Vous êtes sur la page 1sur 4

Endereço da página:

https://novaescola.org.br/conteudo/1030/o-corpo-o-
movimento-e-a-aprendizagem

Publicado em NOVA ESCOLA 01 de Abril | 2007

Prática Pedagógica

O corpo, o movimento e a
aprendizagem
Quem dança tem mais facilidade para construir a imagem
do próprio corpo, o que é fundamental para o
crescimento e a maturidade do indivíduo e a formação de
sua consciência social
NOVA ESCOLA

A dança é uma expressão artística baseada no movimento corporal. Ela


aparece em duas formas: a teatral e a social. No primeiro caso, é executada
num palco, tendo como estilos principais o medieval e o balé (clássico,
moderno e contemporâneo). No outro, ela é praticada ao ar livre ou em
clubes de baile. Nesse grupo estão os gêneros populares - como o frevo, o
forró, o carimbó etc. - e as danças de salão, do ventre e de rua. Nos dois
casos, os passos cadenciados são acompanhados de música e transmitem
sensações e sentimentos por meio de um conjunto ordenado (teatral),
chamado coreografia.

A dança surgiu com a função de permitir ao homem adorar os deuses e a


natureza. Nas cavernas de Lascaux (França), Altamira (Espanha) e serra da
Capivara (no Piauí) é possível observar desenhos com cenas de pessoas em
roda, saltando e se comunicando com o corpo. É como se nossos
antepassados quisessem reproduzir graficamente os sentimentos
proporcionados por uma boa caça e uma colheita frutífera, a alegria causada
pela chuva ou o medo provocado por um predador. A primeira coreografia
que os estudiosos imaginam ter sido criada é a do homem que veste uma
pele de animal e tenta imitar seus ataques ou fugas.

Ao longo do tempo, essa forma de Arte passou por transformações. Uma das
mais importantes foi realizada na França do século 17, durante o reinado de
Luís XIV. Exímio bailarino, ele fundou em 1661 a Academia Real da Música e
da Dança. Nascia assim o conceito de balé, um tipo de dança executada pelos
nobres nas festas da corte, que duravam dias. O gênero foi bastante
difundido em toda a Europa. Na virada do século 19 para o 20, a francesa
Isadora Duncan (18721927) mudou completamente o jeito teatral de dançar.
Ela causou enorme sensação ao rejeitar as sapatilhas de ponta, símbolo
sagrado do balé. Descalça, Isadora fazia seus passos arrojados e menos
rígidos, interpretando as músicas a seu modo. Em 1913, o russo Vaslav
Nijinsky (18901950) coreografou A Sagração da Primavera, peça musical
dissonante e assimétrica do russo Igor Stravinski (18821971) que tinha
movimentos diferentes para os vários bailarinos. Assim, ele eliminou o
conceito de corpo de baile. (Veja essas e outras transformações no pôster "A
arte no tempo")

Do ponto de vista corporal, a dança é uma forma de integração e expressão


individual e coletiva: exercitam-se a atenção, a percepção e a colaboração
entre os integrantes do grupo. Quem a pratica tem mais facilidade para
construir a imagem do próprio corpo - fundamental para o crescimento e a
maturidade do indivíduo e a formação de sua consciência social.

Como a ação física é a primeira forma de aprendizagem, é importante que


essas atividades estejam sempre presentes na escola. A criança estimulada a
se movimentar explora com mais freqüência e espontaneidade o meio em
que vive, aprimora a mobilidade e se expressa com mais liberdade.
Geralmente, nos primeiros sete anos de vida, os pequenos têm um
vocabulário gestual muitas vezes maior do que o oral. De acordo com
pesquisas recentes feitas na área da neurociência, é cada vez maior a relação
entre o desenvolvimento da inteligência, os sentimentos e o desempenho
corporal. Fica para trás, portanto, aquela visão tradicional que separava corpo
e mente, razão e emoção.

"As descobertas feitas com o corpo deixam marcas, são aprendizados


efetivos, incorporados. Na verdade, são tesouros que guardamos e usamos
como referência quando precisamos ser criativos em nossa profissão e
resolver problemas cotidianos. Os movimentos são saberes que adquirimos
sem saber, mas que também ficam à nossa disposição para serem colocados
em uso"

Esteban Levin, psicólogo argentino e pesquisador em psicomotricidade

Na escola

Educação Infantil

Na creche e na pré-escola, a criança precisa ser orientada a:

? Conhecer o próprio corpo.


? Explorar as possibilidades de gestos e ritmos corporais e utilizá-los em
situações de interação.
Ensino Fundamental

O aluno de 1ª a 8ª série precisa aprender a:

? Compreender a capacidade e o funcionamento do corpo para usá-lo com


expressividade, inteligência, harmonia, responsabilidade e sensibilidade.
? Reconhecer os diferentes tecidos que constituem o corpo (pele, músculos e
ossos) e suas funções (proteção, movimento e estrutura).
? Observar e analisar as diferentes características corporais, como forma,
volume e peso.
? Experimentar por meio de pesquisas vários tipos de locomoção,
deslocamento e orientação (caminhos, direções e planos).
? Sentir o corpo no espaço, considerando as mudanças de velocidade, tempo,
ritmo e o espaço ocupado pelas diversas atividades.
? Improvisar e criar seqüências de gestos com os outros colegas.
? Reconhecer e distinguir diferentes modalidades de movimento e suas
combinações como são apresentadas nos vários estilos de dança.
? Contextualizar a produção em dança e compreender como ela é uma
manifestação autêntica, sintetizadora e representante de determinada
cultura.
? Pesquisar e freqüentar os grupos de dança e assistir a manifestações
culturais e espetáculos em geral.
? Elaborar registros pessoais para a sistematização das experiências
observadas e vividas.

Fonte: Parâmetros Curriculares Nacionais

Quer saber mais?

Bibliografia

? A Educação pela Dança, Paulina Ossona, 176 págs., Ed. Summus, tel. (11) 3862-3530 31,60 reais
? Capoeira - Pequeno Manual do Jogador, Nestor Capoeira, 240 págs., Ed. Record, tel. (21) 2585-2407, 33,90 reais
? Dança, Educação, Educação Física, Nilda Barbosa Cavalcante Rangel, 80 págs., Ed. Fontoura, tel. (11) 4587-
9611, 15 reais
? Dança e Educação em Movimento, vários autores, 272 págs., Ed. Cortez, tel. (11) 3873-7111, 32 reais
? Dança Escolar - Um Novo Ritmo para a Educação Física, Vanja Ferreira, 80 págs., Ed. Sprint,
tel. (21) 2264-8080, 18 reais
? Dança... Ensino, Sentido e Possibilidades na Escola, Débora Barreto, 163 págs., Ed. Autores Associados, tel.
(19) 3289-5930, 28 reais
? Dança Brasil - Festas e Danças Populares, Gustavo Cortes, 182 págs. Ed. Leitura, tel. (31) 3371-4902, 48 reais
? Manuais de Ensino-Dança, Eliana Caminada e Vera Aragão, 132 págs., Ed. Universidade,
tel. (21) 2536-5191, 27 reais
? Ensino de Dança Hoje, Isabel Marques, 128 págs., Ed. Cortez, 18 reais
? Espaço e Corpo - Guia de Reeducação do Movimento, Ivaldo Bertazzo, 235 págs., Ed. Sesc SP,
tel. (11) 3179-3400, 25 reais
? História da Dança no Ocidente, Paul Bourcier, 340 págs., Ed. Martins Fontes, tel. (11) 3259-8836, 47,80 reais
? O Livro da Dança, Ines Bogéa, 96 págs., Ed. Cia. das Letrinhas, tel. 0800-014-2829, 21 reais
? Pequena Viagem pelo Mundo da Dança, Lenira Rengel e Rosana Van Langendonck, 80 págs., Ed. Moderna, tel.
0800-172-002, 36,50 reais
? Dança na Escola, Erica Beatriz Verderi, 120 págs., Ed. Sprint, tel. (21) 2264-8080, edição esgotada
? Dança, Símbolos em Movimento, Maria-Gabriele Wosien, 128 págs., Ed. Anhembi-Morumbi, tel. (11) 3847-3146,
55 reais