca de referência, a arte
contemporânea, a indústria de consumo e os direitos culturais e patrimoniais, na preservação do
patrimônio cultural e material, além dos direitos da nação para a arte e a história da cultura.

Métodos de Pesquisa

Essa disciplina serviu para aprimorar nossos estudos sobre o método, detidamente, o método
científico, o método acadêmico. Foi apresentado os principais conceitos, as principais
abordagens e os principais desdobramentos do estudo da área para que se pudéssemos entender
a importância do método, não somente no âmbito da academia, na vida discente, mas também
diante de todos os ambientes por que a vida nos permite transitar. Trata-se também de material
de apoio à disciplina Métodos de Pesquisa. Como o objetivo é introduzir o conhecimento com
as questões do método, de forma que nos instigou a procurar mais sobre o tema e também
produzir conhecimento nos preparando para pesquisar os textos para o trabalho de conclusão de
curso.

Prática Como Componente Curricular

Essa disciplina nos forneceu subsídios e nos auxiliou a perceber-nos como indivíduo inserido
em uma sociedade que compreende, entre outros aspectos, uma educação, que se configura
como o nosso futuro ambiente de trabalho. Esta educação envolve vários elementos que foram
trabalhados. Por esse motivo acredito que o curso nos possibilitou a compreensão do papel que
deveremos exercer futuramente como professor, ajudando a formar ou a transformar esta
sociedade em que estamos inseridos.

Prática de Ensino: Reflexões

De modo geral, a Prática de Ensino: Reflexões nos auxiliou durante reflexoes de nossa futura
atuação profissional, partindo das atividades práticas vivenciadas nos cursos de licenciatura em
geral e, especificamente, no seu curso. Visa ainda a orientá-lo na elaboração dos produtos finais
do estágio (relatório, síntese do estágio, fichas, relatórios semestrais, eventuais projetos e
relatórios de aplicação dos projetos), bem como dos procedimentos de entrega e validação.

Produção Artística Visual nas Novas Mídias

A disciplina Produção Artística Visual nas Novas Mídias tem como base a discussão sobre o
processo histórico da relação entre arte, tecnologia e as novas linguagens, considerando a
importância da tecnologia no processo criativo. Análise da criação artística mediada por
tecnologias, demonstrando os processos envolvidos em sua criação e discutindo as linguagens e
procedimentos envolvidos em sua realização. Nosso propósito será possibilitar a pesquisa e
compreensão das relações entre arte contemporânea e novas tecnologias, enfocando a questão
das imagens produzidas pelas novas tecnologias, além de entender e representar os elementos
artísticos das novas mídias, desvelar os componentes artísticos através da leitura, apreciação,
interpretação e análise crítica das produções comunicativas, conhecer os princípios
fundamentais evolutivos das tecnologias nas artes visuais e fornecer bases sólidas que
capacitem o estudante à crítica e à solução de questões de toda ordem, em especial para os
futuros profissionais da imagem e comunicação

Tópicos de Atuação Profissional - Artes Visuais

Serão apresentadas as possibilidades de atuação do profissional de Artes Visuais, buscando um


entendimento melhor dessa formação. A proposta vai explorar alguns conceitos e teorias sobre
o ensino de arte em diversas situações e diante de públicos diferenciados, levando em
consideração as particularidades de cada cultura e os espaços destinados à educação. Há uma
grande expectativa por parte dos alunos do Ensino Superior em relação à empregabilidade e ao
mercado de trabalho no que diz respeito à sua formação. Por causa desse cenário, faz-se
importante a compreensão das oportunidades e concorrências por vagas de trabalho após a
conclusão do curso. Quem é esse profissional e quais competências e habilidades serão exigidas
dele? Espera-se que você adquira uma visão mais apurada acerca das áreas de atuação
proporcionadas por sua formação no curso de Artes Visuais, licenciatura e/ou bacharelado.

Marketing: Esta disciplina vimos várias aulas e teorias e técnicas que visam ao desenvolvimento das
pessoas, tanto no âmbito pessoal quanto no profissional, edificando uma imagem de credibilidade,
qualidade e fundamentalmente competência. Foi trabalhado vários aspectos do marketing pessoal, os
tipos de profissionais no mercado e ainda, valores como missão e ética. Foram de fundamental
importância para complementar meus estudos.

PLANO DE AULA – ARTES VISUAIS

TEMA: Escultura.

PÚBLICO ALVO: Ensino Fundamental I

OBJETIVO: Produzir trabalhos de arte, utilizando a linguagem da modelagem, explorando as texturas


de objetos e materiais; Confeccionar um trabalho artístico tridimensional de escultura; Reconhecer o
uso no contexto social do gênero textual prescritivo- receita.

CONTEÚDO: Exploração e aprofundamento das possibilidades oferecidas pelos diversos materiais,


instrumentos e suportes necessários para o fazer artístico; Exploração do espaço tridimensional na
realização de seus projetos artísticos; Apreciação das suas produções e das dos outros, por meio da
observação e leitura de alguns dos elementos da linguagem plástica; Leitura e compreensão de
pequenos textos.

METODOLOGIA DA AÇÃO PEDAGOGICA: A aula será realizada em sala de maneira interdisciplinar, com
apreciação de escultura de Mestre Vitalino, notação de atividades onde receitas são utilizadas no
cotidiano, fabricação de massinha de modelar, confecção de esculturas e apreciação das próprias
produções. Para o desenvolvimento da aula serão necessários, um cartaz contendo a receita, uma
escultura do Mestre Vitalino e argila, farinha de trigo, bacia, sal, vinagre, água, guache de cores
variadas para a massa de modelar, papel madeira e vários objetos com pentes, pedras, brinquedos, etc
PLANO DE ATIVIDADE

1º momento De início, em uma roda de conversa, a professora apresentará uma escultura do Mestre
Vitalino, para apreciação, onde será facudado as crianças fazerem a leitura e análise da obra, no
decorrer do diálogo a professora comentará fatos característicos das esculturas do Mestre Vitalino e
marcantes da sua vida, neste momento deve ficar claro para as crianças a matéria prima usada por
Vitalino na confecção de suas obras (barro/ argila), que também será apresentada as crianças para que
possam sentir sua textura.

2º momento Depois, em roda no chão da sala as crianças receberão algumas orientações,


mencionando que a próxima atividade é a fabricação de massinha de modelar, que é um material de
textura semelhante a argila, mas com outros ingredientes. Nesse momento as crianças receberão uma
bacia média e pequenas porções dos ingredientes já anteriormente separados. De início a professora
trabalhará a oralidade, falando sobre receita, para que serve, quem já presenciou a mãe preparando
algum prato, expondo um pouco do gênero textual prescritivo, etc. Em seguida a professora
apresentará um cartaz contendo a receita da massinha, após leitura, será executada a fabricação ao
passo das instruções recebidas da leitura da receita em cartaz. Primeiro o trigo, depois o sal, o vinagre,
a água, depois de misturados dar cor com guache (cada criança receberá cor diferente). Durante a
fabricação a criança será instigada a observar e comentar a textura dos ingredientes separados, dos
mesmos se misturando e depois da massinha já pronta.

3º momento Depois da limpeza da sala as crianças relacionarão semelhanças e diferenças da textura


da argila e da massinha com outros objetos que terão a disposição como pentes, pedras, tecidos etc.
Essa atividade visa desenvolver a capacidade de observação e o sentido tátil.

4° momento Sobre o papel madeira as crianças irão produzir objetos, animais em escultura com a
massinha dando liberdade a sua criatividade de criação, neste momento haverá intercâmbio entre as
crianças em troca de massinhas e nos comentários decorrente do processo de criação. Após
confecionadas as esculturas as crianças com auxílio da professora organizarão a sala, e guardarão o
resto da massa em sacos plásticos na geladeira

5° momento Já com a sala organizada será realizada um exposição das esculturas confeccionadas,
primeiramente interna para a própria sala e em seguida para o jardim I. Onde cada criança falará sobre
sua escultura, seu processo de criação, o que ela representa, o que o motivou a confeccioná-la, etc.

AVALIAÇÃO: A aula foi muito proveitosa, houve bom entendimento da proposta por parte das
crianças, alcançando os objetivos traçados, elas conseguiram fabricar a massa e também confeccionar
a escultura, bem como identificar as situações onde pode-se usar a receita e de como ela nos serve no
dia- a dia. Elas se envolveram de forma plena, participando de cada momento da aula com atenção e
muita alegria. Foi extremamente prazeroso ver o encantamento das crianças durante seu processo de
criação, bem como aos comentários, exploraram bastante as cores, formando mostrinhos coloridos,
animais gingantescos, outros pequeninos. No começo alguns ateram-se apenas a duas cores, ainda
estavam meio tímidos, porém com motivação da professora foram conseguindo atuar sobre a massa
com mais propriedade. A aula sucedeu de forma hamoniosa, não houve problema de ingestão,
somente pequenos impasses facilmente solucionados.

BIBLIOGRAFIA: Porto, Amélia. Novo Fazer e Aprender. 1° ano ensino fundamental/ Amélia Porto e
Maria Luisa Aroeira; livro do aluno- Belo Horizonte: Dimensão, 2008.

CONCLUSÃO Ensinar Artes significa ir além da mera produção de desenhos e pintura, onde a criança é
deixada a deriva em uma aula entendida como hora do descanso, Artes é linguagem e com tal é
fundamental para desenvolver aspectos cognitivos, sensiveis e culturais, sendo assim o Ensino das
Artes significa articular os três campos conceituais: fazer artistico, apreciação e reflexão fundamentado
no desenvolvimento cultura da criança. Esse trabalho realizado em Artes Visuais não objetiva
resultados de técnicas em construções perfeitas e sim o prazer de explorar e conhecer diversos
materiais. Esta postura de ensino incuti habilidades, competência, valorização e interpretação do
mundo por intermédio da observação das cores, imagens, harmonia dos sons, apreciação de suas
próprias produções, constituindo assim sua própria linguagem artistica.

REFERÊNCIAS Porto, Amélia. Novo Fazer e Aprender. 1° ano ensino fundamental/ Amélia Porto e Maria
Luisa Aroeira; livro do aluno- Belo Horizonte: Dimensão, 2008.

Montagnini, Rosely Cardoso. Ensino das artes e música: pedagogia/ Rosely Cardoso Montagnini, Laura
Célia Cabral Cava, Klésia Garcia andrade. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009